Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

The Faker

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por Black~ em Qua 3 Maio 2017 - 21:48

Bem, vamos lá.

Pra falar a verdade, eu nem achei esse capítulo grande. Você disse que esse capítulo teve mais de 3000 palavras, mas imagino que seja porque elas ficaram mais concentradas, já que você usou mais palavras na narração do que de costume, mas de todo jeito, li bem rápido e acho até que outros capítulos já foram maiores que esses (talvez esteticamente, mas enfim).

De toda forma, confesso que achei esse capítulo bem filler, porém concordo com o Brijudoca que você foi bem corajoso de ter feito um capítulo, digamos, diferentes dos outros. Mas, apesar de eu não ser dos fãs mais assíduos de fillers (e fazer um monte deles -q), eu gostei desse capítulo, porque apesar de não mostrar avanço na história, pelo menos mostrou um pouco da relação entre a Sakka e a Sophie e um pouco mais de como funcionam as ilusões da Zoroark e até chegando a mostrar uma leve falha do bicho.

Bem, no geral gostei do capítulo. Pelo menos incluiu mais uma personagem na história, essa tal de Kathie, que concordo, que é uma excelente amiga pra ir pra floresta sem nome (gostei do nome da floresta) e ainda ser roubada. Também foi legal ver mais do jeito meio "maloqueiro" da Sophie em ação. Espero pra ver quando ela sair em jornada (esse dia chegará ainda...), mas enfim. Também achei legal toda aquela cena a Sakka "virando" Berry e Caterpie, pelo menos mostrou algo diferente do que eu imaginava, já que eu pensei que apenas a própria Sakka se transformava, seja pessoa ou pokémon, mas foi legal mesmo ver isso, enfim.

Bem, só tenho isso a dizer, já que o capítulo não teve lá muitos acontecimentos.

Então é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por Rush em Qui 4 Maio 2017 - 14:05

'Sup, Slow!

O capítulo ficou maiorzinho do que de costume, mas eu particularmente prefiro capítulos grandes. Mesmo que não tenha tido nenhuma ação "importante", achei interessante como o capítulo fluiu. Não consideraria um filler por apresentar coisas importantes para história, como a Katherine, a influência das emoções da Zoroark em relação às ilusões, o ladrãozinho e até mesmo o fato de Sophie ter capturado um Caterpie.

Achei muito bacana as armadilhas teste que a Sophie andou elaborando para testar os limites das ilusões de Sakka. Os detalhes foram muito interessantes, como as ilusões fazerem um Loop como se fosse um gif, caso mantidas, e até "chiarem" quando a Zoroark se distrai com alguma emoção, no caso o ciúmes. Os detalhes de como a Sophie aprendeu a criar uma armadilha perfeita para o Caterpie foram interessantes, já que ela se deu o trabalho de até reparar na Berry amaçada com a queda da árvore.

Falando em detalhes, a narração foi impecável. A forma em que você descreveu as passagens e os detalhes da ambientação foram incríveis.

O Caterpie em si me lembrou alguns personagens, tipo o ratinho indefeso que aparece no primeiro Rei Leão, sendo usado como o brinquedo de Scar (No caso Sakka), e até mesmo o esquilo da Era do Gelo. Não sei porque, mas personagens mudos, medrosos e que se fodem acabam me lembrando desse esquilo. Mas falando sobre cobaias para as ilusões, eu admito que eu ri do Pidgey. Sakka e Sophie estavam jurando que nenhum pidgey era ingênuo o suficiente para cair na ilusão e quando foram desfazer, o passaro aparece a milhão, exalando paciência em ficar horas esperando.

Sobre a cena posterior, eu tenho que admitir que não achei tão relevante como o teste das ilusões. Claro que a cena do Nagai perseguindo o ladrãozinho foi simplesmente brilhante. Eu amei como você retratou a perseguição no ponto de vista de uma cobra, tirando que foi muito badass por parte da Sophie mandar uma naja gigante perseguir o maluco.

De resto não tenho muito o que comentar. Fiquei contente em saber que Sophie ainda vive com seus tios adotivos monopoisons e que está na escola. Gostei da Katherine e do Eeveezin dela.

É isso meu amigo, aguardo ansiosamente o próximo capítulo.
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por -Ice em Dom 14 Maio 2017 - 13:56

Fala Slow o/

É incrível como os capítulos que mais enrolo para ler acabam sendo os mais legais -q Já aconteceu com o Rush, com o Brijudoca e agora com você.

Eeeenfim, é até meio clichê começar falando que gostei desse capítulo, mas né. Eu não o considero como um capítulo filler, foi mais como um capítulo "expositivo", que cria uma situação filler para desenvolver outras coisas como relação entre personagens e etc.

Esse capítulo era o que eu precisava para me acostumar com a Sakka como Zororark. Talvez no anterior eu não tenha curtido muito pois ela não teve todo aquele brilho de sempre, mas nesse foi mais orgânico, ver ela fazendo suas ilusões (e mostrando os pontos fracos dessas) e sentindo ciúmes da Sophie. Só achei a Zoroark meio sádica, sei lá hsaush

Eu não sei se essa Katherine vai voltar, mas talvez seja legal desenvolver a personagem e seu Eevee, já que eu, particularmente, não vi nada de especial dela, me pareceu uma estudante japonesa genérica da vida. Mesmo que cabelos azuis não sejam lá muito genéricos auheauhe

Enfim, não tem muito o que falar desse capítulo, estou aqui comentando na maior velocidade que consigo antes que você poste o outro, então um beijo, um queijo e até a próxima o/
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por Slow em Dom 14 Maio 2017 - 19:13

Olá c: 

Parece que os capítulos estão crescendo... esse aqui atingiu os 4k, acho que nunca escrevi um desse tamanho auhsuahs. Alguns momentos podem parecer meio fillers de novo, mas é que ele (e o anterior) é cheio de detalhes importantes que explodem bem depois. Não precisam ler como "caçadores de detalhes", sempre que acontecer eu procurarei resgatar esses detalhes para que tudo encaixe. Vou nem falar muito mais ou vocês ficarão muito atentos -q então, vamos aos:

Comentários:

@Brijudoca salve o/
 
Eu espero que esse aqui flua tão bem quanto o anterior, porque tem cerca de 1k de palavras a mais auheauhe. Então, é realmente assim, se fossemos fazer um gráfico do andamento da história esse capítulo seria reto nele, mas tem um grande peso em aprofundar e inserir personagens e trabalhar melhor o que é necessário.
 
Cara, eu amei esse Caterpie também e ele tem me ajudado pra caramba com algumas coisas.
 
A vida dela foi baseada em ser criativa e esperta, então é natural pra ela conseguir bolar essas armadilhas e exercitá-las. Ótimo que gosta da relação delas, porque é algo recorrente, não é algo simplesmente “treinador e Pokémon”.
 
Então, percebeu que a Kathie não estava com bolsa alguma? HUEAIHE, eu deixei pra explicar isso nesse cap aqui, mas ela é esse tipo de amiga mesmo. Se tivesse algo importante na bolsa, por exemplo, ela não hesitaria em fazer uma jornada pelo continente pra entregar -q
 
Essa cena do Nagai é uma das minhas preferidas, pessoalmente. Foi um momento que eu fiquei “inspirado” e super animado em escrever.
 
Sobre o estranhamento... tem algo sobre a amizade delas aqui nesse capítulo. Digamos que tem 2 motivos principais pra “ela ter uma amiguinha de escola”, um aqui e outro que vai demorar um pouquinho pra ser mostrado.
 
Até mais, Brijudoca o/
 
@Black~ Estou indo.
 
Quem sabe não seja o motivo desse aqui ter 1k a mais também? Hehe. Acho que foram parágrafos com mais palavras, então esteticamente deve ter ficado mais curto mesmo, mas o númerozinho lá do Word não mente :v
 
Essa foi bem a ideia mesmo, desacelerar o “andar pra frente” da estória para “cavar” um pouco (aprofundamento, tendeu? -q) Sério, a primeira versão do capítulo 5 era algo que pulava até esse aqui e alguns próximos, tomei vergonha na cara e freei um pouco as coisas.
 
Como eu disse, pra onde foi a mochila? Aehaeuhah. Então, eu tenho preguiça de fazer coisas figurantes (achei até aquela descrição do começo boa demais pra ser usada aqui), não me dei trabalho algum de fazer o nome por motivos maiores preguiça. Relaxa, esse capítulo aqui é um “arrumar as malas”, muito em breve ela estará saindo. Então, essas ilusões a distância existem desde o Capítulo Zero, com aquela mulher que apareceu e sumiu do nada :v.
 
Até o/
 
@Rush Hey Rush o/
 
Isso é ótimo, porque dessa vez cresceu mais um pouquinho auheahehu. Não pode ser considerado Filler, realmente, já que eu adicionei algumas coisas novas. Não é como se você pudesse pular esse capítulo sem perder alguma coisa importante, como a captura e a amiga.
 
Bom, a vida de qualquer um seria muito boa se ilusões fossem perfeitas, ainda mais quando se tem um Zoroark, não é? Quero explorar bastante as linhas do que ela pode fazer de muito útil e criativo com a ilusão, ao mesmo tempo em que o que ela não consegue.
 
Cara, agora que você falou, lembrou muito mesmo. Eu não lembrei de ninguém enquanto escrevia, mas tinha certeza que estava me baseando em algo que já tinha visto, como uma “inspiração inconsciente”, que realmente pode ter vindo desses 2 e mais alguns por ai. É como se a Berry fosse a noz do esquilinho :v.
 
A coisa mais importante da cena posterior foi a Katherine, que dava muito bem pra ser colocada de outra forma, mas tem umas coisas ali que eu só vou usar mais tarde. Fora que não pude deixar de escrever isso quando tive a ideia, em especial a própria cena do Nagai.
 
Então, até depois o/
 
@-Ice Hey Ice o/
 
Acho que estou sendo uma má influência pras pessoas -q aieuaheuaieheauieh.
 
Olha, eu disse até na sign que estava “quebrando com o meu próprio clichê aqui”, mas eu não me importo nem um pouco com esse clichê :v. É, isso faz parte do que o cap 5 foi. Faz um pouco do que é o 6 também, mas não falarei muito sobre pra evitar spoiler -q estarei falando um pouco mais sobre ele lá no final.
 
Essa foi outra parte importante desse capítulo. Eu só tinha dito que ela evoluiu e colocado brevemente ela naquela "reunião", mas agora eu pude mostrar melhor dela. Ela foi sádica com o Caterpie sim, mas não é como algo que define a Sakka, foi mais como um "vou zoá-lo pelo medo que ele tem" e resultado do ciúme dela.
 
Bom, tem algo bem especial nela nesse capítulo aqui e outro mais pra lá, com relação sobre “os dois motivos para a amizade” que eu disse pro Brijudoca. Espero que a personagem fique mais interessante depois dessa -q.
 
Até mais o/



Capítulo 06 - A pequena Katherine
 
Já estava no fim da tarde, muitos estavam a caminho de volta para casa, assim como Sophie, Katherine e seus Pokémon. Eles já haviam saído da floresta fazia alguns minutos e estavam a apenas algumas ruas para chegar até a loja de discos, tinham demorado um pouco mais para ir até o centro Pokémon da cidade devolver o saco de Pokémon roubados, que ficaria responsável de chamar os donos de cada um.
 
Um carro com traseira aberta passou com o que sobrou da feira do dia, Sophie observava como a cada dia aparentemente menos daqueles carros ela via. Algumas pessoas ficavam na porta de casa, conversando com os vizinhos, vez ou outra algum acenava ou sorria para as meninas, que retribuíam os gestos.  Shink estava no cabelo de Sakka, mergulhando e aparecendo repetidas vezes em lugares diferentes, distraindo os dois.
 
─ Kathie... ─ Sophie perguntou, sem precisar olhar para trás ─ onde ta a minha mochila?
─ Na sua casa, ué. ─ Katherine demonstrou confusão no olhar, achando que a resposta era óbvia.
─ Então o que você foi fazer na floresta mesmo?
─ Te procurar, ué. ─ a garota continuava com o mesmo olhar, achando que aquela era outra resposta óbvia.
─ Estava preocupada comigo? ─ Sophie levantou uma sobrancelha, girou nos calcanhares e passou a andar de costas, ficando frente a frente com a amiga.
─ Sim, ué.
 
Sophie sorriu de canto tentando segurar um riso, não conseguindo, mas ao menos sendo um pouco discreta.
 
─ Que foi? ─ Katherine não conseguia entender nada do que a amiga estava pensando.
─ Eu sozinha numa floresta é mais seguro do que você me procurando, sua sem noção. ─ continuava a rir enquanto dizia ─ está me subestimando ultimamente é? ─ Ela girou novamente para olhar para frente, a fim de não bater com ninguém ou algum poste.
 
A garota confusa finalmente conseguiu entender o que a outra queria dizer. Ela cruzou bruscamente os braços, olhou para o outro lado da rua com o cenho franzido e corou, deixando o rosto bem rosado.
 
─ Não é isso...
 
Achando que a havia sido interpretada errado e ofendido, Katherine tentou se explicar, mas não conseguiu terminar sua frase antes de sentir um peso no pescoço e notar que era a menina de cabelo prateado que estava agarrada em seu pescoço e puxando sua bochecha.
 
─ Obrigada, Kathie. ─ agradeceu com um sorriso amigável ─ Você só devia se preocupar um pouco mais com você mesma sabe? Se eu tivesse demorado mais... ─ Seus olhos se estreitaram, imaginando com tristeza o desespero em perder Shink para sempre ou se acontecesse algo ainda pior com sua amiga.
 
Katherine concordou com a cabeça e tocou no braço em seu pescoço, que a soltou logo em seguida. Sophie notou como ela estava bem mais super protetora ultimamente e conseguia imaginar muito bem o motivo. O ano estava acabando; e o caminho também.
 
Antes de entrar, retornaram Sakka e Shink para as pokeballs de cada um. Sophie girou maçaneta e abriu a porta. Imediatamente viram Betty no balcão, com uma mão apoiando a cabeça e seu olhar entediado encarando os discos e um rapaz moreno que estava olhando alguns, decidindo o que comprar. Ao ouvir a porta se abrindo, ela moveu apenas o olho para a direção do som e viu as duas garotas. Uma suja, com cheiro de terra e grama que havia passado a tarde toda numa floresta e a outra que, além de suja, tinha rasgos no uniforme e alguns ferimentos leves. As duas foram até o balcão.
 
─ Onde as duas estavam mesmo? ─ A mais velha riu ─ não me lembro de estarmos em guerra, foram rolar na lama?
 
Sem entender direito, as duas meninas olharam para si mesmas. Sophie estava completamente suja, nada demais, mas olhando a amiga dos pés a cabeça, perdeu a conta dos rasgos e ferimentos e se sentiu culpada por isso. Katherine deu de ombros e sorriu desajeitada.
 
─ Porque deixou a Kathie ir atrás de mim? ─ Sophie disse, olhando fixamente para Betty.
─ Não conhece sua amiga? ─ Betty revirou os olhos ─ Imagine.
 

Flashback
 
Katherine havia chegado à loja, com uma mochila que não era a dela nas costas e Shink nos braços. Betty suspirou, imaginando que Sophie havia esquecido novamente a mochila.
 
─ É, ela esqueceu. ─ A menina riu, entregando a mochila para a mulher ─ Sophie ta ai?
─ Não... ─ a mulher olhou para um relógio na parede ─ Já está demorando um pouco pra voltar, na verdade...
─ Que? ─ Katherine arregalou os olhos, preocupada ─ Acha que...
─ Não precisa se preocupar ─ Betty tentou acalmá-la para que não fizesse nenhuma besteira ─ ela deve só estar treinando mais um pouco hoje.
─ É assim que acontece nos filmes! ─ berrou e começou a correr, largando o Eevee em seus braços para que ele corresse também.
 
Antes que Betty pudesse dizer algo, ela já estava do lado de fora, fazendo a mulher bater a palma da mão na testa pela reação.
 
─ Imagino... ─ Sophie encarou a amiga, que sorriu amarelo ─ Venha, precisamos dar um jeito nesses seus arranhões.
 
Puxou Katherine pelo braço, que se assustou um pouco ao ser puxada repentinamente e quase caindo, mas retomou a postura e seguiu para dentro da casa.
 
─ Eu te levo pra sua casa daqui a pouco! ─ Betty girou na direção delas e aumentou o tom de voz para que ouvissem.
─ Tudo bem! ─ Katherine acenou, sem poder dizer muita coisa por ainda ser puxada.
 
Ao virar-se novamente, a balconista deu de cara com o homem de cabelos negros com um CD na mão, encarando-a com um olhar vazio.
 
─ Eu queria esse... ─ disse com calma excessiva, tanto que não aparentasse vontade de viver alguma.
 
Ela viu a escolha, com a imagem de um álbum de “Evanescence” na capa. Bom gosto. O homem pagou e saiu da loja.
 
[...]
 
Duas meninas estavam sentadas numa cama coberta por uma colcha preta. Com um pedaço de algodão, Sophie estava passando um remédio nos arranhões da amiga. Vez ou outra Katherine reclamava que estava ardendo, sendo ignorada. Depois, colocou alguns Band Aid em alguns um pouco mais sérios.
 
─ Prontinho! ─ Sophie sorriu ao colocar o último.
─ Já está na hora. ─ Betty bateu na porta, do lado de fora.
─ Já vou! ─ concordou Katherine.
 
As amigas se despediram com um abraço e a menina de cabelo azul foi até a porta, mas parou para dizer algo enquanto estava prestes a abri-la.
 
─ Lembre que amanhã tem prova, senhorita Sophiana.
─ Quem disse que eu esqueci, dona Katherine?
 
Elas sorriram. Quando Katherine saiu, Sophie notou a mochila jogada ao lado da cama e suspirou.
 
─ Desgraça, tinha esquecido isso... enfim, podem sair.
 
Dois feixes de luz vermelha saíram dos bolsos dela e materializaram Sakka e Nagai, ao lado da cama. Faltava um. Sophie retirou as duas esferas abertas e deixou a sua frente, segurando a única fechada em frente ao rosto, encarando-a. Ainda não está tão acostumado a ponto de ver ou ouvir as coisas daí, hein? Pensou e jogou a pokeball para cima, caindo a alguns centímetros dela, ainda sobre a cama. Caterpie saiu, vendo uma cobra de uns três metros de comprimento e uma raposa já conhecida lhe encarando e correu para as pernas de Sophie, que estavam cruzadas em X. A raposa continuou no mesmo lugar, encarando-o para assustá-lo, enquanto a cobra se arrastava até um tapete preto em frente à cama para cochilar um pouco.
 
─ Acho que devia te dar um nome... mas ela vai pensar em um melhor. ─ A garota acariciou a cabeça dele, sorrindo de canto.
Não se esqueça do que lembrou há menos de cinco minutos. ─ Sakka estava com os olhos semicerrados vendo a garota fazer o carinho.
─ Claro, claro, como esqueceria? ─ Disse Sophie, lembrando novamente e indo pegar a mochila antes que esquecesse de novo.
Você consegue.
─ Você só lembrou pra me fazer parar de acariciar ele. ─ Disse, rindo.
─ Claro que não. ─ A raposa negou, olhando para um canto aleatório para evitar contato visual.
─ Olha só... ─ Sophie abriu um sorriso largo, aproveitando a oportunidade para provocar seu Pokémon ─ a Illusion Fox deixando tão clara uma mentira? Acho que precisamos treinar mais.
Já esqueceu de novo... ─ Sakka voltou a olhar para a treinadora, com o mesmo sorriso e mesma intenção.
─ Hã? O que? Ah, é... ─ ela coçou a nuca e sorriu amarelo.
 
Sophie pegou imediatamente seu livro de biologia e abriu na página que tinha parado pela última vez: havia uma imagem de um Swaddle em chamas, com uma seta para um Swadloon, de onde partia outra para um Leavanny. As chamas eram tão realistas, que parecia que na verdade era seu livro que estava queimando, até ela notar que realmente era o livro. A menina jogou para longe, assustada, e olhou para onde devia estar Sakka, mas em seu lugar estava... um Leavanny em chamas. Uma veia saltou da testa da garota.
 
Olá ele sorriu e acenou com o braço esquerdo eu sou um inseto de planta que pega fogo e...
 
O Pokémon não conseguiu terminar de falar, pois Sophie pulou nele e o fez se transformar ─ ou destransformar ─ em uma raposa negra dando muitas gargalhadas. Enquanto discutiam, Caterpie protestava tentando fazê-las parar, preocupado, e Nagai apenas revirou os olhos ao ver a cena e foi buscar o livro jogado, notando que agora as duas já tinham esquecido.
 
[...]
 
Sophie estava com o uniforme escolar e a mochila nas costas, saindo de um prédio. As paredes eram brancas e o telhado laranja. Tinha apenas um andar, mas largo horizontalmente, por isso precisando fazer uma “curva” e deixando-o em forma de “L”. Possuía janelas de vidro, com três para cada sala. Havia algumas plantas contornando toda a frente como decoração e um portão de madeira aberto que, após algumas escadas, daria em um pátio de terra, onde uma menina de cabelo azul acenava.
 
Katherine correu até a amiga e as duas saíram juntas, comentando sobre a prova enquanto andavam. Elas foram até uma praça, onde estava a fonte de Gyarados ─ exatamente onde sentaram, na borda dela.
 
─ É hoje, não é? ─ Katherine perguntou, já sabendo da resposta.
─ É... ─ Sophie olhou para o céu azul, por falta de um lugar para olhar ─ vou sair daqui para você-sabe-o-que.
 
Elas ficaram sem falar nada por alguns segundos e passaram a olhar uma nos olhos da outra.
 
─ É por isso que estava tão super protetora comigo ultimamente, né? ─ Sophie sorriu, enquanto coçava a nuca por lembrar-se das confusões que se metia.
 
A amiga não conseguiu dar uma resposta imediata, apenas tremeu um pouco até conseguir formar uma frase e deitar a cabeça no ombro da outra.
 
─ Preocupada porque... você sabe, é muito... perigoso...
─ Se é só isso... ─ Sophie encostou a cabeça na outra ─ eu prometo que vou voltar, mas... pra ser sincera só posso quando terminar pra não te envolver.
─ Só fique viva... por favor. ─ Katherine começou a formar lágrimas no rosto, mas limpou antes mesmo de deixar alguma cair.
─ Kathie, não me subestime ─ Sophie sussurrou ─ eu matei até aquele... você lembra, né?
 
Ela tocou em um assunto delicado entre as duas e raramente mencionado. Elas eram bem íntimas e Sophie provavelmente era a única que tinha o direito de tocar nisso.
 


Flashback
 
Uma criança de uns dez anos estava sentada no chão, chorando muito. Nos braços, estava a cabeça de um homem caído, deixando seu sangue sair de seu corpo, sem reclamar. Ele molhava toda a cerâmica do chão ao redor. Estava entre a cozinha e a sala de sua casa, com todas as luzes apagadas. A sua frente, outro homem, sorrindo. Nunca mais aquela criança esqueceria aquele rosto sorridente encarando-a, com um cabelo castanho jogado para trás e olhos negros. Como aquilo foi acontecer? Para alguém conseguir sorrir vendo uma cena dessas, a menina imaginou que ele não teria problemas em eliminá-la por ser testemunha. Ela apenas apertou mais a cabeça do homem inanimado contra o peito, abraçando-o forte. Suas lágrimas estavam acabando. O homem em pé desfez o sorriso e sentou sobre os tornozelos.
 
─ Precisa de tempo para rezar?
 
Ela estava sem fala. Apenas franziu o cenho, encarando-o com o mais puro ódio que já sentiu em toda a sua vida, que seria encerrada ali em pouco mais de uma década após seu nascimento.
 
Você também precisa?
 
O homem arregalou os olhos, deixando a garota confusa. Ele se levantou, movendo apenas os olhos para todos os lugares daquela casa, procurando a voz.
 
Você sabe onde eu estou.
 
Ele sabia. A voz estava em sua mente, mas ele estava informado. A Team Corroison estava grande o suficiente para ele ter ouvido falar sobre ela, então ele estava procurando o emissor da voz.
 
Já posso ter tirado ela daí, mas se estiver a fim de testar, atire nela e morrerá segundos depois.
 
Não podia. Com a criança ali ou não, ele ficaria vulnerável ao ataque até poder dar um segundo disparo. Mesmo assim, tirou sua pistola do bolso e carregou.
 
Olhe para trás.
 
Não obedeceu. Poderia estar ali, ou bem na sua frente, qualquer movimento o deixaria encurralado. Sabia que a parte principal da famosa voz não era a telepatia, era a ilusão. Ele tremia um pouco, nervoso, deixando a garota a sua frente ainda mais confusa. Ela não ouvia nada.
 
Esperto.
─ Muito esperto.
 
Ele ouviu outra voz, das suas costas. Uma feminina e infantil. Agora, a menina de cabelo azul também estava assustada e com os olhos arregalados com a chegada de um par de olhos lilás brilhando no escuro, enquanto se aproximava, mostrando também seu rosto e seus cabelos brancos.
 
Você não consegue localizar a minha voz.
─ Mas consegue localizar a minha.
E se estivermos juntas?
─ Ou se ela for essa criança na sua frente.
Ou este corpo caído, prestes a te acertar pelas costas quando você virar?
─ E se eu estiver apontando uma arma pra sua cabeça agora?
 
Largue o corpo, foi o que a menina ouviu em sua mente. Ela estava confusa, com medo, imaginou que o homem que havia lhe dito e ela não tinham percebido. Simplesmente obedeceu, soltando o cadáver tão querido. O homem prestou atenção no movimento dela e lançou uma Pokeball em suas costas, que liberou um Magmar.
 
─ Yogan, bata palmas para cada um que você ta vendo. ─ ordenou.
 
De costas para seu treinador, bateu palma uma vez, e apenas uma.
 
Levante-se. Agora ela tinha certeza que não havia sido o homem. Talvez a menina de cabelo prateado familiar que estava encarando a cena com tanta calma? Aliás, o que ela estava fazendo ali e porque ela havia dito umas coisas estranhas quando chegou? Ignorando momentaneamente, se levantou. O homem apontou a arma para a cabeça dela. Ela estava tremendo, com muito medo. Sua vida estava a um gatilho de acabar, bastava um movimento no dedo de quem havia acabado de fazer o mesmo com seu pai. Mesmo assim, ele hesitava.
 
Repentinamente, o corpo no chão arregalou os olhos. Era o que o homem estava esperando, um ataque surpresa enquanto sua atenção era desviada para outro lugar. Imediatamente moveu a arma e disparou. Queria acertar a cabeça, mas acabou por acertar o peito, que daria no mesmo no fim das contas, sorrindo por acreditar não ter sido enganado e pego.
 
Yogan bateu palmas mais uma vez. Assustado, finalmente o assassino girou e olhou para trás, vendo uma menina com um longo cabelo branco e uma T-Shirt preta, com uma estampa de coroa sendo corroída por veneno. Ao lado dela, uma pequena raposa quadrúpede, sorrindo.
 
Corra. Uma raposa idêntica surgiu nas costas dele sem que percebesse, mordendo a saia suja de sangue da menina e tentando puxá-la. Ela não hesitou e correu para detrás de um armário, escondida. A garota de cabelos prateados apenas estalou os dedos e a raposa ao seu lado sumiu como areia ao vento. O homem girou mais uma vez e viu a raposa novamente, atrás dele, onde deveria estar a menina.
 
Talvez eu fosse ela, no fim das contas. ─ sorriu.
 
Ele ainda não havia recarregado a arma e imaginou que seria atacado agora, ordenando por precaução um movimento de seu Pokémon.
 
─ Yogan, Flamethrower!
─ Protect.
 
Um escudo esverdeado e transparente surgiu na frente da raposa, deixando-a ilesa das chamas que o Magmar lançou de sua boca.
 
─ Eu poderia atirar em você daqui, me dando as costas de novo.
 
Ele mostrou os dentes, com raiva, apertando-os com força uns contra os outros. Não ordenou nada.
 
─ Dark Pulse nela.
 
Nela? Pensou o assassino. A Zorua abriu a boca e criou uma esfera roxa e lilás, que desencadeou anéis entrelaçados de mesma cor até a mão do homem, acertando a pistola e lançando-a longe.
 
─ Ganhei.


Agora que estava realmente tudo perdido, ele virou para a garota, ou melhor, seu fim. Iria morrer nas mãos de uma das melhores integrantes da Team Corroison, pelo menos não era uma morte humilhante. Ela já estava com a pistola na mão, apontando para ele.
 
─ Parece que eu ainda estava desarmada, no fim das contas. ─ disse com ênfase no “ainda” ─ Se você vencer, eu saio daqui e você vive. ─ sorriu ─ Lute.
 
Ele não teve tempo de ficar surpreso com a chance que ganhou, aproveitando qualquer segundo que tinha. Tinha alguém lhe esperando, precisava vencer a qualquer custo. Por outro lado, a garota não tinha intenção alguma de deixá-lo escapar, mas cumpriria sua palavra caso perdesse, portanto, precisava ganhar. A diferença entre os dois era o desespero de viver, então ela se manteve calma.

─ Fire Punch! ─ Gritou com a voz rouca e pesada.
─ Zorua, Extrasensory!
 
Magmar avançou em direção a raposa com o punho em chamas. Antes que ele conseguisse alcançar, porém, os olhos da Zorua brilharam em dourado e ela desferiu um raio arco-íris envolvido por energia dourada a partir de sua testa, acertando o opoente e parando a investida.
 
─Zorua? ─ O homem ficou surpreso ─ Você nem ao menos deu um nome pra ele?
 
Nunca tinha visto pessoalmente, mas era o único Zorua que havia ouvido falar, por isso sabia que isso era o nome da espécie, não do Pokémon.
 
─ Ela. ─ a menina corrigiu ─ Eu não sou retardada de ficar dizendo nossos nomes para o inimigo.
─ Tsc, Yokan, Blast Punch!
─ Hein?
 
Pokémon e treinador sorriram. Mais uma vez, o Magmar avançou com o punho em chamas, dessa vez acertando a raposa e lançando-a para cima. Enquanto ela estava em queda livre, Yokan respirou fundo e, ao expirar, lançou uma explosão de fogo em forma de 大. Zorua não conseguiu escapar, sendo lançada até a mesa.
 
 ─ Eita. ─ a garota ficou surpresa, mas não desesperada, ainda tinha algo guardado.
Eu apanho e o que você diz é eita? ─ Zorua semicerrou os olhos. ─ Pera, mas... o que...
 
A raposa começou a se sentir estranha. De repente, estava envolvida em uma luz branca, iluminando toda a casa escura, e mudando de forma. Crescendo, ficando sobre duas patas, com uma grande quantidade de pelos vermelhos em forma de cabelo. Quando a luz cessou, ela estava mais uma vez sorrindo. Todos ali arregalaram os olhos, até a menina atrás do armário, que assistia tudo calada. Se o assassino soubesse que ela ainda estava ali e vencesse a outra menina, ela seria morta. Mas ele parecia estar em uma situação complicada agora.
 
─ Vai lá, Dark Pulse! ─ Disse a treinadora.
 
Zoroark abriu a boca novamente, fazendo uma esfera de energia roxa e lilás e desferindo os anéis entrelaçados como da outra vez, porém, bem mais forte. Acertou Yokan em cheio na barriga, arrastando-o metros de distância até colidir com a porta da casa e ir para o lado de fora.
 
─ Night Daze!
Finalmente.
 
A raposa deu largos saltos horizontais e foi até o lado de fora. Não havia ninguém, era uma noite completamente escura e solitária. Seu corpo foi contornado por uma aura vermelha e saltou verticalmente, ficando acima de todos os telhados da vizinhança. Para o seu alvo, ela estava em frente à lua cheia, sorrindo e caindo em sua direção. Parecia até mesmo estar em câmera lenta, enquanto ele ainda tentava se recuperar do outro ataque, até que ela finalmente caiu sobre ele. A aura se expandiu, arrastando tudo ao redor com a energia avermelhada, mas Yokan ficou preso ao chão, tomando todo o dano. O Pokémon de fogo desmaiou, derrotado.
 
─ Já rezei. ─ o assassino disse, boquiaberto.
 
Sophie puxou o gatilho, atirando na cabeça dele. Foi como cortar as cordas de uma marionete. Caiu imediatamente para trás, batendo a cabeça com força no chão, enquanto muito sangue escorria dela. Teria doído, caso ainda estivesse vivo. A garota caminhou lentamente até o corpo e pôs a arma sobre a barriga dele. Ao fazer isso, ouviu algo se mover dentro da cozinha. Era a outra menina, da mesma idade que ela. Katherine, da minha turma. Droga. Não queria que a recente órfão de pai espalhasse isso para toda a escola.
 
─ É-É segredo, certo?
 
Katherine ainda estava assustada ao dizer, se aproximando. Sophie assentiu, surpresa pela compreensão.
 
─ Posso te explicar tudo depois se quiser, mas agora preciso ir. ─ ela deu as costas ─ E... desculpa não ter chegado a tempo de salvar seu pai. Desculpa mesmo.
─ Tudo bem, obrigada.
─ Não hesite em dizer pra eles que foi a Corroison, mas a sala ta escura o suficiente pra não me descrever.
 
Sophie saiu correndo da casa, deixando Katherine sozinha. Ela sentou-se ao lado do corpo do pai. Um buraco era aberto ao chão sempre que o via dormindo para nunca mais acordar. O buraco havia sido preenchido pelo ódio, mas a garota de cabelos prateados lhe vingou. Agora não havia nada, novamente. Ela olhou para o corpo do outro homem, indiferente para ele. A única coisa que ela sentia vendo-o largado no chão era admiração pela assassina dele.
 
─ É esse tipo de cara que eu vou enfrentar. ─ Sophie disse.
─ O que aconteceu com o Magmar mesmo? ─ Katherine lembrou-se. Ao olhar para a porta destruída, não havia garota de cabelos prateados, Zoroark ou Magmar algum.
─ Levi soltou ele em algum lugar por ai... nós fazíamos isso com a maioria que resgatávamos.
 
Katherine saiu do ombro da amiga, sem conseguir olhar em seus olhos, apenas para baixo.
 
─ Eu lembro do que senti naquela hora... é o que você está sentindo, não é?
 
Sophie não respondeu. Ela estava apenas sentindo ódio de quem exterminou metade de seus companheiros? Não era só isso. Talvez estivesse ligado a não querer ninguém acima dela, controlando o crescimento de algo que pudesse ser um problema. Talvez ela quisesse apenas evitar que “ele” fizesse algo horrível de novo. Não sabia direito, mas o que sabia é que “ele” tenha que morrer, ela acreditava ser uma das mais indicadas para isso, e só.
 
─ Tome, quero que fique com isso.
 
Sophie retirou uma Pokeball do bolso e pôs nas mãos dela. Curiosa, Katherine liberou o Pokémon de dentro e se surpreendeu com uma minhoca verde que ficou entre as duas. Caterpie olhou bem ao redor, para se certificar de que não havia nenhuma raposa assustadora por perto.
 
─ Ele ainda não tem nome, sei que é criativa. ─ Sophie piscou um olho.
─ Você tem certeza?
 
Katherine tentou tocá-lo com cuidado, mas o bicho se assustou e pulou para mais perto de Sophie, encarando-a. Ela segurou o Caterpie com as duas mãos e pôs diretamente no colo da amiga. Ele ainda estava com muito medo, mas deixou a nova companheira lhe acariciar e a sensação passou.
 
─ Ele é muito inocente pra ir comigo nessa... não posso levá-lo. E é uma lembrança minha até que eu volte, ok?
 
A amiga deu uma resposta positiva com a cabeça e então começou a pensar em algo.
 
─ Ke... oso... cho... ─ ela pôs o dedo sobre os lábios enquanto pensava alto, até tirá-lo quando a ideia definitiva chegar ─ Shai!
─ Queria entender a relação com as primeiras coisas que você disse ─ Sophie semicerrou os olhos, mas sorriu deixando isso passar ─ gostei do nome.
 
Despedindo-se do Pokémon, Sophie afagou sua cabeça, fazendo-o grunhir.
 
─ Fique com ela, ok?
 
Ele obedeceu, assentindo com a cabeça, porém cabisbaixo por ter que se separar da treinadora de cabelos brancos que lhe capturou. Sophie se levantou da fonte, enquanto Katherine pôs a minhoca novamente na borda e repetiu o gesto da amiga.
 
─ Preciso ir agora. ─ Sophie sorriu.
─ Até... depois. ─ Katherine também sorriu e abraçou a outra menina.
─ Fique atenta aos jornais. ─ Sussurrou Sophie, também entrelaçando os braços na amiga.
 

Após alguns segundos no abraço de despedida, elas desfizeram o gesto. Sophie saiu, olhando para trás, para a fonte de Gyarados e Magikarps onde ela costumava ficar quando vivia na rua, para a sua melhor amiga acenando enquanto ela se distanciava e para o Caterpie medroso na cabeça dela, com braços muito curtos para imitar acenar também. Agora só falta aqueles irmãos.




Então, primeiramente, eu espero que a música tenha ficado boa -q. Acho que vocês puderam notar, eu me empolguei muito no segundo Flashback (talvez seja a maior parte do capítulo?), acho que por isso ficou com 4k de palavras auhaheu. Enfim, por ter uma atividade das ilusões bem frequente naquela parte, algo pode ter ficado confuso, então estarei esclarecendo se acontecer e melhorarei nisso, já que é uma das principais bases da fic.
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por Brijudoca em Qua 17 Maio 2017 - 14:14

Mais um capítulo de aprofundamento então? Ok, vamos lá.

Curioso o título fazer uma alusão ao título do capítulo zero, salientando o quanto as duas meninas são diferentes mas, ainda sim, conseguiram criar um grande laço de amizade.

No fim, achei bem fofo as duas juntas. Desde a cena de flashback, mostrando ela correndo desesperada pra ajudar a amiga, até a despedida das duas, com Sophie entregando o Caterpie pra Kathie. Não entendi muito bem o motivo da partida dela, mas claramente a garota estava bem determinada. Seria uma missão de vingança ou continuação dos planos do team Corroison?

Agora, o trecho do flashback, onde vemos como as duas se conheceram foi um ponto altíssimo do capítulo. Primeiro, porque é sempre bom ver Sophie e Sakka em ação, ainda mais descobrindo como a pokemon evoluiu. Segundo, por ver o quanto a garota já era temida pelos inimigos, mesmo eles nunca tendo visto seu rosto.

Sua escrita nessa parte foi excelente. Deu uma boa dimensão do sofrimento de Katherine, e do grande perigo e drama da situação. E no final, com a Sophie simplesmente apagando o homem? Cara, essa menina é foda demais. Não me surpreende a Katherine ter se tornado uma grande amiga dela. Meu único adendo é quanto a descrição das ilusões. Achei algumas partes bem confusas, e não sei até agora se entendi totalmente o que estava acontecendo. Imagino que deve ser difícil pra caralho escrever esses trechos, pra descrever examente como foi na sua cabeça e é até um exercício mental pros leitores imaginarem as cenas a sua forma

Não tenho muito mais o que acrescentar Slow, no mais, espero capítulos cada vez mais empolgantes daqui pra frente, com o início da nova missão de Sophie.

PS: AH! Lembrei de um detalhe que vale mencionar. A cena do cara comprando um disco do Evanescence HEUSUSSU isso é uma dádiva da sua fic, pois a gente nunca espera de onde vai surgir um momento de descontração como esse.

see ya o/
avatar
Brijudoca
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/04/2009

Frase pessoal : make brazil emo again


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por Black~ em Dom 21 Maio 2017 - 13:03

Bem, já tinha lido o capítulo, na quarta eu acho, mas nem consegui comentar, desculpa ter dado uma de Slow, mas essa semana foi tensa e só agora tudo voltou ao normal (eu sem fazer nada -qq), mas enfim. Passado o passado, vamos ao que importa:

Bem, eu curti esse capítulo. Apesar de inicialmente ter parecido enrolação, acredito que foi bem importante para a história, justamente pelo flashback que você inseriu e por ter colocado a Sophie finalmente parece estar saindo na sua jornada rumo a sei lá o quê, mas aparentemente ela vai atrás de alguém pra matar, ou coisa do tipo -q.

Confesso que gostei do flashback, já que mostrou a habilidade de, por incrível que pareça, uma das melhores membros do Team Corroison e também mostrou como as duas amigas se conheceram. Achei bem interessante a cena da Sophie e fiquei admirado com o sangue frio que ela teve pra matar o cara, com um tiro certeiro na cabeça, além de mostrar a evolução da nossa querida Sakka. No entanto, assim como o Brijudoca, eu fiquei muito confuso naquela cena, demorando a entender quem era quem e o que estava fazendo, não sei se isso foi de propósito mesmo, mas de toda forma, ficou um pouco confuso, mas enfim.

De toda forma, gostei da relação entre as duas amigas, achei bem legalzinho o fato de elas serem assim tão próximas mesmo tendo "apenas" um ano de amizade. Achei interessante ela ter "emprestado" o Caterpie pra amiga, já que ela disse que ele não estava acostumado com o que ela ia fazer. Então imagino que será algo bem sinistro e provavelmente envolve morte.

Bem, eu tenho pouco pra falar desse capítulo e estou no aguardo do desenrolar dessa história e acredito que a partir do próximo capítulo, as coisas vão começar a fica mais interessantes -q.

Enfim, é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Faker

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum