Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

The Continent of Nyusdow

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

The Continent of Nyusdow

Mensagem por Illews em Sab 18 Mar 2017 - 19:31

The Continent of Nyusdow


Um novo continente no leste de Kalos foi descoberto, atualmente, sua tamanho era o duplo de Hoenn e ele era banhado por um oceano, até então, com Pokémons desconhecidos; acredita-se que o continente tem todas as gerações misturadas. E após o mesmo ser analisado por uma equipe de pesquisadores, um ricaço chamado Blailee Allton construiu o primeiro edifício no local: uma gigantesca academia Pokémon, nomeada como Academia Knoxgrove, segundo Blailee, com o melhor treinamento para futuros treinadores. A academia foi liberada para que alguns treinadores escolhidos a dedo estudassem no local, até que estivessem completamente prontos, com os Pokémons treinados e com vínculos de amizade entre seus treinadores; e após este treinamento na grande academia, começarem a explorar tal ilha, que fora nomeada como Nyusdow.

Notas da Autora (CLICK!):

Vamos encher o tópico de fanfics, porque sim.


Aloha!~

Primeiramente, me desculpem pela edição ruim dos treinadores com seus Pokémons, eu tentei, mas acho que não deu muito certo, uhh...

Então, eu sou a criadora da fanfic e por acaso, nova neste ramo. Antes eu apenas acompanhava algumas fanfics (que eu não citarei nomes), muito bem escritas, eu admirava loucamente os autores destas; e então, eu pensei "Poxa, por que não expor uma tentativa de fanfic de minha autoria no Fórum?", e de repende VRÁÁÁ, uma ideia de criar um novo continente, desconhecido até então, com uma academia gigante feita por um ricaço, que treinaria eles e tal? Não sou muito boa em Notas de Autora, então vai ficar um lixo.

E não, o nome do continente não tem significado, tchau.

P.S.: Amo vocês.

P.P.S.: Tchau~
Personagens:

(creditos aos autores dos sprites, eles não foram feitos por mim)
Protagonistas (Principais):

Sasaki Souta - Dezenove anos.

Personalidade: De natureza orgulhosa, Sasaki é do tipo que tem dificuldade excessiva em expressar seus sentimentos sinceramente. Sempre irônico, tem o costume de falar sobre indiretas, e ainda assim não é muito comum por sempre esconder tudo para si mesmo e não querer revelar tão facilmente, principalmente quando cisma em negar algo com todas as suas forças. Por conseguinte, não é muito sincero em tudo que diz, sendo sua frase chave "Por trás de toda mentira há uma verdade.". E isso pode vir a ser um problema principalmente para quando na hora de diferenciar suas mentiras de verdades, sendo que se não for próximo o suficiente para entender e interpretar os seus gestos e palavras, pode acabar o interpretando mal e tornando tudo terrivelmente desagradável. Um de suas características também problemáticas é o seu ciúme. Tem a mania de quando se afeiçoa a alguém - algo que não acontece constantemente - querer a monopolizar e sempre estranhar movimentos estranhos por suas costas, o tornando muito apreensivo e inseguro, suspeitando a cada momento e geralmente sendo enganado por pura provocação alheia. Mesmo depois de tudo, é um rapaz animado e simpático, dificilmente sendo visto deprimido ou lamentando sobre sua vida, se estiver o fazendo, certamente é porque algo grave ocorreu, não é de seu feitio lamentar-se pelo que já está feito, sempre é positivo e vai tentar mudar a realidade com o que estiver ao seu alcance.
Pokémons Atuais:

Pokémons No PC:
---




Yakima Chisei - Dezoito anos.

Personalidade: Dizem que a curiosidade matou o gato, mas Yakima continua viva e considera-se muito longe da definição de "gato". No entanto, é uma curiosa nata, com um faro especial para problemas. A sua curiosidade mórbida está sempre a metê-lo em todo o tipo de problemas. Yakima sempre foi uma garota bem calma, nada a fazia ficar demasiado agitada, mais do que necessário. Gosta de ajudar sempre no que pode, fazer com que ninguém sofra nesta vida. Mas isso nunca aconteceu na real. Ela é bem sensível, quase sempre. Seu corpo é incluso nesta fragilidade, até por ser uma garota, mas sempre foi muito frágil, não contendo nenhuma doença que se descubra. Se ela cair, terá algum arranhão sempre que irá machucar e sangrar bastante, sua pele é como porcelana, sempre dando a impressão de uma bonequinha frágil - coisa que ela é. Ela raramente fala com pessoas que não tem intimidade, muitas vezes ignorando tentativas de comunicação, usando gestos como acenos, olhando ou apontando. Tudo simplesmente para evitar a comunicação com outras pessoas. Sua resposta aumenta ao longo do tempo, pelo menos quando se lida com aqueles que ela está familiarizada. É difícil entender o que ela está pensando, devido à sua raramente mostrando qualquer emoção para fora. Sua falta de expressão também torna difícil determinar se ou não ela tem alguma consciência sobre si mesma.
Pokémons Atuais:

Pokémons No PC:
---
Rivais:

Ryota Onaga - Dezenove anos.

Personalidade: O típico treinador fracote, chorão e birrento que paga de fodão, mas não é nem um terço disto, que tem todos os Pokémons mal treinados e ruins de batalha. Um valentão briguento e muito explosivo, qualquer coisa para Ryota já é motivo para ele partir pra porrada. Muitas vezes ele nem vê o que acontece, simplesmente quando se dá conta está no meio de uma briga, batendo em tudo mundo e xingando; o que faz dele também. Muito barraqueiro e mimizento com tudo e todos bem o tipo que sai gritando palavrões, jogando todas as coisas pro ar e mostrando o dedo do meio. Bastante mal-educado e sempre faz o que bem entende, odeia receber ordens e sempre faz as coisas do jeito dele mesmo que sempre dê errado. Arrogante e convencido não aceitando muito bem opiniões e palpites que ele não pediu gosta de fazer as coisas sozinho e não trabalha muito bem em grupo por ser mandão e autoritário, nunca dá o braço a torcer e quer estar sempre certo; mandão e autoritário, que tudo que quer e na hora que quer. É a última pessoa na face da terra para a qual deve pedir um favor, diga-se de passagem, é mais fácil que Ryota o despache para fazer algo para si, sem lhe dar nada em troca. Basta apenas alguns poucos segundos ao lado do treinador para que você facilmente perceba que Ryota é um cara estúpido, babaca, otário e de mal com a própria vida, sendo que única pessoa que se dá realmente bem é com o melhor amigo, Yusuke Katsuma.
Rival de: Sasaki.
Pokémons Atuais:

Pokémons No PC:
---




Yusuke Katsuma - Dezoito anos.

Personalidade: Completamente ao contrário do melhor amigo, Ryota Onaga, Yusuke é gentil, alegre e calmo e costuma estar sorridente, desde pequeno, o treinador sempre se mostrou como um rapaz calmo. Porém, embora seja simpático e compreensivo, muitos acabam por não querer se aproximar dele, devido a ele ser muito tímido e difícil de se puxar alguma conversa. Para ele, seu maior defeito é a facilidade com que se apega às pessoas, já que no passado, muitos apenas o usavam para pedir favores e não gostavam dele verdadeiramente, dificilmente se deixa abater, mas não pense que isso significa que ele não tem seus problemas, acontece que simplesmente nunca se foca demais neles, o que acaba sempre favorecendo que continue animado e consiga ter uma visão ampliada sobre o que o cerca. Não se irrita facilmente, apesar de ter muitas coisas que não o agradam. Acredita que muitas vezes as pessoas acabam se irritando muito por coisas fúteis, o que para si já explica muitos problemas do mundo, mesmo tendo um melhor amigo que é assim, e mesmo assim gostando muito dele. É um tanto como protetora, quando o assunto envolve algum de seus amigos, na maior parte das vezes é alguém descontraído e de mente aberta para descobrir novas coisas. Um garoto maduro até demais para sua idade; mente aberta e acolhedor, não pensaria duas vezes antes de abrir os braços para acolher desde a mais ruim pessoa até a mais bondosa.
Rival de: Yakima.
Pokémons Atuais:

Pokémons No PC:
---
Professores e o Diretor:

Blailee Allton - Trinta e quatro anos.

Função: Diretor e fundador da Academia Knoxgrove, conhecido como o melhor mestre Pokémon da atualidade, e para sua idade, é um gênio esplêndido quando o assunto é Pokémons.
Personalidade: Ele é extremamente inteligente, observador e perspicaz, tendo capacidades de análise e raciocínio rápidos e eficazes. É um excelente estrategista, sempre com solução para tudo e resposta para todos na ponta da língua. Tem uma memória fotográfica impressionante e uma cultura acima da média, por isso aprende rapidamente e está quase sempre certo, mas ele é um ser tranquilo. Adora usar humor irônico, é arrogante, insolente, impertinente e chega a ser um pouco exibicionista. Pode provocar os outros e até falar com eles, sobre assuntos filosóficos e sérios de um modo cínico e desafiador (como se achasse os outros inferiores e estivesse a brincar com eles), porém, o que pretende é que eles deem o seu melhor e se esforcem ao máximo para se e o superarem. Ele não se importa com o que pensam ou dizem sobre si e é uma pessoa sincera, honesta e humilde e é direto quando tem de revelar as verdades, no entanto, tenta não magoar ninguém. É altruísta e gentil com os outros (mesmo não querendo dar a entender) e está sempre do lado dos amigos e família, ajudando-os, protegendo-os e fazendo de tudo por eles, daria a sua vida para os salvar. Blailee nunca vai contra os seus princípios e ideologias, ele é uma pessoa de caráter, com valores morais que defende até à morte e é uma pessoa justa. Ele é responsável, maduro e muito exigente e perfeccionista, mesmo dando a entender uma descontração enorme, como se nada o abalasse negativamente e tudo fosse muito natural para ele.
Pokémons Atuais:

Pokémons No PC:
Outros (Secundários):
O Continente de Nyusdow:

Imagem feita por "SMBZ1", devidos créditos ao mesmo.
Sumário:

PROLOGUE: The Letter (neste post)





Prologue:
The Letter




Sasaki Souta


“Prezado Sasaki Souta,

Um novo continente no leste de sua região, Kalos, foi descoberto, e acreditando em seu potencial, acho que possa estudar em minha academia, a Academia Knoxgrove e se tornar um futuro treinador exemplar; e claro, logo depois explorar a região de Nyusdow, até então, desconhecida. Nyusdow tem o tamanho duplo da região de Hoenn e acredita-se que os Pokémons de todas as gerações estão misturados nesta ilha.

Garanto-te que nosso ensino será divertido e empolgante; venha pegar seu inicial na ilha, o avião particular dos escolhidos para a Academia passará em sua casa e lhe aguardará ás 4:00. Seus pais e responsáveis já foram avisados, tendo uma concordância mútua segundo a isto.

De seu futuro diretor:



𝔹𝕝𝕒𝕚𝕝𝕖𝕖 𝔸𝕝𝕝𝕥𝕠𝕟

Sasaki apertou o papel amarelado e com uma caligrafia impecável e de letras redondas e bonitas, passou o polegar da mão direita no papel fino, enquanto passava os olhos pela letras e segurava o pirulito de uva na mão esquerda.

Apertou os olhos, estranhando aquele papel enquanto seu envelope permanecia jogado em sua cama, no qual ele estava sentado ouvindo música e jogando antes daquilo chegar. O envelope fora entregue por um pelicano de asas azuis, mais precisamente, aquela carta fora entregue do bico de um Wingull.

Suspirou e salvou o jogo pausado, enquanto se espreguiçava e preparava suas malas para a academia. Sasaki não queria admitir, mas sua vontade de gritar foi evidente quando leu a palavra “inicial” e “Pokémon”, juntamente com “academia em um continente novo” e “avião particular para os escolhidos”.

Vestiu sua vestimenta costumeira, uma t-shirt branca com gola vermelha debaixo de seu tão amado suéter preto com detalhes de branco e vermelho em suas mangas e barriga. Dobrou o suéter até no cotovelo e puxou um pouco de sua t-shirt para fora. Vestiu uma calça jeans preta com detalhes avermelhados nas barras da mesma e calçou os seus pares de tênis favoritos, negros assim como seu cabelo; prendeu um relógio de pulso na mão esquerda e pôs o pirulito na boca.

Pegou a mala amavelmente preparada pela avó, desceu as escadas e depositou um beijo na velha senhora.

Mamãe já sabe de tudo, vovó? — O moreno não se importava e tampouco se sentia tímido ao chamar a avó pelo carinhoso e gentil nome.

A velhinha sorriu para o moreno e afirmou, enquanto as ruguinhas em sua face tornavam-na ainda mais fofa. Sasaki apertou-a mais uma vez entre seus braços antes de soltar um suspiro.

Era verdade que de facto, sua mãe não era muito presente em sua família, não tinha tempo pra isso, ela precisava trabalhar como um Tauros para pelo menos colocar um pão sob a mesa de comida e um frasco de remédio para a mãe, que cuidava de seu próprio filho; o pai por si só era um babaca, que quando soube da gravidez da suposta “namorada”, fugiu com outra no mesmo minuto, abandonando a pobre mulher em gestação.

Puxou uma cadeira ao lado da mesma, enquanto pegava o pão com molho nas mãos e o levava até a boca, mordendo-o, faminto.

— Querido, sua mãe disse que tinha algo no seu quarto pra você — A idosa pronunciou, com sua voz rouca e um tanto fina, por conta da idade.

— Oh verdade? — Sasaki indagou, com a boca cheia de pão e com uma sobrancelha arqueada. — E o que é?

Ela apontou com o dedo enrugado para a porta, mandando o neto subir para pegar o que fora deixado pela mãe.

— Ela falou que quer você no trabalho dela antes do avião vir te pegar ás 14:00 horas. — A velhinha rebateu, sorrindo docemente para o amado e único neto.

Sasaki soltou um “Ok” abafado e subiu as escadas para seu quarto, enquanto um pedaço do pão estava em sua boca e ele segurava um copo de refrigerante. Suspirou e abriu a porta do quarto, se deparando com uma pequena caixa caramelo com um bilhete anexado no qual continha: “Para o meu amado e único filho, Sasaki Souta.
De: Mamãe


O garoto permitiu-se sorrir amavelmente, enquanto abria o pacote que uma tesoura que havia pegado em sua escrivaninha; pelo menos com essa academia, ele não precisaria ir pra aquele inferno de escola cheia de valentões e patricinhas.

Ao abrir o pacote, seu conteúdo revelou uma Pokedéx e um celular novo, com todos os contatos salvos, perto dos aparelhos tinha outra carta.

A Pokédex foi Blailee que enviou, eu consegui dinheiro para comprar o celular!
Venha para o meu trabalho antes das 14:00, quero me despedir devidamente de você!


Yυυƙι Sσυƚα”


Sasaki soltou um sorriso doloroso e culpado, sua mãe se matou de trabalhar apenas para o seu melhor, e o moreno apenas brigava ou xingava com ela; ele se sentia uma pessoa horrível naquele momento. O moreno saiu de seu transe quando ouviu sua avó gritar para ir logo ver a sua mãe, porque já eram 13:00.

Desceu as escadas como uma flecha, abriu bruscamente a porta e correu sem pensar duas vezes para o Pokémon Mart que a mãe trabalhava.

Acabou sentindo um peso se chocando contra seu ombro na metade do caminho olhou para baixo e viu um vulto caído no chão, quem tinha trombado em si se pôs de pé e abanou as roupas.

Era uma menina, com dois seguranças na sua cola, ela tinha um cabelo castanho, assim como seus olhos, usava uma presilha de laço púrpura na franja jogada para a lateral, se misturando com suas mechas, vestia um colete bonito e branco como a neve por cima de uma camiseta de marca roxa-clara, mais puxada para o rosa, trajava uma saia púrpura com meias brancas e botas roxas com salto médio, a garota aparentava ser um tanto quanto rica e aqueles homens morenos e robustos que corriam atrás dela, deveriam ser seus seguranças, que ela tentava fugir.

Sasaki julgou que o nome da garota bonita era Yakima Chisei porque os dois homens gritavam e berravam “Senhorita Yakima” ou “Senhorita Chisei”, chamando atenção das pessoas que passavam pelas ruas com as crianças em braços ou Pokémons os acompanhando.

O moreno abriu a boca para se desculpar com a garota, que estava vermelha e suada, devido a a correria. Porém antes que pudesse falar um simples “a” sentiu o dedo indicador da tal Yakima sendo pressionado contra seus lábios, e depois se viu sendo arrastado pela menina desesperadamente.

Ei, ei, que preciso ir pro Poké Mart! — Deu um puxão de leve na menina, com medo de machuca-la, para Sasaki ela era mais frágil do que uma bonequinha de porcelana, frágil como a neve — Você está fugindo deles? — indagou, indicando os dois homens que corriam atrás dos de Sasaki e Yakima.

Sim — A voz baixa, suave, melodiosa e com uma pitada de fofura e preguiça da menina misturada com um pouco da rouquidão pelo cansaço de correr fez Sasaki estremecer levemente — Ok, nós vamos pro Poké Mart, mas você vai me ajudar a correr deles, estou confiando em você.

Tudo bem. — Agarrou a menina e fez questão de a pôr em cavalinho nas suas costas sem nem pensar duas vezes.

Sasaki começou a correr, enquanto Yakima olhava pra trás e o mandava correr mais rápido antes que avisassem ao seu pai. As portas do Poké Mart se abriram, a menina desceu das costas do moreno e bloqueou as portas de vidro.

Sasaki? — A voz madura de sua mãe ecoou no local enquanto Yakima puxava um pedaço de pano para a porta, com intuito de cobri-la — Ora, ora, parece que você arranjou uma namorada antes mesmo de ir pra Academia?

A mulher segurava uma caixa cheia de revistas e livros pesados e cheios de folhas, enquanto sorria largamente para o filho que mergulhou o rosto entre as mãos completamente constrangido, enquanto Yakima olhava a morena esbelta e bonita à sua frente, confusa e com uma inocência de impressionar.





Yakima Chisei


Era mais um jantar chique e de gala em sua grande casa – especificamente uma mansão – e Yakima, assim como todas as vezes, estava em uma cadeira adornada de prata, enquanto ao do homem gordo e molambento, com um cabelo lambido para trás, mais conhecido como seu próprio pai, o famoso dono das empresa Chisei: Kyrant Chisei.

Sinceramente? Yakima estava cansada daquela prisão e de morar com um cara folgado, cujo o sobrenome conseguiu apenas por um casamento forçado, matando a própria esposa logo após e culpando sujamente um de seus empregados. Sua mãe sempre fora seu refúgio e o seu tudo perto daquele homem sujo, ela aguentava tudo e todos por causa de sua filha.

Mas agora ela se foi, brutalmente assassinada por um assassino de aluguel, contratado pelo homem que dizia “amar” a mulher; sua mãe acabou tendo que deixar a pobre garota sozinha sobre os cuidados do homem “inocente”.

Vamos, minha querida, coma este caviar — O velhote falou, enquanto Yakima torceu o nariz e sorriu amarelo para o homem, virou o rosto e olhando a mochila púrpura ao lado da cadeira de madeira que deveria ser de um segurança — Vamos, coma logo, custou caro sabia?

Vai se foder.

A garota levantou-se da cadeira de prata, agarrou a alça da mochila e correu para a janela mais baixa de sua mansão colocou os pés sob a borda e olhou para o homem gorducho.

Onde você pensa que vai, mocinha? — O velho barbudo e ensebado perguntou, se levantando como um selvagem.

— Esqueceu daquela carta, velhote? Eu vou pra Academia. Eu vou embora desse inferno. — E com tais palavras proferidas, pulou da janela, e só conseguiu ouvir um berro do pai gritando os seguranças e mandando-os ir atrás da menina.

E agora, ela estava presenciando uma cena na maior vela do mundo; o menino que havia a resgatado abraçava com força a mãe, enquanto lágrimas escorriam pela face da mulher esbelta.

Eu vou sentir, tanta falta do meu bebê... — Yuuki soluçou e proferiu, com a voz chorosa, ainda abraçando o filho.

— Eu também mamãe, mas eu vou voltar e ligarei pra senhora e pra vovó sempre que puder. — Sasaki rebateu, prendendo o choro.

Yakima bocejou, ouvindo a turbina do avião. Remexeu-se perto da porta, andou até Sasaki e o cutucou.

Sasaki, nós temos que ir... — Falou, enquanto puxava o suéter do menino e apertava a alça da mochila, que a olhava um pouco vermelho, Yakima coçou os olhos e sentiu dois braços a envolvendo. Ela estava sendo apertada pela mãe do menino.

Filhinho, você arranjou uma namorada tããão fofinha! — Gritou, em êxtase, enquanto agarrava e apertava as bochechas da menina.

— O-ok, mãe, nós temos que ir. — Sasaki puxou Yakima da mãe, enquanto abraçava Yuuki, um tanto vermelho. — Eu já vou agora, prometo ligar pra você e pra vovó assim que chegar lá; enfim, eu vou ligar todos os dias.

— Ok, meu bebê, se esforce naquela academia, ou eu te meto o cacete se você tirar algum C de novo! — Falou, tranquila, enquanto abria a porta e acenava para os meninos.

Suba, Yakima — Ele pegou a mochila da menina nas mãos; a voz do moreno falhou um pouco, tentando disfarçar o constrangimento ao falar aquela frase.

A menina afirmou, enquanto pulava nas costas de Sasaki, que a agarrava e novamente se colocava a correr.

Ai, ai, crianças e suas paixonites. — A mulher suspirou, com saudades da própria adolescência.

A turbina do jatinho esverdeado com um B e um A enfeitados na lateral ressoava nos ouvidos dos outros e cortava rapidamente o céu como um Lugia em fúria.

A mochila de Yakima estava jogada em um chão – provavelmente o pai teve um ataque de raiva e jogou tudo pro ar – e então, ela a pegou, correndo para a casa de Sasaki, para pegar a mala do mesmo.

O moreno abriu a porta e se dirigiu até a avó, enquanto se despedia com uma abraço, beijou-a na bochecha e correu pelas escadas, enquanto a castanha permanecia encostada na porta, mexendo na saia.

Sasaki pegou com cuidado o celular novo e com a mochila vermelha e preta nas costas, correndo meio torto por conta do peso que a mesma continha – naquele exato momento estava de perguntando se sua mãe havia levado ela junto naquele compartimento –, se despediu da avó pela última vez, prometendo ligar sempre que pudesse e puxou Yakima para dentro do avião.

Sentaram-se na frente de dois meninos, um conversava calmamente, com uma voz doce e o outro parecia estar mal-humorado e era aparentemente rabugento por natureza, o menino gentil tinha as madeixas tingidas de um lilás peculiar – que estavam ligeiramente cobertos por um óculos sem grau, que aparentemente estavam ali só de enfeite –; olhos azulados como o mar e trajava um conjunto tão estranho quanto seu cabelo, uma jaqueta negra com detalhes de amarelo, uma camisa colada e de mangas longas, branca, com alguns babados no pescoço, coisa que estava bem notável; suas calças tinham o mesmo tom da jaqueta, suas botas iam até mais um pouco acima das canelas e eram completamente negras, com uma listra amarela. O seu aparente amigo rabugento não ficava pra traz no quesito “peculiaridade”; também possuía cabelos de tom diferentes, era dono de madeixas azuladas, tinha olhos tão marrons como troncos de árvores da floresta Viridian, seus cabelos eram cobertos por um boné verde, permitindo que apenas algumas mechas rebeldes saíssem do mesmo, vestia um confortável e folgado moletom azul, dobrado pouco acima dos pulsos, tinha um cinto esverdeado, no qual uma pequena bolsa residia em sua traseira. Trajava, também, uma calça folgada e castanha e em seus pés, estavam calçados tênis verdes e um tanto surrados e sujos de lama; o de mechas azuis tinha uma aura terrível emanando de si, enquanto o seu amigo parecia emanar alegria excessiva.

Deram de ombros, mas foram parados pela voz rouca do menino rabugento.

Você! Seu viadinho que tava olhando pra mim! — Apontou o dedo no meio da cara de Sasaki, enquanto sua companheira olhava o de mechas azuis, confusa — Você parece ser um treinador digno, nós vamos batalhar quando chegarmos naquele maldito colégio!

O amigo do desafiador sorria calmamente para a dupla confusa.

Ryota-kun chamou você para uma batalha Pokémon quando chegarem no local. — O menino de cabelos lilás explicou, enquanto seu amigo continuava falando algumas merdas.

— Avise-o que ele irá perder. — O moreno retrucou, sentando-se em sua cadeira de avião, enquanto sentia os olhares fulminantes de seu recém desafiador em suas costas, mas acabou por ignorar, ao ver que a garota de cabelos castanhos tinha praticamente morrido em seu ombro.

Soltou um suspirou, enquanto sentia a baba de Yakima molhar o ombro de seu suéter. A sua estadia naquele continente seria realmente muito longa.

---------------------------------------------------------------

Primeiro de tudo, me desculpem os spoiler dos Pokémons que cada um dos treinadores terá, recomendo abrirem o spoiler de personagens, mas não olhem os Pokémon (embora não adiante muito, porqu na minha edição lixosa deu pra ver quais serão os iniciais dos protagonistas.

O Prólogo foi bem curto, mas espero que tenha dado para entender alguma coisa, ou que tenha ficado pelo menos bom pra ler.

Confesso que enquanto escrevo as últimas palavras deste primeiro post, imagino o apoio que vocês me darão Laughing, e com muita empolgação, pressiono neste exato momento, o botão "Enviar"

Enjoy The Fanfiction! study
avatar
Illews
Membro
Membro

Feminino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/03/2017

Frase pessoal : Hodor, hodor, hodor!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Continent of Nyusdow

Mensagem por Rush em Sab 18 Mar 2017 - 20:27

Opa, primeiramente seja bem vinda ao fórum. Espero que você nos ajude a reviver a área de Fan Fics que esteve morta há um tempo consideravelmente longo. (YEARS AND YEARS)

Antes de comentar sobre sua FF, eu gostaria de ressaltar que adorei a sua escrita. O uso do travessão é bem raro e me agrada muito. Além de tudo, a formatação está impecável. Diria que em questão do "main post", a sua fan fic está visivelmente perfeita. No entanto, eu aconselho que, como aparentemente haverão muitos personagens, você crie um "Guia" da sua Fan Fic, exatamente pelos mesmos comentários finais que você proferiu: S P O I L E R S.

Eu realmente preferia muito não ter aberto os spoilers e visto os personagens já com seus iniciais, pois teria sido bem mais empolgante ter sido pego de surpresa, mas relaxe, isso não irá comprometer a qualidade de sua FF. Caso você precise de ajudas para criar um Guia caso se interesse na ideia, eu irei ajudá-la com prazer. Pode também ver alguns exemplos de outras fan fics, como essas: Pokémon: Project Re-Type, As crônicas de um Gyarados voador - Kanto Stars, ou em outra formatação: As crônicas de um Gyarados voador - Kyle. (Cuidado com spoilers, caso queira acompanhar uma delas no futuro. Recomendo a Project Re-Type!)

E gostei do uso de Sprites. Já até sei de qual artistas você pegou os sprites, pois eu já pedi a permissão deles para usar os mesmo. Inclusive, o de Blailee, que não chegou a aparecer, mas iria ser um personagem importante em uma de minhas fics. Mas relaxe, não precisa mudar não! Achei a edição o oposto de lixosa, pois você conseguiu definir bem o tamanho original dos Pokémons perto do sprite dos personagens, o que eu simplesmente adorei por fazer a mesma coisa.

Agora, irei só dar uns toques sobre coisas que eu acho que poderiam ser mais trabalhadas em questão geral, não do plot:


um pão sob a mesa

O correto seria "sobre a mesa", já que sob seria embaixo da autoridade propriamente dita. Esse tipo de errinho, eu recomendo que você revise o cap pelo menos uma vez antes de postar, pois SEMPRE vai sair uns errinhos bobos enquanto a gente digita. O Word também salva muitas vezes, corrigindo sentenças que gramaticalmente não fariam sentido.


Ok, nós vamos pro Poké Mart, mas você vai me ajudar a correr deles, estou confiando em você.


Isso não teve nenhum erro gramatical, é apenas um toque que dou para você evitar, que na real, é MUITO comum. Acho que tudo foi rápido demais, não houve tempo para a construção da "confiança" que Yakima depositou em Sasaki. Acho que essa amizade surgiu MUITO depressa e de maneira muito abrupta. Claro, para o prólogo (Que não foi muito bem um prólogo, e sim um capítulo zero, mas depois eu digo sobre isso), foi tudo apenas para explicar como os dois se conheceram e foram parar na academia, mas por favor, explore a construção do laço entre os dois.

E bem, uma coisa pessoal minha que não é obrigatoriamente uma regra a ser seguida, mas creio que um romance cairia muito bem com o tempo.



O menino de cabelos lilás explicou, enquanto seu amigo continuava falando algumas merdas.


Sobre a narração: Ela está muito boa, mas por favor, evite isso. Ok, gírias entre personagens é algo natural e totalmente compreensível, mas a narração usar gírias é algo que acaba sujando um pouco a leitura. Não é necessariamente um erro, mas usar gírias ou palavrões na narração é um pouco anti-ético, pois é como se a voz que narrasse fosse outro personagem, mas isso não foi trabalhado desde o início.

E só para finalizar... Isso é algo que eu aprendi recentemente, tanto que eu mesmo já cometi esse erro, mas, um prólogo não é construído de tal forma. Não é um "pequeno capítulo resumido para explicar onde tudo irá começar no primeiro capítulo". É algo que define a história por trás de tudo, dando a entender o enredo, explicando sobre o universo. No caso, uma explicação sobre a academia seria um exemplo válido de prólogo. Mas como eu disse, isso é algo que nem mesmo eu sabia há algum tempo atrás, então é isso, vivendo e aprendendo.


Agora, ok! Vamos falar sobre o que eu achei sobre a história e personagens...

Eu simplesmente adorei e definitivamente irei retornar para acompanhar o primeiro capítulo. A ideia de uma academia me lembra o Plot de "Royal Hearts - O caminho para perfeição", que eu fiz no passado, o que foi MUITO empolgante pra mim na época. Espero que você tenha essa mesma empolgação e se sinta bem em escrever capítulos e mais capítulos.

Os personagens tiveram um contraste legal. Sasaki é um personagem que é raro ser usado como protagonista em FFs. Meigo, inocente e particularmente bom demais. Eu o achei muito fofo, e gostei bastante da forma como você o representou. Para a idade dele, achei ele BEM infantil mesmo, não só pelos apelidos carinhosos voltados à sua família, mas pelas atitudes e até a narração que o cercava. Isso não é nem um pouco ruim, pelo contrário, eu o adorei. Achei original e bem amável. Com certeza irei me apegar.

Já a Yakima, é quase que o oposto do garoto. Tenho certeza que da dupla, ela que será a que tomará as atitudes e a frente das coisas. Um passado bem traumatizante, para ser honesto, tendo que viver com o assassino de sua própria mãe. Espero que você a explore bastante, pois mesmo ela tendo sido ofuscada pela personalidade inovadora de Sasaki, eu gostei bastante dela.

Os outros dois foram bem coadjuvantes e não tenho muito o que dizer. Como eles irão viver numa academia e estudar juntos na mesma, espero que eles acabem se tornando amigos e personagens principais com o passar do tempo, afinal, rivais saudáveis são rivais que possuem um mínimo de afeto ao protagonista, não? E esses são os melhores rivais, pois você acaba não sabendo para quem torcer.

Ok, desculpe pelo comentário gigantesco. Eu gostei bastante da FF e voltarei no primeiro capítulo, pois adorei a história.

Um abraço, até mais!

avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Continent of Nyusdow

Mensagem por Slow em Sab 18 Mar 2017 - 22:52

AHA! Finalmente deu as caras, e nas fanfics hein moça.

Okay, okay, seja bem-vinda. Um dia desses eu estava me perguntando o pq de "todo dia pelo menos 2 pessoas se registram e eu não vejo a atividade delas", por coincidência foi acho que dia 14 e eu acabei vendo seu perfil também. Enfim, nada a ver com o post aqui, vamos voltar.

Ressaltando pontos já previamente ditos, sua escrita é ótima, só precisa tomar um cuidado maior com a correria. Em uma parte específica, quando o jatinho chegou para levá-los, eu fiquei confuso com "onde exatamente eles estão?" e tive que reler algumas vezes essa parte pra entender realmente o que aconteceu(ou achar que entendi, sla). Mas em questões ortográficas mesmo, está perfeita.

Ainda meio na parte técnica e ainda em questão da correria, fora o que já foi dito, algo ficou "no ar": nenhum deles sabia que o outro estava indo para a academia e não tiveram nenhum tipo de surpresa quando o jatinho chegou, só disseram "vamos" como se já estivessem previamente combinados.

Agora, a estória! Realmente eu já pensei em algum meio de "treinar treinadores" e estou empolgado para ver como vai fazer isso, pq eu n encontrei um meio. Também adorei os personagens, exceto o rival por n gostar do estilo dele, não por ser um personagem ruim. A dupla Sasaki e a Yakima é muito boa e eles tem uma coisa em comum: pais horríveis. Particularmente no caso da Yakima, deve ser horrível conviver com o cara que um dia foi casado com a sua mãe somente por poder, você sabe que foi ele que matou ela, mas não pode provar.

Antes de encerrar, um agradecimento ao Rush, pq eu cometeria em breve o erro do "prólogo" se não dissesse sobre auheauhsauh. Lendo comentários dos outros e aprendendo, cara!

Então é isso, até o próximo cap  tchau
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Continent of Nyusdow

Mensagem por -Ice em Dom 19 Mar 2017 - 14:19

Olá, senhorita! Antes de começar a falar sobre a fanfic em si, gostaria de ressaltar que estou maravilhado de ver outra fanfic sendo postada. É incrível pois, em um período de um mês, tivemos quatro novas fics. Se continuar assim, logo eu não conseguirei mais acompanhar todas, não que isso seja um problema, já que, como o Rush disse, a área está morta há anos, e, aos poucos, está sendo revivida.

Agora, vamos falar sobre a obra. Bom, um continente novo já é algo que, apesar de não parecer, diz muito sobre o que esperar, já que eles geralmente vêm acompanhados de uma história que não poderia ser contada em um dos continentes que já conhecemos, seja por pokémon novos, novos ginásios, ou qualquer outra coisa. A única coisa que achei um tanto quanto estranho foi ser notificado de que o continente foi recém descoberto. A tecnologia do mundo pokémon, como já foi mostrado em jogos e animes, é muito, mas muito avançada em comparação com a nossa, e é meio difícil de imaginar que não teriam descoberto ainda um continente tão grande assim.
Aliás, achei interessante ver um continente tão grande assim, e me pergunto se veremos todas as cidades serem exploradas, mesmo acreditando que não.

Eu curti os protagonistas, o contraste entre suas personalidades e os passados bem construídos deles me fizeram criar uma empatia enorme com os dois. Já os outros dois personagens ainda não conseguiram me agradar, mas creio que é uma questão de tempo, e logo começarei a gostar deles também.

Eu gostaria de ressaltar um problema já citado pelos dois comentários acima, que é a correria. O capítulo não foi corrido, muito pelo contrário, fluiu de uma maneira suave e agradável, os únicos problemas que encontrei mesmo foram os já citados. Primeiro que a amizade entre Sasaki e Yakima começou do nada, e a garota, que passou por um grande trauma, começou a confiar muito rápido no rapaz, e não demonstrou nenhuma surpresa ao descobrir que ele também ia à academia, apenas agiu como se já soubesse, apressando-o.

O outro foi citado por Slow, que é a parte no pokémart, quando Sasaki está se despedindo de sua mãe e Yakima ouve o jato e começa a apressar o garoto. Eu tive ler e reler várias vezes essa passagem, e mesmo assim não sei se realmente entendi. Primeiro achei que o jato tinha parado na frente do pokémart, e achei que quando Sasaki tinha dito "suba", era pra garota subir no jato, mas de repente ela estava em casa de novo, daí eu tive que ler várias vezes apenas para me tocar que o jato sequer tinha parado ainda. Quer dizer, foi isso que aconteceu né?
Aliás, não que isso seja um erro, é meio incrível (no sentido de ser difícil de se acreditar) imaginar que Sasaki tenha deixado Yakimi subir em suas costas assim. Como um garoto, só consigo ver Sasaki fazendo isso tendo segundas intenções.

É isso, gostei bastante da ideia, e de como ela está sendo executada, vou acompanhar a história, e espero que mantenha o padrão apresentado no prólogo, pois ficou muito agradável de se ler. Até mais!
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Continent of Nyusdow

Mensagem por DarkZoroark em Dom 26 Mar 2017 - 11:27

Olá Ilews.
Antes de qualquer outra coisa, desejo-lhe boas-vindas ao fórum e a esta área que, até recentemente, podia ser dada como morta. Por um tempo eu até estava me questionando se o povo em geral estava deixando de apreciar Fanfics como forma de entretenimento, mas com o recente aumento de novas histórias aqui, vejo que estava errado. De todo modo, espero que desfrutes de uma experiência por aqui.

Falando da história em si, eu já tinha planejado lê-la e consequentemente comentá-la desde ontem pela manhã, mas uma saída com os amigos e, admito, um pouco de preguiça acabaram por atrasar um pouco meu cronograma. Mas deixei o pecado de lado e vim aqui dar uma olhada e também deixar um parecer sobre o que achei. Então, sem mais delongas, vamos ao review:

Primeiramente, devo ressaltar que fazia tempo que eu não via uma Fanfiction dentro do universo de Pokémon que retratasse uma escola para jovens treinadores. Creio que a última assim aqui no fórum, pelo menos que eu cheguei a ler, foi uma chamada ICB, e isso já faz uns 3-4 anos. Pode ter sido a Royal Hearts do Rush também, agora que penso nisso... Enfim, me entristece um pouco este fato pois, na minha opinião, usar um ambiente de ensino em junção aos monstrinhos de bolso pode resultar em histórias incríveis. O fato de estares seguindo este tipo de narrativa foi um dos atrativos que me fizeram vir ler a história.

Outro ponto original é, como já dito pelo -Ice, a implementação de uma região original, ainda mais uma que, a julgar pelo mapa que disponibilizasse, possuí uma área colossal. Sem brincadeira, é a primeira vez que vejo alguém procurando usar um local tão grande em uma história. Não posso deixar de sentir-me curioso sobre como vais utilizá-lo ao longo da história. Contudo, também concordo com o segundo argumento dele: é de fato muito estranho que uma área de terra tão grande quanto Nyusdow tenha permanecida desconhecida por tanto tempo quando a tecnologia dentro do universo Pokémon é mais avançada que a nossa própria. Uma opção melhor seria dizer que a região está finalmente apta a ser povoada.
Além disso, vale a pena ressaltar que a dica do Rush em criar um guia de personagens na área de escritórios pode ser uma opção muito boa, visto que aparentemente haverão vários personagens. Fazer isso impedirá que o main post fique excessivamente desorganizado.

Bem, comentários universais de lado, falemos agora da obra em si. Achei os protagonistas curiosos e bem contrastantes. O fato de o Sasaki ser ingênuo e, de certa forma, inocente enquanto a Yakima aparenta ser mais inteligente e pé no chão pode criar uma boa química durante ao decorrer da Fanfic. No momento não há muito que eu possa falar sobre os dois, visto que o prólogo serviu mais como uma introdução aos dois, mas o background de ambos é interessante, e estou curioso para ver como irás utilizá-los.

A escolha de Pokémons foi outra que eu achei curiosa. Rockruff e Buizel são, em minha opinião, espécies que são meio difíceis de se utilizar, ao menos nos jogos, pela dificuldade que é de fazer a eles e suas respectivas evoluções funcionarem bem no competitivo - e de vez em quando até no main game mesmo - sem egg moves. Seus movesets são meio restritos, por assim dizer. Contudo, o fato é que também não são Pokémons particularmente comuns de serem vistos em Fanfics, então isto dá um destaque a mais para a sua.

Contudo, tal como apontado pelo Rush e pelo Slow, é que senti uma certa "pressa" enquanto lia a história. Os eventos que mencionaste pareciam ocorrer rápido demais em determinados pontos. Um modo bem fácil, apesar de admitidamente trabalhoso, é adicionar algumas linhas de descrição e/ou narração enquanto os personagens viajam de um ponto para o outro. Dizer que eles estão pensando em alguma coisa e explorar estes pensamentos, descrever o ambiente ao redor deles enquanto caminham, ou então adicionar uma conversa casual quando forem dois ou mais personagens juntos. Isso, além de deixar a história menos corrida, dá aos leitores mais informação sobre os protagonistas/rivais/secundários e faz o sentimento de empatia ou antipatia pelos mesmos surgir mais facilmente.

Creio também ter encontrado um pequeno erro não mencionado pelo Rush enquanto lia:

Ilews escreveu:— Ei, ei, que preciso ir pro Poké Mart!
Ao que me pareceu ao ler esta passagem, creio que tenhas engolido alguma(s) palavra(s) entre o segundo 'ei' e 'que preciso ir'.

Bem, por enquanto é só. Aguardo seu primeiro capítulo.  ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Continent of Nyusdow

Mensagem por Black~ em Sex 14 Abr 2017 - 21:11

Bem, estou chegando aqui quase um mês depois e já vou colocar logo na primeira linha: apesar da demora, espero que você não desista da fic, pois pelo menos o prólogo deu uma esperança de uma boa história, mas enfim.

Bom, como eu disse, eu gostei bastante da proposta da fic. Uma escola de treinadores, uma coisa bem interessante e que é bem legal de se ver em fanfics, principalmente se for bem trabalhado. Além disso, eu também achei bem legal a utilização de um novo continente, é uma coisa que eu também acho bem legal, e achei o mapa bem grande, o que foi interessante também; espero para ver como esse gigantesco mapa será utilizado no decorrer da história. Todavia, concordo com o DZ e com o Ice que é realmente muito estranho uma região desse tamanho ficar "escondida"; acho que você poderia usar uma desculpa melhor para explicar a origem do continente kkk, mas enfim.

Olha, eu gostei dos personagens. Os dois são bem "fofinhos", apesar de ainda serem um pouco diferentes na personalidade. Eu curti o fato do Sasaki ser um personagem mais bonzinho, e também curti a Yakima, achei ela bem legalzinha e por tudo o que ela passou, talvez ela seja a voz da razão do grupo. Os outros dois personagens não tenho muito a dizer, visto que eles só tiveram uma fala. Aliás, uma coisa me incomodou, mas aí não é problema, é chatice minha; o que me incomodou foi esse menino gritando que ia batalhar com o Sasaki quando chegasse no continente. Eu realmente acho uma coisa muito irritante esses rivais artificiais, rebeldes sem causa, que olham pro protagonista e decidem batalhar e virar rival do nada, mas é como eu disse: isso é mais o meu modo de ver os personagens, só estou relatando mesmo.

Eu concordo com os comentários acima no que tange a velocidade da narração. O ritmo fluiu até bem, porém em uma parte do capítulo, acho que sei lá, você perdeu o fio da meada e tudo ficou muito rápido e até um pouco sem sentido, vou até dar um quote para você ver melhor:

menina afirmou, enquanto pulava nas costas de Sasaki, que a agarrava e novamente se colocava a correr.

— Ai, ai, crianças e suas paixonites. — A mulher suspirou, com saudades da própria adolescência.

A turbina do jatinho esverdeado com um B e um A enfeitados na lateral ressoava nos ouvidos dos outros e cortava rapidamente o céu como um Lugia em fúria.

A mochila de Yakima estava jogada em um chão – provavelmente o pai teve um ataque de raiva e jogou tudo pro ar – e então, ela a pegou, correndo para a casa de Sasaki, para pegar a mala do mesmo.

O moreno abriu a porta e se dirigiu até a avó, enquanto se despedia com uma abraço, beijou-a na bochecha e correu pelas escadas, enquanto a castanha permanecia encostada na porta, mexendo na saia.

Sinceramente, esses três fragmentos de narração ficaram bem estranhos e aparentemente não estavam conectados, faltando um pouco de coesão. Primeiro você falou do avião, logo, deu a entender que eles estavam no aeroporto (o que já era estranho, considerando que eles estavam no Mart há dois minutos), depois, por algum motivo, a mochila da menina estava aberta no chão e depois eles estavam na casa do Sasaki.

A fic está boa, mas só tente evitar esses conflitos de narração que ela tomará um rumo ainda melhor.

É só e estou no aguardo do próximo capítulo o/
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Continent of Nyusdow

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum