Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

Pokémon: The Nightfall

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Ceci em Dom 19 Fev 2017 - 20:38

Pokémon: The Nightfall
Sinopse:
Yoko Bellshoff sempre fora o tipo de garota que não tinha muitos amigos por ser elétrica e animada demais. A vida toda sempre foi apaixonada por Pokémons, assim como seus únicos e verdadeiros dois amigos, que abandonaram-na ao mudarem-se para Saffron, sendo a única que permaneceu em sua cidade natal, Lumiose — local no qual mora atualmente —, seu pai nunca fora alguém muito atencioso com ela, sua mãe e seus irmãos, sua mãe entrou e coma e nunca mais acordou, seu irmão foi fazer intercâmbio em Unova e a irmã se suicidou por causa do namorado. Depois de ocorridos Yoko conheceu Matthew Owind, e então, eles decidiram partir em uma jornada.
Personagens:

(os sprites não foram criados por mim, crédito aos autores)
Principais:


Nome: Yoko Bellshoff
Idade: Dezesseis anos
Personalidade: Yoko é uma garota impulsiva, as vezes se metendo em encrencas e tendo um senso de aventura enorme. Muito leal aos amigos, sincera e honesta com todos, mas as vezes pode contar algumas mentirinhas - ou várias. Pode perder a paciência rápido, sendo alguém explosiva e cabeça quente, consegue se esgueirar fácil e é totalmente silenciosa, não se importando se está agindo como uma verdadeira treinadora ou como uma sombra; uma garota meio complexa até para si mesma, mas se ouvir alguém a retratando desta forma não vai gostar nem um pouco. Yoko é o tipo de garota que pode passar um longo tempo presa em seus pensamentos, por mais extrovertida e animada que esteja ao longo do dia - coisa que acontece constantemente. É uma garota um tanto curiosa, mesmo tendo conhecimento de muita coisa para sua idade. Ela sempre tenta tirar algo bom de tudo, desde uma conversa ruim até a morte de alguém importante. Gosta de provocar os outros em qualquer oportunidade, sem pensar duas vezes. Embora as vezes possa ser um pouco chata dependendo do ponto de vista, é uma garota agradável e atenciosa, que está sempre preocupando-se com o bem-estar de pessoas que considera importantes; tem uma personalidade forte e nunca fica irritada por qualquer coisa. Prática e organizada, odeia ver algo fora do lugar e sempre mantém suas coisas organizadas. É uma pessoa observadora, sempre percebe quando tem alguma coisa errada e por isso, na maioria das vezes é ela quem costuma descobrir as coisas primeiro. Mesmo que pareça uma pessoa fechada é completamente o contrário; carinhosa e afetuosa, até demais as vezes. É uma pessoa de temperamento tranquilo, e de muito bom humor, sempre fazendo piadas e achando um jeito de descontrair o clima.
Pokémons:

Gible Dakan


Meowth Kalenn





Nome: Matthew Owind
Idade: Dezessete anos
Personalidade: Confiante e firme, Matthew é totalmente o contrário de meninos deslocados da maioria das histórias. Ele não é nada tímido, embora gagueje um pouco, não vai chorar por receber algum olhar torto alheio e muito menos se rebaixar a qualquer coisa, independente do motivo. Ele não se deixa abalar ou intimidar por absolutamente nada, e frisando: nada e nem ninguém é capaz de deixá-lo com o rabo entre as pernas, exceto aqueles com quem se importa. O garoto sempre anda com postura e confiança, exatamente como um príncipe, e apesar do queixo nunca estar abaixado, este também nunca está levantado demais. Apesar disso, Matthew conquista muitas pessoas com seu bom humor e simpatia. É sorridente e engraçado, nunca tira o sorriso do rosto e fazer as pessoas rirem é como seu hobbie. Lealdade e confiança é algo que Matt honra demais. Sempre está lá para as pessoas em todos os momentos, nunca abandona ninguém e se recusa a deixar as pessoas sozinhas. Gentil, ele não mede esforços para ajudar as pessoas. Não se importa nem ao menos um pouco em sair prejudicado. Matthew ajuda as pessoas sem esperar nada em troca — mas obviamente desconfia se alguém tentar abusar de sua gentileza. Matt é ciumento com seus amigos, com seus Pokémons e qualquer pessoa que ele goste. Não chega a ser possessivo mas é realmente bem ciumento e não sabe esconder isso. Algo inevitável é que sempre que é pego no flagra com ciúmes, suas veias do pescoço saltam um pouco, seu rosto fica rubro e seu maxilar fica tensionado. É melhor não testá-lo. Ele tem uma paciência enorme, mas ao ser testado, subestimado ou simplesmente perder a calma, não nada bom por aí. Matt faz questão de mostrar para as pessoas com quem estão se metendo. Ele é o típico cabeça-dura: não se deixa influenciar por absolutamente ninguém, mesmo sendo muito amável.
Pokémons:

Houndour Korald


Axew Yakog





Nome: Rake Rhonig
Idade: Dezenove anos
Personalidade: Inteiramente em dia com a harmonia. É um abrigo de paz para quem quer que a veja, à primeira vista, por seu modo simplório e "de boa", pejorativamente falando. Rake é muito simpático, denotando um humor habitual de felicidade, que de primeira possamos associar a autoestima. Não que seja esse necessariamente o caso, porém, deve-se a isso o porque de lhe julgarem um ser com coração bom — e de brinde, fraco. Heroísmo nunca foi seu forte também, então ser reconhecido por sua capacidade física não lhe convém — física, desde a ciência até a aparência, são os casos unicamente consideráveis. Não é dado a coragem, muito menos impulso. Ou seja, nunca é "o protagonista" ou o "herói da história". Ele prefere estudar as causas, as situações, avaliativo como ele só, e refletir sobre o problema. Atuar por fora, e não por dentro — e por fim, forneceria ao protagonista a solução do caos, pois cabe a este salvar a pátria. Basicamente, abomina cenários com euforia, menos ainda ser o centro das atenções. Prefere assistir, não se apresentar.
Pokémons:

Altaria Kangla
Rivais:


Nome: Tyler Dereus
Idade: Dezessete anos
Personalidade: É muito vaidoso e autoconfiante, mesmo sem um gel e progressiva no cabelo ainda considera-se bonito e perfeito, mesmo que não dispense um cabeleireiro ou alguma loja de roupas caras. Essa característica acaba tornando-o, um tanto arrogante, mas de alguma forma não é sua culpa, já que é um reflexo de seus pais e foi criado para esbanjar o quanto tem dinheiro e fama. Orgulhoso a ponto de fazer qualquer coisa para não pedir desculpas; faz grande caso de sua aparência e vestimenta, olhando feio as pessoas sujas e desarrumadas. Mesmo tendo mais defeitos do que qualidades, pode ser uma pessoa carinhosa e cuidadosa quando quer. Esbanja tudo que possuí, não se importando em ser julgado ou mal-intencionado. Vindo de uma família rica e mesquinha, foi muto mimado pelos pais - e ainda é -, ganha tudo que pede e quer, e elimina aquilo que sente repulsa ou desavença. Mesquinho e irritante, tende a fazer escândalo por tudo e todos. Não sente a minima vergonha em qualquer coisa que faz e idolatra a si mesmo. Mandão, quer tudo na hora que deseja, sem ser retrucado ou respondido de maneira grosseira. Não sabe resolver as coisas com palavras, prefere partir para batalhas com Pokémons ou até mesmo brigas. Nunca se culpa por algo, sempre joga suas responsabilidades nas costas de qualquer um saí correndo; nem um pouco carinhoso ou preocupado, importa-se bem mais com a própria saúde do que com os seus Pokémons ou pessoas. Um tanto egoísta, só permite aquilo que quer e retruca qualquer coisa que não goste ou que não queira fazer. O típico garoto filhinho de papai e mamãe, riquinho e com cento e vinte e oito empregados em sua casa, sendo obrigados aos pais puxa-saco do menino á satisfazer qualquer desejo seu.
Pokémons:

Scizor Rysinar


Illumise Sunshine
Secundários:


Nome: Ricky Nyckles
Idade: Dezoito anos
Personalidade: Sua personalidade é um tanto complicada de explicar pelo fato deste não demonstrar seus sentimentos com muita facilidade, se ele está quase a morrer de tristeza ele apenas fingirá estar calmo e negar tal. Ele é conservado e é educado, mas não é de muitos amigos, geralmente dando respostas de poucas palavras para estranhos quando não se sente à vontade para conversar. Inteligente, sempre centrado nos detalhes, mas não chega a ser chato e orgulhoso como se espera. Na verdade é um rapaz interessante com quem conversar, gentil, simpático e até um pouco divertido. Bastante fiel, não volta atrás com suas palavras e sempre cumpre o que promete. Não é uma qualidade, mas admite para os outros que o mesmo é um tanto competitivo, confia muito facilmente nos outros, e isso o trás problemas... Digamos que é uma "presa fácil". Paciente normalmente aceita bem brincadeiras e grosserias, ele mesmo costuma ser bastante rude e indelicado as vezes, falando coisas fora de hora, tendo um humor de ácido a pateta. Apesar de ser cheio de fortes emoções, não consegue expressá-las bem, aprendeu a ser contido, então se ele ficar animado não vai dar um grande sorriso ou quando ficar triste não vai se jogar no chão e chorar, seus sorrisos são sutis, provavelmente a inquietação vai vir mais de seus pés batendo no chão ou os dedos tamborilando em algo, se chorar vai ser em silêncio, é raro dele derramar lágrimas.
Pokémons:

Politoed Lurry





Nome: Quinn Onew
Idade: Tem em torno de quarenta anos
Personalidade: Aparenta ser alguém carinhoso e gentil, mas que também pode chegar ao ponto de ser obsessivo e mandão com sua carinhosidade em excesso. Gentil e mente aberta, aceita tudo e todos de bom grado, é alguém com um coração que possuí um espaço imenso. Contenta-se fácil com qualquer coisa que acha ou recebe, consegue arranjar o lado positivo de tudo, até mesmo da morte de alguém. Foi como uma mãe e um pai para Matthew e é carinhos até demais com o moreno. Um pouco mandão, quer que façam tudo que pede, é alguém com uma paciência enorme, porém esgotável. Muito educado e conservado, embora pise na bola algumas vezes segundo a isso, modera cada palavra que fala, mesmo que alguns deslizes ocorram.
Pokémons:

Teddiursa Sanky


Swellow Pyrot





Nome: Lilith, ou simplesmente Lily.
Idade: Tem em torno de dezoito anos.
Personalidade: A melhor qualidade da enfermeira é com certeza a espontaneidade da mesma. Lilith é uma garota muito alegre e não tem papas na língua, raramente vai ser vista sem assunto e sempre que encontra alguém, é como se conhecesse a pessoa há anos e a conversa flui de maneira natural. A facilidade que tem para fazer amigos é enorme e quem se torna amigo desta, com certeza terá muita história para contar sobre as suas palhaçadas. Por trás do sorriso bonito e rosto de boneca, a enfermeira mostra ser bem mais esperta do que todos pensam, por mais que não seja a mais inteligente ou uma aluna estrela. Com uma boa capacidade de raciocínio lógico e perspicácia, ela tem orgulho de mostrar suas notas altas e também, gosta de se manter familiarizada com novas tecnologias. Carinhosa ao extremo, é como um cachorrinho e seu dono. Quando recebe coisas boas ou gosta realmente de alguém, é capaz de ser incrivelmente carinhosa e gentil e vê-la distribuindo abraços é bem normal.
Pokémons:
??
Sumário:




#OOO — O Começo

Era uma manhã fria e úmida, por conta da chuva que havia derramado dos céus na noite passada, Yoko acordou mais cedo do que deveria normalmente acordar, já que a mesma estava ansiosa para o começo de sua jornada, coisa que ela não fazia ideia de como começaria.

Ela terminou de amarrar o rabo de cavalo e escovou-o. O silêncio era o que predominava em sua casa, já que aquilo tinha acontecido com a irmã mais velha e o seu irmão estava fazendo intercâmbio na região de Unova e provavelmente não voltaria tão cedo.

A menina desceu as escadas enquanto encaixava o laço em seu rabo de cavalo. Ela puxou uma cadeira enquanto dirigia-se a geladeira para pegar o seu café da manhã — biscoitos recheados e leite —, Yoko começou a comer tranquilamente tentando encaixar algum plano para começar sua tão aguardada jornada.

"Vejamos, eu não tenho nenhum Pokémon comigo, mas quero muito começar uma jornada, coisa que eu vou fazer. Bem... Eu posso capturar um Pokémon na grama alta sem ter um, mesmo sendo meio arriscado..." E como nenhum outra ideia veio a sua mente, e suspirando um pouco, a garota concluiu. "É, vai ter que ser isso mesmo."

——————@@@——————

Yoko puxou a saia para baixo depois de arrumar a jaqueta de coloração vermelha que ficava por cima de uma t-shirt negra.

Ela se dirigiu á porta com a mochila em suas costas; seu plano começaria quando ela finalmente passasse pela porta de sua casa. Yoko apertou a alça da mochila que estava em suas costas e abriu a porta, deparando-se com uma lufada de ar quente e a luz do sol em sua face.

"Ok, definitivamente aquela tempestade dos infernos não teve efeito algum." Ela sorriu e saiu saltitando pelas ruas extensas de Lumiose — após trancar a casa, é claro.

As ruas da metrópole não tinham nada fora do comum, treinadores passando pra lá e pra cá, com pokémons atrás de si, pokébolas (ocupadas ou não) no bolso e mochila nas costas, vendedores ambulantes atendendo clientes e uma fila de desafiantes para o  líder do Ginásio local, Clemont, um especialista em pokémons do tipo elétrico.

Não demorou pouco mais de alguns minutos para que a menina avistasse a grama alta e amedrontadora.

Yoko se colocou em frente á grama — que estava úmida e molhada por conta da chuva —, ela se preparou para entrar na mesma quando foi parada por uma pirralha.

Ela usava óculos fundo de garrafa, seu cabelo era castanho e estava amarrado em duas maria-chiquinhas, seus olhos eram de um verde-água muito brilhante, ela tinha bochechas gordinhas, seus dentes da frente eram maiores do que os outros e ela tinha dois dentes de baixo arrancados, ela estava trajando um macacão azul — coisa que a deixava mais fofa ainda —, e por dentro do macacão ela trajava uma blusa vermelha que tinha um pequeno Tepig na frente, seus pés estavam calçados com tênis vermelhos e um pouco surrados.

— Moça, voxê tem um Pokémon fe acompanhando, pra enfrar na grama alfa? — Os dentes arrancados dificultavam um pouco a fala da menininha, mas a garota podia entende-la perfeitamente, e por conta da pergunta ela estremeceu um pouco.

Uh... Ah... S-s-sim, é claro! — A garotinha, por sua vez apenas deu de ombros e saiu de seu caminho; ela suspirou aliviada e começou a entrar na grama.

Passados aproximadamente 4 minutos andando pra lá e pra cá, um gigantesco Scizor shiny pulou da mesma surpreendendo a garota em um ponto no qual ela só pode cair para trás.

O Scizor rugiu o seu próprio nome, se preparando para atacar, e Yoko apenas fechou os olhos e aceitou sua morte lenta e dolorosa.

Lurry, use Jump Kick!

A menina abriu os olhos rapidamente e se deparou com um sapo verde, saltando e chutando o rosto do Scizor, que cambaleou para o lado.

Seu treinador era um garoto de aproximadamente dezoito ou dezenove anos alto, ele tinha cabelos castanhos em um topete jogado para o lado e olhos negros como dois buracos. Ele usava um moletom púrpura e calças negras com detalhes de amarelo um pouco abaixo da região do joelho, o garoto também tinha uma boina amarela com detalhes negros de ambos os lados em sua cabeça.

Ele estava comandando o seu Politoed, nomeado por "Lurry" contra o Scizor, e não passados muitos segundos o pokémon usou um ataque com as pinças para jogar o Politoed para longe de si e saiu voando pra longe olhando para a menina com uma expressão que ela não pode identificar.

O pokémon sapo se levantou e balançou a cabeça, dirigiu-se a menina e ajudou-a a levantar-se (mesmo com o seu tamanho comparado a mesma), e logo após, ele pulou para o ombro do jovem.

— É bem raro encontrar um Scizor aqui, ainda mais um shiny, mas... você é idiota, garota?! — O menino gritou um pouco alto fazendo Yoko se encolher, amedrontada  — Você lutou contra um Scizor shiny foda sem um Pokémon?

— Uh... sim? — A garota rebateu enquanto o menino sorriu levemente e arrumou a boina que escondia seus cabelos, Yoko abafou uma risada ao ver que o Politoed escalava a cabeça do menino.

— Meu nome é Yoko Bellshoff, eu tenho dezesseis anos e moro aqui em Lumiose. — O garoto encarou-a — Aliás, você é muito bom batalhando, você é um treinador?

Quase isso, eu comecei minha jornada ontem mesmo. — Yoko levantou as sobrancelhas fazendo um perfeito "O" com a boca — Sou Ricky Nyckles, tenho dezoito anos e morava em Santalune antes de começar minha jornada —  Yoko encarou Ricky e sorriu largo — Estou hospedado em um hotel aqui. — O menino falou enquanto puxava a manga do moletom, expondo seu relógio de pulso — Este aqui é o Lurry, meu Politoed, e meu primeiro pokémon — O garoto ergueu o braço, sinalizando o pequeno sapo.

Ricky olhou para o relógio preso ao seu pulso e espantou-se um pouco.

Eita, olha a hora! — Ele puxou o moletom para baixo enquanto o Lurry descia do braço do treinador — Foi bom te conhecer Yoko, mas agora eu tenho que ir pro hotel pra começar a minha jornada de verdade. — Ricky deu as costas para a garota e começou a andar enquanto o Politoed descia de seu braço e o seguia.

Yoko colocou as mãos no peito e suspirou trêmula, ela quase havia morrido para um Scizor fodão á 2 minutos atrás.

"Acho que chega por hoje", Yoko deu as costas para o matagal e voltou para a cidade, saltitando novamente.

——————@@@——————

A garota bebericava tranquilamente um café em uma cafeteria próxima ao ginásio da cidade havia aparecido, ela levantou-se e andou até o balcão, com o dinheiro em mãos, ela pagou a balconista, pegou o troco e saiu da cafeteria.

Olhou de relance para o relógio da cafeteria e já eram 3 horas da tarde; Yoko andou até um beco vazio para descansar um pouco e tomar um ar, porém ela se escondeu atrás das lixeiras quando ouviu uma voz adolescente gritando com alguém ou algo.

Ela tapou a boca e o nariz com as mãos de modo que sua respiração ficasse abafada e espiou um pouco.

— Bah, sua coisa inútil, não consegue ao menos lutar direito... — Um adolescente com aproximadamente 13 anos, com cabelos loiros e olhos azuis chutava repetidamente um Gible, que aparentemente era seu, na parede xingando-o de inútil enquanto o pokémon gemia de dor.

O sangue subiu pela cabeça de Yoko e a única coisa que veio a sua mente foi andar até o garoto e lhe empurrar de perto do Gible.

O que diabos você pensa que tá fazendo?! — A menina gritou com o pirralho enquanto respirava pesadamente por conta da raiva.

— O que VOCÊ acha que está fazendo?! Eu sou o cara mais rico dessa cidade e estou castigando esse Gible por ser um inútil de merda!

Yoko chutou o menino para fora do beco enquanto dois policiais observavam a cena.

O menino ergueu um punho e disparou em direção á garota, porém não conseguiu ir muito longe quando os homens agarraram-no pelos braços e o arrastaram para a delegacia, enquanto alguém telefonava para os pais do garoto — que deveriam ser conhecidos.

O menino gritava, esperneava e xingava com os policiais e as pessoas que olhavam aterrorizadas a cena.

A menina ia se virar para levar o Pokémon para o centro de modo que pudesse curá-lo e soltá-lo, mas não se deu ao luxo de virar-se e sentiu algo molhado em seu rosto.

O Gible estava em seu ombro, lambendo-a na bochecha.

Yoko fez uma careta de desgosto enquanto afastava o Pokémon, que agora mordia sua mão, ela aproveitou e limpou a baba que havia ficado em sua bochecha esquerda. Ela pegou o Gible nas mãos e colocou-o na sua frente.

— Olá, Dakan!

E então ela se pôs a andar, enquanto o seu novo Pokémon lambia sua cara e as pessoas olhavam-na na rua.[/center]


Última edição por Ceci em Dom 12 Mar 2017 - 12:59, editado 21 vez(es)
avatar
Ceci
Membro
Membro

Feminino Idade : 12
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/12/2016

Frase pessoal : Super fantástico, amigo.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Ceci em Dom 5 Mar 2017 - 0:30

Pokémon: The Nightfall
Olá, novamente!
Vim vos trazer o primeiro capítulo da minha primeira fanfic (sou nova nessa área ainda), se alguém está acompanhando-a, desculpem-me pelos erros ortográficos e pela péssima narração de batalha, além disso, muito obrigada por acompanhar a fanfiction.
Tenham uma boa leitura!


#OO1 — Um "pequeno" imprevisto.

Yoko resmungou e tapou os ouvidos quando ouviu um barulho estridente e esganiçado, abriu seus olhos e se deparou com uma figura rechonchuda com a cara pregada na janela.

Dakan a acordou no meio da manhã berrando e arranhando a janela fazendo um barulho horrível, a garota agarrou-o e pensou que fosse apenas mais um surto, escovou os dentes, fez suas necessidades matinais enquanto o Pokémon se esgoelava como um louco. Desceu as escadas com uma torrada cheia de geleia recém saída da torradeira e ligou a televisão.

Mudou os canais até sentir-se satisfeita com o noticiários que passava mais ou menos as 5:00 da manhã. A mulher esbelta e de expressão adulta da televisão anunciava, ela tinha cabelos loiros e curtos muito bem hidratados, as pontas eram levemente mais escuras que os outros fios e eram repicados até o pescoço, quase chegando no ombro, ela tinha também um par de olhos azuis turquesa e trajava um grosso casaco de lã de Mareeps e vestia uma blusa rosa extravagante, era facilmente percebível que ela tinha  um quilo de maquiagem no rosto. A jornalista falava rapidamente algo com uma expressão aflita, como se a qualquer momento algo terrível pudesse acontecer.

"Hoje de madrugada, aproximadamente às 2:00, um enxame de Hawlucha's selvagens aparentemente atacaram a cidade de Lumiose, na região de Kalos, segundo os moradores da região, os Pokémons mascarados estão em grande concentração por toda a parte da cidade, estragando mercadorias, quebrando lojas e machucando os morados da cidade local. Clemont, o líder Gym da cidade está trabalhando em mantê-los para fora da grande metrópole junto com treinadores experientes e outros líderes Gym da região, eles se desculparam pelo ocorrido e recomendam que a cidade seja evacuada imediatamente enquanto eles resolvem o imprevisto..."

O maxilar da menina não alcançava o chão porque não era possível, agarrou Dakan e o enfiou entre seus braços enquanto enfiava seus pertences na grande mochila e colocava-a desajeitadamente nas suas costas, e se despedia mentalmente de sua casa, já que não voltaria tão cedo pra mesma.

Trancou a porta de sua moradia e sentiu muita poeira em sua face, virou a cara pro lado e cuspiu um bolo de terra. Um grupo de Hawlucha's socavam a terra repetidamente enquanto outro grupo batia os braços com penas turquesas no ar, de modo que a terra se espalhasse e formasse um terrível tornado cheio de pedregulhos e poeira.

Pediu para seu Pokémon fechar os olhos, embora ele não entendesse nada, colocou a mão sob os olhos e começou a correr desesperada, atravessou a grama alta, ignorando Pokémons selvagens que tentavam pular sob si, olhou para trás, vendo a cidade em um estado deplorável, vendedores e pessoas correndo desesperadas, mães com crianças no colo e malas cheias de coisas correndo para o metrô da metrópole.

Desejou boa sorte mentalmente para os líderes de ginásio e treinadores especializados, porque eles definitivamente precisariam.

Estava avoada em pensamentos quando se deu conta de 4 Hawlucha's voando em disparada, diretamente para seu rosto, apertou ainda mais Dakan, que arregalou os olhos.

Yoko deu meia volta e antes que sua mente mandasse suas pernas agirem, elas já estavam levando-na mais densamente na rota. Esgueirou-se por trás de uma árvore enquanto tapava a boca de Dakan que teimava em gritar.

Por favor, fica quieto — A menina sussurrou para o Pokémon que pareceu entender o recado e relaxou os músculos que estavam tensionados.

O silêncio era o que predominava naquele lugar, os passos e batidas de asas que os Hawlucha's davam eram as únicas coisas que davam pra ouvir.

A garota espiou pela árvore e viu uma cabeleira negra atrás de uma moita, franziu o cenho e ergueu uma sobrancelha, perguntando-se quem ou o que era louco a ponto de ficar atrás de moita com 4 Hawlucha's em sua frente.

Yoko julgou que quem estivesse ali estaria provavelmente se escondendo ou espiando algo.

Puta que p-!

A menina ia voltar a ficar de costas pra árvore novamente quando um baque surdo de algo se esborrachando no chão foi ouvido, ela se virou como uma águia para um garoto que estava caído no chão, assim como os Hawlucha's.

O menino se sentou rapidamente e abanou as roupas que usava.

O garoto tinha aproximadamente a sua idade, tinhas madeixas negras como ébano e um pouco bagunçadas, sua pele era branca e ele tinha olhos amendoados. Trajava uma blusa branca de manga longa debaixo do colete negro com as bordas avermelhadas e com uma calça também negra listrada e um converse vans acinzentado.

Os Hawlucha's entraram em posição de luta e estavam prontos para fazer picadinho do menino descuidado.

Yoko afrouxou o aperto em Dakan e o mesmo não pensou duas vezes para escapar de seus braços e entrar na frente do garoto; a menina bufou e disfarçou o semblante de terror.

Agora ela seria obrigada a lutar, se quisesse salvar a vida daquele garoto. Olhou de relance para o mesmo, que estava com as maçãs do rosto vermelhas de vergonha.

— Ok, Dakan, você consegue fazer isso. — O pequeno tubarão rebateu com um aceno afirmativo com a cabeça. — Então comece a correr pra cima do da esquerda!

O Pokémon começou a correr em direção ao Hawlucha da esquerda, enquanto  o mesmo preparava os punhos pronto para dar um Karate Chop. O Pokémon ergueu o punho e começou a desce-lo para que pudesse atingir em cheio o Gible.

Pule e use Tackle contra ele!

O tubarão pulou em uma altura considerável e conseguiu desviar do golpe certeiro que levaria, seu corpo rechonchudo saiu em disparate ao Hawlucha, o pássaro lutador voou alguns centímetros longe e levantou, raivoso. Voou até uma altura considerável e preparou suas pernas prontas para chutar o pequeno Gible com um Hi Jump Kick.

— Draco Meteor, agora!

O Pokémon escancarou a boca enquanto uma esfera alaranjada se formava, o Hawlucha descia como um míssil em direção ao tubarão — Dispare! — E por apenas três centímetros de distância do Gible, o pássaro caiu desmaiado no chão depois de receber um Draco Meteor na cara.

— Você realmente acha que eu vou ficar fora disso menina? — Sua cabeça se virou automaticamente para o garoto de cabelos negros que sorria orgulhosamente e apoiava-se nos joelhos, de modo que pudesse ficar em pé — Destrua-os, Korald.

Um cão negro e de aspecto raivoso surgiu detrás do garoto, rosnando para os Hawlucha's.

— Qual o seu nome garota? — O menino virou-se para Yoko, esperando alguma resposta.

— Yoko Bellshoff, dezesseis anos, acabei de começar minha jornada e você? — Yoko se concentrou na batalha que ocorria a sua frente.

— Matthew Owind, vocÊ pode me chamar de Matt mesmo, eu tenho dezessete anos, cheguei aqui ontem de metrô com o Korald, meu Houndor, sou originário de Unova, vim de Driftveil City — O moreno rebateu, sorrindo levemente — Me desculpe por chamar a atenção deles, Korald quis vê-los e subiu nas minhas costas, eu me desequilibrei e caí.

— Tudo bem, Dakan comece usando Dragon Pulse no do meio.

— Korald, mantenha o da direita e da esquerda ocupados, Flamethrower no da direita e Tackle no da esquerda.

O tubarão avançou no aparente líder do bando enquanto abria a boca e uma esfera verde água se formava e era lançada no do meio, que planejava usar um Fly. O cão negro abriu a boca enquanto uma rajada de fogo saia da mesma, o pássaro da esquerda gritou o próprio nome enquanto caía duro no chão, o canídeo virou-se para o último que restou além do outro e avançou em sua direção, derrubando-o no chão.

— Use Smog nele e depois Ember!

O Houndour abriu a boca enquanto uma fumaça oliva saía de sua boca, o Hawlucha pareceu se sufocar por breves segundos, e não se deu ao luxo de respirar antes de ser explodido pelo Ember usado que causou uma explosão em contato com a fumaça tóxica.

— Já acabei aqui, agora é com você.

Yoko afirmou com a cabeça enquanto dirigia o olhar para seu Pokémon.

— Dakan, suba nas costas de Korald e pule na frente do Hawlucha, e depois use Tackle.

O Gible colocou as patinhas gordinhas nas costas do Houndour enquanto pulava atrás do pássaro lutador e voava como um míssil em sua direção, acertou-o em cheio e o derrubou para o chão, o Pokémon mascarado saiu sendo arrastado pela terra e quando a poeira se dissipou, o Hawlucha desmaiou, derrotado.

Yoko se virou para Matthew, histérica por ter conseguido vencer — com ajuda, mas conseguira — ambos trocaram um aperto de mãos e um high-five.

— Yoko, você quer ir comigo? — A menina o olhou confusa enquanto amarrava o cadarço dos tênis e Dakan montava em Korald — D-digo, em uma jornada sabe? Pegar  Pokémons, vencer líderes de ginásio, evoluir seus Pokémons. Meu tio tem duas pokédex guardadas, eu posso pedir pra ele enviar pelo correio por telefone e...

— Claro! — A menina não deu o luxo de Matthew acabar de falar e saiu, o puxando mais densamente na rota, enquanto ambos sorriam abertamente.

Acontecimentos do capítulo:

— Matthew Owind introduzido na fanfiction, assim como suas informações.
— Matthew e Yoko ganharam sua primeira batalha Pokémon como um time.
— Yoko e Matthew seguirão a jornada juntos.
— Lumiose foi infestada por um bando de Hawluchas selvagens e os moradores evacuaram ela, enquanto treinadores e líderes de ginásio trabalham nisso.
avatar
Ceci
Membro
Membro

Feminino Idade : 12
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/12/2016

Frase pessoal : Super fantástico, amigo.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Slow em Dom 5 Mar 2017 - 19:57

Oi, Ceci c:

Desculpe não ter lido antes, uma mistura de prioridades e preguiça me afastaram um pouco das fanfics, mas resolvi começar a ler a sua enquanto volto devagar para isso (de novo).

É sério que vc tem 11 anos? Meu irmão de 11 mal sabe quando usar s, c ou ss e você ainda escreve melhor q bastante adulto. Não que idade seja documento (na vdd é, mas vc entendeu -q), mas não tem muitas pessoas de 11 que escrevem tão bem. E ainda disse que é nova na área, mas já está na frente de vários escritores mais experientes, em escrita e estória tbm. Msm q eu n seja um renomado escritor da literatura mundial, em minha humilde opinião vc tem futuro se quiser :v

Chamando atenção para alguns pontos, não muito graves, mas que precisam de uma atençãozinha:

Sinopse escreveu:E após ser atacada por um Scizor shiny misterioso, e salva por Ricky e seu Politoed, Yoko por fim, conseguiu seu primeiro pokémon. Após presenciar um menino maltratando de um Gible — e fugindo logo após — ela resolveu pegá-lo; seu amor por pókemons aumentou consideravelmente; porém sua cidade foi atacada por um enxame de Hawlucha's, ela foge e é seguida por 4 deles, e tendo de lutar por eles por causa de seu companheiro de viagem, Matthew Owind, e então, ela finalmente decidiu partir em uma jornada.

Achei essa parte meio desnecessária na sinopse. O ideal é falar um pouco sobre a história e/ou personagem, planos deles para o futuro, uma pequena introdução para o prólogo / capítulo, etc, creio que já saiba disso pq foi o que fez. Só que essa parte não foi bem uma introdução, e sim parte do desenvolvimento do prólogo e do primeiro capítulo.

sei lá quem escreveu:— Uh... sim? — O menino sorriu levemente e arrumou a boina, enquanto seu Politoed escalava sua cabeça. 

Essa foi a única parte da escrita que me causou confusão. Quem disse isso? Ficou entre uma fala do menino e uma da Yoko, sendo que pela lógica da ordem era a vez dela falar, porém a "descrição" da fala foi voltada para ele sem nenhuma citação para ela, que falou algo logo em seguida e... buguei.

Um erro que cometeu algumas vezes foi sobre o "a ou há". Quando se referimos ao passado (ex: há muito os dinossauros foram extintos) usasse o "há". É um erro bem pequeno, mas como a vi repetindo algumas vezes resolvi chamar a atenção para ele.

O histórico da Yoko é bem triste, ela acabou passando por várias desgraças na vida familiar, mas ainda consegue manter o ânimo para sair em jornada, isso é ótimo pra ela. Queria dizer que eu amo Gible, meu Pokémon preferido é Garchomp e sua linhagem, e a forma como vc descreve as ações dele deixam-o super fofo :3 . Eu achei um pouquinho estranho como Yoko conseguiu ele, esperava um clichezão do tipo "ela deixou ele em tal lugar, mas quando virou as costas e saiu, Gible ficou tristonho e correu atrás de Yoko para segui-la". Porém, ela praticamente roubou o Pokémon do cara hasuhauhshuas. Se bem que provavelmente o IBAMA pegaria ele, então tanto faz -q.

Eu pretendo continuar lendo, msm que o combo preguiça + prioridades acabe me atrapalhando novamente. Então, até o/
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Rush em Seg 6 Mar 2017 - 22:16

Olá, Ceci. Antes de tudo, faz muito tempo que não leio nenhuma fanfiction daqui. Então é, meu comentário pode sair um pouco enferrujado.

Okay, a sua intenção de criar um clichê me chamou atenção, mas convenhamos, mesmo que a história tenha elementos no background como clichês - Líderes de ginásio, pokémons iniciais, crianças se aventurando pelo mundo -, não é o gênero da sua fic, não? Yoko não é uma criança que conseguiu seu inicial no laboratório do professor, muito menos conseguiu um inicial como primeiro Pokémon. Isso não é uma coisa ruim, só digo que sua criatividade é maior que um simples clichê.

Para a sua idade, você escreve muito bem. Adorei o nome de todos os personagens e adorei mais ainda o fato de todo Pokémon possuir um nome. Isso é meio óbvio, mas numa história realista, você não chamaria seu cachorro de cachorro, não é mesmo? Só pelo fato dos três Pokémons adestrados terem apelidos, você já ganhou pontos comigo.

Okay, você tem os personagens, a história e a habilidade na escrita. Sugiro apenas que você trabalhe na narrativa e no "background" futuro que você vai desenrolar. Como assim, Rush? Veja, eu acho que mesmo a história sendo interessante, você está indo um pouco... Rápido demais, numa forma que poderia ter sido bem mais explorada. O relacionamento entre Dakan e Yoko é um exemplo disso. Pela falta de detalhes, deu a entender que Yoko simplesmente roubou Dakan e ele a ama por causa disso, sem ao menos suspeitar dela poder maltratá-lo também. Seria muito interessante uma conquista na confiança do Gible, e sugiro que você trabalhe isso, já que estás no segundo capítulo e tens oportunidade de consertar.

Não só a relação entre Dakan e Yoko, mas a de Yoko e Matt também foi bem corrida. Eles tiveram apenas uma conversa e uma pareceria contra os Hawluchas e já pareceram virar best-friends. Sei que o termo "Jornada Clichê" tem muito disso - o anime é a prova viva -, mas um realismo é algo muito interessante de explorar, então eu sugiro que faça isso.

Por exemplo, Dakan é um Pokémon fraco, certo? Por isso era judiado por seu antigo treinador. Ele deveria ser mais fechado e confiar pouco nas pessoas, mesmo que elas tenham o ajudado. E bem, por ele ser fraco, acho que não faz sentido ele saber usar movimentos como Draco Meteor e Dragon Pulse. Tenha um pouco de paciência, explore a fraqueza dele sendo substituída por sua força que cresce junto com o vínculo de amizade com Yoko.

Trabalhe um pouco mais nisso que sua Fan Fic ficará 10/10. Caso queira treinar mais esse aspecto, leia outras Fan Fics que exploram exatamente isso. The Adventures of a Gym Leader (O protagonista começa a jornada com um Cleffa), do Black, Ryuzaki Adventures, do CalrosHenrique (Protagonista começa com um Magikarp), e Pokémon Project Re:Type (Protagonista começa com um Totodile desobediente e luta para aumentar seu vínculo de amizade com o Pokémon.)

(Até recomendaria a minha Fan Fic, As Crônicas de um Gyarados Voador, onde eu tento explorar bastante o realismo e amizades durante a jornada, mas além de não gostar de promover meus projetos como se fossem um anúncio chato no Youtube, é uma fic que eu não pretendo voltar a continuar e ter MUITOS capítulos LONGOS - E estar fazendo outra que se passa no futuro, então não existe um motivo para trabalhar nela.)


Mas é isso. Gostei bastante da protagonista, embora ela não tenha se destacado muito ainda. Gostei da sprite dela e de seu passado merda após merda, sem que abale sua positividade. Achei algo muito legal que me interessou em vê-la mais vezes em sua jornada.

É isso. Aguardo o próximo capítulo ansiosamente.

Té mais.
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Ceci em Seg 6 Mar 2017 - 23:47

Pokémon: The Nightfall

Hey, de novo! Vim com mais um capítulo pra vocês, nos já estamos no segundo capítulo da fanfic!

Antes de mais nada, os comentários.

Comentários:

@Slow escreveu:Oi, Ceci c:

Desculpe não ter lido antes, uma mistura de prioridades e preguiça me afastaram um pouco das fanfics, mas resolvi começar a ler a sua enquanto volto devagar para isso (de novo).

É sério que vc tem 11 anos? Meu irmão de 11 mal sabe quando usar s, c ou ss e você ainda escreve melhor q bastante adulto. Não que idade seja documento (na vdd é, mas vc entendeu -q), mas não tem muitas pessoas de 11 que escrevem tão bem. E ainda disse que é nova na área, mas já está na frente de vários escritores mais experientes, em escrita e estória tbm. Msm q eu n seja um renomado escritor da literatura mundial, em minha humilde opinião vc tem futuro se quiser :v

Chamando atenção para alguns pontos, não muito graves, mas que precisam de uma atençãozinha:

Sinopse escreveu:E após ser atacada por um Scizor shiny misterioso, e salva por Ricky e seu Politoed, Yoko por fim, conseguiu seu primeiro pokémon. Após presenciar um menino maltratando de um Gible — e fugindo logo após — ela resolveu pegá-lo; seu amor por pókemons aumentou consideravelmente; porém sua cidade foi atacada por um enxame de Hawlucha's, ela foge e é seguida por 4 deles, e tendo de lutar por eles por causa de seu companheiro de viagem, Matthew Owind, e então, ela finalmente decidiu partir em uma jornada.

Achei essa parte meio desnecessária na sinopse. O ideal é falar um pouco sobre a história e/ou personagem, planos deles para o futuro, uma pequena introdução para o prólogo / capítulo, etc, creio que já saiba disso pq foi o que fez. Só que essa parte não foi bem uma introdução, e sim parte do desenvolvimento do prólogo e do primeiro capítulo.

sei lá quem escreveu:— Uh... sim? — O menino sorriu levemente e arrumou a boina, enquanto seu Politoed escalava sua cabeça. 

Essa foi a única parte da escrita que me causou confusão. Quem disse isso? Ficou entre uma fala do menino e uma da Yoko, sendo que pela lógica da ordem era a vez dela falar, porém a "descrição" da fala foi voltada para ele sem nenhuma citação para ela, que falou algo logo em seguida e... buguei.

Um erro que cometeu algumas vezes foi sobre o "a ou há". Quando se referimos ao passado (ex: há muito os dinossauros foram extintos) usasse o "há". É um erro bem pequeno, mas como a vi repetindo algumas vezes resolvi chamar a atenção para ele.

O histórico da Yoko é bem triste, ela acabou passando por várias desgraças na vida familiar, mas ainda consegue manter o ânimo para sair em jornada, isso é ótimo pra ela. Queria dizer que eu amo Gible, meu Pokémon preferido é Garchomp e sua linhagem, e a forma como vc descreve as ações dele deixam-o super fofo :3 . Eu achei um pouquinho estranho como Yoko conseguiu ele, esperava um clichezão do tipo "ela deixou ele em tal lugar, mas quando virou as costas e saiu, Gible ficou tristonho e correu atrás de Yoko para segui-la". Porém, ela praticamente roubou o Pokémon do cara hasuhauhshuas. Se bem que provavelmente o IBAMA pegaria ele, então tanto faz -q.

Eu pretendo continuar lendo, msm que o combo preguiça + prioridades acabe me atrapalhando novamente. Então, até o/

Hey Slow \o

Antes de mais nada, muito obrigada por tirar um pouco do seu tempo pra ler a minha fanfic  Smile  

Sobre a minha idade eu entendo seu ponto de vista kekeke, não precisa se preocupar sobre isso, eu não me importo muito com isso Wink. Eu realmente aprecio muito as suas fanfics e seu modo de escrita, inclusive eu acompanho suas fanfics até hoje (não terminei de ler algumas ainda lol).

Suas criticas construtivas realmente me ajudaram muito, e espero que você e outros leitores continuem fazendo o mesmo - eu não costumo revisar muito os capítulos, por aí você já imagina o desastre se você não apontasse esses erros hehehe. Agora sobre os "há" e "a", eu cometo muito esse erro, vou tentar melhorar isso Laughing

A vida da Yoko foi realmente muito ruim, mas ela continuo a menina energética de sempre, eu até pensei em fazer um personagem frio e fechado, mas achei que seria vazio e sem personalidade, então a protagonista ficou assim. Então, eu até pensei em fazer ela conseguir o Gible de outra maneira, mas não seria lógico, já que ela faria de tudo pra ter um Pokémon, e na primeira oportunidade pegar um; achei que daria um pouco de humor na fanfic com ela catando o Pokémon do cara xD.

Eu realmente pensei muito sobre a personalidade do Gible, e acabei deixando ele brincalhão e energético mesmo, enquanto o Houndour do Matthew é mais quietão e na dele. Também gosto muito do Gible, ele e as evoluções dele me agradam muito, principalmente o Garchomp, achei que seria interessante colocar ele como inicial da Yoko, o Houndour também é um Pokémon muito incrível na minha opinião, por mais que ele seja retratado como um cachorro maligno, achei que seria legal colocar ele como alguém benigno e tal Laughing  

De qualquer forma, muitíssimo obrigada pelo comentário, ele me rendeu boas risadas  e eu fiquei muito feliz com ele.

Espero que tu tire tempo para continuar acompanhando-a mustache

@Rush escreveu:Olá, Ceci. Antes de tudo, faz muito tempo que não leio nenhuma fanfiction daqui. Então é, meu comentário pode sair um pouco enferrujado.

Okay, a sua intenção de criar um clichê me chamou atenção, mas convenhamos, mesmo que a história tenha elementos no background como clichês - Líderes de ginásio, pokémons iniciais, crianças se aventurando pelo mundo -, não é o gênero da sua fic, não? Yoko não é uma criança que conseguiu seu inicial no laboratório do professor, muito menos conseguiu um inicial como primeiro Pokémon. Isso não é uma coisa ruim, só digo que sua criatividade é maior que um simples clichê.

Para a sua idade, você escreve muito bem. Adorei o nome de todos os personagens e adorei mais ainda o fato de todo Pokémon possuir um nome. Isso é meio óbvio, mas numa história realista, você não chamaria seu cachorro de cachorro, não é mesmo? Só pelo fato dos três Pokémons adestrados terem apelidos, você já ganhou pontos comigo.

Okay, você tem os personagens, a história e a habilidade na escrita. Sugiro apenas que você trabalhe na narrativa e no "background" futuro que você vai desenrolar. Como assim, Rush? Veja, eu acho que mesmo a história sendo interessante, você está indo um pouco... Rápido demais, numa forma que poderia ter sido bem mais explorada. O relacionamento entre Dakan e Yoko é um exemplo disso. Pela falta de detalhes, deu a entender que Yoko simplesmente roubou Dakan e ele a ama por causa disso, sem ao menos suspeitar dela poder maltratá-lo também. Seria muito interessante uma conquista na confiança do Gible, e sugiro que você trabalhe isso, já que estás no segundo capítulo e tens oportunidade de consertar.

Não só a relação entre Dakan e Yoko, mas a de Yoko e Matt também foi bem corrida. Eles tiveram apenas uma conversa e uma pareceria contra os Hawluchas e já pareceram virar best-friends. Sei que o termo "Jornada Clichê" tem muito disso - o anime é a prova viva -, mas um realismo é algo muito interessante de explorar, então eu sugiro que faça isso.

Por exemplo, Dakan é um Pokémon fraco, certo? Por isso era judiado por seu antigo treinador. Ele deveria ser mais fechado e confiar pouco nas pessoas, mesmo que elas tenham o ajudado. E bem, por ele ser fraco, acho que não faz sentido ele saber usar movimentos como Draco Meteor e Dragon Pulse. Tenha um pouco de paciência, explore a fraqueza dele sendo substituída por sua força que cresce junto com o vínculo de amizade com Yoko.

Trabalhe um pouco mais nisso que sua Fan Fic ficará 10/10. Caso queira treinar mais esse aspecto, leia outras Fan Fics que exploram exatamente isso. The Adventures of a Gym Leader (O protagonista começa a jornada com um Cleffa), do Black, Ryuzaki Adventures, do CalrosHenrique (Protagonista começa com um Magikarp), e Pokémon Project Re:Type (Protagonista começa com um Totodile desobediente e luta para aumentar seu vínculo de amizade com o Pokémon.)

(Até recomendaria a minha Fan Fic, As Crônicas de um Gyarados Voador, onde eu tento explorar bastante o realismo e amizades durante a jornada, mas além de não gostar de promover meus projetos como se fossem um anúncio chato no Youtube, é uma fic que eu não pretendo voltar a continuar e ter MUITOS capítulos LONGOS - E estar fazendo outra que se passa no futuro, então não existe um motivo para trabalhar nela.)


Mas é isso. Gostei bastante da protagonista, embora ela não tenha se destacado muito ainda. Gostei da sprite dela e de seu passado merda após merda, sem que abale sua positividade. Achei algo muito legal que me interessou em vê-la mais vezes em sua jornada.

É isso. Aguardo o próximo capítulo ansiosamente.

Té mais.

Hey Rush \o

Sobre o clichê, eu não quis famigerar a fanfic e nem nada, só avisei que talvez tivesse sim, alguns clichês durante o decorrer - coisa que eu pensei que teria demasiado, mas a minha criatividade aparece como um passe de mágica -, mas de qualquer modo, obrigada pelos elogios, você não imagina o quão feliz eu fico feliz por estar agradando tanto assim os leitores Very Happy

Eu penso exatamente assim com apelidos nos Pokémons, eu tentei o máximo criar apelidos legais para eles, mesmo não sendo totalmente criativa com nome e tal, pra mim apelidos nos Pokémons ajudam bem mais no carisma que eles vão possuir Smile

Realmente, quando revistei os capítulos e o prólogo, eu fiquei um pouco incomodada com isso, muito obrigada por apontar esse facto, irei tentar detalhar a história e relacionamento do Dakan com a Yoko a partir de agora. Sobre o relacionamento da Yoko com o Matthew, ela não será rosas e flores, eles vão brigar muito ainda, acho que a relação entre eles vai ser mais engraçada do que amizade felizinha xD

Sobre as fanfic que você citou, eu já li maioria delas, inclusive as suas, mas obrigada pela dica, irei conferir as fanfics que você falou Very Happy

Fico feliz que tenha gostado da Yoko, ela teve um passado bem bosta mesmo, mas continua sendo positiva, eu faria um personagem frio e fechado, mas seria muito vazio e sem carisma, então preferi fazer um personagem assim, fico muito feliz que tu tenha gostado!

De qualquer forma, obrigada pelo comentário, pelas críticas construtivas e por acompanhar a fanfic!  mustache

De qualquer modo, me desculpem pelo tamanho do capítulo e pelos erros gramaticais. Confesso que estou muito animada com a fanfic e o desenrolar dela á cada capítulo, então me descupe os posts exagerados, espero que não esteja enchendo o saco de vocês :B

Eu pessoalmente achei esse capítulo bem engraçado no início, espero que riam com ele ou pelo menos soltem uns sorrisinhos Very Happy

Sem mais delongas, vamos para o capítulo.

Boa leitura! study




#OO2 — Desconfiança

Yoko! — Matthew sussurrou, quase gritando. O menino estava prestes a explodir de frustração.

— Matthew, fica frio, não vai acontecer nada. — A garota rebateu em um sussurro enquanto preparava a Pokébola para ser lançada contra o pequeno aracnídeo verde e fofinho.

Sua mula! Por culpa sua a gente está preso nessa mata á 2 horas! Duas fucking horas!

Pelo menos não sou eu que caio como um bocó na frente de quatro Hawlucha's porque o Pokémon queria vê-los!

Os treinadores gritavam enquanto o Spinarak aproveitava a brecha e corria, com seu corpo pequeno balançado enquanto as suas oito patinhas tocava com pressa o chão. Dakan observava tudo, sério, do lado de Korald, que se lambia todo.

Idiota! Por sua culpa meu Pokémon foi embora! — A menina berrava enquanto esperneava como uma criança, Matthew agarrou-a pela gola da camiseta e começou a arrastá-la por qualquer direção.

— Tá, tá, vamos sair dessa geringonça logo. — O moreno falou sem muito interesse de prolongar uma briga com a menina de novo.

— Como se você achar a saída em um piscar de olhos e-

— Yoko? — Matthew puxou a menina que estava dura como uma estátua e com a boca aberta.

A unica coisa que se ouvia agora era o barulho de asas de inseto e pinças estalando. O garoto se virou para onde Yoko estava olhando.

Era um Scizor shiny de tamanho normal, mas o Pokémon era gigante ao seu ver.

E de repente um menino de aparentes dezoito anos submergiu detrás da grande carapaça dura do Scizor, gritando com intuito de fazer sua voz ser ouvida com o barulho alto das asas do inseto.

Pitombas Rysinar, cale-se por um momento! — O garoto gritou com o grande Pokémon, que revirou os olhos e pousou no chão, o Scizor balançou a cabeça e seu treinador caiu dela.

O menino rosnou para o Pokémon, que o ignorou, o garoto ajeitava suas roupas e tentava tirar a terra delas. Ele tinha um cabelo espetado e caramelo, aparentemente com um quilo de gel em cada mecha, seus olhos eram de um verde escuro, suas sobrancelhas eram castanhas e grossas até demais, ele vestia uma camiseta branca, que estava suja pelo recente tombo, uma jaqueta verde pequena demais para o seu corpo, calças vermelhas, com uma listra verde oliva na região das coxas acima dos joelhos, o menino também calçava um par de tênis verdes surrados e sujos de lama.

Ele jogou o cabelo duro por causa do gel para o lado e soltou um grunhido convencido.

— Sou Tyler Dereus, tenho dezoito anos e sintam-se honrados de estarem em minha incrível e perfeita presença. — O menino disse enquanto fazia uma pose estranha ao lado do Scizor, que escondeu o rosto em suas pinças, vermelho de vergonha — Esse aqui é o Rysinar, o meu incrível e superior Pokémon!

Yoko e Matthew se viraram de costas enquanto sussurravam entre si, com uma gargalhada presa em suas gargantas.

Matthew, ele é tão estranho que chega a dar dó né?

Dó eu tenho do Scizor dele, viu como ele ficou vermelho de vergonha?

Eles começaram a andar, ignorando a presença do menino de roupas extravagantes.

— Ei, onde é que vocês pensam que vão?! Não podem se dar ao luxo de irem sem antes lutar e perderem do incrível Ty- — A fala do menino morreu quando o Scizor pegou-o pela blusa e o levantou no ar, enquanto o menino gritava de frustração e o grande inseto ainda estava vermelho de vergonha alheia do treinador que tinha.

E Dakan observava tudo, com os olhos arregalados e a boca escancarada, causando certa desconfiança na sua treinadora.

Ambos começaram a andar para lá e para cá no grande matagal que Yoko tinha enfiado-os sem nem perceber, enquanto o pequeno tubarão tinha o vazio em seus olhos.

Passados algumas horas de caminhada, eles finalmente depararam-se com pequenos tetos cor de fogo e ruas de pedregulhos, eles haviam finalmente encontrado uma cidade para pelo menos tomar fôlego antes de serem atacados por Pokémons selvagens e Dakan se recusar a lutar, tendo que Houndour, cuidar de tudo.

As pernas de ambos os jovens doíam e imploravam por algum descanso, eles já haviam chegado em Santalune, depois de muitas brigas, os treinadores não tinham fôlego para proferir um xingamento direcionado um ao outro.

Pediram um quarto de hotel para a recepcionista com olheiras profundas, de cabelos bagunçados e tingidos de azul, porém com a raiz já danificada.

Eles subiram as escadas coma  chave em mãos, exaustos e coma s pernas doendo, Korald era o único que estava perto do treinador, enquanto o tubarão ficava mais afastado, olhando agora, com receio para a sua atual treinadora.

Yoko abriu a porta do quarto, arrumou a comida recém-comprada para os Pokémons, e depois ela e Matthew se jogaram em suas respectivas camas, dormindo como duas pedras.

Dakan mordiscava um pouco de sua comida, enquanto ficava avoado em pensamentos sobre como seria sua vida dali para a frente, enquanto o cão o olhava sugestivamente, comendo sua porção de comida e se perguntando onde havia ido parar o tubarão agitado que empolecava em suas costas de dois em dois segundos.

——————@@@——————

Yoko acordou com o sol batendo em sua face, acordou, dura e com uma dor dos infernos nas pernas, e ainda por cima, Matthew roncava como um Tepig, provavelmente de cansaço.

A menina coçou os olhos e  pegou os tênis, levando-os ao banheiro para ter o que calçar depois se tomar seu banho rápido.

Terminado sua higiene, ela dirigiu-se á cama de Matthew, para acordar o menino que roncava como um monstro. Quando ela sentiu um corpo pequeno em seus pés e tropeçou nele, caindo de cara no chão.

Virou-se e se deparou com Dakan, a encarando. Yoko pegou-o nos braços e o colocou perto de seu rosto.

— Olá.

O tubarão se remexeu e desvencilhou-se da castanha, grunhindo baixo. A menina sentou-se e encarou o Pokémon.

— O que foi?

O Pokémon revirou os olhos e bufou, desviando o olhar da treinadora.

— Você não se sente totalmente confiante perto de mim, né? — O tubarão grunhiu enquanto afirmava — Você realmente acha que se eu não fosse alguém confiável, teria deixado você lambrecar o meu rosto e apoiar você na luta contra os Hawlucha's sem te abandonar e te deixar morrer?

O tubarão engoliu em seco, se sentindo um tanto culpado. Aquela confiança súbita na treinadora só ocorreu por um caso de emergência, e só agarrou-se a ela naquele dia para ser protegido. O dono tinha abandonado-o não por ser fraco, era ele que não sabia comandar um Pokémon corretamente, era tudo culpa dele. Ele era mau, ela era a treinadora ideal pra ele. Ela cuidaria dele agora, e sem maltratá-lo.

Vou acordar esse Tepig selvagem.

Yoko dirigiu-se a parede enquanto pegava velocidade, começou a correr em direção a cama de Matthew e se jogou sobre o garoto, provocando tamanho susto em tal.

Bananas! — O moreno gritou enquanto se levantava rapidamente e jogava Yoko no chão.

Sério que você tava sonhando com bananas?

E novamente mais uma briga se prolongou naquele quarto, acordando Korald, que mal humorado sentou-se do lado de Dakan, enquanto bocejava e soltava barulhos estranhos e latidos sonolentos.

E naquele dia, Dakan se permitiu a sorrir mais uma vez ao lado que quem realmente gostava, e não se arrependendo mais de ter lambido a cara da menina e se pregado nela para que ela o levasse para casa. E o Houndour ao seu lado sorriu também.

Porque agora ele era feliz mais uma vez, ao lado de seus amigos e de sua treinadora.

Acontecimentos do Capítulo:

— Tyler Dereus introduzido na fanfiction como rival de Yoko, assim como suas informações.
— Yoko ganhou a confiança de Dakan, mas isso não significa que ele não seja totalmente obediente.
— Yoko, Matthew, Dakan e Korald chegaram em Santalune.
— Tyler Dereus tem um Scizor chamado Rysinar, que não gosta muito dele.


Última edição por Ceci em Qua 8 Mar 2017 - 0:22, editado 3 vez(es)
avatar
Ceci
Membro
Membro

Feminino Idade : 12
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/12/2016

Frase pessoal : Super fantástico, amigo.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Slow em Ter 7 Mar 2017 - 14:22

Hey, voltei :v

PERA AI. Que história é essa de que você acompanha aS minhaS fanficS >até hoje< ? De vários projetos de fanfic semi-abandonados, só postei 3 fanfics e só uma delas aqui, a primeira (Os escolhidos). Sério que vc ta lendo ela? Shocked Eu me envergonho um pouco daquilo, na vdd... enfim!

Se ainda houver dificuldade em no caso dos "a", pode procurar um site com a explicação deles e deixar aberto enquanto escreve os capítulos, ai sempre que aparecer um, vc dá uma olhadinha lá para saber qual usar, até acabar se acostumando com eles. Eu faço isso com os "porquês", é o que tenho mais dificuldade nessa parte. Digitar no Word é bom também, geralmente ele mesmo te corrige, é só passar o olho no capítulo no final q vai ficar riscado em vermelho.

O capítulo dessa vez foi bem curtinho, mas muito bom. Quando Scizor chegou, eu imaginei algo do tipo "agora eles vão ter que se unir de novo pra enfrentar esse fucking Scizor ou vão correr até achar uma cidade sem querer". Ai sai uma desgraça dessas e, como o Matthew, eu fiquei com pena do coitado. O Scizor deve ter perdido sua coloração Shiny de tão vermelho que ficou. Fiquei um pouco confuso com a aparição dele agora, se a Yoko foi atacada por esse (é difícil ter 2 shiny tão perto assim, então acho que sim), se ele era selvagem no ocorrido ou se foi capturado por essa desgraça depois disso. Se fosse apostar, apostaria no último.

Aliás, Scizor é o meu tipo Bug preferido, Dark e Dragon meus types preferidos, como já mencionei antes a linha do Gible é o Pokémon preferido e Houndoom é um dos Dark preferidos (no mínimo no top 5 ele entra). Ou seja, até agora vc ta acertando o "bingo" das minhas preferências em Pokémon -q

Gostei também dessa relação de brigar o tempo todo deles. No capítulo anterior eles mal se conheceram e resolveram viajar juntos, no outro tem "sua mula" de um lado e "bocó" do outro, entre outras coisas.

Como já deve estar notando, eu estou lendo isso com um pouco de preconceito com o clichê e me surpreendendo bastante. "Ela vai acordar ele no máximo brigando verbalmente e...  affraid ". Eu ri bastante nessa parte, mais que nas outras do cap que tbm foram engraçadas. Em todos esses anos nessa indústria vital, nunca vi alguém acordar o outro amiguinho assim, mas posso considerar começar a fazê-lo com meu irmão -q.

O Rush te chamou atenção para a correria que eu também havia notado, mas nem lembro pq diabos não falei nada sobre no comentário além do roubo do Gible, mas ele fez isso muito bem, então n importa (e ainda se diz enferrujado). E ao meu ver vc contornou isso muito bem, justificando o pq ele estava tão animado antes e ficou tão para baixo depois, pq o ex-treinador o chamou de fraco e pq ela "roubou" o Gible, msm q em off na resposta ao comentário. Eu fiquei satisfeito com tudo isso, mas as vezes é bom mesmo pôr um pouco o pé no freio e desenvolver com calma esses detalhes daqui em diante para que, nas palavras do Rush, seja uma "Fan Fic 10/10" /rt. Você terá muito mais aberturas nela para explorar, tornando-a cada vez mais única, divertida e bem desenvolvida. Tens bastante criatividade (me empresta), pode abusar o quanto quiser dela que n é limitada.

Ok, acho que é isso. Até  ninja
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Ceci em Qua 8 Mar 2017 - 0:19

Pokémon: The Nightfall

Hey!

Meu deus, eu preciso parar com essa empolgação xD. Eu estou realmente muito empolgada com essa fanfic, e estou procurando melhorar com a escrita ou as relações entre os personagens (até mesmo as batalhas futuras eu estou pensando em detalhar mais), então, em um misto de empolgação e vontade de trazer um material melhor pra vocês, saí um capítulo todo o dia :9

Me desculpem se estiver muito corrido ou rápido demais, de qualquer forma :B

Antes de mais nada, os comentários.

Comentários:

@Slow escreveu:Hey, voltei :v

PERA AI. Que história é essa de que você acompanha aS minhaS fanficS >até hoje< ? De vários projetos de fanfic semi-abandonados, só postei 3 fanfics e só uma delas aqui, a primeira (Os escolhidos). Sério que vc ta lendo ela? Shocked Eu me envergonho um pouco daquilo, na vdd... enfim!

Se ainda houver dificuldade em no caso dos "a", pode procurar um site com a explicação deles e deixar aberto enquanto escreve os capítulos, ai sempre que aparecer um, vc dá uma olhadinha lá para saber qual usar, até acabar se acostumando com eles. Eu faço isso com os "porquês", é o que tenho mais dificuldade nessa parte. Digitar no Word é bom também, geralmente ele mesmo te corrige, é só passar o olho no capítulo no final q vai ficar riscado em vermelho.

O capítulo dessa vez foi bem curtinho, mas muito bom. Quando Scizor chegou, eu imaginei algo do tipo "agora eles vão ter que se unir de novo pra enfrentar esse fucking Scizor ou vão correr até achar uma cidade sem querer". Ai sai uma desgraça dessas e, como o Matthew, eu fiquei com pena do coitado. O Scizor deve ter perdido sua coloração Shiny de tão vermelho que ficou. Fiquei um pouco confuso com a aparição dele agora, se a Yoko foi atacada por esse (é difícil ter 2 shiny tão perto assim, então acho que sim), se ele era selvagem no ocorrido ou se foi capturado por essa desgraça depois disso. Se fosse apostar, apostaria no último.

Aliás, Scizor é o meu tipo Bug preferido, Dark e Dragon meus types preferidos, como já mencionei antes a linha do Gible é o Pokémon preferido e Houndoom é um dos Dark preferidos (no mínimo no top 5 ele entra). Ou seja, até agora vc ta acertando o "bingo" das minhas preferências em Pokémon -q

Gostei também dessa relação de brigar o tempo todo deles. No capítulo anterior eles mal se conheceram e resolveram viajar juntos, no outro tem "sua mula" de um lado e "bocó" do outro, entre outras coisas.

Como já deve estar notando, eu estou lendo isso com um pouco de preconceito com o clichê e me surpreendendo bastante. "Ela vai acordar ele no máximo brigando verbalmente e...  affraid ". Eu ri bastante nessa parte, mais que nas outras do cap que tbm foram engraçadas. Em todos esses anos nessa indústria vital, nunca vi alguém acordar o outro amiguinho assim, mas posso considerar começar a fazê-lo com meu irmão -q.

O Rush te chamou atenção para a correria que eu também havia notado, mas nem lembro pq diabos não falei nada sobre no comentário além do roubo do Gible, mas ele fez isso muito bem, então n importa (e ainda se diz enferrujado). E ao meu ver vc contornou isso muito bem, justificando o pq ele estava tão animado antes e ficou tão para baixo depois, pq o ex-treinador o chamou de fraco e pq ela "roubou" o Gible, msm q em off na resposta ao comentário. Eu fiquei satisfeito com tudo isso, mas as vezes é bom mesmo pôr um pouco o pé no freio e desenvolver com calma esses detalhes daqui em diante para que, nas palavras do Rush, seja uma "Fan Fic 10/10" /rt. Você terá muito mais aberturas nela para explorar, tornando-a cada vez mais única, divertida e bem desenvolvida. Tens bastante criatividade (me empresta), pode abusar o quanto quiser dela que n é limitada.

Ok, acho que é isso. Até  ninja

Hey Slow! Very Happy

Não sinta vergonha das suas fanfics! Eu acho as narrativas e as fanfics em si muito boas, de qualquer forma xD

Obrigada pela dica segundo os "a" e "há", vou pesquisar mais sobre isso e usar o World pra ver se corrige esses benditos erros ortográficos que passam totalmente despercebidos por mim lol.

O capítulo anterior foi realmente com muita pouca palavra, porque já era tarde da noite e eu queria trabalhar mais na relação entre os personagens em si, então ficou esse "Prólogo parte 2" eu diria Laughing

Aposto que quando o Scizor badass chegou, todo mundo imaginou que ia dar uma merda gigantesca, já que o Dakan não queria lutar o o Houndour não era forte o suficiente pra encarar um Scizor sozinho kekeke

Sobre o Scizor shiny ser o mesmo que atacou a Yoko, você acertou, agora o Tyler capturar um Scizor sozinho do jeito que ele é, aposto que você passou um pouco longe, mas metade das suas "teorias" estão certas Smile

Eu acho nossos gostos por Pokémon bastante idênticos, Gible e suas evoluções são uns dos meus tipo dragão preferidos, também gosto muito do Houndoom e do Houndour como Pokémons tipo Dark, e o Scizor e o Scyther também são os meus tipo bug preferidos (com exceção do Scolipede).

Também gostei muito de fazer do Matthew e da Yoko dois amigos que brigam mais do que se falam como pessoas normais e tal xD. No primeiro capítulo os dois já eram best-friends quando se olharam, mas partiram pros xingamentos não tem nem dois minutos depois de entrarem na floresta Laughing

As pessoas ficam realmente muito confusas se perguntando "Tá mas cadê o clichê?", estou pensando até de tirar clichê da descrição pra vocês não se confundirem mais xD.

Sobre a relação do Dakan com a Yoko, muito obrigada pelos elogios, fico realmente feliz que tenha conseguido amenizar essa coisa de "Amor á primeira vista" do Dakan pela Yoko sem tornar algo confuso e sem sentido Very Happy

Fico muito feliz que você o Rush achem a fanfic boa ou com um futuro muito bom pela frente, então obrigada de novo, lol.

Queria muito te emprestar minha criatividade mas nem eu sei quando ela chega então... Laughing vou tentar abusar bastaaante dela pra vocês.

Obrigada pelas "críticas" e por comentar, além de acompanhar a fanfic mustache

Agora o capítulo.

Tentei o meu máximo escrever algo digno e grande pra vocês, espero que não tenha ficado uma merrequinha, tentei o meu máximo na criatividade, sério :B.

Boa leitura! study



#OO3 — Um novo amigo e o desafio.
(não tenho a minima criatividade pra titulo, sorry rs)

Matthew acariciava as costas macias do Houndor dormindo em seu colo, de olhos fechados e respirando tranquilamente enquanto esperava Yoko — que demorava até demais — pegar uma limonada em uma máquina próxima á um campus perto do Pokécenter.

O moreno podia se lembrar claramente de como havia se jogado na frente de um Poison Sting de um a Seviper só para salvar o filhote assustado e todo arranhado e sujo de lama, e depois de alguns imprevistos, Houndour foi confiando cada vez mais em si.

Ei, Matt!

O moreno abriu os olhos e prendeu um grito em sua garganta quado sentiu algo duro e frio bater em sua cara.

Yoko havia jogado uma latinha de Soda Pop na sua cara, e seu nariz estava doendo e agora tinha uma coloração vermelha.

Ops. — A menina murmurou, enquanto virava-se e saía apressada.

Matthew pegou a lata em mãos enquanto a abria, fazendo um estalo da tampa sendo aberta enquanto o gás que continha dentro dela saía.

— Você se esqueceu do treinamento, Yoko? — O moreno disse, já no meio da bebida.

— Ah é. — A menina virou-se enquanto Dakan a seguia, saltitando, a garota agarrou a lata de sua mão e tentou virar a lata de Soda Pop, que estava vazia — Você tava realmente com muita sede. Virou o que? Um vampiro?

Cala a boca e vamos logo.

Grosso — A menina murmurou enquanto pedia para o Dakan entrar em campo.

O tubarão entrou no campo, bocejando e coçando os olhos da soneca que ele havia tirado no banco do lado de Matthew, assim como o cão negro.

— Quem vai primeiro? — O moreno perguntou, enquanto recebia um olhar fulminante da menina.

Você! — Ambos disseram em uníssono, e estavam prestes a iniciar mais uma briga.

— Vamos no cara ou coroa mesmo — Matthew rebateu, enquanto tirava uma moeda de um real de seu bolso — Eu sou cara.

Coroa — Yoko respondeu com uma pitada de sarcasmo, enquanto revirava os olhos.

Matthew jogou a moeda pra cima e quando ela ia cair um vulto gracioso passou sobre seus olhos, agarrando a moeda com os dentes e parando sob duas patas.

Era um Meowth macho, que agora brincava com a moeda em mãos.

É meu! — Yoko sussurrou gritado para o menino ao seu lado que suspirou e voltou cambaleante para o banco, acompanhado de Korald, que subia no colo do dono novamente e dormia. — Dakan, suba na árvore atrás dele e depois use Tackle.

O tubarão foi lentamente até atrás do Meowth com cara de quem não quer nada, enquanto subia na árvore e se apoiava no galho, as pernas gordinhas do Pokémon dragão firmaram-se sob o pedaço de madeira, e ele pulou em direção ao Meowth, que mordia a moeda. O gato miou alto quando o tubarão caiu em cima de si e o esmagou, imobilizando-o.

— Não o machuque, Dakan. — O tubarão afirmou, grogue pelo sono, enquanto tirava um pouco de seu peso das costas do Meowth. A menina pegou a Pokébola que havia achado na floresta e a arremessou para o Meowth.

A Pokébola balançou, uma. Duas. Três vezes; e parou.

A garota correu até o objeto oval, enquanto liberava o tubarão para dormir. Pegou a Pokébola e a apoiou na testa.

— Você vai se chamar Kalenn. — A menina levantou as sobrancelhas quando se lembrou de algo — Ah, eu esqueci da batalha.

——————@@@——————

— Matthew, aonde a gente vai? — A menina resmungou com o companheiro.

— Pro centro falar com o meu tio, pra ele enviar nossas Pokédex. — O moreno rebateu, enquanto as portas automáticas e de vidro abriam-se para os treinadores e o ventinho gelado do ar condicionado se fazia presente.

Eles se dirigiram para o monitor livre e preto, Matthew conectou um cabo USB do seu celular até o PC e selecionou um contato no qual estava escrito "Tio Quinn".

O computador de bordas vermelhas e com uma cruz branca atrás ligou o monitor, com um microfone balançando na tela. Um homem gordo, de cabelos grisalhos e lisos, trajando um terno risca-giz roxo, assim como a calça, e com uma taturana no lugar das sobrancelhas apareceu na tela, sorrindo largamente.

Mattzinho, meu filho há quanto tempo! — Yoko virou a cara para trás enquanto ficava vermelha e fazia uns barulhos estranhos com a boca, tentando abafar a gargalhada, enquanto Matthew olhava com a cara fechada para ela — Quem é essa menina aí com você, sua namorada?

NÃO! — Ambos se viraram ao mesmo tempo com a testa franzida.

Oh, bem... O que aconteceu pra você me ligar assim? Como vai sua estadia em Lumiose? — O tio bombardeou-o de perguntas, enquanto Yoko permanecia olhando a tela do lado de Matthew

— Bem... Eu não estou em Lumiose e-

O QUE? — O homem grisalho berrou, chamando atenção dos treinadores ao lado que falavam com suas famílias — Aonde você está menino?! Volte pra Lumiose já!

Ele até poderia se ela não estivesse destruída e devastada por um bando de Hawlucha's — Yoko retrucou o homem, que olhava para os treinadores com uma expressão neutra no rosto — Além disso, agora nós somos treinadores Pokémon.

Matthew, eu não lembro de ter permitid-

Você não tem que permitir nada, ele quer, ele pode e ele tem talento com isso, senhor. — Yoko cortou o homem, impedindo que Matthew levasse outro porre do tio.

O homem na tela bufou, concordando.

—  Ok, ok você tem razão garota, eu costumo ser muito obsessivo e protetor com meu sobrinho, digo, ele perdeu os pais e eu e Korald somos suas únicas companhias desde ent- — O homem parou a fala, enquanto dava um sorriso amarelo — Falei um pouco mais do que deveria, esqueça isso. Como é seu nome, menininha?

— Yo-

— Yoko Bellshoff, ela tem dezesseis anos, tem um Meowth que se chama Kalenn e um Gible que se chama Dakan. — A voz do moreno se fez presente no local — Tio Quinn, você ainda tem as Pokédex do vovô e da vovó aí?

Quinn afirmou, enquanto sorria para o sobrinho.

— Sim, ainda as tenho, quer que eu as envie pra aí? — O homem perguntou sugestivamente para o sobrinho — Eu acabei de zerá-las agora mesmo!

O moreno afirmou, sorrindo minimamente para o tio.

— Tudo bem, irei enviá-las pelo correio agorinha, devem chegar amanhã de manhã mesmo. Quais Pokémons vocês tem?

— Um Gible, um Houndour e um Meowth. — O moreno citou e o senhor afirmou com a cabeça enquanto anotava na mão — Aliás, como vai a Sanky?

O senhor pareceu sorriu mais largo ainda quando ouviu o nome ser mencionado.

— Ela está muito bem, energética como sempre. — O homem abaixou-se e agarrou algum Pokémon enquanto o erguia sob o monitor, revelando uma pequena Teddiursa, que sorria e falava desesperadamente seu próprio nome ao ver Matthew, que acenou para a ursinha.

O senhor soltou-a novamente no chão, mas a Pokémon escalou-o novamente até chegar em seu ombro e permanecer ali.

— De qualquer forma, configurarei suas Pokédex de novo com as informações dos Pokémons que conhecem e as enviarei pelo correio, elas estarão aí amanhã de manhã. Vão buscá-las nos correios sem falta. — Quinn passou a mãos nos cabelos com algumas mechas brancas, enquanto acenava — Tenham uma boa jornada, jovens, boa sorte. — O homem sorriu mais uma vez antes da chamada desligar — Bye!

O monitor ficou novamente com a tela preta, Matthew se levantou da cadeira dura e Yoko se espreguiçou. A menina virou-se para o moreno com um sorriso sarcástico e debochado.

Vamos, Mattzinho?

——————@@@——————

A menina pegou a Pokébola com a enfermeira de cabelos rosas, que parecia estar com muito sono, mas mesmo assim ela sorria docemente para a garota.

— Obrigada por vir aqui, seu Pokémon está totalmente recuperado. — A mulher de cabelos rosas curvou-se em sinal de agradecimento — Volte sempre que precisar!

Yoko virou-se de costas e andou até o campus atrás do centro, parando ao lado de seu companheiro enquanto liberava o Meowth.

— Olá Kalenn. — O gato, virou-se para a menina enquanto fazia barulhos ameaçadores com a boca e se arrepiava todo — Meu nome é Yoko, sou sua treinadora.

O felino ainda tinha a moeda que havia pegado mais cedo e a apertada em suas mãos, afiando as unhas nela.

— Você não precisa ficar bravo — Yoko pegou o Meowth desprevenido acarinhando sua cabeça. — Viu? Eu não te farei mal algum.

O gato suspirou, revirou os olhos e deus as costas para a treinadora.

Quero ver como você vai lidar com esse gato agora, Yoko.

Bah, você só está com inveja que eu tenho 2 Pokémons agora, boboca. — A menina retrucou, cheia de ironia. — Vamos voltar Kalenn, está tarde — A garota pegou Dakan nos braços enquanto chamava o felino, que a seguiu com uma cara fechada, ainda segurando a moeda.

Yoko abriu a porta do apartamento e deixou a mochila com seus pertences ali mesmo, enquanto descia para jantar no self-service que o hotel estava oferecendo. Korald, Kalenn e Dakan foram juntos, o Houndour estava sendo carregado pelo dono, Dakan se segurava em Yoko enquanto se sentava em seu ombro e Kalenn acompanhava-os, com os olhos pregados na mata e no campo aberto e livre, cheio de Pokémons selvagens pulando e saltitando; o gato suspirou tristemente enquanto seguia os treinadores.

Os treinadores e seus Pokémons dirigiram-se para a bancada cheia de comidas, Matthew e Yoko se empurravam na fila para ver quem pegaria cada comida primeiro. Enquanto Dakan montava nas costas de Korald e Kalenn ainda estava cabisbaixo.

Depois de arrumarem a sua própria comida e a ração dos Pokémon, sentaram-se em uma mesa vaga. Yoko colocou os pratos na mesa, também colocou Dakan sentado nela, colocou Kalenn em seu colo, sentado e Korald comia no colo de seu treinador.

Yoko acariciou a cabeça do felino novamente, enquanto este lhe encarava, desconfiado, porém deu de ombros e voltou a comer a ração, um pouco satisfeito.

Matthew deu um pulinho e apertou o ombro de Yoko quando um estrondo se fez presente no local. Um buraco estava na parede e enquanto a poeira se dissipava, a figura de um Scizor sem-graça com Tyler em sua cabeça fazendo uma pose estúpida.

Esse cara de novo? — Yoko sussurrou para Matthew que bocejava.

Esse teatro todo me dá sono — O moreno passou a mão na cabeça do Houndour — Ainda tenho dó desse Scizor.

O menino desceu do inseto e se dirigiu aos dois treinadores com passos duros, o Meowth se remexeu, com medo do Pokémon Shiny, Yoko apertou-o em um abraço enquanto acariciava sua cabeça.

Vocês! — O menino berrou, cheio de ódio

— Nós! — Ambos retrucaram o garoto, que jogava o cabelo duro para o lado e montava no Scizor.

— Eu desafio você pra uma batalha! — Apontou para a garota que abraçava o Meowth trêmulo — Amanhã ás seis horas, no campus atrás do Pokécenter, a batalha será 2 vs 2, eu vou capturar um Pokémon digno de minha incrível presença e destruirei você! — O menino montou no Scizor, que mantinha sua postura séria e os braços cruzados.

— Amanhã vai ser um longo dia pra você Yoko — Matthew falou, enquanto terminava de beber o suco de abacaxi. Yoko acariciou o gato enquanto mordia um pedaço do bife de Tauros e afirmava com a cabeça.

Acontecimentos do Capítulo:

— Yoko capturou um Meowth e nomeou-o de Kalenn.
— Tyler desafiou Yoko para uma batalha 2 vs 2.
— Tyler irá capturar um novo Pokémon.
— Foi mencionado algumas coisas sobre a vida do Matthew neste capítulo.
— O tio do Matthew chama-se Quinn, e ele tem uma Teddiursa chamada Sanky.
— Tio Quinn foi adicionado como um personagem secundário na fanfic, suas informações já estão disponíveis no spoiler.


Última edição por Ceci em Qui 9 Mar 2017 - 21:34, editado 1 vez(es) (Razão : Correção de erros.)
avatar
Ceci
Membro
Membro

Feminino Idade : 12
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/12/2016

Frase pessoal : Super fantástico, amigo.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Slow em Qui 9 Mar 2017 - 20:49

Yo Ceci!

Caramba, que rápida hein. Dá pra perceber a empolgação :v . Enfim, por experiência própria, eu recomendo dar uma acalmada no ritmo. Você está a todo vapor para escrever agora, mas não é garantido que vai manter isso estável. Então, tente dá alguns intervalos de tempo entre um cap e outro enquanto você escreve alguns. Assim, se por acaso não puder escrever ou não estiver afim, mas o "prazo" (que você mesma faz) está acabando, pode postar o próximo capítulo que já estará pronto, em vez de ter que escrevê-lo ainda. Eu postava com uma margem de 2 ou 3 caps prontos, mas ultimamente estou aumentando isso (é, eu to trabalhando em uma -q). Enfim, é só uma dica de experiência própria q vc pode ignorar completamente.


Para a fic agora: Ok, Meowth não é nada preferido meu e eu sou indiferente com ele, mas O TIO QUINN TEM O NOME DE UMA DAS MINHAS MAIN DO LOL. Ok, provavelmente não tem o mínimo de relação um com o outro, msm assim, já tem algo em comum cmg dnv ._.

Estou adorando essa linda e violenta relação de amizade entre os dois. Conversando com o Tio umamainminha, um respondeu pelo outro. E essa postura de "independência ou morte" que a Yoko assumiu pelo  Matthew foi mt legal.

Quando você é um gato, vê uma moeda no ar, pula até ela pra ficar brincando e é capturado em uma esfera vermelha e branca para ser usado em rinhas contra um fucking insetão com pinças e corpo de metal. Mais um dia normal -q ele é tão pra baixo... quero ver como vai se desenrolar na fic.

Quando vc é uma treinadora Pokémon e está jantando tranquilamente junto aos seus pokémon e outro "treinador" chega na voadora pela parede (mesmo tendo uma porta) pra te desafiar pra uma rinha. E aqui temos, outro dia normal. Eu espero que Tyler seja preso por danos a propriedade pública (é assim que se fala? sla) e pague pelo buraco no centro Pokémon. E por danos morais ao Scizor q vai morrer de vergonha... ow IBAMA, cadê você?

Sobre a "escrita", pq a fonte do texto fica mudando repentinamente todo tempo? Não entendi o direito, foi proposital e tem algum objetivo?

Além disso, essa parte:
Tio umamainminha escreveu:—  Ok, ok você tem razão garota, eu costumo ser muito obsessivo e protetor com meu neto, digo, ele perdeu os pais e eu e Korald somos suas únicas companhias desde ent- — O homem parou a fala, enquanto dava um sorriso amarelo — Falei um pouco mais do que deveria, esqueça isso. Como é seu nome, menininha?

Eu deduzi que ele seja tio pq é como é referido a maioria das vezes, mas isso está certo por ele chamar de neto?

É isso, bye por enquanto  ninja e dá um tempinho pro rush ler tbm
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Ceci em Sab 11 Mar 2017 - 21:01

Pokémon: The Nightfall

Hey, de novo!

Eu até daria um tempinho para a fanfic, assim como o Slow disse, mas me senti meio que obrigada a postar mais um capítulo, antes das provas mensais começarem e meu tempo se tornar quase esgotado até essa temporada dos infernos acabar.

Antes de mais nada, os comentários:

Comentários:

@Slow escreveu:Yo Ceci!

Caramba, que rápida hein. Dá pra perceber a empolgação :v . Enfim, por experiência própria, eu recomendo dar uma acalmada no ritmo. Você está a todo vapor para escrever agora, mas não é garantido que vai manter isso estável. Então, tente dá alguns intervalos de tempo entre um cap e outro enquanto você escreve alguns. Assim, se por acaso não puder escrever ou não estiver afim, mas o "prazo" (que você mesma faz) está acabando, pode postar o próximo capítulo que já estará pronto, em vez de ter que escrevê-lo ainda. Eu postava com uma margem de 2 ou 3 caps prontos, mas ultimamente estou aumentando isso (é, eu to trabalhando em uma -q). Enfim, é só uma dica de experiência própria q vc pode ignorar completamente.


Para a fic agora: Ok, Meowth não é nada preferido meu e eu sou indiferente com ele, mas O TIO QUINN TEM O NOME DE UMA DAS MINHAS MAIN DO LOL. Ok, provavelmente não tem o mínimo de relação um com o outro, msm assim, já tem algo em comum cmg dnv ._.

Estou adorando essa linda e violenta relação de amizade entre os dois. Conversando com o Tio umamainminha, um respondeu pelo outro. E essa postura de "independência ou morte" que a Yoko assumiu pelo  Matthew foi mt legal.

Quando você é um gato, vê uma moeda no ar, pula até ela pra ficar brincando e é capturado em uma esfera vermelha e branca para ser usado em rinhas contra um fucking insetão com pinças e corpo de metal. Mais um dia normal -q ele é tão pra baixo... quero ver como vai se desenrolar na fic.

Quando vc é uma treinadora Pokémon e está jantando tranquilamente junto aos seus pokémon e outro "treinador" chega na voadora pela parede (mesmo tendo uma porta) pra te desafiar pra uma rinha. E aqui temos, outro dia normal. Eu espero que Tyler seja preso por danos a propriedade pública (é assim que se fala? sla) e pague pelo buraco no centro Pokémon. E por danos morais ao Scizor q vai morrer de vergonha... ow IBAMA, cadê você?

Sobre a "escrita", pq a fonte do texto fica mudando repentinamente todo tempo? Não entendi o direito, foi proposital e tem algum objetivo?

Além disso, essa parte:
Tio umamainminha escreveu:—  Ok, ok você tem razão garota, eu costumo ser muito obsessivo e protetor com meu neto, digo, ele perdeu os pais e eu e Korald somos suas únicas companhias desde ent- — O homem parou a fala, enquanto dava um sorriso amarelo — Falei um pouco mais do que deveria, esqueça isso. Como é seu nome, menininha?

Eu deduzi que ele seja tio pq é como é referido a maioria das vezes, mas isso está certo por ele chamar de neto?

É isso, bye por enquanto  ninja e dá um tempinho pro rush ler tbm

Hey Slow" \o

Ok eu vou pisar no freio aqui e desacelerar um pouco o ritmo, só postei esse capítulo porque a temporada do inferno - vulgo provas mensais - vai começar daqui a pouco, então...

SOBRE O NOME DO TIO DO MATTHEW SER QUINN, A PRIMEIRA COISA QUE EU PENSEI FOI "Caraca, será que esse nome vai ter alguma semelhança com alguma coisa do Slow?" E TAÍ Laughing. Vou confessar que eu tô tentando o meu máximo fazer uma amizade agressiva e frufruzinha ao mesmo tempo entre o Matthew e a Yoko, tomara que esteja dando certo rs.

Acredito que um Moewth não seja do agrado de muitos - ele é um tanto clichê por causa dos Rockets, isso a gente tem que concordar -, ele é realmente muito desanimado e pra baixo, eu tentei fazer isso se desenrolar nesse capítulo e tals, espero que não tenha ficado um cocô xD

Como eu queria estar jantando e um Scizor quebrar a minha parede, minha mãe ia dar um porre nele que nunca mais ia se lembrar do dia Very Happy. Não entendi sobre as fontes, como assim elas ficam mudando? Você fala dos itálicos ou dos negritos?

Obrigada pelas críticas construtivas, já corrigi isso no texto. Obrigada por comentar e por acompanhar a fanfic!

Até!  mustache

O meu tempo está bem corrido, tenho 5 horas de escola, volto ás 6:00 e ainda tenho as tarefas, mas por sorte eu acordo cedo e durmo mais ou menos ás 23:00, então eu consegui tirar um tempinho em dois dias para escrever esse capítulo - que eu particularmente achei bem grande e agradável.

Espero que o capítulo esteja do agrado de todos, e avisando que irei dar uma leve pausa entre os capítulos por conta da temporada do capeta das provas mensais.

Desculpem-me pelos erros de ortografia e etc.

Sem mais delongas, fiquem com o capítulo quatro de "Pokémon: The Nightfall".

Boa leitura! study




#OO4 — Novos Acompanhantes.

Os Pidgeys e Starlys pousavam em cima do restaurante aberto, com uma varandinha aberta no qual Yoko e Matthew estavam sentados. Matthew beliscava a comida e levava a boca em curtos períodos de tempo, na maioria das vezes só bebia o suco de Pecha Berry.

Já por outro lado, Yoko cochilava na comida, não se dando ao trabalho de segurar o garfo, que caía repetidamente no prato, fazendo um barulho alto e assustando o moreno.

- Yoko, você está aérea demais hoje.

- Uhum.

- Yoko, você tá me ouvindo?

- Uhum.

- Fale o nome dos seus Pokémon em ordem alfabética, de trás pra frente.

- Uhum.

- Eu sabia – O moreno acusou a menina enquanto batia com o garfo na testa da mesma, sujando-a de arroz e um pouco de feijão.

- Ei! Porque você fez isso seu idiota?!

- Você está preocupada com o engomadinho né?

- Pfft, estou mais preocupada com o Kalenn. Viu como ele quase cagou de medo quando viu aquele bicho verde e ridículo? – A castanha apoiou a cabeça na mão enquanto observava Dakan e Korald brincando, enquanto o felino brincava com a moeda, sozinho em um canto.

O tubarão notou o gato recostado em um toco de pau, e sorrateiramente, foi até a frente dele e estendeu a pata gorducha, fazendo um convite pra brincar, e o felino aceitou prontamente, indo tímido ao encontro dos dois.

- Fico feliz que seus Pokémon estejam se dando bem. – Uma voz rouca e grossa, que aparentemente não era de Matthew, se fez presente atrás da garota.

O moreno se engasgou com o suco que bebia quando ouviu a voz do homem de cabelos azuis e espalhafatosos. O homem era paraplégico e andava em uma cadeira de rodas, e estava acompanhado por um Altaria que flutuava sobre sua cabeça, umedecendo um pouco os cabelos extravagantes.

- Rake Rhonig, tenho dezenove e sou um professor iniciante de Kalos, posso me sentar?

Os jovens afirmaram para o jovem, que prontamente moveu a cadeira de rodas para perto da mesa.

- E então, aqueles são seus Pokémon? – Rake sinalizou o Houndour, o Gible e o Meowth brincando e se sujando no barro – Fico feliz, eles parecem se dar bem, normalmente Pokémon de espécies diferentes costumam ser bastante ariscos com qualquer coisa diferente de si.

O homem pegou a ave azul-bebê coberta por uma nuvem fofinha e retirou-a de cima de sua cabeça, balançando os cabelos úmidos.

- A propósito, conhecem uma menina chamada Yoko Bellshoff? – Matthew sorriu para a garota, que bufou para o mesmo.

- Eu mesma, Andrea Mello.

- Que? – Rake, perguntou, confuso.

- Sou eu, Yoko Bellshoff. O que quer?

- Sou um amigo próximo do seu irmão, ele mandou entregar isto aqui pra você, acho que por engano ele mandou dois... – O homem expôs o pacote, e abriu ele, mostrando dois celulares da mesma marca, um negro e um branco, enviados pelo irmão adotivo. – Ele conseguiu um dinheiro bom lá na escola fazendo alguns trabalhos públicos.

- Caraca, teu irmão é foda.

- Ele é foda, mas vacilou bonito quando mandou um cara paraplégico pra enviar esses celulares pra gente. – A menina retrucou, pegando o aparelho já configurado em mãos e o desbloqueando.

- Bem, não tem problema, eu vim voando em Kangla, ele é bem fofinho e está acostumado a voar em distâncias longas.

Yoko deu de ombros e voltou a mexer no celular, configurando algumas coisas, adicionou uma senha, mudou o papel de parede, para uma foto dela, com a mãe, o irmão e a irmã, e foi para o campus tirar algumas fotos dos três Pokémon para colocar como fundo da tela de bloqueio.

- Ela parece ser uma boa garota.

- E é, por mais que seja mais irritante do que um capeta as vezes. – Matthew respondeu, baixando um aplicativo de mensagens no aparelho negro.

O homem, riu baixo, apertando a alça da maleta de couro preta que tinha em mãos.

- Yoko, venha aqui por favor! – O professor berrou, chamando a atenção da menina.

Yoko se virou, coberta de barro, por ter se jogado várias e várias vezes na lama para tirar fotos boas dos Pokémon.

Ela andou até o homem, com os olhos no celular.

- Merda! Eu borrei todas!

- É o seguinte, aqui nesta maleta tem um Pokémon que um desconhecido mandou entregar pro Matthew.

- E qual é o Pokémon? – Matthew indagou, com uma sobrancelha arqueada.

O homem suspirou e deu de ombros

- Eu não sei. O homem que me entregou a melta usava um chapéu que cobria os olhos, tinha uma queimadura na lateral do rosto e uma cicatriz na boca, ele apenas me ordenou entregar, antes que “Ele fizesse algo horrível”, e depois ele saiu correndo. – O professor de cabelos azulados, chamou-os com o dedo depois de seguir para um lugar mais fora de vista das pessoas.

O trio adentrou em um lugar na floresta – aparentemente escondido – e o professor mandou o Altaria ficar de vigia na floresta.

Rake pressionou o dedo sobre a fechadura da maleta e um gás saiu de dentro, ele a abriu e uma esfera vermelha e branca e com um bilhete anexado.

- Depois eu leio isto aqui – O moreno falou, arrancando o bilhete da Pokébola e o enfiando no bolso – Agora vamos ver o que tem dentro dessa belezinha.

O garoto pegou cuidadosamente a esfera vermelha e liberou o Pokémon.

A luz vermelha se fez presente e o Pokémon começou a tomar forma, era pequeno, tinha duas lâminas na boca e tinha uma nadadeira na cabeça.

O Pokémon se revelou e se virando ele disse o próprio nome, enquanto os treinadores mantinham-se perplexos.

- Axew! – A criatura aparentemente macho revelou o próprio nome, enquanto olhava para o moreno à espera de algo.

- Não é muito comum encontrar um Axew aqui né? – A castanha cortou o silêncio constrangedor que se presenciava ali; o homem mais velho sacou a Pokédex azul e apontou para o Pokémon.

Axew, o Pokémon presa. Eles marcam seu território deixando cortes em árvores com suas presas. Se uma presa quebrar, uma nova cresce rapidamente, eles a usam também para esmagar as Berrys que comem e as repetições deste processo fazem suas presas ficarem mais afiadas e fortes. O Axew identificado por você é macho e aprendeu os seguinte ataques: Scratch, Leer, Assurance e Dragon Rage.

Os Pokémon que brincavam no campus seguiram os treinadores, procurando algo suspeito, o gato arqueou um pouco as costas, o cachorro mostrou um pouco dos dentes e o tubarão preparou um pequeno Dragon Pulse, para alguma coisa.

- Dakan e Kalenn, já chega, deixem-no. – A treinadora brigou com os Pokémon, que deram de ombros e voltaram a se matar no campo sujo de lama.

O Houndour chegou mais perto do Axew e o farejou, lambeu-o e voltou para o campus.

- Como você irá chama-lo, Matthew? Ele é um macho. – O professor indagou para o menino, que estava ajoelhado e encarando o Pokémon.

- Yakog. – O moreno rebateu, contendo a felicidade. – Ei, Rake, ele parece fraco e magro...

O dragão cambaleou, pela falta de comida e depois, ele desmaiou.

——————@@@——————

O apitar da máquina do Centro Pokémon irritava ao Professor e a garota que tentavam tirar uma soneca, enquanto o Pokémon de Matthew estava com fios ligados ao corpo, recebendo soro.

Uma enfermeira de cabelos ruivos – provavelmente tingidos para se diferenciar das que cuidavam de Pokémons cansados naquela simples máquina, colocando apenas as pokébolas – e de roupas de um tom um pouco mais claro do que as enfermeiras normais usavam, seu crachá tinha escrito "Lilith", Matthew julgou ser o nome da enfermeira escrito, a mulher estava anotando algo em uma prancheta cheia de gráficos;


O Meowth e o Gible de Yoko dormiam no colo da mesma, o gato dormia graciosamente, enquanto o tubarão babava como um condenado na perna da menina, que quase roncava de tanto sono.

- Você está preocupado com o Axew? – A voz aveludada da enfermeira chamou a atenção de Matthew, que ficou vermelho e afirmou com a cabeça, tentando não parecer estúpido perto de uma garota – Não se preocupe, dentro de três horas ele estará recuperado.

- Lilith, você se importa de fazer um favor pra mim? – A mulher negou com a cabeça, enquanto observava o treinador – Eu terei de sair, quando o Yakog se recuperar, leve-o pra mim no campus atrás do Centro Pokémon, sim?

Lilith deu de ombros e afirmou, enquanto voltava a anotar algumas coisas na prancheta.

O moreno dirigiu-se a Yoko e lhe deu um peteleco na testa.

- AI! – A treinadora gritou um pouco alto, empurrando Matthew de perto dela, enquanto sua testa ficava vermelha. – O que foi?!

- Você deve treinar se quiser vencer aquele engomado. – O moreno pegou-a pela gola da camiseta e a arrastou até o campus, fazendo seus Pokémon caírem de seu colo e
acordarem, assustados – Venha Korald! – O cão negro, acompanhava-os, sonolento e grogue de sono.

- Kalenn, acorde o Rake. – Yoko mandou, ainda sonolenta enquanto o gato se dirigia até Rake e miava em seu ouvido, fazendo-o acordar, assustado, o jovem pediu para o pássaro rodeado de nuvens o colocasse na cadeira, e assim o Pokémon fez.

O trio andou até o campus atrás do centro e se posicionaram em posição de batalha, enquanto o Professor se posicionou no meio deles.

- A batalha será amistosa, 1 v.s. 1, sem direito de trocas, já que não será possível, comecem!

Ambos os treinadores olharam-se, quase se metralhando, assim como o Meowth e o Houndour.

- Vá, Kalenn!

- Destrua-o, Korald!

O cão e o gato se posicionaram, esperando ordens. O felino, tinha o vazio em seus olhos.

A castanha pediu tempo e se dirigiu ao Pokémon, ela colocou a mão sobre a boca e sussurrou no ouvido do Pokémon.

- Você está se sentindo solitário? – O felino afirmou lentamente com a cabeça, enquanto observava o cão – Você não está sozinho, você tem a mim, ao Matthew, ao Dakan, Ao Korald e ao Yakog.

Kalenn afirmou com a cabeça, determinado e se pôs em posição de batalha.

- Korald, comece com Tackle!

- Desvie e Scratch!

O cão negro pegou impulso e veio na direção do gato, que preparou o pulo para o lado, e assim o fez, o cachorro passou reto por si, e enquanto estava no ar, as unhas do Meowth afiaram-se e ele arranhou o cão, que ganiu um pouco e depois rosnou.

- Smog! – O Houndour abriu a boca enquanto uma nuvem de fumaça verde-oliva mesclado com um pouco de roxo saía da mesma.

- Não inale! – A gato não ouviu e acabou por respirar a fumaça tóxica, o Meowth tossiu algumas vezes, antes de uma mancha roxa se fizesse presente em sua pele. – Mas que porra é essa?! – A garota gritou, indignada.

- Seu Pokémon está envenenado, uma mancha roxa crescerá nele e seu Meowth perderá um pouco de vida a cada turno por conta deste envenenamento. – O professor de dezenove anos indagou, deixando-a perplexa.

- Aguente firme. – O felino afirmou, enquanto tapava a mancha com a pata felpuda – Tackle!

- Desvie! – O Houndour, moveu-se para o lado, e por pouco conseguiu desviar.

- Vá atrás dele! Bite! – O gato correu como uma flecha para o cachorro e abocanhou suas costas com os dentinhos afiados.

O cão negro ganiu, enquanto sentia os dentes do Meowth apertando sua carne.

- Balance-se! – O Houndour se balançou, coisa que não foi efetiva, mas o Meowth miou alto, enquanto tapou a mancha roxa, vendo que ela crescia e tomava conta de sua barriga quase inteira.

- Kalenn, você tá bem?! – O Pokémon afirmou e esperou mais uma ordem da dona.

- Flamethrower! – O moreno berrou, suando um pouco.

- Saía daí, rápido! – Kalenn desesperou-se por causa do berro da treinadora e por uma fração de segundo, tropicou em uma pedra acidentalmente e caiu para o lado, se livrando de ser torrado por uma rajada de fogo. – Pay Day! Agora!

O gato mirou a testa para o cão, que estava ocupado em acabar as labaredas de sua boca e fez força para a moeda que continha em sua testa arrancasse e se multiplicasse, sendo arremessada para Korald logo após.

- Mire o Flamethrower nele! – O moreno gritou, fazendo o cachorro perceber o movimento e posicionar as labaredas em direção as moedas do gato, as moedas e o fogo se chocou e uma fumaça foi feita.

A nébula se desfez e a figura de um cão e um gato caído, um com uma moeda afundada na cara e o outro com o rosto esturricado se fez presente.

O Meowth, levantou-se primeiro, com muito custo, com as manchas púrpuras borbulhando em sua pele.

- O Houndour de Matthew está fora de combate, Yoko e Kalenn foram os vencedores!

O moreno, suspirou, e retornou o cão para a Pokébola, assim como a menina.

- Vocês realmente tem potencial! Eu trouxe o Yakog Matt-! – Uma voz suave e aveludada se fez presente ao lado do Professor, mas foi interrompida por algo, ambos os treinadores se viraram, mas Yoko sentiu um peso sob os seios.

Ela olhou para baixo e se deparou com um Pokémon pequeno, com duas presas de cada lado na boca e olhando para ela, enquanto se afagava entre seus dois seios.

- YAKOG! – Matthew gritou, vermelho, ele arrancou o dragão de lá e o afundou no colete.

O Pokémon submergiu e a cabeça ficou para fora, e enquanto o Axew sorria como um bobo, Matthew escondia o rosto nas mãos vermelho, o garoto de cabelos azuis gargalhava, a enfermeira ficava constrangida e Yoko ainda estava em estado de choque se perguntando como um Pokémon tão fofinho podia ser tarado á tal ponto.

——————@@@——————

A dupla se dirigia aos correio para pegar as Pokédex, já que a Enfermeira ruiva quis tomar um café com o jovem Professor. O Axew, estava deitado na cabeleira negra do treinador, enquanto dormia, o Houndour do mesmo o acompanhava, como um cão de guarda.

O Gible de Yoko palitava os dentes com o dedo no ombro da garota, enquanto o Meowth era carregado no colo depois de ser curado e descansado no Centro Pokémon depois de uma batalha, assim como o cão.

As portas de vidro se abriram e os dois treinadores entraram no grande edifício, onde todos os tipos de Pokémons voadores entregavam pacotes e cartas a determinadas pessoas.

O Axew e seu treinador berraram, quando um Noctowl fez um voo de rasante, quase os atingindo.

- Bem... Meu tio me falou por mensagens que tinha capturado um Swellow em pouco tempo e terminou de treinar ele, ele disse que está enviando ele pra entregar as Pokédex pra gent- – A fala do menino foi cortada quando sentiu um peso em sua face.

O Swellow tinha pousado diretamente em sua cara, o arranhando sem querer.

O treinador soltou um grito estridente, retirando o pássaro de sua cara e o empurrando para longe dela, enquanto massageava os arranhões feitos pelo elegante Pokémon.

O pássaro grunhiu e se levantou, com o peito estufado e com uma postura ereta, digno de um príncipe.

- Desculpa aí carinha... – Matthew acariciou a crista do pássaro elegante, enquanto pegava o pacote que estava amarrado em suas pernas – Você tem realmente força pra caramba.

O Pokémon voador fez uma pose orgulhosa enquanto falava o próprio nome. O Swellow tinha uma pequena coleira escrito “Pyrot – Propriedade de Quinn Onew”.

- Então seu nome é Pyrot... – Yoko murmurou enquanto o Pokémon gralhou, se endireitou e abriu suas asas, pronto pra voar – Você já sabe pra onde ir, né?

O Swellow afirmou, abrindo suas asas e voando para o céu rumando ao sol.

A dupla dirigiu-se para o hotel no qual estavam hospedados, para abrirem os pacotes e ligarem as Pokédex.

Yoko abriu a porta do quarto com a chave enferrujada e amarela, Matthew colocou o pequeno pacote no chão, enquanto pegava uma tesoura para cortar a fita isolante que continha nas aberturas da caixa de papelão. Yakog saiu de sua cabeça, Dakan parou de palitar os dentes e foi tirar uma soneca no ombro da treinadora, Korald brincava com Yakog e Kalenn comia sua ração.

O moreno cortou a fita e depois a jogou para o lado, mas por acidente a mesma tapou a visão de seu Axew, que trombou no Meowth, que por engano arranhou o Gible que gritou e deu um Tackle no Houndour que rugiu e sem querer soltou uma fumaça tóxica.

- Abre as janelas!!! – A garota berrou enquanto tapava a boca e o nariz assim como Matthew que tropicava nos lençóis jogados no chão e corria para abrir as janelas e as cortinas.

A fumaça verde com detalhes de roxo saiu lentamente do cômodo, enquanto suspiros tranquilizados eram ouvidos.

- Vamos abrir essa belezinha aqui... – O treinador murmurou enquanto arrancava as fitas da caixa de papelão, o garoto abriu-a e rasgou o papel que envolvia as duas Pokédex. Uma era preta com detalhes de vermelho e a outra era branca com detalhes de azul marinho. – Eu vou ficar com a do vovô, saí!

Matthew empurrou a garota que caiu para o lado, deitando no tubarão que acordou repentinamente, enquanto agarrava com cuidado a Pokédex preta com vermelho.

- Otário. – Yoko empurrou Matthew, que rolou até as cortinas e se enrolou nelas – Vou ficar com a mais bonita, como sempre. – A garota pegou cuidadosamente a Pokédex branca com detalhes azuis marinho.

Ambos ligaram os aparelhos já configurados, enquanto uma voz robótica os dava boas-vindas.

Uma batida grotesca na porta foi ouvida, o Axew pulou até a maçaneta e abriu, mas soltou um grito esganiçado quando viu uma cara metálica e verde muito perto de si.

O Pokémon dragão correu até o treinador e se segurou na barra de sua calça, se escondendo atrás do pedaço de pano.

- Capturei um Pokémon brilhante, digno de ser treinado por mim! Vamos! – O cabelo castanho cheio de gel e progressiva do menino de roupas verdes e vermelhas brilhava com a luz fraca do corredor da hospedaria. – É sério plebeia, meu Scizor não cabe nessa merreca de porta.

- Vai se ferrar – Yoko pulou a janela da hospedaria com seus Pokémons em mãos, esperando o menino no campus.

- Você é estúpido – O moreno retrucou, enquanto Axew se agarrava na gola de sua camisa e o Houndour estava do seu lado, os três também pularam a janela.

- Pfft, plebeus. – O riquinho resmungou, enquanto guardava o Scizor em uma Love Ball rosa. E pegava uma Master Ball de seu cinto. – Hoje você irá brilhar, Sunshine.

O menino pulou a janela com as duas Pokébolas no cinto e se posicionou no lado oposto do campus, de frente para a garota.

- A batalha será entre Yoko e Tyler, 2 vs 2 sem direito de trocas. Comecem! – Matthew proferiu, enquanto se retirava do meio dos treinadores e se sentava do lado de Yakog e Korald.

- Vá, Dakan!

- Picote-o, Rysinar! – Tyler jogou a Love Ball no ar e o lazer vermelho materializou o Scizor shiny, enquanto o tubarão observava tranquilamente o inseto gigante, metálico e amedrontador – Hyper Beam!

- Dig! – A garota errou o comando, mas por incrível que pareça, o tubarão escavou o chão e entrou dentro dele e o inseto acabou errando o poderoso raio.

- Mantenha-se atento no chão! – O castanho berrou, desesperado, ele aparentava não ter a mínima experiência em batalhas. – Merda! – O garoto xingou quando o tubarão submergiu do chão e fez seu Scizor voar.

- Dragon Pulse! – O Gible abriu a boca enquanto fazia uma esfera ciano e a jogava para o Scizor que estava no ar.

- Metal Claw! – O inseto endureceu as pinças e cortou a esfera, mas mesmo assim o ataque o atingiu um pouco, o fazendo ficar bastante debilitado – Vadia... – O castanho murmurou, cheio de ódio.

- Cale a boca e pelo menos finge que sabe batalhar. – Yoko rebateu, enquanto sorria debochada para o menino – Pule na frente dele e use Tackle!

- Saí daí, rápido! – O garoto berrou com o Pokémon, que não entendeu o comando e ficou no mesmo lugar, sendo atingido pelo tubarão e batendo em uma árvore, nocauteado.

Yoko retornou o Gible para uma Pokébola surrada que havia achado na floresta e mandou o gato para o campo.

O menino rosnou, enquanto tirava uma Master Ball do cinto e a jogava para o ar.

- Brilhe, Sunshine! – A Pokébola se abriu e de lá saiu uma pequena "abelha" azul, elegante com "cabelos" lisos com as pontas encaracoladas, era semelhante á um capacete, seu corpo rechonchudo era preto, com detalhes de amarelo e azul, tinha antenas espetadas e cor de palha na cabeça e um sorriso irritante na cara, era uma Illumise. – Ér... Use Sweet Scent! – A abelha fez alguns movimentos com a mão e um pó rosa-bebê se fez presente no campo de batalha, deixando o Meowth meio grogue por causa do perfume que o pó exalava.

- Uma Illumise? – A garota debochou da Pokémon elegante – Isso vai ser moleza, Kalenn.

O gato afirmou, já um pouco grogue por causa do pó.

- Sunshine, Tackle!

- Ande para o lado e use Fury Swipes nas costas dela! – A elegante Illumise investiu contra o ar e se assustou quando sentiu arranhões repetidos em suas costas.

O treinador da abelha rosnou, odiando ainda mais a castanha.

- Quick Attack, ele está atrás de você!

- Mova-se para trás dela de novo e use Scratch! – O Pokémon moveu-se de novo para trás da Illumise que correu para o ar e deu um poderoso arranhão que danificou suas asas. – Tackle!

- Desvie e use Quick Attack quando ele estiver de lado pra você, Sunshine! – A Pokémon moveu-se para o lado e o Meowth afiou suas garras e arranhou o ar, o gato sentiu um peso em sua lateral e depois ele saiu voando, bateu em uma árvore. Ele levantou-se, mesmo debilitado.

- Você vai precisar de mais se quiser me vencer, Pay Day! – O felino apontou a testa para a abelha e arrancou a moeda de sua testa, as multiplicando e lançando-as em direção á Illumise, Tyler ficou em branco e antes que pudesse falar algo, a abelha estava caída no chão, nocauteada.

- O Scizor e a Illumise de Tyler estão nocauteados, a vitória é de Yoko, Dakan e Kalenn. – O moreno declarou, com desdém, como se esperasse tal vitória.

- Me desafie quando for mais forte, plebeu. – Yoko falou, cheia de sarcasmo. Matthew se levantou e limpou a grama das suas roupas, pegou o Axew no colo e chamou o Houndour que o acompanhou. Yoko pegou o Gible no colo e mandou o Meowth a seguir.

Você tem Pokémons fortes, mas você é bem fraco. –  Matthew debochou do garoto que estava de joelhos, com os dois Pokémons nocauteados, completamente derrotado e com o orgulho e o ego feridos.

Acontecimentos do Capítulo:


— Um desconhecido enviou um Axew macho para o Matthew, e ele o nomeou de Yakog.
— Tyler perdeu de lavada para Yoko no 2 vs 2.
— Tyler capturou uma Illumise fêmea chamada Sunshine.
— Tio Quinn tem um Swellow chamado Pyrot.
— Rake Rhonig, o professor novinho adicionado como um personagem principal.
— Lilith, a enfermeira ruiva que tem uma queda pelo Rake foi adicionada na categoria de secundários.




Á propósito, pros desatualizados leitores que não entenderam a frase da Yoko no qual ela fala "Eu mesma, Andrea Mello", é um meme, vocês podem ver o vídeo de 3 segundos aqui.

Até o próximo capítulo!


Última edição por Ceci em Dom 12 Mar 2017 - 13:17, editado 3 vez(es)
avatar
Ceci
Membro
Membro

Feminino Idade : 12
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/12/2016

Frase pessoal : Super fantástico, amigo.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por -Ice em Sab 11 Mar 2017 - 21:35

Olá, Ceci!
Vejo que é nova no fórum, então seja bem-vinda antes de tudo né, afinal esse lugar esteve muito parado nesse último ano, mas estou sentindo que agora em 2017 a PM vai voltar a ser grandiosa como já foi há um tempo. Sem enrolação, vamos à fiction.

Bom, eu já posso dizer que gostei, esses quatro capítulos que li de uma vez já foram o suficiente para saber o que esperar, uma história de pokémon normal, como já foi citado lá em cima, com jovens andando por aí capturando pokémon e batalhando em ginásios, sempre com aquela inocência de pokémon (afinal, não é todo dia que vemos dois adolescentes da mesma faixa etária andando por aí e se odiarem, ao invés de... bem, não vamos entrar nesse assunto).

Aliás, fiquei bem surpreso ao ver que tem apenas 11 anos. Você escreve de uma maneira incrível, e, apesar de alguns erros de português, que citarei mais pra frente, descreve as coisas muito bem e tem um vocabulário muito legal também. Quando eu entrei no fórum eu tinha quase a sua idade (sim, isso foi há muito tempo :P) e, olhando para as minhas fics mais antigas, eu escrevia de uma maneira porca, e você aí, com 11 aninhos dando um show, parabéns.

Todavia, algumas coisas me incomodaram um pouco enquanto eu lia, mas vou citar apenas as duas piores, já que não costumo me ater aos erros de português, porque eu dificilmente os localizo e também porque os outros membros já costumam fazer isso.

O primeiro erro não foi bem de português, mas vale a pena citar, mesmo já tendo sido citado pelos outros dois leitores, é que algumas coisas acontecem rápido demais, talvez ficando até mesmo difícil de digerir, como por exemplo no prólogo, a Yoko decidiu que ia capturar um pokémon, estava indo para a grama para pegá-lo, encontrou uma garotinha (garotinha essa que só serviu na trama para levantar a questão de que Yoko estava sem pokémon e logo depois sumiu, podendo facilmente ser substituído por um pensamento da protagonista ou até mesmo uma placa avisando sobre os riscos de se entrar na grama alta sem a companhia de um pokémon) e logo depois, blam um Scizor Shiny pula em cima dela, ela é salva por um treinador (treinador esse que começou a jornada ontem e já estava acompanhado de um pokémon em seu estágio final de evolução). Se você reler pode perceber o quanto foi corrido, basta analisar aquilo como se fosse um leitor.

Depois tem também o negócio do a, e à, que comumente são substituídos por á, mas não vou ficar batendo nessa tecla, pois o Slow já citou isso e é algo que pode facilmente melhorado com estudo e pesquisas, o que não é muito para quem deseja evoluir como escritor.

Outra coisa que eu gostaria de citar é sobre o desenvolvimento de personagens, a única coisa que realmente precisa ser melhorada meio que com urgência. Tirando a Yoko, os outros personagens que apareceram (contando até com os pokémon) foram muito rasamente desenvolvidos ou nem desenvolvidos foram. Isso é meio ruim, pois são os personagens que geralmente nos deixam presos à história. Não tenha medo de fazer um capítulo inteiro sobre o drama pessoal de um personagem se for preciso, capítulos assim são muito bons por nos mostrarem o porquê de um personagem estar ali, o que o motiva, o que faz com que ele não desista quando perde uma batalha.
Eu não costumo ler a biografia dos personagens no mais post pois prefiro conhecê-los durante o desenrolar da história, mas alguns membros citaram que Yoko teve um passado ruim e superou isso. Não tenha medo de desenvolver isso, nos deixe conhecer melhor a protagonista, e o mesmo vale para Matt, foi citado que ele perdeu os pais, como ele se sente em relação a isso? Tem também os pokémon, esses tiveram algumas de suas características mostradas, como o drama de Dakan, mas eles ainda precisam ser mais explorados, eu preciso ter em mente uma personalidade sólida quando lembrar de um, e não só o que sei dos seus registros da pokedex.

Enfim, espero que entenda que tudo isso que eu disse não é por mal (quando eu tinha 11 anos e via críticas construtivas, eu achava que eram por mal hauhsauhsau), apenas estou tentando te ajudar a melhorar, para que a sua fic, que não está ruim, fique ainda mais agradável de se ler, e você melhore ainda mais como escritora (eu, por exemplo, me tornei um ótimo aluno em redações quando era mais jovem e "fanfiqueiro"

Não desista, até mais!

PS: Quase chorei quando o Rush usou minha antiga fic (Project Retype) como exemplo para te falar de desenvolver a relação com os pokémon, mesmo depois de um ano que ela não recebe um capítulo. É isso que motiva um escritor, ser usado como referência, e, se você treinar bastante, sua fic pode ser uma referência no fórum daqui a um tempo.

PS²: Já que o Rush não quis fazer merchan, eu gostaria de citar As crônicas de um Gyarados Voador como uma das melhores fics para se estudar o desenvolvimento de personagens. Lá Rush apresenta diversos personagens e pokémon com personalidades tão ímpares que chega a ser surpreendente, se você tiver coragem (tem capítulo p/caralho), é uma ótima leitura.

PS³: Você postou um capítulo enquanto eu escrevia esse comentário Laughing Não vou ler esse último no momento, talvez eu leia amanhã ou assim que possível, mas tente aumentar o intervalo entre as postagens, alguns membros trabalham ou fazem faculdade e não podem acompanhar tão rápido, então eu acho que um intervalo de 5~7 dias seria o ideal. Eu sei que você está animada, mas calma, garota :P Boa sorte de novo


Última edição por -Ice em Sex 21 Abr 2017 - 0:50, editado 1 vez(es)
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Slow em Dom 12 Mar 2017 - 1:59

Oi c:

@-Ice escreveu:PS: Quase chorei quando o Rush usou minha antiga fic (Project Retype) como exemplo para te falar de desenvolver a relação com os pokémon, mesmo depois de um ano que ela não recebe um capítulo. É isso que motiva um escritor, ser usado como referência, e, se você treinar bastante, sua fic pode ser uma referência no fórum daqui a um tempo.

Se servir de motivação tbm, eu juro que volto a acompanhar se vc retomar (eu sou o IsaacXD7, caso se lembre :v) e bem-vindo de volta, vc é um ótimo escritor ^^

Quanto a fonte, realmente não sei se é simplesmente itálico ou se é outra fonte mesmo, mas com certeza muda repentinamente.

Cara... me diz que vc não pesquisou sobre a Quinn e viu que ela é uma "treinadora" de um pássaro, né? Não creio que ele tem um Swellow... ahusahushuahs.

Gostei do capítulo, embora apresente alguns problemas que eu direi mais a frente. É sacanagem msm mandar o cara ir voando para levar um presente para a irmã. Pq n veio ele msm, pra ver como é bom? Se bem que, num Altaria deve ser bem legal msm, é um Pokémon que sempre considerei como um dos melhores travesseiros do mundo Pokémon, dá vontade de dormir nele. 

Será que o papel que veio junto com o Axew não era algo do tipo "Aviso: tarado por peitos"? Eu juro que Axew seria um dos últimos Pokémon que eu pensaria que fosse tarado, embora nem tem muitos que me lembrem isso, tbm nunca parei para pensar nisso, enfim. E parando pra pensar, apareceram 3 dragon type nesse cap? Estou sonhando?

Sobre as batalhas, que pelo que me lembre são as primeiras da fanfic entre treinador vs treinador, gostei também. Embora o desgraçado do gel tenha Pokémon OPs como Scizor, Matthew acabou lutando bem melhor que ele. E sobre esse cara, ele usa algum tipo de hack e mesmo assim consegue perder? Ele tem 2 Shiny. 2 SHINY! Ou é hack ou ele pintou os Pokémon, n tem como.

Ok, ok. Hora do puxão de orelha! São basicamente dois:
1- Você realmente deveria revisar os capítulos. Usando-me como exemplo dnv, eu revisava cada capítulo da minha fanfic umas 30x (ansioso para postar) e, quando postava, meus leitores ainda achavam alguns erros. Imagina se n revisasse, então? Não sei se isso foi realmente a falta de revisão, mas você usou bastante virgulas desnecessárias em algumas frases. Eu devo ter atropelado ou ignorado alguma outra vez, mas agora foram realmente bastante. Só que eu deixei para ver isso novamente quando fosse comentar e acabei não encontrando depois a parte com maior concentração. E, algo que também tem a ver com a revisão, é isso:

Narrador gago escreveu:O cão negro ganiu, enquanto sentia os dentes do Meowth apertando sua carne.

O cão negro ganiu, enquanto sentia os dentes do Meowth apertando sua carne.

É um simples erro de repetição. Esse e outros erros simples podem ser evitados com apenas uma(s) revisão(ões). Ao ler o que escreveu, você se põe no lugar do leitor. E melhora se conseguir esquecer por alguns instantes que foi vc que escreveu. Por exemplo, "eu imagino que a minha personagem é ruiva, mas, se eu não disser isso, será que os leitores deduzirão?". Não que tenha acontecido isso, é só um exemplo.

2- Eu julguei como algo independente da revisão. Em relação aos sinônimos que usa para descrever os personagens, eu não sei se era algo que estava desde o começo e eu só notei agora, ou se foi só nesse capítulo, mas eu notei que você tem usado muito disso. Em especial nas descrições entre as falas, você raramente utilizou o próprio nome (ou até mesmo a espécie, no caso dos Pokémon), foi mais algo como "ele, ela, o moreno, a castanha, a garota, a menina, o castanho, o gato, o cachorro", etc. Pelo que notei, os nomes deles só foram utilizados nos parágrafos ou para se quando era um se referindo ao outro, algumas vezes ("a castanha disse a Matthew", algo assim). Sim, devemos fazer bom uso de sinônimos para que não se torne algo muito repetitivo do tipo "Yoko fez isso, Yoko falou aquilo, Yoko pegou", mas usar demais também torna algo meio repetitivo. Você pode tentar começar com "Yoko fez isso" e, caso precise mencioná-la novamente em pouco tempo, utilizar um sinônimo, até ver que já está distante o suficiente para usar o nome novamente. E também deve ter uma atenção redobrada com "ele" e "ela", quando na mesma cena podem ter muitos "eles", embora não fique confuso quando se deduz quem está falando.

Enfim, eu me sinto mais chato do que já sou falando disso, mas foram coisas que eu realmente precisei chamar a atenção.

Até o próximo e boa sorte na temporada dos infernos, a minha também começará semana que vem :p
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por meromero em Dom 12 Mar 2017 - 20:24

Ai, ai, há quanto tempo eu não leio uma fanfic. Sério, que nostalgia!

Ceci, ainda não li os capítulos, somente o prólogo, porque sou bem impaciente e quis comentar logo, mas vou ler tudinho e edito aqui depois, pois fiquei empolgada. Eu não tenho experiência em fazer review de fanfiction, mas percebi que o fórum tá morto e isso é bem injusto, já que é um dos melhores lugares da internet ever (Facebook e Twitter perdem feio, duas chatices das quais não quero saber). Mesmo sem a dita experiência, vou dar meus 5 centavos.

Esse clichê nunca fica enjoado pra mim, sério. Tanto é que eu já vi a Série Original de Pokémon tantas vezes que já decorei todas as falas de Ash, Misty, Brock e o resto. Mesmo sendo um clichê, a estória da Yoko tem uma carga mais dramática e com temas mais maduros que geralmente não são explorados no gênero, o que dá um gimmick instantâneo na coisa. Além disso, você se esforçou pra construir a personalidade de protagonista da menina, coisa que por experiência própria eu sei que é muito difícil. Isso porque a personagem principal precisa ser carismática e conseguir a torcida do público, você evitou tornar ela uma garota antipática e foi um acerto. Além disso, você tentou fugir o máximo possível do óbvio, coisas como a captura inusitada do Dakan me surpreenderam e me deixaram empolgada pelo que está por vir nos próximos capítulos.

Não escreva com pressa, continue dando atenção aos detalhes, fazendo boas descrições das cenas e das personagens, não coloque a carroça na frente dos bois que vai dar tudo certo.

Por enquanto eu vou terminar dizendo só isso mesmo, mas pretendo ler os capítulos e acompanhar. Pode ser que eu demore pra responder e para ler, mas farei o máximo pra apoiar seu trabalho pois entendo como é, e a PM precisa de mais gente postando fanfics mesmo e esses escritores precisam de incentivo (esse fórum precisa de energia vital), inclusive tenho uma pra postar em breve.

Beijinhos, até logo!




avatar
meromero
Membro
Membro

Feminino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 02/10/2015

Frase pessoal : ...


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Brijudoca em Qui 23 Mar 2017 - 7:57

Olá Ceci

Li sua fic durante a semana porém não tive tempo de produzir um comentário produtivo ( na verdade, este ainda não é um comentário realmente produtivo mas é melhor do que nada)

Gostei muito mesmo da sua fic, você tem habilidade para criar personagens interessantes, a Yoko e o Matt são uma dupla formidável. Gostei muito da batalha desse último capítulo com eles dando uma lição no rival babaca haha

Quanto aos problemas de português, os outros leitores já chamaram a atenção então não vou entrar no mérito aqui, também deu pra notar que você está dando um tempo maior pra postar os caps o que é ótimo.

Espero fazer um comentário melhor no próximo hahaush até q próxima.
avatar
Brijudoca
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/04/2009

Frase pessoal : make brazil emo again


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Nightfall

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum