Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

The HOLLOW inside me

Ir em baixo

The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Seg 7 Nov 2016 - 2:20


Olá tchuchucos e tchuchucas! Hoje vim apresentar para vocês aqui do fórum a minha capciosa fanfic de Bleach! Os eventos dessa fanfic acontecerão depois do arco da Soul Society, ou seja, tudo depois disso será diferente e darei novos rumos para a história. Ichigo vai descobrir muitos mais sobre si mesmo e sobre o Hollow dentro de si, além de que descobrirá dando novos ângulos dos personagens.

ELENCO:

ESTRELANDO

Ichigo Kurosaki



AMIGOS DO COLÉGIO

Orihime Inoue Uryū Ishida Kon

Chad Keigo Asano Mizuiro Kojima

Chizuru Honshō Tatsuki Arisawa Michiru Ogawa



AMIGOS SHINIGAMI

Rukia Kuchiki Renji Abarai Ikkaku Madarame

Tōshirō Hitsugaya Rangiku Matsumoto Yumichika Ayasegawa



VISORED

Shinji Hirako Kensei Muguruma Hiyori Sarugaki

Lisa Yadōmaru Rōjūrō Ōtoribashi Love Aikawa

Mashiro Kuna Hachigen Ushōda



GOTEI 13

Shūhei Hisagi Izuru Kira Kenpachi Zaraki

Yachiru Kusajishi Hanatarō Yamada Byakuya Kuchiki

Shunsui Kyōraku Jūshirō Ukitake Mayuri Kurotsuchi

Retsu Unohana Sajin Komamura Capitão Yamamoto



FAMÍLIA KUROSAKI

Isshin Kurosaki Yuzu Kurosaki Karin Kurosaki Masaki Kurosaki



LOJA URAHARA

Kisuke Urahara Ururu Tsumugiya Jinta Hanakari Tessai

Arcos:

Prólogo


Karakura High School, manhã
Keigo: ICHIGO VOCÊ FINALMENTE CHEGOU DAS FÉRIAS DE VERÃO!!!!
Mizuiro: Keigo espera!!
Keigo Asano chega na porta e de repente percebe Ichigo conversando com Orihime, Chad e Uryu.
Keigo: EU NÃO ACREDITO EU FUI SUBSTITUÍDO!!
Mizuiro: Do que você está falando Keigo?
Keigo: Veja, o Ichigo está com a peituda, o quatro olhos, e o Chad!! Eles nunca andam juntos!! O que aconteceu nestas férias de verão que eles resolveram se unir?? Quero saber tudo com todos os detalhes!!
Neste exato momento chega a Chizuru Honsho e abraça a Orihime por trás, dando um abraço bem apertado.
Chizuru: ORIHIME SENTI TANTA A SUA FALTA!!!
Tatsuki Arisawa vem correndo e dá um chute na cara da Chizuru que há faz voar longe.
Tatsuki: DEIXA A MENINA RESPIRAR!!
Michiru Ogawa chega tímida para conversar com eles.
Michiru: E então p-pessoal... c-como vão vocês?
Ichigo: Vamos super bem Michiru, e você?
Michiru: E-eu vou super bem também, Ichigo! O-obrigado por perguntar!
Keigo: Ichigo me dá um abraço depois de tantos meses longe!
Ele vai tentar abraçar o Ichigo mas o Ichigo se esquiva dele.
Ichigo: Eu acho melhor não.
Keigo: EU SABIA, EU FUI TROCADO!! ICHIGO SEMPRE GOSTOU DOS MEUS ABRAÇOS E AGORA ISSO!
Mizuro: Eu acho que ele nunca gostou dos seus abraços viu.
Keigo: CALADO MIZURO.
Keigo vai para o canto chorar.
Tatsuki: E então pessoal, o que vocês fizeram no verão?
Orihime: Ah, bem, nós ficamos por aí lutando com vários caras fortes!
Chizuru: Eu não posso acreditar que a Orihime virou PUNK!!! Isso só pode ser coisa do Uryu, tenho certeza!
Uryu: Quem? Eu? Eu tô quieto aqui no meu canto. Vocês estão muito barulhentos.
Foi hora de Chad falar educadamente.
Chad: Todos parecem estar com muita energia depois das férias.
Michiru: Bem pessoal... eu tenho um convite a f-fazer!
Chad: Qual convite Michiru?
Michiru: Bem, eu estava pensando em ir à praia esse fim de semana, e queria saber se vocês não querem ir c-comigo.
Tatsuki: Acabamos de voltar das férias e você já quer ir pra praia de novo?
Ichigo: EU TOPO!
Orihime: Já que o Ichigo vai eu vou também!
Chizuru: Se a Orihime vai eu vou também! Não posso perder ela de bíquini!
Tatsuki: Se vocês duas vão eu vou também, para ficar cuidando de vocês.
Chad: Parece uma boa ideia Michiru, eu vou também, adoro pegar um bronzeado.
Michiru: Vai ser demais C-Chad! E você Mizuiro, não vai também?
Mizuiro: Claro que vou, não perderei a oportunidade de exibir meus músculos!
Michiru: V-você também precisa ir Uryu!
Uryu: E-eu? Nem pensar!
Ichigo: Claro que precisa, pegar uma cor nessa pela, tá muito branquelo!
Uryu: Eu vou pensar...
Todos saem da sala felizes conversando sobre o novo evento que está preparado para sábado.
Keigo se levanta do canto que estava e percebe que todos foram embora.
Keigo: CADÊ TODO MUNDO??? AGORA EU ACABEI TOTALMENTE SOZINHO MESMOOO!! AAAAAAAA

CONTINUA NO CAPÍTULO UM...

GodFire escreveu isso enquanto ouvia Darude - Sandstorm


Última edição por GodFire em Seg 26 Dez 2016 - 11:46, editado 9 vez(es)
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por xKai em Seg 7 Nov 2016 - 18:37

Fico feliz por ter mais uma fanfic de Bleach no fórum, apesar do autor ter dado uma ligeira cagada no final né, verdade é que bleach já não tava dando grana e a Jump fez o que ela faz quando isso acontece, pressiona o autor a terminar logo com a série, para que a mesma seja substituída, trágico, mas verdade. Bom, deixando a enrolação de lado, vamos ao que verdadeiramente importa, já que vim até aqui para falar da fanfic e não do anime/mangá.

Vou ser bem sincero, toda a ideia que você teve de forma alguma foi ruim, muito boa por sinal, dar continuidade a série, coisas que muitos fãs fazem ao não ficarem satisfeitos com a maneira a qual ela terminou, só que acho que você poderia mudar várias pequenas coisas na maneira que coloca no 'papel'. Sabe isso de colocar o nome do personagem seguido da fala? Bom, isso fica legal só se for um texto que você está decorando para uma peça de teatro, não fica legal de se ler como fanfic, já que não passa a sensação de ser um livro. Substituir o nome do personagem que fala tal frase utilizando um travessão após a fala indicando a ação é uma boa ideia, porém existem várias outras formas, então experimente a que melhor encaixar no seu estilo de postagem. Outra coisa que notei neste prólogo foi a total ausência de narrativas, sabe do que estou falando, não é? Ações, os personagens apenas dialogaram uns com os outros, é meio estranho, pois me passou um estranho vazio, quase como se estivessem todos reunidos em uma imensidão branca, simplesmente conversando, sem gesticular, totalmente imóveis.

Apesar dos pesares, sua escrita é muito boa, a pontuação foi correta e não tenho nada que te cornetar em relação a isso, acho que basta você aperfeiçoar estes pequenos detalhes e verá a melhora. O Keigo sempre me foi um personagem interessante, muito verdadeiro e bem vida louca, você o interpretou de maneira incrível, parabéns. Como fan da série, fico no aguardo do primeiro capítulo, até breve e boa sorte com a fanfic.

PS: Não use letra maiúscula para induzir uma exclamação, apenas um ponto de exclamação é o suficiente, não precisa repeti-lo tantas vezes.

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Ter 8 Nov 2016 - 0:30

Yo! Vim postar o primeiro capítulo, mas primeiro responderei os comment!

@xKai: Obrigado pelas dicas, vou escrever direitinho dessa vez, I promise! É pq o fórum tava vazio, aí escrevi um prólogo pra dizer 'Bitches, eu cheguei! Tem alguém aí?' Mas tenho certeza que a partir de agora vou me aprofundar mais na narrativa e no psiquê dos personagens! Very Happy Ah, eu adoro o Keiga, ele é tão engraçado... e trágico! Que bom que gostou espero que continue acompanhando estas minhas loucurinhas! :3



Bom gente, desta vez vim com um capítulo de verdade. Vale lembrar que sempre que aparecer personagens novos aqui na fanfic eu vou atualizar o Elenco lá em cima. Inclusive eu dei uma melhorada nele colocando as coisas em ordem, praquilo não virar uma bagunça.

01 - the shirtless




No caminho para a praia, manhã

Ichigo dirigia a kombi pela estrada, com os pensamentos à mil, muitas coisas tinham acontecido desde que tinha voltado da Soul Society, e agora era oficialmente um shinigami substituto. O que mais lhe preocupava foi o que aconteceu em sua batalha contra Byakuya, em que uma temerária máscara surgiu em seu rosto, controlando-o de forma nefasta. O pior temor de Ichigo é essa contra face maligna que existia dentro de si, além de que a máscara misteriosamente parecia muito com as máscaras que os Hollows usam. Estaria ele se tornando um Hollow? Isso seria possível?

- Você vai bater! - Gritou histericamente Keigo dentro da Kombi.
- Olha por onde você anda! - Disse Chizuru.
Ichigo rapidamente contorna o caminho da kombi para dentro da estrada.
- Desculpa pessoal, isso não vai mais acontecer! - Se defendeu Ichigo.
- Você está com a cabeça nas nuvens, o que estava pensando? - Perguntou sensatamente Orihime.
- Nada não. - Respondeu Ichigo com um sorriso querendo passar segurança.
- É bom essa kombi chegar vivinha na ida e volta, ouviu? Essa kombi é emprestado do pai da Michiru. - Explicou Tatsuki. - E obrigado novamente por nos emprestar a kombi Michiru, foi muita gentileza do seu pai nos emprestar.
- N-não foi nada! - Respondeu ela timidamente.
- Já estamos quase chegando, já consigo ver a praia! - Falou Chad.
- Amén. - Respondeu Tatsuki. - E o Uryu, tá tão caladinho... Está respondendo as mensagens das namoradinhas?
- Nada disso! - Defendeu-se Uryu.
- Foi muito l-legal da s-sua parte ter vindo com nós, Uryu! - Disse Michiru tímida.
- Que estranho, por um momento pensei que a mochila do Ichigo estava se mexendo! - Exclamou Mizuiro.
- Deve ser impressão sua! - Explicou Ichigo.
Não, ele não pode ter vindo junto, infiltrado na minha mochila!, pensou Ichigo.

Eles finalmente chegam a praia, Ichigo estaciona o carro e todos saem. A praia é linda, com a areia branquinha, o mar e o céu bem azul, uma brisa fresquinha e relaxante. Haviam poucas pessoas ali, seria ótimo porque poderiam aproveitar bastante.

- Ai que sol incrível! - Fala Chizuru.
- O dia está perfeito para a praia. - Comenta Mizuiro.
- Imagina como a água deve estar gostosa. - Diz Michiru.
- Alguém aqui surfa? - Perguntou Chad.
Todos responderam negativamente.
- Bem, onde é o lugar para se trocar? - Quis saber Tatsuki.
- Eu acho que é por ali. - Responde Orihime.
- Ótimo, vamos nos trocar juntas! - Diz Chizuru.
Tatsuki pega a colega pela gola e diz:
- A Orihime e Michiru vão se trocar primeiro, e nós vamos depois.
- Não é justo! - Responde Chizuru, com os braços balançando tentando fugir.
- Bem, o lugar de se trocar dos meninos deve ficar do outro lado então. Vamos lá gente! - Fala Keigo.

Quanto os meninos estavam seguindo para o local, Ichigo recebe um chute na cara.
- Olá Ichigo! - Diz uma voz conhecida.
- N-não pode ser... É você Rukia? - Indaga Ichigo.
- Euzinha. Responde Rukia, a moçoila estava com um sorriso no rosto.
- E não apenas ela! - Disse outra voz conhecida.
Ichigo viu que atrás de Rukia estavam Renji Abarai, Toshiro Hitsugaya, Ikkaku Madarame, Rangiku Matsumoto e Yumichika Ayasegawa.
- O que vocês estão fazendo aqui, e por que? - Quis saber imediatamente Ichigo.
- Bem, viemos dar uma visitinha. - Respondeu simplesmente Rukia.
- Assuntos hiper-secretos! - Explicou o careca.
- Calado, não é para você falar nada... - Fala Tohiro em tom de censura.
- Quem são eles Ichigo? - Pergunta Mizuiro.
- São alguns velhos amigos. - Comenta Ichigo.
- Não acredito, mais pessoas para me substituírem! - Esperneia Keigo, preocupado.
- Tenho certeza que todos vão se conhecer muito bem. Não importa a razão de estarem aqui, vocês vão se comportar muito bem, não vão? - Perguntou Ichigo pressionando.
- É claro que vamos! - Respondeu Matsumoto com um sorriso.
- Bem, prazer em conhecê-los! - Disse alegremente Mizuiro. - O vestuário das meninas é para lá.
É então que ouvem uma voz estridente e alguma coisa correndo pela praia levantando areia.
- Rukiiiiaaaaaaa!
Era Kon em forma de bichinho de pelúcia que vinha correndo. Ele pulou em direção a Rukia, mas a mesma pisou com o pé antes que ele conseguisse chegar nela.
- Eu pensei que alguém tinha gritado seu nome Rukia. - Responde Mizuiro.
- Ah, deve ter sido a Orihime querendo que a Rukia se apresse em se trocar. - Explicou Ichigo com um sorriso amarelo. - Não podemos perder essa manhã gostosa.
Kon tentava falar mas a voz estava abafada pelo pé da Rukia que estava pisando nele. Ela dá um chute no Kon e ele voa longe.
- O que foi isso que voou? - Perguntou Keigo.
- Foi só lixo da praia! - Responde Rukia. - Vamos nos trocar logo!

Era um local bem pequeno para se trocar, só cabiam três pessoas dentro. Chad, Mizuiro e Uryu se trocaram primeiro. Toshiro, Ikkaku e Yumichika foram os segundos. Ichigo, Renji e Keigo foram os últimos. Estar em um local com pouco espaço com três caras fez Ichigo se sentir desconfortável. Ichigo olha para o lado e vê Renji tirar a roupa, seu olhar se perde por alguns segundos no corpo musculoso cheio de tatuagens do amigo. já Keigo era todo magricelo, colocou uma sunga muito vergonha alheia.
- Bem pessoal, eu acho que vou ficar com essa roupa mesmo. - Diz Ichigo.
- Como assim? Tira logo essa camisa! - Comenta Reiji.
- Exibe esses músculos Ichigo, as garotas adoram! - Fala Keigo.
Ambos tentaram tirar a camisa dele à força, mas Ichigo consegue relutar.
- Pelo visto não são só as garotas que gostam dos meus músculos! - Diz ele impaciente.

Quando saem para a praia, todos estavam esperando por eles. Acontece uma breve apresentação entre todos, estavam em um número maior agora, logo teriam mais coisas para se descontrair.
- Bem, o que vamos fazer primeiro? - Pergunta Michiru.
- Eu vou surfar! - Respondeu Chad com sua prancha, correndo para o mar.
- Que tal nadarmos? - Pergunta Tatsuki.
- Pra mim é ótimo! - Responde Rukia, sorrindo.
- Vamos apostar corrida a nado! - Diz Tatsuki.
- Vamos! - Diz Rukia animada, e ambas correm para o mar também.
- Eu não sei nadar, tenho medo! - Responde Orihime.
- Bem, com certeza com esses peitões você não vai conseguir afundar! - Diz Keigo tarado. - Vai ficar boiando na água como se eles fossem boias.
Chizuru dá um soco na cara dele.
- Olha aqui, mais respeito com a Orihime ouviu! - Diz Chizuru. - Já você não afunda na água porque tem apenas ar dentro dessa cabeça, igual um balão!
- Bem, eu vou ficar aqui sentada tomando um bronze. - Diz Matsumoto, se sentando em uma cadeira de praia.
- Eu também! - Responde Orihime, sentando ao lado da outra.
- Bem, já que todas vão sentar eu faço o mesmo. - Exclama Chizuru chateada, visto que estava prestes a convidar Orihime para caminhar na praia.
- Bem, eu estava pensando em jogarmos um pouco de futevôlei! - Diz Michiru.
- Isso vai ser legal! - Comenta Ichigo. -Vamos montar logo os times.
- O que é futevôlei? - Pergunta Yumichika.
Ichigo e Michiru dão uma breve explicação do que é futevôlei: basicamente um esporte que se joga apenas na praia, onde existe uma rede, como a de vôlei, e usamos uma bola para tentar marcar pontos jogando a bola para o lado oponente. A regra é: não se pode usar as mãos, somente os pés, e não pode deixar a bola cair na rede.
- Que esporte bacana. - Diz Ikkaku curioso.

Os times ficaram: Uryu, Michiru, Ichigo e Keigo para o time vermelho; e Toshiro, Ikkaku, Yumichika e Mizuiro para o time azul. A partida começou acirrada, mas com o time azul levemente com uma vantagem. Mizuiro estava super contente mesmo fazendo pouco na partida.
- Não podemos perder! - Disse Michiru decisiva, nem parecia a mesma garota tímida de sempre.
Foi a hora do time vermelho conseguir dar a volta por cima. Todos ali eram bons jogadores, e estava tudo muito pau a pau, porém os vencedores do primeiro tempo foram os membros do time azul.
- Pode ter certeza que não vou deixar esse baixinho e o careca nos vencer! - Grita Ichigo, zombando de Toshiro e Ikkaku.
- Ora, seu! - Dizem eles.
O segundo tempo começou com vantagem para o time vermelho, e então com um sufoco eles conseguiram vencer. Agora estavam empatados, e cansados, teria apenas mais um tempo para desempate. Todos os outros vieram assistir e torcer para cada time respectivo. A sensação de alegria e diversão tomava conta deles. Todos estavam usando seus esforços para conseguirem derrotar o time inimigo, e os chutes estavam cada vez mais fortes, e a sincronia dos times cada vez melhores.
Quem conseguiu vencer, no fim das contas, foi...
- Nós perdemos! - Grita Yumichika.
- Eu não acredito! - Diz Ikkaku com os dentes cerrados.
- Melhor partida na próxima! - Gritou Ichigo com um grande sorriso!
- Eba! Eba! Eba! - Comemorava Michiru.
Keigo estava tão animado que soltava gargalhadas.
- Eu fui escolher logo o time errado! - Diz Mizuiro, se lamentando.
- Por mim não faz diferença, mas com certeza vencerei na próxima. - Diz Toshiro, sem se deixar abalar.
- Bom jogo, galera! - Diz Uryu, que tinha se mantido quase calado o maior tempo da partida.

Todos estavam tão cansados que podiam cair em uma das cadeiras de praia e dormirem. Ichigo se prontificou em pegar os refrescos que tinham trazido dentro de uma caixa refrigerada. Flutuando sorrateiramente perto da kombi estava alguém com uma Zanpakutō, um grande sorriso debochado estampado no rosto. Ichigo se afasta de última hora do ataque inimigo, em sua frente havia alguém com cabelos loiros pelos ombros.
CONTINUA NO CAPÍTULO 2...

Godfire escreveu esse post enquanto tomava suquinho de limão para passar o calor.
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Ter 8 Nov 2016 - 23:06

02 - the hint




Flutuando sorrateiramente perto da kombi, alguém com uma Zanpakutou se aproxima de Ichigo. Um grande sorriso debochado estampado no rosto, Ichigo se afasta de última hora do ataque inimigo. Em sua frente havia alguém com cabelos loiros pelos ombros, um sorriso largo e usava uma camisa social da cor laranja e calça e gravata pretas.
- Quem diabos é você? - Quis saber Ichigo ao perceber a estranha figura.
- Não faça alarde, Kurosaki Ichigo. - Diz o estranho com a voz calma. - Com esse tanto de poder espiritual, você não deve chamar atenção, senão vai ressoar pelo mundo e ser descoberto...
- Quem é você e o que quer? - Interrogou Ichigo impaciente.
- Meu nome é Shinji Hirako. - Respondeu o loiro. - E acho que é melhor mostrar a você o que se passa do que explicar com palavras.
Ele levantou a mão perto do rosto, e então pequenos fragmentos de luz começaram a se formar perto de seus dedos, ganhando forma, até se tornarem uma máscara. Parecia uma máscara de faraó de boca dupla com um capuz de fluxo curto por baixo da nuca. Mas acima de tudo, o mais chocante para Ichigo, foi perceber que ela parecia com uma máscara de Hollow.
- Zanpakutou e máscara de Hollow, eu sou um shinigami que pisou no domínio de um Hollow. - Explica ele. - Eu sou um VISORED, assim como você.
Ichigo estava sem palavras, então Shinji continuou com seu discurso:
- Se junte a nós, Ichigo, você não deveria estar do lado que está...
- Seja como for, eu recuso. - Diz Ichigo sem se importar.
- Mas nem terminei de explicar ainda! - Reclama Shinji.
- Não quero saber dessa conversa, não importa qual organização seja essa Visored, não estou com vontade de me juntar a vocês. Eu sou um SHINIGAMI, não sou como um de vocês.
Ichigo pega a caixa refrigerada dentro da kombi e dá as costas ao estranho, como se nada tivesse acontecido. A única coisa que queria era terminar o dia curtindo com os amigos, e não ficando paranóico com uma conspiração. Porém, sabia que, lá no fundo, quando voltasse a pensar no assunto, começaria a se preocupar. Shinji não o seguiu, nem insistiu, mas esse seria apenas o primeiro contato de Ichigo com os Visored.

O resto da tarde passou com Ichigo e seus amigos bebendo refrescos e descansando. Antes de começar a ficar muito tarde, resolveram que tinham que tomar banho antes de prosseguirem, para não encherem a kombi de areia. Os meninos seguiram para uma área ali perto da praia onde poderiam tomar banho. A casa de banho possuía alguns chuveiros onde podiam se lavar, e depois relaxar em uma banheira muito grande com água quente, onde cabia até cinco pessoas dentro.
- Estou louco por uma chuveirada! Preciso tirar a areia que entrou pelo meu calção! - Comenta Renji.
- Já eu preciso relaxar um pouco na banheira. - Diz Yumichika.
- Vamos entrar logo então. - Fala Toshiro, entediado.
Esse seria o momento perfeito para contar a eles sobre o que o cara loiro esquisito que apareceu, eles deveriam saber alguma coisa sobre.
- Pessoal, eu vou realmente precisar conversar com estes amigos - Diz Ichigo -, então vou entrar tomar banho com eles agora, ok?
- Tudo bem Ichigo. - Compreende Chad. - Nós esperamos.
Ichigo entra no banheiro, então se lavou rapidamente em um dos chuveiros entrou na banheira quente com os outros.
- A água está uma delícia. - Diz Renji, se escorando e fechando os olhos.
Ichigo estava pensando em comentar sobre Shinji Hirako, os Visored, e sobre o Hollow que estava despertando dentro dele, mas então percebeu as consequências que isso poderia ter. E se eles pensassem que eu iria virar um inimigo? Ou que estou traindo eles? Eu realmente deveria falar sobre essa sociedade chamada Visored? Ichigo não sabia quais seriam as consequências dessas revelações, então preferiu manter tudo o que ouviu em sigilo. Não queria ficar longe de seus amigos...
- Então pessoal... - Começou Ichigo -, por que vocês estão aqui? Sei que vocês não viriam para cá por qualquer coisa, com uma tremenda coincidência de nos encontrarem na praia.
- Já dissemos, não podemos falar. - Respondeu Renji, um pouco ríspido.
Percebendo que não conseguiria extrair nenhuma informação dele, resolveu encerrar o banho. Por um momento louco pensou que estavam ali por causa de sua companhia, que gostavam dele, mas devia ser outra coisa...
- Nossa, vocês demoraram hein? - Reclamou Keigo enciumado, assim que os cinco saíram da casa de banho. - Até pensei que tinham se afogado na banheira!

Mais tarde, eles já estavam se preparando para irem embora, quando os companheiros shinigami perguntaram se eles não queriam ficar ali pelo menos aquela noite. Eles tinham alugado um local para ficar, teriam lugares para todos dormirem. O grupo do colégio concordou em ficar, mas teriam que ir bem cedo amanhã. O local era limpo, aconchegante, com vários futons, cabia quatro pessoas em cada quarto.
- Vem dormir no nosso quarto! - Diz Keigo animado, em frente a uma porta onde estavam Chad, Uryu e Mizuiro também.
- Ichigo, você disse que ia ficar aqui no quarto com Yumichika, Ikkaku e comigo, não disse? - Indagou Renji do outro lado.
- Bem, eu... - Ichigo não sabia o que responder. Queria ficar perto de Renji, mas não sabia como falar isso aos outros. - Bem, eu acho que ficarei com Renji sim, são apenas quatro pessoas em cada quarto, então não sobraria espaço para alguém caso escolhesse ficar com vocês, Keigo.
Keigo parecia que tinha sido esbodeteado, novamente tinha sido trocado por outros.
- Mas o Mizuiro pode dormir na kombi, não pode? - Pergunta Keigo ansioso.
- Eu não! Lá não é seguro, nem confortável! - Responde Mizuiro ofendido.
- Mas e o Toshiro, Ichigo? - Perguntou Keigo com alguma esperança.
- Ele vai dormir no quarto da Matsumoto. - Respondeu rapidamente Renji.
- Não me diga que o baixinho anda pegando a peituda? - Diz Keigo, sem acreditar.
Restou a Keigo aceitar que a batalha havia sido perdida, e Ichigo dormiria no quarto dos rivais.
Anoiteceu e refrescou um pouco o ambiente, porém dentro dos quartos ainda estava muito quente.
- Olha o que tenho aqui comigo! - Diz Ikkaku, segurando uma caixa de cerveja.
- Nossa, vai ser ótimo agora com esse calor! - Comenta Yumichika.
- Eu deixei guardado, escondido - explicou Ikkaku -, e pedi para o Toshiro esfriar para nós com sua técnica de gelo. Como o gelo dele é diferente, não derreteu tão rápido, e as cervejas ainda continuam geladas!
Os meninos tiraram a camisa, se reuniram sentados no chão, abriram as latinhas de cerveja, pegaram um baralho e começaram a jogar buraco.
Ichigo estava sentado ao lado de Renji, e sentia o calor que emanava dele, mas não era como aquele calor abafado do ambiente quente, era um calor diferente... Era um calor agradável, um calor reconfortante, que o fazia sentir querer ficar mais perto dele. Ichigo não sabia o que estava acontecendo, estava uma confusão de ideias dentro de sua cabeça. De repente ouviu uma voz que não vinha de nenhum dos três que estavam ali ao seu redor.
"Se você não sabe o que fazer, deixe eu assumir o controle!" Era uma voz dentro de sua mente.
"Você!" Pensou. "Você agora não!"
"Agora e sempre, Ichigo Kurosaki!" Respondeu a voz de forma ameaçadora. "Quando você abaixar a guarda, consumirei completamente a sua parte, e dominarei seu corpo".
"Nunca, você não conseguirá isso! Não vou deixar!" Sem perceber, Ichigo tinha pensado alto demais.
- Está tudo bem com você, Ichigo? - Perguntou Renji.
- Está sim. - Disse Ichigo, sem parecer muito confiante.
"Fraco, fraco, fraco..." ressoava a voz em sua cabeça até desaparecer.
- Já está tarde demais, acho melhor encerrarmos a jogatina por hoje e continuarmos amanhã. - Diz Renji.
Ichigo olha para os outros dois, que parecem não ter reparado o que tinha acontecido com ele. Yumichika e Ikkaku se olhavam de forma esquisita, como se estivessem se encarando. Deviam estar bêbados, e já nem percebiam mais o que acontecia ao seu redor. De forma inesperada, eles se beijam, o corpo de Yumichika cai sobre Ikkaku, e ambos se deitam. E não era um simples beijo, era um beijo vigoroso.
- Ichigo, vamos dar uma caminhada ali fora? - Disse Renji precisamente.
- C-claro. - Concorda Ichigo.
Quando saíram para fora do quarto, Ichigo não hesitou em perguntar:
- O que houve com eles?
- Bem, eles são um casal agora. - Respondeu simplesmente Renji.
- Agora desde quando? - Perguntou Ichigo curioso.
- Já faz algum tempo que eles parecem estar juntos, mas resolveram se assumir apenas recentemente, assim que vocês saíram da Soul Society e voltaram para casa.
- Compreendo. - Disse Ichigo, mas ainda continuava meio que sem acreditar.
- Sabe, nós dois poderíamos ser como eles também. - Comentou Renji, sorrindo.
- C-como assim? - Disse Ichigo, corando.
- Nós poderíamos ser um casal. - Disse Renji decisivo, chegando mais próximo de Ichigo, pegando em sua cintura e trazendo seu corpo para perto.
Ichigo hesitou por um momento, mas então disse:
- Por favor Renji, não!
Renji ficou sério, e então se afastou.
- Vamos dar um passeio pela praia? - Perguntou por fim Renji.
- Vamos.

Os dois começaram a caminhar despreocupadamente pela praia, o vento noturno soprava contra o peito nu deles, e lhes dava uma sensação rápida de friozinho. Ichigo estava tão tímido que não olhava para Renji.
- Ichigo, você quer contar alguma coisa? - Questionou Renji de forma inesperada.
- Eu? Não... nada... - Responde Ichigo prontamente.
- Sabe, eu acho que às vezes você esconde muitas coisas dentro de si...
- Bem, são um monte de coisas sim...
Um monte de coisas que provavelmente nunca poderia compartilhar.
- Vocês vão continuar por aqui, no mundo humano?
Renji deu uma risinho e responde:
- Bem, isso você irá descobrir.
Eles continuaram caminhando, sem rumo, pela praia. Estavam tão felizes de estarem juntos um do lado do outro que não sentiam necessidade de conversar. Contudo Renji comenta:
- As estrelas estão tão lindas.
Ichigo olhou para o céu, estava uma incrível noite estrelada.
- A Lua também está incrível. - Observa Ichigo.
- Enorme e brilhante. - Complementa Renji. - Iluminando o mar que brilha como uma safira.
- Você quer entrar na água nadar um pouco? - Perguntou Ichigo, com uma coragem que não sabia de onde tirou.
- Quero. - Respondeu Renji com um sorriso.
Ichigo e Renji saíram correndo logo em seguida entraram no mar. Nadaram por um tempo, e ficaram observando a Lua, depois viraram um em direção ao outro, e começaram a se olhar demoradamente... Podiam ficar a noite inteira assim, um observando o outro.
Depois que saíram, Renji estendeu na areia duas toalhas que tinha trazido, ambos deitaram molhados sobre elas. Ichigo tocou a mão de Renji que estava perto, era tão bom sentir o toque de alguém. Novamente continuaram a se olhar, Renji estendeu a mão e tocou o cabelo laranja de Ichigo, e depois seguiu até seu pescoço. Foi a vez de Ichigo tocá-lo, colocou a mão sobre as tatuagens que Renji tinha no rosto, e depois foi descendo pelo pescoço, pelas tatuagens que tinha no resto do corpo...
- Eu acho melhor voltarmos. - Diz Renji, sem desviar o olhar de Ichigo. - Antes que alguém note a nossa falta.
Ichigo ficou por um tempo sem reação, com a mão sobre a tatuagem na cintura de Renji, depois concordou e ambos voltaram para o abrigo.
Em seus corações, sabiam que aquela haviam sido uma das melhores noites de suas vidas.

No dia seguinte, todos acordaram cedo. Tiveram uma noite revigorante, e agora estavam preparados para voltar para casa.
Ou pelo menos quase todos...
- Keigo, acorda! - Diz Mizuiro. - Já está na hora de irmos.
- Já estou me levantando, calma... - Diz Keigo, se levantando com uma moleza no corpo, e caindo logo em seguida no futon.
Ichigo e seus amigos do colégio se despendem de Renji e sua turma. Ichigo voltaria de Kombi, enquanto os shinigamis seguiriam de carro.
Duas horas depois...
- Hm... que horas são? - Indaga Keigo, finalmente acordando. Esfrega os olhos e percebe que está sozinho no quarto. - Pessoal?
Ele prossegue até a porta, e quando sai do quarto pisa em uma coisa fofa.
- Um bichinho de pelúcia em forma de leão? Será que alguém esqueceu isso aqui?
Keigo pega Kon na mão e carrega consigo, começa a olhar ao redor e não vê ninguém. Vai abrindo a porta de cada quarto e não encontra nenhum dos amigos. Começou a se preocupar, foi investigar onde estava a kombi, e não viu nada.
- Não-pode-ser... - Exclamou ele. - Ichiiigoooooooooooo!!
Já longe, durante o trajeto na estrada...
- Sabe, estou com a estranha sensação que esquecemos alguma coisa. - Comenta Ichigo.
- Ah, não deve ser nada. - Diz Tatsuki.
CONTINUA NO CAPÍTULO TRÊS...
GodFire escreveu isso e depois foi devorar deliciosos cookies


Última edição por GodFire em Qui 17 Nov 2016 - 23:21, editado 1 vez(es)
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Dom 13 Nov 2016 - 2:20

EU SEI EU SEI que meu amigo xKai pediu pra eu postar um capítulo apenas por semana, mas como eu estou COM MUITO FOGO eu vou postar outro capítulo logo. Tenho certeza que quando xKai começar a ler ele não vai terminar enquanto não chegar ao capítulo mais recente.

03 - black cherry




Karakura High School, manhã
Ichigo estava sobre o terraço da escola, pensando na vida. Quase podia ver o sonho que estava sonhando. Mas havia uma voz dentro de sua cabeça dizendo que ele nunca iria alcançá-lo. Cada passo que estava dando, cada movimento que fazia, parecia perdido sem nenhuma direção. Sua fé estava abalada... mas tinha que continuar tentando, tinha que manter a cabeça erguida. Sempre haveria uma outra montanha, sempre iria querer movê-la, e sempre seria uma batalha difícil. Às vezes teria que perder, não é sobre o quão rápido chegaria lá, não é sobre o que está me esperando do outro lado. É a escalada.

Mãos surgem tampando a visão de Ichigo.
- Adivinha quem é. - Perguntou a voz.
- Renji, eu sei que é você. - Revelou Ichigo. Conseguia reconhecer a voz, o hálito perto de seu pescoço, o calor que emanava do corpo dele.
Ele retirou as mãos e olhou para Ichigo, sorrindo. Renji usava roupa de colegial, o que surpreendeu Ichigo. Então perguntou sério:
- O que você está fazendo aqui?
- Vou estudar aqui.
- Estou percebendo. Mas por que?
Ichigo não estava nada satisfeito com essa visita. Desceram juntos até a sala onde Ichigo estuda, e encontraram Toshiro Hitsugaya, Ikkaku Madarame, Rangiku Matsumoto e Yumichika Ayasegawa. Todos uniformizados.
- O que diabos estão fazendo aqui? - Interrogou Ichigo, começando a se zangar.
- Viemos cuidar de um novo tipo de Hollow. - Respondeu Toshiro.
- Novo tipo de Hollow? - Questionou curioso Ichigo.
- São chamados de Arrancar, são Hollows mais poderosos que o normal.
- Eu não ouvi falar de nenhum Arrancar que tenha aparecido por aqui. - Desconfiou Ichigo.
- Bem... ele apareceu justamente quando você estava na praia.
- Vocês estarem justamente na praia comigo quando esse Hollow apareceu, ao invés de estarem salvando a cidade. Expliquem isso.
- Bem, estávamos desconfiados que poderiam aparecer Arrancars em outros lugares...
- E o que aconteceu com o Hollow que estava aqui?
- Foi destruído por um dos shinigamis que existem nesta área. Você não é o único shinigami que cuida desse local, sabia?
- E o que tem demais nestes Arrancar? - Quis saber mais o garoto de cabelo espetado.
- Arrancar são um grupo de Hollows que ganham mais poderes quando retiram suas máscaras. Mas não é tão fácil um Hollow conseguir isso, eles precisam estar em um elevado nível para fazer tal coisa. E também não é nem ao menos comum, por isso suspeitamos que Aizen esteja por trás de tudo, usando o Hogyoku para criar cada vez mais Arrancars.
- Hollows que conseguem... arrancar suas máscaras?
- Foi exatamente o que disse.
- E como um Hollow fica quando retiram suas máscaras?
- Digamos que isso você terá que descobrir quando enfrentar um.
A aula já estava prestes a começar, então todos se despediram e saíram. Ichigo tentou se concentrar na aula, mas sem chance, seus pensamentos voavam cada vez mais longe para assuntos que o deixavam apenas mais deprimido. Quando terminou a aula foi o primeiro a sair, o mais depressa possível, sem se despedir de ninguém. Não queria falar com ninguém, não queria ver ninguém, tinha vontade gritar, de chorar. Vontade de apenas ficar sozinho.

Quando já estava quase chegando em casa, Renji apareceu, sua voz parecia alegre:
- Ei, Ichigo! Espera!
- O que foi? - Resmungou Ichigo, tentando responder o mais calmo possível.
- Bem, já que vamos ter que continuar no mundo humano por um tempo, vamos precisar de um lugar para ficar...
Ichigo ouvia quieto, já esperando o pior.
- Não sei onde os outros vão ficar, mas eu pensei... - Renji tomou fôlego antes de continuar falando-, pensei se não poderia ficar aqui com você...
- Aqui onde?
- Na sua casa, oras.
- Não, isso não vai dar certo. Meu pai nunca vai deixar.
- Você não quer que eu fique na sua casa porque tem medo do seu pai descobrir sobre nós?
- "Nós"? Não há nada sobre nós.
Renji ouviu isso e ficou em silêncio.
- Eu poderia tentar falar com seu pai...
- Não, ele não vai aceitar... Meu pai é muito ciumento com as minhas irmãs, ele nunca deixaria outro homem dormir sob o mesmo teto que ele.
Renji tentou mudar o rumo da conversa para alguma coisa mais divertida:
- Você lembra aquela vez que eu atirei nele? Seu cabelo ficou engraçado!
Renji tentava animar Ichigo mas não conseguiu, ele nem ao menos respondeu. Já tinha se acostumado com o humor de Ichigo, ou a falta dele, seu tom melancólico e triste. Parecia sempre carregar um fardo maior do que poderia carregar, sem compartilhar com ninguém. Ichigo continuou a seguir caminho para sua casa, sozinho, como se estivesse subindo a escada de Jacob.
- Você está bem?
- Estou.
- Todo mundo que tá mal diz que tá bem.
Ichigou parou de caminhar por um momento, mas respondeu sem se virar para trás:
- A grande diferença é que sei lidar com isso. Eu me sinto confortável com a minha tristeza... minha solidão... Eu gosto disso, não finjo como se isso não fizesse parte de mim.
Renji não tinha resposta para aquilo, deixou apenas que ele continuasse caminhando sozinho. Agora era ele que começava a ficar triste, pensou que podia trazer alegria ao comportamento de Ichigo, mas percebeu que não.

Ichigo abriu a porta de casa e já recebeu um soco do pai indo parar no chão. Ouviu seu pai apenas balbuciar alguma coisa, e depois sua irmã aparecendo e falando um monte também. Não estava prestando atenção em nenhum deles, subiu as escadas e foi para seu quarto, tirou a roupa e deitou na cama.
"Desde que rejeitei ELE" Refletiu Ichigo. "Aquela máscara que sempre voltava quando eu a afastava de repente desapareceu. Mas a partir disso... eu posso ouvir direto a voz DELE me chamando. Do jeito que está..."
"Do jeito que está o quê, hein?" Interrogou a voz medonha e distorcida do Hollow em sua mente.
"Maldito"
"Não está medroso demais, Ichigo? Como é fácil saber o que você pensa! O desejo em seu coração! Que divertido, vou te fazer sentir mais medo. Vou vir chegando aos poucos. Mas não a cada dia... Será muito mais rápido que isso!"
Ichigo fica assustado.
"Com certeza estou bem mais próxima do que agora há pouco! Desse jeito me aproximo cada vez mais... e vou te engolir! Com isso você vai... desaparecer."
O Hollow solta uma risadinha e vai se embora.
Lá fora começa a chover, o barulho da chuva faz Ichigo ficar relaxado, e ter sono. Ichigo acaba dormindo sem nem perceber. Está em um sonho, ou algo que acredita ser um sonho, usando suas vestes de shinigami. Em um lugar que se parece muito com o real, mas com vários prédios altíssimos, e ele estava justamente no terraço de um desses aranha-céus. Já era noite, as estrelas brilhavam no céu, e tudo estava escuro demais.
"Olá Ichigo"
"Você"
Ele procurou ao redor e encontrou seu Hollow interior escondido nas sombras. Tinha a aparência do corpo exatamente a sua, exceto que suas cores pareciam invertidas. Ele é bastante alto e magro, com pele e cabelos brancos. Seus olhos consistem em pupilas negras, íris branco e preto esclera. Vestia um branco shihakusho com um cinto de pano preto.
"O que você quer?"
"Estou aqui simplesmente para realizar os desejos de seu coração"
O Hollow se aproximava cada vez mais. Era uma visão tão hipnótica, que Ichigo não conseguia se mexer, apenas observar. O hollow tinha movimentos leves, tinha a parte de cima de seu shihakusho um pouco aberto, exibindo seu peitoral por baixo. Ele tinha um olhar voraz, e um sorriso ardente no rosto. Aquela visão de certa forma o excitava. Suas mãos brancas aproximaram do rosto de Ichigo, e então ele foi aproximando todo seu corpo.
"É isso que você quer, não é?"
Ele começou a beijar um lado do rosto de Ichigo, enquanto abraçava seu corpo de forma vigorante. Ichigo começou a respirar mais forte. O Hollow beijou Ichigo nos lábios, e o mesmo retribuiu o beijo. Em nenhum momento Ichigo revidou, ou tentou escapar. Queria ir até o fim com isso.
O Hollow estava possuindo seu corpo.

Mais tarde
Renji estava no topo da torre de uma igreja, em sua forma de shinigami, enquanto as chuvas caíam e molhavam seu rosto, suas roupas, seu corpo. A chuva estava fria, mas ele sentia que isso fazia bem para seu espirito. Nenhum pensamento passava pela sua cabeça, a não ser contemplar a chuva, o barulho, o cheiro de concreto molhado. Ficou surpreso quando sentiu duas mãos tampando sua visão.
- Advinha quem é.
Renji sorriu e respondeu:
- Eu sei que é você, Ichigo.
Ele se virou para contemplar seu amado.
- Ichigo, que máscara é essa?
Uma máscara branca cobria seu rosto.
- Você gostou?
Renji não tinha imaginado aquilo, mas gostou da ideia.
- Eu tinha notado uma certa hesitação em você... - Disse sem entender.
- Sinta a minha temperatura subindo.
Ichigo colocou a mão de Renji sobre sua pele, estava queimando.
- Você está bêbado ou sóbrio? - Renji questionou pensativo. - Bem, não importa.
- Se é contra a lei, me prenda. - Exclamou Ichigo. A máscara lhe dava um ar misterioso irresistível. - Você tem uma reputação à provar.
- Use seus músculos. - Pedia Renji.
A chuva esfriava o calor dos dois corpos intrínsecos, suas sombras na parede se fundiam em uma só.
- Tire minha máscara. - Disse Ichigo em êxtase.
Renji colocou a mão em torno da máscara e puxou, mas ela não saiu.
- Puxe.
O shinigami começou a puxar mais e mais forte, e mais forte...
- Puxe... puxe... puxe!
A máscara se libertou do rosto de Ichigo. Sua magia rompida, e agora se despedaçando. Renji tocou o rosto que apareceu por trás, exausto. Ichigo então lhe beijou.
- Te amo.
CONTINUA NO CAPÍTULO QUATRO...
GodFire escreveu isso enquanto ouvia Magic Dance - David Bowie
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por xKai em Qua 16 Nov 2016 - 16:47

Como você postou rápido demais e eu estava sem tempo para passar aqui, vou ter que acabar fazendo um comentário só referente aos capítulos já postados, como um conjunto :3

Bom, o primeiro capítulo me aparentou como o prólogo, uma leve introdução dos personagens, simplesmente citou os humanos e shinigamis convivendo naquele dia de feriado, ou final de semana, enfim -q Algo bem legal, isso mostra que mesmo com suas funções, todos são aptos a se divertir sempre que puderem, nos momentos bons e nos ruins. (Só não sei porque de o Ichigo estar dirigindo -q Ele pode? -q)

Serei bem franco, o segundo capítulo me pegou de surpresa, eu não esperava que seria uma fanfic de romance, eu gosto de alguns poucos tipos de romance e sou bem crítico nesse assunto, não tenho o menor preconceito, o romance pode ser hétero, gay, bi, trans e o que mais tiver, eu só não gosto muito de certos exageros -q Sério, tem gente que narra os intercursos sexuais com tantos detalhes, que causam o mesmo impacto que um vídeo pornô... Uma coisa bem pornográfica -q O que acho que não é bem o caso aqui, vejo apenas uma pessoa confusa, querendo, sei lá, talvez se aproximar da pessoa que gosta... O capítulo seguinte foi basicamente uma continuação daquilo, que já era um pouco esperado, só acho que este seu fogo, sei lá, talvez esteja apressando as coisas -q Ou vai ver eu que sou chato mesmo kkk Por mais que acredite em amor a primeira vista, eu gosto de romances bem desenvolvidos, e não algo que começa uma hora e na seguinte já os leva para a cama -q Sei que é meio antiquado, coisa de tempos antigos, talvez, mas é o meu gosto pessoal.

Erros ortográficos não vi nenhum além de uma parte que você escreveu "lombi" onde acredito que seja "kombi", logo foi um erro de digitação, comum já que as letras ficam próximas, a pontuação foi excelente assim como o perfeito uso de sinônimos, parabéns mesmo. Bom, isso é tudo por enquanto.

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Sab 19 Nov 2016 - 22:56

@xKai: Entoncés, eu não escrevi nada pornográfico, eu apenas sugeri alguma coisa na relação dos dois, coube a sua imaginação pensar o que eles fizeram. ;3 Não será uma história de romance, não espere ver apenas isso, o foco é outra coisa. Vamos ter vários dramas aí pelo meio, haverá batalhas, e tudo vai convergir em uma bola de neve que não para de rolar, apenas aguarde. Obrigado por elogiar meus sinônimos, sou particularmente orgulhoso deles! <3

04 - side path




Quarto do Ichigo, tarde da noite.

Logo depois de encontrar o Renji na torre de uma Igreja, Ichigo voltou rapidamente para casa, tomou um banho, deitou na cama e dormiu. A partir de agora tentaria evitar Renji de todas as formas, não queria revelar à ele que o momento que passaram juntos foi sob influência de seu Hollow interior. Ichigo tinha plena consciência de tudo que estava fazendo com seu parceiro shinigami, mas é como se seus desejos, suas vontades, seus movimentos... fossem manipuladas pelo Hollow. No fundo não sabia porque estava se condenando pelo que fez, é aquilo que queria no fim das contas. Talvez seja o espírito lobo solitário que tinha dentro de si, afinal ele sempre gostou de ficar sozinho, tinha orgulho disso, achava cool perante os outros, e agora tem que aprender a lidar com outra pessoa...
No dia seguinte, quando acordou com o sol brilhando pela janela, se levantou ainda sonolento, e abriu a porta do guarda-roupas. Sua expressão foi de susto ao ver que Renji estava dormindo só de cueca ali dentro.
- O que você está fazendo aqui? - Indagou Ichigo quase gritando.
Renji se acordou meio sonolento e ao ver Ichigo se aproximou dele.
- Bom dia! - Falou, e tentou dar um beijo. Ichigo o evitou.
- Eu fiz uma pergunta. - Disse Ichigo de forma quase grosseira.
- Bem, a Rukia me contou que tinha uma espaço dentro do seu guarda-roupa, e como preciso de um lugar para morar, resolvi vir aqui! - Explicou, com um sorriso.
- Renji, escuta, eu só queria dizer que ainda não estou preparado...
- Como assim? E ontem, o que foi aquilo para você?
Não podia dizer que aquilo só aconteceu porque estava sendo controlado pelo Hollow, principalmente depois da declaração de "eu te amo" que Renji fez. Nem sabia se ele falou pra valer, ou se foi apenas uma frase dita no meio do calor da cena, mas preferiu não arriscar.
- Aquilo foi um momento... - Começou a se explicar. - Talvez estamos apressando as coisas. Ou vai ver eu que sou chato mesmo. Eu gosto de romances, sei que sou meio antiquado, coisa de tempos antigos... Mas é meu jeito.
Renji ficou desconfiado, mas já sabia que Ichigo Kurosaki era complicado.
- Sou eu que durmo dentro do guarda-roupa e parece que é você está que está preso dentro do armário.
- Nada a ver! - Exclamou Ichigo indignado.
- Bem, já que não vou ganhar nem um café-da-manhã, vou me arrumar para a escola.
Renji se vestiu e então pulou pela janela. Ichigo esperava que nenhum vizinho visse aquilo.

Karakura High School, manhã

Depois das aulas, Ichigo foi conversar em particular com Rukia, ela sempre almoçava no terraço da escola.
- Olá. - Disse ele simplesmente.
Ela só deu uma rápida olhada nele e depois voltou a apreciar a vista.
- E então, onde você está morando? - Perguntou Ichigo.
- Estou morando na casa do Urahara. - Respondeu ela, simplesmente.
Ichigo não sabia como continuar a conversar, mas sentia que precisava se abrir com alguém.
- Rukia, foi você que deu a ideia para o Renji sobre dormir no meu guarda-roupa? - Perguntou em tom descontraído.
- Sim, fui eu. - Confirmou Rukia, sem estar muito disposta para conversas.
- Bem, porque você fez isso?
- Para vocês dois ficarem juntos.
O garoto de cabelo laranja percebeu que ela já sabia de alguma coisa. Não tinha porque esconder o que acontecia consigo.
- Rukia, eu acho que... Eu acho que gosto de caras...
Ela não disse nada.
- Rukia, eu GOSTO de HOMENS! - Falou confiante Ichigo.
- Bem, isso é tão normal. - Comentou, sem saber muito o que dizer. - Obrigado por revelar para mim, ok? Isso mostra que você confia em mim como amiga.
- Eu me sinto melhor assim, contando para alguém.
- Você e Renji estão juntos então? - Questionou Rukia, sem querer parecer intrometida.
- Não!
A shinigami olhou Ichigo sem entender, ao ver a expressão dela, explicou:
- Nós estamos nos conhecendo...
- Se é isso que você diz.
Ichigo resolveu mudar de assunto:
- O Jinta e a Ururu não te enchem muito o saco? Aquelas pestinhas...
- Na verdade não, eu não dou brecha para eles me incomodarem.
- E o Ikkaku e Yumichika estão dormindo aonde?
- Na casa de algum colega aqui da escola.
- E a Matsumoto e o Toshiro?
- A Matsumoto vai ficar na casa da Orihime, já o Toshiro não sei.
O sinal indicando que o intervalo acabou tocou. Ichigo e Rukia voltaram para a sala.

Depois da aula, período da tarde

Keigo caminhava solitário por entre as ruas da cidade, carregando na mão o Kon, que fingia não se mexer.
- Ainda não consegui descobrir de quem é essa pelúcia. - Falou sozinho consigo mesmo. - Pode ser que pertença a alguém que foi com nós no passeio da praia.
E lembrar do passeio na praia o deixou furioso.
- Maldito sejam todos que me esqueceram lá! Tive que ligar para minha irmã vir me buscar, e ela ficou furiosa e começou a debochar de mim. Fiquei deprimido.
Então ele se lembrou que os amigos de Ichigo vieram estudar na escola e estavam morando na cidade.
- Droga, ainda tenho aquele careca e sobrancelhudo morando na minha casa. O careca quase ameaçou me matar se não me deixasse morarem comigo. E o pior de tudo é ver que minha irmã não se preocupou nem um pouco com dois estranhos morando na nossa casa, muito pelo contrário, ela ficou feliz. Minha irmã tinha que se apaixonar logo por um cara degenerado e careca? Pelo menos o sobrancelhudo era mais comportado...
Olhou para o Kon em sua mão, e então suspirou:
- Nem você está me aguentando ouvir falar né? Eu sou um cara chato mesmo...
Foi então que teve uma ideia brilhante.
- Ouvi dizer que a Matsumoto está morando na casa da Orihime! Vai ser uma excelente ideia passar por lá! Vou perguntar para elas se não esqueceram essa pelúcia na praia, ou melhor... vou dar de presente para elas!
Só de pensar nas garotas Keigo já começava a ficar excitado e feliz.
Olhando para o céu, percebeu que uma linha preta enorme apareceu, em seguinda uma fenda se abriu, e uma mão branca cadavérica apareceu. A criatura que apareceu em seguida era gigantesca e monstruosa. Usava uma máscara branca medonha com nariz pontudo, um manto preto gigante que lhe cobria o corpo todo, possuía espinhos que saíam do lado do que parecia ser seu pescoço, e também possuía um buraco no meio do corpo. Sentiu vontade de sair correndo, mas simplesmente seu corpo paralisou de medo.
Foi então que duas figuras apareceram, vestidas de preto e carregando espadas, para enfrentar a criatura. Keigo prestou atenção e percebeu que se tratava de Ichigo e o cara com cabelo de abacaxi vermelho. Ambos começaram a batalhar contra o monstro, mas pareciam estar levando uma surra, o tamanho deles era minúsculo se comparado com a criatura.
- Esse é o Arrancar que o Toshiro falou? - Gritou Ichigo para Renji. - Eu nunca tinha visto um Hollow tão grande.
- Não, esse é um Gillian, um Hollow um pouco mais poderoso que o normal. - Respondeu Renji no mesmo tom de voz.
Ichigo liberou um poder maior de sua espada e cortou o monstro bem ao meio, que evaporou em seguida. A fenda no céu se fechou também, fazendo tudo voltar ao normal. Keigo não conseguia acreditar no que acabou de presenciar.
- Cara, você foi demais nessa batalha. - Gritou Renji.
Ambos se aproximaram e se beijaram. A expressão de Keigo é de complexa surpresa. Não conseguia acreditar que Ichigo na verdade gostava de homens. O que estava acontecendo que não sabia?

Na casa de Orihime...

Matsumoto tomava um banho quente, enquanto Orihime estava sentada no chão fora do banheiro, escorada na parede.
- Como está a água? - Pergunta Orihime.
- Está ótima, mas é meio apertado aqui. - Responde Matsumoto.
- Me perdoe.
- Ah, desculpa, eu não quis criticar. E você... Por que está tão desanimada hoje?
- Hã? Não tô desanimada não...
- Pode falar, eu fico te ouvindo.
- Ah, mas não estou desanimada, de verdade!
- Caso não fale, vou fazer umas coisas bem doloridas com você, ouviu?
Orihime não sabia como falar sobre esses assuntos, contudo começou a falar calmamente tudo que estava preso dentro dela:
- A Kuchiki-san é incrível, né? Hoje no almoço ela conseguiu animar o Kurosaki-kun que estava tão abalado. Fez puft! E ele já ficou melhor.
Matsumoto continuou em silêncio, e Orihime continuou a desabafar:
- Eu sou uma menina má, não é? Eu achei que ficaria feliz em ver o Kurosaki-kun melhor. Foi o que pensei, mas a Kuchiki-san voltou e ELA o fez ficar mais animado. Eu deveria ficar muito feliz, mas... - As lágrimas começam a escorrer pelo rosto de Orihime. - Mesmo assim eu... fiquei com ciúmes da Kuchiki-san! A Kuchiki-san é uma pessoa gentil, forte, bonita, fez o Kurosaki-kun ficar melhor. Eu gosto tanto dela, mas por que eu fico assim? Na escola não penso nessas coisas, mas quando volto para casa tudo muda! Droga, eu me sinto envergonhada!
A porta do banheiro se abre e Matsumoto aparece. Ela abraça Orihime, que fica surpresa.
- Que bobinha! - Diz em auxílio da garota.
De imprevisto, começa a fazer cócegas nela sem parar, fazendo-a rir desesperadamente. Quando a outra não tinha mais fôlego, começou a aconselhar:
- Continue sendo você mesma, assim como a Kuchiki. O Ichigo é um garoto que não consegue fazer as coisas sozinho. Ele precisa muito de você e de Kuchiki. E o que tem sentir ciúmes? Você não está aceitando seu próprio jeito de ser? Sabe... É fácil ficar fugindo e esperando algo de outra pessoa. Mas você não foge, e sempre tenta se aceitar como é. Isso é incrível, Orihime.
A garota de cabelo laranja se emociona fortemente com os conselhes da colega shinigami. Abraça ela e encosta a cabeça nos peitos dela, chorando descontroladamente.
- Você é sensível... - Diz Matsumoto. - Pode chorar, faz bem, pode usar meus peitos o quanto quiser!

Do outro lado da cidade...

Uryu caminha sozinho de volta para casa, carregando algumas comprinhas, quando é atacado por um Hollow. Ele consegue desviar bem há tempo. Não conseguiria fazer muita coisa na batalha, visto que perdeu seus poderes durante a batalha na Soul Society.
- Você conseguiu atravessar as dimensões, pelo que estou vendo.
O Quincy começou a correr, sendo perseguido de perto pelo Hollow. A criatura usou sua língua demoníaca para lhe desferir um golpe, e quase o acerta, se não fosse for uma flecha de luz atravessando a rua e destruindo o monstro no mesmo instante. É então que uma nova voz aparece:
- Você chegou ao fundo do poço, não é mesmo... Uryu?
- Não pode ser... - Diz Uryu observando o homem que se aproximava. - Ryuken!
- Chama seu pai pelo primeiro nome... - Diz Ryuken. - Você nunca muda mesmo.
Ryuken tinha cabelos completamente brancos e usava roupa social branca. Tinha uma pose séria, com uma feição inflexível.
- Sua pobre existência tentou agir, mas no fim não resultou em nada. - Debochou Ryuken. - Mas eu sou capaz de fazer seu poder voltar como era antes.
- C-como...?
- Primeiro, eu tenho uma condição.
- Qual?
- Jure que, a partir de agora, você nunca mais se juntará aos shinigamis!
Uryu parecia hesitar perante a condição, mas respondeu:
- Eu quero ter meu poder Quincy de volta!
- E então?
- Eu prometo, a partir de agora nunca mais vou me juntar aos shinigamis, ou seus companheiros...
- Perfeito... Em breve começaremos seu novo treinamento.
CONTINUA NO CAPÍTULO 4...
Não percam o próximo capítulo que as coisas vão pegar fogo!


Última edição por GodFire em Seg 26 Dez 2016 - 0:09, editado 3 vez(es)
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Sab 3 Dez 2016 - 1:20

Esse capítulo demorou mais a sair porque Novembro foi um mês que tive muuuuuuuitas coisas para fazer! E não apenas isso, eu estava evitando escrevê-lo porque é mais tenso que o outros. A vida nem sempre é feita de alegrias, não é mesmo? Não vou falar mais nada, leiam o capítulo!

05 - the fight



Casa dos Kurosaki, noite

Ichigo e Renji entram no quarto do Ichigo pela janela. Foi uma ronda cansativa matando hollows. O pai do Ichigo perguntou se o filho queria jantar, e ambos perceberam que estavam com muita fome. Ichigo trouxe um prato bem maior para Renji comer também. Eles já tinham deixado alguns hashis guardados dentro do quarto para que Renji pudesse comer.
- Sabe... - Disse Renji, com a boca cheia, e terminando de comer antes de falar. - De vez em quando podíamos ir jantar fora para não levantarmos suspeitas em sua família sobre você estar comendo apenas dentro do quarto.
- Boa ideia. - Confirmou Ichigo. - Aonde você quer comer?
- Que tal um restaurante mexicano? Sempre quis comer em um... Você já comeu um taco?
- Nunca, mas sempre tive vontade de comer um burrito.
Depois que terminaram, Ichigo levou os pratos para a cozinha e começou a lavar, já que era sua noite de limpar a louça. Desejou boa-noite a todos os parentes e voltou para o quarto dormir. Renji já estava deitado dentro do quarto roupa, e Ichigo fez o mesmo dormindo em sua cama. O guarda-roupa sempre ficava aberto durante a noite, e vendo Ichigo dormir tão perto de si, Renji sentiu um forte desejo de dormir ao seu lado. Saiu do armário e foi caminhando lentamente até a cama de Ichigo, sem fazer barulho para não acordar a casa inteira. Deitou ao lado de Ichigo e lhe deu um abraço.
- Shhhhh... - Disse Renji perto do ouvido de Ichigo, antes que ele pudesse reclamar.
A sensação de ter o corpo de Renji perto do seu era tão bom que Ichigo concordou que ele dormisse ao seu lado, pelo menos essa noite... Sem perceber que a porta estava entreaberta e alguém os espiava.
No dia seguinte, acordaram cedo, Renji se dirigiu para a janela e antes que saísse ouviu Ichigo dizer:
- Algum vizinho ainda vai ver você pulando por essa janela!
Ichigo começou a se vestir com o uniforme escolar quando ouviu uma voz chamar lá fora da casa. Olhou pela janela e viu Rukia parada lá fora esperando por ele.
- Já vou! - Gritou em resposta. - Pode entrar e esperar um pouco?
Rukia confirmou com a cabeça e entrou em casa. Ichigo terminou de se arrumar rapidamente, e quando saiu do quarto viu seu pai conversando com Rukia. Parecia um tom de voz bem diferente do amigável que ele sempre adotava quando enxergava a garota. Parecia, na verdade, extremamente irritado.
- Então, eu quero saber por que vocês estão aqui na cidade... - Interrogou Isshin.
- Como assim? - Questionou Rukia, sem entender.
- O que você e os outros shinigamis estão fazendo na cidade.
- Então o senhor sabe sobre nós...
- Eu sempre soube, e provavelmente você sabe sobre mim.
- É claro, senhor. - Respondeu Rukia de forma respeitosa. - Eu queria muito agradecer por você ter lidado com aquele Arrancar que apareceu na cidade quando estávamos na praia.
- Ele não era um Arrancar completo, por isso não era muito forte. - Explicou Isshin.
Ichigo ficou atônito sem entender, como assim seu pai tinha lidado com um Arrancar? Então quem tinha destruído o Hollow quando tinha estado fora da cidade foi seu pai. Será que ele poderia ser... não, não pode ser... Isshin Kurosaki era um shinigami também! E estava escondendo isso esse tempo todo!
- Bem... nós estamos aqui para lidar justamente com esses hollows. - Respondeu Rukia.
- Não acredito nisso... por que razão então vocês mandaram alguém cuidar do meu filho? - A voz de Isshin estava começando a se alterar.
- Não viemos aqui por causa do Ichigo... - Respondeu Rukia, e parecia estar falando a verdade.
- Me poupe! - Irritou-se Isshin, jogando os braços para o alto. - Você acha que eu não sei que Ichigo é um shinigami que anda flertando com o Hollow dentro de si? Eu sinto o poder dele, e também sua capacidade de se descontrolar.
- É claro que eu sei que Ichigo tem um Hollow dentro de si, mas ainda é cedo demais para tomar qualquer atitude.
Então eles sabiam, os dois sabiam, que Ichigo era um shinigami e que estava sofrendo com o hollow interior.
- Mentira! - Exclamou Isshin. - É óbvio que vocês mandaram alguém para observar... Observar se ele não perde o resto do controle sobre si... Observar se ele não se transforma em um monstro maníaco assassino sem qualquer piedade!
Ichigo ficou assustado com as palavras do pai. Até agora nunca tinha entendido o real perigo que o hollow dentro de si poderia causar, mas agora estava preocupado. Porém o pior de tudo é descobrir que seus amigos não eram amigos de verdade, e que só estavam ali para impedir que ele se transforme em um monstro. Todos, inclusive Renji. Isso doeu em seu coração por um instante, mas ficou parado ouvindo o resto da conversa.
- Só não pensei que alguém iria vigiá-lo tão de perto. - Disse Isshin, em tom de désdem, dando ênfase as últimas palavras.
- Como assim, não entendo senhor Kurosaki...
- Eu peguei meu filho dormindo com outro homem! - Gritou Isshin.
Aquilo chocou Ichigo ainda mais. Então o pai sabia de sua relação com o Renji, e com certeza ficou sabendo que os dois dormiram juntos essa noite. Estava com medo, não sabia como reagir.
- Bem, eu...
Antes que Rukia pudesse falar mais alguma coisa, Ichigo bateu a porta do quarto bem forte e desceu as escadas. Estava com uma típica expressão mau-humorada no rosto, passou por Isshin sem encará-lo nos olhos. Saiu porta afora sem dizer nada e Rukia o seguiu. Os dois caminharam em silêncio por um bom tempo antes que algum deles falasse qualquer coisa.
- Então você sabia sobre meu pai ser um shinigami, e escondeu isso de mim! Mentiu sobre ele! Mentiu sobre o motivo de estarem aqui! Mentiram sobre saberem do hollow dentro de mim! Não fizeram nada para me ajudar!
- Ichigo, calma, não é bem assim... Nós não mencionamos sobre seu Hollow porque sabemos pouco sobre isso! Não sabemos como você pode controlar ou eliminar o Hollow que está dentro de você... Sobre seu pai... ele pediu segredo sobre ser um shinigami vivendo no mundo humano.
- Há! E vocês resolveram obedecê-lo! Justamente agora que me tornei shinigami substituto.
- É um direito dele. E ainda mais, ele devia estar preparando o momento certo para revelar isso à você.
- Quer saber? Tanto faz! Eu vou dar o fora daqui! Não quero saber mais de suas mentiras, e de seus segredos...
Ichigo saiu correndo, sem esperar pela amiga.
- Ichigo, espera! - Gritou Rukia, mas o garoto de cabelo alaranjado não obedeceu.
Ichigo correu o máximo que pôde, não aguentava mais conversar sobre aqueles assuntos. Percebeu que ali perto estava Keigo, que também seguia para a aula.
- Keigo, e aí! - Disse Ichigo, sorrindo para o amigo.
Keigo parece não ter escutado e continua caminhando.
- Keigo, como vai? - Perguntou Ichigo, se aproximando do colega.
- Vou bem. - Respondeu Keigo, sem sequer olhar para o melhor amigo.
- Pode ir explicando o que está acontecendo! - Resmungou Ichigo.
- Eu simplesmente não quero que você ande mais comigo, e eu também nunca mais vou conversar com você. - Ordenou Keigo, e sua voz estava firme.
- Como assim? Por que você está falando isso?
- Você acha que eu não sei que... - E parou no meio da frase sem conseguir falar.
- Que o quê?
- Que você anda se esgueirando por aí com o Renji! - Exclamou Keigo.
- Como você sabe? - Perguntou Ichigo, que não podia acreditar.
- Eu sei porque vi vocês dois juntos, se beijando... - Parecia doer a Keigo falar isso.
Ichigo estava extremamente chateado, mas ao mesmo tempo com raiva, queria desafiar o amigo e descobrir qual realmente era o problema de um homem demonstrar afeto por outro homem.
- E qual o problema nisso? - Quis saber Ichigo.
- O problema é que você é BICHA! E eu não ando com bichas... Tenho nojo de viados!
Kurosaki estava extremamente magoado, o amigo descobriu sabe-se lá como sua relação, e agora não parecia lidar bem com aquilo. Ichigo não tinha respostas para suas ofensas, então resolveu apenas abandoná-lo.

Karakura High School

Durante a aula Ichigo evitava olhar ou conversar com os outros colegas shinigamis. Estava com uma expressão séria e rancorosa. Já Rukia estava com uma expressão preocupada, no fim da aula tentou ir falar com Ichigo mas ele a evitou. Na saída viu ele conversando com Renji, e notou que ambos saíram em direção as escadas. Parece que teriam uma conversa em particular no terraço. Pensou em segui-los, mas abandonou a ideia. Ichigo já demonstrou que não queria papo, então preservou seu espaço. Talvez ele desabafasse com Renji e tudo voltava ao normal.
- Então, o que você quer falar? Você estava com uma expressão triste a aula toda hoje... - Preocupou-se Renji.
- Eu quero terminar com você, Renji. - Disse Ichigo, de forma bem confiante.
Renji recebeu as palavras de forma tão rápida que até pensou que fosse alguma brincadeira.
- Bem, se fosse para terminar comigo de forma tão curta podia muito bem ter me enviado um SMS.
- Estou falando sério, Renji! - Zangou-se Ichigo.
Renji desta vez começou a ficar perturbado. O que estava acontecendo desde aquela manhã que saiu pela janela?
- Ichigo, não sei por que está falando essas coisas, mas não pode estar falando sério...
- Estou falando MUITO sério.
Renji ficou um tempo sem ter o que falar, mas então perguntou:
- Posso saber ao menos por que você quer terminar comigo?
Ichigo também não respondeu de imediato, ficou um tempo pensativo. Não queria revelar tudo o que descobriu hoje, mas ao mesmo tempo estava com raiva por Renji estar todo esse tempo ao seu lado por apenas espioná-lo... para descobrir se perderia o controle e se transforma-se em Hollow. Deu a resposta mais zangada e convincente que podia imaginar:
- Bem, tem outro alguém... - Falar isso doeu muito mais do que imaginava.
- Outro alguém...? - Renji estava completamente ferido ao ouvir tal coisa.
- Sim... Alguém muito melhor, mais bonito, mais gostosão, e muito mais pausudo para me satisfazer! - Disse Ichigo, com um sorriso no rosto, parecendo se divertir.
- Bem, se é assim, eu... - Mas Renji não conseguia terminar a frase.
- Passar bem, Renji...
Ichigo se despede e segue para a porta que leva para escadas da saída do terraço. Renji desabou de joelhos no chão, até a primeira lágrima escorrer por seu rosto e ele começar a chorar descontroladamente.

Ichigo caminhou sozinho até em casa, quando chegou bateu a porta com força. Caminhava firme em direção à seu quarto, quando ouviu seu pai chamar:
- Ichigo, espera! Precisamos conversar.
- Não quero conversar. - Respondeu ele de forma ríspida.
Não queria conversar sobre o Hollow, não queria conversar sobre o segredo que seu pai guardou a vida inteira, não queria conversar sobre a relação exposta que teve com o Renji.
- Você querendo ou não nós vamos conversar.
Ichigo parou e deu meia volta, encarando o rosto do pai, que estava tão transtornado quanto o seu.
- Quero saber sobre a relação sua com aquele outro rapaz.
- Eu terminei com ele, se é isso que te incomodava. - Comentou Ichigo, de forma bem insolente.
Isshin de alguma forma esperava que o filho mentisse, que negasse até morte que dormiu com outro homem, que nunca nem jamais teve interesse em algum cara. E Isshin estaria pronto para perdoá-lo. Mas pelo jeito não, Ichigo estava pronto para desafiá-lo, estava pronto para continuar com essa loucura.
- Eu sei que sua mãe morreu cedo e eu posso ter sido um pai ausente...
- Me poupe pai! Você sabe que fingir que alguma coisa não existe não vai fazer ela simplesmente sumir! Eu fingir que não sinto tesão por homens não vai me deixar de sentir atração por eles!
A raiva de Isshin lhe subiu a cabeça:
- Filho, me escute!
- Eu não quero escutar! - Gritou Ichigo.
Isshin falou com um tom decepcionado na voz:
- Eu quero que você vá embora.
- O quê? - Ichigo perguntava sem acreditar.
- Eu quero que você vá embora dessa casa! Quero você longe e que nunca jamais volte!
Ichigo não pensou duas vezes. Pegou sua mochila na cadeira e saiu apressado de casa. Ou o que um dia foi sua casa, seu lar... Não olhou para trás, apenas prosseguiu em frente.

CONTINUA NO CAPÍTULO SEIS...
Não deixem de comentar esse episódio bombástico!


Última edição por GodFire em Seg 19 Dez 2016 - 21:39, editado 1 vez(es)
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por xKai em Qua 7 Dez 2016 - 10:27

Bom, não sei bem o que comentar -q A verdade é que eu não sou muito bom com romances de nenhum gênero, então fica um critério muito duvidoso. Vou apenas dizer que achei bacana e que o desenvolvimento está indo muito bem xD Então vou comentar sobre a escrita mesmo, ok?

Como de costume, sua escrita está ótima e o padrão que utiliza na formatação de seus capítulos anda em constante evolução, se comparar com a primeira postagem. Desta maneira a leitura se torna muito mais fluída, fazendo com que o leitor tenha uma maior imersão dentro daquilo que está acontecendo.

Obviamente se trata de uma fanfic de romance, mas tenho as minhas dúvidas, logo irei faze-las. O foco será romance LGBT? Haverão romances héteros? E os combates, acontecerão? -q Ta bom, sei que você foi bem claro ao dizer que adora esse gênero, logo não acredito que a fanfic sairá muito disso, é apenas para saciar minhas dúvidas sabe, eu meio que adoro cenas de combate, já como disse anteriormente, sobre romances eu sou meio leigo -q

Bom meu amigo, boa sorte com a fanfic e até o próximo capítulo.

PS: Desculpe a demora, estou com novos projetos de fanfics e tenho que postar naquelas que estão atrasadas, isso tudo tendo que cuidar da minha vida social também -q

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Seg 19 Dez 2016 - 23:28

resposta grande ao comentário:
@xKai: Esses últimos acontecimentos da fanfic são realmente de deixar o leitor sem palavras mesmo, eu compreendo. Obrigado por dizer que a fanfic traz imersão, porque de certa forma isso é o que mais penso ao escrever a fanfic, sério mesmo.

Gostei de você ter comentado sobre LGBT, eu acho que esse é o ponto principal da fanfic. Romance é apenas um dos pontos que o tema LGBT vai tocar, se você notar, o nome da fanfic já dá uma dica disso. The HOLLOW inside me não quer dizer apenas o "O Hollow dentro de mim", mas também fazer um trocadilho com a palavra hollow, que em inglês pode significar vazio. Então seria uma história com o protagonista sendo LGBT e o vazio que essas pessoas sentem.

Mas então, respondendo a pergunta: não, a fanfic não focará apenas em romance ou casais gays. Vou mostrar romance hétero AND lésbico, não se preocupe!  Very Happy O que acontece é: esses primeiros capítulos temos muito foco na visão do Ichigo, que afinal de contas é o protagonista. No capítulo '04 - side path', eu já começo a dar espaço na fanfic para outros personagens, então vamos ver esses personagens tendo seus próprios relacionamentos.

Sobre a questão de combates: vai ter sim. Na verdade esse é apenas o arco introdutório da fanfic, para você conhecer as mudanças que fiz nos personagens e na história. Com o capítulo de hoje e mais um que vou postar depois, encerro o arco introdutório. Em seguida começa o arco das batalhas, provavelmente lá por Janeiro. Aguarde, continue acompanhando, vai ter muitas surpresas!

Pessoal, o arco introdutório está finalmente chegando ao fim! E para terminar esse arco eu resolvi fazer um especial de Natal. Como escrevi muito, resolvi dividir esse especial em dois capítulos, assim eu mostro o que vai acontecer com todos os personagens de uma vez só. Quero explicar também que como existem muitos núcleos de personagens, vou dividir cada capítulo em Parte 1 e Parte 2, mostrando os núcleos de personagens que estão interligados, para facilitar. Pela primeira vez o Urahara vai aparecer na fanfic (dando um pequeno spoiler) e toda sua trupe também. Espero que se divirtam!

06 - a cold and special Xmas


Parte 1


Neve fria e solene caía devagar na cidade de Karakura, todos se agasalhavam para se protegiam do frio. O centro da cidade reunia multidões de pessoas, que mesmo com o desafio de sair com tanta neve, não perderiam por nada as compras de Natal. Orihime era uma das pessoas, que vagava pela calçada bem distraidamente observando as vitrines. Até então, parece que nunca tinha percebido o quanto tudo era tão lindo. Estava com um sentimento de paz dentro de si, mas não podia esquecer que já fazia meses que Kurosaki Ichigo não aparecia, e isso lhe causava uma inquietação. Ao que tudo indica, o garoto de cabelos laranja tinha fugido. O motivo pelo qual ele fez isso era um mistério, e ninguém parecia lhe querer dar uma resposta satisfatória.

Voltou para casa e percebeu que não estava nem um pouco congelada, pelo contrário, estava com calor. Ter caminhado tanto lhe fez suar por baixo dos agasalhos. Agora morava sozinha novamente, mas não passaria o Natal sozinha, tinha combinado de sair com Chad em um passeio. Ele ligou confirmando o encontro e ela respondeu animada que já estava se preparando. Vestiu as suas roupas mais elegantes de Inverno e ficou esperando sua companhia aparecer. A campainha tocou e Orihime foi correndo atender. Abriu a porta e era Chad esperando com um sorriso no rosto.

- Olá Chad! Como vai?
- Vou bem, e você?
- Magnificamente bem!
- Vamos onde primeiro?
- Que tal jantarmos?
- Perfeito!

Ambos saíram juntos, Orihime colocou andou de braços dados com Chad, era muito desastrada e não queria escorregar no chão congelado da calçada. Chegaram no restaurante mais fino de Karakura, estava quentinho lá dentro, escolheram uma mesa e se sentaram. Sem perceberem, do outro lado estava Matsumoto e Toshiro conversando.

- Você quer me explicar, novamente, por que saiu da casa da Orihime? - Inquietou-se Toshiro.
- Bem, desde que Ichigo foi embora e não deu mais notícias, sinto que Orihime de certa forma culpa nós, shinigamis, pelo que aconteceu. Foi depois que chegamos em Karakura para investigar os Arrancar que Ichigo fugiu, ela deve ter pensando que arquitetamos alguma coisa contra ele. Ela sempre gostou do garoto, deixava isso bem claro, e o sumiço dele foi um choque para ela.
Toshiro tomou um gole de seu café e então perguntou:
- Ela lhe disse isso?
Matsumoto pensou por um momento, estava perdida em seus próprios pensamentos, e então respondeu:
- Orihime é muito educada para falar alguma coisa do tipo, mas é sincera demais para esconder também. Eu podia notar a tristeza em seu rosto cada vez que olhava para mim, a situação estava insustentável, e meio desagradável. Pensei em conversar com ela sobre isso, mas falaria o quê? O melhor foi sair, me mudar para a casa de outra colega.
- Entendo. Como está sendo esses meses morando na casa de Chizuru?
- Bem divertido, a garota parece estar bastante contente de morar do lado de uma mulher com peitos tão grandes. Ela é bem tarada, e passamos a noite inteira fazendo sexo!
Toshiro se afogou com o café.
- Não fale uma coisa dessas! - Exclamou ele.
- Bem, se você quiser pode dormir com nós, essas noites estão sendo tão frias... - Disse, de forma sensual.
Toshiro ficou vermelho e respondeu:
- Nem pensar!

Chad e Orihime pediram a conta, e saíram do restaurante de braços dados.
- A sopa estava uma delícia! - Comentou Orihime.
- Estava mesmo. - Confirmou Chad.
- Agora estou quentinha por dentro e bem abastecida para continuar nosso passeio.
- Aonde você quer ir agora?
- Que tal darmos um passeio no parque de diversões?
- Ele está aberto no Inverno?
- Com certeza, é um espaço tão legal, e está todo iluminado para o Natal. Vamos?
- Sim!

No parque outro grupo se encontrava: Ikkaku, Yumichika, Keigo e sua irmã pirada. Ambos resolveram dar um passeio, mas a moça não parava de abraçar Ikkaku e agarrar em seu braço. Para o shinigami, tinham sido meses de tortura ficar no mundo humano do lado da garota, que nitidamente estava apaixonada por ele. Já Yumichika levava tudo na brincadeira, pois sabia que Ikkaku era gay e não tinha motivos de ficar com ciúmes do parceiro. Keigo por outro lado estava receoso de ver a irmã com um cara valentão, e desaprovava a ideia, mesmo não podendo fazer nada.

- E então, você quer ir aonde agora, xuxuzinho? - Perguntou a garota, com voz melosa.
Ikkaku se desvencilhou do braço dela pela quadragésima vez.
- Olha aqui, eu acho que preciso ir no banheiro, depois vemos isso.
- Tudo bem, eu vou junto! - Gritou ela.
- Nem pensar, você não pode entrar no banheiro dos homens!
Ikkaku saiu e agarrou o braço de Yumichika para que ambos fossem juntos. Quando chegaram no banheiro, o shinigami desabafou:
- Não estou aguentando mais isso! Minha estadia nesta cidade era unica e exclusivamente para encontrar Arrancars e ter batalhas com eles... Não servir de mascote para uma garota dessas!
- Tente ser educado, afinal de contas eles etão sendo bem gentis em nos acolher.
- Para você é fácil falar já que não está sendo perseguido por uma maluca!
- Já é quase meia-noite e está ficando muito frio, melhor convencermos eles que temos que voltar para casa.
- Eu só acho que não temos mais tempo para nós dois... - Reclamou Ikkaku baixinho.
- Se quiser podemos voltar para a Sociedade das Almas, como Renji fez.
Ikkaku lembrou-se então que o amigo shinigami tinha ido embora. Não tinha conversado com Yumichika sobre isso, então percebeu que esse era o melhor momento para perguntar:
- Você sabe por que ele foi embora?
- Deve ter sido porque Ichigo também sumiu, não é mesmo?
- Mas o que deu no Ichigo para sumir?
- Não sei, talvez brigaram... Não é muito surpresa que eles estavam namorando.
Ikkaku continuou com duvida, e os dois voltaram para onde Keigo e a irmã se encontravam. Quando se chegaram perto ouviram a conversa dos dois.
- Então Keigo, estou sentindo falta daquele seu amigo de cabelo alaranjado. - Disse a irmã.
- Que amigo? - Perguntou Keigo, e sua voz parecia fraca.
- Não se faça de sonso, estou falando de Ichigo!
- O que tem ele?
A irmã revirou os olhos:
- Vocês não conversam mais... você nunca mais falou sobre ele... nunca mais se encontraram...
- Nós não somos mais amigos... - Explicou Keigo, com uma tristeza na voz.
- Como assim? Você venerava ele! Por acaso vocês brigaram?
- Não... não foi nada disso!
- Você não consegue mentir para mim! Pode ir falando a verdade!
- Eu briguei com ele, se é isso que você quer saber!
- Brigou por causa do quê?
- Você não percebe o quanto essa briga foi difícil para mim e ainda fica perguntando mais coisas?
- Agora que você começou quero que vá até o final!
- Eu descobri que Ichigo gosta de... - Keigo tentava falar algo que lhe parecia muito improvável, mas que era verdade - descobri que ele gosta de homens!
A irmã continuou calada, não sabia o que pensar. Keigo continuou:
- E depois disso eu falei um monte de coisa ridícula para ele, o insultei com um monte de coisas, e agora ele foi embora... Sinto que de certa forma isso foi minha culpa. Talvez foi por essas besteiras que eu disse que ele desapareceu e nunca mais voltou. Estou me sentindo muito mal.
- Você... você é um completo panaca! - Comentou a irmã.
No mesmo instante Keigo leva um soco na cara de Ikkaku e cai no chão.
- Então foi você... - Começou a falar Ikkaku, com a raiva lhe subindo a cabeça. - Foi você que atrapalhou o namoro do Ichigo com o Renji. Seu merdinha!
Ikkaku levantou o braço para dar outro soco, mas Yumichika o impediu, dizendo:
- Não vale a pena, vamos embora...
- Tudo bem... eu mereço. - Admitiu Keigo, choramingando.
- Rapazes, vamos com calma, vamos deixar a cabeça esfriar! - Pediu a irmã, preocupada com o clima que havia se formado. - Vamos para casa, eu faço um chá para ficarmos quentinhos...
- Nós não vamos voltar para sua casa. - Disse Ikkaku enfurecido. - Yumichika e eu não ficaremos mais com vocês!
- Como assim? - Perguntou a irmã.
- Yumichika e eu namoramos, e não aguentamos mais vocês dois!
Ikkaku puxou o corpo de Yumichika para perto do seu e lhe deu um longo beijo na boca. A irmã de Keigo parecia espantada.
- Ikkaku, espere! - Falou ela, aturdida.
- Não quero saber de você, eu nunca gostei de você!
Os dois shinigamis saíram, de mãos dadas, deixando os dois irmãos para trás.

Orihime e Chad aproveitaram o parque ao máximo. Orihime comia um algodão doce, enquanto observava os estandes iluminados com várias luzinhas. Os olhos dos dois brilhavam. Por fim Orihime perguntou:
- Você quer ir na roda gigante?
Chad olhou no relógio e já era quase meia-noite.
- Ok, vamos, mas depois voltamos para casa, já está ficando meio tarde...
Orihime ficou feliz e agarrou forte o braço de Chad, puxando ele rapidamente até o último brinquedo do parque.
- Você não tem medo de altura, né? - Perguntou Orihime, quando ambos entraram.
- Não. - Respondeu Chad, e sua ansiedade era por outra coisa.
Ambos estavam sozinhos na cabine da roda gigante, do lado um do outro, sem saberem exatamente o que dizer. A roda gigante parou justamente quando eles estavam no ponto mais alto, a vista era linda, dava para ver a praia da cidade ao longe. Chad resolveu arriscar e começou a falar:
- Orihime, eu sei que você ainda gosta do Ichigo...
- Não, não gosto mais. - Interrompeu ela. - Ichigo não está mais entre nós, e não sabemos mais nada dele. Não estou fingindo que me esqueci de sua existência, mas simplesmente não posso fechar minha vida para apenas uma pessoa, e esquecer de viver.
Ela estava olhando a paisagem pelo vidro, mas então virou o rosto para Chad, olhando bem no fundo de seus olhos.
- Pode ter certeza que meu convite para sair com você foi real, Chad. - Ela sorriu de forma encantadora. - Eu gosto de você, muito mesmo, você é incrível. Você é educado, inteligente, forte, e muito bonito...
Chad ficou sem jeito ao ouvir isso de Orihime.
A garota foi aproximando seu rosto perto de Chad, e então lhe deu um beijo. Fogos de artifício explodiam no céu atrás dele, colorindo a noite de uma forma especial.

***

Parte 2


Na noite de Natal, os Kurosaki se preparavam com seus grossos casacos contra o frio, pois fariam um visita à amigos.
- Sabe, foi muito legal do senhor Urahara ter nos convidado para jantarmos a Ceia em sua casa. - Diz Karin, irmã do Ichigo. - Principalmente depois de tudo que você fez, pai!
- Exatamente o que eu fiz? - Perguntou Isshin.
- Você brigou com a Rukia no dia que Ichigo foi expulso. - Respondeu Karin, fazendo questão de relembrar o que o pai fez. - E Rukia ainda está morando na loja do Urahara, poderia se sentir ofendida de tê-lo em sua presença! Mas como Rukia é uma pessoa superior ela não se incomodou.
- A minha ideia era não ir lá, para começo de conversa! - Disse o pai birrento.
- Fico surpreso que você simplesmente não utilizou sua autoridade para nos proibir. - Comentou secamente Karin. - Ou talvez fosse o medo de perder mais um filho, então simplesmente aceitou o convite.
Isshin ficou quieto e simplesmente fez uma cara feia para Karin. Eles tinham discutido um monte desde que Ichigo tinha fugido e nunca mais voltado. Karin ficou revoltada com o que o pai fez, já Yuzu ficou quieta, mas se afastava de forma fria do pai sempre que podia. Porém agora era Natal, época de reconciliação, e não época de brigas. Isshin não acreditava que sua relação com as filhas voltaria a ser como antes, mas ter apenas um momento de paz já seria bom.
- Eu estou pronta! - Fala Yuzu, descendo as escadas.
- Minha filha está tão bonitinha! - Diz Isshin, com aquele seu jeito meloso de sempre.
Yuzu nem sequer olhou pra ele, se virou para ir a sala como se não tivesse ouvido nada. Isshin sentiu como se lhe tivessem jogado um balde de água fria, sua filha estava lhe dando um gelo.
- Bem, vamos logo, antes que nos atrasemos. - Comenta Karin.
Todos entraram no carro e prosseguiram até a loja do Urahara.

Rukia estava colocando o último enfeite na árvore de Natal. A decoração deste ano na loja Urahara ficou incrível justamente por causa dela. Já o cheirinho bom do peru assando na cozinha se espalhava pela casa inteira de forma agradável. Jinta esperava que as visitas não demorassem muito, pois estava morrendo de fome. Mal tinha terminado esse pensamento quando a campainha tocou.
- Boa-noite, podem entrar. - Jinta disse, abrindo a porta.
- Boa-noite, acho que não fomos apresentados, meu nome é Isshin Kurosaki. Sei que você brinca bastante com minhas filhas mas nunca chegamos a nos conhecer...
- Meu nome é Jinta Hanakari, muito prazer.
- O Prazer é meu. - Salientou Ichigo. Uma garota se aproximou dos convidados. - E você deve ser a Ururu, não é mesmo? A Yuzu não cansa de falar de você!
- Sim, sou eu mesmo, senhor. Prazer em conhecê-lo. - Disse educadamente Ururu, pegando os casacos para guardá-los.
- Olha quem chegou, vejam se não são nossos convidados! - Disse Urahara alegremente.
- Boa noite Urahara... e boa-noite Rukia.
A garota vinha se aproximando na entrada também, e cumprimentou os convidados de forma séria:
- Boa-noite a todos. Venham se aconchegar na sala onde está mais quente.
Jinta pensou, no mesmo instante que começaram a conversar na sala, que Isshin era meio bobo, e que toda sua espontaneidade era meio falsa. Não sabia explicar como, mas tinha certeza que a posição de seriedade adotada por Rukia esta noite era justamente por causa de Isshin. Ichigo também não tinha vindo junto com a família, será que aconteceu alguma coisa com ele?
- O jantar está pronto! - Disse Tessai, da cozinha. - Podem vir que eu já estou colocando a comida na mesa!
- A comida do Tessai é a melhor! Vocês vão ver! - Comentou Jinta, enquanto a barriga soltava um ronco alto.
Todos foram se aproximando da mesa e escolhendo um lugar para sentar. Cada um pegava um prato e ia distribuindo para quem sentava do lado. De um lado de Jinta sentou Rukia e do outro Yuzu. Jinta reparou em como Yuzu estava bonitinha, bem diferente da irmã, que parecia um menino, ou da destrambelhada da Ururu, com quem era obrigado a conviver todo dia. Ele já imaginava que quando Yuzu fosse mais velha podia pedi-la em namoro, até lá já estaria mais alto e teria muitos músculos. Tessai terminou de colocar várias comidas na mesa, inclusive o peru assado, que era o verdadeiro protagonista da noite. Antes de começarem a jantar, Urahara quis falar algumas palavras.
- Gostaria de agradecer muito a família Kurozaki ter vindo aqui está noite. - Começou Urahara, com o tom de voz um pouco alto. - É muito bom unir as duas famílias, principalmente quando uma delas está desfalcada... Os filhos crescem tão rápido e logo vão embora...
- Ichigo foi embora? - Perguntou Jinta.
Rukia deu uma cotovelada nas costelas de Jinta para que ficasse quieto.
- E como é bom ter essa ilustre moradora com nós nos últimos dias... - Complementou Urahara. - Rukia vem colaborado tanto com nós nos últimos meses, que já faz parte da família.
Rukia ficou sem jeito, enquanto Isshin parecia ter perdido um pouco sua expressão alegre.
- Mas não vou prolongar a tortura de vocês me ouvindo falar. Podem começar a comer esta maravilhosa Ceia! - Anunciou Urahara por fim. - A Ceia que foi feita pelo Tessai, um agradecimento especial a ele também!
Todos começaram a se servir, Jinta colocou um pouco de cada comida no prato, e depois rapidamente pegou a coxinha do peru e a mordeu.
- Pode ir com calma. - Comenta Urahara. - O peru não vai criar vida e sair correndo.
Jinta faz cara feia, mas ao perceber que Yuzu tinha dado uma risadinha ao seu lado, ficou completamente sem jeito.
- Sabe, estou sentindo saudades da gata preta de vocês. O que aconteceu com ela? - Perguntou Karin.
- Nossa gata chamada Yoruichi foi passar o Natal com uma amiga nossa chamada Soi Fon. - Respondeu Ururu. - Ela vai cuidar dela por nós neste Natal.
- Sua comida é realmente muito deliciosa, senhor Tessai! - Elogiou Isshin.
- Muito obrigado senhor Kurosaki! - Falou Tessai contente.
- É deliciosa mesmo, bem diferente das gororobas que nosso pai faz. - Disse Karin, sem perder a oportunidade de dar uma alfinetada.
- Bem, eu já estou cheio. - Comentou Jinta, se levantando da cadeira. - Eu vou assistir TV. Depois de comer você não quer assistir comigo Yuzu?
- Ah, claro! - Respondeu ela educadamente.
- Bem, eu já terminei também. - Diz Karin, se levantando e seguindo para a entrada.
- Aonde você pensa que vai? - Questiona Isshin no mesmo instante.
- Vou dar um passeio por aí, tenho um compromisso.
- Como assim? Que compromisso? Você vai ir sozinha?
- Não te interessa. - Respondeu ela de forma ríspida.
- Me interessa sim! Pode voltar aqui!
Karin pegou seu casaco e saiu porta afora de forma bem rápida. Isshin largou a comida no prato e se levantou para ir atrás da filha. Estava com uma expressão zangada no rosto.
- Você não saia da casa do tio Urahara, ouviu Yuzu? - Falou Isshin, e saiu também.
- Poxa, já sou chamado de tio agora? - Peguntou Urahara, parecendo descontente.
- Seu apelido sempre foi tiozinho do chapéu, você que não sabia. - Respondeu Rukia.
- Mas esse ano eu nem fiz a piadinha do pavê! - Lembrou Urahara.

Jinta estava prestando tanta atenção na televisão que nem percebeu tudo que estava acontecendo. Depois de meia-hora notou que Yuzu não tinha aparecido passar assistir televisão ao lado dele.
- Você sabe onde está a Yuzu? - Perguntou Jinta a Rukia.
- Ela está lá fora, junto da Ururu. - Respondeu Rukia. - As duas devem estar brincando de guerra de bola-de-neve.
Jinta esboçou um pequeno sorrisinho no rosto, então saiu pela porta dos fundos, deu a volta na casa e fez uma bola de neve bem grande, que iria jogar nas duas sem que elas percebessem.
Conforme foi se aproximando do pátio, percebeu que as duas não estavam brincando, e sim apenas sentadas na varanda, conversando sobre alguma coisa que não conseguia ouvir. Foi se aproximando mais ainda, sem que elas percebessem, e começou a ouvir escondido.
- E como está sendo sem seu irmão em casa? - Interrogou Ururu.
- Bem estranho... eu estou muito triste.
- Não é fácil ver o irmão ir embora.
- Na verdade não estou triste apenas pelo Ichigo não estar mais com nós, mas também estou triste por causa da mentalidade do meu pai. Estou com muito medo da forma como ele pensa sobre certas coisas.
- E seu pai em nenhum momento mudou de opinião?
- Não. Eu acho, inclusive, que ele está perseguindo minha irmã e eu mais do que nunca, observando cada um dos nossos passos, podendo se certificar que nós não estamos fazendo alguma coisa que ele desaprova.
- Foi uma boa ideia sua irmã ter inventado um compromisso para poder despistar seu pai, sem a ajuda dela nós nunca poderíamos ter essa conversa.
As duas ficaram em silêncio, e Jinta se sentiu um pouco constrangido de estar ali ouvindo. As duas estavam bem próximas, e pareciam estar constrangidas também.
- Ururu, eu gosto muito de você, muito mesmo. - Disse timidamente Yuzu.
- E-eu também gosto de você Yuzu. - Guaguejou Ururu.
- Eu gosto de você mais do que apenas uma amiga...
- E-eu... eu também.
As duas tocaram de leve a testa uma na outra, sorrindo de felicidade de uma forma que Jinta nunca tinha visto antes, ambas estavam com as bochechas rosadas.
- Te amo.
- Também te amo.
Logo em seguida deram as mãos juntas. Jinta ficou exasperado, deixou cair a bola-de-neve, que se espatifou no chão, assim como todos os seus sonhos de conquistar a Yuzu.

CONTINUA NO CAPÍTULO SETE...
O próximo capítulo vamos saber o que aconteceu com Ichigo!
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por GodFire em Seg 26 Dez 2016 - 11:38

Finalmente a continuação do meu arco de Natal. Ao mesmo tempo que encerrei o arco dos personagens mostrados anteriormente, eu vou apresentar personagens novos para os arcos que virão. Espero que gostem, não deixem de comentar! O Main Post foi atualizado com todas as informações!

07 - never neant to belong


Parte 1


Na véspera de Natal na Sociedade das Almas, a Gotei 13 entra no espírito natalino.
- Jingle bell, jingle bell, acabou o papel! - Canta Yachiru. - Não faz mal, não faz mal, limpa com jornal! O jornal tá caro, caro pra chuchu, e agora como vou fazer pra limpar meu...?
- A senhorita pode calar a boca? - Diz Hisagi, cansado de ouvir a musiquinha besta.
- Ui, parece que temos um nervosinho aqui. - Comenta Yachiru de forma desdenhosa.
- Senhorita estamos com a importância tarefa de arrumarmos a árvore de Natal aqui da Gotei 13, não transforme essa tarefa em uma coisa árdua com sua cantoria chata. - Diz Kira.
- Vou reclamar de vocês para o Kenpachi! - Fala a garota, na esperança deles se amedrontarem.
- Pode ir! - Ordena Hisagi de forma irritada e desafiadora. - Aproveita e canta essa muquinha no ouvido do Kenpachi, faz sentido com todos aqueles sininhos ridículos que ele coloca no cabelo!
A menina mostrou a língua para fora e saiu correndo, sem importuná-los mais.
- Finalmente somos apenas nós agora. - Respondeu Kira.
- Sim, finalmente. - Concordou Hisagi. - Sabe, esse Natal ficaremos um pouco desfalcados, por causa dos nossos colegas que estão no mundo humano. Quero dizer, o Renji pelo menos voltou, e isso é bom...
Hisagi ficava alegre ao lembrar-se do amigo shinigami.
- Estamos desfalcados mesmo, de certa forma. - Concluiu Kira. - E como está sendo seu Natal?
- Bem, fora essa tediosa tarefa de arrumar o pinheirinho, nada demais. - Respondeu Hisagi, mas então lembrou de fazer uma pergunta sacana. - E você, não anda dando uns pegas em alguém?
- Na verdade não. - Simplesmente respondeu Kira. - E você? Não anda apaixonado por alguém? Nesta época do Natal os corações palpitam mais forte por alguém.
- C-como assim? - Inquietou-se Hisagi.
- Bem, você andou bem distraído nos últimos meses, fica dando risadinhas sem nenhum motivo, ou fica com expressão preocupada de repente... Parece que anda com a cabeça nas nuvens, ou em alguém...
- Eu não estou entendo seu ponto.
- Bem, se você não consegue entender eu não posso ajudá-lo.
Kira descenu as escadas, tinha colocado finalmente o último enfeite de Natal do seu lado da árvore. Contemplou o trabalho e estava muito satisfeito, tinha ficado lindo. Foi então que ouviu Hisagi gritar lá do alto de sua escada:
- Você quer dizer que está apaixonado por mim?
Kira ficou sério e não se deu trabalho de explicar:
- Definitivamente você não entendeu meu ponto.

Hisagi saiu furioso e pisando forte da arrumação de Natal, mesmo tentando não demostrar isso. Não tinha compreendido o que Kira disse e ainda entendeu que o colega tinha lhe mandado uma indireta sobre alguma coisa. Na verdade nem entendia direito o por quê de ter ficado tão irritado.
- Sou um tremendo idiota! - Concluiu Hisagi.
- Isso eu concordo.
Era a voz de Renji, falando por trás dele. Hisagi se virou e agarrou as vestes de Renji com o punho.
- O que você disse?
- Nada. Só vim aqui lembrar que você deve avisar o Capitão Yamamoto para se vestir como Papai Noel.
- E onde é que ele está?
- Não sei, você não foi perguntar para Shunsui ou Ukitake onde ele está? Ouvi dizer que a última vez que o capitão foi visto estava com eles.
- Vou ver isso então.
Hisagi já ia virando as costas para sair, quando Renji perguntou:
- Quais são seus planos para o Natal?
- Bem, sei lá. Não sei.
- Que tal ir tomar saquê mais tarde comigo? Convidei Kira mas ele recusou.
- Kira me disse que está muito ocupado nestes últimos dias. Tudo bem, eu aceito.
- Te vejo mais tarde! - Se despede Renji.
Os dois seguem seus caminhos. Hisagi segue até o quarto de Ukitake, na esperança de encontrar o Capitão Yamamoto lá.
Bateu na porta, mas não ouviu ninguém responder. Bateu de novo e esperou, mas novamente silêncio. Hisagi começou a ficar preocupado, visto que Ukitake tinha uma saúde frágil e poderia estar passando mal sozinho. Abriu a porta devagarinho, e o que viu lá dentro o pegou de surpresa. Shunsui e Ukitate estavam abraçados um sobre o outro em cima de um futon. Os dois corpos estavam bem grudados, misturando pele, língua, e roupas. Hisagi ficou assustado e fechou rapidamente a porta, com medo de ser visto, mas infelizmente a porta fez um barulho alto demais.
Saiu rápido de perto do quarto de Ukitake, completamente sem jeito, e encontrou o capitão perto dali, já completamente fantasiado de Papai Noel. Retsu estava junto, vestida de Mamãe Noel.
- Ho, ho, ho! - Exclamou o capitão. - Como está meu menininho?
Hisagi achou graça em ser considerado um menino. Se bem que todos devem ser muito jovens se comparados com o capitão.
- Eu estou bem. E o senhor?
- Estou bem também. Não esqueça de ir para a Ceia no grande salão, para comer muito!
- Não esquecerei!

Na Ceia, todos comiam muito e se divertiam bastante. Quem estava sentado do lado de Hisagi era Byakuya, que questionou:
- Cadê o Mayuri?
- Com certeza em seus laboratórios. Ele não sai de lá nunca.
- Ele vai acabar pirando se continuar lá! Bem, eu já terminei.
Byakuya se levantou e saiu, quem ocupou seu lugar foi Ukitake, e do outro lado que estava vazio sentou Shunsui.
- Boa-noite. - Cumprimentou Ukitake.
- Boa-noite. - Cumprimentou Hisagi, completamente sem jeito.
- Bem, queria saber o que você queria no meu quarto quando foi lá horas antes. - Disse sem rodeios Ukitake.
- Queria saber se o Capitão Yamamoto não estava no seu quarto. Renji me disse que ele estava conversando com você.
- Ah. - Falou meramente Ukitake.
- Se você quiser se juntar à nós da próxima vez, não precisa nem dizer. - Comentou Shunsui ao seu lado.
- N-não! - Guaguejou Hisagi, parecendo espantado.
- Eu não vejo nenhum problema quanto a isso. - Explicou Ukitake. - Nós não temos aborrecimento com uma terceira pessoa participar. Podemos ser como seus gurus, lhe ensinar tantas coisas do amor.
- Não preciso!
- Talvez se o Renji participar... - Brincou Shunsui.
Hisagi ficou tão furioso que saiu de perto dos dois. Como se atrevem em fazer uma proposta dessas? Por mais que tentasse, não conseguia tirar da cabeça a visão dos dois juntos. Shunsui ainda por cima dava em cima de todas as garotas, mas na verdade gosta mesmo é do Ukitake! Se sentiu deprimido porque de certa forma eles eram felizes.
Todos já estavam perto da árvore de Natal, e não queriam perder a oportunidade de ver o Capitão Yamamoto como Papai Noel. A primeira criança que estava sentada em seu colo era Yachiru, que ganhou um pirulito e então foi embora. O próximo a sentar no colo do capitão foi Yamada, que falou qualquer coisa e foi embora feliz também com um pirulito na mão. Retsu que estava ao lado falava:
- Lembrem-se crainças, é para pegar apenas um pirulito!
Sua voz era doice e meiga, mas sua presença maligna fazia as crianças entenderem muito bem o recado.
Renji se aproximou para conversar e falar com Hisagi.
- E aí, quer ir agora lá no meu quarto tomar saquê?
- Claro...
Depois de tomarem três garafas de saquê, Renji e Hisagi já tavam mais pra lá do que pra cá, rindo à toa.
- Esse saquê é delicioso. - Comentou Hisagi.
- Obrigado. - Agradeceu Renji. - O pessoal do meu esquadrão sempre toma comigo. Eu não gosto de beber sozinho.
- Para você comprar bom saquê só pode estar celebrando alguma coisa, não é?
- Sim, é verdade.
- Então, o que é?
- Bem... tenta adivinhar!
- Ah, qualé, fala logo!
- Não tem um motivo. - Renji deu risada. - É só que... é Natal. É data para comemorar.
- Claro... claro...
- Que tal comemorarmos o motivo de você ser tão delicioso quanto esse saquê?
Renji aproximou seu corpo em cima de Hisagi e o deitou no chão.
- Ei, espera! Você está bêbado! - Protestou prontamente Hisagi.
- Você me irrita. - Falou Renji. - Tudo que você diz eu odeio. Você sempre tem que argumentar contra alguma coisa?
O corpo de Renji estava em cima de Hisagi, os rostos bem perto, podiam sentir o aroma do álcool vindo da boca um do outro. Hisagi estava nervoso, enquanto Renji parecia estar em um transe.
- Você está sendo vulgar e inconveniente. - Argumentou Hisagi.
- Eu não ligo.
Renji beijou Hisagi na boca, uma troca de saliva com gosto de saquê. Hisagi tentava fechar a boca, até que Renji parou. Os dois se separaram e ficaram em silêncio por segundos, Hisagi socou o amigo shinigami.
- Quer brigar agora? - Questionou Hisagi.
Renji empurrou novamente o colega contra o chão, mais decidido do que nunca. Hisagi no fundo estava curtindo, gostando de sentir o peso do corpo de Renji em cima do seu. Porém estava com a sensação que aquilo não poderia acabar bem e por isso resistia aos desejos.
- Você tem um lado fofo dentro de você, sabia? - Declarou Renji, sorrindo.
Renji deitou a cabeça do lado do rosto de Hisagi e dormiu.
- Droga... - Exclamou baixinho Hisagi.

***

Parte 2


Ichigo caminhava pelo metro, completamente agasalhado, pegou o trem sozinho sem rumo. Era Natal, e não tinha nada melhor para fazer. Quando chegou no último ponto, saiu caminhando lentamente por entre a multidão de pessoas até chegar às ruas. Estava muito frio lá fora, mas Ichigo gostava. Foi então que ouviu alguém lhe chamar.
- Hey, Ichigo!
Ichigo se virou para ver quem era e percebeu que era Kensei.
- Olá.
- Eu estava te procurando por toda a cidade.
- Bem... ecnontrou.
- Você está indo para algum lugar? Vai fazer alguma coisa?
- Não vou fazer nada, só estou dando uma caminhada.
- Você não quer ir até o meu apartamento? Vamos fazer uma Ceia lá, todo mundo vai.
- Eu não vou, mas obrigado pelo convite.
Ichigo deu as costas para ele, mas o Visored prosseguiu:
- Espera!
Kensei pegou no braço do Ichigo antes que ele sumisse na multidão.
- Por que você não quer ir?
O garoto de cabelos laranjas não respondeu de imediato.
- Não quero incomodar vocês.
- Você não vai incomodar.
- Não quero ser indelicado. - Explicou calmamente Ichigo, para não parecer mal-educado. - É que... não sei se me considero parte de vocês...
Kensei ficou em silêncio, mas respondeu antes que Ichigo tentasse escapar de novo.
- Mesmo depois de tantos... meses de treino... você não se considera um de nós?
- Não é questão se considero fazer parte do grupo ou não, mas participar de um evento de Natal envolve intimidade.
- Todos estão te esperando, todos querem sua companhia, que você participe...
- Vocês estão sendo legais, e sou grato por isso, mas não quero me envolver.
- E você vai fazer o quê agora? Vai caminhar perdido pela cidade como um cão que caiu da mudança? Você acha cool ficar triste e deprimido? É isso?
- É, é isso que eu acho.
- Pois saiba que eu não vou permitir!
- Tá, já que você insiste, vamos logo...
Ichigo deu meia volta e saiu caminhando ao lado de Kensei.

Chegando no apartamento, o jantar já estava quase pronto.
- Veja se o nosso maior convidade de honra não chegou! - Disse Shinji abrindo a porta.
- Boa noite, Ichigo! - Falou animada Mashiro.
- Boa noite.
- Venham se sentar aqui na sala. - Pediu Shinji.
Quando Ichigo e Kensei se dirigiram para a sala, notaram que Hiyori, Love Aikawa, Lisa e Rojuro estavam jogando baralho de cartas em duplas. Hyori se levantou bem estressadinha.
- Rojuro, você só pode estar roubando!
- Não estou não, você que é uma má perdedora!
- Calma, crianças... - Pediu Love Aikawa.
- Calma nada, na próxima irei vencer! - Desafiou Hiyori.
- Não quer participar, Ichigo? - Perguntou Rojuro.
- Não, valeu, não estou disposto.
- Qual game vocês estão jogando?
- OCG de Yu-Gi-Oh! - Respondeu Rojuro. - Meu Dragão Branco de Olhos Azuis acabou com o baralho da Hiyori!
- Espera só eu trazer meu Deck Qliphort que você vai ver! - Indignou-se Hiyori.
Mashiro colocou Ayumi Hamasaki para tocar, e começou a dançar bem doidinha, como se estivesse sozinha no apartamento sem a presença de ninguém olhando.
- Ayumi é artista que me traz mais fortes emoções.
- Ayumi é tão cafona. - Comentou sem rodeios Lisa.
- Se retrate agora! - Zangou-se Mashiro.
- Seasons é até uma músia bonitinha, mas ainda não consegue me fazer gostar dela. - Replicou Lisa.
Mashiro fingiu que nem viu o desaforo e continuou sua dança maluca.
- Precisa de ajuda para fazer o jantar, Hachigen? - Perguntou Kensei.
- Bem, você pode ir arrumando os pratos e talheres. - Respodeu Hachigen.
- Eu ajudo também. - Falou Ichigo.
- O jantar já está quase pronto, se quiserem podem vir para a mesa. - Disse Hachigen.
O pessoal da sala estava tão concentrado em seus afazares que não ouviram.
- Ouviram o Hachigen, podem vir já! - Gritou Kensei para a turma.
- Oba! - Exclamou Mashiro.
Todos se sentaram e antes de comerem, Kensei anunciou:
- É muito bom termos todos nós aqui, juntos em mais um Natal com comida boa. Estamos dependendo só de nós, e continuamos unidos mesmo tendo nossas diferenças. E agora ainda tivemos mais um membro fazendo parte dos Visored! Ichigo, você quer falar alguma coisa?
Ichigo foi pego de surpreso e não soube o que falar.
- Você já falou tudo o que eu penso. Estou grato de estar aqui com vocês.
- Estamos gratos de ter você aqui também. - Declarou Lisa, dando uma piscada para Ichigo.
Hiyori percebeu a piscada e não ficou nada contente, logo argumentou:
- Ichigo está gostando de fazer parte dos Visored, mas em parte é por causa de mim, não é?
- Eu estou gostando de todos. - Ichigo expressou seus sentimentos da forma mais sincera. - Eu não sabia o que pensar dos Visored quando Shinji veio falar comigo. Eu pensei que eram um bando de shinigamis páreas, que poderiam na verdade ser um perigo, mas vocês são pessoas muito gentis, muito superiores às outras pessoas que eu convivia.
- Isso foi tão bonito, Ichigo! - Emocionou-se Love.
Ichigo ficou sem jeito.
- Bem, vamos jantar logo! - Ordenou Kensei.
Todos comeram de forma sossegada, como uma verdadeira família. Todos tinham aceitado Ichigo de forma acolhedora, sem ficarem pressionando para descobrirem porque ele quis se juntar à eles. Ichigo imaginava que cada um ali tinha seu passado, e todos com uma situação parecida com a sua por serem shinigamis diferentes. Ninguém nunca falava sobre suas vidas, e mencionar isso poderia ser completamente deselegante. Assim como Ichigo evitava falar de si mesmos, os outros também evitavam comentar sobre eles mesmos.
- Estou completamente cheia! - Explicou Hiyori, depois de parar de comer.
- O jantar estava delicioso, Hachigen! - Comentou Mashiro.
- Estava mesmo, muito obrigado! - Agradeceu Love.
Todos estavam muito satisfeitos e Hachigen ficou feliz de agradar todo mundo. Todos resolveram sair antes que ficasse muito tarde da noite. Quando estavam indo para a porta, Shinji perguntou a Ichigo:
- Você vai ficar aonde esta noite?
- Eu decidi que vou ficar mais um pouco aqui para ajudar Kensei a lavar toda a louça, depois vou decidir aonde dormirei.
Desde que Ichigo foi expulso de casa, ele precisava da compreensão das pessoas para dormir na casa delas.
- Por que não dorme aqui em casa esta noite Ichigo? - Questionou Kensei. - Acho que seria até melhor do que sair tarde da noite neste frio com tudo escuro e com hollows perigosos soltos por aí.
- Vou ficar então. - Aceitou Ichigo.
- Boa noite para vocês, e Feliz Natal!
- Feliz Natal! - Desejaram Ichigo e Kensei juntos.
Ambos prosseguiram para a cozinha e encaram o montante de pilha de pratos.
- Ainda bem que você vai me ajudar, senão isso daqui demoraria a noite inteira para limpar!

Depois que terminaram, conversaram sobre onde Ichigo dormiria.
- Posso dormir aqui no sofá mesmo, eu sempre durmo no sofá na casa dos outros. - Explicava Ichigo.
- Mas o sofá é muito pequeno para um cara grande como você, vai ser desconfortável.
- Por mim não é problema, sério mesmo.
- Lá na minha cama tem mais espaço, prometo que em nenhum momento vai me atrapalhar se você dormir ao meu lado.
- Não precisa, o sofá é suficiente, já estou acostumado.
- Aqui em casa não tenho nem cobertores o suficiente para deixar aqui para você. Lá na minha cama eu deixo os cobertores mais quentes, e tenha a impressão que esse é o Natal mais frio dos últimos anos...
Vendo a insistência de Kensei, Ichigo concordou em dormir na cama.
- Sua cama é bem grande. - Admirou Ichigo entrando no quarto.
- Eu prezo o conforto.
- Vou pegar meu pijama na mochila e me troco lá na sala, enquanto você se veste aqui.
- Pode se trocar aqui mesmo. Eu nem uso pijama, isso é coisa de criança.
- E dorme como?
- Durmo de cueca, ué. Pensou que dormia pelado?
- Sempre pergunto esperando o pior. Se você dormisse pelado eu ia para o sofá, não quero pinto esfregando em mim.
- E você nunca dormiu de cueca?
- Quando eu tinha meu quarto, dormia sim, principalmente em dias muito quentes. Vou escovar os dentes.
Ichigo saiu do quarto e foi para o banheiro, quando terminou a higiene bocal e voltou para o quarto, Kensei estava deitado na cama coberto até o pescoço.
- Escovou os dentes já? - Indagou Ichigo.
- Escovei, antes de lavar a louça, quando fui no banheiro. Você parece até minha mãe com essas perguntas! - Reclamou Kensei.
- Bem, detesto pessoas que não escovam os dentes.
O garoto dtirou a roupa e então pegou a mochila para encontrar seu pijame.
- Aqueles machucados em suas costas, dos treinos de ontem, já melhoraram? - Questionou Kensei.
- Melhoraram... um pouco...
- Se você disse que foi um pouco é porque não melhoraram nada. Vem aqui que eu tenho uma pomada, posso passar nos ferimentos. Ela ainda alivia a dor, vai ser melhor para você conseguir dormir.
- Não precisa...
- Ichigo, por que você é tão chato, hein? Tudo tem que ser na base da insistência.
- Tá, tudo bem, passa logo.
Kensei sentou na cama, abriu a gaveta da cômoda e pegou o remédio na gaveta.
- Senta aqui perto.
- Passa rápido, tá muito frio para ficar só com roupa de baixo até você terminar.
Ichigo se sentou de costas para Kensei, e o mesmo colocou os dedos na pomada e encostou nas áreas feridas.
- Cara, isso tá muito gelado! - Queixou-se Ichigo.
- Mas depois da sensação gelada vai dizer que você não fica melhor?
- É, um pouco melhor.
Kensei continuou massageando as costas de Ichigo, suas mãos eram grandes, mas ele tocava o corpo do amigo com muito cuidado. Ichigo estava gostando muito daquilo, estava sentindo seu corpo descansando, sem as típicas tensões, tanto musculares quanto mentais. De esguelha olhou para Kebsei, a coberta estava cobrindo seu corpo somente até a cintura, e podia-se ver seu tronco e braços nus. Ele era bem musculoso, e tinha o número 69 tatuado no peito. Não pode deixar de reparar que ele era bem bonito, e seus piercings na orelha e na sobrancelha davam um charme. Sentiu vontade de passar a mão pelos cabelos prateados dele.
- Está pronto.
- Obrigado pela massagem, estou me sentindo bem melhor.
- Eu bem que disse, não está com frio?
- Não, estou até com um pouco de calor.
- É o efeito da pomada. Você não pode se deitar ainda, senão ela sai tudo na coberta. Podemos conversar por alguns minutos até ela estiver secado.
- Tudo bem. - Concordou Ichigo, virando o corpo de frente a Kensei. - O que você quer conversar?
- Quero saber porque você resolveu vir dormir aqui esta noite...
- Foi para te ajudar a lavar os pratos, é claro.
- Você preferia estar dormindo na casa do Shinji ou dos outros então?
- Acho que não... A casa deles não é tão bonita quando seu apartamento.
- O que você acha de morar sempre aqui, invés de ficar dormindo em casas diferentes todas as noites?
- Eu não sei, não quero te incomodar.
- Não vai me incomodar. - Prontamente disse Kensei. - O que acha da ideia?
- Bem, é ótima.
Kensei admirou o corpo de Ichigo com os olhos por alguns instantes, em seguida pigarreou e perguntou:
- Bom, você já percebeu que aqui nós não falamos muito das nossas vidas antes de entrar nos Visored, não é mesmo?
- É, eu notei essa regra, mesmo ninguém me avisando.
- Eu não posso aceitar que uma pessoa nova venha morar comigo, então queria que você falasse um pouco sobre você.
- O que você quer que eu fale?
- O que tiver vontade.
- Eu acho que, às vezes, eu boicoto minha própria felicidade. Já faz meses que estamos treinando e ainda não controlo meu Hollow interior...
- "São tempos difíceis para os sonhadores". - Relembrou sabiamente Kensei. - E demora mesmo aprender a controlar seu hollow interior, com todo mundo foi assim.
- Agora é minha vez de pergunta alguma coisa.
- Pode perguntar.
Ichigo tocou no peito de Kensei.
- O que significa essa tatuagem?
- O "6" representa o meu sobrenome, enquanto o "9" representa a 9ª Divisão, a qual fui capitão.
- Você sente saudades da Gotei 13?
- Porra, não! Aqueles bastardos tentaram me matar!
Os dois ficaram em silêncio, então Kensei disse:
- Acho que a pomada já secou, pode vir deitar.
- Vou pegar meu pijama.
- Pode dormir assim mesmo, se quiser. - Lembrou Kensei, deitando na cama e se cobrindo novamente.
Ichigo ouviu o conselho e deitou só como estava. A cama já estava bem quentinha, pois Kensei estava deitado antes.
- Sabe Ichigo, quando toquei seu corpo percebi que sua pele era bem quente, você é uma pessoa calorosa?
- Sou. - Admitiu Ichigo. - E também prefiro o frio do que calor.
Não deu nem dez minutos com os dois deitados, quando Kensei se vira para o lado de Ichigo e o abraça forte. O corpo de Kensei era bem maior do que Ichigo, e ele estava gostando da sensação de ter os braços musculosos do Visored lhe envolvendo, gostava de seu corpo rijo tocando o seu.
- Não está me incomodando, pode continuar.
- Se você pedir, eu te largo.
- Tenho que revelar que não estou usado cueca. - Confessou Kensei, sorrindo.
Os dois demoraram para dormir, e depois de ficarem cansados caíram no sono.
CONTINUA NO PRÓXIMO ARCO!!!
GodFire escreveu isso enquanto Life on Mars? - David Bowie
avatar
GodFire
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/11/2011

Frase pessoal : Nada melhor pra fazer do que não fazer nada


Ver perfil do usuário http://www.lastfm.com.br/user/FireKilljoy

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The HOLLOW inside me

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum