Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

Pokémon - Chaos Theory

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Pokémon - Chaos Theory

Mensagem por MarowakKuwata em Qua 3 Fev 2016 - 13:43

Capítulo 01 - O Início da Jornada

//Floresta de Viridian, ás 18:35//

Um jovem rapaz caminhava  pela floresta da cidade de Viridian, enquanto o dia já anoitecia e aquele lugar ia ficando cada vez mais deserto. Ainda assim, ele não tinha medo.

Poucos treinadores ainda se encontravam ali, logo a floresta estaria dominada apenas pelos muitos pokémon insetos que ali viviam.

- Eu sei que você sempre aparece aqui após o anoitecer, hoje você não me escapa ... - dizia o garoto para si mesmo, andando sorrateiramente por entre as folhagens.

O rapaz tinha por volta de uns 15 anos de idade. Possuia cabelos ruivos, curtos e lisos. Olhos azulados, pele branca e sardenta. Se vestia de uma forma um tanto quanto monocromática. Usava um casaco de capuz preto, calça cinza escura e sapatos pretos.

Tinha uma estatura bem baixa, por volta de 1,60. Ainda assim, tinha um corpo um tanto definido para a pouca idade e baixa estatura.

Ainda procurando por algo desconhecido, o rapaz se engalfinhava cada vez mais pela floresta. Até que olhou maravilhado para o céu, parecia que finalmente havia encontrado o que desejava.

- Você ... você existe mesmo. Eu esperei muito tempo para encontrá-la! Agora, você é minha!

O que ele via era uma Butterfree. Mas essa não era como as demais de sua espécie. Esse exemplar do pokémon borboleta se diferenciava por ter as duas asas de cor azul. Um azul bem forte e vivo, chegava a brilhar.

O garoto caminhou tranquilamente, e começou a atirar algumas pedras na direção do misterioso pokémon, afim de derrubá-lo.

Porém, não obteve sucesso. A Butterfree azul não só esquivou das pedradas como também fugiu. Sumindo rapidamente, como fumaça.

- Hey, volte aqui! Eu esperei por muito tempo pra te encontrar! Não fuja!

Ele correu, correu e correu, mas nenhum sinal da Butterfree azul.

- Maldição! Quando eu finalmente fico cara a cara com ela ...

- Grey? Finalmente encontrei você!!!

Grey era o nome do menino. Logo ele se virou ao ouvir uma voz familiar.

- Scarlet? O que raios faz aqui?

Scarlet era uma menina da mesma faixa etária que Grey. Tinha cabelos avermelhados, presos em duas trancinhas, olhos castanhos e usava óculos. Diferente dos depressivos tons de cinza e preto da vestimenta de Grey, Scarlet usava roupas pintadas por um vermelho vivo. Estava usando um blazer vermelho com uma camisa social branca por baixo, da qual se via um lacinho também vermelho no pescoço. Uma saia de pregas também vermelha, meias brancas três quartos e um par de sapatos sociais pretos.

- Como o que eu faço aqui? Vim correndo atrás de você quando soube que se enfiou na floresta de Viridian. - disse a menina, mexendo nos óculos. Ela tinha uma tremenda pose de nerd.

- Hunf! Não era pra ter vindo atrás de mim! -resmungou Grey, andando de volta com as mãos nos bolsos e chutando as pedras que via pelo caminho.

- Você sabe que é perigoso entrar na floresta, ainda mais após o anoitecer. Aqui tem um monte de pokémon insetos, e alguns que também são venenosos, inclusive.

- Eu sei, eu sei ...

- E pior do que os insetos, com certeza é a Irmã Amélia. Ela vai ficar uma fera quando descobrir que você saiu.

- Eu não me importo em ser pego por aquela bruxa, mas você ... eu não quero que se meta em encrenca por minha causa. Foi idiotice sua ter vindo atrás de mim, hunf!

- Nada disso, Grey. Nós prometemos sempre ficar juntos, em todos os momentos. Eu não me importo em ser castigada, desde que eu saiba que está tudo bem com você!

Scarlet disse em um tom decisivo, Grey murchou. O garoto ruivo logo perdeu seu ar irritadiço e suspirou, não dizendo mais nada. Apenas continuou andando.

- Então ... não gostaria de dizer a sua amiga o que pretendia fazer aqui na floresta, Grey?

- Eu estava caçando a Butterfree azul.

- Hmmmm ... e conseguiu encontrá-la?

- Consegui, mas ... ela fugiu de mim! Maldição!

- Você não é um treinador pokémon, por que quer tanto capturá-la? Simplesmente pra exibir um pokémon lendário?

- Ora, por ela ter poderes místicos, claro! Soube que ela realiza desejos e pode até lhe dar o poder de viajar no tempo.

- Hhahaha, nota-se que você não sabe de muita coisa, Grey! - disse Scarlet, com uma pose de sabichona, apontando o dedo em riste.

- O que está querendo dizer, hein?

- A Butterfree azul é uma bruxa do tempo. Ela pode sim, lhe dar o poder de viajar no tempo, mas ... você não sabe que isso pode causar terríveis consequências?

- Bah, besteira!

- Não, não é besteira. Qualquer mudança que você faça na linha do tempo pode causar uma catástrofe ainda maior do que a que você quis reverter, sabe? É bom deixar as coisas seguirem seu fluxo, por mais insatisfeito que você esteja. Nunca ouviu aquela expressão que diz que o bater de asas de uma Butterfree pode causar um tornado em outro lado do  mundo?

- Teoria do caos, já ouvi uma baboseira do tipo. Bah, como você sabe disso tudo?

- Até parece que não me conhece, sabe que eu leio bastante, sou apaixonada pelos livros.

- É, eu sei o quanto perde tempo naquela biblioteca cheia de mofo ...

- Leitura não é perda de tempo, Grey. Um dia você vai aprender a deixar de detestar tudo, verá que existem coisas boas nesse mundo.

- Hmm ...

---

//Orfanato de Viridian, as 19:17//

Grey e Scarlet finalmente chegaram ao seu destino. Os dois amigos viviam no orfanato da cidade de Viridian. Perderam seus pais ainda muito jovens e quase não se lembravam deles, mas cresceram juntos naquele ambiente triste e melancólico, onde aprenderam a gostar um do outro.

Na porta do orfanato esperava a Irmã Amélia. Ela era a freira linha dura que comandava aquele lugar. Extremamente rígida e cruel, a Irmã metia medo em quase todas as crianças que ali viviam. Quase todas ...

- Posso saber onde estavam os dois? Exijo explicações! - bradava a velha e assustadora mulher.

- Eu me perdi na floresta e a Scarlet foi atrás de mim, preocupada. Satisfeita? - disse Grey, peitando a mulher sem medo algum.

- Tenha mais respeito comigo, moleque atrevido! Sabe muito bem que não permito crianças zanzando sozinhas pela cidade!

- Ele errou, mas isso não vai acontecer de novo. Agora vamos voltar para os nossos quartos ... - disse Scarlet, sendo mais racional que o amigo esquentadinho.

- Alto lá, vocês dois! Acham mesmo que vou deixar ficarem impunes por sua insolência? Vocês vão pro quarto sim, mas ficarão trancados lá dentro até segunda ordem! E não vão jantar, ouviram? Preparem-se pra dormir com fome!

- Irmã, isso não é justo! Você pode me castigar, mas não a Scarlet! Ela só foi atrás de mim, com medo de que eu me perdesse na floresta ou fosse atacado por um pokémon selvagem!

- O que os dois fizeram foi uma tremenda irresponsabilidade! Tenham certeza de que eu não iria cuidar de vocês caso levassem picadas de alguma Beedrill! Eu não sei o que você, Grey, estava fazendo naquela floresta e nem me interessa, mas você vai pagar! Scarlet também vai, pois você deveria ter me avisado ao invés de ir atrás dele por livre e espontânea vontade! Agora, entrem os dois! Pro quarto, AGORA!

Sem escolhas, Grey e Scarlet entraram, sem ter nada o que dizer.

---

Passando-se algumas horas, Grey encontrava-se em seu quarto. Estava sentado na cama, abraçando as pernas e olhando pro teto.

- Que tédio, esse lugar é um verdadeiro mausoléu. Eu quero ir embora daqui, mas ... preciso levar Scarlet comigo. Ela é tudo que eu tenho e não posso abandoná-la ...

De repente, ouviu sua barriga roncar.

- Merda, eu realmente estou com fome! A comida daqui é terrivelmente ruim, mas é tudo o que temos, infelizmente.

Mais alguns minutos se passaram e a fome de Grey aumentava. Ele já não aguentava mais, quando ouviu um barulho estranho vindo de sua janela.

- Que diabos é isso? Será que a fome já está me causando alucinações?

Olhando melhor, Grey deu um leve sorriso de satisfação. Havia alguém que ele conhecia em sua janela.

- Nossa, eu sabia que você apareceria, meu amigo!

Feliz, Grey se levantou de sua cama e dirigiu-se a janela, abrindo-a.

Quem estava ali era um pokémon, um Machop. O pokémon lutador escalou até a janela do quarto de Grey.

- Machop, estou muito feliz em vê-lo! Parece que trouxe algo ...

- Chop ... Chop ...

O pokémon carregava consigo uma cesta, e ali haviam várias frutas.

O Machop era um grande amigo que Grey fez. Obviamente que ele não era oriundo de Viridian, não haviam pokémon como ele por ali. Apenas alguns insetos e alguns voadores. E como representantes de outros tipos, haviam Pikachus, Rattatas, Nidoran fêmeas e também Mankeys, pra não dizer que não havia nenhum do tipo lutador.

Aquele Machop muito provavelmente era um pokémon abandonado pelo antigo treinador.

- Você trouxe comida pra mim? Até parece que lê os meus pensamentos. Eu estou roxo de fome, aquela vadia da Irmã Amélia nos deixou de jejum mais uma vez! - resmungou Grey, ajeitando-se na cama e comendo uma das frutas. O Machop apenas o olhava atentamente.

- A Scarlet também precisa comer. Você conseguiria escalar as janelas e chegar até o quarto dela? Sabe onde é, não é?

- Ma-chop ... - assentiu o pokémon lutador.

- Machop, eu fui mais cedo na floresta de Viridian e encontrei a Butterfree azul. Eu quase a capturei, mas ... droga! Ela fugiu! Eu queria fazer algum pedido a ela ...

O Machop deu um olhar preocupado pra Grey. Parece que, sendo um pokémon, ele sabia mais do que ninguém os perigos que aquela Butterfree poderia causar. Sabia até mesmo mais do que a estudiosa Scarlet.

- Não aguento mais ficar aqui nesse lugar imundo. Eu sei que há um mundo fantástico me esperando, sei que há! Eu queria levar você e Scarlet comigo ...

Mais uma vez o pokémon demonstrava uma certa preocupação no olhar.

- O que foi, Machop? Parece preocupado. Bem, eu sei me cuidar, e além do mais, eu teria você pra me proteger, e a Scarlet também, ela é muito mais forte do que parece.

Naquele momento, a porta se abriu bruscamente. Era a irmã Amélia.

- O que pensa que está fazendo, Grey?

Grey foi pego enquanto comia no quarto. O Machop se pôs em sua frente para defendê-lo.

- Grey, pensei ter lhe colocado de castigo, sem comida até segunda ordem! E o que faz com um pokémon dentro do seu quarto? Sabe muito bem o quão perigosos eles são. Ainda mais um do tipo lutador que pode levantar coisas com o dobro do peso de seu corpo sem fazer esforço algum. E olha que esse nem está em seu último estágio de evolução.

Grey recuava enquanto o Machop o defendia, pronto para atacar caso fosse necessário.

"Eu poderia acabar com essa desgraçada agora mesmo. Um único golpe do Machop pode mandá-la pelos ares. Mas ... não, ela não merece. E nem vou mandar o meu amigo fazer algo assim." - pensou Grey.

- Machop, tudo bem, deixe que eu sozinho me resolvo com ela!

- ... Chop? - o pequeno lutador olhou para o garoto ruivo sem saber o que fazer.

- Pode sair, Machop. Eu não quero que suje suas mãos com ela!

Frustrado, o pokémon suspirou e pulou a janela do quarto, indo embora.

- Muito bem, Grey. Então, não queria que aquele pokémon sujasse suas mãos comigo. Você me tem como um lixo ou algo do tipo?

- Não faça perguntas retóricas ...

- Como ousa agir comigo dessa maneira, seu ... - A mulher foi crescendo pra cima de Grey, que não se abalou em momento algum.

A freira respirou fundo, limpou seus óculos e depois disse : - Por esse ato, você irá sofrer a penalidade máxima! Irá agora mesmo para a sala de detenção!

De maneira brusca, a freira grande e corpulenta puxou Grey pelo braço e o arrastou corredor afora. Ele sabia os horrores que passaria na tal sala de detenção e não tinha medo, aparentemente.

Essa sala ficava no final de um corredor escuro. A Irmã Amélia empurrou o garoto ruivo violentamente contra a sala, a fechando e a trancando logo em seguida.

- Ficará aí até eu decidir quando deve sair, entendeu?

A sala de detenção era um cômodo minúsculo, escuro, fedorento e calorento. Não haviam camas, não haviam janelas, nada. Era um ambiente pesado e claustrofóbico.

Grey suspirou e sentou encolhido em um canto. Respirava fundo de tanto ódio.

---

Já bem mais tarde, uma estranha e misteriosa van parou em frente ao orfanato de Viridian. Dela, saiu um homem ainda mais misterioso. Não era possível ver seu rosto direito, ele usava um chapéu preto, um longo sobretudo preto, roupas pretas por baixo e botas da mesma cor. Também caminhava com uma bengala.

O ser misterioso bateu na porta do orfanato. Não demorou muito para a Irmã Amélia abrir.

- Boa noite, é um prazer recebê-lo. - A freira maligna parecia conhecer o tal homem.

- Já deve saber o motivo de minha visita ... - disse o homem com sua voz arrastada.

- Eu já deveria imaginar. Entre, posso lhe servir um chá.

...

Grey sentia que ia morrer sufocado naquela sala de detenção. Quando viu uma fresta de luz invadir o lugar. Sim, era a Irmã Amélia.

- O que ... o que você quer?

- Venha até a sala de jantar, é uma ordem ...

Mesmo sem entender, o garoto saiu de lá e seguiu a mulher. Qualquer coisa seria melhor do que aquela sala fétida.

Ao chegar na sala de jantar, encontrou Scarlet sentada em uma das mesas, tão perdida quanto ele.

- O que está acontecendo aqui? - indagou o ruivo.

- Apenas sente-se, Grey. Nosso convidado já irá falar com vocês.

Grey olhou para Scarlet, com um ar de pura confusão.

- Que diabos está acontecendo? Que convidado é esse?

- Eu também queria saber, Grey. Mas ela não disse nada.

- Nada mesmo?

- Hmmm ... eu ouvi ela murmurrar algo sobre termos que arrumar nossas malas.

- Como assim? Será que fomos finalmente adotados?

Uma gota de esperança pingou nos olhos azuis de Grey.

Logo, a tal figura estranha adentrou a sala de jantar. O misterioso homem de preto.

- Quem é você? - perguntou Grey, impondo-se.

- Calma, garoto. Fique tranquilo. - disse o homem, sentando-se em frente aos dois.

- O que gostaria de falar com a gente, er ... senhor ...? - indagou Scarlet.

- Scarlet, Grey ... eu vou ir direto ao ponto. Vocês estariam prontos para ir embora desse lugar e seguirem uma jornada Pokémon?

Os dois amigos se entreolharam espantados.

CONTINUA
avatar
MarowakKuwata
Membro
Membro

Masculino Idade : 26
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2016


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Chaos Theory

Mensagem por MarowakKuwata em Sab 6 Fev 2016 - 17:02

Capítulo 02 - Bravo Novo Mundo

Grey e Scarlet se olharam espantados. Eles, duas crianças órfãs, estavam sendo chamadas para seguirem uma jornada Pokémon?

- Pelo que eu sei, realmente estamos na idade certa, o governo de Kanto ordena que jovens de 15 anos iniciem sua jornada Pokémon. Mas ... nós somos órfãos. Os jovens que começam a jornada fazem isso como uma troca pelo apoio financeiro que as famílias recebem do governo e tudo o mais. - disse Scarlet.

- Esse orfanato recebe dinheiro do governo, então, nada mais justo do que a diretora desse local me ceder algumas de suas crianças para seguir jornada, não é mesmo? - respondeu o misterioso homem.

- Bom, eu não vejo o porquê de não aceitar. Quero mesmo dar o fora daqui! - disse Grey, dando de ombros e bufando.

- Mas, espere ... e se não aceitarmos? O orfanato deixa de receber a tal verba? Eu nunca achei muito certo mandar pessoas tão jovens para uma jornada tão perigosa. Fora que isso soa bastante ditatorial. - disse Scarlet.

Foi então que a Irmã Amélia entrou na sala, com um sorriso cínico no rosto.

- Bem, minha adorada Scarlet. Ou vocês aceitam ou então passem a viver nas ruas. A partir de hoje não moram mais aqui, entenderam?

- Como? Como pode fazer isso, sua bruxa velha? Você não tem esse direito!

- Bem, eu passei a ter ...

- Sua ... sua velha ridícula! - bradou Grey, levantando-se. Mas Scarlet o segurou pelo braço e o fez se sentar.

- Vocês dois são muito rebeldes e estavam me causando sérios problemas. Não os quero mais aqui, e como ninguém vai querer adotá-los mesmo, então nada melhor do que mandá-los pra jornada Pokémon. Além do mais, vocês me mostraram hoje que gostam de desbravar florestas. A jornada não será um problema ...

- Ora, ora, ora, não sabia desse espírito aventureiro de vocês dois. - O homem misterioso finalmente voltou a falar.

Grey olhou pra Scarlet e disse : - Hey, nós estamos juntos, não estamos? Vários jovens seguem jornada, não deve ser algo tão ruim assim ...

- Vocês ganham uma boa quantia em dinheiro para cada líder de ginásio que vencem, além de, claro, uma insígnia. Com elas vocês podem lutar na Liga Pokémon do Planalto Indigo. O vencedor se torna uma pessoa famosa e muito, muito rica. - completou o homem.

- Com certeza será uma vida melhor do que essa miserável em que vivemos aqui. - disse Grey, decidido.

- Bem, pelo visto não nos resta escolha mesmo ...

O homem então abriu uma grande maleta na mesa e mostrou alguns itens para os novos treinadores. Ali haviam algumas poções, antídotos, e claro, as pokébolas para capturar os pokémon. Ele explicou bem para a dupla para qual fim cada item funcionava.

- Ah, e temos uma invenção incrível, da qual poucas pessoas tem acesso.

O homem pôs em cima da mesa duas agendas eletrônicas. As pokédex.

- Isso é? - perguntou Grey.

- A Pokédex. Com ela, vocês poderão buscar informações de qualquer pokémon que encontrarem.

- Eu li sobre a pokédex, mas até então era apenas um projeto. Não sabia que já estavam prontas. - disse Scarlet.

- Bem, aqui estão elas, prontas para serem usadas.

Ele então pôs mais três pokébolas em cima da mesa. Uma do lado da outra.

- Esses foram os últimos pokémon que restaram. Cada um de um tipo diferente. Planta, fogo e água.

- Interessante ... - disse Scarlet, analisando tudo.

- Bulbasaur, Charmander e Squirtle. Vocês podem escolher quais deles serão os seus iniciais.

Grey pensou, pensou e pensou. Levantou e disse : - Tá, eu vou querer o pokémon de fogo, Charmander.

- Excelente escolha.

O homem misterioso então pôs a pokébola com Charmander junto aos itens de Grey.

- Bem, se o Grey vai escolher o pokémon de fogo, eu escolho o de água, Squirtle. - Scarlet apontou para a terceira pokébola.

---

Grey e Scarlet deixaram pra trás o orfanato de Viridian e com suas mochilas nas costas, iniciariam finalmente sua jornada.

Grey olhava para os lados, parecia estar procurando algo ou alguém.

- Quem está procurando, Grey? - perguntou Scarlet, mexendo nos óculos.

- Meu amigo Machop. Eu queria me despedir dele antes de ir.

- Está tarde. Podemos dormir no Centro Pokémon e começarmos a viagem amanhã bem cedo. Acho que terá tempo de encontrar seu amigo.

- Boa idéia, Scarlet. E então, gostou do seu primeiro pokémon?

- Eu gosto de aquáticos, Squirtle foi uma excelente escolha.

- Charmander também é bom. Mas fogo não é meu tipo preferido, eu gosto dos lutadores.

- Hihihihi. Tudo a ver contigo. Inclusive, o Machop parece uma versão pokémon sua.

- O que quer dizer com isso, hein?

- Hahahaha, nada não, nada não. Hey, eu tenho uma idéia!

- Que idéia?

- O que acha de colocarmos nossos pokémon para batalharem um contra o outro?

- Sem chance, você vai ganhar com certeza. Água vence fogo!

- Vejo que não sabe de nada mesmo. Pelo que o homem esquisito lá falou, os pokémon começam com golpes ofensivos do tipo normal, isso sem falar que estão no mesmo level. Tanto o Charmander quanto o Squirtle só aprenderão golpes elementares a partir de um determinado level, ok?

- Eu não sabia disso.

- As informações do seu pokémon serão atualizadas na sua pokédex sempre que ele subir de level e aprender um novo golpe.

- Sendo assim, acho que podemos batalhar.

- Exato! Bem, está pronto? - Scarlet pegou sua pokébola.

- Estou!

- Squirtle, vai!

- Charmander, vai!

O pokémon de fogo se pôs em frente ao pokémon de água. Prontos para receberem as ordens de seus novos treinadores e batalharem.

Tanto Grey quanto Scarlet consultaram a pokédex e viram os atuais golpes de seus novos pokémon.

- Charmander, ataque com Scratch!

- Squirtle, Tackle!

Os dois correram um na direção do outro. Charmander se preparou para arranhar o oponente, mas Squirtle foi mais rápido e lhe deu uma investida, o fazendo rolar pelo chão.

- Não! Droga!

- Hahaha! Ótimo!

Os pokémom repetiram os únicos golpes ofensivos que possuiam naquele level. O Squirtle de Scarlet estava em vantagem. A menina mesmo sendo uma iniciante como Grey, tinha muito mais técnica em comandar um pokémon.

O Tackle de Squirtle sobre Charmander finalizou a batalha. O pokémon lagarto caiu, já sem forças pra continuar lutando.

- Droga! Droga! Não acredito que perdi minha primeira batalha!

- Relaxa, Grey. Foi apenas um começo, tanto você quanto eu ainda temos muito o que aprender. Squirtle, volte!

O ruivo suspirou, abaixou-se e abraçou seu Charmander que estava caído.

- Me desculpe, cara. Eu prometo que isso não acontecerá da próxima vez, ok?

- Charm ...

O pokémon sorriu e abraçou o seu treinador de volta. Grey sorriu aliviado.

- Eu gosto de ver o quanto se importa com eles, Grey. A sua amizade com aquele Machop, por exemplo, eu sempre achei muito bonita. Acredito que isso seja o primordial para se treinar um pokémon.

- Nah, vamos logo descansar, temos uma viagem pela frente e essa batalha me deixou exausto. - disse Grey, levantando-se com Charmander em seu colo.

- Sim, vamos indo.

---

///Centro Pokémon de Viridian as 06:30//

- Aaaaah ... que sono ... - resmungou Grey, descendo para o térreo do Centro Pokémon, já arrumado. Scarlet estava sentada em uma cadeira, lendo um livro.

- Há quanto tempo está acordada? - perguntou o ruivo.

- Tem uma hora ou mais ...

- Caramba ...

- Fazer o quê, né? Estou ansiosa.

- Está pronta? Vamos começar a viajar agora mesmo.

Scarlet se levantou rapidamente. Fez um sinal positivo e disse : - Nunca estive tão pronta!

- Certo, mas precisamos encontrar o Machop antes. Não quero ir embora dessa cidade sem me despedir dele.

- Faremos isso, vamos lá!

Os novos treinadores sairam do Centro Pokémon e caminharam pela cidade, tentando encontrar o amigo pokémon de Grey.

Procuraram e procuraram por todas as partes, mas nem sinal dele. Grey estava começando a ficar triste e preocupado.

- Ele ... ele não pode ter sumido assim, Scarlet.

- Será que ele foi capturado por algum treinador? Sei lá, um pokémon considerado raro nessa região ...

- Não, não foi. Ele não poderia arrumar um novo treinador, não justamente agora.

- Então, o que aconteceu?

- Eu não sei, er ... eu não te contei, mas a Irmã Amelia me pegou com ele no quarto ontem, na hora em que ele me trouxe comida. Talvez, talvez ele tenha fugido, talvez tenha se sentido culpado por eu ter sido punido. E-eu ... eu nem sei no que pensar ...

- Se foi isso, então, infelizmente não há nada que a gente possa fazer.

- Ele assim como você, era meu melhor amigo. Mesmo sendo um pokémon, ele ... ele se importava comigo ...

Scarlet o abraçou forte e disse : - Está tudo bem, Grey. Mesmo longe, ele não vai se esquecer de você, assim como você não vai se esquecer dele.

- Eu sei ... eu sei ... eu queria muito vê-lo pela ultima vez, eu queria que ele soubesse que estou bem e que finalmente sai daquele inferno.

- Quem sabe um dia? Venha ... temos que ir ...

Grey estava arrasado, mas ainda assim, seguiu viagem. Triste e sério, caminhou com Scarlet, que o levava lhe segurando pela mão.

---

Já na floresta, Grey e Scarlet caminhavam, prontos para deixar de vez a cidade de Viridian. Ali, treinaram bastante seus novos pokémon, lutando com outros pokémon de alguns caçadores de insetos que os desafiavam ali.

Charmander e Squirtle subiram alguns léveis e finalmente aprenderam golpes elementares.

- Para qual cidade vamos agora? - perguntou Grey.

- Para a cidade de Neon. Lá conseguiremos a nossa primeira insígnia.

- Hmmm ... é por essa trilha aqui?

- Não, essa vai te deixar na cidade de Pewter! O caminho é outro, venha comigo ...

Os amigos seguiram o caminho certo. Andaram, andaram e andaram. Até que Grey começou a se sentir seguido.

- Saco! Será que é mais um desses caçadores de insetos querendo batalhar? Eles usam sempre os mesmos pokémon, só deixam a batalha mais monótona! - resmungou Grey.

Porém, quando o garoto ruivo se virou ...

- Não acredito, é você ...

Grey sorriu alegremente e seus olhos ficaram marejados de emoção. O Machop havia o seguido e estava ali, atrás dele.

- Machop, você estava aqui na floresta o tempo todo? Você soube que eu ia embora e quis me esperar aqui?

O pokémon assentiu. Scarlet sorriu e disse : - Vê? Ele não fugiu. Dê um abraço nele ...

O garoto correu até o pokémon e lhe deu um forte abraço, que foi retribuido. Sorrindo, e com lágrimas de emoção caindo, Grey disse : - Machop, eu consegui, amigo! Scarlet e eu saimos daquele orfanato e finalmente vamos viajar! Vamos desafiar ginásios, vamos capturar novos pokémon, vamos para a Liga do Planalto Indigo! Vamos ganhar muito dinheiro e seremos muito famosos! Nossa vida vai mudar, amigo! Eu não poderia ir embora sem antes deixar você saber disso ...

- Mach ... - o pokémon olhou surpreso para Grey. Ele parecia mais preocupado do que triste pela despedida. Será que ele sabia de algo que os garotos não sabiam?

- Você foi o meu melhor amigo durante todo esse tempo, e eu lhe agradeço muito! Eu ... eu não sei se você iria querer seguir uma jornada, eu não lhe forçaria a isso.

Machop abaixou a cabeça, ficando um tanto pensativo. Grey olhou para ele com um ar curioso.

- O que foi, Machop?

O lutador o abraçou mais uma vez, como se estivesse dizendo que queria protegê-lo.

- Acho que o Machop quer ir com a gente, Grey. - disse Scarlet, sorrindo.

- S-sério, Machop? Você quer mesmo vir com a gente? Quer batalhar? Quer que eu seja seu treinador?

O Machop sorriu e assentiu. Grey abriu um longo sorriso e mais uma vez o abraçou.

- Ok, estaremos juntos em qualquer lugar! Nós três! Não é, Scarlet?

- Isso mesmo!

Naquela hora, o Machop se empolgou e acabou abraçando Grey um pouco forte demais.

- Aaaiii!!!!

Sim, o abraço foi um pouco dolorido. Afinal, era um pokémon lutador, com uma força diferente da dos humanos. Além do mais, o Machop mesmo sendo um pokémon era apenas um jovenzinho como Grey, portanto, não parecia ter muita noção de sua força.

O abraço deu um jeito nas costas de Grey. Scarlet correu e começou a massageá-lo.

- Machop, tem que ter um pouco mais de noção dessa sua força, rapazinho! - Scarlet bronqueou com o Pokémon, que sem graça, coçou a cabeça e suspirou.

---

Scarlet e Grey estavam já no final da floresta, já conseguiam ver uma luz. Machop já estava dentro de sua pokébola, finalmente com um novo treinador, também seu melhor amigo.

No fim da floresta, os dois chegaram em uma ponte que passava por cima de um córrego. No final da mesma, podiam avistar prédios enormes, verdadeiros arranhacéus.

- Essa cidade parece ser muito bonita, nunca estive em uma assim antes. Afinal, Viridian nunca foi lá uma grande metrópole ...

- Bah, pra mim tanto faz! Vamos indo, Scarlet?

- Claro!

A dupla caminhou pela ponte que ligava a floresta de Viridian até a cidade de Neon. No meio do caminho, encontraram um grupo.

Um grupo de punks motociclistas, todos bem mal encarados. Estavam embarreirando a passagem.

- Ora, ora, ora, onde vocês pensam que vão?

- Crianças não deveriam andar sozinhas! Heheheeh ...

- Quem é criança aqui, hein? Seus bostas! - Grey já se irritou e foi crescendo pra cima deles.

Os motociclistas começaram a rir. Um deles falou : - Que gracinha, mas vocês não vão a lugar nenhum. A gente tá curtindo aqui, quando terminarmos podem passar.

- Grrrr! Vocês vão ver só uma coisa! - Grey, irritadíssimo, já foi pegando uma pokébola.

Foi então que um barulho de motor foi ouvido. Mais um punk chegava de motocicleta, se juntando aos demais.

- O que pensam que estão fazendo, seus punks de boutique? - disse ele.

Um sujeito alto, branco, de olhos avermelhados e um cabelo moicano pintado de rosa. Usava uma jaqueta de couro sem camisa por baixo, um colar de cadeado no pescoço, calça quadriculada vermelha e coturnos pretos. Estava com uma garrafa de vodka na mão, da qual tratou de beber como se fosse água.

- Kain? O que faz aqui? - perguntou um dos integrantes da gangue.

- Bom, eu resolvi dar umas voltas pela cidade pra comprar umas biritas e me perguntei onde os malditos desgraçados estavam. E qual não foi a minha surpresa ao vê-los encrencando com duas crianças no meio da ponte? Vocês me dão vergonha ...

- Que isso, Kain. A gente só tava brincando com eles, hehehe.

- Já brincaram o suficiente. Agora mexam suas bundas e caiam o fora daqui! Anda!

Resmungando, os outros motociclistas subiram em seus veículos e foram embora da ponte. Apenas Kain ficou ali.

- Caramba, eles parecem respeitar você ... - comentou Scarlet.

- Estão bêbados, só isso. - disse Kain, dando de ombros e acendendo um cigarro com a mão que estava livre.

- Hunf! Quem enche a cara as 10 horas da manhã? - resmungou Grey, enquanto via a garrafa de vodka quase vazia na outra mão de Kain.

- Não sabia que existiam horários específicos para beber. Quer se manter sem ressaca? Continue bêbado.

Scarlet deu uma risadinha. Grey virou os olhos e suspirou.

- Já sabem que meu nome é Kain, claro, a não ser que sejam surdos. Qual o nome de vocês?

- Prazer, Kain. Eu sou a Scarlet e ele é o meu amigo, Grey.

Kain olhou a pokébola que se encontrava ainda na mão de Grey. O punk deu um sorriso de canto e disse : - Então, vocês são treinadores?

- Sim, nós somos! - respondeu Scarlet.

- Por que a pergunta? - disse Grey.

- Hmmm ... é sempre bom conhecer novos treinadores. Espero que estejam prontos para enfrentar o Jonas, líder do ginásio de Neon. Pokémon do tipo normal são a especialidade do ginásio.

- Há! Eu tenho o Machop, lutadores dão um banho em normais!

- As coisas não são tão simples quanto pensa, Grey. Bem, eu vou indo nessa. Espero lhes ver em breve, crianças! - Kain então subiu na motocicleta, deu partida e seguiu em direção a cidade.

- Hunf! Esse punk está bebendo e dirigindo, que irresponsável! E ele nos chamou de crianças, sendo que nem parece ser tão mais velho que a gente! - resmungou Grey.

- Deixa ele pra lá, cara! Venha, temos uma cidade nos esperando.

---

Grey e Scarlet finalmente chegaram na grande cidade de Neon. Realmente era o total oposto da pacata cidade de Viridian. Neon era enorme, tinha prédios enormes, hotéis, casas de show, clubes, pubs etc.

- Que lugar incrível! Eu ... eu nunca estive em uma cidade assim antes ... - disse Scarlet, olhando maravilhada para os lados.

- Assim ... assim ... nem vejo nada de mais. Vamos andando ...

No meio do caminho, se depararam com um garoto que estava com um olhar maravilhado em um tipo de ponto de encontro da cidade. Esse garoto parecia estar nas nuvens. Ao seu lado, um Slowpoke, provavelmente seu pokémon.

- Hey, vocês ... - disse o garoto "lerdo" ao ver Grey e Scarlet passando em sua frente.

- Pois não? - disse Scarlet.

- Vocês por acaso viram uma linda garota com lindos cabelos negros e lindos olhos azuis andando por aí?

- Erm ... não. Nós acabamos de chegar aqui. - respondeu Grey.

- Que pena, ah, tudo bem. Ela deve chegar logo.

- Quem é essa garota? Desculpe perguntar. - perguntou Grey.

- Hehehehe, uma garota que eu achei muito bonita. Pedi pra ficar com ela, e ela aceitou.

- Uau! Que incrível, heim? - disse Scarlet, em um tom de riso.

- Ela me pediu 100 dólares, e disse que me encontraria depois caso eu desse esse dinheiro a ela. E claro que eu dei, não é? Agora estou aqui a esperando ... hehehe.

Os dois se entreolharam com uma cara de "WTF". Olharam de volta pro garoto e disseram : - Boa sorte. - depois disso, sairam dali.

O que eles não sabiam, era que alguém os observava. Em um prédio dali, alguém observava o movimento, olhando em alguns binóculos.

Era uma garota muito bonita. Longos cabelos negros, olhos bem azuis, pele branca. Usava roupas de colegial japonesa, de cor preta e detalhes roxos.

- Ora, ora, ora, essa cidade está ficando bem mais movimentada que de costume. Tantos novos treinadores, heheheh. O que acha de darmos as boas vindas a eles, Meowth?

- Meooowww ... - afirmou o pokémon felino, ao lado da misteriosa treinadora.


CONTINUA
avatar
MarowakKuwata
Membro
Membro

Masculino Idade : 26
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2016


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Chaos Theory

Mensagem por MarowakKuwata em Qua 10 Fev 2016 - 14:01

Capítulo 03 - Estranhos na cidade

Scarlet e Grey caminhavam pela enorme cidade de Neon, afim de encontrar o ginásio e finalmente enfrentar seu líder.

- Céus, essa cidade é enorme. Vamos acabar nos perdendo ... - disse Scarlet.

- Legal, agora eu realmente me sinto um caipira!

- Nós nunca saimos de nossa antiga cidade, é ... acho que realmente somos caipiras.

- Eu nunca vi prédios tão grandes quanto esses aqui, e ... nossa ... está sempre cheio ... - Grey disse enquanto desviava de algumas pessoas naquele tumulto.

- E olha que ainda está de dia. Dizem que Neon acontece mesmo durante a noite.

- Como se já não estivesse acontecendo o suficiente durante o dia, né? Onde está esse maldito ginásio?

Os jovens treinadores acabaram encontrando o ginásio. Na verdade parecia mais uma grande casa de show. Eles só identificaram tratar-se de um ginásio devido a um enorme letreiro escrito "GYM". Um letreiro que provavelmente seria iluminado por luzes de neon quando anoitecesse.

- Nossa, finalmente chegamos. Nossos pokémon já estão bem treinados, acho que estamos pronto para enfrentar o líder. - disse Grey, aproximando-se da grande porta de vidro.

Porém, quando o jovem de Viridian pegou na maçaneta e tentou abrir, constatou que a porta principal estava trancada.

- Ué? Que diabos é isso? A porta está trancada ...

- Hehehehe ... será que estão em horário de almoço? - comentou Scarlet.

- Faz sentido, já passou do meio dia. Que merda!

- Almoçar é o que deveríamos estar fazendo, não é mesmo? Vem, vamos comer, depois voltamos.

Entretanto, antes que os dois amigos pudessem se afastar do ginásio, eles ouviram uma voz diferente.

- Esse ginásio só abre a noite.

Grey e Scarlet se viraram. Havia uma garota atrás deles. Pele negra, cabelos encaracolados e compridos, pintados de verde assim como seus olhos. Usava um casaco preto de ziper com gola alta, calças jeans azuis e sapatos pretos.

- Er, olá. Você trabalha aqui nesse ginásio? - perguntou Scarlet.

A garota disse que não com a cabeça e em seguida, respondeu : - Sou uma treinadora como vocês.

Os dois repararam um bocado na treinadora. Era muito bonita, e também muito séria. Não sorria, não mudava de expressão.

- Uau, que ótimo conhecer outra treinadora. Nós estamos começando hoje mesmo a jornada. A propósito, meu nome é Scarlet e ele é meu amigo Grey. Qual o seu nome?

- Me chamo Maggie.

- Maggie, er ... você sabe muitas coisas sobre essa cidade, seu ginásio e seu líder? Um punk maluco nos falou que esse é um ginásio de pokémon normais ... - disse Grey.

- Só sei que esse ginásio é também uma boate, e por isso só abre durante a noite.

- Um ginásio/boate? Que pitoresco. Er ... estamos muito animados pra começar essa jornada. Vamos nos tornar grandes mestres pokémon! - disse uma alegre Scarlet.

Maggie, mantendo seu belo porém frio e inexpressivo olhar, disse : - Nos tornar grandes mestres é o mínimo que devemos almejar. Só temos essa perspectiva de vida.

- É, eu sei que tem muita coisa errada por trás disso tudo. Mas ... nós vivíamos no orfanato de Viridian, que era comandado por uma freira sádica. Acho que nunca tivemos muitas pespectivas de vida. - disse Scarlet.

A garota de cabelos cacheados e esverdeados abaixou a cabeça e disse : - Tomem cuidado, essa é uma cidade grande, diferente dos pequenos povoados de onde vivíamos. Pode ser um lugar perigoso.

Scarlet mexeu nos óculos e disse : - Obrigada por se preocupar, vamos tomar cuidado sim, viu?

- Procurem treinar bastante seus pokémon ou capturar novos. Os líderes de ginásio são muito fortes, mais do que qualquer treinador que enfrentaram pelas rotas. Bem, eu vou indo. - A garota séria então fez um cumprimento e se afastou.

Grey deu uma arqueada de sobrancelhas, cruzou os braços e disse : - Ela é meio estranha, hein?

- Ah, eu a achei muito bonita e ... hã ... simpática. Só tem um pensamento meio niilista.

- Ela é séria demais, parece que só tem uma expressão. Mas é bonita, sim, nisso você está certa.

- Bom, vamos almoçar, minha barriga está roncando.

---

Após o almoço, Grey e Scarlet caminhavam por uma praça da cidade. Sim, eles receberam uma boa quantia em dinheiro do homem esquisito no orfanato antes de iniciar a jornada.

- Aaaaaaah ... comi tão bem. Há quanto tempo não comíamos algo de qualidade, Scarlet?

- Acho que nunca comemos, pra falar a verdade.

- Estou gostando dessa nova vida, sinto como se as coisas estivessem começando a finalmente dar certo.

- Parece que somos personagens de um anime ou um jogo, é engraçado. Enfim, vamos nos sentar? - disse Scarlet, apontando para um banco vazio da praça.

- Ah sim, vamos ...

Os dois se sentaram no banco, para assim poderem descansar um pouco depois da refeição. Scarlet não percebeu, mas um dos zíperes da mochila estavam um pouco abertos, o que fez algo cair no momento em que ela se sentou.

- Mas que droga ...

Era um saquinho com algumas moedas dentro.

- Não fechou essa mochila direito, Scarlet?

- Eu estava tão distraída quando saimos do restaurante, bah ... paciência ...

Quando Scarlet fez menção de se levantar do banco pra pegar sua bolsinha, algo aconteceu.

Alguma coisa saltou pra fora dos arbustos que cercavam a praça, parando na frente dos jovens de Viridian e agarrando a bolsa de Scarlet.

Era um Meowth, segurando a bolsa pela boca.

- Hã? Isso é um Meowth? - perguntou Grey, já pegando a pokédex.

- Sim, é. Muito bem, rapazinho, pode devolver a minha bolsa! - Scarlet se levantou, caminhando na frente do pokémon felino, que por sua vez só recuava e não soltava a bolsa de forma alguma.

- Você a ouviu, sua bola de pelos! Devolva a bolsa!

Obviamente que o Meowth não obedeceu. Tratou logo de começar a correr com a bolsa de Scarlet na boca.

- Ei, volte aqui ladrãozinho!

Scarlet e Grey começaram a correr atrás do pokémon. As pessoas na praça olhavam assustadas, mas ... não faziam nada pra ajudar.

Os dois continuavam a correr atrás do pokémon, que obviamente era bem mais rápido. Meowth começou a pular em cima de algumas lojas, até se enfiar em algumas folhagens de difícil acesso para os dois treinadores.

- Grrrrr!! Que ladrãozinho miserável! - disse Grey.

- Pokémon ladrões, hein? Mas que lástima ...

---

Apesar de ser uma cidade grande, Neon possuia alguns bosques, e foi exatamente ali em que o Meowth se escondeu.

O pokémon correu até sua treinadora. A garota de cabelos longos e negros e vestes de colegial que mais cedo estava observando os novos treinadores no topo de um dos prédios.

- Olha, você veio mais rápido do que eu imaginei. - disse a garota que estava sentada em baixo de uma árvore.

- Meoooww ... - Meowth soltou a bolsa na frente de sua treinadora e se sentou.

- Vamos ver o que temos aqui ...

A bela jovem começou a contar as moedas e não pareceu muito feliz.

- Aaaaaah, só isso? Esses treinadores são mais pobres do que eu, é? Acho melhor esperar eles enfrentarem o líder do ginásio, vão estar com muito mais dinheiro! Hahahaha ...

- Meoowwth ... - O felino miava e sorria, como quem estivesse concordando com o que a dona dizia.

- Eu também enfrentarei o líder Jonas e conseguirei uma boa quantia, mas ... dinheiro nunca é demais, não é verdade? Tee-hee!

---

Scarlet e Grey foram dar parte na polícia, e foram informados que roubos assim estavam cada vez mais comuns na cidade nos últimos dias.

Frustrados, os dois jovens decidiram ir até os bosques, ver se achavam o ladrão por eles mesmos.

- Um pokémon não precisa de dinheiro, com certeza tem alguém por trás disso tudo! Ah, se eu pego ... - disse Grey.

- Bem, pelo menos eu não estava com todo o meu dinheiro dentro daquela bolsa.

- Como assim?

- Eu dividi em três bolsas, achei melhor e mais organizado. Aquele Meowth só carregou uma delas.

- Se ele pegasse a minha, eu 'tava é ferrado ...

Havia uma entrada pro bosque atrás do ginásio (que claro, ainda estava fechado). Grey e Scarlet foram por ali.

Caminharam, caminharam, procuraram, mas não encontraram ninguém.

- Eu deveria imaginar, com certeza esse ladrão não ia ficar por aqui. Fora que é uma cidade grande, ele pode se esconder muito facilmente. Só perdemos o nosso tempo! - resmungou Grey.

- Já que estamos aqui, poderíamos procurar algum pokémon selvagem pra capturar. Que tal?

- Treinamos tanto com os garotos dos insetos na floresta de Viridian que nem pensamos nisso mais cedo ...

Parece que depois do infortúnio causado pelo Meowth ladrão, os ventos finalmente se voltaram a favor dos dois amigos.

Um pokémon selvagem apareceu para eles. Era um Eevee, que surgiu andando calmamente pelas folhagens.

- Yaaay!! A sorte voltou pro nosso lado, Grey.

- Hmmm ... um Eevee - disse o garoto, olhando na pokédex. - Achava que eles fossem raros de se encontrar.

- Por isso que eu digo que estamos com sorte. Squirtle, vai! - Scarlet soltou seu pokémon.

- Hey, por que é você que tem que capturá-lo?

- Você já está com dois pokémon, o Charmander e o Machop. Eu só tenho o Squirtle.

- Mas eu não capturei o Machop, ele me seguiu!

- Ele faz parte da sua equipe, não faz? Então ...

- É, faz sentido ...

- Bom, vamos deixar de lenga lenga. Squirtle, tackle!

Squirtle correu e atacou o Eevee, que caiu.

- Isso!

"Ela é muito boa ... mesmo com menos de 24 horas sendo uma treinadora." - pensava Grey.

Eevee contra atacou com Quick Attack, o que fez Squirtle cair, mas ainda assim não pareceu tê-lo abalado muito.

- Squirtle, bubble agora!

Squirtle se levantou e atacou Eevee. O pokémon adversário estava cercado pelas bolhas que não paravam de surgir e de estourar em cima dele.

- É agora, Eevee, você é meu! - Scarlet aproveitou e atirou sua pokébola no pokémon desejado.

A bola caiu, e ficou ali ... piscando, piscando e piscando. Scarlet observava calmamente.

Até que ... parou. Eevee fora capturado!

- Consegui! Consegui! Capturei um pokémon! - A garota correu alegremente e pegou a pokébola que agora transportava Eevee. Pôs Squirtle de volta na sua e fez um V de vitória.

"Scarlet tem tudo pra ser uma ótima treinadora. Eu tenho muito o que aprender com ela." - pensou Grey.

Naquela hora, Scarlet e Grey sentiram a presença de mais alguém na floresta e ouviram palmas.

Era Kain, o punk, que estava ali.

- Meus parabéns Scarlet, meus parabéns.

- Hey, você é o Kain, o punk de hoje cedo! - disse a garota de óculos.

- Sim, você mandou bem pra uma criança.

- Por que fica nos chamando de crianças, hein? Nós temos 15 anos! - Grey se irritou.

- Hehehe, eu sei, é a idade mínima pra iniciar jornada. Mas vocês não parecem ter mais do que 12. Principalmente você. - Kain aproximou-se de Grey ao dizer isso e começou a bagunçar os cabelos do garoto baixo.

Grey ficou ruborizado, mas logo mudou pra uma expressão de raiva e tirou a mão de Kain de sua cabeça.

- Para com isso, seu idiota!

- Hahahaha, você ainda age como um garotinho, Grey. Agora que está seguindo jornada, precisa agir como gente grande.

- Por que diz isso? - perguntou Scarlet.

- A jornada pokémon não é o mundo de alegria e diversão que muitos por aí pensam.

- Nós temos uma certa idéia ... - respondeu a garota.

- Não, vocês não tem. - disse Kain, com um olhar decidido, enquanto acendia um cigarro.

Naquele momento, mais um pokémon apareceu ali no bosque. Era um Cubone.

Kain deu um sorrisinho de canto, retirou uma pokébola e disse : - Esse é meu! Arcanine, vai!

O punk lançou sua pokébola e dali saiu o enorme pokémon canino, se postando em frente ao pequeno pokémon terrestre.

- Você vai usar um Arcanine? Pokémon de fogo não são fracos contra pokémon de terra? - indagou Grey.

- Naturalmente. Mas óbvio que meu Arcanine é muito mais experiente que um Cubone, né? Além disso, quem falou que vou usar golpe de fogo?

- Hã?

- Uau! Que lindo ... - dizia Scarlet, admirada.

- Arcanine, vamos lá! Extremespeed, agora!

Arcanine foi com tudo pra cima do Cubone, tão rápido que ele nem teve como reagir. O pokémon de terra foi enfraquecido com um único golpe. Kain lançou sua pokébola e o capturou.

- Nossa, o Kain é mesmo muito habilidoso. - disse Scarlet.

- Hunpf! Nem achei nada de mais ... - disse Grey.

- Esse é o meu fiel Arcanine. Quando não estou com a minha motocicleta, ele é o meu melhor meio de transporte. - disse Kain, acariciando a cabeça do enorme pokémon.

- Ele é ótimo, é um pokémon muito bonito e muito poderoso. - Scarlet disse, aproximando-se e também acariciando o Arcanine, que pareceu gostar do afago.

Kain deu uma longa tragada em seu cigarro e disse : - Espero que estejam preparados para o desafio mais tarde.

Grey, com um ar decidido, disse : - Estou mais do que preparado!

- Eu já lutei contra o líder Jonas e ganhei a minha insígnia. Isso há um mês.

- Hã? Por que está demorando um mês pra ir ao próximo ginásio? - perguntou Grey.

- Essa cidade tem uns bares bacanas. Estou curtindo um pouco com a galera da gangue das motocicletas aqui, depois eu penso nisso ...

- Grrrrr ... você é um irresponsável!

- Minha jornada, minhas regras. - disse o punk, apertando o nariz do garoto ruivo, que obviamente ficou uma fera.

- Você não parece ter a nossa idade pra estar iniciando a sua jornada. Claro que também não parece ser tão mais velho. - Scarlet comentou.

- Eu tenho 17 anos.

- Todos os treinadores iniciam aos 15 anos, por que só você começou mais velho? - perguntou Grey.

- Digamos que não era nem pra eu estar na jornada.

- C-co-como assim?

- Vocês podem se espantar com o que eu vou dizer agora, mas ... eu sou filho do presidente de Kanto.

Grey e Scarlet arregalaram os olhos de espanto com a revelação do garoto de moicano.

CONTINUA
avatar
MarowakKuwata
Membro
Membro

Masculino Idade : 26
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2016


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Chaos Theory

Mensagem por MarowakKuwata em Sab 13 Fev 2016 - 17:44

Capítulo 04 - A Cidade que Nunca Dorme

Grey e Scarlet foram pegos de surpresa pela revelação de Kain. O garoto ruivo deu uma bufada e disse : - Deixa de ser palhaço, cara!

- Acho que ele está falando sério, Grey.

- Será??

- Sim, estou falando sério. Eu sou filho do presidente de Kanto, e por isso, só por isso, eu não preciso seguir jornada como os demais garotos. Sabe como é, privilégios, né? Filhos de políticos, militares e pessoas ricas em geral não necessitam seguir a jornada.

- E por qual razão você seguiu jornada? Já que não precisa ... - perguntou Grey.

- Eu sou uma pessoa que odeia injustiça. Não suporto ver todos os jovens como vocês tendo que se arriscar nesse mundo cão e eu, apenas por ser privilegiado, não passo por nada disso. Então, eu simplesmente sai de casa, me juntei a gangue das motocicletas e me meti no mundo.

- Sua atitude é muito nobre. O que seu pai diz sobre isso tudo? - perguntou Scarlet.

- Ele não pode fazer nada, ninguém é proibido a seguir jornada. Mas os únicos obrigados são os pobres. Ganham uma merreca do governo e como troca precisam mandar seus filhos pra uma jornada pokémon. Caso contrário, deixam de receber a verba e alguns até perdem suas casas, são mandados pra barracos. O mercado de trabalho quase não é uma opção, uma vez que é dominado pela burguesia.

- Ele não te deserdou? - perguntou Grey.

- Você acha que não? Pro diabo com a herança! Farei meu próprio dinheiro nessa jornada, sem precisar da grana suja dele.

Scarlet mexeu nos óculos, encarou bem o punk e perguntou : - Como conseguiu todos os itens necessários? E o pokémon inicial ...

- Quanto aos itens, bem, não foi nada difícil, eu nasci no lugar de onde todos eles vem. Arcanine foi meu pokémon inicial quando ele ainda era um Growlithe. Estamos juntos desde que eu era pequeno.

- E agora você segue sua jornada, conquistando o seu próprio dinheiro e fazendo as coisas do jeito que você quer. - disse Grey, agora com um certo tom de admiração.

Kain sorriu, montou em seu Arcanine e disse : - Você pegou o espírito da coisa. Esse mundo é cruel demais, saibam disso. Bem, agora eu tenho que ir, preciso descansar, pois a noite é uma criança. Espero ver vocês dois em breve.

- Até ... até mais ... - Grey se despediu, meio abobalhado.

O Arcanine bateu em retirada, levando seu treinador nas costas, tão rápido que Scarlet e Grey nem sentiram.

- Hmm ... gostei muito da atitude dele, espero que não esteja se arriscando, sabe-se lá do que esse governo tirano é capaz. - comentou Scarlet.

- O que será que nossas famílias passaram? Eu infelizmente não me lembro de nada, não me lembro de onde vim ...

- Eu também não, só lembro de minha vida no orfanato. Uma pena, queria me lembrar dos meus pais ...

---

Maggie, a treinadora misteriosa vista mais cedo na frente do ginásio de Neon, saia do Pokémart local após trocar alguns itens desnecessários por dinheiro.

Enquanto caminhava em direção ao Centro Pokémon onde estava hospedada, se sentiu sendo seguida. Olhou pra trás e não viu ninguém. Aliás, seria meio difícil de encontrar no meio da multidão sempre presente na cidade.

Ignorou e continuou andando. Entrou no Centro Pokémon, subiu para seu quarto e sentou-se na cama. Ali mesmo, tirou o saco de dinheiro e procurou um lugar para guardá-lo.

Ao olhar na janela que tinha aberto há poucos minutos, viu que ali estava um Meowth, lhe observando amigavelmente.

Maggie deu uma arqueada de sobrancelhas e ficou a encarar o pokémon felino.

- Meooowww ...

- O que quer aqui?

O gato pulou a janela e entrou no quarto sem cerimônia, indo na direção de Maggie. Ao se aproximar, tratou de subir na cama.

Meowth ficou se esfregando em Maggie, como quando os gatos pedem carinho ou coisa assim. A treinadora nem se mexia, apenas lhe encarava fixamente, bem séria.

Bem rápido, enquanto fazia "gracinhas" tentando distraí-la, Meowth abocanhou sua bolsa de dinheiro assim como fez com a de Scarlet, e tratou logo de correr e pular a janela.

Porém, Maggie não moveu uma palha. Não correu, não gritou, não avisou a ninguém que havia acabado de ser roubada.

Simplesmente se levantou da cama, retirou uma pokébola e liberou um pokémon.

Era um Espeon, a evolução psíquica do Eevee.

- Espeon, precisarei de sua ajuda ...

O pokémon tão silencioso quanto sua treinadora, aproximou-se e se mostrou pronto a receber suas ordens.

- Acabo de ser roubada por um Meowth, ele não deve estar muito longe daqui. Use seus poderes telepáticos para localizá-lo.

Os olhos de Espeon começaram a brilhar em um tom de azul cintilante. O pokémon saiu do quarto e Maggie o seguiu.

Maggie e Espeon corriam agora pela cidade, atrás do pequeno ladrãozinho. Os poderes psíquicos do pokémon os levaram até uma entrada pro bosque, essa ficava atrás de um dos muitos bares da região.

Treinadora e pokémon agora corriam pelo bosque, até que finalmente encontraram o Meowth ladrão saltando pelas árvores.

- Espeon, agora! Confusion!

Os olhos de Espeon agora brilhavam ainda mais, junto da pedra vermelha em sua testa. Um tipo de "ilusão" surgiu na frente do Meowth, um tipo de barreira psíquica com cores psicodélicas. O felino começou a ser levitado pela telecinese do ataque, até cair no chão. O mesmo poder telecinético retirou a bolsa de sua boca e a fez voltar para as mãos da dona.

Meowth ainda tentou se levantar, mas tinha ficado confuso. Deu umas cambaleadas, bem tonto, e caiu novamente.

Mais do que imediatamente, a dona do ladrãozinho surgiu ali. Saindo do meio de uma das árvores.

- Meowth! Meowth! Tá tudo bem com você? - ela pegou o pokémon e o segurou em seu colo.

- Então ... você está ensinando seu pokémon a roubar, não é? Que deplorável ... - disse Maggie.

- Quem é você, hein coisinha? Que história é essa de atacar meu pokémon? - A garota disse indignada, dando uma jogada em seus longos cabelos negros.

- Meu nome é Maggie, mais conhecida como a pessoa a quem seu pokémon roubou, claramente sob ordens suas!

- Hmmmmm, poderosa você, hein? Conseguiu me achar usando seu pokémon psíquico, né?

- Sim, e agora não vou deixar isso ficar assim! Ouvi falar sobre alguns roubos que andam acontecendo recentemente nessa cidade, com certeza é obra sua. Não lhe deixarei sair impune!

A garota ladra começou a gargalhar. Deu mais uma jogada de cabelo e disse : - Nossa, que decidida! Gosto desse seu senso de justiça, me sinto desafiada. Melhor ainda, sendo por outra garota, hihihihi.

Maggie suspirou e em seguida, abriu a boca como quem quisesse dizer algo, mas a fechou novamente, sem nada dizer.

Ainda com Meowth em seu colo, a ladra deu um sorrisinho e foi caminhando sinuosamente na direção de Maggie. Espeon se pôs na frente para defender a treinadora.

- Pra trás ... não vai me roubar de novo! Nem que a gente precise lutar ...

- Tee-hee, que isso ... garotas não deveriam lutar umas contra as outras, não acha?

- Não vou responder as suas perguntas ... - Maggie parecia um tanto tensa.

- Adorei o seu cabelo! Que creme você usa?

- Está tentando me passar a perna com essa conversa mole, pois não vai conseguir!

- Não estou tentando passar a perna em você, vejo que é uma garota esperta e eu me orgulho disso ...

Logo, uma voz diferente se ouviu ali no bosque.

- Josephine?

Maggie deu um olhar estranhado e disse : - Josephine é você?

- Ai que saco, quem é?

Quando a ladra virou-se, encontrou aquele garoto lerdo dono do Slowpoke, a quem ela enganou mais cedo.

- Nossa, eu estou te procurando o dia inteiro e finalmente te encontrei! Você disse que aceitaria sair comigo caso eu lhe desse 100 dólares, lembra?

Maggie não era o tipo de pessoa que ria muito. Sendo assim, mesmo achando engraçado ela apenas cruzou os braços e balançou a cabeça negativamente.

- Ai, ai, ai, tá tudo muito bom, tá tudo muito bem. Mas já deu a minha hora ... - Josephine então retirou uma pokébola e soltou outro pokémon de sua equipe, uma Venomoth.

- C-como assim, Josephine? Achei que queria ser a minha namorada ...

- Ainda bem que existem TM's, eles são maravilhosos e eu consegui roubar alguns. Sem um deles eu não teria ensinado uma habilidade incrível pra minha Venomoth que me permite escapar de situações embaraçosas como essas.

Josephine segurou Meowth com um braço e Venomoth com outro. Deu um longo sorriso e disse : - Foi um prazer falar com vocês. E ah, Maggie, algo me diz que nos veremos logo logo. - disse pra garota de cabelos verdes, dando uma piscadinha em seguida.

Maggie nada disse.

- Venomoth, vamos dar o fora, Teleport!

O pokémon inseto usou a tal habilidade ensinada por intermédio do TM roubado por Josephine, mandando-os pra bem longe dali.

- Hã? O que? Ela foi embora mais uma vez? - disse o garoto, olhando pros lados.

- Espeon, volte ... - disse Maggie, suspirando de frustração e mandando seu pokémon de volta pra pokébola.

- Será que eu devo esperá-la aqui? Ela vai voltar?

Maggie olhou bem nos olhos do garoto, virou os olhos e disse : - Seja mais esperto, por favor ...

- Hey, você é bonita também! Já que a Josephine não está mais aqui, será que ...

- Cai fora!

- Er ... tá ...

---

A noite finalmente chegou em Neon, e como Scarlet já havia previsto, a cidade realmente era muito mais cheia durante esse período.

Caminhar pela noite era até revigorante, dado a todos os prédios iluminados por lindas luzes de neon, como o nome da cidade sugere. Todas aquelas luzes eram um espetáculo maravilhoso.

A cidade estava sempre em festa. Todo o tipo de pessoas descoladas andando por lá, todo o tipo de tribo. Grey e Scarlet olhavam abobados enquanto se esquivavam de esbarrar em alguém.

Haviam até palcos no meio das ruas, com bandas de rock se apresentando, levando o público ao delírio. Era uma cidade de festa constante.

- Nossa, estamos em um show a céu aberto. Não será fácil chegar nesse ginásio ... - disse Grey.

- Não estamos longe, venha ...

Scarlet parecia se adaptar melhor aos lugares diferentes do que Grey. O garoto que cresceu em uma cidade pequena estava se sentindo um peixe fora d'água no meio de toda aquela algazarra.

Após muitos esbarrões e uma verdadeira maratona olímpica pra passar pela multidão que tomava conta de todos os cantos de Neon, a dupla finalmente chegou em frente ao ginásio.

- Ufa! Achei que não chegaríamos nunca ... - disse um ofegante Grey.

- Uau, esse lugar é muito lindo durante a noite.

Realmente era. O letreiro GYM agora estava iluminado pelas luzes de neon, dando todo aquele charme para o lugar. Do lado de fora já podiam ouvir a música.

- Vamos, Grey!

Os treinadores se apresentaram na recepção como qualquer outra pessoa que frequenta a boate. Assim como listas amigas, listas de aniversariantes, haviam a lista de desafiantes do líder (Sério!). Os nomes dos dois estavam ali, liberando assim sua entrada.

Uma vez dentro da boate/ginásio, a dupla tentava localizar o tal líder, o que eles imaginaram não ser fácil. O lugar estava lotado, com altas músicas eletrônicas tocando, luzes piscando e muita fumaça.

Depois de severos minutos tentando caminhar pela pista, os dois chegaram no finalzinho dela, onde havia uma garota sentada em um balcão, e ao seu lado uma grande cortina escura, com um grandalhão na frente de segurança.

Scarlet se dirigiu até a garota e disse : - Olá, com licença. Meu amigo e eu viemos desafiar o líder desse ginásio.

- Seus nomes, por favor ...

- Me chamo Scarlet e ele se chama Grey.

A garota checou na cópia da lista que ela possuia, olhou pro grandalhão e fez um sinal positivo para que ele deixasse os dois passarem.

Scarlet e Grey passaram pela cortina e chegaram em algo que seria como uma área VIP da boate. Era uma pista bem mais vazia. No fundo, uma enorme porta vermelha e em sua frente ... duas gogodancers de roupas de banho dançando no poledance.

Os dois amigos ficaram corados ao verem aquilo.

- E-er ... a porta atrás delas é a porta em que se encontra o líder? - perguntou Grey.

- B-be-bem ... é o que parece, né?

Mesmo bastante encabulados, eles chegaram até as duas belas garotas. Uma loira e uma ruiva.

- Hmmmm ... vocês dois estão sozinhos? Por acaso são desafiantes do líder Jonas? - perguntou a loira.

Grey respondeu que sim com a cabeça. Estava mais vermelho que um pimentão.

- Bem, antes de passarem por essa porta terão que nos enfrentar. - disse a ruiva, tirando uma pokébola que ficava presa na parte de baixo do biquini.

- Eu vou enfrentar a garota e você enfrenta o garoto. Está bom pra você, Claire? - perguntou a loira.

- Está ótimo, Sasha! - respondeu a ruiva.

Então, a batalha seria assim. Claire x Grey e Sasha x Scarlet.

Vamos mostrar primeiramente a batalha de Scarlet.

- Espero que esteja preparada, nerdzinha.

- Estou mais do que preparada!

- Gosto da sua determinação. Vai, Rattata!

- Squirtle, eu escolho você!

O pokémon rato e o pokémon tartaruga se mantiveram frente a frente, pronto para receberem as ordens de suas treinadoras.

- Rattata, tackle!

- Squirtle, tackle!

Sim, os dois começariam com o mesmo ataque. Ambos correram, um na direção do outro, e se acertaram, levando basicamente a mesma quantidade de dano, já que estavam mais ou menos no mesmo level.

- Muito bem, muito bem. Mas vamos lá! Rattata, quick attack!

Com o quick attack, o pokémon sempre atacava primeiro, portanto, Squirtle foi golpeado antes mesmo de Scarlet pensar em ordenar o próximo movimento.

Rattata golpeou Squirtle, que cambaleou pra trás mas não chegou a cair com tudo no chão.

- Vamos nessa, Squirtle! Bubble!

Squirtle agora atacou com as bolhas, que começaram a estourar em cima do pequeno roedor.

- Hunf! Você é boa mesmo, mas a luta ainda não acabou! Rattata, tackle!

- Heheheh, hora de acabar a luta! Squirtle, bubblebeam!

Rattata correu para atacar Squirtle, mas o ataque de bolha ainda mais forte e eficaz do que o bubble, acertou o roedor primeiro.

- Sabia que seria vantajoso dar umas voltas pelas lojas da cidade enquanto o Grey só queria saber de dormir. Esse TM veio a calhar ...

O Rattata da gogodancer Sasha fora derrotado por Squirtle.

Agora, a batalha entre Claire e Grey.

- Não pense que vou deixar as coisas fáceis pra você por ser um garotinho, hein? - disse a bela mulher ruiva, já pegando sua pokébola.

- Hunf, não me subestime! Machop, vai!

Grey soltou seu Machop. Seria a primeira vez que seu grande amigo entraria em uma batalha importante.

- Hmmmm ... você veio para um ginásio normal usando um pokémon lutador, hein? Bem estratégico de sua parte. Mas não cante vitória antes do tempo! Ditto, eu escolho você!

Agora seria Ditto contra Machop. Usar o pokémon transformador contra Machop foi uma boa sacada.

- Ditto, vamos lá, Transform!

Ditto usou o transform e agora tomou a forma de Machop. Seriam dois "Machops" a se enfrentarem.

- Porcaria, ela usou um Ditto! Bem, vamos nessa ... Machop, Low Kick!

- Ditto, ataque-o com Karate Chop!

O Machop atacou o Ditto transformado com Low Kick, antes que o mesmo pudesse golpeá-lo com Karate Chop. O pokémon transformado caiu sentado no chão.

- Ditto, Karate Chop novamente!

- Karate Chop também, Machop!

Os dois pokémon acertaram um ao outro com seus golpes de karatê, ambos cambalearam, mas não chegaram a cair.

- Ditto, Focus Energy!

- Machop, Focus Energy!

Os dois usaram a habilidade de aumentar o poder crítico.

Depois disso, os dois voltaram a usar o golpe de karatê uns nos outros. O momento era de tensão entre ambos os treinadores.

Ditto e Machop, após se golpearem, ficaram se encarando. Ambos começaram a tremer as pernas. Até que ...

Ditto caiu, Machop permaneceu firme. Grey havia derrotado Claire.

- Eu ... eu ... eu ganhei? Nós ganhamos?

- Sim, seu pirralho! Ditto, volte!

Grey correu alegre até seu amigo pokémon. O abraçou e disse : - Nós conseguimos, Machop! Você foi incrível em sua primeira luta, meu amigo!

As duas garotas então aproximaram-se da grande porta e a abriram.

- Agora estão preparados para enfrentar o líder Jonas. Boa sorte!

Com Squirtle e Machop de volta em suas pokébolas, a dupla entrou na sala do líder do ginásio de Neon.

A sala do líder era enorme e muito bonita. Haviam poltronas acolchoadas, muita bebida, tv de LED. O mesmo estava sentado na tal poltrona, fumando um charuto cubano. Usava roupas de grife e muitos cordões de ouro.

- Ora, ora, ora. Eis que eu tenho dois desafiantes para enfrentar. Quero ver se são bons de verdade!

- Pois você verá! - disse Scarlet, decidida.

- Certo, vou enfrentar a garota primeiro. Está pronta?

- Com toda certeza!

- Então, vamos lá!

Jonas tirou uma pokébola de seu cinto e lançou seu pokémon.

- Teddiursa, vai!

- Jolteon, eu escolho você!

- Hã ... Jolteon? - perguntou Grey, confuso.

- Sim, Grey. Como eu disse antes, eu passei em algumas lojas enquanto você dormia no Centro Pokémon. Comprei uma thunderstone e evolui meu Eevee para Jolteon.

O pokémon urso e o pokémon canino elétrico estavam prontos para o combate.

- Hehehehe, vamos lá! Teddiursa, Fury Swipes!

- Quick attack, Jolteon!

Como dito antes, o quick attack permitiu com que Jolteon atacasse primeiro. O golpe fez com que o ursinho caisse sentado, mas ele era mais forte do que parecia, e logo se levantou.

Teddiursa usou o Fury Swipes contra Jolteon. Lhe acertou com uns 3 arranhões seguidos. Não pareceu abalar muito o pokémon elétrico.

- Jolteon, vamos lá! Tackle!

- Teddiursa, Scratch!

Jolteon golpeou Teddiursa com sua investida, o pequeno urso por sua vez também conseguiu arranhá-lo mais uma vez.

- Hehehe, além da thunderstone eu também comprei um TM para o meu Jolteon. Agora! Thunderbolt!

Jolteon finalizou a batalha com o Thunderbolt. Teddiursa recebeu uma forte descarga elétrica e caiu desmaiado.

- Hmmmm ... você me surpreendeu, garotinha! Parabéns, conseguiu me vencer!

- Há! Sua vez agora, Grey. Quero ver se também consegue essa insígnia!

O garoto ruivo respirou fundo e caminhou em direção ao líder.

- Você me parece tenso, garoto ...

- Só estou nervoso, apenas!

- Espero que isso não atrapalhe a luta, heheheh.

"Ele fala igual o Kain, que idiota! Hunf!" - pensou Grey.

- Vamos começar! Meowth, eu escolho você!

Jonas usou o pokémon gato, o mesmo que a ladra Josephine.

- Ugh ... tudo o que eu não queria ver era um Meowth ...

- Hahaha, por que diz isso?

- Scarlet e eu fomos roubados por um Meowth hoje cedo.

- Hmmmm ... já ouvi outras pessoas afirmando terem sido roubadas por um Meowth. Bem, você pode ficar tranquilo, não foi o meu, hehehee ...

- Está bem, vamos lá! Charmander, eu escolho você!

- Ótima escolha! Vamos nessa, Meowth! Scratch!

- Charmander, scratch também!

Ambos os pokémon se atacaram e se arranharam. Após o ataque, bambearam e quase cairam sentados.

- Meowth, bite!

- Metal claw, Charmander!

Meowth deu uma mordida no braço direito de Charmander, e ali ficou com os dentes cravados. Charmander balançava o braço afim de soltá-lo, e com o outro, usou o ataque Metal Claw.

O ataque acertou Meowth, e não só o arrancou de seu braço como o fez rolar pelo chão.

- Hmmm ... muito bem. Meowth, novamente, Bite!

- Ember, Charmander!

Grey finalizou a batalha. Antes que Meowth conseguisse mordê-lo novamente, Charmander usou seu golpe de fogo, o acertando em cheio.

O ruivo arregalou os olhos de espanto. Scarlet sorriu e comemorou : - Grey, você venceu! Você venceu o líder!

- N-nã-não creio ...

- É garoto, você me venceu! Parabéns ... - disse o líder Jonas, colocando Meowth de volta.

- Yaaayy!! Finalmente! Ganhamos a nossa primeira insígnia! - Grey comemorou, abraçado com Charmander e Scarlet.

- Crianças ... aqui estão as suas insígnias. Scarlet e Grey, vocês foram merecedores de ganhar a Night Badge.

Os jovens treinadores receberam suas respectivas insígnias. A Night Badge, insígnia da Noite era muito bonita. Tratava-se de um broche com uma pedra no centro, uma pedra negra com alguns brilhos que realmente pareciam um céu noturno.

- Aproveitem a boate como quiserem, queridos. A noite ainda é uma criança.

- Er ... líder Jonas, pode nos dizer em qual cidade há o próximo ginásio? - perguntou Scarlet.

Jonas sentou em sua poltrona e encarou os dois com um olhar de espanto. Suspirou e abaixou a cabeça, parecendo um pouco tenso.

- O que foi, hein? Parece que viu um fantasma! - perguntou Grey.

- Bem, vocês ... vocês precisam se dirigir até a cidade de Lavender.

- Lavender? Hmmm ... ok ... - disse Scarlet.

- Lhes desejo muita boa sorte, er ... podem ir curtir a noite.

"Hmmm ... ele parece perturbado ao falar sobre essa cidade. Estou com um mau pressentimento." - pensou Grey.


CONTINUA
avatar
MarowakKuwata
Membro
Membro

Masculino Idade : 26
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2016


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Chaos Theory

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum