Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Battle Frontier

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Samm em Sex 30 Out 2015 - 13:37

Oeee

Demorei, mas cheguei pra comentar.
Acho que nem preciso falar que adorei o capítulo, né? Eu já gostava da Amber e agora gosto ainda mais! Já estava na hora de aparecer alguém pra sair xingando todo mundo aí e apontando o que tá de errado. Até o Leon que é mais "zuero" não foi muito com a cara dela haha

Você explicou que ela e Jake são rivais há um tempo e bla, mas o legal foi que você juntou os dois nessa jornada, ao invés de manter eles separados e se vendo uma vez em nunca. Gary e Ash é legal, mas ver coisas do gênero sempre é cansativo. Well done!

A batalha foi muito boa! Infernape e Luxray tavam querendo acabar com a raça um do outro mesmo. Gostei das estratégias, apesar de ter soltado um wtf quando a Amber mandou o bicho usar o Ice Fang. Mas ok, ele usou o Superpower logo em seguida, então tá tudo certo.

E pra terminar, cade vez mais esse vilão deixa um interrogação gigante na história. Eu quero saber o qual é o diacho de plano deleeee >< E o "a culpa é dele"???? Imagino que seja o Jake, mas que caralhos de culpa ele tem??? Esse cara tá me deixando desgraçada da cabeça. Enfim...

Quero mais capítulossss!! Quero mais Amber com a patota que odeia ela (50% de ódio, na verdade).
É isso, cara. Besitos e até mais õ/
avatar
Samm
Membro
Membro

Feminino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/09/2015

Frase pessoal : ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Ver perfil do usuário http://puhoi.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Qua 18 Nov 2015 - 22:32

Folk, demorei mais saiu mais um capítulo. First, respondendo ao único comentário que ocorreu .shora

Spoiler:

@Samm escreveu:
Oeee

Demorei, mas cheguei pra comentar.
Acho que nem preciso falar que adorei o capítulo, né? Eu já gostava da Amber e agora gosto ainda mais! Já estava na hora de aparecer alguém pra sair xingando todo mundo aí e apontando o que tá de errado. Até o Leon que é mais "zuero" não foi muito com a cara dela haha

Você explicou que ela e Jake são rivais há um tempo e bla, mas o legal foi que você juntou os dois nessa jornada, ao invés de manter eles separados e se vendo uma vez em nunca. Gary e Ash é legal, mas ver coisas do gênero sempre é cansativo. Well done!

A batalha foi muito boa! Infernape e Luxray tavam querendo acabar com a raça um do outro mesmo. Gostei das estratégias, apesar de ter soltado um wtf quando a Amber mandou o bicho usar o Ice Fang. Mas ok, ele usou o Superpower logo em seguida, então tá tudo certo.

E pra terminar, cade vez mais esse vilão deixa um interrogação gigante na história. Eu quero saber o qual é o diacho de plano deleeee >< E o "a culpa é dele"???? Imagino que seja o Jake, mas que caralhos de culpa ele tem??? Esse cara tá me deixando desgraçada da cabeça. Enfim...

Quero mais capítulossss!! Quero mais Amber com a patota que odeia ela (50% de ódio, na verdade).
É isso, cara. Besitos e até mais õ/

Amber melhor personagem hahaha <3 Ela e Leon realmente iam bater de frente mesmo, as personalidades são parecidas então realmente tinha que rolar essa estranheza entre os dois. Eu achei melhor por os dois rivais para irem na jornada juntos, ficar esbarrando por aí pra mim não é nada legal. Assim a competição se acirra mais hahaha
A batalha foi um pouco pensada para ser meio estratégica, visto que ambos tem o problema do Empate sempre e tal. Quanto ao antagonista, a cada novo capítulo a partir da segunda metade da temporada as intenções dele começarão a ficar mais claras.
Todos odeiam a Amber HAHAHAHAH

E agora, ao capítulo! No final, algumas notas (:



Season 2 - Sophomore

Capítulo 16 - Catching 2 Spiders



O dia seguinte a chegada de Amber foi de caminhada nas rotas que seguiam para Skypone. Ao que parecia, ela, Scarlett e Leon finalmente haviam se acertado embora não parecessem bons amigos, o que já era melhor do que quase se matarem o tempo todo. Era meio-dia e o Sol estava bem acima de nossas cabeças, Leon caminhava na frente, resmungando:


- Não aguento mais, parece que estamos numa festa de pokémons tipo fogo, mas que inferno de calor. – Ao dizer isso ele deu um rodopiou lançando um Aqua Tail em si mesmo.

- Para de reclamar, estamos chegando na floresta perto da cidade e lá é bem mais fresco do que aqui. – Bufei, ele vinha reclamando desde que havíamos saído da cidade do Battle Hall.

- Ahn... O que esse Thorton quer? – Amber falou enquanto tirava o gorro da cabeça.

- Não sei, mas... – Olhamos para frente. Haviam algumas árvores com galhos densos e diversas folhas. Ao fundo podiam-se ver as torres mais altas de Skypone, o que indicava que havíamos chegado ao nosso destino. – Chegamos.

- E agora? – Scarlett parou ao meu lado. Leon comemorou de alegria e se jogou no chão.

- Ligo para Thorton. – Saquei meu pokétch.


Enquanto eu discava o número, Leon e Amber ficaram encarando a floresta enquanto Scarlett permanecia parada ao meu lado. Depois de três toques, Thorton atendeu:


- Já chegou?

- Bom dia pra você também, obrigado pelos parabéns pela vitória contra Argenta. – Cortei-o.

- Blá blá, como se eu não soubesse que você iria derrotá-la. Chegou?

- Sim, seu nojento. – Fiz uma pausa. – O que você quer?

- Essa floresta é a única que abriga pokémons de Unova. – Ele pigarreou. – E eu estou fazendo uma pesquisa que...

- Thorton, eu quase nada sei sobre pokémons de lá, você...

- Precisa muito de um pokémon de Unova e um que é natural de Johto. – Ele continuou a falar sem nem se dar ao trabalho do que eu havia falado com ele. – Está com pokébolas aí, não está? Então, capture-os e quando chegar em Skypone envie-os para mim.

- Quais você quer? – Falei, já sacando minha pokedéx.

- Ariados e Galvantula. – Ele fez uma pausa e eu ouvi um estrondo atrás dele. – Rápido. Preciso ir... EU JÁ NÃO FALEI PARA... – E desligou o pokétch.


Fiquei segurando o aparelho na mão, estático. Os três me encararam sem entender minha expressão. Thorton só podia estar querendo brincar comigo algum jogo idiota. Ele sabia o que eu sentia sobre pokémons desse tipo. Amber me cutucou;


- Ei, Empate. O que ele quer?

- Ah... – Abri a pokedéx e procurei as informações de Galvantula, já que as de Ariados eu infelizmente conhecia muito bem. – Ele quer que eu capture um Ariados e um Galvantula.

- Galvantula? – Leon pulou no meu ombro. – Sei bem quem é, combinação de tipos única eu acho.

- Que legal. – Falei nervoso. Digitei o nome e uma foto surgiu. Uma aranha amarela, grande com partes roxas e algumas rosas. Dois olhos grandes na cabeça separados por quatro esferas na cor dos olhos. Tipos elétrico e inseto. Senti um arrepio subir pela espinha.

- Legal? Foge de um bando deles só pra você ver se é legal. – Leon esbravejou.

- Oi? – Eu estava tremendo. – Bando?

- É. Vez ou outra esses bandidinhos para defender os mais fracos e os Joltiks acabam atacando em bando. Foi assim que eu fugi pro circo, aliás. – Ele coçou o nariz.

- Como assim? – Scarlett abaixou-se do lado dele, curiosa.

- Bem, eu tinha uma “dívida” com o dono do circo né. – Ele pareceu ficar distante. – Enfim, ele me salvou e em troca pediu que eu me apresentasse no circo dele. Entre ficar na rua passando fome e com medo de ser pego pelas Galvantulas de novo... Preferi ir. Pior escolha do mundo, embora isso tenha ficado claro já que tô aqui agora. Enfim, elas são conhecidas pelo seu...

- Movimento Electroweb. Estou querendo uma também. – Uma voz conhecida atrás de nós falou.


Viramos para trás. Volkner estava parado com Luxray ao seu lado sorrindo para nós. Ele olhou um pouco espantado para Amber.


- Jake, Scarlett, Leon e...

- Amber. – Ela bufou. – Inclusive eu te derrotei quando fui em Sunnyshore, ginásio mais fácil de toda Sinnoh, nem entendo porque tinha que ser o oitavo.

- Mas...

- Aliás, sou contra oito ginásios. Pra quê? Candice foi muito mais difícil do que ele e...

- Amber, chega. – Cortei-a. – Oi, Volkner. Quer uma Galvantula também? – O nome saiu engasgado.

- Sim, eu estava querendo pra usar no ginásio. – Ele falou pausadamente ainda olhando para Amber.

- Que bom, vamos todos juntos então. – Scarlett falou. – Vamos logo?

- Peraí, eu... – Tentei recuar alguns passos, porém, ela me empurrou.


Volkner e Amber andaram em silêncio um do lado do outro com Leon na frente deles, segurando o riso o máximo que podia da situação.

Havia uma linha de árvores com galhos grossos na nossa frente, o que delimitava a área da floresta. Passamos por elas e a luz solar que estava acima de nossas cabeças, assim como a temperatura diminui drasticamente, Leon pulou no ombro de Scarlett, reclamando:


- Que lugar mais tenebroso, vamos embora. Prefiro encarar o deserto.- Scarlett diminuiu o passo.


Eu concordava com Leon porque apesar do deserto ser uma caminhada de 10 dias sem local decente para dormir, comer ou se refrescar, ele parecia mil vezes mais agradável que a floresta. Volkner passou a frente com Amber ao seu lado, claramente tentando implicar com ele:


- Bem, esses Pokémons não serão capturados sozinhos, serão? Vamos. – Ele começou a andar e nós os seguimos.

- Por quê isso aqui é assim? – Scarlett perguntou ao meu lado.

- Ela não tem muitas árvores assim. – Falei. – Ao que parece as mais altas tem uma folhagem tão densa que a luz solar não passa, por isso além de escuro aqui a temperatura é menor.

- Tô nem aí pra folhagens. – Leon esbravejou. – Vamos catar essas aranhas logo e sair daqui.

- Exatamente.  – Amber sacou uma pokébola. – Sableye, apareça.


O pequeno Pokémon roxo apareceu sorrindo para sua dona e pulou na cabeça dela.  Volkner ainda parecia desconfortável com Amber então acariciou a cabeça de Luxray:


- Vamos lá. Possivelmente os dois não andam juntos, já que apesar de serem biologicamente parecidos não são o mesmo Pokémon. – Ele encarou a paisagem, haviam algumas pedras grandes na nossa frente, dividindo o caminho em duas direções.

- Volkner, não. – Falei com a voz engasgada. – Você não está pensando em...

- Eu concordo com ele. – Amber passou a frente, arrastando-o pelo braço. – Você vai com a ruiva e eu com o líder fracassado.

- Mas... – Eu e Volkner falamos em uníssono. Amber o arrastou, e Luxray nada pode fazer a não ser acompanhar seu treinador.


Eu e Scarlett nos encaramos enquanto os dois sumiam da nossa vista. Leon subiu na cabeça de Scarlett para ver a cena:


- Quem acha que eles vão se pegar levanta a pata. – Ele levantou a esquerda. – Ah, espera um pouco. Só eu tenho pata. Enfim, gostei dessa garota. – Ele saltou do ombro de Scarlett pro chão. – Agora somos só nós três, qual dos dois você quer pegar primeiro, senhor entregador de Pokémons?

- Ahn... – Eu ainda estava nervoso. – Qualquer um deles, o primeiro que aparecer.

- Eu estudei no treinamento Ranger que geralmente os Ariados ficavam no topo das árvores escondidos prontos para emboscar suas presas. Não sei como as Galvantulas se comportam. – Scarlett falou enquanto sacava uma pokébola. – Gliscor, uma ajudinha. – Ela lançou a pokébola e o Pokémon morcego apareceu ainda me espantando pelo seu tamanho.

- Pra quê o Gliscor? – Perguntei.

- Gliscor é um Pokémon morcego e eu sou natural de Unova, sua besta quadrada. – Leon tomou a frente e subiu na cabeça de Gliscor. – Ele pode nos ajudar com os Ariados e eu sei onde as Galvantulas costumam ficar: em cavernas e nas árvores com maiores troncos, porque é lá que Joltiks ficam depois que nascem até serem fortes o suficientes para não depender da proteção de ninguém ou evoluírem.

- Tu-tudo bem. – Falei. – Vamos então pra onde?

- A gente já sabe que você tem medo de pokémons aranha, Jake. – Scarlett falou olhando para mim com uma expressão preocupada. – E daí? Eu morro de medo de Cacturnes e na academia ranger um dos exames foi treinar com um deles. É normal sentir medo, dá pra você por favor parar com isso e se concentrar no que o Thorton pediu para você fazer?


Respirei fundo. Ela estava certa, eu não podia ficar nesse desespero com meu medo, Thorton me deu uma missão e eu tinha que completá-la:


- Exatamente. – Saquei a pokébola de Sceptile. – Vamos lá.


...


- Por quê você foi tão grossa comigo? – Volkner andava com as mãos no bolso, acuado.

- Eu? Grossa? – Amber segurava Sableye nos braços. – Só porque joguei na sua cara a verdade?

- Está vendo? – Ele falou apontando para ela e andando de lado. – Assim.

- Isso é ser grossa? – Ela riu. – Sinceramente, eu ouvia que você era o todo poderoso líder de ginásio de Sinnoh e você me vem com essa, por favor.

- Grossa. – Ele falou de novo.

- Fracote.

- Estúpida.

- Burro.


Volkner a encarou e ela parou de andar e o encarou de volta, ele deu um sorriso para Amber:


- Topa sair um dia desses?

- Eu e você? – Ela entortou a boca e Sableye riu.

- Não, estava falando com Sableye, tanto que ele riu contente pelo meu convite. – Ele fez uma pausa. – Claro que é com você.

- E por quê você acha que eu deveria sair com você?

- Não sei... Você tem namorado? – Volkner pôs a mão atrás da cabeça com um sorriso malicioso no rosto.

- Por quê? Tá me querendo? – Amber cortou.

- Tô. – Volkner a puxou e deu um beijo nela.


...


- Ei! – Leon arremessou uma pedra na entrada de uma pequena caverna perfeitamente redonda na sua frente.


Eu e Scarlett estávamos em uma árvore logo atrás dele, Sceptile estava na ponta de um dos galhos, parado olhando a cena fixamente. Uma pata amarela surgiu na entrada da caverna e logo depois o corpo inteiro de uma Galvantula apareceu indo na direção de Leon calmamente:


- Oi, tudo bem? – Sua voz tremia. Ele respirou fundo e deu uma cambalhota para frente, arremessando um Aqua Tail na aranha que ficou furiosa e foi na direção dele.


Sceptile estava pronto e saltou da árvore, deu uma pirueta e seus braços brilharam numa cor verde e em seguida rodopiou, combinando o Giga Impact e acertando o Galvantula, que foi ao chão extremamente tonto. Corri em sua direção e lancei a Ultra Ball. O inseto ficou todo vermelho e entrou no objeto esférico:


- Duvido que vá de primeira... – Leon falou se afastando.


A Ultra Ball tremeu um pouco e em menos de 30 segundos e parou. Ela se encolheu e sua ponta ficou vermelho piscando. Corri até ela e a segurei na mão direita:


- Ok, até eu tenho que admitir que não esperava que fosse de primeira. – Falei. – Obrigado, Sceptile.


Ele assentiu. Scarlett parou do meu lado e pôs a mão no meu ombro:


- Viu? Até que foi fácil, Leon foi quem...

- Se arriscou. – Ele disse isso pulando no ombro dela. – Eu sei disso, ruiva.





- Ótimo, agora estamos perdidos e você só conseguiu capturar o Ariados. – Amber bufou com Volkner atrás dela.

- Que perdidos, Luxray sabe para onde está indo. – Ele puxou-a de novo para tentar dar mais um beijo, mas ela se afastou.

- Chega. – A menina disse e Sableye encarou-o irritado enquanto ela se afastava dos braços dele.

- Luxray, é por ali mesmo? – O loiro falou e Luxray apontou o focinho para frente.

- Volkner? – Falei quando ele apareceu atrás da caverna que estávamos contornando.

- Já voltaram? – Scarlett parecia espantada. – Capturaram os dois?

- Capturei o Ariados para você, Jake. – Volkner me passou uma pokébola. – Foi relativamente fácil.

- Ah... – Peguei o objeto cabisbaixo e segurei a Ultra Ball que continha a Galvantula que eu havia acabado de capturar. – Aqui, capturei a Galvantula.

- Não precisa, eu só quero me diga onde foi que a achou porque eu vou lá pegar uma para mim. – Ele passou por entre nós dois e Amber foi atrás dele, emburrada.

- O que houve? – Perguntei.

- Nada, Empate. Cala a boca e mostra onde foi.

- Ih... Que bicho mordeu você? – Falei desconfiado.

- Jake, vamos nos concentrar na minha Galvantula, tudo bem?

- Sim, eu... – Meu pokétch tocou. Minha mãe. – Leon e Scarlett, ajudem eles dois. Eu vou atender isso aqui.


Os quatro voltaram para a entrada da caverna e eu fui dois passos atrás dele. Atendi, minha mãe me cortou antes que eu pudesse sequer dar um olá.


- Então quer dizer que atacam o Mega Market e você ao invés de me avisar prefere nocautear a Greta? E que história é essa que você conhecia o Gengar que estava atacando? – Seu tom era de profunda reprovação.

- Calma. – Respirei fundo, medindo as palavras para não dizer que estava sendo perseguido. – Greta se confundiu. Eu disse que conhecia sim o Gengar que estava atacando, só que você sabe como um Gengar se comporta se é perturbado.

- Por quê ele estava indo atrás de você? – Seu tom não mudava, o nervosismo ainda era presente.

- Não só de mim, de Scarlett e Leon também. – Fiz uma pausa para rapidamente organizar a história inventada. – Estávamos indo na direção da cidade do Battle Hall quando paramos uma noite para dormir na estrada. Scarlett e eu resolvemos treinar golpes aéreos e esse Gengar tava dormindo no alto de uma árvore tranquilamente, sem querer o derrubamos e ele veio atrás de nós no Mega Market querendo vingança. Foi só isso, depois do Mega Market nunca mais o vimos. – Mudei o tom para tentar transmitir confiança.

- Hum... Menos mal. – Ela pareceu cair na minha história. – Falando em Battle Hall, parabéns pela vitória contra Argenta.

- Obrigado. – Volkner e Amber estavam de frente para a caverna ordenando golpes usando Sableye e Luxray, Scarlett e Leon observavam de longe. – Estamos indo para Skypone, Thorton me pediu para fazer uma coisa pra ele e daqui irei enfrentar Palmer.

- Skypone?  - Minha mãe fez uma pausa. – Acabei de saber que vai ter uma competição de Pokéringer lá.

- Sério? – Falei animado. – Quando é?

- Em três dias. Eu fui convidada para comentar a competição, mas tenho uma reunião com o conselho e não poderei ir. – Ela parecia triste. – Queria vê-lo.

- Ah, que pena. – Nesse momento me assustei, uma Galvantula saiu e lutava com Sableye e Luxray.

- O que está havendo aí? – Ela pareceu preocupada de novo. – É o Gengar?

- Não, não. Amber e Volkner estão lutando contra uma Galvantula. – Falei em um tom tranquilizador.

- Amber? Então ela te achou? Ela me disse que te viu perto do Battle Hall mas te perdeu de vista, ela e Roxie estavam indo para Unova e...

- Sim, eu sei disso. Aí ela me viu e tentou me achar, mas acabou que Scarlett trocou minhas roupas e pintou meu cabelo e não nos achamos por uns dias, fui até a entrada da Battle Frontier lutar contra Flint e Volkner e nos desencontramos mais ainda. Só quando eu derrotei Argenta que ela me achou.

- Manda um beijo pra ela. O prêmio do Pokéringer desse ano é uma Dawn Stone ou um ovo Pokémon.

- Interessante. – Pensei na Kirlia de Scarlett na hora. Volkner havia acabado de capturar a Galvantula. – Mãe, preciso ir.

- Tudo bem, filho. Boa sorte no Pokéringer e contra Palmer.  – Sua voz estava doce.

- Pode deixar, obrigado. – E desliguei o pokétch.

- Acabou de falar com a mamãe? – Leon fez piada.

- Pronto, agora poderei ter um Pokémon diferente no ginásio. – Volkner falou e Amber parou ao seu lado.


Olhei desconfiado para os dois. Alguma coisa aconteceu quando estávamos separados, algo que eles não falaram para nós. Decidi não entrar no mérito disso.


- Agora que todos conseguimos o que queríamos, podemos ir embora? – Falei andando na direção oposta à da caverna.

- É, de acordo. – Leon pulou no meu ombro. – Vamos sair daqui antes que mais aranhas apareçam e Jake precise trocar as calças.


Dei um empurrão nele do meu ombro e ele rolou no chão. Todos nós rimos muito da cara de raiva dele e continuamos seguindo nosso caminho para fora da floresta rumo a Skypone.


...


- O menino saiu da floresta próxima a Skypone faz 3 horas, senhor. – A mulher de terno preto falou para uma imagem de Galleghar em um computador.

- Perfeito. – Galleghar sorriu. Estava em algum lugar fechado. – Solte-o, no meio da cidade. Assim que ele chegar quero Drapion esperando-o.

- Sim, senhor. – Ela fez uma pausa. – Senhor, perdoe-me a pergunta mas...

- Não, não perdoo. – Galleghar cerrou os olhos. – Pode perguntar mesmo assim.

- Não seria mais prudente colocar Drapion em uma Pokébola? Já perdemos Gengar assim e o senhor mantém Weavile e agora Drapion na mesma condição, apenas com Scizor que não o fez.

- Já lhe disse para não se intrometer no que não é de sua conta. – Ele disse num tom ríspido. – Além do mais, Scizor é o único Pokémon que eu realmente confio 100%. – Uma pausa. – Solte o Drapion, retornarei amanhã.

- Como quiser, sen... – Galleghar desligou a tela antes que a mulher pudesse responder.


Ela levantou-se e olhou para o vidro grosso que estava a sua frente. Drapion dormia tranquilamente dessa vez. A grande estrutura metálica que planava perto da rota de Skypone cruzou os céus com um grupo de quatro pessoas e um pequeno Pokémon verde que andavam tranquilamente na direção da cidade.

O grande helicóptero parou no ar. Abriu uma grande comporta e um Pokémon roxo enorme caiu no centro da cidade. Assim que bateu no chão, Drapion acordou. Seus olhos em fúria mostraram que ele estava disposto a destruir tudo.


...


- O que está acontecendo? – Falei. – Que helicóptero mais esquisito, passou voando perto de nós e do nada para em cima de Skypone e volta voando por onde veio?

- Empate... – Amber fitou o portão de Skypone. – Ele não foi em Skypone para nada.

- O quê? – Scarlett apressou o passo.

- Não? – Falei e nós quatro começamos a correr. Leon pulou no meu ombro.


A passos curtos e rápidos, nós quatro corremos em direção a cidade. Assim que entramos vimos a fileira de casas com o estilo de Skypone: dois andares e telhas transparentes. No centro da cidade, perto de uma construção que continha um grande canteiro de obras estava um Pokémon escorpião roxo enorme, que disparava ataques para todos os lados. Drapion. Fiquei estático.


De repente o grande pokémon virou-se para trás e seu olhar cruzou com o meu. Ele estalou as pinças e veio correndo em nossa direção.


[b:2a7f:
Notas:] O cápitulo é um filler, acho que ficou óbvio.
A ideia de ser um capítulo por semana foi abandonada. A vida fora do fórum está MUITO CORRIDA para eu sequer parar e escrever algo. Quem sabe seja um a cada duas ou três semanas, ainda estou planejando.
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Samm em Ter 24 Nov 2015 - 14:58

E aii?

Eu li esse capítulo há muuuuito tempo, então se esse comentário ficar uma merda, desculpa aí, a memória não ta boa.
Você disse no final que é um capítulo filler, ok, ele cumpriu seu dever e entreteve bem. Quando vi que eles iriam atrás de Ariados e Galvantulas fiquei já com um frio na barriga, porque imaginei que eles entrariam num covil de aranhas nojento (a la Tolkien) e aconteceriam altas tretas. Mas não foi isso que aconteceu, o que me deixou aliviada, porque tenho pavor desses bichos. Sério, morram todos, por favor.

Admito que nunca procurei saber mais sobre o Volkner e eu não assisti as temporadas do anime que se passam em Sinnoh (não suporto a Dawn, bjs, não me mate), então pra mim ele sempre foi meio "ok, lider de ginásio e bla". Mas eu to gostando muito da participação dele na fic e da interação com personagens não-canon. Sério, ele e Amber são vida. E falando nisso, eu sei que eles são personagens totalmente secundários, mas eu quero ver eles mais na fic!!! São tão lindos *0*

Terminou com o Galleghar dando uma de sinistrão de novo e a gente sem saber qual é a dele com o Jake e tal. Filho para de encerrar cap assim, meus níveis de ansiedade estão crescendo!! Quero saber qual é a desse filho da puta. Obg de nada.

Meu comentário tá muito ruim. Desculpa, mas foi o que deu pra produzir. Queria ter falado mais, mas não lembro dos detalhes e to com preguiça de ler de novo, então vai ficar assim mesmo. Quero mais capítulos!! E cadê esse povo que não comenta?! Morreram?! Voltem migos, a fic ta legal ;A;

Beijo, nego
avatar
Samm
Membro
Membro

Feminino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/09/2015

Frase pessoal : ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Ver perfil do usuário http://puhoi.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Sex 8 Jan 2016 - 22:58

Ei, folks. Depois de muito tempo um capítulo saiu. Eu tô tentando escrever mas a vida tá absurdamente complicada pra continuar, tô me esforçando grande parte por conta da Samm que acaba sendo a única que comenta (e me cobra pra eu continuar escrevendo). Vou responder ao comentário dela e postar um dos capítulos que eu considero o mais importante da temporada.

Spoiler:

@Samm escreveu:E aii?

Eu li esse capítulo há muuuuito tempo, então se esse comentário ficar uma merda, desculpa aí, a memória não ta boa.
Você disse no final que é um capítulo filler, ok, ele cumpriu seu dever e entreteve bem. Quando vi que eles iriam atrás de Ariados e Galvantulas fiquei já com um frio na barriga, porque imaginei que eles entrariam num covil de aranhas nojento (a la Tolkien) e aconteceriam altas tretas. Mas não foi isso que aconteceu, o que me deixou aliviada, porque tenho pavor desses bichos. Sério, morram todos, por favor.

Admito que nunca procurei saber mais sobre o Volkner e eu não assisti as temporadas do anime que se passam em Sinnoh (não suporto a Dawn, bjs, não me mate), então pra mim ele sempre foi meio "ok, lider de ginásio e bla". Mas eu to gostando muito da participação dele na fic e da interação com personagens não-canon. Sério, ele e Amber são vida. E falando nisso, eu sei que eles são personagens totalmente secundários, mas eu quero ver eles mais na fic!!! São tão lindos *0*

Terminou com o Galleghar dando uma de sinistrão de novo e a gente sem saber qual é a dele com o Jake e tal. Filho para de encerrar cap assim, meus níveis de ansiedade estão crescendo!! Quero saber qual é a desse filho da puta. Obg de nada.

Meu comentário tá muito ruim. Desculpa, mas foi o que deu pra produzir. Queria ter falado mais, mas não lembro dos detalhes e to com preguiça de ler de novo, então vai ficar assim mesmo. Quero mais capítulos!! E cadê esse povo que não comenta?! Morreram?! Voltem migos, a fic ta legal ;A;

Beijo, nego

A intenção era realmente de ser um filler, eu acho que ficar focado totalmente no main goal do negócio ia ser muito chato e rápido
Quanto ao Volkner e a Amber, foi aquilo que eu tinha te dito e prometido: ele e Flint vão aparecer mais, embora o Volkner consequentemente apareça mais por conta da Amber e etc haha
O Galleghar realmente é aquela coisa complicada que nós já conversamos e tal, eu realmente não quero soltar tudo de uma vez. Quero tentar deixar todo mundo adivinhando embora os motivos reais sejam realmente complicados.
Te amo, nega.



Season 2 - Sophomore

Capítulo 17 - Seventh



“Crise em Skypone! Não se sabe quem ou porque, mas um Drapion descontrolado foi solto no centro da cidade. Tivemos a confirmação de que três jovens e o líder de ginásio de Sunnyshore, Volkner, foram perseguidos pelo grande Pokémon escorpião pelas ruas da cidade. A campeã, Cynthia foi chamada para prestigiar a competição de Pokéringer que ocorreria na cidade e, apesar de informada sobre a situação, afirmou que vai aguardar o desenrolar dos acontecimentos para tomar uma atitude. Mais informações em breve”

A repórter, uma moça baixa de pele morena clara e cabelos pretos ondulados segurava um microfone no centro de Skypone, de frente do que já foi um dia a fonte da cidade. A cabeça da escultura de um Milotic jazia do lado dela, rachada ao meio. Ela tocou o dedo em um aparelho na sua orelha e voltou a falar, direcionada ao seu companheiro de equipe que segurava uma robusta câmera de vídeo apoiada no ombro direito.

“Estamos recebendo atualizações dos acontecimentos! Parece que o grupo que estava com Volkner encontrou com a Champion e os cinco estão discutindo a situação. Ao que parece, a oficial Jenny e seu Arcanine estão internados no Pokémon Center após tentarem parar Drapion. Os treinadores mais fortes da cidade também tentaram, sem sucesso. Resta saber se esse grupo junto com Cynthia contornará a situação.”


- Não dá, ele é muito forte. – Scarlett falou ofegante. – E se eu tiver que correr dele mais uma vez possivelmente não conseguirei.

- Se todos atacarem juntos com certeza podemos derrubá-lo. – Falei. – As pessoas estão sendo evacuadas da cidade. – Cynthia, você...

- Jake, vou repetir o que eu disse pro prefeito e para as pessoas que me pediram para pará-lo. – Ela fitou a rua a sua frente. – Não vou lutar com ele. Sinto que ele está infeliz e não tem alguém que acabe com essa infelicidade dele.

- Você, Champion. – Amber falou. – Eu pessoalmente tentaria com o meu Salamence mas devo admitir que até para mim esse bicho é muito forte. – Amber também olhou para onde Cynthia estava olhando.

- Calma, Amber. – Volkner pôs a mão no ombro dela. – Vamos pensar com clareza, já que a Champion não vai tomar a frente da situação cabe a nós fazer isso. – Volkner acabou olhando para onde as duas olhavam.

- Gente, o que vocês estão olhando tanto que... – Virei-me para a direção que eles encaravam.


No final da rua, atrás de uma casa já sem o telhado, a forma roxa apareceu. Ele olhou primeiro para a direita, para os muros da cidade e depois para a esquerda, onde nós estávamos parados. Mesmo ao longe eu percebi seu olhar direcionado a mim. Ele começou a vir em alta velocidade na nossa direção.


- Recomendo que saiamos daqui. – Cynthia apressou o passo.


Não esperamos duas vezes, a rua da parte da cidade que estávamos já estava toda evacuada, faltava ainda a parte Norte, a mais populosa. Corremos a toda velocidade com Drapion lançando Cross Poisons que não nos acertavam por pouco. No final da rua, havia um grande muro, que delimitava a divisão da cidade da parte Norte com a parte Sul. Cynthia, que estava a frente com Volkner logo atrás gritou “DIREITA”.

Obviamente, todos viraram à direita. A exceção foi eu e Leon, que encontrava-se em meu ombro e gritou comigo na hora em que percebeu o que eu havia feito:


- SEU RETARDADO, VOLTA! QUER ENFRENTAR ELE SOZINHO? – Ele saltou do meu ombro e tentou correr para o outro lado.


Antes que eu pudesse abrir a boca para mandá-lo parar, Drapion trombou no muro. Ele encarou o grupo e depois a mim, correndo em seguida na nossa direção. Scarlett pareceu gritar algo, mas eu gritei mais alto:


- NÃO SE PREOCUPEM CONOSCO, EVACUEM A CIDADE!


E corri com todas as forças que minhas pernas possuíam, com um Leon desesperado pulando de novo no meu ombro e o grande escorpião vindo enfurecido atrás de nós.


...


- Ai meu Deus, eles ficarão bem? – Scarlett estava desesperada.

- Fica calma, ruiva. – Amber falou e sacou uma pokébola. – Salamence! – O grande Pokémon apareceu.

- Temos que fazer o que Jake nos pediu. – Cynthia falou pensativa. – Que atitude a dele, atrair Drapion para dar tempo de evacuarem a cidade.

- É, atitude suicida. – Amber pulou nas costas de Salamence. – Vou sobrevoar a cidade e tentar achar os dois. – Ela encarou a Volkner. – Vai vir ou não?

- Ahn... Claro. – Ele falou hesitante e subiu nas costas do Pokémon. – Scarlett, vá com Cynthia e ajude na evacuação da cidade.

- Tudo bem. – Ela parecia segurar o choro numa expressão preocupada. – Traga ele de volta são e salvo.

- Lógico que eu farei isso. Só quem pode bater nele sou eu. – Ela fitou o céu. – Salamence, vamos.


Salamence levantou voo. Volkner se abraçou as costas de Amber enquanto Scarlett e Cynthia viravam dois pequenos pontos no meio das ruas já vazias.


...


O mais difícil não era correr de Drapion e sim desviar de seus ininterruptos Cross Poisons, que vez ou outra eram seguidos de um X- Scissor ou Dark Pulse. Leon estava com as garras tão cravadas no meu ombro que se eu esticasse muito os braços sentia uma leve pontada do lado esquerdo. As casas pareciam um borrão multicolorido, eu apenas corria e tentava não me cansar. Viramos uma rua à direita, mais para o Sul da cidade, e demos de cara com um beco sem saída. Leon falou desesperado:


- VOLTA, VOLTA! – Eu me virei assim que vi o que tinha feito.


Dei 3 passos e ele apareceu. Fitou nós dois e cruzou as patas. Leon saltou na direção dele desferindo um Aqua Tail que cruzou com um Cross Poison muito forte. O ataque acertaria o camaleão, se eu não tivesse pulado e o puxado para o lado esquerdo, me arrastando por debaixo da barriga do escorpião. Assim que eu saí debaixo dele, o mesmo virou a cabeça na nossa direção e eu me joguei para frente todo desengonçado segurando Leon pela cauda, que gritava tanto que eu mal conseguia me concentrar. Desviei de um Dark Pulse e virei a direita de novo, havia uma ladeira descendo a nossa frente com diversos latões de lixo tombados no chão. Joguei o Pokémon verde no meu ombro e continuei a correr:


- Obrigado por me salvar, agora dá pra você, por favor, parar com essa mania de morte e voltar para encontrar com os outros? – Ele chacoalhava o pequeno corpo a cada passo mais forte que eu dava.

- Não dá... – Respirei fundo e desviei de outro Dark Pulse. – Se eu sumir ele vai pra parte norte da cidade e imagina o que pode acontecer com as pessoas de lá?

- Eu só acho que... – Ele se segurou enquanto eu desviei de mais um Cross Poison. – Além dele estar focado só em te pegar, ficar fugindo assim não dará certo.

- Até pode ser, mas... – Meu pokétch tocou. Puxei-o do bolso e o atendi.

- Ele está atrás de você? – Sua voz era séria.

- NÃO ACREDITO QUE VOCÊ PAROU PARA ATENDER O TORTO! – Leon esbravejou.

- Sim, está. – Falei ignorando o berro de Leon. – O que eu faço?

- Eles tem mania de surpreender as presas. O corpo grande, apesar de ser uma grande vantagem, também é uma das fraquezas dele. Você tem que tentar atacar no ponto cego dele. – Ele falou com uma seriedade que quase me fez diminuir o passo.


Atingi o fim da ladeira e virei a direita, no sentindo contrário ao norte da cidade. Assim que o fiz vi quatro caixotes de madeira próximos a um hidrante. Corri até eles e me sentei entre os dois do meio. Peguei o Pokétch e o aproximei do rosto:


- Me escondi. O que eu faço? – A voz ofegante misturada ao suor que escorria pela minha testa e Leon tremendo como em um terremoto mal me faziam pensar direito.

- Espera ele passar. Assim que ele fizer e você tiver uma distância dele ataca as costas e manda o Porygon Z acertar ele debaixo da barriga. – Thorton ordenou. – Acalme-se, Dahlia. Ele vai me ouvir. – Ao fundo eu podia ouvir minha mãe falando diversas palavras indecifráveis. – Desligarei. Não me decepcione.


Assim que o aparelho ficou mudo eu ouvi os sons do escorpião chegando. Ele enfiou a cabeça na rua em que eu estava e tomou a direção dos caixotes de madeira. Eu me encolhi mais entre eles e saquei duas pokébolas nas mãos. Leon fitava o chão sem mexer um músculo. E esperei. E esperei. E esperei demais. Um longo minuto se passou e ele não passava por mim, levantei a cabeça olhando para a esquerda e não vi nada na rua. Estranhei e me pus de joelhos. Leon saltou no caixote na minha frente e eu encarei a rua pela qual ele deveria ter vindo descendo.

Com o canto do olho esquerdo eu vi a forma roxa vindo na nossa direção. A única reação que eu tive foi a de socar Leon para frente e lançar as duas pokébolas na direção do Pokémon, gritando uma combinação de “FLAMETHROWER” e “ICE BEAM” com a maior força que meus pulmões podiam suportar.





- Se você vai ficar tremendo aí atrás eu vou te jogar daqui de cima. – Amber falou com as duas mãos em volta do pescoço de Salamence.

- Não estou tre-tremendo. – Volkner tentou mostrar confiança, o que foi suficiente para Amber querer dar um susto nele.

- Salamence, vamos acelerar um pouquinho só. – Ela riu.

- Amber, NÃOOOOOOOOO! – O grito de Volkner ecoou nos céus quando Salamence jogou seu corpo para baixo a toda velocidade.


---


- Não tá dando certo isso, daqui a pouco você fica sem Pokémons e eu sinceramente não tô nem um pouco a fim de lutar contra ele. – Leon arfava do meu lado, Drapion estava na rua à nossa frente atirando ataques para todos os lados.

- Ainda tenho Togekiss e Garchomp. – Eu encarava a rua onde ele estava tentando ter alguma ideia.

- Nossa, grande coisa. – Ele subiu na minha cabeça. – Precisamos pensar no que fazer.

- Estou pensando. – Falei.

- Cuidado, se pensar demais cai os cabelos. – Ele cutucou minha cabeça. – E pensa algo que preste.

- Hum... – Cocei o queixo. Abri minha bolsa e saquei minha pokédex. – Deixa eu analisar ele, vai que temos uma ideia.


Apontei o aparelho para o escorpião. Assim que o identificou uma foto dele apareceu e algumas informações, nada que eu não soubesse. Leon pulou no meu braço esquerdo e falou:


- Ele é fraco contra ataques do tipo Ground. – E olhou para mim. – Garchomp tem Earthquake.

- É uma boa, mas... – Apertei um botão do lado e conferi os status dele.

- Do que adianta ver no que ele é forte?

- Para descobrir no que ele não é, gênio. – Dei um peteleco nele.


Olhei as informações. Seu Attack era altíssimo e a Sp. Defense também. Garchomp poderia derrotá-lo se usasse uma sequência de Earthquakes.


- Togekiss pode lutar usando o Steel Wing, já que o ataque é do tipo Steel pode ser que não o envenene caso seja atingido. – Leon falou.

- Ótimo, qual o plano então? – Falei.

- Primeiramente, fugir. – Ele apontou para frente. Drapion voltou correndo em nossa direção.


---


- Amber, é sério. – Volkner falava tentando não cair de Salamence. – Se você continuar com isso eu pulo daqui e...

- Vai lá. – Ela falou alto. – Duvido você fazer isso.

- Eu só não faço porque...

- Você tem medo de voar, eu sei. – Ela apontou para a direita. – Olha, uma explosão. Devem ser eles.


Salamence voou para onde sua treinadora apontou, com Volkner ainda desconfortável com a situação.


---


- Vamos, por aqui. – Cynthia estava no muro da divisa da cidade com a próxima rota. – Sigam para essa rota e fiquem por lá.

- Cynthia, eles estão bem? Jake e Leon? – Scarlett estava muito preocupada.

- Com certeza estão. – Ela continuava fazendo sinal para a direção de fora da cidade. Algumas pessoas a ajudavam e no meio delas havia uma pequena multidão falando e aflita ao mesmo tempo esperançosa para sair da cidade, seu Garchomp encarava a cena em silêncio. – Garchomp, tem muito mais gente vindo?

- Mas Cynthia... Eles não voltou até agora. – Ela encarava a rua. Garchomp fez sinal negativo para sua treinadora.

- Tem meia hora apenas isso, Scarlett. – Ela a encarou. – Não acha que está na hora de contar pro Jake não?

- O quê? – Scarlett parecia incrédula.

- Ah... Esquece. – Algumas pessoas pararam para pedir que Cynthia lutasse com Drapion, ela apenas ignorou e pediu que continuassem indo. – Vamos gente, quando a cidade ficar vazia iremos resolver isso.

- Gliscor, podemos ir atrás deles? – Ela virou-se para seu grande Pokémon que segurava uma placa escrita “POR AQUI”.

- Gli! – O morcego sorriu, afirmando que iria onde ela quisesse.

- Cynthia, não vou sossegar enquanto não achá-lo. – Ela subiu nas costas de Gliscor.

- Achá-los. – Cynthia olhou para ela sorrindo.

- Isso, ele e Leon. – Ela enrubesceu. – Gliscor, vamos. – O grande Pokémon levantou voo em direção ao sul da cidade.


---


- Não. – Falei seco para Amber. – Quer resolver o Empate me matando?

- Olha, até que não é uma má ideia não. – Ela riu. – Sério, você é o único que pode fazer isso. Mesmo que ele te acerte um Cross Poison você não vai ficar mal com o veneno do ataque.

- Eu particularmente acho que não é uma boa ideia... – Volkner falou. Amber virou-se para ele e o encarou com uma fúria no olhar. - ...Você não tentar. Que mal tem?

- Togekiss e Salamence não vão ter muita sorte com Iron Tail e Steel Wing. – Falei encarando a luta.

- Ótimo, você tem dois minutos para pensar, Empate. – Uma sombra passou por cima de nós. Scarlett e Gliscor.

- Olha, sua fã chegou. – Ela falou. – Iupi. – Você. – Ela apontou para Volkner.- Chama seu Luxray, quero tentar uma coisa diferente.


Volkner sacou uma pokébola e Amber também. Scarlett saltou de Gliscor e correu para me dar um forte abraço. Logo em seguida ela abraçou Leon, falando esbaforida:


- Você está bem. – Ela respirou aliviada. – Fiquei preocupada.

- Valeu, ruiva. – Ele subiu no meu ombro. – Na próxima eu morro pra ver se faço falta.

- Desculpa, querido. – Scarlett sorriu. – Também estava pensando em você.

- Como está a evacuação da cidade?

- Quase no final. – Ela pegou a pokébola de Gliscor. – Cynthia está ajudando, algumas pessoas estão cobrando que ela faça algo, mas ela mal responde agora quando a pedem.

- Normal dela. – Falei, - Já aceitei que é com a gente e...


Drapion derrotou Togekiss e a tentativa de Amber e Volkner de tentar um duplo choque também não foi das mais satisfatórias. Salamence usou Iron Tail e só conseguiu deixá-lo mais enfurecido. Scarlett olhou para a cena e depois falou:


- Tive uma ideia. – Ela falou. – Perto de onde estávamos evacuando a cidade tinha um canteiro de obras...

- SALAMENCE, USA O DRAGON DANCE E DEPOIS O DRACO METEOR! – Amber gritou com toda a força que podia.

- Que é numa espécie de buraco enorme. – Scarlett ajeitou os cabelos. – Podemos tentar jogá-lo lá.

- Assim ele não causaria mais estragos na cidade... – Leon falou.

- Dando tempo para nós pensarmos em algo... – Eu completei.

- Para derrotá-lo. – Falamos os três em uníssono.


Sorrimos uns para os outros. Drapion acertou um Ice Fang em Salamence derrotando-o. Olhei para Gliscor e rapidamente nós três subimos nele. Amber e Volkner viram a cena e correram na nossa direção, recolhendo seus Luxray antes. Assim que Drapion viu que voamos embora desembestou a correr atrás de nós. Amber olhou a cena e falou para Scarlett:


- Manda o Gliscor voar baixo. – E parou atrás de mim.

- Pra quê isso? – Scarlett perguntou.

- Porque ele precisa morder nossa isca. – Em um segundo eu estava sendo arremessado na cauda de Gliscor, tendo que me segurar em seu ferrão com toda a força que eu conseguia.


Gliscor então começou a voar baixo, longe o suficiente de Drapion para que ele não me atingisse mas perto o suficiente para que ele me visse. Tomamos a direção norte da cidade, comigo esbravejando que ia fazer da cara de Amber isca de Pokémon.


---


- Champion, você tem que fazer alguma coisa. – O prefeito falava com ela, que agora lambia um sorvete tirado não sabíamos de onde.

- Ele já está contido, precisa apenas ser acalmado. – Ela falou.

Drapion continuava a usar Cross Poison para todos os lados. Poucas pessoas ficaram em volta observando a cena, do alto. Era impossível fazê-lo subir, seu corpo não era feito para uma escalada daquelas e mesmo que ele tentasse fazê-lo, ele provavelmente mataria alguém no caminho que fosse louco o suficiente de descer até lá e tentar convencê-lo a subir.

Cynthia olhava a cena em silêncio. Scarlett estava acariciando Gliscor que vez ou outra acabava abaixando a cabeça quando um Cross Poison era lançado perto de nós. Amber lia alguma coisa em sua pokedéx sobre Drapion enquanto Luxray rosnava pra ele. O Garchomp de Cynthia desviou de um Cross Poison mandado para o alto e acabou esbarrando em mim, tirando-me de meu transe:


- Você tem que ir até lá. – Falei, olhando pra ela. – É a única que pode pará-lo.

- Exatamente. – Scarlett falou sentada encarando a cena. – Só você.

- Odeio admitir isso, mas... – Amber ajeitou o gorro. – É verdade, como Champion você tem a obrigação de...

- Lamento, queridos. – Ela lambeu o sorvete.- Apesar de eu de fato ser o ideal para essa situação, creio que ela terá que ser resolvida de outra forma.

- Como? – Falamos os 3 em uníssono.

- Sim, eu posso descer lá e derrotá-lo com alguns golpes. Garchomp rapidamente nocauteria ele e eu conseguiria capturá-lo, contornando a situação. – Ela lambeu o sorvete de novo a pôs uma mecha atrás do cabelo. – Entretanto... Outra pessoa pode fazer isso. Alguém que a meu ver foi altruísta o suficiente em se esquecer da própria segurança em prol da segurança dos moradores dessa cidade. - Ela virou-se para mim e sorriu.

- Eu? – Me afastei. – Eu não sou nem um pouco altruísta e você sabe disso.

- RÁ-RÁ! – Amber riu. – Agora o empate vai ter que bancar o domador de Drapion!

- Cala a boca, empate. – Rosnei. Virei-me pra Cynthia. – Depois de tudo que eu te contei você realmente acha que eu posso fazer isso?


Scarlett levantou-se e parou do meu lado, falando antes da Champion ter a chance de falar:


- Sim, você pode. – Ela pôs a mão no meu ombro. – Desde que te conheci você evoluiu muito. – Um sorriso. – Claro que tem atitudes suas que eu quero te esganar, mas isso é normal de você. Agora... O que você fez ao se separar de nós para dar tempo de que todos fossem salvos... Aquilo mostra que você realmente é forte o suficiente para por as necessidades dos outros na frente das suas.

- E daí? – Falei.

- Daí, seu idiota. – Amber me deu um soco. – Que esse Drapion não precisa da treinadora mais forte de Sinnoh completamente realizada em suas conquistas para ajudá-lo. Precisa de você, que ainda está tentando atingir seus objetivos e ser alguém melhor. – Ela olhou para baixo.

- Isso é sério? – Olhei de volta pra Cynthia.

- Sim, é. – Ela sorriu de novo enquanto lambia o sorvete. – Desça até lá. Lute com ele e capture-o.

- Capturar? – Recuei. – Mas eu já tenho um time completo com seis pokémons.

- E por quê o Drapion não pode ser o sétimo?

- Mas eu...


Amber se adiantou e deu três passos para trás. Tomou impulso e jogou seu corpo contra o meu, me fazendo rolar barranco abaixo. Dei inúmeras cambalhotas até parar cerca de 20 metros de Drapion, que virou-se para mim assim que me viu levantando uma nuvem de poeira com minha descida.


- VOCÊ VAI ME PAGAR, EMPATE! – Gritei a plenos pulmões.

- DE NADA, EMPATE! – Amber riu e deu um tchau com a mão direita.


Drapion me encarou e bateu com o espinho direito no chão. Eu não olhei para cima esperando instruções de Cynthia, mas conseguia ouvir Scarlett e Amber batendo boca, muito provavelmente por ela ter me jogado aqui. Não havia mais volta, o único jeito de Drapion não derrubar aquele prédio e destruir a cidade era acalmando-o. E isso só poderia ser feito se eu o capturasse:


- Garchomp! – Lancei a pokébola pro alto. O objeto se abriu e meu dragão azul parou na minha frente.


Drapion encarou o Pokémon com raiva. Eu não sabia os movimentos dele então peguei minha pokedéx rapidamente e apontei para ele.

“Drapion, Pokémon escorpião. A forma evoluída do Skorupi, usa a vantagem da força de seu corpo para derrotar seus oponentes, sem a necessidade de veneno. Seus ataques são: Ice Fang, Cross Poison, X-Scissor e Dark Pulse.”


- Stone Edge! – Falei guardando a pokedéx. Garchomp cruzou as patas e lançou uma sequência de pedras no escorpião.


Drapion foi rápido e cruzou as pinças, conjurando um X-Scissor que acabou destruindo todas as pedras do Stone Edge. Ele prontamente cruzou as pinças de novo, mandando um Cross Poison.


- Não deixa! Atravessa com Dragon Claw – Garchomp saltou e foi na direção do escorpião.


Possivelmente o Pokémon roxo previu uma investida física de Garchomp então usou as duas pinças livres e segurou meu dragão, que acabou recebendo o dano do Cross Poison.


- Se livra das pinças! Rápido! – Gritei. Garchomp se debatia.


Só pude ver o Ice Fang cravando-se no meu dragão, que caiu no chão, atordoado. Agora um Dark Pulse estava sendo conjurado.


- LEVANTA! – Gritei a plenos pulmões. – EARTHQUAKE!


No último segundo, o borrão azul de Garchomp cruzou os céus e ele se arremessou no chão perto do outro, que recebeu um forte dano, devido a fraqueza do tipo Ground. Ouvi assobios e palmas ao fundo. Fiquei preocupado pois do meu lado esquerdo uma pequena colina de terra caiu próxima a meus pés.


- Vamos tentar. – Saquei uma Ultra Ball. – Vai!


Lancei o objeto. Ele transformou o Pokémon em uma forma vermelha e o capturou, fechando-se. A esfera caiu no chão e balançou. Uma, duas, três vezes. E se abriu.


- Rápido! Dragon Rush! – Ordenei.


Mais uma vez Ice Fang para tentar parar o Dragon Rush, obtendo sucesso. Drapion cruzou as pinças de novo e mandou outro Cross Poison, um X roxo mortal.


- Desvia! Fire Fang! – Ordenei. – Garchomp contornou o ataque e mordeu a cabeça do escorpião, que irrompeu em chamas.


Lancei outra Ultra Ball. Ela capturou o Pokémon e se fechou. Balançou uma vez e se abriu de novo. Dessa vez, furioso ele segurou Drapion pelos pés. Jogando-o no chão.


- Não deixa! Usa o Dragon Claw nas pinças!


Ele jogou o peso para a parte inferior dos braços e as patas brilharam. Uma delas conseguiu soltar o pé direito, mas o esquerdo ficou preso. Outro Ice Fang estava vindo.


- Pra cima! – Ordenei. – Se ele usar Ice Fang de novo você vai perder!


Garchomp conseguiu entender meu desespero e subiu. O escorpião roxo vinha junto se debatendo e a boca formando o ataque de gelo. Quando atingiu uma altura próxima a das pessoas, tentei uma cartada final.


- EARTHQUAKE! SE JOGA EM CIMA DELE!


A mancha azul e roxa veio na direção do chão com toda força. Me afastei e pude ouvir o rugido de Drapion, que tentava de todo modo se desvencilhar.

O BUM! Foi enorme. Terra a minha volta caiu, mas não o suficiente para derrubar o prédio. Uma nuvem de areia subiu e eu procurei meu Pokémon correndo sem enxergar quase nada. Olhei para minha direita, sorri achando que era Garchomp, mas não. Era o escorpião roxo, que, apesar da grande quantidade de danos, parecia disposto a lutar. Ele me encarou e emitiu seu som característico.


- Por favor, me deixa te ajudar. – Saquei outra Ultra Ball. Ele ficou nervoso e eu pus o objeto atrás das costas.


Caminhei em sua direção. A poeira havia baixado então todos lá em cima podia ver a cena, Scarlett gritava desesperada. Garchomp levantou-se e veio na direção dele, pronto para me defender. Levantei a mão direita para ele, indicando que parasse:


- Se você ficar aqui é só uma questão de tempo até que alguém venha e te mate. – Falei, uma expressão preocupada no rosto.


Ele bateu com as pinças. Cruzou-as e tentou conjurar um Cross Poison, mas estava tão fraco que o ataque se desfez e cambaleou para a esquerda. Aproximei-me.


- Você pode sair daqui em segurança, comigo. – Levantei a Ultra Ball pra ele. – Meu nome é Jake.


Outra menção de tentar me atacar, em vão. Seu corpo estava sem forças para qualquer coisa. Ele baixou as pinças. Parecia a ponto de desmaiar. Olhou para Garchomp e depois para mim e incrivelmente sorriu.


- Obrigado. – Sorri de volta. – Andei até ele e encostei a Ultra Ball em sua cabeça.


O objeto se abriu e eu o levantei pra cima, enquanto ele capturava o Pokémon. Assim que se fechou, ela piscou. Uma vez, duas e depois três. E parou de se mexer.


- Bem vindo, Drapion. – Sorri e apontei a pokébola para cima.


---


- Mãe, estou te mandando o Porygon Z de volta. – Apontei a pokébola para a tela do vídeo-fone. – Estou com um Pokémon novo e...

- Sério, qual? – Ela falou entusiasmada. Ao fundo claramente via-se o símbolo da Battle Frontier, ela estava no conselho.

- Um Drapion. – Sorri.

- Nossa, ele é realmente um Pokémon muito interessante. – Ela olhou para o lado. – Pode mandar, eu deixei todos os Pokémons com Thorton então tudo que você mandar pra mim acaba indo para ele.

- Tudo bem. E a reunião, como foi? – Perguntei curioso.

- É daqui alguns minutos. – Ela fez uma pausa. – Como você o capturou?

- Longa história, preciso desligar. – Cortei-a. – Te amo.


Desliguei sem dar explicações, não queria ter que explicar que Drapion quase destruiu Skypone e só foi parado por mim.


Fui até a enfermeira Joy e solicitei a troca. Entreguei a pokébola de Porygon Z e assim que ela a enviou a pokébola de Drapion se abriu e ficou disponível para uso. Os quatro me aguardavam na porta do Pokémon Center. Sorri para eles e disse:


- Agora são sete.


@Notas do Autor:
- Modificado o mini guia no que diz respeito ao time de Jake, agora com a inclusão de Drapion e a retirada de Porygon Z.
- Por favor, comentem, to shoroso
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Rush em Seg 11 Jan 2016 - 21:18

Fala ai, Kirkos. Como você tá?




Primeiramente eu peço milhões de desculpas pela minha ausência aqui nessa fan fic maravilhosa, perdi muitos capítulos e é por isso que eu demorei tanto pra comentar, pois estava os lendo antes de fazer um comentário. Quando eu ia comentar você postou esse novo capítulo, mas acredite, não estou reclamando, fiquei bastante empolgado. 


Cara, já vou começar comentando sobre esse Drapion. PUTA QUE PARIU, EIN? Que bicho fodástico. Acho que nunca houve um Pokémon tão forte como ele na área de fan fics. O bicho deu uma surra em todo mundo e ainda conseguia ficar de pé, como assim cara? Eu sinceramente achei que o Garchomp iria derrotá-lo, mas mesmo que ele fosse conseguir... Esse bicho me surpreendeu. Puta bicho resistente e forte pra caramba. Pra ser honesto, não pensei que Jake fosse capturá-lo, e bem... AGORA O BICHO VAI PEGAR.


Sério, agora o Jake não vai perder as batalhas contra os outros Frontier Brains. Pelo menos eu acho que não. Hahah


Outra personagem que não tive a oportunidade de comentar que eu simplesmente adorei, foi essa Amber. Porra, ela tem um Luxray e um Salamence, que são dois de meus Pokémons preferidos. Ok, só o Luxray tá no top 10, mas eu gosto pra caramba do Salamance também. E olha, depois desse Drapion, dúvido que o Jake e a Amber vão sempre empatar nas batalhas. 


Um personagem que sempre me surpreende é esse Leon. Sério, eu adoro ele. Na minha humilde opinião, o Leon é o melhor personagem da fan fic - não desmerecendo os outros - mas ele é um alívio cômico que consegue me fazer rir até em situações de extrema tensão, como a luta contra esse bicho roxo dos infernos...


ARGH não consigo parar de falar desse Drapion, eu ainda to muito chocado com ele. EITA BICHO FORTE. 


Sério, eu to muito animado agora, a fan fic está MUITO MUITO BOA. Eu realmente espero que você poste logo, porque eu quero ver Jake em sua jornada para conseguir os outros símbolos da fronteira. COM ESSE DRAPION


É isso cara, me desculpe a ausência. Até a próxima, um abraço!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Qui 18 Fev 2016 - 0:12

Folks, mais um capítulo. Mesmo que eu tenha um capítulo por vez eu não vou desistir, visto que eu já estou escrevendo o terceiro capítulo da terceira temporada então eu não vou desistir. O Rush comentou e eu vou respondê-lo, a Samm tá ausente mas ela aparecerá aqui acho.
Spoiler:

@Rush escreveu:Fala ai, Kirkos. Como você tá?




Primeiramente eu peço milhões de desculpas pela minha ausência aqui nessa fan fic maravilhosa, perdi muitos capítulos e é por isso que eu demorei tanto pra comentar, pois estava os lendo antes de fazer um comentário. Quando eu ia comentar você postou esse novo capítulo, mas acredite, não estou reclamando, fiquei bastante empolgado. 


Cara, já vou começar comentando sobre esse Drapion. PUTA QUE PARIU, EIN? Que bicho fodástico. Acho que nunca houve um Pokémon tão forte como ele na área de fan fics. O bicho deu uma surra em todo mundo e ainda conseguia ficar de pé, como assim cara? Eu sinceramente achei que o Garchomp iria derrotá-lo, mas mesmo que ele fosse conseguir... Esse bicho me surpreendeu. Puta bicho resistente e forte pra caramba. Pra ser honesto, não pensei que Jake fosse capturá-lo, e bem... AGORA O BICHO VAI PEGAR.


Sério, agora o Jake não vai perder as batalhas contra os outros Frontier Brains. Pelo menos eu acho que não. Hahah


Outra personagem que não tive a oportunidade de comentar que eu simplesmente adorei, foi essa Amber. Porra, ela tem um Luxray e um Salamence, que são dois de meus Pokémons preferidos. Ok, só o Luxray tá no top 10, mas eu gosto pra caramba do Salamance também. E olha, depois desse Drapion, dúvido que o Jake e a Amber vão sempre empatar nas batalhas. 


Um personagem que sempre me surpreende é esse Leon. Sério, eu adoro ele. Na minha humilde opinião, o Leon é o melhor personagem da fan fic - não desmerecendo os outros - mas ele é um alívio cômico que consegue me fazer rir até em situações de extrema tensão, como a luta contra esse bicho roxo dos infernos...


ARGH não consigo parar de falar desse Drapion, eu ainda to muito chocado com ele. EITA BICHO FORTE. 


Sério, eu to muito animado agora, a fan fic está MUITO MUITO BOA. Eu realmente espero que você poste logo, porque eu quero ver Jake em sua jornada para conseguir os outros símbolos da fronteira. COM ESSE DRAPION


É isso cara, me desculpe a ausência. Até a próxima, um abraço!

Rush, amigo! Perdão a ausência na sua fic! Vou esperar meu período na faculdade acabar para continuar a ler onde parei e não fazer a loucura que foi da outra vez de ler mais de quarenta fucking capítulos de uma vez!
Quanto ao Drapion, ele realmente era algo bem pensado. Eu queria um pokémon EXTREMAMENTE FORTE porque é algo que o Jake precisa saber lidar: com uma força maior do que a quele pode mensurar. Calma, calma. O Drapion não deixará de obedecer o Jake, ele só será importante mais para frente, visto que ele foi enviado pelo perseguidor do Jake e em um certo ponto os dois terão que entender se eles podem ficar juntos como treinador-pokémon ou não.
Ele é forte, muito forte mesmo. O problema é que o Jake não entenderá isso e (SPOILER ALERT) na batalha contra o Thorton isso vai ser um problemão (SPOILER ALERT)
Continue lendo, por favor! Pós esse capítulo não terá um capítulo de paz para quem ler até o fim AHAHHAHA



Season 2 - Sophomore

Capítulo 18 - Pokéringer



- Como assim cancelar o Pokéringer? – Amber falou irritada.

- Há apenas três nomes inscritos. – O prefeito falou. – Não há como fazer uma competição com apenas três participantes.

- Três? – Falei olhando para ele. – Eu, Amber e...

- Eu. – Scarlett falou atrás de nós. – Eu também me inscrevi.

- Você? Ao menos ela sabe o que é Pokéringer, Empate?


Scarlett ignorou o que Amber disse e tomou a frente da situação. Cynthia e Volkner estavam perto da construção onde eu havia capturado Drapion conversando.


- O que houve com os outros participantes?

- Skypone é uma cidade predominantemente de idosos. – O prefeito falou enquanto segurava a lista dos participantes na mão direita. – Poucos aqui têm disposição para a competição e os que estavam inscritos desistiram de ficar na cidade depois que Drapion atacou.

- E a competição não pode ser realizada mesmo assim?

- Poder ela pode, mas só temos três participantes. Se houvessem quatro apesar de termos apenas três confrontos conseguiríamos realizá-la. – Ele dobrou a folha. – Os dois prêmios seriam o Ovo Pokémon e a Dawn Stone.

- Já sei. – Falei. – Vamos fazer uma rodada só. Morte súbita. Eu contra Amber contra Scarlett.

- O quê? – Os três falaram em uníssono.

- É, exatamente. – Parei do lado de Scarlett. – Vamos por dois aros em jogo. Cada um de nós usa um Pokémon. Um de nós será eliminado e os outros dois lutam de novo só que dessa vez com um aro só em jogo.


Amber me encarou e depois a Scarlett. Pareceu ponderar a ideia e depois falou:


- Eu topo. – E ajeitou o gorro. – Claro que só tem uma vaga na final mas aí é com vocês dois.

- Vamos ver, Empate. – Falei.


Um homem parou perto de nós e entregou alguns folhetos. Scarlett leu o dela e o dobrou, Amber ficou compenetrada no dela e eu li rapidamente. Assim que levantei os olhos do papel, Amber disse:


- Professor Sycamore convida todos os treinadores de Sinnoh para a cidade de Lumiose na região de Kalos para testar um novo método de evolução. – Ela passou os olhos rápido na folha. – Tem uns pokémons aqui eu nunca vi na vida.


Ela virou a folha para mim e eu vi três pokémons diferentes, possivelmente os iniciais da região. No alto havia um desenho peculiar com uma seta que apontava para a palavra evolução. Amber ficou pensativa:


- Interessante. - E guardou o papel no bolso. – Então? Vamos começar essa competição logo ou não?

- Vamos. – Falei.


...


Três balões subiram no ar. Uma pequena aglomeração de pessoas estava numa arquibancada montada cuidadosamente próximo ao Pokémon Center. Cynthia estava do lado do prefeito enquanto Volkner acariciava a cabeça de seu Luxray sentado mais do lado direito da arquibancada.


- Achei que você iria com a Scarlett no balão dela. – Falei para Leon, que estava sentado na borda do cesto de meu balão.

- Eu também, mas como você e a outra lá vão tentar eliminá-la eu não quero ter que ouvi-la desesperada implorando por ajuda pra mim.


Essa frase de Leon me causou um estalo. Apesar de Scarlett as vezes parecer uma treinadora bem forte, suas atitudes inseguras poderiam gerar algum problema pra ela no futuro. Pensei em responder Leon mas o prefeito gritou:


- E COMEÇA A PARTIDA!


Não perdi tempo, saquei a pokébola de Togekiss e trouxe meu Pokémon para fora. A esquerda o Gliscor gigante de Scarlett apareceu e na minha direita Amber invocou seu Salamence. Dois balões pequenos contendo os dois aros saíram voando para cima e olhamos para o telão. Assim que ele passaram a linha para iniciar a partida, Amber mostrou que realmente queria disputar a final:


- DRACO METEOR!

- Evaziva, vai atrás do aro! – Ordenei.

- Quick Attack no Togekiss!


Enquanto meu Pokémon tentava desviar dos meteoros de Salamence, Gliscor tentava a todo custo acertá-lo, embora seu tamanho grande não fosse vantajoso para conseguir brechas no Draco Meteor e alguns ataques estavam causando danos.

Um dos balões foi acertado por um dos ataques do dragão e começou a cair, Togekiss contornou Gliscor e correu na direção dele. Salamence parou de atacar e foi atrás do meu Pokémon, com o grande morcego de Scarlett em seguida.


- Guillotine no Salamence! – Scarlett ordenou decidida.

- Evaziva e Dragon Tail!


Os dois travaram uma batalha sem fim enquanto Gliscor tentava nocautear Salamence e vice versa. As duas ficaram tão preocupadas uma com a outra que não perceberam Togekiss agarrando o arco e pousando-o no gol calmamente. O prefeito assim que viu, gritou:


- GOOOL! DE TOGEKISS! JAKE GIAMATTI NA FINAL DO POKÉRINGER!

- O QUE? – O grito de Amber foi ouvido, mesmo com ela a quase um quilômetro de distância de mim.

- Gliscor, vai atrás do outro arco!

- Dragon Tail de novo!

- Evaziva e Quick Attack!


Os dois continuaram a se golpear freneticamente enquanto Leon e eu observávamos a cena com Togekiss voando do meu lado:


- A ruiva tá decidida a vencer. – Ele disse impressionado.

- Eu sei, mas...

- Guillotine!

- CHEGA! DRACO METEOR DE NOVO!


Salamence arremessou a bola laranja para o alto enquanto Gliscor ia na direção dele com a pinça direita irradiando uma energia negra. Assim que os meteoros começaram a cair, o tamanho de Gliscor mostrou-se problemático para ele e o mesmo foi brutalmente atingido.


- Dragon Tail. Chega.


A última coisa que Scarlett viu foi seu grande morcego roxo indo em direção ao chão e caindo. Derrotado. Salamence agarrou o balão e tirou o arco dele, voou rapidamente para o gol e garantiu a passagem de Amber para fina.


- GOL! DE SALAMENCE! TEMOS NOSSA FINAL!


Enquanto Scarlett ia resmungando todos os palavrões que eu conhecia eu e Amber equilibramos nossos balões e ficamos de frente um pro outro. O prefeito anunciou que mais um arco ia entrar em jogo e agora a decisão era entre os dois que sobraram. Eu e Amber. Lutando. De novo. Outro empate não, por favor.


- Dessa vez acaba essa história. – Eu disse.

- Claro, com a minha vitória.

- Tá se achando muito, hein. – Leon falou. – Não que eu ache ele forte, mas você também não é lá essas coisas.

- Eu só acho que...


O prefeito gritou e o pequeno balão contendo o arco subiu. Ele veio vindo calmamente na nossa direção e no grande telão atrás de nós estava a linha limite para começarmos a partida.

Olhei para o lado e Leon estava sentado na borda do balão encarando a Amber. Quando eu ia mandar ele se segurar, o balão menor ultrapassou a linha e Amber mostrou que estava disposta a vencer de qualquer maneira:


- DRACO METEOR! – Salamence lançou a esfera laranja pro alto e eu mal tive tempo de ordenar alguma coisa, Togekiss desviou por sorte e nosso balão quase foi acertado por um dos meteoros.

- Togekiss, sobe e vai na direção do balão!

- Não deixa, Dragon Dance e em seguida Dragon Tail!

- Evaziva e Steel Wing!


Togekiss parou de ir na direção do aro quando Salamence veio em sua direção, o Steel Wing cruzou com o Dragon Tail e algo estranho aconteceu.


- Que esquisito... – Falei. Ao fundo, lá embaixo ouviam-se muitos gritos. – O Dragon Tail...

- Não está funcionando... – Leon falou. – Por quê?

- Eu não sei, mas também não quero perder pra descobrir. Vai pegar o aro, Togekiss!

- Vai atrás dele!


Togekiss deu uma pirueta e continuou voando com Salamence batendo as asas freneticamente. Meu Pokémon abriu a boca e pegou o pequeno aro, e virou-se para baixo, na direção do oponente. Amber viu e quis garantir que iria vencer:


- Dragon Meteor pra cima!

- Evaziva!


Togekiss desviou e conseguiu passar por ele, que ficou espantado e rapidamente virou-se em sua direção com Amber gritando para ele ir mais rápido. Leon pulava feliz:


- VAI, ACABA COM ESSA METIDA!

- Calma... – Togekiss ia rapidamente com as asas junto do corpo na direção do gol.

- Imita ele. – Amber falou séria. Salamence juntou as asas e ficou mais rápido.


Quando a distância entre eles era a menor que eu conseguia ver, decidi que dessa vez esse empate ia acabar.


- Hiper Beam. – Assim que ele largou o aro eu percebi a burrada que havia feito. O aro caiu e Salamence foi atrás dele.

- Agora, Salamence! Dragon Meteor mais uma vez!


Togekiss retraiu o ataque e desviou de mais uma sequência de esferas laranjas, os dois voaram na direção do aro. No momento em que parecia que Togekiss mordia a pata esquerda de Salamence, os dois caíram em cima do aro, levantando uma nuvem de poeira que tapou tudo que poderíamos ver.


...


- Uma coisa inédita aconteceu! Pela primeira vez na história do Pokéringer de Skypone temos um empate! – O prefeito falava com Cynthia ao seu lado segurando o ovo e a caixa com a Dawn Stone.


Eu e Amber havíamos conversado assim que pousamos nossos balões no chão. Empatamos e depois de quase nos socarmos por isso decidimos quem levaria os prêmios.


- Decidiram qual prêmio cada um vai levar? – Ele falou olhando para nós, com uma pequena multidão nos olhando ansiosos.

- Sim. – Virei-me para Scarlett, que aguardava alguns passos atrás, ao lado de Volkner. – Ela levará os dois.

- Eu? – Ela parecia incrédula. – Por quê?

- Olha, eu não fui muito a favor não, mas... – Amber falou e tirou o folheto que haviam entregado para nós antes do pokéringer começar.

- São seus. – Peguei os dois objetos de Cynthia e dei para ela. – A Dawn Stone para sua Kirlia e o ovo porque achamos que ele deve ser seu mesmo.

- Mas eu... – Ela segurou os objetos.

- Cala a boca, ruiva. – Amber falou. – Aceita logo isso antes que eu queira tudo de volta.


Rimos bastante, o evento foi encerrado e todas as pessoas voltaram para suas casas, restando apenas eu,  Scarlett, Amber, Leon, Volkner e Cynthia. Peguei minha bolsa e virei para todos:


- Então, vamos seguir viagem?

- Na realidade, não vamos não. – Amber falou.

- O quê? – Falamos em uníssono. Cynthia riu e pareceu saber sobre o que Amber estava falando.

- Esse lugar... Kalos. – Ela fitou o horizonte. – Eu disse que ia seguir jornada com você Empate mas sinto que tenho que ir pra lá. – O folheto ainda em sua mão. – Não vou sosssegar até entender que método de evolução é esse.

- Mas... – Falei.

- Não tem mas nem meio mas. – Ela parou na minha frente. – Vamos resolver essa história do empate um dia, mas esse dia não foi hoje. – Um abraço apertado. – Vou até lá, descobrir que método de evolução é esse e quem sabe voltar com algum Pokémon mais forte pra te derrotar. Já está decidido.

- Amber, você... – Volkner andou até o lado dela. – Achei que...

- Você achou certo. – Ela não olhou para ele. – Eu vou até lá e vou voltar. Eu sei que você vai sentir saudade, todo mundo sente. Quando eu voltar passo em Sunnyshore primeiro pra te ver. Satisfeito?


Volkner assentiu e se afastou. Ela virou-se para Scarlett e a abraçou. Um abraço longo até para ela, assim que ambas se separaram Scarlett a fitava com uma expressão de profundo horror.


- Espero que estejamos entendidas. – Ela virou-se para Cynthia e fez um aceno com a cabeça.

- Empate, nos separamos por aqui. – Ela me deu um soco. – Até breve.


E saiu andando, nos deixando com diversas despedidas nos lábios. Cynthia pôs a mão no ombro de Volkner enquanto víamos Amber andando e sua silhueta desaparecendo no horizonte.


...


- Você vai ficar bem, Volkner? – Estávamos num ponto de ônibus perto na rodoviária de Skypone.

- Vou. – O ônibus com os dizeres “Sunnyshore” apareceu no final da rodovia. – Vou entrar na fila. Nos vemos em breve, Jake.


Ele subiu no veículo rapidamente e o mesmo arrancou. Logo atrás outro ônibus escrito “Battle Tower City” surgia. Olhei para Scarlett, que segurava o ovo rosa nas mãos e depois acariciei a cabeça de Leon, que estava em meu ombro.


- Parece que nosso próximo destino é a Battle Tower. – Sorri.

- E quem é o Frontier Brother de lá? – Leon falou.

- Brain. – Dei um peteleco na orelha dele. – Palmer.


Subimos no ônibus e achamos um lugar ao fundo do mesmo, no dia seguinte chegaríamos ao nosso destino e eu enfrentaria Palmer. Assim que eu pensei na força dele e no histórico de desistentes da Battle Frontier justamente por conta de seu poder, entrei em pânico. O ônibus arrancou e preferi não pensar nisso, pelo menos por enquanto.


@Notas do Autor:
- Amber saiu do grupo e seguirá seu caminho sozinha.
- A partir de agora os capítulos não serão mais tão extensos
- Um capítulo foi retirado, dando lugar a uma ideia chamada "Battle Frontier Chronicles", seguindo o mesmo raciocínio do anime serão dois capítulos nos quais Jake e Scarlett não aparecerão. Enquanto o primeiro volume (Chronicles 1) será dividido em duas partes com a primeira focando na viagem de Amber até Kalos e a segunda focando numa época em que Leon fica sozinho, o segundo (Chronicles 2) focará no encontro dos dois personagens mais icônicos de toda a fic: Leon e Thorton.
- O tipo Fairy, não considerado até então será introduzido lentamente. Perceba que ao lutar com Salamence, o Togekiss de Jake parece imune aos ataques do tipo Dragon, isso será explorado futuramente.
- CONTINUE LENDO PF VAI FICAR LEGAL NA SEASON 3, CONFIA EM MIM
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum