Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

Battle Frontier

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Sex 21 Ago 2015 - 21:42

Bem, eu só queria fazer umas considerações iniciais antes de postar isso aqui. Eu tenho essa ideia na cabeça tem muito, muito tempo mesmo. Um belo dia eu estava no tédio e joguei algumas coisas no papel, fiquei insatisfeito e reescrevi. Gostei um pouco mais desse resultado então quero ver como ela se sai aqui. A história é curta ao meu ver, terá 4 temporadas e até um crossover bem interessante com a realidade. A história tem um logo, que eu fiz com imagens achadas da internet então de fato eu não sou autor das imagens que estão presentes no logo, porém, sou autor do resultado que é uma simples montagem. O símbolo da fronteira vazio é proposital, acho que ficará bem implícito do porque disso. Críticas são MUITO MAIS DO QUE BEM-VINDAS! HAHA Enfim, fiquem com o prólogo. Na minha assinatura constará o andamento da história. Espero que curtam (:

@Edit - (não tão) Mini Guia ~ O que você precisa saber
SÓ CLIQUE SE QUISER SABER SPOILERS


Localidades:
Battle Frontier Area


Cidade do Battle Castle. Frontier Brain: Darach
Cidade do Battle Hall. Frontier Brain: Argenta
Cidade da Battle Tower. Frontier Brain: Palmer
Cidade da Battle Factory. Frontier Brain: Thorton
Cidade do Battle Arcade. Frontier Brain: Dahlia
A - Mios Town. A cidade que hospedou o Circo de Unova do qual Leon fugiu.
B - Skypone Town
C - TBA
D - TBA

Personagens e Pokémons:


Jake - Filho da Arcade Star Dahlia, participou da Sinnoh League e do Grande Festival, tendo atingindo o 2º lugar nas duas competições. Inicia o desafio na Battle Frontier, apesar de sua mãe relutar. Tem uma personalidade forte e não lida bem com derrotas que sofre. Muda de roupa duas vezes por conta de Scarlett.

Pokémon On Hand:
Air Slash, Hyper Beam, Steel Wing e Aura Sphere
Dragon Claw, Dragon Rush, Stone Edge, Earthquake e Fire Fang
Flamethrower, Vaccum Wave e Shadow Claw
Night Slash, Cross Poison, Ice Fang e X-Scissor
Leaf Blade, Thunder Punch, Aerial Ace e Giga Impact
Water Pulse, Fire Blast e Softboiled

Pokémon At Home:


Scarlett - Desistiu de ser uma Pokémon Ranger para seguir seu sonho de ser fotógrafa e estilista, saiu de Almia e veio para Sinnoh. Depois de estragar as roupas de Jake decide mudar seu visual e como agradecimento pelo mesmo ter recuperado sua câmera roubada, decide acompanhá-lo em sua jornada. Tem uma personalidade dual, em alguns momentos é doce e gentil e em outros é mais explosiva que Jake. Muda completamente seu visual, juntamente com Jake.

On Hand:
Muddy Water, Ice Beam, Aqua Jet e Sonic Boom
Guillotine, Dig e Quick Attack
Teleport, Confuse Ray, Disable e Dream Magical Leaf
Outrage, Thunder, Fire Punch e Focus Blast
Megahorn, Fury Cutter e Reversal

Leon - Um Kecleon Shiny que sabe falar. Decide fugir do circo após Jake salvá-lo e se impressionar com a admiração de Scarlett por ele. Seus ataques conhecidos até o momento são Aqua Tail, Screech e Slash.

Arcade Star Dahlia - Mãe de Jake e uma Frontier Brain, é muito preocupada com seu filho e, apesar de não aceitar muito bem a ideia de deixá-lo tentar o desafio, permite que o faça. Tem uma personalidade gentil, totalmente oposta a do filho.
Factory Head Thorton - Outro Frontier Brain, foi mentor de Jake durante sua jornada por Sinnoh, auxiliando e cobrando-o. Tem uma personalidade irônica e muitas vezes é grosseiro e fala o que quer sem pensar duas vezes.

Amber - A maior rival de Jake, conheceram-se enquanto ambos estavam em jornada. Sempre que ela e Jake batalham, resultam em um empate. Muda de destino e passa a acompanhar Jake após reencontrá-lo, não parece se dar muito bem com Scarlett e Leon.

Sr. _____ Galleghar - Não se sabe muito sobre ele, apenas que quer se vingar de Jake por algum motivo ainda desconhecido. É o mandante de Scizor e Weavile.

Weavile e Scizor - Os atacantes de Jake, a mando de Galleghar. Foram teletransportados para Snowpoint.

Agradecimentos a Samm pelos visuais de Jake, Scarlett, Amber e Galleghar.


Resumo dos capítulos *EM CONSTRUÇÃO*:


Freshman

Capítulo 0 - The Challenger
Capítulo 1 - Black Attackers
Capítulo 2 - Call me Scarlett
Capítulo 3 - Warming Up... And being attacked again
Capítulo 4 - Battle Castle! Darach's Challenge!
Capítulo 5 - Refreshing Strategies
Capítulo 6 - Rematch! Caitlin's Letter is the Prize!
Capítulo 7 - Introducing: Leon, the Misterious Kecleon!
Capítulo 8 - Scarlett's Secret
Capítulo 9 - Mega Market... And Gengar on his own
Capítulo 10 - Sky Battle! Hall Matron Argenta!
Capítulo 11 - The Aftermath Part 1: Ghost Trap
Capítulo 12 - The Aftermath Part 2: Triple Battle

Sophomore

Capítulo 13 - Tag Battle! Flint and Volkner x Jake and Scarlett!
Capítulo 14 - Back to Battle Hall! The new Strategy!
Capítulo 15 - Always a Tie
Capítulo 16 - Catching 2 Spiders
Capítulo 17 - Seventh
Capítulo 18 - PokéRinger
Capítulo 19 - Battle Tower! 3 on 3 Battle!
Capítulo 20 - The Tower is Higher Now
Capítulo 21 - Ladies Fight! The luckiest day of Scarlett's Life!
Capítulo 22 - One is Good, Two is Better and Three Is Best
Capítulo 23 - The Frozen Trap Part 1 - Betrayal
Capítulo 24 - The Frozen Trap Part 2 - Runaway
Capítulo 25 - Chronicles I: The Tales of Amber and Leon

Junior

Capítulo 26 – Arrival
Capítulo 27 – Nice to see you again, Charles
Capítulo 28 - Tie's Break Up
Capítulo 29 – Chronicles II: Rewriting the history of the Battle Factory ... 50 years ago
Capítulo 30 – Forgiveness
Capítulo 31 – The Revenge Part 1: Truth
Capítulo 32 – The Revenge Part 2: Endgame
Capítulo 33 – Back to the Beat
Capítulo 34 – The Circus Strikes Back – Leon’s Final Test
Capítulo 35 – Thorton’s Elemental Roulette
Capítulo 36 – Fire x Venom
Capítulo 37 – There’s no Place Like Home
Capítulo 38 - Feelings
Capítulo 39 – The Last Frontier
Capítulo 40 – Conclusion! Jake vs Dahlia!

~~//~~ Fim do Mini Guia ~~//~~



Season 1 - Freshman

Capítulo 0 - The Challenger



- Eu não quero dar mais explicações quanto a isso. A oportunidade surgiu e eu estou indo buscá-la. Darach terá que entender.
- Tudo bem, Caitlin. Só acho que... Unova? Muito longe, Darach ficará louco quando souber disso.
- Ele já sabe. E está se tornando impossível de ser derrotado pelos desafiantes. Eu estou ficando preocupada.
- Não fique. Por um lado isso é bom já que torna o desafio dele muito mais difícil, já por outro...
- Poucos conseguiram derrotá-lo. Faz 3 dias que ele não perde uma luta.
- Quantos desafiantes?
- Quatro.
Minha mãe riu, eu consegui segurar um pouco o riso para elas duas não me ouvirem.
- Quatro desafiantes eu tive só ontem. Dois eu derrotei, um eu empatei e o outro me derrotou.
Caitlin riu e continuou.
- E Jake?
- Deve estar no lago com os pokémons de Pastoria.
- Ele voltou quando?
- Faz um mês. Thorton insistiu para que ele fosse para Altomare mas eu não sei...
- Por quê? Ele substitui Whitney por 2 meses e Wake por seis meses, nada mais justo.
- Você ainda não é mãe, mas um dia entenderá. Já me dói demais ter permitido que ele viajasse por aí atrás das 8 insígnias, imagina mandá-lo para tão longe assim?
- Querida, longe é Unova. Altomare fica na divisa entre Johto e Hoenn. – Caitlin riu e minha mãe a acompanhou.
- Ai, ai. Quem sabe eu mande mesmo. Mas queria ficar com ele mais um tempinho aqui, estava com saudades.
- Sei que está. – Caitlin fez uma pausa de um minuto que eu achei inquietante. – E ele? Quando vai?
- Não quero. Thorton e eu conversamos sobre isso. Sinto que ele ainda não está preparado.
- Dahlia, ele tem 15 anos. Está na idade certa para tentar. Queria estar aqui para quando ele fosse lutar com Darach, mas não será possível. Enfim, isso não vem ao caso. Você não pode segurá-lo para sempre.
- Sei disso, sei disso. Eu só acho que ele não está... Forte ainda para tentar.
Quase me joguei na sala gritando que eu estava, porém Caitlin falou por mim.
- Finalista da Liga Sinnoh e do Grande Festival.
Mais uma vez silêncio. Dei um pulo que quase atingiu a lâmpada em cima de mim e Togekiss se assustou.
- Quem sabe...
- Ou quem sabe ele decida por conta própria ter o desafio. Você ficaria de mãos atadas. Ou pior: quem sabe quando ele souber que eu fui pra Unova ele queira ir tentar a Liga de lá e me encontrar. O que você prefere? Seu filho perto e fazendo algo que você tenha conhecimento ou se filho no continente mais longe daqui fazendo sabe-se lá o quê? – O tom de Caitlin era áspero.
O silêncio começou a me irritar.
- Mas Thorton...
- Eu não disse nada dele não tentar. – A voz de Thorton surgiu do outro lado da sala. – Eu dei minha opinião. Se você não quer seguí-la aí já não é comigo.
- Atrasado. – Minha mãe falou séria. – E você o conhece desde pequeno, sua opinião é importante.
- Sabe que pontualidade não é meu forte. - Uma pausa, muito provavelmente para que ele cumprimentasse Caitlin. – Caitlin, como estão os preparativos para a viagem?
- A todo vapor, tirando Darach.
- Normal. – Ele virou-se para minha mãe. – Deixe-o ir. Ele merece. E se ele se recusar no final?
- E se ele disser que sim?
- E se ele disser que não? – O tom sereno de Thorton transmitia confiança. Mamãe sabia que se eu vencesse a Battle Frontier iria querer me tornar um Frontier Brain e isso implicaria que eu tivesse que sair de casa.
Mais uma vez silêncio. Encarei Togekiss que estava encostado na parede ao meu lado. Ouvi uma pokébola libertando um Pokémon. Togekiss ficou de pé ao ouvir o som e eu fiquei alerta.
- E eu acho que o mais interessado nisso tem que saber, não é Jake?
Um Psychic levitou a mim e a Togekiss e, apesar de nos debatermos fomos lançados no tapete azul da sala, de frente para minha mãe.
- Obrigado, Xatu. – Thorton acariciou a cabeça do pássaro.
- Valeu, Thorton. – Me levantei e Togekiss se ajeitou, ambos ficamos encarando minha mãe.
- Estava ouvindo a conversa tem quanto tempo?
- Tempo suficiente.
- Sabe que eu não quero que você faça isso, não sabe?
- Sei. Mas como a Caitlin disse. – Me virei para ela. – Melhor eu fazer isso com você tendo consciência de que estou fazendo do que eu ir por conta própria.
- Jake...
- Ou quem sabe eu possa ir com Caitlin para Unova e...
- VAI! – Minha mãe gritou.
Mal esperei que ela falasse qualquer coisa, saí correndo com Togekiss em meu encalço.
- Obrigado, Thorton e Caitlin! Vou me preparar!

Entrei no meu quarto e peguei minha mochila, Togekiss entrou e pousou na minha cama feliz. Eu mal podia acreditar. Eu iria tentar o desafio da Battle Frontier. Minhas mãos quase tremiam. Peguei minha roupa antiga de jornada por Sinnoh e fui ao banheiro tomar um banho. Assim que voltei, vestido e arrumado de calça jeans, tênis e blusa pretos com uma camisa xadrez azul e laranja por cima, peguei a Pokébola de Togekiss e o chamei de volta.
- Vamos, amigo. Vamos descer.
Desci as escadas correndo e quase tropecei, passei pelas fotos da família e diminuí um pouco o passo. A parede verde piscina combinava tão bem com as molduras na cor marrom das fotos que eu por instinto peguei minha foto com meu Togetic e minha mãe com o Togekiss dela quando eu tinha 11 anos.
Entrei na sala e os três tomavam chá. Minha mãe levantou-se meio cabisbaixa e me entregou o símbolo da Battle Frontier vazio.
- Aqui. Acho que não preciso explicar nada, já que como você conviveu com essa realidade toda a sua vida já sabe tudo que precisa saber.
- Obrigado, mãe. – Peguei o símbolo e guardei-o na mochila.
- Posso ganhar um abraço ou já vai me deixar?
- Deixa de ser idiota, eu vou orgulhar você. – Dei um abraço forte nela.
- Jake, ainda vai pegar os Pokémons para ir, certo? – Thorton falou coçando o queixo.
- Vou sim. – Assenti.
- Então eu vou com você. – Ele levantou-se. – Caitlin, quer carona para o Battle Castle?
- Por favor! – Caitlin se levantou e foi comigo atrás de Thorton.
Antes de eu passar pela porta, senti que minha mãe segurava o choro. Foi inevitável não dizer:
- Quero você chorando quando eu te derrotar, te amo. – E fechei a porta.
Segui Thorton e Caitlin para perto do lago atrás da minha casa, onde todos meus pokémons estavam. Parei em frente a todos eles que me encaravam felizes.
- Bem, acho que vou com...
- Permita-me uma recomendação, Jake.
- Ahn? Qual? – Fiquei confuso.
- Pode levar quem quiser, contanto que Garchomp e Infernape estejam com você.
- Por quê isso?
- Porque eu quero. – Ele riu. – E porque eles são seus 3 pokémons mais fortes. O os outros 3 você pode rotacionar, mas mantenha sempre eles 3 na equipe.
- Tudo bem... – Fiquei sem entender. Caitlin sentou no chão e com uma mão enrolava o cabelo e com a outra mexia na bolsa.
- Quais são os outros 3?
- Hum... - Olhei para Porygon Z, Sceptile, Blissey, Marshtomp, Kingdra, Azumarill, LickLicky, Ambipom e Eevee. – Vocês 3 foram parte do meu primeiro time. – Apontei para Z, Sceptile e Blissey.
- Ótimo, quer que eu pegue as pokébolas deles no celeiro? – Thorton se ofereceu. – Pelo visto Caitlin quer falar algo com você a sós.
- Pode ser... – Me virei para uma Caitlin envergonhada.
- Odeio quando ele faz isso.
- Pelo menos ele não fez isso num jantar na frente de todo mundo. Enfim, queria agradecer por ter me ajudado.
- Não tem problema. – Ela puxou um envelope da bolsa. – Aqui está, quando você chegar lá entregue isso para ele. Não fala pra ninguém, mas eu vou pra Unova agora.
- Agora... Agora? – Eu arregalei os olhos.
- Sim, se eu voltar pro Battle Castle Darach vai dar um jeito de me manter lá e eu quero caminhar com as minhas próprias pernas sozinha. Preciso seguir meu próprio caminho agora.
- Eu não te invejo, tanto que estou aqui. – Sorri. Caitlin sorriu de volta.
- Bem, melhor eu me apressar. Não quero ter que me explicar para Thorton. Você vai fazer o desafio em que ordem?
- Darach, Argenta, Palmer, Thorton e Mamãe. Ou seja, se quiser eu aviso a ele que você já foi.
- Prepare-se para tomar uma surra dele.
- Quero só ver se ele vai conseguir. – Ri de novo.
- Vou logo, não esquece de entregar o envelope pra ele. Boa sorte! – Ela me abraçou e saiu andando.
Invejei Caitlin de certo modo, mas ao mesmo tempo vi que estava fazendo algo semelhante a ela. Thorton voltou e me deu as pokébolas.
- Nossa, como Caitlin é previsível. Se ela voltasse pro Battle Castle Darach ofereceria o mundo para ficar e ela se sentiria pressionada a não ir, logo, ir agora era a melhor opção porque uma vez em Unova fica muito mais difícil para ele obrigá-la a ficar.
- Você é muito esquisito. – Falei arregalado enquanto recolhia os pokémons.
Abracei a todos os outros enquanto Thorton pegou seu jipe.
- Vou te deixar na rodovia perto do aeroporto. A partir daí você vai estar sozinho. – Embarquei e sentei ao lado dele.
- Sei disso, sei disso. Me espera na Battle Factory que eu vou lá te derrotar.
- Não está planejando ir pra Battle Factory agora, está?
- Não e... Espera, por quê você vai me deixar perto do aeroporto?
- Tenho um voo marcado para Crown City. Surgiu um problema lá e eu quero resolver, além do que no final das contas isso vai ter consequências para você. – O jipe deu um solavanco.
- Para mim? Que consequências? – Thorton fez uma curva a esquerda e acelerou.
- Chegue na Battle Factory e eu verás. Aliás, vai enfrentar a nós em que ordem?
- Ahn... – Eu ainda não tinha engolido a história das consequências porém eu não estava a fim de discutir com Thorton. – Darach, Argenta, Palmer, Você e Mamãe.
- Nada mais justo. Acho que consigo voltar a tempo contando que não derrotará aos outros 3 logo de primeira.
- Quero só ver se eu tiver que te esperar porque derrotei os outros 3 e você está demorando.
- Eu não contaria com isso. – De longe já era possível ver o aeroporto.
Os cinco minutos seguintes foram Thorton falando para mim que eu deveria treinar bastante se quisesse vencer e que seria interessante eu fazer alguma amizade para seguir viagem acompanhado e não sofrer de tédio. Assim que parou em frente a estrutura de concreto pintada de cinza com os dizeres “Battle Frontier Airport”, saltei do jipe de Thorton e me despedi. Pra variar, Thorton fez piada:
- Boa sorte, quem sabe você não precise mas seus pokémons com certeza precisarão.


Última edição por Kirkos em Qui 18 Fev 2016 - 0:22, editado 78 vez(es)
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Rush em Sex 21 Ago 2015 - 22:30

Fala, Kirkos, beleza?

Nunca te vi pelo fórum antes, então presumo que tu é novo. Se isso for de fato uma verdade, lhe dou ótimas vindas antes de tudo. Embora o fórum esteja parado - a área de fics até que está se movimentando lentamente, mas não parada totalmente. - tenho certeza que você irá adorar essa área. Te garanto que tu vai adorar criar fan fics e lê-las também, por isso recomendo-lhe que leia algumas outras em seu tempo livre. Isso além de expandir a sua criatividade, vai te fazer ter uma visão diferente de Pokémon em geral, e isso é fantástico.

Ok, agora focando na sua fic: Eu admito que gostei bastante da ideia. Se tem algo que eu gosto mais do que fan fics de jornada, é uma fan fic de competição. Ver o resultado de uma longa jornada colocado em prova contra outros treinadores é algo que eu realmente fico bem entusiasmado em ler, então tenho grandes expectativas com a tua fic.

Em geral a sua fic está bem escrita. Notei apenas um erro de gramática mas foi acidental, já que apenas faltou uma letra. A única coisa que me perturbou enquanto eu lia, é a formatação e a carência de narração/detalhes.

Recomendo que a cada parágrafo você separe uma linha apertando "Enter", e separe duas linhas entre o diálogo e narração, assim ó:



Entrei no meu quarto e peguei minha mochila, Togekiss entrou e pousou na minha cama feliz. Eu mal podia acreditar. Eu iria tentar o desafio da Battle Frontier. Minhas mãos quase tremiam. Peguei minha roupa antiga de jornada por Sinnoh e fui ao banheiro tomar um banho. Assim que voltei, vestido e arrumado de calça jeans, tênis e blusa pretos com uma camisa xadrez azul e laranja por cima, peguei a Pokébola de Togekiss e o chamei de volta.


- Vamos, amigo. Vamos descer.


Desci as escadas correndo e quase tropecei, passei pelas fotos da família e diminuí um pouco o passo. A parede verde piscina combinava tão bem com as molduras na cor marrom das fotos que eu por instinto peguei minha foto com meu Togetic e minha mãe com o Togekiss dela quando eu tinha 11 anos.

Entrei na sala e os três tomavam chá. Minha mãe levantou-se meio cabisbaixa e me entregou o símbolo da Battle Frontier vazio.


- Aqui. Acho que não preciso explicar nada, já que como você conviveu com essa realidade toda a sua vida já sabe tudo que precisa saber.


E também evite centralizar os capítulos. Deixe-o alinhado à esquerda mesmo que a leitura fica mais agradável.

Em geral eu achei a história bem interessante e gostosinha de se ler. No começo, pela falta de detalhes, eu fiquei perdido no meio de diálogos sem ter noção de onde se passava, com quem se passava e tudo o resto. Mas quando o Jake apareceu tudo pareceu ficar mais nítido. Como nunca fui muito fã da saga Frontier Battle - não assisto o anime e não cheguei a ler/jogar a respeito nos mangás/jogos -, eu tive dificuldades em identificar quem é quem pelo nome, então presumi que eles são os personagens do logo, pois conheço apenas o Palmer e a Diana.

O final me deixou muito interessado em como essa jornada vai começar, e quero ver as batalhas já que elas prometem ser épicas.

É isso cara, você ganhou um leitor. Aguardo ansiosamente o próximo capítulo.




avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Slow em Sab 22 Ago 2015 - 19:03

Hey Kirkos o/

Bem-vindo ^^

Smp tem espaço para mais uma fic na minha "estante" u.u então, vamos lá!

Inicialmente, achei que seria em terceira pessoa, fiquei meio perdido nos diálogos, mas aos poucos percebi que o carinha ali estava ouvindo a conversa. Particularmente, eu curto muito isso dos personagens já possuírem uma certa experiência prévia.

Ressaltando a dica do Rush, não centralize o texto. Realmente fica mais agradável.

Bem, não tenho muito o que dizer, está bem escrito, tendo apenas um ou outro erro, e interessante.

Tchau e até o próximo capítulo o/
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por DarkZoroark em Sab 22 Ago 2015 - 21:23

Kirkos o/
Primeiramente dou-lhe boas-vindas ao fórum. Espero que se divirta por aqui. Fico feliz em ver que estás interessado na área das Fanfics. Escritores e histórias novas são sempre bem-vindas. Deixando às apresentações, vamos ao review deste prólogo/capítulo 0:
Assim como o Rush, devo dizer que gostei bastante da sua ideia. Não há muitas histórias de Pokémon que retratem a Battle Frontier, e menos ainda entre estas que estejam relacionadas à de Sinnoh. Acho uma pena, pois sou grande fã da 4ª geração de jogos e, obviamente, desta área específica. Outro ponto que merece destaque é o fato de o protagonista da história já ser um treinador experiente, algo que não ocorre com tanta frequência. Os Pokémons que ele possuí também são bem interessantes em questão a diversidade. Enquanto que Sceptile, Infernape, Marshtomp e Eevee são espécies que aparecem costumeiramente em várias Fanfics, outros como Azumarill, Kingdra, Blissey e Ambipom são bem mais difíceis de serem vistos. Estou ansioso para ver como que estes elementos serão equilibrados ao longo do desenrolar da história.
A representação dos personagens presentes neste capítulo foram bem envolventes, dando um destaque maior à personalidade da Caitlin. Tiro meu chapéu e digo que ficou bem fiel ao que eu imagino desta jovem; descontraída, calma e infantil, mas ao mesmo tempo tentando mostrar sua independência. O Thorton também ficou bem legal, mas senti um pouco de falta do leve convencimento dele. A Dahlia eu senti uma diferença maior de personalidade, mas como nesta história ela é mãe esta destoação se torna justificável. Quanto ao próprio Jake, devo dizer que ficou interessante essa história de ele querer se provar para a mãe e tudo mais, mas irei aguardar mais alguns capítulos antes de ir mais afundo.
Tal como mencionado antes, senti um certo incômodo com a formatação do capítulo. Não me importo muito que não hajam espaços entre cada diálogo/parágrafo, embora concorde que facilitam a leitura. Porém, o maior problema mesmo na minha opinião ficou na centralização do texto. Pode ser apenas por falta de costume mesmo, mas me senti perdido em certas partes por conta disto. Acho que deixar o testo a esquerda ou justificado mesmo seja uma boa forma de contornar tal adversidade. O outro ponto que ficou meio estranho foi a pouca narração e completa falta de descrição. Procure descrever tudo que ocorre durante a história; os acontecimentos, as emoções dos personagens, os planos e reflexões do protagonista, tendo em vista que esta é uma fic em primeira pessoa... Até mesmo a caracterização física deles. Apesar de todos já saberem o básico da mesma, a visão do autor pode influenciar em parte a do leitor quanto a determinado personagem.
Bem, por enquanto é só. Procure dar uma melhorada nestes pequenos problemas e tenho certeza de que irás longe. Fico no aguardo do próximo/primeiro capítulo. ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Dom 23 Ago 2015 - 21:23

Ai gente, muito obrigado pelos comentários e críticas! (: Tentei absorvê-las da melhor forma possível e acabou que eu modifiquei a formatação centralizada do capítulo. Vou responder aos comentários aqui e postar o capítulo 1, que tem um pouco mais de ação que o primeiro. Eu mudei o nome do capítulo por ter achado que condizia mais com o que é tratado nele. Enfim, vamos as respostas!

Rush - Obrigado pelas boas vindas! Já tenho algumas aqui em mente para ler, assim que eu fechar mais um capítulo vou começar a lê-las! Eu segui suas recomendações em relação a formatação e tudo mais, espero que tenha ficado bom dessa vez! Obrigado pelos elogios em relação ao tema, era algo que eu queria desenvolver tem bastante tempo já (: Eu estou pensando em fazer um pequeno mini-guia para poder identificar os leitores acerca dos personagens, suas personalidades e Pokémons até quem sabe, mas ainda estou planejando. Tentei melhorar um pouco mais nos detalhes para situar melhor os leitores. Muito obrigado pelo comentário e pelas sugestões! PS: É Dahlia, não Diana! Laughing

IsaacXD7 - Valeu pelas boas vindas o/  Valeu pelo comentário, eu reli e realmente até eu achei meio confuso mesmo sabendo que era quem por ter escrito HAHA Enfim, nesse capítulo eu tentei dar uma maior ênfase aos detalhes acerca do Jake para ver se eu consigo trabalhar isso bem quando tiver mais de um personagem com ele, sabe? Muito obrigado pelo comentário e pelas sugestões!

DarkZoroark - Grato pelas boas vindas! (: Então, eu tinha pensando inicialmente do Jake não ser um treinador pleno e algo próximo a isso, mas eu não tenho muita vontade de focar em evoluções de Pokémons no decorrer da história, pelas minhas contas haverá uma em cada temporada, mas posso acabar mudando de ideia. Eu quis fazer um time não muito extenso e com alguns Pokémons considerados "mais inexperientes" para tentar dar a chance de mostrar que apesar do Jake já ter passado pela Sinnoh League e pelo Grande Festival, ele ainda treina outros Pokémons que não os seus 6 mais fortes. Inclusive, esses Pokémons no futuro terão um papel importante na história dele na Battle Frontier, aguarde haha Quanto a personalidade, foi o que eu disse pro Rush, eu estou pensando em fazer um mini guia, nem que seja uma frase de cada personagem, apenas para mostrar quem é quem nessa história toda. Quanto a caracterização dos personagens, eu sinto que pequei mesmo mas eu acabei sofrendo do mal do "como são leitores e conhecem a Battle Frontier e tem aquele logo ali em cima, não precisarei descrever os Frontier Brains" mas conforme as personagens forem aparecendo eu vou trabalhar melhor a coisa de deixar todo mundo devido explicado pros leitores. Muito obrigado pelo comentário e pelas sugestões!

E agora, deixo com vocês o capítulo 1. Espero que gostem, críticas, comentários, sugestões mais do que bem-vindos!

Capítulo 1 - Black Attackers


Uma coisa esquisita havia me ocorrido. Thorton disse que ia para Crown City de avião, e o jipe dele havia acabado de sumir da minha visão. Abri minha bochila e puxei meu Pokétch, busquei o número de Thorton no aparelho e o disquei. Depois de três toques, ele atendeu, irritado:


- Cala a boca, eu estou voltando. – E desligou na minha cara.


Pensei comigo que era castigo pra ele uma vez que tentou impor medo em mim por estar desafiando a Battle Frontier. Decidi não esperá-lo e selecionei a função de mapa do Pokétch, a tela azul me mostrou Sinnoh inteira e eu cliquei na área da Battle Frontier. Um zoom ampliou a área que eu conhecia muito bem e eu procurei o Battle Castle. Haviam duas rotas ao Norte que culminavam lá, uma indo pela esquerda que se iniciava perto de dois prédios  de quatro andares cada um e ia por uma área de campo e uma a direita, que era entre algumas árvores e seguia por uma floresta. Olhei para o céu. Azul e límpido. Um avião cruzou o céu e coincidentemente no meu campo de visão ele parecia ter vindo da direita. Respirei fundo e decidi que os dois dias que eu levaria seriam usados para treinar na floresta. Comecei a caminhar e peguei com o canto do olho um jipe chegando furioso ao aeroporto.

Depois de duas horas de caminhada eu percebi que era muito chato estar sozinho andando então peguei a Pokébola do Sceptile e o fiz andar junto comigo.


- Vamos, não quero ficar no tédio. – O grande Pokémon verde me encarou e começou a andar do meu lado.


Andamos por cerca de meia hora, a floresta não era densa e tinha um caminho bem definido, possibilitando até a passagem de um carro tranquilamente por dentro dela por uma espécie de rodovia de terra. O Sol estava baixando e eu calculei que em mais ou menos uma hora iria escurecer. Sceptile desistiu de andar do meu lado e ia saltando pelas árvores, vez ou outra parava do meu lado e continuávamos juntos.


- Sabe de uma coisa? – Sceptile olhou para mim desconfiado. – Queria que vocês soubessem falar, seria bem mais legal não ter que viajar em silêncio.


Apesar de não falar,  Sceptile me entendeu e sorriu. Minhas pernas formigaram e eu saí de perto da rodovia e me sentei na margem dela. Sceptile me acompanhou, o Sol estava quase se pondo e eu achei melhor montar acampamento por ali mesmo.


- Vamos dormir aqui, amanhã continuamos. – Peguei as outras pokébolas e soltei todos os pokémons. – Pra fora, temos trabalho a fazer.


Todos os Pokémons saíram, Garchomp se espreguiçou e Z ficou rodopiando. Infernape parou na minha frente esperando que eu desce alguma ordem pra ele.


- A fogueira, é mesmo. Sceptile, pega uns galhos bons para fazermos uma fogueira. Blissey, tem comida na minha mochila. Togekiss, sobrevoa e vê se acha algumas berries comestíveis e leva o Z com você para ele usar o Psychic pra trazer as berries.


Todos se dispersaram para fazer as atividades que eu ordenei e em menos de cinco minutos Sceptile voltou com 20 galhos nos braços e se afastou um pouco da rodovia, com Infernape logo atrás dele. Olhei para onde ele estava indo e vi um pequeno riacho. Era uma boa ideia ficar ali. Todos seguimos para perto de Sceptile e Infernape que ajeitavam a fogueira. Blissey estava com uma lata de comida e dois pacotes de comida Pokémon e deixou tudo do lado da fogueira. Togekiss retornou com Z e diversas berries. Depois de tudo organizado, estávamos sentados em volta da fogueira comendo e olhando pro céu. Z veio na direção da minha mochila, pegou meu Pokétch e entregou na minha mão.


- Pra quê isso, Z? – Olhei o pequeno aparelho azul. Uma ligação perdida. – Ah, obrigado! – Eu disse sorrindo. Z rodopiou e voltou para perto de Blissey.


Fui chegar a ligação. Maylene. Sorri e disquei o número de volta, Maylene Foi a líder de ginásio que eu mais fiquei amigo no tempo em que viajei por Sinnoh. Cinco toques e ela atendeu.


- Alô?
- Maylene? Você me ligou?
- Sim! – Sua voz estava animada. – Tudo bem? Eu acabei de saber então resolvi ligar logo pra saber tudo. Que bom que você está desafiando a  Battle Frontier!
- Obrigado. – Falei sorrindo. – Eu nem acreditei que mamãe deixou. Tive que pedir ajuda a Caitlin para ver se conseguia.
- Eu também soube da Caitlin, corajosa ela. – O tom entusiasmado de Maylene ficou mais sério. – Eu acho que não teria tanta coragem assim.
- Claro, até porque ser líder de ginásio mais nova da história com apenas 14 anos nem precisa de coragem, né? – Ouvi Maylene rindo.
- Era diferente naquela época. E é uma situação diferente, eu fui líder de ginásio mas eu tinha várias pessoas comigo me ajudando. Caitlin foi sozinha pra Unova tentar ser Elite 4 sem pedir a opinião de ninguém. – A voz de Maylene parecia bem mais séria do que antes.
- Tudo bem, tudo bem. – Resolvi mudar de assunto. – Como vai o ginásio?
- Vai muito bem, em duas semanas papai volta e vai ficar no meu lugar por um tempo. Mal posso esperar pra tirar minhas merecidas férias.
- Já decidiu o que fazer? – Nesse momento Sceptile e Garchomp olharam para a estrada inquietos.
- Estou pensando em ir para Johto, não sei ainda o que...


Maylene continuou falando mas eu acabei pousando o Pokétch no meu colo e fiquei olhando para onde Sceptile  e Garchomp estavam olhando. Fiquei preocupado pois o Sol havia acabado de se por e tirando a luz da Lua, a luz da fogueira e da chama de Infernape eram tudo que iluminavam a floresta. Togekiss e Porygon Z ficaram um do lado do outro. Eu não havia notado, mas havia um barranco cerca de cinco passos de distância da estrada e em cima dele haviam pinheiros muito  densos. Peguei o Pokétch que bradava uma Maylene preocupada:


- Jake? Jake! Onde você está? – Ela falava tão alto que eu tive que afastar o aparelho da minha orelha.
- Desculpa, os Pokémons ficaram inquietos e eu acabei deixando o Pokétch de lado.
- Está tudo bem aí?
- Sim, está tudo bem. – Menti, agora eu estava tremendo. Infernape tomou a frente do grupo e Blissey ficou atrás de mim. – Preciso desligar, tchau.


Maylene ainda falou alguma coisa mas eu nem prestei atenção. Fiquei em pé e encarando as árvores, os Pokémons estavam estáticos. A chama da cabeça de Infernape cresceu e Blissey mantinha uma das mãos encostada em mim. Eu estremeci quando ouvi um zumbido e um dos pinheiros mais a esquerda, de onde eu vim, se mexeu.


- O que vocês estão vendo? – Garchomp e Sceptile trocaram um olhar.


Infernape rugiu e a chama da cabeça dele se elevou muito, iluminando todo o lugar. Quando eu olhei pra frente, relaxei. Em todos os pinheiros haviam diversos Kakunas e eu perdi a conta de quantos espinhos de Beedrill eu estava vendo. Apesar de serem Pokémons relativamente perigosos se em bando, os seis dariam conta. Me virei para sentar.


- Ah, gente. É só a gente não fazer nada que eles não atacam, vamos voltar pra comer e...


Eu ouvi um “crack” muito forte na direção do barranco. Quando eu olhei de volta uma sombra emergiu no céu. Eu mal tive tempo de reagir, Garchomp saltou e desferiu um Dragon Claw que cruzou com um Metal Claw. Eu acabei recuando e esbarrei em Blissey, que não saí de trás de mim de jeito nenhum. Olhei para frente e vi um Scizor diferente. Sua coloração não era o vermelho normal dos Scizors, esse Scizor era preto. Ele nos encarava.


- O que foi que a gente fez pra você nos atacar assim?


Scizor ficou parado e não esboçou reação alguma. Os Beedrills começaram a zumbir mais alto. Garchomp e Infernape estavam um do lado do outro agora, enquanto Togekiss voava acima de mim e de Blissey. Scizor olhou para o lado esquerdo e um Weavile preto apareceu. Recuei mais um passo, porém Blissey me empurrou para frente. Estávamos quase na borda do rio. Scizor olhou para o lado direito e um Gengar preto emergiu do chão. Estremeci. Os três Pokémons eram dos mais fortes de seus tipos, apesar de estarmos em uma vantagem de 2 pra 1, não parecia ser fácil.


- O QUE VOCÊS QUEREM? – Gritei a plenos pulmões.


Weavile criou um Dark Pulse e Gengar um Shadow Ball. As garras de Scizor brilharam. Uma gota de suor escorreu do meu rosto. Eu sabia o que eles iam fazer um segundo antes de fazerem.


- NÃO! - Os três arremessaram os ataques nos pinheiros. Alguns Kakunas caíram e os Beedrils levantaram voo na nossa direção. Eu fiquei tão concentrado no que ocorreu que não vi que os 3 atacaram a nós.


Weavile arremessou um Ice Beam, Scizor usou X-Scissor e Gengar outro Shadow Ball.


- Flamethrower, Dragon Claw, Shadow Ball! – Infernape, Garchomp e Togekiss arremessaram seus ataques que colidiram com os deles.


Os Beedrills chegaram em nós. Sceptile e Porygon Z tomaram a frente para lutar contra eles enquanto Blissey ainda ficava atrás de mim, mais dois passos e eu cairia no rio.


- Aerial Ace e Thundershock! – Sceptile ia acertando diversos Beedrills e Porygon Z ia eletrocutando mais alguns enquanto eu pensava em algo para resolver essa enrascada.


Decidi que o melhor jeito de fugir seria pular no rio e nadar embaixo d’água até um lugar seguro longe dessa confusão toda. Corri para a frente para pegar minha mochila com Blissey em meu encalço, assim que me agachei para pegá-la, Weavile tinha se esquivado dos 3 e tinha um Shadow Claw pronto para me acertar.
- Blissey, Fire Blast! – A onda de fogo arremessou Weavile longe, Scizor olhou enfurecido. – Togekiss, Air Slash! Garchomp, Dragon Rush!


Enquanto os golpes iam colidindo, Sceptile e Z conseguiam manter os Beedrills longe, mas já apresentavam sinais de cansaço. Consegui juntar tudo e agora precisava pensar em alguma coisa para poder pular na água com todos os outros em segurança. Olhei para Infernape que disparava socos e mais socos contra Scizor e Togekiss que tentava a todo custar impedir Gengar de se levantar das sombras. Weavile estava cambaleante mas logo se levantaria. Tive uma ideia na hora em que Blissey acertou outro Fire Blast em alguns Beedrills na nossa frente.


- Z, volta! – Apontei a Pokébola e recolhi Porygon. – Blissey, usa o Fire Blast pra compensar!


Peguei a Pokébola de Sceptile e a de Garchomp. Chamei os dois de volta.


- Infernape, Vaccum Wave!  - O tornado jogou Scizor em cima de Weavile.


Gengar ainda se mostrava um problema, Togekiss não estava conseguindo fazer grandes avanços além de ter que lutar contra um Beedrill ou outro. Infernape foi ajudá-lo e usou um Flamethrower. Gengar acabou sendo acertado e caiu perto de Scizor e Weavile, que já estava em pé e correu na nossa direção.


- Blissey, Fire Blast! Infernape, Flamethrower! – Chamei Togekiss de volta.


A combinação de chamas queimou todos os  Beedrill mas não acertou os 3, que acabaram levantando e vinha na nossa direção. Não pensei duas vezes, recolhi Togekiss e correu na direção do rio com Blissey do meu lado. Faltando dois passos, gritei:


- WATER PULSE NO CHÃO!


A esfera de água ribombou na grama e se mesclou com a água do riacho, recolhi Blissey e saltei. Caí na água e comecei a rodopiar freneticamente, não tive tempo nem de ver se haviam algumas pedras que poderiam me machucar. Assim que eu consegui subir para superfície, vi que estava um pouco longe dos 3, porém, Gengar me viu e avisou aos dois. Ele flutou até a margem do rio e vinha na minha direção. Então eu ouvi uma vez feminina gritando:


- MUDDY WATER!


Só tive tempo de prender a respiração e ser engolido pela onda de lama, senti uma pontada na cabeça e desmaiei.



@Edit: Adicionado o Mini Guia para auxiliar os leitores no reconhecimento dos personagens.
PS: O ícone do Jake não ser o mesmo da descrição dele é proposital, no próximo capítulo isso ficará explicado.


Última edição por Kirkos em Qui 3 Set 2015 - 13:47, editado 1 vez(es)
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Rush em Seg 24 Ago 2015 - 9:53

Dahlia, Diana, pra mim tanto faz! AUEHAUEH' zoa. Eu disse que não conhecia muito sobre o Battle Frontier. :c

Enfim, o cap foi razoavelmente curto, vindo de um que se predominou na ação. Embora eu ache que você conseguiu administrar bem os seis Pokémons batalhando ao mesmo tempo, o meu lado competitivo (dos jogos) chegou a sentir uma aflição quando Jake mandou a Blissey usar Fire Blast. Como jogador do competitivo, sei que a Blissey usando Fire Blast e um Magikarp com 1 de Hp usando Flail, acaba dando na mesma.

Achei curioso esses pokémons de coloração negra, mas provavelmente devem ser de alguma organização criminosa que terá uma subhistória na fic. Achei engraçado o fato de você ter colocado spoilers no mini guia. UAHUAHE' Mas respondeu algumas perguntas que eu tinha em mente.

Enfim, gostei do primeiro capítulo. A formatação ficou mil vezes melhor, está muito agradável de se ler agora. A narração também ficou ótima em questão de detalhes do cenário, mas acho que pode melhorar ainda mais ao descrever as reações/sentimentos dos personagens - não só de Jake, mas do seu Sceptile, por exemplo.

Notei alguns errinhos ao faltar/trocar algumas letras, mas foi por falta de atenção. Recomendo-lhe que use o Word, pois ele corrige esses errinhos.

De qualquer maneira, você melhorou bastante nesse cap. Gostei de ver que você seguiu as dicas e evoluiu com isso. Parabéns!

Aguardo ansiosamente o próximo cap. Abraço!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Slow em Seg 24 Ago 2015 - 15:38

Hey, Kirkos o/

Agora ficou bem melhor de ler c:

Cara, achei incrível como vc conseguiu administrar uma batalha de 9 Pokémons + um enxame de Beedrills. Em contra-partida, eu fiquei bastante confuso no começo do Capítulo, não sei se é pela minha "anti-virtude" de ser lerdo, mas uma hora o cara saiu no jipe, outra iria voltar, outra Jake estava no aeroporto, outra estava na floresta, outra ver o Jipe... AHHHH, buguei completamente. Depois eu releio e vejo se entendo melhor.

Tirando essa confusão toda, o capítulo ficou ótimo, com uma boa ação também. Achei que o Scizor, Gengar e Weavile eram da mulher e que um deles usou Mudd Water (hein?), mas o mini-guia me ajudou nisso (e eu percebi o quanto fui lerdo msm).

Quanto aos erros, só uma ou outra virgula faltando, um errinho de concordância, nada que um Word n concerte Smile

É isso, tchau e até o próximo capítulo o/

EDIT: Eh, Rush, eu n sou um jogador de competitivo que nem vc (só joguei umas batalhas no Showdown :v e olha q nem fui mto bom assim aushasuha) mas eu n vi problema no Fire Blast, visto que o Attack da Blissey é ainda pior q o Sp. Atk, n sei se usam ela apenas para suporte ou sla, mas se ela resolver atacar, tem que ser Sp Razz . Mas, sla, a voz da experiencia aqui é vc asuashuahs
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Ter 25 Ago 2015 - 1:30

Então, gente. Segue mais um capítulo. O intervalo entre eles foi muito curto mas é porque esse já estava na metade quando eu postei o capítulo 1 então eu resolvi pegar o embalo e terminar logo. Vou responder aos comentários e postar o capítulo 2, espero que gostem! (:

@Rush: Obrigado pelo elogio em relação a batalha, eu pensei em não terminá-la daquele jeito e torná-la um pouco mais demorada mas quando o fiz acabei me confundindo um pouco e resolvi fazer alguns cortes. Quanto a Blissey, o Fire Blast de fato é proposital porque lá na frente esse ataque e mais outro dela vão ser fundamentais para o decorrer da história, anote isso aí HAHA Os pokémons de coloração negra seriam inicialmente roxos mas não daria certo por conta do Gengar e eu os pintei no photoshop e achei que ficaram bem melhor nesse estilo. Quanto a eles fazerem parte de uma organização criminosa... Vou dar uma dica: não é uma organização criminosa e o plot desses 3 bad boys foi indiretamente mencionado já. Tente descobrir haha Obrigado por sinalizar dos erros, eu reli e fiquei até espantado com um mochila ter sido convertido em bochila Crying or Very sad E... MAIS RESPEITO COM A MÃE DO PROTAGONISTA, É DAHLIA Laughing

@IsaacXD7: Hey! Então, agradeço bem o seu comentário. Eu entendi o que você quis dizer de ter confundido no início onde o Jake estava e tal, eu me atentei a esse fato e no início do capítulo 3 tem uma cena em que diversos lugares são mencionados, eu a reescrevi tentando por cada coisa em seu devido lugar. Acho que você vai gostar e vai se situar direitinho quando eu postar, fica no aguardo!

PS: EU SOU UMA BESTA QUADRADA EU PUS A DESCRIÇÃO DA SCARLETT SEM QUERER Rage
Sem mais delongas, ao capítulo!

Capítulo 2 - Call me Scarlett


- Kirlia, vai encher essas garrafas de água. Floatzel, me ajuda a arrumar essas coisas dele aqui. – Uma voz feminina e afobada foi o que me despertou.


Abri os olhos lentamente. Estava claro. Fiquei confuso, mas eu devo ter pego no sono e não ter me tocado. Virei-me de lado e senti uma pontada na cabeça. E então eu me lembrei de tudo. Esfreguei os olhos e me pus sentado. A esquerda eu via um lago entre algumas árvores finas e a minha direita haviam algumas árvores mais grossas e vistosas. Eu estava em cima de um colchão inflável, apenas de calça, enquanto minha camisa e meus tênis estavam do meu lado esquerdo. Todas as peças estavam sujas de lama seca. Encarei a menina e seu Floatzel que estavam mexendo em alguma coisa de costas para mim. Olhei para o lado direito e meu cinto de pokébolas estava esticado. Estiquei-me para pegar a pokébola de Togekiss, mas assim que o fiz Floatzel virou-se para mim. Ele cutucou a menina e ela se virou.


- Ah, então ele acordou. Como você está? – Seu sorriso era angelical e sua expressão era serena.


Seu cabelo era ruivo e na luz do Sol ele parecia pegar fogo, tinha um vestido branco com uma barra na parte de baixo azul clara. Era branca e tinha olhos de um azul celeste. Um chapéu branco e um par de sapatilhas da mesma cor do vestido completavam seu visual. Ela levantou as sobrancelhas e ficou esperando uma resposta minha.


- Não sei. Você acha que estou? – Estiquei os braços e mostrei meu estado.

- Você está bem melhor do que estava quando eu tirei de água. – O tom sereno passou para deboche.

- Da água ou da lama? Eu lembro que um Muddy Water me acertou e eu simplesmente apaguei. – Pousei a mão na parte de trás da cabeça. Havia um curativo em forma de X bem no meio dela.

- Sim, foi um Muddy Water que te acertou. Foi a melhor ideia que eu tive na hora, se eu tivesse usado Surf aqueles três iriam te ver e continuariam atrás de você. – Ela se agachou na minha frente de joelhos e seu Floatzel ficou do meu lado me encarando com os olhos arregalados e uma expressão curiosa. – Eu vi você sendo atacado e estava pensando no que fazer até que...

- Ah, quer dizer então que você estava assistindo tudo? – Me pus de pé, os ombros tensos. – E não fez nada? – Fechei a cara para ela.

- Sim, porque eu queria surpreender eles e... – Ela caiu sentada no chão, nervosa. – Eu só não sabia o que fazer pra te ajudar.


Ao ver que ela ficou nervosa quando eu me levantei, percebi que ela ficou com medo de mim. Relaxei os ombros e ofereci a mão direita para ela se levantar. Floatzel pôs-se atrás dela, tenso. Ela agarrou minha mão e se levantou.


- Desculpe. – Ela ficou em pé na minha frente olhando para baixo. – Não quis ofender. Obrigado por ter me salvado e... – Percebi que com exceção da minha calça suja de lama, eu estava completamente limpo. – Ter me dado um banho?

- Não te dei um banho. Floatzel e eu tiramos seus tênis e sua camisa e limpamos você. – Ela foi para o lado nervosa e Floatzel ficou acuado quando não tinha mais sua dona para o esconder.

- Ahn... Obrigado. – Eu fiquei desconfortável com a atitude de Floatzel.


Nesse momento, Kirlia voltou com 4 garrafas de água cheias de água. Ela postou-se do lado da menina e pousou as garrafas no chão.


- Belo Kirlia. – Apontei para o Pokémon que sorriu. – Já pensou em evoluí-lo?

- Ainda não. – Ela tirou o chapéu, revelando o cabelo bem penteado. Sua expressão estava mais relaxa.

- Pois deveria, ambas as evoluções do Kirlia são bem fortes. – Eu havia deixado ela mais calma, como eu havia planejado. – Enfim, agradeço pelo salvamento mesmo mas... Não sei seu nome. – Encarei-a.

- Scarlett. – Ela cruzou as pernas e pôs a mão no cabelo. – Meu nome é Scarlett. O seu é Jake, não é?

- Como você sabe? – Eu falei, espantado.

- Ah... – Ela ficou vermelha e mexeu no cabelo. – Quando eu te tirei da água sua mochila estava toda suja então nós três limpamos tudo e achamos sua Pokedéx que continha seu nome. Infelizmente sua mochila também está estragada. Perdoe-me a intromissão. – Ela estava ficando nervosa de novo.

- Tudo bem, mesmo. Agradeço por ter tentado limpar minhas coisas, de verdade. – Falei mexendo as mãos para ela não ficar nervosa.


Floatzel saiu de perto dela e foi até perto das minhas coisas. Pegou meu símbolo da fronteira e deu nas mãos dela que o pegou e o analisou.


- Isso é um símbolo da fronteira, não é? Daqueles que você coloca os símbolos dos Frontier Brains conforme vai derrotando-os? – Ela encarava o objeto com uma expressão curiosa.

- Sim, é. Eu estou desafiando a Battle Frontier. – Sentei no chão de novo. – Comecei ontem, na realidade.

- E teve um mau começo. – Ela riu e devolveu o símbolo para Floatzel que correu e o pôs no lugar.

- Infelizmente. – Dei de ombros. – Mas faz parte da jornada não é?

- Você conhecia aqueles três que te atacaram? – Ela sentou-se no chão na minha frente. Kirlia foi ficar perto de Floatzel.

- Não. – Olhei para o chão cabisbaixo. – Eu não entendi nada na hora em que eles me atacaram, eu estava comendo tranquilamente com meus Pokémons e aí eles apareceram e atacaram a troco de nada.

- Que esquisito... – Ela levou a mão ao queixo. – Bem, se eu sou você tomo cuidado.

- Vou tomar e...


Eu olhei para ela e peguei com o olho esquerdo um Aipom descendo a árvore que estava na frente de Floatzel e Kirlia. Ele pegou os dois de surpresa, lançou um Swift jogando os dois para perto de nós e pulou no meio das coisas que eles estavam olhando, pegou um estojo quadrado laranja de tamanho médio que estava ali e saiu correndo.


- Ruiva, aquele Aipom... – Olhei para ela e ela estava estática de olhos arregalados para a situação.

- Pegou minha...


Não perdi tempo. Peguei meu cinto de pokébolas e corri na direção do Aipom. Saquei a pokébola de Infernape e a de Porygon Z.


- Infernape, Vaccum Wave! Porygon Z, use o Psychic!


Os dois Pokémons surgiram. Infernape arremessou o turbilhão no Aipom e o mesmo rodopiou com o estojo na mão. Vi a figura laranja sendo lançada ao ar porém o Psychic de Z segurou o estojo antes que ele caísse no chão. O Aipom levantou-se rapidamente e saiu correndo. Z me entregou o estojo e eu voltei andando tranquilamente.


- Aqui está. – Entreguei o estojo na mão dela. – Cuidado ao deixar suas coisas soltas por aí.

- Ob... Obrigada. – Ela esticou os braços e pegou o estojo, ainda de olhos arregalados.

- Está tudo bem? – Eu olhei para ela, desconfiado. Infernape e Porygon Z ficaram ao meu lado.

- Só que... Eu nunca vi ninguém fazendo nada por mim. – Ela abraçou o estojo com tanta força que eu tive medo dele quebrar. – Se eu perdesse minha câmera seria o meu fim.

- Você não perdeu, relaxa. – Sentei do lado dela. – Só cuidado. E se eu não estivesse aqui?

- Não quero nem pensar. – Ela levantou os olhos.


Seus olhos olharam para minha calça e para minhas roupas sujas. Levantou-se com o estojo na mão e correu até onde estavam minha mochila e uma mochila azul da cor da barra de seu vestido, puxou um pequeno volume da cor da mochila e virou-se para mim, eufórica.


- Eu já volto! Fica aqui e toma conta de tudo! – E saiu correndo na direção contrária a do lago com Floatzel e Kirlia em seu encalço.


Seus cabelos ondulantes foram a última coisa que eu vi antes de poder sequer esboçar qualquer reação. Olhei para Infernape e Porygon Z que olhavam para a direção que ela havia tomado com a mesma expressão espantada que eu estava. Sentei no chão perto da árvore onde estavam meus objetos e peguei meu Pokétch. Disquei o número de Maylene e resolvi terminar a conversa com ela para não preocupá-la.


- Alô?

- Jake? Você está bem? Eu fiquei preocupada com você ontem, do nada você ficou esquisito e sumiu. Eu quase liguei pra sua mãe e... – O tom dela era tenso.

- Não liga pra minha mãe nem se eu morrer, estamos combinados? – Interrompi-a com um tom decidido.

- Por quê disso? Aconteceu alguma coisa?

- Um enxame de Beedrills. – Falei sério. Omiti o ataque dos 3 Pokémons pretos para não causar problemas para mim e quem sabe uma volta pra casa antecipada. – Acabou que eu tive que sair correndo para fugir deles. – Relaxei a voz para enganar Maylene.

- Ah, então menos mal. Não ficarei tão preocupada assim. – Até sua fala estava mais devagar. – E então? Quantos Frontier Brains já derrotou?

- Maylene, eu saí de casa ontem. – Segurei o riso. – Só se eu fosse muito bom e muito rápido pra conseguir tal feito e ainda assim eu duvido disso.

- Pensei que você conseguiria, já que desde que acabou a Sinnoh League você só falava disso.

- Quem me dera, mas eu preciso treinar bastante se quiser derrotar a todos.

- Sabe que não é que nem enfrentar a um de nós, não sabe? – Ao fundo eu ouvia sons de luta corporal.

- Sim, eu sei. – Decidi mudar de assunto. – Como está ai no Dojo?

- A todo vapor, todo mundo está ansioso pela volta de papai. Não tenho quase desafiantes mais, os poucos que vem quando descobrem que ele está voltando acabam pedindo para esperar duas semanas. – Ela falou irritada.

- Ei, isso é bom. Você pode planejar suas férias bem mais agora, - Tentei confortá-la. – E Lucario?

- Está aqui comigo. – Ela fez uma pequena pausa, possivelmente para acariciar o Pokémon. – Max falou de novo para eu ensinar Focus Blast para ele, mas...

- Maylene... – Cortei-a. – Você sabe muito bem o que eu acho disso. Qual o problema com o Vaccum Wave?

- Não é problema, eu só acho que o Focus Blast pode ser melhor para o Lucario, além do que... – Ela estava usando seu tom de sempre quando tentava se explicar.

- Você acha ou o Max acha isso? – Cortei-a de novo. – Maylene, o Lucario é seu. Mesmo que o Focus Blast seja de fato um ataque mais poderoso que o Vaccum Wave, eu já te falei que o porque de preferir o Vaccum Wave.

- Tudo bem, tudo bem. – Ao fundo eu ouvi alguém gritar. “Maylene, um desafiante!” – JAKE! UM DESAFIANTE! PRECISO IR! – E desligou o Pokétch sem nem pensar duas vezes.


Ri e joguei o Pokétch de lado. Quase tive um infarto quando um Gliscor enorme pousou na minha frente sorrindo para mim. Levantei-me e Scarlett desceu do grande morcego com uma sacola de papel enorme na mão direita. Ela colocou a sacola no chão na minha frente e eu fiquei encarando-a e ao Gliscor.


- Um Gli... Gli... – Não conseguia completar o nome. Era muito grande, mesmo. Eu e ela facilmente conseguiríamos voar nele.

- Um Gliscor? – O Pokémon desceu a cabeça enorme para a altura dela e ela o acariciou. – Ele é incrível não é mesmo? – E sorriu.

- Ele é enorme. – Minha boca escancarada preocupou Scarlett, ela pegou a pokébola de Gliscor e apontou para ele.

- Quer que eu o ponha de volta?

- Não, não. – Me aproximei. – Como ele ficou assim?

- Quando ele era um Gligar já tinha o porte de um Gliscor. – Ela mexeu nas orelhas dele e ele balançou a cauda. – Quando evoluiu ficou do dobro do tamanho de um Gliscor comum.

- Que interessante. – Olhei para minha calça e me ocorreu uma coisa. – Vem cá, qual dos seus Pokémons sabe o Muddy Water?

- O Floatzel, por quê?

- Impossível. – Olhei desconfiado. – Floatzel não sabe Muddy Water.

- Ahn... O meu sabe. – Ela ficou envergonhada. – Eu nunca soube como ele aprendeu, porque quando eu o ganhei como Buizel ele já sabia.

- Que interessante... – Cocei o queixo. – Um Pokémon que conhece um movimento que normalmente não aprende. Que inclusive, destruiu minhas roupas. – Apontei para a calça.

- Quanto a isso... – Ela olhou para a sacola. – Por ter estragado suas roupas e você ter salvo minha câmera.


Olhei na sacola. Roupas. Fechei a cara.


- Ruiva, eu não preciso disso. – Me afastei da sacola.

- Olha, eu voei no Gliscor. Se eu fosse a pé levaria quase dois dias inteiros para sair daqui e chegar na cidade. – Ela tirou uma camisa azul de mangas compridas. – E sinceramente? Você precisa de roupas novas, quem vai deixar você entrar em uma loja com essas porcarias aí no chão. – A blusa azul foi estendida bem na frente do meu rosto. – Por outro lado, isso aqui...

- Tá, mas quero só ver se você comprou alguma coisa ridícula para mim e...

- Querido, eu sou estilista. Além de ter descontos para comprar roupas eu comprei algo infinitamente melhor que essa sua roupa que me desculpa, mas era horrível. – Ela usou um tom de deboche tão forçado que eu acabei rindo.

- Ruiva, você não é assim. – Me abaixei e peguei as roupas que ela comprou. – Não precisa forçar.

- Quem disse? – Ela tentou manter a pose. E arremessou a camisa na minha direção


Ri de novo. Peguei as roupas. Uma calça marrom e tênis pretos. Além disso havia uma bolsa cinza e até um cinto novo. No fundo da sacola havia um gorro. Olhei torto para o gorro.


- Um gorro? – Torci a boca.

- Não esquece que você está com um curativo na cabeça. – Ela pôs a mão na parte de trás da cabeça.


Enfiei o gorro na cabeça. Andei até atrás de uma árvore e coloquei as roupas. Em dois minutos voltei e a ruiva estava com um Ampharos e um Heracross do lado do Gliscor dela.


- Ahn... Mais algum Pokémon especial que eu não conheço?

- Não, são só esses cinco. – Ela acariciou seu Ampharos e o Heracross dela virava o rosto de um lado pro outro freneticamente.

- Entendi... – Fui até minhas coisas no chão e arrumei tudo na bolsa nova. – Bem, ruiva. Agradeço tudo que você fez por mim mas acho que tá na hora de você seguir seu caminho e eu o meu. – Eu disse meio sem jeito.

- Ah... – Ela ficou cabisbaixa. – Tudo bem. – Ela se virou para os 3 Pokémons e depois para mim. – Eu... Posso ir com você? – Seus olhos chegaram a brilhar.

- Ir aonde? – Fiquei espantado.

- Com você. – Ela recolheu os 3 de volta em suas pokébolas e correu na direção da sua mochila. – Você vai desafiando a Battle Frontier e eu te acompanho. Que tal? – Ela arrumou a mochila em uma velocidade incrível, colocando o estojo da câmera e desinflando o colchão inflável até ele ficar do tamanho de um retângulo pequeno dobrável.

- Olha... – Hesitei. – Ruiva, não que eu não esteja agradecido por você ter me salvado e feito o curativo e comprado as roupas e tudo mais, mas...

- Mas? – Ela desacelerou sua euforia um pouco e parecia triste.

- Por mais que a ideia de viajar sozinho seja tediosa e uma companhia seja legal... Você viu o que aconteceu comigo ontem. Não quero que você se arrisque por estar comigo.


Ela largou a mochila no chão e respirou fundo, sua aparência triste se fechou numa expressão carrancuda. Levantou o dedo na minha cara e disse num tom tão sereno que eu quase fiz xixi nas calças.


- Primeiro de tudo, a ruiva se chama Scarlett. Scarlett. Entendeu? Segundo que eu salvei a droga da sua vida e te comprei roupas novas. Terceiro que você salvou meu objeto de trabalho. Quarto que se eu estivesse com você ontem, você não precisaria ter pulado no rio e perdido suas roupas. E quinto...

- Quinto? – Eu disse quase sem voz de tão estarrecido que eu fiquei.

- Eu fotografava você antes do ataque de ontem. – Ela ficou mais vermelha do que todas as outras vezes.

- Fotografava? – Eu arregalei os olhos. – Me mostra. – Me agachei na direção da mochila dela, porém, ela me empurrou para trás.

- Só vou te mostrar as fotos se me deixar ir com você. – Ela deu um sorriso malicioso e vestiu seu chapéu de volta.

Olhei para ela. Talvez a ruiva fosse uma boa companhia para viajar e no futuro caso aqueles três voltassem ela poderia ser de grande ajuda. Sorri de volta e disse:

- Parece então que somos amigos agora, Scarlett.


Última edição por Kirkos em Qui 3 Set 2015 - 13:47, editado 3 vez(es)
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Slow em Ter 25 Ago 2015 - 19:31

Hey, Kirkos o/

É até estranho comentar na mesma fic dois dias seguidos, mas vamos lá Very Happy

Te perdoo pelo spoiler, moço u.u . Embora a descrição dela sirva de "resumão" para o capítulo, o mesmo não deixou de ser interessante. Afinal, não é todo dia que vc ver um Gliscor gigante e um Floatzel com Muddy Watter.

Por algum motivo em mim que eu mesmo desconheço, gostei da Scarlett. Sla, o jeito dela, gostei. Mas não é bom ficar tirando foto dos outros por ai e ainda usar pra chantagem, se fosse comigo denunciava por direitos de imagem u.u .

Quanto aos erros, teve alguns pleonasmos e ambiguidades, como:

Nesse momento, Kirlia voltou com 4 garrafas de água cheias de água.

Dá pra entender que era uma garrafa feita de água wtf? e que tinha água dentro. Tbm teve a repetição de "eu" (que, em alguns casos, poderia estar até oculto).

Bem, é isso.
Tchau e até o Próximo capítulo o/
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Rush em Qua 26 Ago 2015 - 20:35

Boa noite!

Demorei um pouco mais pra comentar o cap, mas pude perceber que você está bem animado com a fic né? Já postou o terceiro capítulo! Hahaha, isso é muito bom, pois a fic também é muito boa.

Esse capítulo não teve nenhuma ação, mas nem por isso ele deixou de ter uma ótima qualidade. Você conseguiu criar uma personagem bem cativante, pois eu adorei essa Scarlett e sua personalidade. Não é muito inovadora, mas mesmo assim você conseguiu trabalhar bem nos diálogos e eu acho que fez bastante sentido a maneira em que os dois decidiram seguir a jornada juntos.

Eu amei esse Gliscor gigante. Só de ter imaginado esse morcegão voando deu até calafrios. Se eu visse um no céu eu acho que, ou eu iria fugir para as montanhas e nunca mais voltar, ou acharia que o Batman iria aparecer a qualquer momento.

Fiquei curioso com o fato do Floatzel usar Muddy Water. Será que os outros Pokémons dela também sabem golpes que não poderiam aprender normalmente?

Enfim, parabéns. Adorei o capítulo. Os diálogos fluíram muito, mas muito bem. O capítulo esteve em sintonia o tempo todo, foi algo realista e muito agradável. Deu um gostinho de "quero mais", pois fiquei bastante ansioso com o próximo cap.

Então é isso. Aguardo ansiosamente o próximo capítulo e espero ver uma batalha com um Frontier Brain. u_u

Um abraço, até mais. Manda um beijo pra Diana. AUEHAUE
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por megapikachu em Qui 27 Ago 2015 - 4:17

gostei todos os 3 capitulos sao muitos interessantes gostei muito da scarlett tambem ela aquelas tipicas garotas más que chantageiam gentes ela me faz lembrar da lydia martin da serie teen wolf ela nao era chantagista mais era um pouco má com alguns personagens da serie outra personagem que tinha essa personalidade e a maddie de every witch way a maldade dela era muito maior ela humilhava as pessoas so porque era popular mais ela era parou com isso mais pra frente da serie bom chega dessas coisa minhas vamos pras perguntas:

pergunta 1: vai ter a regiao de kalos?
pegunta 2: vai ter mega-evolução?
e so isso na espera dos proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Black~ em Qui 27 Ago 2015 - 18:24

Bom, vamos lá.

Gostei da história. Jornadas são legais, mas pela Battle Frontier? Não lembro de ter visto muitas fics explorando a Battle Frontier, e, se exploraram, certamente exploraram a de Hoenn, a de Sinnoh acho que pouquíssimas vezes foi explorada, achei bem bacana isso. Porém o primeiro capítulo deixou as coisas meio confusas e não entendi muito bem onde ele estava, se estava no aeroporto, na floresta, em casa, whatever. Como já disseram, a descrição é fundamental, apesar que você melhorou bastante nos outros dois capítulos, mas enfim.

Não entendi bem aquela parte de quem era quem, e não entendi se o garoto ganhou o símbolo da mãe dele. Mas vamos aguardar para ver como vão ser as lutas, pois, como disse a Maylene, não são lutas contra Gym Leaders, são lutas contra Brain Frontiers.

Achei bem misteriosos esses três pokémons negros. Por que eles eram pretos e o que eles queriam justamente com o Jake? Talvez seja de alguma organização criminosa, como disse o Rush, mas vamos esperar para ver o que eles de fato são.

Gostei bastante dessa Scarlett, e vi que ela e o Jake se deram bem logo de começo. Achei ela uma personagem bem descontraída, e stalker também, pois estava tirando fotos do Jake huahuahuaha, mas enfim, ela deve ter alguma coisa, deve gostar dele, sei lá, apesar das chantagens e do deboche dela.

Achei instigante esses pokémons da Scarlett. Por que o Gliscor dela é um mega fucking Gliscor? Por que o Floatzel dela sabe Muddy Water? Será que outros pokémons dela têm segredos também? Será que ela esconde algum segredo? Enfim, vamos aguardar.

Ah, cara, tenta postar só um pouquinho mais devagar, sem querer definir nada, mas é que os leitores talvez não consigam acompanhar tão rápido (tipo eu ;-Wink, mas enfim, é só uma sugestão, você posta na frequência que bem entender -q.

Enfim, é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Sex 28 Ago 2015 - 23:12

E segue mais um capítulo! Primeiro, respondendo aos comentários:

@IsaacXD7: Hahahah desculpa ter postado assim tão rápido :/
Eu fui muito besta, eu tinha criado no word já tudo bonitinho e formatado e era só pra postar depois que o capítulo da Scarlett saísse.
Sim, Scarlett tem esses pokémons legais com ela, no capítulo de hoje você vai ver mais dois! (:
HAHAHAH As fotos da Scarlett <333 Não esquece disso das fotos porque lá na frente isso vai ter uma importância pro decorrer da história Wink
Eu tava lendo e achei realmente essas coisas loucas Mad Mas to me esforçando pra não fazer besteira hahaha
Valeu pelo comentário!

@Rush: Simmm!! Eu não quis fazer mais um capítulo de ação pra não parecer que só vai ter ação. E obrigado pelo elogio da fic hahah
Então, a Scarlett acho que é uma das personagens com a personalidade que eu mais trabalhei ao elaborar todos os personagens, acho que ela e o Thorton são os mais "carismáticos". A Scarlett é um pouco curiosa porque ela vai parecer super clichê na primeira temporada mas a partir da segunda (se meus planos derem certo HAHAHA) ela vai começar a fugir muito do clichê e acho que vai ficar uma coisa bem interessante. Aguarde (:
Quanto aos pokémons, te adianto que não, o único que realmente sabe alguma coisa diferente do usual é o Floatzel dela, os outros são especiais mas cada um a sua maneira. Nesse capítulo tem dois mais pokémons mostrando suas "singularidades", e... Tente descobrir o que todas essas singularidades tem em comum hahah
Valeu pelos diálogos, eu tô me preocupando muito com eles e tal mas não sei se ainda estão 100% pra mim, mas tô trabalhando cada dia mais nisso (:
E quanto a uma batalha com um Frontier Brain... Darach está chegando, Darach está chegando  bounce

@megapikachu: Valeu pelos elogios! Eu nunca vi teen wolf então boiei muito HAHAH Mas acho que depois vou tentar dar uma passada pra ver e fazer um paralelo com a Scarlett! Quanto as suas perguntas, vou respondê-las:
Pergunta 1 - Sim, vai. A questão é que, a história se passa enquanto coisas correntes do anime estão ocorrendo. Kalos será mencionada sim mas não tenho planos de levar a história para Kalos e sim trazer alguns elementos de lá para cá. E isso meio que responde a sua segunda pergunta em parte.
Pergunta 2 - Não, pelo menos por enquanto eu não tenho planos de mencionar Kalos. Eu estou fazendo contas em relação aos acontecimentos do anime por conta do crossover que estou projetando. Quem sabe, QUEM SABE haja uma mega evolução, mas não posso garantir. Eu tenho um certo preconceito com as mega evoluções então fica complicado pra mim por uma na história hahaha
Aguarde os próximos capítulos e verás!

@Black~ Bom, vamos lá. (HAHAHAHA) Agradeço muito o elogio da história. Eu, particularmente, NUNCA VI uma fic que explorasse a Battle Frontier, então me sinto até honrado de carregar essa bandeira da Battle Frontier de Sinnoh. E sim, eu sei que pequei com o primeiro capítulo mas acho que consegui consertar isso posteriormente e espero ter melhorado ainda mais nesse!
Quanto aos pokémons negros, foi o que eu disse antes: isso já foi pseudo mencionado, mas só se os leitores fossem MUITO NINJAS pra sacar a relação que eles tem com o Jake. Não vou dar spoilers sobre a Scarlett com o Jake, vou deixar os leitores descobrirem Wink
E quanto aos pokémons dela, leia o capítulo e responderás a essa pergunta! Pisei no freio com os capítulos, vou tentar postar a cada 3 ou 4 dias, espero que dê pra você ler! (:

Capítulo 3 - Warming Up... And being attacked again


Estávamos na margem da rodovia, o clima estava ameno e agradável. Apesar da floresta ser um pouco densa a nossa volta, era possível ver a esquerda e ao longe um riacho.


- Você não tem inimigos? – Scarlett tinha uma expressão pensativa e ajeitava seu chapéu. – Alguém que você tem uma desavença ou algo assim?

- Não, nada. – Pus as mãos nos bolsos, falando num tom tranquilo. – Deve ter sido coincidência.

- A última coisa que eu acho é que aquilo foi coincidência. - Ela pôs a mão no queixo. – Eles eram pretos e te atacaram do nada.

- E o que isso tem a ver? – Encarei-a confuso. – Existem diversos pokémons com coloração diferente.

- Existe uma linha tênue – Ela fez um gesto com as mãos como se estivesse segurando uma linha. – entre pokémons de coloração diferente e pokémons shiny.

- Ok, digamos que sim. – Passamos por uma placa na rodovia que dizia “15 km”. – O que isso quer dizer?

- Eles não são shinies, para começo de conversa. – Finalmente ela largou o chapéu. – E são de alguém.

- Se eles são de alguém, porque esse alguém não apareceu? -  Olhei para Scarlett com uma expressão curiosa.

- Hum... – Ela olhou para o céu. – Talvez que quem quer que fosse queria primeiro testar sua força para aí no próximo movimento atacar do jeito certo. – E continuou olhando pro céu com a expressão tranquila.


Por um momento eu fiquei com medo. Olhei pro lado e parecia que todas as árvores a nossa volta tinham olhos e ouvido. Cada galho, cada folha parecia ter um par de olhos que encarava a mim e a menina despreocupada que caminhava encarando o céu. Diminuí o passo e Scarlett só percebeu 10 segundos depois.


- O que foi? – Falou pondo as mãos na cintura.

- Scarlett... - Eu puxei o gorro pra baixo tapando as orelhas. – E se eles estiverem nos vigiando agora?

- Sério isso? – Ela bufou e revirou os olhos caminhando na minha direção. – Esqueceu o porque de estarmos viajando juntos agora?

- Nã-não. – Gaguejei. Senti um frio na espinha. – Não esqueci.

- Você está com medo? – Ela segurou o riso, numa expressão espantada.

- Claro que não. – Pigarreei e ajeitei o gorro, mantendo um tom sério. – Eu posso encará-los mais uma
vez.


Scarlett me analisou da cabeça aos pés, ainda segurando o riso. Seus olhos azuis refletiam a luz do Sol e intensificavam o tom deles. Ela olhou para a direção da floreta a nossa esquerda e balançou a cabeça até parar em um ponto qualquer.


- Ali. – Puxou-me pela alça da bolsa e começamos a andar na direção do riacho.


Desviamos de algumas árvores e vimos uma manada de Starlys voando próximo a nós. Scarlett rapidamente largou a mochila no chão e sacou a câmera de dentro do estojo numa velocidade incrível e bateu cerca de dez fotos. Segurou o estojo numa mão e na outra a mochila e continuou andando como se nada tivesse acontecido. Ela só parou quando percebeu que eu estava calado demais.


- O que foi? – Ela me olhou espantada, o cabelo esvoaçando ao vento.

- Ainda estou tentando me acostumar com a ideia de viajar com alguém que tem personalidade. – Falei agitando as mãos para encerrar o assunto.


Ela deu de ombros e continuou andando. Em menos de um minuto estávamos em uma área aberta parecida com a qual eu acordei. O riacho se encontrava cerca de 20 metros a nossa frente e perto da margem havia uma pedra bem grande. A nossa direita havia uma árvore muito com o tronco muito grosso cortado na metade, podendo facilmente abrigar duas pessoas. Scarlett relaxou os ombros, triste.

- Nossa, essa árvore devia ser majestosa. – Ela foi até o tronco e passou a mão nele. – É uma pena.

- É, devia ser mesmo. – Eu pus a mão na casca fria do tronco sem vida. – O que estamos fazendo aqui?

- Amanhã ou depois de amanhã você chegará ao Battle Castle, não é? – Ela olhou para mim. – Vai querer enfrentar o Frontier Brain de lá sem um bom treinamento? – Sua expressão era algo que dizia “mesmo?”.

- Me trouxe pra cá para que eu esquecesse do que eu disse lá atrás perto da rodovia, não é?

- Sim. – Ela olhou para baixo, não querendo admitir isso. – E pra você treinar, anda. – Ela se afastou um pouco e correu na direção do tronco.


Faltando um passo para ela atingir o tronco, seu corpo deu um salto para a frente com uma graciosidade que faria inveja a qualquer atleta. Ela pousou em pé no tronco e me encarou.


- Não vai subir? – Ela disse isso se sentando com as pernas cruzadas. – Ah, eu devia ter me tocado que você podia ver minha calcinha mas lembrei que eu estou com um short grande por baixo então não tem problema. – E deixou o chapéu do lado dela. – Sobe logo.


Quando eu me recumpus desse comentário, estupefato e com a boca escancarada peguei a pokébola de Porygon Z e o chamei pra fora.


- Z, por favor o Psychic naquela pedra ali. – Apontei para a pedra perto da margem e trás ela pra cá.


Os olhos de Porygon brilharam num tom azul e ele trouxe a pedra, pondo-a perto do tronco. Subi e sentei do lado de Scarlett enquanto Z ficou embaixo rodopiando alegre. A superfície do tronco era tão lisa que parecia polida.


- Nossa, apesar de eu ser contra o corte de árvores antigas, devo admitir que isso aqui foi bem feito. – Falei alisando o tronco e Scarlett inclinou a cabeça para trás como se estivesse pegando Sol numa praia com as pernas cruzadas, sem ligar pro que eu disse.

- A gente não veio pra cá pra ficar alisando troncos, você veio pra cá pra treinar. Anda. – Ela falou isso de olhos fechados.

- Já me basta o Thorton me cobrando isso, você não. – Larguei a bolsa e pulei do tronco.
Scarlett continuou com a cabeça inclinada para cima, eu saquei as pokébolas de Togekiss e Infernape e as lancei pro alto. Os objetos esféricos se abriram e os dois pokémons apareceram na minha frente. Z parou de rodopiar e parou do lado deles.

- Em dois dias no máximo estaremos enfrentando Darach. Precisamos treinar para vencê-lo. – Tirei o gorro da cabeça e ajeitei o cabelo. – Vamos trabalhar na estratégia de 2 contra 1. – Apontei para Togekiss.

- Você realmente acha que isso vai dar certo? – Scarlett falou do alto do tronco. – Ela levantou-se, largou a mochila e o estojo e desceu graciosamente através da pedra. – De nada adianta você fazer seus pokémons lutarem contra si mesmos para adquirirem experiência. – Ela fez uma careta. – Precisa fazer com que eles batalhem com desconhecidos e testem a força deles assim.


Olhei para Scarlett boquiaberto. Ela parecia conhecer muito de estratégias Pokémon.


- Scarlett, pra uma fotógrafa-estilista você até que conhece bem de estratégias, não é mesmo? – Olhei-a desconfiado.

- Ahn... – Ela, sem graça, chutou uma pedra pequena do chão que voou longe até o lago tentando desconversar. – Eu só sei lutar. – Sacou uma pokébola. – Vamos, eu vou lutar com você. Quais pokémons
vai usar contra Damach?

- Darach. – Corrigi-a segurando o riso. – Dois, no desafio do Battle Castle Darach usa dois e o desafiante dois, o primeiro que perder os pokémons perde a partida.

- Tudo bem então. – Ela lançou a pokébola pro alto. – Heracross!

- Ahn... – Cocei a cabeça meio sem jeito e esbarrei no curativo. – É regra da Battle Frontier que o primeiro a lançar o Pokémon é quem perde no cara ou coroa.  Além disso, preciso trocar o curativo da cabeça.

- Oh, desculpe. - Scarlett falou desajeitada e recolheu o besouro. – Vamos tirar no cara ou coroa. Dois pokémons para cada e aí a gente batalha e... – Ela ficou nervosa e se atrapalhou.

- Ruiva, relaxa. – Pousei a mão no ombro dela e lhe dei um olhar firme. – Todo mundo erra.


Ela relaxou os ombros e respirou fundo. Eu dei as costas pra ela dei 20 passos na direção contrária ao tronco da árvore. Saquei o pokétch do bolso e falei pra ela num tom acima do normal.


- Cara ou coroa?

- Cara! – Disse ela depois de uma coçada no queixo.


Apertei a função do pokétch de moeda. Ela rodopiou no visor 3 vezes. Coroa.


- Coroa! – Virei o pokétch pra ela que forçou a visão como se de fato conseguisse enxergar. – Você começa!

- Heracross! – E lançou a pokébola pra cima. O besouro deu uma cambalhota e ficou agitando a cabeça pra esquerda e pra direita. – De fato, não teve necessidade do cara ou coroa. – Ela balançou os cabelos.

- É, mas eu quero simular a batalha com Darach. – Saquei a pokébola de Togekiss e a lancei pra cima.

- Quem começa? – Scarlett disse curiosa.

- Quem perde no cara ou coroa, você. – Apontei o dedo pra ela.

- Bem, vamos lá! – Ela estava tão animada que dava pulinhos. – Megahorn!


O chifre de Heracross brilhou e ele veio na direção de Togekiss, que fechou a cara encarando-o.


- Evasiva e Air Slash!


Togekiss deu um salto pro ar e criou a esfera azul clara com a asa direita, Heracross foi atrás dele e quando o Megahorn iria acertar no pássaro, ele arremessou a esfera no besouro, que caiu no chão com força.


- Heracross! – Ela fechou as mãos, uma expressão preocupada. – Usa o  Fury Cutter!

- Aura Sphere! – Gritei.


Os braços de Heracross brilharam em um tom vermelho e ele veio na direção de Togekiss, que fez uma esfera branca e arremessou em Heracross.


- Corta a esfera ao meio! – Scarlett falou, sua postura estava muito decidida e firme.


Heracross cruzou o Aura Sphere e acertou 4 golpes no rosto de Togekiss, que caiu para trás perto de mim.


- Levanta! – Bati o pé, gritando. Uma gota de suor surgiu do nada do lado esquerdo da minha testa. – Steel Wing!

- Fury Cutter de novo! – A voz de Scarlett ecoava com força.


Heracross e Togekiss foram de encontro e uma colisão entre Fury Cutter e Steel Wing se sucedeu. Togekiss era mais rápido e conseguia desviar, mas Heracross não ficava atrás, ele tentava contornar o pássaro mas Togekiss conseguia manter uma das asas bloqueando Heracross. Scarlett se abaixava e dava passos para a esquerda e para direita desesperada tentando achar uma brecha nos movimentos de Togekiss para terminar o confronto, mas sem sucesso.


- Togekiss, sobe! – Gritei e limpei o suor do rosto.

- Vai atrás! Fury Cutter mais uma vez!


O besouro foi atrás do pássaro. Ela havia caído na minha armadilha.


- Mais rápido! – Togekiss mantinha as asas junto ao corpo. Heracross vinha atrás com os braços vermelhos atrás da vitória.

- Vai, Heracross! Combina o Fury Cutter com o Megahorn!

- HYPER BEAM! – Cuspi as palavras a plenos pulmões.


Scarlett apenas escancarou a boca para tentar ordenar que Heracross desviasse. Togekiss deu um mortal com a boca aberta e o raio já se formando. O tiro laranja cruzou o céus e acertou o besouro no peito, que foi direto no chão, abrindo um buraco. Sorri maliciosamente. Eu ainda estava em forma, Darach seria fácil de derrotar.


- É, acho que terminamos essa batalha, não é...

- REVERSAL! – Scarlett gritou, uma expressão mista de fúria e prazer no rosto.


Heracross emergiu do buraco, seu corpo todo brilhando uma luz azul escura e foi de encontro a Togekiss, que, paralisado, não podia fazer nada a não ser receber o ataque. Heracross desferiu o golpe e Togekiss caiu na minha frente. O besouro voltou tranquilamente andando para perto de Scarlett, embora aparentasse cansaço.


- Parabéns, Scarlett. – Eu disse, enquanto Togekiss se levantava. – Belo movimento.

- Gostou mesmo? – Ela bateu palmas, eufórica. A luz do sol reluzindo nas maçãs de seu rosto. – Obrigada!

- De nada, mas... – Togekiss ficou em pé e estendeu as asas. – Já ouviu falar do... SKY ATACK!


O pássaro brilhou em uma luz branca e voou na direção de Heracross, acertando-o em cheio. Scarlett apenas fechou os olhos quando Heracross passou voando atrás dela, batendo em duas árvores e derrubando diversas folhas dela, além de ter feito um bando de Starlys e Pidgeys voarem das árvores.


- Pelo visto, Heracross está fora de combate. Vitória de Togekiss.

- Heracross! – Ela correu na direção das duas árvores até seu Pokémon e se ajoelhou. Fez um carinho na cabeça dele e disse alguma coisa em voz baixa. Pegou a pokébola e o recolheu. – Obrigada, descanse. – Ela disse em um tom alto sereno e dócil.

- Você foi bem, orgulhe-se disso. – Eu troquei o peso de um pé pro outro. – Seu Heracross é muito forte. E o Reversal? Eu nunca teria pensado nessa estratégia de esperar ele ficar fraco para tentar derrubar o Pokémon do oponente.

- Jura? – Ela levantou os olhos, uma expressão sonhadora. – Mesmo?

- Mesmo. – Fiz um sinal positivo com o polegar. – Você até que entende de estratégias muito bem.

- Obrigada. – Ela ajeitou o cabelo, envergonhada. – Bem, meu próximo Pokémon é esse aqui. – Lançou uma pokébola para cima e de dentro dela surgiu um Ampharos.


Eu não havia percebido antes, mas ao invés das usuais tradicionais esferas vermelhas de um Ampharos comum, o Ampharos de Scarlett tinha as esferas azuis.


- Scarlett... – Apontei para o Ampharos. – As esferas dele...

- São azuis! Bem legal, não é? – Ela disse animada. – Eu a capturei enquanto Flaffy. Quando evoluiu para Ampharos o azul da cauda permaneceu e o da testa ficou igual. Nunca entendi o porque... – Seu sorriso no rosto era quase angelical.

- O Heracross era especial também? – Falei, desconfiado. – Eu não percebi nada de diferente nele.

- Não. – Ela riu. – Ele é o único Pokémon “não especial” que tenho. - Ela fez o movimento de aspas com a mão.

- Deixa eu ver... – Fiz um cinco com a mão esquerda. – Um Floatzel que sabe Muddy Water, um Gliscor gigante, um Ampharos que tem as esferas de cor diferente, um Heracross normal e...

- Ah, Kirlia. – Ela enrubesceu. – Ela é fêmea.

- Sim. E o que tem isso?

- Então, eu levei ela em um doutor Pokémon e depois de alguns exames ele descobriu que se ela for exposta a uma Dawn Stone, tem grandes possibilidades e evoluir para Gallade. – Ela sorriu.

- Scarlett... – Eu cocei o rosto, confuso. – Por quê tantos pokémons tão “especiais”? – Fiz o mesmo movimento das aspas que ela fez.

- Eu gosto de coisas exóticas. – Ela estava muito envergonhada para uma situação tão comum. – Por isso só tenho cinco. Se eu achar mais um Pokémon diferente vou fechar meu time em seis. – Ela mudou rapidamente de assunto. – Vamos, lance seu Pokémon.

- Hum. – Saquei a pokébola de Garchomp. – Vamos continuar então. Garchomp, vamos lá.

- Eu começo de novo? – Ela falou, nervosa. Estava me escondendo alguma coisa.

- Sim, comece. – Fiz um gesto de cabeça, sério.

- Outrage! – Ela apontou para frente. – Vamos!


O corpo de Ampharos brilhou em fúria e ele correu na direção de Garchomp, projetando seu corpo na direção do meu dragão.


- Dragon Claw! – A garra esquerda de Garchomp brilhou e ele desferiu o golpe em Ampharos.


O ataque de Ampharos era muito mais forte que o de Garchomp, fazendo o grande Pokémon azul marinho tombar para trás. Olhei espantado. Era raro uma coisa dessas acontecer com o meu Garchomp.


- É, você até que é bem forte. – Falei olhando para Ampharos assim que ele se acalmou do Outrage.

- Sim, ele é. – Scarlett falou num tom agradecido.

- É... Earthquake!


Garchomp saltou e se jogou no chão na frente de Ampharos. Todo o chão a nossa volta estremeceu. Scarlett quase caiu no chão.


- Dragon Claw de novo! – Garchomp se apoiou na pata esquerda e levantou a pata direita no rosto de um Ampharos artodoado.


Scarlett fez o mesmo movimento quando  Heracross passou voando do lado dela. Ampharos bateu nas mesmas duas árvores onde o besouro havia caído.


- É, foi um bom treino. – Estiquei os braços, espreguiçando-me.

- Mas... Ampharos... – Scarlett se ajoelhou. – Já?

- Scarlett, o tipo do Ampharos...

- É fraco aos golpes do tipo terrestre do Garchomp, eu sei disso. – Ela levantou-se e foi na direção de Ampharos. Pareceu estar chorando. – De nada pelo treino.

- Ruiva, eu...


Ela já estava perto das árvores ajudando seu Ampharos a se levantar. Decidi não ligar e acariciei Garchomp, que se abaixou e fechou os olhos quando eu toquei sua cabeça.


- Ainda estamos em forma,  Darach já está no papo. – Sorri.


Scarlett recolheu Ampharos na pokébola e correu na direção do tronco. Garchomp virou-se para trás e ficou inquieto, com uma expressão séria. Olhei para a direção em que ele estava olhando e só vi árvores e mais árvores. Estremeci. Garchomp estava com a mesma postura que estava quando os 3 pokémons negros me atacaram.


- Garchomp... – Eu encarava as árvores, nervoso. Mal conseguia me sustentar em pé. – São eles?


Garchomp deu um passo para frente e rugiu. Um rugido tão alto que eu estremeci. Alguns pássaros que não consegui identificar saíram das árvores mais a frente. Recueei dois passos. Eram eles, com certeza.


- Scarlett! – Comecei a correr na direção do tronco. – Garchomp, vem!


Eu olhei para o tronco e vi Scarlett gritando e apontando para trás. Diminuí o passo e olhei para trás. Três figuras vinham rápido correndo entre as árvores. Garchomp ainda estava parado, não havia obedecido meus comandos. Ele não iria recuar, iria lutar. Comecei a correr na direção de Garchomp de volta. Scarlett desceu do tronco com a minha mochila em um dos braços, gritando esbaforida.


- VAMOS EMBORA! – Ouvi-a sacando uma pokébola e chamando um Pokémon. – Gliscor!


Gliscor veio voando na minha direção. Scizor apareceu primeiro. Garchomp estendeu os braços. Num instinto, gritei.


- STONE EDGE!


Garchomp cruzou os braços e arremessou diversas pedras para a frente. Saquei a pokébola dele no momento em que Gliscor me agarrou. Weavile apareceu e Gengar logo atrás. As pedras acertaram Scizor e Weavile, porém, Gengar como era do tipo fantasma conseguiu desviar de todas. Apontei a pokébola para Garchomp no momento em que Gengar quase acertou um Ice Punch por tão pouco que eu senti a baixa temperatura.


- Mais alto, Gliscor! – Scizor e Weavile estavam caídos e não pareciam que iam levantar tão cedo. – Gengar veio na nossa direção flutuando com o Ice Punch ainda pronto para nos acertar. Scarlett gritava a plenos pulmões. – MAIS ALTO!

- Z, Thunderbolt! – Arremessei a pokébola para trás e Porygon apareceu. – Ele flutuou alegre e feliz e arremessou o Thunderbolt em Gengar, que rodopiou para trás.


O vento era forte na altura em que estávamos. Os 3 em questão de segundos já eram pequenos pontos pretos. Gliscor estava voando bem, mas parecia incomodado com alguma coisa. Scarlett mostrou-se preocupada.


- Jake, tem alguma coisa errada. – Porygon Z acabara de pousar do meu lado. Scarlett falou sem olhar para trás enquanto segurava nas orelhas de Gliscor. – O Gengar acertou alguma coisa nele?


Inclinei-me para fora da asa esquerda de Gliscor. O Sol estava baixando ao longe e eu vi uma pequena camada de gelo na cauda de Gliscor. Ele balançava a cauda para esquerda e para direita freneticamente.


- Scarlet, manda ele parar de mexer a cauda. Ela está um pouco congelada, vou usar o Infernape para descongelar. – Falei mostrando a pokébola na direção dela, mas a mesma ainda nem olhava para mim.

- Tudo bem. – Ela acariciou a testa do grande morcego. – Gliscor, acalme-se. Precisamos descongelar sua cauda.


Enquanto eu segurava Infernape pelas pernas de cabeça para baixo, ele usava o Flamethrower para descongelar a cauda de Gliscor pouco a pouco, o que era bem difícil já que o vento era muito forte. Porygon Z apareceu flutuando do meu lado e eu tive uma ideia.


- Z, usa o Psychic para manter as chamas na cauda do Gliscor até ela se descongelar.

- Jake, pra onde é a direção do Battle Castle? – Dessa vez, ela olhou para mim.

- Pra lá. – Apontei para o Leste usando a cabeça. – Devíamos ter lutado.

- Devíamos? – Ela falou com uma expressão incrédula. – Achei melhor evitarmos o conflito.

- Ruiva, você tinha dito que ia me ajudar caso eles voltassem. – Puxei Infernape de volta. – Pronto, descongelado.

- E eu não ajudei fugindo? – Ela ajeitou os cabelos com uma expressão de deboche no rosto. – Bem melhor do que encará-los. – Sua mochila que estava do meu lado estava entreaberta e eu podia ver um pacote de curativos quase caindo. – Precisamos trocar o curativo da sua cabeça, vem aqui. – Ela abriu a mochila, pegou algumas coisas e cruzou as pernas.

- Devíamos ter lutado... - Sentei de costas e ela começou desajeitada lutando contra o vento para tentar tirar o antigo curativo e por um novo.

- Jake, eles não estão pra brincadeira. - Ela fez uma pequena pausa. – E eu estava pensando aqui...

- No quê? – Falei curioso.

- Você só os viu desde que saiu de casa, né? – Ela falou pensativa.

- Exato.

- Seja quem for, possivelmente sabe que você é filho da sua mãe.

- Por quê? – Quis me virar, mas ela me segurou com força.

- Mesmo eles tendo se mostrado bem fortes, eu não atacaria o filho de uma mãe na casa dela, ainda mais ela sendo uma Frontier Brain. – Ela pigarreou. – Quem quer que seja, devia estar planejando isso para quando você saísse de casa por um bom tempo.

- Mas e os 8 meses nos ginásios? – Falei, o vento havia diminuído e podíamos conversar mais tranquilamente.

- Ginásios são muito movimentados, seria difícil te atacar lá. – Ela falou tranquila. – Aliás, mais alguém além de você sabe que isso aconteceu?

- Sim, você. – Falei sério. Do nada, começamos a rir muito.

- Gliscor, pode descer um pouco de altitude. Acho que já os despistamos.

E seguimos viagem voando em Gliscor, enquanto Scarlett trocava meu curativo e discutíamos se era melhor ter lutado ou não, com o Sol quase se pondo.

@Edit:Adicionado a descrição física e com imagens dos 3 pokémons negros no mini guia.


Última edição por Kirkos em Qui 3 Set 2015 - 13:48, editado 2 vez(es)
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por megapikachu em Sab 29 Ago 2015 - 3:31

vejo que a scarlett,a lydia e a maddie tem algo em comum da inteligencia(maddie nao tem um nivel de inteligencia a la de lydia mesmo assim e inteligente)ela ja matou a charada dos 3 pokemons negros,mais sobre kirlia fiquei a ter surpreso uma kirlia que evolui pra gallade isso me lembra do personagem O M estre da serie Doctor Who depois que ele fugiu ainda na forma de Harold Saxon(uma das encarnaçoes dele)ele se regenerou pra uma mulher que ele/ela fez diminutivo do seu nome que se chama de Missy(diminutivo de O Mestre)tenho uma impressao que esses 3 pokemons negros sejam pokemons especias igual aos da scarlett bom e so lendo pra descobrir e so isso na espera dos proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por -Murilo em Sab 29 Ago 2015 - 19:28

[color=teal]Olá Kirkos. Primeiro seja bem vindo ao fórum, espero que se dê bem aqui. Eu tinha lido o primeiro capítulo da sua fic só que não tive tempo de comentar na hora, e agora que eu vim pra comentar você já postou vários capítulos. Tá animado mesmo, haha. Bom, primeiro que bom que você soube aproveitar as dicas dos pessoal sobre a formatação do texto ( tava mesmo chatinho pra ler centralizado), e como algumas partes ficaram confusas (aquela parte do menino escondido tambem ficou confuso pra mim). Eu li até o cap 2 e os caps melhoraram bastante em comparação ao primeiro.
Bem, tenho que dizer que fics sobre as battles fronties são mesmo raras e você está de parabéns por abordar isso. E diferente também que o menino já tenha uma equipe completa,  mas espero que tenha alguma captura interessante no futuro.  Outra coisa é essa Scarlet. Achei ela meio bipolar sabe. As vezes meiga e auxiliadora de meninos sendo atacados, mas as vezes ela vira a crítica e solta umas tiradas malignas haha. Mas pode ser forçado como o próprio menino disse. Os tes pokemons negros são muito suspeitos e esses pokemons da scarlet que sabem ataques que não deveria saber também.  Ja tenho uma teoria para isso, mas não vou falar nada agora. Enfim, boa sorte na sua fic e até [\color]
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Slow em Sab 29 Ago 2015 - 23:15

Hey Kirkos o/

Comentar rápido, antes que vc poste dnv :v Sério, vai com calma cara, n queremos que acabe tão rápido assim u.u

Sua fic ta muito boa. Ainda não descobri pq gosto tanto da personalidade da Scarlett. Garchomp, sceptile e infernape são alguns dos meus pokémons preferidos (embora tenha vários) e esse cara tem eles :3 e as batalhas ficaram muito boas tbm, embora o Ampharos tenha apanhado feio aushausha.

Gallade Femea é um gay ou uma lésbica? o.O ta, parei.

Gênia escreveu:- Seja quem for, possivelmente sabe que você é filho da sua mãe.

JURA? Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked Shocked

Nunca que eu descobriria isso. Sempre achei que fosse filho do(a) Togekiss dele :v WTF?

Bem é isso, aguardando ancioso mas nem tanto assim, ok? CALMA o próximo capítulo.
Tchau e até mais o/ mas vai com calma no até mais, hein?
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por DarkZoroark em Dom 30 Ago 2015 - 6:49

Kirkos o/
Primeiramente peço desculpas pela ausência de comentários durante os últimos capítulos. Acontece que sempre que eu ia comentar um novo capítulo era postado e aí eu adiava um pouco para soltar o comentário seguinte. Por um lado acho que isso é algo bom e mostra que estás entusiasmado com a história, mas acho que seria bom dar um intervalo de tempo entre os posts. Creio que de cinco a sete dias seja um intervalo adequado. Bem, deixando isto de lado, vamos ao review deste último capítulo:
Olhando por cima a princípio devo dizer que o capítulo foi muito bom. A batalha entre o Jake e a Scarlett ficou muito bem feita e bastante interessante. Já aproveitando a deixa, devo dizer que gostei bastante da garota. O desejo dela de ser uma fotógrafa e designer, além dos vários Pokémons únicos que ela possuem são fatores que contribuem não só para um destaque maior da história, como também para uma diferenciação da personagem. A personalidade dela é bem... curiosa, beirando à bipolaridade, mas isto a torna alguém muito mais divertida.
Voltando ao assunto do combate entre ambos, devo admitir que gostei bastante da desenvoltura que houve durante o mesmo. As batalhas foram bem feitas e se aproveitaram bastante da questão de vantagem elementar dos Pokémons, algo que eu considero bastante raro em Fanfics. Os movesets também ficaram bem diversificados, dando um destaque maior a incrementação de Outrage ao Ampharos. Ainda acho meio esquisito a espécie lutar fisicamente devido ao tipo corporal, mas a adição deste ataque em específico foi algo bem inusitado e divertido de ler. A personalidade do Garchomp foi outro ponto que considerei muito bom, pois dá a ele um ar maior de guerreiro.
A reaparição do trio de Pokémons negros foi outro detalhe que curti bastante. A bem verdade, Pokémons que tenham características físicas diferentes com exceção de ser Shiny ou não sempre são atrativos - ao menos para mim - em uma história. Infelizmente é algo que não acontece com tanta frequência, mas fico feliz de ver que foi o caso aqui. Deu para ver que os três também são bem fortes, mas vou aguardar um pouco mais até haver um confronto direto entre eles e os Pokémons do Jake para dar uma olhada mais a fundo nesse aspecto.
Quanto a erros, encontrei apenas dois:

@Kirkos escreveu:Desviamos de algumas árvores e vimos uma manada de Starlys voando próximo a nós.
Não sei se o mesmo se aplicaria a Pokémons, mas em geral o coletivo para espécies de pássaros é "bando".
@Kirkos escreveu:[...]que você podia ver minha calcinha mas[...]
Foi um erro bem pequeno aqui. Ficou faltando uma vírgula antes do "mas".
Bem, posso dizer também que houve uma melhora considerável desde o primeiro capítulo até este. Sinto um pouco de falta de uma descrição mais presente, mas isso é porque eu sou bem chato quanto a este quesito. Vou ficar aguardando pelo seu próximo capítulo. ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Black~ em Dom 30 Ago 2015 - 15:39

Bom, vamos lá.

Esse capítulo ficou bem legalzinho, apesar de grande (porra meu, não é necessário isso -qq ;-; ). Enfim. Foi bastante movimentado, teve batalhas e ainda explorou a relação entre os dois protagonistas. Bem, e a batalha foi bem interessante mesmo, gostei de ler essa batalha.

Como eu disse, gostei da batalha. A Scarlett me surpreendeu ao batalhar. Mesmo ela tendo perdido, ela se mostrou uma boa treinadora, que sabe bastante estratégias. Achei muito interessante o Reversal do Heracross, que quase venceu, não fosse o Sky Attack. Falando em Sky Attack, essa porra desse Togekiss é mó apelo né? -q, vários golpes loucos, enfim. Também gostei da batalha do Ampharos contra o Garchomp, mesmo a ovelha tendo sido trucidada pelo dragão, mas era de se imaginar né huahuah, um mega zika do tipo Ground contra o Ampharos é judiação -qq, mas enfim.

Cara, essa Scarlett é meio bipolar, como disseram. Tipo, em certos momentos, ela é toda fofinha, toda meiga, parecendo uma criança, noutro momento ela já está toda loucona. Mas eu acho que ela é meio inocente, fala algumas coisas meio sem sentido, mas sem raciocinar direito; imagino a cara que o Jake deve ter feito naquele momento que eles subiram na árvore huahuaha. Enfim, mas eu gosto bastante da Scarlett, acho uma personagem bem daora.

Agora, esses três pokémons estão realmente muito misteriosos. O que a Scarlett falou foi algo que acho que todos imaginariam, que tem alguém perseguindo o Jake, já que isso só ocorreu depois que ele saiu de casa. Bem, eu tenho minhas dúvidas de quem seja, mas eu acho que seja pouco provável ser quem eu estou pensando, mas né, vamos ficar em alerta.

Enfim, é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Seg 31 Ago 2015 - 1:35

Muuuuitos comentários! Que felicidade! Eu tava lendo outras fics do fórum mas acabei tirando inspiração pra batalha de hoje e resolvi terminar o capítulo, até porque minha semana vai ser bem corrida então acho que vou dar uma pausa na postagem relâmpago  Laughing Primeiro, vamos as respostas ao comentários (:

@megapikachu: Preciso ver as séries para realmente poder te responder direito hahaha Juro que vou vê-las, ok? (: A Kirlia dela é uma questão bem interessante que vai ser explorada no decorrer da história, espero que você curta. E não, eles não são especiais que nem os da Scarlett, eles eram **SPOILER ALERT** normais antes disso tudo **SPOILER ALERT** Aguarde os próximos capítulos e aí tu vai entender tudo Wink

@-Murilo: Opa, Murilo. Obrigado pelas boa vindas! Sim haha, tô bem animado porque esse projeto tá repreendido dentro do meu escritor desde 2011 haha Por isso a animação, ainda mais que ele está sendo bem aceito pelos leitores! Ontem mesmo conversei com meu "editor" que é um amigo meu que me dá uns toques em relação a isso e programamos já a primeira temporada toda! hahahah Não tô apressado, juro! Obrigado pelos elogios em relação a melhora na qualidade e tal, tô trabalhando bastante nisso! A Scarlett ~é bipolar sim~ mas isso tem um porque, ainda nessa temporada isso é explicado. Quanto a teoria, me manda uma MP. Quero muito saber sua teoria hahaha

@IsaacXD7: Foi maaaaal, juro que não quero ir tãooo rápido assim. Meu plano original eram um capítulo a cada dois dias, mas segurei no frio. Essa semana acho que vou dar uma pisada no freio pro pessoal que ainda não leu ter tempo de ler tudo e chegar aonde a maioria está. Tadinho do Ampharos, né? Fiquei com pena quando escrevi a batalha hahaha Isso do filho da mãe dele, é porque quem quer que seja que está por trás disso tudo, sabe que Jake é filho da Dahlia, tendeu?
Vou com calma, juro (MENTIRA AMANHÃ TEM OUTRO CAPÍTULO E- BRINKS)

@DarkZoroark: Tava esperando seu comentário (ninguém mandou escrever tão bem até comentando haha) Então, foi o que eu disse já pro povo nos comentários anteriores. Vou tentar diminuir o ritmo, juro. É difícil conter essa loucura que sou escrevendo, mas vou me esforçar haha  Então, a batalha eu pensei como um pré-requisito para mostrar a personalidade do Jake enquanto treinador contra outro treinador (não contando a batalha com os 3 pokémons pretos + o enxame de Beedrills) para que isso não fosse visto só no primeiro desafio dele. E sim, Scarlett é de fato uma das personagens mais bem trabalhadas e carismáticas, apesar do Jake ser o "protagonista" da história. Eu prezo muito esse lance de vantagens e desvantagens dos tipos e tal e eu optei por movesets variados, pra não ficar naquela coisa clichê de "pokémon aquático só tem movimento de água comum". Garchomp é um guerreiro, ô se é. Ele tem um grande desafio lá na frente e a personalidade guerreira dele vai ser tudo para isso. Quanto aos 3 pokémons negros... Sim, eles são fortes. Entretanto, não sei se ficou claro no capítulo passado mas eles não ligam muito para os companheiros e seu estado. Só querem completar "sua missão". E quanto ao embate de Jake vs eles... Lembra do que Thorton pediu pra Jake antes dele sair em jornada? mustache  Vou melhorar ainda mais a descrição. Quanto aos erros... Normal. Sou besta mesmo  Laughing

@Black~: Bom, vamos lá. Uma preocupação minha é que a relação do Jake com a Scarlett não seja algo superficial. Eles viajam juntos e precisam ter a amizade deles explorada ao máximo. Até a chegada do terceiro (e inusitado) companheiro de viagem deles, eu vou explorar ao máximo o vínculo que eles dois tem para na introdução do terceiro reexplorar a relação, mas dessa vez com os dois já se conhecendo e tendo que conviver com mais alguém no "grupo" deles. A batalha foi pensada em todos os detalhes, até na vitória fácil de Garchomp. E sim, Scarlett é fotógrafa e estilista e sabe muito bem sobre batalhas e pokémons exóticos além de em certas horas parecer meiga e em oturas parecer uma pessoa bem vivida com a vida... Esquisito, não?  mustache Isso, Scarlett falou uma verdade. Problema é que os dois "têm" um ponto de partida pra pensar em quem é, mas não vão pensar nisso tão cedo.  ME MANDA MP QUERO SABER QUEM É, QUERO TEORIAAAAAAAAS HAHAHA

Capítulo 4 - Battle Castle! Darach's Challenge!


- Gliscor, tá vendo aquele castelo? – Apontei para uma estrutura verde que se sobressaía no meio de algumas construções.

- Gli! – O morcego gigante fez um aceno afirmativo com a cabeça.

- Jake, já faz 3 horas que estamos voando. – Scarlett pôs a mão em meu ombro esquerdo, uma expressão preocupada. – Gliscor pode não aguentar.

- Acho que ele aguenta sim, não aguenta, Gliscor? – Dei um tapinha na cabeça dele e o mesmo mostrou-se tranquilo com o voo. – Além do mais, anteontem eu fui atacado de noite...

- É, eu sei disso. – Scarlett inclinou-se para a esquerda. – Olha ali embaixo.


Fiquei ao lado dela e olhei para baixo. A rodovia que cortava a rota que estávamos andando agora revelava outra rodovia. As duas convergiam em uma rodovia maior e mais espaçada. De cima, parecia um ‘Y’ gigante. O movimento de carros, pessoas, bicicletas e pokémons era muito para o horário. Já eram 22 horas.


- Vamos descer? – Ela apontou para baixo. – Está bem cheio, podemos dormis em algum lugar na cidade do Battle Castle e amanhã quando acordar, enfrenta Darach. – Scarlett disse isso num tom de solicitação.

- Tudo bem... – Falei desanimado relaxando os ombros.

- Gliscor, pode descer. Vamos ficar ali naquela rodovia movimentada. – Scarlett olhou para a direita e coçou a bochecha com uma expressão pensativa. – Pensando bem, não vamos parar no meio da rodovia. Não quero matar ninguém de susto com seu tamanho, amigo.


Gliscor soltou um grunhido triste, mas acatou ao pedido de sua dona. O morcego desceu tranquilamente e pousou em uma área aberta com poucas árvores entre nós e a rodovia. Scarlett desceu e eu desci em seguida. Ela sacou uma pokébola e apontou para Gliscor.


- Obrigada, agora descanse bastante! – E recolheu o Pokémon. – Vamos? – Olhou para mim esperando alguma reação.

- Vamos. – Comecei a andar e ela veio ao meu lado.


Em dois minutos cruzamos as árvores e estávamos na rodovia. O chão era pavimentado e perfeitamente liso, com quatro faixas brancas delimitando a divisão de ida e volta. Haviam postes de luz branca a cada 20 metros. Começamos a andar na direção da cidade do Battle Castle, do lado direito da rodovia, pois era a direção em que as pessoas, carros e etc estavam tomando. Um Hochkrow  voava lentamente e cruzou os céus com dois Murkrows atrás dele, o que me fez levantar a cabeça e olhar a cena. Sabe-se lá como Scarlett sacou a câmera e arremessou a mochila na minha direção. Ela bateu uma sequência de quase 15 fotos em uma velocidade impressionante.

- Nossa, elas ficaram bem bonitas. – Ela disse, olhando satisfeita para o visor da câmera e com um sorriso no rosto.

- De nada pra você, Scarlett. – Desviamos de um casal de idosos e dois Girafarigs.

- Obrigada, se não fosse você eu teria jogado a mochila no chão e simplesmente parado pra tirar as fotos.

- Ahn... Tudo bem. – Joguei a mochila na cara de Scarlett que a agarrou com uma precisão... Peculiar.

- Que foi? – Ela disse enquanto voltava com a câmera para dentro da mochila.

- Scarlett... – Hesitei. – Você tem reflexos bons para uma...

- Estilista? Fotógrafa? – Ela disse, começando a enrubescer, a raiva tomando conta do seu rosto.

- Eu ia dizer... Garota. – Falei, segurando o riso.

- O QUE? – Ela gritou e algumas pessoas em volta pararam para olhar.

- Você está tão vermelha que tá parecendo um Octillery, sério. – Explodi em gargalhadas.


Os dez minutos seguintes foram basicamente com Scarlett correndo atrás de mim tentando me estrangular. Seguimos a rodovia com as pessoas rindo e achando graça da situação, eu alternando entre correr e desviar dela e conter a dor no estômago que eu sentia de tanto rir da cara dela vermelha que nem um Octillery Scarlett só sossegou quando estávamos quase adentrando a cidade. Paramos de correr, ofegantes. Sequei o suor do rosto e ela tirou o chapéu para ajeitar os longos cabelos ruivos.


- Você realmente acha que acabou assim? – Ela falou, pausando na metade da frase para respirar. – Vai ter volta. – E me deu um soco muito forte no braço esquerdo.

- Ai, doeu! – Falei com a cara torta de dor e massageando o braço machucado. – Isso foi muito forte.


Scarlett me ignorou e começou a andar devagar. Atravessamos um arco verde que indicava que ali era o lugar onde ficava o Battle Castle, que já podia ser visto a cerca de dois quarteirões a frente, imponente. Fui atrás dela e vimos que a cidade estava bastante movimentada. Trocamos um olhar e falamos ao mesmo tempo.


- Onde vamos dormir?


Rimos e voltamos a andar. As ruas seguiam o mesmo padrão da rodovia, todas pintadas com quatro faixas e postes de iluminação branca. Haviam vários prédios de no máximo 4 andares feitos de tijolos vermelhos. Em toda esquina haviam árvores. Duas crianças pequenas vinham correndo na nossa direção com um Shinx na frente delas. Scarlett rapidamente sacou a câmera e lançou a mochila em mim, mas dessa vez eu estava preparado e consegui segurá-la.


- AHÁ! – Falei, uma expressão feroz no rosto. – Consegui segurar!

- Aham. – Disse ela enquanto fotograva as crianças e o Shinx correndo felizes.


Ela nem se deu ao trabalho de olhar as fotos. Puxou a mochila dos meus braços e pôs a câmera de volta. Virou séria pra mim e ficou me encarando.


- Algum problema? – Perguntei, sem entender.

- Onde vamos dormir? – Ela disse olhando para os lados.

- No centro Pokémon. – Eu falei, tomando a direção do Battle Castle.

- Pra lá fica o Battle Castle. Por quê não dormimos lá? Darach não te conhece? – Scarlett perguntou confusa acompanhando meu passo.

- Darach só vai saber que cheguei amanhã quando eu o desafiar. – Falei. Ajeitei a bolsa no ombro. – Vamos.


Andamos em silêncio. Atravessamos uma rua e um ônibus parou do nosso lado. Algumas crianças desceram com uniformes escolares. Scarlett ficou olhando a cena e eu cobri quase um quarteirão de distância. A lua era cheia e estava bem acima de nossas cabeças. Ela viu que eu estava na esquina do quarteirão em que estávamos e correu.


- Por quê há crianças chegando da escola agora? – Mal havia chegado perto de mim então quase gritou para dizer a frase.

- É uma coisa meio engraçada. – Ri. Viramos a esquina e víamos o Battle Castle. – Caitlin e Darach sempre tinham mania de começar e terminar o dia mais tarde. – Eu disse olhando para ela. – Quando a Battle Frontier se instalou aqui, a maioria das vezes os treinadores que chegavam mais cedo ficavam esperando aos dois e eles sempre eram os últimos a dormir de toda a cidade por conta dos desafios que recebiam. Isso acabou ditando o período de atividades da cidade. Logo, geralmente as atividades aqui começam as 11 da manhã e terminam 1 da madrugada.

- Nossa, que curioso. – Ela falou, espantada. – Nunca imaginaria isso aqui.

- Eu particularmente nunca entendi. – Atravessamos mais um quarteirão e ficamos esperando o sinal fechar para poder atravessar. – E olha que eu acho estranho o Battle Arcade ser parte na cidade e parte em uma rodovia.

- O Battle Arcade é assim? – Sua expressão curiosa chegava a ser angelical.

- Sim, é. – Andamos na calçada da esquerda. O Battle Castle a nossa direita, do outro lado da rua. – Quando eu for enfrentar minha mãe você verá como é.


Scarlett assentiu com a cabeça e continuou a andar comigo. Na metade do quarteirão, exatamente de frente para a entrada do Battle Castle paramos diante de uma porta de vidro que se abriu para nós. A estrutura era toda feita de cores claras, como o branco o azul e o vermelho. Havia um símbolo da Battle Frontier pintado no chão com 4 dos 5 espaços vazios, a exceção era um verde. Ao fundo, uma enfermeira Joy atrás de um balcão e uma Chansey ao seu lado. Eu e Scarlett nos olhamos e entramos.


...


- Está nervoso? – Scarlett me perguntou olhando para o Battle Castle, o estojo da câmera na mão direita.

- Não. – Menti com uma voz firme. – Eu treinei em casa para isso e tivemos aquela nossa luta.

- Você acha que aquilo foi treino? – Ela disse com uma voz desconfiada ainda olhando para frente.

- Foi, eu só queria saber se estava forte o suficiente para enfrentar Darach.

- É, você não vai enfrentá-lo ficando do outro lado da rua. – Scarlett segurou meu braço e atravessou a rua quando não passavam veículos. – Vamos.


Paramos na calçada em frente a uma escadaria larga na cor cinza que culminava em um portal verde. Senti um arrepio na espinha. O símbolo da Battle Frontier estava no bolso traseiro esquerdo de minha calça. Inclinamos nossas cabeças para trás. O castelo era todo verde em um estilo antigo, feito dos mesmos tijolos que as demais construções da cidade. Haviam cinco bandeiras das cores dos Frontier Brains, sendo que a verde era a central e maior se comparada as outras. Eu hesitei. Scarlett percebeu e sorriu para mim.


- Bem, começa agora seu desafio. Boa...


Nesse momento, uma menina mais ou menos da altura de Scarlett de pele negra e cabelo encaracolado com uma faixa azul na cabeça e roupas da mesma cor saiu correndo do portal chorando. Ela estava com uma das mãos no rosto e ia descendo os degraus da escadaria de dois em dois. No momento em que ela passou por nós conseguimos ouví-la dizer:


- Monstro, monstro!


Scarlett olhou para mim. Seu sorriso estava forçado. Eu ia dar meia volta, porém, ela me puxou para a direção da escada e me fez subir. Cada degrau era mais sombrio que o anterior e quando paramos no portal, eu tentei de novo voltar, mas ela puxou e entramos.

Logo na entrada havia um tapete enorme amarelo-ouro que cortava toda o salão. Ao fundo havia uma passagem com duas cortinas vermelhas de cada lado. O chão era verde e as paredes na cor gelo. No final do tapete havia um campo de batalha grande com duas escadas, uma de cada lado, que culminavam em outras duas na direção oposta. No alto, um Darach cabisbaixo lendo um livro sentado em um trono vermelho. Eu e Scarlett andamos apressadamente até o campo.


- Isso é o castelo? Só isso? – Ela sussurrou.

- A área para receber os desafiantes é pequena mesmo, lá no fundo, atrás das cortinas é que o castelo de verdade. Darach e Caitlin moram lá... – Fiz uma pausa para me corrigir. – Bem, agora só Darach.


Paramos na frente do campo. Darach não levantou os olhos do livro. Sua aparência era a de sempre, impecável. Terno com calça roxa. O cabelo preto e loiro penteado perfeitamente. Subitamente ele notou nossa presença, porém, não levantou os olhos do livro e falou alto, numa serenidade perturbadora.


- Tem certeza que quer fazer isso? Você encontrou com a menina de azul que saiu daqui agora pouco?

- Sendo quem sou, acho que sei sim. – Falei com a voz firme, apesar de nervoso.

- Ahn... – Darach levantou os olhos. – Jake? – Espantado, ele fechou o livro e se inclinou para a frente. – Sua mãe sabe que você está aqui?

- Sim, sabe. Inclusive Thorton e Caitlin... – Fiz uma pausa, percebendo a besteira que eu tinha feito ao mencionar Caitlin. – Desculpe.

- Me espanta muito essa atitude de Dahlia. – Ele ignorou o que falei sobre Caitlin. Levantou-se e pousou o  livro no trono. – Você quer um desafio? Vamos à batalha então. – E tomou a escada da esquerda, devagar.


Scarlett pareceu apavorada com Darach pois saiu em passos curtos e rápidos para o lado direito, sentando-se na escada da direita. Eu fui até ela e fiquei de costas, esperando Darach descer. Dois minutos torturantes ao assistir Darach calmamente descer as escadas. Assim que ele postou-se no seu lado do campo falou calmamente.


- Eu mudei as regras do desafio aqui. – Ele tirou o relógio do bolso para conferir as horas. – Agora não é o cara ou coroa que decide quem começa o quê. – Ele devolveu o relógio ao bolso, a mesma expressão serena de antes. – Você lança seu Pokémon, eu lanço o meu e você começa com o primeiro movimento. Ah, o FBC tem acesso a todos meus pokémons então eu posso escolher qualquer um deles, enquanto você pode escolher apenas o que trouxe consigo. Serão dois contra dois e o primeiro a perder os dois, perde a batalha. O primeiro movimento é meu.

- Darach, isso é absurdo. – Falei, irritado. O medo tinha passado a raiva em um segundo. – Por isso estão todos perdendo.

- Devo entender que não quer então me desafiar? – Ele fez menção de voltar para a escada.

- Não! – Sacudi as mãos. – Eu aceito as regras.


Um telão verde emergiu do teto e tapou a entrada com as cortinas. Do lado de Darach, uma foto dele com dois espaços com pokébolas desenhadas. Do outro lado, mesmo esquema, a diferença era que o ícone era preto.


- Jake, o que é FBC? – Scarlett sussurrou.

- Frontier Battle Computer. Ele é quem registra o placar  e, no caso de Darach, escolhe os pokémons dele.– Saquei uma pokébola ao mesmo tempo e nem olhei para Scarlett para respondê-la. – Garchomp! – Lancei a pokébola pro alto e o dragão apareceu. – Um ícone de Garchomp apareceu do lado do ícone preto.

- Não vou pedir para cadastrar sua pokédex porque isso será rápido.FBC, calcule. – Darach falou pro nada, calmo. – Do nada, uma pokébola saltou do telão e foi parar nas mãos de Darach que a lançou para cima. O objeto esférico abriu-se e de dentro saiu um Empoleon. – Ele ajeitou os óculos. – Muito bem, Blizzard.

- Evasiva e Stone Edge. – Garchomp pulou pra cima e criou as pedras, lançando-as em seguida.

- Hidro Pump. Destrua o Stone Edge. – O tom de Darach não mudava.


O Hidro Pump devolveu todas as pedras em Garchomp. Ele caiu no chão na minha frente, cambaleante.


- Dragon Claw, vai! – Ordenei. Garchomp foi na direção de Empoleon.

- Cruze com o Steel Wing. – Darach limpava os óculos sem se preocupar muito com a batalha.


Garchomp e Empoleon colidiram os ataques. Scarlett ao fundo tirava várias fotos da batalha. Darach olhou para frente quando Empoleon foi arrastado na sua direção e Garchomp na minha devido a colisão dos ataques.


- Blizzard de novo. – Empoleon jogou a Nevasca na direção de Garchomp.

- Atravessa com o Fire Fang! – Arrisquei o movimento. A boca de Garchomp irrompeu em chamas e ele correu no meio do Blizzard na direção de Empoleon.


Garchomp conseguiu atravessar o Blizzard com muita dificuldade e desferiu a mordida em Empoleon, que ardeu em chamas. Darach arregalou os olhos e em seguida riu. Tirou uma poeira do terno e sua expressão mudou para malícia.


- Ice Beam. – Sua voz soou como unhas sendo arranhadas numa lousa.


Não tive tempo de ordenar nada. Empoleon soltou do meio das chamas um Ice Beam que acertou Garchomp no peito. O dragão foi arremessado para trás e depois de algumas cambalhotas, caiu na minha frente. Derrotado.

“Garchomp está fora de combate, Empoleon é o vencedor.” - Uma voz metálica saiu do telão. E assim o ícone de Garchomp se apagou.


- E então? - Darach recolheu Empoleon. – Próximo?

- Droga. – Resmunguei. Scarlett atrás de mim gritava palavras de encorajamento. Recolhi Garchomp. – Obrigado, amigo. Descanse. - Saquei outra pokébola e apertei com força antes de lançá-la pra cima. – Togekiss! - E o ícone do lado onde estava o de Garchomp agora mostrava um de Togekiss.

- FBC, calcule. – Em cinco segundos outra pokébola foi lançada e Darach a pegou. Ele a lançou para cima e um Houndoom apareceu. – Dark Pulse.


O cachorro negro escancarou a boca e uma série de arcos pretos com luz roxa saíram de lá na direção de Togekiss que levantou voo.


- Air Slash! – O pássaro conjurou a esfera e a arremessou.

- Esquive e Flamethrower. – Darach ajeitou a gravata borboleta.


Houndoom desviou do ataque na hora em que iria acertá-lo e saltou lançando uma coluna de chamas em Togekiss que o acertou em cheio. O pássaro bateu as asas para se esquivar das chamas e diminuiu de altitude para pousar.


- Will-O-Wisp. – Darach ordenou. As chamas azuis circundaram Togekiss quando ele ia pousar no chão.

- Togekiss, levanta voo! – Mas já era tarde, Togekiss estava queimado.

- Thunder Fang. – Houndoom saiu correndo na direção de Togekiss.

- Sky Attack! – Mesmo com a queimadura fazendo efeito, Togekiss foi de encontro com o cachorro negro.

- Evasiva e morda pela direita dele. – Darach ordenou serenamente.

- Desvia! – Gritei.


A queimadura atrasou a velocidade de Togekiss pela dor, Houndoom conseguiu desferir o Thunder Fang eletrocutando meu Pokémon, que foi ao chão.


- Levanta! – Quase me pus de joelhos. – LEVANTA! – Uma gota de suor desceu da minha testa.

- Acho admirável sua força de vontade, Jake. – Darach ajeitou os óculos.- Entretanto ela não é páreo para...

- HYPER BEAM! – Gritei a plenos pulmões. – Togekiss levantou-se e disparou o raio laranja em Houndoom que foi arremessado aos pés de um espantado Darach.

- Muito bem, mas... – Houndoom levantou-se cambaleante. – Seu Togekiss está paralisado. Flamethrower.


Eu nada pude fazer a não ser ver Houndoom lançar as chamas em meu Pokémon e gritar para que ele se movimentasse, em vão.


- Finalize com o Thuder Fang. – Darach falou com a mesma voz de quando ordenou o Ice Beam contra Garchomp.


Houndoom cravou a mordida em Togekiss que agonizou até cair no chão. Derrotado.
“Togekiss está fora de combate. O vencedor é Houndoom. O vencedor é o Frontier Brain Darach.” - A voz metálica falou enquanto o ícone de Togekiss se apagava.


- A saída é por ali. – Darach falou tranquilamente e apontou para a porta enquanto subia as escadas de volta para o trono. – Dê lembranças minhas a sua mãe. Ah, diga a ela que você não é nada parecido com ela no quesito força.


Caí de joelhos no chão, na frente de Togekiss. Scarlett veio ao meu encontro e me abraçou, confortando minhas lágrimas.


@Nota do autor: Como dito antes, a história vai mencionar Kalos. Entretanto, como é observado pela linha temporal da história, Kalos ainda "não existe". Isso implica no fato de que o tipo fada ainda também "não existe".


Última edição por Kirkos em Qui 3 Set 2015 - 13:49, editado 1 vez(es)
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por megapikachu em Seg 31 Ago 2015 - 4:37

capitulo muito bom a batalha foi muito bom a scarlett ficou com o medo do darach quando aquela garota que saiu chorando e fez um sorriso forçado cheguei um ponto de rir vamos ver o que vai acontecer depois da batalha contra darach bom so isso na espera dos proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Rush em Seg 31 Ago 2015 - 10:26

Cheguei atrasado, mas cheguei. Final de semana é raro eu entrar aqui no fórum, então não fique preocupado se eu não comentar, ok?

De qualquer maneira, adorei ambos os capítulos. Gosto da forma em que você desenvolve as suas batalhas. As vezes sinto uma agonia por estar muito acostumado com o competitivo - tipo Dark Pulse num Togekiss, que tiraria por volta dos 10% de HP no máximo AEUHAUE -, mas tem uma magia sim de não importar a força do Pokémon nos jogos, e sim no "Pokémon único", que é a famosa magia das Fan Fics.

Eu suspeito bastante da Scarlett. Talvez ela não esteja por trás dos Pokémons negros, mas talvez ela saiba mais sobre eles. Uma espiã do governo, maybe? Dai não faria sentido ela fugir deles, então suponho que ela tenha algo com eles. Isso seria triste, porque ela é muito gente boa. ;c Achei ela incrivelmente forte para apenas uma fotógrafa/estilista.

Agora sobre o Darach... Que cara fdp, sério. Gostei demais de como você descreveu ele. Achei top mesmo, você fez um antagonista sem necessariamente ele ser um vilão, vamos assim dizer. A mudança das regras realmente foi absurda, por isso ele é tão forte. Creio que Jake vai tentar usar uma estratégia bem arriscada para vencê-lo, algo do tipo usar o Porygon-Z com Psychic para derrotar um possível Lutador, já que Fighting é super efetivo contra Normal.

Achei sacanagem demais essa derrota humilhante contra o Jake. O conselho da Frontier Brains permitiu uma mudança tão drástica nas regras? Se isso fosse em um gameplay, por exemplo, seria praticamente impossível a vitória. O Garchomp, por exemplo, é um ótimo Pokémon que é útil em DIVERSAS ocasiões, um dos melhores Pokémons do competitivo, mas realmente, na frente de um Ice Beam ele não tem chances. x4 de fraqueza é uma coisa que é muito tensa.

Sinceramente não achei que o Jake fosse chorar, mas eu entendo. Deve ser algo muito frustrante, você seguir um sonho acumulado a algo que pareceu ser anos, e quando finalmente consegue seguir adiante, um fdp quenem o Darach complica mais as coisas só porque a mina que ele gosta deixa ele na friendzone e vaza pra outro continente. AUEHAUE'

Enfim, gostei bastante do capítulo. Gosto de capítulos grandes, e vindos de você eles serão muito bons, pois você sabe aproveitar bastante o capítulo sem que ele se torne cansativo.

Fico aguardando o próximo capítulo. Quero ver essa revanche e a reação da DIANA ao ver que o Darach mudou tanto as regras.

É isso. Abraço, cara. Continue com o ótimo trabalho! o/


avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Slow em Seg 31 Ago 2015 - 16:53

Hey, Kirkos o/

Primeiramente, ESSE DARACH É UM FDP, SÉRIO. Nem os chefões das gangues fazem isso com os oponentes. Se eu fosse o Jake, dizia: "Vai lá buscar a mina em Unova. Vc não é o bichão, fdp?" ou "Eu posso ser fraco, mas não preciso de regrinha pra vencer" ou "Vai lá buscar a mina em Unova, ou precisa de regrinha pra isso tbm?". Sério vey, estou com ódio + aversão + ódio + raiva + ódio desse cara. Além dele ser bem lerdo, 2 min pra descer uma escada?

A batalha ,mesmo com todo o ódio, foi bacana ,apesar do ódio, gosto das batalhas que você faz. Em contrapartida ao ódio que estou desse cara, também gosto cada vez mais da Scarlett, a Ninja da fotografia E MANDA ELA ME MANDAR A FOTO DO SHINX DPS.

É sério, a única coisa que faria eu perder meu ódio, é se esse cara estiver com problemas mentais e/ou possuído por um espírito, o que acho bem difícil. Vc sabia que estragando o sonho das pessoas assim, humilhando-as, elas correm o risco de entrar em depressão, fdp?

Bem é isso, espero ver o Jake esculachando esse cara no próximo capítulo
Tchau o/
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Black~ em Qua 2 Set 2015 - 15:28

Bom, vamos lá.

Se você postar mais um capítulo tão rápido assim, eu vou te bater -qq. É zuera huahuah. Mas enfim, ainda bem que o capítulo vem rápido e vem bem interessante, o que faz a leitura ser rápida, por exemplo, além do tamanho desse capítulo ter sido menor que o habitual, mas enfim. Gostei do capítulo, ficou bem legal.

A Scarlett está realmente muito estranha. Ela talvez não seja a responsável pelos três pokémons (vou ler depois os capítulos anteriores para ver se descubro), mas ela teve uma mudança meio abrupta nesse capítulo. Achei estranho a forma como ela conduziu o Jake até o Battle Castle, não sei, enfim.

Eu talvez perdi, ou não foi explicado, mas eu não entendi muito bem a relação da Caitlin com o Jake e com o Darach. Eu reli e o prólogo e vi que ela morava no castelo, junto com o Darach, mas não sei bem o que ela tem com ele. Como disse, não sei nada sobre a BF de Sinnoh, então não sei. E também não sei o que Jake e Caitlin são. Namorados? Amigos? Enfim. Mas, de toda forma, Darach deve estar assim por culpa da Caitlin ter ido para Unvoa mesmo.

Realmente é muito injusto essa forma do Darach, tanto que já tinha sido citado lá no prólogo. Mas como o Rush disse: o conselho da Battle Frontier deixou isso passar? Porque tipo, isso é o resumo da injustiça. O computador calcula a melhor opção pro cara, é impossível ele perder. Vamos ver como o Jake vai se sair dessa.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Kirkos em Qui 3 Set 2015 - 1:38

Oi, gente! Mais um capítulo! Antes de mais nada, respondendo aos comentários:

@megapikachu: Obrigado! Sim, ela ficou. Eu tinha planejado essa cena dela com medo de Darach bem antes da luta dos dois  Laughing Nesse capítulo o Jake não vai lutar com o Darach não, só no próximo que ele vai de fato ter a tão sonhada revanche. Aguarde haha

@Rush: Relaxa, Rush! Seu comentário é sempre bem vindo e muito aguardado, eu espero de boas! haha Obrigado pelos elogios. Eu pensei em considerar o competitivo muito mais mas ao mesmo tempo se eu fizesse isso acho que daria muito a impressão de "estou jogando um jogo de pokémon, só que escrito". Vou tentar não focar sempre nisso e as vezes realmente "acreditar" na força dos pokémons. HAHAHAH COOOITADA DA SCARLETT Se eu falar a história dela estarei soltando spoilers mas garanto que ainda nessa temporada os leitores vão entender um pouquinho mais sobre quem ela e o que ela fazia antes de conhecer o Jake. Quanto ao Darach ser esse babaca que ele foi na primeira luta, eu de fato quis que ele fosse assim como reflexo do que aconteceu com a ida de Caitlin para Unova (inclusive nesse capítulo ela vai aparecer em Unova com o visual novo já para conversar com o Jake sobre o que aconteceu). Quanto a mudança de regras... Sim, eu quis criar uma dificuldade para os desafiantes, porque se ele apena estivesse "desanimado" em lutar eu acho que soaria muito "cópia" do que ocorreu com o Volkner e eu não acho que seria legal fazer isso. Então, de fato "há" um conselho de Frontier Brains. Ele vai ser explorado só maaaaais lá na frente da história. Entretanto, vale salientar que nenhum Frontier Brain tem uma metodologia de batalha igual a do outro, podendo assim criar o que quiser, desde que dentro de um certo cumprimento de regras. Darach não o fez, mas... Convenhamos... Ele perdeu a Caitlin e precisava se sentir bem hahaha E quanto a reação do Jake... Bem, eu achei que ela fosse ser surpreendente mesmo porque eu de fato quis passar a imagem do "treinador bonzão" que quando leva um "não" do mundo logo de cara no início de alguma coisa desaba. Até porque ele foi segundo colocado tanto na Sinnoh League quanto no Grande Festival então para ele "perder algo de primeira" é complicado. É DAHLIAAAA  Laughing  

@IsaacXD7: E aí! HAHAHAHHA TODOS ODEIAM O DARACH Então, aguarde que quando o Jake voltar pra revanche você verá o que ele vai fazer hahaha
E sim, a batalha de fato era para ser assim porque eu não queria um treinador tão forte assim logo de cara vencendo geral. Isso seria clichê e fantasioso demais até para mim. VOU PEDIR PRA ELA TE MANDAR AS FOTOS, PODE DEIXAR E quanto a perdoar o Darach... Nesse capítulo e no outro acho que vai dar pra sentir "um pouquinho" de pena dele.
Espera no próximo capítulo que você vai ver como o Jake estará hahaha

@Black~: Bom, vamos lá. Desculpaaaa é que eu tô no embalo, mas esse em comparação ao outro foram quatro dias, hahaha Quanto ao tamanho eu tô tentando me controlar mas é que eu tenho problema com capítulos pequenos demais, pra mim parece que tá faltando coisa a ser escrita. A Scarlett tem os motivos dela... Você verá quais são em breve, acredite. Então, deixa eu tentar explicar, embora isso seja retratado no capítulo é bom pra você se situar. Caitlin desiste de ficar na Battle Frontier vivendo a sombra de Darach (só ele lutava, ela ficava no trono assistindo) e parte para Unova porque surge uma oportunidade dela ser Elite 4 de lá. Só que ela não queria se despedir do Darach porque sabia que ele ia tentar obrigá-la a ficar e ela não queria ter que dizer não. Ela então combina com Jake que se ela o ajudar a ser autorizado pela Dahlia, sua mãe, a participar do desafio da Battle Frontier ele entregaria uma carta em mãos escrita por ela pra Darach. Como Caitlin consegue que Jake parta para o desafio(com uma pequena ajuda de Thorton) Jake cumpre o prometido. E sim, Darach está assim pela partida de Caitlin. Foi o que eu disse pro Rush, mais na frente isso será "discutido" com mais calma.

E agora, ao capítulo!

Capítulo 5 - Refreshing Strategies


Aproximadamente 24 horas haviam se passado desde a batalha com Darach. Eu e Scarlett estávamos em um café que ficava a dois quarteirões de distância do Pokémon Center. Um balcão enorme de madeira era meu apoio, um copo de café fervente soltava um pouco de fumaça da abertura. Scarlett bebia o seu café, em silêncio, o chapéu repousado do lado. A atendente, uma moça negra de cabelos lisos e avental verde parou na nossa frente.


- Desejam alguma coisa a mais?

- Não, estamos bem. – Scarlett respondeu educadamente.


Ela se afastou. Eu bebi um gole do líquido fumegante. Scarlett olhava para a TV bem a nossa frente, que passava um boletim informativo sobre Crown City. Ouvi o nome de Thorton, mas não levantei a cabeça. A batalha ficava indo e voltando na minha cabeça por diversas vezes. Tirei o gorro da cabeça e o joguei do lado do meu copo. Scarlett virou-se para mim.


- Ei, todo mundo perde. – Ela disse pondo a mão no meu ombro.

- Eu não. – Sussurrei sem nem olhar pra ela.

- Mas Jake... – Ela falou.

- EU NÃO, SCARLETT! – Gritei a plenos pulmões, furioso.


Por sorte, o café estava vazio naquela hora e o único casal, sentado na mesa mais próxima a porta olhou na nossa direção. Scarlett virou o rosto e encarou seu copo, retraída. Eu virei pra ela, com remorso.


- Ruiva, desculpa. – Pus a mão no braço dela.  – Eu não queria ter gritado assim.

- Mas gritou. – Ela segurava as lágrimas tentando fechar os olhos, as mãos tremendo segurando o copo firme. – Eu só quero ajudar.

- Eu sei disso, ruiva. – Falei com uma expressão acalentadora. – É que eu não fui acostumado a perder, só perdi em duas ocasiões e até hoje sou meio traumatizado com isso.

- Como assim? – Ela largou o copo, mais tranquila, apesar de ainda não olhar para mim.

- Derrotei os 8 líderes de ginásio sem ter que lutar mais de uma vez. E venci os cinco primeiros Contests que me inscrevi. – Bebi um gole do café em seguida.

- Quais ginásios você enfrentou? – Ela disse, dessa vez olhando para mim.

- E isso importa? – Eu falei, sem entender.

- Sim, importa. – Ela falou, pensativa. – Quatro ginásios foram abertos em Sinnoh ano passado. E eu sei que esses quatro eram considerados os mais “fáceis” de se vencer.


Hesitei. Scarlett sabia de uma informação que apenas treinadores que se interessavam por insígnias sabiam. Eu particularmente só da existência dos 4 novos ginásios quando fui em Twinleaf pegar meu terceiro Pokémon.


- Como você sabe disso? – Olhei-a, desconfiado.  Me ocorreu naquele momento que eu nunca soube de ela veio. – Aliás, uma coisa que eu ainda não sei sobre você. Qual sua cidade natal?

- Ah, uma muito longe daqui. – Ela desconversou, rapidamente. Tomou um gole do café e voltou-se para mim de novo. – Você enfrentou os ginásio de Jubilife, Floaroma, Solaceon e Celestic, não?

- Sim. – Cerrei os dentes. – Mas não os enfrentei por serem os mais fáceis nem nada disso. – Me expliquei rapidamente. – Eu não queria ir até Snowpoint por ser muito ao norte e Canalave apesar de relativamente próxima de Twinleaf seria um problema pela força de Byron e ir até lá me faria voltar Sinnoh toda só para pegar a insígnia. Como eu passei por Jubilife logo de início da jornada, resolvi lutar lá. Depois Floaroma e pela rota nova ao Leste que foi construída cheguei em Oreburgh. Celestic e Solaceon na semana seguinte. Veilstone e Pastoria depois e por último Sunnyshore.

- Interessante. – Scarlett mexeu no chapéu. – E os Contests?

- Jubilife, Floaroma, Celestic, Solaceon e Hearthome. – Falei olhando para a tv bem no momento em que Thorton finalizou uma entrevista com uma repórter.

- Por quê você não pegou a insígnia de Hearthome? – Scarlett indagou.

- Eu saí de casa no início do ano. Em 3 meses eu havia conquistado as 8 insígnias. A Sinnoh League daquele ano só era no final do ano. – Olhei de volta para Scarlett. – Como eu queria treinar mais, resolvi participar do Grande Festival. Como os Contests só começavam no segundo trimestre eu tive tempo de me preparar. O resto foi fácil. Cinco ribbons em 2 meses.

- Jake... – Scarlett olhou para mim espantada. – Isso é um recorde.

- Eu sei disso. – Falei envergonhado. – Mas é porque eu me organizei muito bem e otimizei muito meu tempo. Se eu tivesse ido até Canalave e Snowpoint não teria conseguido as Ribbons.

- Parabéns. – Ela deu um sorriso amarelo. – Mas então, explica o porque de não ser acostumado perder e ter perdido só duas vezes.

- Ah. – Vesti o gorro de volta. – Eu fui muito bem durante as competições da Sinnoh League e do Grande Festival. – Bufei. – Só que havia alguém melhor que eu nas duas vezes.

- Que triste. – Ela falou com um tom de cansaço. – Mas é algo de se admirar. Nunca vi ninguém que tivesse tentado no mesmo ano as duas maiores competições do continente.

- Eu também não. – Falei e cocei o queixo. – Na realidade... No ano anterior em que eu participei eu assisti as duas competições. Um cara com uma harpa de Mew participou nas duas. Ele chegou a ir bem no Grande Festival mas na Sinnoh League ele perdeu logo na primeira rodada.

- Viu? É raro alguém participar das duas e ir bem. – Ela deu um sorriso reconfortante.

- Ah... – Fiquei sem graça. – Enfim, isso não vem ao caso agora. – Relaxei os ombros. – Nada da minha experiência deu certo contra Darach.

- Jake... – Scarlett fez uma pausa. – Talvez você tenha sofrido da síndrome do “Eu sou bom o suficiente e não preciso de treino”.

- Como assim? – Indaguei confuso.

- Você achou que o fato de ter ido bem no passado ia se repetir aqui. – Ela terminou de beber seu café. – E mais, você achou que o fato de ter me derrotado tão facilmente já era motivo suficiente para acreditar que Darach ia ser fácil de derrotar.

- Não creio que seja isso, Scarlett. – Falei cabisbaixo. – Darach mudou as regras, isso dá a ele vantagem.

- Tem uma coisa que eu queria te mostrar... – Ela pôs o estojo da câmera no balcão. – Eu não só fotografei como filmei algumas parte da batalha. – Quero te mostrar uma coisa.

- Tudo bem... – Falei hesitante.


Eu assisti a batalha com Empoleon e Houndoom. Scarlett apenas passava algumas fotos e vídeos curtos. Depois de cinco minutos, ela virou-se para mim.


- Percebeu no que você errou?

- Sinceramente? Não.

- Você além de ter deixado as novas regras de Darach terem te desestabilizado, não soube reagir a tempo quando Darach ordenava um contra-ataque.

- Scarlett, isso é loucura. Eu...

- Tem certeza que quer indagar comigo? – Ela me encarou com uma expressão séria.

- Ok... – Fiz uma pausa. – Digamos que você está certa. O que você sugere?

- Primeiro de tudo, você pautou sua estratégia apenas em Togekiss e Garchomp. – Ela prendeu os cabelos em um rabo de cavalo. – Eu teria recomendado Garchomp e Infernape, apesar de Darach ter um Empoleon.

- Por quê? – Perguntei.

- Garchomp é forte, muito forte. Entretanto, Infernape é um dos pokémons mais rápidos que já vi. E o seu é muito rápido. Mesmo lutando contra um Empoleon, eu creio que usando os ataques certos você possa vencer Darach. – Ela falou com uma expressão de entendida no assunto.

- Scarlett, não posso pautar uma revanche com Darach apenas na sorte de você estar certa quanto a velocidade de Infernape. – Falei olhando para frente. – Além do mais...

- Calma. – Ela pôs a mão na minha boca, obrigando-me a me calar. – Darach além de estar com essa vantagem do computador, está te desestabilizando emocionalmente pondo você em desvantagem com ele uma vez que ele dita as regras do desafio.

- E o que eu faço então?

- Você tem que jogar o jogo dele. – Ela olhou para mim com um olhar malicioso. – O que pode desestabilizar Darach facilmente?

- Caitlin. – Nesse momento, tive um estalo. – A CARTA DA CAITILIN! – Gritei de novo e o mesmo casal que havia nos olhado antes nos olhou de novo.

- O quê?

- Caitilin me deu uma carta para entregar para Darach. Eu esqueci completamente de entregar pra ele.

- Isso é uma boa ideia. – Ela olhou para o lado.

- Sim. – Chamei a atendente. - A conta, por favor.

- Você leva a carta até o Battle Castle... – Ela falou.

- E proponho uma revanche contra Darach... – Eu falei sorrindo maliciosamente.

- Com as regras originais da Battle Frontier. – Ela falou sorrindo mais maliciosamente ainda.

- Valendo a carta da Caitilin. – Eu estava eufórico.

- Darach vai ficar mais decidido a te vencer, mas vai ficar nervoso por saber que a carta estará em jogo. Essa vai ser sua chance.

- Sim. – Cocei a cabeça. – Ainda posso acabar me ferrando se perder o cara ou coroa, mas se eu conseguir vencer o cara ou coroa...

- Você já começa com vantagem com Darach. – Ela tinha quase uma fúria no olhar. – Se você derrotar um dos pokémons dele usando apenas um dos seus, vai conseguir ter uma vantagem sobre o segundo tendo que derrotar os seus dois. É a sua chance de vencê-lo.


A atendente veio e pagamos a conta. Saímos do café. Eu e Scarlett trocamos um olhar ansioso. Dobramos a esquina movimentada. O Sol estava no alto de nossas cabeças. Caminhávamos em direção ao Pokémon Center. Andávamos quase correndo. Assim que chegamos, entramos correndo e vimos a mesma menina que Darach havia derrotado no dia anterior e passou por nós correndo. A enfermeira Joy e sua Chansey a confortavam, ainda em meio  as lágrimas.


- Jake, isso tem que parar. – Ela olhou a cena com uma expressão triste.

- Vai parar. Me espera aqui. – Apontei para um sofá marrom grande a nossa esquerda em formato de L. – Vou subir e pegar a carta.


...


- Anda, vamos ler a carta. – Ela puxou o envelope da minha mão, ansiosa.

- Será que é uma boa ideia? – Falei, desconfiado.

- Pode ter alguma coisa na carta que te ajude a derrotá-lo. – Ela abriu o envelope devagar e puxou um papel reciclado dobrado perfeitamente. Escritas em uma letra impecável na cor roxa estavam as seguintes palavras:


Querido Darach,

Escrevo essa carta para você mais com uma despedida do que qualquer outra coisa. Preciso seguir minha vida, trilhar meu próprio caminho. Eu não posso ser a sombra de um Frontier Brain. Quando os desafiantes vêm ao Battle Castle eles querem enfrentar Darach, não Caitlin.

Quero ser reconhecida e creio que em Sinnoh isso não será possível. Há uma oportunidade para ser Elite 4 daqui e eu vou tentar seguir o meu sonho de ser forte por mim mesma, sem depender de mais ninguém.

Não me entenda mal, eu tenho um sentimento muito grande, forte e bonito por você, mas não posso esperar para sempre por você tomar a iniciativa. Eu vou ficar em Castelia City treinando para as batalhas que terei que travar para conseguir atingir meu objetivo.

Eu sempre serei sua Lady Caitlin, sempre. Nunca deixarei de ser.

Eu te amo.

L.C.


Eu e Scarlett trocamos um olhar nervoso. Eu sabia que Darach e Caitlin tinham alguma coisa, mas não sabia que era assim. Senti-me um invasor de privacidade alheia, mas agora eu já havia lido a carta.


- Então ela o amava. – Ela olhou para o papel espantada e o dobrou. – E ele burro a deixou ir embora.

- Você não os conheceu quando ela ficava aí no Battle Castle. –Virei a cabeça para a porta do Pokémon Center. – Ele era um cavalheiro para ela, mas nunca mostrava nada além do que o mais profundo respeito por ela.

- Ele é burro. Muito burro. – Ela balançou a cabeça negativamente. – Pois bem, você já tem um trunfo contra Darach. Use-o bem. – Ela me devolveu o papel.

- Sim. – Pus o papel de volta no envelope. – Agora preciso treinar para a revanche.

- Exato. – Ela olhou para mim, decidida. – Onde vamos treinar?


Olhei para trás. Vi 3 vídeo-fones perto do balcão de onde a enfermeira Joy confortava a menina. Levantei-me.


- Scarlett, vou fazer umas ligações. – Ela me olhou curiosa. – Já volto.

- Tudo bem. – Ela levantou-se e foi até o balcão ajudar a confortar a menina que ainda chorava.


Respirei aliviado. Eu não queria que Scarlett ouvisse minhas conversas. Haviam 3 bancos verdes alcochoados de frente para três monitores grandes na cor cinza. Sentei-me no do canto direito, mais afastado do balcão e disquei o número de Thorton na tela. Em poucos segundos ele atendeu. Seu rosto era o de sempre, ele estava em uma área aberta e chovia.


- O que foi? – Ele disse com uma expressão séria.

- Eu vi a entrevista. – Fiz uma pausa. – Na realidade, só de relance. Ainda está aí?

- Estou. – Ele olhou para cima. – E pelo visto não vou sair daqui tão cedo.

- Como você não está sendo atingido pela chuva? – Indaguei confuso.

- Xatu. Psychic. – Ele apontou para a esquerda. – Como está o desafio?

- Vou lutar com Darach amanhã. – Falei sério.

- Primeira vez? – Ele olhou para a direita. Agora eu havia percebido que ele estava andando.

- Segunda. – Franzi a testa. – E se falar qualquer coisa desligo na sua cara.

- Estressado. – Ele olhou para frente, preocupado. – Espero que perca de novo, preciso de tempo.

- Para? – Olhei desconfiado. – Está tudo bem?

- Está. – Thorton olhou para a tela. – Manteve os 3 com você?

- Sim, inclusive Togekiss e Garchomp lutaram ontem.

- E perderam. – Ele falou no tom mais natural do mundo, do nada ele começou a correr. – Preciso desligar, depois nos falamos.


Estranhei, mas logo depois voltei ao normal. Era com Thorton que eu estava falando. Estranho seria ele me tratar bem e não fazer alguma exigência. A tela se apagou e eu disquei o número de Caitlin. Ela atendeu no primeiro toque, o rosto angelical e estava diferente. O cabelo parecia mais volumoso e ela usava um capéu grande. Sorriu para mim assim que me viu, estava em algum lugar movimentado, parecia um ginásio.


- Oi, Jake! – Ela disse animada. – Como você está?

- Estou bem. – Falei num tom tão desanimado que ela percebeu que havia algo errado.

- Já o enfrentou? – Ela disse rapidamente.

- E perdi. – Ri. – Faz parte, eu acho.

- Entregou a carta? – Ela olhou para mim com uma expressão preocupada.

- Vou entregar amanhã, quando eu for enfrentá-lo de novo.

- Como foi a batalha? -  Ela perguntou, se ajeitando onde estava sentada.

- Foi cruel. Darach está amargo e mudou as regras. – Falei baixo.

- Ele o quê? – Ela se aproximou da tela.

- É, isso tornou a chance de derrotá-lo muito menor.

- Não acredito. – Ela ficou angustiada. – Eu não deveria ter ido embora, ele agora vai tornar o desafio...

- Caitlin, calma! – Bati na tela devagar. – Eu vou lutar com ele amanhã de novo e tentar consertar isso.

- Mas se ele mudou as regras com certeza devem ser a favor dele e isso está prejudicando os desafiantes, ai meu Arceus...

- Caitlin, eu liguei pra você justamente sobre isso. – Fiz uma pausa. – Eu quero permissão sua para usar a carta que você escreveu pra ele como mecanismo para tentar tornar o desafio menos impossível.


Caitlin ficou muda por um minuto, o que pareceu uma eternidade. Um indivíduo de calça rosa e preta com blusa verde pôs a mão em seu ombro. Não vi o rosto da pessoa, mas Caitlin olhou para a pessoa e respirou fundo. Olhou para mim e disse com firmeza.


- Faça o que for preciso. – Ela segurou as lágrimas. – Eu não queria isso.

- Caitlin, não é culpa sua. – Eu tentei confortá-la. – Ele está confuso e sente sua falta. Vou tentar por algum juízo na cabeça dele.

- Você tem é que dar uma surra nele nessa batalha. – Ela olhou decidida. – Me prometa.

- Caitlin...

- Me prometa. – Ela me encarou. Uma expressão voraz em seu rosto. – Estou lhe implorando.

- Tudo bem. – Falei hesitante. Eu não sabia se conseguiria derrotar Darach na revanche. – Eu prometo.

- Ótimo. – Ela levantou-se e inclinou-se para baixo. – Assim que você vencê-lo, me avise. Vou desligar agora.


Antes que eu pudesse esboçar qualquer reação, a tela se apagou. Levantei-me e fui até o balcão. A menina não estava mais lá e Scarlett estava conversando com a enfermeira Joy. Assim que notou minha presença, parou de falar e virou-se para mim.


- Pronto? – Ela soltou o rabo de cavalo do cabelo. – Vamos treinar?

- Vamos. – Falei decidido. – Tem um campo de batalhas perto do café onde estávamos. Vamos pra lá.


Scarlett se despediu da enfermeira Joy e saímos do Pokémon Center. Andamos até o café e passamos mais um quarteirão. Um homem de roupas listradas em vermelho e amarelo deu um panfleto na mão de Scarlett, que o segurou sem nem ver o que estava escrito e continuou andando. Cruzamos mais duas ruas e avistamos um campo aberto, com algumas pessoas da nossa idade treinando. Ao fundo haviam dois prédios, os mais altos da cidade e os últimos já que atrás iniciava-se uma rota no meio de uma floresta. O campo mais perto dos prédios estava vazio. Andamos até lá e nos pusemos em lados opostos do campo. Scarlett olhou para mim, um ar de decisão no seu rosto.


- Vamos rever algumas estratégias.

- Exato. – Saquei três pokébolas. Eu não ia perder a revanche. Não ia mesmo. –Temos um Frontier Brain para derrotar.


@Nota do autor: a revanche com Darach já foi escrita. Eu AMEI a batalha, espero que no próximo capítulo todos curtam.


Última edição por Kirkos em Qui 3 Set 2015 - 13:49, editado 1 vez(es)
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Rush em Qui 3 Set 2015 - 11:23

Eai, Kirkos!

Como sempre, gostei do capítulo. Tu arriscou fazendo ele ser composto apenas por diálogos, mas você tem uma grande facilidade em criar diálogos diretos, realistas e muito bem feitos. Gostei bastante da conversa entre Jake e Scarlett, mas fiquei bem bolado que o Jake não revelou essas vezes que ele perdeu.

Uma coisa que, pra ser honesto, eu NÃO gostei, foi o fato de você ter colocado um personagem do anime na fic, dando a entender que a fic se passa no mesmo universo e tem um Ash andando por ai. Eu odeio o Ash. >.> 

Enfim, de resto, o capítulo foi bem maneiro. Gostei das revelações, mostrando que Jake também é um coordenador. Eu estava achando que o relacionamento entre a Catilin e o Darach fosse um amor platônico por parte dele, mas do jeito que Scarlett entendeu, deveria ser sido algo do gênero mesmo.

Agora eu estou bem ansioso pra revanche. Espero que o treinamento seja em off, porque eu quero ver um capítulo totalmente focado na batalha. u.u E se o próprio autor gostou e reconheceu que a batalha foi boa, isso me deixa ainda mais ansioso!

É isso cara, eu aguardo ansiosamente para o próximo capítulo. Poste rápido u.u

Abraço!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Battle Frontier

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum