Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Uma canção de liberdade

Ir em baixo

Uma canção de liberdade

Mensagem por Nicklaudas em Dom 26 Jul 2015 - 3:51

Oi, eu sou o goku Nick, e eu estava com uma grande vontade de fazer uma Fanfic de Pokémon, então eu vim e estou fazendo. Eu não tenho experiência alguma com fanfics, então qualquer crítica construtiva é bem vinda.

Prólogo


Eram por volta das 9:00 da manhã quando a mãe de Berilo decide acorda-lo.
-Berilo, acorde, já é de manhã!
Berilo já estava acordado havia algum tempo, estava muito animado. Era o dia em que Berilo receberia o seu primeiro Pokémon e sairia em uma jornada pelo mundo. Ele iria sair em uma jornada com o intuito de descobrir e estudar novos Pokémons. Os Pokémons da região de Moussaief ainda eram um mistério para os humanos que ali viviam, é uma região recém descoberta no leste. É esperado hajam novas espécies de Pokémon nessa região.
-Já estou acordado, mãe. - Berilo respondia à sua mãe de forma carinhosa.
-Você tem certeza que é isso que você quer fazer, Berilo? - A mãe de Berilo estava aflita, não sabia se o filho saberia se cuidar na jornada, afinal, é um continente pouco explorado. É estimado que apenas 60% do continente tenha sido explorado.
-Sim, mãe, é o meu sonho desde que o Papai foi explorar o continente. - O pai de Berilo era um explorador e biólogo, ele saiu para explorar o continente com a sua equipe quando Berilo tinha apenas 6 anos. Desde então, ele apenas têm mandado cartas e dinheiro para a mãe de Berilo. - Espero que eu possa encontrar a equipe de meu Pai na minha jornada. Acredito que ele vai ficar orgulhoso de mim por ter seguido o mesmo caminho que ele.
-Se é o que você quer, não tenho o que fazer. Mas tome cuidado.
Berilo descia as escadas com pressa. Ao chegar na cozinha, sentou-se para tomar o café da manhã. A mãe de Berilo tinha feito a sua comida favorita, panquecas.
-Já que hoje é um dia especial, fiz panquecas para você. Sua mochila está pronta, está ao lado da porta.
-Obrigado, mãe.
Ao terminar suas panquecas, Berilo vai para a porta, verifica a sua mala. 4 camisetas, 2 bermudas, 2 calças, 4 roupas de baixo e 4 pares de meia, 2 toalhas, 3 cadernos de desenho, 2 cadernos de anotação, 1 saco de dormir e do lado de fora estava 1 barraca, caso fosse preciso. E por fim, sua flauta. Berilo adorava aquela flauta, foi o presente que seu pai lhe deu quando partiu, desde então ele aprendeu a tocar a flauta. Era o suficiente até chegar na cidade mais próxima.
-Estou indo mãe, me deseje sorte!
Berilo abriu a porta, mal esperava para poder sair de sua cidade, Painita, e explorar novos lugares. Só esse pensamento já o deixava animado.
O laboratório da Professora Flamboyant não era tão distante, Berilo conseguiria chegar tranquilamente em 15 minutos de bicicleta. O caminho era belo, haviam árvores e flores na calçada , a estrada havia poucos buracos. Berilo amava fazer esse percurso, mesmo que estendesse a sua ida ao laboratório, ele amava a natureza.
Haviam poucas pessoas nas calçadas, a grande maioria dessas pessoas tinha entre 35~40 anos, estavam no continente para tentar conseguir uma vida melhor.
-Bom dia, Berilo!. - Dizia a Senhora Mandon, tinha 60 anos mas aparentava ter 40. Ela tem uma fazenda próximo a casa de Berilo e todos os dias fornece leite fresco para ele e sua mãe. Ela adorava as canções que Berilo tocava na flauta.
-Bom dia, Senhora Mandon!
Na cidade de Painita, quase todo mundo se conhecia, não era uma cidade tão grande. Possui no máximo 12.000 habitantes, e fica na parte sul do continente e foi uma das primeiras regiões a serem colonizadas em Moussaief.


Fim do prólogo

Esse foi o prólogo, yay. Eu irei atualizar o tópico principal com as informações do personagem, continente e etc quando depois do terceiro capítulo, que até lá acredito que já haverá algumas informações mais específicas sobre o continente e os personagens.
Espero que gostem, qualquer crítica construtiva é bem vinda.

A Região de Moussaief

O Clima
Spoiler:
O clima de Musssaief é um clima sub-tropical, temperaturas não passam de 30º no verão e no inverno não descem mais que -0º no geral. A região mais fria é o norte, neva pelo menos 1 vez a cada 3 anos.

Relevo
Spoiler:
É montanhoso, com alguns planaltos e poucas depressões. A região mapeada da ilha contém 1 vulcão, que esta inativo e fica na parte central do continente. Os Pokémons que aqui vivem estão acostumados com este terreno e conseguem usar ele em sua vantagem.

A região fica no extremo leste do mapa múndi,

Mapa
Spoiler:
Estou providenciando
---
---

Respondendo os comentários:
@IsaacXD7
Obrigado pelas críticas. <3. É mapa múndi mesmo, acabou me fugindo o termo haha

Capítulo 1 - O início da jornada

Capítulo 1:

Berilo estava descendo de sua bicicleta quando a porta do laboratório se abriu
-Você é o Berilo? - Uma mulher perguntava para Berilo. Tinha olhos verdes e usava óculos. Os cabelos dela eram longos, na altura das costas, estavam soltos e tinham o vermelho mais forte que Berilo já tinha visto.
-Sim, sou eu. Quem seria você?
-Eu sou a professora Flamboyant, estava te esperando. Vamos, entre. - Dizia ela em um tom amigável
O laboratório era bem arejado, 3 janelas, 1 na esquerda, 1 no centro e 1 na direita. Os azulejos que o compunham eram brancos, assim como a cor das paredes. Havia 1 computador próximo ao fim do laboratório e ao lado dele havia algo que parecia uma cama, mas era menor, não dava para ninguém se deitar nela, e não havia um colchão. Havia uma cruz nela. Mais ao lado havia um aparelho redonda, no topo dela havia 3 bolas.
A professora levou Berilo até esse aparelho.
-Aqui é onde está o seu futuro parceiro, está sendo feito uma última coleta de dados neles, mas ela já está no fim. Eles estão prontos para a jornada. Então irei apresentar as suas escolhas. O primeiro é Alop, um Pokémon aquático. - Alop se parece com um filhote de cachorro, os olhos estão semi-abertos, mas parece que ele não consegue abrir mais do que isso.  A cor de seu pelo é azul, um azul tão claro que pode ser mais claro que a própria neve - O segundo é Lepo, um Pokémon do tipo fogo. - Lepo se parece com algum tipo de esquilo, mas este esquilo é ligeiramente maior, sem pelos, olhos completamente abertos e fica em pé nas duas pernas. Tem duas orelhas pontiagudas, grossas na base mas finas nas extremidades. A cor de seu pelo é vermelho, olhos verdes, da cor da grama. - E por último Mant, um pokémon do tipo Grama - Mant tem 4 pernas finas, 2 braços grossos, 1 longo e fino pescoço e o resto de seu corpo é coberto por uma folha enorme. Sua coloração é toda verde, mas em tons diferentes na folha, seus olhos são verde escuro.
Berilo estava certo de qual seria a sua esclha, ele sempre quis ter um Pokémon que pudesse guiar ele pelos oceanos, que é a área em que o homem tem menos domínio. E ele sempre gostou do Growlithe que sua vizinha, Osha, tinha. Osha era uma garota de 8 anos que amava as canções que Berilo tocava em sua flauta, ela possuía um Growlithe, que é um filhote do Arcanine de seu pai e o Arcanine de sua mãe, que são policiais.
-Eu quero Alop. – Dizia ele com um tom decidido, ele pensou nessa escolha durante os último ano de sua vida, que foi quando a professora chegou na cidade. A professora veio de Unova para Moussaief para estudar os Pokémons que aqui existem.
-Uma boa escolha.
A Professora pega a Pokébola do Alop, entrega ele a Berilo junto com 5 Pokébolas extra, para captura de Pokémons e 1 Pokédex, para ver os dados dos Pokémons já descobertos.
-Preste atenção, Berilo, a Pokédex vai apenas reconhecer os Pokémons que já foram estudados, como Alop, Lepo e Mant, se houver qualquer Pokémon que a Pokédex não possa registrar, ele é um Pokémon não descoberto. As Pokébolas irão servir para capturar os Pokémons que surgirem, mas tome cuidado, se você não conseguir capturar o Pokémon, a Pokébola irá se perder. Para aumentar as chances de captura, deixe o Pokémon inimigo cansado e com algum status negativo, como envenenamento, paralísia, sono e etc
-Obrigado pelas instruções, professora.
Berilo sai calmamente do laboratório. Ao sair, ele pega sua Bicicleta e se dirige ao norte da cidade, para ir para a Rota 1. Seus amigos ainda não tinham idade para sairem da cidade, então ele teve que deixa-los para trás. O garoto estava muito animado, mal podia esperar para sair da cidade.
-Já sei, darei um apelido ao Alop. Alop é um nome legal, mas não soa muito bem... Já sei, Alopex é bem legal, e não modifica tanto o seu nome. Ainda não sei quais são os ataque do Alopex...
Berilo pega a sua Pokédex, e vai para o registro do Alop.
Ataques iniciais
Tackle
Icy Wind
Water Gun
Growl
Berilo estava surpreso, não é normal para um Pokémon inicial ter um ataque de gelo. Alopex no futuro pode ser um Pokémon de gelo!
Chegando próximo a rota 1, Berilo acaba encontrando o seu melhor amigo, Maxwell. Maxwell era um garoto franzino, tinha 13 anos, mas agia como se fosse mais velho. Tinha os cabelos ruivos, cacheados. Sardas e uma falha nos dentes da frente.
-Como você pode sair da cidade e não dizer adeus ao seu melhor amigo?
-Maxwell! Não achei que você viria me dizer adeus, já que eu já o fiz ontem com todo mundo.
-Claro que eu viria, sou seu melhor amigo!
Beril desceu de sua bicicleta e deu um abraço em Maxwell
-Sentirei sua falta, Max. Você foi meu melhor amigo durante minha vida, e espero que continuemos após eu voltar.
-Calma, Ber, no próximo ano eu poderei sair em uma jornada também, eu irei de alcançar de alguma maneira. Só espere! - Max disse isso com um tom animado, estava determinado a cumprir essa promessa. Dava para sentir a intensidade do olhar dele.
-Espero que sim, Max.
-Então Ber, qual inicial você escolheu? - Perguntou Max
Berilo pega a Pokébola em que estava Alopex e libera ele. Alopex estava sonolento, se espreguiçou e sentou-se.
-Uau... Um Alop. Eu não escolheria esse, eu escolheria o Lepo, acho que ele é o mais forte de todos! Aquelas orelhas pontudas dele mostram tudo, quando ele evoluir, ele vai ser o Pokémon mais forte de todos, você vai ver!
-Hahaha, dúvido muito! Alopex vai ser o Pokémon que vai explorar o continente e o que tem ao redor dele, só por isso ele já é o mais forte de todos pra mim!
-Típico de você! - Max disse isso e deu uma risada, mas depois de alguns instantes ele ficou sério. - Boa sorte, Ber.
-Obrigado. Até mais, meu amigo... - Disse Berilo em um tom baixo, estava triste em se despedir de seu melhor amigo.
... Berilo conheceu Maxwell quando ele estava no parque, no centro da cidade. Maxwell estava na gangorra, sozinho. Ninguém queria brincar com alguém mais novo. Berilo se aproximou dele e perguntou:
-Ei! Posso brincar com você?
Os olhos de Max pareciam brilhar. Era a primeira vez que alguém mais velho queria brincar com ele.
-Sim! Sim! Sim! Eu sou Maxwell, mas pode me chamar de Max. E você?
-Eu sou Berilo, mas acho que você pode me chamar de Ber.
Esse foi o início de uma amizade que durou mais de 10 anos...
...
-Até mais, meu amigo... Sentirei sua falta...
Berilo subiu em sua bicicleta, retornou Alopex para a Pokébola e foi em direção a Rota 1, onde sua jornada irá começar de verdade.

Capítulo curto, mas no próximo acredito que será maior. Infelizmente, eu não tenho os dotes artísticos para ilustrar os Pokémons iniciais, então eu tentei descreve-los com a maior precisão que eu pude.


Última edição por Nicklaudas em Dom 26 Jul 2015 - 21:24, editado 3 vez(es)
avatar
Nicklaudas
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/01/2011

Frase pessoal : HILSTON! WE HAVE A PROBLEM!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Uma canção de liberdade

Mensagem por Slow em Dom 26 Jul 2015 - 14:36

Hey, Nick o/

Olha só, mais uma Fic para acompanharmos Very Happy

Bem, o prólogo foi curto, mas além de que longo de mais fugir um pouco do objetivo, o necessário está ai. Bem, nas fanfics ativas já temos um policial de qual fic será?, um pescador essa tbm n sei e, agora, um Músico. Vejo que não falta estoque de criatividade xD.

Quanto aos erros e dicas, o que ficou mais evidente foram esses:
Erros:
Repetição de palavras:
Eram por volta das 9:00 da manhã quando a mãe de Berilo decide acorda-lo.
-Berilo, acorde, já é de manhã!
Berilo já estava acordado havia algum tempo, estava muito animado. Era o dia em que Berilo receberia o seu primeiro Pokémon e sairia em uma jornada pelo mundo.

Aconteceu outras vezes também no decorrer do prólogo, é bom dar uma revisada sempre, pode substituir por palavras como garoto, menino, rapaz, ele, -o (pronome obliquo) e pode deixar até oculto.

Ajeitado, como exemplo:
Era por volta das 9:00 da manhã quando a mãe de Berilo decide acorda-lo.
- Berilo Acorde, já é de manhã!
Ele já estava acordado havia algum tempo, estava muito animado. Era o dia em que Berilo receberia o seu primeiro Pokémon e sairia em uma jornada pelo mundo.
(PS: onde cortei, significa que pode-se deixar oculto)
Repetição de Sinais e erros de concordância:
Bem, esse dá para resolver com um pouco mais de revisão, é um erro bem comum (eu mesmo já cometi/cometo várias vezes -.-) e não prejudica muito o texto (a não ser que seja com muita frequência).

-Bom dia, Berilo!. - Dizia a Senhora Mandon...
(PS: Os erros de concordância, eu acabei perdendo-os de vista '-'. Mas se der uma revisada, acho que pode encontrar. Inclui tbm ausência de palavras como "Gosto de sorvete").
Dicas:
Word:
Aconselho-o escrever no Word, os erros de concordância e repetição de sinais podem ser evitados em sua maior parte assim.
Ferramenta do Word:
Uma ferramenta muito útil do Word é o Dicionário de Sinônimos (pode ser encontrado em Revisão > Dicionario de Sinônimos), caso tenha dificuldade de saber o sinônimo de determinada palavra, pra evitar a repetição.
Enter:
Não é obrigatório, mas tanto eu quanto alguns outros escritores gostam de dar um espaço com o enter entre os parágrafos, para deixar um pouco mais organizado.
Tutoriais da PM:
aqui, você pode encontrar um bom suporte, há vários e vários tutoriais e dicas, basta apenas procurar um pouco.

Elogios:
Bem, ao que eu vi, você sabe descrever muito bem (ou pelo menos melhor que eu). Mesmo sendo uma fic de jornada (considerada clichê, mas é sempre boa), ainda dá para sentir também sua boa criatividade.

É isso, boa sorte com a fic e até o Próximo cap o/

EDIT: Uma coisa que esqueci de dizer, cara, creio eu que não existe "extremo Leste do planeta Terra", já que ele é uma "bola". Acho que você quis dizer "extremo leste do Mapa Mundi".
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum