Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Pokémon Project Retype

Página 4 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Sab 24 Out 2015 - 1:24

-Ice!

Esse capítulo foi no mínimo chocante e marcante. Pra ser honesto, de todos os acontecimentos do capítulo, o que eu mais curti mesmo, foi o Pokémon de Emma. Sério, eu achei ótima a escolha desse Pokémon, principalmente por ele ser ofuscado da área. Eu gosto muito da linha evolutiva do Whismur, e fiquei muito animado quando eu vi que a garota teria um. Não sei se ele vai evoluir, mas eu realmente espero que sim. Imagina um Exploud na fic, que épico?

Eu também me surpreendi bastante com o Titan de Água. Mesmo que seu nome estivesse no título, eu estava tão entretido com os protagonistas ficando confortáveis na caverna que eu acabei me esquecendo completamente. E falando nisso, eu tenho que dizer, como eu fiquei com vontade de ficar na caverna naquela hora. Você descreveu um clima tão agradável que eu queria fazer parte desse grupinho. :c UAHEUAHE' Só de imaginar ficar na entrada da caverna, protegido da chuva mas ainda sim a vendo despencar no chão.

E quando os Pokémons do Natt começaram a brincar na chuva? AEUHAUE' Achei bastante interessante, já que todos são Pokémons aquáticos. Pra ser honesto, nem tinha me caído a ficha disso até eles irem brincar na chuva. AUHUAEHAUE' Eu ri demais quando o Swaddle tentou ir brincar também, mas no final fiquei com pena. Achei muito fofo da parte da Cyndaquill reconfortá-lo.

Agora sobre o Titan de Água, bem... Eu não sei. AUHAUEH' Achava que seria um Magmortar de Água, mas ficou explícito no capítulo que ele não usa golpes de fogo, o que havia acontecido foi o Scald que queimou as paradas lá. Mas... O bicho falou! Como não é a primeira vez que vejo Pokémons falando - Minha fic, a fic do Kirkos... - não iria me surpreender muito, mas e se ele for um humano? AH ICE, EU JURAVA QUE TINHA DESCOBERTO, DAI VOCÊ FAZ ISSO!!

Fiquei muito feliz em ver o Munchlax salvando Natt no final, sinceramente, achei que você tinha esquecido dele. Ainda me pergunto se ele irá ingressar à equipe de Natt, e por mais que eu queira que isso aconteça, acho que não iria combinar com os outros Pokémons aquáticos do protagonista... O que é uma pena. E PORRA! O Titan pretendia matar Natt?? Não achei que seria tão pesado assim!

Gostei bastante de Micau, Wings e Mud se unirem para proteger seu treinador, foi muito legal vê-los usando um ataque em conjunto. Isso me deixa ainda mais ansioso para a próxima batalha de ginásio. :c

Gostei pra caramba do capítulo, como de costume. Aguardo ansiosamente o proximo cap e espero que você continue postando os capítulos nessa frequência, pois estou adorando ver esses montes de capítulos! <3

É isso cara, continue assim. Um abraço!

avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Ter 27 Out 2015 - 19:54

Foi mal pela demora, eu geralmente posto os capítulos mais cedo, mas eu dediquei a tarde de hoje a ler algumas fics, e só consegui postar agora. Enfim, vamos aos, quer dizer, ao

Comentário:
Rush: Hey! Obrigado por gostar do capítulo! Na verdade, eu achei que não ficaria legal eu colocar assim o pokémon de Emma, pois ia parecer meio... jogado na trama, mas na verdade esse Whismur vai ter uma importância maior no futuro, eu adoro essa linha evolutiva, e eles sempre estavam presentes na minha equipe de R/S/E, será que veremos um Exploud na fic? Seria épico mesmo.

Auehae, sério, se você se surpreendeu com o titã de água na parte um, quero só ver na parte dois, haha. Essa cena da caverna realmente foi bem gostosa, estar sentados na entrada da caverna, vendo a água cair e sentindo o friozinho da chuva, eu sempre imagino cenas como essa no lado bom das jornadas.

O Sewaddle ir brincar na chuva foi uma demonstração de como ele é inocente e ainda não sabe do seu "problema", acho que haverão mais momentos como esse. Sobre o titã, como eu disse, as "respostas" virão nesse capítulo (respostas entre aspas porque isso só vai aumentar as dúvidas de vocês, creio eu). Ele foi feito pra ser interpretado como um Blastoise, e, depois da aparição do Sewaddle e introdução dos retypes, eu imaginei que o principal suspeito seria mesmo o Magmortar.

Não, eu nunca me esqueceria do Munchlax, ele foi bastante desenvolvido no começo para que, depois desse tempo sem ele dando as caras, sua aparição fosse algo inesperado, acho que consegui =P

A mistura de ataque entre Mikau, Muddy e Wings ainda acontecerá mais vezes, já que o Natt é do tipo que gosta de improvisar, e nessa parte dois veremos isso claramente.

Enfim, obrigado pelo comentário e por ter gostado, eu andei vendo que a área de fanfics está meio parada ultimamente, talvez seja semana de provas geral ou algo assim, então é bom ainda ver alguém por aqui c: Até mais ^^

Então, essa é a parte dois de o poder do titã, não tem muito o que falar, apenas que, no meio do capítulo, tem uma reviravolta tão inesperada que eu fiquei com medo que alguém fique puto, sério, apesar de parecer uma desculpinha besta ou algo do tipo, entendam que tudo o que acontece é importante para o plot, e temos pelo menos duas revelações importantíssimas aqui.

Natt sentia como se sua respiração estivesse pesada, seus braços e pernas doíam como se estivessem sendo moídos por uma marreta, e o corte em sua sobrancelha ardia como se alguém passasse uma lâmina na região.

De tão ruim que estava, já não sabia se realmente estava vendo coisa com coisa, mas, no momento, um Munchlax estava em sua frente, encarando uma criatura de quase dois metros coberta por uma capa, o titã de água.

- Você… - disse o pescador, olhando para o pokémon azul-escuro, não era a primeira vez que seus caminhos se cruzavam, eles já se conheciam.
- Natt! - Gray estava no topo do morro que Natt tinha descido, segurando na mão um celular vermelho com detalhes laranjas. O cozinheiro pulou, descendo o morro em pé, como se surfasse. Atrás dele, Emma descia cuidadosamente e Carlie tinha escorregado, descendo rolando, mas sem se machucar - Pegue!

Ele jogou o celular ao pescador, que pegou o objeto ainda no ar, usando toda a energia que tinha para se levantar. Ele desbloqueou o aparelho, entrando no aplicativo pokédex.

Gray terminou de descer a ladeira, segurando Natt com os braços ao chegar no chão, o pescador se apoiou no amigo.

- Você está machucado - disse o cozinheiro - Vem, eu vou te colocar longe daqui.
- Não. - Natt se afastou de Gray, mancando até perto de uma árvore e se apoiando nela. Ele apontou a câmera do celular para o titã de água, o reconhecimento de imagem escaneou o pokémon e entrou em uma página da pokédex.



Capítulo dezoito:
O poder do Titã - Parte 2

A página da pokédex era igual à que aparecia para todos os pokémon, um fundo preto com vários retângulos brancos onde ficam as informações. No lugar onde devia ficar o nome, haviam três pontos de interrogação, e, onde devia ficar a imagem de referência da espécie, um círculo negro com duas interrogações. Os outros campos estavam vazios, então o pescador apertou o botão de play.

"Erro de conhecimento, tente aproximar-se mais do pokémon, verifique se não há nada atrapalhando a imagem ou teste o seu sinal com a internet e depois tente novamente."

Ao ver que a pokédex não estava do seu lado, Natt guardou o celular no bolso.

O titã e Munchlax ainda se encaravam, nenhum dos dois dizia nada ou sequer se movia, era como se ambos se conhecessem.

Natt olhou para trás ao ver alguém se aproximando, era Emma, que colocou a mão no seu ombro, preocupada.

- Ei, sai daqui, esse lugar está perigoso!

O pescador olhou para ela e sorriu, fazendo com que o seu lábio formigasse de dor graças ao corte aberto nele. Não tinha nada a perder, tinha que dizer logo a ela.

- Ei, Emma…

Antes que pudesse terminar, ele sentiu uma rajada de ar que quase o jogou para o lado, tirando o seu boné de sua cabeça e jogando os cabelos louros de Emma para o lado, a garota caiu no chão, mas sem se machucar.

O titã de água soltava em direção ao Munchlax uma forte rajada de água pelo canhão de seu braço, mas que parava no ar, se chocando com um raio amarelo que saía da boca do seu oponente. O choque entre os dois poderes liberava uma forte rajada de vento que balançava as árvores e quase arremessava os que estavam no raio de alcance.

- Prime, Leaf, juntos! - Gray arremessou duas pokébolas, que ainda no ar se abriram, soltando um raio de luz vermelho que liberou dois pokémon, enquanto os objetos esféricos voltavam para a mão do treinador - Vamos acabar com isso!

Natt ajudou Emma a se levantar com cuidado ao ver o que iria acontecer no lugar.

- Vá com Carlie para longe - disse - Volte para a caverna, se escondam, vão para qualquer lugar, mas não voltem a menos que esteja tudo bem… E proteja os pokémon - acrescentou, ao ver que a garota iria contestar.

Ela assentiu, sem muitas opções. Eles ficaram um tempo olhando um para o outro, Natt sentiu que devia beijá-la, mas algo o impediu e ele não conseguiu fazer nada, e a garota saiu de lá, pegando Carlie pelo braço e indo juntas para um lugar que o pescador não conseguiu ver, o que o fez pensar que talvez nunca mais fosse vê-las.

Com algum esforço, ele se levantou, parando de apoiar na árvore e dando passos lentos em direção ao seu amigo.

O choque entre os ataques do titã e de Munchlax parou, fazendo com que a ventania também cessasse. O pokémon normal ficou parado, respirando fundo, teria que recuperar a energia gasta usando o ataque. O titã riu ao ver isso, levantando o seu canhão em direção ao pequeno pokémon.

- Thunder Punch e Leaf Blade!

Natt olhou para os pokémon de Grayson. Prime bateu um punho contra o outro, liberando uma faísca que eletrizou ambos. Em seguida, o lutador pulou em direção ao titã de água, dando um soco no rosto da criatura. O golpe foi tão forte que o som que ele produziu foi o equivalente ao de uma trovoada.

Ao receber o golpe, o titã de água cambaleou para trás, mas logo recuperou o equilíbrio, mostrando o quanto era resistente. O que ele não esperava, entretanto, era Leaf.

O pokémon vegetal chegou com uma velocidade incrível, ele havia arrancado a pequena folha de sua cabeça, e a mesma tinha se transformado em uma espada gigante que emanava uma luz esverdeada. Leaf passou do lado do titã, dando-lhe um corte no lado esquerdo do corpo, e depois voltou, dando um corte do outro lado, fazendo com que se abrissem rasgos na capa da criatura, e mostrassem uma pele azul na região do abdômen.

Munchlax se recuperou do tempo de recarga do Hyper Beam, olhando para os dois pokémon de Gray e abrindo um sorriso para ambos. Os três se juntaram na frente do titã, que deu uma risada irônica.

- É só isso que têm? - perguntou, com uma voz grossa.
- Não. - disse Natt. Ele levantou sua camisa, mostrando três pokébolas presas ao cinto, elas se abriram e soltaram com um raio de luz vermelho seus pokémon, que já estavam prontos para batalhar.

O titã levantou o braço direito. Natt achou que sairia da capa mais um canhão, mas viu uma mão azul saindo da manga direita. O pokémon puxou a própria capa, rasgando-a e a jogando para o lado. Apenas uma parte do pano sobrou, e ficou presa à parte inferior de seu corpo como um shorts.

Ele não se parecia nada com nenhum pokémon que Natt já tinha visto. Ele tinha uma aparência humanoide, na verdade humanoide até demais. Ele se parecia com um homem de idade, mas musculoso e alto, ele era azul no corpo todo, tirando na parte onde um canhão de ferro se fundia ao seu corpo, perto do peitoral e ficava no lugar de seu braço esquerdo.

No ombro direito da criatura, um objeto esférico de vidro estava cheio de água, com várias tubulações que levavam a água do vidro até o começo da parte metálica do seu corpo, onde ficava o canhão. O seu rosto era parecido com o de um homem idoso, com um pouco de cabelo grisalho. A parte inferior da sua face, onde deveria ficar a sua boca, tinha uma cor bege.




Natt e Gray se entreolharam. Tinham milhões de perguntas mas sabiam que não teriam as respostas, então apenas concordaram que tinham que acabar com aquilo logo.


~//~


- E se eles estiverem em perigo?
- Carlie, eles estão bem.

As duas garotas estavam paradas na entrada de uma caverna, Emma estava sentada no chão, tentando se concentrar para pensar em algo, mas não conseguindo pois Carlie estava do seu lado, resmungando com os braços cruzados.

- Ainda não acredito que você aceitou essa ideia machista de que não podemos ajudar, parece até que não se importa! - disse, batendo o pé no chão.
- Carlie, não há muito o que possamos fazer, não temos pokémon tão bons quanto os dos garotos.

Emma apontou para os pokémon que estavam parados na caverna, um Whismur e uma Cyndaquil sentados entediados.

- Eu acho que o Sewaddle poderia dar uma surra naquele pokémon estranho. - disse a garota, cruzando os braços novamente.
- Carlie, olha para o que você está dizendo, o Sewaddle é um recém nascido de fogo, você acha mesmo que ele… Cadê ele?

Carlie olhou para os lados, desesperada.

- Caramba! Será que ele… - ela não precisou completar, pois Emma se levantou, olhando para fora. Ainda chovia bastante lá, mas um rastro negro de grama queimada podia ser visto.


~//~


O titã de água rugiu, furioso, fazendo com que seus músculos saltassem e ele parecesse muito mais ameaçador. Em seguida, ele esticou o seu canhão, soltando água para todas as direções que podia, enquanto os pokémon faziam o possível para conseguir desviar.

- Prime, use o Karate Chop!

O pokémon lutador pulou, dando no canhão do titã um golpe com a palma da mão. A criatura apenas jogou o Primeape para o lado, mas o golpe tinha sido interrompido.

- Agora, Leaf, Grass Knot!

O titã pisou no chão, fazendo um barulho estrondoso que pareceu balançar o solo. O que ele não esperava, entretanto, era que raízes fossem sair da terra, se prendendo em uma de suas pernas e o derrubando no chão.

- Nossa deixa! Mud Bomb e Wing Attack! - gritou Natt.

Antes que o titã conseguisse se levantar completamente, Muddy lançou para cima uma bola de lama, que Wings arremessou usando um ataque de asas em forma de X, cortando-a em quatro partes. Todas as partes atingiram em cheio o rosto da criatura, e, antes que ele terminasse de limpar, um corte em forma de X foi feito pelas asas de Wings em seu peito.

Munchlax e Mikau se entreolharam, acenando com a cabeça um para o outro. Ambos se posicionaram lado a lado e estufaram o peito, soltando ao mesmo tempo os seus poderes. Da boca de Mikau saiu uma grossa rajada de água que se fundiu ao hiper raio que saía da boca de Munchlax, acertando o titã. Os dois ataques unidos arremessaram a criatura.

Gray pegou o celular de Natt, abrindo a câmera e tirando uma foto do titã de água enquanto ele se levantava lentamente.

- Konshe vai gostar de ver isso. - disse.
- Acho que é melhor sairmos daqui!

O titã rugiu, fazendo com que o som estrondoso pudesse ser ouvido pela rota inteira, talvez até nas cidades mais próximas. As gotas de chuva tocavam seu corpo e pareciam ser absorvidas por ele, deixando-o mais poderoso. Ele levantou o seu canhão, atirando para cima uma bolha gigante que estourou e arremessou água para todos os lados, apenas para mostrar o seu poder.

Ele olhou para os seis pokémon em volta dele. Primeape bateu os seu punhos um contra o outro, produzindo um som de estática. Ao lado dele, Nuzleaf arrancava a folha do topo de sua cabeça, transformando-a em uma espada pronta para atacar. Mikau estava próximo deles, cruzando os braços de uma maneira confiante. Wings esticava as asas, aparentando ser muito maior do que era, e, ao seu lado, Muddy estava apoiando-se no chão com sua cauda. Por último, Munchlax também cruzou os braços, dando um sorriso como se desafiasse o titã.

- Acha que pode contra tudo isso? - perguntou Natt.
- Não tenho medo de seus escravos de bolso.
- Pois devia ter - disse Gray.

O titã deu uma volta, analisando os pokémon que o rodeavam, sem fazer nada.

- Responde, qual é a sua? - perguntou o pescador - Não queremos briga, realmente não queremos.
- Acha que eu quero? - indagou o titã, olhando para o próprio canhão - Acha que gosto de ser o que sou?
- Por que você roubou o Museu de Relical? - perguntou Gray.
- Roubou o quê?

Os dois treinadores se entreolharam.

- Sabemos que foi você, nós o vimos! - disse Natt, mentindo para ver se conseguia a verdade.
- Não faço ideia do que estão falando.
- Natt, o roubo do museu aconteceu praticamente ao mesmo tempo que a invasão selvagem de Knothole… Se ele realmente for o responsável pela invasão como Konshe disse, então… - cochichou Gray - Retornem.
- Vocês também. - disse Natt.

Os pokémon dos dois treinadores voltaram às suas pokébolas, sobrando apenas o Munchlax. Sem que ninguém esperasse, o titã de água bateu no pokémon com o seu canhão, arremessando-o longe.

- Não! - disse Gray, indo socorrer o pequeno pokémon que estava caído perto de uma árvore.
- Então não foi você? - perguntou Natt, alto o suficiente para que o titã ouvisse.
- EU… NÃO… FIZ… NADA!!

A criatura correu de modo descontrolado em direção ao pescador, atingindo-o no rosto com a ponta do canhão, e também o arremessando para longe.

Se Natt já estava quebrado, isso só piorou a situação. Seu corpo todo latejava, e, ao bater contra o chão, ele pôde ouvir o barulho de ossos se quebrando. Mesmo com toda a dor, ele se esforçou para levantar novamente, mas o máximo que conseguiu foi ficar ajoelhado e apoiado com o braço no chão. O titã de água agora andava lentamente em direção à ele, com o braço direito segurando o canhão que estava apontado para o pescador.

- Eu não sei o que você é… - disse Natt, vendo que sangue saía de sua boca. O titã de água se aproximou dele, encostando o canhão na ponta do nariz do garoto, que tirou de seu bolso uma pokébola vazia e mostrou para ele - … Mas venha comigo. Sei que podemos resolver o seu problema, seja ele qual for.

O titã olhou para o objeto, sem reação. Em seguida, ele bateu com o canhão na esfera de captura, quebrando-a e arremessando os milhões de pedaços para longe. Ele voltou a encostar o canhão no rosto de Natt.

- Quer atirar? - perguntou o pescador - Vai, eu já estou todo fodido mesmo… Só se certifique de que isso vai acabar logo… E eu não acho que foi você que roubou o museu, ok?

Natt sentiu algo quente passando por suas costas. No começo, ele achou que era a sensação de morrer, mas viu que esse calor subiu para o topo de sua cabeça. Era o Sewaddle de fogo. O inseto, mesmo na chuva, parecia não apagar. Na verdade, o fogo de sua costa parecia estar ainda mais intenso, porém não machucava Natt, apenas fazia o garoto se sentir confortável.

- Waddle! - gritou o inseto.

O titã olhou para o pequeno pokémon, sem entender muito bem.

- Natt! - gritou uma voz feminina.

O pescador viu Emma e Carlie correndo em sua direção, mas apenas estendeu a mão para elas, fazendo um sinal para pararem.

- Waddle! Waddle!

O titã de água abaixou o canhão, virando-se de costas.

- Não quero vê-los mais. - disse, colocando novamente a sua capa, que estava no chão - Não voltem a cruzar o meu caminho, não terei pena da próxima vez.

A chuva estava muito intensa, e, somada ao escuro da madrugada, logo não foi mais possível ver o titã, nem ao menos ouvir os seus passos pesados.

O Sewaddle que estava na cabeça de Natt desceu novamente para o chão, olhando para o treinador com um sorriso sincero no rosto. Logo depois, Carlie chegou lá correndo e o retornou à pokébola para que o seu fogo não se apagasse. Logo atrás dela, Emma chegou dizendo alguma coisa, mas Natt não pôde ouvir, pois desabou no chão, exausto e quebrado.


Enfim, nesses dois últimos capítulos eu tentei responder algumas coisas, mas acabou que eu deixei ainda mais perguntas -q No próximo capítulo: Natt vs. Carlie, uma batalha de despedida!


Última edição por -Ice em Dom 12 Mar 2017 - 13:08, editado 1 vez(es)
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Ter 27 Out 2015 - 20:58

Eu errei feeeiiio, errei ruuuude. AEAYAUEHUAE' Sério, então o Titan de Água foi oficialmente introduzido. 

Eu gostei pra caramba do capítulo. Foi muito intenso mesmo. Por alguns momentos, eu fiquei em dúvida se o Titan de Água era bonzinho ou não. No início, desde o cap passado, deu a impressão que ele era um cara mau. Depois ele mostrou não saber de nada sobre o roubo, e eu pensei que ele fosse bom mas mal compreendido. Então Natt e Grey recuaram seus Pokémons e o cara ataca o Natt!!

No final, ele não foi tããão mau assim. Provavelmente porque ele viu que o Swaddle sofre do mesmo mau que ele, sendo uma cobaia desse Project Re-Type, por isso deve ter ficado com o coração mais mole... Mas porra..

Agora a minha teoria é a seguinte... Ele deve ser um dos caras que estava por trás de algum projeto que mudasse o elemento das coisas - incluindo o Swaddle - mas ele acabou sendo usado como cobaia e virou um humano do tipo Steel/Water, agora ele ta buscando vingança. AUEHAUE' Fala sério, sei que tu não vai contar a verdade, mas essa é uma teoria maneira. Eu me pergunto de verdade em como você pensou nisso. O Titan de Água é algo que realmente me surpreendeu e eu não esperava. Esse cara deformado com um puta canhão no lugar do braço... Nossa, eu senti pena dele, e pelo visto, ele ta bem bolado com isso também.

Admito que eu ri quando o Nate ofereceu a chance para ele ser capturado. Ele deve ter se sentido ofendido pra caralho. AEUAUEHUA'

Pelo nome do próximo capítulo, a Carlie irá ir embora do grupo por enquanto. Pra ser honesto, eu fico contente. Carlie é bem legal e engraçada, mas acho que ela não serve pra ficar entre os Main Characters, pois a aparição dela em cap após cap acabaria enjoando, pois acho que ela não tem muita harmônia com o grupo - além de Natt. 

Já a Emma... Eu pensei que Natt iria tentar beijar ela. Mas tenho certeza que ela iria dar um tapa nele ou simplesmente recusar, porque pow, ainda é muito cedo. Eles praticamente acabaram de se conhecer. Ainda bem que o Natt não tentou nada, se não ele iria se decepcionar. Afinal, posso estar errado, mas a Emma parece ser aquele tipo de garota que é bem fechada pra esses assuntos.

Agora que o Munchlax está com os protagonistas, finalmente iremos ver onde será o seu paradeiro. Provavelmente ele vai se juntar aos protagonistas para encontrar o Titan de Água no futuro, mas existe possibilidades dele ficar com Carlie por algum motivo, ou simplesmente seguir seu próprio caminho para procurar o monstrão. E falando nisso, me pergunto com quem Swaddle ficará. Provavelmente ele vai ficar com Carlie para ser examinado e tal... Mas seria legal se ele continuasse no grupo. 

É isso. Mais uma vez fico feliz com o cap ser postado antes do que eu esperava. O cap foi como de costume muito bom. 

Mal posso esperar para ler o próximo, estou muito ansioso para ver o desenvolvimento do plot!

Um abraço cara, ansiosamente aguardando o próximo cap!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por xKai em Sab 31 Out 2015 - 12:47

Meu Deus... Quanta informação, acabei de ler uns três capítulos de uma só vez -q Rapaz você tem que postar um pouco mais devagar, assim não acompanho -q Bom vamos lá ao que interessa né... Cara você me surpreendeu muuuito! A cada vez que o titã de água era citado eu ficava mais convicto d que se tratava de um Mega Blastoise, mas aí começou o assunto de mutação, daí essa minha teoria foi se esvaindo, comecei a imaginar então que ainda seria um blastoise, mas um blastoise geneticamente alterado e também não era... (MEU DEUS É O CHUCK!!) Achei algo muito diferente, é meio bizarro imaginar como uma nova espécie é criada... Sei lá, a gente pensa que é um tipo de chimera ou coisa do tipo... Não é atoa que o titã parece ter uma mágoa profunda para com si próprio... Ele deve detestar a própria existência, se achar diferente de tudo, odiar o próprio mundo que fora tão cruel com ele... Me pergunto o que ele faria caso se depare com o seu criador... Ou vai ver estou enganado, mas foi esta a ideia que tive dele nesta primeira vez... Bom, acredito que a história vai ter um time skip de pelo menos um ou dois meses, né? Fazia tempo que não via alguém apanhar tanto assim quanto o Natt... Nossa, parecia até a Alemanha kkk Estou repleto de curiosidades desta vez... Sewaddle parece estar gostando muito de Natt... Digo o mesmo deste Munchlax, mas acho que ainda não deve ser a hora de Natt capturá-lo, ainda mais quebrado assim. Wings pelo visto está gostando muito da Carlie... Pensei em uma troca, mas como o pokémon mutado não é dela pra início de conversa... É uma situação difícil... Bem, vou continuar com essa pulga atrás da orelha...

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Sex 6 Nov 2015 - 19:57

Hey gente, eu já queria começar pedindo desculpas pelo atraso, de acordo com o cronograma, o capítulo 19 era pra ser postado domingo passado e, hoje, o 20, mas quinta passada eu derrubei o meu notebook no chão e quebrei o HD, e aí já viram. Eu tive sorte e consegui outro HD para mim, mas perdi todos os sprites que tinha feito, alguns de personagens que ainda nem apareceram e outros de futuras insígnias, mas ok, pelo menos eu tinha todos os capítulos no google docs c: Já falei demais, vamos aos

Comentários:
Rush: E aí o/ Tu achava que era um Magmortar de água mesmo então? auehauhae Mas foi o que eu dei a entender mesmo. Esse capítulo foi escrito para passar uma epicidade de todos contra o titã, e eu não sei se deu certo mas o resultado ficou bem legal do mesmo jeito.

Sobre o titã ser bom ou mau, eu diria que não é nenhum dos dois, já que tudo se trata de pontos de vista. Os que se opõem ao titã vêem ele como mau, mas, no ponto de vista dele, ele só está seguindo a vida da maneira que pode e existem algumas pedras no caminho, e veremos no futuro que realmente a vida não tem sido fácil com o titã, mas isso será mais para frente ao vermos a sua origem. Será que você acertou?

Sim, a Carlie irá embora do grupo, mas não será agora, por mais que não pareça, esse título (que na verdade não é um título, é só uma preview) fala de outra coisa. Na verdade ela tem harmonia com o resto do grupo, mas é algo que não foi explorado porque eu achei meio desnecessário, já que se passaram alguns dias desde que eles começaram a andar juntos.

A Emma ainda é uma incógnita, eu na verdade já sei o que vou fazer com ela, mas tem mil possibilidades para vocês pensarem sobre o destino dela na história, e eles já estão chegando em Ciatteil, a cidade que era o destino dela inicialmente. Será que esse destino mudou?

Sem querer spoilar, o Munchlax já fez a sua parte e não será tão importante na trama que irá se desenvolver a seguir, mas ele já é presença garantida nas próximas temporadas e, ainda sem querer spoilar, onde tem Munchlax tem titã de água. E o Sewaddle, bom... É um puta spoiler cara (na verdade nem é, mas eu já spoilei de mais por hoje).

Obrigado por comentar e espero que continue gostando ^^

xKai: Kai o/ Eu bem que queria demorar mais pra postar, mas eu não consigo -q É muita coisa e um atraso maior de capítulos faria a fic demorar mais do que deveria. O titã de água foi criado com o intuito de trazer mistério à fic, e é bom que ele surpreenda, pois terão mais surpresas desse tipo ao longo da história.

Auheuhae, eu usei o sprite do Chuck como base, mas ele não tem nada a ver com o líder -q Sim, ele é tipo um lobo solitário, ainda está se acostumando com sua nova forma e está procurando o seu próprio rumo, sem saber o que o destino o aguarda, e ainda se conhecendo, por isso tantas intrigas, nessa reflexão sobre a vida ele não tem tempo para se preocupar com coisas como o Natt o atrapalhando.

A história vai ter sim um skip, mas não será tanto tempo assim, porque o Natt apanhou pra caralho e precisa de um tempo para se recuperar. Vamos ver o destino de Munchlax, de Sewaddle e de Natt.

Obrigado por comentar e espero que continue gostando ^^

Enfim, não tem muito o que falar sobre esse capítulo, apenas ressaltar que essa temporada está acabando e que ela vai terminar com chave de ouro. A partir de agora, eu começarei a reviver alguns assuntos antigos, então lembrem-se de coisas citadas nos capítulos nove e dez principalmente.

Natt olhava para a mesma sala escura com a mesma pedra rosa iluminando-a. Não era a primeira vez que via aquilo, e sabia que não seria a última. O objeto era muito bonito, não se parecia com nenhuma pedra preciosa que ele já tinha visto por ser rosa e extremamente redonda, além de emitir luz própria, o que era extremamente estranho de se ver. Por um momento, ele quis tocá-la, vê-la em suas próprias mãos, mas sentiu que não devia.

- O que é isso? - perguntou-se.

Olhando fascinado para a joia, ele ouviu uma voz ecoar pela sala, como se fosse uma resposta.

“Aqueles que a tocaram nunca mais conseguiram dormir em paz, como se a mistura entre o bem e o mal os atormentasse eternamente.”

Então ele acordou, assustado. Tudo o que via era o céu azul da tarde, até que uma cabeça entrou no seu campo de visão.

- Gray? - perguntou o pescador, olhando para o homem de cabelo louro que sorriu ao vê-lo.
- Então você se lembra? - disse, ajudando Natt a se sentar no chão. O pescador percebeu que estava deitado em um pano branco posto sobre a grama da rota três.
- Do que você está falando?
- Bom, Natt… - o cozinheiro desfez o sorriso, como se fosse tocar em um assunto delicado - Você está dormindo há quase quatro semanas, cara.



Capítulo dezenove:
Uma batalha de despedida

O pescador se assustou ao ouvir aquilo, ele olhou em volta, apenas os dois estavam na rota. Ele tentou se levantar, mas todo o seu tórax estava imobilizado.

- Cadê todo mundo? - perguntou - Carlie, Emma…
- Elas estão procurando por frutas, está difícil te manter alimentado, você consegue comer dormindo, ao menos. - o cozinheiro abriu um largo sorriso - É bom ter você de volta.
- E os meus pokémon? Onde estão?

Gray pegou três pokébolas e colocou do lado de Natt.

- Nenhum deles quis sair da pokébola durante esse tempo. Devem estar morrendo de saudades.
- Muddy, Wings, Mikau… - Natt apertou o botão das pokébolas, fazendo com que elas se abrissem e liberassem os pokémon.

Muddy olhou encantado para o seu treinador, pulando em cima dele logo em seguida, Wings fez o mesmo, bicando carinhosamente a sua orelha. Mikau, porém, apenas se sentou no chão, cruzando os braços. Mesmo tentando disfarçar, os olhos do pokémon mostravam que ele estava feliz, Natt o pegou nos braços.

- A gente já se atrasou demais - disse o pescador - Vamos sair dessa rota hoje e ir para o melhor Centro Pokémon de Ciatteil, que tal?
- Não, não. - Gray cruzou os braços em forma de reprovação - Você está muito machucado, vai precisar de pelo menos mais duas semanas para se recuperar totalmente.

Natt se lembrou do que tinha acontecido, o encontro com o titã de água. Ele tinha apanhado muito, e realmente não estava em condições de andar, mas já tinha passado mais tempo do que o planejado, e ele ainda estava com apenas uma insígnia.

- Que droga. - disse ele, se levantando. Ele estava sem camisa e com o tronco enfaixado, assim como o braço direito que estava engessado e uma das pernas que estava com um ferro da base da cabana amarrado a ela. Ele colocou sua camiseta e sua jaqueta vermelha com dificuldade, assim como seu boné e sorriu para seus pokémon.
- Natt? Caramba, você acordou?

Ele se virou para trás, aquela voz definitivamente era a de Carlie. O que ele não esperava, porém, era que a garota pulasse em cima dele, abraçando-o com força, fazendo com que sua costa estralasse.

- É bom te ver também, Carlie. - disse ele, colocando a mão nas costas da amiga - Mas isso tá doendo um pouquinho.
- Ah, desculpe. - ela se afastou dele, sorrindo. A Cyndaquil em seu ombro cumprimentou o pescador também.

Atrás de Carlie estava Emma, que acenou para Natt, mas, quando o pescador foi retribuir, ele sentiu algo pulando em sua direção e grudando em sua camisa.

- Waddle!

As chamas da costa do pokémon estavam mais altas do que o habitual, mas elas não machucavam Natt, apenas chamuscavam sua camisa levemente. Ele o acariciou.

- Lax!

Natt olhou, ao lado de Carlie estava um pokémon pequeno e peludo, o Munchlax da última vez. O pescador se agachou para falar com ele.

- Ei, você salvou minha vida. - ele colocou a mão na cabeça do pokémon - Você é aquele cara da rota dois não é? O da Oran Berry.
- Ele ficou com nós ajudando a te curar - disse Emma, enquanto o pokémon coçava a nuca, sem graça - Mas eu acho que a comida do Gray também ajudou na estadia.
- Falando nisso eu tô com fome. - disse Natt - Gray, você…

Ele não precisou terminou de falar, o cozinheiro já estava com a sua habitual panela fazendo algo com as berrys que as garotas colheram. Natt não pôde deixar de perceber como as coisas tinham mudado. Mesmo que para ele não tivesse passado mais do que uma noite, quatro semanas já tinham ido. Estavam todos mais próximos, mas também mais acabados, com as roupas sujas e os rostos com fortes olheiras, provavelmente tinham ficado muitas noites em claro o vigiando.


~//~


Algumas horas depois, todos já tinham comido e estavam bem. Natt não conseguiu convencê-los a voltar a andar, então teve que aceitar ficar pelo menos mais um dia em repouso.

Agora, ele estava na beira de um rio, com os pés na água gelada enquanto pescava um pouco. Já tinha achado um ou dois Tentacools, mas nada de interessante. Seus pokémon dormiam ao seu lado, enquanto Munchlax olhava para o treinador pescando, interessado.

- Faz um tempo que a gente se viu, né? - disse Natt, olhando para o pokémon - Foi na rota dois, eu estava só começando naquela época… - ele se lembrou de estar deitado na grama relaxando quando o pokémon apareceu. Ele tinha sido extremamente arrogante naquela época - Por que você está aqui?

Natt sentiu algo mexendo na vara de pesca, então a puxou com força, levantando no ar mais um Tentacool, que ele colocou de volta na água. Então ele viu um Huntail se aproximando sorrateiramente da vara de pesca para comer a berry.

- Ei, Natt!

O pokémon se afastou da berry, fazendo com que Natt largasse a vara de pesca no chão, nervoso. Ele olhou para trás, Gray o chamava para uma espécie de piquenique que eles tinham feito.

- Vamos lá - disse para seus pokémon - Vem também, Munch-

Ele olhou para o lugar onde Munchlax que estava para falar com o pokémon, mas ele não estava lá. O pokémon já estava sentado ao lado de Gray e Emma olhando para os lanches que o cozinheiro tinha feito.


~//~


- Ei, Natt, já pensou qual vai ser a sua próxima insígnia? - perguntou Gray - Nico já pode estar com a segunda dele agora, acho que você não vai gostar muito de estar atrás dele.

Eles estavam todos em volta de uma cesta com vários sanduíches, frutas e sucos comendo quando todos olharam para o pescador após a pergunta ser feita. Natt parou para pensar em Nico batalhando contra Joel Nivans. O garoto não poderia ganhar a insígnia de Blue Coast, não contra o seu tio.

- Bom, a próxima parada é Ciatteil. - disse - Mas não tem um ginásio lá, então qual é a cidade mais próxima com um?
- Tem Sparklage, que é logo do lado. - disse Emma - Mas é um ginásio do tipo elétrico, não sei se você vai se dar bem lá.
- Qual é, uma simples desvantagem não pode me deter. - disse o pescador. Ele pegou o seu celular do bolso, entrando no aplicativo mapas. Ele pesquisou Sparklage e um mapa simples de Eyarn apareceu, mostrando, com um ponto vermelho, onde eles estavam e a cidade de Sparklage da mesma cor, mostrando a distância de onde estavam até a cidade.




- Caramba, já estamos chegando em Ciatteil… - disse Carlie, olhando para o celular.

Natt olhou para o mapa, aquilo significava que logo ele e Gray se separariam de Emma e Carlie, o que era muito ruim, talvez ele conseguisse convencê-las a ficar.


~//~


Já era noite, e estavam todos deitados no lugar onde tinham feito o piquenique mais cedo. Gray e Emma já tinham dormido há bastante tempo, mas Natt e Carlie estavam acordados, olhando para as estrelas enquanto conversavam sobre coisas aleatórias.

- Sabe, eu vi que o Sewaddle está gostando muito de você ultimamente. - disse ela - Já faz um tempo, mas, hoje quando você acordou, eu vi a felicidade dele ao te ver.
- Sim, ele é bem legal comigo. - disse o pescador, olhando para o pokémon lagarta, que dormia no chão. Esse era o único momento onde as chamas da costa dele se apagavam - Mas ele também gosta de você.

Ela se sentou em seu saco de dormir, apoiando-se com os braços no chão e olhando para Natt.

- Mas não é sobre isso que eu estou falando - ela arrumou um fio de cabelo solto na frente de seu rosto enquanto olhava para Sewaddle dormindo - Logo nós vamos nos separar… E talvez nunca mais nos veremos… Eu tenho um emprego, você sabe.
- Sim, mas eu não sei onde você quer chegar, Carlie.
- Wings também esteve muito próximo de mim… - ela olhou para os olhos de Natt, fazendo com que o pescador soubesse onde ela queria chegar - Eu não queria me separar dele.
- Carlie, você não quer-
- Sim, eu gostaria de trocar Wings por Sewaddle! - disse ela.

Natt pegou do seu bolso a pokébola do pokémon voador. Já fazia um tempo que ele tinha capturado Wings, não queria se despedir dele agora. Mesmo que ele adorasse Sewaddle, o pokémon não era aquático, portanto não seria útil no time que o pescador estava tentando montar. Mas uma coisa era certa, o pokémon gaivota estava muito próximo de Carlie.

- Carlie, mas… O Sewaddle nem é seu, como podemos fazer isso?
- Sim, ele é meu, Natt. O meu trabalho era levar o ovo dele até o professor Nutwood, e o ovo rachou no meio do caminho, e eu capturei o Sewaddle, logo, ele é meu.
- Mas e se o professor ainda quiser ele?
- Eu já conversei com Emma a respeito, ela disse que pode falar com o avô.

Natt sentiu um peso em seu coração. Ele gostaria de continuar ao lado de Sewaddle, mas não se isso significasse trocá-lo por um dos seus, afinal ele também queria continuar ao lado de Wings, ensinar o pokémon a voar e participar de outras conquistas de sua vida, mas ele não seria justo se tomasse essa decisão sem consultá-lo primeiro.

- Ei, Wings, saia.

Ele apontou a pokébola do pokémon para o chão, soltando o voador, que estava ainda meio dormindo, mas pareceu disposto ao ver o seu treinador.

- Ei, amigo, eu estava conversando com a Carlie… E ela queria saber se você não quer, tipo, ficar com ela. - disse Natt, fazendo com que o seu pokémon o olhasse com uma cara de interrogação - Eu não queria tomar essa decisão sem te consultar, então… E aí?

O pokémon olhava para Carlie e para Natt, pensando. Naquele momento, o pescador percebeu que o pássaro queria ficar com a garota, mas não queria magoá-lo.

- Não precisa ficar assim… - disse, sentindo um nó em sua garganta e uma única lágrima caindo do seu olho esquerdo, estava diante de uma situação difícil - Você vai continuar sendo o meu pokémon, com quem quer que esteja. - ele tirou a insígnia do herbívoro de sua jaqueta, mostrando-a para o pokémon - Pode fazer o que quiser, eu sempre vou ter essa lembrança sua.

Os olhos do pokémon encheram-se de lágrimas e ele pulou em cima de seu treinador, envolvendo-o com as suas asas. Natt retribuiu o abraço com um sorriso no rosto.

- Eu respeito a sua opinião, mas, antes de tudo, eu quero uma última batalha ao seu lado, uma batalha de despedida, ok?

O pokémon assentiu, olhando confiante para seu treinador.

- Que fofo. - disse Carlie, limpando uma lágrima - Essa batalha só pode ser contra mim!


~//~


Eles estavam de pé um olhando para o outro. Não se preocuparam em acordar os outros dois, por isso decidiram fazer a batalha no meio da noite, ainda usavam os seus pijamas, Natt um shorts e uma camiseta azul listrada e Carlie uma camisa regata rosa e shorts da mesma cor.

- Wings, vai lá. - disse o pescador, estendendo o braço para que seu pokémon entrasse em campo.
- Cindy, me ajuda nessa! - disse Carlie, soltando a sua Cyndaquil da pokébola. - Primeiro as damas, use o Attract!

A Cyndaquil piscou o olho de uma forma charmosa, tentando conquistar Wings, mas o pokémon bateu as asas com força, se levantando por alguns segundos.

- Isso aí, Wing Attack!

O pokémon esticou suas asas que começaram a brilhar, então ele mergulhou em direção à Cyndaquil, atingindo-a com as duas asas em forma de X.

- Legal, Natt, mas não precisa pegar leve comigo - disse Carlie, arrumando o seu óculos - Vá com seus ataques de água que nós aguentamos.

Cindy assentiu e sua costa começou a queimar em chamas, reforçando o que sua treinadora pediu.

- Agora vai, Rollout!
- Water Gun!

Cindy segurou suas pernas com seus bracinhos, assumindo uma forma esférica e começando a girar em direção à Wings, que não conseguiu evitar o ataque e foi arremessado, interrompendo o seu jato de água.

- É isso aí, amiga, agora use o Ember!

Natt sorriu, estralando os dedos enquanto a Cyndaquil arremessava pequenas esferas de fogo em direção à Wings.

- Agora, parceiro, Break Dance Water Gun!
- O quê?

Wings sorriu, deitando-se de costa no chão. Ele soltou pelo bico um jato de água e então começou a girar horizontalmente no chão, fazendo com que o jato se transformasse em um redemoinho em cima dele que apagou as brasas lançadas pela Cyndaquil.

- E agora, atacar!

O pokémon parou de girar, lançando o redemoinho de água em direção à Cindy, que foi engolida pela correnteza, caindo no chão, desmaiada. Carlie ficou olhando para a cena por alguns segundos antes de retornar sua pokémon.

- Incrível… - disse, olhando para o pescador - Eu nunca vi um treinador ousado o suficiente para customizar ataques… você é demais, Natt. Tem certeza que aceita a troca? Você e Wings são demais juntos.

O pescador olhou para o pokémon pássaro e um sorriu para o outro.

- Vocês também serão demais juntos.

Por mais difícil que fosse, Natt aceitava a decisão de seu pokémon, e sabia que ele gostava de Carlie e não se arrependeria de sua escolha. Em seguida, ele olhou para Sewaddle, treinar o pokémon lagarta já fazia ele se alegrar, e ele continuaria vendo Wings por algum tempo.

- Ei, o que aconteceu?

Gray se levantou assustado, olhando para a área onde a batalha tinha acontecido, tentando entender porque a grama estava molhada e um pouco queimada.

- Nada. - disseram Natt e Carlie, sorrindo um para o outro.


~//~


Na madrugada, o museu de Relical ficava ainda mais sombrio do que o habitual. Dois seguranças estavam de braços cruzados no salão principal.

Um deles tinha um corpo atlético e cabelos castanhos escorridos, apesar de sua posição intimidadora, ele parecia ser bem simpático. Já o outro era um sujeito mal encarado alto e extremamente musculoso, com um cabelo louro em corte militar e olhos cor de âmbar.

- Ei, o que você acha do roubo? - perguntou o segurança de cabelos castanhos, tentando puxar algum assunto, afinal os dois estavam juntos há uns dias mas não costumavam conversar.
- Ele foi roubado. - respondeu o louro, rispidamente, fazendo com que o outro se calasse.
- Sabe, você podia ser mais gentil. Não consigo me esquecer daquele dia em que um pescador entrou aqui para falar com o líder do ginásio e você quase o matou.
- Não seja exagerado. - disse o louro - Só não quero conversar agora, ok?

O de cabelo castanho caminhou pelo saguão, entediado.

- Então eu vou tirar uma folga, certo? Vou ali na esquina comer um lanche e já volto, você consegue ficar sozinho?
- Espero que isso não seja uma ofensa. Vá.

O outro segurança saiu do museu, deixando o louro sozinho lá. Após o seu colega sair, ele olhou para a porta que levava à sala onde os dois administradores do museu ficavam, eles estavam com uma visita nesse momento, e pareciam conversar sobre algo bastante sério.

A seguir: Os quatro protagonistas finalmente chegaram em Ciatteil, e parece que nessa cidade está a resposta para o fenômeno visto apenas no Sewaddle de Natt! Mas... o que o titã de água tem haver com isso? E onde o professor Nutwood entra nessa história? Parece que Emma está escondendo algo... E mais, a investigação do roubo do museu de Relical continua, e isso levou Alpha até a cidade de Ciatteil também! Parece que todas as respostas estão nessa cidade... Não percam os próximos capítulos de Pokémon Project Retype, rumo ao Season Finale!
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Dom 8 Nov 2015 - 2:11

Eai, Ice!


Esse cap demorou, ein? Acho que fiquei mal acostumado, senti bastante a falta de capítulos novos na tua fic. :c Bem, tenho que admitir que fiquei um pouco triste ao ver que ele ficou pequeno comparado aos demais, pelo menos ao meu ver. Pode ter sido impressão também, já que ele ficou bem variado e teve vários acontecimentos.


Agora começando sobre o capítulo em si... Como sempre, nem preciso dizer que foi muito bom, né? Adoro a simplicidade em que como você descreve o ambiente, que mesmo sendo detalhado, não chega a cansar nossa mente imaginando coisinha por coisinha. Como sempre também, os diálogos me deixam bastante interessado, já que são muito realistas e fluem perfeitamente. Porém, me assustei bastante no início da fic. Primeiro... Que pedra era aquela? Imediatamente pensei em Darkrai e Cresselia, mas quando falaram que "quem tocasse na pedra" seria "amaldiçoado", mesmo que no sonho, eu lembrei de Madoka. AUEHAUE' 


E PORRA, o Natt ficou desmaiado por um mês? Que loucura cara. Isso realmente me pegou de surpresa. No início achei que tinha relação com a pedra, mas pelo visto foi pelas sequelas causadas pelo Titan. MANO, quase um mês desmaiado... Isso foi bastante intenso. Só não entendi uma coisa... A Carlie não tava com pressa? Pensei que ela precisava chegar na cidade de Ciatteill em no máximo dois dias... Mas sei lá. 


Em seguida, temos a aparição do Munchlax no grupo. Aquela cena em que o Natt estava pescando foi a zona de conforto do capítulo, como quase sempre está presente nos capítulos. (Cena caverna, por exemplo) Pode parecer idiota, mas ao ver o Natt se recuperando dos ferimentos enquanto pescava no rio, com o Munchlax ao seu lado, me fez sorrir quenem um bobo, imaginando o alívio do pescador ter um tempinho para relaxar nessa viagem. Sei lá, depois de ter apanhado do Titan, o mínimo que Natt merecia é alguns minutos de pesca. AUEHAUE'


Outra coisa que eu achei interessante, é o fato do Natt ir desafiar o ginásio elétrico que o Nico havia vencido. Não quero adivinhar nada para não influenciar nas suas escolhas, mas se pudesse chutar, eu diria que o Muddy vai evoluir para obter o Ground typing, adquirindo a imunidade ao elemento elétrico, mas espero que minha teoria não influencie na história. 


E BEM, uma batalha de despedida acabou me pegando de surpresa no final. Eu estava achando que a despedida seria de Carlie, mas não, não foi... Eu não vou comentar aqui nesse comentário mais informações sobre essa despedida pra não spoilar pra ninguém que acabe lendo meu comentário primeiro, antes da fic, mas porra... Por essa eu não esperava. Eu fiquei bastante triste pra ser honesto, mais do que feliz. Não acredito que por ora, tal personagem tenha se desprendido do Natt. :'(


Well, irei encerrar o comentário por aqui, de maneira melancólica. Não entenda mal, o capítulo foi excelente. Estou muito ansioso pelo próximo capitulo, e estou MUITO ansioso para a batalha de ginásio. Você fez um trabalho impecável no primeiro gym, sei que não irá me decepcionar na batalha do segundo.


É isso cara, parabéns, como sempre. Tá tudo ótimo, estou adorando. 


Um abraço cara, até mais!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Black~ em Dom 8 Nov 2015 - 16:08

Bem, depois de um zilhão de anos, eu voltei (agora pra ficar, porque aqui é o meu lugar). Enfim. Não vou me prolongar muito aqui.

Perdi quatro capítulos, mas parece que tudo aconteceu de uma vez nesses capítulos. Cara, foi muita informação, então se eu fosse fazer um comentário bonitinho, ia ser do tamanho de um capítulo huahuaha, então já vou me desculpar pelo comentário meia boca que vai sair, mas espero que entenda.

Então finalmente o Natt encontrou o titã de água? Eu achei bem sinistro essa história de ser na verdade um cara, com um gigantesco canhão de água. Pelo visto ele deveria fazer parte de algum "experimento" errado, por isso ele certamente não gosta de ficar assim. E o Munchlax, qual a relação com o titã?

O nome da fic finalmente fez sentido (na verdade isso já tem umas três semanas, mas a gente releva hahuahua). Um Sewaddle de fogo? Hm... qual o sentido disso? Certamente deve ter sido por causa de alguma experiência também. E será que tem algo a ver com o titã de água também? Bem, pelo menos no próximo capítulo já teremos algumas pequenas pistas a mais.

Bem, eu achei bem interessante o fato do Sewaddle ter ido para o time do Natt, já era de se imaginar isso, visto que o Wings tinha se aproximado da Carlie e tudo já se encaminhava para isso. Apesar de ter gostado da inserção do Sewaddle fiquei triste pelo fato de o Wings ter de ir embora =/, mas né. E, pelo visto, além do Sewaddle, o Munch deve entrar no time do Natt, o que "cancelaria" a proposta inicial dele de só ter pokémons aquáticos.

Caramba, o golpe foi feio hein. O Natt ficar um mês desacordado? Caramba. Eu só não entendi porque eles não levaram ele para o hospital. Imagino que deva ser caro e tals, mas no meio da floresta não me pareceu ser o local mais adequado para cuidar de um doente -q, mas enfim.

De toda forma, gostei bastante desses capítulos e das revelações e mais mistérios adicionados. Como por exemplo, o sonho do Natt; o que será que aquilo quer dizer? Mas enfim.

Como eu disse, ia ser um comentário bem porco, mas eu li tudo sim e no próximo capítulo faço um comentário decente. É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Qua 11 Nov 2015 - 14:03

Hey, chegou dia de postar um novo capítulo, então sentem-se em suas cadeiras, ajeitem a coluna e preparem-se para uma montanha-russa de emoções. Mas antes de tudo vamos ver as respostas aos

Comentários:
Rush: Hey o/ Desculpa pela demora, foram problemas ligados à minha capacidade de enroscar o fone de ouvido na cintura e derrubar o notebook no chão :/ Mas o importante é ter saúde. Na verdade o cap nem foi pequeno, ele está dentro da média de páginas, já que a média é de cerca de 7 páginas no Google Docs, que é onde eu guardo e faço a revisão dos caps, e esse deu 8, ficando até maior que as duas partes de "O poder do Titã", que tiveram 6 e 7, respectivamente, então eu acredito que você tenha achado pequeno comparado aos demais por ele não ter se focado em um assunto apenas, fazendo com que a experiência não seja igual à de ler um capítulo todo sobre uma batalha ou uma trama mais interessante. Mas don't worry que o capítulo de hoje deu 10 míseras páginas.

Foi interessante você ter falado sobre Darkrai e Cresselia, pois, ou você se lembrou do capítulo nove e começou a ligar as coisas ou é um profeta nato, apesar de eu ter achado que tinha ficado claro de onde eu estava resgatando as coisas -q O que é Madora? Laughing

É, o Natt ficou desmaiado por três semanas e dois dias, pra ser exato. O plano inicial era que ele ficasse acordado, e daí ia ter uns dois capítulos sobre esse tempo em que ele passou sem poder levantar, mas eu achei que ia ser chato e cortei isso, simplesmente inventando que ele teve um mini coma. Na verdade, um mês era mais ou menos o tempo esperado para que uma garota atravessasse uma rota sozinha, então pra Carlie foi meio que indiferente =P

Na verdade pode tentar adivinhar -q Até o final da segunda temporada eu já tenho tudo planejado, capturas, evoluções, amigos e rivais, cidades e etc, será bem difícil eu ser influenciado, no máximo quando alguém acertar algo, pois daí eu vou tentar dar várias pistas falsas para essa pessoa pensar que errou e tirar a teoria da cabeça -qq Já estava planejada essa "reviravolta" na equipe desses dois personagens, e esse personagem que se "desprendeu" de Natt nunca teve um real propósito, ele apareceu, fez o seu trabalho e eu não acho que seria interessante explorar mais ele. Em compensação, o "novo" personagem vai render alguns bons capítulos.

E a batalha de ginásio tá chegando, ein (é serio -q), então espero que continue lendo e gostando ^^

Black: Lol, Welcome B[l]ack =P Foi mal por todos os capítulos que você teve que ler, o prazo de cinco dias é muito rápido mas necessário para que a fanfic não se torne algo muito demorado.

Então né, vamos ver essa história do titã que tá meio mal-contada, mas a sua "relação" com Munchlax já foi porcamente explicada, os dois se encontraram pela primeira vez no capítulo seis, onde Munchlax apanhou e foi levado ao Centro Pokémon, e no capítulo nove vimos ele acordar no Centro, disposto a se vingar do titã, por isso ele o seguiu até a rota 3, onde, por coincidência, Natt também estava e o resto tu já sabe. Já Sewaddle e o titã ainda não foi explicado, mas será hoje, mas não tão bem ainda.

Essa troca já estava planejada desde que Wings apareceu pela primeira vez, tanto que eu o planejei de última hora para que Natt conseguisse mais um aquático antes de acabar quebrando a sua promessa... Será que ele quebrou? Sobre o hospital, pra ser sincero, eu nem pensei nisso, mas eles estavam no meio da rota, não tinham como ligar para uma ambulância e nem carregar Natt até a próxima cidade. Enfim, para mais viradas sem noção continue lendo e gostando ^^

Enfim, esse capítulo seguiu a mesma ideia que o dez e será meio que um especial não-especial por eu ter conseguido escrever mais dez capítulos, então esse ficou maior do que os outros (mas não maior do que a batalha de ginásio do Natt, aquele ficou grande pra caralho) então eu espero que gostem e consigam ler até o final. Esse capítulo resgata algumas coisas de capítulos anteriores, como os 9 e 10, o 19 e o 15 e talvez alguns outros. Espero que gostem ^^

A sala da administração do museu de Relical era bem pequena comparada aos lugares onde os artefatos históricos ficavam, isso porque ela servia apenas para os administradores Lance e Alpha discutirem sobre assuntos do museu e tomarem decisões importantes.

Era um lugar circular todo pintado de azul bebê, pois segundo o administrador Alpha a cor passava a sensação de calma e serenidade. Porém, não era essa a sensação que o local passava agora.

- Tem certeza que isso vai dar certo, Dave? - perguntou Lance. Ele era um homem baixo e gordo, com poucos cabelos e um grande bigode. Ele estava encostado em uma parede enquanto conversava com um outro homem. Este parecia ser um mecânico, que terminava de configurar um aparelho, ligando-o no monitor de um computador.
- Eu trabalho aqui há um tempo, Lance. - respondeu o mecânico - Eu já passei várias vezes pela Joia dos Sonhos, e posso te dizer que ela exala uma energia única. Se essa máquina der certo, um satélite vai procurar por essa energia em todo o continente, e nos mostrar onde ela está.
- E como tem certeza que essa energia é única, Dave? - perguntou Alpha com uma voz suave. O músico usava a mesma camisa branca e calça jeans, com o habitual óculos escuro e o violão preso à costa. Seu longo cabelo louro estava preso em um rabo de cavalo.
- Eu não tenho. - disse o mecânico.

Os dois administradores se entreolharam.

- Olhem só, essa energia eu só senti uma vez, e foi com a Joia dos Sonhos, se houver mais de uma energia espalhada por Eyarn, não acham que podem ser, sei lá, outras Joias dos Sonhos?
- Só existe uma Joia dos Sonhos no mundo todo. - disse Lance.

Dave conseguiu ligar o seu aparelho no monitor do computador, fazendo com que uma tela de carregamento aparecesse, mostrando um mapa de Eyarn ao carregar por completo.

- E lá vamos nós… - disse o mecânico, apertando um botão.

No mapa do continente, piscaram cinco pontos de cores diferentes. Eles não tiveram tempo de verem todas, pois quatro delas se apagaram, sobrando apenas um, da cor rosa, localizado na cidade de Ciatteil.

- Então a joia está aí? - perguntou Lance, Dave assentiu - Alpha, enviamos alguém?
- Não. - disse o músico - Eu vou.



Capítulo vinte!
O Projeto Retype

Exatamente doze horas antes da conversa no museu de Relical, ao meio dia, um garoto chamado Natt não deixava os seu amigos dormirem. Estava em pé na grama, já trocado e com a mochila arrumada, pronto para partir.

- Ei, logo quando estamos chegando em Ciatteil vocês vão ficar com essa moleza?
- Natt, cala a boca e volta a dormir… - disse Carlie.
- Eu acho que te preferia desmaiado. - disse Emma, se levantando - Vamos, galera, ele não vai nos deixar dormir mais mesmo.
- E eu tenho uma novidade, também! - disse o garoto, animado.

Por último, Gray acordou, olhando para o pescador. Eles viram algo flamejante subindo pela costa de Natt e indo para sua cabeça, em cima de seu boné.

- Conheçam Beedle! - disse, apontando para o Sewaddle de fogo.
- Eu já tinha visto ele… - disse o cozinheiro, limpando os olhos.
- Sim, já tinha. - disse Natt, retornando o inseto à sua pokébola - Mas com a pessoa errada.
- Ei! - disse Carlie - É a “pessoa errada” que está com Wings agora, beleza?
- Vocês… trocaram? - perguntou Emma.

Natt assentiu, sorrindo.

- Munch!

Todos olharam para o pokémon normal, que já estava um pouco longe deles, mas não como se fosse para Ciatteil, e sim como se fosse pegar um caminho para passar reto pela cidade.

- Você já vai? - perguntou Natt e o pokémon assentiu, sorrindo para ele - Nos veremos mais uma vez, ok?
- Espere! - disse Gray se levantando e pegando uma pokébola do bolso - Munchlax, venha comigo!

Ele arremessou a pokébola, que capturou o pokémon. Ela girou uma ou duas vezes antes de se quebrar com Munchlax saindo dela furioso.

- Lax! Munchlax!
- Acho que ele prefere ir sozinho… - disse Natt à Gray, enquanto viam o pokémon subir uma colina, sumindo de vista aos poucos.

A atenção de Natt se virou, então, para os seus amigos.

- Então, ontem de noite eu não vi, mas olhem só! - disse o pescador, apontando para o Norte. Todos olharam e viram algo que parecia ser a ponta de um prédio.

Emma se levantou, com um brilho nos olhos.

- Ciatteil! - disse.


~//~


A cidade de Ciatteil era a mais bonita que ele já tinha visto desde o começo de sua jornada. Era uma verdadeira Metrópole, tinha tantos prédios que as casas normais pareciam invisíveis se comparadas à beleza dos edifícios. Por todo lado era possível ver taxis azuis correndo para lá e para cá, sendo mais comuns do que os carros normais. As pessoas da cidade não pareciam ter pokémon, e, quando tinham, geralmente eram caseiros como Lilipups e Glameows, que andavam com seus donos guiados por coleiras. Essa falta de pokémon “não-caseiros” fazia com que as pessoas da cidade olhassem torto para Natt e seus amigos, que andavam com pokémon mais selvagens.

- Que lugar maneiro! - disse o pescador - Beedle, Muddy, Mikau, olhem só aquele zeppelin!

Os pokémon dele olharam para cima, vendo no céu um grande dirigível fazendo uma propaganda de uma empresa chamada Ciatteil Corps.

- O que será essa Ciatteil Corps? - perguntou.
- É o meu destino. - explicou Carlie - Vocês vêm comigo?
- Desculpa Carlie, mas não dá, eu tenho que falar com Konshe sobre o titã de água e comprar alguns alimentos. - disse Gray.
- E eu tenho que fazer algo agora que estou na minha cidade, depois nós nos encontramos. - disse Emma.

Carlie se decepcionou ao saber que não teria companhia.

- Natt, eu vou precisar do Sewaddle agora, ok? - disse ela.
- Você diz o Beedle? - perguntou o pescador, olhando para o pokémon que rastejava em seu braço esquerdo - Se ele for, eu vou junto.

A garota assentiu. Natt se virou para os outros dois amigos.

- Então façam o que têm que fazer, nos encontramos aqui cinco da tarde? - perguntou, e os dois assentiram.


~//~


Natt e Carlie estavam na frente do maior prédio da cidade, o mesmo que o garoto tinha visto ainda na rota três. Uma letreiro dourado em cima dele dizia “Ciatteil Corps.” Uma pequena escada levava a duas portas, mas não dava para entrar.

Na frente do prédio, uma multidão fazia uma espécie de protesto, gritando e balançando placas com coisas escrito nelas. Natt conseguiu ler “Não mexam com a natureza” e “Ciatteil Corps: Indo contra a vida desde sempre”. Ele percebeu que todos os que estavam no protesto eram hippies, com camisetas de paz e amor e óculos escuros de diferentes cores.

- Ei, com licença. - disse Natt, cutucando um dos hippies - O que exatamente é isso?
- Um protesto, brow, estamos fazendo um movimento contra a Ciatteil Corps que estão desrespeitando as leis do mundo pokémon, oras.
- Desrespeitando? Como? - perguntou.
- Isso não importa - disse Carlie, puxando Natt pelo braço quando o hippie ia responder. Eles passaram no meio de todos os protestantes até chegar na porta da Ciatteil Corps e entrarem.

O saguão principal era bem grande e bonito, no meio tinha uma fonte de um Dewott soltando água por sua concha, nas duas extremidades haviam bancos para pessoas se sentarem para esperar por algo e no fundo havia uma bancada com duas secretárias que conversavam assuntos aparentemente aleatórios. Perto da porta haviam dois seguranças de braços cruzados, provavelmente para impedir que hippies entrassem, mas deixaram Natt e Carlie passar ao verem que eles não estavam no protesto. Os dois se dirigiram à bancada onde estavam as duas secretárias.

- Oi! - disse Carlie sorrindo, o pescador apenas acenou para as secretárias com a cabeça, tentando não olhar para o decote de uma delas.
- Eh… oi. - disse a do decote, olhando para os dois com uma cara de reprovação, foi quando Natt percebeu como estava sujo de lama, grama, água e outras coisas por sua viagem até a cidade, além da roupa rasgada. Carlie estava mais decente do que ele, mas seu cabelo estava desgrenhado e uma das lentes de seu óculos estava rachada.

Natt olhou para os lados, tentando disfarçar a vergonha que sentia, mas viu que várias outras pessoas, todas de terno e com o cabelo bem penteado, olhavam torto para ele e tentavam passar longe.

- Queremos ir ao andar cinco, laboratório. - disse Carlie.
- Para que seria? - disse a secretária.
- Não sei exatamente, só que eu preciso entre-

A secretária riu.

- Desculpe, garota, mas não podemos deixar qualquer um ir para qualquer lugar, principalmente com esse protesto aí fora.
- Ah, tem algo que me deram para entrar - disse a garota, tirando algo do bolso do seu shorts. Ela entregou um papel à secretária, que o leu, estupefata.
- Devia ter me falado isso antes. - disse - Me desculpe por qualquer coisa, pegue aquele elevador e peça para o rapaz de lá te levar ao andar cinco.

Carlie acenou com a cabeça, obedecendo. Ela e Natt pegaram o elevador, falando ao homem que o conduzia para o levarem ao andar pedido.

- Que secretária mais arrogante… Acha que pode falar do jeito que quiser. - disse Carlie, nervosa - Como se ninguém soubesse que tem silicone .

O homem do elevador segurou uma risada.

- Andar cinco, senhores. - disse, quando a porta se abriu.

O andar era um longo corredor com portas para todos os lados, com uma única porta no final. Todas elas tinham números, exceto a última onde estava escrito “laboratório”. Os dois foram até essa porta e bateram.

A porta foi aberta por um cientista de cabelos escuros penteados e uma gravata amarela em baixo de um jaleco de laboratório.

- Sim?

Carlie apenas mostrou para ele o papel que tinha mostrado para a secretária no térreo. O homem leu o papel, olhando surpreso para Natt e Carlie e fazendo sinal para entrarem. O pescador não estava entendendo nada do que estava acontecendo, estava tudo indo automaticamente como se já esperassem Carlie, mas entrou atrás da garota.

O laboratório não era muito diferente de um laboratório normal, apesar do espaço grande, maior parte do território era de máquinas que pareciam estar processando pesquisas simultaneamente. Analisando algo por um microscópio, um homem idoso estava parado de pé no centro do laboratório.

- Professor… Eles chegaram. - disse o cientista ao idoso.
- Pro-Professor? - perguntou Natt, assustado - Não me diga que você…
- Me chamo Niels Nutwood - disse o homem, parando de analisar o que estava vendo. Ele abriu um sorriso simpático ao ver os dois adolescentes - Mas todos me chamam de Professor Pokémon.


~//~


Gray estava em um centro pokémon, usando um dos telefones disponíveis no local. Na tela do telefone, a imagem do líder de ginásio de Knothole, Konshe, podia ser vista.

- Não acredito… - disse o líder - Mas você não sabe me dizer nada sobre o titã além da aparência?
- Não ficou claro o que ele é. - disse Gray - Eu tirei uma foto, mas o celular está com Natt, então…

O líder abaixou a cabeça, frustrado. Em seguida, ele olhou para os dois lados, aproximando o rosto da câmera.

- E o que te pedi para fazer? - cochichou - Como está?
- Em andamento. - disse Gray, também baixo.
- Não deixe ninguém desconfiar, muito menos Natt. - Konshe se aproximou ainda mais da câmera ao dizer isso - Não será bom tê-lo contra nós em um momento desses, principalmente agora que você está mais perto do que nunca.
- Eu sei, não se preocupe. - disse Gray.


~//~


O professor Nutwood era um velho bem simpático, com uma aparência de cavalheiro e cortês. Ele usava um chapéu preto com uma listra verde, da mesma cor que a bengala na qual ele se apoiava e um cachecol preto em cima de um jaleco de laboratório.

Atrás dele, o cientista que atendera Natt e Carlie cochichava algo em seu ouvido.




- Então vocês são do Day-Care? - perguntou o professor, interessado - Ótimo, ótimo, posso ver a encomenda?
- Bom… - Carlie coçou a nuca, constrangida - É uma longa história, olha…

O sorriso do professor se cessou, e o cientista olhou para os dois, assustado.

- Vocês perderam o ovo? - perguntou.
- Natt, mostra pra eles.
- Eu?
- É.

O pescador pegou do bolso uma pokébola, apertando o botão no centro dela e liberando Beedle, que subiu por sua costa até ir para o topo de sua cabeça. O professor e o cientista se entreolharam várias vezes, olhando estupefatos para o pokémon.

- Olha, eu sei que ele está do tipo errado, mas eu juro que não é culpa minha. - disse Carlie, se curvando.
- Deu certo! - disse o cientista de cabelo preto - Deu certo, professor!

Ele pegou o Sewaddle da cabeça de Natt, mas o fogo do pokémon queimou sua mão, fazendo com que ele o soltasse no chão.

- Deu certo? - perguntaram Natt e Carlie, juntos.
- Magnífico, realmente funcionou… - disse o professor - O projeto Retype deu certo!
- Projeto… o quê?

O professor Nutwood deu a ponta de sua bengala para Beedle brincar, olhando orgulhoso para o inseto.

- Eu e Pines iniciamos há um tempo o projeto Retype. - disse o professor - Nós observamos que o tipo de todos os pokémon, assim como suas habilidades e os golpes que aprendem são determinados por pequenos genes localizados em duas regiões de seu corpo, e cada uma dessas regiões determinam um dos tipos do pokémon, caso ele seja de tipo duplo, ou, caso seja de tipo único, a segunda simplesmente está vazia.

Beedle espirrou, fazendo com que voassem pequenas fagulhas de chama para todos os lados do laboratório.

- Nós vimos que podíamos manipular a segunda região, que determina o tipo secundário do pokémon, e decidimos tirar genes de alguns pokémon para por em outros, mudando assim sua estrutura genética e lhes concedendo novos tipos.
- Então vocês mudaram os tipos dos pokémon? - perguntou Carlie.
- Não exatamente. - disse o cientista chamado Pines - O projeto não teve nenhuma cobaia bem sucedida até agora.
- Até agora… - repetiu o professor, olhando para Beedle.

Natt olhou para o seu pokémon também, ele brincava alegremente com a ponta da bengala do professor Nutwood, queimando-a um pouco. Por estar alegre, o fogo de suas costas estava um pouco maior do que normalmente. O pescador não conseguiu acreditar que seu pokémon era uma cobaia do avô de Emma.

- É por isso esses protestos lá fora? - perguntou - Os hippies lá disseram que vocês estão tentando alterar a natureza.
- Esses hippies são uns idiotas. - disse Pines - Estão tentando parar o avanço da ciência há mais tempo do que você imagina.
- Acalme-se, neto, eles ainda vão entender que isso é para o bem dos próprios pokémon - disse o professor, colocando a mão na costa de Pines para acalmá-lo.
- E o Beedle, como fizeram para alterá-lo? - perguntou Natt, ainda não estava gostando nem um pouco da ideia de mexerem com a biologia dos pokémon.

O professor Nutwood pegou uma pokébola, apertando o botão do centro dela e liberando um pokémon inseto coberto por um casaco de folhas. Era a última forma evoluída de Sewaddle, Leavanny. Beedle olhou para o pokémon, confuso.

- Essa Leavanny foi o teste número zero zero um. - disse o professor - Injetamos um gene do tipo fogo nela para ver se surtia algum efeito, mas nada aconteceu, então aperfeiçoamos mais o projeto, criando genes melhores e com pokémon compatíveis. Eu liberei Leavanny no jardim do Centro Pokémon e continuei testando o projeto com outros pokémon, mas sempre dando errado.
- Então, ao visitar o Centro Pokémon, eu percebi que Leavanny estava cuidando de um ovo e o trouxe até o professor, como faço com qualquer pokémon que dá a luz por aqui.
- Ao analisar o ovo, eu pude perceber que o escaneamento não conseguia reconhecer o pokémon de dentro dele, como se fosse uma nova espécie, ou pior, como se ele estivesse morto. - disse o professor - Com medo de ter causado alguma sequela ao filhote da Leavanny, eu levei o ovo até o Day-Care de Knothole para analisá-lo, e a história de vocês começa aí.

Natt olhou para o seu pokémon, que ainda brincava na bengala de madeira, e imaginou tudo o que tinha acontecido até eles dois ficarem juntos. Então, ele olhou para Leavanny.

- Aquela é a mãe de Beedle? - perguntou, e o professor assentiu. Então, Natt pegou o seu pokémon no colo para mostrá-lo à mãe.

A Leavanny, com uma cara simpática, esticou os braços para pegar seu filhote, mas os recuou ao ver que o inseto estava ardendo em chamas.

- Leav? - perguntou, assustada.
- Waddle! Waddle Waddle!

Beedle parecia estar feliz ao ver sua mãe, mas seus olhos encheram de lágrimas ao vê-la recuando os braços cobertos por um casaco de plantas. O pokémon pareceu ver, então, que era diferente de sua espécie.

- Beedle, volte. - disse, retornando o seu pokémon à pokébola antes que suas emoções fizessem o laboratório inteiro pegar fogo - Olhem o que vocês fizeram! Por que foram mexer com o que não deviam?
- O Projeto Retype tem a intuição de melhorar a capacidade dos pokémon, assim como corrigir genes defeituosos. - disse Pines.
- Espero que entenda, garoto, fazemos isso pelo futuro. - disse o professor - Mas muito obrigado por cuidar de Sewaddle até agora, ele vai ficar bem aqui.
- Não, ele vai ficar comigo. - disse o pescador colocando a pokébola no bolso.

Carlie colocou a mão no ombro do amigo, que a ignorou, encarando o professor Nutwood.

- O pokémon pertence a nós. - disse Pines - Somos os donos de Leavanny, logo esse Sewaddle é nosso.
- Na verdade, meu neto, o pokémon pertence por lei ao portador de sua pokébola, não podemos tirar esse direito dele. - disse o professor ao cientista - Eu só gostaria de saber, o que você faria com Sewaddle trabalhando no Day-Care?
- Não trabalho no Day-Care, quem trabalha é ela. - disse Natt, apontando para Carlie - Sou um treinador, e vou levar Beedle comigo em minha jornada.

Pines bufou com o nariz, cruzando os braços.

- Respeito sua opinião. - disse o professor - De qualquer modo, já sabemos que o gene não faz efeito em um pokémon, mas em seu ou seus filhos. Podemos pesquisar sobre isso.
- Também notamos que a aparência do pokémon se adapta ao seu tipo. - disse Pines, ainda de cara fechada.

Ao ouvir o cientista falando de aparência e tipo, Natt se lembrou de algo. Ele pegou o seu celular, abrindo as fotos e pegando a última tirada. O titã de água ajoelhado no chão após receber um golpe.

- Professor Nutwood, sabe o que é isso? - perguntou, mostrando para o professor, que negou com a cabeça.
- Me parece uma espécie nova… Pines, já viu algo assim?

Natt mostrou o celular para um cientista. Ao ver a imagem, Pines ficou furioso, dando um soco na mesa que estava próximo e fazendo todos olharem para ele.

- Pines?
- Esses hippies, professor!

Os outros três se entreolharam, sem entender.

- Há alguns meses sumiu uma amostra de gene de água, não foi?
- Pines…
- Um pouco depois de começarem os protestos contra o projeto, não foi?
- Pines, não podemos acusar ninguém desse jeito.

Natt e Carlie olharam um para o outro, se lembrando do dia em que encontraram o titã.

- Me desculpe intervir, professor, mas nós o chamamos de titã de água, e, quando nos encontramos, ele disse que não estava feliz com sua forma. - disse Natt.
- Viu, avô? - perguntou Pines, furioso - Eles roubaram uma amostra e usaram em um humano! Um humano!

De repente, as pelas começaram a se montar na cabeça de Natt. Por isso o titã falava, por isso tinha a aparência de um humano e por isso não estava feliz com sua “nova forma”. No final daquele dia, Beedle ficou entre Natt e o titã, que acabou tendo piedade de Natt ao ver o inseto… Isso porque o titã viu que o Sewaddle também teve seu gene alterado.

- Mas isso também funciona com humanos? - perguntou Carlie.
- Qualquer ser vivo. - disse Pines, enquanto o professor Nutwood ainda pensava - Nós também temos em nosso DNA um espaço vazio que pode ser preenchido por um gene de tipo como o que foi roubado, e esse espaço vazio fica na área que determina nossa aparência e nossas habilidades. Professor, isso está mais do que claro, podemos acabar com o protesto e ainda evitar que mais alguma coisa seja roubada!

O professor Nutwood colocou as mãos na frente dos olhos, refletindo sobre tudo o que ouvira.

- Podem me deixar sozinho? - perguntou - Eu preciso pensar, não sei o que fazer.

Os três se olharam, enquanto o professor Nutwood se sentava em uma cadeira, cabisbaixo. Natt saiu, trazendo Carlie, tentando ver o lado de professor, que criou algo para ajudar os pokémon mas que tomou essa proporção. Juntos, os dois saíram do prédio, passando pela multidão de hippies que agitavam as placas gritando contra o Projeto Retype.


~//~


Naquela noite, o museu de Relical tinha ficado mais vazio do que o habitual. Um dos seguranças tinha ido tirar uma folga para comer algo, o administrador Alpha tinha acabado de sair também, rumo à Ciatteil e o outro administrador, Lance, junto com o mecânico do museu, Dave, foram resolver algo.

O único que sobrou foi um homem alto e musculoso, de cabelo louro em corte militar e olhos cor de âmbar. Apesar de o museu ficar muito mais sinistro sozinho, ele não parecia nem um pouco com medo.

“Tenho aguardado pacientemente, mas agora finalmente chegou a hora. Depois de tanto tempo, finalmente conseguirei.”

Ele se dirigiu à porta que levava à administração e tentou abri-la, sem sucesso. Ao ver que a porta estava trancada, ele investiu contra ela, batendo o seu ombro com força fazendo com que se abrisse com um estralo.

Na sala da administração, ele começou a revirar as gavetas, olhando vários documentos de pesquisa até achar um onde, na capa, estava escrito “A pedra-chave bizarra”.

- Finalmente. - disse ele, olhando para o papel.
- Ei, o que está fazendo?

O louro, distraído olhando para a pesquisa, não notou que o outro segurança, um homem de cabelo castanho e corpo atlético, tinha voltado.

- Você não ia comer um lanche?
- Não importa, por que está mexendo na sala da administração?

O louro não respondeu, apenas dobrou o documento e o guardou no bolso.

- Me diga agora! - disse o outro segurança - Por que quer esse documento? Quem é você?

Sem paciência, o louro tirou do cinto um revolver e atirou contra a cabeça do outro segurança. A bala atravessou a região entre os dois olhos dele, logo acima do nariz, derrubando-o no chão.

- Pode me chamar de Landom. - disse o louro, passando por cima do corpo do outro segurança, que tremia involuntariamente enquanto o buraco no meio de seus olhos sangrava até ele perder a vida.

Pesado né? Talvez. Enfim, a seguir: Fuga na prisão de Relical!
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Qui 12 Nov 2015 - 12:17

Ice!!

Gostei pra caramba do capítulo, acho que esse é o meu favorito até agora. Nossa, eu fiquei muito feliz ao ver o tamanho do cap. Acho que ficou perfeito, sério, não ficou nada muito rápido e breve mas também nada muito cansativo. Mesmo assim, foram tantos acontecimentos acontecendo que deu a impressão do capítulo ter ficado curto.

Começando pelo começo, já gostei dessa cidade. Gosto quando exploram cidades pequenas - interior - em fan fics, pois sempre passam a tranquilidade e conforto das mesmas, por isso é difícil encontrar cidades grandes em fan fics, por serem bastantes difíceis de serem exploradas. No caso, mesmo que você ainda não tenha explorado tanto por ser uma introdução, você conseguiu detalhar muito bem. Gostei da forma em que você descreveu a cidade ser movimentada e cheia de táxis, além da aparição de um Zeppelin. Gostei de verdade.

Agora, essa do Grey me pegou de surpresa.... Mas o que diabos ele está tramando? Eu realmente espero que não seja um backstab no Natt, porque ele e o Konshe são dois personagens que eu amei pra caramba. Seria uma horrível tragédia vê-los partindo por alguma razão. ç.ç Espero que ele não traia a confiança de Natt, porque ele é muito legal. :c

Ressaltando os detalhes de uma cidade grande, você conseguiu fazer algo bem realista ao colocar protestos sobre o tal PROJETO QUE EU PREVI NOS MEUS ULTIMOS COMENTARIOS AHAUEHUAHAHSHASUAHHEAHAHAHA Zoa, mas enfim, foi bastante legal. É algo que realmente aconteceria na vida real. Só fiquei surpreso em ver apnas hippies, achei que teriam religiosos fanáticos também, dizendo que isso é contra a vontade de Deus ou coisas do gênero.

No começo eu gostei bastante dos professores, bem carismáticos e até gentis, ao contrário da secretária siliconada, mas depois fiquei com um pé atrás ao ver Beedle chorando por sua mãe ter medo dele. Realmente, não só sequelas físicas, mas ver a mãe não reconhecendo o filhote foi algo muito triste de se ver, entendo totalmente a raiva do Natt e a depressão momentânea do professor. Mesmo assim, gostei bastante de ambos os personagens, Pines só é um pouco inocente, mas parece um bom rapaz.

Agora, sobre essa parte final... Eu fiquei chocado, sério. Achei que foi um pouco pesado demais mostrar a morte do segurança, principalmente pela fic estar indo num rumo um pouco mais suave, mas acho que ficou realista também. Então o amigo da Burnign estava lá desde O INÍCIO mesmo. Essa me pegou de surpresa, não esperava que o Landom estivesse tão... Próximo. Agora, que ele está praticamente sozinho, ele vai tentar encontrar a pedra e talvez até soltar a amiga. Agora o bicho vai pegar.

Como sempre, o capítulo ficou mara. Gostei pra caramba e esse está impecável. Já to ansioso pra caramba pra ver como a história vai se desenrolar então poste logo, menino Ice.

Um abraço, rapaz. Até mais! o/
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por xKai em Sab 14 Nov 2015 - 11:55

Eita, um assassinato de headshot... Já imaginava que esse loirinho era encrenca... Falando em loirinho, me pergunto o que será que o Gray e o Konshe estão planejando... Estariam eles, de certa forma envolvidos em algo mais sério? Os últimos capítulos foram muito interessantes, uma verdadeira enxurrada de novas informações e novos mistérios para serem desvendados. Admito que estou bastante confuso em algumas partes, mas também bastante excitado com tudo isso, este ar de mistério sem dúvidas acaba cativando o leitor a querer continuar acompanhando, para saciar sua sede de conhecimento, acredito eu. Até entendo o motivo do Natt e dos hippies não gostarem da ideia, mas a evolução é algo que intriga o ser humano, mesmo que muitas vezes a gente acabe "brincando de deus", pode ser algo um pouco imoral, mas é sim importante para a volução humana, a mudança de genes pode se tornar um processo fantástico para a evolução, como a cura para algumas doenças e até mesmo pode fazer alguma pessoa receber habilidades únicas... Mesmo que estejam usando nos pokémons é algo um pouco intrigante... Quem nunca imaginou um pokémon de um tipo diferente de seu natural? Bem, que atire a primeira pedra... O Professor Nutwood, assim como boa parte dos cientistas deve ter repúdio a palavra "perfeição", pois uma vez que a perfeição é atingida nada mais pode ser feito para melhorar... Por isso é natural que nós queiramos "buscar" pela perfeição, mesmo estes hippies de merda, s permite dizer -q Alguma vez na vida já devem ter buscado a perfeição em algo do que fazem. Bem o comentário termina por aqui, no aguardo do próximo capítulo e até lá Very Happy

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

A segunda temporada vem aí!

Mensagem por -Ice em Dom 12 Mar 2017 - 15:31

@Rush escreveu:Já to ansioso pra caramba pra ver como a história vai se desenrolar então poste logo, menino Ice.
heh

comentários:
Rush: Olá!! Fico feliz em ver que gostou do capítulo e de ter achado que ficou perfeito, é sério! Eu sempre fico receoso quando escrevo, pois tenho um quê de perfeccionista que sempre me diz que algo podia estar melhor, então ler esse tipo de comentário me deixa bastante feliz.
Sim, o que será que Gray e Konshe estão planejando? E eu até pretendia colocar um personagem religioso na fic, e ele apareceria ainda em Knothole, ele seria um treinador também mas que era de uma religião onde Arceus era visto não como um pokémon, mas sim como um deus supremo que está ligado ao destino das pessoas e pode intervir em acontecimentos, além de refutar a existência de lendários, alegando que estes seriam formas que as pessoas criaram para tentar diminuir Arceus. Era um personagem bem interessante, mas acabou ficando deslocado dos outros treinadores, então o descartei.
Bom, obrigado pelo comentário e até a próximo (perdoa o 1 ano de atraso e n desiste de mim -q)

Kai: Hey o/ Sim, o headshot foi uma mudança abrupta no clima da história justamente para chocar, eu tentei passar a sensação de surpresa ao perceber que tivemos um vilão entre ons mocinhos por tanto tempo. Aliás, até onde essa divisão entre vilões e mocinhos vai? Será que pode existir que alguém que atua no meio dessa linha ou o mundo é dividido entre os bons e os maus? Pretendo explorar esse tema não-tão-futuramente na fic.
Obrigado pelo comentário, parceiro, até a próxima e espero que continue acompanhando mesmo depois desse hiato! Até

Sim, eu sei que já faz um ano e quatro meses que eu não posto aqui, desculpa.. Ano passado eu comecei a trabalhar e ter uma vida socialmente ativa (ui -q), o que fez com que fosse cada vez mais difícil ser um membro presente no fórum, mas desde que consegui me organizar mais ou menos, estou planejando uma volta ao fórum, e, graças a uma MP surpresa, finalmente estou 100% motivado a continuar esse projeto. Bom, hoje não teremos exatamente um capítulo, mas sim um flashback com tudo o que aconteceu até aqui, do prólogo até o fim da primeira temporada, no capítulo vinte, esse flashback vai servir pra refrescar a memória dos que já liam a fic em 2015, para evitar que eles tenham que ler tudo de novo para se lembrar, além de apresentar o plot inicial a novos leitores, para que assim eles se interessem e comecem a ler, o próximo capítulo (21) será postado no sábado dia 18, e todos os capítulos a partir de agora serão postados aos sábados. Vamos lá