Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

Pokémon Project Retype

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Dom 27 Set 2015 - 16:25

Eu tinha respondido todos os comentários, formatado todo o capítulo e, quando estava pronto para postar, o computador travou. Agora eu to muito puto e sem paciência, portanto vou responder os comentários de uma forma bem mais breve, já que já tinha feito tudo isso, me desculpem.

Comentários:
Rush: Eae Rush o/ Obrigado pelos elogios. Sobre o nome dos Pokémon do Natt, estava nos meus planos colocar nomes no capítulo da invasão selvagem, inclusive seria Nico quem sugeriria isso, mas esse já era o capítulo seis, e eu achei que seria difícil de se acostumar com os nomes. Agora, como você sugeriu, talvez vocês se familiarizem com apelidos mesmo com doze capítulos passados, vou ver se dá certo.

Eu também adoro o Wingull, mas sua evolução é realmente muito sem graça. Vamos ver o que eu consigo fazer com a espécie, já fiz três machos passarem a achar o Tympole fofo mesmo -q Sobre o encontro entre Kyle e Natt, eu disse lá na sua fic que adoraria mesmo, mas uma batalha seria meio complicado agora. Porém, em um futuro onde isso seria mais possível, esse encontro seria demais, eu dou risada só de imaginar os possíveis diálogos entre essas duas figuras -q

Black: Obrigado pelos elogios cara. O capítulo nem atrasou a batalha, só adiantou -qq Sobre o vacilo do Konshe, eu acho que seria mais vacilo ainda se ele colocasse Natt e Nico como prioridade, já que os que colocaram se nome na lista só não foram busca-lo porque não sabiam onde ele estava, Natt e Nico só sabiam porque foram pedir informação para Grayson.

A história do roubo ainda vai se enrolar por mais capítulos, e pro enquanto só resta especular. O titã de água? Burnign e seus companheiros? Outro suspeito? Só resta esperar -q

Isaac Hey o/ Burnign se lê Bãrniguin, já que o G mudo se lê do mesmo modo que GUI =P

Essa do nome é muita coincidência pra ser só coincidência -q Se chama destino. Sobre a joia dos sonhos, é o que eu disse ao Black, ainda vai se enrolar por mais capítulos, e por enquanto só resta deduzir. Suspeitos já temos.

Kai: Olá! Realmente o capítulo ficou simples, isso porque não tinha muito o que enrolar, só a captura que poderia ficar mais extensa, mas desse jeito ficou bem legal e objetivo. Que bom que gostou ^^

O Natt realmente ficou bem decepcionado por Emma não poder assistir a sua batalha, mas não se preocupem porque a personagem ainda vai aparecer mais ainda. E a batalha do ginásio de Natt está chegando, assim como a de Nico.

Agora sobre o capítulo, ele foi muito legal de se escrever e contou com uma batalha que eu gostei muito de fazer, espero que gostem. No meio do cap, coloquei alguns sprites para os Pokémon que vão batalhar, só pretendo fazer isso para as batalhas mais importantes. Se não ficar legal, avisem, eu paro.

Ah, e eu nunca disse que o gym é do tipo grass Laughing

O alvorecer pintava o céu de uma tonalidade laranja, afastando o escuro da noite e indicando o começo do dia.

Os raios solares atingiam a cara do pescador que dormia largado no gramado de Knothole. Ele resmungava enquanto a luz lhe cegava temporariamente, balançando os braços como se fosse adiantar alguma coisa.

Natt estava acabado, passara a noite quase toda treinando seu recém capturado pokémon, Wingull. No começo, ele subestimara o pássaro ao saber que ele não sabia voar, julgando-o como fraco, mas se surpreendeu pouco tempo depois.

Mesmo não conseguindo levantar voo, sua agilidade era incrível, conseguindo desviar até mesmo dos golpes de Totodile, que não perdoava ao atacar. A única incógnita era como o pequeno voador não conseguia voar. Certamente, ele teve tempo para aprender, pois não era um bebê como Tympole, devia ter cerca de dois anos de idade.

De qualquer modo, o pássaro tinha se provado, e já era uma peça essencial na estratégia para a batalha contra Konshe.

Agora, os três aquáticos dormiam na mesma grama que Natt tentava tirar de dentro das calças agora. Chegava a dar pena, pois todos eles (inclusive Totodile, surpreendentemente) deram o melhor de si na noite passada, mereciam esse sono que estavam tendo, então o pescador decidiu fazer o que melhor sabia fazer, tirou a vara de pesca das costas e aproximou-se de um lago.



Capítulo doze:
Em um percentual mais alto

Pela primeira vez, Natt se sentia livre para andar por Knothole, não tinha nada para se preocupar. Sua estratégia para o ginásio já estava pronta, e, pela primeira vez desde que chegara na cidade, não tinha um líder para procurar ou uma invasão para tentar parar, podia fazer o que quisesse.

Quando vencesse o ginásio, e estava confiante que venceria, ele ganharia uma quantia aproximada de quinhentos pôkens, e já estava olhando o que poderia comprar com isso, não era grande coisa, mas era algo.

Tympole, sempre na cabeça de seu treinador, sorria para o novo amigo, Wingull, que, por sua vez, estava no ombro do mesmo, já que não podia voar. Totodile preferia seguir pelo chão, abocanhando folhas que eram levadas pelo vento, voando de uma maneira que o pokémon gaivota invejava.

Natt estava distraído olhando para a vitrine de uma loja, quando sentiu alguém o cutucando. Ao se virar, ele viu um homem de cabelos louros penteados, olhos claros e um smoking verde-grama. Grayson sorria enquanto olhava para o novo integrante da equipe do pescador.

- Hey, como vai? - cumprimentou.
- Bem. - respondeu o garoto. - O que te fez sair do restaurante?
- Konshe. - respondeu - Ele me mandou lhe avisar que a batalha de Nico vai começar, e queria que você assistisse.

Natt sorriu, depois de Nico, seria sua vez, seu desafio, sua hora de brilhar. Não podia desperdiçar a oportunidade.

- Aliás, bela captura. - comentou o cozinheiro.


~//~


Eles não demoraram nem cinco minutos para chegar ao ginásio. Konshe os esperava na entrada da árvore, apoiado na porta. Natt tinha retornado seus pokémon, não queria que o líder os visse antes da batalha.

- Gray, Natt! - cumprimentou o líder ao ver os dois - Que bom que vocês vieram, a batalha já vai começar. Vamos, entrem.

Ele abriu a porta do ginásio para os dois entrarem. Dentro do tronco da árvore, uma escada em espiral levava ao topo, onde havia uma grande arena de areia com uma plateia rodeando-a. Nico esperava em um dos lados, nervoso.

- Só uma dúvida, Konshe. - disse o pescador, ao ver o rival parado no campo - Ver a sua batalha contra Nico não vai me dar vantagem, por ver suas estratégias?

O líder sorriu.

- Não se preocupe, Natt, eu tenho diferentes estratégias para diferentes treinadores. - ele olhou para o campo - E vocês dois certamente são treinadores diferentes.

Então, Konshe foi para o outro lado do campo, ficando de frente para Nico. Natt e Grayson se sentaram, um do lado do outro, vendo a batalha.

- Será que Nico dá conta? - perguntou o pescador, ao ver o nervosismo do treinador.
- Se ele for metade do treinador que acredita ser, ele consegue.

O líder terminava de arrumar a sua camiseta. Do seu lado do campo, havia uma máquina com cerca de treze pokébolas.

- Então, Nico. - ele gritou, para que o treinador ouvisse do outro lado do campo - Qual a sua classe?
- Sou classe D. - o treinador respondeu, convencido de que não seria tão difícil, afinal, já tinha uma insígnia.
- Certo, então usarei esse três. - Konshe tirou três pokébolas da mesa, mostrando para o desafiante - De acordo?

Ele assentiu, então a batalha começou.

- Mighty, mostra pra ele! - ele arrumou o seu boné, e em seguida arremessou uma pokébola contra o chão, levantando uma quantidade considerável de areia. Quando essa areia abaixou, foi possível ver o canino negro que saiu da esfera.
- Ousado, admito. - disse Konshe - Nincada, me ajude!

Suavemente, ele jogou uma pokébola para cima e, ainda no ar, ela se abriu, liberando um inseto. Ele não parecia muito intimidador, pequeno e branco, com grandes olhos vazios e asinhas verdes, pequenas demais para fazer com que ele levantasse voo.




- Howl, Mighty! - ordenou Nico.

Mightyena soltou um uivo que ecoou por todo o ginásio. Em seguida, ele dobrou as patas dianteiras, se inclinando, fitando seu oponente.

- Nincada, Dig!

Com suas unhas afiadas, o inseto cavou um buraco na terra, entrando nele em seguida.

- Mas que droga! Preste atenção no campo, Mighty!

O noturno balançou a cabeça, procurando no chão por qualquer deformação que pudesse indicar a presença do inseto.

- Mighty, atrás!

Com sorte, o Mightyena ouviu seu treinador a tempo, dando um salto para frente antes que Nincada pudesse saltar para fora do solo.

- Agora, amigo, Metal Claw! - ordenou o líder. Seu pokémon, ainda no ar, deu um impulso para frente, enquanto sua garra dianteira brilhava de uma cor metálica.

Antes que Mightyena fosse atingido pelo ataque, ele saltou para o lado, fazendo com que o golpe atingisse o chão, levantando uma quantia considerável de areia.

- Boa tentativa, Konshe. - disse Nico - Mas não conseguirá ir contra a agilidade de Mighty.

Natt odiava admitir, mas o garoto estava indo muito bem. Se seguisse esse ritmo, conseguiria vencer a batalha.

- Ha, boa. Mesmo com vantagem de tipo, Nincada ainda sofrerá dificuldades em acertar Mightyena graças à sua agilidade. - o líder tirou o cabelo dos olhos - Vamos, parceiro, mostre a eles que estão errados, Mind Reader!

Nico se apavorou ao ver Nincada fitando Mighty, enquanto uma sinistra aura escura envolvia o noturno.

- Acho que a sua agilidade não vai servir agora que meus golpes nunca falharão - Konshe sorriu.
- Esse é o Konshe que eu conheço. - comentou Grayson - Não deixa nada passar.
- Que demais! - disse Natt, admirado ao ver o líder batalhando.
- Nincada, X-Scissor!

As duas garras dianteiras do inseto adquiriram uma coloração esverdeada. Em seguida, ele investiu contra Mightyena, que não pôde fazer nada. Cruzando suas garras em forma de X, Nincada fez com que o oponente fosse arremessado vários metros para trás, machucado, mas não debilitado.

Nico não aguentou ver seu pokémon machucando, e o retornou para a pokébola.

- Admito, Nico, seu Mighty é muito rápido. A habilidade Compound Eyes de Nincada lhe garante uma grande chance de acertar o ataque, mas, mesmo assim, a agilidade de seu pokémon foi melhor do que a precisão do meu. Se não tivesse o Mind Reader, duvido muito que Nincada tivesse alguma chance.
- Obrigado Konshe. - agradeceu o treinador, guardando a pokébola de Mighty, e pegando outra - Nocturne, sua vez!

Ele arremessou outra pokébola, que liberou uma coruja castanha ainda no ar. Ao ver seu inimigo, Nocturne pousou no chão.




- Dessa vez o jogo virou, você tem a vantagem. - disse o líder - Veremos se é o suficiente. Dig!
- O quê? - Nico espantou-se - É sério?

Natt percebeu que Grayson sorria, então era certo que Konshe sabia o que estava fazendo, era parte de uma estratégia.

- Use o Double Team! - ordenou à coruja.

Nocturne se dividiu em dois, um real e outro não, ficando impossível de distinguir qual era qual.

- Esperto… - comentou Grayson - Nico sabe que Nincada tem a habilidade Compound Eyes, então acabou já com a precisão aumentada dele.

Os dois Noctowls voavam juntos, de modo que era impossível saber qual deles era sólido, ambos olhavam para o chão, procurando por um relevo no solo.

Nincada saiu de uma rachadura do solo. O golpe, obviamente, não acertou Noctowl, mas garantiu que o inseto conseguisse uma grande altitude.

- Agora Metal Claw! - gritou Konshe.

Ainda no alto, a garra do inseto brilhou com uma cor metálica. Em seguida, ele arranhou um dos Noctowls, mas teve o azar de acertar a cópia. Em seguida, Nincada voltou ao solo, e as duas corujas se misturaram, fazendo com que não fosse possível saber qual era a verdadeira.

- Acho que te peguei. - Nico parecia estar recuperando a confiança novamente.
- Veremos. - Konshe também se animara com a batalha - Mind Reader

Nincada começou a fitar os dois Noctowls com seus olhos profundos. Em seguida, uma aura escura envolvia a coruja, mas apenas a verdadeira.

- Dessa vez não! - exclamou Nico - Aerial Ace!

O Noctowl falso se desmanchou, e o verdadeiro mergulhou em direção à Nincada, acumulando uma grande quantidade de ar ao seu redor. Com uma bicada, Nocturne conseguiu jogar Nincada para longe.

Lentamente, o inseto levantou-se, pronto para revidar.

- Ataque antes! - ordenou o treinador - Confusion!

Os grandes olhos de Nocturne adquiriram uma cor rosada, enquanto uma aura da mesma cor envolveu Nincada, que não aguentou e desmaiou. Todos ficaram quietos por um tempo.

- Nincada está fora de combate! - anunciou Grayson - Nico ainda tem três pokémon restantes, e o líder, dois.
- Desafiador. - admitiu Konshe - Essa batalha está muito boa, Nico, continue assim. Pois o próximo vai te dar mais trabalho.

Sem dizer nada, ele retornou Nincada à pokébola, tirando outra do bolso imediatamente. Em seguida, ele jogou a segunda para cima, e ela se abriu, liberando um outro pokémon, também pequeno, que poderia ser confundido com uma pinha azul.




- A velocidade já foi, agora é a defesa. - comentou Grayson para Natt. Ambos estavam muito animados com a batalha.
- Iron Defense. - ordenou o líder, seu pokémon continuou rígido, enquanto um brilho metálico emanava de seu corpo.

Nico continuava sério, olhando para seu oponente. Apesar de ter derrotado o último pokémon sem nenhuma baixa, ele ainda estava nervoso ao enfrentar o líder. Ele pensou um pouco antes de dar a sua ordem.

- Nocturne, Double Team, por favor!

A coruja obedeceu, dividindo-se em dois.

- Iron Defense novamente.

O pokémon pinha repetiu o ataque, simplesmente não moveu o corpo, que ficava mais rígido ainda.

- Mas desse jeito ele vai ficar impossível de ser detido! - disse Natt.
- Não deixe barato! - gritou Nico - Aerial Ace!

As duas corujas mergulharam em direção à Pineco simultâneamente, mas apenas o verdadeiro que acertou-o. O golpe fez um dano mínimo, e nem chegou à mover o pokémon.

- Nosso turno. - disse Konshe - Gyro Ball.

O pokémon inseto começou a girar horizontalmente à uma velocidade incrível, enquanto atingia a cabeça de Nocturne, que foi jogado na parede do outro lado do campo de batalha. O pokémon voador não aguentou e desmaiou.

- Incrível. - disse Natt - A força do Gyro Ball é determinada pela velocidade do alvo pela velocidade do usuário. Por isso causou um dano tão devastador, Pineco é muito lento em comparação à Nocturne, que é muito veloz.
- Exatamente, por isso Konshe usou Pineco, ele está preparado para tudo. - disse Grayson. Em seguida, ele levantou-se do banco. - Nocturne está fora de combate, o jogo empatou.

Nico continuava olhando com pesar para Nocturne, que estava caído no chão. Ele pegou a ave nos braços e encostou a pokébola nele, fazendo-o voltar.

- Mighty, vingue o Nocturne! - ele gritou, arremessando no chão uma pokébola que liberou Mightyena, ele ainda estava machucado devido à batalha com Nincada, e não conseguia encostar uma de suas patas no chão.




- Howl.

O pokémon uivou, inclinando as duas patas dianteiras, mesmo a machucada, enquanto recebia um aumento considerado de força.

- Gyro Ball!
- Desvie!

Pineco voltou a girar horizontalmente, enquanto ia como um peão em direção à Mightyena, que saltava para cima, desviando do inseto.

- Você errou. - disse Nico.

Konshe sorriu, causando dúvida em todos, menos em Grayson.

- Ele sabe que Pineco é devagar. - explicou o cozinheiro - Por isso usou o Gyro Ball como um modo de chegar rápido ao Mightyena.
- Ele é muito esperto. - disse Natt.
- Crunch nele!

Mighty, que ainda estava no ar graças ao salto, mergulhou em direção à Pineco, enquanto seus dentes cresciam e adquiriam uma coloração negra.

- Gyro Ball!

Pineco conseguiu desviar do golpe girando horizontalmente e escapando para o lado, o que não conseguiria sem a ajuda do golpe. Em seguida, ele ficou rebatendo nas paredes da arena, como um peão.

- Acerte ele! - ordenou Konshe.
- Você também! - gritou Nico.

Pineco rebatia nas paredes da arena e iam em direção à Mighty, que desviava e tentava abocanhá-lo, sem sucesso.

Uma hora, porém, os dois se colidiram, Pineco acertou seu giro em Mighty, que segurou-o com seus dentes ainda envoltos em uma aura negra. Os dois sofreram danos consideráveis, mas o noturno conseguiu parar o giro do inseto.

- Crunch! - ordenou Nico - Morda mais forte!

Mighty continuou mordendo o oponente, que, mesmo com a defesa aumentada pelo Iron Defense, ainda sofria bastante dano graças ao efeito do Howl.

Os dois espectadores assistiam a batalha, não sabendo o que esperar.

- Já chega. - disse Konshe - Self-Destruct.

Nico não teve tempo de esboçar nenhuma reação, Pineco simplesmente explodiu na boca de Mightyena, e o raio da explosão fez com que os dois pokémon fossem arremessados à lados opostos, ambos desmaiados.

Nenhum dos dois disseram nada, apenas retornaram seus pokémon.

- Ambos estão fora de combate. - anunciou Grayson - Resta apenas um pokémon aos dois.
- Você batalhou muito bem. - disse Konshe - Que os nossos últimos parceiros decidam a batalha.
- Pode crer que sim. - o treinador sorriu, fazendo Natt se indagar qual seria o seu último recurso.

Os dois arremessaram as pokébolas ao mesmo tempo. A de Konshe foi para cima, liberando, ainda no ar, um besouro de único chifre azul-escuro, que bateu os punhos um contra o outro. Já a de Nico se chocou contra o chão, liberando de dentro dela… Um Rattata. Um simples e pequeno Rattata.

Natt ficou muito decepcionado. Nico poderia ter o usado no início, contra Nincada, e guardado Nocturne para o final, e então teria dupla vantagem contra o Heracross inimigo.

- Prepare-se para ser derrotado. - disse o treinador, apontando o polegar para o próprio peito. - Duvido muito que essa sua barata vá vencer de Rats.

Heracross e Konshe olharam um para o outro, confusos.




- Nico poderia parar de insistir nesse Rattata, ele acha que é o melhor pokémon da sua equipe. - comentou o pescador enquanto assistia a batalha, já tinha perdido a esperança.
- Porque talvez seja… - disse Grayson - Olhe bem para esse Rattata, o seu tom de roxo, os dentes, os bigodes…
- O que tem? - perguntou.
- É um rato do deserto, Natt!

Foi então que Natt se lembrou de uma antiga história. No deserto do lado Oeste de Eyarn, onde só costumavam viver pokémon dos tipos minerais, havia uma espécie de Rattata que conseguia sobreviver lá, e, por isso, desenvolveram habilidades que outros de sua espécie não podiam, e eram muito mais fortes, eram ratos do deserto, conhecidos por sua força e por trabalharem em grupos com outros Rattatas para sobreviverem juntos. De repente, a possibilidade de Nico vencer voltou.

Os dois, o treinador e o líder, sorriram, preparados para a última parte da batalha.

- Heracross, Megahorn!
- Desvie, Quick Attack!

O besouro azul-marinho se curvou, seu chifre exalou um brilho branco, enquanto aumentava e sua ponta se tornava pontiaguda, pronta para atacar. Ele investiu contra o pequeno rato roxo, que fugiu com uma velocidade incrível, deixando para trás um rastro branco.

Natt percebeu que Nico se inspirou em Konshe, que usou o Gyro Ball para fazer com que Pineco se movimentasse mais fácil. A estratégia tinha funcionado também com o Quick Attack, agora os dois pokémon estavam em lados opostos do campo.

- Muito esperto, mas eu estou preparado para isso também. Vai, amigo, Rock Tomb!

Heracross ergueu os dois braços, materializando no meio deles um gigante pedregulho, que ele arremessou para cima, dividindo-o em quatro partes. Cada uma das partes cercou Rattata por um lado, causando um pequeno dano nele. Mesmo o rato conseguindo escapar de dentro da tumba de pedras, suas velocidade tinha diminuído.

- Isso não é problema para nós, Rats! Quick Attack!

O pokémon voltou a correr em ziguezagues pelo campo, confundindo Heracross, que não conseguia acompanhar o movimento com seus olhos. Mesmo que sua velocidade tenha sido diminuída, Rats ainda conseguia ser bem ágil.

- Nossa chance! Use o Toxic!

Ao ficar exatamente atrás do seu oponente, o Rattata parou de correr, dando um salto e, em seguida, liberando pela sua boca uma bolha tóxica que estourou ao entrar em contato com Heracross.

O besouro caiu no chão, uma aura púrpura o envolvia, estava envenenado.

Grayson, da plateia, estava ainda mais surpreso do que Konshe.

- Esse Rattata…
- Ele está em um percentual mais alto do que os outros de sua espécie. - completou Natt.

Heracross levantou-se novamente, abrindo as asas de sua costa e saindo do chão, ainda era possível ver a aura que o envenenamento emanava.

- Isso mesmo, meu amigo! - disse Konshe, como se seu pokémon soubesse exatamente a estratégia seguinte. - Aerial Break!

Todos, inclusive Grayson, ficaram confusos ao ouvir o comando, e não sabiam o que esperar daquele golpe que nunca tinham ouvido falar.

- Rats… Desvie?

O rato olhou para o oponente com cara de interrogação, não sabia do que desviaria. Heracross levantou ainda mais, mergulhando em direção ao oponente logo em seguida, com o braço direito brilhando.

Foi tarde demais quando eles perceberam que o golpe se tratava de uma mistura entre Aerial Ace e Brick Break, Rats foi atingido pelo golpe, sendo arremessado contra a parede. Em seguida, bolhas púrpuras de veneno estouraram no corpo de Heracross, causando dor.

- Vamos brincar assim, então? - Nico sorriu, ajeitando o boné na cabeça - Quick Crunch!

O rato se levantou do ataque, balançando o corpo para se limpar da poeira. Em seguida, olhou para seu treinador, ainda confuso.

- Quick Attack com Crunch - cochichou para seu pokémon, tentando fazer com que o oponente não ouvisse.

Ao entender o que seu amigo queria, Rattata entrou em posição de ataque. Dando um impulso com as patas traseiras, o pokémon correu velozmente, deixando um rastro branco para trás, enquanto suas presas criavam uma aura negra. Konshe riu.

- Ousado como sempre, parabéns. Mas somos oponentes, não posso pegar leve. Megahorn!

O chifre do pokémon besouro começou a brilhar de branco, enquanto aumentava de tamanho, ficando pronto para o ataque. Ele abaixou a cabeça, para conseguir acertar o ataque de chifre no oponente pequeno.

- Rats, você já sabe o que fazer!

O pokémon roxo manteve seu ritmo rápido, indo diretamente ao oponente, como se quisesse ser atingido.

Quando Rattata chegou perto de Heracross, o besouro atacou. Porém, o rato usou da força do mega-chifre para pegar embalo e ir para cima.

No ar, com suas presas ainda negras, Rattata mergulhou em direção ao oponente, mordendo-o bem na ponta do chifre. Mais bolhas púrpuras estouraram no corpo de Heracross, fazendo o inseto cambalear e cair.

Grayson se levantou.

- Heracross está fora de combate. - anunciou - A vitór-

Ele foi interrompido por Konshe, que levantou a mão direita, mostrando seu pokémon se levantando, ainda pronto para lutar.

Dessa vez tinha alguma outra em Heracross. Além da aura púrpura que ele emanava, agora seus olhos estavam mais cerrados, seu chifre parecia ter ficado mais rígido e seu corpo mais robusto.

- Swarm foi ativado. - disse Grayson, sentando-se novamente.

Rats ainda estava com força para batalhar mais. Mesmo tendo recebido um único golpe super efetivo, estava melhor do que Heracross.

- Acabe com ele, Megahorn!
- Não deixe, Iron Tail!

O chifre de Heracross cresceu ainda mais do que as outras vezes, adquirindo um brilho amarelado. Com Rattata houve a mesma coisa, sua cauda se esticou, ficando prateada com uma aparência metálica.

O inseto tentou atacar com o chifre, enquanto o outro pokémon se defendia com a cauda, tornando a batalha similar a uma luta de espadas, onde, sempre que os dois ataques se colidiam, um som de ferro podia ser ouvido, e faíscas saíam.

- Finalize! - gritou Konshe. - Brick Break!

Com o chifre, Heracross arremessou Rattata para cima, dando um salto para alcançá-lo, com seu braço brilhando.

- Rats, bloqueie com Iron Tail!

Os dois ainda estavam no ar, o inseto lutador tentou socar seu oponente, que bloqueou o ataque com sua cauda, ainda em formato metálico. O choque entre os dois golpes arremessou Rattata como uma bala para o outro lado do campo. Ele acertou a parede e caiu, desmaiado.

- Rats está fora de combate! - Grayson levantou a mão que estava do lado de Konshe - A vitória é do líder de ginásio!

Heracross ainda estava de pé, ofegando, quando mais bolhas púrpuras estouraram em seu corpo, fazendo com que ele caísse, poucos segundos depois de seu oponente.

Nico demorou um tempo para reagir. Ele caminhou em direção ao seu Rattata, pegando-o nos braços.

- Você lutou muito bem. - disse, sorrindo para o seu pokémon - Deixaria qualquer um com inveja.

Em seguida, o retornou à pokébola.


~//~


Estavam todos juntos no último andar do ginásio, um pequeno cômodo localizado na copa da árvore, de onde era capaz de ver a cidade toda.

As seis pokébolas usadas na batalha estavam em uma máquina, similar às usadas pelas enfermeiras do Centro Pokémon, mas com o símbolo da liga pokémon, uma pokébola de base lisa, na parte frontal.

Nico estava apoiado na parede, olhando para o chão. Não dissera uma palavra desde que foram para lá, ainda refletia sobre a perda.

- Perder faz parte, cara. - Natt colocou a mão em seu ombro, mas o garoto não disse nada. Então, Konshe chegou perto deles também.
- Ei, Nico, não fique assim, Natt tem razão. - ele debruçou-se para ver a paisagem também - A derrota, na minha concepção, nada mais é do que uma vitória disfarçada, sempre nos ensinando a melhorar. O que você aprendeu hoje?

O garoto olhou para o chão, refletindo sobre a batalha.

- Eu vi uma coisa, na última batalha, com Heracross. - ele ainda olhava para o chão, como se falasse sozinho - Quando ele começou a voar, era como se já soubesse o que você ia fazer, vocês estavam tipo conectados. Foi por isso que venceram?
- Exatamente, o segredo não está na vantagem, não está na estratégia e nem na junção das duas. Está no quanto o seu pokémon te entende. E como você descobriu isso?

Ele olhou para o rosto de Konshe, entendendo onde o líder queria chegar.

- Perdendo. - respondeu.
- Isso mesmo, temos que saber que a derrota é só uma vitória sobre outra perspectiva, é só não desistir e aprender com ela. O importante não é o jeito como você cai, e sim o modo como se levanta após a queda, pronto para se defender do que o atingiu.

O garoto assentiu, ficando mais alegre em seguida.

- Você evoluiu muito desde a nossa batalha. - disse Grayson - E sei que ainda vai evoluir mais, é assim que funciona.
- Falando nisso, para onde você vai agora? - perguntou Natt, coçando a cabeça.
- Ora, para onde você acha? - Nico apontou o polegar para o próprio peito, como costumava fazer. O pescador encolheu os ombros. - Ver a sua batalha, é claro!

Depois de todo o calor da batalha de Nico contra Konshe, Natt já tinha até esquecido que ele era o próximo. Agora era sua vez, chegara a hora do último da lista de espera, e dessa vez ele estava preparado.


E no próximo capítulo, o que todos esperaram por todo esse tempo: Natt vs. Konshe!

Ah, como Rush e Isaac sugeriram, eu vou colocar nome nos Pokémon de Natt, como eu já tinha considerado anteriormente. A mudança não vai ocorrer de uma hora para outra e, como eu não sou muito criativo para isso, peço que por favor me mandem MPs com sugestões para os nomes dos três Pokémon dele, quem sabe o nome que você sugerir não é escolhido? Até mais ^^
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Slow em Dom 27 Set 2015 - 18:26

Hey, -Ice o/

SEM POSEIDON!

Urfa, terminei.

Primeiramente, usa o Word pra responder os comentários tbm. Se o PC travar, qnd vc ligar dnv, ele salva. Ou seja, a única maneira de perder o comentário é se seu PC explodir.

Cara, eu fiquei bem puto com esse capítulo. Quando você colocou "eu nunca disse que o ginásio era de planta", eu pensei "putz, deve ser a lógica do sudowoodo, uma pedra que parece árvore, como eu não pensei nisso?". Ai você me vem com Bug? Isso foi, tipo, inesperado².

Que batalha *--*. Eu  gosto muito Ninjask e Shedinja (mds, parece dupla sertaneja '-'), então dá uma certa brecha para que eu goste do Nincada. E esse Mightyena, se ele tivesse Agility, mds, até o mind reader iria falhar. O que dizer da beyblade bomba-atômica, então?

Resumo de como eu vi a batalha: No começo, eu achei que o Konshe iria ganhar. Porém, quando começaram a lutar, achei que Nico iria ganhar. Quando Noctawl perdeu, achei que Konshe iria ganhar. Quando Rats desceu o kct no heracross, achei que o Nico iria ganhar. Quando Heracross se levantou, achei que Konshe iria ganhar, mas eu tinha mudado tanto de lado, que acabei achando que mudaria de novo, e achei que o Nico iria ganhar na "luta de espadinhas". Ai ele perde. Isso foi inesperado³+³ (n tem o 6 ;-; )

- Exatamente, o segredo não está na vantagem, não está na estratégia e nem na junção das duas. Está no quanto o seu pokémon te entende. E como você descobriu isso?

temos que saber que a derrota é só uma vitória sobre outra perspectiva, é só não desistir e aprender com ela. O importante não é o jeito como você cai, e sim o modo como se levanta após a queda, pronto para se defender do que o atingiu.
~LISPECTOR, Konshe

É, mas não vai bem ao pé da letra n, Ash nunca venceu a liga assim UAEHAUE.

Bem, é isso, Tchau e até o próximo capítulo o/
(pensarei no seu caso sobre os nomes u.u -q SEM POSEIDON)
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Seg 28 Set 2015 - 9:19

Ash = Lixo. Sem mais comparações. 


Gostei MUITÍSSIMO desse capítulo. Sério, essa batalha foi incrível. Todas batalhas de ginásio me deixam hypado, mas essa conseguiu quebrar minhas expectativas. Admito que fiquei um pouco decepcionado por ser o Nico, e não o Natt que iria batalhar, mas mesmo assim... O cap foi perfeito.


Uma coisa que eu adorei, foi o título do capítulo. Foi épico, mas acho que você poderia ter guardado para um futuro mais distante, como "a batalha final de Nico" ou coisa do gênero, de qualquer forma, achei muito bem bolado o nome e a imagem do capítulo. Foi de se tirar o chapéu - Entendeu o trocadilho? HAHAHAHA EU SOU ENGRAÇADO DÊ RISADA. 


Enfim. Pra ser BEM HONESTO MESMO, eu gostei mais do desempenho do líder do que o desempenho do youngster, talvez por não ser tão metido. Eu senti o nervosíssimo do Nico, mas sei lá, ainda não vou com a cara dele. Konshe lidou tudo de maneira clara e ainda usou um time super criativo e marcante.


Falando no time do líder... Uau. Adorei, mas ADOREI MESMO, a forma que você fez o time do líder fluir. Quer dizer... Foi muito espontâneo. Teve uma "quebra" de harmônia muito grande, e não sei se foi essa a intenção, mas creio que isso fez o Nico ficar bem mais receoso e se assustar com seus oponentes. Tipo...


Primeiro o Nincada. O bicho é forte, bastante forte, mas é lento. Compensa sua lentidão com um movimento que sempre o faz acertar seu oponente. 


Segundo o Pineco. Muito, mas muito resistente, também lento, mas em último caso ele consegue se mover muito rapidamente usando o Gyro Ball e explodir, dando praticamente um 1HKO. 


Já o último, o Heracross, é ágil e forte, não sendo tão resistente quanto o Pineco, e não dão preciso quanto o Nincada. E putz, que Heracross, ein? Adorei a escolha do Pokémon. Não sei se ele vai ser o Pokémon oficial de Konshe, mas eu consigo me acostumar com isso, porque é um ótimo Pokémon. 


Já o Nico, sei lá... Ele foi muito ATAQUE ATAQUE ATAQUE. As únicas estratégias que ele usou que tiveram efeito mesmo, foram o Double Team do Nocturne e o Toxic do Rats. E mesmo assim, achei que o garoto fosse vencer por um instante. 


Gostei de ter explorado a habilidade Swarm. Embora seja a pior habilidade do Heracross no competitivo - Moxie e Guts são infinitamente melhores - você conseguiu explorar bem o Swarm, mostrando que quando mais você bate no bicho, mas perigoso ele fica. 


É isso. Mandei MP com sugestões para nomes, mas não sei se tu vai gostar. To muito ansioso pra batalha do Natt, e espero que você adiante um pouco para postá-la, porque tenho certeza que ela vai ser ainda mais épica.


Parabéns pelo capítulo ÉPICO. Aguardo ansiosamente o próximo capítulo. Um abraço!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Black~ em Ter 29 Set 2015 - 18:51

Bom, vamos lá.

Gostei bastante desse capítulo. A batalha foi muito boa mesmo. O líder mostrou porque ele é o líder, com estratégias surpreendentes, mas, acima de tudo, muito interessantes. Eu também fiquei um pouco decepcionado por não ter sido o Natt a lutar (e lá vamos nós, mais um capítulo... huahuauha), mas "o melhor fica pro final" né? -q. Enfim

Eu assim como o Rush, gostei muito do time do líder. Como eu gosto desses pokémons underrated fazendo um estrago enorme -q. O cara tinha um time com PINECO e NINCADA e usou estratégias inacreditáveis. Gostei muito disso. Todos os golpes e habilidades foram se equilibrando, de um modo que os pokémons conseguissem cobrir suas próprias vantagens. O Heracross era certamente o mais forte, mas mesmo assim, tinha deficiências ainda, que o líder soube dibrar.

Apesar de ter gostado da atuação do Pineco, eu achei bem filhadaputagem o líder usar o Self-destruct. Na verdade, não é nem problema com o líder, é realmente problema com o golpe, que é o mais fdp que existe. O Mighty tava dando um calorzinho pro Pineco e ele simplesmente vai lá e POW explode, aí é osso -qq. Mas foi bom isso, pois pelo menos o Nico não ganhava, ele não mereceu a vitória.

Parafraseando o Rush, o Nico foi na base do ATAQUE ATAQUE ATAQUE, indo sem qualquer estratégia. A única que ele teve foi a do Double Team, que na verdade é uma estratégia manjada, apesar de sempre funcionar. No mais, ele não pensou, não raciocinou, só quis atacar. Só acho que pra alguém que se acha tanto, ele nem deveria sentir o nervosismo assim né -q, mas enfim.

Cara, que porra de Rattata é esse? Apesar de não gostar muito do Nico e muito menos de Rattata, eu gostei bastante dessa força que você deu pro Rattata (acho que eu gostei disso por também usar pokémons bem lixos como bem fortes -q, mas não vem ao caso). Toxic e Iron Tail foram golpes surpreendentes, apesar do Rattata realmente aprender, mas a velocidade, a força, tudo. Ele chegou até a debilitar o Heracross, antes da ativação do Swarm. Foi interessante mesmo.

No geral, gostei do capítulo e da batalha e espero ansiosamente o próximo, que finalmente (espero) terá a batalha do Natt contra o líder. Espero também pra ver quais pokémons o líder vai usar, visto que a classe deles é diferente. Mas concordo com o Rush que o Heracross seja o pokémon oficial do líder e esteja na próxima batalha. Mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Murilo em Sex 2 Out 2015 - 11:55

Véi, essa batalha foi muito TOP. Mesmo sendo Nico eu gostei muito de ler. Foi tão fluida e você pensou em tudo direitinho, não foi só ataques aleatórios. Deu pra perceber o estilo de cada um. Geralmente eu não gosto de caps que focam apenas em batalhas porque fico meio confuso, mas a sua foi perfeitamente compreensível. Sinceramente me fez ficar muito animado pro próximo cap onde será a vez de Natt. Como falaram aí, eu também fiquei na dúvida em quem iria ganhar, porque quando eu achava que Nico iria perder por ser Nico né, ele vai e mostra uma habilidade impressionante. E o que dizer do rattata. Acho que ninguém espera nada de um rattata, e foi legal que voce criou essa história dele ser do deserto e tal. Dá até pra acreditar que ele seja mesmo forte. Aliás, seria legal se ele não evoluísse, porque sinceramente acho os raticates muito feios. E cara, esse já foi o capítulo 12 e Natt não pegou nem a primeira insígnia ainda. Dá pra ver que será uma jornada bem longa né haha. Até!
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Sex 2 Out 2015 - 16:06

Cinco dias se passaram, e mais um capítulo chegou ^^ Enfim, não tem muito o que falar, só vamos aos

Comentários:
Isaac: Hey! É bem chato usar o word pra responder os coments, sei lá, vou continuar me aventurando na caixa de texto -q É, eu imaginei como o pessoal ficaria "coo assim?" ao ver que o ginásio não era de planta, então já adiantei antes de postar o cap, eu nunca tinha citado o tipo -q Uma curiosidade interessante é que, antes mesmo de eu escrever o prólogo da fic, o gym de Knothole seria do tipo Fairy, mas eu mudei pra Bug pq Heracross >>>> abismo >>>>> Spritzee né -qq

Eu também curto a linha evolutiva do Nincada, eles, junto com Treecko e Beautifly, sempre me trazer lembranças de Hoenn, isso é legal, já que eu me baseei bastante na saga Ag do anime para o conceito inicial da fic. É, a batalha foi escrita para ser uma montanha-russa de emoções mesmo, eu queria transformá-la em uma disputa equivalente (até porque os líderes sempre usam um time equivalente à classe do desafiante) onde vocês não soubessem quem ia ganhar, deixando tudo mais dinâmico.

Konshe Lispector é foda Laughing O Ash nunca venceu uma liga pois ele segue essa filosofia pela metade, ele cai, sim, e se levanta, também, mas não aprende com o tombo cof cof Snivy cof cof

Até mais cara, espero que continue gostando ^^

Rush: Eae o/ Que legal que a batalha ficou boa, pois eu também gostei muito de escrevê-la, foi bastante divertido. O Nico batalhou primeiro porque colocar o Natt antes dele faria com que ninguém quisesse ver uma batalha do garoto depois do pescador, e eu queria um cap sobre o desafio do Nico por causa da lição que o Konshe dá no final, e ele vai aprender bastante com isso (sim, a lista de espera foi só uma desculpa para o Nico ir primeiro, e para dar tempo do Natt capturar o Wingull).

É, eu escrevi o capítulo pensando exatamente nisso. Desde o cap 5 (Youngster Nico), eu me preocupei bastante em explorar bastante o youngster ainda mais do que o Natt, e essa sua batalha de ginásio foi o fim do seu arco, por isso nada mais justo do que esse título que faz referência à uma frase icônica como essa.

É, o desempenho do Konshe foi melhor do que o de Nico, e eu pensei nisso. Imagina só, um líder faz um curso para batalhar, esse é o emprego dele, já o Nico é um garoto de catorze anos que está seguindo o seu sonho, nunca que ele conseguiria pensar competitivamente dessa maneira que Konshe fez. Quem sabe agora ele não para de ser um bosta? -q Eu adorei escolher à dedo o time do Konshe, e não, nenhum Pokémon que ele usou contra Nico ele vai usar contra Natt, eu quis fazer uma coisa nova, mesmo o Heracross sendo mesmo o seu Pokémon principal.

Obrigado pelas sugestões para os nomes, estou considerando ^^ Espero que continue gostando.

Black~: Hey o/ Mais um capítulo com o Natt não batalhando se foi, auehueahuea, prometo que agora vai -q

Que bom que também gostou do time do Konshe, eu o escolhi com muito cuidado, e teve muitas versões (sabia que no começo seria um Mothim no lugar do Heracross? ainda bem que eu mudei saporra), eu gostei do resultado também. Dibrar é uma palavra tão foda né?  Laughing

Self-Destruct é um golpe muito lazarento mesmo, imaginar um líder usando algo tão destrutivo quanto isso já me remete à Whitney na segunda geração, com aquela vaca tetuda da Miltank. Achei legal você também ter gostado da força do Rattata, já que isso tudo é por ele ser um rato do deserto e talz, eu achei que as pessoas ficariam putas por parecer uma desculpa esfarrapada, mas na verdade isso vai ser importante para o futuro, mesmo não parecendo.

Sim, agora é a batalha do Natt mesmo, dessa vez é verdade -q Espero que goste bastante.

Murilo: Murilo o/ Que bom que gostou da batalha, nas próximas eu vou me empenhar tanto quanto me empenhei nessa ^^ Eu tentei passar o estilo diferente dos dois mesmo, como por exemplo no modo que eles jogam a pokébola (sim, eu pensei nisso). Eu também não curto muito capítulos inteiros sobre uma batalha, mas geralmente eu engulo, porque é sempre nessas que vem uma batalha foda.

É, eu realmente queria que vocês ficassem em dúvida sobre quem ganharia, até porque fica mais legal assim também, não sabemos o que esperar e, quando achamos que um deles está na vantagem, surprise, motherfucker!

O Rattata realmente se provou na batalha né? No final, o Nico estava certo desde o começo, esse bicho está mesmo em um percentual mais alto. Essa história do deserto, mesmo parecendo uma desculpa inventada para causar uma reviravolta na batalha, na verdade é um gancho para algo muito importante que vai acontecer para frente, só esperem ^^

Haha, realmente ta demorando bastante pro Natt conseguir a sua primeira insígnia, são 12 capítulos e nada, mas é porque no começo eu me preocupei mais em explorar os personagens, e, depois que ele pegar a manha, não vai mais demorar tanto assim já que só são seis ginásios em Eyarn. Enfim, obrigado por comentar, espero que continue gostando da fanfic, até mais ^^

Muito obrigado pelos comentários, espero mesmo que continuem gostando. Agora sim, chegou a batalha que tanto esperávamos, eu não sei o que falar, só que ela será um divisor de águas, tanto para Natt quanto para a história, e estamos chegando no final da primeira temporada, onde alguns mistérios serão resolvidos, alguns mantidos, e outros novos aparecerão, testemunhem (qualquer semelhança com Mad Max é pura referência).

Ah, vale também falar que, após alguns capítulos, agora eu pretendo voltar com o humor e com as referências, que, dessa vez, vão abranger tanto a cultura pop no geral, quanto fanfics do próprio fórum, agora que eu estou lendo várias. Vamos lá

Natt estava de pé em uma das extremidades do campo de batalha, olhando para Konshe, que arrumava uma máquina com treze pokébolas do outro lado da arena.

- Prontinho. - disse ele ao terminar, fazendo um sinal de o.k. com a mão. Em seguida, ele se virou para o desafiante - Agora estou pronto, Natt. Só me responda uma coisa, qual a sua classe?
- Sou classe E - respondeu o pescador, meio baixo.
- Então usarei esses dois. - o líder pegou duas pokébolas, olhando para ambas com confiança.

Natt se frustrou. Esperava poder usar seus três pokémon na batalha, mas, mesmo assim, pegou duas de suas pokébola no bolso, pronto para começar. O líder sacou uma das suas, arremessando-a para cima suavemente. Já o pescador balançou o braço, lançando sua esfera com efeito. As duas se abriram, revelando seus respectivos pokémon, a batalha tinha começado.



Capítulo treze:
O último da lista de espera

Da pokébola de Konshe, saiu um pequeno pokémon inseto. Sua aparência era similar a de um escorpião do mar, com uma crosta roxa protegendo o seu corpo de crustáceo, assim como dentes e ferrões brancos, cheios de veneno.

Já a de Natt, ao tocar o chão, liberou seu habitual pokémon girino, que descreveu um círculo no ar, como se nadasse mesmo sem água.




Os dois oponentes se encararam, prontos para começar a batalha.

- Dois contra dois, apenas o desafiante pode substituir - disse Grayson, ele estava na plateia ao lado de Nico - Regras básicas de batalha classe E.
- Certo Tympole, começaremos. - disse Natt, apontando para o outro lado do campo. - Vai, Supersonic.

O aquático usou a cauda para pegar impulso e subir um pouco no ar. Em seguida, estufou o peito, soltando várias ondas sonoras, que correram em direção ao pokémon inseto.

- Para a esquerda! - gritou o líder.

Skorupi saltou para o lado que lhe foi ordenado, fazendo com que a onda supersônica atingisse o chão, levantando uma grande quantidade de areia, que escondeu o inseto, fazendo com que fosse difícil Tympole atingí-lo mais uma vez.

- Bug Bite surpresa!

Foi possível ouvir o som de um ferrão batendo no chão, e, em seguida, Skorupi saindo do meio da cortina de areia com um pulo. As duas presas brancas em sua boca estavam, pelo menos, três vezes maior, enquanto emanavam uma aura oliva brilhante.

- Rebata ele! - ordenou o pescador.

Tympole deu um impulso para trás, rolando verticalmente no ar e batendo sua cauda na parte inferior do rosto do oponente, que, mesmo assim, conseguiu usar a mordida de inseto na cauda do girino, o girando e arremessando como um martelo no chão.

- Tympole, você está bem? - perguntou Natt, e seu pokémon se levantou, pronto para batalhar mais. - Certo, mostre a ele o poder do seu Round!

O girino estufou-se como um balão se enchendo de ar e, em seguida, soltou uma outra grande onda sonora, que ecoou pelo ginásio inteiro, acertando em cheio Skorupi, o empurrando para trás. A grande quantidade de areia que tinha subido no último ataque se espalhou por todo o campo de batalha.

- Certo, volte, amigo. - o pescador retornou o girino à sua pokébola - Wingull, mostra pra ele.

Da plateia, Nico arregalou os olhos, surpreso. Não sabia da presença desse último pokémon na equipe de Natt.

- Achei que ele ia usar o Totodile… - disse, ainda estupefato.

Ao sair da pokébola, o pokémon gaivota permaneceu no chão, esticando suas asas de modo a parecer bem maior e mais ameaçador.




- Veja o poder do meu novo parceiro! - exclamou o pescador, confiante, apontando com o polegar para o peito, como Nico costumava fazer.
- Um voador aquático, interessante. - disse o líder, enquanto olhava para o novo pokémon no campo de batalha.
- Na verdade eu diria que ele é puro aquático - disse Natt, coçando a nuca. - De qualquer modo, o planejado!

O pokémon gaivota foi correndo com pequenos saltos, fazendo com que Konshe e seu pokémon ficasse em dúvida sobre o que seria feito.

- Hone Claws! - ordenou o líder, esticando o braço.
- Agora, suba! Water Gun!

Ao chegar perto de Skorupi, Wingull deu um último salto, batendo as asas. Ele não conseguiu levantar voo, mas a força do golpe aquático usado contra o chão o levantou ele vários metros.

Natt sabia que Wingull não conseguia voar, mas suas asas longas o ajudavam a planar, era assim que ele fazia para permanecer no a. Contudo, isso não duraria muito tempo, e logo ele perderia o equilíbrio.

- Alguns pés de altitude não vão me deter! - disse Konshe, sorrindo - Pin Missile vai!

O inseto levantou a sua cauda e, das duas agulhas localizadas na sua ponta, saíram ferrões de coloração oliva.

O primeiro voou em direção ao pássaro, acertando-o bem na barriga, fazendo com que ele cambaleasse no ar, e facilitando assim que o segundo acertasse em uma de suas asas.

- Preste atenção, Wingull! - ordenou Natt, apontando para o terceiro ferrão, que ia em direção ao voador. - Gire!

O pokémon obedeceu, executado o giro e fazendo o terceiro ferrão acertar no teto. Foi a mesma coisa com o quarto, o pokémon conseguiu girar mais uma vez, e o ataque passou reto. Porém, ele abaixou a guarda, e o quinto ferrão acertou em cheio bem em sua barriga.

- Droga! - gritou Natt, ao ver seu pokémon caindo em uma grande velocidade. Ele pegou sua pokébola para retorná-lo, mas então percebeu a oportunidade, e guardou-a novamente no bolso - Wing Attack!
- O que!? - Konshe olhou para o pokémon gaivota caindo, sem acreditar que ele fosse conseguir realizar o ataque.

Wingull esticou as asas, enquanto caía cada vez com mais força. Quando ele chegou em Skorupi, e o atingiu com as duas asas, o impacto levantou uma grande quantidade de areia, que se espalhou por todo o ginásio, devido à força do ataque. Skorupi foi jogado para trás, mas conseguiu cair de pé.

- Que devastador! - exclamou Nico, da plateia.
- Natt soube utilizar da velocidade da queda e do peso do pokémon para aumentar a força do ataque. - disse Grayson - Foi bem inteligente.

Wingull dobrava suas asas, fazendo com que ele se parecesse uma pequena letra M. Skorupi parecia estar mais robusto, suas presas mais afiadas e com um olhar penetrante, esse era o efeito do Hone Claws.

- Use o seu Scary Face! - ordenou o líder de ginásio.

Na frente do pokémon inseto, projetou-se algo parecido com um holograma roxo de uma boca e dois olhos sinistros, fazendo com que Wingull se assustasse com a cara assustadora que aparecera repentinamente.

- Tava demorando. - Natt sorriu. Ele vivia com seu tio, e sabia que um líder de ginásio que se preze sempre tinha na manga um golpe status negativo, e ele estava preparado para isso. Durante seu longo treinamento de mais cedo, ele descobrira que Wingull tinha o golpe perfeito para essa situação. - Tá na hora amigo, como planejado!

O pokémon gaivota também sorriu para seu treinador. Ele esticou as asas novamente, batendo-as repetidamente, preenchendo o campo com uma grande quantidade de névoa branca como sua penagem, era o golpe Haze.

- Interessante, mas o efeito já está feito em Wingull. - disse Konshe.
- Já está tudo planejado, cara. - Natt esticou o braço, segurava uma pokébola. - Retorne, amigo!

Em seguida, arremessou outra esfera, liberando Tympole, que demorou um pouco para localizar seu treinador no meio da névoa, mas deu um sorriso sincero quando o conseguiu.




- Skorupi, Pin Missile!

O pokémon apontou a cauda para o oponente. O primeiro ferrão saiu, atingindo o girino em cheio. Quando o segundo saiu, o aquático conseguiu desviar com um pulo

- Que azar, dessa vez foram só dois. - disse Natt - Então é nossa vez, use o Supersonic!

Tympole estufou o peito, soltando uma rajada sonora em Skorupi, que, dessa vez, não conseguiu desviar, sendo atingido em cheio pelo golpe e caindo. Ao levantar, o pokémon inseto cambaleou, estava confuso.

- Parece que Konshe está em um beco sem saída. - comentou Grayson - Seus ataques agora têm uma grande chance de acertarem ele mesmo, e os de status serão anulados pelo efeito do Haze.
- Então Natt pode ganhar? - perguntou Nico.
- De Skorupi eu diria que sim.

O líder de ginásio fitava seu pokémon, uma gota de suor escorria em sua testa, estava nervoso. Seu pokémon não tinha saída, pela primeira vez em muito tempo, ele não estava preparado para a ocasião, Natt realmente tinha pensado em tudo. Há anos, Konshe não tinha uma batalha tão emocionante como essa, principalmente com um treinador de classe E.

- Vamos tentar a sorte, Bug Bite! - ordenou o líder.

Skorupi começou a correr em alta velocidade em direção ao oponente, enquanto as presas brancas de sua boca aumentavam, adquirindo uma tonalidade oliva brilhante. Ao chegar perto do girino, ele saltou, pronto para abocanhar o pokémon.

- Use o Round!

Skorupi se aproximava cada vez mais, com a boca aberta. Tympole fechou os olhos, em seguida cuspindo uma bola de lama para cima, que ele rebateu com sua cauda em direção ao inseto venenoso. A bola de lama acertou-o bem na boca, se chocando com o Bug Bite, e causando uma pequena explosão que arremessou Skorupi ao outro lado do campo, jogando-o contra a parede.

- Isso é o Mud Shot... - disse o pescador, com seus olhos brilhando - Que demais!

Grayson levantou-se, estendendo o braço em direção ao Skorupi debilitado, enquanto Konshe o retornava para sua pokébola.

- Skorupi está fora de combate! - gritou Grayson - São dois pokémon para o desafiante e um para o líder.
- Não se anime. - disse Konshe.
- Não vou. - respondeu Natt - Nico começou na vantagem também, e perdeu feio.
- Ei! - exclamou o treinador, da plateia.

O líder pegou outra pokébola, a sua última. Em seguida, arremessou-a em direção ao chão, liberando seu último pokémon. Ele levantou voo, batendo asas tão rapidamente que afastou a névoa branca temporariamente.

Ele era similar a uma cigarra, revestido com uma fina armadura dourada e olhos vermelhos penetrantes. Natt reconheceu a forma evoluída de Nincada, Ninjask.

- Tympole, descanse. - Natt retornou seu pokémon, pegando a outra pokébola em seguida - Wingull, é agora!

Ele arremessou a pokébola, liberando seu pokémon voador, que sorriu ao ver que estava em campo novamente, esticando as asas.




Natt estava nervoso, o ponto forte de seus pokémon era a agilidade deles, e ele sabia se aproveitar disso, mas agora estava contra um oponente ainda mais rápido, talvez o mais rápido dos pokémon, e ele não sabia se daria conta.

O barulho das asas de Ninjask batendo rapidamente o lembrava o barulho da hélice de um helicóptero, mas muito mais rápido e agudo, causando-lhe dor de cabeça, talvez fizesse parte da estratégia, pois Wingull também estava irritado.

- Vai, Quick Attack! - ordenou o pescador.

Wingull bateu as asas, e, com um impulso para frente, ele conseguiu levantar alguns centímetros, posicionando-se de um modo que cortasse o ar, indo rapidamente em direção ao seu oponente.

Por ser um golpe de prioridade, Natt achou que acertaria, mas Ninjask conseguiu desviar para o lado. De tão rápido que era o pokémon, nem foi possível perceber ele se movimentando, foi como se ele se teletransportasse.

- Fury Cutter, amigo!

Ninjask sumiu e reapareceu atrás de Wingull, dando-lhe um arranhão vertical de baixo dano.

- Esperava mais de um pokémon como esse. - Natt sorriu.
- Vamos ver. - disse Konshe.
- Pra cima, Wingull!

O pássaro correu em direção oposta ao inseto, dando pequenos pulinhos no chão, até que conseguiu força o suficiente para usar um Water Gun contra o solo, levantando-o no ar. Ao subir, ele esticou suas asas, para conseguir planar.

- Ninjask, Fury Cutter novamente. - disse o líder.

O pokémon sumiu, reaparecendo em cima de Wingull, o arranhando verticalmente de novo, dessa vez mais forte do que antes, derrubando o pokémon gaivota.

- Vai cara, Water Gun!

Wingull caía no ar de barriga para cima, e Ninjask voava exatamente em cima dele, então ele soltou um jato de água no inseto. O ataque fez com que o aquático acertasse o chão com mais força, mas também arremessou o pokémon cigarra para cima, fazendo com que ele batesse no teto, caindo logo em seguida, também.

Os dois se levantaram.

- Wing Attack!
- Fury Cutter!

O aquático correu em direção ao seu oponente com as asas abertas, conseguindo levantar alguns centímetros no ar, pronto para atingir o oponente, que sumiu e reapareceu atrás dele novamente, dando-lhe outro arranhão, dessa vez ainda mais forte que os outros dois, interrompendo o seu ataque de asas.

“O Fury Cutter vai ficar mais forte quanto mais o Ninjask usá-lo, tenho que impedir ele.” pensou Natt “Se eu impedir os golpes consecutivos, o dano vai voltar ao normal.”

Wingull olhou para Natt, esperando a ordem, mas o pescador não disse nada, fazendo com que o pokémon ficasse parado, confuso.

“Só mais um pouquinho…”
- Já que não vai atacar… Fury Cutter novamente!
- Agora, Break Dance Water Gun!




Em uníssono, todos presentes disseram “Hãn?”, olhando para Natt como se o pescador tivesse perdido a sanidade.

Mas seu treinamento tinha feito efeito, e Wingull o entendia. O pokémon começou a girar como um Hitmontop no chão, como se realmente dançasse Break Dance, enquanto soltava a sua rajada de água pelo bico, formando um grande redemoinho cilíndrico, que rodava em grande velocidade.

Ninjask sumiu e reapareceu, pronto para realizar o ataque pela quarta vez consecutiva, mas, ao tentar atingir o oponente, acabou ficando preso dentro do redemoinho formado pelo ataque estiloso, rodando conforme Wingull dançava.

Natt e Grayson riam, Nico olhava, ainda sem entender como aquilo deu certo e Konshe só conseguia observar as tentativas frustradas do seu pokémon de escapar do redemoinho.

- Esse cara… - Grayson limpava uma lágrima do olho - Esse cara é demais.
- O Natt deve ter algum problema… - disse Nico.
- Certo, agora, Wing Attack!

Quando o redemoinho parou, Ninjask ainda estava meio grogue, e não conseguiu desviar do ataque causado pelas duas asas do pokémon aquático, que estava exatamente em baixo dele ao executar o movimento, lançando o inseto para cima. Agora, o Fury Cutter, se usado, não faria o mesmo dano devastador, a sequência tinha sido interrompida.

Ninjask ainda ofegava, o redemoinho de Wingull tinha o deixado bastante cansado.

- Mind Reader! - ordenou o líder.
- Droga - disse Natt, uma aura negra rodeava seu pokémon, todos os ataques a partir de agora o acertariam, sem exceção.
- X-Scissor!
- Water Gun!

O pokémon inseto desceu rapidamente em direção ao oponente, suas duas garras dianteiras estavam revestidas por uma aura oliva, cruzadas como um X, pronto para atacar. Wingull usou o jato de água para tentar parar o inseto no ar, mas sua velocidade fez com que ele conseguisse chegar no aquático, atravessando a corrente, e fazendo um movimento cruzado em seu rosto.

- Rebata com Wing Attack! - ordenou Natt. Seu pokémon esticou a asa esquerda, dando uma pancada no inseto que ainda usava o corte X, o arremessando longe.

Os dois sofriam pelos ataques causados, olhando um para o outro, nervosos.

- Chega de brincadeira, Ninjask, X-Scissor!
- Wing Attack em forma de X!

Ninjask cruzou as duas garras, e Wingull fez a mesma coisa com suas duas asas, ele investiram um em direção ao outro, e usaram seus respectivos ataques ao mesmo tempo. Foi possível ouvir o barulho dos dois cortes arranhando o ar, e uma longa cortina de areia se levantou, espalhando-se por todo o campo.

- Sai daí! - gritaram os dois para seus pokémon, em uníssono.

A poeira abaixou, e foi possível ver Ninjask e Wingull, os dois no chão, arfando enquanto olhavam um para o outro.

Os dois treinadores ficaram olhando para ver qual dos dois cederia primeiro, e os dois pokémon pareciam estar tentando ver a mesma coisa, a única coisa que os mantinha de pé era a vontade de ver o outro cair.

Wingull cambaleou primeiro, caindo no chão debilitado. Em seguida, Ninjask caiu também, descansando em paz, sabendo que tinha ganhado.

Natt correu para o meio do campo, pegando seu pokémon nos braços, orgulhoso.

- Os dois pokémon caíram! - anunciou Grayson - O líder está sem pokémon, e o desafiante ainda tem um, a vitória é de Natt!

Nico levantou-se, surpreso, assim como o próprio desafiante, nenhum dos dois se lembrava que Tympole ainda estava acordado dentro de sua pokébola.

Konshe sorriu, retornando seu pokémon à pokébola, o pescador fez o mesmo com Wingull.

- Muito bom. - o líder caminhava em direção ao desafiante, orgulhoso - Já faz um tempo que eu não tinha uma batalha boa como essa, Natt, muito obrigado por me proporcionar a sensação de nervosismo de estar perdendo. Você é merecedor disso aqui.

Ele estendeu o braço, mostrando, na palma de sua mão, uma insígnia. Formava a folha de uma árvore com um inseto em cima, como se ele se alimentasse do vegetal.




- Eu a chamo de Insígnia do Herbívoro, e agora ela é sua. - ele grudou o objeto metálico na jaqueta vermelha de Natt, como um broche.

Em seguida, o pescador foi em direção à plateia. Grayson acenou para ele com a cabeça, Nico ainda estava boquiaberto.

- Nico… - chamou.
- O que?
- Chupa.

Eles sorriram um para o outro, e, em seguida, Natt estendeu a mão para o amigo se levantar.

- Parabéns. - disse o jovem - Agora você é um classe D.

O pescador esticou o braço ao redor de Nico.

- Agora somos equivalentes, não é? Senhor top percentual.
- Não por muito tempo. - disse o garoto - A minha segunda insígnia está perto.
- Veremos…


~//~


Estavam todos na porta do ginásio, apoiados em uma cerca enquanto conversavam.

- Vê se fica em Knothole a partir de agora. - disse Natt para o líder.
- Não pretendo sair. - respondeu, olhando para a cidade - Grayson me disse que houve uma invasão de pokémon selvagens enquanto eu estava fora, isso me cheira a titã de água.

O líder olhou esperançoso para o céu, estava decidido a procurar até achar o tal titã, e nenhum deles conseguiria mudar sua cabeça. Aquilo era engraçado.

- E você? - o pescador olhou para Nico - Vai desafiar Konshe novamente?
- Não, eu tenho outro ginásio em mente agora. - ele olhou para o horizonte - O ginásio de Blue Coast vai ser o próximo, topa?

Natt se assustou, não conseguia imaginar o garoto batalhando contra seu tio, seria divertido ver isso, mas ele não pretendia voltar à Blue Coast tão cedo.

- Então parece que vamos nos separar agora - disse - Estou indo para o norte agora, meu novo destino é Ciatteil.
- Não tem nenhum ginásio em Ciatteil - disse Grayson - Por que está indo para lá?

Nico fingiu uma tosse, dizendo “Emma” disfarçado.

- Nos encontramos depois então? - disse, disfarçando a brincadeira - Após ganhar a insígnia de Blue Coast, eu também vou pra essas áreas, a maioria dos ginásios do continente ficam pra lá.

O pescador acenou com a cabeça. Antes de partirem, Nico se virou para trás.

- Ah, e ponha um nome nos seus pokémon, eles merecem
- Vou considerar.

Os dois apertaram as mãos, indo para direções opostas. No pôr-do-sol, era possível ver apenas duas silhuetas no horizonte, indo para seus respectivos caminhos, que um dia talvez se cruzariam.


Como o próximo capítulo sai daqui a cinco dias (quarta que vem), vocês têm até lá para me mandar mais nomes, se quiserem. E, no próximo capítulo: Um recomeço. Não percam!

Vou tentar editar o Main Post até o próximo cap, mas nunca se sabe. Até mais ^^


Última edição por -Ice em Sab 11 Mar 2017 - 22:21, editado 1 vez(es)
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Samm em Sex 2 Out 2015 - 22:49

Oi oi!!
Tava precisando dar uma lida em mais fics aqui do fórum, e por que não começar por essa? Ganhou uma nova leitora! É, estou meio atrasada, já tem vários capítulos postados e tal, mas eu tirei o dia de hoje pra ler tudinho, e estou nesse tópico desde de tarde haha. Antes de comentar o último capítulo, quero falar rapidinho (?) sobre a fic de um modo geral primeiro. Então vamos lá!

Você me conquistou pelo índice. Está simplesmente maravilhoso! Achei super interessante o mapa, as descrições das cidades, os personagens, as classes de treinadores, TU-DO! Você conseguiu criar uma região nova com toda uma história e mitologia muito bacanas e me fez sentir como se ela fosse mesmo de um jogo oficial. Os pokémons que vivem em Eyarn são muito diversificados, o que eu adorei, já que a ideia de pokémons exclusivos de uma região é muito estranha pra mim... Soa como se os continentes fossem todos uma Astrália própria. Outra coisa que me chamou atenção também foi que você colocou os capítulos numa caixa de texto, deixando tudo muito caprichado. Adorei as imagens adicionadas aos títulos e os sprites dos pokémons usados nos últimos capítulos. Ficou muito bom mesmo.

A narrativa me agradou muito também. Eu não sou a maior fã de jornadas do herói indo caçar as insígniasl, mas a forma como você apresentou seu texto e me envolveu de tal maneira que eu me senti como da 1º vez que vi o anime: foi fantástico! Me senti redescobrindo pokémon e me apaixonando por esse universo mais ainda. O protagonista ser um pescador me trouxe lembranças dos jogos, e agora eu pude finalmente ver o lado da história dele! Que não é nem um pouco chata! Todos menosprezamos o cara com mil magikarps sem saber que ele tem uma personalidade e carisma tão contagiantes.

E os personagens! Estou gostando muitíssimo do Natt. Que apesar de todas as pescarias ao longo da vida, não sabe muito bem ser um treinador e está de descobrindo junto com seus pokémons. Fiquei com o pé atrás quando o pokémon que ele pegou aleatoriamente no quarto foi um Totodile, mas ele logo me encantou. Não tem como não se apaixonar por um desses jacarézinhos fofos! Eles são tão carismáticos ^.^ Gostei também do rival - outro youngster dos jogos - e seu rattata superior aos demais rattatas. Confesso que ele e Natt me garantiram boas risadas.

As meninas ainda não tiveram espaço para se desenvolverem muito, então não sei o que dizer sobre elas. Estou prevendo capítulos com a Emma num futuro próximo haha. Já a Burnign eu adorei! Bandida misteriosa, com um quê de psicopata. Fenomenal! Mal conheço e já considero pacas! Tem grande potencial essa ai, e quero ler mais sobre ela!

O único ponto que gostaria de chamar a atenção é para as palavras repetidas: tem momentos que o mesmo termo é usada várias vezes, o que fica bem chatinho de ler. Quando terminar de escrever os próximos capítulos, revise com cuidado e tente substituir por sinônimos. Te garanto que vai tornar a leitura mais prazerosa do que já é.

Agora o último capítulo! A luta foi muito boa (como todas as anteriores), com estratégia e golpes inusitados. Gostei da ideia de "fundir" ataques, uma coisa que não tem como explorar nos jogos, mas bem que poderiam tentar implantar no anime. O Wingull me impressionou quando começou lá com o break dance e a música que você adicionou deu outra cara pra batalha. Sério. Li o restante da batalha com um sorriso no rosto, foi muito bom! Estou torcendo para que o Wingull aprenda a voar, dá uma pena ver ele no chão.

Como o último capítulo resumiu-se à batalha, não tenho muito mais o que escrever sobre ele. Quero que saiba que conquistou uma fã! Sua história é muito boa e envolvente, e eu esperarei ansiosa pelo próximo capítulo.

Beijinhos e até mais! o/
avatar
Samm
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/09/2015

Frase pessoal : ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Ver perfil do usuário http://puhoi.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Sab 3 Out 2015 - 3:05

Ice!

Eu tenho trampo amanhã cedo, mas não pude deixar de comentar nesse capítulo... Me perdoe se o comentário for breve, eu realmente deveria estar dormindo e coisas do gênero, mas me empolguei demais ao ver que esse capítulo tinha a batalha de Natt. Falando niss... FINALMENTE, A BATALHA DE GINÁSIO! Sério, você tem um dom pra escrever batalhas, pois elas são épicas.

Embora eu tenha achado a batalha do Nico mais - BEM MAIS - intensa, talvez pelo fato de ser uma batalha de 3x3 onde o Konshe forçou um empate com o Pineco usando o auto destruição, eu adorei MESMO essa batalha. Mas pera... Se o cara tem um Ninjask na classe E, porque ele usa um Nincada na classe D? AEUHAUE' Isso talvez seja pra não ser muito apelão, mas eu acho que não faz muito sentido possuir um pokémon da mesma linha evolutiva, só que num estágio anterior num nível superior - confuso, mas é isso ai.

Eu também achei que ele usaria o Totodile, afinal, ele parece ser o Pokémon mais forte de Natt. Mas nesse capítulo, eu fiquei muito curioso pra saber a força do crocodilo, sendo que ele não foi visto batalhando depois de seu treinamento. Eu acho incrível em como o Tympole evoluiu durante esses poucos capítulos, e até pensei que ele iria evoluir nessa batalha, mas acho que você quer explorar a "fofura" dele enquanto ele é um girininho.

Me surpreendi com a força do Wingull, e gostei muito da estratégia do Nate usando movimentos que não são moves legítimos. Não bem movimentos, mas sim combos que misturam com movimentos. Porra, movimentos que eu quis dizer são Moves e os outros são movimentos de movimentos mesmo, aqueles que se movem e estão em constante movimento, saca?

De qualquer forma, eu adorei o capítulo. Adorei mesmo. Acho que o Kyle e o Natt fariam uma batalha épica depois dessa, pois o Natt é um estrategista prodígio que deixou até o Nico com uma invejinha. AUHAUE'

É isso, eu to apaixonado pela fic. Aguardo o próximo cap!

Abraço!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Slow em Sab 3 Out 2015 - 10:48

Hey -Ice o/

Olha, eu QUASE esquecia de comentar dnv obrigado por comentar, Samm. Eu tinha cochilado a tarde e, quando acordei, vc tinha postado. Mas eu deixei pra depois, pq ainda tava com um pouco de sono sou preguiçoso pra krl msm e acabei esquecendo, achando que já tinha comentado.

Cara, eu tentei pensar nos nomes, mas eu tenho uma certa dificuldade com isso também (eu passo um bommm tempo pra pensar em um). Mas tem um site que pode te ajudar a ter, pelo menos, uma base, que me está me ajudando também. Vou te mandar ele por MP.

De toda forma, estou aqui Razz . Achei que o Natt usaria os 3 (e, pelo visto, ele também achava) e fiquei com um pé atrás quando ele descobriu que só podia dois. Eu já estava meio cansado do Round/Supersonic do Tympole, fiquei feliz que ele tenha aprendido algo novo, pois eu já iria cobrar neste comentário u.u

Fiquei surpreso com a escolha de Ninjask, achei um belo apelo pra classe E. Tipo, certo que na outra eram 3x3 e ele usou um Heracross, mas sla, o ninjask é quase impossível de acertar. Tipo assim:


Sei lá, achei meio apelativo. De toda forma, o pokémon-das-quebrada's Breakdance foi uma ótima estratégia contra um Pokémon que se baseia em velocidade. A montanha russa de emoções foi menor dessa vez, acho que pela batalha ser 2x2, ou pelas belas estrategias de Natt. No geral, a batalha foi ótima e aquela "trilha sonora" que você colocou ficou muito boa, sério.

Deal with it escreveu:- Nico… - chamou.
- O que?
- Chupa.

não sei o que dizer dessa parte, além de WOOOOOOOOOOOOOW!

Gostei também da insígnia, não sei se é vc msm que faz os sprites, mas, se for, vc faz isso muito bem.

Ah, aproveita e avisa pro Nico SOLTAR OS OUTROS 39 POKEMONS PRESOS NA CASA DO NATT. E diz pra ele tbm dizer pro tio do Natt, que ele ta dando uns pegas na minininha :3 Emma, até quando não aparece no capítulo, está nele. Que lindo.

Acho que é só, tchau e até o próximo Romeu & Julieta capítulo o/
avatar
Slow
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/01/2015

Frase pessoal : Don't go crying to your mama


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por xKai em Sab 3 Out 2015 - 11:38

Olá Ice, peço perdão por não ter comentado no capítulo anterior, é que ultimamente tem estado complicado postar com tanta frequência aqui, estou com o projeto de duas fanfics e iniciando uma terceira. Também tenho o meu trabalho e minha vida em off, então isto pode voltar a acontecer, mas não pense que deixei de ler a fanfic, isso nunca! Ainda mais agora que está ficando realmente interessante, estas batalhas de Nico x Konshe e Natt x Konshe foram incríveis.

Que coisa, não? Podia jurar que o ginásio seria do tipo inseto, afinal todas aquelas árvores, folhas e etc... Apesar de tudo isto também está relacionado com os insetos, mas a gente sempre acaba assimilando com o tipo grama xP

Eu achei a batalha do Nico muito top cara, sério mesmo foi muito legal de acompanhar, não que a do Natt tenha sido pior, mas ao meu ver a do Nico foi mais excitantes, muito deve-se ao fato de ver aquele Rato do deserto mitando, afinal ele tem um percentual acima dos de sua espécie -q

Pobre Tympole, deu o seu melhor, mas desta vez os holofotes estavam do lado do Wingull dançarino, me lembrou um pouco o Tierno que tem o Squirtle(Wartortle/Blastoise) que dança. Esta estratégia também foi muito similar a uma usada pelo Ash na geração DP. Uma estratégia que ele apelidou de Counter-Shield. Foi o Ás em muitas batalhas contra Gym líderes, inclusive na ultra mother of all battles Ash Vs. Paul. Só achei pelo menos, se a inspiração não veio daí apenas ignore -q

Será que o Nico vai conseguir vencer o tio do Natt... Um pouco difícil de acreditar, mas até que consigo imaginar a cara do Natt quando se reencontrarem e ele tiver a insígnia de Blue Coast O_O

Por hoje é tudo. Boa sorte com a fanfic e até o próximo capítulo.

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Eru em Sab 3 Out 2015 - 13:51

Ice, beleza? o/

Sou novo no fórum, me cadastrei hoje, mas já acompanhava a sua fic como visitante, então vou comentar dela no geral. Não sei se alguém já falou isso aqui, eu pulo os comentários, mas acho a sua forma de escrever bem simples, o que é um ponto positivo (pelo menos pra mim). Você não é muito detalhista e raramente usa palavras dignas de um bom dicionário, e ambas as coisas são muito boas para alguém que dorme lendo os livros do José de Alencar (eu -q).

A minha parte favorita é quando ocorre uma batalha, ela é realmente muito bem feita e narrada e nos imprime uma sensação de que estamos assistindo-a ao vivo, na plateia, junto do Nico/Natt ou seja lá quem for. É incrível. Espero que a fanfic continue por muito mais tempo, seu jeito de escrever é ótimo, continue assim! Prometo me focar no capítulo em si nos próximos comments, até!
avatar
Eru
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/10/2015


Ver perfil do usuário http://pokemythology.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Black~ em Dom 4 Out 2015 - 15:26

Bom, vamos lá.

Gostei desse capítulo. A batalha de ginásio ficou muito boa, apesar de ter achado que ela ficou um pouco mais curta e ter ficado um pouco decepcionado também pelo fato de ele não ter usado 3 pokémons, mas enfim, de toda forma ficou muito bom o capítulo.

Também achei estranho o fato do líder ter um Nincada contra os treinadores D, e ter um Ninjask contra os treinadores E, mas ele só tinha dois pokémons, o que poderia explicar isso, de toda forma, achei diferente isso. Mas pelo menos esse negócio de variar os pokémons é bem interessante, mas enfim.

Eu também achei que a batalha do Nico foi mais intensa, com mais viradas, talvez até pelo fato de ser 3x3. Mas a batalha do Natt também foi muito boa e eu gostei bastante das estratégias usadas pelo pescador e foi bem interessante o Konshe ter ficado nervoso e sem estratégia naquele momento. Pelo visto, o Natt andou treinando bastante mesmo.

Achei estranho também o fato de o Natt não usar o Totodile, pois ele é o pokémon mais forte dele e o Wingull não parecia muito bem treinado, mas o Wingull surpreendeu e lutou muito bem. O Tympole também foi bem, finalmente aprendendo o Mud Shot, que agora previne o time do Natt contra tipos elétricos.

A relação entre o Nico e o Natt é bem bacana, gostei daquela cena do Natt falando "chupa" pro Nico. Realmente, os dois já viraram amigos, apesar de sempre estarem brigando. Uma pena que agora eles vão ter que se separar, já que o Nico vai lutar contra o Joel, e o Natt só pretende lutar contra seu tio como último ginásio, mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Qua 7 Out 2015 - 17:50

Hey gente, tudo bem? Por causa de um imprevisto, eu acabei dormindo a tarde toda e não pude postar o comentário mais cedo como queria, por isso estou fazendo agora. Pra ser sincero com vocês, eu achei esse capítulo bem chato de se escrever e de ler, mas vocês podem gostar porque acontecem coisas interessantes... Acho que falei demais, vamos logo aos

Comentários:
Samm: Hey! Primeiramente, seja bem-vinda à fic, espero que goste!

O índice ficou legalzinho mesmo, mas eu não consigo tirar da minha cabeça que está bagunçado -q Eu planejo fazer um escritório para informações adicionais, e esse eu acho que vai ficar bem legal, isso vai acontecer lá pro final da primeira temporada. Que bom que gostou do continente, eu achei que Eyarn não ia ficar muito convincente, mas até que deu certo =P

Eu sempre adorei a história do treinador atrás das insígnias, mesmo sendo manjada, sempre dá uma emoção de, como você disse, estar redescobrindo Pokémon. Isso aconteceu da primeira vez que vi o anime, na primeira vez que joguei os jogos e na primeira vez que li o mangá, por isso adoro esse clichê. Até por isso que eu vou brincar muito com esses conceitos clichês de pokémon, se preparem para ver árvores de Cut, Snorlaxes dormindo na estrada e perceber como isso não faz o mínimo sentido XD

Inicialmente, Natt foi criado para ser um personagem que vocês não gostassem, mas o personagem evoluiu tanto que se tornou bastante carismático, passando esse cargo de panaca pro Nico, que, na minha opinião, também acabou virando um personagem muito bom.

Sobre as meninas, elas ainda não apareceram muito, mas, ainda nos próximos capítulos, terá a apresentação de uma das personagens mais legais (na minha opinião), e Burnign e Emma irão aparecer outras vezes também, são personagens que ainda não marcaram muita presença, mas a história vai depender muito de ambas para se desenrolar.

Sobre as palavras repitidas, foi mal :/ Sempre foi meu erro, eu até tento arrumar, revisando e tudo mais, só que é um ponto fraco, talvez eu consiga melhorar, mas infelizmente não é garantia.

Enfim, seja bem-vinda novamente, espero que continue lendo e gostando, até mais ^^

Rush: Eae! Lol, essa batalha demorou tanto que vocês até ficam surpresos de ter chegado mesmo =P

Sim, a batalha do Nico foi mais legal e eu estava ciente desde que a escrevi, ele era um classe D e estava tendo uma batalha de ginásio classe D, era inevitável que seria mais intensa que a do Natt, mas, agora o pescador também é classe D, e isso serviu como uma prévia para o que veremos na segunda batalha ^^

Eu também pensei no Ninjask, mas o negócio é que os times são feitos com base na classe do desafiante, sempre equilibrando para não ser demasiadamente difícil para um iniciante, ou demasiadamente fácil para um veterano. O pokémon principal das batalhas contra a classe D é o Heracross, e contra a classe E é o Ninjask. Não faria sentido ele ter um Shedinja ou Ninjask em uma batalha de classe D sem que esse fosse o pokémon principal, já que, juntamente com o Heracross, a batalha seria demasiadamente difícil para um treinador com apenas uma ou duas insígnias como um classe D. Complicado, eu sei =P

Sim, a maior parte da estratégia no Natt consiste em usar não apenas o moveset do pokémon, como também movimentos que não são movimentos legítimos, esses que se movem e estão em constante movimento.

Uma batalha entre esses dois caras ia ser uma mistura de epicidade, inteligência e um pouco de hue, temos mesmo que fazer isso um dia -q Enfim, até mais e espero que continue gostando ^^

Isaac: Hey Isaac! Em primeiro lugar, obrigado pelo site. Ele não ajudou com o nome de nenhum dos três (-q), mas será muito útil com os futuros pokés do Natt.

Todos nós achamos que ele usaria os três, mas, bem, ele é um classe E né. A batalha pela segunda insígnia será 3x3, então, se preparem! O moveset limitado do Tympole foi uma maneira de mostrar como ele era o mais fraco e despreparado da equipe do Natt, mas agora ele já está treinado (mesmo não sabendo nenhum golpe aquático ainda... ou será que sabe?)

Eu imaginei o Ninjask se movimentando exatamente desse jeito, haha! Quando eu escrevi essa conversa entre o Nico e o Natt depois da batalha, eu também imaginei algo assim:

Não dá pro Nico falar isso pro tio do Natt porque ele não sabe que ele é o tio do Natt =P É segredo, esqueceu? Sim, fui eu quem fiz os sprites de todas as insígnias, assim como dos personagens (exceto o do Nico).

Enfim, espero que continue gostando, até mais ^^

xKai: Kai! Não se preocupe quando não puder comentar, acontece mesmo ^^ No começo, eu achava que tava na cara que o gym era do tipo inseto, mas então vocês começaram a falar que era do tipo grama, e eu decidi manter isso até o final, por isso o tipo de Konshe nunca foi citado, já que vocês tinham certeza que era grass, e eu queria esperar até a última hora para que houvesse essa surpresa -q

Eu sei que a batalha do Nico foi mais intensa, eu já falei isso pro Rush, dele ser classe D e talz. Vejam isso como uma prévia da segunda batalha do pescador =P

Mesmo tendo assistido o episódio esses dias, não cheguei a assimilar o Break Dance Water Gun com o Squirtle dançarino, mas a estratégia foi super baseada no Counter-Shield do Ash, que eu adorava bastante e não sei como ele pôde deixar de usá-la :/

Agora o Nico vai desafiar o tio do Natt, como será que vai ser? Vamos esperar para ver isso quando o youngster e o fisherman se encontrarem novamente. Enfim, espero que continue gostando da fic, até mais ^^

Eru: Hey, seja bem-vindo também! Bom, bem-vindo não, já que você disse que já acompanhava a fic por um tempo, então seja bem-vindo como um membro -q

A partir de agora, sugiro que você leia os comentários, é uma opção sua e muita gente não gosta, mas eu acho que você pode perceber coisas sobre o capítulo que você não teria percebido lendo-o, apenas ao ver outros leitores falando ^^

É, eu tenho me empenhado bastante nas batalhas, tentando fazer com que até um Caterpie x Magikarp seja uma coisa empolgante. Tá, talvez nem seja pra tanto, mas eu to gostando muito do resultado -qq Espero que continue gostando, até mais ^^

Black: Hey Black o/ Sobre a batalha, told ya, eu sei que ficaria menos empolgante mesmo, a do Nico vai servir como uma prévia da futura segunda batalha de Natt, que talvez nem demore tanto quanto a primeira -q

Sobre o Nincada e Ninjask, é como eu disse que na batalha de classe D, o pokémon principal do líder é o Heracross, enquanto que na batalha de classe E o principal é um Ninjask, ou também poderia ser um Foretress, já que suas pré-evoluções são os secundários da batalha D, assim como Skorupi é um secundário nas batalhas E, manjas?

Foi legal você ter percebido que Natt treinou bastante, deixando até o Konshe sem estratégia, foi isso o que faltou em Nico. Vamos ver agora como está o Totodile depois do treinamento.

A relação entre os dois cresceu bastante mesmo, indo de inimizade à amizade e agora rivalidade, agora ele funcionará mais como um rival mesmo, aparecendo bem menos do que antes. Enfim, espero que continue gostando, até mais ^^

Nossa, quanta gente *-* É serio, estou muito feliz que tenha tantas lendo, além de mostrar o quanto a área de fanfic evoluiu em poucos meses em questão de pessoas, voltando a ser quase como era em 2011 e 2013, eu posso ter um feedback melhor e saber o que está bom e o que eu tenho que melhorar. Sério, valeu todos vocês.

O ginásio de Knothole estava todo sujo de areia, que tinha se espalhado no ápice da última batalha do líder. Konshe e Grayson varriam as arquibancadas, auxiliados por um Heracross que usava um avental rosa escrito “beije o cozinheiro”.

- Parece que quanto melhora batalha, mais ela suja… - disse Konshe, tentando tirar um monte de areia que uma área onde a sua vassoura não alcançava.

Grayson não respondeu, fazendo com que o líder desistisse de tentar varrer aquela área para olhar para seu amigo, que fitava um buraco feito por Rattata na parede, enquanto varria um lugar já limpo.

- Terra para Gray…? - o líder estalou os dedos, fazendo com que o cozinheiro se assustasse - Já tá cansado cara?

Ele apontou para tudo o que tinham que varrer, mais de três quartos dos bancos estavam sujos de areia.

- Não, eu posso fazer isso o dia todo, só estou pensando na batalha.

Konshe sorriu.

- Eu te conheço o suficiente para saber o que você quer. - ele se apoiou na vassoura - Você sabe?
- Hera! - o pokémon inseto chamou a atenção dos outros dois, já que era o único que ainda varria o lugar. Os dois homens voltaram a varrer, enquanto conversavam.
- Eu sei… Quer dizer, eu acho que eu sei…
- Eu já encontrei meu caminho, ser líder de ginásio é a melhor coisa para mim desde que terminei minha jornada, e você? Está feliz com o restaurante?

O cozinheiro começou a refletir, olhando para o nada.

- Hera! - o pokémon gritou novamente, ao perceber que só ele varria o chão. Os outros dois voltaram a varrer rapidamente.



Capítulo catorze:
Próxima parada: Ciatteil!

Natt adorava ser um treinador classe D.

Ele via tudo de uma maneira diferente, era como se ele realmente tivesse evoluído desde que saiu de Blue Coast. As vezes, puxava sua jaqueta vermelha de pescador, apenas para olhar novamente a Insígnia do Herbívoro, e ter certeza de que era verdade, pois, sempre quando ele parava para pensar que tinha vencido um ginásio, era como se fosse mentira, afinal, foram tantos anos como um classe E.

Ele andava confiante em Knothole, junto aos seus recém nomeados pokémon.

Muddy, seu Tympole, estava deitado em sua cabeça, exausto de estar a tanto tempo na luz do Sol. Wings, o Wingull, não estava no ombro de seu treinador dessa vez, optara por andar no chão, batendo as asas para tentar levantar voo. Uma vez ou outra, ele conseguia sair do chão por um tempo, mas sempre cambaleava no ar, caindo logo em seguida.

Por último, Mikau, o Totodile, que tentava abocanhar algumas folhas secas que passavam na sua frente.

Natt tinha em sua mão várias moedas de pôkens que ganhara de Konshe pelo desafio, imaginando tudo o que poderia comprar com aquilo.

- Galera, - ele virou para seus pokémon - Dinheiro!

Os três pokémon gritaram com felicidade, sabiam que aquilo significaria comida, Potions e talvez até pokébolas melhores para descansarem.

- Não é muito, só espero que você gaste direito.

Natt se virou para trás, para ver quem tinha falado isso. Então, viu Grayson. Ele estava com seu habitual terno verde-grama, e o cabelo louro fazendo uma franjinha sempre lisa. Dessa vez, porém, estava com uma mochila marrom nas costas, segurando suas duas alças, como se estivesse preparado para caminhar bastante.

- Gray? Vai à algum lugar?

O cozinheiro agachou-se, acariciando Wings, que esticou as asas com alegria. Muddy desceu da cabeça de seu treinador para receber carinho também.

- Eu estava pensando se você não gostaria de um acompanhante. - disse.
- Como assim? Você vai sair de Knothole também?
- Eu terminei minha jornada há muito tempo, e desde então eu tenho trabalhado no Food n’ Battle, mas a minha sede por batalhas e aventuras nunca acabou. Eu vi isso na sua batalha contra Konshe, eu vi que é isso o que eu preciso. Jeffrey é o novo dono do restaurante, eu vou estar muito ocupado por um tempo. Aliás, eu sei cozinhar, to dentro?

O pescador sorriu, imaginando como seriam legais as coisas a partir de agora, andando com Gray pelo continente.

- Com certeza.


~//~


Eles davam uma volta na parte leste de Knothole para procurar por coisas para Natt. O treinador nunca tinha andado por aquela parte da cidade. Lá, ao invés de ter casas em cima de árvores como toda a cidade, tinha estabelecimentos comuns no chão, feitos de madeira e com o teto revestido em folhas.

- Vamos começar pelo essencial. - Gray disse, apontando para duas ou três lojas - Sacos de dormir, um mapa, alimento e… Repelentes, claro.
- Repelentes? - perguntou o pescador - Mas eu sou um treinador.
- Um treinador pode abaixar a guarda à qualquer momento. E se você for mordido por um pokémon enquanto estiver dormindo?
- Que pokémon me morderia? O pokémon mais perigoso que encontrei desde que comecei foi um Butterfree. Ninguém é idiota o suficiente para ser mordido por um Butterfree.

O cozinheiro não deu ouvidos, olhando de loja em loja enquanto procurava por itens necessários. Natt colocou a mão por dentro da jaqueta, apenas para ver se sua insígnia ainda estava lá. Então, entrou na onda de Gray, olhando a vitrine das lojas, animado.

- Olha só isso. - o cozinheiro apontou para um celular em uma das vitrines. O aparelho era vermelho com detalhes laranjas. - É o último modelo.
- E um celular é necessário pra ganhar insígnias?
- Talvez não no começo, mas, daqui a pouco, você pode começar a encontrar pokémon que não conhece, ou vai querer saber informações adicionais sobre o seu, e é nessas horas que o aplicativo pokédex vai ser útil.
- Maneiro. Mas eu precisaria ganhar de Konshe mais três vezes e vender meus pokémon pra conseguir comprar isso.

Gray não disse nada, já estava tirando uma carteira do bolso de trás da calça, enquanto entrava na loja. Natt permaneceu quieto, parecia que o cozinheiro estava mais animado com a jornada do que o próprio pescador.


~//~


Eles estavam sentados no banco de uma praça, segurando várias sacolas de compras nas mãos. O dinheiro de Natt tinha ido embora, e uma boa parte do de Gray também, mas agora estavam literalmente prontos para tudo.

- Prime, Leaf, saiam. - Gray arremessou duas pokébolas.

O Primeape e o Nuzleaf do líder também saíram de suas pokébolas. Natt viu os dois pokémon com quem tinha batalhado há uns dias.

- Não sabia que eles também tinham apelidos. - disse.
- Todo pokémon precisa ter - disse Gray, acariciando a cabeça do símio lutador - A afinidade entre você e seu pokémon só aumenta quando ele é chamado de outro jeito.

O pokémon de grama foi junto à Wings e Muddy, cumprimentando os dois. Já o lutador olhou para Mikau, que retribuiu o olhar, uma rivalidade instantânea nascera ali.

Natt olhava para tudo o que tinha sido comprado. Uma mochila vermelha para ele, vários Potions e Pokébolas para colocar nela, berrys de todos os tipos para os pokémon, um mapa, talheres e algumas panelas para Gray fazer a comida e o celular vermelho, que o cozinheiro terminava de configurar.

- Eu planejava comprar uma vara melhor. - disse o pescador, limpando o suor da testa - Eu ia usar mais ela do que esse celular.
- Isso até você ver essa belezinha.

Ele suspirou, cansado. Levou a mão até o casaco para sentir sua insígnia novamente e então olhou para seus pokémon, para ver se estava tudo bem.

Wings corria em uma velocidade absurda enquanto tentava bater as asas para voar. Atrás dele, Leaf, o Nuzleaf de Gray, e Muddy estavam em uma espécie de torcida para conseguir motivar o voador.

O pokémon conseguiu sair do chão, levantando e fazendo um círculo enquanto planava, mas, logo em seguida, ele cambaleou no ar, balançando para os dois lados e caindo em cima de seu treinador, que não teve tempo de dizer nada.

- Ele não sabe voar? - perguntou Gray, tirando os olhos do celular por um instante - Eu percebi que na sua batalha contra Konshe ele também não saía do chão.
- Pelo jeito ele não aprendeu. - disse Natt, passando a mão em sua cabeça que doía graças à pancada - Sempre quando ele sobe, ele cai, e parece que o seu alvo preferido sou eu.

O pescador começou a guardar as coisas dentro da sua mochila, ao ver que Gray tinha terminado de configurar o celular.

- Olha só. - ele mostrou o aparelho para o garoto - Por enquanto não tem nada, mas podemos usar a internet do Centro Pokémon para baixar a última versão da Pokédex e um mapa bom.
- Mas já temos um mapa…
- O mapa físico é só uma alternativa para quando o celular estiver sem sinal. - ele se levantou - Vamos.

Natt se levantou também, cansado e com uma mochila que parecia pesar toneladas. Para ajudar, Muddy subiu em sua cabeça ao ver que ele tinha se levantado. Pelo menos Wings continuou no chão, determinado a voar.

Não demorou muito para eles chegarem no centro da cidade, onde o Centro Pokémon ficava, um estabelecimento de madeira construído nos galhos de uma árvore grossa o suficiente para sustentar a construção. Os dois subiram a escada de corda que levava para dentro.

- Ah, ar condicionado. - o pescador se jogou em um dos bancos ao entrar, fazendo com que outras pessoas lá olhassem para ele de canto.

Gray retornou Prime e Leaf, indo falar com a enfermeira logo em seguida. Natt percebeu que Mikau estava com cara de quem ia aprontar algo, e que Wings estava incomodando as pessoas com suas tentativas frustadas de voar, então retornou os dois, deixando apenas Muddy, que dormia tranquilo no boné de pescador do garoto.

O Centro estava bem cheio de pessoas naquele horário, mas uma pessoa chamou mais a atenção de Natt. Estava em um dos cantos, no último telefone, uma garota loura usando um casaco branco com detalhes vermelhos.

O garoto levantou-se, deixando seu Tympole dormindo em cima de sua mochila. Então, aproximou-se dela, para cumprimentá-la.

- Ta bom, esse lugar tá cheio de pessoas, vou desligar. Tchau. - ela colocou o telefone no gancho e virou-se para trás - Natt?
- Oi, Emma! - ele sorriu - Não sabia que ainda estava em Knothole.
- Não era pra estar - disse ela - Mas parece que tem um pokémon muito forte na rota três, que fica entre Knothole e Ciatteil, então decidi ficar mais um pouco.

Eles se sentaram no banco onde o pescador estava. A garota acariciou Muddy ao ver o pokémon, que abriu os olhos, sorrindo.

- Tem tantos telefones aqui, porque estava usando aquele último?

Ela olhou para o último aparelho, estava muito mais surrado do que os outros, já que, por ser o último, não recebia tanta atenção.

- Privacidade, Natt. - ela olhou nos olhos do treinador - Esqueceu?
- Ah, é. - disse ele, ao lembrar-se de quem era o avô de Emma - Olha só.

Ele tirou da jaqueta a Insígnia do Herbívoro, mostrando pra garota. Ela colocou o objeto entre o dedo indicador e o polegar, olhando admirada.

- Você conseguiu? - perguntou.
- Ei, Natt, consegui! - Gray chegou, interrompendo a conversa dos dois sem querer - Eh, oi?
- Oi - cumprimentou Emma, se levantando - Desculpe, mas eu tenho que ir.

Natt olhou feio para Gray, que encolheu os ombros sem entender o que tinha feito. Então, o pescador se levantou correndo, segurando a garota pelo ombro.

- Espere, Emma! - disse - Você não disse que tem um pokémon perigoso na rota três? Se nós a acompanharmos até Ciatteil, você não vai precisar esperar mais, temos repelentes de pokémon aqui.

Sem dizer nada, ela olhou para os dois.

- Tá bom então, podemos ir juntos - disse ela, sorrindo. Gray ainda olhava sem entender o que estava acontecendo.


~//~


- Ficou muito legal! - disse Natt, depois de ter sido ensinado sobre tudo o que o seu novo celular fazia.

Ele andava ao lado de Gray na frente, mexendo no aparelho e vendo suas funções, animado. As vezes, ele tentava fazer com que Emma se aproximasse mais deles, mas ela ficava sempre mais para trás, junto com os pokémon, talvez com vergonha.

Não demorou muito tempo para que os três saíssem de Knothole e chegassem na rota três ao norte da cidade, que levava para Ciatteil. A viagem ia demorar de quatro dias a uma semana, e eles estavam prontos para sobreviver pelo menos por esse tempo.

Enfim galera, como eu disse, esse capítulo não ficou tão legal quanto os anteriores por motivos óbvios, pós-primeira insígnia e talz, mas mesmo assim não ficou muito ruim, só ficou curto em relação aos outros e com meno ação. No meio, eu coloquei uma referência bem legal, talvez alguns entendam, já que vai ter outras assim. Ah, teve também os novos nomes dos pokes do Natt, eu não sei se vocês já se acostumaram, mas eu acho que se acostumam logo. De qualquer modo, até mais ^^

(Main post vai ser atualizado com uma nova ficha e alguns personagens serão movidos)
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Qua 7 Out 2015 - 19:46


Ice! Que surpresa agradável ver que saiu mais um novo cap! *u*

Mesmo que não tenha tido nenhuma ação da fic, eu posso afirmar que até agora ela foi meu capítulo preferido. Acho que a cada capítulo postado, este se torna o meu favorito, e isso é uma coisa muito rara de se acontecer em uma Fan Fiction.

Cara, eu não esperava por essa. Quer dizer que Gray vai acompanhar Natt em sua jornada? Caralho! Sério, de todas as pessoas introduzidas na fic, o Gray era uma das últimas que eu imaginava. Em minha cabeça ele iria fazer o papel de "NPC" para ser uma ponte entre o Natt e o líder de ginásio, mas pelo visto ele vai ser muito mais além disso. Pelo visto, esse capítulo foi para introduzir de verdade o início da jornada de Natt, já que Gray e Emma se juntaram ao pescador.

Eu fiquei bastante empolgado. Sempre é assim... A primeira insígnia é o primeiro passo em direção da liga, e putz, é quando a jornada REALMENTE começa. Agora Natt sabe batalhar, sabe estratégias, e melhor ainda, tem afinidade com seus Pokémons. Fiquei feliz ao ver os nomes deles, e acho que combinaram perfeitamente. Não entendi muito o apelido "Mikau", mas eu rapidamente me acostumei. Acho que combinou com o Totodile rabugento.

Cara, não sou muito de citar algumas frases nos comentários para dar ênfase em alguma coisa do comentário, mas porra, tive que citar duas frases na fic:


- Que pokémon me morderia? O pokémon mais perigoso que encontrei desde que comecei foi um Butterfree. Ninguém é idiota o suficiente para ser mordido por um Butterfree.


Como eu ri disso. Vi que esse foi a primeira cutucada para reforçamos a ideia de fazer um crossover. Sério, eu imagino o Natt zoando o Kyle por ter medo de Butterfrees após ter sido mordido por uma. Aposto que os dois serão eternos rivais se eles se encontrarem.

Outra parte que eu ri bastante, foi essa:


- Maneiro. Mas eu precisaria ganhar de Konshe mais três vezes e vender meus pokémon pra conseguir comprar isso.


Além de rir, eu a citei por ter achado super interessante isso. Explorar o mundo financeiro de Pokémon numa fan fic é uma coisa um pouco arriscada, pois limita bastante o destino do protagonista. Mesmo com a ajuda de Grey, deu pra ver que eles não tem dinheiro infinito e este é bem limitado pra eles não extravagarem demais. Eu achei isso muito legal.

Sério, a cada cap, eu fico mais empolgado com a fic. Você sempre me surpreende cada vez mais. Eu adorei a personalidade de Muddy e Wings, elas foram bem caracterizadas, mostrando em como o Wings é dedicado mas sem noção e o girino é inocente, e muito carinhoso. Admito ter dito "awn" quando você descreveu que o Tympole se aproximou de Grayson para receber carinho ao vê-lo acariciando o Wingull.

Mas eu recomendo que você tente descrever um pouco mais sobre Mikau. Mesmo ele sendo o "frio e calculista" do time, ele parece estar cada vez mais apagado que os outros dois, e poxa, ele é o inicial! Não querendo tentar reformular/prever os capítulos futuros, mas eu recomendo que você tente fazer algum cap mais focado nele e em Natt, pois ele pode ser muito explorado!

Enfim, como sempre, estou apaixonado pela fic. Está engraçada, confortável de se ler e realista. Clichê? Clichê. Mas na minha opinião, essa é a fórmula perfeita para uma fan fic de jornada perfeita. Continue assim e pelo amor de Deus, NUNCA DESISTA DA FIC!!!!! Porque sério, eu to amando ela.

É isso cara, mal posso esperar a semana passar pra você postar de novo.

Um abraço cara, até mais! o/



avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Eru em Qua 7 Out 2015 - 21:16

E aí Ice, beleza?

Enfim, como prometido, vou comentar capítulo por capítulo, então comecemos por este. Como o Rush disse, era inimaginável que o Grayson fosse se tornar um acompanhante do Natt, mas era até meio que previsível ao mesmo tempo, já que ele fazia batalhas no restaurante, talvez como uma forma de sentir o calor e a emoção de sua antiga jornada.

Devo dizer que me espelhei muito no Natt neste capítulo, porque se tem algo que me dá pouco interesse é celular e o Natt tava (até certo ponto) muito desinteressado pelo o que tinha na ferramenta, até porque o cara é um pescador e a única coisa que o atrai é Magikarp pescar. Seria legal e cômico até esse contraste entre tradicional (Natt) e tecnologia (Gray), poderia render boas cenas.

Quanto a eles acompanharam Emma na Rota 3, senti que a garota será tipo Misty/May/Dawn/Iris/Serena, acompanhará o garoto até o fim, como o último membro do trio. Sobre o pokémon muito forte, seria ele o Titã de Água? Só lendo para descobrir!

Foi um bom capítulo sim, interessante, mas meio parado, o que não o deixa inútil, obviamente uma história deve ser bem desenvolvida e não ficar apenas no clímax batalha, batalha e batalha. Também acho que o Totodile merece mais destaque, foi o pokémon de Natt menos desenvolvido até então (o coitado nem participou do 1° gym :p) e merecia um enfoque maior.

Bom, só isso Ice, a fic está excelente e que venha mais capítulos! Abraços.
avatar
Eru
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/10/2015


Ver perfil do usuário http://pokemythology.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Black~ em Qua 7 Out 2015 - 21:53

Bom, vamos lá.

Gostei bastante desse capítulo, apesar de não ter tido ação, como já vinha acontecendo há vários capítulos. Mas, na verdade, eu gostei bastante justamente por ter sido um "cliffhanger", já que foi só coisas "bobinhas" nele e, como o Rush disse, podemos considerar de fato o início da jornada de Natt, já que ele pegou a Pokédex e entraram dois acompanhantes no time dele.

Eu também acho que o Totodile está ficando para trás, visto que ele nem lutou na batalha e nos capítulos anteriores ele pouco apareceu, e nesse capítulo ele também ficou bem tímido. Ele é o inicial do Natt, então esperava vê-lo mais em cena, mas enfim.

Eu gostei da empolgação do Grayson para sair em uma jornada. Ele pareceu aqueles pais que nunca tiveram a oportunidade de fazer Direito e colocam o filho na faculdade para realizar o sonho deles -qq, a mesma coisa é o Grayson, que parece que nunca teve uma jornada e está mais empolgado que o Natt na jornada dele -q, mas enfim.

De toda forma, achei bem realista e também o fato do dinheiro, como foi citado na fic, principalmente ele ter que lutar com o líder para poder conseguir dinheiro. Achei bem legal, pois nas fics geralmente é bem pouco explorado essa questão financeira, que parece bobeira, mas é bem importante, todo mundo sai em jornada e vai na fé, gostei desse ponto.

Não sei bem se a Emma vai ficar com o Natt a jornada inteira, ou só até a próxima cidade, mas é uma boa aquisição para o time do garoto. Certamente que o Natt vai se sentir "desconfortável" com ela por perto, vamos esperar para ver como vai se sair a relação dos dois, visto que o Natt aparentemente gosta dela -q.

No geral, gostei do capítulo. Gostei da comédia empregada, ri bastante em algumas cenas, mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Seg 12 Out 2015 - 15:27

Eae gente! Apesar de ter sido só cinco dias entre o capítulo anterior e esse, o tempo pareceu passar muito devagar, acho que foi porque teve menos comentários do que eu esperava, e todos esses foram no primeiro dia, daí passou devagar mesmo. Enfim, antes de tudo vamos aos

Comentários:
Rush: Hey o/ Sério que esse foi seu cap preferido? Eu considerei ele como o mais chato de escrever desde aquele lá que eles conhecem o Grayson -q Mas isso deve ter sido porque eu sei o que vai acontecer no futuro, e fico muito ansioso, fazendo com que esses capítulos mais "B" não sejam tão legais pra mim. Que bom mesmo que está gostando ^^

Sim, na verdade nem eu esperava por essa. O Gray estava programado para realmente ser apenas a ponte entre Natt e Konshe, mas, lá no capítulo da batalha em dupla, eu acabei me apegando ao personagem, e decidi que queria mais dele, e agora, no verdadeiro início da jornada, ele voltou.

Sim, a primeira insígnia sempre marca o começo, é onde você olha para trás e vê, isso é realmente sério. Agora, Natt manja de alguns paranaues,  talvez isso acabe fazendo com que ele se ache demais, vamos ver o que acontece no caminho até a segunda insígnia. Sobre os apelidos, Muddy e Wings ficaram bem claros, mas o apelido Mikau não ia fazer muito sentido pra alguns mesmo, já que é uma referência ao jogo Zelda Majora's Mask, esse é o nome de um Zora, criatura da água do jogo. A personalidade dos personagens não é nem um pouco parecida, mas eu achei que seria uma referência bem legal, e o nome combinou mesmo.

Essa da Butterfree, se tinha alguém que ia entender, é você =P Como eu disse em algum capítulo aí que eu não me lembro, eu começaria a fazer referência à outras fanfics do fórum, e decidi começar como uma cutucada no Kyle, já que há a possibilidade dos dois se encontrarem algum dia.

É, Mikau acabou ficando meio apagado. Eu li os últimos capítulos depois que você disse isso, e percebi que é verdade, o Pokémon vai ter o seu momento de brilhar um pouco mais pra frente, mas eu acabei o deixando de lado para explorar os outros dois. Valeu por ter percebido isso, esse capítulo vai ter bem mais Mikau, espero que fique legal ^^ Enfim, que bom que está gostando da fic, porque desistir realmente não está nos meus planos Laughing  Até mais e espero que continue gostando ^^

Eru: Hey! Que bom que apareceu de novo ^^ É, o Gray não era a primeira pessoa que vinha à mente quando se falava de acompanhante, até porque ele não ia ser mesmo, mas o personagem acabou sendo mais legal do que eu imaginava, e ele acabou entrando para a equipe.

Eu também não me interessava muito pelo celular, mas com o tempo fui vendo que não tinha como fugir, é o melhor meio para nos comunicarmos hoje em dia, já que até o famoso facebook está ficando para trás. Mas eu também não curto muito, mesmo achando que, se o meu tivesse uma pokédex, eu o aceitaria melhor -q O Natt vai ser bem classicão, agindo de uma maneira mais old-school e fazendo as coisas na manha, enquanto o Gray, mesmo sendo sete anos mais velho, vai ser mais high tech, e vai ter bastante contraste entre esses dois "estilos de vida".

E agora, Emma ficará com o time ou será apenas na rota 3? Eu garanto que Natt prefere a primeira opção, mas tem história até lá, só resta esperar ^^ E o Pokémon pode ser o titã, que andou meio sumido, quem sabe? Mas talvez seja apenas um Tyranitar causando por aí.

Sobre o Mikau (vamos chamar o coitado pelo nome -q), eu percebi que acabei o apagando mesmo, mas já comecei a consertar nesse capítulo. Se pararmos para pensar, o próprio Natt, no capítulo que ele pegou o Wings, pensou se conseguiria dividir a atenção entre três Pokémon, parece que ele não conseguiu -q Enfim, espero que continue gostando da história, até mais ^^

Black: Black o/ Depois de uma batalha de ginásio (duas no caso) é normal ter um capítulo com a poeira abaixando, e esse fardo ficou com esse capítulo, que mostrou o verdadeiro começo da jornada de Natt, como você disse.

Sim, o Mikau acabou ficando para trás, não intencionalmente, mas eu já estou tentando colocar novamente o inicial no seu devido lugar novamente, começando por esse capítulo, então prepare-se para vê-lo mais em cena. O Gray ficou bem empolgado mesmo, lol, eu também imaginei esses pais fazendo o filho seguir um caminho que nunca puderam seguir, mas o Gray já teve a sua jornada sim, e inclusive conseguiu todas as insígnias do continente.

Vamos ver o que vai acontecer com Emma, se vai ser só durante a rota ou a jornada inteira, qual vocês acham que vai ser? Com certeza o Natt vai passar toda essa rota tentando impressionar a garota, vamos ver né -q

Enfim, obrigado por comentar, espero que continue gostando, até mais ^^

Então, esse capítulo foi o que eu mais gostei de escrever até agora, eu diria até que é o meu preferido, nele vai aparecer um personagem novo que é o meu preferido de todos e ainda tem um gancho que vai ser importante para o final da temporada. Espero que gostem.

- Olha só Wings, é assim que se voa!

Em um canto qualquer da rota três, Natt e seu Wingull estavam treinando fortemente, determinados a fazer com que, até o fina do dia, o pokémon conseguisse voar sem cair nenhuma vez.

O pescador estava com uma folha de bananeira amarrada em cada um dos braços, tentando simular as asas do pokémon gaivota. Ele corria em círculos enquanto balançava os braços para cima e para baixo, fazendo com que as folhas se agitassem violentamente. Wings olhava para aquilo admirado, querendo ser como seu treinador.

Gray estava a alguns metros do treinador, fazendo a comida para o grupo. Eles tinham achado uma grande rocha lisa na rota, que acharam que serviria como uma ótima mesa para a refeição da tarde deles. O cozinheiro estava estreando suas novas panelas, preparando algo para eles comerem. Atrás dele, Muddy, Mikau e Leaf olhavam com água na boca, enquanto Prime ajudava no preparo, como tinha sido treinado para fazer.

Emma estava encostada na pedra, lendo um livro distraída. Desde que os três saíram de Knothole, ela estava reclusa desse jeito, sempre preferindo estar sozinha lendo seu livro ou ao lado dos pokémon, foram raros os momentos em que ela falara com os outros dois.

- Ele é bastante energético, né? - comentou Gray, olhando para Natt, distraído.
- Sim - disse ela, corando enquanto colocava os cabelos louros atrás da orelha.
- É isso aí, Wings! Sobre mais!

Todos olharam para o pescador. Ele pulava de alegria ao ver o seu pokémon descrevendo círculos no ar. Motivado por seu treinador, o Wingull subiu ainda mais. Porém, não muito tempo depois, cambaleou, girando e caindo tão longe que não foi possível ver onde ele tinha ido parar. Um pouco depois, puderam ouvir um grito feminino assustado.

- Putz… - disse Natt.



Capítulo quinze:
A garota e o ovo pokémon

- Será que ele acertou alguém? - perguntou Emma, colocando a palma da mão em cima dos olhos para tapar o Sol.
- É melhor eu ir atrás… - disse Natt - Muddy, Mikau, vocês vêm comigo?

Ele olhou para seus pokémon, o Tympole estava dormindo na mochila de seu treinador, enquanto Mikau ainda estava atrás de Gray vendo o cozinheiro fazer a comida deles.

- Ei, vamos lá, cara.

Com cara de quem não tinha opção, o Totodile seguiu seu treinador.


~//~


- Wings! - gritava Natt, com as mãos em volta da boca para ampliar a voz.
- Toto! - dizia o pokémon, logo após seu treinador.

Eles andaram por uns vinte minutos sem achar nada, nem sequer ouviram um grito de Wings, até que, ao acabar a grama alta, Natt tropeçou em algo, caindo de cara no chão.

- Mas que droga! - disse ele, limpando o rosto, ainda caído.

Em seguida, ele olhou para o lugar onde tinha tropeçado, uma garota se levantava, limpando a roupa.

- Caramba! Me desculpem, me desculpem! - dizia ela, se curvando cada vez que se desculpava. Em seu ombro, um Cyndaquil também repetia o seu nome, curvando a cabeça como se também se desculpasse.

Ela devia ter uns quinze ou dezesseis anos, era um tanto quanto baixa e tinha uma pele bastante clara, como se não saísse muito de casa. Usava botas azuis, um shorts jeans e uma blusa cinza e azul sobre uma camiseta branca. Seu cabelo era castanho escuro, preso para trás com apenas duas mechas caindo uma em cada ombro, seus olhos cor-de-âmbar estavam meio escondidos atrás de um óculos de armação laranja.




Natt e Mikau se entreolharam, estranhando o que tinha acontecido. A garota ainda pedia desculpas.

- Tudo bem. - disse o pescador, se levantando - Só me fala uma coisa, por que estava no chão?

Ela deu um sorriso sem graça, coçando a nuca.

- É uma longa história. Pra resumir, eu fui atingida bem na cabeça por esse pokémon aqui. - ela esticou o braço, apontando para o chão, o Wingull de Natt estava caído, com uma das asas arranhadas.
- Wings! - disse Natt, pegando o pokémon nos braços.
- Eu acho que o nome é Wingull - disse a garota.
- Não, ele é meu pokémon! - disse o pescador - Você não tem nenhuma potion aí?
- Seu? Caramba!

Ela revirou sua mochila azul, derrubando vários itens. Após uma longa procura, conseguiu pegar do chão um borrifador cinza e roxo e o entregou para Natt. O pescador apertou o objeto, espirrando a poção na asa do pokémon.

O efeito foi quase que instantâneo, com apenas três borrifadas, o corte parou de sangrar, tornando-se uma casca de ferida comprida.

- Deu certo? - perguntou a garota, olhando para Wings.

Natt esticou a asa de seu pokémon para ver se não tinha mais nenhuma ferida. Ao ver que estava tudo bem, ele se aliviou, assentindo.

- Prazer, meu nome é Carlie! - disse, esticando a mão, sorrindo como se toda a preocupação tivesse ido embora.
- Prazer… Sou Natt. - o pescador apertou a mão dela, ainda sem entender muito bem o que estava acontecendo - Mas o que você está fazendo sozinha aqui na rota três? Também é uma treinadora?

Ela riu com o nariz, debochando da pergunta de Natt. Então, ela cruzou os braços, arrumando seus óculos e fechando os olhos, cheia de si. Seu Cyndaquil fez a mesma coisa.

- Isso é coisa de criança… Eu estou aqui a trabalho. - disse.

Natt e Mikau se entreolharam, curiosos.

- Trabalho?
- Toto?
- É. - ela disse, se achando importante - Eu trabalho no Day Care de Knothole, e estou fazendo algo muito importante aqui.
- Day Care? Que legal! - disse o pescador, alimentando ainda mais o ego da garota - O que de importante você tá fazendo?
- Tenho que levar esse ovo pokémon até Ciatteil.

O treinador e seu pokémon olharam para todos os lados, confusos. Carlie, ainda de olhos fechados e com cara de convencida, não tinha percebido que não havia nenhum ovo lá.

- É… Você sabe que não tem nenhum ovo aqui né?
- Qual é, Nate, é claro que…

Ela percebeu que não tinha nenhum ovo lá, arregalando os olhos, chocada. Ela e seu Cyndaquil se levantaram, revirando a mochila e procurando o ovo pokémon em todo lugar.

- Não, essa não! Caramba! - exclamou ela - Não posso ser demitida de novo!
- Como assim de novo? - perguntou o pescador.

Carlie caiu de joelho no chão, com a cabeça abaixada.

- Eu já fui demitida de quatro empregos antes de conseguir trabalhar no Day Care… Eu tinha certeza que dessa vez ia dar certo… Não posso ser demitida pela quinta vez, eu tenho que achar o ovo!
- Você sabe pelo menos por onde começar?

Ela olhou para trás, onde a grama era mais alta.

- Deve ter caído quando o seu pokémon me atingiu, então eu acho que está pra lá.
- Ah… Então eu te ajudo, ok? - disse Natt, se sentindo meio culpado. Mesmo vendo que a garota era meio doida e totalmente capaz de perder o ovo sozinha, isso podia ser também culpa de Wings e dele.

A garota sorriu, fazendo um sinal positivo com o polegar. Natt retornou Wings para que o pokémon pudesse descansar enquanto eles procuravam.


~//~


Aquilo era extremamente frustrante. Já fazia uns dez minutos que tentavam achar um pequeno ovo pokémon no meio do mato, e nada. Natt ficava bravo toda vez que lembrava que podia estar conversando com Emma enquanto comia a comida de Gray nesse exato momento, mas estava lá, ajudando uma garota maluca a achar um ovo.

- Qual é a desse ovo? - perguntou o pescador - É tão importante levá-lo para Ciatteil?
- Muito - disse a garota - O ovo foi levado ao Day Care pelo próprio professor Nutwood, ele disse que queria que analisassem ele, para ver se estava tudo normal.
- E estava?
- Não, os cientistas do Day Care descobriram que há algo de diferente no pokémon do ovo. Algo como uma mutação, uma mudança no código genético nunca vista antes.

Natt não entendeu muito bem, mas estava cansado demais para tentar entender.

- Carlie… Certeza que não tá na sua mochila? - disse, suspirando.
- Claro que não. - respondeu ela - Eu não seria idiota o suficiente para… Ai!

Ela tropeçou, caindo no meio da grama alta. Logo depois ela se levantou, limpando a blusa como se nada tivesse acontecido.

- Para perder o ovo dentro da minha própria mochila! - completou.
- Ah… - disse Natt, preferindo não comentar - Ei Mikau, que tal ajudar?

Ele olhou para seu pokémon, que apenas virou a cabeça, desinteressado. Ele estava sentado ao lado do Cyndaquil de Carlie, que riu com a resposta do aquático.

- Parece que ele se deu bem com seu Cyndaquil…
- Minha Cyndaquil - corrigiu Carlie - Cindy é fêmea.
- Sério? - disse o treinador, pegando o seu celular do bolso. Ele abriu o aplicativo pokédex e apontou a câmera para o pokémon de fogo.

Na tela, apareceram várias informações sobre o pokémon, como o nome da espécie, o número de acordo com a pokédex nacional e seu sexo. Um pouco abaixo, apareceu um botão de play, que Natt apertou.

"Cyndaquil, o pokémon camundongo de fogo: Geralmente têm uma natureza tímida, portanto, quando se sente ameaçado, sua costa arde em chamas, tornando-o muito mais ameaçador. Um Cyndaquil muito bem treinado pode expelir fogo com força o suficiente para derrubar um muro de tijolos."

O pokémon de fogo sorriu ao ouvir as informações sobre sua espécie.

- Então Mikau está apaixonado? - perguntou Natt para seu pokémon, olhando para ele com os olhos semicerrados e um sorriso no rosto.
- Toto! - gritou o pokémon, corando. Ele pulou em cima de seu treinador, mordendo-o na cabeça.
- Ai, ai, não, para!


~//~


Já era seis horas da tarde, e o Sol começava a se pôr. Mesmo depois de bastante tempo, eles não acharam nada de ovo, e já estavam muito cansados.

- Caramba… - lamentou-se Carlie - Eu vou ser demitida de novo.
- Não vai, nós vamos achar esse ovo. - disse o pescador, colocando a mão no ombro da garota. Em seguida, ele olhou para o céu alaranjado - Mas acho que vai ter que ser amanhã.

Ela olhou para o céu, triste.

- O plano era chegar em Ciatteil ainda hoje. - disse - Eu não tenho como dormir na rota.
- Tudo bem, eu estou te devendo uma. - disse Natt - Eu e meus amigos estamos aqui perto, você pode dormir lá hoje.

Ela assentiu, vendo que não tinha opção. Então, os dois juntos foram até o lugar onde os outros estavam. Quando chegaram, Gray estava terminando de lavar os talheres e os pratos, enquanto Emma lia o seu livro e os pokémon dormiam.

- Natt? - disse o cozinheiro, ao ver o amigo chegar junto com Carlie - É por isso que demorou?
- Não! - disse o pescador, agitando as mãos, tímido. Ele olhou para Emma, para ver se a garota também tinha achado o mesmo que Gray - Eu só estava ajudando ela!
- Aham - disse, chegando perto da garota e apertando sua mão - Sou Grayson, prazer.

Emma fechou o seu livro, indo cumprimentar a garota.

- Prazer, eu sou…
- Emma Nutwood!? - disse Carlie, com os olhos brilhando. Sua Cyndaquil também se admirou ao ver a loira.
- É… Nos conhecemos?
- Sim, quer dizer, não, eu conheci o seu avô, ele que me deu Cindy, e ele falou muito de você. Você é incrível! - disse a garota, segurando as mãos de Emma, que não sabia o que dizer.

Gray olhou para a garota loura, como se estivesse começando a perceber.

- Seu avô? Emma, você é neta do professor Nutwood? - perguntou.
- Claro que é! - afirmou Carlie, sorrindo - Estamos diante de uma das pessoas mais sortudas de Eyarn!

Emma corou, escondendo o seu rosto com a mão. Natt ficou com pena dela, sabia como a garota não queria que soubessem sobre o seu avô.


~//~


A noite caía na rota três, separando os pokémon diurnos dos noturnos. Alguns deles iam dormir, se escondendo em suas tocas ou em seus ninhos para não serem pegos pelos que ficavam acordados durante a madrugada, procurando o que comer.

Um Fearow pousava no meio da grama, olhando para um ovo branco com manchas verdes. Ele dava um sorriso malicioso, sabendo que aquilo era a comida da noite. Empurrando com o rosto, ele conseguiu levar o alimento até uma área onde a grama não era tão alta. Então, ele deu uma bicada na parte de cima, mas não aconteceu nada. Ele deu então uma segunda bicada, que abriu uma pequena rachadura no ovo, mas o arremessou para longe.

Ele segurou o ovo com a pata, e bicou-o pela terceira vez. Da rachadura que tinha conseguido fazer da outra vez, ele abriu um buraco. Então, ele aproximou a cabeça para ver através do furo o pokémon que estava lá dentro.

Inesperadamente, uma rajada de fogo saiu pelo pequeno buraco aberto, acertando o pássaro bem no rosto. O bico e a crista do pokémon ficaram em chamas, enquanto ele gritava de dor e saía voando para bem longe do ovo. Do buraco que ele tinha aberto, saiu um pequeno pokémon flamejante, que saiu rastejando pelo chão.

Enfim, como eu disse, esse foi o meu capítulo preferido até agora, portanto espero que também gostem. Logo logo a ficha será atualizada com a nova personagem, e vocês também podem tentar adivinhar quem é esse Pokémon do final do capítulo, a única dica é que ele será bem importante no futuro.

E, no próximo capítulo: O Pokémon que nasceu do ovo! Aguardem até Sábado!


Última edição por -Ice em Dom 12 Mar 2017 - 13:04, editado 1 vez(es)
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Black~ em Ter 13 Out 2015 - 15:02

Bom, vamos lá.

Gostei desse capítulo, apesar de ter sido um tanto "parado", ele foi bem legalzinho e teve a apresentação de um novo personagem à fic. Gostei da inserção de uma nova personagem (que tenha ou não maior participação na história) e também do mistério que você deixou no final, pra variar -q.

Achei essa menina bem legalzinha, apesar de ser um tanto sonsa, visto que fica caindo toda hora, além de já ter perdido quatro empregos (sério? Uma menina de 16 anos já perdeu 4 empregos? huahuahuahauhau). Mas no geral, achei legal a aparição dela e o fato de o Mikau ter se apaixonado por ela. Apesar de ser um pouco sem sentido um Totodile se apaixonar por um Cyndaquil, mas né, só o Mundo Pokémon nos proporciona essas coisas absurdas, mas enfim.

Eu achei meio vacilo da Carlie ela ter ficado gritando toda hora que a Emma era a neta do Professor Nutwood, visto que a jovem não gosta disso, tanto que nem o Grayson sabia disso. Mas, de toda forma, acho que a Carlie (toda desligada do mundo) não tivesse noção disso e acabou falando sem querer.

Acho que a Emma também tem uma quedinha pelo Natt, já que ela jogou o cabelo para trás quando o Grayson falou dele -qq. Mas sério, acho que ela sente algo por ele mesmo, já que corou quando o Grayson fez a pergunta a ela. Mas pensei que ela fosse ficar um pouco "surpresa" quando o Natt chegou com a Carlie, mas aparentemente não.

Achei bem legal o Natt tentando fazer o Wings voar, apesar dos pesares. Imagino que o pokémon deva aprender logo a voar, visto que o treinador tem demonstrado como se faz e todos os capítulos eles estão tentando voar, então vamos esperar pra ver se ele vai aprender a voar, mas enfim,

Esse ovo estava bem misterioso. Mutação genética? Bem estranho realmente. O fato de ter nascido um pokémon de fogo de dentro do ovo já me leva a uma pessoa, a Burnign, óbvio. Um ovo mutante e um pokémon de fogo, talvez ela não tenha nada a ver, mas que tem uma relação, isso deve ter. Quanto ao pokémon, eu só consegui imaginar um Slugma, como pokémon rastejante e de fogo. Talvez não seja, mas me pareceu a única opção plausível. Quanto a sua importância no futuro, prefiro aguardar pra entender o porquê.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Ter 13 Out 2015 - 21:12

ICE SUA CRIATURA DOS DEMÔNIOS ANGELICAIS, EU ACHO QUE JA SAQUEI TUUUUUUUUUUUDO!!!!!


HAHAHAHAHHA SAQUEI SIM! TENHo CERTEZA!

Bem, é uma teoria, mas acho que já entendi o lance do titan de água E DESSE OVO AE. Eu só não vou comentar a minha teoria aqui, porque se ela estiver certa, provavelmente vai spoilar bastante a história. E eu não quero fazer isso... Sem a sua permissão é claro. u.u Mas acho que já saquei tudo sim, no final ficou claro nesse capítulo... E eu não acredito que eu demorei pra sacar. ENFIM, tudo isso foi graças a esse ovo. Pra ser honesto, achei que Natt e Carlie não tivessem conseguido encontrá-lo pelo fato dele ter chocado quando saiu voando graças a Wings, mas no final mostra que não foi isso, já que o ovo foi chocado durante a noite. Agora me pergunto se o pokémon rastejante com detalhes verdes vai ser encontrado ou se ele vai encontrar Natt e Carlie.

Falando sobre, eu gostei bastante dela. No início, achei que seria uma treinadora, mas ela acabou revelando trabalhar na Day-Care. Achei isso MUITO interessante, pois o Day-Care pode ser bastante explorado. Só me pergunto se ela vai ser uma protagonista ou uma personagem de suporte, pois uma Cyndaquil não é para qualquer um... E como eu adoro iniciais comuns sendo fêmeas... Digo, geralmente os pokémons fêmeas são Chikorita, Fennekin, esses que tem uma aparência mais feminina. Mas Cyndaquil e Charmander, pensando no Typhlosion e Charizard... Só a gente mesmo! hahah

Eu devo dizer que adorei o capítulo. Sendo sincero acima de tudo, ele não chegou a ser um de meus favoritos, mas eu realmente adorei o seu desenvolvimento e mostrando o relacionamento entre Natt, Gray e Emma, pelo menos a função de cada um no início do grupo, mostrando a falta de intimidade que cada um possui entre si. Isso é bem bacana.

Agora eu fiquei confuso... O Wings aprendeu a voar? Acho que agora ele tem mais facilidade de manter-se em pé após esse treinamento, mas pelo visto ele não aprendeu por completo. Agora sobre Micau (Nunca joguei Legend of Zelda, desculpa :c ), ele foi bem explorado nesse capítulo, e mesmo sendo o primeiro pokémon do treinador, ele parece ser o mais distante até agora. Talvez esses dois anos presos dentro da Pokébola tenha criado um rancor que vai demorar muito pra ser curado. Eu entendo ele... Vacilo do Natt, mas tenho certeza que o garoto vai se redimir.

Enfim... EU SAQUEI! HAUHAHA! Pelo menos eu acho... Enfim!

Adorei o capítulo, como sempre, impecável. Eu já estou ansioso para o próximo capítulo, então tomara que a semana passe rápido.

É isso! Um abraço cara, até mais! o/
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Eru em Sex 16 Out 2015 - 21:39

Ice, como vai? xD

Cara, você deve ter jogado Diamond/Pearl/Platinum/Black/Black2/White/White 2 antes de escrever né, porque a Carlie é a personificação do Barry e da Bianca. Não estou chamando isso de plágio, é que me lembrou muito as confusões dos dois, seja nos games ou no anime, e tenho que dizer, foi o episódio mais engraçado até aqui. Que a garota continue por muito mais tempo pra aliviar essa tensão de batalhas e treinamentos.

O jeito que Mikau foi desenvolvido neste capítulo foi aceitável. Quando o Natt o chamou para acompanhá-lo na busca pelo Wings, fiquei com a impressão de que você iria ampliar os laços afetivos entre os dois ao máximo logo de cara, como se os comentários dos leitores tivessem te obrigado a fazer isso, mas foi exatamente o contrário, foi algo mais calmo e devagar, não foi algo do "nada" que certamente iria parecer forçado, do tipo "querem mais participação? Taí a participação", se é que você me entende.

Sobre o pokémon rastejante flamejante (rimou), acho que é um Slugma ou um Larvesta, acredito que sejam os únicos pokémons flamejantes capazes de se rastejarem por aí, apesar do último ter patinhas. Mas também tem o caso da anomalia, talvez seja um pokémon quadrúpede, mas que tenha nascido em forma de cobra, sei lá! Ou quem sabe seja um pokémon do tipo água mas que aprende golpes eficazes de fogo? Seria uma ótima aquisição pra equipe do Natt...

Então Ice, acho que só isso que tenho a comentar. Boa sorte!
avatar
Eru
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/10/2015


Ver perfil do usuário http://pokemythology.net/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por xKai em Sab 17 Out 2015 - 12:34

Olá Ice, tudo bem? Desculpe mais uma vez por ter perdido outro capítulo, parece que está ficando mais corriqueiro do que eu gostaria que fosse, bom vamos logo ao que interessa.

A cada capítulo que se passa está ficando bem claro a solidificação dos laços entre Natt e seus pokémons, principalmente no caso de Wings, que por não saber voar está ganhando uma atenção extra, até chuto que talvez ele venha a ser um dos primeiros pokémons do Natt a ganhar uma evolução, vai saber. Quanta coincidência encontrar a Enma, não é mesmo? Assim a viagem de nosso herói fica um pouco mais entretida, e que mancada deu o Grayson, interrompeu bonito o papo dos dois lá... Só achei estranho ele ter ficado meio que na inocência e pouco depois pensou besteira ao ver o Natt chegando com a Carlie -q Bem, só porque o pokémon usou um suposto lança-chamas não quer dizer que ele seja um tipo fogo, não é mesmo? Afinal de contas muitos pokémons tem acesso a tal movimento, já que disse ser um pokémon com seu código genético alterado... Pod ser até uma Magikarp vinda das profundezas do Tártaro em busca de vingança pela ridicularização da sua espécie hahsuahsa

No geral foi um capítulo interessante por vários pequenos aspectos. Tivemos mais uma vez Natt treinando o Wings, Enma entrando no grupo mais uma vez, acredito que desta vez até fique -q Totodile se apaixonando? E o famoso pokémon egg que é um clichê daqueles que não podem faltar xD Bom até o próximo capítulo, farei o possível para desta vez acompanhar na data certa.

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Sab 17 Out 2015 - 14:28

Eae galera, hoje eu vou postar o cap cedinho assim porque daqui a pouco tenho aula, então, né, vamos aos

Comentários:
Black: Hey Black o/ Que bom que gostou do cap, e, spoilers a parte, é claro que a Carlie ainda vai ter suas participações na história, a garota é a minha personagem preferida. Haha, se prepare porque, depois de quinze capítulos com mistérios, nos proximos teremos as respostas ^^

A Carlie ser toda atrapalhada assim na verdade é uma referência a mim mesmo -q A personagem é a minha versão na fic. Que isso, cara, Totodiles e Cyndaquils se combinam tanto -qq

Sobre a Carlie ter falado que a Emma é neta do professor, isso foi porque ela é meio inocente, e não sabia que a Emma não gostava disso, mas, como vai ser mostrado nesse cap, ela se arrependeu bastante. Bem, será que a Emma tem uma quedinha pelo Natt mesmo? Pode ser tantas outras coisas -q

Vamos ver se Wings vai aprender a voar e qual é o mistério desse ovo em breve, será que você acertou essas suas suposições? Enfim, até mais e espero que continue gostando ^^

Rush: Hey Rush o/ Vish, será que tu sacou mesmo? Eu sou muito de deixar pistas falsas ein -q Se quiser comentar as suas teorias, pode comentar, já que, quando eu começo a seguir esse caminho do mistério, gosto muito que os leitores comecem a deduzir ou até discutir uns com os outros as possibilidades, portanto, pode ir ^^

A Carlie é realmente muito legal, e ela trabalhar no Day Care lhe dá uma grande utilidade na história, portanto, vamos esperar que ela continue lá, né -q Pra mim, o Chikorita sempre foi bem masculino, mesmo com o A no final, mas, pô, um Thyplosion é tão feminino =P

Esse cap só foi o meu preferido pela história da Carlie e do ovo, que, para mim, é uma das melhores da primeira temporada, e também pelo desenvolvimento do grupo e de Mikau, mesmo que esse último tenha sido planejado de última hora,

Não, o Wings não aprendeu a voar, o negócio dele é a resistência para permanecer no ar, portanto, é imprevisível saber por quanto tempo ele vai conseguir ficar voando, mesmo sendo certo que depois ele vai cair. Sobre o Mikau, já vimos que o Totodile está, aos poucos, cedendo, mesmo sendo orgulhoso demais para admitir, mas, no fundo, o pequeno tem medo de ficar preso na sua pokébola novamente.

Enfim, será que tu sacou? -q Espero que continue gostando e até mais ^^

Eru: Hey o/ Sim, eu to jogando pokémon Platinum atualmente, e a personalidade do Barry me ajudou bastante a fazer a Carlie, mas na verdade a personalidade atrapalhada da personagem foi mais baseada em mim.

Eu tomei cuidado para não fazer isso que você disse com o Mikau, ia ficar bem zoado mesmo, e sobre o rastejante flamejante, já adianto que é o que vocês menos esperam, portanto, vamos aguardar.

Enfim, obrigado por comentar, espero que continue gostando, até mais ^^

Kai: Kai! Que bom ver você por aqui de novo. Espero que você consiga acabar com a correria, mas, como eu já disse, não precisa se desculpar ^^

Wings está mesmo recebendo uma atençãozinha especial do Natt devido ao fato de não conseguir voar e talz, o que faz com que o pescador encare isso como um desafio, ensinar o pássaro a voar, vamos ver se ele vai conseguir.

O Gray foi mesmo inocente lá no centro pokémon, mas, depois, quando já conhecia o Natt, foi o primeiro a pensar merda quando viu o garoto chegando junto com a Carlie. Sim, pode ser que o pokémon não seja do tipo fogo, ou talvez sim, bom, isso está confuso pra caramba =P Quem sabe seja mesmo o Magikarp, né -q

Enfim, espero que continue gostando, até mais ^^

Enfim galera, me desculpem por ser breve nos comentários, é que eu tenho aula daqui a pouco e as coisas ficam meio corridas. Vamos ao cap. Esse daqui foi muito legal de se escrever também, e é o começo do fim da temporada, espero que gostem ^^

Aquela noite se resumira na surpresa de Grayson ao saber que Emma era neta do professor Nutwood e Carlie pedindo desculpas a ela por ter contado isso.

Agora, depois que tudo já tinha se acalmado, estavam todos dormindo tranquilamente em seus sacos de dormir, contornando a fogueira que a Cyndaquil de Carlie acendera. Natt falou para a garota ficar com eles até achar o ovo, como uma maneira de se redimir pelo que ele e Wings fizeram.

Ele era o único que não tinha conseguido dormir. Estava acariciando Muddy, que dormira deitado em sua barriga, enquanto olhava para o céu estrelado, apoiando a cabeça com a mão. Estava praticamente do lado de Emma, e ela dormia de uma maneira muito fofa, deixando o pescador meio constrangido, e também sem sono nenhum.



Capítulo dezesseis:
Uma pequena mutação genética

A luz do Sol batia exatamente nos olhos de Natt, fazendo com que o garoto acordasse com um pulo, assustado.

- Finalmente, ein? - disse Gray, ele terminava de guardar os potes em que colocara a ração para os pokémon comerem - Regra de treinador número um: Quem cedo madruga, a sorte ajuda.
- Blá blá blá - disse o pescador, nervoso - Eu não tenho nada para fazer hoje mesmo.
- Correção: Você tem que me ajudar hoje.

Natt olhou para o lado, Carlie estava de pé, com as duas mãos na cintura e uma cara bem nervosa. Cindy estava eu seu ombro e Wings em sua cabeça, olhando alegre para seu treinador.

- Ah, oi, Carlie. - ele coçou os olhos - Ajudar?

Ela suspirou.

- Vá lavar o rosto e escovar os dentes, temos que encontrar o ovo pokémon ainda hoje.

Ele bateu a palma da mão contra a testa, vendo que aquele seria um dia muito longo.


~//~


- Parece que a Carlie gostou da Emma, né?

Natt e Gray estavam procurando pelo ovo perdido, Carlie decidira que os dois iam juntos enquanto ela e Emma procuravam em um outro lado da rota. Muddy e Mikau estava atrás dos dois, ajudando da maneira que podiam.

- Bastante. - respondeu o pescador ao amigo. Os dois já estava cansados de tanto abrir caminho por entre as gramas altas - Pra mim esse ovo já virou comida.
- Toto! - gritou o pokémon crocodilo, depois de vários minutos de procura, apontando para um objeto pequeno que estava bastante longe deles.
- Deve ser só uma pedra - disse Natt, tentando ver através do Sol escaldante.

O pokémon não ouviu seu treinador, e saiu correndo para ir pegar o objeto.

- Ei, Mikau, espere!

Ele saiu correndo atrás do Totodile, e, ao chegar no objeto, o pokémon pegou-o, e Natt viu que não era uma pedra, realmente era o ovo, ou melhor, o que sobrou dele, somente a casca oca estava lá, rachada, sem nada dentro.

- Valeu, Mikau, mas… - ele pegou o ovo na mão, olhando dentro dele - O que nós vamos falar pra Carlie?

Gray chegou atrás de Natt, ofegando e com Muddy na mão.

- Nunca mais corra assim, eu não sou muito… Ei, é o ovo?
- Um dia já foi… - disse o pescador, entregando a casca para o amigo.
- Toto! Toto! - Mikau pulava enquanto apontava para o chão.

Exatamente de onde o ovo estava, um rastro fino mostrava o percurso do pokémon. Não eram pegadas, e sim uma trilha fina e longa mostrando que o pokémon saiu do ovo se arrastando, e, por todo o percurso que ele fez, deixou apenas cinzas por onde passava, queimando a grama e formando uma trilha negra que cheirava a carvão.

- Será que…
- É o percurso do pokémon! - disse Gray - Vamos segui-lo!

Natt acariciou a cabeça de Mikau, agradecendo-o. Então, eles começaram a seguir o rastro de queimado do pokémon. Demorou uns dois minutos até chegarem ao fim.

No final do rastro, uma pequena bola de fogo estava no chão enquanto comia várias berrys amontoadas. Conforme o pokémon tentava comer as frutas, elas se queimavam, o que parecia o deixar nervoso.

Tentando não fazer barulho, Natt pegou o seu celular e entrou na pokédex. Então, apontou a câmera do aparelho para a bola flamejante.

”Sewaddle, o pokémon costureiro. Ao nascerem, eles vão às árvores que estão mais perto deles e usam suas folhas para fazer um casaco que usarão pela vida toda”.

- Gray, acho que o celular já está dando problema. - disse Natt, ao olhar para a imagem que o aparelho apresentava, um pokémon lagarta com um casaco de plantas, dos tipos inseto e grama, ou seja, um pokémon que morreria se estivesse em chamas assim.

Ao ouvir o barulho, o pokémon virou-se rapidamente, fazendo com que os dois se assustassem e saltassem para trás, caindo no chão.

A chama do pokémon se abaixou, sendo possível vê-lo mais detalhadamente. Era uma lagarta com uma cabeça esférica bege e duas antenas redondas em sua testa. Tinha três patas redondas e negras de cada lado do corpo, e um corpo vermelho. Realmente era um Sewaddle, mas, ao invés da folha de árvore cobrindo o corpo como um casaco, ele tinha um manto de fogo, que parecia não lhe machucar.




- Gray… O que é isso? - perguntou Natt, se arrastando para longe do pokémon, assustado demais para conseguir se levantar.


~//~


As duas garotas estavam sentadas na sombra de uma árvore da rota três, cansadas de procurar pelo ovo pokémon. Carlie estava de cabeça baixa, já sabendo que isso resultaria em sua demissão.

Wings, o Wingull de Natt tentava consolar ela, o pokémon viera junto com as garotas para tentar se redimir por ser o culpado na perca do ovo, mas não estava conseguindo. Cindy estava no ombro de sua treinadora, também tentando deixá-la mais feliz.

- Ei, Emma, você sabe algo sobre o ovo? - perguntou à loura - Foi o seu avô que o levou ao Day Care, então talvez você saiba algo, né?
- Não, infelizmente não sei nada. - ela encostou a cabeça na árvore, olhando para o céu - Meu avô não costuma me contar sobre o que faz, ele é um homem muito ocupado, talvez nem goste de mim.
- Isso não. - disse Carlie, olhando para ela nos olhos - Eu também era de Ciatteil, antes de começar a trabalhar em Knothole, e, quando eu fiz dez anos, o seu avô me entregou a Cindy. Eu me lembro daquele dia até hoje, e de como foi marcante para mim, eu sempre admirei muito o seu avô, e ele me contou sobre uma neta dele, que tinha quase a minha idade, e que ele a considerava quase uma filha… Você, Emma.

Elas sorriram uma para a outra.

- Sabe, Carlie, você é uma garota legal. Você não pode ser demitida, eu não vou deixar. - disse Emma, se levantando - Vamos achar esse…
- Wingull, Wing!

O pokémon gaivota pulava e gritava o seu nome, chamando a atenção das duas garotas.

- Wings? Viu algo? - Carlie se agachou para falar com o pokémon. Ele esticou a asa para uma direção, gritando o seu nome ainda mais alto.
- Acho que é o Natt. - disse Emma - Deve ter acontecido algo.
- Caramba! Vamos lá!


~//~


Os dois treinadores ainda estavam caídos no chão, enquanto o pokémon inseto olhava para eles, como se tivessem invadido o seu território.

Natt ainda não conseguia pensar em nada, estava muito perplexo para isso. Não conseguia imaginar como uma coisa dessas poderia ter acontecido, quando Carlie citou que o pokémon do ovo tinha uma mutação genética, ele imaginou algo como um movimento herdado do pai, e não… isso.

- Ei, desculpa, já estamos saindo, ok? - disse Gray ao pokémon, ele estava tão nervoso quanto o pescador.

As chamas do inseto levantaram, rodeando o seu corpo todo. Do meio de suas antenas, umas rajada de fogo foi lançada em direção aos dois treinadores, um Flamethrower lançado por um pokémon recém-nascido.

As pernas de Natt estavam bambas, ele não conseguia se levantar, então apenas fechou os olhos, tapando o rosto com o braço direito, enquanto sentia o calor da rajada de fogo chegando mais perto.

Mas nada aconteceu, ele não sentiu seu corpo queimar ou nada do tipo, então ele abriu os olhos para ver o que tinha acontecido. Seu Totodile estava em sua frente, disparando um Water Gun que apagava o ataque do inseto antes que acertasse os treinadores.

- Mikau…

Sewaddle desistiu de tentar atingir os dois, interrompendo o seu lança-chamas ao mesmo tempo que seu oponente interrompia o jato de água. Os dois se olhavam, ofegantes. Natt conhecia o brilho nos olhos daquele inseto.

- Prime, ajude o… - Gray pegou uma pokébola para soltar o seu pokémon, mas foi interrompido por Natt, que colocou o braço na frente do cozinheiro.
- Não, Gray. - disse, sorrindo - Esse cara só quer uma boa batalha.

O pokémon virou a cabeça para cima, soltando de sua boca um fio de seda, que o prendeu ao galho de uma árvore. Então, ele saltou, pendurando-se pelo fio e indo em direção à Mikau, preparado para acertá-lo.

- Desvie e use o…

O pokémon saltou para o lado, fazendo com que o Sewaddle não lhe acertasse, e voltasse para trás, ainda pendurado pelo fio de seda. Então, o crocodilo saltou, enquanto em sua mão surgiam garras negras, que ele usou para arranhar o inseto.

- O que? Ele está batalhando sozinho? - perguntou Gray, surpreso.
- Mikau não é o meu pokémon mais obediente… - disse Natt, decepcionado por não conseguir conduzir a batalha.

O pokémon inseto não pareceu muito feliz pelo golpe que recebeu. Suas chamas aumentaram, e, do meio de suas antenas, ele disparou mais um Flamethrower que acertou seu oponente em cheio.

Porém, Mikau não se mexeu, mesmo sendo atingido pelo golpe. Ele cambaleou, mas manteve-se de pé ao se apoiar com a mão no chão. O inseto carregou e lançou mais uma rajada de fogo, mas o aquático continuou imóvel, com os olhos fechados.

- Mikau, saiu daí! - gritou Natt, ao perceber que o Sewaddle carregava mais um Flamethrower. O seu pokémon continuou parado - Mikau!

Ele correu para entrar na frente do Totodile e protegê-lo, mas Gray o segurou.

- Não, Natt, olha lá. - ele apontou para Mikau. Uma aura vermelha rodeava o pokémon, enquanto ele permanecia imóvel, com os olhos fechados.

Ele recebeu mais um lança-chamas, mas não se mexeu e permaneceu com os olhos fechados. A aura vermelha que o rodeava aumentou, e então ele abriu os olhos, carregando com a boca uma esfera branca, e soltando um raio poderoso que envolveu Sewaddle.

- Isso é…
- Bide!

Após terminar o ataque, Mikau fechou os olhos novamente, caindo no chão, exausto. Sewaddle, entretanto, ainda estava em pé, mesmo machucado.

“Ele conseguiu derrubar Mikau, mesmo em uma tremenda desvantagem…” pensou Natt “E ele é só um recém-nascido… Essa mutação genética não alterou apenas o seu tipo.”

Ele ajoelhou-se, tocando a pokébola de Mikau em sua testa e retornando-o à pokébola. Ele não precisou dizer nada, Muddy se colocou em sua frente, pronto para batalhar.

- Você aguenta mais uma? - perguntou.

O pokémon franziu o cenho, confiante, aumentando as chamas de seu corpo ainda mais. Em seguida, ele saltou, soltando um fio de seda e pendurando-se no galho da árvore novamente, indo em direção à Muddy.

- Pare-o com o Supersonic!

Antes que o inseto conseguisse atingir Muddy, o pokémon estufou o peito, soltando uma rajada sonora no oponente, que se soltou do fio de seda, caindo no chão.

Ele se levantou logo em seguida, com os olhos vazios, confuso. As chamas de seu corpo aumentaram ainda mais, chegando a atingir a copa da árvore que estava em cima deles, causando um incêndio ali.

- Droga, Muddy, use o…

Natt não conseguiu terminar de falar. Sentiu algo batendo em sua cabeça e caindo junto com ele no chão. Ao abrir os olhos, ele viu Wings, que olhava para ele, sorrindo.

O pescador se levantou, Carlie e Emma tinham chego também, e olhavam para o pokémon inseto.

- Não me digam que… - começou a loura, sem reação.
- Sim, é o pokémon do ovo da Carlie! - disse Gray.

A garota de cabelo castanho olhou para o pokémon flamejante no chão, perplexa.

- O que vocês fizeram com ele, é apenas um bebê! - gritou, se colocando na frente do pokémon - Ei, está tudo bem, eu estou aqui!

Ela abriu os braços, ficando entre o pokémon e os outros.

- Carlie, não… - disse Natt, colocando a mão no ombro da amiga - Ele é muito forte! Se lembra da mutação do ovo, então, resultou nisso!

Ela se ajoelhou, olhando para o pokémon, que ainda estava confuso, com o corpo flamejando muito mais do que o normal.

- Você não é uma aberração. - ela colocou a mão na testa do pokémon, mas tirou logo em seguida por ser muito quente - Se acalme, ok?

O pokémon carregou do meio de suas antenas uma bola de fogo, que lançou uma rajada flamejante contra a garota, que não reagiu.

- Gull! - disse Wings, lançando um Water Gun em Carlie.
- Vem comigo, disse ela, tirando do bolso uma pokébola e a encostando no inseto. O objeto esférico se abriu, soltando um raio de luz vermelho e capturando o pokémon.

Na mão da garota, a pokébola se remexeu algumas vezes, mas Sewaddle estava exausto demais para conseguir escapar. Carlie caiu para trás, alguns fios do seu cabelo estavam chamuscados graças ao ataque.

- Que dia… - disse.


~//~


Eles tinham conseguido apagar o incêndio que Carlie provocara, e a garota olhava orgulhosa para a pokébola que armazenava o pokémon. Os outros três sorriam ao ver que tinham a ajudado.

- Muito obrigado, galera. - ela disse, se curvando. Sua Cyndaquil fez o mesmo - Se eu entregar a pokébola ao professor Nutwood e explicar o que aconteceu, não vou ser demitida, finalmente vou conseguir um emprego de verdade, e devo isso a vocês.
- Você está indo para Ciatteil também, né? - perguntou Emma, e a garota assentiu.

Os três parceiros se entreolharam.

- Então seja bem vinda ao time. - disse Gray.
- É serio? - os olhos de Carlie brilharam.

Wings comemorou por poder ficar mais um tempo com a garota, e subiu na cabeça dela, feliz. Ela também ficou alegre com a notícia, dando um salto de alegria, mas escorregando e caindo ao tocar no chão.

- Ei, ei, vamos logo! - disse Natt - O momento está muito bonitinho, mas eu tenho apenas uma de seis insígnias, vamos agilizar o negócio.

E assim, o grupo continuou jornada até Ciatteil, cada um com suas metas. O objetivo era chegar na cidade o mais rápido o possível, mas não sabiam se teriam outro imprevisto no caminho. Mas, mesmo que tivesse, eles não ligariam, tinham que aproveitar ao máximo esse momento na rota três, antes que se separassem novamente.

E no próximo capítulo: O poder do titã! Não percam Pokémon Project Retype!
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Kirkos em Dom 18 Out 2015 - 16:39

Oi, Ice! Tudo bem? Eu tava escrevendo minha fic mas fiquei com tédio aí vim ler a sua pra matar o tédio. Li alguns capítulos e resolvi comentar, vamos lá:

Bem, eu gostei bastante da ideia de você ter desenvolvido um continente totalmente novo (eu particularmente não conseguiria) também achei interessante o fato das classes de treinadores, sendo que o Natt coitado era classe E falsificou uma carteira de classe B, o que o forçou a sair da casa do tio para buscar as outras 5 insígnias restantes. É uma boa ideia para se escrever uma história, parabéns.

Aliás, eu achei interessante o lance das 6 insígnias. Não li o guia nem nada da fic então eu acabei presumindo que haviam apenas 6 insígnias para serem coletadas em Eyarn, o que pode ser muito bem explorado visto a quantidade de ginásios serem reduzidas, é uma boa iniciativa da sua parte. Outra coisa interessante é o fato de que o protagonista é um pescador, coisa rara de se ver por aqui. Só achei estranho o fato dele ter 17 anos e ainda não ter feito nada da vida, mas... Sua personagem, sua fic, suas regras Laughing

Ai, achei que o Munchlax iria entrar para o time do Natt. Acho ele um pokémon tão engraçado e irreverente (bem, considerando que eu tô lendo no meu tablet e comentando no meu computador enquanto leio posso estar falando besteira) que seria uma boa adição para o time do Natt. Terminei o capítulo ansioso para saber quem vai lutar contra o Lanturn (ah, uma coisa que eu queria salientar é que não achei muito legal ele já indo capturar um pokémon totalmente evoluído), mas enfim...

Amei o Totodile revoltadinho <3 Outro pokémon que eu também tenho muito carinho é o Totodile, eu amava o do Ash na época de Johto e sempre quis saber como ele seria se evoluísse, pena que isso nunca aconteceu Sad AI MEU DEUS O MUNCHLAX TÁ INDO ATRÁS DELES DOIS QUE LINDSSSSSSSSSSSSSSSS

Uma outra coisa que eu queria comentar e perguntar mesmo é se em Eyarn existem pokémons de todas as regiões. Existem? Acho que vi o nome de um pokémon da V geração mas como eu não sou muito fã daquela geração eu posso ter confundido com algum de Kalos eu acho, mas enfim... Se puder tirar essa dúvida agradeço (:

Nossa, fiquei espantado com o uso de um termo da biologia convertido para cá. Pokémon comensal, que legal. Remoraid pode ser considerado o comensal do Mantine uma vez que ele fica na aba do Mantine para poder comer os restos do pokémon arraia, maneira a ideia de transferir esse termo para cá.

TO PASSANDO MAL DE RIR, EU SABIA QUE ISSO IA ACONTECER COM O NATT! COITADOOOOO ELE QUERIA O PALPITOAD E CONSEGUIU MERO TYMPOLE E A CARA DO TOTODILE FOI A MELHOR, ADOREI <333

Vou parar por aqui, amanhã ou depois eu leio mais alguns capítulos e comento. Gostei bastante, espero que continue com o bom nível na fic, boa sorte!
avatar
Kirkos
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/08/2015


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Rush em Seg 19 Out 2015 - 10:11

- Ice! MAIS UM CAP! *u*

EU SABIA! Eu disse que eu sabia e tu também sabia que eu sabia. Eu não sabia se eu sabia, muito menos não sabia se você sabia que eu sabia, mas no fundo eu sabia. O nome da fic agora finalmente foi explicado e relacionado com o plot, o que me faz pensar novamente no Titan. Ainda acho que é um Blastoise, mesmo que com a descrição, o bicho se assemelha mais a um Volcanion (Afinal, ele tem dois "canhões" e sabe usar movimentos de Fogo e Água), mas como ele ainda não foi introduzido oficialmente - nem nos games e nenhuma outra mídia - acho que é bastante difícil ser o lendário.

Mas comentando o capítulo... Eu o achei bem curto, pra ser sincero. Talvez por ter se tratado de uma batalha, ele pareceu ter sido bem mais curto que os demais. E quem diria, um Swaddle (Não sei escrever o nome desse bicho) do tipo fogo? Achei irônico, já que ele leva dano x4 do elemento. Só faltou ser Fire/Flying pra completar. Eu honestamente não acho que foi uma mutação genética natural, pois assim como o nome "Project" no título, provavelmente deve ter sido um experimento.

Além do tipo, deu pra perceber que o bicho é bem forte né? Até na narração isso ficou evidente. Um Swaddle recém nascido aguentando uma batalha contra um Totodile de dois anos foi algo de se admirar, principalmente por ele ser de fogo e ter a desvantagem. Por ter usado golpes como String Shot, creio que ele manteve o tipo "Bug"?

Outra coisa que eu curti pra caramba, é que você deixou a entender que mesmo com o tipo diferente, a lagarta possui a mesma natureza que teria se não fossem um mutante. Tipo quando ele tentou comer as berries e não conseguiu. Agora penso se ele vai procurar um casaco de folhas como os outros de sua espécie ou se ele vai se adaptar rapidamente em ser um ser único nesse mundo.

Outra coisa que eu me surpreendi, foi a Carlie ter entrado no grupo. Pelo que deu a entender, tanto ela quanto Emma são temporárias - mesmo que eu imagine Natt conquistando o carinho de Emma e ela decidir ficar fixa no grupo -, mas eu achei que foi bastante rápido a inclusão da menina atrapalhada no grupo. Talvez por Emma não ter sido bem explorada ainda, mas acho que esse foi o objetivo né? Ela é a mais solitária e fechada entre os outros três. Irônicamente, Carlie teve o desenvolvido de seu jeito e personalidade mais chamativo que o de Emma, onde tive a impressão que conhecia a Carlie por mais tempo.

Pelo visto vai demorar para ter outra Gym Battle, o que me deixa triste já que você fez um ÓTIMO trabalho no primeiro gym. Mas mesmo assim, a história continua impecável e muito muito muito empolgante de se ler. Me apaixono cada vez mais por sua fic

É isso cara, fiquei feliz com o capítulo postado mais cedo. Espero que essas surpresas aconteçam mais vezes.

Um abraço cara, aguardo o próx cap!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por -Ice em Qui 22 Out 2015 - 16:40

Eae gente. Não tem muito o que falar, capítulo novo. Vamos aos

Comentários:
Kirkos: Hey, tudo bem? Que bom que a minha equipe está sempre aqui para quando as pessoas estiverem no tédio -q Brincadeiras a parte. espero que tenha gostado do que leu, Eyarn realmente foi muito difícil de se criar, mas eu não queria que a fic se passasse em uma Hoenn meio do futuro, mas no final acabou saindo um novo continente mesmo. E sim, são seis insígnias, porque eu não queria que a fanfic ficasse muito grande e, ao mesmo tempo, facilita o sistema de classes.

Na verdade eu nunca tinha parado pra pensar sobre o Natt já ter 17 e ser vagabundo Laughing Mas, bem, um sobrinho de gym leader tem que viver bem, o que já é uma desculpinha. Sobre o Munchlax, eu também acho ele um ótimo pokémon, com certeza um dos meus preferidos de todos os tempos, logo, mesmo que ele não entre pra equipe do Natt, fará algumas pontas, e isso vai ser bem... bem antes do esperado. Vou dar um spoiler aqui, não acho que seja um grande spoiler, como tem mais de 700 pokémon, mas o Natt em algum momento vai capturar um pokémon evoluído, não totalmente evoluído, mas em seu estágio do meio.

Eu também adoro o Totodile, porém eu sempre achei que o pokémon combinava mais com uma personalidade forte do que um pokémon alegre e dançante como o do Ash, mas de qualquer jeito ele é um dos iniciais mais carismáticos tirando o mítico Mudkip. Como eu disse, o Munchlax vai fazer suas pontas durante vários episódios (:

Se tem uma coisa que eu adoro, é a biologia, e essas relações entre espécies como mutualismo e comensalismo são algo que, pelo menos para mim, são algo que combinam muito com o mundo pokémon, e o Remoraid que você citou é um dos exemplos. Essa cena do Tympole foi tão boa de escrever, fico feliz em saber que você gostou  Laughing Enfim cara, muito obrigado por comentar, espero que se interesse pela história e continue lendo, até mais ^^

Rush: Hey o/ É, tu sabia, mas não sabia que sabia, mesmo eu sabendo que talvez não soubesse, mas, sabe de uma coisa? Talvez você ainda não saiba... MHUAHUAHUA É serio, eu coloquei várias pistas falsas durante a fic pra confundir a cabeça de vocês, existem também pistas verdadeiras que foram deixadas com o passar do tempo, mas tem várias falsas, então você pode ter uma teoria muito zica e se achar foda por isso, mas na verdade você só caiu na pista falsa. Desculpa -q Mas não se preocupe que o seu raciocínio tá legal, é só ter em mente que eu vou explodir cabeças com o final da temporada.

Na verdade não tem como ser um Volcanion, já que o titã é bípede, eu não sei se cheguei a citar na descrição, mas ele até já foi confundido com um humano e talz, e o Volcanion é quadrúpede, mas vai que né. Eu não costumo fazer capítulos compridos, nem quando eu tento, porque eu sempre tomo o máximo de cuidado para que ele comece e acabe no momento planejado, e, como eu não gosto de encher linguiça, eles geralmente não ficam muito longos, mas o intervalo entre capítulos é de 5 dias, dá pra dar o desconto =P Mas eu fiz o que eu queria, que foi preparar o chão pras revelações, e elas vão começar com o Sewaddle mesmo, o primeiro retype, só nos resta ver se é uma mutação natural, talvez algum lendário com poder para fazer isso ou uma interferência ou algo do tipo mesmo.

É, o Sewaddle perdeu o seu tipo grama (o casaco de folhas) mas manteve o seu tipo inseto (a aparência de lagarta), ganhando o tipo fogo no lugar de grass (o manto de fogo substituindo o casaco). Apesar de tudo isso, ele realmente age como se fosse normal, afinal ele ainda não viu nenhum outro da espécie e nem sabe que é diferente, fazendo com que o instinto faça ele agir como se fosse um inseto de grama, como ele acredita ser.

Sim, a Carlie entrou no grupo e foi realmente bem rápido, mesmo que vá ser temporário ao que tudo indica. Mesmo que Emma não esteja sendo bem desenvolvida, não achem que eu esqueci da personagem, pois isso é de propósito, já que a garota é a "anti-social" do grupo, e vai ter o seu momento de brilhar, mas, antes disso, ela tem que criar mais afinidade com os membros do grupo. Já a Carlie é o oposto, a garota atrapalhada e até inocente e alegre, fazendo a aceitarmos mais rápido e até nos identificar com ela, enquanto a Emma parece estar apagada.

Sobre a batalha de ginásio, não vou mentir, ela vai demorar um pouquinho mais do que o esperado, já que tem um evento muito grande para acontecer antes dela, mas não se preocupe que esse evento vai conseguir amenizar a espera pela segunda batalha, que eu diria que vai chegar ainda no meio de dezembro. Enfim, obrigado pelo comentário e espero que continue gostando, até mais ^^

Enfim gente, era pro capítulo ter sido postado há umas quatro horas, mas a energia de casa acabou um pouco depois de eu terminar de responder os comentários, e só voltou agora, então estou postando agora. Esse daqui vai ser o primeiro capítulo a ser dividido em duas partes, e não é nem porque em uma parte só ia ficar longo, e sim porque eu acho que o final dessa primeira parte vai deixar vocês ansiosos e assim mais animados para terça que vem, quando vai lançar a segunda parte. Não tem muito o que dizer, só ressaltar o que eu já disse pro Rush, que eu deixei várias pistas falsas sobre várias coisas, então vocês podem acreditar que sabem de algo mas na verdade só caíram em uma pista falsa (auehuaheua).

Uma sala escura era iluminada apenas por um objeto localizado extremamente no centro do cômodo. Era uma espécie de gema rosa extremamente redonda que exalava um brilho da mesma cor. A luz que essa joia produzia era algo surreal, como se o objeto fosse uma fonte infinita de energia da cor rosa na forma de uma pequena esfera. Em seu núcleo, algo negro que se parecia com uma lua minguante contrastava com o brilho.

Natt abriu os olhos, assustado.

Ainda era noite, provavelmente umas três da madrugada, e ele tinha tido o mesmo sonho outra vez. Há dois dias ele estava sonhando com a mesma sala escura, e a mesma pedra preciosa rosa colocada no meio dessa sala, e ele sempre acordava assustado, mesmo isso não sendo considerado bem um pesadelo.

Ele se levantou, bravo. Estava suando como um Pignite, mesmo estando uma noite muito fria. Dirigiu-se, então, ao lago que ficava uns dez metros do lugar onde estavam dormindo.

O que ele não esperava ver, entretanto, era Emma Nutwood, sentada olhando o seu próprio reflexo, cabisbaixa.

- Emma? - perguntou - O que você tá fazendo aqui a uma hora dessas?
- Eu sei me virar, Natt. - disse - Você está todo suado, teve outro pesadelo?

O pescador sentou-se ao lado da garota, pegando um pouco da água do lago e passando no rosto.

- Como você sabe?
- Eu não consigo dormir há algumas noites, e dá pra ver você se remexendo e falando sozinho.

Ele se sentiu envergonhado ao ouvir aquilo.

- Ah… E por que você não tá conseguindo dormir? Pesadelo?
- Não, eu só estou… preocupada.
- Com o quê? - perguntou o pescador.
- Não sei, eu estou me sentindo como se estivesse carregando nas costas algo pesado de mais para mim.
- Isso tem a ver com o seu avô?

Ela encolheu os ombros, ainda sem deixar de olhar para a água.

- Vai dormir, Natt. - disse - Não quero que fique como eu estou.

O garoto tentou dizer algo, mas não conseguiu pensar em nada, então voltou para o lugar onde estava e se deitou novamente, pensando que deveria ter ficado do lado dela. Porém, estava com muito sono, e não demorou para que conseguisse dormir novamente.



Capítulo dezessete:
O poder do Titã - Parte 1

Estavam todos exaustos, andando há umas duas horas sem parar, esperançosos que chegariam ainda naquele dia em Ciatteil. Porém, no meio do caminho Natt encontrou outro treinador, que convenceu o pescador de que, quando dois treinadores se olham nos olhos, eles têm que batalhar.

Aproveitando a deixa, os outros três decidiram parar para descançar um pouco, já devia ser onze horas da manhã, então Gray concordou em fazer um lanche, o que deixou Carlie bastante feliz, a garota tinha gostado muito da comida do cozinheiro, mesmo que tivesse quebrado um de seus pratos na última refeição.

- Uma batalha um contra um? - perguntou o treinador, confiante - Está bom para você, pescador?

Natt assentiu, igualmente confiante de que venceria.

- Lupin, eu escolho você!

O treinador jogou contra o chão uma pokébola, que se abriu, liberando com um raio de luz vermelho um pokémon quadrúpede cinza escuro, que Natt reconheceu como um Poochyena.

- Legal, então eu escolho você, Wings!

Ele esticou a mão para que seu pokémon entrasse na batalha, mas não teve nenhum sinal do pássaro. Meio constrangido, ele olhou para trás. Wings estava junto com Carlie, que mostrava para o pokémon um livro de ciências.

- Waddle! Waddle!

Natt olhou para frente novamente. No chão, uma pequena bola de fogo saltitante olhava para ele.

- Sewaddle? Você quer batalhar?

O inseto assentiu, confiante.

- Certo, então vamos lá!


~//~


Todos estavam sentados em um lugar com sombra no chão enquanto comiam a comida de Gray, que estava ótima, como sempre. Dos pokémon, apenas Wings, Prime e o Sewaddle estavam acordados.

- Eu nunca tinha visto esse pokémon. - disse o treinador, olhando para o Sewaddle, que estava esticado no chão, descansando após vencer a batalha para Natt.
- É um Sewaddle. - explicou Carlie - Mas esse aí é… especial.
- Um inseto de fogo é algo realmente raro de se ver. - o treinador colocou o dedo no meio das antenas do inseto, fazendo com que ele olhasse com uma cara de bravo.

Após ficar irritado, o fogo de Sewaddle subiu, fazendo com que o treinador pulasse para trás, assustado.

- Ele ainda não sabe controlar o próprio fogo. - disse Natt - Sempre quando está bravo, feliz, ou qualquer outra coisa, o fogo das costas dele aumenta, e aumenta bastante. Menos quando ele está neutro, que fica assim.

Ele apontou para o pokémon, que estava novamente esticado no chão, com o fogo de suas costas em um nível normal.

Natt sentiu um pingo de chuva cair na sua nuca, e então olhou para cima, o céu estava fechado, logo choveria bastante.

- Droga, é melhor procurarmos um abrigo para hoje. - disse Gray, esticando a mão para ver se cairia mais água.
- E é melhor eu ir indo. - disse o treinador, se levantando e pegando sua mochila - Tenho que chegar em Knothole logo, até mais e obrigado pela comida!

Ele saiu correndo em direção oposta aos outros quatro, que foram procurar um abrigo para a chuva. No meio do caminho, encontraram uma pequena caverna, e decidiram ficar lá até a chuva acabar.

Eles decidiram que não entrariam na caverna, apenas ficariam na entrada para não se molharem, e assim não se perderem. Logo, a chuva apertou, fazendo com que o céu de meio dia se transformasse em um céu cinza e chuvoso.

- Saiam. - disse Natt, tirando seus três pokémon da pokébola.
- Vocês também. - disse Gray, liberando os seus dois. Carlie fez o mesmo.

O pescador olhou para Emma. Ela estava com olheiras profundas, resultado da privação de sono.

- Ei. - disse ele, puxando assunto - Você não tem nenhum pokémon?
- Na verdade eu tenho um. - disse ela - Mas ele é meio tímido, não gota de sair da pokébola.
- Você tem um pokémon? Mostra pra gente! - disse Carlie, estragando o clima que Natt estava tentando construir.
- Vai, Emma, você nunca tirou ele da pokébola nesses dias que está andando com a gente, ele vai gostar de respirar um pouco. - disse Gray.

A garota corou e, se sentindo pressionada pelos outros três, pegou do bolso de sua blusa uma pokébola, apertando um botão no centro do objeto que o fez se abrir, liberando um pequeno pokémon. Ele era roxo e redondo, tinha orelhas de coelho amarelas nas pontas e olhos que se pareciam com pequenas estrelas, era um Whismur.

- Na verdade ele sai sim da pokébola, mas só de noite, então vocês não o vêem.
- Cumprimentem o novo amigo de vocês. - disse Natt, antes de perceber que os seus pokémon não estavam na caverna.

Mikau, Wings e Muddy estavam na chuva, brincando e jogando água uns nos outros. Leaf, o Nuzleaf de Gray olhou para os parceiros se divertindo, e correu para brincar na chuva também, alegre. Sewaddle, que estava esticado no chão, gostou da brincadeira e decidiu entrar, soltando um fio de seda no teto da caverna e pegando impulso para ir para fora também.

- Você não! - disse Carlie, segurando o pokémon a tempo - Sewaddle, você é de fogo, não pode ir brincar na chuva assim!

O inseto se esticou no chão novamente, triste. Cindy se sentou perto do pokémon, consolando-o, afinal, sofria do mesmo problema.

Natt aproveitou o momento para se deitar um pouco. Não tinha dormido muito essa noite, o seu pesadelo consumira metade de sua noite, e, por isso, ao deitar-se no chão duro da caverna, não demorou muito para ele conseguir dormir.


~//~


- Toto! Toto!
- Ei, Mikau, para.

O Totodile pulava em cima de seu treinador, gritando o seu nome e mexendo em seu rosto, mas Natt apenas empurrava o pokémon para longe, estava com muito sono para se levantar agora. Ele se virou para o lado, mas foi atingido por um jato de água e se levantou, assustado.

- Mikau, o que foi? - disse o pescador, ao se levantar. O seu pokémon apontava para fora da caverna.

Ainda chovia forte, e já devia ser de madrugada, e todos os outros também estava dormindo na caverna, juntos aos seus pokémon. Lá fora, um cara bem grande estava parado na chuva, sem se mexer mesmo com a água gelada escorrendo pelo seu corpo. Não era possível ver nada dele pois ele usava um manto grande que o cobria.

- Ei! - gritou Natt, fazendo com que sua voz ecoasse por toda a caverna.
- Natt, o que foi? - Gray se levantou, coçando os olhos.
- Tem alguém parado lá fora.

O cozinheiro se levantou, olhando para fora da caverna com os olhos semicerrados, tentando ver a pessoa que estava do lado de fora.

- Natt… - ele mexeu no bolso, tirando um pedaço de papel amassado e entregando-o ao pescador - Isso é…

O treinador desdobrou o papel para ver o que ele tinha, era um desenho de uma criatura grande coberta com uma capa, com o título “Titã de Água”.

Ele olhou para fora, a criatura parecia estar gostando de ter a água gelada da chuva entrando em contato com sua pele, como se aquilo o deixasse mais forte, ou até mais calmo.

- Gray… Esse é o titã de água de Konshe…

Com passos pesados, a criatura se virou para trás, olhando para a caverna.

- Droga, Natt, pega o celular! - gritou o cozinheiro, indo em direção às duas garotas no chão para acordá-las.
- Por que? - perguntou o pescador, em pânico, ao ver que a criatura vinha lentamente em sua direção.
- Só pega!

Ele revirou o bolso, assustado, pegando o seu celular vermelho. Desesperadamente, ele tentou abrir o aplicativo pokédex, mas seu dedo estava tremendo e suado. O pokémon esticou o seu braço esquerdo, e foi possível ver a ponta de um canhão saindo de baixo da capa.

- Merda! Muddy, Mud Bomb!

O girino subiu na cabeça de seu treinador, cuspindo uma bola de lama e a rebatendo com a cauda em direção ao titã. O ataque conseguiu acertar com perfeição o canhão da criatura, tapando-o.

- Carlie, Emma, levantem! - gritou Gray, balançando as garotas, que estavam deitadas no chão - Natt, enrole ele!

O pescador virou o seu boné para trás, e foi correndo em direção ao titã enquanto ele tentava limpar o seu canhão, lhe empurrando com o ombro na direção do seu abdômen, mas ele nem sequer se mexeu.

Mesmo com o ombro possivelmente quebrado, Natt continuou correndo, saindo da caverna junto com Muddy, Mikau e Wings. Irritado, o titã de água o seguiu, dando tempo para que Gray conseguisse acordar Emma e Carlie.

- Mikau, Bite, Muddy, Mud Bomb, Wings, Wing Attack!

O crocodilo pulou em direção ao oponente, seus dentes cresciam e adquiriam uma tonalidade escura, ele pisava no canhão do titã, e o mordia na cabeça. A criatura não conseguia revidar, pois era atingido no peito por uma bola de lama arremessada por Muddy, e logo depois recebia, também no peito, um corte em formato de X feito pelas duas asas de Wings.

Talvez a criatura conseguisse facilmente resistir a todos os golpes, mas, com os três executados ao mesmo tempo, ele cambaleou para trás, caindo de joelho. Isso deu tempo para que Natt desbloqueasse o seu celular e abrisse a pokédex.

Ele apontou a câmera para o titã e viu, pela tela do celular, a criatura levantando o seu canhão em sua direção. O reconhecimento de imagem ainda não estava completo, mas Natt teve que saltar para o lado, conseguindo desviar, por pouco, de uma rajada de água lançada pelo canhão do titã.

Ao cair no chão, ele acertou uma área íngreme e deslizou até a parte mais baixa da rota, machucando os seus dois braços e uma das pernas no processo. Seus pokémon desceram juntos, preocupados, mas ficaram bem.

- Voltem. - disse Natt, retornando os três à pokébola. A parte superior do seu lábio e o seu supercílio estavam cortados e sangrando violentamente, fazendo com que ele engolisse sangue e, ao mesmo tempo, não conseguindo enxergar direito pelo tanto que escorria de sua sobrancelha ao seu olho direito. Ele tentou se levantar, mas cambaleou e caiu novamente.

Lentamente, o titã descia a colina que Natt tinha caído, com o canhão do braço para fora da capa. Ao descer, a criatura se posicionou na frente do pescador.

- Minha vez. - disse uma voz grossa sob a capa.

O garoto se assustou ao ouvir a criatura falar, mas não esboçou nenhuma reação, fechando os olhos em poder fazer nada. Ele aguardava uma rajada de água com força o suficiente para matá-lo ou desmaiá-o, mas tudo o que ele sentiu foi pequenos bracinhos o empurrando para o lado.

Ele caiu no chão, longe de onde estava, então abriu os olhos. Ao seu lado, alguém o arrumava no chão, colocando-o deitado, enquanto o titã tinha errado a rajada de água, acertando o chão no lugar onde Natt estava. Na área em que o ataque de água acertou, as gramas estavam chamuscadas, algumas ainda pegando fogo antes que a água da chuva as apagasse.

- Scald... - disse o pescador, reconhecendo o golpe. Se a água tivesse o acertado, ele morreria cozido. Ele limpou o sangue que tinha caído em seus olhos, conseguindo ver direito quem o salvara.
- Munch! - disse o pokémon, se colocando entre Natt e o titã de água.

Enfim, que capítulo foda de se escrever, não tenho nada pra falar, só que a parte dois vem aí, na próxima terça feira, não percam Pokémon Project Retype!
avatar
-Ice
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/02/2010

Frase pessoal : </∆>


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon Project Retype

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum