Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Astral Zero

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

Re: Astral Zero

Mensagem por DarkZoroark em Seg 9 Mar 2015 - 1:09

Boa noite, caros leitores de Fanfics.
Este capítulo, bem como os últimos dois, teve um atraso no período de entrega. Era para ter saído sexta, mas acabei tendo alguns compromissos na faculdade e fora dela, o que acabou atrasando-o para hoje. Antes de irmos aos comentários e ao capítulo, agradeço de antemão pelo incrível feedback que vocês vem dado a este projeto. Quase fiquei vesgo quando vi o tanto de gente que vem acompanhando a história. Sério, isso me deixa realmente muito motivado para prosseguir com a mesma. Bem... Isso dito, vamos ao bate-papo com os leitores:


@Weird von Gentleman escreveu:Olá, Zoroark! Tudo bem?

Em primeiro lugar vou ser sincero: eu não faço a mínima ideia que estilos são aqueles que tu fazes referência no main post. Mas uma coisa é certa, tu escreves muito bem. Tão bem, que até te dás ao luxo de deixar as descrições físicas das personagens na penumbra, deixando o leitor fazer delas o que quiser. Para mim, um bom autor tem de ter a ousadia suficiente para se atrever a inovar e a inteligência suficiente para não falhar. Mas tu consegues fazê-lo muito bem e vê-se que é este o estilo que mais se identifica contigo. 

Depois, claro, há que falar nos aspetos gerais. A ortografia e a gramática estão sob jurisdição do teu processador de texto, portanto resta falar da estrutura e da narração em si. Quanto à estrutura, tens um erro que nem sempre é considerado, mas que, na minha opinião, já que tens uma FF tão bem organizada, devias corrigir. Um prólogo deve estar posicionado antes dos volumes começarem, a menos que sejam livros e não volumes. É o prólogo que dá o moto da história e os volumes são as caixas onde vais enfiar as suas ações especificas. Não faz sentido estar a enfiar o moto geral, dentro de uma caixa especifica, percebes? Mas isso fica a teu critério, claro!

Em termos do que é bom, ou seja, da história em si, está minada de muita ação e suspense, tendo já um caráter avant-garde de realismo. Os danos que as personagens sofrem, a cena do ataque dos Mismagius, são tudo cenas em que nos enfias agulhas na pele e dizes "Isto, meus caros, é o que se sente quando a nossa energia é sugada." - Dá para perceber e para sentir na perfeição o que está a acontecer. 
Em termos de personagens, têm todos uma costela do seu Adão. Só sinto falta de um vilãozinho a germinar ou algo mais para apimentar, mas também ainda só postaste dois capítulos.

Resumindo e baralhando: fazes parte de uma classe de escritores de FF em ascensão. Até agora gostei muito do teu trabalho e espero (muito!) que não desmotives e leves isto até ao fim, porque merece ser levado. Até porque, com isto completo, acho que a aliança com um desenhista ia resultar em algo muito interessante, mesmo. 

Se algum dia estiveres interessado, gostaria muito de trabalhar contigo, pois o teu trabalho é excelente e também possuo uma veia thriller/psicopata, como poderás ver na minha FF. 

Um abraço e boa sorte,
Weird  cheers

Gentleman o/
Antes de qualquer outra coisa, deixe-me agradecê-lo pelos elogios. Light-novel e Visual-novel são estilos respectivamente de livros e jogos. Além da própria história, eles tem um enfoque maior no emocional dos personagens e no impacto de suas decisões, além, é claro, de deixar no ar sempre um toque de romance. Quanto ao fato de o prólogo ser à parte de um volume, devo admitir que não sabia. Irei alterar o menu principal após postar este capítulo. A falta de vilões... Bem, por enquanto não haverá um vilão no sentido literal da palavra. Na realidade, a primeira "antagonista" - não sei se é bem o termo certo quando analiso seu papel na história - irá aparecer somente no final deste primeiro volume. Olha, estou sempre disposto a fazer uma parceria com um bom escritor. A gente pode conversar melhor sobre isso por MP. Por enquanto, espero que gostes deste capítulo.


@Black~ escreveu:Bom, vamos lá.

Esse capítulo foi bem interessante. Finalmente mostrou do que de fato se trata a história, além de ter apresentado os nossos dois protagonistas. Bem, mesmo explicando tudo direitinho do que é a história, você também deixou vários mistérios a apresentar para os próximos capítulos, isso é bacana.

O tema da história me agradou bastante. Todo esse negócio de magia, esses nomes estranhos (que eu to com preguiça de procurar -q). Então talvez isso explique o fato de que os treinadores sofram o golpe junto dos pokémons, pelo fato de serem uma espécie de "bruxos".

Pelo visto, o clima pintou entre os dois protagonistas. Bem, acredito que seja inevitável que haja sempre esse romance entre os protagonistas. Mas eu gostei de você ter feito esse amor no maior estilo "a dama e o vagabundo", por mais que seja clichê, em fics é realmente difícil de ver.

Esse Taiyou é bem estranho. O que será que ele fez de tão grave assim no seu passado? Algo que ele queira esconder tanto assim? Mas, ao que parece, ele contou para a Rathy, mas, como você pulou a parte das falas, então não sei huahauha. Bem, gostaria de saber mais sobre essa Ariel, que me pareceu ser bem misteriosa.

Bem, a Rathy pareceu ser uma personagem interessante, ela parece ser uma menina bem importante mesmo, parente do governante citado. Ela tem todo esse jeito de princesa, de menina que fica dentro de uma torre protegida do mundo -q. Bem, mas vamos ver como vai ser o desenvolvimento dela com o Taiyou.

Coitado do Taiyou, parece que o menino vai sofrer bastante danos após esse ataque do Flareon da amiga da Rathy. Ou talvez a Rathy acorde e explique tudo, sei lá. Mas, sei lá, não acho que ele vá levar o golpe e morrer -q. Uma coisa que achei interessante foi o fato de a amiga da Rathy ter o Flareon, será que tem algum tipo de "grupo" com todas as eeveelutions? Mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.

Black~ o/
Na realidade, esse clima de mistérios e suspense é algo que eu pretendo manter por muito tempo. Gostaria de mantê-lo por toda a história, mas para ter-se um desfecho decisivo é necessário que ao menos a maior parte esteja sanada. A bem verdade, desde a época em que eu escrevia a história da minha Fanfic de jornada eu já pensava em fazer os treinadores interagirem mais nos combates e não serem apenas observadores. O jeito que achei de realizar isso foi através de elementos de magia. Realmente, é difícil encontrar um romance onde as classes sociais possuem uma interferência no mesmo. O passado do Taiyou vai ser bem intrigante e, talvez, um pouco clichê. Aí fica com os leitores para decidirem. Quanto a Ariel, fica meio chato ter de desapontar mas ela irá aparecer apenas no próximo capítulo. Para o desenvolvimento da Rathy eu me baseei bastante na Sansa Stark dos livros. Nada contra a série, mas ela é bem menos "princesinha" na televisão. O meu plano original para a história era focar nas Eeveelutions, mas conforme fui criando as bases para a mesma acabei por descartar esta ideia. Mantive um pouco da essência, entretanto. Espero que gostes deste capítulo.


@Platinum Slytherin escreveu:Olha, eu não sou bom com comentários longos, tenho o péssimo hábito da síntese. Depois de deixar isso claro, quero te falar que estou começando a ser sugado pelo o universo que você criou, que aguardo ansiosamente o próximo capítulo e que quero saber mais sobre a Ariel.
Sobre sua escrita? Impecável.

Platinum o/
Olha, eu particularmente não me importo muito se os comentários são longos ou curtos. Contanto que não te importes que a resposta ao mesmo seja relativamente curta, então não há problemas. Agradeço-lhe pelos seus elogios. A Ariel em si não irá aparecer neste capítulo, mas seu Pokémon irá. Então, espero que goste do mesmo.


@Alice Le'Hills escreveu:Hey!

Demorei um pouco pra comentar pois, como o capítulo foi grande, eu precisei de um pouco mais de tempo pra ler, mas enfim, cá estou para comentar. E, primeiramente, devo dizer que estou amando a história!

Bem, foi um capítulo interessante e que, finalmente, nos revelou algumas coisas sobre os protagonistas. Gostei do fato da Rathy ser uma dama da alta sociedade, pois, caso ela se envolva com o garoto (aliás, pintou um clima legal entre eles), os conflitos que essa relação pode gerar são bem interessantes. O passado do Taiyou é bem misterioso... me pergunto o que aconteceu com sua família.

Sobre a história em si, achei bem original o fato dos treinadores sofrerem dano junto de seus Pokémon. Gostei também do fato deles serem bruxos e conjurarem feitiços. Não sei se é realmente isso, mas eu me arrisco a dizer que a história se passa num mundo Pokémon medieval, bem antes dele se tornar o mundo como conhecemos hoje (com ginásios, ligas e tudo mais).

Confesso que esse capítulo foi primordial para aflorar meu entusiasmo e minha curiosidade pela história. Aguardo ansiosamente pelo próximo capítulo. See ya!

Alice o/
Não precisa ter pressa para vir comentar - eu seria um hipócrita se dissesse outra coisa ^^'. Fico feliz em saber que estás gostando desta história. Devo admitir que não havia pensado muito nos conflitos que podem vir a ocorrer com uma possível futura relação - se eu não deixar tudo no hipotético é capaz que hajam pessoas já confirmando o par antes de qualquer coisa concretizada - mas vou prestar atenção a isso. Agradeço-a por isso. Quanto ao passado do Taiyou... Eu até revelaria se não fosse spoiler, fora que um pouco de mistério é sempre bom para manter as pessoas ligadas ao enredo. Acertasse quanto ao mundo medieval, embora não vá puxar as paisagens sombrias e castelos exorbitantes que normalmente são encontrados nesta. Vou procurar criar uma variedade de paisagens diferentes e que imagino que irão deixar aos leitores bem satisfeitos. Espero que gostes deste capítulo.


@xKai escreveu:
Finalmente terminei d ler este capítulo -q Uff, foi bem grande! Ou talvez tenha parecido ser grande por eu ter sido interrompido inúmeras vezes enquanto estava lendo -q  Bem, isso que da fazer este tipo de coisa no trabalho.

Só "acho" que ta rolando alguma coisa, já, entre essa duplinha aí, não sei porque... Enfim, é bem interessante este tipo de romance, em que os amados se amam indiretamente, com frases desnecessárias, olhares envergonhados, é o que chamamos de atração, imagino.

Ação só teve no fim do capítulo quando essa louca aí dos infernos apareceu, que mulher impulsiva, nem deixa os outros respirarem... Odeio quando me perguntam algo e em seguida me pedem para calar a boca, agora que perguntou tem que escutar, não é? -q Mas o protagonista me parece um pouco cauteloso demais, teria ele medo de enfrentar mulheres?

Ainda estou meio perdido com todos estes nomes estranhos, mas com o tempo devo me acostumar a eles, acho que não tem muita coisa para comentar neste capítulo, tirando o fato de que como todos os anteriores, curti bastante. Sua narração, como sempre, bem fluente, a gente parece saber tudo o que se passa na cabeça dos personagens enquanto estamos lendo a história. Até o próximo capítulo man, e boa sorte com a fanfic.

xKai o/
Na realidade, não acho que os capítulos sejam tão longos assim... Se comparados a minha Fanfic de outrora. Estou tentando manter uma base de 5-6 páginas por capítulo, e até o momento tenho conseguido tal feito. Na verdade, essas reações foram mais para criar um clima de "comédia romântica" e puxar pro velho clichê das light-novels: um protagonista que acaba nas piores situações devido à mal-entendidos. Na realidade não é bem medo de enfrentar mulheres. Tem uma razão para esta "reserva", digamos, que será revelada nos próximos capítulos. Obrigado pelos elogios. Espero que gostes deste capítulo.


@togekisses escreveu:
Hey, DarkZoroark! Aqui estou eu pela segunda vez e , pra começar, quero dizer mais uma vez o quanto a sua escrita é bela!

Nesse capítulo, você permitiu aos leitores conhecer um pouquinho mais do mundo onde se passa a trama, apresentando conceitos como os dos Astralis, por exemplo, mesmo que tenha sido tudo muito vago, mas já deu pra me deixar muito envolvido. Um outro detalhe que eu adorei na fanfic é o fato de cada Viralt estar relacionada com o companheiro Pokémon do personagem, o que me faz pensar se acontece o mesmo com a Liguria (já pensei em vários Pokémons). Ah, e tem também esse negócio de que não existem muitos Astralis do sexo masculino. Pois é, não sei se foi falta de atenção minha, mas você não disse o porquê disso.

E falando agora sobre o mundo onde a estória acontece, vi todo um aspecto medieval inserido e aí fiquei pensando se você não se deixou levar um pouco pelo clima da geração atual de Pokémon (apesar de Kalos ser pura propaganda enganosa). A verdade é que eu não gosto muito desse tipo de cenário que costuma monopolizar tudo quanto é de ficção, incluindo light novels; isto é, uma terra com florestas frias, escuras, com castelos, Europa, feno, fazendas, campos de lavanda, Eternia, etc.  Mas essa birra só ficou forte de novo recentemente por causa de OR/AS que me deixaram apaixonado pelas paisagens equatoriais.

Quanto aos personagens, só posso dizer o quanto você os escreve bem. As cenas de interação com os dois protagonistas foi toda arquitetada de maneira brilhante e realista, as ações, os pensamentos deles, foi tudo muito bom. E ponto pra você por não esquecer dos Pokémons também, aliás, eles têm personalidades a serem mostradas. Pra finalizar, digo que nem me incomodei com a mistura de nomes, porque eu achava que era simplesmente algo de seu gosto, isso de misturar culturas e tal. Mas então, gostei do capítulo e espero muito ansioso pelo próximo. Até mais e boa sorte!  

togekisses o/
Primeiramente, obrigado pelos elogios. Isso de as Viralts serem em sua maior parte relacionadas ao tipo do parceiro é uma medida preventiva para que não hajam combinações impossivelmente estuprantes. Claro que irão haver desafios e situações difíceis pela frente, mas tentei evitar caos em que ao menos um mínimo de reação seja impossível.  A Liguria segue o mesmo padrão. Na realidade, eu pus no capítulo que isso ainda era motivo de estudos dentro do universo da história. Foi uma explicação meio vaga, mas é para seguir um pouco mais a linha das light-novels, onde a maioria dos personagens é do sexo feminino. Na realidade nem pensei muito em Kalos, e tão pouco irei prender-me no clássico ambiente medieval. Também não sou fã de áreas excessivamente escuras. Haverão alguns ambientes bem diferente dos habituais, como praias, por exemplo. Na realidade foi um tanto complicado encontrar as linhas de diálogo certas para a interação de ambos, então fico feliz que tenha-o agradado. Creio que seria um tanto petulante deixar de fora o Pokémons visto que a Fanfic é sobre este tema. Sim, sou um pouco contra Pokémons que não tenham um mínimo de personalidade. Espero que gostes deste capítulo.


@Rush escreveu:DZZZZ, desculpa a demora!


Adorei esse capítulo, como esperado. Sua narração é muito boa, e como eu já te disse, chega a ser até invejável. Eu amei o Taiyou e a Rathy, de verdade. Acho que tu fez um ótimo trabalho os desenvolvendo no capítulo. Simplesmente amei o jeito de ambos, e nem preciso dizer que os shippei, né? Taythy<3 Também gostei da personalidade do Zoroark e do Glaceon. Eu ri quando o Glaceon suspirou após Taiyou perguntar sobre se ele havia tido aventuras com Rathy.

Eu só achei que esse ataque foi bem inesperado. Quer dizer, essa menina poderia ter machucado a Rathy também durante o ataque, não? Eu até entendo ela ficar preocupada com a garota sendo carregada por um total estranho, mas isso não deixa de ter sido bem estúpido, atacar sem ao menos tentar reconhecer o que aconteceu.

Vamos ver se o Zoroark vai ter piedade da menina, né? AUEHUAE'

Eu adorei o capítulo. Como você deve saber, eu amo "sobrevivência", então eu adorei o trecho em que eles acampavam na floresta. Sei lá, me sinto muito confortável lendo isso, e o conforto aumentou muito com a sua escrita perfeita.

É isso cara, eu aguardo ansiosamente o próximo capítulo!

Abraço, té mais!

Rush o/
Que demora que nada. Não precisa se preoucpar com isso - afinal, eu também levo um tempo considerável para comentar a história dos outros ^^'. Obrigado pelos elogios. Demorou um pouco para criar ambos, mas fico feliz que o resultado tenha lhe agradado. Creio que esse seja o shipp mais rápido que já vi em uma história, mas curti. Não esperava que fosse haver um tão cedo, mas é legal ver que ambos os personagens conquistaram fãs. Esse suspiro foi mesmo para gerar um efeito cômico. Fico feliz que tenha funcionado. Esse ataque segue o conceito psicológico de que na raiva as pessoas em geral - para não dizer sempre - tomam decisões precipitadas. Olha... Piedade não é uma palavra costumeiramente empregada no vocabulário do Zoroark. Bom, trechos com sobrevivência vão se tornar um pouco escassos por hora, mas mais para frente serão abordados com muito mais intensidade. Espero que gostes deste capítulo.


@Hyurem escreveu:E aí, DZ? Lembra de mim, cara? o/

Estava vagando pelo fórum como fazia antigamente e "trombei" com o tópico dessa sua nova fan fic. Me interessei muito logo na leitura do prólogo. Achei interessante a ideia da batalha conjunta entre treinadores, ou parceiros, e Pokémons. Essa cena inicial me causou a estranha sensação de que estava vendo o Kirito de SAO lutando na pele de Liguria Aquallir, considerando o uso de duas espadas, os cálculos que ela fazia, a maneira com que se movia e a música que você incluiu no combate. Coincidência?
O primeiro capítulo foi mais calmo, com a exceção do Zoroark despedaçando as Mismagius. É um Pokémon incrivelmente forte, não sei se bem treinado pelo Taiyou ou só calejado pelas batalhas contra outros monstros selvagens quando ainda não tinha o garoto como companheiro... Enfim, creio que você deixará isso claro em algum momento.
O segundo capítulo inteiro parece que foi uma maneira de adicionar mais mistérios à história. principalmente em relação ao Taiyou. Ele aparentemente sofreu muito e é praticamente sozinho no mundo, uma ideia bem comum de protagonista. Não que isso seja ruim, tenho certeza que você já tem montada uma excelente históira para esse personagem.
Em relação à Rathy, não sei bem o que dizer. Parece-me uma menina protegida por Arceus e pelo mundo, mas que não é mimada como seria de se esperar de alguém assim. O Glaceon parece de certo modo um familiar para ela, assim como o Flareon para a garota neurótica que, deuses, atacou o garoto que estava carregando uma amiga nas costas com um chicote flamejante, mas enfim... Obviamente, esses Pokémons não foram invocados como familiares, mas definitivamente eles tem alguma ligação com o "tipo" de magia que os companheiros utilizam.

Eu gosto da aproximação do universo Pokémon com outras coisas comuns a leitores ou fãs de filmes, como a realidade de ferimentos sangrando e realmente incapacitando os personagens e também a magia. São opções que dão muito mais liberdade e credibilidade pra história (em relação aos ferimentos) que o de uma fan fic clichê. E acho que algum romance não pode faltar em história alguma.
Sua narração e descrição estão ótimas, consigo imaginar perfeitamente cada cena e personagem. Tenho a impressão de que vi alguns erros, mas creio que nem valha a pena citá-los porque são minúsculos (e também estou com preguiça de procurar).

Bom, é isso. Não pare com essa história, quero muito conhecer os personagens e esse universo que você criou.
Até mais issoai

Hyurem o/
Claro que me lembro de ti cara. Fico feliz em vê-lo novamente aqui pela área. Na realidade eu baseei um pouco a luta da Liguria no combate entre o Kirito e o Hearthcliff - espero ter escrito corretamente este segundo. A aparência do Taiyou também teve uma pequena inspiração nele. Na realidade o caso do Zoroark é um tanto quanto complicado... Pode-se dizer que sua força venha de um misto de treinamento e experiências passadas. É... apesar de não escapar muito do clichê inicialmente, a história do Taiyou será bem interessante. Quanto a Rathy, tem um motivo - sempre há - para que, apesar de sua criação e tudo mais, ela não seja mimada como se espera. Só agora que falaste é que eu percebi que os Pokémons estão próximos do conceito de um familiar. Parando para pensar, em boa parte o papel deles seria bem similar. Fico feliz que estejas gostando desta aproximação da realidade. Quanto a algum romance... Bem, eu particularmente vou manter-me calado quanto a esse assunto. Espero que gostes deste novo capítulo.


@Wolfing-£-Hiruma escreveu:Tudo bem DarkZoroark? Hiruma e Wolfing aqui! \o/

Já que está já no segundo capítulo vou falar primeiro do prólogo e do geral em si. Gostei muito do prólogo, poucos detalhes sobre a identidade dos personagens envolvidos e uma boa descrição dos pokémons... acredito que o pokemon que perdeu era um Rhyperior, mas talvez eu esteja errado. Essa fanfic é como Light Novel mesmo? Então deixa eu ver sobre isso... romance, drama com mistério, um protagonista que vai ser cercado de mulheres(harém) e algo envolvendo magia. E pelo que li até agora no segundo capítulo, acertei alguns só que não tenho certeza sobre o harém já que apareceu só duas garotas e nem tem interesse amoroso ainda, mas dou um palpite pelos exemplos de LN (Light Novels) que você deu lá em cima.

O primeiro capítulo me surpreendeu muito. Sua forma de escrever é MUITO boa, mas claro que sempre pode melhorar, e se você escrevesse um livro eu e o Wolfing iriamos comprar com toda certeza. A ideia de pokémons e treinadores lutarem lado a lado eu já tinha vistos em outras fanfics - mais especificamente nas do Nyah! ou do SS, talvez até do Fanfiction.net - mas não com tanta qualidade como a sua até agora. Como eu queria que os escritores desses sites brasileiros e portugueses tivesse uns 30% do seu jeito de escrita(sem desmerecer eles e tal, mas alguns realmente eu tenho até receio de ler)

Voltando a fanfic, esse Taiyou parece mais aquele principal que é gentil e carinhoso sendo sempre posto em situações que as pessoas julgam sem saber, principalmente se forem meio eróticas... eu sempre prefiro aquele tipo de personagem como o Zoroark: frio, rude e direto. Mas o Taiyou também é bem legal e gostei do jeito que ele é trabalhado. E sobre a batalha contra as, ou os vai saber, Mismaguius as descrições do sataques foram bem complexas e detalhadas que eu gosto muito, mas que eu não tenho capacidade pra fazer, e ataques igualmente bem descritos.

Essa loira parece aquelas garotas que engana os sentimentos, ao menos do jeito que vi. A do chicote me lembrou muito a uma personagem que esqueci o nome mas é do anime Seirei Tsuka no Blade Dance(ou algo assim), você conhece?

Flareon! Coisa fofa e linda, adoro você *-* - isso foi o Wolfing que escreveu...

Parecem que nessa escola acho que só pessoas da realeza podem entrar, ao menos pela surpresa da loira, e que, por ser Light Novel vou dar um chute, a maior parte é feminina de acordo com o Tavalt, Tavalin, Tival... ah, não sei esqueci o nome que você botou e tô com preguiça de reler -q

Eu estarei esperando o próximo, bye bye DarkZoroark!

W&H o/
Primeiramente, agradeço-os pelos elogios. Realmente o Pokémon daquele momento era um Rhyperior. É... não estás errado quanto ao principal da história, embora eu próprio não esteja certo quanto a adicionar harém. Nunca foi o motivo para eu ler/assistir esse tipo de história/anime. Ainda tenho de ver quanto a isso. Na realidade, essa falta de descrição não se restringe apenas a brasileiros - várias fanfics em inglês mesmo chegam a ser ridiculamente ruins. Dá até uma apreensão procurar um material para ler nestes sites, sobretudo a Fanfiction.net. Olha, quanto ao Taiyou ser gentil e carinhoso é um fato. Contudo, "até mesmo as rosas tem seus espinhos". O Zoroark eu puxei muito a personalidade para se assimilar a de um adolescente rebelde, apenas um pouco mais obediente. Para fazer a descrição dos movimentos, eu geralmente busco algum vídeo no youtube em que o mesmo apareça e tento passar a melhor descrição do mesmo. É um pouco trabalhoso mas, compensa. Realmente me baseei um pouco na Claire para fazer a garota do chicote. Acho ela um personagem um tanto quanto interessante. De fato a maioria das personagens da história irá ser feminina, mas tentarei dar um bom espaço aos personagens masculinos. Esse é um ponto que acho meio chato nas light-novels; focarem-se em apenas um personagem masculino, quase não citando outros. Vou fazer um pouco diferente aqui. Espero que gostem deste novo capítulo.


@Killer123 escreveu:Hello!

Esse capítulo foi bem interessante, muito bem escrito, claro não poderia esperar menos de você. Apesar de termos tido a explicação do ataque das Mismagius, ainda é algo bem estranho e estou ficando bem curioso para saber o motivo.

Essas garotas da alta classe eim...meu Deus, já vejo que nosso querido protagonista se meteu em uma confusão, espero que ao menos essas adolescentes aprendam o que realmente é ser pervertido AHUSUAHUA.

Acho que houve uma conversa entre os dois, mas você não colocou no capítulo apenas para poder revelar mais disso mais tarde ou deixar nós curiosos. Quanto aos nomes estranhos só notei depois de um tempo, sobre o 1° nome do protagonista ser japonês e o seu sobrenome ser de origem Europeia, acho que não vai importar muito, eu mesmo achei que os dois nomes eram de origem japonesa.

Bom é só isso
boa sorte!

Killer o/
Antes de qualquer outra coisa, obrigado pelos elogios. O motivo do ataque e do tamanho anormal do grupo será revelado mais para frente na história. Na realidade esse tipo de confusão é bem para causar um clima cômico na história ao estilo das light-novels - protagonista que se mete em situações embaraçosas e acaba pagando o pato por isso. Considerando que são garotas de alta classe e tem pouca exposição à coisas normais... Bem, acho que passei a ideia. Na realidade a conversa entre os dois foi só de assuntos triviais, nada de tão importante. Espero que gostes deste capítulo.


-------------------------------------------------------------------------------
Deixo-os agora com este novo capítulo:

Capítulo III - Flames and Illusions

Saltou para o lado bem a tempo de desviar do golpe. Um tanto desajeitado, contudo; o sobrepeso por estar carregando Rathy deixava-o em uma situação delicada. Sem um alvo a sua frente, a arma bateu de encontro ao chão. No mesmo instante a vegetação ao seu redor fora completamente incinerada. Se aquilo o atingisse ter sua reputação destruída seria o menor de seus problemas. Trazendo o objeto para junto de si mais uma vez a moça encarou-o, ligeiramente mais calma.

– Você até que tem reflexos impressionantes para desviar da Feuerengue com tanta facilidade. – Reconheceu. Apertou com mais força o cabo do chicote, o que por sua vez aumentou a intensidade das chamas. – Mas vamos ver como desvia disso!

Uma chuva de novos ataques irrompeu em sua direção. Esquivar não era um problema; mesmo que com uma velocidade aumentada ainda era possível ver a trajetória das investidas. E também...  Parecia-lhe que a moça mudava ligeiramente seu ponto alvo no último instante com medo de ferir a loira. Em instantes o solo fora preenchido por uma série de marcas negras como carvão. Se continuassem assim o confronto duraria até que cometesse um descuido ou que a energia dela fosse exaurida. Os três Pokémons apenas observavam a cena com desinteresse, muito embora soubesse que Zoroark entraria sem hesitar na contenda se chamado. O que mais lhe preocupava era conseguir tempo suficiente para retirar Rathy de cima de suas costas. Tinha de existir algo que pudesse usar para distraí-la. E então se lembrou. Ponderou sobre o assunto enquanto desviava do golpe seguinte. Jogada arriscada. Se não funcionasse isso só iria deixá-la mais furiosa do que já estava. Bem, ao menos seria divertido.

– Você parece estar se divertindo bastante enquanto tenta me acertar. – Desviou de mais uma investida antes de prosseguir. – Será que você gosta desse tipo de coisa? – A pergunta viera em um tom inconfundível de malícia.

– Eh? – Piscou os olhos algumas vezes, processando a informação. Seu rosto tornou-se vermelho como um tomate ao compreender o que o garoto quis dizer. – I-Idiota! Como se isso fosse possível!

Atacou mais uma vez. No entanto, o chicote oscilara e atingira o solo a alguns metros. Taiyou não pode deixar de sorrir, vendo o sucesso em seu plano. Assim como Rathy aquela garota possuía de pouca para nenhuma resistência contra comentários mal-intencionados. Sem concentração utilizar uma Viralt com maestria era virtualmente impossível. Enquanto a garota gaguejava algo para si mesma caminhou até Glaceon e depositou a loira cuidadosamente ao seu lado.Retornou para onde estivera anteriormente e fitou sua adversária. Um sorriso sinistro brotara por entre seus lábios. Aquilo era divertido demais para parar tão cedo.

– Entendo. – Sua voz parecera tirá-la do transe. Apoiou o queixo sobre o indicador e ponderou. – Você gostaria é de receber a punição então? – Fumaça começara a sair de seus ouvidos ao ouvir isso.

– É-É claro que não! – Dera alguns passos para trás, hesitante. Seus olhos estavam lacrimejantes e suas mãos agarravam com força o cabo de sua Viralt. É... Parece que dessa vez havia exagerado. Repentinamente a moça estendeu um de seus dedos e exclamou. – Flareon, Flamethrower!