Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Naruto: Another Story

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Naruto: Another Story

Mensagem por xKai em Ter 2 Dez 2014 - 15:44

Leia primeiro:
Fic dedicada para fans da série, todas as críticas e elogios são muito bem vindos. Esta fic irá narrar a história de um outro grupo de protagonistas, seguindo a mesma história do anime, tendo alguns acréscimos de vilões e parcerias. A história se passará do ponto de vista dos novos protagonistas. Vão perceber que o prólogo foi meio corrido... Naruto não seria Naruto sem flashbacks reveladores, não é mesmo? Então muitos fatos importantes serão revelados futuramente.

Só pra deixar claro, os direitos pertencem ao autor da série, Masashi Kishimoto. Não sou dono da marca Naruto, apenas faço uso da mesma para atividades não-lucrativas, o meu trabalho é reservado para fãs da série.



Sumário:

Volume I - Time 13

Prólogo: Raíz e Folha.
Capítulo 01: A bela flor escarlate! Kurosaki Akane.
Capítulo 02: Fim da perseguição. O primeiro teste será..?
Capítulo 03: Formação... Maito Gai?
Capítulo 04: Uma missão de verdade! Pânico no País das Fontes Termais.
Capítulo 05: Que a missão comece!
Capítulo 06: A suspeita de Akane. O alvo é o Sharingan!
Capítulo 07: Kekkei Genkai! Yōton no Jutsu.
Capítulo 08: Eu não vou desistir! Trinta e dois golpes e uma esperança.
Capítulo 09: O despertar do tigre. Libere a técnica secreta!
Capítulo 10: Aqueles que sobrevivem.
Capítulo 11: Shinobis de Konoha.
Capítulo 12: Retorno. Aqueles que se movem pelas sombras.
Capítulo 13: O último pedaço que pertence ao Chouji. Shikamaru está no caso!
Especial 01: Um dia difícil para Taiki! Eu sou um pervertido?

Volume II - Exame Chuunin

Capítulo 14: Convocação para o exame! Os novatos mais fortes.
Capítulo 15: Rivalidade total! Sasuke Vs. Taiki Vs. Rock Lee.
Capítulo 16: Ayaka é brilhante! O segredo do Tenketsu.
Capítulo 17: Terror na Floresta da Morte.
Capítulo 18: Terror na Floresta da Morte. Segunda parte.
Capítulo 19: A verdade sobre o exame. Masaru corre perigo.
Capítulo 20: Explosão. Força Byakugan!
Capítulo 21: Kuroi é Fulminante! O Selo Amaldiçoado que desperta.
Capítulo 22: Taiki Vs. Shizuka! Um campo de batalha congelado.
Capítulo 23: Nunca morda um tigre, seu rato maldito!
Capítulo 24: Um convite irresistível! Rumo ao Monte Koketsu. - Fim do Volume II


Volume III - Guerra Total

Capítulo 25: Uma razão para viver! Um mundo dentro de outro.
Capítulo 26: Um confronto entre pai e filho. A lâmina de dois nomes.
Capítulo 27: Reabilitação! Supere o Jūken. ( Título revelado )
Capítulo 28: Kuroi Vs. Taiki! Explosão de novas habilidades. ( Título revelado )
Capítulo 29: Resultados do treinamento.  ( Título revelado )
Capítulo 30: Previsão de ventos fortes! Ayaka Vs. Temari.  ( Título revelado )

Guia de Personagens:

Time 13:




Nome: Hakuryuu Taiki
Idade: 12-13
Rank: Genin
Clã: Hakuryuu
Tipo sanguíneo: AB+
Sígno: Aquário
Kekkei Genkai: Sharingan e Godai Myōhō.
Natureza: Água, Fogo, Vento e Gelo, até o momento.
Estilo de Combate: Kenjutsu e ninjutsu
Aparência: Um jovem de cabelos azul-escuro e olhos da mesma cor. Possui exatos 1,55 de altura. Sua katana é apelidada de Raikou Kotetsu, a mesma fica embainhada em um suporte preso as suas costas. Utiliza uma mochila para carregar alguns equipamentos que não caberiam em seus estojos simples, como Fuuma Shurikens e pergaminhos de invocação. Veste um casaco de dois diferentes tipos de bege, sobrepondo suas roupas de cor preta. Também usa uma malha de aço por de baixo das roupas para proteção.
Personalidade: Alegre e um tanto quanto bobo, talvez tenha puxado este lado de seu pai. Cresceu sendo chamado de gênio pelos membros de seu clã, que o confiaram muitas expectativas. Apesar de treinar duro sempre conseguia dar umas escapas para vadiar por aí e fazer coisas de adolescente. Não conheceu muitas garotas em sua vida por isso sempre acaba encabulado quando fica muito próximo de alguma jovem atraente, fazendo-o cometer erros que normalmente não cometeria e agir de forma estranha.



Nome: Sarutobi Masaru
Idade: 12-13
Rank: Genin
Clã: Sarutobi/Yamanaka
Tipo sanguíneo: O+
Sígno: Aquário
Kekkei Genkai: ??
Natureza: ??
Estilo de Combate: Taijutsu, ninjutsu e genjutsu.
Aparência: Possui 1.53 de altura e cabelos ruivos contrastantes com seus olhos castanhos claríssimos, sempre exibindo um sorrisinho idiota no rosto. Sua pele é absurdamente pálida e gosta de usar roupas simples exibindo seu rank.
Personalidade: Um garoto brincalhão, inconsequente e extremamente amigável. Masaru tem sérios conflitos de personalidade e expressa isso para si mesmo através de poemas e músicas que ele escreve quando está só, todavia, quando sua mente está em conflito consigo mesma durante uma batalha este se torna um oponente imprevisível.



Nome: Hyūga Ayaka
Idade: 12-13
Rank: Genin
Clã: Hyūga
Tipo sanguíneo: A+
Sígno: Gêmeos
Kekkei Genkai: Byakugan
Natureza: ??
Estilo de Combate: Taijutsu
Aparência: Uma bela jovem de cabelos castanhos. Possui pupilas albinas devido à sua linhagem, muito comum entre os Hyuuga. Possui exatos 1,53 de altura.
Personalidade: Muito inteligente e carismática, possui uma personalidade diferenciada em relação à maioria dos membros do seu clã, sendo muito tagarela, acredita bastante em trabalho em equipe, mas odeia ser atrapalhada de alguma forma podendo por um instante ser egoísta, mas no geral é uma pessoa bem sociável. Assim como a maioria das garotas desta idade está à procura de alguém que a complete, mas nunca sabe o que dizer e insiste em descobrir um amor verdadeiro, aquele que ela ainda nunca conheceu.  



Nome: Kurosaki Akane
Idade: 24-25
Rank: Jounin
Clã: Kurosaki
Tipo sanguíneo: O-
Sígno: Leão
Kekkei Genkai: Yōton no Jutsu
Natureza: ??
Estilo de Combate: Ninjutsu
Aparência: Uma jovem mulher de olhos verdes e cabelos vermelhos, exatos de 1,69 de altura. Utiliza roupas normais de Jounin, camisa vermelha escura sobreposta por uma jaqueta verde, utiliza também uma calça da mesma cor que a blusa. Sua bandana está localizada em sua cintura, logo abaixo em uma das pernas está um estojo para armazenamento de armas.
Personalidade: Gosta muito de flores, é cliente freqüente da loja da família Yamanaka, tem preferência pelas brancas que diz combinar bastante com suas decorações de cor vermelha.  Possui fortes laços de amizades entre os outros Jounins de Konoha. Também possui  uma paixão secreta por Hatake Kakashi, sempre ficando vermelha quando se encontra com ele em algum lugar se tornando muito tímida e atrapalhada, no geral é uma mulher muito inteligente e alegre, preza muito o trabalho em equipe e cumpre bem com sua função.
Abertura 01:
Abertura 02:
DATABOOK - LINK:


Raíz e Folha



Doze anos atrás um demônio de nove caudas foi invocado no vilarejo de Konoha por um homem mascarado, trazendo destruição a caos para a capital do país do fogo, centenas de vidas foram perdidas naquela fatídica noite... Os mais antigos suspeitavam de que havia algo mais por trás daquele ataque, o quarto Hokage que sacrificou sua vida para combater a fera foi o que chegou mais próximo da resposta, mas antes de morrer selou o demônio maligno em seu próprio filho para que um dia ele continue aquilo que ele não foi capaz de fazer.

Uchiha Madara e Uchiha Obito, que agora é denominado 'TOBI' foram os responsáveis pelo ataque da Kyuubi. Apenas o clã Hakuryuu sabia da existência destes dois. Este é um clã de ninjas nômades que preferem não se misturar com os assuntos das grandes nações, vivem dentro do território do país do fogo e possuem grande afinidade com a natureza, nunca abusando dos recursos de uma mesma localidade. Um ninja sensorial do clã Hakuryuu, descobriu por acidente a existência do homem mascarado e que este possui uma forte aliança com criaturas que possuem DNA humano e de plantas, assim como o lendário shinobi Uchiha Madara, cujo nome era o bastante para causar medo e respeito em todos aqueles que o ouviam, o mais impressionante em tudo aquilo era o fato desta figura lendária ainda estar viva. Alguns anos antes do ataque da Kyuubi shinobis do clã Hakuryuu descobriram que Madara estava vivo, anos mais tarde tentaram um ataque surpresa e foram mortos rapidamente por um jovem que usava uma máscara em forma espiral. Este conhecimento apenas chegou até os anciões do clã devido à uma técnica especial que foi usada por um dos ninjas mortos, que foi capaz de levar a mensagem de alerta, entre os mortos estava uma mulher Uchiha que era originalmente de Konoha, seus olhos portadores do Sharingan foram arrancados e armazenados pelos antagonistas.

A mulher Uchiha que foi assassinada durante o ataque do clã Hakuryuu era casada com Hakuryuu Kouga, um dos ninjas mais famosos de seu clã, era o líder estratégico e naquela noite salvou muitas vidas, mas no fim não conseguiu salvar sua própria esposa. Seu filho que tinha apenas alguns meses de vida seria órfão de mãe, mas por outro lado seu pai o transformaria em um autêntico shinobi... Frio e rigoroso eram as palavras que melhor descrevem Kouga, mas perante seu único filho ele não passa de uma criança crescida, sempre fazendo piadas ou rindo por quase ou nenhum motivo.

12 anos depois...

Chegou ao conhecimento da vila de Konoha que o filho de Kouga que agora desfruta de seus 12 anos foi capaz de despertar o Sharingan devido ao sangue de sua mãe...


"Poucos anos atrás Uchiha Itachi primogênito de Uchiha Fugaku, líder do clã Uchiha, realizou uma chacina em seu próprio clã, matando todos... Exceto um... Seu irmão mais novo Uchiha Sasuke."


Os Uchiha faziam parte da força policial de Konoha e eram shinobis respeitados ao mesmo tempo que temidos... Então logo surge uma proposta por parte de Sarutobi Hiruzen (Terceiro Hokage) e Shimura Danzou (Ancião conselheiro), o clã Hakuryuu teria terras e proteção contanto que permitissem que Taiki vivesse em Konoha como um shinobi. Kouga e os anciões decidiram que era o melhor para o clã, já que estavam passando por dificuldades já que agora precisavam de permissões especiais para viverem em outras terras.


Konoha - Entrada

Ruas pouco pavimentadas, alguns postes com fiações elétricas e um amontoado de casas e pequenos apartamentos, sem contar aquela vista exuberante para o mais famoso monumento de Konoha, os "rostos de pedra" onde ficam esculpidos as faces dos Hokages que são os líderes políticos dos ninjas da nação do fogo. Na entrada do vilarejo estava um grande portão de coloração verde, nas partes laterais da construção estavam desenhados alguns kanjis em coloração vermelha enquanto no centro, na parte mais alta do portão, estava o símbolo da vila de Konoha, que era usado por todos os seus ninjas. Um jovem ninja de cabelos negros caminhava vila à dentro, o mesmo trajava um casaco de mangas longas com tons de bege claro e escuro, por debaixo estava uma espécie de malha com camadas em metal que serviam como defesa, amarrado verticalmente em seu peito e costas estava um suporte para uma katana de tamanho médio que carrega em suas costa, em sua perna direita um estojo para armamentos como: kunais, shurikens, selos explosivos dentre outros... Seus olhos azuis observavam sem parar todos os detalhes das grandes esculturas de pedra nas montanhas, principalmente algumas partes que pareciam ter sido vandalizadas, havia muita tinta por ali, mesmo de longe era possível ver um garoto loiro limpando aquela tinta com alguma dificuldade logo a baixo segurando a corda que sustentava o loiro naquela espécie de andaime estava um outro jovem que devia ter a mesma idade, mas este era ruivo... Havia também uma figura adulta de rabo de cavalo, parecia estar dando algum tipo de ordem, daquela distância não tinha como julgar melhor o que estava acontecendo.

– As coisas na cidade realmente são mais agitadas, parece que vou gostar daqui. –  Proferiu enquanto seguia sua caminhada, retirava de um de seus bolsos um cartão que continha seu novo endereço. Logo após arrumar suas coisas deveria ir até a academia ninja onde ele já iria ser posto em um time de outros dois genins e um jounin líder.

Genin:
Genin é o nível mais básico de um ninja, apesar de parecer ser algo simples muitos adultos não conseguem as habilidades necessárias para se graduar como Chuunin, passsando suas vidas como um mero Genin. Muitos confundem Genin com Gennin, mas o correto é Genin mesmo, pois Gennin significa ninja ilusório e não ninja iniciante. Genins fazem apenas missões de Rank D e C, que raramente envolvem combates reais.

Konoha - Subterrâneo

Abaixo do vilarejo de Konoha existe uma grande construção conhecida como ‘Fundação’, onde trabalham os a gentes da NE, um grupo Anbu que servem à Danzou. Anbus são ninjas que fazem o trabalho sujo, como assassinar shinobis perigosos ou nukenins, que são ninjas renegados.

– Danzou-sama! – Exclamou o anbu mascarado.

– Qual o problema Hitotsu? – Perguntou o homem que já estava na faixa dos setenta anos, suas roupas que cobriam boa parte de seu corpo, seu cabelo de coloração marrom estava bem embaraçado entre todas aquelas bandagens, também haviam muitas faixas cobrindo outras regiões, como: olho direito e braço direito.

– O moleque Hakuryuu chegou em Konoha, devemos fazer alguma coisa?

– Já não era em tempo... Mande alguém trazê-lo, será uma importante aquisição para a NE. Você irá fracassar outra vez... Hiruzen. – Proferiu Danzou após a ordem.




Última edição por xKai em Sex 26 Maio 2017 - 16:40, editado 73 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Kurosaki Lucas em Qui 4 Dez 2014 - 18:44

Que isso em Kai, li a fic e senti na alma um estilo Kishimoto de escrever Naruto. Tá de parabéns. Sua narrativa é fluida e você conta exatamente como quer que o leitor imagine, penso eu, descrição show, deixando-nos bem ambientado no cenário da Fanfic. Quanto ao enredo, me agradou, por enquanto, pra um Prólogo ficou muito bom mesmo, tente não fazer capítulos longos, só essa dica, pois a leitura fica mais cansativa e exaustiva, imagino eu. Deixei a história fluir, claro, mas não se atente a detalhes que não serão importantes futuramente e lembre-se de deixar coisas soltas no ar como você mesmo disse, o tio Kishi adorava deixar-nos curiosos. Eu quero ver você escrevendo um capítulo de batalhas! haha
Enfim, Kai, achei legal a fanfic, no mais assim. Eu sempre quis escrever uma fic de naruto e talvez esta sua me inspire, mas o meu roteiro seria baseado na época da Kushina e tals. :3

Good work, espero o próximo capítulo.

Ps: ah, uma coisa, se você quiser cativar outros leitores que não conheçam Naruto, tente fazer umas descrições também psicológicas dos personagens que nós, fãs de Naruto, já conhecemos. Porque lembre-se, é claro que a fanfic interessa mais a quem conhece Naruto, mas ela deve ser voltada pra pessoas que não conheçam também. Só isso mesmo, uma dica. Lembre-se que nas características dos personagens você deve passar a aura do personagem pro leitor que não o conhece.
avatar
Kurosaki Lucas
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/09/2010

Frase pessoal : KURO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 01: A bela flor escarlate! Kurosaki Akane.

Mensagem por xKai em Dom 7 Dez 2014 - 12:10

Comentários:
Kurosaki Lucas: Obrigado pelo seu comentário, eu estava acreditando que ninguém iria comentar -q Mas enfim, que bom que comentou e gostou. Mas acho que tenha exagerado um pouco com a comparação ao Kishimoto -q Espero que ele não suma comigo como ele fez com a autora de Konoha High School O_O

Eu gosto bastante de descrever os cenários, mas não sou muito bom com palavras, mas pelo menos me esforço... Muitas batalhas são decididas pelo ambiente em que os combatentes estão, então é um fator importantíssimo da narração, assim imagino.

Chapter 01:

A bela flor escarlate! Kurosaki Akane.



Academia ninja 08:45 AM


Localizada ao norte da vila de Konoha, a academia ninja é composta por um conjunto de construções que são expandidas com o passar dos tempos, aqui também é o local onde fica o escritório do Hokage, assim como a bancada de pedidos, onde os ninjas recebem missões de acordo com seu rank, também pode ser frequentada por civis que contratam ninjas para suas missões, primeiramente a missão deve ser explicada para que tenha seu rank definido, após processada ela estará disponível, a não ser que o nível de urgência seja muito grande, caso seja, o próprio Hokage irá organizar um esquadrão para o cumprimento da mesma. Na parte exterior existe um grande pátio com acesso direto para as ruas, também possui uma árvore de tamanho médio com um balanço, logo de frente para academia na faixada mais alta, existe o kanji que simboliza o fogo. As salas de aulas são grandes e possui tetos muito altos, tendo base uma teoria que diz que salas de aula maiores levam expansão na educação. De frente para o grande quadro negro existe um palanque que faz com que o professor tenha uma vista total de seus alunos.

No interior das grandes construções que compõe a academia, um bela mulher de madeixas escarlates caminha por entre os largos corredores, a mesma trajava roupas de cor vermelho-escuro sobrepostas por um colete verde, típico de Jounins. Seus sapatos eram de cor branca, em uma de suas mãos carregava um pequeno vaso com narcisos brancos como algodão, em sua face uma expressão bem animada enquanto cantarolava de boca fechada emitindo alguns leves tons.

Jounin:
Jounin: Ninja de rank superior, é a graduação superior a Chuunin, muitos ninjas deste rank se tornam Anbus, outros são encarregados de serem tutores de um pequeno esquadrão.


Em uma sala de aula qualquer não havia muitos alunos por ali, apenas três jovens Genins, um era ruivo e parecia estar desinteressado, sua pele era muito pálida, trajava uma camisa verde de mangas compridas e uma calça preta que terminava no meio de sua canela, seus sapatos também são de cor preta. A menina possui em seus olhos um tom de cor albino, indicando que a jovem é descendente de um dos clãs mais importantes de Konoha, os Hyuuga. Seus cabelos são castanhos, possui duas mexas de cabelo trançadas uma de cada lado do rosto e usa um rabo de cavalo por opção, traja vestes típicas de seu clã, tendo um visual bem oriental. O outro se trata do protagonista, cabelos de cor azul-escuro, não trajava hoje seu casaco de cor bege, usando então calças e camisas escuras, por debaixo usa uma malha de aço. Talvez o detalhe mais evidente seja sua katana que sempre está embainhada em suas costas. Não demorou muito para que a menina e o ruivo começassem a olhar para o jovem Taiki com uma estranha expressão, era normal já que se formaram juntos na academia e conheciam boa parte dos alunos, mas aquele era um completo estranho, naquele breve momento de desconfiança a Jounin que seria encarregada destes Genins entra em sala sorridente, após deixar o vaso de narcisos em sua mesa logo tratou de escrever seu nome no quadro negro usando um giz branco, seu nome era Kurosaki Akane.

– Meu nome é Kurosaki Akane. A partir de hoje serei a Jounin tutora de vocês, este será o time 13! Antes de subirmos para nos conhecermos melhor estou disponível para responder qualquer dúvida, caso tenham alguma. – Explicou a mulher.

– Eu tenho uma! – Exclamou o ruivo, normalmente ele era bem desajeitado e um pouco estranho em relação aos demais, mas ele não era do tipo que guardava coisas para si próprio, mesmo se fosse falar alguma bobagem. – Desculpe comentar... Mas é que... Eu não lembro de ter visto esse cara na academia. – Proferiu com um olhar curioso, atentando-se ao jovem.

– Ah... Quanto à isto... Taiki-kun não cursou a academia, ele está se tornando um ninja de Konoha graças à um acordo que seu clã e os líderes da vila fizeram, não posso explicar em detalhes, mas é isso. – Argumentou a mulher. – Então me acompanhem, vamos até o terraço para formalizar as apresentações.

Taiki fitou seu olhar diretamente para o ruivo com uma expressão não muito amigável, mas deixou aquilo de lado, no momento em que ambos passaram pela porta da classe em direção aos corredores e posteriormente ao terraço o jovem passou pelo ruivo com os olhos fechados e um sorriso de lado, como se estivesse se achando superior, mas na verdade era pura falta de como agir naquela situação, já que o mesmo não possui muitos amigos.



Academia ninja - Terraço 08:55 AM


O terraço é completamente plano e de formato circular, aqui existem alguns acentos feitos de cimento. Akane e os novos Genins rapidamente chegam até o local, o vento não estava nem muito forte, nem muito frio, bem agradável por sinal. Após cada um tomar seus lugares, um ao lado do outro, tendo o ruivo no meio, a instrutora inicia as apresentações.

–  Para nos conhecermos melhor, eu gostaria que todos vocês falassem um pouco sobre cada um. –  Explicou.

–  Como exatamente?  – Proferiu Taiki um pouco nervoso.

– Hm... Algo do tipo... Já sei! – Exclamou – Meu nome é Kurosaki Akane, eu gosto muito, muito de flores, principalmente as brancas... Elas me lembram muito aqueles que ele me deu... Não gosto muito de... Sobrancelhas grandes... Aquele cara me irrita... Meu hobby é... Acho que ficar observando um certo alguém... Bem, eu me tornei uma ninja para proteger a minha vila, bem clichê, não? – Tagarelou a Jounin, ela parecia bem distraída em algumas frases, mas no fim os alunos acharam até graça daquilo, todos parecem ter ficado um pouco menos tensos.

– Er-ham! Eu começo. – Proferiu o ruivo. – Meu nome é Sarutobi Masaru. Eu adoro música... Não gosto muito de ouvir sermões... Principalmente de gente velha... Bleh! Ultimamente meu hobby tem sido tocar alguns instrumentos e... Fazer atividades artísticas com meu amigo Naruto... Veja ali! Os olhos do Sandaime ainda estão com lentes de contato hahaha! O motivo de eu ter virado um ninja... Bem, foi por livre e espontânea pressão do meu avô. – Disse com algumas pausas para coçar o nariz.

– Ora, ora... Isso foi bem sincero. – Proferiu a professora com um sorriso de uma ponta á outra.

– Minha vez! – Disse a Hyuuga. – Meu nome é Hyuuga Ayaka. Eu gosto muito de dar porrada em alguns garotos metidos, também gosto muito de flores. Não gosto muito que me julguem por ser uma garota... Eu posso fazer coisas de menino também, como jogar bola, principalmente dar muita porrada em alguém que me irrite. Um hobby... Eu treinava bastante com o Neji-nii... Mas desde o ano passado quando ele se tornou um Genin não tem mais tempo... Então acho que eu não faço muita coisa. O motivo para eu ter me tornado uma Kunoichi é para provar a todos, que mesmo sendo uma garota eu posso mandar ver! –  Finalizou com um sorriso inocente, que demonstrava o completo oposto de sua personalidade um tanto quanto enérgica.

– Parece que sou eu agora... Meu nome é Hakuryuu Taiki. Eu gosto muito de sorvete, ramen, carne, vegetais e todo o tipo de comida, que seja boa... Não gosto de ter fome... Também não gosto de pessoas escandalosas... Comer é um hobby...? Não sei exatamente o porque de ter me tornado um ninja, desde muito pequeno fui treinado pelo meu pai... Parando pra pensar não sei ainda de onde veio esta motivação, apenas sinto que tenho que fazer alguma coisa... Hehe! – Descontraiu ao finalizar o pequeno questionário.

– ( Ele me parece um garoto normal... De qualquer forma tenho que ficar de olho nele. ) – Pensou Akane. – Certo, espero que com isso todos nós tenhamos aprendido um pouco sobre cada um, agora então irei lhes explicar o verdadeiro teste.

– Como assim verdadeiro teste? –  Contestou Taiki.

– O que está dizendo...? Nós nos formamos na academia... Ou  a maioria de nós... – Proferiu Masaru.

– Quer dizer que ainda temos que fazer mais alguma coisa? – Perguntou Ayaka.

– Claro que sim... A verdade é que vocês possuem 66% de chance de serem reprovados! Geralmente apenas 1/3 dos formandos conseguem avançar esta etapa, aqueles que forem reprovados voltarão para academia, sem tratamento especial para você Taiki-kun. – Implicou Akane enquanto ajeitava seu cabelo.

– Certo, manda ver então! Vou detonar essa parada, não importa o que aconteça... ( Ou será que não... Bah... O que eu fui dizer? ) – Pensou Masaru.

– Então escutem bem... Amanhã lhes contarei! Quero que me encontrem as 05:00 da manhã na área de treino das montanhas. – Intimidou a mulher em alto e claro tom, sua expressão parecia um tanto quanto assustadora, o suficiente para espantar seus alunos.

A curiosidade era evidente, no momento em que a Jounin plantou a semente da dúvida em seus alunos todos se comportaram de maneira estranha, abrindo suas bocas, ou então arregalando seus olhos com um leve tom de surpresa, ninguém estava muito a fim de acordar antes das 05:00 da manhã para ir treinar, mas seus futuros como shinobi dependerão do resultado do teste que será passado.


No dia seguinte... 04:15 AM

O rapaz de cabelos negros acabara de acordar com a ajuda de seu despertador que havia sido programado para despertar pouco depois das quatro horas. Aquele quarto ainda estava um tanto bagunçado, o cômodo ainda não estava devidamente limpo e haviam caixas espalhadas. Após cuidar de sua higiene pessoal e tomar um café da manhã o garoto tratava de abrir uma prateleira da cozinha, ao lado da pia para pegar alguns chocolates, feito isto era só se trocar e estaria pronto para ir até o local combinado, era um dia muito importante, sua cabeça ainda se perdia com aquele inocente questionário que Akane havia feito, uma pergunta em particular não o deixava em paz.

– Por que me tornei um shinobi...? Hunf, não é hora pra pensar nisso, o chocolate vai acabar melando. – Proferiu antes de sair de casa.

Ruas de Konoha 04:35 AM

Não muito longe dali, cerca de três homens com vestimentas e máscaras Anbu pareciam estar vigiando o rapaz que acabara de sair de sua casa, ambos carregavam em suas costas uma ninjaken, uma katana curta muita usada em esquadrões de assassinatos por fazer cortes limpos e muito precisos.

– É este o garoto, certo? – Perguntou o homem do meio.

– Não restam dúvidas, as descrições físicas batem perfeitamente. – Respondeu o da direita.

– Esta foi uma ordem de Danzou-sama. Vamos!


Os homens então saltaram por de trás de algumas casas atirando shurikens na direção de Taiki, as mesmas foram arremessadas propositalmente para que não atingissem órgãos vitais, o objetivo era levar o garoto até seu líder. De algum jeito Taiki conseguiu desviar dos shurikens com base no reflexo, o garoto não fazia ideia do que estava acontecendo, provavelmente era sua primeira batalha real ou coisa do tipo, ele tentou correr pelas ruas em zig-zag, mas logo foi emboscado por um dos homens, este preferiu atacar fisicamente e logo partiu para cima do garoto lhe dando um soco que acertou em cheio seu ombro direito, o garoto saltou para trás para pegar distância e então subiu na direção dos telhados onde foi abordado por mais dois homens que lhe acertaram uma shuriken na perna direita e logo um deles o derrubou com um chute atingindo seu joelho direito. A diferença entre as habilidades era absurda, não seria possível mover sequer um dedo contra aqueles caras. O garoto então rolou para o lado caindo do telhado, após aterrissar com ambas as pernas firmes ele continuou a fuga por terra até que parou em um beco para poder descansar e analisar a situação.

– (Mas o que está havendo?) – Pensou, estava sem fôlego para balbuciar em palavras. – ( Porra... Não tenho chance contra esses caras, eles devem ser todos acima de nível Jounin, afinal parecem ser anbus... Caralho... Se eu morrer aqui não vou poder me encontrar com meu pai de novo... Se eu morrer aqui... Não vou encontrar a resposta para aquela pergunta... ) – Sua expressão demonstrava pânico, sua mente estava entrando em colapso, era uma atmosfera de terror para uma pessoa tão jovem.

–  O encontramos! – Exclamou um dos homens!

– Onde está Idate? – Perguntou o outro homem.

– Yo! Falam deste aqui?

Utilizando o Sunshin no Jutsu, surge entre Taiki e os Anbus um ninja mascarado de cabelos cinzas, o mesmo carregava o corpo inconsciente de um dos perseguidores em seus ombros. Em sua outra mão estava um livro aberto, o mesmo era intitulado "Icha-Icha Paradise".

– Você não precisa morrer aqui, não é? – Perguntou o homem se virando para Taiki, apesar de boa parte do seu rosto estar coberta, ele parecia ser confiável, aquela expressão indicava isso.


– Você... "Copy ninja... Hatake Kakashi!" Exclamou com tom de surpresa.


Continua...


NOTAS:
Primeiramente agradeço pela leitura, estou realmente animado com este projeto e planejo ir longe com esta fanfic.

Você fã de Naruto se lembra do atraso de Kakashi para se encontrar com Naruto, Sakura e Sasuke no episódio em que ele passaria o teste dos sinos? Ele usou a desculpa de ter usado outra rota, pois por infelicidade encontrou um gato preto em seu caminho... Não apenas isto! Seu atraso agora além disto tem uma história um pouco melhor elaborada agora... Ao utilizar uma segunda rota, o mesmo deu de cara com a situação atual que será melhor explicada no próximo capítulo. Apenas adiantando... A prova que Taiki, Masaru e Ayaka serão submetidos não será a mesma de Naruto e CIA.


Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 21:06, editado 5 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Kurosaki Lucas em Dom 7 Dez 2014 - 18:19

Hahaha que belo encaixe de fatos, esse foi um perfeito cross entre a história original de Kishimoto e a sua fanfic, simplesmente genial e quando eu digo que você escreve semelhante ao Kishimoto, eu não estou exagerando, pode ser que ele tenha mais experiência que você, ou eu sou muito fã de Naruto, mas a história me parece fluida e ao mesmo tempo com a narrativa bem detalhada, os cenários, como você disse são fundamentais pra ambientar o leitor sobre o que se passa e essa cena de perseguição do Taiki ficou muito boa, você conseguiu além de passar o cenário, o aflito do personagem.
Eu encontrei alguns erros de digitação somente, mas não cheguei a marcá-los, talvez, se você tiver tempo, vale a pena dar uma relida e corrigir se achar que isto é importante.
Uma coisa que eu não gostei, na verdade não que eu não tenha gostado, mas novamente eu acho que cai um pouco na questão de forçar barra, foi a parte em que a menina precisa se descrever e usa um palavreado bem típico de uma menina macho ou mesmo de um garoto, sendo que ela tenta depois passar uma imagem mais tranquila de si mesmo. Poderia fazer mais uma assinatura pra ela, ou ela deixa escapar algumas vezes esse lado reprimido dela de ser uma menina-moleque ou ela transparece seu lado meigo em algumas situações... É isso que eu acho. Mas é só uma sugestão pra você avaliar, a história é sua.
Gostei do capítulo novamente, realmente é uma fanfic que vale a pena acompanhar, principalmente se você for fã ou se já leu Naruto alguma vez.
avatar
Kurosaki Lucas
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/09/2010

Frase pessoal : KURO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 02: Fim da perseguição! O primeiro teste será..?

Mensagem por xKai em Seg 15 Dez 2014 - 21:17

Comentários:
Kurosaki Lucas: Primeiramente agradeço por estar acompanhando e parabéns pela nova posição no fórum Very Happy

Pois é, eu curto muito o Kakashi e toda a história dele na série, zueiras a parte em relação ao chakra dele estar sempre acabando -q É um personagem que todos gostam. Então logo pensei em escalar ele para este capítulo, me aproveitando do roteiro do anime em que ele de fato se atrasou para o encontro com Naruto e cia. Quanto a minha narração espero que continue agradando, não sou muito bom com o uso de dicionário informou ou sinônimos, colocando poucos deles, alguns para evitar a repetição de palavras, mas nunca fui muito bom em escrita, mas sempre fui bom com redações, acredito que na parte da história estarei sempre dando 100% de mim. Pois é, a perseguição eu tive que esclarecer aquele aflito do personagem, você tem um personagem 'novato' e outros três bem superiores o perseguindo, não seria normal ele simplesmente correr dali, várias coisas estariam passando na mente dele e em seu próprio corpo, medo é o que faz de todos iguais, ninguém iria fugir de algo sem expressar medo ou algum motivo. A Ayaka vai ser difícil pra mim interpretar -q Sempre curti esse tipo de garota, mas não levo muito jeito pra colocar as palavras dela no papel, espero melhorar neste ponto. O projeto inicial era fazer a fanfic para fãs, mas talvez eu deva mesmo atrair os não fãs, que quem sabe podem até começar a acompanhar por causa disto. No fim de cada episódio haverá um spoiler que irá explicar o que é e traduzir alguns nomes para o português para facilitar a leitura.


Chapter 02:

Fim da perseguição!! O primeiro teste será..?



Ruas de Konoha 04:43 AM

O jovem Genin estava totalmente derrotado, sentado no chão daquele beco sujo e úmido em meio as ruas de Konoha, a cena que ele presenciava era antes impensável, quando a situação parecia estar sem volta, surge o que talvez tenha sido um golpe de sorte, um dos Jounins de Konoha parece ter visto aquela confusão e mesmo sem o conhecer partiu em sua defesa.

– Ei, você. Não está machucado não é? – Perguntou Kakashi sem tirar sua atenção dos adversários.

– Está tudo bem. – Respondeu Taiki enquanto removia uma shuriken que estava fincada em sua perna, a perfuração foi leve resultando apenas em uma calça rasgada e um corte raso, o garoto logo amarrava uma bandagem que o mesmo havia retirado de seu estojo para estancar o sangramento.

– ( Esses caras são mesmo da Anbu...? Não... Devem ser da NE, mas porque estão atrás deste garoto? ) – Pensou. – Ei, vocês aí! Não sei bem o que estão tentando fazer, mas não pega bem para a anbu ficar correndo por aí atrás de um garoto, isso estará acabado! – Exclamou o Jounin enquanto atirava o Anbu inconsciente no chão, então levantou seu protetor de testa que cobria seu olho esquerdo revelando além, da cicatriz que percorria as proximidades, um olho de cor vermelho possuindo três magatamas negras em seu interior, além da iris.Sharingan!  – Exclamou.


Fūton: Kazekiri no Jutsu! – Exclamou um dos Anbus que realizou selos de mão em altíssima velocidade. O mesmo então criou um forte vendaval na direção de Kakashi e Taiki.

– Isso é ruim! Doton: DoryūhekiPor outro lado a velocidade em que Kakashi executava os selos de mão parecia ser muito superior ao do Anbu, o mesmo rapidamente impulsionou suas mãos contra o solo erguendo uma parede de terra, era tão bem feita que haviam ali esculturas de cães na parte externa.

Era forte o vendaval e danificou muito a parede que não cedeu, Kakashi então saltou por de cima da parede para atacar o par de anbus usando combate corporal.

– Como esperado do Sharingan, Kakashi! – Gritou o segundo Anbu. – Ambos os adversários foram ao encontro de Kakashi e então um combate de Taijutsu se iniciou. Taiki estava estupefato com a batalha, mal conseguia se levantar, mesmo tendo sofrido pouco dano. Um dos anbus recuou esgueirando-se para a lateral enquanto o outro combatia Kakashi de frente com chutes, socos e bloqueios, já aguardando um ataque pelas costas graças á percepção do Sharingan, Kakashi executa um passo para trás, desviando do soco de seu adversário frontal e então com sua boa mobilidade utiliza uma rasteira acertando o adversário que vinha pelas costas e derrubando o que estava à sua frente.

– Vá de uma vez para o inferno, maldito! Katon: Gōkakyū no Jutsu!  – Mesmo caído, um dos Anbus executou alguns selos de mãos e novamente utilizou um ninjutsu elemental. Criando uma grande esfera flamejante que foi expelida por sua boca queimando Kakashi e seu próprio companheiro.

– Haha! Recebeu o que mereceu por se meter no que não era de sua conta... Argh! – Quando estava prestes a se levantar, o solo abaixo se desfaz e de seu interior surge Kakashi armado com uma kunai, executando um corte vertical contra seu abdômen, a perfuração não foi o suficiente para matá-lo, mas o bastante para o impedir de continuar com a luta.

– Maldito... Quer dizer que o tempo todo... Estava lutando contra uma réplica? –  Perguntou o Anbu agonizando.

– Errado. Usei o Kage Bunshin enquanto estava encoberto pelo meu doton, você não poderia ver. – Afirmou Kakashi desviando o olhar ao perceber o que estava prestes a acontecer.

Os corpos dos anbus repentinamente começaram e pegar fogo, uma espécie de fogo de coloração verde que acabava por consumir os corpos de ambos, não sobrando sequer cinzas para contar história.

– ( Esse cara é incrível, manteve-se calmo durante toda a situação... Atacando com frieza sem recuar e mesmo assim com inteligência... "Copy ninja Hatake Kakashi", eles disseram... ) – Kakashi... san? Por que o corpo desses caras... – Pausou Taiki.

– O corpo de um shinobi esconde segredos... A Anbu é um esquadrão de assassinato criada para proteger seu país e realizar missões sujas e outras vezes perigosas, para eles permitir que um inimigo examine seu corpo seria como pedir para que os mesmos saibam os segredos de sua vila... Existem técnicas que podem extrair a memória de cadáveres. Mesmo o meu Sharingan é uma recompensa de guerra... Por isso quando morrem, ou estão em uma situação em que podem ser capturados ou mortos ativam uma técnica que consome seu próprio corpo... Não sobra nada... Quando alguém morre, ele desaparece junto com seu passado, presente e futuro. – Explicou o Jounin cobrindo novamente seu Sharingan, ao se virar novamente para Taiki após certo período de silêncio o homem exibiu um sorriso um pouco falso, apesar de a máscara cobrir seus lábios, era possível ver os músculos de seu rosto se mexendo, de forma que estivesse a sorrir.

– Obrigado... Eu estava indo me encontrar com Akane-sensei quando me atacaram... Mas está tudo bem, não é? – Riu ironicamente, sabia que aquilo era estranho e talvez tornasse a acontecer.

– Sim, sim... Akane an...? Tome bastante cuidado, pode parecer uma doce mulher, mas ela é muito focada em seu dever e ela não vai pegar leve. Também tenho que cuidar de alguns possíveis alunos... Então até mais! Cuide-se, Taiki-kun. –  Despediu-se.

Levou certo tempo para Taiki perceber aquilo, mas porque Kakashi sabia seu nome? Em momento algum havia se apresentado, nem mesmo os Anbus haviam gritado ou coisa do tipo... Mesmo que muito desconfiado Taiki rumou para as montanhas, onde enfim teria seu primeiro e talvez último treino... Por algum motivo seus olhos pareciam arder muito desde aquela perseguição, após esfregar algumas vezes usando as mãos deixou seus olhos e toda a parte central de sua face avermelhada, certa insegurança também era visível, certo stress ou talvez fosse medo de ser seguido ou atacado novamente... Se sentir frágil é algo que muitos humanos passam suas vidas sentindo, mas não é muito fácil sentir-se desta forma no mundo de um shinobi.


País do Fogo - Montanhas   16:58 AM

Uma área rochosa bem dividida entre áreas pouco mais planas e outros grandes declives, existe; por aqui: uma única fonte de água, uma outra nascente que desce rio abaixo passando por outra área de treinamento e pedras de tamanho bem variados. Não é incomum deparar-se com grandes túneis por aqui, já que é bem comum que os clãs Akimichi e Inuzuka usem este lugar para treinamento de suas técnicas. A jounin de cabelos escarlates que seria a responsável pelo treino já se apresentava no local, assim como a jovem Hyuuga e o ruivo, Taiki chegava logo depois, em cima da hora e com algumas características extras, tais eram suas vestes estarem rasgadas devido ao ataque que havia sofrido outrora, e sua perna direita que exibia um curativo feito as pressas.

– Mas o que houve? O treino nem começou e tu já aparece aqui todo acabado. – Reclamou Masaru.

– Pelo que me consta o Taiki-kun está dentro do prazo. – Afirmou Ayaka.

– Se acalmem por favor. – Proferiu Akane ao ver que talvez houvesse algum desentendimento entre os dois rapazes. – Taiki-kun, aconteceu alguma coisa? Como o Masaru-kun disse... Você... – Apontou Akane.

– Ah isso... Não é nada. – Respondeu com o mesmo sorriso falso que Kakashi havia lhe mostrado minutos atrás. – Apenas tive um desentendimento com alguns baderneiros, mas daí apareceu um Jounin muito legal e fez BLAM! O outro gritou, ARGH! E então ele fez POW! Acabou com todos os três em um instante! – Proferiu o garoto ficando cada vez mais animado.

– Será que devemos nos reprovar de propósito para que esse cara vá para a academia? – Disse Masaru. – ( Poutz! Será que era pra mim ter dito isso mesmo... Agora ele pode levar pro pessoal e terei que mostrar minhas super habilidades aqui mesmo na frente de todos... Ou talvez eu devesse perder de propósito... ) – Pensou o ruivo.

Naquele momento tanto Taiki quanto Ayaka olharam para Masaru com uma expressão bem depressiva, apesar de ter se sentido ofendido o rapaz de cabelos negros logo viu que o ruivo não batia muito bem de cabeça, já que ele ficou algum tempo brisando por ali sem esboçar algum tipo de reação. A Hyuuga por outro lado também parecia ter uma espécie de dupla personalidade, estava muito comportada, talvez fosse o tipo de pessoa um pouco mais sociável.

– Escutem, já que direi uma única vez! – Disse a jounin com um tempo mais severo.


O grupo de jovens foi pego de surpresa, a quase sempre doce e gentil senhorita agora estava dando uma ordem com um com um tom elevado, e parecia ter jeito para tal, já que com apenas uma frase conseguiu a atenção de todos os três facilmente.

Kage Bunshin no Jutsu! – Exclamou após executar um selo de mão, surgem então três cópias da jounin.

– Demais sensei! Você consegue usar o Kage Bunshin no Jutsu! – Gritou Masaru.

– É um ninjutsu de alto nível... Mas você não nos mostrou isso apenas para se exibir, não foi? – Proferiu Taiki com um sorriso enquanto apontava seu indicador para Akane, já parecia estar prevendo que as réplicas teriam participação no teste.

– An? Como assim...? Vamos ter que lutar contra as cópias? – Perguntou Ayaka, parecia um tanto quanto confusa.

– Bem observado Taiki-kun... Apesar de que isso era meio óbvio... A explica é a seguinte: estou amarrando estas fitas vermelhas no antebraço das minhas réplicas  então eu irei sair com elas e depois irei voltar, no momento em que eu voltar todos vocês devem procurar pelas cópias e trazer as fitas que elas carregam, elas não irão lutar seriamente contra vocês, mas mesmo assim não irão facilitar! Deve ser de seu conhecimento que um Kage Bunshin possui 10% da força do usuário e o que os difere de uma réplica criada por um Bunshin no jutsu é que estes podem atacar, não são apenas imagens. O papo está ótimo, mas não darei mais dicas... Estarei indo neste instante, esperem aqui até eu voltar. – Após a explicação a Jounin seguiu caminhando na direção de várias grandes pedras, acompanhada de suas três réplicas até sumir da vista de seus alunos.

– Parece que vai ser difícil... – Afirmou Taiki, o garoto agora parecia ter um pouco mais de tempo, sentava-se no chão e começou a remover a bandagem de sua perna com a intenção de refazer o curativo de forma mais eficiente.


– Onde foi que você se machucou assim logo pela manhã? – Perguntou Masaru enquanto enfiava seu dedo mindinho direito em seu próprio nariz.

– Mas que atrapalhado, isso está todo errado, não quer que eu faça pra você? – Perguntou Ayaka.

– Está tudo bem... Me viro sozinho já tem algum tempo, meu pai sempre me largava sozinho em lugares com animais perigosos para que eu pudesse treinar, hehe! Típico de pais fazerem isso. – Disse o garoto sorrindo, parecia estar muito orgulhoso daquilo.

– ( Não mesmo! ) – Pensaram Masaru e Ayaka bem sincronizados.

– Já está cansado Taiki-kun?! Não me lembro de ter pedido para vocês que sentassem! – Exclamou a jounin que estava ao lado jovem de cabelos escuros.

– ( Como ela...! ) – Pensou o rapaz surpreso.

– ( Mas como...? Só fui capaz de perceber no momento em que ela falou... ) – Pensou Ayaka.

– ( Será que essas formigas estão com calor...? ) – Imaginou Masaru.

– ( Aposto que esse cara tá viajando de novo. ) – Pensaram, agora Ayaka e Taiki.


– Crianças... Enfim, em caso de ficarem machucados ou queiram desistir, basta que cruzem os braços que minhas réplicas entenderão, apesar de que caso um de vocês desista os outros dois também estão fora... Comecem!

Continua...


Notas:
O próximo capítulo será muito importante, conseguirei passar melhor para vocês um pouco da personalidade de casa um... Mas aqui posso fazer um pequeno resumo. Taiki é talentoso, mais um pouco medroso e atrapalhado com certas situações, Masaru vivei brisando por aí e pensando besteiras com suas dupla personalidade, Ayaka será por muitas vezes a cabeça deste time apesar de não ser tão normal assim, é uma garota moleque como Lucas comentou no último capítulo, sendo rude em algumas vezes, mas possui aquela inocência que se espera de alguém com esta personalidade. Todos do grupo também possuem um lado sarcástico, que poderá lhes render algumas risadas, assim espero.

Não sei se o tamanho do capítulo ficou bom, até achei que poderia ter ficado maior, mas como estou com o tempo um pouco limitado nessas férias resolvi fazer menor.
Explicações:
Taijutsu: É todo o combate corporal, não costuma gastar muito chakra, mas consome estamina que equivale à sua fadiga física.
Ninjutsu: Significa literalmente técnica ninja, funcionam usando o chakra de seu indivíduo para diversos fins.
Fūton: Kazekiri no Jutsu: (Tradução: Elemento vento, técnica de vento cortante )
Katon: Gōkakyū no Jutsu: (Tradução: Elemento fogo, técnica da grande bola de fogo )
Kage Bunshin no Jutsu: (Tradução: Técnica de clones das sombras)



Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 22:00, editado 4 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 03: Formação... Maito Gai?

Mensagem por xKai em Dom 28 Dez 2014 - 10:30

Chapter 03:

Formação... Maito Gai?


Após o sinal feito pela jounin o trio de genins rapidamente avançou em direção aquelas grandes pedras, correndo em alta velocidade projetando o tronco para frente e os braços para trás de forma que se movimentem mais rápido. Era pequena a diferença de velocidade entre eles naquele momento, mas como ainda não era uma batalha, era bem difícil saber qual deles era o possuidor de maior velocidade. Chegando às pedras os jovens olharam um para os outros por um ínfimo momento, sem sequer pensarem em algum tipo de plano ou trabalho em equipe cada um se dirigiu para uma área por conta própria e então iniciaram o teste que decidiria seus respectivos destinos. O garoto de cabelos negros que se dirigiu pelo meio logo imaginava algumas coisas enquanto se movia sorrateiramente por entre as pedras procurando pelos clones de Akane.

– ( Não queria parecer um metido ou coisa do tipo... Mas talvez teria sido melhor ter tomado uma iniciativa em conjunto... Se qualquer um de nós falhar todo o grupo será reprovado... Ao menos foi o que ela disse... Haha... Isso é mesmo muito complicado, ela não parecia estar brincando. ) – Suou frio após uma leve risada.

Masaru já não possui tal preocupação, o garoto simplesmente caminhava cantarolando pelo caminho que escolheu, de forma bem imprudente, mas se atentava bastante para os lados, imaginando que talvez andando daquela forma ele atraísse uma emboscada... O mesmo imaginou que seria fácil se livrar de uma emboscada uma vez que estivesse pensando que cairia em uma. Ayaka se movia de forma silenciosa, olhava para os lados e não conseguia encontrar absolutamente nada, a Jounin era realmente boa em esconder sua presença.

– Já era esperado de alguém nível Jounin... Mas não importa quem ela seja, os olhos dos Hyuuga são especiais, não vai escapar. Byakugan! – Após ativar seu Doujutsu* os olhos da sofrem algumas alterações, alguns vasos sanguíneos estavam bem exaltados, eram bem visíveis, ao mesmo tempo que seus nervos ópticos agora estavam muito mais sensíveis. Aquela técnica lhe concede uma variedade de habilidades, mas naquele momento ela consegue ver o fluxo de chakra de todos aqueles que estiverem em seu alcance, concentrando-se ela foi capaz de encontrar a posição de Masaru e Taiki rapidamente, até que nos instantes seguintes ela se surpreende.

– Quantas... Ela já havia preparado o lugar antes de chegarmos...? – Havia pelo menos vinte cópias da jounin espalhadas pelo lugar, nenhuma delas parecia estar tomando alguma atitude, provavelmente apenas contra atacariam ou se esconderiam.

– Taiki... Ele parece ser mais esperto que o Masaru, talvez eu deva ir até ele para explicar a situação... – Naquele exato momento em que Ayaka disse tais palavras o garoto de cabelos escuros a surpreende.

O rapaz que até então se movia de forma que não chamaria a atenção como um verdadeiro ninja executa uma série de saltos em ziguezague escalando a maior das pedras até o topo, chegando no topo o garoto realiza uma série de selos de mão o permitindo usar uma técnica básica de sensoriamento, apesar de que, ao fazer isso era bem óbvio que as cópias de Akane soubessem de sua posição. Masaru imediatamente foi a sua direção e ficou agachado ao seu lado.

– Yo! Toca aí meu irmão. – Proferiu estendendo sua mão.

– Ok... – Apesar de não saber do que se tratava o garoto simplesmente ergueu sua mão e apertou a de Masaru igualmente.

– Você não ta ainda no meu nível, mas tem estilo! Mas fala aí... Qual é o plano? – Perguntou o ruivo.

Por estarem ali acabaram também chamando a atenção da Hyuuga que talvez tenha se dirigido até eles apenas por curiosidade, mas ainda assim a garota se mantinha em seu espaço, sem julgar necessário subir na pedra também, já que se o fizesse sua localização seria revelada.

– Ayaka, sobe aqui também! – Berrou Masaru.

– Já não tem, mas porque eu me esconder, não é mesmo? – Disse agora irritada. – Mas, você tem algum plano? – Direcionou seu olhar para Taiki.

– ( Esses olhos parecem que enxergam tudo... ) – Pensou. – Na verdade não tem plano... Eu só pensei que haveria mais réplicas do que ela havia mostrado, e parece que acertei. – Explicou.

– Não acredito que saí de onde estava só pra ouvir isso... – Proferiu Ayaka.

– Não tem problema, Masaru ta na área! Se derrubar é pênalti. – Animou o ruivo.


– Eu posso até me acostumar com isso... Haha! – Bem como meu pai disse, ter amigos é bem divertido.

Uma leve brisa soprou sob o trio de genins naquele momento, algumas folhas rodopiavam pelo ar em busca de algum objeto que impedisse sua jornada junto ao vento. De repente o rapaz de cabelos escuros gentilmente apoiou suas mãos nos ombros de seus novos amigos, enquanto fitava em sua face um sorriso, dessa vez verdadeiro, explicava sobre um plano que lhe veio em mente.

– An? Acha mesmo que vai funcionar? – Perguntou Ayaka.

– Me parece um plano legal, mesmo eu consigo decorar os meus textos. – Disse Masaru.

– Isso não é uma peça de teatro, sabia? – Implicou a Hyuuga.

– A vida é uma peça de teatro Ayaka. E eu sou o protagonista aqui. – Disse Masaru com um largo sorriso brilhante no rosto e em um tom de brincadeira.

– Tudo pronto! Formação A pessoal! – Exclamou Taiki.

– Quem foi que te proclamou o líder afinal...? – Cochichou o ruivo.

Sem responder a pergunta, Taiki apenas sorriu para Masaru, deixando o mesmo tanto irritado quanto empolgado com o plano que havia sido proposto. Algum tempo depois... Logo à frente daquela pedra havia uma área relativamente plana, aquela era sem dúvida a pedra mais alta da área, as demais eram de altura mediana para baixa tendo poucos locais que serviam de esconderijo, graças à habilidade visual de Ayaka o grupo estava bem informado sobre a posição das várias réplicas da jounin, então logo começaram a agir. Taiki desceu na frente, correndo em linha reta, para quem estivesse vendo ele parecia muito descuidado, enquanto percorria o caminho até a direção do pequeno aglomerado de rochas o garoto abriu o fecho da bainha de sua espada, desembainhando-a. Se tratava de uma katana curta, sua empunhadura era bem simples e totalmente reta tal como a lâmina que tinha apenas a ponta um pouco curva.

– A primeira deve estar... Bem ali! – Proferiu o rapaz enquanto atirava a kunai por cima da pedra, se atentando a qualquer detalhe, estava pronto para agir, assim que percebesse alguma movimentação ele seria capaz de investir usando sua lâmina. Instantes antes da kunai ter sido arremessada surge uma mulher de cabelos escarlates pela lateral contrária em que foi mirada a ferramenta, o rapaz então com uma expressão empolgante avança contra a mesma que com velocidade foi capaz de segurar seu ataque com a espada com uma simples kunai.

– Bem elaborado, mas não acho que alguém seria enganado com uma estratégia deste nível. – Explicou Akane.


Naquele momento o garoto tentou socar a jounin com seu braço desocupado, tentou mirar o pescoço da mulher que facilmente segurou seu ataque, mas por algum motivo o garoto parece ter ficado contente com aquela ação, mesmo que ela não tenha funcionado.

– A ideia era essa, mas a verdadeira jogada começa agora. – Proferiu o garoto que fazia força para que a mulher continuasse o mantendo naquela posição.

– Você era a isca? – Espantou-se enquanto tentava olhar para trás.

– Lado errado! – Eis que surge o ruivo repentinamente, encoberto por uma pequena nuvem de fumaça branca, era a reversão do Henge no Jutsu, que havia o transformado em uma kunai, a mesma que havia sido arremessada pelo protagonista instantes atrás. Com apenas um chute que acertou o queixo da mulher ele foi capaz de tirá-la do chão e então pela lateral esquerda surge Ayaka que golpeava a jounin antes mesmo de a queda terminar, fazendo-a desaparecer, com isto uma de suas clones foi derrotada, mas ela não estava com a fita.

– Yahooo! Menos uma ! – Gritou o ruivo.

– Yosh! Mais dezenove, não é? – Perguntou Taiki.

– Errado, agora “só” faltam dezenove. – Proferiu o ruivo com um tom animado na voz.

– Parece que não faz mal pensar positivo. – Disse o moreno soando um pouco desanimado.

– Temos que ser positivos man... – O ruivo dizia com um sorriso bobo e um tanto inconsequente estampado no rosto.

– Poxa... Até que a nossa combinação... Foi divertida, não é? – Sorriu a Hyuuga enquanto ajeitava suas vestes. – Não faz sentido, nenhuma delas se moveu, será mesmo que só vão agir se nós atacarmos?

– Certo, Masaru você tem uma ideia não é? Posso ver pela sua cara. – Apontou Taiki.

– Claro que sim, mas para essa ideia funcionar vamos ter que nos separar...

– Como assim? – Perguntou Ayaka.

O grupo então resolveu se juntar para que discutissem a ideia de Masaru. Em algum lugar por ali, a verdadeira Akane estava misturada entre suas réplicas e analisava a situação anterior pela sua perspectiva, parecia um tanto quanto contente enquanto simulava o ocorrido.

– Eles haviam se separado pare me pegarem em um blefe muito bem feito... Primeiro desceram por trás da pedra, naquele momento Masaru se transformou na kunai que foi usada como isca, mas na verdade era a peça principal da estratégia, enquanto estava distraída com o garoto espadachim ambos me atacaram de forma bem combinada... Não imagino aquele Masaru pensando em algo do tipo... Ayaka ainda parece estar entrando no ritmo do grupo, teria sido aquele garoto?

De volta para o trio...


– Parece Loucura... Estou horrível... – Proferiu Ayaka. A mesma estava usando um Henge no Jutsu que a transformou em Maito Gai, sensei tutor do time Gai, composto por: Rock Lee, Tenten e Hyuuga Neji.

– Ele realmente veste roupas assim? Cara... Que desconfortável, acho melhor ficar sem elas. – Proferiu Taiki, também transformado.


– Faça isso e será a última coisa que fará na vida garoto! – Exclamou Ayaka, não só constrangida por estar transformada naquilo, também não tinha a intenção de presenciar algo ainda pior.

– O seguinte é que... Ouvi dizer que a Akane-sensei tem uma treta com o Gai-sensei... Ela sempre fica enjoada quando o vê e quase sempre sai correndo, é nossa maior chance! – Proferiu o ruivo, também transformado, seus olhos pareciam um par de estrelas.

– Mas para isso funcionar acho que devemos nos separar, certo? Ficando juntos vamos derrubar apenas uma. – Proferiu Taiki.

– Pode funcionar! – Disse Ayaka. Parecia um pouco menos reservada, desde que o teste havia começado sua empolgação apenas aumentava.

– Não é que possa funcionar. Vai funcionar, sem dúvidas, afinal eu elaborei o plano! – Exclamou passando a um de seus dedos sob o nariz. – ( Eu estava pensando em algo como "Triple Gai DELUXE... Strike!" mas essa também parece uma boa ideia. )

– Então, faremos o seguinte... – Explicou Ayaka em baixo tom.

Após uma breve discussão o trio acaba separando-se estrategicamente, para que possam derrubar ao menos três réplicas de Akane. Mesmo separado cada um dos membros do grupo sabia que o ataque deveria ser simultâneo, já que quando um kage bunshin é destruído sua experiência retorna para a original, desta forma Akane saberia, então uma contagem de um minuto se inicia no instante em que cada um dos membros do grupo toma sua posição.

– ( 5, 4, 3, 2, 1... Agora! ) – Pensaram.

– Yoshaaa! Akane-chan! O que faz por aqui? – Exclamou Taiki, por dentro parecia sentir uma dor incrível, por fora talvez tenha sido um ótimo intérprete.

– O que faz aqui? Estou ocupada... Xô! – A expressão de Akane estava aterrorizada, por algum motivo ela realmente não gostava nada de Gai.

– ( Bem como o Masaru disse, ela está indefesa! ) – Pensou Taiki.

Akane além de espantada estava com sua guarda aberta, Taiki por um instante imaginou em liberar a técnica, mas seria mais proveitoso lutar transformado em Gai, pois havia a chance de alguma outra réplica aparecer, mesmo que fosse pequena. Enquanto isso, Ayaka enfrentava uma das cópias da mesma maneira, deixando-a no chão apenas com sua presença, seu instinto parecia ter sido certeiro, tendo uma chance em dezenove esta réplica estava usando uma fita. Por outro lado... Masaru abusava um pouco mais da situação, já a Jounin suava frio em sua frente e sentia todo o seu corpo tremendo, Masaru apenas gargalhava de forma divertida com um sorriso reluzente.

Jūken! – Possuindo os Tenketsus de sua oponente na mira de seu Byakugan, Ayaka avança contra Akane atingindo seu peito com uma palmada de chakra.

Spoiler:
Jūken: Um estilo de luta que até hoje só foi visto pelos Hyuuga, já que possuem o  Byakugan. Sendo capazes de enxergar os Tenketsus e outros órgãos do corpo humano, assim como suas redes de chakra, eles são capazes de atingir diretamente o interior do corpo humano, se tornando algo impossível de se resistir, não importa quando treine seu corpo, por dentro é tudo igual. Apesar de ser invisível a olho nu o chakra de suas palmas possui a forma de um tipo de agulha ou lâmina de chakra.

Tenketsu: Também chamados de pontos de pressão, são simplesmente nós por onde o chakra pode ser liberado. Existem 361 tenketsu no corpo, cada um é um ponto restrito dentro do Sistema de Circulação de Chakra. Apesar de ninjas usarem chakra regularmente, muitos poucos ninjas possuem qualquer grande controle sobre seus tenketsu. Até mesmo jounin são capazes de somente liberarem uma pequena quantidade de chakra através das mãos e dos pés para aumentarem o poder de socos, pulos ou chutes. Para o clã Hyūga, cujo estilo de luta é todo baseado na manipulação do sistema de circulação de chakra, controlar os tenketsu é algo regular. O fechamento destes tenketsus através do Jūken significa a obstrução dos mesmos, fazendo o inimigo perder o controle do chakra em tal área.  

Naquele mesmo instante Masaru se aproveitou para atacar diretamente sua oponente com algo bem similar ao ataque de Maito Gai, saltando na direção da mulher com uma de suas pernas para frente como um foguete o garoto executava uma 'voadora' contra Akane.

Dynamic Entry! – Bastou um golpe em cheio com a mulher já fora de ação para que o kage bunshin fosse desfeito, Masaru então por algum motivo olhou para o chão e lá estava a fita vermelha.

No instante em que suas réplicas que foram derrotadas por Ayaka e Masaru foram desfeitas a Akane que estava de joelhos enfrentando Taiki se levantou sorrindo no mesmo instante em que o rapaz resolveu cancelar sua técnica.

– Parece que não calculou bem o tempo. – Proferiu Akane já recuperada.

– Ah... Eu não precisava fazer nada, até porque, você é a verdadeira. Pode me dar a fita? – Perguntou o garoto estendendo sua mão com um sorriso sincero.

– Haha! O que foi isso? – Perguntou Akane enquanto soltava gargalhadas. – Ninjas devem evitar combates, quando possível, não é mesmo? Parece que você entendeu bem... Mas como percebeu que eu estava entre os kage bunshins? Nem mesmo técnicas visuais conseguem destingir o verdadeiro do falso quando são réplicas tão perfeitas.

– Talvez instinto... Eu apenas vi sua expressão de medo ao me encarar daquela forma... Achei então que não era um Kage bunshin... Sua reação foi muito imediata. Eu só queria acabar isso logo, está quase na hora do almoço.

– Francamente... A fita que você procura não está comigo, eu estava dizendo a verdade quando disse que estavam com as réplicas... Mas o principal deste teste era trabalho em equipe, dentre algumas outras avaliações pessoais... Não acho mais necessário testes aqui. – Explicou Akane.

– Taiki! Parece que conseguiu também, certo? – Proferiu o ruivo enquanto se aproximava.

– Acho que... – O espadachim tentou responder, mas fora interrompido com a aproximação de mais alguém.

– Isso quer dizer estamos aprovados? – Perguntou Ayaka enquanto chegava.

– Pode acreditar que sim! – Disse Akane acariciando a cabeça da Hyuuga. – A partir de hoje... Eu, Kurosaki Akane e vocês: Hyuuga Ayaka, Sarutobi Masaru e Hakuryuu Taiki... Seremos o time número 13 de Konoha! – Informou Akane enquanto retirava uma espécie de pergaminho de um de seus bolsos, o mesmo possui uma cor branca, no centro o desenho de uma flor negra, embora fechado o mesmo estava com uma fita de cor dourada que era delicadamente removida pela jounin, deixando os jovens um tanto curiosos.

Continua...

Notas:
Notas: Espero que não tenha ficado muito corrido, me esforcei bastante para encaixar tudo isto neste capítulo para compensar o atraso que tive em postar. Agora que o novo time foi formado as missões e possíveis tramas irão começar, daqui a alguns capítulos as batalhas, que acredito que serão muito boas vão começar.
Explicações:
Explicações: Byakugan: Significa literalmente olhos albinos, é a linhagem sanguínea avançada do clã Hyuuga.
Dynamic Entry: É o ataque assinatura de Maito Gai que foi simulado por Masaru, significa literalmente entrada dinâmica.







Última edição por xKai em Sab 7 Fev 2015 - 10:43, editado 3 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 04: Uma missão de verdade! Pânico no País das Fontes Termais.

Mensagem por xKai em Dom 11 Jan 2015 - 12:18

Chapter 04:

Uma missão de verdade! Pânico no País das Fontes Termais.


Aquele sol poente cor de laranja acaba de surgir naquele belo céu limpo de nuvens, em algum lugar na área montanhosa próxima a vila de Konoha estava o trio de genins que agora, poderiam se qualificar como verdadeiros ninjas, passaram com louvor em seu teste de admissão que fora criado pela jounin dos cabelos vermelhos. Akane segurava com sua mão direita um pequeno pergaminho negro que estava fechado e laçado com um barbante dourado, naquele pergaminho existe o desenho de uma flor branca no centro do mesmo. Todos ali com exceção da jounin pareciam curiosos para saber o conteúdo do mesmo, lentamente a mulher retirava as amarras e por mim abre por completo o pedaço de papel, mostrando assim seu conteúdo.

" Aquele que trilha o caminho ninja deve ter medo e determinação.
Ninjas que não possuem medo são como flores sem pétalas.
O medo será o guia para sua força e determinação.
"

– Tá né... – Proferiu Taiki após a rápida leitura.

– Faço de suas palavras as minhas Taiki. "Tá né..." – O ruivo dizia, pela primeira vez sem aquele sorriso no rosto enquanto tentava entender a mensagem.

– Isso foi bem... Profundo Akane-sensei. – Disse a Hyuuga achando tudo aquilo estranho.

– Ora... Está tudo bem, não é para que entendam agora... Mas algum dia todos vocês serão capazes de compreender esta mensagem que é passada dentre os jounins do meu clã por gerações... É meu dever como nova tutora de vocês lhes passar esta mensagem. – Explicou. – Bem isto já era óbvio... Apesar de ter dificuldades de concentração suas notas na academia foram ótimas Masaru. Ayaka, você juntamente de alguns outros tirou o primeiro lugar com a média máxima. E Taiki-kun... Não conheço muito sobre você, mas neste teste você mostrou inteligência e senso de dever.  – Explicou enquanto sorria para todos. – A partir de amanhã seremos oficialmente o time 13, ou time Akane, como preferirem! Então nos encontraremos na academia aonde iremos até a bancada de missões para que possamos escolher algumas, sem atraso! – Despediu-se.

Todos pareciam estar bem resolutos daquele teste, talvez tenha sido até um pouco mais fácil do que o esperado, afinal Akane não parecia ser do tipo severa, apesar dela se empolgar e acabar gritando em certas situações. Aproveitando o fim de tarde o trio ficou por ali conversando, para saberem um pouco mais uns dos outros. Assim que a conversa deu-se por finalizada ambos se despedem.

– Bem... Vou indo. A casa em que vou ficar ainda está uma bagunça, deve levar uns dias para terminar de arrumar tudo aquilo. – Disse Taiki enquanto acenava para os demais.

– Não quer uma ajuda? Seis braços trabalham melhor que dois, não acha? – Disse Ayaka.

– Seis braços? A não ser que você tenha dois braços a mais Ayaka, eu só conto quatro com você e o novato ae. – Masaru ria baixo enquanto deitava-se na grama do local indicando que estava com preguiça demais pra ajudar.

– ( Esse folgado! ) –  Pensou Ayaka enfurecida.

– Não vai atrapalhar... Vai? – Na verdade ele mesmo quem já estava atrapalhado, acabara de lembrar que mais cedo enquanto arrumava suas coisas acabou bagunçando ainda mais.

– De jeito nenhum, apesar de que seria mais rápido se esse preguiçoso fosse junto.  – Indagou Ayaka.

– Sou mesmo... Afinal estou mais cansado do que todos vocês! Foi a minha incrível estratégia que venceu este exame. – Gabou-se.

Taiki e Ayaka encaram Masaru com uma expressão de tédio e alguns instantes depois olham um para o outro, sem mudar aquela expressão tediosa que encobria suas faces pesando ainda mais sob os mesmos, o garoto de cabelos escuros então começou a caminhar sem dizer uma palavra, Ayaka foi logo atrás já deduzindo que o mesmo estava indo para sua casa.

Não levou muito tempo até que chegassem, era um conjunto habitacional, um dos muitos que existem espalhados por toda a vila, olhando por fora parecia ser uma humilde residência, já em seu interior apesar de um pouco bagunçado ainda havia alguma ordem ali, Taiki parece ser um rapaz bem caprichoso, ainda que um pouco atrapalhado e tímido. Assim que passou a chave naquela fechadura e abriu a porta de madeira ele parecia aguardar por alguma coisa, era tímido demais para dizer algo como "as damas primeiro", então aguardou que a Hyuuga tivesse a iniciativa.

– Então, não vamos entrar? – Perguntou Ayaka.

– Claro, não repare a bagunça... E tem alguns pratos quebrados na cozinha, pode ignorar. – Disse enquanto retirava seus sapatos na entrada.

Logo após também tirar seus sapatos a garota o seguiu pela casa e já estavam no que seria a sala, não havia muita coisa por ali, uma pequena estante com um televisor, uma pequena mesa de estar com apenas quatro cadeiras alguns porta-retratos e por fim algumas tralhas espalhadas por todo o canto, grande parte eram caixas.

– (Me disseram que o clã Hakuryuu era um clã nômade... Como ele tem tanta coisa assim...?) – Pensou a Hyuuga.

– Então, vamos começar pelo meu quarto? – Perguntou Taiki apontando com seu dedo a direção.

– Alto lá garotão! – Exclamou a Hyuuga. – Eu vim te ajudar com a mudança, não entenda errado...

– Do que está falando? É que o meu quarto é a parte mais bagunçada da casa, minhas roupas precisam ser dobradas e passadas... E tenho que fazer a arrumação delas no armário... Mas eu acabei queimando algumas por acidente. – Respondeu o garoto constrangido.

– Haha... Parece que falei demais, não é? Então vamos lá... – ( Que mancada... Agora ele vai imaginar que eu interessada ou coisa do tipo. ) – Pensou.

– ( Ela assusta um pouco... Achei que ela fosse mais quieta do que eu, mas de repente ela fica meio séria... Me pergunto se todas as mulheres de Konoha são assim... Se bem que a Akane sensei parecia ser bem simpática... Mas também foi bem séria em alguns momentos. ) – Pensou o rapaz.

Seu quarto era pouco menor que a sala, era bem tradicional, sua cama estava em um canto da parede, próximo à janela, logo ao lado uma pequena mesa de cabeceira com um abajur sobre a mesma, ao lado da entrada do recinto uma estante com alguns livros. Ayaka se impressionou quando viu a ligeira bagunça que estava por ali, sob sua cama várias peças de roupas espalhadas, também pelo chão.

– Bem... Vamos começar com isso então! – Disse Ayaka enquanto já pegava uma muda de roupa e começava a dobrar.

– Sim. – Respondeu o rapaz que fazia o mesmo, mas não parecia ser uma dobra muito caprichada.

– Não é desse jeito... Assim vai amarrotar tudo, é assim veja só. – Mostrou como se fazia.

– Haha... Desculpe, sabe como é... Desde sempre foram apenas meu pai e eu, ele nunca me ensinou esse tipo de coisa, duvido muito que ele próprio soubesse. – Proferiu o garoto constrangido.

– ( Eu não fazia ideia... ) – Pensou Ayaka.



Academia ninja 19:55 AM


Taiki e Ayaka passaram toda a tarde arrumando a bagunçada em sua casa, enquanto isso algo importante parecia estar acontecendo em um lugar não muito longe da vila de Konoha. O velho Sandaime* Hokage expelia um pouco de fumaça de sua boca enquanto deixava seu cachimbo sobre sua mesa, quem estava diante dele era Kurosaki Akane, tutora responsável pelo recém formado time 13.

– Kurosaki Akane. Seu time acabou de ser formado e ainda não fizeram nenhuma missão, mas levando em conta a expectativa que muitos possuem em seus alunos tenho uma importante missão para seu grupo. – Proferiu o velho com um leve tom de seriedade.

– Aconteceu alguma coisa, Hokage-sama? – Perguntou Akane suando frio.

– Você deve conhecer o País das Fontes Termais, não é mesmo?

– É claro... – ( Apesar de que ele não precisa saber que eu costuma tirar férias lá... ) – Disfarçou a mulher.

– Muito bem... Iruka!  – Exclamou o Velho solicitando que Umino Iruka se aproximasse.

Iruka era um Chuunin da vila da folha, ele é um dos vários instrutores da academia ninja, logo ele também é um dos principais auxiliares do Hokage, já que trabalham no mesmo prédio, apesar de que na maioria das vezes ele é o encarregado por formar novos ninjas. Possui estatura mediana, pele morena, seus cabelos são de cor castanha com um rabo de cavalo, possui uma cicatriz de corte horizontal em seu nariz.

– O País das Fontes termais sempre foi um lugar muito pacífico, suas fontes naturais de águas quentes lhe deram muita popularidade o que sempre atraiu muitos turistas, inclusive os senhores feudais de todas as partes... Isso também atraiu muitos bandidos recentemente, como não possuem ninjas, atualmente eles estão contratando nossos serviços para que coloquemos um fim nisto. É uma missão Rank C, que pode ser classificada como Rank B com qualquer imprevisto... – Explicou Iruka.

– Mas genins recém graduados não deveriam começar fazendo as missões Rank D? Não acha um pouco exagerado...? – Contestou a mulher.

– De fato... Para uma missão como essa o time de Maito Gai seria uma melhor opção, mas eles estão em missão do País da Geada. – Explicou o Hokage.

– Entendo... Neste caso vou reuni-los imediatamente! Partiremos assim que possível. – Indagou a mulher, a seguir a mesma usou um Sunshin no Jutsu desaparecendo, deixando apenas um rastro de fumaça que se dissipa imediatamente.


Ruas de Konoha 20:40 AM


Ayaka e Taiki caminhavam pelas ruas do vilarejo, após terem cuidado de alguma arrumação na casa do rapaz, a mansão dos Hyuuga não fica tão longe do complexo habitacional onde o garoto mora, logo se ofereceu para levar a garota até sua casa, mesmo com a insistência negativa da mesma.

– Taiki-kun... Não precisa me levar até lá, nada vai acontecer pelo caminho! E meu tio vai acabar tendo um pensamento errado sobre isso.

– Não tem problema. Meu clã foi nômade a muito tempo, mas atualmente estamos vivendo em um vilarejo e já fazem alguns anos sabe... Nós os homens do clã, sempre fomos ensinados algumas formas de cavalheirismo... Deixar uma garota ir para casa sozinha no meio da noite não é algo muito bem visto para gente. – Explicou o garoto.

– Ah... Se é assim... Quem sou eu para quebrar os métodos de etiqueta do seu clã... – ( Por m momento achei que ele estivesse achando que isto era algum tipo de encontro... Uff! )

– Aí estão vocês! – Gritou Akane se aproximando.

– Yo, sensei! – Cumprimentou Taiki.

– Parece animado... A propósito, onde estavam indo... Juntos? – Perguntou a jounin fitando um sorriso de lado com um certo ar malicioso.

– Sensei! Ande logo e nos conte o que aconteceu! Digo pra você ter vindo com essa correria toda e gritando... – Perguntou Ayaka mudando de assunto.

– O Sandaime Hokage-sama acaba de nos passar uma missão que deve ser iniciada com urgência! Onde está o Masaru?

– Vai saber... – Respondeu Taiki também curioso.

– Ele não aceitou vir com a gente... Agora não faço ideia, será que está na casa dele? – Deduziu a Hyuuga.

– Ele realmente parecia estar com sono... Vai ver foi dormir.

– É exatamente o que estava a fim de fazer, mas deu preguiça de ir até a minha casa... Então achei que seria legal seguir vocês e ver se faziam algo de interessante... Mas francamente, ô casalzinho desanimado! Vocês não sabem entreter ninguém! Então eu fiquei entediado e fui tocar musica junto com um senhor bêbado na rua que estava pedindo esmola*. Conseguimos 100 ryo, ele me deu 25!  – Falou Masaru enquanto emergia de um beco escuro próximo de onde estavam todos reunidos. Em suas costas havia um estranho instrumento musical com o formato de uma viola, porém com somente três cordas. – Yo! Sensei.

– MA-SA-RU! Vou te matar! – Proferiu a Hyuuga, a tensão era tanta que pareciam sair chamas de seus olhos.

– An? Ayaka-chan estava só me ajudando com a arrumação... Não aconteceu nada! – Taiki por outro lado estava tão confuso que enquanto seus olhos giravam de um lado para o outro sua face estava inteiramente rosada, até parecia que estava para desmaiar devido a tontura.


– Já chega! Peguem seu equipamento ninja e me encontrem nos portões, explicarei a missão no caminho. – Exclamou a jounin cortando toda a situação.

– Sim! – Exclamam todos enquanto se dirigiam rapidamente para suas residências preparar seu equipamento.


Konoha - Entrada 21:00 AM

Akane e seu trio de genins enfim se reúnem todos estavam trajando suas vestimentas ninjas, de acréscimo em seu visual apenas um manto de cor pretas que possui um capuz, normalmente usado em missões que envolvem longas viagens, ou até mesmo para se protegerem do clima ou não serem reconhecidos. Akane correu na frente de todos, pela estrada, imediatamente todos os três a seguiram, antes mesmo do fim da estrada todos abandonam a mesma e seguiram por entre os galhos das árvores executando demorados saltos, a ilusão era de que estavam todos voando, seu destino o País das Fontes Termais.



Continua...

Notas:
Sandaime = Terceiro | Sandaime Hokage = Terceira Sombra do Fogo
A situação do velho senhor descrita por Masaru é uma referencia a música “Save my soul” que diz “I've seen old men drunk singin the blues”, ou seja, vi um velho bêbado cantando blues.  


________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 05: Que a missão comece!

Mensagem por xKai em Dom 18 Jan 2015 - 17:10

Chapter 05:

Que a missão comece!



País do Fogo - Redondezas 22:05 AM


O desesperado grupo composto por quatro ninjas ainda percorre as vastas florestas que rondam o país do fogo, executando precisos saltos por dentre aqueles galhos, era de fato uma estrada florestal, algo que apenas os ninjas conseguem usar com perfeição, uma pessoa normal mal seria capaz de subir uma destas árvores.

–  Sensei! – reclamou Masaru, parecia muito sonolento. – Quando vamos parar para descansar?

–  Oras... Não foi você quem vadiou a tarde toda? Como pode estar cansado? – perguntou Ayaka lhe dando uma bronca.

– Mais importante do que isso... Sensei, qual exatamente é a nossa missão? – perguntou Taiki, estava bem curioso.

– Aparentemente é uma missão simples para nós... O País das Fontes Termais não possui uma força ninja como Konoha, são poucos ninjas e seu padrão é muito inferior, arrisco dizer que um jounin deles seja mais fraco que a média de nossos genins...

– Sério, eh? – Masaru a encarou com uma expressão de espanto.

– Ah... – expressou Akane com tom de concordância. – Nosso principal objetivo é receber um relatório de seu líder político, o Senhor Feudal do País das Fontes Termais, seguindo o relatório iremos fazer uma caçada e limpar a capital destes arruaceiros que estão arruinando a economia local... Muito provavelmente, ele irá nos fornecer dados sobre tais criminosos.

– Parece preocupada sensei, tem algo mais que deveríamos saber? – perguntou a jovem.

– Na verdade sim... Se estes bandidos fizerem parte de algum tipo de quadrilha, talvez eles tenham fundos o bastante para contratar ninjas, como nós. Em outras palavras, esta missão que foi qualificada como Rank-C pode repentinamente se tornar uma missão de Rank-B, talvez até Rank-A. – explicou a jounin. – Mas não precisem se preocupar! Eu estou aqui, viva e atenta ao perigo, a propósito o que acham de montarmos acampamento naquela clareira, logo ali em baixo? – perguntou enquanto já se dirigia para o local.

O trio de genins trocou olhares, percebendo que não tinham sequer a opção de contestarem a jounin seguiram o caminho que a mesma fez, executando saltos pausados verticalmente, assim descendo até o solo. Era uma área circular bem no meio da floresta, nada de especial, era de tamanho suficiente para um pequeno acampamento.

– ( Será que ela está nos testando? Para nós ninjas, fazer um acampamento em lugar que visto de cima é bem visível... Acho melhor fazer algumas armadilhas sonoras, por precaução. ) – pensou o garoto enquanto observa incansavelmente o perímetro.

– Ma-sa-ru! – gritou a menina com segundas intenções. – Vou ajudar a Akane sensei com o acampamento, vocês e o Taiki-kun por favor busquem algo de comer e lenha para fogueira.

– Pff... Droga essa aí só vem para cima de mim quando precisa de algo... Ainda bem que ela tem pernas bonitas... Senão eu não faria nada... – resmungou Masaru de forma que somente ele e talvez Taiki pudessem ouvir.

– Desculpe, vou dar uma volta por aí e armar algumas armadilhas. Masaru-kun... Por favor, olhe bem pro chão caso precise usar o 'banheiro' de noite. – disse o rapaz imaginando que Masaru seria o único ali que podia cair na armadilha por acidente.

– Okay Taiki, mas não vou cair em nenhuma armadilha, eu sou bom demais para isso... Yosh... Vou buscar comida e lenha. Vou derrubar uma árvore e assar uns 3 javalis. – dito aquilo, cada um se dirigiu para uma direção afim de cumprir suas obrigações no acampamento.

O rapaz de cabelos negros não encarou aquilo que foi dito por Masaru com muita confiança, tinha certeza que ele poderia acabar por estragar a armação da armadilha de alarme que estava indo fazer utilizando linhas de nylon e latas. Qualquer um que passar pela linha ativaria a armadilha, balançando as latas que fariam bastante barulho, próximo à linha principal estará um fio mais fino, que dificultaria ainda mais sua visibilidade. Taiki estava cerca de 200 metros do acampamento, parecia fazer algum tipo de checagem por ali, diferente dos demais ele foi treinado em ambientes selvagens, sendo assim seu conhecimento neste tipo de situação era equiparado ao de sua instrutora. A floresta em questão não era muito densa, mas havia muita vegetação rasteira e árvores frutíferas, mesmo um louco como Masaru conseguiria achar frutas comestíveis neste ambiente, enquanto ajeitava s últimas amarras, Taiki repentinamente escuta uma bela melodia, aquele som era bem convidativo, curioso, logo foi atrás para ver de onde vinha aquela canção.




Havia uma pequena clareira logo atrás de alguns arbustos, uma silhueta de longos cabelos estava sentada sob uma rocha, pela sombra o instrumento que tocava era uma flauta, também pelas notas emitidas, era linda, Taiki parecia hipnotizado por aquele som, no entanto enquanto se aproximava o mesmo pisou em alguns galhos quebrados que estavam no solo, emitindo m som desagradável que acabou por espantar a pessoa que estava tocando aquela música sob a luz da lua, a velocidade em que aquela pessoa saiu era incrível, aquela pessoa sem dúvida era um shinobi.

– Foi embora... – proferiu o garoto enquanto olhava para aquela lua cheia.

– Taiki! – gritou Akane a sua procura. – Vamos, temos que dormir! Oras, você se afastou demais do acampamento, o que veio fazer aqui? – perguntou.

– Nada demais... Vamos indo sensei! – disfarçou enquanto voltava para o acampamento.

Quando o garoto se afastou Akane fitou aquela bela lua cheia que iluminava o céu estrelado, em sua expressão estava com certa desconfiança, não é a toa que ficou bem exaltado pelo garoto ser saído do acampamento, logo sua expressão volta ao normal e a mulher parte caminhando em lentos passos, de volta para o acampamento onde passariam a noite, antes do meio dia da manhã seguinte eles provavelmente já estarão na capital do País das Fontes Termais.


Vila Oculta das Fontes Termais - Ruas 08:40 AM


Bem antes daquilo que era previsto o grupo consegue chegar até a Vila Oculta das Fontes Termais, capital do País das Fontes Termais. Já estavam de café da manhã tomado, pois acordaram bem cedo naquela manhã, mesmo com alguns contratempos durante a noite, mas havia sido algo interessante, era a primeira vez que o grupo montou um acampamento em conjunto, o fato de nada ter acontecido era algo a ser comemorado, mas caso tivesse, todos estariam preparados naquilo que lhes fosse possível. Taiki parecia estar apaixonado pelo local, olhava para todas aquelas fontes e estabelecimentos comerciais, sua face parecia estar ficando cada vez mais rosada, talvez pelas muitas belas mulheres que ali habitam ou também poderia ser vontade de mergulhar naquilo que era considerado como as melhores fontes naturais de todo o mundo, Masaru não perderia a oportunidade de provocar o garoto.

– Temos uma missão! Não fique aí sonhando com garotas, como fez noite passada, só ficava falando daquela pessoa que tocou a flauta... Blah, blah e blah... Mas... Seria legal se eu fizesse um dueto com a menina misteriosa – implicou.

– Hunf... Algo errado, Masaru-kun? Eu podia ter jurado que ouvi o som de uma das armadilhas sendo disparada ontem à noite, certeza de que não foi você enquanto usava a 'moita' durante a noite? – retribuiu a provocação, ambos trocavam olhares, parecia que algum tipo de corrente elétrica interligava seus olhos que faiscavam um contra o outro.

– Podem por favor parar com isso? Macaco duplamente idiota! Você também... PER-VER-TI-DO! – apontou a garota enquanto caminha em passos mais rápidos, ficando exatamente ao lado de Akane.

Curiosidades:
Nesta frase, Ayaka chamou Masaru de "Macaco duplamente idiota" fazendo um pequeno trocadilho para com seu nome. Saru quer dizer Macaco, o nome completo de Masaru é Sarutobi Masaru, tendo a palavra "SARU" repetida em seu nome por duas vezes.

– Pervertido? Ayaka-chan, vai mesmo se importar com algo que este macaco disse? Eu só estou interessado nas casas de banho, não nas pessoas. – argumentou.

– Parece que estão se entendendo bem, não é? – sorriu a jounin.

– Sensei... Sua visão sobre nós parece ligeiramente distorcida. – comentou a garota em tom de alívio.

– Ligeiramente?! – Masaru exclamou com aquele tom de voz prepotente. – Olha sensei, as pessoas nascem bonitas ou inteligentes, nunca os dois... Você está linda hoje.

Naquele momento o ruivo somente pode sentir o tapa de Ayaka vindo de suas costas e o acertando na parte de trás da cabeça com força o suficiente para fazê-lo engolir qualquer outro comentário.

– Sua sorte é a sensei ser calma, se fosse eu já tinha te mandado de volta a vila com um único chute. – disse a Hyuuga segurando a raiva em suas palavras.

– Não fique irritada Ayaka, nós mulheres não podemos nos estressar, é em momentos assim que as rugas podem aparecer. – proferiu sorrindo. As melhores equipes surgem assim! A rivalidade os deixará mais fortes em um instante. – pausou. – Garotos! Acelerem o passo vocês aí, ali está a entrada para a mansão do Senhor Feudal do País das Fontes Termais, iremos reportar que chegamos em segurança e pegaremos os detalhes adicionais para enfim começarmos as missões! Ele é uma pessoa muito importante, por tanto não falem nada que seja desnecessário, na duvida fiquem em silêncio! – explicou com um olhar intimidante. – ( Saco... Provavelmente Ayaka e eu somos as únicas que conseguirão um diálogo formal com o senhor feudal, espero que estes dois não façam besteira. ) – pensou enquanto girava lentamente seu pescoço na direção dos rapazes que caminhavam aos trancos, um parecia querer derrubar o outro com encontrões enquanto caminhavam na mesma direção.

– ( Esse cara... Ele tem coragem para falar com a sensei desse jeito. Esse jeito calmo dela... Assusta. ) – Pensou Taiki com uma expressão ligeiramente apavorada.

A mansão era bem grande, em sua fachada cores bem chamativas como o vermelho e o amarelo deixavam aquele lugar com uma aparência bem convidativa, também demonstrava bastante a riqueza do proprietário. No jardim existem muitas pedras e um pouco de vegetação rasteira, não muita, já que neste tipo de ambiente com fontes quentes elas não costumam crescer muito bem. As portas duplas da entrada eram muito grandes, deveriam ter uns três metros e meio de altura, feitas com um tipo de madeira muito nobre, mesmo para um Jounin seria uma porta bem difícil de atravessar. Logo ali no interior havia um saguão onde alguns homens armados os aguardavam, o local era grande, porém não haviam móveis ou decoração por ali, a não ser pelas grandes escadarias em forma espiral que levam até o próximo andar. Aqueles homens usavam bandanas com o símbolo da Vila Oculta das Fontes Termais, logo eram ninjas que estavam de guarda, assim que avistaram o grupo de Akane iriam começar uma rápida inspeção onde teriam que deixar seus equipamentos para que possam visitar o Senhor Feudal.

– Tch... A Kotetsu e eu nunca nos separamos... – reclamou Taiki, estava muito relutante sobre deixar sua espada sob os cuidados daqueles homens.

– Taiki-kun é só uma espada, você a pegará de volta em breve. – proferiu a Hyuuga lhe confortando, desta vez fitava um sorriso bem convidativo.

– Por isso eu carrego meu Shamisen escondido dentro de um pergaminho usando uma técnica de invocação. – retrucou Masaru.

Curiosidades:
Kotetsu: Taiki referiu-se à sua espada, que na verdade se chama Raikou Kotetsu, Kotetsu é apenas uma abreviação e pode ser traduzido como "sucata de metal". Seu nome completo pode ser traduzido como "Lâmina do imperador dos raios"
Shamisen: é um tipo de viola oriental que possui três acordes, possui um som bem característico, no caso de Masaru é sua principal arma, seu Shamisen possui um tipo de estrutura que lhe proporciona uma boa capacidade para desferir ataques e criar ilusões com o som que é emitido por ele.

Assim que tiverem seus armamentos confiscados temporariamente, um dos homens acompanhou o grupo escada acima, havia ali um grande corredor repleto de portas, cada uma delas guiaria para um diferente cômodo, no fim deste corredor estava uma porta dourada, esta era a passagem para a câmara do Senhor Feudal, a maçaneta daquela porta parecia feita de diamante, como aquela joia era bela.

– Por favor entrem. Meu senhor ficará feliz em recebê-los. – proferiu o homem ao abrir a  porta.

Seguindo a instrução daquela pessoa todos adentram a câmara do Senhor Feudal. A sala possui uma forma quadrada, é bem grande e possui um belo lustre na parte central superior, nas paredes vários painéis com pinturas orientais, aquele cheiro de incenso tornava-o um lugar bem agradável. No centro da sala quatro almofadas estavam no chão, estas servem para que as pessoas sentem nas mesmas de joelhos. O senhor Feudal estaria logo atrás daquele par de cortinas poucos metros à frente da posição das almofadas.

– O tempo de vocês foi impecável. – disse o homem enquanto as cortinas se abrem. – Espero que meus homens tenham sido educados com vocês... Querem algo para beber, ou quem sabe para comer?

Masaru provavelmente estava pronto para fazer alguma gracinha, entretanto Taiki e Ayaka estavam lá para impedir, enquanto um segurava seus braços o outro tampava sua boca enquanto fitam em suas faces uma expressão bem desequilibrada.

– Muito obrigado por sua hospitalidade Daimyō-sama.  Acabamos de chegar de viagem e ainda não nos refrescamos, mas antes de tudo, poderia nos dar mais informações sobre nossa missão? – perguntou Akane.

Curiosidades:
Daimyō: Significa Senhor Feudal.
Sama: é um complemento de respeito para alguém importante.

– Recentemente uma organização criminosa se formou em nosso país, seu líder é um criminoso ex-ninja que raramente é visto ou se envolve em algum confronto. Ultimamente muitos de seus homens foram visto cometendo roubos e latrocínios pelo país... Recentemente parecem ter marcado a Vila Oculta das Fontes Termais como local de suas atividades, como recebemos visitas de pessoas importantes e outros senhores feudais, não posso permitir que isto prossiga. Os fundos do vilarejo em grande parte estão sendo direcionados para a academia ninja que estamos fazendo, de forma que eu não possa pagar por uma missão superior a Rank-C... Vocês devem estar imaginando que os enganei, mas a situação está um pouco, além disto... Ainda assim desejam continuar a missão.

Akane ficou pensativa enquanto terminava de escutar o que lhe fora dito pelo senhor feudal, estava bem tranquila, mas suas mãos bem inquietas, não sabia o que dizer numa situação como aquelas, a vida de seus alunos estão sob sua responsabilidade, talvez recusar a missão que poderia se tornar algo grande seria melhor.

– Akane-sensei, vamos fazer! – exclamou a Hyuuga colocando a mãos sob seus ombros.

– Ayaka?

– Concordo com ela sensei! Já estamos aqui no fim das contas. – disse Masaru.

– ( Não trema Taiki...! ) – pensou. Akane-sensei, não podemos deixar um país companheiro na mão, não é mesmo? – Proferiu o garoto sorrindo de uma ponta à outra.

– Como quiserem... – suspirou aliviada. – Daimyō-SAMA, o time 13 de Konoha está encarregado desta missão. – disse a mulher o cumprimentando enquanto se levantava. – Vocês três, venham!

Após deixar a mansão e pegar de volta seus equipamentos todos os quatro se reúnem por ali, parecia que Akane faria um outro sermão, desta vez explicado como que eles deveriam dar início a missão.

– Em uma situação como essa uma missão pode ser um pouco complicada. Não possuímos muitas informações, em outras palavras quero que se misturem com a população, para isso vamos esconder nossos protetores de testa e nos separar. – explicou. – Qualquer atividade que acharem suspeita considerem como atividade inimiga e faça o possível para segui-lo ao mesmo tempo em que deverá mandar algum sinal para os demais. – estou entendida?perguntou.

– Hai! – exclamaram todos os três.

– Dispersar! – sinalizou Akane.

Todois então removeram seus protetores de testa para iniciar a camuflagem, assim que a jounin mandou o sinal cada um correu para uma direção diferente, dando assim início à sua primeira missão, onde deveriam procurar pelas atividades suspeitas, para então rotular os bandidos e iniciar as negociações ou um possível confronto contra a gangue de criminosos.

Taiki se dirigiu para a parte central da cidade, onde são localizadas a maior parte das casas de banho da região, o garoto parecia bem interessado em experimentar uma delas, desviando um pouco do objetivo principal desta missão. O garoto parecia estar muito distraído enquanto procura pela casa de banho mais popular, sua face mais uma vez ficava bastante rosada só de imaginar seu corpo imergindo nestas águas. Logo ali, à poucos metros do garoto um homem com o rosto coberto e equipamento ninja parecia espionar o rapaz, não demorou muito para que o mesmo resolvesse o atacar, atirou então três kunais contra o rapaz, uma para a direita, uma para a esquerda e uma pelo meio, dificultando suas chances de esquiva.


Na parte mais ao norte onde existe alguma vegetação, Ayaka procurava por algo suspeito, a jovem também não estava focada cem por cento em sua missão, parecia bem interessada nas belas flores que haviam nos jardins de algumas casas, lamentando por não poder entrar para ver de mais perto, afinal seria invasão. Um homem também vestido de preto fitava um sorriso malicioso contra a garota, a atacando pelas costas com uma corrente, laçando o corpo da jovem que fora surpreendida pelo movimento sorrateiro.

Masaru estava achando tudo aquilo um pé no saco, mas mesmo assim cumpria com aquilo que lhe foi ordenado, porém era facilmente seduzido por novidades, era um rapaz no mínimo curioso, sempre que avistava algo que nunca havia visto ele parava para analisar, assim logo parecia ter esquecido do real objetivo de estar ali, ainda assim caminhava bem sorridente. Assim como os ataques anteriores, um homem, também de preto estava à espreita, Masaru parecia ter percebido a presença do cara e logo gritou.

– Vai ficar só me seguindo aí ou vai cair dentro? Hein, seu maricas. – provocou.

Akane estava caminhando por um bairro nobre do vilarejo, estava conversando com os habitantes e colhendo informações, sem dúvidas ela sabia a muito bem o que estava fazendo, diferente dos mais jovens que apenas vadiavam por aí. Aqui eram três homens os perseguidores, eles pareciam carregar em mão um livro onde haviam informações sobre ela. Este tipo de livro é chamado de Bingo Book, onde estão informações de ninjas e o preço de sua cabeça no mercado negro. Pareciam bem cautelosos, mas não imaginaram que a jounin já estava ciente de sua espionagem e continuava caminhando para os limites da vila.

–  ( Isso mesmo... Venham direto para mim. ) – pensou sorrindo.



Continua...



Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 22:33, editado 6 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por DarkZoroark em Sab 24 Jan 2015 - 13:25

xKai o/
Demorei um pouco mais do que o prometido, mas cheguei... Antes tarde do que nunca. Fui reler tudo antes de postar esse comment - aliás, já me desculpando antecipadamente, este pode acabar sendo menor do que a minha média habitual. Em geral, quando tento expor minha opinião sobre um projeto já em andamento o texto acaba sendo curiosamente menor do que se fosse fazer de apenas um capitulo. Enfim, sem mais delongas, vamos ao review:
Apesar de considerar o mangá e o anime Naruto muito bons, em geral eu acabo ficando com um pé atrás em relação as Fanfics do mesmo pois a boa maioria - ao menos no Fanfiction.com - são puxadas pra um romance muito exagerado. Sério, é dose ter um amasso e umas cantadas a cada três parágrafos. Curti que, pelo menos até o momento - sim, sei que cinco capítulos é pouco, principalmente tratando-se de Naruto, mas já vi cada loucura - que não haja um romance tão presente. Só para me justificar, não tenho nada contra o gênero, mas sou contra uma história que deveria ser direcionada a ação/aventura, por exemplo, acabar tendo um toque tão pesado de romance.
Enfim né, achei interessante ser uma história situada dentro da trama principal, mas que puxa para um lado completamente novo. É um estilo de Fanfics que eu gosto bastante, já que expande o universo principal e ainda mantém-se fiel ao mesmo. Gostei da desenvoltura dos protagonistas, cada um com uma personalidade distinta. Não sou tão fã assim do Masaru, mas isso é mais por gosto mesmo - não sou fã de "personagens cabeça nas nuvens". Do grupo mesmo quem eu mais gostei foi a Ayaka... Achei uma personagem bem interessante e, diferentemente da maioria das genin femininas durante o primeiro arco, útil. O Taiki também é muito legal, bastante enigmático.
Enfim né, como é apenas um overview, não tenho muito para falar sobre a história específicamente. Fico no aguardo do próximo capítulo. ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 06: A suspeita de Akane. O alvo é o Sharingan!

Mensagem por xKai em Ter 27 Jan 2015 - 15:22

Leia primeiro:
A partir deste capítulo, toda as palavras em japonês 'novas' na fic terão sua tradução nas notas finais do capítulo, caso tenham alguma dúvida durante a leitura basta ir até o fim da página para tirá-la.
Comentários:
DZ: Fala cara, faz bastante tempo que você não aparece numa fic minha -q Mas enfim tem estado bastante ocupado com seus projetos pessoais, então tá perdoado. Este capítulo está um pouco maior que o último, eu acho, ou pouca coisa de diferença, mas acho que está agradável de se ler, espero que curta os acontecimentos deste capítulo, pois algumas revelações serão citadas aqui. Obrigado pelo comentário e continue passando por aqui. Sobre o lance de romance man, talvez role alguma coisa por aqui sim, mas nada exagerado

Chapter 06:

A suspeita de Akane. O alvo é o Sharingan!

As kunais arremessadas na direção do protagonista miravam pontos críticos do garoto, que de costas para o adversário e sem ter detectado sua presença estava com seu destino traçado, eis então que aquele som desagradável de carne sendo perfurada pelas facas e então um grito de dor ecoam no ambiente, tornando a expressão séria do homem mascarado em uma sensação de prazer. Parecia ter sido o assassinato perfeito, porém antes mesmo de cair no chão o corpo libera uma fumaça branca transformando-se em um tronco de madeira, onde estavam fincadas as três kunais, se tratava de um Kawarimi no Jutsu, um ninjutsu básico.


– Moleque desgraçado! Onde foi qu-! –  era interrompido.

Naquele ínfimo instante em que o homem expressou seu fracasso, o jovem genin surge por detrás do homem golpeando suas costas e nuca com o cabo d sua katana. stava com com seus braços ligeiramente trêmulos, mas um mero bandido deste nível não conseguiria ler tais entrelinhas.

– Vai precisar de mais do que isso, se é mesmo que você queria me enganar. – proferiu o garoto. seus olhos estavam de um tom diferente do normal, eram de vermelho sangue. No interior de seus olhos, rodeando sua iris, estavam duas pequenas esferas, tomões de cor negra, era o Sharingan. Após ter seu adversário amarrado Taiki inicia sua coleta de informações, tentando arrancar algo do homem, quando acaba por lembrar que algum tempo atrás Akane havia lhe dito que assim como eles foram contratados para o serviço os bandidos também poderiam ter contratado ninjas... Era um tanto quanto suspeito bandidos carregarem kunais que são equipamentos ninjas, ainda mais as utilizando de forma correta, o que era preciso algum treino.

Não muito longe dali, Ayaka parecia estar tendo alguns problemas, um homem trajando as mesmas vestimentas daqueles que atacavam simultaneamente o trio de genins a lançou uma corrente na forma de laço, apertando-a enquanto a puxava em sua direção, apesar de parecer sem ação após ser capturada a fitava em sua face um sorriso bem confiante, ativando sua técnica ocular, Byakugan ela concentra um pouco de chakra nos próprios poros, analisando-os com seu Byakugan e então libera uma quantidade de chakra o suficiente para afrouxar o laço executando assim uma perfeita escapada, logo em seguida a garota puxa a corrente com muita força, trazendo consigo aquele que a empunhava. A garota agora estava em sua postura de combate, aguardando o adversário que voava sem controle em sua direção graças à força que foi usada para puxá-lo.

Jūkengritou enquanto golpeava o peito do elemento com apenas um golpe o empurrando de volta, desta vez deixando-o zonzo. – Essa é uma arma shinobi, não é? Parece que vamos ter uma longa conversa... – disse a jovem em um tom ameaçador enquanto se aproximava do elemento, ameaçando-o com seus punhos serrados.

Enquanto isso, Masaru, que já havia detectado seu oponente sorria de uma forma um tanto feliz esperando que o ninja escondido o atacasse

– Como é que um genin pode ter tanta confiança diante um perigo – pensou o homem enquanto saía de seu esconderijo.

Naquele instante o ninja atacou o ruivo com ferocidade em uma única investida enquanto segurava kunais em suas mãos, o alvo era o pescoço do genin que se mantinha parado até o ultimo instante quando, em uma velocidade ainda maior desviou do golpe deslizando por debaixo de seu oponente e ficando de frente as costas do mesmo.

– Essa luta terminou. – proferiu Masaru em um tom vitorioso.Konohagakure Hidden Taijutsu Ougi: Sennen Goroshi!

No momento em que disse o nome do jutsu, os olhos do ruivo brilharam em um olhar maléfico e uma risada baixa escapou por entre os dentes brilhantes expostos em um sorriso macabro. Ele uniu as mãos na forma do selo do tigre com os dedos indicadores e médios para cima e logo golpeou seu oponente com aquela formação de mãos em um golpe único e forte entre as nádegas do ninja vilão, que soltou um grito e caiu colocando a mão direita sobre o “ferimento”.
– Esse jutsu é muito perigoso... De uma forma diferente. –  disse o garoto tentando segurar mais uma risada então deu dois passos ficando ao lado do ninja e deu um chute em seu rosto para desmaiá-lo.  


No outro lado da vila Akane continuava caminhando, ciente de que estava sendo seguida por um trio de homens mascarados, que a propósito trajavam as mesmas vestes camufladas que os anteriores estavam vestindo. De repente a jounin para de caminhar e se vira para trás onde estavam localizados os elementos que a perseguiam, logo então ela levanta vagarosamente sua mão direita acenando sorridente para os homens, quando uma pequena nuvem de fumaça surge desaparecendo com seu corpo, se tratava de um Kage bunshin no Jutsu. A verdadeira Akane surge atrás dos homens executando selos de mão em velocidade surreal, executando um salto para trás enquanto prepara sua técnica.

Yōton no Jutsu! – gritou enquanto emitiu uma forte onda de chakra na direção de um grupo de construções abandonadas, fazendo-as derreter gerando um cerco de magma deixando o trio de criminosos totalmente encurralados. Yōton no Jutsu trata-se de uma Kekkei genkai, é a combinação de chakra dos elementos terra e fogo. A mulher então se aproximou em lentos passos com uma expressão estranhamente simpática. – E agora... Quem é que vai ser o primeiro a me explicar o que está acontecendo? Por favor, não me façam repetir, odeio ficar de mal humor. – intimidou.

Os criminosos estavam completamente sem ação, a jounin os tem na palma de apenas uma de suas mãos, aquele olhar maléfico em sua face apenas confirmava isto... Era uma mulher que em campo de batalha se tornava um verdadeiro monstro. "The Burning Rose", assim ela era chamada por seus inimigos. Bela como uma rosa, mas seus espinhos afiados emitem mais chamas que o mais profundo inferno.




Alguns minutos se passaram, talvez meia hora, poucos instantes mais ou menos, não fazia diferença. Ayaka, Taiki e Masaru estavam reunidos no local onde haviam se dispersado. O mais curioso ali não era o fato de todos os três terem capturado os ninjas criminosos, mas sim de que Ayaka e Taiki foram cautelosos, deixaram os mesmos conscientes para que lhes fornecessem alguma informação, já Masaru... O ninja que o ruivo capturou além de estar bem machucado estava totalmente fora de ação.

– Masaru-kun... Eles não eram grande coisa, precisava detonar tanto assim o cara? – dissera Taiki com uma expressão de superioridade.

– Olhem só... Ele está aos pedaços, não da pra tirar informação com ele desse jeito, se ele conseguir sentir os membros já é um verdadeiro milagre. – implicou Ayaka.

–Era mais fácil carregar ele desmaiado, ele é bem mais útil assim, em minha opinião... Pelo menos dá pra usar de peso de porta – disse o ruivo como se tentasse explicar sua ação sem sentido.

– Idiota... – disseram como em um dueto.

– Aí estão vocês! – chegara a jounin líder. – Parece que está tudo bem aqui, conseguiram alguma informação?

– Ah... Esses caras não são ninjas, estão vestidos como ninjas. – falou Taiki decepcionado.

– Haha! Minha informação certamente vai surpreender vocês todos! Er-ham...  Além de não serem ninjas, eles pertencem à quadrilha que anda causando furtos e latrocínios, ou seja, estamos no caminho certo. – explicou Ayaka.

– Acho que não preciso perguntar nada para você, não é mesmo Masaru-kun...? – perguntou Akane com um sorriso falso, por dentro era trágica a sua decepção.

– Nada de muito útil, esse cara aqui se chama Makoto, conseguiu 200 ryo assaltando um senhor semana passada. Disseram a ele que para nos caçar, pois nossa presença ameaça os ‘negócios’ deles. Não tive tempo de conseguir mais informações, não sei se isso é verdade. – Disse o ruivo com um sorrisinho esnobe no rosto.

– ( Como ele conseguiu a informação?! ) – pensaram mais uma vez em sincronia.

– Também andei esbarrando com alguns destes falsos ninjas por aí... O que tenho para explicar não pode ser dito em um lugar aberto como este... O Daimyō-sama teve a gentileza de nos oferecer hospedagem, tanto na mansão, quanto em suas casas de banho. – pausou. – Lá explicarei melhor os detalhes, após isso é bom que todos nós nos preparemos, uma batalha será inevitável. – proferiu trincando os dentes após deixar aquele ar de mistério.




Como havia duas mulheres no time estavam todos divididos em dois quartos, a dupla feminina em um e a dupla masculina no restante. Naquela ocasião todos estavam reunidos no quarto aonde iriam pernoitar a dupla feminina. O quarto em questão não era muito grande, mas era de um luxo que só vendo, as camas eram grandes e com colchões e travesseiros grandes e macios. As paredes eram vermelhas e o teto era branco, também havia um grande lustre de diamantes ali. Os móveis do quarto eram bem requintados, um grande espelho com as bordas douradas, uma bela escrivaninha com madeira de pessegueiro, estes eram aqueles que mais se destacavam, ali existem coisas que existem na maioria dos quartos, guarda-roupas, mesa de cabeceira, abajur, mas todos eles bem caros. No centro do quarto estavam todos sentados sob algumas almofadas, Akane finalmente iria explicar sobre sua descoberta.

– Vocês lembram que no caminho para cá eu disse que havia a possibilidade desta missão acabar se tornando difícil? Parece que eu estava certa, nem mesmo o Daimyō-sama sabe sobre isto, caso contrário a missão seria qualificada como Rank-A ou B. – suspirou. – Assim como nós, que fomos contratados pelo Daimyō-sama o inimigo, no caso, uma quadrilha de bandidos fizeram a mesma coisa... Como é um trabalho sujo acredito que eles tenham contratado algum Nukenin, deve ser alguém perigoso e provavelmente deve estar sendo bem pago.

– Nukenin? – espantou-se Ayaka.

– O que é um Nukenin? – Perguntou Taiki.

– Ora, ora! Não sabe o que é, an? – implicou Masaru.

– Não. Você sabe?

– É claro! Nukenin é... Nukenin é aquilo que... É como o nome diz! – contornou o ruivo.

– Idiota... – disse Ayaka. – Nukenins, além de criminosos são ninjas fugitivos que fugiram de sua própria vila.

– Muito bem Ayaka. Para se tornar um Nukenin a pessoa geralmente tem bastante confiança em seu poder, pois uma vez que se torna um não há mais volta, será caçado pela anbu até os confins da terra. – explicou. – Irei passar o relatório do que fizemos hoje para o Daimyō-sama, porque não descansam e tomam um banho quente? Ah, é bom sobrar tempo também para checarem seus equipamentos, como disse anteriormente uma batalha será inevitável. – encerrou.




Assim como foi dito a eficiente jounin tratava de explicar a situação para o senhor feudal que ouvia atentamente todo aquele discurso, a expressão de espanto em sua face parecia bem exagerada, ele parecia se sentir ofendido por uma quadrilha rica como esta estar agindo desta forma bem debaixo de seu grande e gordo nariz, que por sinal era bem grande, mas um tanto quanto pequeno comparado com seus dedos polegares, de fato um homem estranho.

– Daimyō-sama, existe outro assunto em questão... Um dos três bandidos que interroguei mais cedo mencionou que estão atrás de um de meus alunos... Nem mesmo ele sabia o motivo e parecia bem assustado quanto a dizer isto, espero que o senhor possa fornecer segurança para este homem, ele pode acabar se lembrando de algo mais.

– Seus alunos...? São apenas crianças. – proferiu o gordo.

– De fato... Hakuryuu Taiki, ele pode parecer um pouco assustado quando se depara com uma situação difícil, mas ele possui o Sharingan, uma herança que apenas aqueles com a linhagem dos Uchiha possuem. – explicou cabisbaixa.

– O Sharingan? Aquele garoto? – perguntou espantado.

– O terceiro me deu poucas informações, mas ele de fato possui tanto a linhagem dos Hakuryuu quanto a dos Uchiha. É bem provável que os Nukenins contratados tenham como objetivo aqueles olhos.

– Neste caso... É bom que por segurança você fique perto dele. – proferiu suando frio.

– ( Sharingan e uma grande quantia de dinheiro que eles podem roubar desta gangue... Estes Nukenins devem ser os grandes arquitetos, devem estar usando os bandidos que acham que os contrataram. ) – pensou. – Daimyō-sama, com sua licença. – proferiu antes de desaparecer usando o Sunshin no Jutsu, não sem antes deixar uma pequena mancha de fumaça no ar.




Taiki, Masaru e Ayaka desfrutam de um banho quente, que por hora parecia a solução perfeita para seus problemas, a garota obviamente se banhava em uma sala diferente por motivos evidentes, os rapazes mal trocavam olhares enquanto se banhavam, talvez pela ligeira rivalidade que criavam um com o outro.

Algum tempo depois estavam todos eles com suas mochilas abertas, vários tipos de equipamentos estavam espalhados ali.

– Não sabia que você usa este tipo de shuriken. – observou o ruivo apontando para os equipamentos de Taiki.

– Meu pai me ensinou alguns truques com shurikens, ainda não sou tão eficiente quanto ele para manusear ‘este’ tipo de shuriken, mas se for necessário terei que usá-la. – respondeu.

–Interessante, inesperado, mas interessante... Bom, eu vou levar meu Shamisen, a vitória é certa com ele. – O ruivo dizia esboçando um sorriso brilhante e confiante.

– Hunf! Como se a Raikou Kotetsu fosse perder pra um pedaço de madeira. – retrucou, as faíscas pulsavam de seus olhos.

– Tsc, ele é bem mais do que um pedaço de madeira... – respondeu prontamente com o mesmo olhar de rivalidade.

– Veremos isso no campo de batalha. – o moreno sorria de forma implicante para o ruivo em uma clara provocação.




O quarteto de Konoha estava preparado, o grupo se reúne no lado de fora da mansão do senhor feudal, todos parecem prontos para por um fim em toda aquela vilania que assolava aquela região até então, pacífica. Taiki carregava além de sua espada outro equipamento, na parte de trás de sua cintura estava um tipo de kunai curva, parecia ser bem grande, mas na verdade era a forma fechada de uma Fūma shuriken. Ayaka parecia estar com o mesmo equipamento habitual, com mudança apenas em sua expressão, parecia bem focada. Masaru carregava em suas costas seu instrumento de madeira de cedro, um material nobre. Akane era a mesma de sempre, bastava ignorar aquela aura assassina que parecia assustar inclusive seus alunos.

Não demorou absolutamente nada para que os verdadeiros inimigos se revelassem, apesar de que Akane era única que tinha grandes suspeitas de que eram os nukenins os mestres e os bandidos meras marionetes. Os nukenins estavam em um grupo de quatro pessoas, assim como Konoha, estavam agindo em um time, era bem raro um time de nukenins. Seus detalhes ainda eram um mistério, já que apenas suas silhuetas estavam visíveis, ambos pareciam ter se revelado apenas para atrair os personagens principais para algum tipo de cilada, mesmo estando ciente deste motivo Akane sinalizou para que seu time inicie a perseguição, com ela é claro indo na frente.

– Não os perca de vista, Ayaka! – apontou a jounin.




– Ok! Byakugan! – exclamou a garota enquanto aquele olhar penetrante do Byakugan tomava posse de seus olhos albinos.

Graças à habilidade ocular da Hyuuga o grupo foi capaz de evitar algumas armadilhas tolas que foram postas sob o trajeto, algumas localizadas em telhados, becos e muros. A perseguição parecia continuar, até que a velocidade dos caçados aumentou subitamente, forçando o grupo de Konoha a também aumentar sua velocidade, quando deram conta estavam fora dos limites do vilarejo em uma área bem aberta com alguma pouca vegetação, havia um riacho por ali, uma montanha pouco mais acima daquela área e uma floresta densa rio abaixo.

– Haha! Até que vocês são bem espertos, para um bando de ratos! – disse aquela voz bastante impertinente.

– Que saco! Vê se fica quieto duma vez, Hayabusa! Ouvir sua voz logo pela manhã é irritante! – proferiu aquela voz um tanto quanto rouca.

– Apesar de que você acabou falando mais que ele... – surgiu agora uma voz feminina.

– Cale-se também, Musashi! Só precisamos acabar com estes ratos, a única perigosa aqui é a jounin. – proferiu a aquele que seria o líder.

– Eu fico com aquele do Sharingan!

– De jeito nenhum, Hayabusa! Do jeito que é descuidado vai acabar destruindo os olhos dele. – disse a mulher.

Apesar de estarem bem escondidos os nukenins pareciam estar se entretendo um pouco demais com toda aquela falação, tanto que já estava deixando os genins um tanto quanto entediados, Akane por outro lado parecia calma perante aquela situação.

– Querem aparecer de uma vez? Não podem se esconder do meu Byakugan! – exclamou a Hyuuga enquanto apontava direções para seu time.

– Então, que comecemos com o show! – proferiu a silhueta que se ocultava nas sombras de uma árvore próxima.



Continua...


Notas:
Kawarimi no Jutsu: Traduz como técnica de substituição, é quando um ninja substitui o próprio corpo por algum objeto, geralmente pequenas toras de madeira.
Tomões: São esferas negras que possuem uma pequena 'cauda' se parece muito com uma vírgula, também está presente no símbolo de yin-yang.
Konohagakure Hidden Taijutsu Ougi: Sennen Goroshi: Sua tradução significa literalmente Taijutsu secreto da vila da folha: Mil anos de dor. Foi baseado em uma brincadeira de criança, em que as crianças juntam seus dedos indicadores e médios e enfiam no traseiro de outro, pois é, alguns acham divertido.
Yōton no Jutsu: Significa técnica do elemento lava, não foi um jutsu em si, apenas a liberação de seu elemento.
Ryō: É a moeda que é usada no anime/mangá Naruto. Uma curiosidade é que esta moeda de fato existiu, no período do Shogunato.


Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 22:38, editado 6 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Killer123 em Ter 27 Jan 2015 - 22:07

Cara, eu levei um tempo para ler sua Fic e vou dizer, tá incrível é a melhor fanfic de Naruto que eu já li, todas as outras que li, só baseavam-se no romance, coisa que Naruto não é focado espero ver muita porrada no próximo capítulo
avatar
Killer123
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/11/2014

Frase pessoal : We'll shine like stars


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Black~ em Qui 29 Jan 2015 - 18:09

Bom, vamos lá.

Li o prólogo e não entendi nada, porque eu não sei nada de Naruto, mas, me pareceu que a história é interessante pelo que você contou, então, vou acreditar nisso, e quem sabe eu leia os outros capítulos depois. E também comentá-los né, mas enfim. Tá bacana.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por DarkZoroark em Qui 29 Jan 2015 - 22:09

xKai o/
Acho que não tem nada para falar mesmo, até porque dessa vez eu não demorei pra comentar, então vamos logo ao review:
O capítulo foi bem legal. As batalhas entre os membros da equipe e os falsos-nukenins ficaram muito boas. Considerei um pouco curta a do Taiki, mas creio que seja por terem ocorrido vários outros confrontos durante o desenrolar desta parte. Com a do Masaru eu cheguei a dar umas boas risadas. Sacanagem usar aquela técnica... Até morrer é preferível a ter que sofrer algo assim. O fato de ele ter conseguido tantas informações também é surpreendente. Imagino que seja por ser descendente do clã Yamanaka, mas vou ficar aguardando para comprovar se é isso ou não.
A pequena discussão entre os dois garotos sobre se sabem ou não o que é um nukenin foi um tanto cômica. A Ayaka ralhando os dois por não saberem isso foi interessante também. A disputa entre ambos enquanto se preparavam... Em geral, deu para perceber que há uma rivalidade amigável rolando entre os dois. Me lembrou bastante a relação do Natsu e do Gray. Não entendi muito foi a Akane revelar para o daimyo que o Taiki possuí o Sharingan. Sei lá... Não vejo muito motivo para se fazer isso, mas enfim... Vou ficar no aguardo para ver como se desenrola o combate contra os ninjas de verdade.
Quanto a erros, encontrei apenas um.

@xKai escreveu:[...] no interior de seus olhos rodeando sua iris estavam duas pequenas esferas, tomoes de cor negra, era o Sharingan.
Tomões leva acento.
Bom, acho que é isso. Não tenho muito mais o que falar. Fico no aguardo do próximo capítulo.
ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Greed em Qui 29 Jan 2015 - 22:45

Começei a ler a fic hoje e, estou achando otima. Eu gostei bastante do jeito de você contar. Ainda estava a ler o primeiro capitulo,mas quando eu conseguir ler mais eu dou uma opinião 'final'.
avatar
Greed
Moderador
Moderador

Masculino Idade : 100
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 26/07/2014


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 07: Kekkei Genkai! Yōton no Jutsu.

Mensagem por xKai em Qui 5 Fev 2015 - 7:45

COMENTÁRIOS:
Primeiramente quero pedir desculpas pelo atraso do capítulo, anteriormente eu havia prometido que o lançaria dia 02, mas apenas hoje, dia 05 consegui postar.

Killer123: Cara muito obrigado pela presença, a fic começou a ter um movimento legal agora e espero que continue assim! Sobre ser a melhor fanfic de Naruto que você conhece já me animou bastante, eu estava um pouco relutante uns capítulos atrás já que quase ninguém visitava muito a página para comentar, agradeço o trabalho e espero que volte mais veses. E sim, vão ter alguns confrontos neste capítulo, mas por enquanto nada de muito grande.

Black~: O prólogo ficou bem vago, já que o objetivo era preencher isto com flashbacks futuramente, então foi proposital. Espero que leia os capítulos seguintes também -q E obrigado pelo comentário.

DarkZoroark: Obrigado pela presença mais uma vez man! Sim a batalha do Taiki no capítulo anterior foi bem curta mesmo, foi só para mostrar a habilidade dele em detectar ameaças mesmo nada demais, afinal ele assim como a Ayaka é usuário de Doujutsu. Sobre o Masaru ter obtido estas informações foi sim por ele ser do clã Yamanaka, mas para os outros foi algo inexplicável, já que ainda não sabem deste detalhe. Vão haver muitas brigas do tipo, eu adoro coisas opostas... preto e branco, água e fogo... luz e escuridão etc... Acho bem legal mostrar certos contrastes e diferenças, então haverão muitas destas pequenas brigas no decorrer da história. Sobre o daimiyo, ele vai aparecer mais veses, futuramente, é claro. Então você verá que ele não é um personagem do tipo figurante, mesmo que pouco ele aparecerá mais veses e terá relações com a trama.

Deidara: Seja bem vindo! Espero mesmo que curta minha fanfic, é sempre bom ver caras novas por aqui, me animam ainda mais para continuar! Bem por enquanto é só, espero futuramente podermos discutir mais sobre os assuntos da história ^_^

Bom pessoal, isso é tudo, lembrem de qualquer dúvida consultarem o spoiler "notas" no final do capítulo! Lá estarei explicando algumas traduções de técnicas e de nomes em japonês.


Chapter 07:

Kekkei Genkai! Yōton no Jutsu.



Aquilo não parecia ser uma estratégia que havia sido combinada pelo grupo, mas Ayaka por vontade própria parecia estar liderando seus companheiros de equipe, cada um deles se dirigiu para um canto específico. Taiki estava próximo ao rio, Masaru estava encarando as árvores na entrada da floresta, não muito longe de onde ele estava anteriormente, já Ayaka caminhou cerca de dez metros à frente, onde havia um pequeno declive na área mais rochosa, próxima de uma montanha. Já que ela é capaz de ver o fluxo de chakra do adversário ela permitiu que Akane, sua líder ficasse frente a frente com o oponente mais perigoso. Os oponentes aos poucos se revelavam, aquele que parecia gostar de falar em tom debochado, Hayabusa, era um homem de altura mediana, não usava nenhum hitaiate, assim como os demais. Possui cabelos de cor acinzentada e olhos amarelos como os de uma águia. Este estava encarando Taiki como se fosse um presa fácil. A única mulher do grupo, Musashi, era uma mulher de longos cabelos de cor violeta, usava um batom da mesma cor e um par de brincos verdes em formato esférico, a mulher estava posicionada à uma boa distância de Masaru, seria uma lutadora de média ou longa distância... Havia também um homem grande e musculoso, não aparentava ser muito inteligente, mas também se movimentou bem rápido naquela perseguição por dentre as árvores, o homem encarava a Hyuuga com um olhar um tanto pervertido em sua face. O líder do grupo, um homem que não revelou seu nome, possui cabelos de tonalidade azul claro, olhos também azuis e uma vestimenta típica de jounins, colete verde sobrepondo uma malha de cor azul. Neste caso, um ex-jounin, já que o mesmo não parecia trajar nenhum hitaiate, assim como os outros.

– ( Muito bem Ayaka, agiu como uma líder nata. ) – pensou a jounin. – Agora sim parece que podemos ter uma bela conversa.

– Cabelos vermelhos... hitaiate de Konoha... Você é aquela que chamam de "The Burning Rose", Kurosaki Akane. – debochou o nukenin.

– Esplêndido! Parece ter feito bem a lição de casa, mas não foi o único. Cabelos e olhos azuis como o céu, a ausência do hitaiate... Você é o homem que sozinho dizimou todo o vilarejo onde vivia um clã ninja... Como era mesmo o nome? Ah... Furikaze. Você é Furikaze Juunichirou! – proferiu enquanto virava o rosto com um tom provocativo.

– Ixi! Agora fodeu. – proferiu o musculoso.

– Saco... Essa mulher tinha que dizer o nome dele? – olhou Hayabusa com a já habitual expressão de deboche.

– Isso é um grande tabu... Essa mulher vai conhecer o inferno. – proferiu Musashi que já previa uma cena desastrosa.

O nukenin Furikaze Juunichirou parece ter algum tipo de tabu em relação à seu nome verdadeiro, sendo conhecido pelos três que o acompanham pelo codinome Kaze. Sempre que o mesmo escuta seu nome verdadeiro ele é tomado por algum tipo de fúria que além de deixá-lo mais forte do que o habitual o faz perder parte do controle de seu corpo.

– Você... Uma vadia como você não deveria saber meu nome! – exclamou o homem em fúria.

– ( Em uma situação como essas aquele que vencer seu adversário primeiro terá a vantagem. pois ficariam quatro contra três. Ainda assim não posso descuidar, tenho que proteger essas crianças... Os companheiros deste parecem ser no mínimo de nível chuunin, preciso acabar com este aqui depressa para ajudar eles. ) – pensou Akane.




O ar parecia um pouco mais pesado e o vento estava bastante agressivo, tão furioso quanto o nukenin ofendido. Para olhos desacostumados parecia apenas um homem com sérios problemas mentais, mas na verdade toda aquela ventania parecia ter influência direta com a situação. O rio que percorre pacificamente o seu caminho começava a ficar agitado e criar algumas ondas molhando os pés de Taiki que se concentrava em observar seu adversário. O Sharingan em seus olhos já estava visível, sua expressão estava um tanto quanto diferente, apesar de tudo o garoto suava frio, mais uma vez estando diante de uma situação de embate iminente.

– Mas que azar o seu, jovem Uchiha. Nem sequer terá a chance de evoluir mais este seu Sharingan... Estes olhos tão especiais... É um desperdício em lixos como você!

– Pessoas sem talento passam a vida invejando pessoas, como eu, que nasceram com talentos especiais. Você não é diferente. Este Sharingan em meus olhos é mais que uma herança sanguínea, é a única coisa que me faz lembrar da existência de minha mãe.

– Que história mais tocante... Só que não! – exclamou o homem enquanto parte para cima de Taiki com sua kunai.

O garoto imediatamente retirou sua espada de sua bainha, postando-a um passo na frente de seu corpo, em uma posição de guarda, no instante em que Hayabusa se aproximou o garoto movimentou sua espada para o lado bloqueando seu ataque e com muita agilidade retirou de um de seus bolsos uma kunai, agarrando pelo anel no cabo, girando-a com os dedos e a atirando de curta distância contra o homem que salta na diagonal esquerda sofrendo um pequeno corte na parte lateral de seu rosto. Taiki continuava a encarar olho a olho aquele homem. Usava seu Sharingan em uma tentativa de intimidá-lo, mas aos poucos eram as suas mãos que começavam a ficar trêmulas, em questão de instantes era seu corpo inteiro.

– Como eu disse... Você não é nenhuma exceção. – proferiu de forma que desse para esconder sua atual condição.

– Moleque de merda... Até que sabe bem como usar estes olhos... Mas não parece muito a fim de lutar, não é mesmo? – debochou o homem ao perceber que o garoto parecia temer o combate.




Não muito longe dali estava Masaru encarando a mulher, Musashi, com um sorrisinho esnobe e bobo na face como se estivesse a acreditar que a luta já estivesse ganha.

– Damas primeiro. – proferiu o ruivo enquanto tirava de seus bolsos uma única shuriken enquanto esperava a mulher atacar.

– Seu maior e ultimo erro... – disse a mulher enquanto pegava seis kunais curvadas de seus bolsos, etão as arremessava contra Masaru.

Masaru então arremessou sua única shuriken enquanto realizava algun selos de mãos, fazendo assim o uso de um ninjutsu bem conveniente.

Shuriken kage bushin no jutsu! – Naquele momento pequenas nuvens de fumaça surgiam ao redor da shuriken e tornavam-se cópias exatas da arma original. Logo as shurikens colidiram contra as kunais soltando pequenas faíscas e desviando as armas enquanto Masaru tentava correr contra Musashi para um combate corpo-a-corpo.




Logo ali na parte um pouco mais rochosa Ayaka que já estava fazendo uso de sua técnica ocular aguardava pacientemente por seu adversário, sabia que em uma situação como essas era o melhor a se fazer, pois as habilidades de seu adversário ainda não foram reveladas.

– Entendo, foi assim que nos encontraram tão depressa, é? Byakugan... Não gosto da sua laia. Costumam se achar especiais por causa destes olhos... Estou mentindo? Os Hyuuga vivem em uma mansão em Konoha, não é? Você deveria mesmo estar se juntando a plebe, princesinha? – provocou.

– Então vai ser desta forma? Me provocando para que eu me irrite e vá pra cima de você? Desculpe, mas não vai rolar – pausou. – Afinal, eu não pertenço a família principal de meu clã. – respondeu sorrindo sarcasticamente.

– Hehe! Vou adorar esmagá-la!

– Venha! – respondeu Ayaka tomando sua posição de combate com as pernas um tanto separadas e braços afastados com sua postura ofensiva.






Aquele vento forte continuava a crescer, Furikaze Juunichirou estava furioso, mas ao mesmo tempo ele estava atento ao seu redor e logo percebia que a habilidade de Ayaka poderia complicar a situação para o seu time.

– ( Dango não se da bem contra adversários que fazem o tipo técnico... Tenho que destruir esta usuária de yōton e acabar com essa garota rápido! ) – pensou.

– Isto já demorou demais, porque não colocamos um fim nisto logo de uma vez? – sugeriu Akane enquanto realizava vários selos de mãos.Yōton: Kazan Funka!Após a rápida execução de selos, a mulher estendeu a palma de uma de suas mãos sob o solo e logo um tremor de terra anunciou uma erupção.

O solo estava se despedaçando em vários pontos e jatos de lava de tamanho consideravelmente grande eram expelidos do solo na direção do nukenin. O homem parecia ainda estar em seu frenesi pessoal, executou algumas acrobacias desviando dos jatos menores e logo contra-atacou os maiores que vinham em sua direção.

– Acha mesmo que vai me vencer com uma técnica deste nível? Parece que te superestimei, Kurosaki Akane! – proferiu em alto tom enquanto executava selos de mão em pleno ar.Fuuton • Hijutsu: Fuujin no Tsubasa!

O forte vento que soprava incessantemente se envolvia no corpo do homem como se fosse uma esfera, bloqueando todos os ataques da técnica da kunoichi, logo então a esfera de vento se dissipa e de dentro dela emerge um shinobi voador. Em suas costas estavam um par de asas de chakra que aparentemente o protegeram deste poderoso ataque, eram tão detalhadas que pareciam até ter plumagem. O bater de suas asas criavam pequenas ondas de ventania, que estavam empurrando pequenas pedras próximas de onde estava o homem, eram mais que belas pareciam ser incrivelmente fortes além de terem aumentado significativamente as capacidades de luta de seu usuário que agora não tinha o chão como limite, mas sim todo o espaço aéreo acima de Akane.






Próximo ao rio, Taiki e Hayabusa continuam se confrontando, o garoto aparentemente estava vencendo a batalha sem muito se esforçar, mas seu corpo ainda parecia um tanto trêmulo, além de ter dúvidas sobre o próprio corpo ele estava preocupado com as batalhas de seus outros companheiros, inclusive parecia um tanto ligado na batalha de Akane.

– ( Akane-sensei é realmente incrível... Além de enfrentar de igual pra igual um cara durão como aquele ela ainda possui uma Kekkei genkai... Yōton no Jutsu, não devem ser muitos ninjas, principalmente em Konoha que possuem esse tipo de habilidade. ) – pensou o garoto.



– Como pretende lutar comigo enquanto está de olho na batalha de seus companheiros? Escória!

implicou o homem. – Eu estava afim de me divertir um pouco com você, mas vendo o chefe daquele jeito acho que ele quer que nós todos lutemos pra valer. – disse enquanto retirava um pergaminho de seu bolso e estendendo-o à sua frente,  riscou o mesmo com seu próprio sangue através de um ferimento que fez em seu dedo polegar, mordendo-o.Kuchiyose no Jutsu! – exclamou.


Após exclamar sua técnica as escritas que estavam no pergaminho desaparecem no instante em que uma nuvem de fumaça branca era invocada, ao dissipar daquela fumaça estava um grande falcão peregrino de olhos amarelados e plumagem escura, parecia ser uma criatura bem poderosa e estava sob total controle do ninja que acariciava uma de suas asas demonstrando algum afeto.

– O que achou da minha invocação? E isto não é tudo! Achou mesmo que eu era um fracote? Só estava testando suas habilidades! E advinha só? O fracote, e você! Idiota! – proferiu o homem alucinado.

– Não foi apenas a invocação... O chakra dele agora está... Mais forte! – observou assustado a repentina mudança no chakra de Hayabusa.




Não longe dali, Masaru e Musashi acabam por se separar do local onde os demais lutavam, por Musashi ser uma lutadora de longa e média distância a mulher se afastava por dentro das árvores enquanto rebatia facilmente as shurikens que Masaru tentava jogar contra ela, ao mesmo tempo a mulher lançava suas kunais curvas contra o ruivo. Misturada entre suas kunais existem algumas com pequenos sinos metálicos presos, faziam parte de sua habilidade.

– Vamos garoto, não conseguirá me acertar desse jeito! – debochou enquanto continuava a saltar com muita perícia pelas árvores, seu estoque de kunais parecia ser ilimitado.

O garoto então repentinamente parou de perseguir a mulher e abrigou-se atrás de uma árvore. Vendo que não havia muita saída o garoto amarrou tarjas explosivas em algumas kunais e as arremessou contra as árvores próximas de onde a mulher estava na tentativa de atingi-la.

O som de explosões simultâneas só era abafado pelo som que as árvores faziam quando se estatelavam contra o solo metros abaixo de onde a luta estava acontecendo. Uma nuvem de fumaça tomava conta do lugar, a mulher emergia da nuvem de fumaça com uma expressão irada em sua face, por outro lado estava com sua roupa e cabelos um tanto quanto sujos.

– Como ousa queimar meus belos fios com estes explosivos? Mwahahaha! Bons sonhos! – proferiu vitoriosa após sua breve e malévola gargalhada.

Magen: Kanetsuki Kyoumu!





A mulher usou uma série de selos de mão, ativando seu jutsu. Ondas sonoras agudas emanavam pelo sino preso na kunai que estava fincada na mesma árvore onde Masaru se abrigava, tais ondas sonoras iniciavam um tipo de genjutsu. O ruivo desabou sob o galho daquela árvore e então sua mente acaba por entrar em um mundo de genjutsu onde tudo ali parecia real e assustador. Masaru estava em uma espécie de sala totalmente escura, onde existe uma única porta, ele mal podia escutar algo e por algum motivo sua fala parecia não emitir som algum. Mesmo sem saber onde esta porta o levaria o rapaz, talvez por puro impulso decide ir até ela. Antes mesmo de ele chegar, a porta se abriu vagarosamente, ali dentro havia um quarto um pouco iluminado, logo então o som do raspar de armas laminadas podia ser ouvido e então o grito assustador de uma mulher sendo morta ecoava na atmosfera, assim como o som de seu sangue caindo pelas paredes e chão, em seguida era a vez do homem que a acompanhava ser morto. Mais uma vez estava tudo escuro, apenas aquela silhueta sombria que parecia flutuar no ar com a mão coçando sua barbicha.

– Pelo que fizeram não tive outra escolha, a não ser fazê-los virar pó!

A expressão do jovem ninja era assustadora, talvez Masaru nunca houvesse ficado tão traumatizado em toda sua vida, presenciar aquela cena era terrível. Ainda não havia acabado, o quarto se tornava escuro mais uma vez, e quando tornou a iluminar-se não era mais uma casa e sim um campo aberto e gramado. O Sandaime Hokage caminhava em lentos passos, estava mais jovem do que atualmente e em seu colo este carregava uma pequena criança de ainda curtos cabelos ruivos. Mais uma vez a cena da morte dos ninjas surge naquilo que tornou a se tornar um quarto pouco iluminado, a cena se repetia por inúmeras vezes, era cruel, estava acabando com o espírito do garoto.







De volta para a batalha principal, Akane e o usuário do elemento vento continuavam sua disputa acirrada de ninjutsus, o ninja atirava rajadas de vento com o bater de suas asas de chakra, ventos estes que eram evitados pela mulher que possui muita perícia com técnicas do elemento terra, executando o selo do touro, que consiste em segurar ambas as mãos com punhos cerrados a mulher ergueu do solo uma torre de pedras, não só a permitindo desviar das rajadas que foram atiradas contra o chão, mas também lhe deu a capacidade de ficar em uma altura onde aumentaria suas chances de acertar o homem que estava voando.





Yōton: Enryūgan no Jutsu! – proferiu enquanto saltava na direção do ninja voador. A torre de pedras parecia estar desmoronando, quando uma onda de calor repentina começou a fazer com que as rochas restantes da técnica de terra se tornassem rochas escaldantes de cor rubra que eram controladas pela mulher, tais rochas eram de tamanho grande para médio e estavam enfileiradas como se fosse algum tipo de cobra ou dragão, mas não havia forma eram apenas rochas controladas que eram arremessadas com muita velocidade, durante o trajeto as rochas perderam um pouco de sua massa tornando-se extremamente afiadas enquanto se aproximavam do nukenin.

– Assim já era esperado, "The Burning Rose" Kurosaki Akane. Mas não vai adiantar! – Fuuton: Reppūshō! – gritou com os braços à frente de seu corpo. – Uma enorme quantidade de vento havia sido criada pelo shinobi, o vento era tão bem controlado que atingiram as pedras afiadas por baixo mudando seu curso completamente, logo após isto o homem investiu contra a mulher em altíssima velocidade com uma kunai em mãos, a arma estava embebida de chakra do elemento vento, fazendo com que a lâmina ficasse ainda maior e sua cor mesclava entre o transparente e o verde.

– Cara persistente! –  proferiu Akane enquanto trincava os dentes. A mulher tentava se proteger da melhor forma possível, era impossível bloquear uma lâmina de chakra com uma kunai normal então ela saltava para trás evitando o combate corporal até que é surpreendida por seu adversário. As asas de chakra de Juunichirou mudaram sua forma e agora giravam como se fossem as turbinas de um avião, o vento que antes empurrava estava atraindo a mulher em sua direção. Akane retirou de seu estojo ninja uma corrente de metal e a laçou contra uma árvore próxima, tentando se prender da melhor forma possível.

– Bwahaha! Nem mesmo você poderá me vencer, Kurosaki Akane! – gritou. – Por que não se junta ao nosso grupo? A única coisa que queremos são os preciosos olhos daquele moleque ali. Seria uma pena ter que fatiar um rosto tão belo quanto o seu. – falou com uma voz um tanto quanto possessiva.

NOTAS:
Hitaiate: Traduzido como bandanas pelo anime no Brasil. É o protetor de testas dos ninjas indicando sua naturalidade e a vila que servem. Nem sempre fica na testa.
Shuriken kage bushin no Jutsu: Técnica dos clones de shuriken das sombras. Nesta técnica o shinobi consegue ampliar seu arsenal ninja podendo multiplicar suas kunais e shurikens, uma vez que estas já tenham sido arremessadas. Assim como os kage bunshins as armas multiplicadas terão 10% da capacidade original.
Yōton: Kazan Funka: Elemento lava: Erupção.
Fuuton • Hijutsu: Fuujin no Tsubasa Técnica secreta do elemento vento, Asas do Deus do Vento. É uma técnica secreta, ou seja, apenas membros de determinada vila, local ou família conseguem usar.
Kuchiyose no Jutsu: Técnica de invocação, também conhecida como "Ninpou, Kuchiyose no jutsu" que possui a mesma tradução, com acréscimo de "arte ninja" antes de seu nome. Ninjas com tal habilidade podem invocar criaturas com quais possui algum tipo de contrato para lhes auxiliar em batalha.
Magen: Kanetsuki Kyoumu: Ilusão Demoníaca: Sinos de pesadelo. É um genjutsu que aprisiona a mente do alvo com o badalar de um sino. O efeito pode ser variado, ele mostra para o alvo terríveis visões de seus maiores temores, isto envolve experiências passadas vividas por ele ou por alguém de sua família, mesmo que este não conheça.
Genjutsu: São técnicas ilusórias. Existem diferentes tipos de genjutsus, aqueles que podem ser impostos em uma certa região, pegando todos aqueles que entrarem nela. Aqueles que atingem a audição e olfato. O tipo mais comum de genjutsu são os visuais.
Yōton: Enryūgan no Jutsu: Elemento lava: Pedras escaldantes e afiadas.
Fuuton: Reppūshō: Elemento vento: Palma vendaval.





Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 21:15, editado 3 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Killer123 em Qui 5 Fev 2015 - 15:03

As coisas ficaram bem interessantes, coitado do Masaru caiu num Genjutsu que eu jamais iria querer cair espero que o coitado não fique mais lerdo do que já é. Vejo que o Taiki é talentoso em combate, mas não gosta de lutar realmente é bem legal isso pode ser por causa de seu passado misterioso, sobre erros ortográficos eu não notei a leitura estava tão boa que nem notei nenhum, Boa sorte no projeto cara. lol!
avatar
Killer123
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/11/2014

Frase pessoal : We'll shine like stars


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por DarkZoroark em Qui 12 Fev 2015 - 13:13

xKai o/
Antes de qualquer outra coisa, malz a demora em vir aqui postar o comentário. Semana passada foi meio corrida e nesta ainda tive de ver a rematrícula na faculdade. Na realidade, o comentário era para ter saído ontem, mas tive de dar uma saída durante a tarde, o que meio que dificultou a postagem. Enfim, vim aqui pagar meu débito. Então, sem mais delongas, vamos ao review:
Empregando de um overview geral preliminarmente, o capítulo foi muito legal e recheado de ação, dando destaque, é claro, a luta da Akane. Não que as outras tenham sido ruins, mas na questão de habilidades é mais do que óbvio que a luta de uma Jounin iria se sobressair. Curti o apelido dela. "The Burning Rose" meio que me fez lembrar do Yu-Gi-Oh! The Duelist of Roses do Play 2 - embora eu saiba que não tem nenhuma relação, mas enfim... Gostei também desse Furikaze Juunichirou. Personalidades psicóticas em geral são interessantes de se ler/ver em uma história.
Ficou bem legal a Ayaka agindo como líder do grupo. Mostra que ela é bem inteligente e, diferentemente de 90% das kunoichi durante o primeiro arco, útil. Ela me parece um Shikamaru um pouco menos antipático e mais pé no chão. Interessante a reação do Taiki durante a luta. Creio que tenha havido um trauma psicológico forte no passado para que ele não queira derramar sangue do adversário e sofrer com tremores - se já me falasse a razão pelo skype, devo dizer que me esqueci. Quanto ao combate do Masaru, apesar de não ter me atraído tanto quanto o dos outros - sei lá, creio que seja por ele não ter mostrado um leque tão amplo de suas habilidades - ainda assim foi bem legal. Utilização de Genjutsu em geral é pouco utilizada em Fanfics de Naruto, a não ser que tenha haver com o Sharingan. Então, foi legal ver um usuário experiente deles que não possuí kekkei genkai - não me esquecendo da Kurenai.
Erros não encontrei nenhum e, como de costume, sua escrita continua muito boa.
Fico no aguardo do próximo capítulo.
ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 08: Eu não vou desistir. Trinta e dois golpes e uma esperança.

Mensagem por xKai em Sex 27 Fev 2015 - 17:30

Comentários:
Killer123: Bem, acho que o Masaru pode acabar surpreendendo neste capítulo. O Taiki é sim uma garoto talentoso, mas possui um medo absurdo de cruzar espadas com qualquer outra pessoa, seu medo de derramar sangue é proveniente de seu passado.

Dark Zoroark: Fica de boa em relação a demora, ultimamente nem eu que era The Flash pra fazer comentários tenho comentado, e nem sou uma pessoa ocupada. Neste capítulo mais uma vez a Ayaka irá se sobressair sobre os demais genins, talvez por suas habilidades, mesmo que ainda em desenvolvimento, estejam um pouco mais polidas. Sobre ela parecer um Shikamaru da vida, creio que seja exagero de sua parte, ela é esperta, mas não inteligente neste ponto. Assim como disse para o Killer123, o Masaru irá surpreender. É isso, no próximo episódio as batalhas envolvendo os genins irão finalmente ser decididas e então o seguinte terá foco na batalha de Akane e sobre o passado de Juunichirou.




Chapter 08:

Eu não vou desistir! Trinta e dois golpes e uma esperança.




A batalha envolvendo os combatentes de nível jounin estava bastante equilibrada, era difícil saber qual deles iria sair vitorioso dali. Já os genins pareciam estar tendo bastante dificuldade em enfrentar os perigosos chuunins. Taiki confronta Hayabusa e sua invocação, ao mesmo tempo em que seu corpo se estremecia ainda mais, temia a batalha em sí e o medo de derramar sangue alheio. Masaru estava preso em um terrível genjutsu, enquanto sorrateiramente sua adversária se aproximava para lhe dar o golpe final, uma vez que seu corpo estava desacordado. Ayaka era a única que naquele momento não se encontrava em desespero, a Hyuuga ainda confrontava o homem apenas com seu olhar, a batalha ainda estava para começar.

– O que foi princesinha, não vai atacar? – tentou provocar.

– (Tsk... Ele está claramente querendo levar isto pra um combate corporal... Tenho que tomar cuidado já que isto pode ser uma armadilha... Sabendo que sou uma Hyuuga seria suicídio, com certeza é uma armadilha!) – pensou.

Compreendendo claramente os riscos envolvidos em qualquer descuido, considerando também a grande massa do adversário, a garota aplica uma pequena quantidade de chakra em ambos os pés e então investe na direção de Dango, observando qualquer alteração em seu fluxo de chakra.

– Hehe... Assim Dango gosta... Em pedaços! Ganseki • Tekken!

Dango juntou suas mãos formando o selo do touro, logo em seguida suas mãos cresceram pelo menos três vezes o tamanho original, sua pele tomava um aspecto áspero, a pele que cobria seus punhos deixou de existir, tornando-se pura rocha. Não demorou para que o nukenin continuasse com seu ataque a medida que Ayaka se aproximava.

Ganseki • Dango! – utilizando suas grandes mãos para perfurar facilmente o solo o musculoso travava suas mãos no mesmo erguendo então um pedaço gigantesco de terra. Aquilo não era nada anormal levando em conta o seu tamanho, ainda assim era algo bem difícil de se acreditar.

– ( Se aquilo me acertar estarei morta. ) – pensou Ayaka enquanto mudava seu trajeto. A garota que antes corria na direção de Dango começa a correr lateralmente.

Dango por fim arremessa o enorme monte de terra na direção de Ayaka, que instantaneamente percebe uma brecha utilizando sua boa visão. A garota desliza por debaixo do monte de terra que havia sido lançado em meia altura, saindo totalmente ilesa, não havia tempo para pensar era só agir dali pra frente, pensou Ayaka enquanto iniciava seu ataque contra Dango.

– Aquilo foi bem perigoso, hein! Mas agora vou acabar com isso. – proferiu enquanto iniciava sua postura para a execução de seu estilo de luta.

Jūken! – a kunoichi então inicia seu combo de ataques com as palmas de suas mãos que possuem agulhas invisíveis a olho nu, acertando diretamente os tenketsus de seu adversário. Ombros, peito pescoço e rosto foram atingidos em questão de instantes, totalizando cinco golpes, logo após a série de ataques a garota muda sua postura rapidamente em frente ao adversário. – Jūho Sōshō! – acumulando uma maior quantidade de chakra em ambas as palmas das mãos a garota executa um poderoso golpe contra o peito do homem empurrando-o alguns metros. Aquilo apenas comprovou a força do ataque, sendo Ayaka uma garota franzina foi capaz de empurrar um homem com toda aquela massa para bem longe.

Apesar de aparentar ter sofrido um dano grave o gordo de tanquinho começa a se erguer novamente, estava sim ferido, mas era para ele não conseguir mexer os braços após ser atingido nos ombros e braços pelo Jūken de Ayaka, que apenas observa o homem a se levantar com uma expressão de dúvida em seu olhar, ficando puta da vida.

– Como... Pode ser? – questionou.






O corpo de Masaru estava desacordado sob aquele galho de árvore que acaba por salvar sua vida, se não estivesse bem ali, seu corpo incapaz de se movimentar teria se estatelado contra o chão da floresta metros abaixo, uma queda mortal para qualquer ser humano, mesmo sendo um ninja.

– Uma pena! Não esperava que fosse assim tão rápido... Esperava mais de um time treinado por aquela mulher... Bem, ela também não vai durar muito tempo... Ainda mais depois de dizer tão alto o segredo de nosso chefe. – a mulher parecia gostar de falar, afinal estava sozinha ali, Masaru estava inconsciente. – Não que você vá ouvir, não é? Mas sou uma pessoa gentil, sabe? Farei com que não sinta dor, será uma morte rápida. – afirmou enquanto se aproximava do ruivo.

Na mente de Masaru as imagens não paravam de passar em loops infinitos enlouquecendo o ruivo, cada vez que via a cena do casal sendo morto. Chegava um momento em que o ruivo estava sem o habitual olhar animado, seus olhos já não tinham brilho.

– E-eu não estou aqui... Essas lembranças não são minhas, mas são reais... Eu... – o ruivo proferia tais palavras a si mesmo enquanto seu olhar mudava e uma estranha sanidade tomava conta de sua mente confusa.

– Eu, pela primeira vez eu acho, estou pensando. – Naquele instante de clareza uma imagem veio a tona na mente de Masaru

Masaru se viu com 6 ou 7 anos de idade espiando uma grande sala médica por uma fresta da porta, dentro desta sala seu avô, Sarutobi Hiruzen, estava falando com um iryō-nin de olhos brancos, um Hyuuga.

– Seu neto tem um tenketsu a mais no cérebro, isso desorganiza o fluxo de chakra dele, Hokage-sama. – o médico proferiu ao velho.

– Hm... Um distúrbio de chakra no cérebro. Corrija-me se estiver errado, isso é característica de genjutsus? – disse o velho com um olhar pensativo.

– Creio que sim senhor.

Enquanto pensava o velho hokage colocou a ponta de seu cachimbo na boca e deu uma longa tragada com os olhos fechados em seguida soltou a fumaça pelo nariz.

– Isso pode ser interessante. – proferiu o hokage tirando o cachimbo de seus lábios.


– Um genjutsu consiste em desorganizar o fluxo de chakra cerebral do oponente. Quer dizer então que como eu já tinha uma desordem ficar preso aqui só organizou minhas idéias. Ah como eu odeio essa sanidade, e principalmente. – Masaru dizia enquanto um sorriso macabro e um olhar assassino se formavam em sua face. – Eu odeio a mulher que me colocou nessa situação.

Masaru então avançou contra a ilusão com suas mãos cerradas, sem arma estava decidido a sair dali ao destruir aquela horrível imagem que se dispersou com os golpes devido à força da raiva no coração do ninja.
Fora da ilusão, Musashi já erguia os cabelos ruivos do garoto e iria dar um fim em sua vida ao cortar-lhe a garganta com uma kunai, quando aqueles olhos castanhos do ninja se abriram e olhavam para a mulher que saltou para trás.

– Como diabos... – Ela tentava dizer, porém antes que a frase terminasse de sair de seus lábios a voz do garoto se fez mais alta.

– Cometeu um erro grande demais quando mexeu na minha cabeça. Você arrumou minha bagunça e vai se arrepender disso! – proferiu a segunda personalidade do ninja.

Masaru avançou contra Musashi empunhando uma kunai, como já de costume. A kunoichi que por sua vez, evitava uma curta distância, saltando para trás ao mesmo tempo em que atirava novas kunais com os sinos de genjutsu. O garoto formou em suas mãos um selo utilizando os dedos médios e indicadores de cada uma de suas mãos, formando uma cruz enquanto exclamava o nome da técnica.

Kage Bunshin no Jutsu!

Masaru havia feito apenas uma réplica de si mesmo ao mesmo tempo em que já tratava de indicar para seu igual a direção em que ele deveria prosseguir para o ataque. O verdadeiro foi pela direita enquanto a cópia foi pela esquerda, eis que uma perseguição tem início, a mulher saltava para trás, mas a esta altura ela percebera que Masaru não era o mesmo de antes e que pouco menos iria conseguir escapar, para vencer esta batalha ela deveria enfrentá-lo cara a cara. Musashi parecia um pouco nervosa por estar naquela situação, jamais imaginou que existisse alguém que poderia sair por conta própria de seu genjutsu.

– Não me importo com a habilidade que usou para escapar de minha ilusão, mas tudo isto será inútil. – a mulher então retira um pergaminho de sua bolsa e o abre em pleno ar, aquele pergaminho era bem comprido e em seu interior havia uma espécie de mapa.

Doton: Uitenpenexecutou os selos enquanto adicionava um pouco de seu próprio sangue naquela combinação.

O pergaminho então caiu em queda livre até o solo, que começou a ser modificado e a mudar toda a área ao seu redor, isto inclui toda aquela floresta que desaparece em um piscar de olhos. Agora era uma área com vários tipos diferentes de rochas e outros tipos de minérios, perfeito para uma lutadora de longa distância com ninjutsus do elemento terra e genjutsus possa lutar com toda sua liberdade.

Masaru e seu clone olharam ao redor observando a mudança do terreno então sorriram de forma um tanto macabra enquanto voltavam os olhos para a mulher, mesmo que estivessem em desvantagem naquele terreno aquele sorriso passava a impressão de ter a situação em mãos e certo terror em Musashi que não sabia bem como agir contra tal olhar tão obstinado.
– Seria essa uma tentativa desesperada de uma Kunoichi para conseguir terreno? Isso tudo é medo? – Disse o ruivo em um intimidador tom de confiança.

Após falar aquilo o ruivo pegou uma pequena pedra no chão, Musashi não sabia se era o clone ou o original que estava com aquela pequena rocha, e não se movia como se esperasse o garoto atacar. Rapidamente o garoto jogou a pedra contra a ninja e gritou.

Shuriken Kage Bushin.

– De novo isso? – Musashi exclamou logo lançando suas kunais contra as pedras fazendo com que elas mais uma vez colidissem.

No momento em que a poeira das pedras lançadas abaixou a mulher pode ver o vulto verde e laranja de Masaru já contra ela. Sem opção investiu contra o garoto com uma kunai na mão trespassando o rosto dele com a lâmina, porém logo uma nuvem de fumaça branca surgiu, ela havia acertado o clone que se desfez no impacto. Por trás dela Musashi ouviu aquela voz debochada.

– Bons sonhos! – disse Masaru imitando o que Musashi havia dito quando o pegou em seu genjutsu.Magen: Jibakurei.

Ao ouvir aquilo a ninja se virou rápido com sua arma em mãos pronta para apunhalar seu oponente, porém no momento em que seu rosto olhou sobre os ombros a ultima coisa que Musashi pode ver antes de desmaiar foram os grandes olhos castanho-claro de Masaru brilhando quando a pegaram em sua técnica ocular.






Ayaka ainda se questionava sobre o que acabara de presenciar. Alguém que teve várias de seus tenketsus fechados estava de pé em sua frente e não parecia estar nem um pouco fadigado, pelo contrário, estava forte o suficiente para debochar da kunoichi enquanto limpava a poeira de sua vestimenta.

– Até que foram tapas bem fortes, mocinha. Mas não se comparam aos meus! – debochou.

Várias placas de rocha começavam a soltar da pele do homem, estavam bem danificadas, era como algum tipo de arenito que se desfazia e lentamente tocava o solo, onde por fim se dispersava. A garota imediatamente começou a criar algumas teorias do que acabou de presenciar, era de fato uma das habilidades de Dango.

– ( Enquanto eu o atingia sua pele deve ter criado uma fina camada de rocha fazendo com que meus ataques fosse inutilizados, foi fina o bastante para que eu não percebesse, até agora... Esse caro... Burro desse jeito, como pensou em algo assim? ) – pensou a garota. As veias nas laterais de seus olhos estavam um tanto quanto dilatadas, talvez fosse pela frustração, ou quem sabe pelo ódio que a garota estava sentindo, ela deveria pensar em um contra-ataque rapidamente.

– Agora é a vez de Dango atacar! – exclamou o gigante que avançava com um salto, suas pernas agora estavam com uma tonalidade escura, sem dúvidas que iria atacar com elas.Ganseki • Tobikoshi!

Utilizando sua visão apuradíssima a Hyuuga salta para trás, aparentemente havia evitado o ataque com sucesso, até que no momento em que Dango aterrissa em terra uma grande quantidade de detritos do solo se levantam a partir da cratera criada, vários fragmentos de pedra e terra atingem a garota que cai no chão. Ayaka parecia um pouco frustrada consigo mesma após aquilo. Uma série de imagens então surge em sua mente, estava se lembrando de alguns ensinamentos de seu irmão mais velho, Hyuuga Neji.

Estavam em um lugar fechado, semelhante a um dojo, o chão era de madeira e havia alguns pilares de cor vermelha, também de madeira como sustentação do local. Neji é um jovem de pele clara, assim como todos os Hyuuga este possui olhos albinos. Seus cabelos eram de cor negra e trajava uma camisa de cor bege contrastando com as bermudas de tonalidade preta. Estavam treinando suas habilidades de luta e trocando golpes com a palma de suas mãos, eram ataques sutis e bem eficientes, o som das palmas sendo rebatidas ecoava no lugar fazendo aquilo tudo parecer um tipo de apresentação, mas nada ali estava planejado.

– Está errado Ayaka. Você não pode tirar os olhos do adversário, para conectar todos os golpes você deve se focar no corpo inteiro e ao seu redor. – explicou com sua habitual irritação.

– É difícil focar meus olhos em tantas coisas ao mesmo tempo... Durante uma luta séria então...

– Mas você deve conseguir. Nós da família secundária... Na verdade não teríamos acesso ao aprendizado destas técnicas, aprendi por conta própria e as estou lhe ensinando... Mesmo que não as complete você deve aprendê-las.

– Porque faz tanta questão assim... Eu nunca fui... – era interrompida.

– É nosso destino como Hyuugas, não podemos fugir do talento que nos foi concebido. – proferiu Neji.



Ayaka levantava um pouco trêmula, tirando aquele acumulado de terra que manchava suas roupas. Em seu rosto estava um sorriso que exalava confiança.

– Neji-nii... Eu não vou perder aqui... Acredito que seja parte do tal destino... Sou eu quem deve tirar este ódio que você possui pela família principal, por isso... Pela esperança que eu tenho neste destino, eu não vou desistir!

A garota avançava na direção de seu adversário com uma fúria intensa, mas não estava atacando de qualquer maneira, estava usando seu Byakugan melhor do que nunca. Dango executava socos e cotoveladas com seus membros transformados em rocha, a garota desviava e bloqueava de seus ataques com suas palmas carregadas de chakra, até que um dos golpes de Dango a acerta.

– Acabou, princesinha. – proferiu com um olhar sujo.

– Só se for pra você... – Proferiu a garota que segurava o punho de Dango com bastante força, impedindo-o de ter acertado sua barriga. A garota então o empurrou com uma rajada de chakra de suas mãos e iniciou seu contra-ataque. Estava em uma postura de combate diferente e então surge abaixo de ambos o símbolo dos oito trigramas.


– Um passo... Um golpe de cada vez, eu vou conseguir! Jūkenhō: Hakke Sanjūni Shō! Hakke ni shō! Yon shō! Hasshō! Juuroku shō... Hakke Sanjūni Shō!


Exclamava Ayaka a cada vez que atingia um determinado combo de ataques em Dango, sua velocidade era incrível, não estava dando tempo para que sua cobertura de rochas protegesse seu corpo as palmas da garota trituravam as rochas ao mesmo tempo em que atingiam os pontos de chakra do homem que ficava cada vez mais enfraquecido e rendido aos múltiplos ataques, até que estes se totalizam em trinta e dois. A garota então o empurra para longe com um golpe diagonal vindo de baixo para cima.

A garota parecia um tanto quanto cansada, era sua primeira batalha real desde que se tornou ninja, tanto o trauma físico quanto psicológico foram capazes de mantê-la de pé, mas estava perto do limite. Não aguentando mais, a garota deixou que suas pernas fossem dobrando vagarosamente até que estivesse sentada naquele solo... Estava preocupada com seus companheiros, mas mal conseguia virar suas pupilas que agora já estavam normais com a desativação de sua técnica ocular.






Próximo ao rio um garoto estava em queda livre, sendo golpeado pelas asas do falcão que mais pareciam punhos o socando sem cessar. Hayabusa apenas observava de longe aquele ser patético que não conseguia levantar sua lâmina nem mesmo para sua invocação, aquilo estava o tirando do sério.

– Não tire uma comigo, seu bostinha! Não passa de um lixo com bons olhos, mas de que adianta? – questionou irritado. – Vou acabar com esse seu olhar patético!

Dito isto, o homem avançou contra o garoto o atingindo com uma sequência de socos e chutes, finalizando com um chute quebra-queixo o jogando para o ar, pulou logo em seguida agarrando o garoto pelas pernas e prendendo seu pescoço e tronco com as pernas e então inicia uma queda livre até o solo, era uma técnica de taijutsu que visa em quebrar o pescoço da vítima.

Hayabusa Otoshi! – exclamou durante o mergulho.



Continua...



NOTAS:
Ganseki • Tekken: Traduzido como, "Estilo pedra • Punho de aço". A Kekkei genkai ainda sem nome revelado de Dango, lhe permite transformar partes do corpo em vários tipos de minerais. Ainda não foram revelados mais detalhes.
Jūho Sōshō: Traduzido como "Passo gentil, palma dupla". Consiste em atacar o inimigo com uma série de golpes e o finaliza com um ataque simultâneo usando a palma de suas mãos, geralmente no peito da vítima a empurrando para trás.
Doton: Uitenpen: Traduzido como "Elemento terra: Mutação". Uitenpen (有為転変) é uma expressão japonesa de quatro caracteres descrevendo as mudanças fugazes e mudanças da vida humana. Esta técnica é capaz de mudar a paisagem de um lugar como se fosse uma ilusão, por isso foi necessário uma "planta" para ser usada.
Ganseki • Dango: Traduzido como "Estilo pedra • Bolinho". Técnica em que Dango arremeça uma grande massa de terra e pedra contra seus adversários.
Ganseki • Tobikoshi: Traduzido como "Estilo pedra • Pulo". Assim como as demais técnicas de Dango, esta possui um nome um tanto quanto simplório, talvez por não ser muito inteligente.
Jūkenhō: Hakke Sanjūni Shō: Traduzido como "Arte do Punho Gentil: Oito Trigramas Trinta e Duas Palmas". É a versão incompleta de outra técnica do clã Hyuuga. Este ataque funciona como um combo, com as duas primeiras palmas são dois golpes, adicionando outras duas se tornam quatro, com mais quatro somam oito, outras oito e então se tem dezesseis e para finalizar, outros dezesseis golpes resultam em trinta e dois. Hakke ni shō (Dois golpes), Yon shō (Quatro golpes) Hasshō(Oito golpes) Juuroku shō(Dezesseis golpes)
Hayabusa Otoshi: "Traduzido como "Queda do falcão peregrino". Técnica de Taijutsu que fora utilizada por Hayabusa após ter se irritado com a desmotivação de Taiki. Após fazer o adversário voar pelos ares o usuário utiliza de um rápido salto enquanto segura o adversário de ponta cabeça, prendendo suas pernas com os braços e seu tronco, pescoço e braços são presos com suas pernas, fazendo-o cair com a cabeça no chão.
Magen: Jibakurei: Traduzido como “Ilusão demoníaca: Fantasma suicida”. É o genjutsu ocular de Masaru cujo efeito ainda é desconhecido.
Iryō-nin: Ninja médico.


Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 21:17, editado 1 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Killer123 em Sex 27 Fev 2015 - 22:35

Ola, xKai!

Só duas palavras que definem isso : Capítulo [palavra censurada], serio, a reviravolta foi em um estilo Kishimoto, Masaru tem um problema no cérebro que causa distúrbio o chakra,interessante, agora sabemos porque ele é um cara meio avoado.

Ayaka mostrou ser bem forte e tem talento, você tirou aquele estereótipo de personagem feminina ser inutil, ela é tão forte quanto seus companheiros de equipe.

Quanto ao Taiki, coitado, ele tem medo de derramar sangue, tanto o seu quanto o do seu adversário, só espero que ele não seja derrotado e salvado por Masaru( imagina a zoeira). Eu acho que no final todos vão derrotar seus inimigos mas no final vão sair todos ferrados.

Neji sendo citado dessa forma, também foi muito massa. Mesmo ambos sendo Genins demonstraram um talento muito grande, pelo menos, maior que a Equipe 7.

Espero ansioso pelo próximo capítulo!
Boa sorte!
avatar
Killer123
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/11/2014

Frase pessoal : We'll shine like stars


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por xKai em Sab 4 Abr 2015 - 18:38

Comentários:
Killer123: Obrigado pela presença mais uma vez cara, é sempre bom ter comentários nesta fase da fanfic, pois nessa altura é difícil contar com novos leitores já que deve bater aquele preguicinha para ler tudo aquilo que já foi escrito xD Espere mais coisas, a Ayaka vai rompes as barreiras deste estereotipo meia tigela -q Ela vai se desenvolver melhor durante e depois do exame chuunin, quando ela irá criar suas próprias técnicas. Não que o Masaru seja fraco, mas ele por enquanto não é forte como Ayaka e o Taiki, mas de todos ele é o que tem mais determinação, logo ele tem mais durabilidade que os outros dois. O Taiki pode ter parecido um pouco OP nesta batalha, mas contanto com o que ele apanhou antes, acho que está de bom tamanho, foi mais uma introdução para a habilidade dele, espero que goste! No capítulo a seguir teremos a conclusão de Masaru Vs. Musashi e Taiki Vs. Hayabusa. É claro, também teremos o início da parte final entre Akane Vs. Juunichirou. Espero que continue acompanhando a fic e até outro dia.

Chapter 09:

O Despertar do tigre. Libere a técnica secreta!


Naquele ínfimo momento em que Musashi caiu de joelhos à frente de Masaru, para ele, a luta havia acabado e o ruivo ganho, porém na mente da mulher a luta não havia terminado ainda. Aquela ilusão começou com a mulher atravessando o  peito do menino com sua kunai, o som de suas roupas rasgando e sua pele se abrindo pela lâmina ecoou por um segundo antes de o corpo desaparecer em frente aos olhos da nukenin.

– O que é isso? Outro Kage Bushin?! – Musashi questionou a si mesma quando sentiu um frio vento tocar-lhe pelas costas.

Após aquilo a mulher sentiu um frio vento tocar-lhe a nuca movendo o cabelo, o que era estranho para uma tarde de sol como aquela. Ela virou-se de costas com a arma em mãos pensando ser o garoto que moveu o vento, todavia nada estava em sua linha de visão além das pedras e o horizonte daquele deserto que a própria mulher havia criado. A única ideia que lhe veio em mente foi sair dali, então começou a andar e assim o fez, andou e andou até que aquele dia finalmente anoitecesse. Suas pernas doíam devido ao cansaço da luta e caminhada, porém Musashi parecia não querer ceder a exaustão, todavia não conseguiu e logo caiu sobre as areias.

Caída no chão e sem energia para continuar a ninja somente soprou seu cabelo para cima a fim de não deixar-los sobre o chão sujo então viu um pouco de areia movendo-se a sua frente, após isso em sua lateral, era como se pequenos animais andassem sob os grãos até que uma pequenina aranha cinza saiu de sob o solo.

– A-Aranha ?! – Exclamou a mulher a si mesma com certo medo enquanto tentava se levantar, mas suas pernas pareciam pesar demais para ela se afastar do animal.

De fato Musashi tinha um medo irracional de aranhas então tentava evitar o animal, mas aquele deserto não dava a ela lugar algum para se esconder, logo uma segunda aranha saiu da areia e escalou as pernas da ninja, depois uma terceira e logo as pernas de Musashi estavam infestadas por aqueles animais, ela  tentou espantar as aranhas batendo as mãos em suas pernas porém os artrópodes somente subiram em seus braços e, antes que ela percebesse, começaram a tecer uma teia ao redor do corpo da ninja deixando-a presa com aquela ceda prateada.




Enquanto Taiki rendia-se a inevitável queda, que teria como resultado sua morte iminente, um filme de sua vida passava pela mente do rapaz, tendo como destaques algumas partes importantes em sua vida de motivações ou desmotivações, certas situações em que quase ocasionaram sua morte e algum aprendizado importante, algumas delas contavam com a presença de seu pai, que desde muito cedo o treinou para ser um ninja, mesmo não conseguindo curar o medo que o garoto possui por ferir alguém.

Estava um pouco embaçado, estava ali de pé sobre uma paisagem pouco familiar, seu corpo parecia uma projeção astral e não parecia ter forma física, era possível ver através de suas próprias mãos, logo ali adiante em um pequeno vilarejo de modestas casas de madeira estava um homem adulto dando broncas em sua versão mais nova.

– Nunca mais faça isto! – exclamou o homem.

– Pai... – choramingou a criança.

– Tigres jovens não caçam sozinhos, se ele estava sozinho deve ser porque era órfão, este coelho em suas mãos seria a refeição dele, você pode ter salvado a vida do coelho mas condenou a vida do predador, não se deve ir contra as leis da natureza. – aconselhou, ainda bravo.

A criança não entendia muito aquelas palavras, mas após alguns soluços e lágrimas foi capaz de soltar o coelho, que saiu saltitando por aí, sem sequer se importar com aquilo, mas é claro que desta vez ele estaria mais atento. Taiki continuava a observar a cena, sabia que não podia ser visto, já que aquilo era algo de seu próprio passado, novamente sua visão ficava turva e agora estava tendo a visão de outro acontecimento de seu passado.

– Você é gentil demais, não irá ser um ninja de verdade enquanto não descobrir como é difícil se manter vivo. – enfatizou o pai, por algum motivo Taiki apenas conseguia vê-lo de baixo para cima, agora era como se ele próprio estivesse no corpo de sua versão mais jovem.

– Esta montanha é o tesouro de nosso clã, por anos nossos ninjas treinam suas habilidades aqui já que se trata de um lugar especial. Você deve sobreviver aqui por duas semanas! Vai estar sozinho, não terá ninguém além de sua própria vontade. Em duas semanas eu irei encontrá-lo do outro lado da montanha, se não estiver lá o considerarei como morto! Se não me ver até lá foi porque eu não esperei, por tanto terá de achar o caminho de casa sozinho. – explicou friamente, por dentro o homem estava um tanto quanto chocado com suas próprias palavras, não era um homem cruel e amava seu filho acima de tudo, mas sabia ele que teria que passar este teste, pois o futuro é algo sempre inesperado.


O jovem de apenas seis anos fora deixado naquelas montanhas completamente a mercê de todos os perigos que ali residem, sem ter muita experiência em sobrevivência e com capacidades físicas bastante limitadas a criança passava dia após dia dando o seu melhor para sair dali com vida, logo a primeira semana se passou, sem nenhum avanço, o rapaz apenas fez um pequeno acampamento próximo de uma caverna e pegava alguns peixes utilizando um galho pontudo. Certo dia o rapaz caiu em um dos lagos que utilizava para pescar, sem sequer saber nadar ele estava condenado, até que uma sombra surge saltando da terra para dentro da água, tinha algo o empurrando por debaixo da água, o garoto se debatia contra a água e quando deu conta estava na superfície novamente podendo respirar normalmente, ainda que bastante ofegante. Ali na sua frente estava o jovem tigre, que um dia o rapaz quase condenou, atrapalhando a caça de uma lebre da montanha. O felino roubou alguns peixes que estavam próximos a caverna que Taiki usava como acampamento e logo foi embora. Após aquele encontro, algo havia mudado dentro do garoto, uma vontade de viver que raramente era vista em crianças naquela idade, com o passar dos dias o garoto aprendia a escalar os paredões de rochas, a nadar e até mesmo a criar seu próprio armamento utilizando galhos de árvores e pedras de quartzo. As duas semanas haviam se passado, Hakuryuu Kouga, pai de Taiki estava esperando do outro lado da montanha como assim foi combinado, cansado de esperar o homem estava quase virando de costas, quando no horizonte seu filho surge vitorioso, com vários pequenos arranhões e hematomas, um tanto quanto sujo e suas roupas estavam já desgastadas, mas o olhar daquela criança havia mudado.

– Nada mal... Meu garoto! – proferiu o homem que se segurava para não chorar, apesar de ser rigoroso possui um coração muito mole, principalmente quando se tratava de seu filho único.

Taiki correu e abraçou seu pai que o levantou bem alto no colo e o jogava para cima pegando-o novamente, após aquele momento de reencontro ambos voltavam para cidade onde todos comemoravam e assobiavam muito alto, era um ritual comum naquele vilarejo, mas o garoto certamente havia sido o mais jovem a completar este ritual de sobrevivência e sair com vida. Após tudo isto o ancião da vila, que no começo havia sido contra que Kouga enviasse seu filho para as montanhas, marcou o garoto com a prova de bravura do clã, em seu peito, foi tatuado um conjunto de marcas que simbolizavam as garras de um tigre, para isto usavam um material derivado de uma árvore muito especial que existe pelas montanhas sagradas, a marca sempre brilha quando o poder de sua kekkei genkai está sendo usado.




A expressão de Hayabusa era absoluta, estava certo de sua vitória. Após reviver alguns momentos de sua infância que envolviam a superação de um difícil desafio o garoto ainda parecia ter tempo para desabafar consigo próprio sobre o quão patético ele estava sendo, em queda livre rumo à sua morte.

– ( Heh... Não posso deixar o meu eu de seis anos rir desta situação... Não é? Até agora eu não estava sendo eu mesmo... Para ser honesto eu não me lembro porque e quando eu passei a ter medo de lutar... Mas contra alguém que quer me matar... Eu não posso ter o luxo de me segurar! ) – pensou.

Enquanto abraçava o corpo de Taiki com seus braços e pernas, Hayabusa começou a sentir-se estranho, parecia estar se queimando enquanto estava em contato com o corpo do garoto, o calor aumentava mais e mais assim como a pressão do ar em volta dele, estava o sufocando, o que estava acontecendo, vendo que sua vida estava em risco, Hayabusa soltou o rapaz em pleno ar, pousou em terra firme e impulsivamente saltou cinco metros para trás analisando o que estava errado. Taiki agora livre de seu oponente apenas girou em pleno ar pousando suavemente, lentamente ajeitou suas vestimentas e abriu novamente os seus olhos.

– Certo... Você falou o que quis e agiu da forma que quis igualmente, agora é a minha vez de mostrar alguma coisa, começando com... Que tal fogo? – ameaçou.


– Tá curtindo uma com a minha cara? Seu desgraçado, o que foi que você fez?

– Vai saber... Né? – sorriu. – Daqui pra frente o verdadeiro Hakuryuu Taiki-sama é quem vai lutar! – proferiu o garoto enquanto executava selos em altíssima velocidade.Katon: Gōkakyū no Jutsu! – exclamou o garoto que expelia de sua boca uma rajada flamejante de formato esférico na direção do nukenin.



Hayabusa rapidamente reagiu, mesmo não podendo contra-atacar aquilo com vento o mesmo saltou em cima de seu falcão que levantou voo para uma perfeita evasiva, não demorou muito para que mergulhasse a direção do garoto para atacá-lo usando o grande corpo de seu animal invocado.


– Agora eu te peguei! – gritou.

Foi muito rápido, a ave acertou o corpo do garoto em cheio com seu bico afiadíssimo, criando assim uma grande perfuração na parte frontal do corpo do rapaz, mas algo estava errado, assim que foi jogado alguns metros a frente o corpo se esfumaçava e um tronco partido ao meio surge em seu lugar. Logo atrás de Hayabusa, onde os detritos de fumaça da técnica de fogo ainda encobriam um pouco de sua visão, surge o garoto saltando contra o céu, sua espada estava emitindo um estranho efeito em seu fio, era bem visível aquela fumaça de gelo seco emergindo pela lâmina da espada. Hayabusa defende-se de um primeiro ataque utilizando sua kunai, que a cada encontro com a lâmina do garoto ficava ficava mais gelada, até que por fim estava congelada, percebendo que o mesmo acontecia com seu braço o homem salta do falcão, porém a ave era atingida por um dos ataques constantes do espadachim e desaparece deixando uma nuvem branca de fumaça em pleno ar.

Hyōton: Kenjutsu Ougi... – proferiu o garoto, desta vez estando em uma estranha posição de batalha, sua espada estava com a ponta para baixo, na direção do chão.

– Elemento gelo? Como isso é possível, você acabou de usar fogo... – se impressionou, assustado começava a caminhar para trás, na direção do lago.

– Não é algo que você vá entender... Minha kekkei genkai, Hijutsu: Godai Myōhō.  – Taiki começou a abrir sua camisa, por baixo da malha de aço protetora era bem visível uma espécie de luz que emitia em seu peito, uma luz de coloração índigo emanava daquela marca. – Deve ter se sentido bem estranho quando estava me segurando, não foi? Quando minha kekkei genkai está ativa, esta marca por algum motivo brilha e me concede um tipo especial de chakra, todos os membros do meu clã que passaram pelo treinamento possui esta habilidade. Dominação de múltiplos elementos é o básico para nós, e aliado ao Sharingan me concedeu o título de "Prodígio" dentro de meu clã. Mas nossa habilidade não se resume apenas aos cinco elementos, certas pessoas conseguem dominar elementos secundários, que são o resultado da junção de dois ou mais elementos. Meu pai, Hakuryuu Kouga, consegue usar três destes elementos secundários e como seu filho, herdei sua habilidade com o elemento gelo. Conseguiu entender, não é? Você não tem mais a menor chance de vitória, e me desculpe pela cena patética de alguns minutos atrás. – explicou.

– Não vem com essa, vou acabar com você! O Sharingan pertence a nós! Fuuton: Shinkū Renpa!

Com uma tentativa desesperada, Hayabusa expeliu de sua boca uma grande quantidade de ar concentrado que continha lâminas ocultas de vento, fez com que ficassem mais escondidas possível e as lançou na direção de Taiki com um poderoso sopro. Em sua face uma agonia assustadora, aquele ataque era seu último recurso, até mesmo saliva escorria de sua boca enquanto o mesmo aguardava o resultado daquela colisão.


– Não adianta, o Sharingan distingue o chakra pela cor, posso ver claramente... – estava pronto, Taiki fincava a ponta de sua espada contra o chão, liberando sua técnica especial.Hyakka Ryōran!

Os tomões do Sharingan de Taiki começavam a girar no instante em que ele previu o movimento usado pelo ninja, lhe dando a oportunidade mais do que perfeita para gravar os selos daquele técnica para usufruir de sua utilidade algum dia. Uma grande quantidade de espinhos de gelo parecidos com vinhas  emergem solo acima mudando o curso das múltiplas lâminas de vento que eram dissipadas ao entrar em contato com as estruturas. Hayabusa estava sem ação, aquela grande profusão de gelo avançava em sua direção e o confinava em um mar de espinhos de gelo, ele estava preso, flores de gelo começavam a se abrir daqueles espinhos, era uma imagem linda, ao mesmo tempo que era assustadora. Sem dúvidas era a “beleza na morte fria”. O único lugar que Hayabusa poderia correr era para o lago, mas se o fizesse estaria condenado, o elemento gelo do garoto iria destruí-lo naquela imensidão de água.

– Acabou! – disse o garoto atirando uma kunai com um selo explosivo que fincou-se em uma das estacas de gelo que restringiam os movimentos de Hayabusa. – Últimas palavras? – questionou apontando o selo do tigre para o homem.

– Seu moleque... Você não...!

– Hm... Que palavras estranhas para se dizer quando se está para morrer. – afirmou sorrindo sarcasticamente. – Até mais... BUM!

Assim que o Hakuryuu ativou o selo a tarja explosiva da kunai incendiou-se, mas nada aconteceu, não causou nenhum tipo de explosão, por outro lado, Hayabusa sofreu um grande choque ao pensar que iria morrer com a explosão e acabou por desmaiar ali mesmo.

– Brincadeirinha! Ba-ka! – apontou a língua. – Achou mesmo que eu iria te matar? Graças a você eu fui capaz de me lembrar algo que eu havia esquecido, e você ainda tem que pagar pelos crimes que cometeu! – explicou, mesmo sabendo que o nukenin estava desmaiado e nada poderia fazer. – Akane-sensei deve ficar bem, preciso ver como estão os outros dois. – usava seu sharingan para rapidamente perceber a localização de Ayaka, não estava muito longe dali, bastava subir aquela encosta.



Um pouco mais longe dali estava Masaru, sentado a frente de sua oponente que permanecia dormindo. Em sua ilusão Musashi, ainda enrolada em teias, sentiu a picada de cada uma das milhares de aranhas sobre seu corpo e o veneno dos pequenos animais entrando em suas veias, era uma dor indescritível ser digerida aos poucos pelo veneno e sentir o frio da morte tocar seu corpo tão lentamente. Quando finalmente o coração de Musashi parou de bater na ilusão seus olhos se abriram e a primeira imagem que ela viu era o sorriso idiota e irônico do ruivo e aquele olhar superior.

– É interessante ver que quando se morre em um sonho a pessoa tende a acordar não é? – aquelas debochadas palavras foram a primeira coisa que a kunoichi ouviu ao acordar.

– G-genjutsu?! – disse, ainda um pouco zonza.

Musashi erguia-se trêmula e notava que o chão sob seus pés havia mudado, voltara a ser aquela floresta da qual ela havia se livrado. Após recobrar seus sentidos completamente os olhos da mulher se fecharam um pouco enquanto franzia a testa, em um momento de ódio ela saltou para trás novamente se afastando do ruivo agora com senbons em suas mãos.

– Garoto idiota. Vai morrer agora. – Ela dizia erguendo suas mãos para lançar as agulhas de metal quando uma explosão aconteceu atrás da mesma arremessando-a contra Masaru que a chutou de cima para baixo fazendo-a colidir contra o galho.

– Você não imaginou que eu ficaria parado enquanto você dormia não é? A floresta voltou quando você caiu no genjutsu. Estamos em meu campo de novo.

Naquele momento o garoto imbuiu seus pés com chakra  então começou a saltar por entre os galhos em acrobacias. Musashi se via desnorteada pelos rápidos movimentos do ninja e antes que pudesse perceber ele estava no galho abaixo dela fazendo um selo de mão, isto fez com que alguns papéis bomba perto da nukenin explodirem. Ela caía em meio a galhos e folhas em direção ao ninja que a acertava novamente com um chute, agora no rosto o que a fazia desmaiar.

– Não deveria lutar com um macaco em uma floresta. – O garoto dizia em um tom sério para Musashi desmaiada, enquanto descia das árvores até a grama no chão.





A jounin líder parecia estar encontrando certos problemas em sua batalha contra Juunichirou. A técnica desconhecida que o nukenin usava fez com que suas asas tomassem a forma de uma espécie de turbina que estava puxando Akane em sua direção, a mulher que parecia a mercê da técnica sorriu levianamente enquanto executava selos para uma técnica de lava uma outra vez.

– Se me quer tanto assim, bastava ter pedido mas cuidado que eu mordo! Yōton: Kazan no Kiba!

A mulher após executar selos de mão expeliu de sua boca uma enorme rajada espiral de lava que tomou a forma do que parecia ser um cão, sua boca repleta de grandes dentes ansiavam pelo sangue do nukennin.


– Tsc, é grande demais não vai dar para escapar... Nesse caso... Fuuton • Hijutsu: Fuujin Mayu!

Após executar os selos e exclamar em alto e claro tom, as asas de Juunichirou novamente mudam de forma,  tornando-se um grande globo de ar que encobre todo o corpo do homem em uma tentativa desespera de escapar da técnica de Akane, porém, não era o suficiente, as presas poderosas do canino de lava mastigam e quebram sua proteção em várias partes, seu calor penetrava o globo brilhante causando queimaduras ao homem e então a esfera explode atirando o homem contra o chão. Suas asas de chakra estavam no limite, mal era capaz de conseguir manter sua forma, mas homem repleto de lesões devido ao calor teimava em se levantar.


– Porque continua a se levantar? – perguntou a jounin. – Não me faça parecer a vilã, é nossa missão acabar com os ninjas contratados pela organização criminosa que está ocupando esta cidade. Porque aceitaram um trabalho sujo destes? Furikaze Juunichirou... Você não é do tipo que tomba com o primeiro obstáculo, o motivo de continuar a se levantar é porque existe algo que você quer mudar, seja sincero!

– Heh... – Não é da sua conta. – sussurrou enquanto erguia novamente sua cabeça.

– Então isto confirma a minha teoria, não é? É impossível que você tenha destruído seu próprio clã sozinho, você me parece ser um usuário normal das técnicas secretas daquele clã, mas de alguma forma foi acusado, não é? – perguntou.

– Não venha com essa agora! Você não faz ideia de quem eu sou! Não faz ideia do que eu já fiz e do que posso fazer! Kurosaki Akane, eu vou... Eu preciso derrotar você! – após aquela exclamação suas asas de chakra reacenderam, pareciam ainda mais fortes, apesar de que fisicamente o homem parecia acabado, bastaria que Akane lhe atingisse uma única vez para por um fim naquele batalha, mas ele não iria permitir que isso acontecesse, estava lutando por seus próprios motivos, mais do que ninguém ele possui suas razões para esta luta.





NOTAS:
Hyōton: Kenjutsu Ougi • Hyakka Ryōran: Traduzido como Elemento gelo: Arte secreta da espada • Profusão caótica. Se trata de uma das técnicas com espadas ensinadas a Taiki por Hakuryuu Kouga. Quando o chakra desta técnica é focado apenas na lâmina, é capaz de congelar tudo aquilo que sua lâmina tocar, quando o chakra é lançado contra o solo uma grande quantidade de vinhas e flores de gelo com grande poder destrutivo são invocadas atingindo tudo aquilo que estiver em seu alcance, no momento em que todas as flores de gelo desabrocham a técnica tem como finalizada e o chakra do adversário é sugado pela lâmina. Por se tratar de uma técnica Ougi* (Secreta) mais informações ainda podem ser adicionadas.
Hijutsu: Godai Myōhō: Traduzido como Técnica secreta: Compensação do mistério dos cinco elementos. Trata-se da Kekkei genkai do clã Hakuryuu, sabe-se que seu poder não é proveniente da tatuagem que os membros possuem no peito, mas possui uma forte ligação com isto. Mais do que uma técnica, trata-se de uma dominação. Desde muito jovens os membros do clã Hakuryuu são treinados utilizando antigos pergaminhos contendo o ensinamento para técnicas elementais, não as desenvolvem apenas por estudarem um pergaminho, mas sim porque possuem a habilidade de dividir o seu chakra interno. Neste clã a força de um indivíduo é definida pelo número de naturezas de chakra que este domina. Normalmente uma pessoa possui um sistema circulatório de chakra, os membros do clã Hakuryuu possuem o que pode ser chamado de "reserva adicionais de chakra" que são camadas extras de chakra em seu sistema circulatório único, tais camadas podem variar de acordo com o talento do usuário que também pode ser capaz de dominar mesmo técnicas que juntam mais elementos para formar um outro.
Fuuton: Shinkū Renpa: Traduzido como Elemento vento: Ondas de vácuo em série. O usuário toma uma respiração profunda e exala várias lâminas de vento em ângulos diferentes, por mover a cabeça rapidamente em várias direções.
Yōton: Kazan no Kiba: Traduzido como Elemento lava: Presas vulcânicas. Uma técnica que ao que se sabe é usada apenas por Kurosaki Akane, consiste em amassar uma grande quantidade de chakra em seu estômago e expelir na forma de uma rajada derretida que toma a forma de uma figura canina que avançará contra seu alvo.
Fuuton • Hijutsu: Fuujin Mayu: Traduzido como Técnica secreta do elemento vento: Casulo do deus dos ventos. Técnica que consiste em usar suas grandes asas de chakra que se fecham contra seu corpo criando um tipo de esfera ao seu redor, podendo bloquear certas técnicas, não se sabe sobre sua resistência, já que foi derrotado pelo Yōton: Kazan no Kiba de Kurosaki Akane.




Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 22:40, editado 3 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Killer123 em Ter 7 Abr 2015 - 22:35

Hey! Let's Go!

Bem, eu estou um pouco ocupado com as provas na escola. Por isso está bem ruim de ler as outras fics e até mesmo de fazer a minha. Está sendo difícil. Mas aproveitei e dei uma escapadinha para comentar sobre o seu novo capítulo.

A luta do Taiki, foi bem massa. Muito melhor que as outras. Não que as de Aiaka e de Masaru, tenham sido ruins. Muito pelo contrário. Mas Taiki provou que realmente é um ninja habilidoso. Seria um ótimo Chunnin ou até mesmo um jounin.

Eu pensei que Musashi estava morta no instante que caíra no Genjutsu do Masaru. Mas pelo visto, ele queria apenas deixar o campo de batalha ao seu favor. Eu teria aproveitado e acabado com a Musashi. Mas é claro, Ele deve apenas querer derrotar a Nukenin.

Furikaze luta pelos seus objetivos e jamais deixara alguém passar por cima do mesmo. Isso lembra um pouco o Zabuza, que luta pelos seus objetivos e não tem medo de matar qualquer um que apareça em seu caminho.

O jutsu da Akane, ficou muito fod@! Massa mesmo. O "lobo" de lava, me lembrou um pouco do Kirin. Não sei, só tive uma certa impressão de ter visto um Kirin no elemento Lava.

Já o capítulo em si. Ficou fod@. Espero que você continue com a fic. Bem é só isso!
Boa sorte na fic!

avatar
Killer123
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/11/2014

Frase pessoal : We'll shine like stars


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Feartype em Dom 12 Abr 2015 - 12:10

Eai Kai tudo bl?
Mano eu ando lendo a tua fanfic e diferente das outras que leio a tua está muito boa tens quase tanto jeito que nem kishimito ate porque tu consegues fazer o leitor entrar na acção, poucas pessoas conseguem... tu para mim so estas a falhar num sentido, estas a a fazer muita descrição o que para mim que nao gosto de ler prefiro ver um episódio de anime que manga no entanto estou a adorar a tua fanfic... man ve se passas a postar 2 capítulos por semana, tu deixa um cara na expectativa e a pensar no que vai acontecer... cara nao faz isso nao Smile
continua com o teu exelente trabalho.
avatar
Feartype
Membro
Membro

Masculino Idade : 26
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 12/04/2015

Frase pessoal : Não me Chatei-em que eu nao chateio


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por xKai em Ter 5 Maio 2015 - 0:20

Comentários:
Killer123:Fala Killer, tudo bem? Bom, como ele é o protagonista, é bem capaz que muitas vezes as batalhas dele terão mais destaque, mas Masaru e Ayaka não ficarão atrás, não sei se já mencionei isto, mas pretendo que este trio fique bem forte, sem nenhuma exceção. Quanto à sua comparação entre Zabuza e Juunichirou, está correto, fiz com que o personagem tivesse personalidade e história um pouco semelhante, mas como vistes o estilo de luta é totalmente diferente. Fico feliz que tenha gostado, é claro que a imagem que usei foi algo aleatório que achei na internet, mas combinou perfeitamente com a ideia da técnica, espero mesmo que tenha passado essa ideia. Obrigado por acompanhar a fic e espero que continue lendo Very Happy

Feartype: Primeiramente, bem vindo! É sempre bom ter um novo comentarista por aqui, até porque fics de Naruto não costumam chamar muita atenção.

Bem, sobre o exagero nas descrições eu não sei bem se estou fazendo ou não -q É que para aproveitar ao máximo os combates e esclarecer possíveis dúvidas eu acho que é necessário fazer uma descrição bem desenvolvida, mas mesmo assim vou tentar caprichar. Espero que continue acompanhando a fic ^^


Chapter 10:

Aqueles que sobrevivem.

Imediatamente após decidir sua batalha, Taiki correu em busca de Ayaka e seguidamente iria atrás de Masaru. Assim que chegou ao topo do desfiladeiro se surpreendeu com que avistara, Ayaka parecia um tanto cansada psicologicamente, mas seu corpo não estava ferido, apenas suas roupas estavam sujas, havia vencido seu adversário sem grandes problemas, para a surpresa do menino que a admirou boquiaberto.

– Taiki-kun! Porque a expressão de espanto? – perguntou.

– Espanto...? Não, está enganada. – disfarçou encabulado. – Falando nisto é ótimo que você esteja bem! Vamos atrás daquele destrambelhado logo! Tenho certas preocupações... – disse.

– Haha! Você fala como se conhecesse ele há bastante tempo... Apesar de eu ter sido companheira de turma dele.

– Não enche! Vamos lá! – proferiu enquanto tornava sua direção para a floresta que estava mais abaixo.




O combate entre Akane e Juunichirou persiste, tecnicamente a mulher parece superior, mas o homem que aparentava possuir fortes motivações para vencer tal batalha teimava em contornar tais adversidades, apesar de saber o quão perigosa poderia ser a usuária do elemento lava.

– Gwahaha! Vejamos se suas presas poderão contra um verdadeiro dragão, Kurosaki Akane!

A velocidade e a quantidade de selos manuais era absurda, o próximo jutsu do homem poderia ser fatal, o bastante para fazer Akane tomar iniciativa em sua rápida tentativa para impedir o homem de terminar aquela técnica. A mulher utilizando o selo do boi rapidamente ergueu um pequeno muro de terra, saltou em sua direção e o socou, seu punho estava coberto por uma massa rubra de chakra que criou rachaduras incandescidas na terra fazendo com que várias pedras escaldantes voassem na direção do homem, que por sua vez já esperava um ataque como este vindo da jounin, o homem solidificou o chakra em suas asas e rebatia algumas das pedras, sendo inevitavelmente atingido por algumas destas, porém causando-lhe pouco dano. Mesmo enquanto estava sendo ferido continuou executando os selos, até que finalmente terminou, sendo este último selo o que representava o pássaro.

– A luta acabará aqui! Ao utilizar esta técnica eu me tornarei um só com o vento, poderei moldar o chakra de todo o ar presente, inclusive aquele que você respira! Posso criar lâminas de ar que serão inaladas por sua respiração, ou mesmo impedir o ar de entrar em suas vias aéreas... Uma vez que atingir esta forma eu serei invencível! – gabou-se enquanto revelava o efeito da técnica que estava para usar.

Kage Bunshin no Jutsu! – disse a jounin.

Akane executou um selo manual utilizando ambas as mãos, o mesmo parecia algum tipo de sinal de cruz, feito isto ela criou uma única réplica de si própria. Executando tal técnica, seu chakra é dividido e repassado entre sua cópia, porém a réplica não possui a mesma resistência e eficiência do original, sendo algo em torno de dez porcento do total de poder e chakra. Um chakra rubro encobre ambas, a réplica e a original enquanto aguardam o movimento de Juunichirou que também acumulava grande quantidade de chakra.


Fuuton • Hijutsu: Kaze Shinki! – exclamou – O chakra turbulento que rodeava seu corpo começara a encobrir toda a extensão de seu corpo, até que o mesmo desapareça por completo em meio aquele turbilhão de chakra girando em alta velocidade, até que repentinamente desaparece sem deixar sequer resquícios, ele havia se tornado o vento?

– Agora... Kurosaki Akane, consegue me ver? Mas é claro que não! Desta vez estará tudo acabado para você! – proferiu já fora de si.

– Uma técnica impressionante... Mas também é uma faca de dois gumes, estou errada? – sorriu debochando.

– Maldita... Continua fazendo pouco de minha habilidade...! Seria fácil demais impedi-la de respirar, te farei em pedaços!

No ínfimo instante em que ouviu as palavras de ameaça ditas por Juunichirou, Akane junto de sua réplica executam uma série bem rápida de selos manuais, a técnica que viria a seguir iria usar o chakra que a mesma estava acumulando anteriormente para fazer do jutsu ainda mais eficaz.

– Certo, não tenho o dia todo para isto, sabe quanto é chato para uma mulher ter que esperar? Katon • Renkeijutsu: Karura!


Após executar os selos manuais Akane e sua clone expelem de suas bocas incríveis rajadas flamejantes que ao se encontrarem fundem-se imediatamente formando uma gigante corrente de fogo com aspecto de uma ave mítica chamada Garuda. A ave de fogo percorreu todo o caminho a sua frente em linha reta, após isto retornou para o redor de suas conjuradoras onde se enrolou como se fosse um dragão e depois explodiu, aniquilando toda a vegetação ao redor de Akane e tudo mais que estava ali, até mesmo as pedras sofreram danos.





Enquanto Akane seguia com seu plano de atacar tudo ao seu redor tendo a pretensão de atingir Juunichirou que estava camuflado com o ar o grupo de genins estava aos poucos se reunindo, Taiki e Ayaka que corriam pela floresta abaixo do declive já avistavam Masaru e o corpo desacordado de sua adversária. Para a surpresa de ambos ele não estava nem sequer arranhado, nem mesmo sua roupa estava suja o que levou certa estranheza nos olhares dos outros dois.


– Ma-sa-ru... Está tudo bem? – perguntou Ayaka, a mesma parecia bem nervosa.

– Ah, são vocês! Eu já ia pensar em ajudar vocês, mas parece que estão todos muito bem. – proferiu fazendo pose nice guy.

– Não me compare à você! É claro que tudo aquilo não passou de uma diversão para mim! – gabou-se Taiki, atrás de sua cabeça uma gota de sua frio escorria por sua nuca.

– Sério é? Você parece um pouco acabado pra mim. – respondeu.

– O meu adversário era mais forte! – retrucou.

– Você que pensa... – debochou Masaru.

– Como é que é?!

Era evidente que estavam todos muito bem por ali, sem sequer avisar, a Hyuuga sorrateiramente chegou por trás dos garotos golpeando ambos no alto da cabeça, fazendo-os lacrimejar de dor por alguns instantes, com isso as tensões por ali estariam normais mais uma vez.

– O que pensam que estão fazendo? Agora que estamos todos bem temos que ir até a Akane sensei, depressa!

– É verdade... Ela pode estar com problemas. – disse Taiki.

– É claro que ela deve estar bem... Akane-sensei é sem dúvida uma das pessoas mais fortes da vila, ela vai vencer este cara! – respondeu Masaru.

– Haha... Ela pode até ter a força que tanto falam... Mas ela não conhece Furikaze Juunichirou-sama! Depois de tudo o que ele passou... Humilhação, desgraça... Vingança! Estes sentimentos carregam um poder sem precedentes... E nós, não perdoaremos aqueles que se põe na frente dos objetivos dele!

Quando menos esperava, Hayabusa aparece novamente, logo atrás dele estava Dango e a mulher chamada Musashi que à pouco estava estirada ao chão.

– Mas o que?! Você foi atingido pelo meu Hyakka Hyouran e teve o chakra absorvido, como ainda pode estar de pé? – perguntou Taiki espantado.

– Ah... Uma técnica bem interessante, mas você hesitou em me matar! Você fez com que os espinhos de gelo me evitassem, com que eles apenas me impedissem de sair daquele lugar. Como eu havia dito, estes são olhos bons demais para um lixo como você! – exclamava o homem dando sua explicação.

– Dango... Você... – disse Ayaka ao ver o homem claramente sem condições para lutar se pondo de pé à sua frente.

– Jun-sama... Eu vou proteger o Jun-sama!

– Moleque dos Kage bunshins, eu vou acabar com você!


Byakugan! – exclamou a Hyuuga fazendo uso de sua técnica ocular. – Mas o que...? Os únicos em condição de lutar são Hayabusa e Musashi... Sendo que o chakra dela ainda está sob efeito anestésico de algum genjutsu... E o outro não deve ter chakra sobrando pra usar sequer uma técnica! – informou. – Não sabem a hora de desistir, se continuarem assim morrerão!

– Foi mal Ayaka, mas não podemos esperar até que eles ataquem! – exclamou Taiki correndo na direção dos ninjas.Raikou Kotetsu • Kaihou!

Após proferir tais palavras, o selo que restringia as habilidades de sua katana era quebrado, liberando assim sua força máxima, a tornando uma espada com alto nível para ninjutsus elementais. Uma mistura de chakra envolvia a espada que manteve sua forma, uma espiral de vento coberta por raios rodeava a mesma, também era possível perceber alguns flocos de neve sendo formados na atmosfera, era algo no mínimo curioso, uma habilidade um tanto excepcional para o garoto, mas certamente consumiria uma boa quantia de chakra.

– Wow... Bela espada, pena que não passa de uma ilusão, Musashi! – apontou Hayabusa confrontando Taiki de frente invocando uma maior com auxílio de um pergaminho.

– Não... Cuidado Hayabusa! Não é uma ilusão! – exclamou a mulher tentando alertar o companheiro.

– Esqueceu de mim? – proferiu Masaru a atacando pelo lado, a mulher tentava se defender, mas inevitavelmente era atingida por alguns ataques, suas capacidades físicas pareciam bem limitadas.

– Dango ainda pode lutar... – proferiu o homem com dificuldade.

Mesmo com seu uso de chakra limitado o homem executa um salto altíssimo e com a força de seus braços juntos o mesmo golpeia o chão com violência fazendo com que o solo ficasse desnivelado, atrapalhando as batalhas, enquanto Taiki e Hayabusa acabam por desviar do impacto e seguiam sua luta de curta distância. Masaru era novamente separado de Musashi, desta vez a mulher teria a vantagem?

– Vocês conseguem ser bem irritantes quando querem! – proferiu o protagonista.

– Como se nós tivéssemos outra escolha. Yah! – gritou enquanto saltava para executar um corte mais eficaz.

– ( Apesar de tudo este cara é um chuunin, suas habilidades físicas e força são melhores que as minhas, neste caso vou vencer usando minha parte técnica que é incomparável à dele. ) – pensou Taiki.

Mais uma vez o garoto confrontou o ataque de Hayabusa, apesar de seu esforço o homem possui uma força física superior, mesmo que sua espada fosse melhor que a arma de seu adversário era como ele fosse uma serpente emboscada por um grande falcão, o garoto então colocou uma de suas mãos sob a lâmina de sua espada e então seu chakra cintilou causando algumas vibrações estranhas na arma, ela parecia estar piscando.

Ryūko-Ryu • Shushiki-Ichi no Kata: Sai!

Uma forte onda de impacto que era invisível a olho nu empurrou o atacante para longe do garoto que rapidamente se recuperou, partiu na direção do adversário enquanto segurava fortemente a espada com ambas as mãos e então executou um corte vertical diagonal de baixo para cima na  levantando terra e pedras do chão junto com uma forte ventania gélida envolvida com raios que atingiria o inimigo.

Porém Dango mais uma vez surge como uma pedra no sapato, apesar de ainda estar abalado por causa da batalha anterior contra a Hyuuga o homem avança na direção de Taiki na tentativa de impedi-lo de atacar Hayabusa, o garoto como estava no meio de um movimento apenas percebe a aproximação do homem, sem poder reagir.

– Droga, esse gordo...!

Por sua sorte Ayaka que até o momento estava observando a batalha, um pouco insegura a respeito de lutar, golpeou Dango mais uma vez, desta vez pelas costas em um total de cinco vezes, fazendo o grande homem cair de joelhos em um instante. Feito isto o ataque de Taiki havia sido bem sucedido e aquela onda de chakra em forma de uma pequena tempestade espiral lançou Hayabusa metros para trás.

– Tudo bem com você Taiki? – perguntou a menina.

– Ah... Graças a você... – respondeu sem graça.

Logo ali ao lado, Masaru lutava contra Musashi, que agora que havia conseguido uma certa distância provavelmente usaria algum truque baseado em genjutsu, porém o garoto já tratava de resolver este problema, o garoto sentava no chão enquanto colocava em suas orelhas um par de protetores de ouvido, impedindo-lhe de ouvir, tirou de seu bolso um chocolate e começara a comer, provocando-a de sua própria maneira.

– Foi mal, não gosto de ouvir discurso de mulher enjoada, já basta a minha mãe gritando em flashback. Aquela figurante... – proferiu enquanto abria a embalagem de chocolate.

– Por mil demônios... Esse desgraçado quer me fazer de idiota...

– Hey, moça! Disse alguma coisa? Não consigo ouvir, esqueceu?

A batalha estava dominada pelos genins, provavelmente porque os adversários estavam batalhando em seus limites, mas mesmo assim eles teimavam em se levantar, Hayabusa e Dango logo se aproximaram da mulher, postando-se na frente da mesma como se fossem um escudo. Do lado de Konoha, Taiki começava a fraquejar, o garoto nunca havia usado o sharingan por tanto tempo, e com esta, eram duas batalhas seguidas, mesmo que intensidade não tenha sido tão grande nesta segunda.

– Droga... Meus olhos estão doendo... Não consigo me focar direito... – vagarosamente seus olhos tornavam para sua cor original e as esferas no interior desapareciam, estava exausto.

– Escutem bem! Não vamos perder para pirralhos feito vocês! Por Jun-sama iremos vencer esta batalha! – exclamou Hayabusa, seu corpo apenas estava de pé, mas ele estava aos pedaços assim como seus companheiros.

– O sofrimento de Jun-sama não será em vão... Juntos iremos ver aquele lugar... Vivo! –  gritou Musashi em prantos.

– Jun-sama? Por acaso falam daquele que está lutando contra Akane-sensei? Deviam se envergonhar de estarem defendendo alguém que matou o próprio clã! – enfatizou a Hyuuga.



– Não sabem de nada! – gritou, desta vez Dango. –  Jun-sama... Não fez aquilo, ele foi acusado injustamente. Naquela noite uma pessoa invadiu o templo do vilarejo, onde os documentos antigos com os ensinamentos das técnicas eram guardados, todos os usuários das técnicas foram assassinados, menos Jun-sama que estava fora do vilarejo, quando voltou na mesma noite enfrentou o assassino, mas este fugiu usando uma técnica similar... Quando os aldeões acordaram... Todos aqueles cadáveres e apenas Jun-sama, que estava com os pergaminhos em mãos estava vivo, ele foi acusado de imediato, sem poder sequer se explicar, os demais ninjas do vilarejo, aqueles que não pertenciam ao clã Furikaze iniciaram uma caçada que dura até os dias de hoje... Ele luta por redenção, para provar que ele não foi o culpado. Ele nos tirou da miséria, nos ensinou ninjutsu e hoje somos gratos à ele por esta vida que temos... Iremos até os confins do inferno para quitarmos nosso débito para com ele... Soubemos que os ladrões que vivem aqui no País das Fontes Termais possuem ligação com o assassino, e então nos oferecemos para o serviço de eliminar os ninjas que estavam atrapalhando seus crimes... Para que no fim possamos espionar os bandidos mais a fundo e descobrir suas ligações. – explicou.

– Eliminar...? Quanta besteira, quer dizer que irão limpar o nome dele em troca de sujarem os seus? Não faz o menor sentido pra mim. – proferiu Taiki enquanto deitava no chão.

– Porque não pediram a ajuda das grandes nações? Pelo menos alguém poderia te ajudar. – perguntou Ayaka curiosa.

– Não sabem mesmo de nada! Quando se torna um ninja fugitivo, você entra para o Bingo book! Ou seja, haverá uma recompensa por nossos corpos, pedir ajuda aos ninjas seria como apertar a mão morte! – respondeu Musashi.

– Pelo menos... Não parecem ser pessoas ruins... De todo o jeito o que vamos fazer? – questionou Taiki.

– Estão conversando sobre algo importante? – perguntou Masaru, sabendo que não poderia ouvir a resposta de qualquer forma.

A Hyuga vagarosamente se levantou, dirigiu-se até o ruivo e então lhe deu um chute o lançando uns três metros de distância, que já fora o suficiente para que os protetores de ouvido caíssem de suas orelhas. Ainda irritada com as ações de seu companheiro a garota decidida resolve fazer alguma coisa em relação a atual situação, não sem antes respirar bem fundo.

– Precisamos ir até onde aqueles dois estão lutando... Todos nós! – disse a garota encarando o grupo adversário.

– Não estão pensando em...! – proferiu Hayabusa até ser interrompido por Taiki.

– Eu concordo! É uma total perda de tempo ficarmos aqui lutando... Nossa missão é derrubar a criminalidade local, o de vocês é obter informações que os mesmos detém, não é mesmo? O que acham de uma trégua temporária? Desta forma, talvez eu possa esquecer que vocês estavam atrás de meus olhos. – disse o garoto, desta vez bem sério.

– Dango não quer mais lutar... Hayabusa, Musashi, vamos fazer da forma que eles querem. – falou o maior.

– Que patético... Vamos mesmo nos render desta maneira? – questionou a mulher.

– Não vou carregar nenhum de vocês! Se quiserem vir, que venham logo! Ayaka, Masaru, vamos!

Exclamou Taiki, logo chamando seus companheiros para irem junto até o local onde os jounins estavam lutando, até que escutam uma grande explosão, logo após verem a grande ave flamejante desaparecendo naquele cenário. Assim que viram que aquilo poderia ter sido a conclusão da batalha todos resolveram correr até lá o mais rápido que podiam, mesmo aqueles que estavam um tanto quanto incapazes.





Logo aquele mar de chamas se apagava, a experiente jounin não deixou de perceber que uma pequena área não foi incendiada por sua grandiosa técnica, fazendo a mesma maquinar teorias sobre aquilo, imaginando então que seu adversário poderia ter cancelado sua técnica, afinal era algo plausível, uma vez que o vento apenas deixaria o fogo mais poderoso. Sem ar não existe fogo, logo o nukenin deve ter removido o ar daquele pequeno espaço temporariamente e desfeito sua técnica, desta maneira ocultando-se ali.

– Saia logo daí, Furikaze Juunichirou! Não me faça esperar mais. – disse irritada.

O homem estava escondido atrás de uma pedra, ainda tomando fôlego ao mesmo tempo que estava por amaldiçoar sua própria falta de poder, considerava aquilo um absurdo, mesmo usando tudo o que ele podia fazer com as técnicas de seu conhecimento ele era incapaz de vencer esta mulher que persiste em enfrentá-lo.

– ( Não posso acabar desta maneira... Preciso arrumar algum jeito de escapar... Já não tenho mais chakra. ) – pensou.

Naquele momento, talvez para surpresa de ambos os combatentes o grupo de genins aparece no campo de batalha, sendo seguidos pelos chunins que estavam à serviço de Juunichirou, entretanto a distância em que estavam uns dos outros impressionara Akane, que acaba por ficar um pouco confusa, visando isto Ayaka mais uma vez surge como líder do grupo explicando a situação, após ouvir toda a história a mulher estava um tanto tranquila. Quanto ao grupo de nukenins, estavam um tanto encabulados, talvez pela humilhação que sofreram ao revelarem sua história.



Continua...


Notas:
Fuuton • Hijutsu: Kaze Shinki (Técnica secreta do elemento vento: Tornar-se o vento): Utilizando esta técnica que requer grande preparação, Juunichirou é capaz de se fundir com as correntes de ar e literalmente fazer parte de todo o ar ao seu redor, desta forma é capaz de atacar seu adversário de diversas maneiras, até mesmo impedindo-o de respirar. Porém esta técnica demonstrou ter muita fraqueza ao elemento fogo.
Raikou Kotetsu • Kaihou (Raikou Kotetsu: Liberar): Não chega a ser uma técnica, e sim uma maestria. Adicionando seu chakra na espada ela produz uma estranha reação, podendo criar turbilhões de chakra de diversas naturezas, ainda pouco foi mostrado sobre a arma.
Ryūko-Ryu • Shushiki-Ichi no Kata: Sai (Estilo do Dragão-Tigre, Primeira forma defensiva - Bloquear) Uma das técnicas de kenjutsu ensinadas pelo pai de Taiki. O garoto aparenta saber utilizá-la com bastante perícia, mas de acordo com o próprio, ainda lhe falta força física para utilizar melhor sua arma.
Katon • Renkeijutsu: Karura (Técnica combinada do elemento fogo, Garuda): Uma técnica em que se faz necessário dois ou mais usuárias do elemento fogo, no caso Akane usou uma réplica de si mesma. Com esta técnica ambas expelem uma quantidade significativa de chamas que ao se juntarem dão o aspecto da ave mítica Garuda.  



Última edição por xKai em Qua 29 Jun 2016 - 22:42, editado 4 vez(es)

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Greed em Ter 5 Maio 2015 - 1:01

Essa tecnica de fuuton é demais.
Bom, eu comecei a acompanhar a fanfic ja faz um tempo, de um tempo que parei esqueci. Vou acompanhar agora, ta ficando MUITO F ODA velho, muito mesmo.
avatar
Greed
Moderador
Moderador

Masculino Idade : 100
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 26/07/2014


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Killer123 em Qui 7 Maio 2015 - 22:55

Como sempre um ótimo capítulo.

A batalha entre Akane e Furikaze foi bem interessante. Mesmo que Akane tivesse mantido o controle da batalha na maioria das vezes, isso prova a força que ela tem. A batalha entre os gennin e os chunnins foram muito boas, além de que a Soundtrack serviu como uma luva. A historia do Furikaze é bem triste, eu torço que ele se dê bem e consiga recuperar sua inocência.

Bem estou no aguardo!
boa sorte!
avatar
Killer123
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/11/2014

Frase pessoal : We'll shine like stars


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Naruto: Another Story

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum