Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Pokémon - Lake Guardians

Ir em baixo

Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Ayakashi em Dom 14 Set 2014 - 19:51



Nome da FanFic - Pokémon Lake Guardians
Autor - Ayakashi
Classificação - Acima de 14 anos
Temas - Drama, Palavras de baixo calão, Comédia, Violência e Ficção
Publicada em - Pokémon Mythology
Lançamento - 14/9/2014




Sinopse



O alvo dessa estória é Calleb, um menino comum da região de Coalt que teve muito pouco contato com a civilização, pois morou 10 anos em uma casa afastada da cidade, sem ter nenhum convívio com outra pessoa a não ser seu pai e sua sua mãe é um tabu em sua casa, sendo que a unica representação da mulher é uma foto.
Seu pai Tristan é um importante historiador pokémon, muito importante e reconhecido da região. Porém seu conhecimento é alvo de uma equipe, alto denominada Hydra, que em um certo dia  eles capturam pai de Calleb, que já parecia estar preparado para isso.
Com o objetivo de encontrar seu pai, Calleb parte em uma misteriosa jornada, podendo descobrir mais do que espera.




O Continente de Coalt




Coalt, esse continente misterioso se localiza ao norte de Sinnoh. Antigamente ele era apenas quilômetros e quilômetros de gelo, porém de 150 anos para cá conforme a Terra foi aumentando sua temperatura, o continente de gelo, agora, contendo de florestas a vulcões. As pessoas se direcionaram a o novo continente afim de obter uma vida melhor, e assim foi feito, gerações de famílias já abitaram esse continente que cada vez fica mais prospero.



Personagens



Protagonistas:


Calleb
Calleb, um adolescente com 16 anos que sempre quis se tornar um importante pesquisador Pokémon, sendo diferentes dos outros jovens de sua idade que desejam ser treinadores, porém sua vida sobre um reviravolta, uma equipe misteriosa sequestra seu pai, um importante historiador Pokémon, para fins desconhecidos. Calleb partirá em uma incrível e perigosa jornada, uma coisa que ele nunca imaginou que fosse fazer. Nessa jornada colecionara amigos e rivais, e sempre estará determinado a salvar seu pai não importa o quanto isso custe. É muito impaciente e estressado, também é uma pessoa sarcástica, porém se demonstra muito amigável e se importa com seus amigos.  

Pokémons -

Scyther () é um Pokémon extremamente orgulhoso, sendo que dificilmente obedece ordens, porém apesar disso é muito poderoso. Demora a criar laços afetivos com Calleb, mas acima de tudo é um guerreiro e nunca abandonaria um companheiro, tem um enorme gosto por batalhas e nunca foge de uma.
Itens - *Case para guardar as insígnias e ribbons* *Pokédex da região de Coalt* *5x*
Insígnias/Ribbons - N/A 
-x-

Luna
Luna, uma garota um tanto temperamental, animada e emotiva se deixando levar pelo momento em seus 16 anos. Luna teve uma vida complicada, sua mãe sumiu quando a mesma ainda era um criança e seu pai era prefeito da cidade e nunca tinha tempo para a garota, foi descoberto também que o pai dela é um membro da equipe Hydra. A garota viveu sempre com outras pessoas, e essas pessoas ajudaram a se tornar o que ela é hoje, uma especialista em Pokémons e também em várias outras coisas.

Pokémons -

Cacnea () sendo inicialmente destinado a Ashley foi roubado por Luna ainda no laboratório de Prof. Lotus. Um Pokémon dócil e confiável, embora as vezes seja menosprezado pela dona sempre tenta agrada-la sendo um determinado Pokémon


Beedrill () é um pokémon raro, com uma coloração diferente sendo Shiny, assim sendo mais poderoso que o normal. Beedrill inicialmente era rainha de uma colônia, porém após ter ido atacar juntamente com seu enxame, foi derrotado e capturado. É imprevisível e tem rivalidade com Scyther de Calleb.
Itens - *Case para guardar as insígnias e ribbons* *Pokédex da região de Coalt* *5x*
Insígnias/Ribbons - N/A 
-x-

Jordan
Jordan foi encontrado por Calleb e Luna no meio da rota 16, ele juntamente com seu Teddiursa estavam roubando os treinadores que ali passavam, é uma criança de 10 anos hiperativa e muito inteligente, compreendo as mais diversas situações. Um dia quando Jordan estava voltando para casa ele notou que seus pais não estavam lá, e por três dias o garoto ficou esperando eles e como os mesmo não voltaram ele juntamente com seu Teddiursa decidiram seguir seu caminho. Esse acontecimento deixou uma enorme ferida no coração de Jordan que evita falar do ocorrido, é um garoto muito forte e determinado.

Pokémons -

Teddiursa() é uma Pokémon muito fofa, contrapartida é extremamente maliciosa e travesa sempre pregando peças nos companheiros. Dada a Jordan por seus pais quando o mesmo era mais novo acompanhou todo o crescimento do menino e juntos aprontaram muito. Adora provocar os outros mas sempre evita uma batalha.

Itens - N/A
Insígnias/Ribbons - N/A 

Rivais:
Conforme forem aparecendo
Simpatizantes:
Obs: Serão os "amigos" dos personagens, que não se encaixam nas outras categorias.Conforme forem aparecendo
Vilões:
Conforme forem aparecendo
Outros:


Tristan
Tristan, um importante historiador Pokémon de Coalt, seu conhecimento sobre os monstrinhos é muito grande, tamanha que virou alvo de uma organização criminosa. Há anos atrás, antes do tempo que a trama se passa, ele havia sido "convidado" a ajudar a equipe Hydra, porém ao saber dos propósitos dos mesmos decidiu que não ajudaria, então desde esse tempo a organização tenta captura-lo. Tem um amigo dentro da Hydra, e é por esse amigo que ele tenha conseguido escapar por tanto tempo, assim criando seu filho sozinho. Sua mulher, mãe Calleb, é um assunto muito delicado, ele nunca toca nesse assunto, provavelmente ela fez algo imperdoável. Muitos mistérios ainda estão envolvidos sobre o passado de Tristan.
Pokémons - N/A
Itens - N/A
Insígnias/Ribbons - N/A 
-x-

Lotus
Lotus é uma dos responsáveis para fazer a distribuição de Pokémons em Coalt, uma pessoa com um enorme senso de humor, e um grande coração embora seja um pouco temperamental. Ela ajudou Calleb no inicio de sua jornada, tenho consigo o presente que seu pai havia deixado para ele, foi muito amiga de Tristan, compartilhando com ele informações secretas sobre a Hydra. É uma famosa pesquisadora Pokémon.
Pokémons - ?
Itens - ?
Insígnias/Ribbons - N/A 






Volume 1 - I don't wanna it



00 - Prólogo

01º - Explicações
02º - Companheiros (ou não)
03º -Batalhas


#00 - Prólogo


                                       

06:30 PM – Casa de Calleb



A chuva caia fortemente na propriedade, o que era estranho, pois não havia nenhum indicio de que isso iria acontecer. Não que fosse algo ruim, chuva era uma de minhas poucas paixões, ainda mais com a brisa fresca que soprava enquanto eu debruçava sobre a janela, observando as gotas tocarem o solo de terra batida, assim formando um grande espaço coberto de lama. Imaginei como seria nossa vida se vivêssemos em uma grande cidade, afinal morava longe da civilização, ideia de meu pai Tristan, um homem alto, com uma grande barba, e com cabelos brancos começando a aparecer, aparentando ter mais do que seus 37 anos. Ele era um importante historiador Pokémon, na verdade considerado uns dos melhores da Região, e também meu ídolo, tivera essa ideia “genial” de morar longe da civilização para focar em suas pesquisas, e foi assim que ele adquiriu essa propriedade, uma modesta casa feita de madeira, que há muito tempo não é pintada ou recebe qualquer tipo de reparação, porem ideal para duas pessoas, ainda contem uma enorme floresta que rodeia a propriedade, que para mim era a melhor coisa que tinha naquele local, passava tardes e tardes explorando aquela imensidão verde.

O velho deve estar me esperando - Pensei comigo mesmo, ele havia dito que queria me mostrar umas novas descobertas. Então fechei a janela, e observei meu quarto, se bem que esse não deveria ser o nome mais apropriado, afinal, folhas estavam espalhadas por todo o local, roupas, copos, pratos, enfim, nunca tive tempo ou vontade para organizar isso, me direcionando a porta passo pela frente do espelho e fico me observando. Relativamente alto e magro, na flor da adolescência com 16 anos, com meus cabelos castanhos bagunçados, esses podendo ser confundidos com algum ninho de animal, roupas largadas e olhos verdes penetrantes, penso que se alguém me visse a noite iria imaginar que eu seria um serial killer, ou talvez um estuprador. Dando continuidade ao que estava fazendo, dou apenas um empurrão na porta, que estava com a fechadura quebrada novamente. Sigo em direção da cozinha, passando pela sala, que parecia mais um escritório ou biblioteca, livros e papéis que continham pesquisas sobre Pokémons estavam jogados pelos cantos. A única coisa que se destacava era uma foto de minha mãe, seus cabelos negros deslizavam suavemente em suas costas e um sorriso travesso estava estampado em sua face, nunca soube sobre ela, meu pai nunca me deu explicações sobre como ela foi embora, ele parece ter uma grande magoa, mas também um grande amor por essa mulher.

- Ai esta você menino – Disse meu pai entrando no meu campo de visão – Deixe de ser imprestável e venha me ajudar com isso.

- Isso é assunto seu velhote – Exclamo pegando um pouco dos livros que ele tinha em suas mãos.

O titulo de um era Pokémons e suas diferentes maneiras de reproduzir.

- Coloque em cima da mesa para mim.

Larguei os livros no local indicado, voltei a observar o velhote e notei que ele tinha assumido um olhar sério, que não era típico de sua pessoa.

- Fala logo – Digo curioso – Quero saber qual a dessa cara.

- Bem, você sabe que agora como já está mais velho, talvez, quem sabe, você poderia começar uma jornada Pokémon – O homem disse encabulado, eles nunca haviam comentado sobre isso antes.

A pergunta ficou ecoando em minha cabeça, o que era estranho, pois o eco acontecia em lugares vazios, e minha cabeça era cheia, cheia de perguntas não resolvidas, e essa seria mais uma. Eu nunca me interessei nesse negocio de jornada, se aventurar por ai, que bobagem, já tinha milhares de pessoas com o mesmo objetivo. Eu estava prestes a dar uma explicação lógica e racional a meu pai, simplesmente o mandar tomar no orifício anal. Porem antes que tivesse esse prazer, um barulho que se assemelhava a um bando de Tauros mugindo pairou no ar, era o PokeGear de meu pai tocando.

- Espere um momento – Dizia enquanto pegava o aparelho de seu bolso, ao observar o nome de quem estava fazendo a ligação seu corpo todo ficou tenso.

Ele rapidamente aceitou a ligação e colocou o aparelho sobre o ouvido:

- Então – Disse ele com o desconhecido – O que? Agora? Certo, sim não deixarei que nada aconteça com ele. – Exclamava incrédulo, com seu rosto em uma careta de horror.

Assim que ele terminou a ligação deixou o aparelho azul cair no chão, e se apoiou na mesa de vidro.

- Calleb, temia que esse dia chegasse – Anunciou – Faça tudo que eu mandar, temos pouco tempo.

- Como assim pai? Pouco tempo para que? – Digo nervoso – O que está acontecendo, me explique.

Ele não falou nada, seus olhos ficaram focados no vazio, como se estivesse relembrando de algo. Lagrimas escapavam do rosto enquanto ele sussurrava:

- Para que isso Lâmia, por quê?

- Pai o que está acontecendo – O seu desespero começou a me desesperar, quem era Lâmia? E o que ela estava fazendo conosco? – O QUE ESTÁ ACONTECENDO?

Ao gritar comecei a sacudi-lo, até seus sentidos começarem a reestabelecer. Ele corre rapidamente a uma pilha de papéis que estava, em cima de um baú, e os joga no chão, então conseguindo abrir a grande caixa tira de lá uma mochila, vermelha e preta, de tamanho normal.

- Calleb, preste atenção – Disse ele se direcionando a mim – Pegue e fuja pela floresta, vá até a cidade Pandora, eu sei que você consegue chegar lá, não é muito longe, lá ache a Prof. Lotus, conte tudo a ela – Ele dizia emocionado, então coloca a mochila em minhas costas – Tudo que precisa está dentro dessa mochila, toda a explicação que você poderá ter está ai também, não volte para cá, eles não estão atrás de você e sim de mim.

Ele falava toda essa loucura enquanto, agarrado ao meu braço seguia para a porta dos fundos, e assim que saímos da casa começamos a correr floresta adentro. Que loucura era essa?  Por que ele não me explicava agora?
Corríamos muito rápido, pisando nos galhos frágeis que se quebravam sob nossos pés, na escuridão da noite era difícil não tropeçar nas raízes das árvores e os galhos das mesmas pareciam garras arranhando minha face. A rapidez que corríamos não dava espaço para poder pensar. Então enquanto nos movimentávamos sobre o labirinto que a floreta formava um barulho ensurdecedor cortou o silencio da noite, minha casa, o lugar onde vivi os últimos 10 anos de minha vida, onde devia estar minha propriedade, nesse local uma coluna de fogo irrompe, uma explosão que clareia a noite na floresta.

- Eles já sabem que não estamos lá.

- Eles quem? Pai me responda! – Exigia uma explicação para aquela loucura toda.

Então ele me olha, sua cara suja pelo suor, seus olhos claros demonstravam dor, mas também compreensão, é como se ele tivesse esperando esse momento por uma boa parte de sua vida.

- Vá Calleb, vá meu filho – Disse meu Pai.

- Ir para aonde? Meu lugar sempre foi com você, não tenho mais ninguém – Dizia com um enorme aperto no peito.

- Não se engane você tem mais pessoas cuidando de você do que imagina! – Com um ultimo sorriso, ele me da o ultimo abraço, forte e caloroso – Siga em frente, não pare de correr, nós veremos de novo.

E foi com essas palavras, que meu pai, Tristan, uma dos maiores historiadores do mundo Pokémon me da às costas e segue correndo, na direção oposta, na direção de onde “eles” provavelmente estariam. Fiquei estaqueado um momento, vendo meu pai sumir entre a vegetação, mas ainda ouvia sua voz.

- Venham me pegar seus filhos da [palavra censurada] – Ele gritava em alto e bom som.

Assim obedecendo às ultimas ordens de meu pai começo a correr novamente, sei que me julgarei eternamente por não ficar e ajuda-lo, um covarde, um grande covarde, um monte de bosta, eram essas palavras que eu me definia no momento.
A explosão de minha casa vez prender fogo na floresta, o cheiro de fumaça atingiu rapidamente a área que eu estava, o fogo era mais rápido do que eu. Correr, correr, correr, era isso que eu fazia, a floresta parecia não ter fim, certamente estava em um lugar que nunca havia explorado antes. Com a chuva que havia caído, o chão estava cheio de musgo, e escorregadio, o que tornava minha travessia mais complicada. Mais sons de explosões acontecem, não queria pensar nisso, depois que escapasse teria o resto da minha vida para me julgar. Conforme vou avançando na mata, o terreno fica mais escorregadio, a única luz que permitia com que eu me locomovesse naquela escuridão era a luz da lua e o fogo que consumia as árvores.
A fumaça tomava conta da floresta, impossibilitando minha respiração, eu estava exausto, realmente exausto. Então algo se prende ao meu pé, e caio violentamente no chão, havia tropeçado em uma raiz, lutei para me levantar, porem, não tinha de onde tirar forças.

- Eu desisto – Sussurrei comigo mesmo – Desculpe pai, acho que não nos veremos novamente.

Então fechei os olhos, as imagens passavam em minha mente. Já havia perdido a consciência? - Me perguntava. Que forma horrível de morrer, em um incêndio, no meio de uma floresta. Provavelmente nunca saberiam a verdade, pensariam que foi nossa culpa. Que vida injusta.
Então percebi que estava flutuando e minha mente apagou.



                   

08:00 PM – Em algum lugar no subsolo de Coalt



O lugar assemelhava-se a uma caverna, com uma fraca iluminação, lá algo estava acontecendo, com uns degraus levando até uma espécie de trono, e sentado nesse objeto havia um ser irreconhecível. Abaixo dos degraus havia algumas pessoas todas curvadas para o ser do trono, variavam homens e mulheres, porém todos com a mesma roupa, calças e blusas pretas com um H dourado.

- O plano foi um sucesso – Disse um dos agentes – Ele esta sendo encaminhado até nossa base, quais suas ordens majestade?

- Deixem que eu mesmo todo conta dele – Uma voz misteriosa disse em alto e bom som – Ele será uma peça chave para o nosso triunfo.

Adoraria velo novamente - Sussurrou o ser do trono. As luzes se apagaram e as pessoas foram dispensadas. Restando ali uma fraca iluminação vinda de  um espaçoso cilindro de vidro, com uma forma indistinguível dentro.

Notas do Autor:
Olá, estou aqui com uma nova FanFic, afinal fazia quase uma ano que não escrevia nada, e estou meio muito enferrujado. Estou me odiando por não conseguir demonstrar a emoção do personagem, sério, por que não consigo demonstrar a emoção necessária? Coisas da vida. Então é com esse Prólogo extremamente grande na minha opinião, que a Fic se inicia.


Última edição por Ayakashi em Seg 13 Out 2014 - 14:10, editado 32 vez(es) (Razão : Complementos)
avatar
Ayakashi
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 18/08/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por megapikachu em Dom 14 Set 2014 - 20:28

bom vamos la os personagens bem dramticos(e o que mais gosto em fics)muito bem detalhados os personagens com determinaçao(o tristan e o calleb)e as outras partes sao muitos lokos esta de parabens essa cap.esta sensacional continue assim eu estou esperando os proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Ayakashi em Qua 17 Set 2014 - 21:48

#01º - Explicações



08:00 PM – Em algum lugar na floresta


Parecia que estive ouvindo passos ao longo do tempo, meu corpo flutuava por uma imensidão que não conseguia distinguir, meus olhos não se abriam e não conseguia me mexer, então me deixei levar. Era estranho, eu não tinha nenhum comando sobre meu corpo, mas eu ainda estava ali, a minha consciência estava ali, então eu apenas esperei, esperei o que me pareceu muito tempo.

Minha audição podia estar com problemas, mas ouvia algo, que me parecia o som de galhos quebrando, também uma respiração pesada, cansada estava próxima a meu rosto. Enquanto estava no meu estado vegetativo tentei repassar tudo o que havia acontecido. Minha casa havia sido destruída, meu pai me salvou para lutar com alguém que eu não fazia a menor ideia que quem teria sido, mas com certeza iria descobrir.

Espere-me pai, não demorarei a te salvar.



09:00 AM – Local perto de Pandora Town



Um arrepio de frio percorreu minha espinha, foi com essa sensação que eu despertei. Meus olhos arderam ao entrar em contado com a claridade do ambiente, percebi que estava deitado em um chão de madeira. Demorou um pouco para conseguir distinguir o local, era uma peça toda de madeira, abandonada por sinal, o espeço estava vazio e era incrivelmente pequeno. As paredes de madeira estavam podres, e um cheiro de mofo pairava no ar.

Mas que merda toda é essa, como vim parar aqui? – Me perguntava enquanto cobria meus olhos da claridade que entrava pelos buracos e frestas entre as paredes de madeira. A mochila que meu pai me dera estava lá, havia feito ela de travesseiro durante a noite. Lembro-me das palavras de meu pai sobre essa bagagem. “Tudo o que você precisa esta dentro desta mochila, toda a explicação que você poderá ter esta ai também” – Foi exatamente isso suas palavras, e ao me lembrar disso apanho rapidamente o objeto que estava sujo de barro, abrindo o fecho observo as coisas que estão dentro.

Ali havia um PokéGear, o aparelho que continha celular e também servia como GPS, e dentro da mochila também havia um pequeno pedaço de papel que estava dobrado no meio. Ao pegar esse papel e desdobra-lo, vi que meu nome estava escrito no canto superior esquerdo da folha, escrito com a letra de meu pai, assim como o resto. Sem hesitar comecei a ler:


Calleb

Se você estiver lendo está carta então o dia mais temido por mim chegou. Saiba que estive preparado para isso, há mais de 12 anos que estive aguardando por isso.
Sei que deve estar se questionando o tempo todo sobre quem eram aquelas pessoas e o que eles queriam comigo, porem tem coisas que você não deve saber meu filho, então explicarei o máximo que puder.

Aquelas pessoas, eles são os agentes do Team Hydra. O Hydra é uma organização que age a mais de 60 anos em Coalt, eles têm suas próprias leis e estão sempre em busca de um objetivo. E o próximo objetivo deles requer meu conhecimento, porem, eu havia me negado a trabalhar com eles há muito tempo, desde então Hydra tem mandando pessoas a minha procura, eles falharam muitas vezes, pois tenho um informante dentro da organização, e é por ele que tenho escapado todos esses anos, porém como você está lendo essa carta alguma coisa deve ter dado errado. Eles não iram me machucar, não se preocupe, eles precisam de mim para completar seu plano, que é algo que eu me negarei a ajudar.

Não me procure, um dia eu me libertarei e voltaremos a nos ver, também não procure vingança contra eles, você poderá acabar se machucando, a organização tem muito mais haver com nossa família do que você pensa.

Siga sua vida, vá para Pandora Town e ela visite a Prof. Lotus, deixei algo com ela para ajudar em sua jornada. Vire um treinador ou coordenador, ganhe várias batalhas e depois, quem sabe, nós comemoraremos juntos.“



Li e reli a carta. Seguir minha vida? Não procurar vingança? Como eu iria seguir minha vida assim?

Essa carta concluiu poucas questões e abriu muitas. A organização tem muito mais haver com nossa família do que você pensa? Quais eram os sentidos dessas palavras? O que ele queria dizer? Ajudar em minha jornada? Então era isso que ele queria que eu seguisse em uma jornada e o abandonasse, que tolo. Após terminar de debater no meu pensamento sobre aquela carta começo a raciocinar novamente. Ele havia pedido para eu seguir para a cidade de Pandora e falar com a Prof. Lotus. Essa mulher pode ter informações importantes, e ele também escreveu que tinha deixado uma coisa com a mesma.

Assim guardei a carta novamente na mochila e peguei o PokéGear, abrindo o aparelho e selecionando o GPS, que mostrava todo o mapa de Coalt, pelo mapa do local eu estava a menos de 1KM de Pandora. Então colocando a mochila sobre os ombros vou em direção à porta da pequena cabana, que se abriu em um chute, descendo os dois degraus que pareciam que iam se quebrar sobre o menor peso. Fico parado sobre uma estreita rota de terra batida enquanto observo toda a mata que tem ao meu redor, o verde tomava conta, com as altas árvores fazendo uma bela sombra, ainda mais com o forte sol que tinha logo pela manhã, isso me lembrava de minha casa, que nostalgia. Não podiam pensar nisso, tinha que continuar a caminhada seguindo a rota, segundo o GPS o local correto para chegar a Pandora era seguindo pelo Leste, e então começo a me movimentar.



-x-



Algum tempo depois de muita caminhada e muito sol na cara a pequena rota estreita por onde eu estava caminhando se liga a rota principal, denominada Rota 15, essa sendo a ligação principal a cidade de Pandora. Ao longo da estrada observei muitas casas, pessoas vivendo distante da cidade, pessoas que sobreviviam do trabalho agrícola.

Sem demoras cheguei a frente a uma enorme placa branca com bordas azuis, e nessa placa dizia:


“Bem Vindo a Pandora Town, aproveite a estadia!”


Abaixo desses dizeres havia uma lista, com os principais locais da cidade, centro Pokémon, PokéMart, hotéis e restaurantes. Entre esses locais tinha o laboratório Pokémon, sendo esse meu objetivo, na placa dizia como chegar ao mesmo. Segundo o que eu tinha intendido era apenas seguir reto duas quadras, dobrar a esquerda e seguir reto até chegar à frente de uma colina, subindo as escadas da mesma chegaria ao laboratório. Então era apenas isso.



-x-



Pelo que notei na cidade enquanto seguia ao meu objetivo é que ela era muito simples, uma simplicidade bonita, a maioria das casas tinha um pequeno jardim na propriedade, e também as casas eram pequenas e cuidadas. Avisto no fim da rua uma enorme colina, com uma escadaria de mármore paralela.

Observando de baixo parecia extremamente cansativo subir tudo isso, porem era o que eu tinha que fazer, e comecei a subir, e subir, e subir. Depois de conseguir chegar ao topo da colina deu para observar o enorme laboratório, um prédio todo de mármore, seu formato de assemelhava a um enorme retângulo. Observei um pouco mais, aproveitando a brisa fresca que soprava lá em cima, e também percebi que dava para ver toda a cidade, o que era muito bonito.

- É lindo não? – Uma voz feminina surge – Me orgulho desse local

Uma mulher muito elegante de cabelos cor de escarlate e com uma face muito suave, ela havia terminado de subir as escadas.

- Eu sou a Prof. Lotus, e você meu jovem?

- E-Eu sou Calleb – Apresentei-me

- Sim, o filho de Tristan – Exclamou a mulher ajeitando os óculos – Como vai seu pai?

Eu não queria ter que relembrar tudo de novo, desviei o olhar e fitei o chão.

- Oh, entendo – Disse ela surpresa – Então aconteceu, lamento muito meu querido

Ao dizer isso à mulher me surpreende em um abraço caloroso, enterrei minha face em seus cabelos sedosos e as lagrimas escaparam, após um curto tempo ela comenta:

- Vamos entrar certamente seu pai lhe contou que ele deixou uma surpresa para você comigo – Ela disse mais animada – Você ira A-D-O-R-A-R

Ri do jeito como ela pronunciou a palavra, devia estar querendo me alegrar. Lotus me guiou até a grande porta de vidro que dava acesso ao laboratório, ao colocar uma senha na pequena caixa preta que tinha ao lado da porta a mesma se abriu. O espaço era extremamente amplo, embora grande parte dele estivesse cheio com maquinas e papeis, isso fazia me lembrar de casa.

A professora me guiou até uma grande mesa de vidro, que continha duas poltronas uma de cada lado, ela fez o gesto para me sentar enquanto pegou uma maleta que estava na prateleira de trás.

- Então, aqui está – Disse ela colocando a maleta em minha frente, e em seguida abrindo-a – Esse Pokémon, seu pai me mandou há algum tempo, disse que um dia você iria passar para pega-lo, e me contou tudo também.

Dentro da maleta continha uma esfera redonda, vermelha e branca, conhecia esse objeto, se chamava Pokébola, era com isso que as pessoas conseguiam adquirir os Pokémons.

- Então isso é meu? – Disse enquanto pegava a Pokébola em minhas mãos após ela assentir – Bem eu tenho uma pergunta, o que é a Hydra.

Lotus me encarou, seus olhos azuis me observaram, pareciam ler minha alma.

- Não era para ele ter contado isso a você – Começou ela – Hydra é uma organização que só quer trazer ódio e tragédia ao mundo, é uma organização muito antiga, que tem uma força poderosa ao seu lado. Não mexa com eles – Ela completou.

Eu diria que foi um tanto ameaçador, porem ela queria me alertar, após isso ela voltou e mexer na prateleira que havia atrás dela, tirando de lá um pequeno aparelho vermelho, uma maleta de pequeno porte e um saco com cinco pequenas esferas, após colocar os materiais em cima da mesa ela explica.

- Isso será essencial para sua jornada, uma Pokedex, essa case para guardar suas insígnias e fitas, além de cinco Pokebolas, você já sabe a utilização delas não é mesmo? – Questionou

- Certamente, porem...

Fui interrompido por um barulho que vinha da porta do laboratório, Lotus fez sinal para aguardar e foi ver quem era. Ao voltar de lá vinha consigo uma menina, jovem, da minha idade. Seus cabelos castanhos claro estavam presos nos lados opostos de sua cabeça, a menina tinha dois grandes olhos azuis que não ficam parados, observava tudo. De inicio ela pareceu me ignorar.

- Luna, o que faz aqui – Exclamou a professora

- Eu vim pegar um inicial, para minha jornada – Disse ela com determinação

- Você sabe muito bem que a entrega foi ontem, não tenho mais inicias – A mulher falou revirando os olhos

- E o que ele faz com aquela Pokebola – Acusou a menina apontando para mim

- Ei isso é meu, eu...

- Isso não interessa Luna, seu pai sabe que esta aqui? – Perguntou Lotus

A menina fez cara de emburrada e desviou o olhar.

- Não, eu fugi – A professora ia argumentar, mas ela continuou – Eu preciso, ele nunca me deixaria ir, eu quero ser livre, me de um Pokémon, e eu mostrarei a todos o que eu posso fazer.

- Desculpe, mas não posso, seu pai é o prefeito da cidade isso seria imperdoável – Suspirou a professora – Lamento querida.

A menina ficou vermelha de raiva, parecia querer discutir, mas se engasgou nas palavras, parecia ter desistido, então deu meia volta e bufando saiu do laboratório.

- É uma pena – Exclamou Lotus não se abalando – Bem, então acho que é isso que você precisa saber. Agora ande, libere seu Pokémon, quero ver sua expressão.

Hesitando peguei a esfera que continha o Pokémon, apertei o botão central para ela crescer e ficar pronta para ser usada então a lancei para o alto, e do alto um raio vermelho surgiu formando uma grande silhueta, ao mesmo momento que a carcaça da Pokébola tocava ao chão um enorme Pokémon havia aparecido, um grande inseto, com asas e seus braços eram laminas. Sua cara não parecia ser amigável.


...



Notas:
Que desenvolvimento longo, eu sei, mas é assim que a FanFic será, ainda não teve nenhuma batalha, eu sei também, que triste né! Enfim admito que o capitulo ficou sem graça e emoção, porém era necessário apresentar essa parte. É isso.
avatar
Ayakashi
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 18/08/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por -Murilo em Qui 18 Set 2014 - 10:27

Olá! Essas fanfics de mistérios são muito interessantes, sempre me chamam a atenção. A sua aliás parece ter muitos mistérios a serem esclarecidos. Pra começar, fico imaginando que tipo de conhecimento o professor Tristan tem que possa interessar aos planos malignos do Hydra (o título a fic teria alguma coisa a ver com isso? rsrs) Outra coisa é essa mãe do Calleb. Acho que já até sei quem é ela, mas não vou dizer né, seria um spoiler, além de que a fic só está começando, tudo pode acontecer. Eu pessoalmente gostei muito dos personagens, Calleb principalmente. É difícil a gente julga as pessoas sem ter passado pela mesma situação que ela. Eu mesmo acho que também teria fugido caso uma organização criminosa estivesse me perseguindo. Só que deixar o pai pra trás é muita dor no coração. Bom, como a fic ainda está no começo, ainda não dá pra dizer muitas coisas. Eu acho que virá um grande historia por aí, vou aguardar pra ver. Sobre o texto, acho que de erros so vi um pouco de pontuação. Tipo, você usa muito virgulas quando deveria usar ponto final e encerrar a frase. Meio que faz uma frase enorme, sem pausas, daí as coisas ficam meio confusas. Mas nada que prejudique o entendimento. Boa sorte na sua fic, e até!
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por megapikachu em Qui 18 Set 2014 - 13:00

esta muito bom o cap.esta de parabens agora eu quero ver como a calleb e luna vao se entender eu estou esperando os proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Black~ em Qui 18 Set 2014 - 16:46

Bom, vamos lá.

Primeiramente, eu tava lendo a fic ontem, mas ai você postou e eu só terminei de ler hoje (relaxa, acho que três dias é o prazo mínimo aceitável para postar um capítulo), mas de toda forma, não se preocupe com isso, é que você tem um leitor preguiçoso mesmo -q.

Bom, eu curti a história, o fato da Hydra (seria a dos Avengers? -q) querer o talento do pai do protagonista, gostaria de saber para o que é, deve ser algo muito importante, já que os caras estão há vários anos atrás dele. Também o fato da mãe do rapaz ter sumido e o pai não querer falar isso, acho bacana esses vários mistérios, que deixam a história mais interessante.

Quanto ao fato de quem é a mãe do garoto, assim como o Murilo, eu tenho minhas sugestões, são duas na verdade. Uma eu posso estar viajando, na outra também -q, mas esse tipo de fic sempre acaba surpreendendo, então vou só aguardar -q.

Cara, o problema é que a fic tem vários erros. Vários é meio que uma hipérbole, mas você erra bastante, principalmente no que se diz respeito à acentuação, além de alguns outros erros ortográficos, como "iram" por exemplo, tá ligado que isso não existe né? Além de que, bem, no sentido em que foi usado era pra usar como expressão futura e sempre tem que terminar com "ão" e todo aquele blablabla. Além disso, também teve o fato das vírgulas, que deixaram o texto confuso, mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Ayakashi em Dom 28 Set 2014 - 1:57



PS: Alguém sabe por que quando eu vou colocar as url do capitulo no main post, aparece "Modo do tópico não especificado". Se puderem responder ficarei feliz!

Comentários

Comentários:

@-Murilo escreveu:Olá! Essas fanfics de mistérios são muito interessantes, sempre me chamam a atenção. A sua aliás parece ter muitos mistérios a serem esclarecidos. Pra começar, fico imaginando que tipo de conhecimento o professor Tristan tem que possa interessar aos planos malignos do Hydra (o título a fic teria alguma coisa a ver com isso? rsrs) Outra coisa é essa mãe do Calleb. Acho que já até sei quem é ela, mas não vou dizer né, seria um spoiler, além de que a fic só está começando, tudo pode acontecer. Eu pessoalmente gostei muito dos personagens, Calleb principalmente. É difícil a gente julga as pessoas sem ter passado pela mesma situação que ela. Eu mesmo acho que também teria fugido caso uma organização criminosa estivesse me perseguindo. Só que deixar o pai pra trás é muita dor no coração. Bom, como a fic ainda está no começo, ainda não dá pra dizer muitas coisas. Eu acho que virá um grande historia por aí, vou aguardar pra ver. Sobre o texto, acho que de erros so vi um pouco de pontuação. Tipo, você usa muito virgulas quando deveria usar ponto final e encerrar a frase. Meio que faz uma frase enorme, sem pausas, daí as coisas ficam meio confusas. Mas nada que prejudique o entendimento. Boa sorte na sua fic, e até!


Olá Murilo, fico feliz que tenha gostado do tema da Fanfic, para a mesma eu pensei em vários mistérios, porém não sei como resolver todos x.x o conhecimento de Tristan tem muito haver com os plano e sim o titulo tem haver. A mãe de Calleb não está morta, apenas digo isso hehe. E abandonar o pai foi extremamente difícil tanto para Calleb como para mim, que tentei transmitir a emoção do momento, embora ache que não ficou suficiente. E eu sou viciado em vírgulaz, acho que tenho que colocar vírgula em tudo, peço desculpas por isso.


@megapikachu escreveu:esta muito bom o cap.esta de parabens agora eu quero ver como a calleb e luna vao se entender eu estou esperando os proximos capitulos rs


Que bom que está gostando da Fanfic, eu acho que Calleb e Luna nunca irão se acertar são muito diferentes. Continue acompanhando cara!


@Black~ escreveu:Bom, vamos lá.

Primeiramente, eu tava lendo a fic ontem, mas ai você postou e eu só terminei de ler hoje (relaxa, acho que três dias é o prazo mínimo aceitável para postar um capítulo), mas de toda forma, não se preocupe com isso, é que você tem um leitor preguiçoso mesmo -q.

Bom, eu curti a história, o fato da Hydra (seria a dos Avengers? -q) querer o talento do pai do protagonista, gostaria de saber para o que é, deve ser algo muito importante, já que os caras estão há vários anos atrás dele. Também o fato da mãe do rapaz ter sumido e o pai não querer falar isso, acho bacana esses vários mistérios, que deixam a história mais interessante.

Quanto ao fato de quem é a mãe do garoto, assim como o Murilo, eu tenho minhas sugestões, são duas na verdade. Uma eu posso estar viajando, na outra também -q, mas esse tipo de fic sempre acaba surpreendendo, então vou só aguardar -q.

Cara, o problema é que a fic tem vários erros. Vários é meio que uma hipérbole, mas você erra bastante, principalmente no que se diz respeito à acentuação, além de alguns outros erros ortográficos, como "iram" por exemplo, tá ligado que isso não existe né? Além de que, bem, no sentido em que foi usado era pra usar como expressão futura e sempre tem que terminar com "ão" e todo aquele blablabla. Além disso, também teve o fato das vírgulas, que deixaram o texto confuso, mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.


Hey Black, como você descobriu que é a Hydra dos Avengers? Acabou com metade do mistério. Os pais de Calleb certamente tem um história e vários talentos, esse será um dos maiores, senão o maior mistério da Fic.
E eu tenho problemas com acentuação e vírgulas, como eu já disse sou viciado em vírgulas. Bem é isso obrigado.



#02º - Companheiros (ou não)  


                                                                                                                                                                     

11:30 AM  – Laboratório da Prof. Lotus



O monstro que saiu da esfera parecia um tanto quanto confuso ele levantou seus braços-laminas para cima e começou a fazer um enorme barulho, era como se gritasse obscenidades, assustado eu encarei a professora que estava com os olhos semicerrados observando-o atentamente. Em um movimento repentino o inseto começou a atacar o local, cortando papeis de danificando maquinas com suas lâminas.

- Porra – Gritou Lotus colocando as mãos na cabeça – Chame esse animal de volta.

Pego pokébola do chão a aponto para o Pokémon, a luz vermelha sai e envolve o mesmo, o fazendo retornar a esfera. O local ficou um tanto conturbado, mas não parecia que havia sido muito danificado.

- Me desculpe, eu não sei o que aconteceu – Exclamei.

- Esse Scyther vai te dar muito trabalho – Disse ela se recompondo – Está na hora de partir para a sua jornada.

Guiando-me até o inicio das escadas de mármore que ficavam ao topo da colina, Lotus me olha com ternura.

- Adicione meu numero no seu PokeGear.

- Claro – Disse pegando a aparelho, após a troca de contatos falo – Então é isso, acho que já vou.

- Se cuide jovem, conquiste muitos méritos – Ao dizer isso ela me abraçou – Seu pai ficaria orgulhoso, agora vá.

Descendo as escadas me viro para ver pela ultima vez a professora, que a expressão séria enquanto me observava.




-x-




Tinha a impressão de os degraus haviam se multiplicado, porém meu folego voltou assim que avistei o final da enorme estrutura. Ao me aproximar do chão vi uma figura me observando, com um enorme sorriso no rosto e com dois olhos azuis que me fitavam animadamente. Assim que toquei o chão ela veio em minha direção com um sorriso de orelha a orelha.

- Hey garoto – Exclama a garota do laboratório.

- Oi – Digo hesitante – Luna não é mesmo?

- Isso, então vai partir em uma jornada?

- É o meu objetivo.

- Ótimo – Ela diz batendo palmas – Tenho uma proposta, nós dois podemos seguir juntos.

- O que eu ganho com isso? - Falo revirando os olhos, porém estava surpreso com a proposta repentina.

- Bem, eu sei tudo sobre Pokémons, estudei muito e você parece ser iniciante, será uma dadiva me ter ao seu lado.

Na verdade tinha muita coisa que não sabia sobre os monstros, porém não estava ao ponto de me unir a uma garota mimada e histérica como ela.

- Acho melhor não – Afirmei – Você nem pegou um Pokémon.  

Ela não havia conseguido pegar o Pokémon com a professora, no entanto por que estava querendo sair em jornada¿ Então ela pega sua bolsa de um ombro só e de lá retira uma pequena sacola, então me mostrar o que lá havia e me deparo com tudo o que eu havia ganhado no laboratório, incluindo Pokedex e um Pokémon.

- Eu sei que deve estar se perguntando como, vou explicar – Afirmou ela – Eu estava saindo do laboratório quando vi um grande equipamento, e nesse tinha compartimentos que eram inicialmente onde os iniciais estavam então abri todos e em um deles estava esse pequeno pacote, com uma carta que dizia: Destinado a Ashley.

Tentei raciocinar tudo o que ela havia dito, ela roubou um Pokémon que estava destinado a uma menina chama Ashley, coitada dessa garota. Fiquei um pouco admirado com isso, tinha que ter coragem para concluir o fato.

- Então você roubou?

- Sim, meus objetivos são mais importantes - Ela parecia de fato orgulhosa.

- Não posso confiar em você depois disso.

- Por favor, pense mais um pouco, me acompanhe até em casa – Pediu a garota – É no caminho da Rota 16, e também para você deverá ir depois.

Depois de pensar muito aceitei o convite da garota, dificilmente acreditando que ela iria mudar meu pensamento de que não deveríamos seguir juntos.




-x-




Depois de atravessarmos toda a cidade na direção da rota 16, deu para perceber que Luna era uma menina com muito conhecimento isso era algo que não podia negar. Ela me contou sobre sua vida que seu pai - prefeito de Pandora - parecia ser um opressor não deixava a garota seguir seu sonho de partir para uma jornada, pois dizia que ela não precisava disso tinha tudo que podia querer em casa, por isso ela tinha que ir pegar as coisas em sua casa agora que era a hora em que o homem estava resolvendo coisas fora.
Ao nos aproximarmos da casa - já no caminho da rota 16, a fazendo ficar um pouco afastada da cidade – deu para ter noção do tamanho da propriedade, um enorme prédio se erguia no meio do nada com um belo jardim e portões de ferro rodeando o local.

- Venha, irei colocar a senha – Disse a garota.

Após digitar números na pequena caixa eletrônica que havia no portão, o mesmo faz um pequeno estalo e a porta de ferro abre automaticamente, então adentramos a propriedade.




-x-




Já dentro da enorme mansão, Luna me direciona ao escritório de seu pai pelo que entendi ela iria roubar dinheiro para nos ajudar na jornada. Enquanto ela mexia em gavetas em busca do dinheiro eu observava o local que era muito legal, com duas prateleiras cheias de livros junto à parede também havia uma bela mesa de centro com uma poltrona que parecia ser bem confortável junto com um computador de ultima geração.

- Seu pai parece se bem importante.

- É um [palavra censurada] rico, e extremamente egoísta – Afirma a garota com desdém – Pode me ajudar, por favor, procure no armário de metal.

Ela se referia a grande caixa de metal que havia no canto da sala, ao chegar ao armário começo a abrir seus compartimentos. Em todos eles haviam milhares de papeis, mas por descuido derrubo alguns no chão então começando a juntar os mesmo, vejo que no papel está uma quantidade enorme de dinheiro nunca havia visto tanto zero em um local só. Interessado pela quantidade que havia no papel começo a ler dos documentos, pelo que havia intendido era uma transferência bancaria então ao virar a folha eu encontro o destinatário que se chamava Hydra Corporation ao me deparar com esse nome meu corpo fica paralisado e minha mente começa a trabalhar, se a organização tinha gente tão poderosa como prefeitos trabalhando para eles os objetivos dos mesmos deveriam ser muito importantes. Lendo esses papeis deduzi que o pai de Luna estava envolvido com a Hydra e dando milhões para os mesmos.
Deduzindo isso percebo que tendo a filha de um importante membro da organização viajando junto a mim seria uma vantagem, ela podia ser útil no futuro.

- Encontrou alguma coisa ai Calleb? - Pergunta a garota dirigindo sua atenção a mim, ao negar com a cabeça ela fala – Eu já.

Ela pegou dois envelopes e de dentro tirou uma grande quantidade de dinheiro e então guardou dentro de sua bolsa. Terminando de guardar os papéis que continham provas de que o prefeito estava junto com a organização, comento com Luna:

- Certo, eu aceito viajar com você..

- Eu sabia – Disse ela dando pulinhos – Agora “forninhos irão cair”, vamos logo.

Antes de deixarmos a mansão passamos na cozinha para pegar algumas frutas e outros tipos de comida Luna disse a uma empregada, o que estava fazendo e a mesma a apoiou. Então depois de pegarmos o necessário deixamos a casa, assim começávamos a seguir pela rota 16.

- Contei muita coisa sobre mim – Anunciou ela enquanto caminhávamos – Agora conte sobre você honey.

- Não precisa falar assim – Digo revirando os olhos – Bem, eu morava em u lugar afastado da cidade e nunca soube que é minha mãe e decidi partir em jornada.

Preferi não dizer tudo à garota, afinal não sabia o quanto podia confiar nela e se alguma forma ela estivesse envolvida com a organização também?




-x-




Depois de um longo tempo caminhando estávamos aproveitando a sombra das árvores, afinal o sol estava extremamente quente e as nuvens estavam escassas. A rota 16 era extremamente longa, sendo cercada por florestas por ambos o lado parece que tudo é cercado por florestas nesse continente. Estava escorando-me arvore curtindo a brisa fresca , observar Luna deitada na grama baixa com seus cabelos balançando pelo vento nem a fazia parecer uma filha de presidente que era membro da Hydra e a garota ainda era ladra, que vadia.
Um urro enorme cortou o silencio do local e interrompeu minha linha de pensamento, a vegetação do lado que era a continuação da floresta parecia estar escondendo uma fera. Luna fica extremamente animada e se levanta com um sorriso macabro no rosto.

- Eu vou pegar todos – Grita ela – Todos serão meus.

Ela ri maleficamente e saca sua Pokébola de sua mochila, e atira a mesma para o ar e de lá o conhecido raio vermelho forma uma pequena silhueta que depois de ficar visível mostrava um pequeno cacto.

- Não acredito – Arfava a garota – Tinha que ser você, merda, o pior de todos.

Ela fechou os olhos e cerrou os punhos, assustado me levanto tropeçando das raízes da árvore e então ela respira fundo algumas vezes.

- Bem, é melhor que nada, não me decepcione.

O pequeno monstrinho começa a olhar para os lados assustado, ele era extremamente pequeno sua altura mal chegava a nossos joelhos. Também se assemelhava a um cacto, sendo verde e com vários espinhos nos seu corpo seus olhos eram fundos e penetrantes de certa forma ele parecia um ser assustador, pois sua boca era apenas alguns furos negros. Ela não havia gostado muito dele mas afinal a garota roubou, não tinha que reclamar.
Após analisar o Pokémon, o urro toma conta do local de novo. A garota começa a tremer de emoção.

- Está vindo dali, vamos Cacnea – Disse ela extremamente animada.

- Não me deixe sozinho.

Ela começa a adentrar na densa vegetação que havia a nossa direita, e logo a seguimos o seu Pokémon andava de forma estranha, como se estivesse todo cagado. Assim que afastamos alguns arbustos notei que Luna estava parado observando algo, ficando ao seu lado vejo um pequeno urso de pelúcia que nos encarou com os olhos semicerrados e deu um grande urro, grande demais para o seu tamanho, afinal ele era bem pequeno e continha uma meia lua em sua testa.

- Nossa eu pensei que fosse algo extremamente grande – Afirmei.

- Um Teddiursa, que amor – Luna estava com seus olhos brilhando – Cacnea, não seja imprestável e derrote-o, eu necessito dele.

Era estranho o modo como ela tratava seu Cacnea, e como já ficou apaixonada pelo Teddiursa logo quando o viu. O cacto ficou entre nós e encarou o urso de os olhos semicerrados, o pequeno bicho de pelúcia deu um sorriso malicioso e logo após surpreendeu todos chorando de uma forma desesperadora que chegava a se atirava no chão de terra.

- O que aconteceu? - Pergunto confuso encarando Luna.

- Esse é Fake Tears é um ataque que faz o adversário ficar distraído e baixar sua defesa, e as defesas do Cacnea são uma grande bosta – Disse ela – Veremos mais sobre ele.

Com essas palavras ela tira o pokédex e aperta o botão azul que fica na esquerda do aparelho, esse começa a emitir uma voz dizendo coisas sobre o pequeno urso.



Pokédex On.



Teddiursa – O Pokémon urso ninguém resiste ao encanto de seus doces olhos. Antes de chegar o inverno esses Pokémons acumulam muita comida em lugares escondidos. Possui uma velocidade muito ruim, porém compensa com um bom ataque.
TypeNormal
Nature – Naughty (Travesso)
Heigth – 0.6m
Weight – 8.8kg
Abilitie Quick Feet Aumenta a velocidade quando está com algum problema de status. Ex: envenenado, paralisado, etc.

Pokédex Off.



Após a voz que se dirigia do aparelho falar essas informações Luna assume uma postura séria, como nunca havia visto antes.

- Cacnea ataque com Tackle.

O Pokémon começou a correr em direção ao urso que ainda estava chorando, conforme o cacto se aproximava o choro ficava mais forte, porém Cacnea continuava em direção a Teddiursa no momento que eles iam se chocar o urso se levanta e usa suas mãos para parar o cacto que estava atacando com o corpo, os dois deslizaram para trás e continuaram a se empurrar.

- Cacnea salte e use Pin Missile– Gritou Luna.

Perguntava-me como ela sabia os ataques de Cacnea? Obedecendo ela o Pokémon verde parou de pressionar o urso saltando para cima, Teddiursa que ainda fazia força caiu para frente e o cacto já estava no ar, acima do urso ele estica seus braços e desses quatro raios brancos com setas em suas pontas acertam Teddiursa que urra ao receber os golpes.

- Isso – Disse Luna pegando uma pokébola de sua mochila – Agora será meu.

Antes que pudesse arremessar a esfera, a garota é interrompida por uma criança que salta de cima de uma árvore ficando na frente do Pokémon urso. Olhei interrogativamente para o garoto, que devia ter menos de dez anos, ele arfava e seus cabelos castanhos estavam grudados em sua testa pelo suor ele devia ser menor que meu ombro, porém sua expressão era séria com as sobrancelhas juntas.

- Não toquem nele – Gritou o garoto com fúria – Ele é meu.

- Seu¿ Ele estava urrando aqui pedindo para ser capturado – Luna respondeu.

- Ele estava me ajudando – A criança disse cerrando os punhos.

Ele estava todo sujo, como se tivesse há muito tempo longe de casa e de repetente começa a chorar silenciosamente.

- O deixem em paz, é meu único amigo – Disse o garoto caindo de joelhos.



-x-



Foi difícil, mas conseguimos com que a criança que se chamava Jaden fosse junto com seu Teddiursa para onde nós estávamos anteriormente, embaixo da sombra de uma grande árvore lá começamos a conversar.

- Então, nos conte sobre você e esse urso – Disse para o garoto.

- Bem ele sempre foi meu desde quando era pequeno, foi um presente de meus pais – Ele disse com a voz tremida.

- Onde seus pais estão agora ? - Perguntou Luna curiosa.

- Eu não sei, faz uma semana que eu cheguei a minha casa e eles não estavam lá não tinha ninguém, mas eu esperei – O garoto soluçava – Esperei três dias, mas ninguém veio então nós saímos de lá e começamos a roubar de viajantes Teddiursa distrai enquanto eu pego as coisas.

No final ele deu um sorriso sem jeito em meio as lagrimas, olhei para Luna e ela estava com uma expressão de pena e foi abraçar o garoto. Eu compreendia completamente a situação do garoto, quando uma pessoa soma e você fica sem chão e eu não ia o deixar continuar se sentindo assim.

- Não fique assim – Disse para o garoto – Se você se sente sozinho venha conosco, você nunca mais terá que se sentir solitário, pois agora nós estamos aqui!

Jaden havia para de chorar e me observava com seus grandes olhos, Luna se levantou e veio para o meu lado então estendemos a mão para o garoto e um enorme sorriso cresceu em seu rosto enquanto ele pegava nossas mãos.



...


Notas:
Bem, esse talvez foi o capítulo de maior enrolação de todos, com falas desnecessário e personagens sem carisma estou chorando de decepção, porém fiz meio apressado pois pensei, 10 dias sem nada, dai quase que a Fic foi pro saco, estava sem vontade e inspiração, dai fui escrevendo um pouco por dia e saiu isso. Espero que ainda não desistam. No próximo Cap, vai aparecer a Hydra. applause
avatar
Ayakashi
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 18/08/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por megapikachu em Dom 28 Set 2014 - 10:47

o cap.esta otimo mas voce mesmo disse da sua nota as falas estao desnecessarios foi meio triste a historia do garotinho mas fora isso eu gostei estou esperando os proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Black~ em Ter 30 Set 2014 - 20:29

Bom, vamos lá.

Bem, o capítulo foi um tanto quanto enrolado para...nada. Tipo, foi um capítulo extremamente grande para não ter nenhum acontecimento marcante. Tipo, não quer dizer que só porque a fic está 10 dias sem atualização que você deva se apressar para postar um novo capítulo. Tome o tempo que achar necessário para escrever um bom capítulo. Até porque as fics não são trancadas depois de 30 dias, mas enfim.

Well, o capítulo mostrou o começo de jornada do Calleb e da Luna, aquele clichê de sempre. Foi bem repentino, tipo "ah, oi, você é um estranho, vou te falar da minha vida e a gente vai pra uma jornada, sim ou claro?", é, isso resume os acontecimentos, já que a garota chegou e chamou ele e pronto, anyway.

Olha, eu posso parecer chato, mas bem, o cara é prefeito, certo? Se ele é prefeito, ele não tá esbanjando todos esses trilhões não, porque bem, ele é prefeito, sim, mas ele só teria esses milhões se ele tivesse uma empresa, por exemplo, ou surrupiasse mesmo. Porque prefeito tem todos os luxos e tals, mas você sabe que não tem todo o dinheiro, mas enfim, entendo que seja para ter haver com a história, em todo esse negócio relacionado com a Hydra e tudo mais, mas enfim²³²³.

Erros eu vi, mas não vou citar, só que tipo, cara, a pontuação está irritantemente irritante, digo, a falta de vírgulas ou de pontos, é tudo direto, e deixa o texto confuso, então preste atenção em relação a isso, porque deixa o texto cansativo e tals, mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por -Murilo em Ter 30 Set 2014 - 21:55

Oie! Cara, essa Luna é completamente louca, amei ela! Eu também estranhei esse prefeito cheio dos milhões. Imagino que ele rouba tudo do povo né, já que é o prefeito, mas deve ter alguma outra origem misteriosa aí. E ele ainda está envolvido com a Hydra. Algo que diz que Luna talvez tenha algum envolvimento nessa história, e quando ela e Calleb revelarem suas histórias um para o outro vai ser ótimo. Agora esse outro menino aí que eu não entendi. Ele deve ser mais um companheiro de viagem pra formar o trio parada dura de todas as jornadas rsrs. Mas como tem essa histórias dos pais desaparecidos, então deve ter outro mistério aí. Bem, tenho que te falar, esse cap foi um pouco menos trabalhado que o outro. Foi tudo muito rápido e pouco descrito. Acho que teve mais fala que descrição então algumas partes foram rápidas demais. Além do probleminha das vírgulas emendando uma frase na outra ao invés de por ponto final. Mas de resto está bom. Quero ver o que vai acontecer. Ah! Uma dica pra você não ficar meio sem saber o que escrever é você fazer um planejamento básico dos caps futuros. Eu fazia isso, as vezes planejava a fic inteira antes de escrever rsrs. Boa sorte, até!
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Ayakashi em Dom 5 Out 2014 - 19:46

Comentários:

Comentários:

@megapikachu escreveu:o cap.esta otimo mas voce mesmo disse da sua nota as falas estão desnecessários foi meio triste a historia do garotinho mas fora isso eu gostei estou esperando os proximos capitulos rs

É o capitulo não tava muito bom, mas que bom que gostou, acompanhe!

@Black~ escreveu:Bom, vamos lá.

Bem, o capítulo foi um tanto quanto enrolado para...nada. Tipo, foi um capítulo extremamente grande para não ter nenhum acontecimento marcante. Tipo, não quer dizer que só porque a fic está 10 dias sem atualização que você deva se apressar para postar um novo capítulo. Tome o tempo que achar necessário para escrever um bom capítulo. Até porque as fics não são trancadas depois de 30 dias, mas enfim.

Well, o capítulo mostrou o começo de jornada do Calleb e da Luna, aquele clichê de sempre. Foi bem repentino, tipo "ah, oi, você é um estranho, vou te falar da minha vida e a gente vai pra uma jornada, sim ou claro?", é, isso resume os acontecimentos, já que a garota chegou e chamou ele e pronto, anyway.

Olha, eu posso parecer chato, mas bem, o cara é prefeito, certo? Se ele é prefeito, ele não tá esbanjando todos esses trilhões não, porque bem, ele é prefeito, sim, mas ele só teria esses milhões se ele tivesse uma empresa, por exemplo, ou surrupiasse mesmo. Porque prefeito tem todos os luxos e tals, mas você sabe que não tem todo o dinheiro, mas enfim, entendo que seja para ter haver com a história, em todo esse negócio relacionado com a Hydra e tudo mais, mas enfim²³²³.

Erros eu vi, mas não vou citar, só que tipo, cara, a pontuação está irritantemente irritante, digo, a falta de vírgulas ou de pontos, é tudo direto, e deixa o texto confuso, então preste atenção em relação a isso, porque deixa o texto cansativo e tals, mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.

Pois é, o capitulo foi o mais enrolado de todos e sim contendo o, mas eu não consegui pensar em uma maneira melhor pra introduzir a jornada. E eu achei que com as características que eu dei do prefeito, seriam claro que ele rouba do povo e se ele tem empresas, não quis aprofundar nesse assunto, mas ele caga dinheiro.
Obrigado pelo comentário.


@-Murilo escreveu:Oie! Cara, essa Luna é completamente louca, amei ela! Eu também estranhei esse prefeito cheio dos milhões. Imagino que ele rouba tudo do povo né, já que é o prefeito, mas deve ter alguma outra origem misteriosa aí. E ele ainda está envolvido com a Hydra. Algo que diz que Luna talvez tenha algum envolvimento nessa história, e quando ela e Calleb revelarem suas histórias um para o outro vai ser ótimo. Agora esse outro menino aí que eu não entendi. Ele deve ser mais um companheiro de viagem pra formar o trio parada dura de todas as jornadas rsrs. Mas como tem essa histórias dos pais desaparecidos, então deve ter outro mistério aí. Bem, tenho que te falar, esse cap foi um pouco menos trabalhado que o outro. Foi tudo muito rápido e pouco descrito. Acho que teve mais fala que descrição então algumas partes foram rápidas demais. Além do probleminha das vírgulas emendando uma frase na outra ao. invés de por ponto final. Mas de resto está bom. Quero ver o que vai acontecer. Ah! Uma dica pra você não ficar meio sem saber o que escrever é você fazer um planejamento básico dos caps futuros. Eu fazia isso, as vezes planejava a fic inteira antes de escrever rsrs. Boa sorte, até!

A Luna pode parecer uma pirada, mas ela é bem seria, mais do que imaginam huhu, o prefeito como disso pro Black, é um bandidão mesmo, essa história de Luna, pai dela e Hydra é bem confusa, vai ser explicado depois. E tem mistérios os os pais do menino também, o único personagem que não tem mistério é Calleb.
Sobre o cap, foi bem menos trabalha, digamos eu não tinha vontade de escreve-lo e fui me forçando a fazer. Vlw pelo comentário.


#03º - Batalhas




2:30 PM – Rota 16




Durante o caminho pela rota 16, deu para bater um bom papo. Jordan havia se abrido conosco, até por que ele e Luna não calavam a boca, nem parecia o garoto que tentou nos roubar à uma hora atrás, no entanto ele não comentou nada sobre sua história.
Luna não cala a maldita boca, apenas sua voz já era o suficiente para me fazer revirar os olhos, sinto que peguei certa implicância com a garota, o que é uma pena. Nesse momento ela andava enquanto revirava sua mochila em busca de algo que eu não estava a fim de saber. A combinação de sol forte com poucas nuvens deixava a caminhada exaustante.

- Achei essa merda – Luna disse em um tom irritado enquanto desdobrava um papel em suas mãos.

O que a menina tinha em suas mãos era um grade mapa da região de Coalt. Levou um bom tempo até nos situarmos no papel e quando conseguimos localizar o local onde nos encontrávamos, vimos que o próximo local que deveríamos chegar era um pequeno ponto negro no mapa, ou seja, segundo a legenda do mesmo era uma vila.

- Eu conheço essa vila – Afirmou Luna – É propriedade de Pandora, chama-se Banes, pelo que eu sei não iremos demorar.

- Graças a Arceus – Agradeceu Jordan

- Pelo que você sabe? Então estamos fudidos – Provoquei-a.

A garota se limitou a bufar e acelerou o passo, o Teddiursa de Jordan que havia sumido por algum motivo apareceu saído das árvores que ladeavam a estrada. O Pokémon não tinha pokebola, ou seja, ele ficava andando livre por ai nos incomodado, acho que nunca vi um urso tão malicioso, sínico e travesso, sendo que passei poucas horas na companhia do mesmo.

- Ai está você Mel – Disse a criança esfregado o urso em seu corpo, no que deveria ser um abraço.

O Pokémon que era do sexo feminino tinha um nome muito diferente da sua personalidade, que era Mel. Eu particularmente achava idiotice colocar nome em Pokémons, com certeza não colocaria nenhum no meu Scyther.

- Seu Pokémon é tão fofo – Riu Luna, porém depois fechou a cara para falar – É uma pena que o meu não é assim.

Ela olhou fuzilando para o pokébola onde se encontrava Cacnea, coitado do Pokémon, como se não bastasse ter uma psicótica como treinadora.

- Por que suas mãos estão meladas Mel – Jordan perguntou olhando as patas do Teddiursa.

Todos pararam para ver o que tinha nas patas de Mel, e era mel (ba dum tss) olhamos com olhares curioso para a pequena ursa.

- Onde ela deve ter achado isso? - Perguntei para eles.

- Ela tinha ido à floresta – Jordan comentou – Deve ser algo de lá.

O garoto dizendo isso eu relaxei, porém Luna pareceu incrivelmente tensa e arregalou os olhos.

- Na floresta, mel, só tem um lugar onde ela pode encontrar isso – Disse a garota devagar – Silêncio.

Se fosse uma situação em que ela não estivesse nervosa eu teria zombado dela, porém decidi obedecer. Primeiramente o único som que ouvi era o do vento, depois algo como um pássaro piando em seguida zumbidos.

- Fudeu, não acredito – Luna cortou o silencio – Corre.

- Sua doente, o que aconteceu? - Perguntei para ela já correndo.

- Cala a boca e corre porra.

Assim nós três saímos correndo no meio da estrada de chão, não entendia o porquê, mas ela parecia de certa forma tão apavorada que decidi acatar. Jordan segurava a mão de Luna e corria o mais rápido que podia com Teddiursa no seu colo, eu estava certo que a ursa tinha algo haver com tudo isso.
Já estava começando a ficar exausto e iria parar correr, afinal nada acontecer. Algo que notei era que os zumbidos pareciam muito mais perto, então no seguinte segundo no lado esquerdo da floresta uns bichos extremamente bizarros apareceram no ar, não queria falar nada, mas eram muitos.

- É disso que estamos correndo, Beedrills – Luna falou ofegante – O único modo de Teddiursa ter conseguido mel é pegando deles ou dos Combee, não é algo inteligente, pois ambos são muitos agressivos.

Como se a situação não fosse ruim o suficiente, com dez grandes abelhas a nossa frente, com pinças que pareciam ser de ferro, e eu rezava para que não fosse, uma grande e ultima abelha apareceu, só que diferente das outras ela tinha uma coloração verde e era um tanto maior.

- A não acredito – Luna comentou em uma mistura de paixão e horror – É a rainha, a abelha rainha, eu tenho que tirar uma foto.

Cega pela paixão eu tive que puxar seu braço para começarmos a correr novamente. Jordan não falava nada, desconfiava que houvesse feito suas necessidades nas calças, não o culpo estava prestes a fazer isso também. Quando perceberam que nós estávamos nos afastando, os Beedrill começaram a voar em nossa direção e seria bem obvio que não tínhamos velocidade o suficiente para fugir desses monstros.

- Eles tão chegando perto – Disse Jordan olhando para trás.

Enquanto o garoto, que carregava a sua ursa, olhava para trás ele escorrega em algumas pedras soltas caindo no chão em cima da Teddiursa. Eu e a garota paramos de correr e nos abaixamos para juntar o garoto que estava caído de lado, porém as abelhas já estavam em cima de nós, então a Mel ficou em nossa frente e começou a chorar. Já havia visto isso antes, era o tal do Fake Tears, e com isso os bichos ficaram descoordenados.

- É nossa chance – Disse Luna, sacando a pokebola de seu Cacnea – Vai imprestável.

- Nossa chance não seria para fugir? - Olho incrédulo para a garota.

- Se derrotarmos a rainha eles não atacarão – Disse a garota no momento em o cacto aparecia com uma postura confiante.

- Eu espero – Digo pegando a esfera que continha Scyther.

Espero não estar fazendo uma burrice – Pensei enquanto pegava a esfera vermelha e branca e a arremessava para cima. Do alto um raio vermelho apareceu no ar e formou o meu louva-a-deus.
Sem comando nenhum ele voou em direção a o enxame e começou a atacar com suas lâminas. As abelhas que ainda estavam confusas pelo ataque de Teddiursa não contra-atacavam o meu Pokémon, então nesse curto pedaço de tempo duas abelhas já estavam no chão.

- Até que ele é bom – Afirmou Luna – De os comandos a ele.

- Que comandos? Eu não sei o que ele pode fazer.

Luma revirou os olhos e pegou a Pokédex de minha mochila, selecionou a opção analise de ataques e apontou para Scyther que estava voando em torno das abelhas. Então a grossa voz que sai da Pokedex começou a falar.



Pokédex On.

Fury Cutter – Scyther ataca com suas lâminas, a cada ataque continuo mais poderoso o golpe fica.
Quick Attack – Scyther usa sua velocidade para atacar os oponentes rapidamente.
Focus Energy – O Pokémon se concentra para aumentar sua força.

Pokédex Off.




- É isso seu trouxa – Disse a garota – Me deixe ver esse Beedrill.




Pokédex On.




Beedrill – Com cabeça redonda, olhos grandes e vermelhos, antenas e coloração preta e amarela é o Pokémon abelha venenosa. Suas patas dianteiras terminam em longos ferrões pode caminhar em duas patas, porém usa suas asas para a locomoção. São altamente territoriais e vivem em colônias perturbar um enxame fará com que a colônia ataque. Voa em alta velocidade e ataca com os ferrões venenosos.

Type – Bug/Poison
Nature – Brave (Corajoso)
Height – 1m
Weight – 29.5kg
Abilitie Swarm Quando Beedrill já está fraco seus golpes do tipo inseto ficam mias fortes.

Pokédex Off.




- Tá, vamos estourar essa rainha – Confesso que estava animado.

Com Teddiursa ainda fazendo seu ataque, as abelhas ainda estavam tontas, porém a rainha que demonstrava ser mais inteligente que as outras, apontou os seu enorme ferrão e começou a ir em direção a nossa ursa.

- Intercepte essa vadia com Quick Attack.

Scyther percebeu o que eu queria dizer e em um piscar de olhos apareceu ao lado da rinha, então usou seu corpo para empurrar a mesma para longe. A força foi tamanha que a abelha se chocou fortemente contra o solo.

- Que [palavra censurada] isso, use novamente – Batalhar era incrivelmente legal.

O inseto me olhou, não parecia nada feliz em obedecer as minhas ordens, então lançou seu corpo em direção à abelha que estava se levantando lentamente. No momento em que o louva-a-deus ia acertar Beedrill o mesmo agilmente se apoia em uma pata dianteira e da um incrível giro, fazendo Scyther passar do seu lado e se chocar com o solo. Então a abelha começa a acertar o meu Pokémon com seus ferrões.

- Incrível – Luna disse – Ela provavelmente usou Agility para aumentar sua velocidade e está atacando com Twineedle.

- Gente a Mel não está mais aguentando usar Fake Tears – Jordan gritou.

- Mel, pare de usar – Luna falou – Cacnea use Sand Atack.

O urso parou de chorar e no exato momento as outras abelhas ficaram atentas novamente, então o cacto bateu com seu braço no chão e uma enorme quantidade areia e poeira se elevou indo em direção as Beedrils, e ficou no local das mesmas.

- Elas ficarão cegas por um tempo, agora vamos acabar com a rainha.

- Até que você manda bem – Disse – Agora Scyther use Focus Energy e depois ataque com Fury Cutter.

O inseto que estava tentando se defender voou para o alto e fechou os olhos por alguns segundos, ao abrir parecia incrivelmente confiante. A abelha que tinha começado a voar em sua direção começou a assumir uma aura vermelha em torno do corpo. Os dois começaram a se trocar ataques no ar, Scyther usava suas laminas e sua velocidade para tentar acertar cada parte de Beedrill, o mesmo tinha uma velocidade igualmente boa e usava suas grandes armas dianteiras.

- Ela usou Rage, conforme mais ela atacar mais forte ela ficará.

- Ajuda então porra – Disse para a garota.

- Ta bem– Ela falou indiferente – Cacnea use Poison Sitng.

O cacto saltou e dos buracos que deveriam seu sua boca, de lá saiu uma grande quantidade de espinhos arroxeados que foram em direção a Beedrill. Os espinhos até que acertaram a abelha, porém ela não pareceu notar.

- Merda ela tem vantagem contra esse tipo de golpe – Afirmou Luna – Temos que ser rápidos, as outras abelhas não demoraram a voltar a enxergar.

- Mas que porcaria Scyther ganha essa merda ai, usa qualquer coisa rápido.

O Pokémon pareceu um tanto incomodado, porém usando o Quick Attack foi para trás da abelha e usando seu corpo a jogou em direção ao chão, sem tempo da mesma reagir ele voa em uma incrível velocidade e começa a acertar vários ataques com suas laminas nas costas da mesma. No fim Beedrill bate no solo, extremamente debilitada, porém ainda tenta se levantar. Quando estou prestes a dar o golpe final uma esfera toca a abelha, e um raio vermelha a suga para dentro.

- Será minha – Luna gritou, quando a pokebola parou de tremer.

- Sua [palavra censurada], fui eu que debilitei ela – Disse bolado – Você é uma verdadeira ladra de Pokémos.

No momento que a rainha foi capturada as abelhas começaram a voar para todos os lados, todas se dispersaram.

- Elas iram voar até encontrar outra colônia – Falou a garota – Estou emocionada.

Ela observava a Pokébola que havia capturado a Beedrill Shiny. Não demoramos muito para seguir caminhando novamente, e é claro odiando Teddiursa por tudo que aconteceu.




-x-





A caminhada finalmente acabou avistando a pequena placa de que dizia:




“Bem Vindo a Banes, propriedade de Pandora”




- Não aguento mais caminhar – Jordan afirmou

- Vamos direto para o pequeno centro que tem aqui.

Caminhando entre as estreitas ruas deu para perceber que não era uma vila muito animada. As casas, maioria de madeira, davam um tom rustico à cidade e deu para perceber que a maioria das famílias vivia da agricultura. Era uma bela comunidade, parecia pacifica pelo menos.
Caminhamos duas poucas quadras, e ao dobrarmos para esquerda já estávamos na frente do pequeno Centro Pokémon. Adentrando o local deu para perceber que não era muito utilizado, a enfermeira estava com uma cara muito mal humorada, além de ser velha e gorda. Luna pegou e entregou nossos Pokémons para a mulher, que por vez colocou em bandejas e posicionou em uma maquina. Observando o local, percebi que tinha um quadro negro, que devia tinha noticias, e escrito à mão estava escrito o seguinte:




“A vila Banes oferecer uma competição em duplas, chamada Tag Battle, para comemorar o aniversário da cidade, participe e concorra a prêmios.”




- Topa? – Luna falou surgindo nas minhas costas.

- Topo.

Ela ficou bem animada, tanto que na hora em que foi pegar os nossos Pokémons com a gorda ela perguntou sobre o torneio. Voltado com as informações ela disse.

- É daqui a duas horas, no ginásio da cidade, ela falou que nunca é muito concorrido – Disse Luna – Eu vou destroçar os coitados.

Finalizando a frase ela começou com uma risada maléfica forçada. Sinto que Jordan não deveria ouvir essas coisas, coitada da criança, conviver com uma garota como ela.
Então era apenas esperar duas horas, para começar o combate.





-x-





Estávamos na frente do ginásio, observando era um local grande. Dentro do local vimos que já tinha várias pessoas sentadas nas arquibancadas, devia se um grande evento para a vila. Nos direcionamos a simples mesa de inscrição, certamente não havia muitos nomes na lista, Luna colocou o meu e o dela.

- Jordan, vá sentar nas arquibancadas – Digo para o menino – Nós temos que ir para o local dos competidores.

Obedecendo, o garoto se junta à plateia e nós somos direcionados a uma sala bem espaço dentro do ginásio. Lá dentro se encontravam algumas pessoas, bem curiosas inclusive.
Duas garotas, crianças na verdade deveriam ter a idade de Jordan, e eram extremamente parecidas, deveriam ser gêmeas. E um garoto e uma garota, que não se olhavam, porém estava claro que eles eram companheiros, a menina parecia séria e confiante, já o garoto parecia metido a besta ambos deveriam ter nossa idade. E os últimos que lá havia era claramente um casal, pois estavam de mãos dadas. Como faltavam uns vinte minutos, o que restava era esperar.




-x-




Após todos os pares terem chegado, que no final totalizou apenas 8 duplas, foi dado a ordem das batalhas.
Eu e Luna batalharíamos primeiramente contra o casal, que se chamavam Terry e Wanda. As gêmeas eu descobri que se chamavam Dara e Jupter, também havia os outros dois Elektra e Simon.

- Agora é só esperar pra arrebentar – Luna falou confiante.

Será mesmo?





...




Notas:
Esse cap foi o inicio das batalhas hehe. O aparecimento da Hydra ficou pro próximo, eu coloquei partes que não tinha planejado então hehe.


Última edição por Ayakashi em Seg 6 Out 2014 - 10:48, editado 2 vez(es)
avatar
Ayakashi
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 18/08/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por megapikachu em Dom 5 Out 2014 - 20:23

esse cap.esta muito bom as batalha contra os beedrills ficou muito epico espero que as batalhas sejam do mesmo estilo a dos beedrills estou esperando os proximos capitulos rs
avatar
megapikachu
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/09/2013

Frase pessoal : deus e todo poderoso


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Black~ em Qua 8 Out 2014 - 19:18

Bom, vamos lá.

Esse capítulo foi legalzinho, teve a captura do Beedrill shiny pela nossa "querida" Luna, além de altas aventuras dos nossos protagonistas. Bom, desse trio não se sabe qual é pior, só os três mesmo para se entenderem. Três personagens maluco beleza -qq.

Achei interessante essa relação entre a Luna e o Calleb, que certamente vai acabar virando um romance logo depois. Porque os dois vivem brigando e se xingando, questionando o que o outro faz, então sempre tem aquela implicância e tudo mais -q, mas enfim.

Esse urso parece o urso do filme "Ted", que parece ser um ursinho fofinho, bonitinho, amigo de todos, mas é na verdade um tremendo fdp, que gosta de ficar enchendo o saco e que acabou provocando toda essa confusão no capítulo -q.

Mas eu achei algo bem incômodo, que é a utilização das vírgulas, que muitas vezes acabam faltando, e com isso algumas frases ficam confusas ou com sentido ambíguo, o que acabou tirando um pouco a "beleza" do texto, mas nada que uma revisão básica não resolva.

Erros devo ter visto um ou outro, mas nada de mais.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Lake Guardians

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum