Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

[FANFIC] Kanto Journey

Ir em baixo

[FANFIC] Kanto Journey

Mensagem por Laurenza em Qua 2 Jul 2014 - 14:03



Avisos:
1° Plágio é crime, tanto para a Fanfic quanto a Capa ^^
2° A fanfic passará na região de Kanto.
3° Um capítulo por dia, quando não postar é que teve algo sério e não pude postar. Então eu avisarei em um dos capítulos ^^




Capa:


Sinopse:
O início da jornada de Robert e de seu mais novo amigo/rival Carter finalmente chegaria, após buscarem o seu primeiro Pokémon no famoso laboratório do professor Oak, ambos começaram então as suas jornadas pela incrível e maravilhosa região de Kanto, competir com outros treinadores, capturar muitos Pokémon e com um único objetivo: Completar a Pokédex com todos os Pokémon de Kanto e também ter a chance de entrar para à Liga Pokémon.

Personagens: Robert Sorenson e Carter Reynolds

Capítulo 01:
Pallet Town:

Rodeada por árvores e serras, a cidade de Pallet é escolhida por aqueles que desejam uma vida tranquila com muito verde e ar puro. Tendo um número pequeno de habitantes e uma economia sustentada por agricultura e pesca, Pallet possui os moradores mais simpáticos e acolhedores da região. Uma estrada de terra batida corta o gramado presente em toda a cidade, levando aos principais pontos locais, como um lago que fica ao leste e é onde os pais costumam levar seus filhos para pescar.

É em uma colina no centro da cidade que fica localizado o famoso laboratório do professor Oak, aonde treinadores iniciantes de todo o mundo vêm para pegar o seu primeiro Pokémon, sendo este o motivo que faz de Pallet a cidade com a população mais idosa, já que os jovens crescidos aqui geralmente decidem sair em uma jornada ao lado dos monstrinhos de bolso. As casas possuem arquitetura simples, sendo construídas de madeira e forradas por um telhado antigo. Ao Sul, uma pequena praia dá acesso ao mar e a rota que liga a cidade à Ilha de Cinnabar.

Um lugar maravilhoso, habituado por pessoas queridas e de bom coração, também lar de Robert. Um jovem garoto de dezesseis anos que resolve do dia para a noite virar um treinador Pokémon, graças ao seu convívio com um deles dentro de casa, teve afeto com o mesmo podendo sair em uma jornada, mas seus pais não deixaram, pois ele era muito novo na época, tinha seus dez anos completos.

E hoje, depois de seis anos ele poderia realizar este sonho, o seu tão sonhado dia estava chegando. Ele não via a hora das horas passar bem rápido para poder ir diretamente falar com o professor Oak. Ele se remexia em sua cama de casal, de sua casa o céu estava estrelado, a lua iluminando as ruas de terras com seu brilho estonteante.

Logo o tempo passou tão depressa, que houve os Pidgey e Pidgeotto passando pelas casas com o  seu canto, todos os moradores da cidade estavam levantando bem cedo para arrumar a grande festa de partida de Robert, o tão sonhado bom menino faria falta na cidade e ambos sentiram muitas saudades do garoto.

- Bom dia meu querido filho, como passou a noite? – Dizia a mãe do rapaz, uma mulher alta e magrela, tinha longos cabelos ruivos e usava uma roupa de casa um pouco vulgar na mente de Robert. Ela ajeitou as cortinas da pequena janela quadrada e então podê abrir a janela, o dia estava lindo como a noite anterior, mas estava clara.

O garoto se espreguiçou, e abraçou a mãe. Ele estava ansioso para então começar a sua emocionante jornada sozinho pela região de Kanto, a ruiva riu com a empolgação do garoto. E então ia descer as escadas indo para a cozinha, preparar o café da manhã. Quando seu filho lhe abraçou, com lágrimas nos olhos.

- Bom dia mãe, vou para o banheiro me arrumar, pois hoje quero estar bem bonito para minha festa de despedida e no dia seguinte irei partir, sentirei saudades de Pallet Town. Minha cidade querida, prometo que voltarei em breve para visitar todos vocês, cada um de vocês está aqui dentro de mim. E sei que vocês estarão torcendo por mim quando estiver lá na Liga Pokémon vencendo cada um daqueles treinadores Pokémon.

Ela secou as lágrimas dos olhos do jovem ruivo e então podê descer as escadas sendo seguida por Robert que caminhava lentamente para o banheiro ainda com sono, não dormirá a noite inteira pensando em como seria a sua jornada a partir de agora. Estava emocionado, e começou a chorar muito mais no banheiro,

Ele não queria ser fraco, mas aquela cena tinha que ser gravada, pois Robert nunca chorava e agora estava desabando em lágrimas no grande banheiro de sua casa. Sua mãe lhe confortou dizendo para que o mesmo viesse tomar seu café da manhã, o dia seria bem cheio e ele precisava estar forte e alimentado para encarar o dia seguinte, o dia de sua partida.

- Nossa, mãe. Isto aqui está muito bom, você é a melhor mãe do mundo. Não sei que inicial escolher mãe, e tenho a certeza que aquele chato e irritante do Carter vai estar lá também. Eu o odeio com todas as minhas forças, e prometo ser mais forte que ele, o derrotando.

- Robert, não é para tanto filho. Carter não é assim como você diz, ele só tem alguns parafusos a menos na cabeça. – Disse a ruiva fazendo Robert, rir com seu comentário sendo seguido pela mesma. Ambos já haviam acabado de terminar o café da manhã, Robert pegou seu boné e então colocou em sua cabeça, estava indo para a alta colina ir ao laboratório do professor.

A caminhada era longa, mas ele tinha que ir lá buscar o seu primeiro Pokémon ou só poderia no dia seguinte, o dia de sua partida. Ele queria adiar tudo para ir então a sua sonhada primeira jornada Pokémon sozinho ao lado de seu parceiro.

Chegando até o alto da colina, o jovem ruivo decide tocar a campainha, mas é derrubado no chão bruscamente por um garoto loiro, Carter, o rival de Robert e também o seu inimigo declarado. Robert o olhou de lado com raiva nos olhos, ele estava rindo de sua cara.

- Carter, pare de rir de mim. Eu juro que um dia irei lhe derrotar e acabar de uma vez por todas com você. Seu garoto chato, saí da minha frente que eu quero entrar no laboratório do professor. – Dizia Robert  empurrando Carter, ele fazia o mesmo. Ambos estavam se empurrando para saber quem entraria primeiro no laboratório.

- Não, saí da minha frente você, seu inútil. Saia do meu caminho Robert, eu vou arrebentar a sua cara. Seu idiota, sai logo.

Capítulo 02:
Laboratory and the Party:

Numa área afastada da região urbana de Pallet está a casa e local de trabalho de um dos mais renomados pesquisadores Pokémon de todo o mundo. O laboratório do professor Oak localiza-se no topo de uma colina e é cercado por árvores que cobrem boa parte do cerro, o meio mais seguro de se chegar às portas do lugar é subindo-se uma longa escadaria. Além de em seu interior existir equipamento de alta tecnologia cujo uso está voltado para pesquisas, o laboratório conta ainda com uma ampla área criada especialmente para abrigar Pokémon de todas as espécies, com vários biomas existindo no lugar.

Além disso, o professor Samuel Oak é responsável por distribuir Pokémon para treinadores iniciantes que viajam até o local, garantindo que muitos viajantes que iniciaram suas histórias como treinadores em Kanto tenham passado pelo menos uma vez por lá.

Ali, em frente à parede, estava o renomado professor Oak. Muitos tinham sentimentos variados em relação àquela cena, alguns eram indiferentes e outros mal aguentavam a própria ansiedade, mas o pesquisador já estava acostumado com toda essa variedade de jovens que iam até ele, todos em busca de seguirem seus respectivos sonhos. Ele respirou fundo e pressionou um botão, ativando um grande painel eletrônico ao seu lado que exibia as silhuetas de um número imenso de Pokémon, logo ele começava a falar.

- Bem vindos ao meu laboratório... Bem vindos ao mundo Pokémon... Meu nome é Samuel Oak, um pesquisador Pokémon que apesar da idade não deixa de se maravilhar com os mistérios desse mundo... Como você sabe nós humanos estamos acostumados a vivermos lado a lado com esses seres que habitam as mais extensas florestas, os mais turbulentos mares e as mais escuras cavernas, e é por esse motivo muitos de nós não conseguiriam viver sem essas criaturas, por isso fazemos deles nossos amigos e companheiros, alguns os usam como animais de estimação, outros como colegas de trabalho, mas há quem os utilize em batalhas Pokémon, como um esporte e um meio de desenvolvê-los. Independente de seus objetivos finais muitos como você vêm aqui com um único desejo: O de adquirir seu primeiro Pokémon, e estarei feliz em poder dar-lhe as boas vindas e abrir as portas ao mundo Pokémon para você.

- Me desculpe professor, não queria causar este transtorno em frente ao seu laboratório. Me desculpe mesmo, eu e Carter sentimos muito. Não é mesmo Carter? – Dizia Robert, tentando disfarçar a raiva que emanava de seus olhos, olhando bruscamente com o canto de seus grandes olhos azuis para o loirinho.

- Ah sim claro professor, está tudo bem por aqui. Nós viemos buscar nosso primeiro Pokémon e então primeiro parceiro de jornada. Você poderia ter a honra de convidar-nos dar adentrar ao seu renomado laboratório? – Disse por vez Carter, pedindo por favor para que Oak pudesse deixar ele adentrar ao seu laboratório. O mais velho deixou que ambos adentrasse. E se sentaram no grande sofá que ali estava. Era vermelho e velho, parecia estar ali a anos. Os dois jovens se sentaram e ficaram na espera.

Após o discurso um assistente surge, trazendo consigo uma pequena mesinha, acima dela estavam alguns objetos distribuídos, num canto estavam cinco Pokéball reduzidas e um frasco de Potion, enquanto no centro da banca estavam três Pokéball lado a lado, acima delas havia um aparelho já conhecido por muitos: Uma Pokédex. Logo após visualizar os itens, o assistente deixa o local e Oak volta a falar.

- Tenho aqui os itens ajudar vocês a iniciar suas jornadas, cinco Pokéballs e uma Potion, além de uma vara de pescar básica que vocês receberão de outro assistente antes de sair. Além dessa ajuda eu vou oferecer o que todo treinador deve ter, que é uma Pokedex. Esse aparelho possuí uma grande quantidade de informações sobre várias espécies de Pokémon, além de poder exibir informações dos monstrinhos que vocês encontrarem que não são perceptíveis a olho nu, por fim ela também serve para identificar como um treinador registrado e reconhecido pela Federação Pokémon. - Ele pôs uma das mãos na mesa, antes de continuar. - Por último tenho aqui três Pokéball, dentro de cada uma está contido um Pokémon que nasceu e cresceu aguardando por esse dia. São eles Bulbasaur, do tipo Grama, Charmander, do tipo Fogo, e Squirtle, do tipo Aquático, todos eles foram preparados para iniciarem suas vidas ao lado de um ser humano - um treinador - que irá guiá-los e em troca ser guiado por eles. Dou o direito de vocês  escolherem um dentre os três, então qual a sua decisão?

- Eu irei ficar com o Bulbasaur, sempre gostei dos tipo grama e terei a honra de escolher este parceiro para a minha jornada. Ficarei com ele professor. E você Carter qual vai escolher?

- Ficarei com o Charmander que tem vantagem ao de Robert, sempre serei melhor que ele e por isto escolhi o que tem vantagem ao dele, sempre escolho as melhores escolhas. Diferente de você né Robert?

- Não quero briga em meu laboratório ou ambos vão ter que se retirar do meu recinto de trabalho. Sem receber os inúmeros itens e o direito de ganhar o seu primeiro Pokémon. – Eles se encolheram no sofá com as ambas Pokéballl na mão, sendo seguidos para outro assistente do professor, pedindo quer ambos viessem até o mesmo buscar a vara de pescar portátil que caberia na mochila.

- Tomem, estas varas de pescar. Elas vão ajudar vocês a pescarem certos tipos de Pokémon de acordo ao seu nível de classe. Os maiores Pokémon aquáticos são habituados no grande fundo do mar e só poderão ser pego com outras varas de pescar. No momento só poderão pescar as pequenas espécies que habitam por aqui.

Eles logo agradeceram por receber suas coisas e guardaram tudo em suas mochilas, agora ambos estavam saindo do recinto dando adeus à Oak, mas antes o velho prometeria que daria uma espiada na festa de despedida de Carter e Robert.

- Ei Carter, o que acha de eu e você partir em uma jornada juntos pela região de Kanto? A gente pode não se darem muito bem, mas poderíamos fazer um pequeno esforço e então ter a chance de derrotar todos que vierem em nosso caminho? O que você me diz? – Dizia o garoto ruivo para o loirinho que estava mexendo em sua mochila, a ajeitando para que no dia de sua partida estiver tudo pronto, o mesmo fazia o ruivo. Ambos se entreolharam e depois o loiro tomou coragem de falar alguma coisa.

- Está bem Robert você me convenceu, irei partir ao seu lado. Quem saiba não deixamos de ser rivais e viermos a tomar uma rivalidade amigável. Uma espécie de amigos-rivais-amigos. O que acha em? Consegue pelo menos isso, ou isto é demais para o seu cérebro? – Disse rindo provocando Robert. Mas, logo ambos estavam descendo os degrau da grande escada seguindo diretamente para o portão da colina, iriam para a festa que por sinal já estava começando.

Voltando para a cidade, ambos se deparam com as ruas todas enfeitadas. Várias mesas com comes e bebes por todos os locais, ambos estavam com muita fome sendo que Robert acabará de tomar o seu café da manhã tão cedo e já estava com fome. Realmente aquele garoto era um comilão, Carter já estava ali na mesa degustando de um prato de comida deliciosa. O cheiro emanava as narinas de Robert, fazendo-o se sentar ao lado de Carter.

As mães dos jovens eram muito amigas e logo começaram uma pequena conversa. E uma conversa muito chata, ambos os jovens saíram de perto não querendo ouvir a tal conversa de ambas as mães. Agora eles estavam ali na beira do lago conversando, parecia que em tão pouco tempo eles deixaram as brigas de lado e se tornaram amigos. Apenas esperando um novo dia começar, para então iniciarem suas jornadas juntos pela maravilhoso e encantadora região inicial, a maravilhosa região de Kanto.

Capítulo 03:
Route 01:

O dia amanhecia em Pallet Town, os pássaros mais uma vez passavam pelas casas e algumas acordavam aos poucos, já os mais jovens queriam dormir mais um pouco, como Robert. Acordar cedo não era uma das melhores coisas que o jovem gostava. Sempre acordava tarde, e isto atrapalhou muito o seu sono.

Mesmo assim ele foi acordado com o berro de sua mãe, para que o mesmo pudesse descer e tomar o seu café da manhã. Descendo com preguiça, quase caí da escada, mas se segura no corrimão. Aquilo foi por pouco, ou então ele levaria uma queda bem feia.

- Cuidado filho, assim você vai cair da escada. Seu desengonçado, agora levante-se e venha tomar o seu café da manhã, pois hoje vai começar a sua jornada. Não se esqueça de chamar o Carter para vocês saírem juntos. Me ligue quando puder,  quero ver você ganhar aquela liga e derrotar muitos treinadores. Tenho orgulho de você Robert.

- Obrigado mãe, agora deixe-me ir logo. Estão me esperando do lado de fora, o professor me ligou dizendo que iria me pedir um favor para ele. Vou saindo, até mais. Sentirei saudades de toda Pallet e principalmente de você.

O jovem se despedia de sua mãe, enquanto foi chamar Carter que morava na casinha ao lado de Robert, ele também resmungava do horário, pois não quis se levantar cedo típico de Robert. Pareciam ter os mesmos problemas, com um puxão de orelha de sua mãe, Carter levantou rapidamente se arrumando sem comer nada, ambos seguiram para o laboratório do professor Oak ver o que ele queria com ambos.

- Olá, bom dia professor. Mandou nos chamar? O que você está precisando, é algo grave? Eu e Carter podemos lhe ajudar. – Dizia o ruivo ainda se espreguiçando da preguiça imensa que o seu corpo estava, ele quase cambaleou para trás caindo.

- Não é nada disto meu jovem, é apenas um favor que peço a vocês para buscarem uma encomenda na cidade de Viridian para mim. Comprei algumas coisas via Pokégear e acabei esquecendo de passar na cidade para ir buscar. Vocês podem ir até lá para mim? A encomenda está me esperando no Pokémart da cidade. Basta vocês irem lá buscar para mim, irei avisar ao mercante que vocês estão indo lá pegar.

- Vamos sim professor, a cidade não fica muito longe daqui mesmo. Apenas precisamos ultrapassar a rota 01, iremos agora. Até mais professor, nós vemos em breve. – O loiro dizia enquanto descia as escadas da grande colina, sendo seguido por Robert. Ambos adentraram a pequena rota a frente. Não sabendo o que poderiam encontrar pelo caminho. Logo ambos queriam saber mais da rota, pegaram a Pokédex e viram algumas informações sobre a mesma.

“A Rota 1 é uma curta caminhada localizada logo após de Pallet, tendo seu fim em Viridian. A rota é conhecida por ser o caminho inicial de muitos jovens, que decidem começar sua jornada em Kanto. Ela tem uma quantidade grande de árvores e arbustos, além de muita grama e uma estrada de terra que marca o caminho principal para Viridian. Ela aparenta ser um caminho curto, porém é marcada por muitos desvios e coisas para chamar atenção de todos que passam por ali, fazendo com que desviem do seu caminho principal.”

Ambos seguiram pela grama alta que tinha no local, até o momento não havia nenhum sinal de Pokémon por perto ou se aproximando do local. Quando um pequeno pássaro e um rato roxo vieram para cima dos jovens tentando atacá-los de alguma forma. Quando ambos miraram a Pokédex em ambos os Pokémon, os registrando.

“Pidgey, o Pokémon pequeno pássaro, os seus pés de Pidgey permitir que ele andar no chão por um tempo, mas também pode chegar e pousar com segurança em poleiros. Ele é pequeno para poder locomover pessoas e Pokémon. Pidgey tem um sentido extremamente afiada de direção e instintos teleguiados. Ele pode localizar seu ninho, mesmo quando longe de ambiente familiar. Devido a isso, é extremamente fácil treinar para entregar mensagens. São bastante dóceis e prefere fugir dos seus inimigos do que enfrentá-los. Tamanho do Pidgey, pequeno, lhe permite esconder facilmente na grama longa, onde é normalmente encontrado forrageamento para pequenos insetos. Sabe-se que para expulsar presas em potencial da grama longa, agita suas asas rapidamente. Esta manobra também serve para proteger-se dos inimigos. Se perturbado, um Pidgey é capaz de criar uma nuvem de poeira ofuscante, permitindo fazer a sua fuga. Esta técnica evasiva também pode ser aplicado a batalhas. São encontrados em florestas ou campos com algumas árvores. Se alimenta de pequenos insetos. Não gosta muito de lutar. Em vez disso, prefere bater as asas próximo ao chão para levantar uma poeira de areia e com isso afastar o inimigo. Possui um ótimo senso de direção.”

“Rattata é um roedor quadrúpede, onde sua característica mais notável são seus grandes dentes frontais. Os dentes crescem continuamente ao longo de suas vidas, e deve ser constantemente desgastados pelo ato de roer. As fêmeas têm bigodes mais curtos e uma cor de pele mais clara. Rattata têm necessidades muito básicas de sobrevivência, permitindo-lhes prosperar em quase qualquer ambiente. Porque eles se reproduzem tão rapidamente, um par de Rattata pode colonizar rapidamente uma área. Rattata também são muito rápidos. Rattata têm um metabolismo rápido. Como resultado, ele passa a maior parte de sua vida acelerado à procura de comida. Graças a suas presas afiadas, eles são capazes de comer quase nada. No entanto, porque eles constantemente a necessidade de mastigar material duro para manter os dentes em um tamanho gerenciável, é difícil dizer se eles estão realmente comendo algo, ou simplesmente roendo-lo. Quando eles são ameaçados, Rattata pode entregar uma mordida poderosa. São constantemente encontrado em savanas ou esgotos. Morde qualquer coisa quando está atacando. Vive procurando objetos duros para roer. Consegue viver em qualquer lugar e reproduzir muito depressa.”

- Então dois oponentes para nós, acho que tivemos sorte em Robert. Vamos acabar de vez com eles e quem saiba não podemos capturá-los para a nossa equipe.

- Concordo com você amigo, vamos começar isto aqui então e fazer uma primeira batalha emocionante. Saía Bulbasaur, venha para fora o nosso oponente é aquele pássaro ali.

- Tudo bem então, venha Charmander assuma o palco. Está vendo aquele rato roxo ali, ele será o seu oponente. Então basicamente só temos que atacá-lo.

Logo ambos apontaram à Pokédex para os seus Pokémon também os registrando um ao outro no aparelho vermelho de cada um.

“É réptil bípede, com uma cauda que se estende até a chama que estar acesa até antes do nascimento. Se um Charmander morre, a sua cauda se apaga. Suas garras são bastante cortantes e potencialmente perigosas. Ele pode usar as chamas de sua cauda para atacar. Charmander é bem educado e suas emoções são expressadas no volume das chamas na cauda. Quando está zangado ou com raiva, a sua chama cresce. São bastante leais. Vivem em áreas quentes, como vulcões. Podem viver também em montanhas. A chama que possui na ponta de seu rabo mostra a força de sua vida. Se ele estiver fraco, a chama irá diminuir. Quando está saudável, a chama brilhará intensamente.”

“Bulbasaur é um réptil quadrúpede. Possui um bulbo nas costas que é plantado quando nasce, pela sua mãe. O seu bulbo permite reforço usando a energia do Sol e pode extrair nutrientes das sementes presente no interior. Apesar de geralmente andar sobre as quatro passas, pode ficar em pé nas duas traseiras. São Pokémon bem comportados e tendem a serem leais aos seus treinadores. Esses Pokémon adoram deitar durante o dia sobre o Sol e realizar fotossíntese quando o alimento é escasso. São Pokémon raro e vivem sobre as pastagens e são onívoros. O bulbo em suas costas está cheio de nutrientes. Nele, Bulbasaur armazena suas energias. O bulbo vai crescendo à medida que envelhece porque ele absorve os raios de sol.”

- Ótimos os quatro registrados na Pokédex, agora vamos começar está batalha de um jeito épico. Charmander, vamos começar saltando para cima daquele rato roxo e então finque suas garras na cara dele usando um Scratch. Logo após tente usar um Growl para diminuir a defesa dele.

Rapidamente a salamandra corria na direção de seu oponente tentando lhe acertar um arranhão em seu maxilar. Rattata era atingido em cheio pelos arranhões, mas conseguiu revidar usando um Tackle em seu oponente lhe lançando para longe. Logo Charmander usou um pequeno grunhido fazendo os ouvidos de Rattata ficarem surdos, o ataque do rato roxo estava a diminuir e fazendo uma boa vantagem para Charmander continuar a atacar.

- Agora é a nossa vez Bulbasaur, comece usando um Tackle naquele pássaro e então use Headbutt, que nem aprendemos outro dia quado estávamos naquela fonte termal da cidade.

A batalha deste outro lado estava a começar também, ambos os oponentes estavam prontos para atacar. Bulbasaur foi mais rápido, usando uma investida bem forte na cara do pássaro, enquanto era recebido também por uma outra cabeçada feita por Bulbasaur. Mas, ele não se deu por vencido tanto assim. Logo começou a sobrevoar o local partindo até onde o Pokémon estava e então lhe atacou com um Tackle. A investida foi tão grande que não causou tantos danos para Bulbasaur. Que estava praticamente quase derrotando o pássaro.

- Charmander vamos lá, use Headbutt também. Agora se prepara e salte novamente desta vez por detrás de Rattata e lhe atinge com outro Headbutt.

O golpe foi fatal para Rattata, logo foi recebido por duas cabeçadas seguidas, já não era mais tempo. O rato roxo havia caído no chão completamente derrotado. Carter sorriu para seu parceiro e então logo sua Pokédex começou a dizer algumas coisas.

“Charmander ganhou 180 de EXP, passou do nível 05 ao 06. E ganhou 3 pontos de felicidade.”

- Que legal, você está ficando forte amiguinho, agora vamos torcer por Robert também, pois ele precisa ganhar esta batalha para podermos seguir para a cidade de Viridian logo.

- Certo, vamos terminar logo com isto Bulbasaur, use Tackle na direção de seu oponente e então finalize com Headbutt. Acho que ele vai perder a partir de agora.

Logo, a batalha se aprofundava. Ambos os lados estavam exaustos, mas teriam que continuar por Robert. Logo seu parceiro começou a usar uma forte investida na direção de seu oponente. O pássaro revidou usando outro Tackle fazendo Bulbasaur cair longe e batendo seu bulbo numa árvore ali próximo. Mas, ele não deixou que Pidgey fugisse ou lhe derrotasse assim facilmente, logo se levantou e usou o seu golpe final, acabando de vez com Pidgey. Sua Pokédex também apitou, com o mesmo movimento que a de Carter fez.

“Bulbasaur ganhou 135 de EXP, passou do nível 05 ao 06. E ganhou 3 pontos de felicidade.”

- Que legal, agora podemos seguir finalmente para a cidade de Veridian, graças a esta batalha, nossos Pokémon treinaram muito. Estão um pouco fortes, mas precisam ainda mais de treinos. Pena que não temos Pokébola para capturá-los, mas podemos pegar outros tipos mais fortes do que este também.

- Sim, foi o que eu disse. E eu não pegaria este Rattata, creio que não vai me servir em minha jornada, apenas registrei em minha Pokédex mesmo. Agora vamos logo para a cidade, porque estou morrendo de fome. Me arrependi de não ter tomado meu café da manhã em minha casa.

Ambos foram caminhando pela cidade, na busca de conseguir pegar o pacote para o professor no Pokémart da cidade. O que aguarda para estes garotos sonhadores, será que se tornariam ainda mais fortes do que já são. Ambos são amigos e rivais ao mesmo tempo, mas ainda assim nenhum deixa a sua pose de durão ser demolida.

Fora que isto é uma brincadeira a parte deles, mas se tornaram amigos agora. Deixaram as brigas de lado, continuaram andando pelo caminho da cidade sem nenhum oponente por perto. Pois, seus amigos já estavam enfraquecidos para continuar batalhando. Logo ali na frente, podia ver uma grande cidade.

Capítulo 04:
Viridian City:


A cidade de Viridian é a segunda cidade do continente de Kanto, sendo uma cidade muito bonita e repleta de árvores. É uma cidade com muitos moradores, que vivem em harmonia desde que a cidade foi fundada. Mesmo assim, a cidade leva um mistério: muitos cidadãos alegam ter vistos homens de preto roubando Pokémons.

A cidade abriga o oitavo ginásio da região de Kanto, cujo o líder é um desconhecido. O ginásio nunca é aberto, está sempre fechado, e ninguém sabe quem é o líder. Repleta por árvores, a cidade trás parte de seu arsenal vegetal da Viridian Forest.

Robert e Carter logo adentraram à cidade, para eles a cidade era desconhecida, mas para todos os moradores ela era perigosa por se tratar que ali pudesse existir uma base secreta da famosa equipe “Rocket” que roubam Pokémons das pessoas para praticarem o mal e o caos nas regiões que passam. O tal líder desta equipe, nunca foi revelado, trata-se de um sujeito que é o cérebro da equipe.

Muitos tem medo desta equipe Rocket, eles fazem de tudo para conseguirem o que querem, mas será que a população ficará mais segura com a chegada dos dois jovens. Eles precisavam buscar o pedido no Pokémart para o professor Oak, e o recinto estava logo ali na frente perto do centro Pokémon.

Eles optaram por adentrar ao centro primeiro, pois seus parceiros estavam exaustos por causa da batalha que tiveram anteriormente, era a primeira batalha deles e tinham se saído muito bem. Logo eles adentraram ao grande centro Pokémon da cidade.

Espalhados por muitas cidades e locais do mundo, os Centros Pokémon são grandes edifícios que geralmente seguem um mesmo padrão de arquitetura. A importância de tal estabelecimento não pode ser descrita com meras palavras: São os locais onde a maioria dos viajantes curam seus Pokémon, recebem hospedagem, alimentação e outros serviços de igual importância.

Similarmente esses locais são responsáveis por oferecer diversos serviços à comunidade que variam desde abrigo até cuidados médicos para as populações locais, especialmente em cidades e vilas menores que não possuem hospitais ou clínicas. Os Centros são sempre gerenciados por enfermeiras Joy, as quais caracteristicamente usam sempre uniformes similares de forma a trazer o maior conforto possível aos visitantes.

Embora no maior número dos casos possuam apenas conhecimentos médicos, essas mulheres são responsáveis por todo o estabelecimento e recebem o auxílio de dezenas de funcionários com as mais diferentes funções, assim como possuem confiáveis assistentes Pokémon, sendo as mais comuns Chanseys.

- Olá, no que possar ajudá-los? – Dizia a enfermeira Joy, sorridente para ambos.

- Apenas queremos curar os nossos parceiros, pois tivemos uma luta e eles acabaram por ficar exaustos.

- Claro, basta vocês colocaram suas Pokébolas nesta cesta e esperar algum tempo. Podem se sentar ali no sofá enquanto esperam. O processo é rápido e fácil, daqui a pouco aviso vocês.

Algum tempo depois...

- Aqui está os seus Pokémon, estão saudáveis e cheio de energia, mas peço que não usem muito da força de seus parceiros, isto pode ser cansativo para eles ter que ficar gastando energia.

Os rapazes depois deste pequeno tempo aguardando que seus parceiros fossem curados pela enfermeira, logo saíram dali e seguiram para o recinto que ficava do lado, era com certeza o Pokémart.

Logo eles adentraram ao recinto, ele era grande e um cara observava os jovens entrando em seu estabelecimento. Os chamando para vir até eles.

- Ei vocês são Robert Sorenson e Carter Reynolds? Tenho uma encomenda para ser entregue em nome de senhor Oak Carvalho? Conhecem? Creio que sejam de Pallet Town, correto?

- Sim somos, o professor pediu que viéssemos até aqui buscar algo para ele. – Disse o loiro, que ao ver uma menina passar por ali. A olhando de revelo, enquanto Robert pegava e encomenda para o professor.

- Aqui está, cuidado com isto. Pois, se quebrar não terá concerto. Entregue para o professor o quanto antes.

Algumas horas depois....

- Aqui está professor, não sei o que é isto. Mas, ele disse que era valioso e podia quebrar. Mas, de qualquer forma aqui está ele.

- Ótimo tomem aqui, estes itens. São cinco Pokéball para cada um e também, com elas vocês poderam capturar o maior número de Pokémons variados que encontrarem pelo caminho. Apenas lembrando que, ao capturar um Pokémon e este estiver cheio em sua equipe, pois são permitidos apenas carregar seis Pokémon. Se pegarem mais de um, este será automaticamente enviado para o meu laboratório.

- Nossa, achei que podíamos carregar muito mais do que isto. Que triste, mas tudo bem se é assim. – Disse o ruivo triste ao saber que poderia apenas carregar poucos Pokémon em sua equipe.

- Mas, vocês podem sempre trocar de Pokémon pelo centro Pokémon, pois lá por meio do computador, permite que vocês troquem os Pokémon que tem em sua equipe para um dos seus que capturaram que irão estar em meu laboratório.

Depois do discurso do professor, ambos voltaram para a rota 01 em busca da cidade de Viridian novamente. Mas, a cada passo para eles pareciam horas.

Alguns minutos depois...

Ambos já estavam agora novamente na cidade, tentando encontrar a saída do local. Mas, este lugar estava muito cheio de pessoas e algumas estavam estranhando o fato de Robert e Carter estarem na cidade, quando duas pessoas tamparam a boca de ambos, eles ficarem sem ar apenas sentindo o cheiro no local.
avatar
Laurenza
Membro
Membro

Feminino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/06/2014

Frase pessoal : A vadia brinca de bonecas, eu brinco com corpos.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FANFIC] Kanto Journey

Mensagem por Laurenza em Sex 4 Jul 2014 - 18:58

Capítulo 04 postado.
avatar
Laurenza
Membro
Membro

Feminino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/06/2014

Frase pessoal : A vadia brinca de bonecas, eu brinco com corpos.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum