Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Destiny That In Une

Ir em baixo

Destiny That In Une

Mensagem por Hydra em Ter 27 Maio 2014 - 12:30

Destiny That In Une

Autora: Hydra
Sinopse: Era um desejo. Porém, talvez também fosse um destino.
Categoria: +16
Gênero: Aventura, Ação, Drama, Mistério, Romance, Suspense, Violência.
Notas: Nenhum personagem é de minha autoria, eles pertencem a séries Pokémon e Cardfight! Vanguard.

PRÓLOGO: Início de um Destino


O sol estava quase se ponto, fazendo com que o céu da pequena cidade de Eon revelasse um lindo padrão de cores. Um espetáculo natural, regido pelo vermelho, laranja, amarelo e azul. Algo que qualquer um gostaria de apreciar, mesmo que fosse por um único segundo. Contudo, não era algo que ele estivesse com vontade de fazer naquele momento.

Andando de cabeça baixa, arrastando seus pés, quase como se não quisesse seguir por aquele caminho, se encontrava um menino relativamente pequeno para sua idade de sete anos. Seus cabelos em um tom azul celeste, que tocavam sutilmente a linha de seu pescoço, estavam desgrenhados e sujos. Em seu rosto bonito, haviam curativos e arranhões que pareciam recentes. Suas roupas, que anteriormente eram novas e limpas, estavam esfarrapadas e sujas de terra. E seus belos olhos - que possuíam uma linda cor de azul safira - estavam sem vida, quase como se não possuísse nenhuma felicidade.

Essa era uma verdade, que não poderia jamais ser mudada.

Aichi Sendou não era feliz.

Poderia ser algo exagerado para uma criança de sete anos dizer, porém isso não significava que era uma mentira.

Oh, não entendam mal. Aichi tinha uma família boa e amorosa. Sua mãe era enfermeira pokémon, apesar de não ter nascido uma 'Joy'. Seu pai era um policial bem reconhecido e que já havia ganhado alguns prêmios por serviços prestados a cidade. Sua irmãzinha mais nova, que tinha apenas três anos, era alguém gentil que era incrivelmente apegada a ele. Contudo, mesmo assim, Aichi não era capaz de ser feliz. Não quando, dia após dia, ele era espancado por cada criança que vivia naquela cidade. Bem... talvez fosse um pequeno exagero, mas não mudava muito a realidade. Todos os dias, ele era cercado por crianças, algumas maiores e mais velhas, que pareciam se divertir espancando-o. Aquelas que não o faziam, apenas ignoravam a violência que ele sofria. Por quê? Simples, nenhuma delas queria ser seu substituto.

Acima de tudo, nenhuma delas queria ser seu amigo.

Ele também já havia desistido de encontrar um amigo.

Seus pais? Era óbvio que eles sabiam, mesmo que Aichi se negasse a confirmar. Porém, o seu silêncio não ajudava, já que sem saber quem eram os culpados, eles não poderiam fazer muita coisa. Satsuki, sua mãe, sempre cuidava de seus machucados e dizia que ele deveria tomar mais cuidado, que se houvesse algum problema, ele deveria falar com um adulto. Yukihiro, seu pai, lhe dizia para ter coragem e sempre enfrentar aquilo que lhe dava medo. Pois apenas fugir, ou fingir que estava tudo bem, não faria com que as coisas melhorassem.

Mas o que ele poderia fazer, contra garotos maiores e mais fortes do que ele? Alguns dos seus agressores eram, inclusive, treinadores pokémon não certificados. Não era raro o dia, em que Aichi era atingido, ao invés de socos e chutes, por ataques de pokémons. Aquele havia sido um dia assim. Um garoto de 13 anos, Takashi, havia lhe perseguido com seu Mankey, ordenando o pokémon para usar o Garra Furiosa nele. Esse era o motivo de seus novos arranhões.


Não havia nada que ele pudesse fazer. Seu destino era padecer nas mãos de seus agressores. Isso era algo que, mesmo em uma idade tão tenra, Aichi já havia aceitado.

Ninguém poderia poderia salvá-lo. E ninguém tentaria salvá-lo.

Era simples.

- Ei, você parece estar tendo um dia difícil. - Comentou alguém atrás de si, mas ele apenas ignorou. Provavelmente, era só mais um garoto que queria rir dele. - Ei! Eu falei com você!

Foi rápido. Aichi nem mesmo teve chance de pensar. Um segundo ele estava de costas e no outro estava encarando um garoto que era relativamente maior do que ele. Aquele ali deveria ter por volta dos dez ou onze anos. Os cabelos eram castanhos e rebeldes. Os olhos eram verdes foscos, encarando-o com uma certa dose de surpresa.

- Nossa, retiro o que disse. Você deve ter tido uma semana difícil. - Comentou com um tom de brincadeira, cutucando um dos arranhões recentes na testa de Aichi.

Aichi gemeu de dor e recuou um passo, encarando o garoto um pouco assustado. Foi então que ele viu. Preso a camisa marfim do mais velho, havia um pequeno broche vermelho e dourado, com as letras 'T' e 'P' em pedrinhas verdes entrelaçadas. Aquele era o broche que apenas os treinadores certificados usavam. Havia uma grande diferença entre você ser um treinador certificado e um não certificado. Os não certificados, não eram reconhecido pelos governos, então não tinham permissão de viajarem, ou participarem de competições e nem recebiam a mesada de auxilio. Apenas aqueles que possuíam o certificado eram, verdadeiramente, considerados treinadores pelo governo. Eles podiam viajar por todo o mundo, participar das competições e recebiam um auxilio de mil dólares ao mês.

Ser um treinador certificado, era quase que uma profissão reconhecida e legalizada.

- Ei, por que está me olhando assim? - Perguntou o garoto, fazendo com que Aichi voltasse a realidade.

- D-desculpe... - Murmurou, recuando mais um passo e desviando seu olhar. Ele já tinha bastante problemas com treinadores não certificados, para ter problemas com um certificado.

- Hm... você realmente não parece ser muito corajoso, não é? - Comentou, encarando Aichi com ar relaxado e despreocupado. - Não precisa agir como se eu fosse lhe dar um soco, ou algo assim.

Aichi abaixou a cabeça. Ele não duvidava que aquele treinador faria isso. Todos faziam.

- Já sei! Aqui, vou lhe dar isso. - Exclamou confiante, fazendo com que os olhos azuis voltassem a encará-lo.

Aichi olhou confuso, para a mão que lhe era estendida. Nela, havia um colar com um fino cordão de ouro e o pingente lembrava um 'S' de ouro branco, relativamente grande. Porém, o que mais lhe chamou a atenção, foi a pedra incrustada na volta inferior do 'S'. Era uma pedrinha lisa e brilhante, que parecia misturar as cores verde, azul e amarelo.

Ele não soube o porque, no entanto, Aichi esticou a mão e aceitou o colar, olhando com confusão para o garoto que lhe sorria cheio de confiança.

- O que... é isso? - Perguntou baixinho.

- Uma pedra mágica. Ela vai te encher de coragem e te levar para lugares que você nem mesmo pode imaginar.

Aichi encarou o colar em suas mãos. Talvez tenha ficado apenas alguns segundos, encarando aquele objeto, mas quando seu olhar se ergueu novamente, para encarar o treinador misterioso, ele já não estava mais lá. Por um momento, ele pensou que tudo aquilo não havia passado de um sonho ou uma brincadeira de sua própria mente. No entanto, o colar ainda estava lá... em suas mãos. Aquele encontro, tão inesperado, havia sido real.


Última edição por Hydra em Ter 3 Jun 2014 - 11:59, editado 1 vez(es)
avatar
Hydra
Membro
Membro

Feminino Idade : 25
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/05/2014


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Habib em Ter 27 Maio 2014 - 22:41

Nunca li nenhum mangá de Pokémon, apesar de muita gente dizer que é zilhões de vezes melhor que o anime (que, admito, parei de ver faz tempo), mas a FanFic me pareceu muito interessante, ainda mais quando põe detalhes, tais como o treinadores certificados receberem uma mesada.

Achei meio confuso a princípio uma FF ser classificada como +16 e começar falando de um garoto de 7 anos, mas imagino que tenha mais que ver com o que há por vir.

Por um instante pensei que a estória começaria como a que estou escrevendo e que postarei ainda esta semana, mas logo ficou claro que são bem distintas.

A escrita, inclusive, está muito boa, evitando os vícios de linguagem (muita gente coloca "o mesmo" de maneiras abusivas), com poucos erros gramaticais ou de concordância. Acompanharei os próximos capítulos.

________________
Friend Safari: Ground
Jogando Pokémon X
National Dex: 719


Avatar por Micro
avatar
Habib
Moderador
Moderador

Masculino Idade : 36
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/02/2012

Frase pessoal : Hoje é um dia a menos... que venha o Grande Dia!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Sirina em Qua 28 Maio 2014 - 2:13

Ótima fanfic !
Não vi nenhum erro de português ou concordância.
E amei a sua descrição...a maneira como você narra a história e o ponto de vista do garoto , já percebe-se que não será uma história infantil. Apesar do personagem principal ser uma criança, a fanfic possuirá uma temática mais adulta; o que é ótimo ! Hoje em dia vejo poucas fanfics diferentes e ''maduras'' por aqui.
Todas que vejo sempre são cheias de erros de português e concordância....ou tem uma temática infantil e uma comédia muito forçada.

A sua fanfic esta maravilhosa ! Sério mesmo.
Apenas torço para a história não ser muito triste....já estou ficando com pena do garoto. :/
avatar
Sirina
Membro
Membro

Feminino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 07/12/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Black~ em Qui 29 Maio 2014 - 15:22

Bom, vamos lá.

De começo a história me pareceu interessante, um garoto que sofre bullying exagerado, toma surra à toa, é massacrado, etc. E também curti esse negócio dos treinadores serem licenciados e terem apoio financeiro do Governo, etc, mas eu não curti os não bons e velhos "dez anos", sabe, crianças de dez anos dando uns rolês pelo mundo é bem, sei lá, mas enfim.

Eu também sinceramente não entendi o porquê de a fic ser +16. Se for por causa do bullying e do drama sofrido pelo menino, acho que não deveria ser mais que +12, já que bullying é algo triste, mas não é pra tanto, mas talvez tenha algo mais pra frente mesmo.

Só não entendo uma coisa: Por que causa, razão, motivo ou circunstância o garoto apanha igual condenado? Tem que ter algum motivo. Tudo bem que muitos casos de bullying são sem motivo aparente, mas uma multidão inteira pra cima de um garoto, algo tem ai. Ainda mais um jovem cidadão de 7 anos.

Olha, não sei, mas a descrição do pensamento/whatever do garoto não me pareceu ter 7 anos, ele parecia ter bem mais que isso, já que se mostrou "maduro" em relação a tudo isso. Mesmo que ele já tivesse "acostumado" a apanhar, ele certamente ficaria chorando se um Mankey arranhasse a sua cara, mas ok, não vem muito ao caso.

Esse treinador no final foi bem misterioso. Quais são as "intenções" dele para com o menino? E esse 'sumiço' dele? Será que ele era realmente uma pessoa física, ou uma espécie de "anjo da guarda" do garoto? Essas e outras dúvidas que esperam que sejam sanadas nos próximos capítulos -qqq.

Erros não vi nenhum que fosse prejudicial à leitura.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Hydra em Ter 3 Jun 2014 - 10:59

Agradecimentos::
Bem, antes de começar o capítulo, eu queria muito agradecer aqueles que comentaram: Habib, Sirina e Black~. Eu realmente fiquei muito feliz e animada com seus comentários. Espero muito, mas muito mesmo, contar com suas presenças no decorrer da fic. Milhões de beijinhos e aproveitem o capítulo   ^¬^

Sufixos que serão usados::
Bem, eu confesso que simplesmente AMO o som que os sufixos japoneses acrescentam a uma nome. Por isso, vou usar eles e aqui eu vou explicar quais serão usados em toda a fic e seus significados e sentidos.

sama: super-formal. Usado quando se fala com alguém muito superior, como um rei ou alguém nessa categoria.
san: menos formal que 'sama'. Usado para quando se tem respeito, ou pouca intimidade com alguém, principalmente para pessoas mais velhas.
kun: carinhoso, normalmente usado para se referir a meninos, mas também pode ser usado para se referir a meninas, caso elas sejam menos experientes e mais novas do que a pessoa que o está usando.
chan: a mesma coisa que o 'kun', mas é mais normalmente usado para se referir a meninas, mas também pode ser usado para se referir a meninos jovens e bebês.



CAPÍTULO 1: O Teste...



8 anos depois...

Seu coração estava disparado. Ele podia sentir o medo inflando dentro de seu corpo. O medo irracional que lhe ordenava a fugir e se esconder o mais rápido possível. A única coisa que o estava mantendo firme, naquele momento, talvez fosse o fato de que suas mãos estavam apertando firmemente o pingente do colar em seu bolso. Era como se aquilo fosse sua balsa de salvação, após um grande desastre. Esse era o único jeito dele sentir-se verdadeiramente seguro.

Oito anos haviam se passado desde que Aichi Sendou havia ganhado aquele colar. Oito anos que haviam transformado muitas e poucas coisas em sua vida.

Fisicamente, Aichi havia ganhado um pouco mais de altura, como era esperado para um adolescente de 15 anos, mas ele ainda era relativamente mais baixo em comparação com os demais garotos. Seus cabelos continuavam com a mesma coloração azulada, apenas um pouco mais compridos, tocando suavemente seus ombros. Seus olhos e seu rosto, praticamente, não haviam sofrido qualquer mudança, mostrando os mesmos traços infantis de quando ele tinha sete anos.

Sua personalidade não havia realmente 'mudado' nesses anos. Ele ainda era o mesmo que havia sido quando tinha sete anos. Silencioso e inseguro... um verdadeiro covarde. Contudo, ele tinha ganhado alguma coragem e confiança, sempre que estava com o colar que havia recebido daquele treinador. Era algo idiota para se pensar? Talvez, mas era isso que ele sentia. Quando estava perto de sucumbir ao medo, ele sempre se apegava ao colar e conseguia superar aquele momento.

Contudo o motivo que o estava levando a sentir medo naquele instante, não era em nada parecido com os motivos anteriores.

Naquele momento, os testes finais para que ele se tornasse um treinador certificado iriam ser realizados. Aichi estava a ponto de morrer de tanto nervosismo, enquanto, mais de uma vez, ele se perguntava o motivo de ter decidido se tornar um treinador. Contudo, ele sabia o motivo. E, por mais medo que estivesse sentindo, ele não fugiria dessa vez... mesmo que acabasse enterrando o pingente do colar na palma de sua mão, tamanha a forma que usava para apertá-lo.

Ele foi arrancado de seus pensamentos, quando a porta da sala foi aberta, revelando o excentrico professor da cidade de Eon: Mark Whiting.

- Good Mornig, classe! - Gritou o professor, em seu inconfundível sotaque inglês.

Mark era um homem por volta dos 30 anos, com os cabelos loiros curtos e arrepiados e um cavanhaque pontudo. Ele usava um terno azul escuro, com um jaleco branco de laboratório por cima e extravagantes óculos de armação vermelha com tentes azuis.

- Espero que todos tenham estudado bastante, pois eu pretendo formar a todos vocês! - Exclamou entusiasmado, começando a distribuir os testes para cada aluno.

Aichi tremeu ao ver as folha deixadas sobre sua mesa. Eram mais de trinta folhas!

- Muito bem, a prova escrita tem o total de 400 perguntas. Todas elas são de múltipla escolha, e todas se referem ao conhecimento básico de um treinador. Vocês têm quatro horas. Come on!

No momento em que o professor deu o sinal, Aichi agarrou sua lapiseira e encarou a prova. Sua outra mão apertando ainda mais o pingente do colar em seu bolso.

4 horas depois...

- Time's up! - Gritou Mark, exatamente quatro horas após o início da prova. - Larguem suas lapiseiras. Vou passar para recolher as provas.

Ofegante, Aichi soltou a lapiseira, sentindo todo seu corpo tremer loucamente. Nem mesmo em um milhão de anos, ele pensaria que um simples testes escrito poderia lhe deixar com os nervos a flor-da-pela, como aquele havia lhe deixado. Cada pergunta havia sido mais difícil que a anterior e com várias armadilhas. No fundo, ele não estava realmente confiante sobre o resultado de sua prova.

- Okay. Vocês têm uma hora de intervalo, antes que eu anuncie os resultados da prova. Lembrado: apenas aqueles que acertaram 280 das 400 perguntas poderão ir para a próxima fase de testes. - Alertou o professor, saindo da sala com a pilha de provas.

Aichi recostou-se em sua cadeira e retirou o colar de seu bolso, olhando-o com apreensão. 280 perguntas. Esse era o número que ele precisava atingir, para ser aprovado e seguir para a próxima parte dos testes. No fundo, ele não tinha confiança para afirmar que havia conseguido atingir essa meta... mas ele queria acreditar que havia conseguido. Ele queria ter essa esperança.

Apesar disso, ele sabia que não deveria ser o único a estar nervoso. Provavelmente, todos ali deveriam estar se corroendo sobre terem, ou não atingido o número adequado de respostas certas.

- Haha! Essa prova foi fácil de mais!

Aichi se assustou um pouco com a exclamação, virando-se para ver quem havia dito aquilo. Não foi realmente uma grande surpresa, ao encontrar a pessoa que havia dito aquelas palavras confiantes. Sentado a duas cadeiras de distância de onde Aichi estava, se encontrava Katsumi Morikawa e, ao lado dele, estava Yuta Izaki.

Morikawa tinha a sua idade, os cabelos escuros em um estranho penteado que apontava para esquerda e direita. Ele exalava confiança e agia sempre como se fosse invencível. O total oposto de Aichi. Izaki também não ficava muito atrás quanto o quesito confiança. Talvez, só perdesse para Morikawa. Ele tinha os cabelos castanhos, nos quais sempre usava muito gel para mantê-lo no lugar.

- Você está mesmo confiante Morikawa. Eu não acho que fui tão bem assim. - Comentou Izaki, equilibrando a cadeira apenas nas pernas traseiras.

Ele não estava confiante, mas não parecia preocupado. Isso era algo evidente.

- É claro! Como se eu, O Grande Katsumi Morikawa, não fosse capaz de ter uma nota mais do que perfeita! Se eu não for capaz de passar, então nenhum desses idiotas será! - Exclamou Morikawa confiante, chamando a atenção de todos na sala.

Aichi se encolheu de leve, ao ver a forma como muitos estavam encarando Morikawa. Era evidente que ninguém ali estava feliz com aquela declaração.

- Ei, cale a boca. Você está me irritando. - Falou uma voz mais a frente na sala.

Aichi olhou e seus olhos se arregalaram. Ele sabia que aquilo não havia sido dito para ele, mas rapidamente recuou.

- Ahm?! E quem você pensa que é, para mandar a mim, O Grande Katsumi Morikawa, se calar?! - Rosnou, se levantando da cadeira e olhando na direção de onde a voz havia vindo.

Lentamente, quase que em câmera lenta, todos viram a pessoa que havia mandado Morikawa se calar se levantar. Então, foi como se a sala inteira fosse congelada. A pessoa em questão era Misaki Tokura.

Aichi viu Morikawa recuar visivelmente. Bem, quem seria louco para não recuar? Aquela era Misaki Tokura!

Misaki era um ano mais velha que Aichi e, certamente, poderia ser considerada uma garota incrivelmente bonita. Os cabelos lisos em um tom prateado, que iam até a metade das costas e os belos olhos azuis-escuros. Contudo, mesmo sendo incrivelmente bonita, ninguém se atreveria a se aproximar dela com segundas intenções. Bem... a menos que a pessoa quisesses diminuir incrivelmente seu tempo de vida.

Como era de se esperar, Morikawa não se atreveu a responder. Misaki apenas encarou o garoto por um segundo, antes de se virar e sair da sala. No momento em que a garota saiu, foi como se todos na sala fossem capazes de respirar normalmente.

Aichi sentiu todo o seu corpo relaxar também.

Era incrível a pressão que a simples presença de Misaki poderia causar. Se havia alguém que Aichi desejava jamais ter de enfrentar, essa pessoa, com toda a certeza, era Misaki.

Ele olhou a sua volta, vendo que o clima na sala ainda estava visivelmente tenso, decidiu que seria melhor esperar o resultado da prova do lado de fora. Pensando assim, Aichi se levantou e saiu da sala. Talvez se ele fosse para o seu lugar secreto, pudesse relaxar um pouco e acalmar seus nervos que ainda estavam a ponto de ebulição.

Com um pequeno sorriso nos lábios, ele se dirigiu até o terraço da escola. Normalmente, esse lugar ficava fora dos limites para os alunos, o que o tornava perfeito para um garoto relativamente sujeito a intimidações se esconder. Aichi havia descoberto isso logo depois de começar a frequentar a Academia de Treinadores Hitsue, quando ainda tinha dez anos. Era um ótimo lugar para se esconder e estudar.

Assim que fechou a porta de acesso do terraço, ele sentiu como se toda a carga de nervosismo e medo que lhe cobria se decepasse, conforme a brisa da manhã acariciava seu corpo. A passos lentos, ele se aproximou da grade de proteção, olhando de forma desfocava a cidade de Eon que se projetava abaixo de si. Mesmo sem querer, as lembranças daquele estranho encontro há oito anos. A imagem do rosto daquele treinador era embaçada em suas lembranças, e Aichi tinha a certeza de que não seria capaz de reconhecê-lo, caso o visse novamente. Contudo...

Ele ergueu o colar, vendo-o refletir o brilho do sol. A pedra emitindo diversas cores, conforme a luz era refletida, parecendo ser um pequeno arco-íris.

Aichi sabia.

Aquele colar o levaria de encontro aquele treinador. De algum meio, ele era capaz de sentir que, se ele seguisse seus instintos e mantivesse o colar consigo, ele seria capaz de reencontrar com aquela pessoa. Talvez fosse um desejo bobo, já que até mesmo ele pensava muitas vezes, que aquela lembrança, não passava de um sonho.

- Você vem muito aqui. - Comentou alguém atrás dele, fazendo com que Aichi solta-se uma exclamação assustada, e escondesse o colar rapidamente.

Virando-se, ele se surpreendeu ao ver a pessoa que havia falado.

Sentada sobre a pequena edificação da entrada do terraço, se encontrava Misaki Tokura. Sua expressão era neutra, sem mostrar nenhum tipo de emoção, enquanto lhe encarava.

- T... Tokura-san... er... bem... e-eu... - gaguejou, recuando um passo. Ele realmente não queria ficar em uma situação ruim com ela!

Porém, tudo o que ela fez, foi soltar um 'hunf' desinteressado, enquanto descia.- Não que seja do meu interesse. É apenas estranho que você venha aqui todos os dias... como se fugisse de algo. - Comentou, enquanto seguia para a porta. - Fugir nem sempre é uma boa escolha, Aichi Sendou.

Os olhos azuis se arregalaram ao escutar aquilo, e antes que tivesse uma chance de responder, ela já havia saído pela porta. Em silêncio, sozinho ali, as palavras de Misaki pareciam ser ampliadas em sua mente. Uma sensação de incomodo surgiu na boca de seu estômago, enquanto ele apertava com força o colar em seu bolso.

Fugir? Sim, ele sempre estava fugindo. No entanto, ele não queria fugir para sempre! Aichi queria ser capaz de enfrentar tudo o que era colocado em seu caminho. Não importando o medo que ele sentia. Ele queria se tornar capaz! Ele queria ser forte.

ღღღ

Por mais incrível que pudesse aparentar, o professor Mark havia realmente conseguido corrigir todas as provas em uma hora. Sua expressão era de satisfação pura, o que poderia significar que os resultados haviam sido - ao menos em sua maioria, - bons.

- Okay classe, vou começar a chamar seus nomes e entregar as provas. Aqueles que tiverem atingido a meta de 280 resposta certas, podem se dirigir a sala 207 B. - Avisou, enquanto puxava a primeira prova do monte.

Aichi apertou os punhos. Cada um de seus sentidos parecendo estar ampliados em milhões de vezes. Cada nome que era chamado, fazia com que a ansiedade aumentasse em seu peito. Ele conseguia sentir a tensão que estava presente no ar. Ele não era o único que estava ansioso. Todos ali estavam do mesmo jeito.

Depois do que pareceu ser milênios de tortura...

- Aichi Sendou-kun!

Aichi se levantou e andou até o professor. Por alguma razão estranha, ele não estava mais nervoso ou com medo. Ele estava ansioso, isso era uma verdade inegável. Mas havia algo diferente... ele não estava mais com medo!

Parou em frente ao professor, que tinha um sorriso amigável em seu rosto.

- Congratulation, Aichi Senou-kun! - Desejou, entregando o maço de folhas que eram a prova para o garoto.

Aichi pegou a prova e quase não acreditou no que viu.

Escrito em caneta vermelha, no cabeçalho direito da prova, estava a quantidade de respostas corretas que ele havia acertado: 307! Ele havia conseguido! Ele tinha passado!

Enquanto uma euforia lhe preenchia, ele murmurou um 'obrigado' desajeitado ao professor e saiu correndo da sala, querendo chegar o mais rápido possível na sala 207 B. Seu coração estava disparado e ele não conseguia mais organizar as emoções corretamente em seu peito. Era, simplesmente, incrível! Ele havia conseguido! 307 respostas certas!

Parou em frente à porta deslizante marrom escura, onde havia a plaquinha de metal com os dizeres: 207 B - Apenas Pessoas Autorizadas. Ofegante, ele ergueu a mão e empurrou a porta para o lado. Seus olhos se ampliando de imediato assim que viu o que havia dentro da sala.

Aquilo era...
avatar
Hydra
Membro
Membro

Feminino Idade : 25
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/05/2014


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Habib em Ter 3 Jun 2014 - 23:46

Hydra, cheguei à conclusão de que você é muito má... não esperava isso mesmo... como é que você termina o segundo capítulo com "Aquilo era..."? Isso é um absurdo! Inaceitável!

...

Aquilo era o quê?  Mad  Fala logo!

...

Brincadeiras à parte, achei muito bom o segundo capítulo. Oito anos se terem passado foi uma jogada incrível. Fora pequenos erros, nada que tire o real sentido ou prejudique a Fic, ficou ótimo! Só me deu vontade de continuar escrevendo a minha.

________________
Friend Safari: Ground
Jogando Pokémon X
National Dex: 719


Avatar por Micro
avatar
Habib
Moderador
Moderador

Masculino Idade : 36
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/02/2012

Frase pessoal : Hoje é um dia a menos... que venha o Grande Dia!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Black~ em Sex 6 Jun 2014 - 13:10

Bom, vamos lá.

Esse salto de oito anos foi necessário e bom, pois mostrou o personagem grande, e se a história se trataria de treinadores, não poderia ser um garoto de 7~12 anos. Mas eu achei meio irreal o peso esquelético e a minúscula estatura do garoto, mas nada tão absurdo.

Olha, sinceramente, é inviável uma prova de 400 questões ser feita em 240 minutos, já que o cidadão tem pouco mais de um minuto pra fazer a prova, e apostando ser de alternativa, ele não teria tempo sequer de ler a questão e as alternativas. E também é inviável o professor corrigir trocentas provas de quatrocentas questões em uma hora. Só se ele fosse o The Flash -q, mas enfim.

Eu não entendi o real motivo de todo esse medo do povo em relação à Misaki Tokura. O que ela é que deixa todos com medo? Sei lá, na cena da sala de aula ela só me pareceu alguém pra rebater o "fortão", mas sem causa alguma. Espero que explique o motivo disso -q.

Realmente você é muito má =/. Pô, deixa a gente na expectativa do que aconteceu com esse suspense no final não é nem um pouco legal -q, mas enfim. Espero para ver o que tanto assustou o nosso protagonista. E espero ver o "+16" de verdade na fic.

Bom, eu "formulei" uma "teoria" de que o que ele viu na sala poderia ser o tal treinador do colar, não sei, é difícil ele lembrar, como foi citado anteriormente, mas aposto que ele sentiria que era o treinador, bom, sei lá. Só espero que eles se reencontrem, e que eu descubra o motivo do garoto ter dado esse colar.

Erros não vi nenhum prejudicial à leitura.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Mítico em Ter 10 Jun 2014 - 12:55

Esta fan-fic está muito boa mesmo o.O Parabéns ^_^
Me fez muito lembrar Hunter x Hunter com essas provas para se tornar um treinador certificado.
A história está realmente bem escrita e se enquadraria perfeitamente para um anime/mangá, a personalidade dos sujeitos são as típicas de uma animação japonesa. Mas não que isso seja mau, visto que você me deu a sensação de estar a ler um mangá real.

Espero ansiosamente pelo próximo capitulo! Me surpreenda ouviu?
avatar
Mítico
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
3 / 103 / 10

Data de inscrição : 20/04/2011

Frase pessoal : Heaven, I'm in heaven- Adagio


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Brijudoca em Dom 15 Jun 2014 - 18:01

Vim comentar em sua fic pois uma escrita tão boa não pode deixar de ser elogiada. Adorei o jeito que você descreve os lugares e as personagens, tudo muito bom.

Espero que você explique mais sobre a geografia dessa cidade de Eon, não entendi bem se ela é em um mundo fictício, mas também teve o professor com sotaque inglês que me deixou confuso mas tudo bem.

Unica coisa que eu não gostei é mais um problema pessoal que eu tenho de não conseguir decorar esses malditos nomes de japonês, mas faz parte -q

Ansioso para descobrir o rumo que história vai tomar.
avatar
Brijudoca
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/04/2009

Frase pessoal : make brazil emo again


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Destiny That In Une

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum