Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose

Ir em baixo

Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose

Mensagem por -Murilo em Dom 6 Abr 2014 - 19:04

Olá pessoal. Sumi um tempo do fórum, mas tava numa maratona intensa de estudos para uns concursos públicos. Aliás, ainda estou, mas agora estou com mais folga e pude voltar ao mundo da net. Sabe, o bom de ficar um bom tempo sem escrever é porque vem um turbilhão de ideias, e voce vai juntado elas, encaixando, até ter praticamente uma historia inteira na cabeça, e foi o que me aconteceu. Umas semanas atrás de bobeira tava assistindo Scooby Doo mistério SA (sem preconceitos, é muito bom), e a história era me chamou MUITO a atenção, e sai encaixando as ideias que tive e fiz essa fic. Eu quero que ela seja bem curta. Pelo planejamento que fiz dá 15 capítulos, mas quero que dê até menos. Espero que gostem e acompanhem. Boa leitura e comentem please  study 



Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose


Sem logo porque desaprendi o pouco que sabia de PS



Prólogo






50 anos atrás

Um homem de cabelos e barbas longas ruivas andava por uma caverna. Liderava um grupo de pessoas vestidas igualmente, um uniforme alaranjado. Ele trazia um saco com objetos brilhantes. A luz ultrapassava as fibras do tecido. O cortejo parou diante de uma parede plana. À frente, grudada na rocha, havia um disco branco com várias linhas pretas. Nele havia buracos vazios, espaços para algo ser encaixado. O ruivo abriu o saco que trazia e começou a retirar pedras evolucionarias de dentro dele. Foi pegando uma a uma, encaixando-as nos buracos do disco. A cada pedra posta, sua parte no disco ficava colorida e iluminava-se. Encaixou cinco pedras, faltando apenas uma para terminar o quebra cabeça. Quando estava prestes a completar a operação, um grito desesperado ao longe o interrompeu.

- Pare equipe Flare! – exclamou um homem de meia idade surgindo na caverna, acompanhado por mais cinco pessoas.

- Ainda estão vivos? – fala o líder do grupo laranja – Isso não importa. Vou abrir essa porta e por as mãos nesse tesouro.

Ele se voltou para a parede e tentou encaixar a última pedra. De repente, uma onda gigante invadiu o lugar e tragou todos os agentes. O turbilhão varreu-os para longe. Em seguida, uma descarga elétrica atravessou a água, eletrocutando a todos. O homem que invadiu a caverna foi até a parede e arrancou todas as pedras. Depois foi até o líder dos Flare e tomou-lhe a pedra restante. Um pokémon tipo grama prendeu todos com cipós. O homem foi até as outras cinco pessoas que veio com ele e entregou para cada um uma pedra e guardou uma para si.

- Pegamos de volta as pedras deixadas por nossos antepassados – diz um dos homens.

- Por pouco botam as mãos no tesouro e liberam a maldição – fala uma mulher.

- Exatamente – diz o homem líder do grupo – Falhamos na nossa missão de proteger as pedras-chave. Agora vamos ter que aumentar a vigilância. Vamos embora.
O grupo foi saindo, enquanto os pokémons arrastavam os agentes desmaiados. Só o líder do grupo dos seis ficou para trás, observando o lugar.

- Vou ter que aumentar a segurança dessas chaves. Pelo bem do mundo.

***

Alguns dias após o evento da caverna, as seis figuras se reuniram. Sentados em uma mesa em uma sala escura, cada uma delas pôs sua pedra sobre a mesa. O líder possuía a pedra Sol enquanto os outros traziam Fogo, Água, Lua, Amanhecer e Anoitecer.

- Nos reunimos para discutirmos maneiras de melhorar a segurança das chaves, e evitar que a equipe Flare tente pegá-las de novo.

De repente, uma das paredes foi derrubada a força. Uma criatura escura invadiu a sala destruindo tudo. Como estava escuro não era possível identificar que pokémon era. Todo negro, de asas largas e duas caudas, o ser voou diretamente sobre a mesa e roubou quase todas as pedras. Apenas o líder conseguiu guardar a sua a tempo. A criatura pegou os artefatos e voou para fora do prédio. Os seis saíram correndo desesperados. Um deles liberou um Pidgeot, montou em suas costas e partiu perseguindo o monstro. Os outros tiveram que descer todos os andares do prédio até chegar a rua.

- Deve ser coisas da equipe Flare! – exclama uma mulher – Temos que detê-los!

Outros pokémons foram liberados e passaram a atacar a criatura. O que estava montado no Pidgeot conseguiu alcançá-lo e empurrá-lo para os ataques. O monstro foi atingido em cheio. Nesse momento, as pedras que carregava se espalharam pelo ar, caindo por todos os lados da cidade. O grupo protetor alcançou a criatura e tentou prendê-la, mas ela escapou voando.

- Maldição! Escapou! – brada um dos homens.

- Mas pelo menos não levou as pedras – fala o que estava montado no pokémon voador – Agora elas estão espalhadas por toda a cidade.

- Nós vamos encontrá-las – diz o líder – Custe o que custar.

***

Sozinho na sala destruída, o líder do grupo tentava por um pouco de ordem no lugar. Levantando as cadeiras caídas e tirando a sujeira. Pela porta entrou o monstro, que logo retirou a cabeça do corpo, revelando ser uma fantasia vestida por um rapaz bem jovem.

- Incompetente! – brada o homem atirando uma cadeira longe – Teve todas as pedras nas mãos e as perdeu! Estragou todo o plano!

- Desculpe! Não imaginei que eles iriam reagir tão rapidamente – tenta justificar o garoto – Pelo menos eles não pegaram de volta. Espalharam-se pela cidade e qualquer um pode encontrá-las agora.

- É a única chance que temos. Mas de qualquer maneira, eu já tenho um plano B para proteger o portal.

***


Hoje

O sinal da escola soou alto para anunciar o fim da aula. As portas das salas de aulas se abriram quase ao mesmo tempo e o corredor se encheu de meninos e meninas apressados em sair. Entre eles havia três garotos que conversavam animadamente. No centro estava Marvin, um garoto de cabelos e olhos castanhos, e sempre de boné. De seu lado estava outro garoto, Denys, o mais alto, de cabelos esverdeados. E do outro era uma garota super séria, de cabelos longos e negros, chamada Estrela.

- Cara! Estou morrendo de fome! – exclama Marvin ajeitando o boné – Vamos apressar logo o passo. Quero chegar logo em casa.

- Que exagero! – fala Estrela – Já basta o tanto que já comeu na escola, ainda está com fome.

- Pra mim isso é lombriga – diz Denys rindo.

Mas Marvin nem se importou com os comentários e continuou andando. De repente, ao passar a mão pela cintura, sentiu falta de algo.

- Ah! Esqueci o moletom! – exclama ele parando abruptamente – Pensei que tinha amarrado na cintura. Acho que esqueci na sala. Tenho que ir buscar senão minha mãe me mata! Já perdi blusas demais.

Enquanto os outros ficaram esperando, Marvin entregou sua mochila para eles e voltou correndo para a escola. Já não havia mais ninguém no prédio. Ele foi até a sala e vasculha em tudo procurando a roupa, mas não encontra.

- Cadê?! – pensa ele procurando – Será que algum faxineiro já pegou?

Ele sai da sala e procura no corredor alguém que poderia ter pegado a blusa. Em um ponto distante, o garoto viu um homem vestido de faxineiro entrar em uma salinha e logo depois sair. Marvin correu para alcançá-lo e até gritou, mas no homem não ouviu. Ele parou diante da porta da saleta e resolveu entrar. O lugar era bem minúsculo. Só havia vassouras, baldes e materiais de limpeza, além de uma mesinha. Mas a blusa não estava ali.

O garoto fuçou um pouco, afastou algumas caixas, mas nada de encontrar o moletom. Ele então percebeu um pequeno porta-joias escondido bem no cantinho da sala. Mesmo sabendo que não se deve mexer nas coisas dos outros, Marvin não resistiu a curiosidade. Abriu a caixinha e viu uma pedra redonda amarela que brilhava fracamente.

- Uma pedra Brilho.

De repente, a pedrinha começou a emanar uma fumacinha branca que envolveu-a completamente. A fumaça foi aumentando e brilhando até tomar a forma de um Togekiss, ou o espírito de um, já que seu corpo era meio translúcido. O pokémon abriu os olhos e levou um grande susto ao dar de cara com Marvin.

- Você não é o Louis! – grita o pokémon – É um ladrão! Saia daqui! Aura Sphere!


Última edição por -Murilo em Dom 20 Abr 2014 - 16:53, editado 1 vez(es)
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose

Mensagem por Black~ em Seg 7 Abr 2014 - 16:12

Bom, vamos lá.

A história é interessante, ficou realmente parecida com Scooby Doo Mistério S/A, esse negócio do tesouro enterrado há várias décadas e que uma equipe de jovens acaba descobrindo de alguma maneira esse tesouro à medida que várias coisas estranhas começam a acontecer, mas enfim.

Achei bacana esses negócios dos "guardiões" das seis pedras. Esse disco do começo me lembrou daquela máquina da Equipe Rocket no mangá, uma máquina que tinha que colocar as sete insígnias, mas creio que é só coincidência mesmo -q.

A pedra Shiny no final eu não encontrei muita relação, porque as seis pedras eram a Fire, Water, Dawn, Dusk, Moon e Sun, e não entendi muito bem, talvez não tenha exata relação, mas sei lá, e esse Togekiss foi meio suspeito, acredito que será um "vilão" da fic, mas enfim.

Não tenho muito pra falar, é só um prólogo.

Então é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose

Mensagem por xKai em Qui 10 Abr 2014 - 23:04

Fala Murilo, quanto tempo cara, está realmente bem sumido... Se bem que eu dei uma sumida antes de você sumir, mas voltei também xD

Achei bem legal esse tipo de história envolvendo tesouros e mistérios, como o Black disse isso realmente lembrou Scooby Doo.

Só não curti muito você ter usado a team flare, podia ter criado uma original, mas acredito que você irá mudar o objetivo deles e irá nos surpreender, afinal... "Vamos fazer um mundo bonito e estiloso" não é uma ambição que grandes vilões costumam fazer né.

Essas pedras são diferentes das "comuns" ou são iguais? Porque se fossem iguais, seria melhor os vilões saírem catando pedra pelo mundo ao invés de ficar querendo as mesmas.

A fic está bem interessante, mistérios, suspenses, tesouros, guardiões e novas ideias para serem exploradas, tudo que uma fic precisa para fazer sucesso, até o próximo capítulo e bem vindo novamente Very Happy

________________

avatar
xKai
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/05/2013


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose

Mensagem por -Murilo em Dom 20 Abr 2014 - 16:51

Olá! Muito obrigado pelas visitas, e Black~ e xKai pelos comentários. Respondendo a questão, são pedras únicas, por isso precisam daquelas precisamente. Logo eu vou começar a organizar um Main Post (to meio sem ideias, acho que to muito desacostumado). Espero que gostem desse capítulo. Acho que ele está curtinho. Ah, as postagem dos capítulos serão domingo sim domingo não, porque ainda tenho que estudar muita coisa ainda (e eu ainda fico teimando em escrever fic, mas a vontade é muito XD). Boa leitura e até!



Capítulo 1
O espírito da pedra



A energia emanada da pedra Brilho tomou a forma de um Togekiss brilhante, que ficou furioso ao ver Marvin.

- Você quer roubar a pedra não é?! – brada o pokémon – Não vou permitir!

A ave levantou voo e lançou um poderoso Aura Sphere contra o garoto. Marvin ficou tão assustado com aquilo tudo que mal conseguiu desviar do golpe. Togekiss logo preparou outra esfera de energia, e o menino tratou de sair correndo. Saiu da salinha e ganhou o corredor, tentando sair o mais rápido que podia. O pokémon furioso veio logo atrás, perseguindo-o e lançando mais ataques.

- Mas o que é tudo isso?! – pensa Marvin sem entender porque um pokémon espírito falante estava lhe perseguindo – E não posso nem revidar! Minha pokébola com o Quilladin está na mochila.

Ele então passa a mão nos bolsos e encontra o celular. Enquanto desvia de mais ataques do Togekiss, telefona para os amigos.

- Então percebeu que deixou o moletom na mochila? – fala Denys rindo sem nem esperar o garoto falar.

- Isso não importa agora! – exclama Marvin – Tem um pokémon bizarro me atacando aqui. Me ajudem!

Do lado de fora, os meninos não entenderam nada. Mesmo assim, foram até a escola para saber o que estava acontecendo. Mas antes que precisassem entrar, Marvin surgiu no pátio correndo, e logo atrás dele vinha Togekiss lançando insistentemente ataques de Aura Sphere.

- Mas o que está acontecendo? – exclama Estrela ao se deparar com a cena.

- Não sei – fala Denys fuçando os bolsos. Mas de qualquer forma maneira vamos ajudá-lo. Saia Litleo!

O garoto lançou a pokébola e liberou o pequeno filhote de fogo. Com uma ordem de Denys, ele lançou Flamethrower, uma rajada de fogo. O Togekiss foi atingido e jogado no chão. Marvin se juntou aos seus amigos ofegante pela corrida.

-Não vão... acreditar... no que aconteceu! – tenta falar e respirar ao mesmo tempo o garoto – Mas antes, vamos acalmá-lo.

Ele pegou sua mochila, abriu-a e sacou sua pokébola. Liberou seu Quilladin que, juntamente com o Litleo, lançou um ataque combinado de fogo e espinhos. Togekiss foi atingido em cheio e jogado no chão. A ave caiu desmaiada. Nesse momento, ela começou a se desvanecer. Virou fumaça novamente, até desaparecer completamente. So restou a pedra Brilho jogada no chão.

Incrédulos com o que aconteceu, os garotos se aproximaram, mas sem coragem para tocar na pedra.

- Foi exatamente isso que aconteceu! Só que ao contrario – fala Marvin – Eu encontrei a pedra num quartinho e de repente saiu fumaça dela e tomou a forma daquele Togekiss.

- Que coisa mais esquisita – fala Denys – E cientificamente impossível. E o interessante é que os togekiss são evoluções feitas através de pedras brilho.

- Mas isso não é uma coisa normal – comenta Estrela – Viram como era o corpo dele? Parecia transparente, como se fosse um fantasma ou espírito!

Os três se entreolharam assustados só de pensar nessa ideia. Marvin então procurou um pedaço de pau por perto, e com ele cutucou a pedra. Como ela não apresentou nenhuma reação, ele tomou coragem e pegou-a com as mãos. Olhando mesmo atentamente, parecia ser uma pedra Brilho normal como as outras.

- Tem alguma coisa errada nessa pedra – fala Marvin sério – Algo misterioso.

- Podemos investigar isso! – fala Estrela subitamente animada – Algo me diz que há alguma coisa grande por trás disso.

- Vamos pesquisar na internet sobre pedras evolutivas – sugere Denys – E também na biblioteca. Se for algo esotérico, deve ter em livros antigos.

- Ótimo! Vamos fazer isso agora – diz Marvin animado – Vamos passar primeiro no Café Lysandre avisar minha mãe.

Eles deixaram a escola rapidamente, e após passar por algumas ruas, chegaram no maior café da cidade, onde a mãe de Marvin trabalhava de garçonete. Eles sentaram-se numa das mesas do lado de fora e a mulher veio atendê-los.

- Por que não foi comer? – fingindo estar anotando o pedido para que não dissessem que está conversando a toa no trabalho.

- Temos que ir na biblioteca primeiro – fala Marvin olhando o folheto de preços – É coisa urgente!

- Seu pai está bem ali na esquina – diz a mãe – Peça uma carona pra ele.

Os meninos se levantaram da mesa e saíram, enquanto a mãe voltava para o serviço. Eles foram até a esquina, onde o taxi em que o pai de Marvin trabalhava estava estacionado.

- Pai, leva a gente na Biblioteca, por favor! É urgente! – pede o garoto.

- Podem entrar – fala o homem – Levo vocês lá rapidinho.

Os três sentaram no banco de trás. O taxi partiu da esquina e rodou pelas ruas de Lumiose. A viagem foi rápida, já que o café ficava na Magenta Plaza e a Biblioteca era no bairro vizinho, Blue Plaza. O carro parou bem diante das escadarias do prédio. Os meninos desceram e o taxi foi embora. A Biblioteca era o prédio mais antigo da cidade. Mesmo sempre reformado, sua fachada e estrutura das colunas, portas e janelas continuavam com o mesmo aspecto antigo.
Os meninos entraram. Na recepção havia um balcão e atrás dele estava um senhor idoso usando o computador.

- Com licença – diz Marvin apoiando-se no balcão – Queríamos ver livros antigos sobre pedras evolucionárias.

O idoso parou o que estava fazendo e encarou os meninos por alguns instantes. Eles se entreolharam confusos e a incomodados com o olhar tão penetrante do velho.

- Claro. Venham comigo – diz o bibliotecário finalmente se movendo.

Ele se levantou e foi até uma das inúmeras prateleiras. Os meninos seguiram-no até o ultimo canto da Biblioteca. O homem retirou três livros bem antigos, mas conservados, e colocou-os sobre a mesa. Ele abriu os livros nas paginas sobre pedras e entregou-os para s garotos. Eles se sentaram à mesa e o bibliotecário se afastou.

- Vão olhando os livros – diz Estrela pegando um tablet da bolsa – Enquanto eu uso o wi-fi da biblioteca pra pesquisar na internet.

Os garotos começaram a ler os livros procurando algo interessante. Mas grande parte do conteúdo já era algo sabido, coisas sobre o poder de evoluir alguns pokémons e etc.

- Vejam essa imagem – fala Marvin apontando – Têm todas as pedras evolutivas que existem.

Ele pega a pedra Brilho da bolsa e compara com a imagem.

- É mesmo uma pedra brilho – fala Estrela – Igualzinha a foto.

- Quase igual – intervém Denys – Prestem atenção bem no centro da nossa pedra.

Os outros encaram bem a pedra e a imagem, e então perceberam a pequena diferença. Na foto, a pedra Brilho possui um pequeno sol desenhado, enquanto na encontrada havia a silhueta de um Togekiss.

- É realmente diferente – comenta Marvin – Mas por quê?

Afastado dali, o bibliotecário espiava toda a conversa escondido atrás das prateleiras. Com uma expressão de pavor, ele pegou o telefone. Com dificuldade, pois estava tremendo, ligou para alguém.

- Alô? Senhor? Não vai acreditar! Tem um bando de garotos bem aqui na biblioteca com uma pedra. Sim, daquelas! Temos que fazer alguma coisa urgente!
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Caça ao tesouro – O mistério de Lumiose

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum