Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!
Crônicas de Erin  Pikalove

Crônicas de Erin

Ir em baixo

Crônicas de Erin  Empty Crônicas de Erin

Mensagem por Luna em Sab 1 Mar 2014 - 22:25

Crônicas de Erin  8NviS29

Crônicas de Erin  Bulletblack Crônicas de Erin
``Alguns cientistas e pesquisadores encontraram uma Ilha do tamanho de um continente entre Unova e Kalos, porém a ilha não tinha muito diferencial. Os pesquisadores com ajuda do Governo fizeram laboratórios secretos e insistiam em ter algo novo lá em relações a Pokémons, mas não tinham nada de novo lá. As espécies já se encontravam evoluídas (algumas) e também já tinham extintos de batalhas, já batalhavam entre si por território. Já  em paisagens e Biomas, aquela ilha estava sempre inovando, mas os cientistas só tinham olhos para as criaturas. Lá havia sim treinadores e vilarejos, e os pesquisadores junto com a ajuda do governo decidiram iniciar um novo projeto. "O Desafio Veterano" Que tratava de criarem uma liga Pokémon, construírem cidades e até levar a modernidade para lá com eletrônicos inovadores e conhecidos. Distribuíram Ginásios em cada cidade ou vilarejo específico na ilha e criaram até mesmo a Elite dos 4, junto de um Campeão. A ilha tinha excelentes treinadores, que conseguiam chegar ao nível de um integrante da Elite (Que foram designados a liderar cada ginásio). E assim foi formada a liga artificial, que seria usada apenas para treinadores que conseguiram obter as oito insígnias em qualquer região, eles deveriam se alistar nos centros para que fossem sorteados para ir para a ilha. Já a premiação permanece em mistério, como o verdadeiro e assombroso motivo dessa liga ter sido criada. Mas isso tudo estaria um mar de rosas se não fosse tudo criado por corruptos ambiciosos que possuíam objetivos terríveis para os treinadores da ilha, e nisso envolve criar o campeão perfeito, o melhor treinador de todos, sem sentimentos, uma máquina de fato, incluindo seus Pokémons também... Mesmo que seja preciso medidas drásticas´´

Personagens:
Erin:

Nome: Erin Summers
Idade: 17
Profissão: Treinadora Pokémon/Ex-Coordenadora

Aparência:

Magérrima, desprovida de seios e apelidada de Tábua. Olhos castanho claro beirando a cor de mel, com uma ótima anatomia de rosto, provida de um olhar feminino sincero, mas que a mesma insiste em ofuscar com uma expressão de tédio. Cabelos longos e avermelhados, em um tom de sangue, detalhes engraçados em alguns fios de seu cabelo, que se esticam e lembram as feições de um Milotic. Franja caída que chega a quase tampar os lindos olhos da jovem.

Personalidade:
Crônicas de Erin  Bulletblue Sarcástica
Crônicas de Erin  Bulletblue Preguiçosa
Crônicas de Erin  Bulletblue Convencida
Crônicas de Erin  Bulletblue Artística
Crônicas de Erin  Bulletblue Desbocada
Crônicas de Erin  Bulletblue Gentil (Apenas com quem ela gosta)
Crônicas de Erin  Bulletblue Solitária (Por opção)

História:

Crescida e criada em Hoenn, na cidade de Littleroot ao lado de dois irmãos mais novos. Sua mãe trabalhava como advogada enquanto seu pai era um dos guias do Museu e também tinha bicos em empresas de turismo da Região, fazendo com que sua família saiba tudo de Hoenn. No Daycare de seus avós ela conseguiu breedar seu próprio companheiro, Ninetales. Que fora um fruto do amor de dois Ninetales voluntários do Daycare, e com isso a jovem recebeu de seus avós o ovo de Vulpix para tomar conta até que o mesmo chocasse. Vulpix nasceu e se tornou a única companheira fiel de Erin, e juntas adquiriram as oito insígnias da liga de Hoenn. Erin percebeu que Rena era a única companhia que ela gostaria em sua jornada, mas isso poderá mudar na nova Região "Artificial" já que a Treinadora é uma das escolhidas.

Trivia:
Crônicas de Erin  Bulletblack Apesar de sua aparência e sua atitude arrogante, ela não irá te julgar sem ao menos te conhecer
Crônicas de Erin  Bulletblack Apenas pessoas de confiança podem tocar em seu cabelo
Crônicas de Erin  Bulletblack Ela possuí algumas manias, como capturar Pokémons apenas em Greatballs (Ela ama tais cores)
Crônicas de Erin  Bulletblack Concursos eram um hobby, e também alguma forma de deixar Meilah brilhar (Já que Espeon adora se exibir)

Pokémons:

Rena
Crônicas de Erin  Spr_5b_038
Sexo: Feminino
Habilidade: Flash Fire
Nature: Bold

Rena e Erin formam um ótimo time, eram imbatíveis, eram poucas as vezes que Erin trocava de Pokémon. Rena possui personalidade um pouco parecida de Treinadora, ela é esnobe e preguiçosa as vezes, quando de mal humor ela precisa que chamem sua atenção algumas vezes para agir na batalha. Possui um talento lindo nos concursos de beleza, provida de uma série de movimentos fabulosos que conquista o coração do público. Ninetales também pode ser um pesadelo para o adversário em batalhas, com raiva ela é capaz de utilizar movimentos involuntários e perigosos contra o oponente. Rena não é nada madura, mas quando o assunto é proteger Erin ela faz isso melhor do que todos.


Ruby
Crônicas de Erin  Spr_5b_350_f
Sexo: Masculino
Habilidade: Marvel Scale
Nature: Gentle

Ruby sempre fora subestimado quando era um pobre Feebas, recusavam batalhas só por que ele era inútil demais, e alguns até tiravam proveito disso. Porém com a fé de sua treinadora em si e suas esperanças, ele evolui e se tornou o Pokémon mais poderoso de Erin. A adolescente o valoriza muito, e ele também a valoriza. A imagem de Ruby é meio andrógena, ele age e gostaria de ser fêmea, ele acha concursos fúteis demais e não é chegado a Meilah por causa de sua opinião sobre os tais eventos, porém ele ama batalhar usando golpes chamativos e escandalosos, digamos que é um Pokémon para batalhas de concursos. É maduro e também muito gentil.

Yoona
Crônicas de Erin  Ralts_scratch_by_Satsu_san
Sexo: Feminino
Habilidade: Synchronoize
Nature: Timid

Yoona é um Pokémon adorável e amável, ainda é uma criança e não entende muito sobre batalhas, mas tem um gênio maior que todos e não desiste fácil. Determinação e esforço são as qualidades da mesma em batalhas, mesmo não  participando de todas ela da tudo de si para nunca decepcionar sua treinadora. E algumas má qualidades é a timidez que dificulta muito sua comunicação e também suas ações, pode reparar que a pequena está sempre agarrada as pernas de Erin e sempre com uma aparência assutada, aliás ela ainda é um Pokémon muito jovem.

Meilah
Crônicas de Erin  Espeon_sleep__by_divoesponja-d5hgdis
Sexo: Feminino
Habilidade: Magic Bounce
Nature: Quiet

Sempre dormindo e deitada pelos cantos, Meilah nunca se manifesta a não ser que esteja faminta ou entusiasmada com apresentações em concursos. Se tem algo que a anima é se exibir para todos diante ao palco, fazer seu show e ser paparicada logo após, uma Princesa presa em um corpo felino rosado e de pelos curtos. Meilah é muito mimada e desmotivada, mas também tem seus truques para batalhar como seu imenso potencial de ataque e movimentos variados. Suas condições de aparência são impecáveis, Erin sempre foi caprichada com sua gata, afinal, ela era o seu trunfo nos jogos de beleza. Quando seu Rubi situado em sua testa brilha intensamente é que ela está tendo um mal persentimento.


Guia de Capítulos
Crônicas de Erin  Bulletblack Prólogo - 00 Crônicas de Erin  Bulletblack
Crônicas de Erin  BulletblackCapítulo I - Reunião de FamíliaCrônicas de Erin  Bulletblack



Crônicas de Erin  BulletblackPrólogo Crônicas de Erin  Bulletblack

O Sol em Hoenn já estava se pondo e com o Inverno chegando à temperatura esfriava cada vez mais na Região. Alguns Winguls e Pellipers contornavam o por do sol e viajavam pelo continente, alguns se perdiam por que eram constantemente perturbados por pedradas que algum grupo de pivetes arremessavam. No mesmo parque havia escorregadores, gangorras e balanças, mas nenhuma criança brincando, apenas uma jovem de cabelos vermelhos, sentada e se balançando lentamente no brinquedo, enquanto era aquecida pelo calor que saia do fogo que saia da boca da raposa ao seu lado. Erin gostava de passar as tardes vagamundeando pelos cantos quietos e tranquilos para relaxar, mas isso já se tornara um ato de preguiça por não querer fazer nada mais a não ser dormir e descansar embaixo de uma sombra envolvida pelo calor de Rena.

A Jovem já estava cansada de ficar a toa, ela tinha saudades de sua antiga jornada e como a falta da mesma a deixou relaxada, assim ela levantou do balanço e andou com alguma dificuldade até os portões do parque, já que a neve cobria suas botas e dificultavam a locomoção.  A raposa percebia o incomodo de sua treinadora e expeliu algumas brasas de sua boca para eliminar o mar de neve que cercavam o caminho.

- Essa foi boa Rena. – Dizia enquanto se alongava e estalava seus braços.  “Crack” - Nossa essa foi minha coluna? – Erin se sentiu uma idosa, como sua falecida avó.

A caminhada até sua casa iria ser longa e Erin já lamentava ter saído de casa e ter ido para  tão longe descansar, tendo uma cama quentinha em casa para dormir nesse frio. As calçadas estavam escorregadias por causa do gelo e a Treinadora tirava proveito disso, como uma criança ela começava a fingir estar patinando no solo de pedra escorregadio e parecia curtir o momento, até que se deparou com uma notícia do jornal passando em uma vitrine de lojas de televisões.

“Hoje foi anunciado o evento proposto pelo governo, que tem em mente revolucionar a vida dos treinadores. O descobrimento da Ilha de Venus, conhecida também como a Região artificial, irá sediar o Desafio dos Veteranos e para mais informações de como se alistar entre outras é só ir ao Centro Pokémon mais próximo de você.”

´´É uma boa, minha vida anda um tédio ultimamente - Erin conversava consigo mesmo em sua mente, e rapidamente mirava seu olhar para Rena, que parecia pensar a mesma coisa que ela. A ligação das duas era forte, apenas com olhares elas se entenderam, e após isso foram até o Centro mais próximo para buscar se informarem.

Crônicas de Erin  BulletblackRegras ~ Informações
- No máximo seis Pokémons para levar á ilha. Lá você poderá capturar quantos quiser e ter quantos quiser em sua equipe.
- Para se inscrever é necessário possuir até cinco a oito insígnias da sua região
- Proibido contato externo da Ilha, ou seja, sem celulares e aparelhos eletrônicos de comunicações. Apenas pokédex e auxiliadores de jornada
- É obrigatório ser um Treinador Pokémon, não tenha outro cargo como principal
- Ter acima de 15 Anos



Para se inscrever basta ir a um Centro Pokémon e mostrar suas insígnias e sua carteirinha de Treinador. Após isso é só se registrar junto de seu Pokémon e ter a sorte de ser escolhido.

Erin teve uma reação de “Por que não?” ao terminar de ler o panfleto, ela não parecia nada insegura, mas só o fato dela poder não ser escolhida já desanimava a garota. Mas também foi a primeira vez em anos que Erin não sentia um frio na barriga ou ficava entusiasmada com alguma coisa, só de perceber essa sensação ela foi direto ao balcão se inscrever e sem pensar.


Crônicas de Erin  BulletblackNotas da Autora

Bem pessoal, eu já estava querendo escrever uma fic desse tipo a um bom tempo, já que estou com um tempo livre, então eu fui atrás de recursos e pensei "Por que não?" e assim eu fiz. Se tiver alguns erros me desculpem, meu teclado faltam algumas letras e eu preciso da ajuda de um teclado virtual. Eu queria agradecer a algumas pessoas: Utata por sempre me apoiar em tudo, Rush que sempre conversa comigo e me ajuda a criar coisas para a fic, Bragato que ama ler oque eu escrevo e eu sempre conto com ele em minhas fic, gosto que ele avalie e tudo mais, e por último ao meu amigo Voost, que fez o Banner da fic, vlw voost <3.

Créditos aos eventos de OC do Deviantart, peguei algumas ideias do Pokemon Rainbow, inclusive o modelo de templates da ficha de personagens. E crédito também a um artista de lá que criou a sprite da Erin pro RPG, eu adorei a personagem e até peguei algumas inspirações dela para criar a Erin, usei algumas coisas da personagem que ele criou nela por que de fato combinavam muito com a Erin. Espero que gostem da fic e comentem.


Crônicas de Erin  Bulletblack Lista de músicas que ouvi enquanto escrevia:

Spoiler:




Última edição por Dara em Ter 4 Mar 2014 - 23:33, editado 6 vez(es)
Luna
Luna
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
Crônicas de Erin  Left_bar_bleue0 / 100 / 10Crônicas de Erin  Right_bar_bleue

Data de inscrição : 22/10/2010

Frase pessoal : Bring the Noize


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Crônicas de Erin  Empty Re: Crônicas de Erin

Mensagem por Caio. em Sab 1 Mar 2014 - 22:44

HOLY
MOTHER
OF
GOD

Tu conhece o Utata... E céus, não lembro de tu D: Poxa, realmente não lembro de tu /slow Que estranho. Tu é de 2010, quer dizer, frequentava bem aqui antigamente? Realmente não lembro ç_ç Anyway, gostei bastante do teu jeito de escrever, vi alguns errinhos, nada de demais, mas sugiro revisar um pouco o texto, como os acentos. Do resto, gostei bastante. É o prólogo, não tem como julgar muito.

Prevejo um jogos vorazes saindo dessa ilha, sério q Curti a Rena, embora não saiba exatamente qual poké ele seja... Ninetales? Flareon? D: Sou lesa mesmo, nem ligue. Enfim, s'ya ^^
Caio.
Caio.
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
Crônicas de Erin  Left_bar_bleue0 / 100 / 10Crônicas de Erin  Right_bar_bleue

Data de inscrição : 27/06/2010

Frase pessoal : A noir. E blanc. I rouge. U vert. O bleu.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Crônicas de Erin  Empty Re: Crônicas de Erin

Mensagem por Pikato em Dom 2 Mar 2014 - 11:24

Olá, gostei da ideia, uma ilha misteriosa onde organizarão uma liga diferente e que pode ter mistérios atrás disso também. Gosto de estórias com suspense e ação talvez acompanhe.

Gostei da protagonista e o jeito dela ser, não tenho muito o que comentar porque é apenas o prólogo. Mas um dos mistérios que percebi é o uso de não celulares(talvez seja porque planejam fazer algo com os treinadores?). Enfim, a descrição ficou fácil de entender e a estória é cativante.

No mais é isso, desculpe por não fazer algo maior, hoje não estou muito inspirado.
Pikato
Pikato
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
Crônicas de Erin  Left_bar_bleue0 / 100 / 10Crônicas de Erin  Right_bar_bleue

Data de inscrição : 18/05/2013

Frase pessoal : Voltei^^


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Crônicas de Erin  Empty Re: Crônicas de Erin

Mensagem por Luna em Ter 4 Mar 2014 - 3:52



Crônicas de Erin  Bulletblack Notas & Respostas

Desculpem os erros, e eu já postar o primeiro capítulo, mas é melhor para mim por que se eu parar eu posso cansar da fanfic, então assim que eu termino um cap eu já começo a escrever o próximo. Espero que gostem!

Crônicas de Erin  Bulletblack Caio.: *-* Digamos que o Utata é uma pessoa que valorizo muito, somos bastante amigos e eu adoro ele. Sim eu sou bem antiga aqui, eu conheci o fórum através do Tabs e no começo eu postava HQ's como a Yellow Adventures contando da história da personagem do mangá, então eu não interagia muito. Eu tenho preguiça de revisar Bubu, aprecio que tenha gostado e espero você aqui mais vezes e falando sobre jogos vorazes, eu não diria que seria isso por que não será tão violento, pode ser semelhante, mas eu não me baseei em nada lá, e sim no projeto do Deviantart "PokemonRainbow". Beijos e espero que volte! (E sim, é uma Ninetales leia a ficha que eu tive todo capricho de organizar >.<)

Crônicas de Erin  Bulletblack Pikato: Olá o/ que bom que gostou da ideia, eu também achei legal, mas achei que não iriam aprovar. Eu também amo a Erin, e sobre os celulares... Quem sabe mais alguns cap para entenderem. Que nada de comentário pequeno, o bom é que você leu e comentou e disse sua opinião, e isso já me agrada. Espero que acompanhe!

Eu fiz um trainer card da Erin, me digam o que acharam nos comentário.
Trainer Card:
Crônicas de Erin  6clKXcQ

Crônicas de Erin  BulletblackCapítulo ICrônicas de Erin  Bulletblack


O dia nascia iluminando o quarto de Erin, devido à janela e as cortinas abertas a luminosidade invadia o cômodo e clareava o mesmo, inclusive o lindo rosto de Erin que sentia incomodada com tal luz em seu rosto. Coberta por dois edredons grossos, macios e ainda por cima estava agasalhada, a treinadora acordava contra a sua vontade e já amanhecia com uma péssima cara que piorava a cada segundo ao ver a bagunça que estava o seu quarto.

- Rena sua maldita, acorda! – Erin “quase” gritava com sua Ninetales, enquanto ela dormia em cima das pernas de sua treinadora, aquecendo-as. – Se eu irei acordar cedo você também irá. – Rena apenas respondeu Erin com bocejo e uma expressão de cansaço. – Hoje iremos ajudar o velho no Daycare.

A garota levantava e tirava o suéter com que dormiu e deixava-o pelo chão enquanto empurrava alguns travesseiros e brinquedos de Rena para baixo da cama afim tirá-los de seu caminho e “esconder” a bagunça. Erin foi direto para o banho e sua companheira já descia para fazer suas necessidades e se alimentar.



- Eu quero o último pedaço de Bacon. – Uns dos irmãos gêmeos de Erin brigavam pelo precioso café da manhã.

- Meninos parem de brigar, esse é o da sua irmã. – Judie pegava o pedaço de carne dos dois bagunceiros e guardava em um armário alto, e logo atendia um telefonema e abotoava seu terno feminino de trabalho. – Amor eu estou atrasada, olhe as crianças. Alô? Sim já estou chegando. – A mãe saia de casa atrasada e já atarefada.

Joel suspirou e olhou para os dois diabinhos puxando uma cadeira para o armário em que o bacon estava escondido. O homem parecia exausto, mas não tanto quanto sua esposa quando volta do trabalho. Ele se levantou, pôs seu boné “Eu <3 Hoenn” e desprendeu as chaves do carro do chaveiro.

- Avisem a sua irmã que eu já fui trabalhar. Joel se dirigia á porta repetindo as palavras “Eu amo meu emprego” varias vezes até chegar nela. – Tchau crianças, eu amo vocês.

Ao bater a porta de casa era possível ouvir passos fortes descendo as escadas e até alguns resmungos. Erin descia pé da vida às escadas enquanto resmungava sobre a hora que ela teve que acordar em pleno friozinho gostoso. Ela franziu a testa e olhou para os dos pivetes brigando novamente por uma tira de bacon. A irmã mais velha deu um basta seguido de alguns avisos:

- Me escutem suas pestes. Eu vou ver o Vovô e meu antigo time, quero vocês quietos e sem derrubar a casa, se não a mamãe irá descobrir coisas sombrias sobre vocês. ENTENDIDO? – Nesse momento era difícil distinguir quem era o verdadeiro demônio, ela ou eles.

Erin marcou um tempo para sair de casa sem que seus pais descobrissem que ela deixou duas crianças de menor sozinhas em casa. Já de mau humor, a menina bateu a porta de casa e foi caminhando até a casa de seu Avô com sua companheira. As ruas ainda estavam cobertas de neve, e isso estressava a adolescente. Por onde ela andava em Littleroot ela avistava cartazes e pessoas falando sobre o “Desafio Veterano” e essa popularidade preocupava Erin, por ser tão popular ela talvez não pudesse ser escolhida, mas hoje seria o dia em que os participantes serão divulgados, o fim do sorteio.

- já estou cheia, Rena elimine essa neve maldita e traga sol para essa merda de cidade! – A Raposa entendeu o comando de sua dona, mas decidiu ignorar e voltar a olhar pelos lados e bocejar. – Não irei falar outra vez. – Rena suspirou e executou muito bem o Sunny Day, que aumentou a potência do sol naquela área e ajudou a derreter a neve naquela parte da cidade.

O caminho não fora longo até o único Daycare da cidade, com o sol mais radiante as duas chegaram rápido em seu destino. Erin entrou no local e já se deparava com o altar em homenagem á sua falecida Avó, enfeitado com frutas da estação e as flores preferidas da mesma. Comovida com o doce e gentil rosto de sua velha junto de um sorriso acolhedor ela não se conteve. Agachou e sussurrou algumas coisas para sua amada.

- Já se passaram três meses. – Ela deu uma breve pausa e logo retomou sua frase. – Eu sinto tanta sua falta, falta do modo que você penteava meu cabelo e falta dos saborosos chás que tomávamos toda tarde. Você realmente faz muita falta! – A neta fechou os olhos e rezou pela alma dela, para que descansasse em paz.

- Ora, você realmente chegou cedo. “Coff-Coff” – O velho tinha dificuldades em falar devido a problemas respiratórios e sua idade.

Erin percebeu a voz de seu Avô e rapidamente se recompôs e enxugou as poucas lágrimas de seu rosto. Ela se virou e viu o velho homem trajando vestes de idosos para o inverno, uma boina xadrez e acompanhado de um  velho e gordo Slaking, e ele parecia radiante em ver sua neta, mesmo tendo percebido que ela estava chorando diante o altar de sua falecida esposa.

- Vamos meu anjo, venha ver seus antigos companheiros. – Ele a chamava com gestos acolhedores para a mesma visitar seus antigos Pokémons que ela utilizou em sua jornada por Hoenn. – Eles estão com saudades, e foi por isso que você veio até aqui. Certo?

- Sim! – Ela respondeu com um sim meio “XôXô”.

Os parentes foram para os fundos do velho estabelecimento que levava a uma extensa área com gramas e currais contendo diversos grupos de Pokémons, havia lagos e árvores também, um habitat livre e variado para todas as espécies, inclusive os de Erin. A treinadora reconheceu todos seus antigos companheiros de jornas presentes lá.

Já ao chegar ao gramado a treinadora esbarrava em uma adorável Ralts, que estava segurar suas pernas e pendurada em suas calças. Yoona fora o nome que Erin deu á ela quando a encontrou na segunda rota de Hoenn, a pobrezinha estava perdida na grama alta e a mesma era muito baixa para enxergar o caminho. Quando lançou seu olhar para a treinadora que adentrou na mata, seu coração acelerou e seus olhos brilharam e foi que Yoona quis Erin como sua “Mãe”, a treinadora não resistiu e a capturou.

- Olá fofinha. – Segurava a pequenina no colo. – Onde está Meilah? – Ela procurava ao redor um de seus antigos Pokémons.

E lá estava, um gato rosado com pelos curtos e macios dormindo no enorme campo de grama nevado, a luz do sol parecia agradar a mesma além de iluminar e realçar seu Ruby no centro de sua testa. Meilah era uma Espeon muito mimada e preguiçosa, sempre fora paparicada tanto pelas pessoas que a viam quanto sua treinadora. Ela nasceu para ser uma princesa, com corpo bem cuidado ela era idolatrada por todos os Pokémons do Daycare. A única coisa que deixava Meilah animada eram os concursos Pokémons que Erin participava. De longe era a melhor nos palcos dos concursos.

A bola de pelo rosadas não se levantou para falar com sua dona, sua presença nem chamava sua atenção, ela só queria dormir. Sem se preocupar a ruiva fora diretamente para o lago do rancho para encontrar seu trunfo. A chegada ao lago fizera alguns Pokémons aquáticos mergulharem para suas tocas submersas, a água cristalina realçava a beleza da única criatura que restara no lago. Um majestoso Milotic, tomando um relaxante banho de sol e esbanjando sua beleza, não era a toa que fora eleito à espécie de Pokémon mais bonita.

Ruby era a graça da beldade, fora encontrado no caminho de Lavaridge quando Ruby, ainda era um terrível Feebas. A feiura era tanto que atraiu a atenção de Erin, que foi até os pescadores saber que criatura era aquela, os pescadores não quiseram esse “troço” feio, eles foram espertos e despachou ele para a garota. A treinadora deduziu pela anatomia do peixe que ele seria do tipo aquático e que lhe ajudaria a passar de Flannery, mas o mesmo só sabia executar investidas e se debater no solo, porém ela não desistiu dele. Feebas absorveu todo esforço e fé de sua treinadora que não se conteve e acabou evoluindo involuntariamente, deixando todos boquiabertos com sua beleza. Erin percebeu que era apenas ter paciência para ver aquela flor desabrochar. Ruby tinha movimentos lindos para apresentações, porém ele não gostava de desperdiça-los em concursos, ele gostava mesmo era de esbanjar sua beldade em batalhas.

- Uau, ele cada dia fica mais exuberante. – Erin se impressionava com beleza, fazia meses que ela não o via, seria normal essa reação. – Então Vô eu já escolhi quais irão treinar comigo lá em casa, eu tenho que por eles em forma. – A treinadora estava entusiasmada, e preferia prevenir a remediar.
- Antes eu gostaria de “Cof-Cof” se eu ainda estou em forma minha filha. – O velhote se estalava todo enquanto Slaking ria disfarçadamente. – Você também brutamontes, vamos batalhar minha neta. – Ele propôs o desafio enquanto dava umas tapinhas na barriga redonda do gorila.
- Eu aceito. – Sem misericórdia ela aceitava o desafio enquanto deixava escapar algumas risas de deboche. Ela a achava engraçado o desafio do velho de seu Avô.

Ambos foram até uma área extensa do gramado coberto de neve do imenso rancho rústico. Mal conseguia andar na neve ela teve de colocar Yoona na neve para batalhar e teve que arcar com a pequenina novamente agarrada em suas pernas finas. Determinada ela poupou Meilah de ir batalhar e deixou a mesma continuar dormindo, já Rena estava cansada e sem animo para batalhas naquele momento, sendo assim a única escolha de Erin era Ralts, a treinadora queria poupar o máximo de energia possível de Ruby.

- Vamos lá garota, você consegue! – Agachou-se para ficar cara a cara com a pequena e disse as palavras de apoio para sua amiga.

Yoona caminhou até o centro da neve tropeçando algumas vezes até chegar á uma distancia aceitável de sua dona. Já o pomposo gorila tremia o chão com seus passos e assustava a pobre coitada que o olhava de cima a baixo e percebia o quão grande era o seu problema. O silencio atacou, o vento soprava e fazia Erin tremer de frio, enquanto ambos oponentes se analisavam antes dos comandos. O silencio fora rapidamente quebrado pela voz velha e razinza do velho ao lançar seu primeiro comando.

- Comece com o Uproar! – Fora dito o comando do velho senhor Dio.

O Pokémon lançou um ataque de sua mesma propriedade contra Yoona, e como esperado do comando, foram emitidas três ondas sonoras em direção á sua oponente. Elas eram intensas e o som estremecia a batalha e fazia as neves das árvores caírem e formarem montes de neve. Ralts fora atingida pelas três, eram de efeitos sonoros, não havia como escapar.

Erin a observou, estupefata pelo estrago da onda sonora e não sabia como reagir, e logo começava a se arrepender de sua escolha. Quando a treinadora já se lamentava por ter pedido no primeiro turno e colocava toda sua carreira no lixo, Yoona levantou bravamente e pronta para a próxima ou foi pelo menos o que ela transpareceu, talvez ela só estivesse forçando para não decepcionar sua amada mãe. Em um movimento involuntário o Pokémon psíquico se Teleportou sem nenhum comando para trás de Slaking, foi ai que Erin percebeu a capacidade dela e entendeu a estratégia.

- Mostre o que sabe! – Na esperança de que Ralts soubesse algo efetivo contra a muralha de carne em sua frente.

“Fieeee” – O som produzido pela baixinha tentando realizar algumas de suas façanhas psíquicas contra Slaking. O velho babaca Slaking ria e levara isso como uma brincadeira de esconde-esconde, mas antes que voltasse a ficar sério foi surpreendido ao ver que seus pés esquentaram e que não estava mais com os mesmos enterrados na neve perante seu peso.  Ele agora estava levitando e sendo controlado pelo poder do Psychic. Os olhos de todos os presentes no local se esbugalharam e se impressionaram com tamanha ambição de Yoona ao levantar o pesado Slaking com o simples poder mental.

A criatura de cabelos esverdeados conseguiu manter o macaco flutuando no ar e percebeu a cara de deslumbre de todos ao seu redor e se sentiu vangloriada, pobre Ralts. Essa sensação a fez perder a concentração e perder o controle de seu perder a ponto de não conseguir suportar todo aquele peso e foi ai que aquela bola de carne peluda despencou em cima da criança, desesperando todos ao seu redor...
Luna
Luna
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
Crônicas de Erin  Left_bar_bleue0 / 100 / 10Crônicas de Erin  Right_bar_bleue

Data de inscrição : 22/10/2010

Frase pessoal : Bring the Noize


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Crônicas de Erin  Empty Re: Crônicas de Erin

Mensagem por Caio. em Qua 5 Mar 2014 - 1:41

Olá! Descobri finalmente quem você é u_u Te conhecia "melhor" pelo nick antigo, mas pra isso tive que falar com o Dábs. Sobre a fic, não curti mais a Erin u_u Achei ela muito grossa u_u Mas curti os poké dela. Parece um bom time. Sei lá, eu não curto muito o estilo de menina "so rebelde", talvez ela mude, talvez não... Queria que ela valorizasse mais a família. Quero ver esses gêmeos capeta hein ação novamente xD Eu entendo a irmã deles, entendo perfeitamente e.ê

A Erin é bem famosona pela cidade dela? Ela parece ser bem pr0 já, uma "mulher" (jovem q) feita, ya know? Sei lá, não tenho mais muito o que falar xD Curti o Ralts, espero que ela se desenvolva bem e vire uma Gardevoir dahora ^^ Ou então um Gallade né, quem sabe? q

S'ya ;P

PS: Decidi não ler as fichas, prefiro ir na onda da fic q Por que não as coloca na área de escritório? Assim fica mais organizado Wink

Black: A pedido da autora, trancada.
Caio.
Caio.
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
Crônicas de Erin  Left_bar_bleue0 / 100 / 10Crônicas de Erin  Right_bar_bleue

Data de inscrição : 27/06/2010

Frase pessoal : A noir. E blanc. I rouge. U vert. O bleu.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Crônicas de Erin  Empty Re: Crônicas de Erin

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum