Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Pokémon: The Pirate Age

Ir em baixo

Pokémon: The Pirate Age

Mensagem por Nagre em Qui 12 Dez 2013 - 13:17

   Pokémon: Pirates Age

Opening:


Índice:
Prologue
Chapter 1: The Sea Bitch
Chapter 2: Old And New Blood

Prologue:

Omega saiu do topo do Mt. Ember carregando uma Ultra Ball a mais no seu cinto, agora que tinha capturado um Pokémon Lendário ele com certeza era o pirata mais temido da região de Kanto.  Depois de sair da caverna, encontrou a maior parte de seus marujos, ao verem seu capitão um deles falou:

- E então capitão? Conseguiu capturar ele?

Omega sorriu ao ver que seus marinheiros estavam todos tensos, ele ergueu a Ultra Ball e liberou o Titã do Fogo, Moltres. O pássaro ergueu voo e depois deu um rasante por cima da cabeça de todos os piratas que começaram a pular e a gritar de alegria.

Os homens desceram até onde se situava a cidade da One Island, para comemorar a captura de Moltres, o bando de Omega faria um saque na cidade, o capitão não estava interessado no saque da cidade ou nos gritos de terror da população, só queria voltar para o seu navio, o Treasure e mostrar o Pokémon para seu imediato e amigo de infância, Alfa.

O Treasure estava ancorado longe da cidade, mas todos os habitantes da One Island tinham visto o grande galeão chegando e ancorando, sem dúvidas as autoridades estavam a caminho só que naquela noite a batalha seria mais fácil. Subiu a bordo do navio e encontrou homens jogando cartas e dividindo o dinheiro ganho em outros saques, ao verem o capitão todos já começaram a perguntar sobre Moltres, Omega mostrou o Pokémon e todos os homens começaram a cantar e dançar, a porta da cabine se abriu e um homem gritou:

- O que estão fazendo cães sarnentos? Fiquem a postos, quando o capitão voltar nós já vamos embora!

Alfa olhou para a Ultra Ball na mão de Omega e sorriu e então ordenou:

- Homens, içar velas! Estamos indo embora! Vamos passar na cidade e então vamos sair!

- Para onde vamos capitão? – perguntou um dos marujos novatos.

- Nós vamos para a Reunião é claro...

E então o capitão chamou seu imediato e se trancaram na cabine enquanto os marujos faziam o navio começar a navegar;

                                                                                                       --X--


Última edição por Nagre em Ter 7 Jan 2014 - 11:42, editado 7 vez(es)
avatar
Nagre
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 29/01/2010

Frase pessoal : O importante é aquilo que importa!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Pirate Age

Mensagem por Rush em Qui 12 Dez 2013 - 14:17

Bem, a área está voltando a se movimentar. Isso é uma coisa ótima. c:

Enfim, boa tarde. (:

Olha cara, vou ser bem sincero contigo. Essa foi uma das POUCAS fics em que eu achei que o Soundtrack - no caso, o opening - combinou com o decorrer da história e coisas do gênero. É um estilo não muito usado ou gostado, mas eu acho que ficou bem agradável escutar a música enquanto eu lia.

Mas eu vou ser bem direto. Não quero que você se ofenda, pois não tenho o intuito de te ofender, mas você cagou o prólogo no final, mano. Estava tudo legal e até "criativo" - me lembrou MUITO One Piece, mas misturar com Pokémon é algo até que legal -, você fez tudo bonito, deixou vários mistérios que me deixaram interessado para ver o decorrer da história. Mas mano.. Essa parte do Vincent foi algo que... Destruiu toda a harmônia da história.

Veja.. Primeiro estava um clima pesado - por se tratar de piratas fora da lei -, que se misturava com a alegria de uma missão importante cumprida. Algo meio bárbaro, sujo, algo que realmente é novo para a área. E por causa de uma simples linha, tudo isso foi destruído, mostrando que, o clichê está de mãos dadas com o inovador, de uma maneira em que os dois se repilam.

Se você fizer uma história de um menino de 15 anos pronto para começar uma jornada, sendo que no prólogo você introduziu um bando de piratas capturando um Moltres... Eu sinceramente não irei ler, pois sei que a troca de climas será decepcionante. No entanto, se você fizer uma fic só de piratas, eu com certeza irei ler.

Enfim.. Irei aguardar o primeiro capítulo. Um abraço cara, e boa sorte.


avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Pirate Age

Mensagem por Black~ em Qui 12 Dez 2013 - 14:30

Bom, vamos lá.

Eu nunca assisti One Piece, então não posso comparar as histórias. Mas essa ideia de pirata e tals, achei bem interessante, um tema raro de se ver, pra falar a verdade, nunca vi uma fic de piratas no fórum. E certamente será uma fic mais adulta e madura, algo bom de se ver.

Concordo com o Rush, o capítulo esteve bom, mas esse Vincent no final realmente "ferrou", digamos assim. Eu não tenho nada contra histórias de jornada, mas a sua já estava no clima dos piratas, deixava a história somente neles. Ou então pelo menos faz o Vincent querer ter uma jornada pokémon pra se tornar pirata, não um mestre. Sei lá, ele encontra algum pirata na rua, vira amigo dele e decide virar pirata, mas inove, não prenda-se na mesmice de um garoto que luta por insígnias e pra ser um Mestre Pokémon.

Esse Omega era realmente forte né. Pois conseguiu capturar o Moltres. Acredito que ele tenha gastado várias Ultra Balls para conseguir capturá-lo -q. Mas sei lá, foi diferente o cara ter capturado um lendário logo de cara, mas enfim.

Achei que a repetição ficou meio excessiva, não foi nenhum bicho de sete cabeças, mas "Moltres" e "Omega" poderiam ter sido ditas menos vezes. Poderia sei lá, colocar sinônimos, descrição - que por sinal faltou - ou qualquer outra coisa, mas enfim.

Eu não sou de reclamar do tamanho, sou do tipo que prefere capítulos pequenos, mas nem tão pequenos. Quer dizer, entendo que seja um prólogo, mas os próximos capítulos podem ser um pouquinho maior, mas isso não é uma crítica, só estou falando mesmo.

Erros não vi nenhum prejudicial à leitura.

Portanto é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

The Sea Bitch

Mensagem por Nagre em Dom 15 Dez 2013 - 13:54

Comentários::
Spoiler:
Rush: Depois de ler o prólogo e os capítulos que eu tinha escrito no pc eu vi a quebra de clima que você falou e decidi fazer difrente, mas agora vamos seguir por um rumo que lembra mais a pirataria que nós tivemos no nosso mundo, a de OP é um pouco mais leve (embora eu curta muito)

Black: Mesma coisa que escrevi para o Rush, o garoto foi "apagado" (na verdade vou escrever outra coisa para ele, só que mais para frente) e sim Omega é forte, mas nos primeiros capítulos não vou mostrar muito sobre os Pokés dele.

Opening::


Chapter 1: The Sea Bitch

O dia era ensolarado no mar, mas o Treasure não podia parar até chegarem ao local onde seria a Reunião Pirata, essa reunião só acontecia quando algo de extrema importância acontecia no mundo pirata. O motivo dessa reunião é a prisão do primeiro pirata do mundo Pokémon, Shumpert “Imperador” Krost havia sido capturado pela Marinha e se encontrava na prisão de segurança máxima de Azkatraz com sua execução programada daqui a duas semanas na cidade de Vermillion a reunião iria decidir se os piratas iriam resgatar o Imperador ou deixá-lo morrer.

Enquanto o bando de Omega ainda estava longe do local da Reunião, todos os marujos que estavam fora de serviço deveriam estar treinando, o capitão do navio estava observando tudo.

- Hey Milotik, não vai contar para alguém do bando do Giovanni que seu Grimer não consegue usar Mud Bomb e Monzi não espalhe por ai que você capturou um Dunsparce, não quero que ninguém tire sarro da minha tripulação.

Foi nesse momento que o cozinheiro Gunther trouxe várias bandejas de Magikarp frito e para acompanhar o prato muito rum, enquanto os marujos comiam o cozinheiro e o capitão conversavam:

- O que acha? Será que os capitães vão entrar em acordo e guerrear com a Marinha pelo Imperador? – perguntou Gunther.

- Quando eu era marujo em outro navio, eu vi Shumpert em ação e o cara era um monstro, ele acabou com os marinheiros que estavam bloqueando a passagem usando só um Snorlax, mas não sei se todos os capitães vão querer salvá-lo, afinal ele ‘tá ficando velho.

Uma briga havia começado pelo rum, mas o chef apenas sorriu e continuou:

- Shump ajudou a criar o Código Pirata e nele ‘tá escrito, “Se um homem ficar para trás, ele é deixado para trás”. Também duvido que os capitães votem a favor de irmos salvá-lo.

- Ainda não entendo, ele era muito forte não sei como eles conseguiram capturá-lo...

O cozinheiro decidiu deixar seu capitão sozinho em seus pensamentos e voltou para a cozinha do navio. Os marujos treinavam e Omega supervisionava, apenas com a metade da atenção, ainda estava pensando em como a Marinha tinha conseguido capturar o Imperador Pirata, mas não capturara o resto de sua tripulação.

Com o vento a favor os piratas do Treasure já conseguiam ver a Cinnabar Island ao longe, o navegador do navio (Kranos) decidiu que era melhor que não passassem perto daquela ilha que continuava instável desde a erupção que destruiu a cidade. Agora seria uma navegação mais difícil, já que o navio usado pelo bando de Omega é um galeão, que é um navio muito grande e que pode transportar muitas pessoas e várias cargas e a geografia ao redor da ilha era repleta de bancos de areia altos, Kranos teria que orientar muito bem a tripulação para que o navio não encalhasse.

O capitão subiu as escadas até ficar de frente do timão, onde ele conseguia falar com todos seus marujos e então falou:

- Atenção homens! Quero que icem a nossa bandeira e que fiquem atentos a qualquer navio que surgir e se aparecer algum nós iremos invadir.

A Jolly Roger do bando de Omega era uma caveira com duas tíbias cruzadas e embaixo desses ossos havia uma ampulheta, ou seja, rendam-se enquanto há tempo ou irão todos morrer.

Quando o navio estava deixando a ilha de Cinnabar para traz e já se aproximava da Seafoam Island quando o rapaz que estava no topo do mastro avistou um Clipper, que é um navio pequeno, que tem muitas velas e por causa disso é o tipo de navio mais rápido que existe, porém todos os Clipper têm dez canhões e podem levar cinquenta e cinco homens.

Omega inspirou a brisa salgada que vinha do mar e pensou em como sequestrar aquele navio, geralmente o capitão do Treasure saqueava o navio inimigo e depois o destruía, pois era contra ter uma frota de navios. Por mais que uma frota tenha muito poderio de ataque, ela sempre chama a atenção onde quer que a tripulação vá e não permite excursões furtivas tais como a captura de Moltres. Porém, um Clipper era uma embarcação de velocidade e na visão de Omega poderia ser um navio batedor, que poderia ir à frente do galeão principal e bater o território.  O rapaz foi tirado de seus pensamentos por Crunchy e Bart que estavam na frente dele com quatro ganchos nas mãos, eles resmungaram:

- Tudo pronto para o abalroamento, senhor.

- Dessa vez nós vamos fazer algo diferente rapazes. – E então assobiou chamando a atenção dos marujos – quem tem Pokémons aquáticos e voadores venham comigo! E dessa vez não façam estragos no navio ou vão ser disparados de um canhão!

Vinte marujos trouxeram seus pássaros Fearow, Pidgeot eram os mais comuns, mas também tinham Golbat, Butterfree, Farfetch’d e um Crobat e é claro o Moltres do capitão, já na água tinham vários tipos de Pokémons diferentes com destaque para o Gyarados de Alfa

Os marujos pularam no mar e montaram em seus Pokémons enquanto os pássaros já estavam no ar, Omega pulou nas costas de Moltres e reparou que o fogo que saia da crista e das asas do pássaro não o queimava, ele deu uma batidinha nas costas da montaria e falou:

- Safeguard antes de decolar.

Um fino brilho percorreu o corpo do Pokémon e então ele decolou muito rapidamente e em questão de minutos a frota aérea do Treasure já estava em cima do navio inimigo.

Os tripulantes do navio que estava prestes a ser tomado já estavam disparando seus canhões na direção dos Pokémons aquáticos e os marinheiros estavam agitando suas pistolas tentando acertar as aves, Omega vislumbrou um marinheiro apontando para Moltres e se ajoelhando no chão, outros mais ousados convocaram seus pássaros para uma batalha aérea.

Um Pidgeot vinha na direção de Moltres e o rapaz que vinha montado mirava a pistola no peito de Omega, mas não conseguia um bom ângulo de mira, o capitão já ia atacar quando o Crobat chegou acertando a ave inimiga com várias acrobacias e depois do pássaro rival estar desacordado o rapaz que o montava foi atingido pela asa do morcego e caiu no mar, já o Pokémon dele foi capturado pela tripulação do Treasure, quando o capitão olhou para o navio ele viu que estava tudo sob controle e então deu um rasante e pulou na direção da proa.

A pequena embarcação tinha poucos estragos, porém havia muitos corpos sendo jogados na água os sobreviventes formavam uma linha reta e estavam todos acorrentados, Alfa estava sentado no chão a frente dos prisioneiros e quando viu seu capitão já começou a discursar:

- Om, foi um sucesso! Sobraram aqui doze homens e o resto já foram sepultados no mar, o dinheiro, a comida e outras cargas já estão sendo transportadas para nosso navio. – ele olhou para baixo – claro que perdemos Hugh, Jack, Louie, Petty e Young Tom, seus Pokémons já foram libertados e os outros marujos estão fazendo os caixões para o sepultamento no mar. Agora capitão, só nos resta explodir esse navio e voltar.

- Não vamos explodir nada dessa vez, esse navio agora é nosso navio batedor. – ele reparou vários olhares confusos e então explicou melhor – um navio que vai na frente do Treasure e que procura outros navios.

Houve murmúrios de concordância, afinal os marujos já foram acordados muitas vezes durante a calada da noite para batalhar contra a Marinha ou contra caçadores de recompensas ousados. Omega olhou para o grupo de prisioneiros e discursou:

- Vocês lutaram bravamente – alguns piratas riram – mas agora vocês são nossa propriedade, assim como esse navio. Vocês podem ser libertados para continuar trabalhando nesse navio, mas como piratas do bando do Omega.

Um velho que estava entre os prisioneiros gritou:

- Eu prefiro ser fatiado do que servir alguém que é a escória da humanidade! Tomara que você monte no colo do Davy Jones! – e cuspiu na cara de Omega.

O velho foi atingido por mais de vinte tiros dos piratas enfurecidos e depois foi jogado no mar, ao ver a selvageria dos piratas os outros prisioneiros nada falaram, o capitão limpou o cuspe e prosseguiu, agora com um tom mais mal-humorado.

- Agora que fiquei mais bravo, serão só três que ficarão neste navio o resto de vocês serão vendidos como escravos em alguma ilha que o governo ainda não mapeou, mas para os outros três não ficarem com ciúmes, depois que vocês ensinarem como que se navega esse navio, serão vendidos como escravos também.

O bando deu gargalhadas depois da declaração do capitão, um dos prisioneiros começou a choramingar e foi esbofeteado por um dos piratas, Omega perguntou para o grupo:

- Qual é o nome desse navio? Reparei que ele não tem carranca nem nada.

- El-Ele s-s-se ch-chama Donzela do Mar, senhor.

Os piratas gargalhavam cada vez mais “Nome de bicha”, “Estupramos a donzela” “Viadinhos” e outras ofensas era o que se ouvia, o capitão assobiou para
acabar com a algazarra e perguntou:

- Vamos colocar um nome decente para esse navio, sugestões?

Os marujos gritavam [palavra censurada] Voador, Moltres, Vitória do Capitão, porém o que mais se ouvia era Cadela do Mar.

- Está decidido! O nome do navio é Cadela do Mar! – olhou para os prisioneiros – Tirem esses lixos da minha frente!

Deixaram três marinheiros para trabalhar no novo navio e os outros foram descidos para os botes do Treasure, as expressões dos prisioneiros eram tão vazias que se achava que preferiam ter morrido. Omega também deixou trinta homens para cuidar do Cadela e na votação para definir o navegador do navio venceu um dos rapazes que conhecia mais de navegação chamado de Jack Risonho.

A tripulação agora se encontrava perto de Fuschia, onde os bancos de areia eram menores e de mais fácil acesso, porém não navegariam mais naquele dia. Já que passaram o resto da tarde repintando o nome do Cadela do Mar, criando uma carranca e pintando as velas com a Jolly Roger do bando de Omega e também cuidando dos funerais dos marujos mortos. Agora já era noite e o bando não navegava durante a noite, o capitão foi dormir pensando em como que a Marinha tinha prendido o Imperador, mas a tripulação continuava toda livre.


Notas: Todas as informações colocadas por mim sobre embarcações são factuais.

Jolly Roger:
Spoiler:
Reunião Pirata:
Spoiler:
avatar
Nagre
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 29/01/2010

Frase pessoal : O importante é aquilo que importa!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Chapter 2: Old and New Blood

Mensagem por Nagre em Ter 7 Jan 2014 - 11:39

Opening:



Chapter 2: Old and New Blood

Já estavam longe da ciclovia que ligava Celadon até Fuschia, agora era só o Treasure continuar em linha reta que o bando de Omega chegaria até a Baía dos Naufragados, local que abrigava uma das vilas piratas de Kanto.

Omega já conseguia ver mais de cem navios aportados na Baía, um número tão grande chamaria a atenção de alguém, mas ninguém parecia se importar com aquilo. O Cadela do Mar já estava ancorado e os marujos dentro da embarcação já estavam brigando com outros que tentavam roubar um local no porto, mas os outros saíram resmungando ao ver a carranca do Treasure (Um homem com a garganta cortada e de braços abertos).

Havia uma garotinha fazendo uma convocatória dos homens mais fortes do navio pelas recompensas: são eles o imediato Alfa, o cozinheiro Gunther, o navegador Kranos, o atirador Chrissy, o espadachim Moro, o ex-escravo lutador das arenas, o gladiador Popovich, o navegador do Cadela, Jack Risonho e o médico Dr. Tywin,  na Reunião todos os homens não podiam libertar seus Pokémons, o que para o Omega era um alivio já quem ninguém nem desconfiaria que ele tinha posse de Moltres. A garotinha olhou para o capitão, apontou uma máquina e ela falou:

- Este é “Capitão” Omega, nascido em Pallet Town, recompensa atual é de duzentos e cinquenta milhões de pokédollars.

- ISSO! Minha recompensa aumentou em quinze milhões! – os marujos davam tapinhas no ombro dele orgulhosos.

- Depois do saque na One Island, muitos de seus homens ganharam recompensas e como você era o mandante, a sua aumentou um pouco mais... – ela apontou a máquina para Alfa.

- Este é Alfa “The Cold Killer”, Imediato do Bando de Omega, nascido em Pallet Town, recompensa atual é de duzentos e dez milhões de pokédollars.

- Merda! A minha não aumentou...

- Não se sinta assim Alfa, se você se esforçar ela vai aumentar. – falou alguém que estava jogando a âncora no mar.

A menina tinha uma expressão vazia no rosto, apenas continuou apontando a máquina para verificar as identidades dos piratas.

- Este é Chrissy “Tiro Certo”, Atirador do Bando de Omega, nascido em Lumiose City, recompensa atual de cento e vinte e quatro milhões de pokédollars.

- Este é Popovich “O Esmagador”, Membro do Bando de Omega, ninguém tem informações do seu nascimento, recompensa atual de duzentos milhões de pokédollars.

O gigante ficou contente e resmungou algo como “Aumentou” e começou a rir de Chrissy que estava triste.

- Este é Gunther “O Caranguejo”, Cozinheiro do Bando de Omega, nascido em Cinnabar Island, recompensa de cento e quarenta e quatro milhões de pokédollars.

- Este é Jack Risonho, Membro do Bando de Omega, nascido na Route 1, recompensa de cento e cinco milhões de Pokédollars.

- Aumentei trinta milhões!

- Você foi o membro mais ativo no saque da One Island, por isso aumentou tanto. Sinta-se feliz. – falou a garotinha sem expressões.

- Este é Moro “O Estripador”, Espadachim do Bando de Omega, nascido em Pewter City, recompensa de cento e noventa milhões de pokédollars.

Moro nada disse, apenas deu um tapinha nas duas espadas que carregava na cintura.

- Este é “Intelectual” Kranos, Navegador do Bando de Omega, nascido em Saffron City, recompensa de cento e quinze milhões de pokédollars.

- E o último membro acima de cem milhões é Tywin “O Leão”, nascido em Olivine City, recompensa de cento e oitenta e três milhões de pokédollars.

A garotinha guardou a maquininha, forçou um sorriso e falou:

- Aproveitem sua estadia na vila de Tortukra, agora eu tenho que ir verificar os membros da frota pirata de Giovanni...

Os marujos mais fracos eram ordenados a ficarem nos navios, apenas os tenentes podiam participar da Reunião, mas os marinheiros iriam assistir tudo pelos televisores presos nas copas das árvores mais altas.

A estrutura da vila escondida de Tortukra era invejável, caso alguém suspeitasse que houvesse pessoas que eram amigas, esposas e maridos, filhos e filhas de piratas e contassem a localização para a Marinha, os Pidgeys que ficavam de tocaia nas fronteiras da floresta chegavam primeiro na vila e todas as casas nas árvores eram desmontadas e as pessoas escondidas em um abrigo subterrâneo.

Mal sabia a Marinha e o governo, que havia quatro vilas escondidas que serviam de porto seguro para os piratas no continente de Kanto, eram elas: a vila de Tortukra, a ilha de Madastar, o Rochedo Castepor e a Baía dos Mortos, locais remotos e de difícil acesso que eram seguros para pessoas fora da lei.
Omega e seus tenentes estavam andando pelo mato até a árvore mais alta da vila e viram vários rostos conhecidos em bares, em brigas no meio  das vielas, haviam vários piratas famosos: Black Star, Capitão da Segunda Divisão dos Piratas do Giovanni que estava bebendo junto com White Star, Capitã da Terceira Divisão e Green Star, Capitão da Quarta, todos já haviam sido membros do Team Rocket.

Viram um grupo que chamava atenção por estarem usando ternos Armani, Omega nunca os tinha visto, mas sabia que deviam ser do bando de Al Capon, um dos novatos.

Os piratas todos ouviram um apito da árvore mais alta e todos os capitães e tenentes começaram a se dirigir na direção de uma casa na árvore gigantesca que ficava na maior árvore que Omega já tinha visto na vida, todos os bandidos estavam subindo a escada caracol enquanto a garotinha sem expressões estava ligando as câmeras da vila para a transmissão para os marujos.

Os piratas entraram em uma sala muito oval bem grande, uma grande mesa cortava a sala de ponta a ponta e cada cadeira estava com o nome de um capitão, Omega logo achou a sua e seus companheiros ficaram ao seu lado observando tudo, um pirata que usava uma bandana branca apontou para a bandana vermelha de Omega e veio correndo para se apresentar:

- Você é Capitão Omega não? Eu reconheceria essa bandana em qualquer lugar. – disse ele apontando – eu sou Carmelo Aldridge, um admirador.
Os dois apertaram as mãos e Carmelo continuou falando:

- Sempre acompanhei de perto a sua história, o senhor é muito interessante. Com nove anos já era um pirata no navio de Joey Scott e com dez ganhou a alcunha e recompensa, mas o que interessa mesmo é que devia ser incrível navegar com um dos maiores piratas que já existiu.

- Sim, Capitão Joey é incrível, se eu soubesse onde ele está até o chamaria para vir comigo para a Reunião.

A garotinha sem expressão entrou na sala com um homem de muita idade e que era conhecido por ser o “palestrante” dos piratas, Carmelo voltou para sua cadeira e o velhote se curvou e começou a falar:

- É uma honra para mim, ver que a pirataria cresce a cada dia que passa. Temos novos rostos nessa mesa hoje e há tantos novatos no mar que ainda são muito verdes para estarem aqui. – ele fez uma pausa para respirar e prosseguiu – Porém, o motivo de nossa reunião é mais preocupante, nosso Imperador foi capturado e o que vamos decidir aqui pode mudar o curso das correntezas do mundo...

Popovich pegou garrafas de rum que ele trouxe escondido em sua sacola e entregou para todos os membros do bando e então Omega começou a reparar em cada pirata que estava ali sentado em vez de prestar atenção no discurso do velho.

Na ponta da mesa estava um senhor de cinquenta anos de idade, usando folgadas roupas brancas com um cinturão de pano preto na cintura, calvo e com pés de galinha embaixo dos olhos, aquele era o pirata mais temido de Kanto e que também havia sido líder da Team Rocket, Giovanni, dono de uma frota com mais de quarenta navios, o velho tinha uma recompensa de quinhentos e setenta milhões pela sua cabeça. Atrás dele se encontrava cinco de seus tenentes, eram eles Black Star que era um jovem corpulento de cabelos espetados e que era conhecido pela crueldade que tinha, White Star usava um vestido colegial para atiçar todos os homens que estavam presentes, muito linda e também muito astuta, Green Star era um homem musculoso e era conhecido por ter mais músculos do que bom senso, Purple Star era uma mulher de vinte e oito anos, morena, dos olhos verdes e era outra que fazia virar cabeças, mas aquela mulher era conhecida por decepar homens que pensavam que ela era apenas um rosto bonito e havia Red Rocket que usava o uniforme da antiga Team Rocket, o membro mais leal da tripulação de Giovanni.

Do lado de Giovanni estava o capitão dos rapazes de terno, o novato que estava se tornando respeitado no continente, Al Capone usava um chapéu fedora e um terno Armani, era um pouco roliço e havia começado sua carreira como pirata há pouco tempo quando fugiu da penitenciária de segurança máxima de Vermillion, ele valia cento e cinquenta milhões de pokédollars, atrás dele estavam seus homens todos de terno e fumando charutos.

Também se encontrava na mesa o novato Carmelo Aldridge que era o fã de Omega, pouco se sabe sobre ele e seus homens apenas que todos na tripulação eram negros (inclusive o capitão), Aldridge usava uma bandana branca na cabeça e roupas folgadas, tinha sua espada nas costas que se chamava Vendetta, valia cento e setenta milhões de pokédollars.

Perto de Omega estava outro veterano de Kanto, um homem magro que estava usando um turbante com uma barba que era vermelha, mas tinha alguns pelos pretos. Aquele era Anthony “Barba Ruiva” Davis, conhecido por usar o sangue dos homens que matou para tingir a barba, tinha uma recompensa de duzentos e setenta milhões de pokédollars.

Outro novato que estava presente trazia homens de terno também, só que em maior número que o do bando de Capone, era o jovem pirata que vinha de uma Família da máfia, Vito Leone, atrás deles havia vários homens, um era alto e franzino de nome Salvatore Tessio e outro era baixo e gordo de nome Peter Clemenza, dois caporegimes de Leone, ao lado do pirata mafioso estava seu imediato, Tom Hagem. Vito valia duzentos milhões de pokédollars e o nome de seu navio era Sicília

Havia mais três veteranos que atuavam em Kanto que estavam presentes, outros piratas que atuavam na região e que eram poderosos como o Ex-Líder de Ginásio, Brock, não estavam presentes por não acreditar na “democracia” dos piratas.

Os três capitães veteranos eram: Aníbal “Savage” Barca, um cara meio louco que usava uma armadura medieval completa e que costumava ter areia no convés do seu navio para que o chão não ficasse escorregadio de sangue na madeira, seu imediato Atila “o Huno” também era meio maluco e também usava armadura, Aníbal valia trezentos e noventa e nove milhões e Atila valia trezentos e noventa e oito milhões de pokédollars.

Outro era Gregory “Black Panther” Shakur, tinha fugido da penitenciária de Vermillion já fazia quinze anos e durante a fuga roubou um dos maiores navios motorizados que o porto da cidade tinha o S.S. Anne que é o navio que continua sendo usado por ele até hoje, Greg foi um dos principais motivos de os navios motorizados terem caído no desuso por parte das autoridades, pois não vale o risco de usar um navio que pode ser uma grande arma nas mãos de um pirata, atualmente Shakur vale quinhentos milhões de pokédollars.

E para fechar os veteranos de Kanto presentes na Reunião estava Lillian “Bela” McLoud, apesar da alcunha aquela era a mulher mais feia que Omega já tinha visto, ela era incrivelmente gorda, tinha furúnculos nos braços, porém uma capitã muito temida na região por causa de seu pensamento estratégico e falta de piedade com sua própria tripulação, vale quatrocentos e vinte milhões do pokédollars.

- ...Então agora chegamos ao motivo pelo qual vocês todos vieram até essa vila escondida, os piratas de Kanto vão ou não tentar salvar o Imperador Pirata, Shumpert?


Um capitulo com mais descrição, para trazer a maioria dos piratas da região de Kanto que vão estar presentes na história.
Ps: Não são conhecidos capitães negros na pirataria, então dei uma inovada e coloquei alguns ai

Vilas Piratas Escondidas:
Spoiler:
avatar
Nagre
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 29/01/2010

Frase pessoal : O importante é aquilo que importa!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon: The Pirate Age

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum