Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

My Kirlia is a Cupid!

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Shindou Hajime em Qua 18 Set 2013 - 21:04

FINALMENTE CHEGUEI, PESSOAS! Sentiram minha falta? Hein? Sentiram? 8D /parei
Peço MIL DESCULPAS pelo atraso de 2 semanas que My Kirlia is a Cupid teve, sério mesmo. Estava atolado com algumas coisas, porém conseguia um tempinho para vir aqui e ler umas fics, mas escrever a minha nada. x_x Ontem finalmente pude esfriar a cabeça e terminar o tão aguardado capítulo do encontro de Ace com seu primeiro alvo: Merry Decelve!

Antes de seguir com o que eu achei desse cap, vamos responder os comentários!


Resposta aos Comentários:
Rush: SEU LINDO! <3 Fico feliz que gostou! E pois é, eu quis fazer um cliffhanger para deixar vocês mais ~interessados~ sobre como o encontro sairia 8D É, essa competição que Ace, Schneider e Accel irão participar vai ser muito boa, estou muito animado para escrevê-la. *-*
Não importa com que tipo de pessoa o protagonista ande ou fique, ele sempre será invisível LASKALKSA' A estranheza dele consegue anular a habilidade de popularidade dos outros (?) Sobre a Decelve, você verá mais um pouco da dupla personalidade dele nesse capítulo. xD
Sim! Ace é arrogante, contudo pelo menos tem cérebro, né. O que falta e muito no garoto parafuso -Q Sobre o Ash, eu não pensei nisso para falar a verdade, vou ver o que posso fazer. Aham, o Pokémon do Schneider é o Charmeleon mesmo!
Obrigado pelo comentário e espero que continue acompanhando! *-*

Black~: Grande Black! KALSLAKLSKA', desculpe pelo encontro não ter acontecido XD Mas vou tentar compensar vocês com esse capítulo. u.u Sim! O Accel é muito "Maria vai com as outras", e mesmo o protagonista sendo bem chatinho, ele pelo menos não é enganado tão facilmente, né não? LAKSALKSA'
LOL! Que isso, Black! KLAKSKLAKSA' Imaginei agora o Ace tendo um encontro com uma criancinha... Mano, que bizarro! O_o' -q
Pois é, aos poucos o relacionamento do protagonista com a EME vai se deteriorando e crescendo por uma série de fatores, você verá! Terá muitas confusões a mais pela frente. XD
Sobre os nomes, poxa, o Sherabiff ainda é o melhor! SHUDHASDHIUSAHE'
Obrigado pelo comentário e espero que continue acompanhando! *-*


Agora em relação ao capítulo... Gostei do resultado dele, eu achei que ficaria ruim, pois estava bastante tempo sem escrever e pensei que não conseguiria incorporar mais o personagem do Ace tão bem, no entanto gostei do resultado! Aqui nós temos o encerramento da metade do primeiro arco, ou seja... A captura (?) do primeiro alvo! Espero que gostem do cap, e caso queiram saber como é a aparência da Merry Decelve, só olhar a ficha dos personagens que irei atualizá-la!

Sem mais delongas, aproveitem o capítulo!





Capítulo 6: Primeiro beijo.


Eu estava de frente para Merry Decelve, a famosa filhinha de papai do instituto Thunderbolt, uma garota que era cobiçada por vários idiotas sem mente permanecia sentada no banco olhando-me de cima para baixo.

Meu nervosismo ultrapassava níveis astronômicos, aquilo era diferente de um encontro nos simuladores! A menina de cabelos rosa não sorriu e nem fez nada, ela nem mesmo deu um maldito olá! Seus globos oculares pareciam estar fazendo uma análise de minha aparência.

Engoli seco e suspirei. As gotas de suor que deslizavam pela minha face por sorte – ou azar - ainda não foram vistas pela jovem.

- Com licença... – Merry chamou-me, assim se levantando e ficando a centímetros de mim.

Ao colocar-se de pé e ficar tão perto de minha pessoa, instintivamente me afastei para ficar a uma distância segura dela.

- Hm? Aconteceu algo? – A garota perguntou-se ao ver o meu ato.

- Ahn... Não, claro que não... – Menti.

Caramba, é lógico que tinha um problema! Como essa maldita faz um movimento desses e não vê nada demais?! Se fosse uma garota 2D, a mesma ficaria envergonhada e se desculparia, e pelo menos isso me acalmaria um pouco... Só que não devo esperar coisas boas vindo de uma residente do mundo 3D.

Preciso gravar na minha mente de nunca mais falar nada que dê a entender que foi algum tipo de promessa com a EME...

- Então... Você não seria o namorado da novata? – A menina interrogou, assim inclinando sua cabeça para o lado com uma face curiosa.

Naquele momento, a ficha caiu. Tinha esquecido completamente daquelas palavras idiotas que a Kirlia havia dito no primeiro dia de aula! Meu deus, e agora?!
Se ela achar que estou traindo a minha suposta amada, então o plano de conseguir conquistar o coração dela iria por água a baixo!

... Pensando melhor, caso tudo dê errado, então não terei culpa e tanto o protótipo de plâncton quanto aquele cientista incompreendido iriam ver que é perda de tempo.

Essa é a minha chance! É hora de acabar com todo esse projeto sádico que estou envolvido... Posso me ferrar no começo, pois tenho certeza que levarei um soco ou tapa... Contudo depois será um mar de rosas.

- Ah é... Sou sim! – Garanti forçando um sorriso falso.

- Oh... – Murmurou Merry, assim rindo de leve.

... Espera.

ELA RIU?! COMO ASSIM?! QUE TIPO DE HIPÓCRITA É ESSA QUE RI POR ESTAR SAINDO COM ALGUÉM QUE ESTÁ COMPROMETIDO Á PESSOA QUE CONSOLOU A MESMA?!

- Não acredito que a EME queria tanto me ajudar que até pediu para o próprio namorado sair comigo... – Comentava a filhinha de papai continuando a rir. – Ela é mesmo incrível, não é?

Sinceramente... Estou tentando entender se a garota de cabelo rosa que é uma débil mental ou eu que não escolhi as palavras certas para expressar minha resposta.

- Você entendeu errado... Não quis dizer iss – Antes que pudesse terminar minha frase, a minha mão direita fora segurada pelas da menina, o que a fez sorrir ao fazer isso.

Parecia estranho, entretanto ver a face dela daquele jeito acabou fazendo com que minhas bochechas ficassem rubras novamente. Algo ao qual jamais ficaria acostumado devido que apenas as personagens dos games eram capazes de fazer isso, ou seja... Quando uma fêmea da realidade faz tal ato, meu cérebro não consegue digerir a informação disso!

- Vamos, se não iremos perder o horário! – Avisou Merry enquanto começava a me arrastar pelo braço.

Pensei em tentar falar aquilo sobre estar traindo a Kirlia para a filhinha de papai, mas decidi deixar de lado. Porém não pensem que seja por pena... O fato é que duvido muito que ela vá entender. Afinal se juntarmos a mentalidade natural dos alunos da Thunderbolt com a reação que a garota de cabelo rosa teve há algum tempo atrás, a resposta fica bem simples.

Deixei meu corpo ser levado pela força da menina, o local de nossa parada seria a segunda maior construção – sendo a primeira o farol – de Sunyshore: O shopping.

- E o meu pesadelo começa... – Pensei ao ver a entrada para o nosso destino se aproximando aos poucos conforme andávamos.


~///~


Aquele prédio deveria ter uns vinte e seis andares, o mesmo era repleto de lojas e lanchonetes de vários tipos e famas.

Quase todas as formas de entretenimento fora criado dentro daquele lugar, não importava se fosse cinema, fliperama, restaurantes ou até mesmo campos especializados para caso treinadores idiotas quisessem lutar dentro de lá, o que em minha singela opinião é uma burrice, pois quem seria o bastardo ao qual visitaria um shopping para batalhar com aqueles monstrinhos de bolso?

... Talvez o Accel fosse, contudo até mesmo aquele cérebro de parafuso deve ter um pingo de noção. Acho.

Ao entrarmos na construção, a pequena luminosidade alaranjada das ruas de Sunyshore fora substituída por uma iluminação dourada e grandiosa, a qual se misturava com os brilhos variados das lojas, as cores principais que pude ver ali eram o azul, verde e vermelho. Além de claro, uma multidão de gente perambulando pelo andar, sem contar as que subiam escadas ou pegavam o elevador.

Do lado de dentro não aparentava ser de noite, a sensação que aquilo passava era a de uma manhã bem animada até... Só que os vários sons de conversa acabavam irritando os meus ouvidos.

Dei uma olhada em volta para checar por completo o primeiro andar, e consegui achar uma coisa especial... Entre uma loja e outra, bem no meio existia um arbusto, ou melhor... “Uma arbusta”.

Não consigo acreditar que de todos os tipos de disfarces existentes no mundo, o humanoide escolhe logo esse! O protótipo de plâncton será que nem percebe o quão errado a escolha de posicionamento está? Desse jeito qualquer um iria suspeitar, caramba!

- Por aqui. – Disse a filhinha de papai voltando a me puxar, o que fez com que eu perdesse a Pokémon de vista.

Fomos passando pelas pessoas, o que demorou um tempo, só que no final conseguimos alcançar a praça de alimentação.

As mesas e cadeiras eram feitas de uma madeira bem bonita, os lustres no teto aumentavam a beleza do cenário, no entanto... Como esperado a maioria dos lugares disponíveis estava ocupada.

Aquilo parecia um tipo de corredor, os restaurantes mais gordurosos ficavam do lado esquerdo e os leves da direita, enquanto que no meio era onde podíamos achar um lugar para assentar e degustar do pedido.

Bem no final do caminho fomos capazes de achar um ponto para sentarmos, e por sorte conseguimos pega-lo antes que outros fizessem isso.

- Arf... Arf... Por isso que o mundo 3D é um lixo... Se fosse no 2D, nós já teríamos aparecido aqui sem precisar passar por isso... – Resmunguei ofegante.

- Está tudo bem? – Perguntou Merry, ela provavelmente não ouviu o meu resmungo.

- De certa forma... – Respondi apoiando meu queixo sobre a mesa.

- Então... – A filhinha de papai tentou começar um assunto. – Há quanto tempo você e a EME estão juntos?

- Sei lá. – Disse sem me importar muito. – 2 meses e meio, acho.

- Ahn... “Acha”? Ela não fica com raiva de ti por conta disso?

- Por que ficaria?

- Bem... Saber a quanto tempo está junto e qual é o dia de comemorar é uma parte essencial de um relacionamento. Tem certeza que a mesma não ficou com raiva por conta disso nenhuma vez?

Na verdade a Kirlia ficou sim estranha nos últimos momentos antes de nos separarmos... Entretanto duvido MUITO que seja por conta disso.

Aliás, o modo como a jovem está falando do meu suposto “namoro” com o humanoide está me mostrando às brechas para chegar ao
True Ending da rota dela.

(Nota do Autor: True Ending, o que literalmente significa “Final verdadeiro” seria o desfecho correto ao qual um game deve seguir caso tenha vários finais).

Só que deveria pensar bem antes de agir, por mais que quisesse acabar com aquele encontro e missão idiota de uma vez, as chances de dar errado graças a eu apressar os eventos iria aumentar bastante.

Deveria começar o ataque, mas de leve e ai sim começar a progredir o dano que ele causaria.

E Sim, esses momentos merecem uma estratégia de verdade, e não bodes expiatórios iguais essas batalhas Pokémon.

- Mais importante... O protótipo de plânc... – Parei a fala no meio. Caso eu chamasse a minha “amada” disso na frente de Merry, os meus pontos com ela iriam descer bastante. – A minha... Er... Namorada me contou o motivo de você precisar de companhia apenas superficialmente... Se puder me dar uma explicação mais detalhada, eu agradeceria... Assim seria capaz de lhe ajudar de um jeito significantemente melhor.

A face da filhinha de papai mudou de uma forma drástica ao ouvir as minhas palavras, aquilo pareceu o sol sendo escondido repentinamente por nuvens negras... E das piores. Até mesmo a pressão do ar aparentava ter mudado, e agora a cabeça da garota de cabelo rosa permanecia abaixada.

- Eu fui traída. – Falou a menina asperamente.

Uau. Uma resposta direta e com um gosto amargo... Agora sim a Tsundere está ficando a mostra!

Não que isso vá me fazer ligar, só que com pelo menos uma característica das personagens dos simuladores de encontro, quem sabe fique menos difícil ter que imaginar formas de conquistar alguém como ela.

- Sinto muito... – Fingi uma voz triste. – Vocês estavam juntos há quanto tempo?

- 3 anos... – A voz que saia da boca da jovem parecia os momentos em que quando damos um presente errado para a nossa heroína favorita, e acreditem... Isso é muito pior nos jogos do que na vida real.

Certo, então o rompimento com aquele perdedor deve tê-la afetado muito mais do que pensei, afinal olha o tanto que ficaram juntos! Aliás... Surpreende-me que duas pessoas sem cérebro e com gostos tão ordinários conseguiram ficar um com o outro dessa forma.

Mas enfim! Preciso me manter focado e tomar cuidado com as próximas palavras que irei dizer, pois meu caminho para completar essa rota está quase chegando...

- Bastante tempo, hein... – Lamentei. –

- Sim, eu sei... – Assentiu Merry.

Droga, se ela não perder a pose de durona será impossível conseguir alcançar o coração dela.

... Acreditem, pois também não acredito no que acabei de pensar, contudo a culpa é da EME e desse experimento idiota! Espero que tudo acabe logo para que esse tipo de coisa nunca mais passe por minha mente.

- Então! – A filhinha de papai gaguejou um pouco, no entanto a vontade de mudar o assunto era grande demais para manter-se calada, provavelmente. – O que... Irá pedir?

- Não precisa esconder. – Disse encarando-a seriamente.

- Ahn... ? – A garota de cabelo rosa murmurou sem entender.
- Você sabe do que estou falando. O modo como se sente em relação ao fim do namoro, e a forma como está fingindo-o encarar. – Expliquei. – Tudo isso passa de uma mascara para que não seja visto seu lado frágil, certo?

Os olhos da menina se esbugalharam ao ouvir a minha frase, agora não sei dizer se isso era algo bom ou ruim naquele momento...

Ela cerrou seus punhos um pouco e novamente abaixou a cabeça, assim a levantando com movimento único, o que a fez ficar de pé também.

- Tenho... Tenho que ir! – Exclamou a jovem saindo correndo de lá.

- Ei, espera! – Gritei enquanto me levantava.

Comecei a segui-la, só que devido ao meu físico de jogador com certeza seria quase impossível alcança-la, entretanto a velocidade de Merry não aparentava ser muito.

O porquê daquilo era óbvio. Existiam várias coisas em sua cabeça, então era quase impossível focar-se em correr, mas tinha algo a mais... Tenho certeza que no fundo, o próprio corpo da filhinha de papai queria ser alcançado e salvo.

Por mais que a realidade não tenha NADA em superior com relação ao mundo dos simuladores de encontro, de fato essa cena me lembrava de um dos games que havia completado...

E sei exatamente como irá terminar. O que me deixa um pouco aflito com essa resolução.


~///~


Após um tempo de corrida a minha respiração já estava no limite quando finalmente consegui segurar o braço da garota de cabelo rosa, o que a fez parar de correr e virar-se para mim.

Nós estávamos na porta de entrada do fliperama e a nossa frente existia escadas rolantes que levavam até o andar superior, além de uma porta de saída para o estacionamento do lado direito – devido ao esquerdo ser a praça de alimentação – aquele era o cenário em que nos encontrávamos.

Pude ver pequenas lágrimas escorrendo sobre os olhos inocentes daquela menina, e aquela face de antes aparentava ser apenas uma ilusão.

- Me... Solte-me! – Resmungava a jovem tentando se soltar, porém sem sucesso.

Era o momento. Sim, aquilo iria decidir qual final eu conseguiria para a rota de Merry Decelve, uma das garotas mais cobiçadas do instituto Thunderbolt.

- Pare de esconder! – Exclamei segurando a mesma com força. – Se continuar escondendo o que realmente sente dessa forma, você nunca conseguirá superar isso!

- Você não sabe de nada! Nem entende o quão dói ter uma relação que durou tanto tempo e simplesmente acabou do nada por conta de uma vadia qualquer! – A filhinha de papai começava a falar em um tom choroso.

- Posso não saber agora, contudo se me contar poderei tentar lhe ajudar!

- Não importa o que faça, pois nunca conseguirá me fazer ficar bem novamente! Mal te conheço e pensa que simplesmente pode resolver tudo tão fácil assim?!

- ERRADO! – Gritei, o que a fez se assustar e dar um passo para trás. – Me... Merry...

Acreditem... Falar tudo aquilo já era difícil, no entanto chama-la pelo nome era ainda mais tenso...

- É impossível ter certeza de que seremos capazes de achar uma solução para qualquer coisa... Só que mesmo dessa forma, se tivermos alguém do nosso lado será mais fácil! – Garanti. – Por isso... Deixe-me lhe entender... Deixe-me lhe consolar... PERMITA QUE EU FIQUE AO SEU LADO PARA SEMPRE!

A garota de cabelo rosa avançou em mim com um movimento brusco, assim me abraçando e começando a chorar.

As minhas bochechas infelizmente coraram-se novamente e meu coração aumentou o ritmo em que batia. Só que pude suspirar aliviado.

As lágrimas que a menina estava soltando não eram de tristeza, e sim de felicidade por alguém finalmente tê-la consolado.

Em várias vezes posso dizer que o mundo 2D e o 3D têm diferenças drásticas, só que... De certa forma... Esses últimos momentos realmente me lembraram de meus amados jogos, por mais que fosse levemente.

Talvez até possa pensar em reconsiderar certas coisas da realidade, entretanto... Não vou garantir nada.

Por agora apenas queria descansar e terminar aquele encontro de uma vez... Isso me cansou tanto fisicamente quanto mentalmente, não sei como.


~///~


Depois daquilo, tanto eu quanto Merry concordamos que seria melhor sairmos de lá, pois nós dois não estávamos em condições de continuar a saída, além de que a filhinha de papai iria precisar de um tempo para repor certos pensamentos.

Seguimos pelo caminho que levava até a entrada, assim saímos do prédio e começamos a andar pela calçada, e claro... Não poderia esquecer-se de dar destaque ao arbusto humano nos seguindo, pois aquele disfarce jamais seria descoberto.

Aliás... Sério mesmo que a garota de cabelo rosa não notou o protótipo de plâncton nos seguindo?!

- Ei, Ace... – A voz da menina acabava me tirando dos meus pensamentos.

- Ahn... Sim? – Respondi ao chamado.

- Obrigada por hoje... De verdade. – Agradeceu a jovem.

Devo admitir que não esperasse que a Merry tivesse uma mudança tão drástica assim... Ou quem sabe... Talvez ela sempre fosse desse jeito, só que minha pessoa nunca tivesse notado.
- Não precisa agradecer. – Disse tentando encerrar o assunto.

-... A EME tem mesmo sorte... – Murmurou a filhinha de papai. – Ter alguém como você sempre ao lado... Deve ser ótimo.

Fiquei em silêncio, afinal aquela conversa já estava chegando a um nível desconhecido para minha mente... Será que não vamos chegar ao farol logo não?!

- E... Mais uma coisa. – A garota de cabelo rosa parava de andar. – Antes você disse que... Sabe... Gostaria de ficar ao meu lado para sempre... Isso foi... Verdade?

Parei meus passos ao ouvir aquela pergunta, e então virei meu olhar em direção ao da minha acompanhante, a resposta era bem óbvia.

- Eu... – Cerrei meus punhos e mordi o meu lábio inferior, a minha próxima frase era tão difícil de ser dita que até mesmo suicídio devia ser mais fácil! – Já sou o namorado da EME... Sinto muito.

- Tudo bem... Mas... – A menina se aproximava, fazendo com que eu desse alguns passos para trás. – Apenas por agora... Só por esse momento... Seja meu.

A mão direita da jovem pousou sobre a minha bochecha, o que acabou congelando-me no lugar, e ao ficar na ponta dos pés ela conseguiu alcançar os meus lábios com os dela, assim os beijando.

Não sabia o que pensar naquele momento... Minha cabeça estava a mil por hora e meu coração parecia que iria pular para fora! Meu deus, o que diabo era aquilo?!

Quer dizer, sei que era um beijo só que caramba! Como que a Merry faz isso dessa forma? E o pior, esse gosto da boca dela... É caramelo?

Ah cara! Sinceramente não sei o que pensar!

Após um pequeno tempo, a filhinha de papai se afastou e sorriu para mim, inclinando a cabeça.

- É o agradecimento pelo encontro e consolo... Porém acho que é melhor deixar isso em segredo da novata. – A garota de cabelo rosa piscava um de seus olhos e mostrava a língua, e então passava correndo por mim. – Te vejo na escola!
Depois de ela ter se distanciado por completo, a Kirlia se aproximou de minha pessoa – que ainda estava congelada – e saiu de dentro do arbusto com a câmera.

- Conseguimos a foto. – Disse a Pokémon sorrindo, só que por conta do que aconteceram uns segundos atrás, era quase impossível saber se era um sorriso falso ou não. – E você concluiu o primeiro alvo!

- EME... – Chamei-a entre gaguejos.

- Sim? – O protótipo de plâncton respondia ao chamado.

- Chama a ambulância. – Pedi antes de cair no chão, completamente desgastado.

Essa é a conclusão da minha primeira noite com uma personagem do mundo real... E foi tão ruim quanto imaginei.

Só não sei dizer se a última parte foi boa ou não, afinal minha mente ainda estava tentando engolir o que havia acontecido ali.


My Kirlia is a Cupid!

Próximo Capítulo:
“Sunyshore VS Jubilife, Parte 1.”
avatar
Shindou Hajime
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/03/2010

Frase pessoal : Aquele cara que gosta de laranja, né?


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Rush em Qua 18 Set 2013 - 23:09

Hajime! o/


Gostei bastante desse capítulo, mesmo que a cada capítulo que passe, eu ande com mais desgosto do Ace. O molequinho esnobe, ein? Ele chega a parecer com as pessoas que ele tanto odeia. Nesse capítulo, no entanto, parece que ele foi atingido por um turbilhão de pensamentos que irão mudar a sua forma de pensar e agir.


Gostei do primeiro encontro, por mais que essa Merry seja uma vadia - SÉRIO CARA? A EME ALÉM DE CONSOLÁ-LA, FOI LEGAL COM ESSA GAROTA, E ELA AINDA POR CIMA IRIA BOTAR UM PAR DE CHIFRES NA COITADA? -, chegou a ser fofa. Imagino aquelas meninas mimadas, porém educadas. Mas eu sinceramente pensei que eles iriam ter uma interação maior com o Shopping. Isso eu me deixou um pouco decepcionado, já que tudo o que eles fizeram foi andar e sentar numa cadeira, fazer um show na frente de um fliperama e se pegarem no farol. 


De qualquer forma, eu ri demais imaginando uma Kirlia dentro de um arbusto no meio do Shopping. Sério, cara? Sério? AEAUEGHAEGYA'


Enfim, primeiro beijo concluído. Falta os outros agora. Me pergunto quem será a nova garota. 


É isso cara, gostei do capítulo. Aguardo o outro, não atrase. AUEHAUE' Um abraço, até mais.
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Black~ em Sex 20 Set 2013 - 20:14

Bom, vamos lá.

Capítulo bem legal esse, teve enfim, o primeiro beijo de Ace, aeeeeeeeeeee, todo mundo comemora -q. Quer dizer, o capítulo foi somente esse encontro, mas ficou muito bom, diria que foi o melhor capítulo da fanfic até agora -q, mas enfim.

Achei legal ele finalmente ter cumprido uma das missões da EME, e a primeira menina é logo a Merry. Mas acho que ela é do tipo esnobe quando ta com as amigas e sozinha é uma menina boa. Isso é o que mais acontece -qq, mas enfim.

A EME é muito tosca cara, ela vai de arbusto pro meio do shopping e ninguém percebe ainda uma movimentação estranha, de um arbusto andante -q. Falo nada, só observo -qqq, além de tudo ela é bem discreta né. Mas enfim.

Não sei, mas acho que agora a Merry e o Ace vão namorar, já que ele sentiu algo mais por ela, a única garota que ele sentiu isso. Acredito que ele não cumprirá a missão de pegar cinco (acho que era isso -qq), mas enfim.

Erros não vi nenhum que fosse prejudicial.

Portanto é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Sirina em Sex 20 Set 2013 - 23:46

Meu Deus... AMEEEI !! *-*
Faz tempos que não encontro uma fanfic tão criativa e boa quanto essa... você não tem erros de português perceptíveis , e sabe transmitir os seus pensamentos para o papel.
Tem pessoas que fazem a fanfic com tanta euforia , que a deixa muita ´´corrida``, sabe ? Com pouca descrição e com diversos acontecimentos rápidos. Esse não é o seu caso.

Muito boa mesmo.... e é fanfic muito original e criativa. Smile

Haa...você se baseou no anime ´´Kami nomi zo Shiru Sekai , né ? Smile

 
avatar
Sirina
Membro
Membro

Feminino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 07/12/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Shindou Hajime em Sex 1 Nov 2013 - 0:15

FELIZ HALLOWEEN!!! \O/
Antes de tudo... Guardem as pedras! ç_ç Desculpem a IMENSA demora e o IMENSO hiatus que My Kirlia is a Cupid sofreu, sério mesmo! O problema dessa vez nem fora o tempo, mas sim a imaginação. Tive alguns bloqueios que doeram para caramba e só ia escrevendo aos poucos, até pensei em abandonar a fic, só que não! Vi que ela conseguiu ganhar o direito de se tornar a Fic do Mês e isso me mostrou que não posso desistir dela. ;_; Por isso consigo trazer para vocês, hoje, o tão esperado capítulo 7! Prometo que a partir de agora irei tentar trazê-los de uma forma rápida, pois as minhas ideias estão voltando a tona!

Só que antes de eu falar sobre como ficou o capítulo... Comentários!


Resposta aos Comentários:


Rush: Rush! Pois é, uma das características principais do Ace é a sua arrogância perante o mundo real, mesmo. >XD Sim! Você não imagina o quanto esses sentimentos vão mudar a vida dele. 8D KAKSASKLAKLSKA' Pois é, a Merry foi sacana, mas vamos dar um desconto devido a situação que ela passou, né. u.u Sim, não só o encontro foi meio meh, como a conquista também. =/ As outras irão ser melhores, não se preocupe. É mais porque essa é a primeira mesmo que foi assim! >XD
O pior do arbusto... NINGUÉM NOTOU! Ter cabelo verde serve para algumas coisas, não acha? -q
Enfim, obrigado pelo comentário e espero que continue lendo!

Black~: Grande Black! Valeu cara! Dei tudo de mim para que esse capítulo de antes fosse o mais "impactante" da fic por assim dizer, só que claro, as outras conquistas planejam serem muito melhores, então só aguardar! >XD Sim! A Merry é mais ou menos isso mesmo, ela tem tipo uma personalidade para momentos sozinha e uma quando tá com o povão. (?) Pois é! Como disse... Ter cabelo verde ajuda em certas situações. ALSKAKSA' Será mesmo? E são um total de 6 garotas, então descartando a Merry... É! Faltam mais 5. 8D
Obrigado pelo comentário e espero que continue lendo!

Sirina: Wow! Leitora nova, bem vinda. XD Fico feliz que esteja gostando! E eu entendo, tenho muito medo de fazer as coisas acontecerem rápido demais, por isso sigo um ritmo compassado na fic. :3 Sim! Baseei nele mesmo, porém não se preocupe, é só a base, e nada mais!
Obrigado pelo comentário e espero que continue lendo!

Agora sobre o capítulo... Eu diria que ele é 85% bom, o final - pelo menos em minha opinião - ficou um pouco corrido, mas não sei direito... Leiam e me digam! Aliás, as fichas de Schneider e Accel irão ser postadas hoje, por isso confiram lá depois!

Sem mais delongas... Fiquem com o capítulo!





Capítulo 7: Sunyshore VS Jubilife, Parte 1.

Tinha se passado dois dias desde o meu encontro com Merry, e nesse tempo que se seguiu, eu me recusei a ir para a escola.

Por sorte meus pais aceitaram que faltasse, contudo não podia sair do quarto – o que não era um verdadeiro problema -, no entanto também me proibiram de jogar meus jogos, o que realmente atingiu meu pobre coração em cheio.

EME por outro lado continuou a ir para o instituto enquanto minha pessoa estava nesse recesso, e todo dia que a Kirlia voltava, ela corria animada para contar sobre o que aconteceu... Algo que me importava muito pouco.

Entretanto se tirarmos a irritação casual do humanoide, então pode se dizer que consegui ter meu descanso, além de conseguir colocar alguns pensamentos meus no lugar.

Como exemplo descartar TOTALMENTE a chance de ter sentido alguma coisa pela filhinha de papai por conta daquele bei... Ora! Não vou falar a palavra, pois vocês sabem muito bem o que foi!

De qualquer forma... Sábado finalmente chegou, e diferente dos outros, esse seria o pior de todos... O motivo seria um dos príncipes da minha escola, a pessoa que deseja me usar como bode expiatório: Schneider Diederick.

Pois é, a data na qual a batalha entre os institutos iria acontecer é exatamente hoje, e caso eu não vá, a minha chance de poder conquistar minhas mulheres do mundo 2D livremente pela aula irá por água a baixo.

Tentei me levantar da cama, mas a preguiça que me dominava não era pequena... Soltei um suspiro e relaxei meus membros, assim fechando os olhos.

- Preciso mesmo fazer isso? – Resmunguei.

- HORA DE ACORDAR! – O protótipo de plâncton abria minha porta com um movimento forte, porém não foi apenas isso... Ela correu e saltou sobre minhas costas e se sentou sobre minhas costelas de joelhos. – Está preparado para o grande evento de hoje?!
- Estava... Até você quebrar minha coluna vertebral. – Expliquei enquanto mordia meu lábio inferior para não gritar de dor.

- Opa! Desculpe-me, Ace! – Pedia o Pokémon se levantando e balançando os braços em desespero.

Já estou tão acostumado da EME fazer bobagens que nem mesmo com esse tipo de ação consigo ficar com raiva dela. Só não consigo entender se é algo bom ou ruim...

Enfim, de certa forma deveria agradecê-la, afinal por conta desse impacto, a minha preguiça sumiu instantaneamente, e com isso pude me levantar – mesmo com dificuldades – da cama.

- Irei tomar banho, então não esteja aqui quando eu voltar dele. – Avisei, assim saindo do quarto.

Adentrei o banheiro, tirei minha roupa e liguei o chuveiro, ao sentir a água quente tocar o meu rosto, a minha sonolência aos poucos foi sendo extinta.

Sei que estou fazendo isso apenas pelo que irei ganhar caso nossa equipe vença a de Jubilife, contudo ainda estava nervoso, pois esse era um evento transmitido para as duas cidades que participam! Não me importo da minha reputação na escola ser um lixo, no entanto acima disso fica difícil de aceitar!

Além de que as chances de eu ser humilhado pelos treinadores rivais – que devem ter uma vida social tão perturbada quanto a minha para participar de tal coisa – são bastante altas ainda mais considerando o meu “belo” desempenho naquele dia contra o galã de cabelos ruivos.

Não faço a menor ideia do que irá acontecer nessa batalha, entretanto já consigo apostar em certas suposições.

E acreditem... Nenhuma delas é boa.


~///~


Após terminar meu banho, eu voltei para meu cômodo e por sorte EME não se encontrava lá.

Terminei de me secar e então fui até o guarda-roupa, o abrindo e começando a procurar por uma roupa confortável para usar.

Depois de um curto período de tempo, o meu estilo para hoje já estava escolhido! E diferente do encontro com Merry a minha escolha poderia ser algo menos chamativo.

Dessa vez minha pessoa trajava uma camisa amarela com a gola branca e no centro dela tinha escrito – em preto– as palavras “Wild Card 1°”, por fim para terminar o meu novo visual, a calça continha uma cor azul marinha e não existiam bolsos nela.

Com isso pronto sai do meu quarto e desci as escadas, e ao chegar à sala vi que EME me esperava sentada no sofá, assistindo um concurso Pokémon.

- Uau... – Os olhos da Kirlia brilhavam perante tamanha beleza da conjunção de algumas habilidades idiotas dos monstrinhos de bolso.

Por mais que odiasse qualquer evento relacionado a esses bichinhos, o bom deles é que conseguem pegar a atenção do humanoide facilmente. Graças a isso, eu poderia seguir para a escola sem ter que levar o protótipo de plâncton comigo!

Então com cuidado fui andando na ponta dos pés até a porta de casa, só que quando toquei na maçaneta, os malditos ouvidos da garota de cabelo verde escutaram e fizeram com que ela se levantasse e virasse em minha direção, cruzando os braços e ficando um pouco emburrada.

- Ei! Estava planejando ir sem mim? – Perguntou a Kirlia.

- Claro que não... – Menti tentando forçar um sorriso falso, mas em vão.

- Poxa, Ace! – Resmungava o humanoide. – Até me troquei para ir contigo, e você iria me deixar?

Ao ouvir a palavra “trocou”, os meus olhos se esbugalharam e os virei na direção do corpo do protótipo de plâncton, a mesma estava usando uma roupa de líder de torcida alaranjada com o meu nome na parte de cima e nos pompons.

O pior de tudo não era apenas o meu nome gravado naquelas coisas, porém o tanto que aquilo deixava o corpo dela visível! Caramba... Será que a verdinha não entende o quão tenso é ela usar algo desse tipo?!

Aliás! Desde quando o corpo de EME era tão evoluído assim? E por que diabos eu pensei nisso?!

- Aconteceu algo? – Interrogou a Kirlia se aproximando.

- ESTOU ÓTIMO! – Exclamei enquanto abria a porta e tentava ignorar a presença dela. – Apenas vamos logo para esse evento, pois não quero levar sermão do Schneider!

-... Hein? – O humanoide inclinava a cabeça para o lado sem entender, e realmente... Espero que continue não entendendo.

Antes de sair, a garota de cabelo verde gritou despedidas para os meus pais, contudo... Foi exatamente neste momento que me lembrei daquela missão idiota de ser um bode expiatório. Deveria pegar um Pokémon emprestado que fosse de dois tipos para ser uma isca na batalha contra o instituto rival, se não minha liberdade para jogar meus simuladores durante a aula nunca aconteceria.

Voltei para dentro e subi as escadas, assim segui para o quarto dos meus familiares onde encontrei apenas a minha mãe, pelo que parecia o meu velho estava no banheiro.

- Aconteceu algo, filho? – Ela perguntou sentada na cama.

Engoli seco antes de continuar a falar, afinal... É possível imaginar como ela vai ficar quando ouvir o que tenho a dizer.

- Poderia... Emprestar-me um de seus... – Gaguejei um pouco. – Pokémons... ?  

Ao ouvir a palavra dos monstrinhos de bolso, a minha mãe se levantou e agarrou-me em um abraço.

- Ah, querido! Você finalmente está querendo seguir a herança da família! – Ela exclamava emocionadamente.

E é por esse motivo que tento evitar falar sobre qualquer coisa que envolva os bichinhos com meus pais...


~///~


Depois de conseguir o Pokémon de tipo duplo com minha mãe, tanto eu quanto EME saímos de casa e pegamos o caminho de sempre para a escola, só que conforme avançávamos uma multidão de pessoas começava a aparecer, o que acabava dificultando um pouco a nossa passagem.

- É muita gente... Sério mesmo que todas estão querendo ver as batalhas entre as escolas? – Pensei sem acreditar naquilo.

Durante as minhas tentativas de passar por aqueles espectadores, a minha mão logo fora segurada e puxada um pouco para trás, e sem entender virei meu olhar na direção daquela que havia me tocado, ou seja... Ninguém menos do que a própria Kirlia.

- O que houve? – Perguntei perante aquela ação estranha dela.

- É para não nos perdermos um do outro. – O humanoide respondeu sorrindo. – Não a solte... Ok?

Droga... Novamente minhas bochechas coraram-se devido a um ato de uma menina do mundo 3D! Será que minha imunidade a elas está enfraquecendo de acordo com o tempo que passo com a verdinha? Porque se for... Estou perdido.

De qualquer forma, suspirei e voltei a olhar para frente, assim começando a levar o protótipo de plâncton comigo pelo pequeno caminho que consegui encontrar através da multidão.

Após um curto período de tempo, eu e EME conseguimos chegar à entrada da escola Thunderbolt, onde várias câmeras, fotógrafos, professores e diretores – dos dois institutos – estavam conversando entre si.

E dentro da construção, sentados em cima da mesa e do banco de pedra existiam respectivamente os meus parceiros: Schneider Diederick e Accel Philips.

O príncipe trajava uma camiseta regata preto; calça da mesma cor com um bolso na frente e outro atrás e uma braçadeira de corrente.

Já o pirralho louro usava sua jaqueta verde escura aberta e por baixo uma camisa comum branca, sem contar uma bermuda marrom.
- E lá estão eles... – Sussurrei.

- Bem... Infelizmente não posso passar daqui com você. – Comentou a Kirlia em um tom choroso. – Só que não se preocupe! Irei dar o máximo de apoio moral possível daqui!

Como se isso fosse uma coisa boa, né. Provavelmente essa ação do humanoide apenas fará com que os adversários tenham mais opções de debochar da minha cara sem ser a minha habilidade precária em batalhas Pokémon.

Decidi deixar para lá e segui até onde meus companheiros estavam. Assim os fazendo olharem em minha direção.

- Você realmente veio. – Comentou o galã sentando-se sobre a mesa na qual estava deitado. – Achei que arranjaria alguma desculpa para não vir.

Aquele sorriso sarcástico e aquela voz superior continuavam iguais, por mais que fossemos “parceiros” aquele maldito ruivo não mudava seu jeito de ser.

- Oi para você também, Schneider. – Cumprimentei com desgosto.

- Não fique assim, Ace! – Accel entrou no meio da conversa. – Por mais que tenha sido o último a chegar, nós não lhe culpamos!

Cerrando seu punho e com os olhos em chamas, o parafuso humano tentou me animar com sua dedicação exagerada... Só que não.

Cocei meu cabelo e olhei para os lados, afinal nossos inimigos já deveriam ter chegado, entretanto não vi nenhum sinal deles.

- Então... Cadê os alunos de Jubilife? – Perguntei.

- Já se separaram pela escola. – Respondeu Schneider gesticulando com sua mão direita.

- Se... Separar? – Repeti sem entender.

- Ah, é... Esqueci-me de te explicar as regras e de como funciona a batalha entre os institutos... – O ruivo murmurava.

- COMO VOCÊ SE ESQUECE DE ALGO DESSA IMPORTÂNCIA?! – Gritei com um nervo sobre minha testa.

- Acalme-se Ace! Tenho certeza que o nosso líder tinha planejado isso desde o começo. – Accel cruzava os braços e balançava a cabeça positivamente. – Não é chefe?

- Para falar a verdade... Não. – Admitiu o ruivo dando um pequeno pulo e pousando no chão, assim ficando de pé e andando até o meu lado. – Mas sempre carrego isso por precaução.

O príncipe estendia um panfleto, o qual tinha o título de “Resumo das regras entre a disputa das escolas” escrito bem grande no topo do papel.

Peguei o objeto e então lancei um olhar desaprovador em direção ao galã.

- Você fez de proposito, não é seu safado?

- Menino esperto.

Não preciso nem falar que a minha vontade de socar a cara dele é grande, né? Porém infelizmente aquela não era a melhor hora para causar confusão, por isso simplesmente comecei a ler os conteúdos da folha.

“Regras das batalhas entre os institutos”

1°: As equipes tem que ter no total de três pessoas, além de cada uma só deve carregar consigo apenas um Pokémon.

2°: Assim que estiverem prontas, o grupo visitante entrará no local e terá 5 minutos para se posicionarem em algum lugar para ser usado como base, e quando o tempo acabar, a equipe da casa adentrará e iniciará uma procura.

3°: Caso membros de times opostos se encontrem, eles devem iniciar uma batalha independente de ser 1 VS 1, 1 VS 2 e entre outras possibilidades.

4°: A pessoa que tiver o seu Pokémon derrotado deverá retorná-lo e sair do local de batalha imediatamente.

5°: O grupo que ficar sem membros ou tiver a mais que o rival quando o tempo acabar vence.

“Obrigado por ler e lhe desejo uma boa sorte!”

Ao terminar aquilo, eu estava sentindo duas coisas. A primeira seria o receio de que deveríamos ficar longe um do outro na nossa procura pelos adversários... E a segunda é que caso tenha sorte, apenas o Diederick precisará lutar!

- Conseguiu entender? – Perguntou Schneider.

- Sim, sim. – Respondi. – Não é como se fosse difícil tentar entender algo relacionado aos monstrinhos de bolso.

- Uau... Então você é mesmo muito inteligente, não é Ace?! – O pirralho comentava com os olhos brilhando.

Sério que ele acha isso apenas por que consegui compreender coisas tão triviais como regras de uma competição idiota de Pokémons? Tenho certeza que até mesmo um bebê de cinco meses aprenderia isso facilmente!

Contudo já devia esperar uma reação dessas vindo do parafuso humano ainda mais levando em conta a sua personalidade.

- Já que está tudo certo, então eu devo ir. – Avisou o ruivo virando-se de costas para nós.

- Er... Como assim? – Interroguei sem entender o significado daquelas palavras do príncipe.

- Não disse que tinha entendido como esse evento funciona? – Retrucou o galã virando seu olhar em minha direção, só que dessa vez os olhos do mesmo aparentavam estarem mais sérios do que sarcásticos.

Forcei a minha mente um pouco para lembrar-se do que tinha lido antes, e assim consegui compreender o porquê daquela ação do Diederick, o mesmo iria procurar pelos nossos adversários, afinal isso fazia parte de como essa batalha entre as escolas acontece.

Não conseguia acreditar que minha pessoa havia sido capaz de esquecer algo tão simples quanto isso, por isso mudei o meu campo de visão para o lado, envergonhado.

- Fico feliz que continue sendo um menino esperto, Ace. – Elogiou Schneider sorrindo sarcasticamente e se dirigindo na direção do ginásio do instituto, o que me deixou sozinho no pátio junto ao membro restante da nossa “equipe”.

- Poxa... Iremos apenas ficar esperando? – Accel cruzava os braços emburrado. – Isso não é legal.

Acredite... Para você pode não ser, no entanto para mim isso está sendo ótimo!

- Mas... Já estava na cara, não? – Perguntei para o pirralho. – Ele é o melhor dentre nós, então é meio óbvio que ele tenha que ser a linha de frente.

- De fato... Porém! – Em um ato surpreendente, o pirralho virou-se em minha direção e cerrou o seu punho direito animado. – E se o líder acabar perdendo e nós virarmos a ultima esperança da escola? Não ia ser demais?!

Por mais que tivesse certeza de que aquilo jamais iria acontecer, o medo da suposição que o louro sugeriu acabou afetando-me, e fez com que meu corpo começasse a tremer de leve.

-... Nem brinque com isso. – Murmurei entre gaguejos.


~///~


Tanto eu quanto Accel nos sentamos em uma das várias mesas de pedra que existiam no pátio para esperar, afinal já fazia vinte e cinco minutos desde que Schneider saiu de lá, e não havíamos recebido uma resposta sequer dele.

Por um lado estava feliz por não ter participado de nenhuma batalha até agora, contudo o tédio daquele lugar estava me matando.

- Ei, Ace. – Ao ouvir a voz do parafuso humano também fui capaz de sentir seu dedo indicador me cutucando, assim virei-me em sua direção para ver o que ele queria. – Olha ali.

O mesmo apontou na direção da entrada da escola, e ao virar meu campo de visão até aquela parte, os meus olhos esbugalharam-se com tal cena.

Uma pessoa de cabelos louros – que chegavam até seu pescoço – com olhos azuis, e trajando uma camisa e calça preta, além de ter uma jaqueta alaranjada aberta por cima de seus ombros estava saindo da porta do instituto e andando lentamente até a gente.

Meu coração começou a acelerar conforme os passos daquele estranho eram dados, pois o mesmo não era o Schneider e duvido muito que algum aluno do nosso colégio pudesse ser capaz de estar ali em um evento tão importante – que no caso não continha mais vaga para ninguém – como aquele.

- Isso só pode ser o que estou imaginando! – Exclamou o pirralho ficando de pé e se movimentando um pouco para frente enquanto retirava o famoso objeto para capturar Pokémons do bolso. – É um membro do trio de Jubilife!

Só podiam estar brincando com a minha cara! Como que o príncipe de cabelos vermelhos está demorando tanto em um maldito ginásio?! Quer dizer, caso esteja lutando até faz sentido... NO ENTANTO POR QUE DIABOS NÃO FORAM TODOS OS TRÊS CONTRA ELE?!

Comecei a bagunçar o meu cabelo conforme o desespero em minha mente e coração estava aumentando.

- Melhor se preparar, parceiro! – Accel me avisava.

- Não me chame disso, caramba! – Repreendi o mesmo.

Assim que o adversário ficou em uma distância considerável da gente, o mesmo pegou sua bola de metal e a apontou em nossa direção, assim fazendo os olhos do parafuso humano entrar em chamas.

- Capitão do trio visitante... Lars Dartter do 2° ano. – Apresentou-se o inimigo. – É um prazer conhecer vocês, as minhas primeiras vitimas.

- É ISSO AE CARA! – Confirmou o pirralho, ele provavelmente estava tão animado que nem notou que fomos zoados... – Me chamo Accel Philips da 8° série.

Ao ouvir a apresentação de meu “parceiro”, Lars virou seu olhar em minha direção e então com um suspiro, respondi.

- Ace Heritage... 2° Ano e bode expiatório da equipe. – Disse com desgosto.

Para mim... Naquele momento... Até mesmo a morte era uma opção mais válida do que realmente participar de uma batalha.


My Kirlia is a Cupid!
Próximo Capítulo:
“Sunyshore VS Jubilife, Parte 2.”
avatar
Shindou Hajime
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/03/2010

Frase pessoal : Aquele cara que gosta de laranja, né?


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Rush em Seg 4 Nov 2013 - 14:30

*Pegando pedras do chão e jogando em você*



Sério, demorou muito esse capítulo. Não demore poxa. :/ 



Enfim, boa tarde, Hajime! (: Eu gostei bastante desse capítulo. Sério, senti até a "adrenalina" que o Ace deve ter sentido, uma falta de ar enquanto o coração fica pulsando rapidamente, sabendo que iria participar de um evento de tal porte. Ele deve estar se cagando de medo, né? Tudo bem que ele é só uma isca, mas poxa, o evento vai ser transmitido nas duas cidades, né?


Pensei que a EME mostraria algum sentimento negativo em relação ao capítulo anterior. Também pensei que a filhilinha de papai iria aparecer nesse capítulo, mas mesmo assim, me surpreendi em quão realista e cativante você deixou. Sério, estou apaixonado por essa fic. Consigo entrar dentro dela e imaginar tudo claramente, está perfeita. *-*


Gostei da descrição desse Lars. Loiro, bonitão, segundo ano, pelo visto ele vai ser forte pra caramba. Achei muito engraçado a forma em que Accel pensa, ele é um típico "protagonista de anime" que acha que tudo dará certo, nunca pensa nas consequências. Exagerado e idiota.





Ace Heritage... 2° Ano e bode expiatório da equipe

Essa frase foi muito maneira. Sério mesmo. *-*



Enfim cara, estou apaixonado pela fic. poste o próximo capítulo rápido, por favor. :/


Um abraço mano, até mais. (:
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Black~ em Sex 8 Nov 2013 - 13:03

Bom, vamos lá.

Primeiramente, me junto ao Rush e pego pedras para tacar em você. Nossa cara, pensei que estivesse morrendo na escola, com setecentos seminários, oitenta e seis provas e etc, mas poxa, falta de criatividade =/, tudo bem, eu sei como é, é bem ruim mesmo.

Mas agora vamos falar do capítulo. Ele ficou bem interessante, sendo o começo da batalha contra o instituto de Jubilife e tals. Eu também achei que a Merry fosse aparecer nesse capítulo, e que ela e o Ace começassem a ter uma relação mais 'amigável', digamos assim -q, mas enfim.

O Schneider é bem fdp, ele sabia que se falasse como realmente era o concurso, o Ace não participaria, por isso ele só foi falar no dia, bem esperto e filho da mãe -q. Porém naquela hora achei que o Ace fosse dar um surto -qq, mas enfim.

Parece que mesmo ele tendo beijado a Merry, com a convivência com a EME, ele parecia estar sentindo algo mais por ela, visto que ele anda bastante "corado", anda até se corando com uma segurada de mão -q, algo mais tem ai -q.

Erros eu não devo ter visto nenhum prejudicial à leitura.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Shindou Hajime em Sab 16 Nov 2013 - 19:58

CHEGUEIIIIIIIIIIIII! 8D Há! Acharam que eu ia demorar de novo, né? Só que não. u.u My Kirlia is a Cupid está voltando com tudo, vocês vão ver. u_u
Mas primeiro vamos falar dos comentários!


Resposta aos Comentários:
Rush: Não irei demorar mais, prometo. ç_ç Sim! O Ace está morrendo de medo, e aham, o evento está sendo transmitido tanto em Sunyshore quanto em Jubilife. xD Sobre a EME estar com raiva, bom... Ela até está, mas sabe que não pode ficar com raiva disso, afinal foi ela que forçou o Ace a fazer isso né. -q A Merry, pelo que eu me lembro só volta no capítulo 9 mesmo! E fico muito feliz que esteja gostando, Rush! *-* Sério mesmo, muito obrigado! Pois é, eu criei o Lars para ser aqueles Bad Boys mesmo -q E sim, o Accel é desse jeito mesmo. XD
Valeu pelo comentário e espero que continue lendo. ^^

Black~: Grande Black! E desculpa, cara. T_T Não vou demorar mais, não se preocupem. ç_ç A relação do Ace com a Merry vai ser um pouco complicada KLASKAKSA' Altas coisas irão rolar. -q Sim! O Schneider consegue enganar as pessoas para fazerem o que ele quer de um jeito muito fácil >XD Por isso adoro ele. AKLSKALSA' Pois é né, cara. Ace tá tendo mais sentimentos pelo protótipo de plâncton do que pela garota que pegou o primeiro beijo dele, [palavra censurada]. u.u
Obrigado pelo comentário e espero que continue lendo!

Falando sobre esse capítulo... Cara, eu amei ele. LASAKLKSA' Tipo, a fic é uma fic de Pokémon, só que até agora ela não tinha apresentado uma batalha sequer! (Ace VS Schneider não conta, ela nem foi descrita -q) e fazer esse combate do Accel & Ace VS Lars foi incrível! Fiquei bastante animado em várias partes e tentei fazer os personagens de Sunyshore chegarem até o limite, além de demonstrar pelo menos um pouco do crescimento que o personagem do Ace está tendo. XD
Após postar o capítulo, eu irei também colocar a ficha do Lars, e irei atualizar a do Ace e do Accel, então caso queiram ver, é só ir lá! Also, provavelmente o próximo capítulo será bem pequeno, pois o mesmo será um tipo de ponte para o próximo arco, e estou pensando em fazer um resumo para aqueles que tem preguiça de ler todos os caps (Levando em conta que são bem grandinhos) @_@ De qualquer forma... Sem mais delongas, o capítulo!





Capítulo 8: Sunyshore VS Jubilife, Parte 2.

E lá estava eu... Perante o líder do trio da escola rival, o tal do Lars Dartter. Ao meu lado, aquele que deveria ser um “parceiro” confiante... Era Accel Philips, o famoso parafuso humano do instituto Thunderbolt.

Meu nome é Ace Heritage, e acabei por estar participando desse evento por conta de uma promessa que Schneider Diederick fez comigo, a qual minha pessoa poderia jogar o quanto quisesse no meu 3DS durante a aula caso participasse dessa batalha Pokémon de times.

Recapitulando tudo que passei agora, a chance de poder jogar sem os professores idiotas pegarem no meu pé seria incrível, só que atualmente tem um maldito protótipo de plâncton que me impede de fazer isso por conta da missão – que foi dada por um velho sádico – de me obrigar a conquistar o coração de seis meninas do mundo real.

Então sim! Desde que as férias de julho acabaram e a escola voltou no mês de agosto, a minha vida foi basicamente fazer coisas que não dou à mínima e que tenho um ódio profundo.

Seria isso um castigo divino?

- Vamos lá, meu amigo! – Gritava o meu companheiro, assim jogando sua pokébola para frente e a fazendo se abrir no meio do caminho, o que resultava em um raio branco sair dela e começar a tomar uma forma de um monstrinho de bolso.

E do objeto lançado, o que aparentava ser um escorpião roxo com asas aparecia na frente do pirralho.

- Um Gligar... – Comentava o adversário abrindo um sorriso de leve. – Minha vez, então.

Repetindo os mesmos movimentos que Accel, o inimigo liberou o seu bicho, só que a aparência dele era muito mais macabra, afinal... Era um maldito de um cachorro preto com chifres!
Caramba, cara! Não consigo acreditar que esses monstrengos não foram criados através de rituais ou macumbas!

- Um Houndoom... Isso! A vantagem está do nosso lado, Ace! – O parafuso humano olhava em minha direção e sorria. – Vamos, é a sua vez de liberar seu Pokémon.

Sem muitas opções, eu suspirei e peguei a bola de metal que minha mãe havia me emprestado, o problema é que não fazia a menor ideia do que iria sair, afinal nunca perguntei em que tipo a minha familiar se especializava... Aliás... Mal sabia que esses monstrinhos de bolso tinham diferenças entre si até o dia em que perdi para o Schneider.

- Lá vai... – Murmurei enquanto jogava a pokébola de qualquer jeito, e assim como as outras duas ela se abriu e um raio branco começou a tomar forma... Só que estava ficando grande até mais! – Ei... Mas o que é isso?

- Caramba! Você escolheu um gigante, hein? – Perguntou o parafuso humano surpreso.

- Não fui eu que escolhi! – Repreendi o pirralho.

Quando o brilho saiu daquele bicho, nós três finalmente fomos capazes de observar a aparência do monstrengo que minha mãe emprestou-me.

O mesmo aparentava ser uma cobra gigante, só que seu corpo parecia ser feito de metal e aqueles olhos vermelhos não demonstravam gentileza de jeito nenhum!

- Não acredito! Um Steelix? Que demais! – Comemorava Accel ficando com os olhos brilhando. – Nunca tinha visto ele de tão perto!

- Então... ESSE era o Pokémon que minha mãe usava nos dias de líder de ginásio? – Pensei. -... Coitados daqueles que desafiou ela...

- Hm... Até que essa batalha pode vir a ficar interessante. – Disse o líder da escola rival cruzando seus braços. – Deixarei que façam o primeiro movimento.

Sério mesmo que ele vai dar essa vantagem para a gente? Meu deus! Temos do nosso lado um monstrinho de bolso que é do tamanho de um prédio e o tal do Lars vai nos deixar começar? Até que a sorte está sorrindo para mim hoje!

- De jeito nenhum! – Recusava o meu parceiro fazendo um X com seus dois braços.

- É O QUE HEIN?! – Indaguei.

- Hm? – Viram?! Até mesmo o oponente se surpreendeu com a burrice do Accel!

- Nós estamos na vantagem por sermos dois... Logo quem deveria começar atacar seria você. – Deduzia o parafuso humano balançando sua cabeça positivamente.

- Do que está falando?! – Segurei os ombros do meu “companheiro” e o virei em minha direção. – Não entende que é a chance perfeita para vencermos sem problema?

- Mas é exatamente por conta disso que é errado, Ace! – O pirralho ficava sério. – Se ganharmos sem dificuldade, eu jamais conseguiria me perdoar! Batalhas Pokémon foram feitas para nos levar até o limite e trabalhar junto uns com os outros.

Ao ouvir aquilo soltei minhas mãos do mesmo. Já sabia que esse tipo de coisa era muito importante para os treinadores, porém é tanto assim? Quer dizer... A determinação do Accel em querer uma luta justa se parece – mesmo sendo tosca – um pouco com meu desejo pelos simuladores de encontro.

Além de que... Acho que essa é a primeira vez que vejo esse tipo de olhar na face do parafuso humano, e a causa disso é querer enfrentar o inimigo de uma forma limpa.

- Tá, tanto faz... – Virei-me na direção do adversário. – Anda logo, começa.

- Ace... – Um sorriso abobalhado se formava na cara do meu parceiro.
- Mas mantenha distância. – Pedi enquanto o afastava com minha mão direita.

- Bem... Nem preciso dizer que vão se arrepender. – Avisou o líder do trio rival. – Nasty Plot.

O tal do Houndoom fechava os olhos e parecia ficar pensativo por um momento, só que... No que diabos isso iria ajudar?!

- Cuidado, Ace. – Disse o pirralho. – Esse golpe faz com que os ataques especiais do mesmo fiquem mais fortes.

... Sério que apenas ficar parado consegue aumentar os status de um Pokémon? Bem, eu acho que devo levar em conta que lógica não existe no mundo deles mesmo.

- Agora suba no Steelix. – Ordenava Lars.

O cachorro então avançava na direção da cobra metálica, e o pior é que o monstro de bolso adversário era bem rápido até!

- Caramba... Caramba... O que eu faço?! – Pensei sem conseguir achar uma solução.

- Quick Attack! – Exclamou Accel entrando no meio.

O escorpião do parafuso humano desaparecia de minha visão em uma velocidade incrível e conseguia se colidir com o Houndoom, o que atrapalhou sua corrida e o fez ir um pouco para trás.

- Não se esqueça de que estou na batalha! – Falou o meu parceiro cerrando seu punho direito.

De alguma forma, o pirralho havia me ajudado... Contudo o problema de que minha pessoa não sabia nada sobre batalhas ainda continuava!

- Não esquecerei. – Garantiu o rival. – Flamethrower!

A boca do cachorro inflava-se de uma forma estranha e ele soltava uma rajada de chamas que iam com tudo na direção do Gligar, entretanto... Por mais que eu não soubesse os ataques ainda poderia proteger o “amigo” do meu companheiro.

Eu acho.

- Steelix, entre na frente! – Gritei.

- O que? – Indagou o oponente surpreso.

- ACE! – Até mesmo o Accel me repreendeu?!

No entanto... Assim que olhei a cobra metálica tomando à dianteira e sendo atingida pelo ataque, eu pude entender o que aconteceu. Aquele dano tomado não aparentava ser normal e o ruído de dor que o Pokémon gigante soltou foi bem alto! Mas o pior de tudo não era isso... O mesmo em seguida começou a despencar em minha direção.

-... Acho... Que fiz bobagem... – Sussurrei enquanto ficava paralisado no lugar sem saber o que fazer.

Em uma ação inusitada, o parafuso humano saltou em mim e fez com que nos dois caíssemos no chão e fossemos rolando para o lado, o que por sorte nos salvou da queda do Steelix, a qual fez um tremor acontecer por todo o instituto. Aquilo assustou até mesmo a plateia que estava do lado de fora.

- Se machucou? – Perguntava o meu companheiro enquanto se levantava com suas roupas sujas.

Não conseguia descrever o que estava sentindo naquele momento, o meu coração palpitava de uma forma horrível e minha cabeça doía de leve... Só que... De certo modo... Meu corpo parecia já conhecer esse tipo de situação.

- Ace? – Chamava o pirralho estendendo sua mão em minha direção.

- Ahn... Foi mal... – Aceitei a ajuda dele ainda um pouco confuso e fiquei de pé também. – O que houve? Achei que iria proteger o seu “amigo”.
- Um dos tipos do seu Pokémon é metal. – Explicava a criança. – E isso o faz ser fraco contra ataques do tipo fogo, e ainda mais aquele Flamethrower que estava com um poder maior devido ao Nasty Plot.

Assim que terminei de ouvir aquilo, a minha visão virou-se na direção da cobra metálica que estava caída, ela ainda tinha consciência, mas dava para perceber a gravidade de seus ferimentos.

Não sei por que fiz aquilo, contudo... Meu corpo se movimentou sozinho em direção ao Steelix, e ao chegar perto dele, eu me ajoelhei e toquei seu rosto de leve.

Esse sentimento que estava percorrendo dentro de mim... Será que... Minha pessoa estava preocupada com um monstro de bolso?

- Você é mesmo corajoso... – Comentava o líder da equipe de Jubilife. – O fazer defender um ataque do qual é fraco... Não sei que tipo de estratégia é. Só que não garanto que seu monstrinho aí vai aguentar muito mais.

- Cala a boca! – Novamente Accel se intrometia. – Gligar, use o Swords Dance.

O escorpião começava a afiar suas próprias garras passando uma na outra, e levando em conta o pouco que aprendi até agora sobre esses tipos de coisa... O mesmo estava provavelmente aumentando algum status.

- X-Scissor! – Ordenou o parafuso humano.

O Gligar juntava seus “braços” no formato de um X e fazia uma aura esverdeada aparecer sobre eles, assim o mesmo voava na direção do alvo.

- Leer. – Retrucou Lars.

O Houndoom lançava um olhar malicioso para o escorpião do pirralho, só que não parecia mudar muita coisa, e no final o cachorro era atingido em cheio e lançado para trás, o monstrengo quase ficava de joelhos, só que o maldito conseguia se mantiver firme.

- Crunch!– Assim que o dano fora tomado, o adversário mandava outra ordem para seu monstro de bolso.

Ao ouvir aquilo fui capaz de ver que o corpo do meu companheiro se estremeceu de leve, e seus olhos arregalaram-se.

O Pokémon inimigo nem precisou se mover muito para conseguir atingir uma forte mordida no pescoço do Gligar, o mesmo então o balançou e lançou na direção de uma das mesas do local, o fazendo colidir com ela e cair no chão.

Olhando daquele jeito... Minha certeza que o escorpião roxo não iria se levantar era grande, no entanto o mesmo começava a fazer exatamente isso – mesmo com dificuldades – segundos depois.

- Ufa... – Accel suspirava aliviado.

- Acha mesmo que irei deixar? – Perguntou o oponente.

-... NÃO! – Indagou o parafuso humano. – GLIGAR, RÁPIDO! SAIA DAÍ!

- Flamethrower! – Exclamou o membro da escola de Jubilife.

O Houndoom inflou sua boca novamente e lançou a rajada de fogo, só que dessa vez atingiu o alvo e fez o mesmo bater-se novamente na mesa, entretanto... O maldito problema não estava aí... E sim que o Gligar desmaiou!

- Mas... – O meu parceiro ficava de joelhos no chão.

Também não conseguia acreditar nisso... O Steelix basicamente quase foi derrotado com um ataque, e agora o escorpião da criança estava fora de combate! Se continuar desse jeito... Nós iremos perder!

Sim... Eu realmente não queria perder... De alguma forma uma pequena parte de mim se recusava a aceitar a derrota na luta dos monstrinhos do bolso, contudo... Não entendo o maldito por que!

- Gligar está fora de combate! Treinador Accel, por favor, volte para a plateia. – Uma voz ecoava por toda a escola, a qual provavelmente pertencia a um dos juízes que usava um microfone que provavelmente estava interligado com os vários alto falantes que existiam por Thunderbolt.

Com um abaixar de cabeça e um movimento com sua pokébola, o parafuso humano retornava seu amigo e se levantava, além de começar a andar em direção à saída.

Mesmo passando por mim, o tão feliz e animado companheiro de equipe que tinha... Não falou um “A” sequer.

Assim que mesmo voltou por completo para a plateia, o olhar de Lars Dartter virou-se em minha direção, e um sorriso desgraçado formava-se em seus lábios.

- Sua vez. – Falou o louro.

Usei o corpo da cobra metálica como apoio e me levantei, então virei na direção do meu adversário, e com meus punhos fechados comecei a falar.

- Já deve ter percebido que sou terrível nesse tipo de coisa... E que por minha idiotice você se machucou... – Comecei.

- Ahn? – Sussurrou o adversário sem entender.

- Contudo... Por favor... – Abaixei a cabeça enquanto aumentava a força com que segurava minhas mãos. – Pela primeira vez na vida... EU QUERO GANHAR UMA BATALHA POKÉMON, STEELIX!

Ao ouvir seu nome sendo chamado, por mais estranho que fosse... O Pokémon olhou em minha direção.

- Por isso... Se levante... Apenas por agora... EU QUERO QUE FIQUE DE PÉ! – Ordenei sem ligar pelas pequenas lágrimas que saiam de meus olhos.

Não importava mais para o que estava acontecendo, minha mente não conseguia entender o porquê de eu estar tão vidrado nesse combate, só que não estava dando a mínima para isso no momento.

Com o meu apelo, a cobra metálica usava as suas forças restantes e conseguiu ficar de pé, a mesma provavelmente deitaria com qualquer golpe que levasse no estado no qual se encontrava, mas... Nós iriamos vencer, de algum jeito... Minha pessoa acharia uma forma de ganhar!

- Devo lhe parabenizar. – O inimigo de cabelos amarelos começava a bater palmas. – Sua sorte é de se invejar, um tipo metal comum já teria desmaiado, só que... Um mínimo do mínimo de energia ainda existe no seu Steelix... Será mesmo que consegue me vencer?

Por mais Mané que esse cara seja, ele ainda tem razão. Não sei nenhum ataque do qual o Steelix pode usar, porém... Existe uma coisa que me deu uma ideia, afinal... Quando ele caiu no chão, um tremor aconteceu, só que... O que aconteceria se esse pequeno terremoto fosse lançado na direção do Houndoom?

E com esse meu plano, um pequeno sorriso abriu-se em meus lábios e a sorte seria jogada ao ar.

- Parece que achou algo que pode usar... – Deduziu o oponente. – Muito bem, venha!

- Steelix!

- Houndoom!

- EARTHQUAKE!

- FLAMETHROWER!

A minha única preocupação naquele momento... Era se esse golpe que falei realmente existia.


My Kirlia is a Cupid!
Próximo Capítulo: “31 de Agosto”
avatar
Shindou Hajime
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/03/2010

Frase pessoal : Aquele cara que gosta de laranja, né?


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Kamikaze em Sab 16 Nov 2013 - 21:02

Ah, esse sorriso... whatever...

Acho que pra quem não notou, a mãe de Ace é a Jasmine,só que não faço idéia de quem é o pai dele...

"a mesma estava usando uma roupa de líder de torcida alaranjada com o meu nome na parte de cima e nos pompons."

Foi o meu Facepalm do dia, ela incrivelmente não tem o senso do ridículo.

Bem,é bom ver essa Fic devolta á vida, continua sendo ótima!

Eu gostaria de mais envolvimento de personagens conhecidos desse mundo, como por exemplo, a mãe do Ace contra o Ethan/Jimmy/Gold, daria um gás a mais na história,pelo menos para mim.

Continue with this masterpiece!
avatar
Kamikaze
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 20/11/2012

Frase pessoal : I̝̩͂́̐̂́͝&


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Rush em Seg 18 Nov 2013 - 20:16

Hajime. c:


Só agora que eu vi o novo capítulo, foi mal. :/ Gostei bastante dele, mesmo ele tendo sido mais curto que os demais. Eu pensei que tu iria acabar com essa batalha ainda nesse capítulo. Só fiquei triste com o Accel, achei que ele se decepcionou bastante com o que aconteceu, ainda mais por culpado descuido do Ace.


Tadinho do Steelix. Mas mesmo assim, ele parece ser bem forte. Gostei do Houndoom, ele é usado - mas pouco explorado - em fics, e você o descreveu como um cachorro selvagem. Fiquei com penado Gligar.:/


Enfim,quero ver o desempenho do Schneider também. Pelo visto, esse instituto rival parece ser mais "profissional" do que o instituto Thunderbolt. D:


É isso cara, tudo excelente e lindo. Aguardo o próximo capítulo, e espero que tu comente no próximo capítulo da Gonryu u.u


Falow, um abraço <3
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Black~ em Qui 21 Nov 2013 - 13:28

Bom, vamos lá.

Li o capítulo ontem, mas já tava tarde então nem comentei (nobody yes door -q). Mas enfim, o capítulo foi legalzinho e tals, mas você ta de brincadeira né? Já fica um monte de tempo sem postar e ainda quando volta não termina nunca essa batalha. Como eu sinto ódio de quem faz isso -qq.

O Ace é realmente burro, colocar o Steelix na frente do Flamethrower é suicídio, mas também ele foi bem resistente, mesmo todo fraco e desestabilizado ainda conseguiu levantar e ficar na luta. Quer dizer, ficar não, pois nem lutou -q.

Realmente achei bem tenso o Accel, ele que é sempre tão feliz, tão extrovertido, mesmo em situações de diversidade. Mas dessa vez ele ficou triste, chorando, sei lá, senti também que o Ace ficou meio arrependido disso, pois não sabia lutar.

Bom, já até sei que o Ace vai ganhar a luta, porque ele lembrou do Steelix caindo e fazendo um terremoto. Mas como esse inútil foi em pensar em um golpe? Sei que é até óbvio, mas pra esse leigo do Ace, acho um momento de gênio -q.

Erros eu não vi nenhum que prejudicasse a leitura.

Portanto é só e boa sorte com a fic.

Pikato: Fanfic trancada por inatividade, caso queira reabrir mande mp para algum FFM.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Shindou Hajime em Sab 24 Maio 2014 - 17:04

Quem tá vivo nunca morre! 8D Acalmem-se, não é uma ilusão! Vocês realmente estão vendo isso... Pois é, My Kirlia is a Cupid está de volta a ativa! Primeiramente deveriam agradecer ao Rush por ficar sempre pegando no meu pé e por ter voltado com a Gonryu, e o Black que ainda continua até hoje com as aventuras do Lurly, o que foi exatamente o que me motivou a trazê-la de volta! Mas antes de tudo vamos responder os comentários (DE MILÊNIOS ATRÁS) e irei falar um pouco sobre o capítulo que demorou tanto para sair, porém que marca o fim do primeiro arco da fic!

Resposta aos comentários:
Rush: Rush! Sim, sim, os capítulos provavelmente vão sair um pouco mais curtos, mas tentarei os deixar ainda com o clima que todos gostam! E não se preocupe, a batalha finalmente vai acabar, e pois é, o Ace precisa entender que metal derrete com fogo. >D Agreed! Steelix sofreu, mas ao menos não desistiu, e yeap, eu quis fazer o Houndoom do Lars parecer bem maligno, e é... Gligar. ;_; Não se preocupe, o Schneider vai mostrar para eles quem é que manda, e mesmo que o de Jubilife seja um pouco mais "profissional", eles não tem uma Kirlia humana para torcer por eles! (?) De qualquer forma, obrigado pelo comentário e espero que continue lendo!

Black~: Black! Seu jogador de deck de harpias, quanto tempo. 8D E sorry! HUAEUAHEAE Mas não se preocupe, a batalha finalmente acabou. -q Mas sim, a determinação do Ace finalmente querer se dar bem em algo relacionado á Pokémon foi tão milagroso que o Steelix conseguiu voltar para a luta. 8D E pois é, o Accel tenta sempre se manter feliz, mas tem vezes que realmente não dá. :/ E fato, o Ace se sentiu culpado, pois por não saber muito de Pokémons, acabou arranjando problema para o parafuso humano e pro Gligar. xD E bom... Será que ele vai ganhar mesmo? HUAEAHEAHEA É o que veremos. 8D E é o que dizem, até mesmo um orangotango pode acertar uma vez, não acha? HUAEHAUEHAUEHA' De qualquer forma, obrigado pelo comentário e espero que continue lendo!

Sobre esse capítulo... Ele foi bastante difícil de escrever, pois além de ser o término do primeiro arco, eu tentei terminar ele com um pouquinho do gosto que vem por aí! Espero que nada tenha ficado sem graça ou forçado demais. ;_; Mas é, agora que já passamos por essa difícil ponte de transição da história, as coisas vão andar mais rápido (espero), por isso... Divirtam-se com o nono capítulo de My Kirlia is a Cupid!




Capítulo 9: 31 de Agosto.


O ataque que eu e Lars ordenamos para nossos Pokémons usarem atingiu um ao outro em cheio, e pelo o que aparentou o dano tanto em Steelix quanto no Houndoom não foi algo pequeno.

E como a cobra metálica já estava ferida antes por conta da minha burrice, o meu monstro de bolso não conseguiu aguentar e deitou seu corpo no chão do pátio da escola, o que fez outro tremor acontecer, assim me forçando a ficar de joelhos enquanto o líder da escola rival permanecia de pé.

Porém... O olhar do inimigo não era o de sempre, aquele que exalava uma aura superior... Mas sim de surpresa! Pois o seu cachorro demoníaco havia deitado também por conta do dano levado.

Devo admitir que minha pessoa também não conseguisse acreditar no que tinha acontecido ali... Eu, dentre todas as pessoas fui capaz de forçar um empate contra o chefe da equipe do instituto da cidade de Jubilife!

Não sei exatamente o que deveria sentir naquele momento, contudo meu coração batia rápido e minha respiração estava ofegante, só que... Era bom. Sentia como se tivesse conseguido superar uma muralha... Esse tipo de sensação... Realmente não podia esperar que uma batalha entre Pokémons pudesse fazer com que eu ficasse dessa forma.

No entanto, os meus pensamentos foram parados por conta de uma voz que ecoou por toda a escola Thunderbolt, e como já tinha ouvido ela antes, pude distinguir como sendo a de um dos juízes.

- Como Steelix e Houndoom estão fora de combate, Ace e Lars estão desclassificados da competição entre os colégios. – Anunciou o homem.

E com aquele anuncio para completar, consegui finalmente dar um suspiro de alivio, além de ser capaz de ver o oponente ficar de joelhos igual a mim.

- Eu... Perdi? – Murmurava o adversário de cabelos loiros sem acreditar no que havia acabado de acontecer ali.

Meu trabalho estava feito. Mesmo fazendo algo que não gosto, consegui tirar o membro mais forte da equipe rival do evento, então com certeza não terá porque a promessa que fiz com o ruivo não ser cumprida.

Finalmente... Poderei jogar os meus simuladores de encontro em paz e sossego na sala de aula!

- Agora... É com você, Schneider. – Pensei, fechando os olhos, pois sem mais delongas... Aquilo havia chegado ao fim.


~///~


Após ter sido desclassificado da competição, eu tive que me juntar à multidão de pessoas que estava do lado de fora da escola enquanto esperava o restante de batalhas acabarem, mas por sorte não pude ver nem EME ou Accel por ali, ou seja... Tinha um tempo só para mim!

Porém... Nem podia jogar os meus queridos simuladores de encontro devido a não ter trago o meu 3DS para cá, e agora nesse momento... Arrependo-me profundamente de não ter feito isso.

Tive que esperar o tempo passar enquanto torcia para que Schneider acabasse logo com aquilo, pois perder ele não iria. Isso já era um fato.

Contudo as minhas preces aparentavam terem sido ouvidas, afinal pude ouvir a mesma voz que me tirou da competição ecoar novamente pelo local inteiro, só que essa seria a última vez.

- Os Pokémons de Lana e Ana estão fora de combate, então por o último em pé ser parte do instituto Thunderbolt... A vitória vai para eles! – Anunciou um dos juízes, assim fazendo com que mais da metade da torcida delirasse, e pelo que pareceu, a minoria eram pessoas que moravam em Jubilife e viajaram até aqui só para ver essa batalha... Até ficaria com pena deles, só que não.

Com aquilo dito, logo pude ouvir outras vozes vindo de trás de mim, as quais se aproximavam lentamente até chegarem do meu lado... E sim, é exatamente quem eu pensava: Accel e a Kirlia.

- Você conseguiu! – Disse o protótipo de plâncton dando um pulo e me abraçando, fazendo com que minhas bochechas corassem de leve.

- Sai de cima! – Gaguejei ao mesmo tempo em que a separava de mim.

- Ele realmente conseguiu Ace! – Falava o pirralho com os olhos brilhando. – Schneider venceu!

Certo... Nosso time havia vencido, no entanto não faz nem tanto tempo desde que esse maldito saiu do campo de batalha triste e agora já está animado novamente?! E o pior de tudo, acabei ficando preocupado com ele por nada!

Entretanto não era hora de discutir ou causar confusão, mas sim de celebrar, afinal... EU IREI PODER JOGAR O QUANTO QUISER NAS SALAS DE AULA!

Ah, e claro, a gente venceu, mas isso vem em segundo plano!

Não demorou muito para que os organizadores daquela batalha entre as escolas chamassem todos os participantes para o centro do pátio, o que todos nos obedecemos de prontidão.

Do lado esquerdo dos velhotes estava a minha equipe, enquanto do direito existia os membros do time rival, e eles não aparentavam estar nem um pouco contentes.

O príncipe de cabelos vermelhos estava como sempre de olhos fechados e com as mãos no bolso, ele nem parecia ter suado enquanto batalhava. Diferente de minha pessoa e o parafuso humano.

- Pelo placar de 3-2... Eu anuncio que o instituto vencedor é o Thunderbolt! – Exclamava o juiz do meio, assim se virando em nossa direção e andando até o galã, o qual fez uma reverência – falsa, aposto – perante o mais velho.
- Você e o seu time merecem, senhor Diederick. – Comentou o homem.

- Obrigado. – Agradeceu o ruivo ao mesmo tempo em que pegava o que aparentava ser um troféu de ouro... No formato de uma pokébola.

Já devem estar cansados de me ouvir falar sobre o TANTO de peculiaridades que esse mundo dos monstrinhos de bolso tem, não é?

Mas deixando isso de lado, parece que a cerimônia de premiação ainda não tinha chegado ao fim, pois o velhote ainda estendeu um microfone para o galã, só não entendi muito bem o porque.

- Tem algumas palavras para dizer sobre essa vitória? – Perguntava o juiz de forma simpática.

- Hm... Tenho algumas. – Assentia Schneider com uma face provocativa.

O príncipe de cabelos vermelhos entregou o troféu para Accel – o qual mesmo tendo dificuldade de segurá-lo ficou babando sobre ele – e então pegou o objeto que lhe fora estendido, assim dando alguns passos para ficar na nossa frente.

- Senhoras e senhores de Jubilife, Sunyshore e todas as outras cidades que assistiram essa nossa competição... Eu tenho uma coisa a lhes falar. – Avisava o galã. – Eu e meus subordinados estaremos abertos a todo tipo de desafio, e iremos mostrar para vocês que só pode existir uma equipe no topo... E será a minha.

...

Espera, o que? Eu realmente ouvi certo o que o menino de olhos avermelhados falou? Não estou sonhando?!

- Que declaração incrível! Talvez essa vitória tenha os deixado convencidos, mas ainda sim é uma novidade bombástica! – O homem pegava o microfone das mãos do Diederick para falar essas malditas palavras...

Sinceramente, o que diabo estava acontecendo ali?! Por que aquele idiota do Schneider fez aquilo? O cara ao menos pensou nas consequências de ter falado algo desse tipo em um evento que está sendo provavelmente transmitido por toda Sinnoh?!

- É ISSO AE! – Gritava o parafuso humano, jogando o troféu para mim enquanto corria e roubava o objeto das mãos do velhote para complementar o que nosso “capitão” tinha dito. – Nenhum de vocês é páreo para o trio dos manos!

- SEU JUMENTO! – Indaguei quase que imediatamente ao ouvir a frase do loiro, será que ele não percebe que com isso está apenas piorando a situação?!

- Boa Accel. – Elogiou Schneider com um sorriso falso... Eu estou começando a ter quase certeza que ele esperava que a criança do nosso time fizesse aquilo.

- Valeu chefe! – Agradecia Accel contente, mesmo não tendo um motivo válido para isso.

Aliás... Era só impressão ou aqueles dois tinham uma força descomunal?! Esse maldito troféu é pesado demais! Sinto como se meus braços fossem se deslocar, e minhas pernas quebrar!

- Ei Ace, não quer falar nada? – Perguntava o parafuso humano.

- LÓGICO QUE NÃO! – Recusei prontamente.

- Poxa... – Sussurrou a criança com um tom decepcionado.

- E não faça esse tipo de voz, caramba! – Exclamei ainda mais irritado.

O pior de tudo é que quando finalmente tinha achado que minha pessoa fora livrada dessa relação forçada com Pokémons... Isso vem e acontece.

Acho que o mundo tem algum tipo de conspiração contra minha felicidade, porque isso não é nenhum pouco normal...


~///~


Depois que toda aquela confusão chegou ao fim, tanto eu quanto EME voltamos para a casa, e levando em conta o tempo que a comemoração e o caminho de volta que pegamos tomou, nós acabamos chegando lá por volta do pôr-do-sol.

Entramos pela porta, porém antes que minha pessoa pudesse se mover em direção ao meu quarto, acabei sendo surpreendido por um abraço surpresa da minha mãe, sem falar que meu pai estava do lado dela... Chorando de felicidade.

- Parabéns, querido! – Elogiava minha familiar. – Sabia que o sangue de líder de ginásio corria em suas veias! Aquela batalha foi espetacular, claro que teve seus erros, contudo foi incrível ainda assim!

- Estou tão orgulhoso de você, Ace! – Garantia o velho. – Primeiro consegue um encontro, e agora empatou com o melhor treinador do instituto de Jubilife... Pode me pedir o que quiser! Irei te dar com prazer!

Bom, por um lado aquela felicidade exagerada deles era boa, pois seria capaz de conseguir mais jogos de simulação de encontros sem ter que causar um grande alvoroço, no entanto... Ainda me sinto completamente trapaceado pelo Schneider.

De qualquer forma, agradeci os dois pelas palavras, e então me soltei deles para finalmente ir para minha fortaleza de sanidade... O meu quarto.

Claro que esse pensamento só durou até eu fechar a porta e me lembrar de que a Kirlia também estava ali.

- Seus pais são divertidos! – Admitia a humanoide se jogando em minha cama.

- É... Eles são bem... ... Espontâneos. – Assenti com um suspiro.

- Mas Ace... – O protótipo de plâncton sentava-se. – Você se divertiu, não foi?

Com aquela pergunta, o meu coração começou a palpitar um pouco mais rápido, e provavelmente iria gaguejar caso falasse sem uma preparação mental, por isso fiz o máximo que pude para me acalmar, e assim responder ela.

- Tá maluca? Já lhe falei que minha pessoa e os monstrinhos de bolso jamais irão dar certo juntos. – Resmunguei indo até onde meu 3DS estava carregando, e então o peguei e liguei para continuar jogando.

- Você sabe que não consegue mentir para mim, não é? – Perguntava EME emburrada, assim dando espaço para eu me sentar na cama também.

- Não sei do que está falando. – Garanti fazendo o máximo possível para me focar no jogo.

- Bem... Ainda assim, esse é o seu prêmio pela ótima batalha de hoje! – Avisou a Kirlia, se aproximando de mim em um movimento brusco e me beijando na bochecha, e como esperado, aquela ação sem lógica e descuidada dela fez com que meu corpo perdesse o equilíbrio devido à vergonha e começasse a cair! – Eh?! Ace!

O mais rápido que pode, a humanoide me segurou e me puxou, só que acabou botando força demais e acabei voltando para a cama... Só que a derrubei no processo e fiquei por cima do corpo da Pokémon.

Nós estávamos bem perto um do outro, e as nossas respirações pareciam colidir-se uma com a outra, o que estranhamente fazia um pouco de cócegas, mas... Era bom...

- A... Ace... ? – Gaguejava o protótipo de plâncton, corada.

Não acredito que vou dizer isso, mas graças a deus ela falou algo! Se não fosse a voz de EME, não consigo dizer se minha mente conseguiria sair daquele estranho transe mental que tinha entrado! Por sorte, consegui voltar a mim mesmo e me afastei da mesma.

- Acho que essa foi à única vez que fiquei feliz de ouvir sua voz... - Murmurei aliviado.

- Hm... – Não sabia dizer exatamente o que a garota de cabelos verdes estava pensando no momento, porém decidi deixar de lado.

Deixando essa pequena confusão de lado, por hora eu estava livre, e era melhor aproveitar esse tempo do que ficar me enchendo com pensamentos que não importavam.

Contudo... Aquilo que a Kirlia falou, por mais que minha pessoa não quisesse admitir... Eu de fato me diverti naquela batalha, e acho que quase chegou ao nível de nervosismo que sinto quando estou terminando uma rota em um dos meus jogos.

No entanto foi apenas uma vez, e não irá acontecer novamente, pois não importa o quanto Schneider pegue no meu pé, ele apenas disse que só precisava de mim para uma batalha, então não tem mais porque continuar com esse trato.

Essa foi última vez em que eu, Ace Heritage, toquei em uma pokébola.


~///~


Infelizmente não demorou muito para que o fim de semana chegasse ao fim, e quando a data bateu em segunda, eu percebi que domingo tinha sido 31 de agosto, então além de ser um dia escolar, esse era também o início de um novo mês.

Deixando isso de lado, depois de minha pessoa e EME terminarem de se arrumar, nós descemos e tomamos o café junto de minha família, e ao terminar, tanto eu quanto ela saiu de casa e seguimos em direção à escola.

- Me pergunto como será hoje... – Comentava a humanoide enquanto cantarolava felizmente uma música inventada.

- Não espere muita coisa de diferente. – Avisei sem tirar os olhos do meu 3DS. – Por mais que escolas sejam um dos melhores locais para eventos em simuladores de encontros... Na vida real, e ainda mais uma em que batalha de monstros de bolso é visto como algo sério, nada de bom pode sair de lá, não importando o dia.

- Estraga prazeres... – Resmungava a Kirlia, emburrando-se.

O pior de tudo é que ela fala isso como se ir até aquele instituto nos desse algum prazer... Há menos que o alvo seja masoquista, aí a coisa muda de figura.

- Hm? – Indagou a menina de cabelos verdes surpresa com algo.

Ao ouvir o indagar dela, suspirei e tirei meu olhar da tela do jogo para ver o que a protótipo de plâncton tinha visto para fazê-la ter aquela reação, entretanto acho que entendi...

Um pouco mais a frente existia um garoto, ele tinha cabelos pretos com detalhes em azul, e a íris de seus olhos também eram azuladas, o mesmo encontrava-se apoiado em um dos postes da calçada e parecia estar sorrindo e balançando a mão na nossa direção.

-... Conhecido seu? – Perguntei.

- Não que eu saiba... – Respondeu EME, também confusa.

Quando o estranho rapaz começou a se deslocar na nossa direção – ainda sem tirar o sorriso de sua face – não sei exatamente o que houve, mas pude jurar que vi duas brancas, belas e longas asas abrirem-se nas suas costas... Porém ao piscar algumas vezes, vi que aquilo não passava apenas de uma ilusão... Acho.

Assim que nos alcançou, ele estendeu sua mão direita para mim, ao mesmo tempo em que falava algo.

- Você é Ace Heritage, certo? – Perguntou o misterioso jovem.

- Sim, mas... – Respondi. – Quem é você?

- Ah, desculpe... Foi rude de a minha parte perguntar seu nome antes de falar o meu. – Desculpou-se o estranho coçando um pouco seu cabelo. – Meu nome é Mana Freesky, e faço parte do trio de alunos do instituto de Snowpoint.

Espera... Pelo que eu saiba essa tal cidade que ele falou é um tanto quanto longe daqui, e calma... O cara também falou de trio? E o que?! Mana nem parece um nome de verdade!

- E eu sou EME! – Apresentava-se a Kirlia.

- É um prazer conhecer vocês dois. – Admitiu Mana, e pelo tom de voz, provavelmente não estava brincando sobre isso.

- É... Acho que digo o mesmo... – Murmurei sem entender muito bem. – Só que... O que você quer aqui?

- Ora, isso é simples! – Garantiu o tal Freesky. – Vim para falar com você sobre Pokémons, Ace!

-... Hein? – Tanto eu quanto a protótipo de plâncton falei a mesma coisa em um tom uníssono.


My Kirlia is a Cupid!

Próximo Capítulo: “Ace & Mana”
avatar
Shindou Hajime
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/03/2010

Frase pessoal : Aquele cara que gosta de laranja, né?


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Rush em Sab 24 Maio 2014 - 17:34

My Kirlia is a Cupid voltou! (:


Pensei que o Ace seria vibrado pelos alunos de sua escola quando ele derrotou - empatou, pra ser mais exato - o Líder do trio de Jubilife. Embora tenha sido salvo graças ao Steelix de sua mãe, eu fiquei surpreso ao ver o Lars perdendo. Parece que ele também ficou, já que se ajoelhou arrasado. UAEHUAHE'


Eu ri muito dos comentários de Accel. Não acho que Schneider tenha sacaneado Ace, mas eu acho que ele foi muito egoísta com essas palavras. Provavelmente apenas promovendo a sua popularidade, como o príncipe de cabelos vermelhos da escola Thunderbolt, né?


Eu pensei que o Ace iria pegar a EME nesse capítulo. Quem diria que foi ela que o "rejeitou". Também pensei que o rapaz de olhos azuis no final do cap iria dar em cima da Kirlia.


Enfim. Gostei pra caramba do capítulo. Eu adoro essa fic demais, e fiquei muito feliz que você tenha voltado com ela. É isso cara, aguardo o próximo capítulo urgentemente. Um abraço, até mais. (:
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Black~ em Sab 24 Maio 2014 - 20:56

Se você parar com essa fic de novo, eu te bano, excluo sua conta e mato sua família Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy

Tá, parei -q, mas vamos lá. O capítulo ficou legalzinho com vários desfechos interessantes e bacanas, um final intrigante e engraçadinho como lhe é de praxe, mas enfim, vamos lá falar do capítulo porque eu não aguento mais enrolação aqui -q.

Era óbvio que o Ace ia ganhar de alguma forma, nesse caso ele não ganhou especificamente, mas a sua equipe ganhou, então é quase a mesma coisa -q. Só que foi bem "protagonístico" o cara que nunca lutou na vida empatar com o fodão do outro time, mas ok -q.

Cara, essa EME é toda loucona, não sei quem é pior, ela ou o Ace. Cara, aquela hora que ela dá um beijo nele e ele cai eu ri demais lol, e cada vez que eu lia de novo ficava mais engraçado. Eu também achei que eles iam se pegar =/, vacilo.

Esse Mana no final foi bem estranho, escroto, sei lá -q. No começo achei que o cara seria um anjo (no sentido literal da coisa -q), afinal, Ace teve a "ilusão" de vê-lo com asas, e de certa forma achei estranho ele sair da montanha de neve chamada Snowpoint para ir até Sunyshore "para conversar sobre pokémon". Aguardo esse desfecho né, vamos esperar.

Erros devo ter visto um ou outro, mas nada de mais.

Então é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Shindou Hajime em Sex 14 Nov 2014 - 6:56

Heya, povo! Eu novamente tinha sumido, e minha agenda acabou ficando bastante apertada por conta de alguns problemas familiares, mas as coisas já estão voltando ao normal, e nos poucos tempos livres que eu tinha enquanto mexia o PC, eu ia escrevendo aos poucos as partes do capítulo 10. De fato fica mais fácil para mim fazer capítulos mais curtos, ainda mais pra lançar, já não sei para vocês. Farei um teste com esse Cap 10, se preferirem maior, eu vou tentar fazer no mesmo tamanho dos antigos, porém pode acabar demorando mais, entretanto se gostarem mais desse tamanho, acho que serei capaz de lançar bem mais rápido os capítulos, mas não se acanhem, a escolha é de vocês, meus leitores lindos que nunca me abandonam mesmo após meses e mais meses de hiatus. Sério, amo vocês, Black e Rush, de verdade. <3

Resposta aos comentários:

Rush: Sim, voltou! E espero que continue em ativa ;_; E os alunos não se animaram tanto com o Ace porque eles estavam mais ocupado vendo a batalha do Schneider contra as outras duas participantes, afinal por mais que fosse o Lars, o Ace e o Accel não são lá tão cativantes para roubarem a atenção do público, né? UAEHAHEA E sim, o Steelix da mãe do Ace é MUITO bem treinado, e se não fosse por ele, o mesmo sem dúvidas teria perdido. Accel é uma comédia em pessoa, ele é burro, mas a burrice dele é alegre (?) UHAEHAEUHAEA' E Schneider realmente não sacaneia o Ace, ele só gosta de pegar no pé dele mesmo, e sim, aquilo foi mais para chamar desafiantes de outras escolas também. Não se preocupe, o dia em que Ace e EME se pegarão está contado... Ou não. AHUEHAEUHA' Sem spoilers né :v E nada, o Mana é de boa, além de que ele não curte a fruta HAUEHUAHEUA E obrigado mesmo Rush, de verdade cara... Sinto muito pelos atrasos. ;-;

Black~: EAE BLACKOSO! HAUEHAUHEUAHEA' vou tentar seguir com ela até o fim, e não deixar mais hiatus tão grandes assim, tá parecendo HXH, ohgod. @_@' E ok, sem mais enrolação então! Mas fico feliz que os finais intrigantes continuem! 8D E sim, mas que o Schneider ia vencer já era óbvio, e não vou mentir que o Ace necessitou de um protagonismo ali no meio, mas vamos dar um desconto para o coitado, é a primeira batalha dele. u.u A EME é louca, porém é exatamente a loucura dela que faz a gente gostar dela :'D Essa cena foi engraçada mesmo UAHEHAEHA' E assim como falei pro Rush, os dias para Ace e EME se pegarem estão contados... Ou não. /nospoilers E HAUEUAHUEAH' Bom, as asas do Mana realmente fazem ele parecer um anjo, e ele de certa forma acaba parecendo um nesse capítulo (?) Mas ele é humano, então não se preocupe. XD Obrigado mesmo Black, sinto muitíssimo pelos atrasos, e valeu por continuar acompanhando mesmo com tantos hiatus ;-;~

Sobre esse capítulo... O mais difícil mesmo foi arranjar tempo para escrevê-lo, mas as ideias foram fáceis de ter! Ele serviu para demonstrar um pouco a relação e o contraste que Ace e Mana tem, pois os dois acabam sendo um tanto quanto iguais em certos pontos, além de que isso é uma ajuda que o personagem do Ace já estava precisando, mas não se preocupem que o foco principal da fic volta no próximo capítulo com o novo alvo! Oh meu deus, quem será?? Enfim, deixando isso de lado... Com vocês o mais novo capítulo de My Kirlia is a Cupid!






Capítulo 10: Ace & Mana


“Vim para falar com você sobre Pokémons, Ace!”.

Essas palavras ecoavam e ressoavam em minha mente enquanto fiquei parado por sei lá quantos minutos. Primeiro de tudo um cara desconhecido do nada se aproxima de mim e da EME, e aí ele explica que saiu da cidade congelada de Snowpoint só para vir conversar sobre... Monstros de bolso?!

Uma ova, aquilo com certeza era alguma armadilha ou pegadinha feita por qualquer um daqueles manés do instituto de Sunyshore, eles provavelmente devem ter ficado sabendo que saí com Merry e por não acreditam – ou por não conseguirem – devem estar querendo se vingar de alguma forma, só não consigo pensar que caminho esse tipo de brincadeira iria tomar...

- Ah, sério?! – A Kirlia falava ao mesmo tempo em que seus olhos começavam a brilhar. – Finalmente alguém poderá ensinar mais coisas ao Ace sobre monstros como nós!

Eu não estava surpreso com a reação dela, sendo sincero. O que me assustou foi à inteligência rara ter soltado aquela última frase! Como diabos ela fala algo tão crucial quanto isso sem perceber?! Só espero que o desconhecido não saque o que a mesma quis dizer, se não provavelmente iremos parar no próximo “Jornal do Slowpoke”...

E sim, o nome desse programa de TV é horrível, mas meus pais amam assistir com o volume alto, então não é por minha escolha que sei dele não, tá?

- Oh! Fico surpreso em ver alguém que gosta tanto de Pokémon que se acha parte deles! – Elogiava Mana. –

... Acho que já devia esperar esse tipo de resposta ainda mais vindo de mais um dos ordinários amantes dessas bestas sobrenaturais.

- Ahn... Claro! Era exatamente isso que eu quis dizer! – Garantia a verdinha tentando fazer uma pose superior, porém falhando devido ao seu nervosismo por ter falado uma bobagem daquelas.

- De qualquer forma... – Suspirei. – Não sei se você sabe amigo, contudo não sou lá um fã e muito menos um simpatizante desses bichos, ok? Só participei daquele evento porque estavam me chantageando.

- Não se preocupe, eu sei disso. – Garantia Mana.

- Então se puder... Que? – Indaguei no meio da frase assim que ouvi o que o rapaz de cabelos azuis havia falado.

Espera! Vamos parar por um momento... Ele realmente falou o que ouvi? Não foi nenhum engano?

-Hm... Poderia repetir o que disse... ? – Pedi ainda sem acreditar naquilo.

- Eu falei que sabia que tinha sido forçado á participar contra sua vontade. – Repetia o suposto anjo sem retirar seu sorriso de sua face.

Ok... Realmente as coisas estavam MUITO erradas! Primeiramente como esse cara poderia saber disso antes da minha pessoa ter falado? E, aliás, o mesmo realmente acreditou em mim? Normalmente quando conto esse tipo de caso para alguém do mundo Pokémon, os demais apenas acham que é brincadeira ou simplesmente ignoram por não ser parte deles.

No entanto... Esse sujeito realmente me escutou? Acho que é desnecessário falar, entretanto sem dúvidas minha face esboçava muita confusão perante tal ato peculiar.

- Como... ? – Foi à única coisa que consegui perguntar naquele momento.

- É exatamente isso que eu quis dizer quando falei para “conversarmos sobre Pokémon”. – Explicava Mana de forma casual.

Não vou discordar que esse aluno de Snowpoint conseguiu me deixar curioso o bastante para ouvir falar esse tal assunto dos monstros de bolso, mas o verdadeiro problema é...

- O que? O que foi? – Interrogava EME olhando para nos dois sem entender.

Independente de quanto tempo passe, o protótipo de plâncton ainda continua ingênua como sempre... Só não sei dizer se isso é algo bom ou ruim.

- Er... EME... Poderia ir à minha frente para a escola? Acho que esqueci um dos meus jogos lá em casa, então irei voltar para buscar e posso acabar demorando... – Menti.

- Ah, não se preocupe! Pode deixar que eu pego para você, Ace! – Sugeria EME.

Esqueci-me da poderosa insistência dela, outra das qualidades – ou defeitos – que existiam na minha “companheira”, porém tinha uma carta na minha manga que nunca falhava em forçar ela a fazer o que eu queria.

- Se você for para a escola agora, eu aceito ir atrás do segundo alvo da pesquisa do seu criador. – Garanti com um falso sorriso.

-... É PRA JÁ! – Exclamava a Kirlia abrindo um largo sorriso que parecia bobo de tanta felicidade que demonstrava, e em um piscar de olhos, o ser verde já não estava mais entre nós.

- Na verdade era mentira... – Murmurei enquanto ria maleficamente, contudo ao ter certeza de que a mesma tinha ido embora por completo, virei meu olhar na direção do azulado e o fitei seriamente. – Agora... Fale-me sobre o que veio tratar comigo de verdade, Mana Freesky.

- Antes disso, por que não nos sentamos? – Perguntava Mana apontando para um banco que não estava muito longe da onde à gente se encontrava.

- Certo... – Assenti em um tom meio azedo para o mesmo.

Fomos até o ponto que ele tinha sugerido, entretanto observei o objeto de todas as formas possíveis para ver se não tinha nada para alguma pegadinha ali, afinal por mais curioso que minha mente esteja não posso vacilar caso isso ainda seja uma armação dos meus colegas de classe.

Quando vi que estava limpo, sentei-me ao lado do desconhecido, no entanto marquei uma “barreira invisível” com minha mão para que ele não ultrapassasse, pois ficar perto demais poderia pegar mal para nós dois.

- Então, fale. – Pedi, assim pegando meu 3DS e voltando a jogá-lo.

O suposto anjo apenas riu em resposta do meu ato e então pegou o que aparentava ser comida para pássaro – sabe-se lá da onde – e a abriu, começando a mexer nela como se estivesse esperando algo ou alguém aparecer.

- Pude sentir o seu desprezo pelos Pokémon durante aquela luta, mas... – Ao mesmo tempo em que falava, o mesmo ia jogando comida para estranhos seres voadores de coloração cinza amarronzada com bicos e patas amarelos com uma pequena parte preta na ponta do bico e nas garras. – Consegui ver uma pequena paixão por eles crescer quando a sua luta contra o tal Lars chegou numa parte crítica.

... E eu achando que ia vir algo de inteligente pela primeira vez nesse mundo de viciados em monstros de bolso, mas me enganei completamente. Aliás, talvez esse cara seja pior do que os estudantes da minha escola! Sentir? Como assim, ele está por algum acaso tentando bancar o espirita ou algo do tipo com essa coisa de sentimentos?

- Olha... Sua conversa parece que vai ser muito viajada e sinceramente não tenho muito tempo á perder porque minha aula já vai começar então se puder me dar licença... – Pedi enquanto começava a me levantar, porém...

- Espere! – Exclamava o aluno de Snowpoint me segurando pelo braço e me impedindo de conseguir sair de lá. – Isso é sério... É uma coisa importante que preciso falar para você, pois eu também era assim com os Pokémon.

Pausa por um momento... Esse rapaz realmente está querendo que eu acredite que o mesmo já teve um sentimento igual ao que tenho pelos monstros de bolso? Sendo que atualmente de acordo com ele próprio, o mesmo é parte do trio da escola Snowpoint... Ou seja, esse cara deve gostar bastante desses bichos para participar desses eventos, algo que minha pessoa discorda completamente.

Mas o que realmente me fez ficar lá ainda foram os olhos azulados dele, os quais demonstravam uma seriedade jamais tinha visto hoje, então deveria estar falando a verdade ou mentindo muito bem... Decidi acreditar mais no primeiro por hora.

- Certo... Fale logo, então. – Ordenei tirando a mão dele de cima do meu pulso.

- Obrigado. – Mana demonstrava novamente o seu sorriso inocente. – A verdade é que... Quando eu era pequeno não podia praticar nenhum tipo de esporte, e muito menos ter algum tipo de relação com Pokémon devido á arritmia que tenho...

Já ouvi falar dessa doença... Pelo que parece isso é algo que faz com que o coração bata em um ritmo irregular, ás vezes bem rápido ou bem lento, porém se o mesmo tem isso... Como entrou na equipe oficial de batalhas da cidade congelada?

- Meus pais sempre foram rigorosos demais na proteção e no cuidado que me deram só que acabava sendo sufocante demais não pode fazer nada, apenas ficar olhando pelo céu através da janela do meu quarto... Sentia-me preso por correntes invisíveis. – Contava o suposto anjo. – E isso acabava me fazendo ser deslocado dos meus colegas de classe também por não saber muito sobre os monstros de bolso, afinal todos nesse mundo que se prezem como “seres humanos” tem algum tipo de ligação com esses bichinhos independente do que seja.

Diferente de antes, dessa vez eu o estava escutando com bastante atenção, e agora finalmente conseguia entender direito quando o mesmo quis dizer que era parecido comigo... De fato também já passei – e ainda passo – essa tal reclusão devido ao meu ódio reprimido pelos Pokémon, e isso só aumenta ainda mais devido ao meu amor pelas garotas 2D, algo que esses ordinários jamais iriam conseguir compreender.

- Cheguei á um ponto de até mesmo odiar os monstros de bolso e o mundo ao meu redor. Comecei a botar a culpa de ter aquele tipo de doença nos meus pais, e a minha vida só ia piorando... – O garoto de cabelos azuis continuava contando sua história sem abaixar a cabeça e nem derramar uma única lágrima. – Era como se minha liberdade tivesse sido retirada de mim á força, sem que eu nem pudesse reclamar ou lutar por ela... Até aquele dia chegar.

Aquelas palavras que o aluno de Snowpoint estava proferindo realmente me faziam lembrar-se dos sentimentos que minha pessoa tinha antes de EME entrar em minha vida, e mesmo com ela ao meu lado, esse tipo de coisa ainda não abandona o meu coração, e quando penso que assim que essa missão toda dela acabar, a mesma terá que ir embora... Por mais irritante, chata e pegajosa que seja... Ainda sim é como se um vazio fosse criado dentro de mim.

Odeio ter que admitir, contudo acho que no final de tudo, Mana estava certo sobre nos termos uma situação igual... Pelo menos antes.

- Uma amiga minha me levou até um campo de treinamento e me demonstrou como é uma verdadeira batalha Pokémon... Acho que você deve ter sentido naquele evento, não é? A adrenalina, a pressão, o nervosismo... Sentimentos que nunca achei que poderia sentir acabaram vindo de uma das coisas que eu mais detestava... – Um dos pássaros pousava na cabeça de Mana, e o mesmo sorria para o animal. – O que quero lhe dizer é que... Você não precisa se sentir estranho por ter gostado nem que seja um pouco de batalhar.

O suposto anjo se levantou do banco e se aproximou de mim, assim colocando sua mão direita sobre meu ombro.

- Já passei pela mesma situação que você, e sei como é difícil... No entanto por que não tenta dar uma chance para os bichinhos? Você pode acabar se surpreendendo com eles. – Avisava o aluno de Snowpoint.


Fechei os olhos e abri um sorriso de leve, acredite, eu não estava brincando. Realmente tinha ficado feliz que existia uma única pessoa que conseguia me compreender naquele mundo todo, e por mais que nossas situações não fossem completamente iguais, ainda assim os sentimentos que nossos corações tiveram foram quase idênticos.

Entretanto...

- Obrigado pelo apoio. – Agradeci enquanto me afastava dele e tirava a mão do mesmo de meu ombro. – Não vou mentir dizendo que não me diverti pelo menos um pouco naquela competição, mas... O motivo de eu odiá-los é algo que jamais poderei esquecer ou simplesmente deixar de lado, Mana. Independente se é divertido ou não, e nem mesmo se isso é capaz de me demonstrar coisas que nunca senti antes... Isso... Apenas isso é algo que simplesmente sou incapaz de fazer.

- Tudo bem, você deve ter suas razões para isso. – Assentia o azulado. – Só não se esqueça de pelo menos pensar um pouco no que acabei de te falar... Pois todos nós merecemos liberdade, até mesmo você, Ace.

Depois de terminar de falar isso, Mana acenou para mim e começou a tomar sua direção para ir embora, porém... Antes de ele sumir completamente, eu o gritei uma última vez.

- Mana!

- Hm? – Mana olhava em minha direção, confuso.

- Ainda não consegui entender... Você disse que sentiu essas coisas de mim sem ter falado comigo antes... Como isso foi capaz? – Não podia deixar de perguntar aquilo para ele, afinal fiquei bastante intrigado quanto á esse ponto!

- Ah... Isso... – O suposto anjo ria de leve. – Digamos que nasci com uma sensibilidade maior em relação aos sentimentos das pessoas e dos Pokémon... E... Tem outra coisa que também sou bem sensível, e ela estará logo aqui.

- Que... Coisa... ? – Repetia sem entender.

- O vento. – Bem na hora que ele me respondeu, uma ventania calma e gostosa passou por nós, e novamente fui capaz de observar duas belas e grandiosas asas brancas se abrirem nas costas do mesmo, deixando algumas penas caírem, porém elas desapareceram quase que instantaneamente depois que aquilo parou.

Não sei dizer por que, contudo uma frase veio na minha cabeça, e era algo que eu nem sequer pensei que seria capaz de acreditar naquilo...

“Talvez... Mana seja mais forte que Schneider em uma batalha?”

Balancei minha cabeça e cocei meus olhos, e quando olhei novamente na direção onde o aluno de Snowpoint estava, o mesmo já não se encontrava mais ali.

-... Mana Freesky... – Não sei dizer exatamente o porquê, entretanto aquele menino me despertava um interesse estranho... – Bem, hora de voltar á jogar.
Quando virei minha visão em direção à tela do 3DS fui capaz de ver o horário... E é.
Minha pessoa encontrava-se atrasada para a escola por conta do tempo que perdi naquela conversa.

-... Que se dane, pelo menos vou poder jogar mais os meus queridos simuladores de encontro. – É... Olhando por um lado, ter me atrasado foi algo bom.


My Kirlia is a Cupid!
Próximo Capítulo: A princesa de cabelos vermelhos.
avatar
Shindou Hajime
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 28/03/2010

Frase pessoal : Aquele cara que gosta de laranja, né?


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Rush em Sex 14 Nov 2014 - 13:14

Olha quem voltou dos mortos AUEHUAHE

Eae Hajime, tudo bem? o/

Gostei bastante do capítulo, mesmo ele não tendo nenhuma ação. Pensei que Mana fosse virar um personagem que iria aparecer com frequencia, mas parece que eu me enganei - ou não. - Não sei porque, mas o fato dele ser um anjo me deu ideia para várias teorias, como ele ser um Azelf, ou ter morrido e virado um anjo, mas... Sei lá, prefiro esperar pra ver se isso será revelado.

Eu tinha me esquecido em como a EME era tão inocente e manipulável. Ela é bem fofa, mas o Ace consegue manipulá-la com muita facilidade. AUEHAUEHAE'

Tenta não sumir de novo. Segunda vez que você faz isso. D: Já estava com muitas saudades da fic, que eu considero uma das melhores do fórum. <3

Enfim, aguardo o próximo cap, ONDE A PRINCESA DOS CABELOS VERMELHOS IRÁ APARECER AUEHUAE'

Abraço cara! <3
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Black~ em Sab 15 Nov 2014 - 16:15

E DAS PROFUNDEZAS ABISSAIS DA MORTE, EIS QUE REAPARECE SHINDOU HAJIME, VULGO LARANJA, WEE. Ok, dessa vez é sério. Se tu cancelar a fic, os aborígenes comedores de ânus irão aparecer na sua casa, ok ok, vlw flw. Agora falando sério.

Bem, vamos lá.

Curti o capítulo, todos esses papos do Ace com o novo cidadão aí. Bem, a EME continua igualzinha, tinha até me esquecido² de como ela é tonta e grudenta e inocente, oh, EME, amamos te odiar, nossa relação é tão recíproca -q, mas enfim.

Esse cara é muito bizarro ok. Primeiro esse negócio das asas, já achei estranho por si só, mas ok, deve dar pra relevar. Aí depois o cara começa a contar toda aquela história. Achei que ele tivesse morrido e virado um anjo, ou coisa do tipo, mas sei lá. Bem, vamos aguardar pra ver.

Erros eu vi alguns, mas nada de mais.

É só e boa sorte com a fic. E não demore.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: My Kirlia is a Cupid!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum