Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Por favor, não perca mais tempo, inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobres todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Aguardo.
Feliz Natal e Ano novo!

As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Página 4 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por DarkZoroark em Ter 20 Maio 2014 - 10:01

Rush o/
Bem, já fiz o comment na Gonryu, agora é a vez do Kyle. Então, sem delongas até porque uma vez na vida eu to comentando sem demora, vamos ao review (PS: Se tem o Bullseye, bem que podias criar um Deadpool...).:
O capítulo ficou legal e bastante cômico, principalmente no começo. Alguém ser mordido por uma Butterfree é a primeira vez que eu vejo, o que acabou sendo bem engraçado tendo em vista a reação exagerada do Kyle. Dar um ataque desses só por causa que uma borboleta fincou os dentes - pelo menos nos jogos elas tem - no braço dele é muito alarde por nada. Pior é que o grito do "caipira de Pallet" parece ter a mesma força do de um Exploud. Afinal, meio mundo que está na floresta conseguiu ouvir ele.

@Rush escreveu:- Heh. Tu é forte, mas não é dois. – Rocky zombava com um sorriso no rosto.
Cara, de boa, essa frase me deu uma sensação de nostalgia das grandes. Me fez lembrar de um dos primeiros episódios de Yu Yu Hakusho, onde o Yusuke vai encarar um louco com dois metros de altura e fala tri de boa. "Escuta aqui rapaz, tu é grande, mas não é dois. Eu sou pequeno, mas não sou metade." Deu até vontade de ir lá assistir de novo mais tarde.
O "embate de titãs" entre o Russel e o Ares - bem dahora dar pro Poliwrath agigantado o nome do deus da guerra - ficou muito dahora, com a força bruta desse contra os movimentos mais ágeis e efetivos daquele. Me lembrou um tanto Fred Vs. Jason essa questão de agilidade contra poder. O mais hilário é o fato de o Kyle e o Aoki sentarem ali para ficar assistindo de boa enquanto os dois causam um alarde por toda floresta de Viridian.
Quanto ao segredo do Morgan... Olha, tenho que admitir que ainda não saquei o que é XD. Vou ter que esperar mais para saber do que se trata. Quanto à parte final com o Jason, deu para perceber que era - ou que parecia ser - um Pinsir. Me fez lembrar do episódio em que o Ash capturou o Heracross dele. Vou ficar esperando para ver como que a situação irá se desenrolar.
Bem, por enquanto é só. Aguardo o próximo capítulo. ninja 
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Sex 23 Maio 2014 - 18:00

Bom, vamos lá.

O capítulo foi legalzinho, com vários acontecimentos, as brigas entre os pokémons, a mordida da Butterfree, o Morgan e o Hitmonchan, o Jason no final, entre outras coisas, realmente ficou bem legalzinho (já disse isso, mas vou encher linguiça pra dar duas linhas -q).

Enfim, aquela primeira parte com a Butterfree foi engraçadinha, tipo, o moleque dá mó grito do [palavra censurada] parecendo ser alguma coisa importante e quando vê, é uma Butterfree que o morde, apesar de isso ser tecnicamente impossível, mas ok, Kyle só faz Kylezices -qq.

Acho que descobri mais ou menos o segredo do Morgan, vou falar porque não tenho certeza. Mas o olhar apaixonado entre ele e o Hitmonchan só pode significar alguma coisa. Ainda mais por ele sair correndo com "medo" do pokémon. Aposto que aquele objeto tem relação com o humanoide e que o garoto e o humanoide têm alguma relação.

Pensei que finalmente o Jason Sem-Sobrenome ia encontrar o caipira de Pallet e sua trupe de vagabundos, já que no final tanto o Jason quanto o Johän queriam ir atrás de seus respectivos pokémons, e nesse momento achei que ocorreria o encontro lindo e maravilhoso, mas o Jason caiu e ficou desmaiado, então só no próximo capítulo (ou só no ano que vem, o Rush só faz Rushices =/ huahauheuha), mas enfim, talvez realmente seja um fucking Pinsir, que tá destruindo a porra toda -q.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Rush em Sex 30 Maio 2014 - 21:06

@DarkZoroark: Saaaabia que tu ia entender a referência que eu fiz ao Yu Yu Hakusho. O Polirwath chamado Ares, espero que tenha gostado haha. Uma coisa que eu tento fazer, é os treinadores colocarem nomes estilosos em seus Pokémons para aumentar a sua popularidade, logo conseguirem patrocinadores. Isso vai ter MUITO a ver com o Jöhan, até porque o Polirwath dele é puro marketing. AUEHAUE' Muito obrigado pelo comentário, espero que continue lendo! Um abraço!

@Black: #Rushice AUIEHAUHEAUHE' Muito obrigado cara. Eu realmente dou umas dessas para tentar deixar um suspense no final. Desculpa por isso. Fico feliz que tenha curtido o capítulo, mas não entendi esse olhar apaixonado que você falou. AUEHAUE' E esse capítulo irá revelar o segredo de Morgan! /o/ Só não sei se você e o DZ irão gostar da revelação. Haha! Muito obrigado pelo comentário, espero que continue lendo! Um Abraço!


~>x<~



Massageava a cabeça com sua mão direita, enquanto seus fios de cabelo laranja passavam entre seus dedos. A queda havia o machucado, mas não parecia ter sido nada sério. Jason olhava para cima, vendo aquele gigantesco inseto preso ao tronco da enorme árvore.


- Errm. – Pigarreava, tentando chamar a atenção da criatura. – O que um Pinsir gigante como você está fazendo aqui? – Perguntava em tom baixo. – Não sabia que vocês podiam chegar até esse tamanho.


O inseto parecia estar totalmente preso ao tronco musgoso da árvore. Provavelmente num sono profundo já que não se movia. Só ficava ali preso e sugando a seiva do local.


- Ele está tirando um cochilo. – Uma voz o respondia, fazendo com que o mecânico se assustasse e olhasse para trás.

- Você. – O ruivo enunciava com os olhos cerrados. – Decidiu voltar para o local do crime, ein? Criou bolas o suficiente para vir sozinho? – Provocava, apenas colocando ambas as mãos dentro do bolso de seu casaco.



O outro homem ria, saindo dos arbustos do lado da colina em que Jason havia caído. Estava trajando roupas de moletom castanhas, junto de uma calça negra. Seu cabelo estava totalmente bagunçado, mas sua barba estava feita, deixando o seu rosto liso. Era Morgan.


- Sozinho?


Logo uma voz feminina o chamava, até uma loira aparece no cenário, o procurando, era Brenda que rapidamente segurava o braço do rapaz.


- Onde você estava indo?! – Ela o repreendia, ignorando totalmente a presença do mecânico, já que estava assustada e distraída.


- Como pode ver, não estou sozinho. – Nem dava atenção para Brenda, simplesmente tirando bruscamente o seu braço das mãos da amiga, a empurrando com força com o intuito de derrubá-la. Após o movimento, ele retirava o casaco de moletom, exibindo uma camisa negra com um “R” vermelho estampado. – Agora prepare-se para a encrenca. – Afirmava, com um sorriso no canto do rosto, enquanto retirava uma pedra redonda do bolso de sua calça.





As crônicas de um Gyarados Voador!

 

Kyle Adventures.
 
 
 
 
Capítulo XVI – Vs. Russel parte 2.
 


.
Kyle estava com um enorme sorriso no rosto, enquanto assistia a batalha entre os dois Pokémons sentado, apenas gravando a luta em seu celular. Neste momento, Aoki e Nero estavam fora de suas Pokébolas, para que assim pudessem também apreciar uma verdadeira batalha entre veteranos.

O Hitmonchan estava com seus punhos eletrificados, e disparava vários socos em direção do Poliwrath, que mesmo pelo seu tamanho, conseguia desviar facilmente, contra atacando com mais fortes socos que também eram respectivamente evitados pela agilidade do humanoide. Ambos estavam exaustos, então se preparavam para um ataque final. Uma das luvas do Hitmonchan brilhava intensamente, assim como um dos punhos de Ares. Esse brilho soltava vários feixes de luz, como se fosse uma espécie de explosão compacta que estava prestes a explodir quando colidisse com outra coisa.


- Basta! – Jöhan berrava, correndo em direção das duas criaturas e entrando no meio delas, para que os dois lutadores não executassem o ataque.


Imediatamente, Ares fazia o brilho de sua mão direita cessar, parando de lutar com a ordem de seu treinador.
Russel fazia o mesmo. Ele suspirava aliviado, já que aquela batalha estava o cansando e já havia se machucado o suficiente. Estava com alguns hematomas em seu rosto e seu corpo, estava exausto.


- Você é durão, sapo-cururu. – Rocky afirmava, com um sorriso no rosto. – Nada como uma boa batalha para acalmar os nervos.

- Sapo-cururu? – Kyle perguntava decepcionado, cessando a filmagem de sua Pokédex. – Que expressão tosca. Fudeu a gravação só com isso. – Dizia se levantando e se aproximando dos três.

- Cale-se, moleque. – O Hitmonchan sorria. Russel notava que quem havia parado a batalha era um conhecido. – Homem bonitão, alto, loiro dos olhos verdes. Quem diria que nós iriamos nos esbarrar de novo, Falk.

- Quem diria que você iria apanhar pro Ares. – Jöhan sorria, dando um abraço no Hitmonchan. O Poliwrath ainda estava sério, apenas cruzava os braços.

- Heh. Esse sapão estava protegendo o filho de uma quenga da Equipe Rocket. Não tive escolha, achei que também era um criminoso.



Essas palavras fizeram todos ficarem surpresos, até o próprio Ares. No entanto, Nero e Aoki se entreolhavam confusos já que nunca haviam ouvido falar de “Rockets”.


- Morgan? – Kyle perguntava, em choque. – Não é possível. Ele tá com a gente. – O garoto do chapéu de palha tentava defende-lo, já que estava assustado demais para falar qualquer outra coisa. – Ele que foi roubado!

- Roubado? – O Hitmonchan ria. – Ele roubou um artefato misterioso do Museu de Pewter, e eu e meu amigo pegamos de volta. Mesmo que esse bagulho fosse misterioso a ponto de nem os nerds de Pewter saberem o que faz, eles o querem de volta. Nós íamos vender, mas sabe como é né.


Kyle e Jöhan se entreolhavam, assustados. Quer dizer que Morgan era um criminoso esse tempo todo? Havia mentido? Estava esse tempo todo com eles, dizendo que seria o guia. E até recuperou as malas de Kyle e Brenda quando foram roubadas por um ladrãozinho do metrô de Veridian.


- Droga... Temos que ir atrás dele agora. – Jöhan suspirava. – Brenda correu atrás dele logo que vocês tontos começaram a lutar.



~>x<~


Morgan retirava uma esfera alaranjada do bolso de sua calça negra de moletom. O artefato parecia ter alguma espécie de fogo dentro de sua interface, que ficava em constante movimento a cada passo que se aproximava do gigantesco inseto.
Jason corria para impedir que o Rocket se aproximasse mais daquela árvore, mesmo não sabendo quais seriam os seus planos.


- Aerys, ataque rápido. – O rapaz comandava sem nem sequer olhar para o mecânico. Com sua ordem, um Pidgeotto pulava de um galho de uma árvore aleatória e mergulhava como um torpedo em direção do homem, o derrubando com facilidade.

- Seu puto! – Jason gritava, sentindo uma grande dor pelo impacto. Mesmo doendo, ele se levantava e ia correndo em direção de Morgan, que por sua vez dava um forte chute na canela de Jason, o derrubando mais uma vez.

- Você não vai me impedir dessa vez, Mecânico. – Ria, apontando a esfera em direção do Pinsir desacordado. – Acorde, Pinsir! Seja meu novo aliado nessa jornada!


A pedra que Morgan segurava começava a brilhar intensamente, emitindo um som de descarga elétrica, até um ponto em que ofuscava a visão de qualquer um que olhava diretamente.

Quando a luminosidade cessava, era possível escutar o barulho do Pinsir acordando e se soltando do tronco aos poucos. Um som que deixaria muitos agoniados, já que se assemelhava a uma carapaça se soltando de um tronco. Logo dois pares de asa se abriam do inseto, fazendo um zumbido intenso que afugentava todas as aves que ali viviam. Aquele som alertava dos os Pokémons que moravam naquela floresta que deveriam fugir, pois o som vinha de um predador formidável.

Finalmente se soltando do tronco da enorme árvore, o gigantesco Pinsir voava até pousar na frente de Morgan. O Seu tamanho era formidável, chegando a ser maior que o próprio Rocket sem suas pinças espinhosas. Ao pousar, era possível sentir um pequeno tremor, devido o peso da criatura.


- Droga... – Jason gemia, vendo a situação em que se encontrava. Ele se levantava com dificuldades, enquanto observava o Pidgeotto de Morgan pousando no ombro do Rocket, e observava os dentes brancos do Pinsir se mexerem, enquanto alguns sons asquerosos eram escutados.

- Pinsir, use Super Força para darmos uma liçãozinha nesse Mecânico. – Morgan abria um sorriso maléfico, ainda segurando a esfera em suas mãos, mesmo que ela não brilhasse e estivesse negra, como se o poder tivesse sido absorvido pelo inseto que controlava.


O besouro obedecia imediatamente o seu novo mestre. Suas asas começavam a bater velozmente, criando aquele mesmo zumbido que ecoava pela floresta inteira. Então ele dava um forte salto com suas minúsculas e grossas pernas, para que pudesse voar.

Ao chegar numa boa altitude, o Pinsir alado girava verticalmente, até ambas suas pinças apontarem para Jason.


- Garota, é melhor você sair daqui. – O ruivo dizia em tom baixo, olhando para o besouro que mergulhava em sua direção.


Brenda ainda estava se recompondo pelo empurrão que havia levado por Morgan. Ela abraçava Megan quando se assustava ao ver o enorme monstro planando na direção do homem.


- Cuidado! – Ela gritava, soltando a Vulpix e correndo até o homem, puxando-o pelo seu braço para que ele pudesse desviar do golpe.


Ao sentir o seu membro sendo puxado, Jason segurava Brenda e corria para fugir do ataque, se esquivando com sucesso do movimento.
Colidindo contra o chão, o Pinsir levantava uma enorme poeira, além de causar um belo tremor que se assemelhava a um terremoto. O golpe teria sido tão monstruoso que deveria ter derrubado umas três árvores com as suas pinças, deixando um fundo rastro no chão lamoso da floresta.


- Tsc. Quero ver vocês escaparem de mais golpes desses. – Morgan sorria.


Jason soltava Brenda, se ajoelhando por estar exausto. Estava ofegante e assustado, e naquele momento, tentava bolar algum tipo de estratégia de escapar daquela situação com vida.

Podia perceber que o Pinsir era monstruosamente forte. Havia derrubado três árvores facilmente, com apenas um movimento. Mas provavelmente havia se machucado na execução do golpe, já que ele levantava com dificuldades.


- Morgan! Para com isso! – Brenda gritava se levantando e se afastando de Jason. – Você é meu amigo, poxa. Você está me assustando!


O homem de cabelos alaranjados ainda estava de joelhos, e prestava atenção no diálogo. Ele podia sentir o medo que a loira sentia, ainda mais pela reação de ver o próprio “amigo” mandando um monstro daqueles a atacar, sem pensar ao menos duas vezes.
O Rocket continuava sorrindo. Ele acariciava o Pidgeotto que repousava em seu braço, apenas aguardando o Pinsir se levantar.


- Aye. Nós somos amigos, né. – Ele comentava em tom irônico. – Você me ajudou bastante, loirinha. Você e o imbecil do seu amigo de chapéu de palha. Pude voltar para Veridian, pude pegar essa Mega Stone de volta. – Apertava o artefato, o que causava mais um enorme sorriso a abrir em seu rosto.


Tais palavras faziam os olhos de Brenda se encher de lágrimas. É claro que conhecia o rapaz por apenas um mês, mas não podia acreditar que ele era tão frio a ponto de usá-la e descarta-la de tal forma. Não podia negar que estava com raiva, triste e com muito medo. Era visível isso apenas em seu olhar.


- Agora... Eu ainda tenho parte do dinheiro que coletamos esse mês, graças ao imbecil do seu amigo e suas batalhas. Tenho um Pokémon digno para fazer qualquer um se ajoelhar a mim. E ainda poderei eliminar esse mecânico maldito. – Começava a rir, guardando novamente a pedra no bolso de sua calça. – Muito obrigado pela ajuda, loirinha. Prometo que vai ser rápido! Pinsir, use Ataque Rápido!


O besouro avançava um passo, dando um pequeno salto com o segundo. Ainda no ar, suas asas batiam numa velocidade surpreendente, fazendo com que o inseto desse um rasante veloz em direção da garota.


- Kyle! – Brenda gritava, fechando os olhos ao ver o monstro se aproximando. Sentia que sua vida iria acabar naquele momento. Sabia que não iria ter tempo de desviar daquele golpe, o Pinsir era muito rápido, mesmo para o seu tamanho. Lágrimas escorriam pelo seu rosto, enquanto a sua pequenina Vulpix ficava ao seu lado, mantendo-se fiel a sua dona.


Foi ai que escutava uma colisão, e abria os olhos imediatamente. Podia ver que a figura de um enorme sapo azul bípede estava logo à frente, segurando o golpe do inseto. Mesmo que o Poliwrath fosse absurdamente forte, a sua força não era o suficiente para bloquear o golpe por completo, e por isso, era possível ver que ele era arrastado lentamente para trás, enquanto as asas do Pinsir batiam ainda mais rápidas.


- Não foi legal você me chamar de imbecil, cara. – Kyle dizia entrando na frente de Brenda, como se estivesse a protegendo. Jöhan estava um pouco mais atrás, e demonstrava-se surpreso ao ver a presença do gigantesco inseto.


Vendo que não conseguiria mais segurar o golpe, Ares dava um único giro horizontal e lançava o corpo do Pinsir contra o chão, causando um enorme estrondo e fazendo a criatura parar de bater as asas. Após executar tal movimento, ele entrava em posição de combate.


- Tsc! Aerys, ataque rápido! – Morgan ordenava, apontando para o treinador de chapéu de palha.

- Aoki, semente sanguessuga! – Kyle retrucava, quase que instantaneamente.


O Bulbasaur que até agora não era visível, saía de um arbusto com um salto, dando uma cambalhota e soltando uma pequena semente que voava rapidamente em direção do próprio treinador. O rapaz apenas recuava um passo, fazendo com que o Pidgeotto quase o atingisse, mas recebia o pequenino impacto do grão que estava numa velocidade ainda maior.

Ao encostar-se à ave, a semente se abria, saindo várias vinhas que prendiam o Pidgeotto por completo, a ponto de ele cair por não ter mais a liberdade de bater as suas asas. Logo em seguida, um enorme choque vermelho causava dano ao pássaro. Aoki então caminhava em direção de seu dono, orgulhoso pela estratégia dele ter dado certo, e é claro, por ele ter cumprido o seu papel em tal plano.


- Você está bem, velhote? – O Hitmonchan se aproximava, auxiliando Jason a se levantar.

- Tsc. Estou sim. – Respondia, encarando o Rocket com ódio pelo que ele iria fazer com Brenda.

- Ótimo. Porque eu e meu amigo sapo aqui iremos destruir esse Rocket. – Russel respondia, caminhando até ficar ao lado do Poliwrath, entrando também em posição de combate.


O sorriso de Morgan era desmanchado. Podia ver o Pinsir se levantando e voando para trás, para ter um espaço de segurança. A sua frente, via os três homens com seus respectivos três Pokémons. Além de ver o seu Pidgeotto preso à semente sanguessuga se debatendo para poder sair.


- Um sapo sob efeito de esteroides, um macaco falante com luvas de boxe e um Bulbasaur que há pouco tempo apanhou para um Spearow. – Morgan ria. – Isso será divertido.
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por mrdeid em Sex 30 Maio 2014 - 22:00

Olha cara, meio que me virei pra ler todos os capítulos disso aqui. Mano, o que falar de você que nem conheço e já considero pakas? História boa, português ótimo, enredo perfeito, sem aqueles clichês chatos que nos fazem ficar com tédio de ler. Não tenho muito o que comentar, só fico na espera de mais capítulos. E esse Morgan parece ser legal, ficarei curioso do que está por vir c:

Abraços mano.
avatar
mrdeid
Membro
Membro

Masculino Idade : 71
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/01/2013

Frase pessoal : ata


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Snow Walker em Sab 31 Maio 2014 - 11:25

E aí Rush, tudo bem?

Não tenho muito o que te falar sobre toda a historia até agora, tu sabe que eu gostei bastante e que seu portugues é incrivelmente bom. Alias, o que eu mais gosto é o Kyle, cara. Sério, eu me emociono demais com os dialogos dele, com as batalhas dele e o modo que ele trata seus Pokémons, acho que ele é um grande protagonista e tem de tudo para se tornar um dos melhores no futuro.

Sobre o capitulo, esse inicio ficou realmente bem legal. Principalmente com a revelação de Morgan que era um grande misterio até o atual momento. O "Prepare-se para a encrenca" me fez rir bastante por me lembrar das cenas do anime. Sei lá, eles aceitaram muito bem o fato do Morgan ser um Rocket ao que parece UAHSUAHSUA mas como sempre o Kyle me fez rir um bocado <3
Achei muito interessante o modo que utilizou a Mega Evolução na sua fic, alem de que essa vai ser uma batalha épica ao meu ver. Estou gostando muito do Russel e espero que ele e o Jason entrem para o grupo do Kyle, seria bem legal.

Não tenho muito o que comentar, mas eu volto no proximo. Desculpe se não foi um grande comentario, mas é o que tem pra hoje meu filho. Flws <3
avatar
Snow Walker
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 18/04/2013

Frase pessoal : salabim salabão


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Sab 31 Maio 2014 - 11:31

Eu disse o "olhar apaixonado" só pra zoar mesmo, porque os dois tavam se encarando, mas enfim.

Porra Rush, eu já desisti de tentar entender a sua fic. Que capítulo doido. Foi bem louco, e o Morgan era Rocket? Mas que desgraça é essa? -q. Nem dava pra imaginar, ele é melhor que todos os atores da Globo -qq. Inimaginável -q, mas enfim.

Tá. Russel e Jason já conheciam o Morgan. Russel conhecia o Johän e ambos se abraçam. Morgan rouba uma pedra do museu de Pewter, Jason e Russel recuperam, etc. Porra, eu nem sei o que falar, que doideira Rush, que doideira ;-; -q.

Então aquela pedra que o Morgan furtou no "laboratório" do Jason era a tal da Mega Stone? É porque eu achei que eles tivessem devolvido, sei lá. Mas porra, que Pinsir do kpiroto é esse? Mais forte que muito Dragonite por ai -q, mas enfim.

Cara, eu ri demais com aquela parte do "sapo-cururu" e o Kyle ficando bolado porque o Russel tinha dito isso e fudeu a gravação dele, e depois o Russel manda ele calar a boca, esse Kyle só faz Kylezices² -q, falo nada pra ele -qq.

E esse Leech Seed boladão ai? Um Leech Seed derrubou o Aerys Targaryen no chão, por que ele não usou no Pinsir então? -q. Cara, essa última frase eu ri demais também. "Sapo com esteróides, macaco falante que usa luta de boxe" lol, que coisa mais sem sentido e engraçada huahuhuahuaha.

Bom, parece que agora finalmente o Jason vai entrar no time da Brenda e do Kyle, e acredito que do Johän também, só achei que não fosse ser de uma forma assim. Agora é esperar pra ver se o inseto vai morrer o Morgan vai cair fora com seu Pidgeotto -q.

Enfim, é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Caio. em Dom 1 Jun 2014 - 18:26

Cara, eu admiro muito essa tua capacidade de fazer uma luta entre dois pokémons completamente iniciantes lutarem entre si e ser de alguma forma legal, sério. Como tu consegue? Sei lá, os golpes são tão fraquinhos, mas tu faz uns combos sinistros. Esse Morgan... Esse Morgan é muito estranho. Queria saber mais dele. Espero que apareça nos próximos capítulos. Cara, Rush! O Magnemite *-* Relaxa, relaxa que isso vai acontecer na minha também, ok? *-* Só que, como tu tinha falado ou eu sei lá, na minha serão uma versão 80's pra combinar... Achei muito legal essa parte *-* Ah, eu gostei dessa relação do Jason com a Clarice... Ele me soa interessante.

Eu ri da piadinha do "está evoluindo mais que seus pokémon". Jöhan loiro e com um Poliwrath? hm... Foi eu que falei desso aí ou foi uma [palavra censurada] coincidência do destino ou saiu das noites de conversas? D: Achei essa parte da floresta bem sinistra. Coitado do protetor da floresta xD

Estou bolado com o Morgan. Por que ele roubou o Jason? Anyway, achei esse capítulo meio tenso, por causa do Morgan... O nome do Bullseye ficou muito engraçadinho, e a parte dos Scyther ficou legal. Gosto cada vez mais do Jason e do Rocky. Mas ainda sim, bolado com as tretas que aconteceram.

Porra, morri na parte da Butterfree kkkk Principalmente com a Brenda xingando lulz. O Morgan tá cada vez mais estranho. Eu curti ele, but... Está esquisito demais. Esse cara tá com cara de ser feladapota. Ri também do ninho de borboletas assassinas, lol. Caraleo, morri com a reação dele ao ver o Rocky. A luta entre o Rocky e o Poliwrath foi legal. Man, esse negócio de tu é grande mas não é dois me lembra algo. E eu estranho cada vez mais o Morgan, cara. Que [palavra censurada] ele fez? D: Hm... Esse inseto marrom... That Pinsir... É aquele? hm

[palavra censurada] que o pariu, sabia. O Morgan é rocket ;-; Caraio ;-; Porra, ri do sapo cururu, mas juro que sempre ouvi pururu, tenso. A reação do Kyle falando que ferrou a gravação foi dahora. Cara, os Rockets... Finalmente, finalmente. Aquele lance de manter o tempo das fics ainda vale? hm Porque se valer, dahora. Mas eu estou puto com o Morgan, caraleo. Eu curtia ele ): Dahora tu ter colocado Mega Stone na fic. He, sabia que tu ia colocar o Pinsir, sabia *-* Eu gostei do final desse cap. Cara, se com uma luta simples tu faz coisas mágicas, quero só ver com essa luta cheio de bicho satânico, com esse sapão de esteróides, esse macaco e o Bulbasaur xD

Malz a demora por comentar/ler, a Nina falou que tu tinha voltado e li logo que deu.

S'ya õ/
avatar
Caio.
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/06/2010

Frase pessoal : A noir. E blanc. I rouge. U vert. O bleu.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Rush em Qui 19 Jun 2014 - 2:09

@Deidara: Valeu cara! Muito obrigado pelos elogios, espero que tenha gostado da fic. Fico feliz em que você tenha comentado aqui, também te considero pakas. Morgan is fucked up. Muito obrigado mesmo, espero que continue lendo. Um abraço! <3

@Snow Walker: Kyle é Kyle. Kyle é top. Kyle é vida. Kyle é amor. <3 AEUHAUEHAUE' Muito obrigado cara. Fico muito feliz que você tenha comentado. Espero que continue lendo e ouvindo a trilha sonora da fic. Então é isso. Você é lindo. <3

@Black: Sir Black! /o/ Seu comentário já me fez ganhar o dia quando você sacou o lance do Aerys Targaryen. AUEHAUHUAE' Espero que tenha gostado desse desenrolar da história, o Morgan realmente é um cusero. Muito obrigado pelo comentário, espero que continue lendo. <3

@Caio: Magnemites são magnimites maneiros. AUEHAUHEA' Eu ri demais da suas reações, gostando do Morgan e depois pegando mal com ele. Fiquei muito feliz com teu comentário e espero que tu não suma e continue comentando. Muito obrigado pelo comentário cara, espero que continue lendo. <3



~>x<~


Esse capítulo vai ser o final do Volume I, então vai ser um pouco longo. Eu vou demorar pra postar o próximo volume, provavelmente só no mês que vem, então por favor, leiam independente do tamanho. É isso. Season Finalle.


~>x<~




O clima estava tenso. O gigantesco inseto pousava no chão, o que causava um grande tremor que sacudia as árvores ao redor daquele campo de batalha. Seu corpo estava sujo de lama, graças ao impacto que havia recebido ao atingir o chão na tentativa de acertar Jason e Brenda. Lentamente, suas pinças espinhosas abriam e fechavam.


- Ares... – Jöhan dizia em tom lento, sem fazer movimentos precipitados ou bruscos, tentando comandar seu Poliwrath, que por sua vez, já estava cansado pela sua luta anterior contra o Hitmonchan.


Russel parecia estar nas mesmas condições que o seu rival azulado. Estava um pouco trêmulo, ainda machucado com os fortes golpes do Pokémon anfíbio. Mesmo fraquejando, não demonstrava nenhum vacilo, não baixando a sua guarda.

Kyle e Aoki estavam na frente de Brenda e Jason. O Bulbasaur estava em posição de combate, tentando ser corajoso na frente da amiga de seu treinador, numa postura confiante, empinando o nariz com o peito estufado. Suava, já que no fundo, estava morrendo de medo. O rapaz com chapéu de palha não parecia sentir medo do enorme Pinsir. Só estava com raiva da traição e dos insultos de Morgan. Ele parecia estar guardando o Pidgeotto como refém, já que este estava enrolado pelas vinhas da semente sanguessuga do Bulbasaur.


- Pinsir... – Morgan ordenava, o que criava uma reação em Jöhan que imediatamente comandava um contra golpe. – Super força!

- Soco dinâmico! – O louro gritava.




~>x<~


As crônicas de um Gyarados Voador!

 

Kyle Adventures.
 
 
 
 
Capítulo XVIII – Vs. Something Rough.
 


~>x<~


O Pinsir dava um pequeno salto com o impulso de suas grossas pernas, fazendo com que as suas asas começassem a bater numa velocidade impressionante, causando aquele zumbido ensurdecedor. Já no ar, o besouro dava uma lenta cambalhota para trás, que ao se completar, jogava seu corpo para frente com o impulso de seu peso, fazendo-o dar um rápido rasante.

O punho direito de Ares começava a brilhar num tom branco cintilante. Quando o erguia para preparar um forte soco, podia perceber três vultos passando por ele numa velocidade surpreendente. Imediatamente, ele se espantava e perdia o foco, fazendo com que uma explosão ocorresse em sua mão direita, o derrubando.


- Droga! – O Hitmonchan rangia seus dentes, observando aqueles três seres que pulavam de dentro dos arbustos, sem pensar duas vezes, os ignorava para impedir que o golpe do Pinsir os acertasse.

- Ares! – Jöhan gritava, correndo para socorrer seu Pokémon. Ele se ajoelhava para ver se o mesmo tinha se machucado, mas sem demonstrar muita dor, o Poliwrath se levantava com dificuldades, não desistindo daquela batalha. Mesmo machucado, o sapo ficava de pé, assistindo os vultos atacando várias vezes o seu inimigo.


Kyle engolia seco, vendo aquele enorme besouro voando em sua direção. Não conseguiu entender muita coisa após aquela explosão, só podia perceber três Scythers voando numa velocidade muito superior ao Pinsir, o atacando com golpes tão rápidos, que era quase impossível acompanha-los. Um dos Scythers parecia cessar o golpe, enquanto os outros dois continuavam dando vários ataques ao redor da criatura. Este era maior e num tom mais forte de verde, com algumas cicatrizes que passavam por seus olhos. Ele olhava para trás, mais precisamente para Jason e Russel. Parecia estar agradecendo a iniciativa de ambos.


- Mentira! – Seus olhos brilhavam ao ver aquilo. Parecia que os reforços havia chego.

- Parece que o verdinho voltou pra terminar o serviço. – Russel comentava com Jason, ainda em posição de combate.


Seu amigo nada dizia. Estava preocupado com a situação, já que aquele enorme Pinsir não parecia ser um oponente fácil. A força do mesmo era absurda, podia derrubar árvores com facilidade. Jason apenas engolia seco, olhando sério para a situação.


- Porra. – Morgan resmungava irritado com aquilo. – Pinsir, acabe com isso! Espancamento!


O Pinsir que recebia vários cortes vindos de inúmeras direções parecia soltar toda a sua raiva ao abrir seus olhos amarelos. Num movimento preciso, ele segurava uma das lâminas de ambos os Scythers, os imobilizando.


- O quê?! – Russel se questionava, vendo que os dois Pokémons esverdeados haviam sido presos pelas mãos do gigantesco besouro. Mesmo surpreso, o Hitmonchan aproveitava a chance para correr em direção do oponente, que agora estava com a guarda baixa.

- Incrível. – Kyle suspirava. Estava admirado com tamanha força. Logo ele ajeitava o seu chapéu de palha e apontava em direção da criatura. – Aoki, não perca tempo, use Semente Sanguessuga!

- Você também, Ares. Não perca tempo, agora é uma chance única. – Jöhan dizia em tom baixo, preocupado com seu amigo. O Poliwrath apenas acenava com o rosto, e mesmo com a mão ferida graças a explosão, ele tentava dar o seu melhor para acabar com aquilo. Ele se levantava e começava a correr em direção do inseto.


Brenda olhava aquilo em câmera lenta. O líder dos Scythers começava a bater suas asas, preocupadíssimo com os membros de seu bando. Ele voava em direção do inimigo com intuito de soltá-los. O Pinsir, numa velocidade incrível para o seu tamanho, girava horizontalmente, ainda segurando ambos os Scythers com suas mãos. Numa força absurda, atingia um dos Pokémons esverdeados no outro, facilmente os nocauteando enquanto eles eram jogados para longe.

Ainda segurando um daqueles louva-deus, o besouro dava um salto enquanto batia suas asas, inclinando o seu corpo para frente e saindo do chão, aproveitando a posição para prender o Hitmonchan com suas grossas pinças espinhosas, enquanto o mesmo gritava de dor. A loira colocava a mão sobre a boca, vendo que parecia dar tudo errado. O Bulbasaur apontava o seu bulbo para o oponente, mas havia passado pouco tempo para que pudesse recarregar a semente, fazendo com que o golpe falhasse. O Pinsir então lançava o outro Scyther em direção de Aoki, mas Kyle num movimento desesperado se jogava na frente, e ele que era atingido pelo corpo do inseto.

Ares ainda correndo, dava um salto para aumentar o dano do soco que pretendia dar no inimigo, mas era surpreendido mais uma vez com a velocidade da enorme Mega Evolução, que o segurava com ambas as mãos e começava a voar para o alto.


- Submissão. – Morgan dizia em tom de deboche, abrindo um sorriso do mesmo nível.


O Pinsir então já numa boa altitude dava uma cambalhota para trás. Quando ambas as pinças estavam apontadas em direção do chão, ele mergulhava como um torpedo em direção do chão, fazendo com que o Poliwrath recebesse todo o impacto do golpe, assim como o Hitmonchan, que ainda estava preso em suas presas.
Ao atingir o chão, um estrondo muito maior que os anteriores, sacudia toda a floresta de Veridian.


- Ares! – Jöhan gritava desesperado.

- Russel! – Jason fazia o mesmo, correndo em direção dos Pokémons, sendo impedido pelo alto loiro que o segurava pelo braço.

- Jason, não seja idiota. Eu também estou preocupado, mas esse bicho é forte demais. Você pode morrer facilmente. – Falk falava em palavras pesadas e frias. – É idiotice ir até lá!


Após dizer isso, eles podiam perceber alguém passando correndo por eles. Curiosos, rapidamente tentavam identificar quem era a pessoa corajosa e idiota que fazia isso, vendo que era uma garota de cabelos louros, que corria sem olhar para trás. Brenda corria o mais rápido que podia, segurando Megan em seus braços. Ela passava pelo Pinsir sem pensar em parar, caso o contrário estaria morta. Graças a colisão do enorme inseto contra o chão, uma enorme quantidade de poeira estava ocultando o cenário, fazendo com que ela passasse despercebida.



~>x<~


Kyle estava sentindo uma enorme dor em todo seu corpo, ficando mais intensa em suas costas. Ele podia sentir um peso em cima de seu peito, que parecia ser bem leve, a ponto de o rapaz conseguir levantar o seu tórax e se sentar.


- Aoki, você está bem?! – Perguntava desesperado, percebendo que quem estava em cima dele não era o seu Bulbasaur, e sim um dos Scythers que havia sido atacado pelo Pinsir. Ele estava bem fraco e quase inconsciente, e nem parecia perceber que estava deitado no colo do garoto de Pallet.

- Scy... – O inseto gemia, tentando se mover.

- Shh... Está tudo bem. – Kyle dizia em tom baixo, enquanto acariciava o rosto do Pokémon selvagem, tentando acalmá-lo. Podia observar que suas asas estavam bem amassadas e uma de suas lâminas estava trincada, talvez pela força que o Pinsir havia exercido ao bloquear um dos golpes. Aquilo parecia ser bastante doloroso para o louva-deus, o que deixava Kyle bem triste e bravo com a situação.


Se levantando devagar e com cuidado, Kyle colocava a sua mochila como travesseiro para que o Scyther pudesse descansar. De maneira caridosa, o rapaz tirava o seu chapéu de palha e colocava na cabeça do inseto, o que o fazia se acalmar e parar de se debater. Virava o seu rosto para trás, em tom sério e bravio. Ele retirava uma Pokébola que estava presa a seu sinto e apertava num botão que a fazia aumentar de tamanho.



~>x<~



A poeira estava abaixando, e apenas à silhueta do enorme Pinsir podia ser vista. Quando ela se dissipava por completo, era possível ver a Mega Evolução de pé, bastante machucada e com uma das pinças quebradas ao meio, porém ainda consciente. Ares e Russel haviam sido nocauteados e estavam caídos no chão.


- Ares... – Jöhan dizia em tom baixo, preocupado. Apertava seus punhos com força, furioso com a situação em que se encontrava. Não podia simplesmente correr até o seu amigo, pois sabia que aquilo era muito perigoso. Sabia como Jason se sentia, já que o mecânico mordia seus lábios, se segurando para não ir até Russel.

- Esse bicho... – Jason comentava também apertando seus punhos. – Ele ainda está de pé... E mesmo se destruindo... Aquele moleque não se importa. – Rangia os dentes, observando a situação do besouro, que parecia estar cada vez mais acabado.


Morgan continuava sorrindo maleficamente, vendo que os únicos grandes problemas haviam sido eliminados. Sem Russel e Ares, agora a batalha havia sido ganha. O rapaz escutava um som, observando que o líder dos Scythers se levantava ainda machucado.


- Pinsir, apenas acabe com ele. Use – Logo era interrompido com um grito que impedia o comando de ser realizado.

- Brasa! – Brenda gritava, apontando a Vulpix em direção de Morgan. A pequena Vulpix apenas parecia espirrar uma pequena quantia de chamas que atingia o rosto do garoto, fazendo com que seu cabelo começasse a pegar fogo.


Desesperado com aquilo, o Rocket estapeava o rosto, apagando o fogo com facilidade. Ainda assim, havia se ferido com o calor do golpe.


- Loirinha desgraçada. – Ele sorria, caminhando em direção dela e dando um forte tapa com as costas de sua mão, derrubando Brenda com apenas um golpe. A jovem gritava antes de cair no chão, pressionando a mão direita contra o rosto.


Insatisfeito, Morgan dava um chute no estomago da menina, fazendo com que ela começasse a chorar pela dor que sentia. Imediatamente Jason e Jöhan corriam para socorrê-la, mas o Pinsir entrava na frente de ambos.


- Vocês acham que são capazes de me derrotar?! Eu sou invencível! – Morgan gritava, dando uma longa risada histérica ao ver a vantagem em que se encontrava.

- Você é um covarde! – Jason gritava, vendo que o gigantesco besouro se preparava para ataca-lo. Antes que isso acontecesse, uma roda de fogo atingia o rosto do Pinsir, impedindo o golpe e fazendo aquela ser giratório voar para cima.


Quando Jason olhava para trás, podia ver que Kyle estava ali e teria sido ele que comandara tal ataque. Alguma coisa estava diferente no garoto de Pallet, Jason e Falk tentavam descobrir o quê. Não sabiam se era a ausência do chapéu de palha na cabeça do garoto, ou se era a expressão seria em seu rosto.


- Você acha que isso vai impedir o Pinsir? – Morgan comentava em tom irônico.

- Ele não é o alvo. – Kyle completava, fazendo um sinal com a cabeça.


Quando Morgan percebia, a roda de fogo estava caindo em sua direção, o acertando diretamente no peito. Sentia o atrito de o movimento giratório queimar suas roupas, além do fogo em si, que o machucava muito. Seu grito de dor parecia ser abafado pelo som do golpe, que teria uma força tão grande, que o jogava para trás contra uma árvore.

Quando caía, a roda de fogo revelava ser Nero, que ficava rapidamente em posição de combate, com seus olhos cintilando em vermelho. Aquilo mostrava que ele havia ampliado os seus poderes com o “Uivo”. Morgan se levantava com dificuldades, sentindo uma forte ardência em seu peito.  Quando podia ver, o “R” estampado em sua roupa havia sido queimado, e seu tórax podia ser visto com um rasgão no tecido. Ele ficava puto.


- Pinsir... Mate esse Growlithe. – Comandava ainda sentado encostado na árvore.


O Besouro começava a bater suas asas, mas antes que pudesse executar qualquer movimento, sentia uma pontada acertar suas costas. Quando pode perceber, várias vinhas começavam a rodear o seu corpo, mas não o suficiente para ele ficar imobilizado. Um forte raio vermelho cobria todo o seu corpo e sentia uma intensa dor. Havia sido atingido pela semente sanguessuga de Aoki.


- Muito bem, Aoki. – Kyle agradecia com um joinha para o Bulbasaur, que apenas estufava o seu peito, orgulhoso. O rapaz percebia que o líder dos Scythers estava de pé, então apenas dava um sinal para que ele pudesse se sentir livre para socorrer os membros feridos de seu bando.

- Você acha que isso... – Era interrompido ao tossir. – Acha que isso é o suficiente?!


Kyle percebia que as asas do Pinsir estavam tentando abrir, o que aos poucos ia arrebentando as vinhas da semente sanguessuga. A cada tentativa de fuga, o raio vermelho que drenava a energia vital do Pinsir se tornava mais intenso, mas o inseto não desistia, e naquele ponto, iria se livrar do golpe facilmente.


- Aoki, chicote de cipó e o amarre! Nero... Morda o Morgan!

- Nero não irá me morder. Ele reconhece o meu cheiro! – O rapaz afirmava antes de ver o cão rosnando em sua direção e mordendo a sua perna, fazendo com que ele ficasse desesperado e tentasse soltá-lo de qualquer jeito.


O Bulbasaur soltava um par de vinhas que rodeavam o Pinsir. Por ser leve, o besouro aproveitava para balançar o seu corpo de um lado para o outro, fazendo com que o Bulbasaur saísse voando, ainda preso ao corpo do inimigo.

As fortes asas do Pinsir pareciam estar conseguindo se abrir aos poucos. Aoki gritava ao sentir suas vinhas se arrebentando aos poucos, assim como sua semente sanguessuga lentamente falhando.


- Aoki! – Kyle gritava. Corria em direção do Pinsir e começava a dar vários socos nele. O besouro apenas lançava o seu braço contra o rapaz e já o fazia sair voando. Caindo no chão, ele gritava ferido, se levantando e correndo novamente em direção do monstro.

- Pare com isso! – Jöhan o parava, segurando-o com ambas as mãos. – Eu dou um jeito, vai buscar ajuda!

- Nem [palavra censurada]! – Kyle gritava se debatendo para soltar-se das mãos do amigo. – É o meu Pokémon que está ali! O meu irmão!


O Bulbasaur começava a gritar mais intensamente, vendo que suas vinhas iriam se romper com a força das asas do Pinsir. Então naquele momento o seu bulbo fazia um grande estrondo e se abria, saindo mais um par de vinhas que enrolava mais uma vez o Pinsir.


- Aoki! – O berro do garoto sem chapéu de palha se tornava mais intenso, assim como as lágrimas que escorriam de seus olhos.

- Aoki...? – Jöhan se perguntava, vendo o que teria sido aquele som.

- Aoki...! – Brenda resmungava, abraçada com Megan no chão.

- Russel...! – O Hitmonchan gemia, quase que inconsciente.


Quando podiam notar, o bulbo do Bulbasaur havia se abrido completamente, se tornando uma espécie de folha serrilhada. Agora uma bela flor de pétalas rosa adormecida estava em suas costas. Seus olhos avermelhados iam lentamente se tornando roxos, enquanto sua aparência ia ficando cada vez mais bravia. Além de agora possuir quatro chicotes de cipó que enrolavam o Pinsir, ele lançava mais uma semente sanguessuga que o prendia por completo dessa vez, causando um raio avermelhado muito intenso que praticamente obrigava o besouro a berrar de dor.


- Ele... Evoluiu! – Jöhan dizia sorrindo. Ao contrário de Kyle, que ficava assistindo aquela cena ainda em choque, com lágrimas ainda escorrendo em seu rosto.
O Mega Pinsir então urrava o mais alto que podia, fazendo com que suas asas se abrissem tão bruscamente, que as quatro vinhas do Ivysaur se arrebentassem e partissem em dois. A dor seria tão intensa, que Aoki soltava um último grito de dor, desmaiando logo em seguida de exaustão.


- Não!!! – Kyle esbanjava o seu desespero naquele momento com um brado tão intenso que fazia com que sua voz ficasse rouca. Ele apenas podia escutar o zumbido das asas do Pinsir que estava totalmente livre agora, fraquejando, mas ainda consciente.

- Hahahahaaha! – Morgan ria histericamente ao sentir Nero parar de mordê-lo ao escutar o choro do dono. – Eu disse que agora eu sou invencível!


Seu riso histérico era interrompido com um som de uma colisão. Aquilo fazia tudo ficar mudo em sua cabeça, pois sabia que não eram noticias boas, não para ele. Quando prestava atenção no que havia acontecido, o Rocket podia observar a figura de um gigantesco do mesmo tamanho do Pinsir o golpeando com um fortíssimo soco. A força da criatura encouraçada seria tão imensa, misturado com o cansaço do inseto, que ele era imediatamente nocauteado. Morgan ficava calado, ainda sentado usando uma árvore como encosto. Tentava raciocinar, entender o que havia acontecido. De onde aquele rinoceronte havia aparecido. Em como aquilo podia acontecer. Quais seriam as chances de seu plano dar errado? Havia conseguido tudo, inclusive derrotar Jöhan e Jason.




Então podia observar longos cabelos castanhos sendo levados pelo vento. Fios lisos e macios, tão cheirosos que impregnava a presença da mulher apenas com o agradável cheiro e beleza. Seu lindo rosto esboçava nenhuma expressão. Seus olhos fechados pareciam mostrar que ela simplesmente não se importava com o que estava acontecendo e estava tudo sobre controle agora que ela estava ali.

Ao observar o Pinsir caindo derrotado, Kyle corria em direção de Aoki, o que deixava o poderoso Rhydon em estado de alerta. Com uma pisada de sua treinadora no chão, o rinoceronte se acalmava e não agredia o garoto de Pallet, que desesperado abraçava o seu Pokémon com todas as suas forças. Rezando para que nada tivesse acontecido.

Jason e Falk observavam o seu redor. O líder dos Scythers estava tentando socorrer o seu aliado nocauteado. Russel e Ares estavam desmaiados, incapacitados de se mover devido o forte golpe que haviam recebido. Brenda estava no chão, abraçada com Megan, observando aquilo assustada. Morgan estava sentado, calado e paralisado, enquanto Nero estava em posição de combate para defender seu treinador a qualquer custo. Kyle estava chorando com Aoki nocauteado em seus braços, e por fim, observavam a treinadora e seu Rhydon. Aquela mulher era alta, bonita e esbanjava uma postura onipotente.



- Quem é você? – Kyle perguntava para a mulher que estava de pé em seu lado.

- Quem sou eu? – Ela perguntava, ainda sem demonstrar nenhuma emoção. Ela passava a mão nas costas do enorme rinoceronte bípede. – Sou a décima terceira líder oficial de Kanto. Líder descendente dos verdadeiros de Veridian. Conhecida como a imbatível treinadora da lua. Meu nome é Giovanna, a especialista no elemento solo.




Acontecimentos:

 - Aoki evolui. 
- Nova personagem introduzida, a líder Giovanna.

avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Sex 20 Jun 2014 - 21:34

Ah cara, o Aerys só fui perceber agora que se tratava do Aerys Targaryen, não assistia a série antes, então nem imaginava que era por causa disso -q, mas ai depois pensei que só podia ser por causa disso, porque um nome desses é inimaginável -q, mas enfim.

O capítulo foi bem movimentado, cheio de adrenalina, desmaios, acontecimentos, nocautes, reviravoltas, dramas, capturas, etc. Enfim, teve tudo que tinha direito e mais um pouco, principalmente com esse final ai com essa nova personagem.

Mas décimo terceiro líder? ;-; ;-; Não eram só 10 líderes, Lorde Rush? Agora que são treze fico imaginando que vou ler essas histórias pros meus filhos e netos poderem dormir -q. Mas né, não duvido nada que surjam mais líderes, fazendo aparecer uns vinte ai -q.

Ah cara, eu curti tudo do capítulo. A batalha foi muito foda. O Pinsir com o cão no couro e matando todo mundo. Realmente o bicho tava forte pra baralho, porque pra vencer aqueles dois lutadores sozinho já seria um bom esforço físico, mas ainda derrotar três Scythers, o Aoki, o Nero, a Megan, ainda atacar todos os treinadores, realmente, essa Mega Stone é do caramba.

Então Aoki finalmente evoluiu? Foi bem bacana a evolução, mas mostrou que o Pinsir tava tão forte, que mesmo evoluindo, ia ser em vão o Bulbasaur evoluir. Também gostei da captura do Scyther. Pelo que percebi, na sua fic os caras têm só um ou dois pokémons, mas são "apegados" a eles e os treinam bastante, de um modo que eles realmente só quisessem aqueles pokémons. Ao contrário de alguns que saem capturando vários pokémons por aí -qq.

Enfim, gostei de tudo e tals, mas sei lá, aquele Giovanna no final... Tipo, eu gostei dela, mas pareceu que ela era um anjo da guarda, pois se ela não tivesse ali, o Pinsir matava todo mundo. Então ela foi meio que a "salvadora" dos protagonistas, sabe, aquela típica sorte de protagonista, mas não é nada tão ruim não -q.

Enfim, é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por DarkZoroark em Sab 21 Jun 2014 - 8:14

Rush o/
Antes de qualquer outra coisa, até porque já é meio que um costume meu quando algo do gênero ocorre, peço-lhe desculpas por não ter conseguido dar meu parecer aqui no capítulo anterior. Quando fui fazê-lo meu computador travou inteiro e, além de me deixar puto de tanta raiva, me impossibilitou de fazê-lo. Bem, agora que troquei ele por um outro que parece é melhor, não podia deixar de passar aqui. Então, sem mais delongas, vamos ao review:
Curti bastante o final da batalha. Meio que me lembrou da saga Hulk Vs. Mundo da Marvel, em que o primeiro derrotava todo mundo antes de ser nocauteado por algo surpreendente. Só fico imaginando o capeta que não vai ser um Mega Gengar nessa fanfic, visto que um Mega Pinsir já fez todo esse estrago - Mega Mewtwo então é pedir um apocalipse...
Outro fato que eu já devo ter dito aqui, mas se não disse me desculpe, que acho muito legal na história é o fato de existir mais do que os "clássicos" 8 líderes de ginásio. Além de permitir uma maior diversidade de desafios durante a história, isso deixa-a mais inovadora, visto que a maioria das Fanfics acaba usando sempre dos mesmos. Essa Giovanna - apesar do nome já mostrar de quem ela é parente - pareceu ser bem forte, afinal derrotou o Pinsir em um golpe quando os outros estavam sofrendo para conseguir segurar ele - sei que o Ares e o Russel já estavam cansados, mas não sei se faria tanta diferença no final das contas.
Os Scythers terem surgido como uma espécie de "cavalaria" foi muito legal - embora, tenha de admitir, que não serviu para muita coisa. É... Rush redefinindo o conceito de Mega Evoluções nas Fanfics. tornando o que já é difícil de enfrentar nos jogos - dependendo da team, claro - quase impossível nas histórias. E eu... Só pra variar... Adorei isso. Sério, torná-las o cúmulo do poder é algo muito interessante. Não sei se é porque nunca vi outras pessoas usarem-nas durante as histórias ou se porque metade dos escritores não chega a um ponto em que elas comecem a aparecer, mas achei sua ideia muito boa.
Aoki ter evoluído e ainda assim ter perdido foi outro ponto que achei bem interessante, sendo que na maioria das vezes acontece de que quando o Pokémon evolui se tornar algo a lá Cavaleiros do Zodíaco; não importa o quanto tenha sido surrado e que já esteja nas últimas, o cara consegue mais poder - nesse caso, evolui - e derrota o adversário em poucos movimentos. Curti que desse uma mudada nisso, mostrando que mesmo que tenha conseguido mais poder ele não tenha se tornado OP por um minuto. Outro fato que achei legal é de ele ter quatro chicotes agora. Normalmente nas histórias, todas as evoluções do Bulbasaur tem apenas duas, então foi legal ver uma que me fez ter nostalgia de um episódio das antigas de Pokémon - O Jardim Misterioso dos Bulbasaur, se eu não me engano.
Erros não achei nenhum e da escrita não tenho qualquer reclamação. Bem, por enquanto é só e fico no aguardo do próximo capítulo.
 ninja 
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Caio. em Ter 24 Jun 2014 - 16:54

Rusha õ/

Juro que li o título do capítulo como "vs Something Rush." Aí eu pensei que porra eu tinha acabado de ler. Pensei que estava ficando cego, ou drogado, ou você maluco. Ainda bem que eu só estava drogado. Brincadeira.

Interrompi minha leitura só pra comentar que ri pra [palavra censurada] do "Ele ficava puto". Vou voltar a ler. Interrompi de novo pra dizer que ri disso:

- Russel...! – O Hitmonchan gemia, quase que inconsciente.

Voltando.

Cara, adorei esse capítulo. Como o DarkZoroark disse, achei muito legal o lance dos Scythers virem como cavalaria. Seria legal alguém pegar esse Scyther líder, sabia? Não me lembro se na imagem que cê passou alguém chegou a pegá-lo... Realmente não lembro. Sério, esse capítulo ficou muito legal. Todo esse clima meio caótico que cê deu ficou perfeito. Ficou MUITO clichê, mas não é essa a proposta da fic? Sério cara, esse lance do Kyle evoluído... Me lembrou os desenhos da minha infância! Ficou muito dahora. Clichê, clichês são dahora.

Essa última personagem também parece mágica, sabia? Podia ser uma das conexões da fic, mas anyway... EUA choque não. Só achei estranho ela que, aparentemente descende de Giovanni, ser contra os Rockets. A não ser que a merda tenha desandado [palavra censurada]. Porra Rusha, o que tu tá planejando, carai? ;-;

Quero ver mais logo disso. Perdão a demora pelo comentário, estava viajando.
avatar
Caio.
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/06/2010

Frase pessoal : A noir. E blanc. I rouge. U vert. O bleu.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Rush em Qua 23 Jul 2014 - 16:17

@Black: Poxa, mor homenagem ao Aerys. :c AUEHAUE' Muito obrigado por ler, fico bem feliz que tenha gostado da season finale. Sim, originalmente eram 10 líderes mas... Nah. 13 ta de bom tamanho. O pinsir é cabuloso, vai ser um dos vilões mais fortes até agora introduzidos, mas né. Vão ter mais cabulosos. AUEHUAE' Muito obrigado por ler, fiquei bem feliz com o teu comentário! Muito obrigado, continue lendo!


@DarkZoroark: DZ! o/ Relaxe, cara. Eu também abuso com o tamanho dos caps, então não culpo você haha. Eu particularmente não gosto do anime, mas eu adorava as primeiras temporadas, e você pega TODAS as referências que eu faço. AUEHAUE' Sim, eu peguei a ideia dos cipós aumentaram de número por causa desse episódio mesmo. E você vai ver que nada vai ser milagroso na fic. :c AUEHAUE' enfim, muito obrigado por ler, fico feliz que tenha gostado da season finale. Muito obrigado e continue lendo!


@Caio: UAHEUAHEUHAEU' Something Rush. Wtf AUEHAUEHU' E mano, eu também ri quando eu escrevi essa do Hitmonchan. Foi tão o Burro no Shrek 2, AUEHAUEHAUEHA'. Nah, Scyther líder é muito OP. Kyle tem que ser noob e se f*der no começo pra ser alguém na vida. Na verdade ela não é contra os Rockets, ela só quis parar com a putaria que o Morgan tava fazendo. Onde já se viu, pegar um Mega Pinsir e tacar o terror? AUEHAUE' Enfim, fiquei feliz com você aqui. Muito obrigado e continue lendo!




~>x<~




Começo do Volume 2. Esse vai ser um pouco mais longo e mais complexo. Haverão bem mais personagens, e vários outros irão voltar a aparecer, como o Seth, Gabrielle e Christopher. Agora que o Kyle vai começar a ser alguém da vida.

O cap. ficou grande por ser uma grande introdução. A partir do segundo tudo vai começar a ficar mais suave de novo. 

Obrigado por lerem, tenham uma ótima leitura!


~>x<~



Kyle estava sentado em um banco bege dentro de uma sala pequena e branca. Estava preocupado, e isso era perceptível pela sua posição, curvado com seus cotovelos apoiados em suas pernas.

Das duas portas que existiam naquele pequeno cômodo, uma tinha uma espécie de placa em cima. Um desenho de vidro com a interface escura tinha o desenho de uma injeção. Após horas esperando ali, o desenho finalmente brilhava num tom de vermelho. Ao mudar sua coloração, um sereno tom de campainha soava pelo local.

Os batimentos cardíacos de Kyle aceleravam. Ele se levantava rapidamente e corria em direção de tal porta, abrindo-a bruscamente, sem pensar duas vezes. Levava um susto ao escutar a voz de Brenda gritando enquanto a menina caia. Ela era jogada pelo objeto, já que estava com a mão na maçaneta vertical para chamar o amigo.




As crônicas de um Gyarados Voador!


Kyle Adventures.




Capítulo XIX – A whole new team.




.
- Ele vai ficar bem. – Brenda dizia, pressionando um saco transparente cheio de cubos de gelo contra sua testa, que estava com uma mancha roxa graças ao impacto da porta. – Precisa de um tempinho para descansar, mas seu poder de regeneração é incrível. – Completava, deixando uma prancheta com os dados de Aoki num criado-mudo ao lado da cama onde Aoki descansava.


Kyle suspirava aliviado. A sala onde estava agora era um pouco maior. Tinham várias camas brancas vazias, com exceção a de Aoki e a cama vizinha, que possuía um inseto bípede com lâminas no lugar de suas mãos. Ambos os Pokémons ainda estavam desmaiados.
Aoki além de estar inconsciente, parecia estar tomando soro para manter-se hidratado e não prejudicar mais a sua saúde.


- E o Scyther? – Kyle perguntava, desviando o seu olhar para a criatura que estava com várias partes do corpo vendadas com gaze.

- Também está bem. Quase quebrou uma de suas lâminas, mas vai se recuperar. No entanto o seu poder de regeneração nem se compara ao de Aoki. Até eu estou impressionada. – A loira respondia, continuando a pressionar o saco de gelo contra a testa e alisando a cabeça do Ivysaur com a mão que sobrava. – Mas tenha em mente que você só vai poder batalhar com Nero por enquanto.


Kyle sorria. Ainda estava triste, mas pelo menos estava aliviado em saber que seu inicial estava bem. Ele retirava a esfera transparente de Nero, vendo que o cão estava o observando, preocupado. O sorriso no rosto de seu treinador parecia transmitir uma tranquilidade que acalmava o Pokémon.


- Foi golpe baixo capturar o Scyther enquanto ele estava inconsciente. – Brenda comentava, com um sorriso malicioso no rosto. – Principalmente pelo fato de você ter usado aquela sua Pokébola velha e surrada.


O sorriso no rosto do rapaz aumentava, segurando para não dar risada. Ele retirava a tal esfera do cinto que usava. Ela não era transparente como as demais, além de ser cheia de riscos e manchas.


- Nunca capturei nenhum Pidgey ou Caterpie com essa coisa. Quem diria que iria capturar um Scyther.

- Só trate de levar essa Pokébola para Jason para evitar qualquer problema. – Ela então retirava o saco de gelo e colocava no mesmo criado mudo onde estava a prancheta. – Pode ir agora. Eu tomo conta de Aoki e desse Scyther, depois você banca tudo.


O rapaz de chapéu de palha fazia um sinal com a cabeça, sorrindo. Ele levantava e caminhava até Brenda, lhe dando um beijo na testa. Fazia o mesmo com seu Ivysaur, dando um beijo na testa do Pokémon.




~>x<~





O dia estava bastante agradável. O sol brilhava no céu que tinha poucas nuvens para a surpresa de todos os moradores de Veridian, que já estavam acostumados com a temporada de chuvas recentemente. Mesmo com o clima incomumente frio, aquele sol parecia aquecer a cidade. A rotina era a mesma para todos os cidadãos. Parecia que nada havia acontecido no dia anterior, já que ninguém estava sabendo de nada. E por mais que Kyle estivesse mal com os eventos passados, ninguém que passava por ele na rua tinha o mínimo interesse em ajuda-lo ou em consolá-lo.

Estava mal com aquilo. Não só por Aoki, mas por Morgan. Não eram muito próximos, mas aquela traição foi algo que o deixara para baixo.

Após quase quarenta minutos de caminhada, Kyle finalmente chegava à velha academia de Jason.



- Ei! Tem alguém ai? – Gritava, batendo na porta da frente.


A mesma se abria após pouco tempo, o que até surpreendia o rapaz do chapéu de palha, já que geralmente os Palletianos não abriam a porta tão rápido assim para estranhos.


- Ah. E aí, rapaz. – Jason o cumprimentava. Ele estava sem camisa, mostrando seu belo corpo bem definido e moreno. Aquilo certamente deixava Kyle sem graça, fazendo com que ele ficasse corado e desviasse o seu olhar.

- E aí cara, tudo bem? – Dizia com o rosto corado, olhando para o chão.

- Ah, desculpe. – Ele respondia, abrindo mais a porta para que o garoto pudesse entrar, fechando logo em seguida. – Fica a vontade, só vou vestir alguma coisa. A Clarice tá fazendo almoço, você é bem vindo se quiser.



Kyle apenas acenava com a cabeça, ainda sem graça. Como era um rapaz parcialmente tímido e bem educado, ele sentia-se meio nervoso ao ser deixado ali naquela academia sozinho. Ele tinha medo de quebrar alguma coisa ou parecer mal educado. Jason rapidamente havia entrado numa portinha no fundo da academia, onde dava para a sua pequenina casa. Ele deixava a porta aberta.

Após um tempo ali esperando, Kyle decidia dar uma passeada pelo local. Observava o ringue que havia no meio do cômodo, além de ver os inúmeros pesos e poucas máquinas de exercício. O que mais chamou atenção do garoto de Pallet foi uma mesa em um dos cantos da academia, cheia de troféus e fotos.



- Wow... – Ficava admirado com tantos prêmios, mas ele ficou mais interessado nas fotografias um pouco empoeiradas que ali estavam. Algumas das imagens pareciam ter legendas ou um bilhete com algo escrito. – “Ginásio de Saffron, 94.” – Lia em voz baixa, vendo a imagem de Jason bem jovem ao lado de um pequeno Tyrogue com três medalhas em seu pescoço.


As fotos pareciam estar em ordem cronológica, já que Jason ficava mais velho e o Tyrogue acabava se transformando em um Hitmonchan. A última, no entanto, pegava Kyle de surpresa. Na foto estava Jason um pouco mais jovem com Russel em seu lado, bem machucado. Ao lado deles, estava um altíssimo homem com cabelos negros volumosos e bagunçados acompanhado de um enorme Metagross que flutuava.

Kyle levava um enorme susto ao escutar uma espécie de sirene vinda de um Magnemite que flutuava por ali. O susto era tão grande que ele caía sentado.


- O último que ficou xeretando aqui acabou preso. – Uma voz feminina brincava com o garoto.

- Desculpa, eu só estava vendo! – Kyle respondia com a mão no coração. Havia tido um mini ataque cardíaco.

– Relaxa, eu só to brincando.  – Clarice continuava, rindo suavemente. – O almoço já tá pronto.



Kyle suspirava. Ainda com a mão em seu peito para tentar recuperar-se do susto que havia levado.




~>x<~



A mesa era pequena, mas cabiam todos os quatro perfeitamente. Nela estavam alguns pratos que variavam de frango e batata assada à salada. Tudo estava bem aconchegante para Kyle.


- Então, Aoki está melhor? – Clarice perguntava, cortando delicadamente uma fatia de frango assado. – Espero que aquele menino tenha sido preso.

- Ele foi. – Russel interrompia, devorando a coxa assada selvagemente, como se não houvesse um amanhã.

- E o Aoki está melhor. – O garoto respondia, enquanto mastigava a comida. – Ainda tá dormindo, mas ele tá melhor. A Brenda disse que ele tem um super poder regenerativo ou algo assim.

- E falando nisso, como está a Brenda? Pelo jeito ela é uma ótima médica. – Clarice perguntava.

- Ela é sim. – Respondia novamente, ainda mastigando a comida. – Quer dizer, ela precisa ser né. Agora somos dois de novo, vai ser tenso pra continuar a jornada.


Enquanto Kyle e Clarice conversavam entre si, com algumas interrupções de Russel, Jason apenas os observava, sem querer se intrometer. Pelo assunto, sabia onde aquilo iria acabar, e sinceramente, queria evitar aquilo de qualquer jeito. Ficava pensando em desculpas enquanto se deliciava da comida de sua mulher. Até que seus pensamentos eram interrompidos com alguém o chamando. Quando pode perceber, os três estavam o encarando.


- Ahn? – Ele perguntava, um pouco sem graça.

- Eu perguntei se você não vai ser o mecânico da Equipe do Kyle, amor. – Clarice repetia a pergunta com um sorriso no rosto e brilho nos olhos.

- Diz que sim! – Kyle complementava, também com brilho nos olhos. – Com um mecânico vai ser tudo mais fácil!

- Tirando que seria bem legal a gente viajar por Kanto. Era o nosso sonho, lembra velhote? – Russel sorria.



Jason ficava calado e sério. Engolia a comida, ainda sem saber o que responder. Pensava em inúmeras desculpas, mas parece que nenhuma era sólida o suficiente para dizer alguma coisa.



- Clarice, eu preciso cuidar de você. – Dizia, espontaneamente. Ele até estranhava por ser algo avulso e sem fundamento.

- Eu também preciso cuidar de você, amor. – Clarice respondia, com um sorriso no rosto. – Mas não há nada para se preocupar. Você construiu o Bullseye que me ajuda com praticamente tudo, além de você ter encontrado um treinador que você realmente tenha fé em ser alguém bom e com futuro.

- Awn, que fofo. – Kyle dizia, corado.

- Mas Clarice, se for para partir em uma jornada, eu ficarei quatro anos fora. – Ele complementava em um tom mais sério. – Quatro anos até a Grande Liga, isso se tudo der certo... Nada é garantido que a gente chegue até lá.


Clarice então segurava as mãos de seu marido. Seu sorriso diminuía um pouco, mas ainda mantinha-se suave e delicado, como todo o seu ser sereno.


- Jason. – Dizia, fazendo com que um silêncio predominasse na cozinha e todos voltassem a sua atenção pra ela. – Sim, são quatro anos. E sim eu irei sentir muito a sua falta. Mas sempre iremos conversar por telefone, videofone, e eu sei que você vai se comportar. – brincava, dando uma leve risada. – Eu sei que esse sempre foi seu sonho, desde que você era um menininho. Você é muito talentoso e tem muito futuro, assim como Kyle. E mesmo que eu sinta sua falta, eu vou estar feliz ao saber que você está correndo atrás do seu sonho.

- Você é o meu sonho, Clarice. – Jason respondia, olhando nos olhos da mulher. Seu tom era sério.

- E você já me conquistou.  – Ela então alisava o rosto do marido. – Eu vou te esperar e te apoiar, Jason. Corra atrás disso.



Os dois ficavam em silêncio por um tempo. Kyle e Russel estavam com cachoeiras de lágrimas escorrendo de seus olhos, emocionado com o amor daquele casal.



- Faça isso por mim. – Ela insistia, ainda alisando o rosto do homem.



~>x<~



Kyle caminhava sorrindo, enquanto segurava aquela antiga Pokébola que guardava desde criança. Agora ela estava limpa e reluzente, com uma espécie de capa de couro que a revestia e a mantinha firme. Ela parecia totalmente nova.

- Então você só tem uma insígnia? – Jason perguntava, caminhando ao lado do rapaz, carregando uma enorme e pesada mochila com um dos braços, enquanto a sua mão sobrando descansava no bolso de sua jaqueta.

- Yep. – Kyle respondia, ainda admirando como a sua Pokébola de couro havia ficado. – Mas eu pretendo ganhar minha segunda agora, no ginásio da Giovanna.

- Bah, má ideia. – Russel interrompia. – Você é um bom estrategista, mas não tem nenhuma chance com ela.


Kyle parava de admirar a Pokébola restaurada e encarava o Hitmonchan.


- Claro que eu tenho chances. Você vai ver.

- Eu escutaria o Russel se eu fosse você. – Jason dizia. – Giovanna é praticamente invencível e bem paparicada pela mídia, e por isso o seu ginásio é bem caro. Vai ser desperdício de grana. Tirando que você viu a força de seu Rhydon contra aquele Pinsir mutante.


Kyle continuava caminhando, pensativo.


- Pode crer. O que você sugere então?

- Pewter é a cidade mais próxima. – Jason respondia. – A líder é a Arianna. Se eu não me engano ela tem um Onix, mas acho que você dá conta.


Ainda pensativo, o rapaz com chapéu de palha abre um sorriso, abaixando o seu chapéu com a mão esquerda, para tapar os seus olhos.



- Um Onix, huh? Me parece um bom desafio.


~>x<~


Era mais um dia comum em Pewter. A cidade, localizada em uma cordilheira, geralmente só tinham turistas por três motivos: Ou pelo seu ginásio, tendo como líder Arianna, conhecida por ser descendente do primeiro líder de Pewter – Brock -, pelo Museu de rochas, que além de conter amostra de várias pedras preciosas, possui fósseis de Pokémons extintos. Ou por fim, apenas treinador que estão percorrendo sua jornada para Cerulean.

O museu de rochas era gerenciado por Jonathan Thorn. Um homem sério e bem sucedido que sempre trabalha dentro do museu, em seu escritório – que fica atrás do setor das pedras preciosas. E hoje não foi diferente.


Ao ouvir um enorme estrondo, Jonathan se levantava de sua cadeira, ignorando as papeladas que lia e ia diretamente à porta de seu escritório. Ele escutava gritos vindos da entrada, e com o coração acelerado, ele corria para lá. Ao chegar no hall do museu, ele se deparava com clientes e funcionários ajoelhados, assustados e chorando. Via também quatro figuras mascaradas, onde três eram pessoas armadas e a outra era um Machoke carregando um enorme aparelho de som com uma das mãos.


- Rockets? – Jonathan resmungava assustado com aquela cena.

- Rockets? Não nos ofenda! – Dizia a o que parecia a única garota do trio.

- Alana, deixe isso comigo. – O líder respondia. Ele carregava uma escopeta de cano serrado com uma das mãos e caminhava lentamente. – Martin, por favor, faça as
honras. – Ele dava o comando para o Machoke carregando o enorme aparelho de som.

O humanoide concordava com a cabeça, apertando um dos botões. Imediatamente, o som de teclas de piano eram ecoadas, fazendo com que a música começasse a tocar.




O homem então retirava a sua máscara enquanto caminhava. Ele chacoalhava sua cabeça, ajeitando os seus cabelos longos que estavam incrivelmente cheirosos. Após isso eles pareciam ficar em forma de um enorme topete. Ele dava passos longos como uma modelo. Andava com sua arma apontada para cima, com estilo. Era bonito.  Estava maquiado e parecia ter passado rímel em seus cílios. Parecia estar trajando duas capas – uma pequena e marrom que ficava de baixo de uma longa e negra.

Enquanto caminhava em direção do gerente do Museu, seu Machoke parecia estar dançando e fazendo movimentos pélvicos conforme as batidas da música, entretido. Os outros dois também retiravam as suas máscaras. A menina tinha uma franja que tapava toda a sua testa. O outro era bem bonito e também tinha um topete, ele usava uma gravata borboleta.

O líder dos criminosos finalmente ficava na frente de Jonathan. Ele apontava sua escopeta de cano cerrado no rosto do homem, em que engolia seco.



- Oi, tudo bem? – O criminoso dizia.

- Err... Estou bem por enquanto, e você? – Jonathan respondia nervoso, suando frio.

- Estou bem também. Meu nome é Audrey, e eu estou assaltando esse museu. Prazer em conhecê-lo...?

- Jonathan.  – O homem respondia. Engolindo seco.

- Prazer, Jonathan. Agora, se não for muito incomodo, iremos saquear o seu museu, tudo bem? Não tente nenhuma gracinha, querido.





As crônicas de um Gyarados Voador!



Eventos importantes:




- Kyle captura um Scyther.



- Jason entra para a Equipe de Kyle.



Novo personagem introduzido. Jonathan Thorn, o gerente do museu de Pewter.



Nova personagem introduzida. Alanna, uma das capangas de Audrey.



Novo personagem introduzido. David, um dos capangas de Audrey.



Novo personagem introduzido. Audrey, um assaltante que rouba coisas - pleonasmo? - e é estiloso.

avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Caio. em Qua 23 Jul 2014 - 18:53

Eu vi que tu tinha postado esse cap enquanto fazia trabalho. Aí vi que tinha música, botei pra tocar e pã! Finalmente kkkk. Aí me contentei em terminar o trabalho e só então ler. Cara, cara, eu adorei esse capítulo. Sempre achei esses resultados pós-eventos tensos legais. É bom ver que os pokés ficaram legais, tinha medo de tu matar algum D: 'Nyway, eu ri do Kyle chegando lá e vendo o Jason fazendo *Sensual Seduction* (imagine ele falando isso enquanto mexe os músculos no mamilo LOLOLOL). Também achei muito dahora a parte do Audrey. Achei que ia ser mais seco, mas ficou muito, muito engraçado.

Quatro anos, quatro anos pro Machoke gay com roupa séquisual masoquista aparecer, né mesmo? xD Faltava só estar numa escola pokémon hehe. Isso aí é engraçado, e eu ri pra [palavra censurada] porque fiquei lembrando do dia daquela conversa louca LOL. Eu achei o grupo dele muito legal. Você devia acatar minha sugestão de nome pra essa gangue, ela tem um valor cultural/simbólico muito forte e ainda tem um trocadilho tosco engraçado e lekal para os manjões tr00 br00th415 da literatura (Suassuna morreu :c)

Ah sim, quase esqueci. Não sei se sou eu que estou atacado hoje, mas BOFE, A-M-E-I esse capítulo. Zoa, acho falar assim muito irritante q Anyway, achei esse capítulo gayzinho, foi proposital, né? Só pra combinar com o final que eu sei. A parte do Kyle envergonhado, os diálogos dele enquanto o Jason (nossa, cismei que é John lol) não aceitava, o final que eu não preciso falar nada, tudo isso teve um feeling gayzão. Menos quando ele beija a Brenda, achei que ia rolar putaria mas nem rolou :c

Acho bom o Steel ser bom hein porra. Ele tem que ter estilo. E tem que ser [palavra censurada].
E o Machoke também. Lembre-se, Machokes precisam ser depressivos. Mas precisam ser alegres. Porque ele é gay. E por isso é depressivo e alegre LOL.

S'ya, great chap.
avatar
Caio.
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/06/2010

Frase pessoal : A noir. E blanc. I rouge. U vert. O bleu.


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por mrdeid em Qua 23 Jul 2014 - 19:45

Cara, ri bastante com esse capítulo, por mais que nem tenha tido tanto humor. Aquele trocadilho de "Rockets, não nos ofenda!" me lembrou uma frase de um dos animes que menos me arrependo de ter visto, Sword Art Online: "Jogador Beta? Não me compare com esse noobs", haha.

Foi um capítulo interessante, adorei! Como sempre, continuarei a acompanhar xD Não vi erro nem nada, só fiquei intrigado pela música. Não gosto dessa música AEAHUEAHEUAEHAUEHAU Mas mesmo assim, vou ler ;D
avatar
mrdeid
Membro
Membro

Masculino Idade : 71
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/01/2013

Frase pessoal : ata


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Sex 25 Jul 2014 - 11:13

Bom, vamos lá.

O capítulo ficou bem legalzinho e engraçado, mesmo sendo pós-treta, ele ficou engraçado -q. Quanta viadagem num capítulo só -q. O Kyle ficando envergonhado com o Jason sem camiseta lol, não sabia que o Kyle era desses, pensava que ele tinha sonhos eróticos com a Brenda e tudo mais -qq, mas enfim.

Cara, eu ri demais daquela parte que o Kyle diz "Awn, que fofo", reforçando a tese de que ele morde fronha. E também ri demais com o Russel e Kyle derramando cachoeiras de lágrimas pelo fato do Jason e da mulher terem aquele debate emocionante -qq.

Que final gay, cara, que vilão gay -q. Eu fui dar play na música, ai achei que não tava tocando nada, ai ponho quase no último volume e começa a tocar I Will Survive -q, só faltava isso pra completar o capítulo -qq. E que assaltante educado, não? Perguntando o nome do cara e dizendo educadamente que ia roubá-lo lol. E Rush como sempre com seus pleonasmos, tipo "assaltante que rouba" -q.

Agora falando seriamente do capítulo, curti o Jason ter entrado no time do Kyle, depois de todo aquele drama ele não poderia ficar de fora -q. Só achei que demorou um pouco pra ele entrar, e achei que ia ter o nego do Poliwhrat e tals, mas enfim.

Bom, vamos esperar para ver a recuperação do Aoki e do Scyther sem nome. Vamos ver como o Kyle vai se sair tendo só o Nero para batalhar. Ou talvez ele nem batalhe por enquanto né (ao contrário de um certo negro que coloca batalha em todos os capítulos -q). Mas enfim.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por DarkZoroark em Sex 1 Ago 2014 - 12:10

Rush o/
Era pra ter postado esse comentário antes, mas na hora que eu estava para enviá-lo não sei como voltei para a página anterior e acabei perdendo todo o texto que tinha escrito. Fiquei tão puto da cara que tive de esperar três dias antes de o estresse passar e eu voltar aqui. Minhas sinceras desculpas pela demora. Então, sem mais delongas, vamos ao review:
Curti bastante o capítulo por ter mostrado o resultado da batalha anterior. Um ponto interessante é o de ter sido a Brenda, e não uma bendita Enfermeira Joy, que estava cuidando dos Pokémons do Kyle. Sei que ela serve como médica da equipe, mas ainda assim achei que foi um ponto bem interessante. Outra coisa legal é de ele ter capturado um Scyther - para quem não conseguia capturar nem Pidgey no começo da Fanfic tá aí uma bela evolução - mesmo que de uma maneira um tanto "diferente". Em decorrência disso fico na dúvida se ele irá obedecer aos comandos do treinador logo de cara ou se haverá alguma resistência. Fico aguardando para ver como que será a relação entre os dois.
Gostei também de ter visto o desenrolar que culminou na entrada do Jason e do Russel para a equipe do Kyle. Foi interessante ter visto a galeria de troféu deles mostrando o crescimento da dupla durante os anos - e a brincadeira da Clarice ficou legal para dar um toque de humor. Curti o fato de teres posto um período prolongado para a jornada pela região. Realmente é algo que eu sinto falta em boa parte das histórias do gênero onde os jovens parecem viajar por todas as cidades em questão de meses. Foi algo bem inovador - se bem que deveria, na minha opinião, ser algo comum - que colocaste nesta história. Fico imaginando que Jason e Russel servirão como mentores para o jovem do chapéu de palha e irão impedi-lo - ou pelo menos tentarão - de cometer alguma loucura muito arriscada.
Achei interessante os ladrões que apareceram. A situação meio que me lembrou do evento para conseguir Latios/Latias nos remakes da 2ª Geração em que se encontrava o Steven no museu de Pewter e tudo mais. Dei uma estranhada na música - quando não saiu nada pelos primeiros segundos achei que o PC tava mudo - mas foi um toque interessante na história. Um pouco clichê, mas já ficou marcada na cultura como um clássico para esse tipo de cena, eu acho. Os novos personagens ficaram, no mínimo, interessantes. Só achei meio bombado demais o Scyther do David, mas não é algo que me incomode. O Audrey me deu a impressão de ver aqueles vilões dos filmes trash e de séries antigas ou até mesmo o Conde Drácula no filme do Van Hellsing. Ele ser todo educado - e ter uma capa - me fez ter uma sensação de nostalgia das grandes. O fato de aparecerem armas de fogo, mesmo que não seja algo tão incomum em Fanfics de Pokémon, foi a primeira - ou uma das primeiras - vez(es) que vi em uma do gênero de jornada. Foi realmente um ponto bem legal.
Bem, por hora é só. Fico no aguardo do próximo capítulo. ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Rush em Ter 5 Ago 2014 - 22:35

@Caio: QUATRO ANOS CARA. Quatro longos anos, mas finalmente o Machoke gay apareceu. AUHEAUHE' Muito obrigado pelo comentário cara, acho que você é o único do fórum inteiro que sabia dessa capítulo a uns três anos atrás. Fico feliz que você não tenha saído do fórum pra poder contemplar o melhor capítulo de todos os tempos. AUEHUAHEUAE' O Kyle beijou a testa da Brenda, nada de putaria. u.u Muito obrigado pelo comentário, espero que continue lendo!

@Deidara: Fico feliz que você tenha aparecido poraqui. <3 AUHEUAE' Rockets são noobs também. Poxa, a música era a essência desse capítulo. ): UAHEUAHEUA' Fico feliz com o seu comentário, espero que continue lendo! 

@Black: AEUHAUE' O comentário ficou bem alegre mesmo, ok. u.u Eu tenho que admitir que até eu ri imaginando a cena do Russel e do Kyle chorando com o debate romântico entre o Jason e a Clarice. E sim, finalmente o Jason entrou pra equipe! Só espero que ele consiga substituir o bostão do Morgan, eu sempre odiei aquele personagem. AUEHAUE' Muito obrigado por comentar cara, fico feliz em te ver por aqui. Continue lendo!

@DarkZoroark: DZ! /o/ Sim, isso é algo que eu pretendo fazer mas não sei se irei explorar tanto... A utilidade dos personagens. No caso, a Brenda que cuidou do Aoki e do Scyther, usando os recursos do PokéCenter, logo não tiveram que gastar tanto como gastariam - sim o PokéCenter é pago na fic, afinal, as enfermeiras precisam comer -, mas Jason e Russel irão frequentemente fazer algo pra ajudar o grupo. E você adivinhou mais uma vez o futuro da fic, dessa vez com a personalidade do Scyther. UHAU' Muito obrigado por ler, cara. Fico feliz em te ver aqui. Continue lendo!




~>x<~


Esse cap. vai ficar meio comprido, pois é o ESPECIAL DE 20 CAPZ. Nele aparecerá uma personagem mandada por ficha.



~>x<~





- Ginásio de Pewter? – Jöhan gaguejava. – Na CIDADE de Pewter? – Acentuava ainda mais a sua pergunta, até desistindo de beber o copo de refrigerante que estava em sua mão, o colocando numa mesa próxima dele.


Kyle e sua equipe estavam em uma das casas de eventos do Jöhan. Por serem empresariados pelo homem, tinham acesso exclusivo em seu gabinete de gerente – um cômodo não tão grande, bem luxuoso. Um tapete vermelho cobrindo o chão com pisos de madeira, além de uma lareira num canto oposto de um minibar.
Enquanto Falk estava sentado atrás de uma grande mesa com várias papeladas – provavelmente documentos importantes que gerenciava -, Kyle, Brenda, Jason e Russel estavam do outro lado.


- Provavelmente sim né. Não estarei indo no ginásio de Pewter da cidade de Celadon. – Kyle dizia em tom irônico. Fazendo com que Brenda desse um tapa na nuca do garoto pela falta de educação.

- É que... Falk, o garoto não tem chances com Giovanna. – Jason respondia as perguntas do loiro, com os braços cruzados.


Kyle olhava bravo, como se estivesse emburrado por ser contrariado pelo seu novo mecânico. Não gostava de que as pessoas o achassem fraco.


- Meh. Faz sentido. – O empresário falava após dar um longo suspiro. – Well, eu não posso sair aqui de Veridian. Tenho muita coisa pra administrar no momento. Tenho certeza que vocês se virarão sem a minha presença. – Terminava, dando com os ombros.

- Mas precisamos de um pouco de dinheiro para a viagem. – Brenda comentava sem graça, enquanto carregava Megan em seus braços. – E como você havia prometido financiar a nossa viagem...


Jöhan sorria, fazendo um gesto com as mãos para que a garota não se acanhasse com o comentário.


- Não se preocupe. Ainda estarei financiando a sua jornada. – Comentava deixando um cartão negro com sua escrita em dourado em cima da mesa. – É só usar esse cartão aqui. E por favor, não me decepcionem. Estou investindo em vocês, espero ver retorno.

- Relaxa. – Kyle sorria, ajeitando o seu chapéu de palha. – Eu te mando uma foto da minha nova insígnia. – Se achava com um sorrisinho no canto do rosto.


Após proferir tais palavras, um enorme raio branco saia de uma das Pokébolas de seu cinto, materializando o seu Scyther que os assustava com um brando alto, fazendo com que todos da sala gritassem assustados.






As crônicas de um Gyarados Voador!



Kyle Adventures.




Capítulo XX - E.S.P.E.C.I.A.L El Pico de las Batallas




O quarteto caminhava pelas ruas de Veridian enquanto o sol se punha. O céu estava alaranjado enquanto as nuvens pesadas e frias mantinham-se em seus lugares, ainda ameaçando uma tempestade.


- Não sei por que o Jöhan não deixou o cartão comigo. – Kyle resmungava cabisbaixo, enquanto caminhava concorda e emburrado.

- Motivos óbvios. – Brenda respondia sorrindo, enquanto ela segurava tal cartão mencionado.


Enquanto os dois jovens discutiam, Jason caminhava com as mãos no bolso de seu casaco, um pouco espantado com as brigas e discussões que os dois entravam só naquele dia, para depois fingirem que nada aconteceu.


- Vocês sempre foram assim? – Russel perguntava. Mostrando que ele também estava admirado com aquilo.

- Às vezes. – Os dois respondiam simultaneamente.


Jason sorria vendo a amizade dos jovens de Pallet. Ele estava com uma sensação engraçada em seu peito. Sentia que estava realizando o seu sonho, mesmo que sentisse saudades de Clarice. Ele logo se lembra de uma coisa importante.


- Ah. Esqueci-me de falar sobre Pewter. – Comentava, ainda com as mãos nos bolsos.

- Sim? – Brenda olhava para o homem, esperando a informação.

- Ela fica no alto de uma grande montanha. – Ele continuava. – Tem uma trilha segura que leva para lá sem problemas, mas ela não é uma estrada vertical, sabe? Ela faz várias ondulações enquanto sobe o trajeto da montanha.


Kyle e Brenda ficavam olhando, enquanto tinham a imagem da montanha em suas mentes, com uma espécie de linha bege a percorrendo em “s”, com várias curvas.


- Isso quer dizer que vai demorar umas duas semanas pra chegar a Pewter. – Ele terminava, olhando para o céu.


Kyle e Brenda ficavam boquiabertos, espantados. Já haviam perdido tempo demais em Veridian, e agora teriam que esperar mais duas semanas para chegar a Pewter?

- Duas semanas?! – Eles perguntavam ao mesmo tempo, boquiabertos.

- Na verdade, diria um mês. – Russel completava.

- Ah sim, Russel tem razão.

- UM MÊS? – Kyle gritava assustado.


Enquanto caminhavam, algumas pessoas desviavam a atenção para o rapaz de chapéu de palha, por dizer as palavras em um tom muito alto por estar surpreso.


- Sim, sim. É que esse trajeto para Pewter era conhecido como “El Pico de Las Batallas”, onde vários treinadores se encontravam no caminho e batalhavam. Os perdedores na maioria das vezes acabavam por voltar a Veridian, já que era uma tradição.

- Não tem problema. Sou mais inteligente, perspicaz e fabuloso do que qualquer outro treinadorzinho merreca por aí. – Kyle dizia, de olhos fechados e apontando para si mesmo, garantindo-se. – Aoki pode ainda estar ferido, mas tenho Nero ao meu comando, e um Scyther boladão a minha disposição!


Após proferir tais palavras, um enorme raio branco saia de uma das Pokébolas de seu cinto, materializando o seu Scyther saísse de sua Pokébola e roubasse o chapéu de palha do garoto.


- Tatsuo, devolve meu chapéu! – Kyle resmungava, enquanto seu Scyther parecia rir. Não obedecia ao seu treinador e ficava desviando das tentativas de Kyle pegar o seu chapéu de volta.

- Pelo jeito nunca iremos para Pewter. – Brenda comentava.

- To vendo. – O Hitmonchan concordava, suspirando.



~>x<~



Naquela mesma noite, o quarteto havia finalmente chego à estrada de “El Pico de las Batallas”, e ficavam surpreendidos com o que viam. A montanha era bem grande, mas era possível ver o seu topo, indicando que ela não era gigante como as diversas outras montanhas de Kanto. Mas o que mais chamava a atenção de Kyle e Brenda era o gigante acampamento ao redor de tal montanha. Eram diversas cabanas com centenas de treinadores ali descansando. Parecia não ter eletricidade, já que a fonte da iluminação vinha de lanternas a óleo.


- Vesh. – Kyle suspirava, vendo que por não ter muita fonte de iluminação, a estrada que seguia a montanha ficava bem escura, sendo impossível se ver qualquer coisa entra o chão e a cidade que ficava no topo.

- É bom a gente descansar nesse acampamento, não? A gente sobe esse pico amanhã de manhã. – Brenda comentava, abraçando Megan com força, já que uma brisa gelada atingia os jovens.

- Nem. – Kyle respondia, observando que muitos daqueles treinadores estavam com Pokémons machucados e com os pés cheios de calos dentro de baldes de água, provando que eles pareciam ter batalhado e andado muito.


Jason ficava em silêncio, apenas observando aquela cena. Realmente, os treinadores haviam voltado à ativa. Mesmo que a entrada para a rota dois não estivesse tão cheia quanto antigamente, ainda sim havia vários treinadores ali.


- Kyle tem razão. – Jason dizia. – Amanhã de manhã essas centenas de treinadores estarão descansados e também irão tentar subir para Pewter. É melhor partir agora.


Russel concordava com a cabeça. Kyle fazia um sinal positivo com seu rosto, mostrando um olhar confiante. Brenda engolia seca, olhando para a escuridão que dominava a estrada que subia a montanha.


- Ok, vam – Kyle dizia, sendo logo interrompido.

- Hey! Vocês! – Uma voz feminina sussurrava, tentando chama-los sem atrair a atenção dos outros treinadores. Ao olharem a seu redor, percebiam que a voz vinha de um arbusto falso.


O mais ridículo, é que o arbusto estava no meio do chão plano de terra, o mesmo aproveitado pelo acampamento, onde não tinha nenhuma planta no chão. Era apenas um arbusto redondo no meio do nada, com dois grandes olhos azuis expostos.


- Isso é um Pokémon? – Kyle coçava o rosto, apontando a sua Pokédex em direção daquele disfarce.

- Não, não! Não sou um Pokémon! – A garota sussurrava se aproximando de fininho enquanto as suas pernas agora eram visíveis. – Eu preciso de ajuda!


Ao chegar perto dos quatro, a menina pulava do arbusto, revelando ser uma pequena garota de no máximo doze anos de idade. Cabelos longos loiros e trajes azuis claro com um cachecol azul escuro.


- Eu preciso de ajuda pra chegar à Pewter! – Ela dizia em tom baixo, olhando para os lados para se certificar de que ninguém estivesse olhando.


~>x<~


Os cinco caminhavam naquela escura estrada com esforço, já que era uma intensa subida. A falta de iluminação os incomodava bastante, já que não se podia ver nada do caminho já percorrido, só uma luz distante que vinha do acampamento.


- Meu nome é Alice! – A menina dizia com uma Butterfree em sua cabeça. A borboleta era enorme, e suas asas pareciam ter uma coloração diferente das demais, tendo detalhes em vermelho.

- Meu nome... Meu nome é Kyle. – O garoto dizia com um pouco de medo, vendo os dentes daquela borboleta. – Desculpe, tenho más recordações desses bichos. – Dizia, apalpando a sua mão que ainda estava com um band-aid no local da mordida.  

- Meu nome é Brenda. – Ela dizia em tom sério, suspirando com o comentário do amigo. Ela também parecia não confiar nessa menina.

- Jason. – Dizia seco, ainda com as mãos dentro do bolso do casaco.

- Eu sou o Russel! – O Hitmonchan dizia feliz, esbanjando um enorme sorriso.


Quando Russel se apresentava, a menina e o seu Butterfree soltavam um grito, totalmente assustadas com o fato de aquele Pokémon ter acabado de falar. Ao soltar aquele alto brando, eles sentiam um terremoto, o que fazia Alice tapar a própria boca.

Depois de um tempo em silêncio, o terremoto cessava. O grupo se entreolhava confuso e assustado, todos ficavam imóveis, tentando fazer o mínimo de barulho o possível. Após alguns minutos, todos suspiravam aliviados, e voltavam a caminhar, dessa vez em passos mais acelerados.


~>x<~



Já fazia um tempo em que os cinco caminhavam por aquela estrada. Por ser uma subida, eles estavam bem cansados e com suas pernas já fracas. Tirando o sono que os dominava, já que provavelmente já se passava da meia noite. Estavam ali andando por mais de uma hora. Então, já dominados pelo cansaço, o grupo resolvera descansar e montar o seu próprio acampamento.

O acampamento em si era BEM menor que o acampamento em baixo da montanha, e muito menos iluminado. Kyle liberava Aoki, Nero e Tatsuo, para que eles pudessem tomar um pouco de ar puro, já que estavam bastante tempo dentro de suas Pokébolas. Alice mostrava ter um Charmeleon além da Butterfree, usando-o para acender uma pilha de madeira que encontraram para criar uma fogueira.


O acampamento se consistia em apenas uma fogueira, com quatro sacos de dormir em volta - um de Kyle, Brenda, Russel e Jason, sendo que Alice parecia não viajar com o dela, fazendo com que Brenda oferecesse o dela para as duas compartilharem. A médica logo caia no sono, assim como Jason, fazendo com que Kyle, Alice e Russel ficassem conversando enquanto observavam as estrelas e brincassem com o fogo.


- Então, Alice. – Kyle começa a puxar assunto, após um longo bocejo. O rapaz estava passando a mão na cabeça de seu Ivysaur, que parecia estar com gaze envolvendo a flor adormecida em suas costas. – O que foi aquele terremoto?


Quando o garoto do chapéu de palha começava a conversar com a menina, ela ficava corada quase que imediatamente, dando pra perceber que ela estava sem graça.


- Ehh... É que tem um Onix negro morando dentro da montanha. – Ela dizia, coçando a sua nuca, enquanto a sua Butterfree ainda descansava em sua cabeça. E seu Charmeleon comia alguns Marshmallows ao seu lado – Ele tá causando bastante problema, tanto que quebrou o teleférico que leva até a cidade.

- Teleférico? – Russel perguntava.

- Uhum. Tem um teleférico que leva para a cidade caso você não queira subir a montanha a pé ou de carro. Eu ia por lá, já que nenhum treinador me deixa subir. Sempre me desafiam e eu perco, e sou obrigada a descer. Já tentei explicar que não sou treinadora, mas ninguém acredita.


Kyle bocejava mais uma vez, esticando os seus braços para o alto. O Scyther parecia estar afiando as suas lâminas ao esfregar uma na outra lentamente, ignorando totalmente a presença dos jovens. Nero, por sua vez, ficava sentado de guarda, como sempre. Atento para proteger o seu dono.


- Mas você é uma garota com um Butterfree gigante na cabeça e que carrega Pokébolas, se você não é uma treinadora, você é o que? – O rapaz de chapéu de palha perguntava, coçando o rosto.

- Uma coordenadora, oras! – Ela respondia sorrindo, com os olhos brilhando. -  Sou mais inteligente, perspicaz e fabulosa do que qualquer treinadorzinho merreca por aí. - Dizia de olhos fechados, se gabando com um sorriso confiante. - Sem ofensa. - ela depois corrigia, ficando corada.

- Heh, ela é a sua alma gêmea. - Russel caçoava, lembrando do comentário do rapaz do chapéu de palha mais cedo. Os dois ficavam corados. - Mas enfim, eu vou dormir. - O Hitmonchan dizia, bocejando. - Se você encontrarem qualquer Onix negro por ai, me chamem pra eu dar uma surra nele. - Ele ria, logo caindo no sono.


Kyle e Alice ficavam em silêncio por um tempo, apenas escutando o som das madeiras estalando ao serem consumidas pelo fogo, sentindo o calor das chamas e o frio da brisa gelada que soprava em seus rostos. O Scyther parecia ainda estar afiando as suas lâminas, só que dessa vez com o chapéu de palha em sua cabeça. Alice ria, vendo que o inseto havia roubado o chapéu de seu treinador sem que ninguém percebesse.


- Tatsuo! - Kyle rangia os dentes, provocando risadas de Alice e Aoki.

- Que ninja. - Ela comentava, passando a mão nas costas de seu Charmeleon. - Você tem Pokémons bem interessantes. Eu só tenho a Wendy, Charcoal e o Snowy. - Ela comentava. Erguendo uma esfera de captura transparente, que continha uma espécie de leão marinho dentro.

- Um Seel? - Kyle se questionava, abrindo a sua Pokédex e registrando a foca. - Você tem Pokémons bem exóticos também. Um Pokémon raro criado por professores, um comum genérico e outro incomum e exótico. - Dizia, comparando o Ivysaur com o Charmeleon, a Butterfree com o Growlithe e o Seel com o Scyther.

- Mas apenas o meu Charcoal batalha. - Ela suspirava, passando a mão nas costas do Charmeleon, que ainda continuava comendo os Marshmallows como se não houvesse um amanhã. - Ele é forte, mas ultimamente ser o único que batalha está sendo difícil.

- Heh. - Kyle sorria, fazendo um cafuné na cabeça de seu Growlithe. - Nero vai enfrentar o mesmo problema. Aoki está ferido e Tatsuo é um cusão. - Tais palavras faziam o Scyther olhar feio e bufar, continuar a afiar suas lâminas. - Mas eu ainda vou vencer esse ginásio de Pewter e capturar esse Onix negro. - Ele comentava, sorrindo.

- E eu vou estar lá pra ver. - Alice sorria. - Também pretendo vencer o concurso que vai ter em Pewter daqui duas semanas. Ganhar uma fita estilosa além de ganhar um dinheirinho. - Ela botava a mão na boca para soltar uma leve risada.

- E eu vou estar lá pra ver. - Kyle repetia as palavras com um sorriso maroto no rosto. Ele então voltava a ver o céu cheio de estrelas com uma enorme e belíssima lua iluminando toda a montanha. As nuvens pareciam ter desaparecido completamente, fazendo com que não estivesse tudo tão escuro como antes.


Kyle podia perceber que Aoki adormecia com a cabeça no seu colo. Ele então puxava um cobertor e cobria o seu inicial. Alice sorria com a atitude fofa do rapaz, logo aquecendo as suas mãos ao aproximá-las na fogueira.


- Você é um cara bem legal. Fico feliz que esteja me ajudando. - Alice comentava, corada e sem graça.

- Relaxa, nem enfrentei nenhum treinador até agora. - Kyle brincava. - Você também é bem legal. - Ele dizia olhando para o céu.


Alice ficava corada e se aproximava do rapaz, com intuito de encostar a sua cabeça no ombro dele. Mas ao se aproximar, ela sentia um cheiro estranho, seguido de um som macabro, semelhante a um vento assobiando. O rapaz também se assustava, e ao se levantar, preocupado, sentia uma enorme língua lambendo a suas costas de baixo para cima, até a sua nuca. Aquilo lhe dava um enorme calafrio, além de deixar seus cabelos todos espetados pra cima por conta da saliva.


- Que porra é essa?! - Ele perguntava com os olhos arregalados e em tom trêmulo, enquanto rangia os dentes de aflição.

- Não sei! - Alice respondia, em tom alto, fazendo com que Brenda e Jason acordassem aos poucos. Russel, no entanto, estava dormindo profundamente.


Quando Kyle se virava, duro como uma tábua por conta da paralisia causada pela lambida. Ele podia ver uma esfera com dois paredes de olhos enormes em sua frente, dando risada da situação. Era um Gastly.

O Scyther parecia cair nas gargalhadas ao ver a situação do dono. Nero entrava na frente de seu treinador rangendo os dentes para proteger seu dono. Aoki também se levantava bravo, mas ainda fragilizado.


- Nero, use o Uivo com a Roda de Fogo! - Kyle comandava ainda rangendo os dentes e tremendo, na mesma posição que estava.


O Growlithe uivava, fazendo com que seu uivo ecoasse por toda a montanha. Seus olhos então começavam a emanar uma luz vermelha. Ele pulava e começava a girar com uma chama saindo de sua boca, fazendo com que uma enorme roda de fogo fosse criada, com ele o centro. Então, ao encostar no chão, essa roda saia numa velocidade grande em direção do Gastly.

O fantasma sorria, seus olhos brilhavam e cresciam de tamanho, fazendo com que uma onda transparente do mesmo formato atingisse a roda, onde Nero caia dormindo no chão e o golpe fosse cancelado.


- Hipnose? - Alice comentava, assustada.

- Tsc... Tatsuo, use Corte em X! - Kyle comandava.


O Scyther continuava afiando suas lâminas, não demonstrando interesse, como se estivesse lixando as suas unhas.


- Droga. Aoki, use pó do Sono! - Kyle dizia, ainda paralisado.


O Ivysaur dava passos ligeiros pra frente, soltando um jato de pó verde que ia em direção do Gastly. O fantasma começava a carregar uma esfera que aumentava ao absorver pedaços da escuridão ao seu redor, e dando uma risada, investia contra a esfera que destruía o jato de pó verde que vinha em sua direção, continuando intacta para acertar Aoki.

Kyle observava aquilo e corria para frente de seu Pokémon, recebendo o golpe que o derrubava. Brenda, Jason e Alice iam socorrer o treinador, enquanto seu Ivysaur começava a ficar desesperado. Aoki puxava Kyle pela camisa para que o treinador pudesse levantar, mas ele parecia estar abalado com o golpe.


- Kyle, acorde! - Brenda dizia desesperada, vendo que o golpe teria sido bem forte. Ela então segura na mão do amigo com força. - Jason, acorda o Russel e pega gaze e álcool na minha bolsa!

- Ok! Rocky, acorde logo! - Ele gritava, obedecendo Brenda.


Quando o Hitmonchan se levantava, ainda sem saber o que estava acontecendo. Ele olhava nos olhos do Gastly, que soltavam aquela mesma onda transparente em formato de seus globos oculares.


- Ahn, o que está- Logo ele cai no sono novamente por conta da hipnose.


O Scyther não parecia estar preocupado, mas parava de afiar suas lâminas para ver o que estava acontecendo. Ele havia ficado interessado já que pudera perceber que o treinador se jogou na frente para proteger seu Pokémon. Aquilo realmente surpreendera o Scyther, mas ele ainda parecia estar sem animo para batalhar pelo garoto.

O Gastly em si, parecia estar mais preocupado que o inseto. Ele flutuava sem sorrir vendo o tumulto que estava acontecendo. No fundo, ele só queria pregar uma peça e se divertir, mas ninguém parecia estar rindo. Vendo o sacrifico daquele garoto e de sua coragem, o Gastly flutuava lentamente em direção dele, que ainda estava deitado com um pouco de fumaça saindo do peito, pela queimadura do golpe.

Brenda e Alice se levantam, assustadas, mas o Gastly passa por elas, como um fantasma. Então quando estava em cima de Kyle, sua fumaça roxa o envolvia e um raio vermelho atingia os dois. O Gastly gritava de dor ao fazer aquilo.


- Pare com isso! - Alice gritava, correndo para atacar o Gastly, mas Brenda a impedia. - O que foi?! - Ela se questionava.

- O Gastly está ajudando. - Brenda comentava, assustada. Então as duas observavam que a ferida no peito de Kyle se curava, e o Pokémon fantasma ficava um pouco mais exausto. - É o movimento "Compartilhar Dor".


Então Kyle começava a tossir, voltando a respirar normalmente. Ele abria os olhos e via que estava bem. Que Aoki também estava bem e que todo mundo estava bem. O susto tinha sido bem grande, mas podia perceber que a dor intensa do golpe havia passado, e que o Gastly flutuava ao seu lado. O garoto então soltava uma leve risada para aliviar o susto que levara.

O Gastly, vendo que o garoto estava bem, também começava a rir. Os dois então começavam a gargalhar juntos, fazendo com que todos - inclusive Aoki - olhassem ainda assustados e bravos. Suspirando de alivio, mas não demonstrando nem um sorriso no rosto. Haviam ficado muito preocupados para isso.


- Hahahaha! - Kyle continuava gargalhando junto com o Gastly. - Aiai... Você é bem forte, sabia? Quer se juntar a Equipe Kyle? - Ele comentava, limpando uma lágrima de seu olho que escorria por dar tanta risada.



O Gastly concordava com a cabeça. Flutuando ao seu lado e ainda com um sorriso enorme, feliz pelo garoto ter rido com a suas travessuras.




As crônicas de um Gyarados Voador!







Acontecimentos Importantes:

 - Alice, a menina que deseja ser Coordenadora, entra para a equipe, mesmo não sendo um membro oficial. 


 - O Onix Negro - responsável por terremotos em Pewter e no pico das batalhas - é mencionado.



- Kyle batalha contra o Gastly e quase morre. O Gastly usa Pain Split e ressuscita o menino. Os dois riram muito e são amigos até hoje. O bicho entrou pra equipe.
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por DarkZoroark em Qui 7 Ago 2014 - 12:00

Rush o/
O comentário era para ter saído ontem de noite, mas como vieram alguns convidados aqui em casa acabei tendo de deixar para hoje de manhã. Acordei mais ou menos cedo hoje e primeira coisa que resolvi fazer era vir aqui dar o meu parecer sobre o último capítulo. Problema é que duas vezes eu estava para postar o comentário e acabei voltando para a página anterior, o que meio que me deixou bem puto da cara. Então, sem mais delongas, vamos ao review:
Achei interessante a despedida do grupo do Kyle com o Jöhan e a forma com que explicaram o motivo de irem para Pewter ao invés de desafiar o ginásio de Veridian. A forma como o empresário entregou o cartão de crédito para os garotos como se aquilo não fosse nada foi... like a boss. O jeito com que o Falk disse que não poderia seguir o grupo me deixou em dúvida: ele vai continuar situado em Veridian e aparecerá somente durante citações e telefonemas ou ele viajará por toda a região? Vou ficar no aguardo para saber sobre isso.
Outro ponto em que a Fanfic se diferenciou das demais foi na reação inicial do Jason e do Russel às constates "brigas" do Kyle e da Brenda. É um detalhe um tanto trivial e que deveria aparecer com mais frequência nas histórias, principalmente nas de jornadas, mas foi a primeira vez que cheguei a encontrar algo assim nas histórias do gênero. Realmente foi um ponto muito interessante. Aliás, a reação da dupla ,a revelação de que a viagem até Pewter demorará cerca de um mês foi um detalhe que considerei como sendo cômico. Um pouco inesperado por parte do "caipira de Pallet", visto que no último capítulo ele ouviu o Jason falando que a jornada levaria cerca de quatro anos, mas enfim...
Achei interessante o conceito do El Pico de las Battallas. Uma montanha em que os treinadores vão se enfrentando durante todo o trajeto até a próxima cidade com certeza é um ponto realmente interessante. Meio que me lembrou um monte que era desbloqueado após vencer o modo história do Pokémon Collosseum. Teve alguma inspiração aí ou é só uma coincidência? Gostei da Alice. O uso de coordenadores em Fanfics de Jornada em Kanto é algo que não aparece com facilidade, mesmo que tenha ocorrido no anime. Legal saber que vai aparecer ao menos uma vez na Fic - realmente não me importa muito quantas vezes irão aparecer os concursos. Um ponto que também curti e considerei bastante nostálgico é o tal do Onix negro - aliás, bela referência a pedra preciosa - que, pelo jeito, está tocando o puteiro no lugar. Me lembrei na hora do episódio em que o Bruno da Elite 4 aparecia e capturava um Onix gigante. Teve alguma inspiração aí ou eu to viajando só pra variar?
Foi um tanto curiosa a comparação da equipe dele com a da Alice. Até concordo quanto ao Ivysaur/Charmeleon e o Scyther/Seel, mas sei lá... Não acho que Growlithe seja um Pokémon tão comum assim. Faz tempo que não jogo Fire Red ou Leaf Green então estou meio na dúvida se esse argumento é realmente válido.
Curti a "batalha" - tava mais para Brasil x Alemanha - do grupo contra o Gastly. O Scyther ficando ali, só afiando as garras enquanto o pessoal era atacado me fez lembrar de um episódio em que o Charizard do Ash e o Scyther do Tracey tiveram que salvar geral da Equipe Rocket. Bons tempos em que o anime ainda não era 90% Filler. Anyway, curti a personalidade do Pokémon fantasma também - mais uma vez, me fazendo recordar de um episódio, dessa vez aquele da torre mal-assombrada em que o Ash morria. Ele ter "ressuscitado" - não dá para dizer que esse termo é totalmente válido visto que o Kyle ainda estava respirando - o caipira de Pallet e depois ter entrado para a equipe dele foi um detalhe bem interessante. Só agora notei que ele não capturou nenhum dos membros da sua equipe da maneira convencional, o que é um ponto que eu sempre curto. Quero ver agora o impacto que o auto-sacrifício do Kyle para proteger o Ivysaur vai ter sobre o Rei dos insetos - saudade do tempo em que ainda era ele o detentor do título - ou se ele vai continuar a sacaneá-lo da mesma forma - o que não vai deixar de ser bom.
Fiquei com uma dúvida agora; tanto o Scyther quanto o Gastly irão evoluir - isso claro depois que o segundo se tornar um Haunter - ou não? Já que nos games eles fazem isso por troca e no anime nunca apareceu um dos dois fazendo isso não sei bem o que esperar na Fanfic. Vou ficar no aguardo para ver.
Erros eu não encontrei nenhum e, como de costume, sua escrita foi impecável. Fico na espera do próximo capítulo. ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Sex 8 Ago 2014 - 17:52

Bom, vamos lá.

O capítulo foi bem bacaninha, com a inserção de mais um personagem (novidade seria se não aparecesse um personagem novo em um de seus capítulos -q), além da captura do Gastly e eles avançando na história depois de vários e vários dias em Viridian.

Curti essa Alice, é bacana ver um coordenador numa fic, mas que não seja tão estereotipado de ser um cara que fica limpando seu pokémon toda hora, cheio de frufruzices, que acha que batalhas são uma bosta e etc. Acho bacana que seja uma pessoa normal, como é Alice.

Rush, Rush, to de olho nessa pedofilia ai hein. A menina tem uns onze ou doze anos e o Kyle já tá lá com seus quinze hein -q. Mas se bem que o Kyle tinha um amor platônico pela Brenda que é dez anos mais velha que ele, então acaba não sendo tão estranho um relacionamento de uma menina de doze anos e um moleque de quinze (ou quatorze?), mas enfim, ninguém sabe nem se vai ter relacionamento também -qq.

Esse negócio do Pico das Batalhas foi bem bacana, sei lá, nunca tinha visto esse negócio de ter vários treinadores e os caras irem lutando e quem perde volta pro começo da montanha, bem bacana isso. O negócio do Onix negro também foi daora. Eu me lembrei daquele Onix de Cristal lá das Ilhas Laranjas, que era de gelo, que tinha um moleque com um Charmeleon que derrotou o Onix -qq, mas enfim.

Cara, todo Gastly ou Haunter é filho da puta, sempre aparecem tumultuando e irritando alguém, mas dessa vez a zuera teve ends, já que o Kyle ficou todo mortão lá. Mas agora acho que os dois juntos vai ser verdadeiramente the zuera never ends -qq, imagina essa dupla junta, que coisa linda.

É engraçado o Scyther ficar pegando toda hora o chapéu do Kyle e ficar lixando as unhas pouco se importando com a batalha -q. Acho interessante que a sua fic parece ser tipo a primeira temporada, parecendo que só existe Kanto, pois eu não lembro de ter visto pokémons que não eram os de Kanto, além de que existem vários pokémons mais fortes que o Scyther e que ficariam mais lógicos que não obedecessem o Kyle, mas como só tem Kanto, o Scyther acaba sendo um fodão, como o DZ disse, "o rei dos insetos". Agora que acabei percebendo que só tem pokémons de Kanto -q.

Enfim, é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Rush em Seg 8 Set 2014 - 13:17

@DarkZoroark: DZ, relaxa! /o/ Eu gosto bastante do Jöhan, eu também acho ele muito boss. E não, ele não vai viajar pela região. Ele poderia fazer algumas aparições em algumas cidades, mas ele ficará em Veridian/Saffron/Celadon gerenciando suas casas de torneio, ele aparecerá mais por videofones mesmo. E ah, sobre esse detalhe, é que Kyle e Brenda estão impacientes, eles enrolaram demais em Veridian! AUEHAUE' E sobre a questão da evolução, isso não irá ser tão fiel aos jogos... Enfim, você irá ver! Hahaha! Muito obrigado cara, de verdade. Fico muito feliz que esteja curtindo o rumo da história. Muito obrigado mesmo, espero que continue lendo! <3

@Black: Sir. Black! Muito obrigado, a Ana sabe que eu tenho tara por personagens. *u* E porque pedofilia? :c Kyle tem 14 anos e a Alice tem 12~13, só que tem aparência de mais jovem, mas a diferença de idade não passa de 2 anos. AUEHAUE' E a Brenda também tem 14, é a Bruna que tem 25. AUEHUA' Sim, esse Ônix negro foi bem baseado no Onix gigante que o Bruno captura mais o Onix de Cristal. Onixes são fuedas. E oloco já apareceu Pokémons de outras regiões sim! u.u Enfim, muito obrigado cara, de verdade. Espero que continue lendo, Black! Valeuzão! <3



~>x<~



Capítulo longo por causa de batalhas, mas espero que não seja um grande problema. O Hattori foi apelão contra Kyle? Vamos ver em como ele consegue ser apelão nessa história! UAHEUAHEU u.u

Enfim, obrigado por lerem. Tenha uma ótima leitura!


~>x<~




Já era de madrugada. O grupo de jovens dormia em seus sacos de dormir, que contornavam uma fraca fogueira que parecia estar quase se apagando. Todos pareciam estar dormindo profundamente, até que um barulho de galho se quebrando acordava Russel.


- Ahn?! – O Hitmonchan acordava assustado, vendo que Jason e Brenda ainda dormiam. Ele estava ofegante e tentava manter a calma, já que provavelmente seria a lenha estalando ao ser consumido pela fogueira improvisada.


Após um tempo, ele respirava fundo mais uma fez, se acalmando.


- Phew... – Suspirava. – Acho que foi um pesadelo. – Ele suspirava até que o barulho de um galho se quebrando ecoava pelo local, dessa vez sendo mais intenso. – Droga! – Se assustava, olhando ao seu redor.


Saia do saco de dormir dominado pelo medo. Estava em posição de combate, preparado para o pior. Então o som de uma menina cantarolando fazia com que Russel tivesse um calafrio que percorresse a sua espinha.


La La  La La La


- Tsc! Isso não é coisa de Deus. – Ele dizia para si mesmo, engolindo seco. Ele então começava a seguir aquela voz, percebendo que o som de galhos se quebrando parecia aumentar de frequência.


Estava muito escuro, já que ele se afastava do mini acampamento. Então ele estendia um de seus punhos, que começava a pegar fogo, auxiliando a ver o caminho que percorria. A cada passo que avançava, o som da menina cantarolando aumentava – e mais sentia um frio na espinha.


- Quem está ai?! – Ele dizia, sentindo um vulto correndo atrás dele. Quando se virava, não era nada, apenas a escuridão. - Kyle, se for você e esse Gastly de novo, eu juro que mato vocês dois!


Engolindo seco mais uma vez, Russel se virava, vendo a imagem de um rosto escuro com grandes olhos branquíssimos e sem vida, acompanhado de um som que assemelhava a um jato de vapor saindo de uma velha máquina. O Hitmonchan gritava sobressaltado. O desespero foi tão grande, que ele caía de costas tentando fugir daquela imagem macabra, ignorando os risos que surgiam logo a seguir.

A imagem então começava a se mover, mostrando que era Hattori, o Gastly que Kyle havia recentemente capturado. Além de do mais, Kyle a Alice saiam de trás de algumas rochas que estavam próxima dali, tendo um ataque de riso.

O Hitmonchan que ainda estava no chão, olhava furioso para os três, que perdiam o fôlego de tanto rir.


- Seus porra! É a terceira vez em dois dias!




As crônicas de um Gyarados Voador!


Kyle Adventures.



Capítulo XXII – Rain
].



O sol iluminava o alto da montanha. Ao contrário dos dias anteriores, o sol não estava coberto pelas nuvens cinzentas que ameaçavam despejar uma intensa tempestade. Desta vez, as nuvens pesadas ainda existiam, mas num número bem menor, que pareciam libertar o sol daquela prisão. No entanto, o som de trovões ainda ecoava pelas proximidades. Mas era apenas um blefe na natureza. Todos sabiam que não iria chover.

Já fazia três dias que estavam caminhando em rumo à Pewter. Tudo estava indo bem, já que as poucas batalhas em que Kyle entrou, ele havia vencido. Enquanto isso, as olheiras de Russel pareciam aumentar, já que fazia tempo que não tinha tido uma boa noite de sono, graças às pegadinhas sem graça de Kyle e Hattori.


- Você está horrível, Rocky. – Jason comentava, caminhando ao lado de seu parceiro, enquanto suas mãos descansavam nos bolsos de seu casaco. – Você sabe que eu posso falar com Kyle, se você quiser.

- Não! – O Hitmonchan resmungava. Parecia um zumbi, andando curvado e com olheiras gigantes. Estava exausto, mas seu orgulho não permitia que recebesse ajuda de Jason, ou até mesmo que fosse pessoalmente para o garoto e pedisse para ele parar com aquilo.


Brenda caminhava observando aquilo. Carregava Megan em seus braços, mas ela via que estava um pouco isolada. Jason e Russel sempre ficavam à frente, enquanto Kyle e Alice estavam atrás conversando. Ela se encontrava no meio, apenas com sua Vulpix.


- Tsc... – Ela suspirava, enciumada ao escutar Kyle rindo de alguma coisa que Alice dizia para ele. Ela virava o rosto de leve, para que os dois não pudessem perceber que ela os observava, e encarava a novata.


Alice estava com seu vestido azul claro e um longo cachecol azul escuro. Sua Butterfree como de costume estava voando próxima de sua treinadora, geralmente pousando nas flores silvestres que encontrava pelo caminho.

Ela então se assustava e virava seu rosto ao perceber que o olhar de Kyle mudava para a sua direção. O rapaz então dava uma breve corrida para alcança-la, fazendo com que a menina sorrisse. O garoto dava um pequeno tapinha no ombro da menina, apenas para cumprimenta-la, e seguia a sua corrida para frente, mostrando que seu destino era outro.


- Bom dia, Rocky! – Kyle sorria dando um leve soco no ombro do Hitmonchan, que estava emburrado demais para retribuir o bom dia. – Olha, sinto muito por aquilo, eu prometo que eu e o Hattori vamos maneirar nas peças, ok?

- Sério? – Os olhos de Russel brilhavam ao escutar tais palavras. Mas ele logo ficava sério e limpava a garganta, disfarçando. – Quer dizer, é claro que vocês vão. Vocês não querem mexer com o grandioso Russel.

- Ah tá. – Kyle ria junto com Jason.


Enquanto o Pokémon ficava bravo com o garoto de chapéu de palha e com o mecânico, ela notava um grande vulto pulando o grupo com um enorme salto, pousando logo a frente deles, o que levantava uma grande quantidade de poeira.
Quando podiam perceber, era um garoto montando em um grande Dodrio. Não era ninguém menos que Seth e Ace.


- E ai, perdedores! – O moleque os cumprimentava com um sorriso maroto no rosto. Ele parecia estar acompanhado de uma menina que segurava em sua cintura. Ela tinha cabelos roxos e parecia sorrir para os demais.

- Seth?! – Kyle perguntava assustado. Não podia acreditar que o rapaz já havia o alcançado.



Antes que pudesse responder, o som de uma moto podia ser escutado. E passando pelos jovens, era possível ver uma mulher dirigindo uma, acompanhada de um rapaz, que pareciam parar ao lado do Dodrio.


- Porque paramos? Esses caras o desafiaram? – A motorista perguntava, retirando o seu capacete e revelando os seus longos cabelos louros.

- Não, Camila. – Seth respondia sorrindo. – Mas eu estou desafiando aqui moleque ali, com o chapéu de palha. – Ele apontava para Kyle, fazendo com que os três que acompanhavam o garoto montado no Dodrio o encarassem.

- Era só o que me faltava. – Brenda suspirava, se aproximando do amigo.


Kyle sorria, coçava a sua nuca, e depois se espreguiçava.

- Não vai nem ao menos nos apresentar para os seus amigos? – Ele brincava, ajeitando o seu chapéu de palha.

- Heh. – Seth pulava de seu Dodrio, também dando uma alongada. – Você também arrumou uma equipe, ein? Bem, essa de cabelo roxo é a minha mecânica, Fabiana. Essa bonitona da moto é Camila, a nossa médica, e esse cara lindo e tesudo é Davi, o cozinheiro.

- Prazer! – Camila dizia, descendo de sua moto e prendendo o seu capacete nela. Ela era alta, possuía um longo rabo de cavalo loiro. Seus olhos azuis eram realmente muito encantadores.


Ao lado dela, estava Davi, que parecia pegar uma carona com a moça em sua moto. Ele era menor que a jovem, e menor que Seth, mostrando que ele era bem baixinho. Sua pele bronzeada combinava com seus cabelos cacheados e alaranjados. Ele tinha uma expressão séria, e não dizia nada.


- Ooooi! – Fabiana dizia alegre, pulando do Dodrio de Seth. Ela parecia ser mais jovem que eles, tendo mais ou menos doze ou treze anos. Seus cabelos roxos eram ondulados, e ela trajava uma camisa azul acompanhada de uma saia branca.

- Oi! – Kyle dizia esboçando um sorriso simpático. – Bem, você conhece a Brenda, a nossa médica. Também tem o Jason e o Russel, os mecânicos, e a Alice, a coordenadora que está de carona com a gente.

- Oi. – Russel dizia meio assustado.


O grupo rival se assustava com o fato do Hitmonchan ter falado. E pareciam comentar algumas coisas entre si num tom baixo, que não era possível ser escutado daquela distância.


- Bem. Eu ainda estou te desafiando. É melhor você aceitar o desafio se não quiser descer a montanha. – Seth continuava, esbanjando aquele sorriso provocador em seu rosto.

- Pode crer! – Kyle respondia animado e ansioso para aquilo. – Mas você vai perder!




~>x<~



Demorou aproximadamente 15 minutos para preparar aquele campo improvisado. Os nove apenas retiraram alguns galhos para tentar deixar o campo limpo e plano, em seguida se dividiram para o lado de seus respectivos treinadores. Como seria uma batalha não oficial, não iria haver nenhum juiz ou regra específica.
Kyle ajeitava o seu chapéu de palha, o segurando para que a forte ventania não o levasse voando. Após o vendaval cessar, ele esboçava um sorriso confiante.


- Três contra três, ok? – Kyle dizia, pensando no fato de Aoki ainda estar em estado de recuperação desde a batalha contra o Mega Pinsir.

- Wow, o azarado do Kyle já capturou dois Pokémons? – Seth brincava. – Okay, três contra três! Pode sair, Aquiles! – Ele gritava, lançando uma Pokébola a sua frente.



Ao cair no chão, a esfera de captura materializava uma espécie de Pokémon quadrúpede e não muito grande. Ele tinha alguns espinhos por seu corpo rosa, e um pontudo chifre em sua testa, além de ter duas grandes orelhas que eram verdes em seu interior. Era um Nidorino.


- Um Nidorino, ein? – Kyle sorria. – Eu pensei que você ia usar Ace.  De qualquer forma, pode sair, Hattori! – O rapaz então jogava a sua Pokébola para cima, fazendo com que o Gastly saísse da esfera e flutuasse em direção do campo.

- Você é idiota? Ace dá uma surra em você, mas caso ele seja derrotado, como eu iria me locomover? – Seth respondia, não parecendo se surpreender com o Gastly.



Brenda olhava aflita para o campo. Estavam aproximadamente quatro dias subindo aquela montanha, e ela não iria querer descer por causa de uma batalha. Pelo que lembrava, Seth era bem poderoso, sendo um dos melhores treinadores de Pallet em sua infância.

Fabiana parecia torcer pelo amigo, enquanto Davi e Camila apenas observavam a batalha, entusiasmados.


- Okay, Aquiles, use injeção venenosa! – Seth gritava, apontando seu dedo indicador para o oponente.

- Hattori, use esfera de sombras! – Kyle respondia em contrapartida.


O chifre do Nidorino começou a emitir uma aura rosácea e então o quadrúpede partia em disparada em direção do inimigo. Flutuando, o Gastly apenas começava a carregar uma esfera sombria que absorvia a escuridão de sombras ao seu redor. Então quando ela estava bem grande, ele a lançava no Nidorino, que era lançado longe.

O poder do golpe seria tão forte, que o Nidorino era lançado próximo de Seth, já derrotado.


- O quê?! – Seth e sua equipe ficavam pasmos, boquiabertos com a velocidade daquela partida, mostrando o quão poderoso aquele Gastly era.

- Isso, Hattori! – Kyle esboçava um sorriso de agradecimento para seu Pokémon, que apenas contribuía com outro.

- Meu Deus... – Brenda suspirava, olhando a força daquele Pokémon. Assim como seus rivais, a equipe de Kyle também estava surpresa.


Seth engolia seco, retornando seu Pokémon para dentro de sua Pokébola, e dava um suave beijo nela para finalizar.


- Não foi o seu melhor desempenho, mas obrigado. – Seth suspirava, retirando outra Pokébola de seu sinto. – Ok, Mizu! Agora é contigo!


Lançando a esfera de captura para o campo, Seth revelava o seu segundo Pokémon. O mesmo era uma espécie de sapo esverdeado, com bochechas rosadas e uma espécie de espiral em sua barriga. Era um Politoed. Ao pisar em campo, as nuvens no céu começavam a se aglomerar e os trovões ficavam mais intensos, fazendo com que uma leve chuva caísse do céu.

A equipe de Seth parecia estar preparada, carregando um guarda chuva. Já Brenda e Alice corriam para buscar abrigo, ou algo parar cobrir seus cabelos. Russel e Jason ficavam ali mesmo, sem se importarem com a chuva.


- Ok! Mizu, use Arma d’água! – Seth comandava rapidamente.

- Hattori, desvie e use Hipnose!


O anfíbio enchia suas bochechas com água, e logo espirrava um jato concentrado em direção de Hattori. Por pouco o fantasma desvia do golpe, lançando uma pressão de seu olhar que ia em direção do aquático.


- Mizu, não perca tempo, desvie e use Mímica!


O Politoed rolava para o lado, e como não tinha contato visual com o golpe, ele acabava não sentindo os efeitos da hipnose. Ele então batia suas mãos uma vez, fazendo com que ele começasse a carregar uma esfera que absorvia a escuridão do ambiente.


- Mas o quê? – Kyle se questionava, vendo que o Politoed iria usar uma Esfera das Sombras. – Hattori, Provocar!


Antes que o Politoed pudesse terminar de usar o “Mímica”, o Gastly fazia um horrível som agudo que parecia um fortíssimo apito, que parecia sair de sua fumaça. Isso fazia com que o Politoed não conseguisse se concentrar e o ataque era cancelado.


- O que você fez? – Seth perguntava. Ele não podia ouvir o som que seu Pokémon estava ouvindo, mas podia perceber que o sapo sentia muito desconforto.


Então sem nenhum comando de seu treinador, o Politoed começava a soltar vários jatos de água que eram fortalecidos por causa da chuva. Mas para a sua raiva, o Gastly desviava de todos.


- Esse Gastly é muito chato. – Seth rangia seus dentes. – Mizu, acabe com isso, Redemoinho e Raio de gelo!


O sapo concordava com a cabeça e com o auxilio da chuva que havia invocado, ele criava uma espécie de tornado de água, que o fazia levitar também, e então o lançava em direção do Gastly. Logo em seguida, uma esfera de energia azul-ciano era criada na frente da boca de Mizu, e um fortíssimo relâmpago azul ciano, que na verdade era feito de gelo, era lançado em direção do oponente.


- Hattori, desv- Kyle era interrompido pela velocidade do golpe. Antes mesmo que pudesse formular uma estratégia, o Gastly automaticamente desviava do raio de gelo, mas era atingido pelo redemoinho. O tornado de água não era muito intenso, mas impedia que o Gastly pudesse se mover, sendo levado pela correnteza.

- Agora para finalizar, use Mímica!

- Tsc! – Kyle rangia os dentes, mas logo fechava os olhos para manter a calma.


Então ele abaixava um pouco o seu chapéu, para que o mesmo pudesse cobrir seus olhos. Ele fechava suas pálpebras, e ao respirar profundamente, sentia que o tempo parava. Parecia que tudo ao seu redor havia parado de se mexer.


- “Ok. Mantenha a calma.” – Ele pensava. – “O efeito do provocar já cessou então o Politoed irá poder copiar a Esfera das Sombras de Hattori, mas ele não pode se mover por causa do redemoinho, que está o machucando bastante”. – Pensava, ainda ignorando tudo ao seu redor, que se movia bem lentamente. – Então, use vento gelado! – Gritava, abrindo seus olhos e vendo que o tempo voltava ao normal.


O Gastly que ainda estava sendo levado pela correnteza, flutuava para o meu do redemoinho, bem ferido e exausto. Então ele parecia baforar um vento gélido esbranquiçado, que lentamente dominava o ambiente ao seu redor, congelando o redemoinho.

O Politoed batia ambas as mãos uma com a outra, e começava a carregar uma Esfera das Sombras, e vendo que o seu redemoinho estava congelando, conseguia finalmente lançar o poderosíssimo golpe, fazendo com que se chocasse com aquele tornado de gelo.

O impacto do golpe era bem forte, a ponto de fazer aquela escultura gélida quebrar em mil pedaços, transformando-a em uma poeira brilhante que caia lentamente no chão. Mas para o desconforto de Seth, o Gastly estava bem, pois havia usado aquilo como escudo.


- Não acredito! – Seth resmungava, de olhos arregalados.

- Muito bem, Hattori! Agora use Compartilhar Dor e Desabilitar!

- Não, Mizu! Acabe logo com isso usando Arma d’água!


O Gastly lançava a fumaça roxa que envolvia o seu corpo em direção do Sapo, que institivamente dava um salto para o lado, desviando. Vendo que o oponente havia vacilado, o Politoed soltava um jato de água com alta pressão, mas o Gastly imediatamente soltava um olhar, encarando friamente o inimigo.

O jato de água atingia o Gastly certeiramente, fazendo com que ele caísse. No Entanto, o Politoed ficava paralisado, com algumas faíscas azuis envolvendo o seu corpo.


- Isso, Mizu! Derrotamos esse bostinha! – Seth comemorava, dando um salto. Mas logo a sua alegria sumia de seu rosto, vendo que o seu Politoed não se movia. – Mizu?

- Ele está fora de combate, por causa do Desabilitar. – Camila suspirava, ainda segurando o seu guarda-chuva.  – É um golpe bem forte, mas só pode ser usado no momento certo. Como Mizu já estava exausto e com a cautela baixa, Kyle mandou o Gastly usar o Compartilhar Dor como distração. – Ela continuava, fechando os olhos suavemente. – Foi bem inteligente.


O Politoed parecia uma estátua. Seus olhos se moviam, mas ele não tinha controle em seu corpo. O Gastly, no entanto, estava bem exausto e encontrava-se ferido no chão, estava fora de combate.


- Meu Deus do céu. – Brenda suspirava. Ela parecia estar segurando uma enorme folha como guarda chuva. – Esse Gastly é muito forte. – Comentava para Jason e Russel.

- Isso Kyle! – Alice gritava corada e com um sorriso empolgado no rosto. Ela parecia estar com alguma espécie de saco na cabeça. – Ele é incrível, nunca vi um treinador assim antes! – Ela dizia com brilho nos olhos.


Brenda virava os olhos. Já Jason e Russel, mesmo tomando chuva, esboçavam um sorriso confiante no rosto.


- O garoto é interessante. – Jason comentava, ainda sorrindo. – Ele não está ligado só no modo atacar. Seus comandos tem algum fundamento.

- Ok. Ok. Ok! – Seth estava inquieto, perdendo a paciência. Ele retornava Mizu para dentro de sua Pokébola e então dava um leve beijo em sua superfície. Seus olhos estavam trêmulos, mostrando como ele estava nervoso e se sentindo humilhado. Velozmente e sem cerimonia, ele retirava a ultima esfera de seu cinto e a lançava em campo. – Você está com vantagem, mas a vitória ainda é minha. – Ele comentava, sorrindo. – Terumi, vamos lá!


Ao lançar a esfera em campo, um Pokémon estranho, mas belo, era materializado. Ele era quadrupede com uma pele escamosa e azul. Possuía barbatanas em seu rosto e costas, além de ter uma longa cauda com duas nadadeiras. Era um Vaporeon.

A Vaporeon era belíssima e muito bem cuidada. Ela avançava suavemente um passo, mostrando que ela tinha postura, mesmo em batalhas.


- Seth, você é muito impaciente. – Davi comentava, batendo sua mão direita contra o rosto. – Você revela o seu Pokémon para seu adversário contra-atacá-lo. – Resmungava.

- Uma Vaporeon? – Kyle sorria, com brilho nos olhos. – Que linda! Nunca tinha visto um antes!

- Sim, Terumi é muito linda! – Seth parecia responder com o mesmo brilho em seus olhos, orgulhoso de ter um Pokémon tão fabuloso como ela.


Fabiana parecia parar de comemorar, já que seu amigo tinha um Pokémon para derrotar dois do oponente. Mas ela não perdia as esperanças, apenas ficava um pouco mais nervosa. Já Camila, esboçava um sorriso confiante, sabendo que o seu amigo tinha um truque na manga.


- Ok. Vamos acabar com isso. – Kyle sorria, lançando uma Pokébola revestida à couro. – Tatsuo, sua vez de brilhar!


Ao cair no chão, a Pokébola materializava aquele inseto bípede com duas lâminas sem seus braços. O Scyther não parecia muito contente em ter sido escolhido, e encarava furiosamente para o seu treinador.


- UM SCYTHER?! – Seth ficava boquiaberto. – Você conseguiu capturar um Scyther?!

- Yep! – Kyle fechava os olhos com um sorriso debochador.  Mas quando percebia, Tatsuo já havia roubado o seu chapéu de palha. – Como assim?! – Se surpreendia com a velocidade do Pokémon.

- Que ninja. – Alice comentava.


Seth então respirava fundo, vendo que Terumi teria que lidar um Scyther e provavelmente Aoki, o inicial de Kyle. Tentava manter a calma, mas era difícil. Sua Vaporeon sentia aqui, então olhava o seu treinador, transmitindo uma sensação de calma.

O Scyther parecia emburrado e começava a lixar suas lâminas. Kyle engolia seco, temendo que ele não o obedecesse, assim como a sua equipe.

A chuva não estava muito forte, mas mesmo assim os trovões podiam ser escutados frequentemente. Por causa do clima, já não era mais possível ver a cidade no topo da montanha, mas sabiam que estavam perto dela. Não iria demorar mais que dois dias para chegar lá.

Kyle e Seth se encaravam, como verdadeiros rivais. E então apontavam para seus oponentes.



- Terumi, armadura ácida e escaldar!

- Tatsuo, ataque rápido e vento navalha!


As crônicas de um Gyarados Voador!



Acontecimentos importantes::

 

Seth aparece novamente e desafia Kyle para uma batalha. É revelado que Mizu evoluiu para um Poliwhirl e depois um Politoed. Seth também capturou um Nidorino e uma Vaporeon.



Fabiana, a mecânica de Seth foi introduzida.




Camila, a médica e guia de Seth foi introduzida. 



Davi, o cozinheiro de Seth foi introduzido. 


avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Qui 11 Set 2014 - 19:29

Ah, é tanta gente que eu confundi a Bruna com a Brenda -q, mas enfim.

Bom, vamos lá.

O capítulo foi legal. Teve a introdução de novos personagens (ah vá), a reaparição do Seth, além de ter uma batalha à la Red vs Green ou Ash vs Gary. E teve também a Brenda com ciuminhos da menininha de doze anos (gonna cry? hauhauhau).

Cara, eu rio desse Russel, que pokémon noia -q. Pior é o Kyle e o Hattori (é sério mesmo esse apelido?) e a Alice ficarem pregando peças por três vezes no Russel e ele ficar com medinho e depois que o Kyle fala que vai parar ele fica todo felizardo -q, só tem louco nessa fic -qq.

Que Gastly encapetado é esse? Com um Shadow Ball só ele debilitou o Nidorino? E ainda debilitou o Politoed. Bom, mas de toda forma, a estratégia do Kyle foi bem interessante. Agora imagina esse Hattori sendo um Gengar ou um Mega Gengar? Vai comer vários cus -q.

Rush meu fã número 1 escreveu:e esse cara lindo e tesudo é Davi, o cozinheiro.
Tirando o fato de ser cozinheiro, concordo com tudo, realmente esse Davi é um negro maravilhoso lindo e tesudo, ah, você também esqueceu de colocar que ele era bem inteligente, mas tudo bem, tá pra relevar.

Erros não vi nenhum que fosse prejudicial à leitura.

Então é só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Rush em Sab 1 Nov 2014 - 15:54

@Black: EAAE! AUEHAUEHUE' Não tem desculpa. Confundir a Brenda com a Bruna cara? Tsc tsc. AUEHAUE' Enfim, muito obrigado cara. Fico feliz que você esteja gostando da história. Você é um lindo e está no meu <3. Continue lendo!


~>x<~





O tempo ainda esteva fechado. Nuvens pesadas e escuras tapavam o sol, fazendo com que o ambiente ficasse menos iluminado. A chuva ainda caia suavemente, não chegando a ser muito forte.

A Vaporeon rapidamente obedecia aos comandos de seu treinador, ainda com uma expressão séria enquanto encarava o seu oponente. O Pokémon aquático apenas dava um salto para frente, e quando fazia isso, as células de seu corpo começavam a derreter aos poucos, se misturando com as gotas de chuva. Então, a Vaporeon havia sumido completamente.

O Scyther, no entanto, ficava parado, lixando as suas lâminas. Havia ignorado totalmente as ordens de seu treinador. Kyle ficava bravo olhando a cena, mas se surpreendia ao ver o inimigo sumindo com a chuva.



- Cara... – o rapaz dizia para Seth. – Eu acho que a sua Vaporeon morreu.

- Será? – Seth ria como resposta.



Então um jato de água fervendo era disparado do nada, acertando o Scyther em cheio. O inseto se debatia desesperado pela agua estar escaldante. Era possível ver diversas manchas escuras no corpo do Pokémon, e nelas havia uma pequena fumaça. Tatsuo havia sido queimado.






As crônicas de um Gyarados Voador!


Kyle Adventures.




Capítulo XXII – A little bit of Pallet.





Kyle se espantava com aquilo. O Vaporeon havia desaparecido, mas diversos jatos da água escaldante eram lançados de vários lugares diferentes, fazendo com que o Scyther tivesse muita dificuldade de desviar, sendo que na maioria das vezes ele era atingido.

O corpo do inseto estava com várias manchas mais escuras, nas quais estavam tão quentes que soltavam uma pequena quantidade de fumaça. Aquelas áreas em especial eram onde a criatura sentia mais dor, pois ainda sentia a queimação do golpe.



- Tatsuo! Me obedeça! – Kyle gritava impaciente, vendo que estava em desvantagem.

- Hahaha! Sabia que era bom demais para ser verdade – Seth o caçoava. – Terumi, use Raio de Gelo!



A Vaporeon parecia revelar a sua localização ao executar o golpe. Ela abria a sua boca, invocando uma grande esfera azul ciano, então quando a esfera estava grande o bastante, um enorme raio da mesma cor era lançado em direção do Scyther.

Assistindo a batalha, Brenda soltava um olhar de preocupação diante tal cena. Ela desviava o mesmo para a equipe de Seth, reparando em como Fabiana, a menina de cabelos roxos, parecia comemorar agora que o jogo estava virando.

Kyle respirava fundo.



- “Ok, ok... mantenha a calma.”. – Pensava. – “Quer dizer que se Terumi só consegue manter a invisibilidade usando ataques de água?”. – Ele suspirava, e novamente respirava fundo. – Tatsuo, desvie usando Ataque Rápido!


O Scyther ainda estava cambaleando pelos inúmeros ataques que havia recebido. Ele então escutava a ordem de seu treinador, fazendo com que chacoalhasse a sua cabeça várias vezes para não perder o foco da luta. O inseto então se abaixava rapidamente para efetuar o golpe.

Ao executar o movimento, o Pokémon se surpreendia com o raio que já o alcançara, o atingindo na cabeça. O ataque acertava em cheio, fazendo o chapéu de palha da cabeça do Scyther sair voando, congelado.



- Isso! – Fabiana gritava, comemorando.

- Na mosca! – Seth comemorava enquanto fazia um gesto com as mãos. – Ou melhor, no louva-a-deus! Hahaha! Sacaram?



Camila e Davi se entreolhavam, forçando um sorriso sem graça no rosto, tentando fingir que aquilo nunca havia dito. Fabiana, no entanto começou a dar uma risada forçada, o que deixava Seth emburrado, já que sabia que ela queria o agradar.

O esverdeado caia de costas pelo impacto do golpe. Kyle corria para socorrê-lo, ignorando o seu chapéu congelado. Ele percebia que o Scyther estava bem fraco, mas ainda não fora nocauteado.



- Tatsuo! Tatsuo, você está bem? – O rapaz perguntava, enquanto passava a mão pela cabeça de sua criatura, retirando os vestígios de gelo que ainda permaneciam lá.

- Scy... – O Pokémon apenas resmungava, se levantando logo em seguida. Ao sentir o vazio em sua cabeça, ele se virava para trás, notando o chapéu de palha congelado. Naquele momento, os olhos do inseto e de Kyle começavam a pegar fogo.

- Meu chapéu! – Gritava, com sangue nos olhos. – Agora tu paga, Seth!



O rival ria, soltando um sorriso de deboche.


- Pode vir princesa. Terumi, Armadura Ácida e Escaldar!

- Tatsuo, vento navalha!



A Vaporeon começava a ficar invisível novamente. O Scyther que estava com chama em seus olhos, começava a dar golpes numa velocidade absurdamente rápida e exagerada no ar, criando várias lâminas de vento que eram lançadas na Vaporeon. A velocidade era tanta, que Terumi mal conseguia completar o golpe, ainda estando visível. Ela era atingida pelos cortes e soltava um alto grito de dor, sentindo os cortes perfurando a sua pele.



- Tatsuo, agora use Ataque Rápido e Corte X!



O Scyther concordava com a cabeça, inclinando o seu corpo pra frente e batendo as suas asas velozmente, o que lançava o seu corpo como um torpedo em direção do oponente. Um rastro brilhante era deixado, revelando o caminho que ele percorria.

Ao alcançar o Pokémon aquático, ele cruzava suas lâminas no formato de uma cruz. Suas lâminas emitiam certo brilho, já que elas pareciam endurecer e ficar mais afiadas, e quando colidia contra o corpo azulado, a Vaporeon era lançada longe.



- Corte X? – Brenda perguntava, coçando seu rosto. – Mas ele fez uma cruz com as lâminas, e não um “X”.

- Isso realmente é importante agora? – Kyle perguntava ainda bravo, vendo que seu chapéu estava congelado.

- Tsc. Lógico que é. – Ela respondia no mesmo tom. Neste momento ela levantava o dedo indicador como se falasse com um ar de superioridade. – Quando o Scyther cruza suas lâminas no formato de um “X”, além de sua coluna estar totalmente ereta e seus ombros em paralelo, ele poderá efetuar o golpe numa velocidade maior, já que irá cortar o vento. Tirando que caso o oponente consiga se defender ou resistir o golpe, ele poderá empurrar e deslizar suas lâminas, lançando o seu corpo na direção oposta e pegando distância do inimigo.

- Mas você está pensando óbvio demais. – Kyle suspirava, balançando a cabeça negativamente enquanto sua mão cobria seu gosto. – Caso eu faça um golpe comum e repetitivo, o oponente rapidamente poderá contra-atacar, já que ele provavelmente já estudou como contra-atacar tal técnica. Usando ela de uma maneira diferente eu consigo surpreendê-lo!

- Do que adianta surpreende-lo se a técnica estiver errada e mais fraca? – Brenda suspirava.




Os dois ficavam discutindo, enquanto todos os presentes apenas observavam, não querendo interferir. No entanto, quando Kyle respondia, era possível ver Alice dizendo “É isso ai!”, como se quisesse apoiar o rapaz.



- Parece que eles sempre discutem assim. – Jason comentava para o Hitmonchan, esboçando um sorrisinho no canto do rosto.

- O QUÊ?! – Os jovens se questionavam, com chama em seus olhos.

- Terumi, descansar! – Seth interrompia, sem paciência.



Kyle se assustava e rapidamente ficava em posição de combate, tentando ficar atento com a situação. Ele se surpreendia ao ver que a Vaporeon apenas deitava e envolvia o seu corpo com sua comprida cauda. Ela fechava os olhos e todos os seus ferimentos saravam.

Logo em seguida, ela abria seus olhos, como se estivesse totalmente revigorada. Cada pingo de chuva que caia em seu corpo parecia agilizar a cura.



- Mas como isso é possível? – Russel se questionava. – Descansar é um movimento que cura totalmente o usuário... Mas o deixa incapacitado de fazer qualquer ação por alguns instantes!

- Sim. – Jason dizia, sem estar surpreso. – Pelo visto a habilidade especial da Vaporeon do garoto é “Hydration”... Uma habilidade que cura todos os status negativos do usuário caso ele seja atingido por água em excesso.

- Chuva... – Kyle resmungava, vendo que a Vaporeon estava totalmente saudável, como se tivesse acabado de pisar em campo. Ele agora percebia o quão era importante o papel de Mizu no time. – Certo, Tatsuo... Vamos improvisar... Use Dança das Espadas!



O Scyther concordava com a cabeça. Era bem gratificante para Kyle ver que seu Pokémon o obedecia daquela forma pela primeira vez. O esverdeado fechava os olhos e respirava fundo, cruzando suas lâminas como uma cruz novamente.
Após exalar o ar em seus pulmões, o Scyther abria seus olhos. Uma aura avermelhada cobria suas lâminas, as tornando maiores e mais pontiagudas.


- Agora use Ataque Rápido e Corte X!

- Terumi, Armadura Ácida e Escaldar!



Kyle sorria, pois havia previsto o que Seth ia fazer. Ele havia decorado o tempo em que os movimentos precisavam para serem executados, além de que Terumi só continuava invisível quando usava ataques de água.

Antes que a Vaporeon pudesse ficar invisível por completo, ela recebia o ataque do Scyther que a atingia em cheio. O golpe era tão forte que a lançava a alguns metros, até que ela pudesse pousar no chão e lançar um grande jato compresso de água quente.

A água escaldante acertava no peito do Scyther, que sofria com a dor da queimação do golpe, além dos ferimentos já antigos. Tatsuo dava um rugido de dor antes de se ajoelhar no chão, totalmente exausto.




- Tsc. Retorne, Tatsuo! Você fez um ótimo trabalho! – Kyle dizia ao apontar a Pokébola revestida a couro para seu Pokémon. Um raio vermelho o atingia, o fazendo diminuir de tamanho e ser sugado para dentro da esfera de captura. – Terumi é bem durona, isso eu tenho que admitir.

- Heh! Parece que o jogo virou, Kyle-boy!




O garoto respirava fundo, fechando seus olhos. Ele retira uma esfera de seu cinto e a lançava em sua frente.



- Nero! Vamos lá!

O Growlithe saia da esfera, confiante. Ao pisar em campo, Seth, Camila, Fabiana e Davi caíam na risada, vendo que o oponente iria usar um Pokémon de fogo contra um de água num clima chuvoso.

- Sério isso?! Você não vai usar Aoki?! – Seth debochava.

- Aoki está muito machucado. Ele merece repousar. Agora use Uivo e Roda de Fogo!




Seth olhava bravo vendo a impaciência do jovem. O Growlithe soltava um longo uivo que criava uma aura vermelha em seus olhos. Sua aparência ficava mais feroz. Logo em seguida ele dava uma breve corrida seguida de um salto, Nero então girava verticalmente enquanto soltava fogo de sua boca, se tornando uma roda flamejante.

O som das gotas de chuva virando vapor ao tocar no fogo era bastante notável.



- Terumi, acabe com isso! Escaldar!



A Vaporeon continuava no mesmo lugar. Ela abria a sua boca e lançava um rápido jato compresso de água quente. Para a surpresa de todos, a água simplesmente evaporava ao tocar no corpo flamejante de Nero, que se aproximava em alta velocidade. Nero então atingia o corpo de sua oponente com muita força, resultando num grito de dor.



- O quê?! – Seth se perguntava, furioso.

- Nero, use Cauda de Ferro e Mordida!



Ainda girando e causando bastante dano na Vaporeon, o Growlithe fazia sua cauda endurecer e soltar um brilho prateado. Aproveitando o embalo do movimento giratório vertical, ele atingia a cabeça da Vaporeon com sua cauda de aço.

O impacto era evidente e fazia a Pokémon azulada ter seu rosto lançado contra o chão – em contra partida, a sua cauda era jogada para cima. -, mas ainda não satisfeito, o Growlithe mordia a cauda de sua oponente com toda a sua força, a lançando mais uma vez contra o chão.



- Deveria ter usado o Descansar quando teve chance, Seth-Boy. – Kyle abria um sorriso, debochando o rival.


Quando Seth percebia, Terumi havia sido nocauteada.


- Mas como isso é possível?! – Ele respondia indo pegar sua Vaporeon que desmaiara. – Como o Roda de Fogo conseguiu passar pelo Escaldar de Terumi?!


Kyle ria. Ele abaixava para que Nero corresse em sua direção. O treinador acariciava a cabeça do cão como recompensa.



- Ebulição. Química básica.



Camila e Davi olhavam surpresos para a resposta do treinador rival.


- Claro! – Camila comentava. – Escaldar já é um golpe de água em alta temperatura. Ao tocar no fogo de Nero, ela provavelmente passou de cem graus célsius, passando de seu estado líquido para o gasoso.

- Que menino mais maldito. – Davi respondia.




Enquanto isso, Alice parecia comemorar a vitória do amigo.



- Isso ai! Mostrou pra eles, Kyle! Kyle e Nero, Nero e Kyle! Demais!

- Esse garoto tem futuro mesmo. – Russel dizia ainda espantado.




Jason não dizia nada. Ainda tentava acreditar se aquilo realmente havia acontecido. Um Growlithe ter derrotado uma Vaporeon num clima chuvoso? Considerando que Seth ainda parecia ser um treinador experiente, Kyle havia mostrado ser muito talentoso.


- Um ataque de fogo para anular o Escaldar, huh? – Logo Jason abria um sorriso. – Não esperava menos de você, Kyle.




Brenda ainda parecia chocada. Sabia que Kyle era um bom treinador, mas não sabia o quão avançado ele já estaria no quesito de batalhas. Ela olhava surpresa. Aquele Growlithe era incrível. Aquele Growlithe não era apenas o vira lata que invadiu a plantação de trigo deles alguns meses atrás. Ele era um dos Pokémons mais forte que ela já havia visto pessoalmente.

Seth retornava a Vaporeon, dando um leve beijo na Pokébola em que ela descansava. Ele se levantava e se aproximava de Kyle.



- Você é... Mais forte do que eu esperava. – Dizia, estendendo a sua mão.

- V-Valeu. – Kyle ficava sem graça. Ainda segurando o Growlithe em seu braço, ele usava a sua mão livre para cumprimentar Seth.



Antes que os dois amigos pudessem soltar as suas mãos, eles podiam perceber uma multidão de treinadores correndo na direção deles. Eles gritavam palavras como “Vamos batalhar!”, “Agora a minha vez!”, “Você irão descer!”.



- Merda. – Kyle observava a multidão de treinadores se aproximando. Eles provavelmente haviam escutado a batalha. Tirando que se eles perdessem, eles iriam ter que descer toda a montanha abaixo.

- Parece que estamos ferrados. – Seth comentava



Os treinadores pareciam estar ansiosos para batalhar e fazer os dois descerem a montanha abaixo. Só de zoa mesmo. Eles liberavam seus Pokémons antes mesmo de Kyle ter chance de responder. Os Pokémons eram bastante variados. Um Grimer, um Doduo, um Spearow e até um Voltorb que entrava em curto com a chuva e acabava explodindo.

Kyle e Seth engoliam secos. Assustados.



- Ei! Vocês iam começar a festa sem mim?! – Uma voz feminina chamava a atenção de todos. – Fábio, Vera, Big Mac!


Quando a garota dizia isso, um Machoke, uma Lickitung e um gigantesco Snorlax apareciam em cena, como se estivesse defendendo Seth e Kyle. Logo em seguida, a garota se revelava, entrando na frente de seus Pokémons.


- Olá, maninho. – Ela dizia, depois olhando para Kyle. – Oh, Kyle, olá! – Agora ficava corada.

- G-Gabrielle?! – Kyle a Seth se perguntavam, assustados.



~>x<~


Três dias depois.


Após a batalha entre Kyle e Seth, vários treinadores apareceram para desafiar o vencedor para uma batalha, onde o perdedor teria que descer a montanha abaixo, como de costume em “El Pico de las Batallas”. No entanto, Gabrielle apareceu e salvou o dia. Derrotando todos os treinadores facilmente, o grupo conseguiu subir a montanha até chegar a Pewter.


- Finalmente! – Alice dizia com brilho nos olhos. No alto da montanha, uma enorme cidade era iluminada pela luz do sol. Um grande arco dizia “Bem Vindo à Pewter”.


A garota saía correndo em direção da cidade, animada. Kyle, Brenda, Russel e Jason já estavam um pouco mais atrás. Não estavam tão ansiosos quanto a menina a ponto de sair correndo em direção da cidade.

Após todos entrarem na cidade, eles iam até o Centro Pokémon de Pewter, que não ficava muito longe. Os moradores de Pewter pareciam camponeses. Usavam roupas de tecido fino e folgado, e parece que no cenário sempre tinham crianças brincando com pedras ou algum jovem tocando uma flauta doce.

Os moradores em sua maioria tinham a pele um pouco parda e olhos puxados. Todos pareciam alegres e a cidade não parecia ter muita tecnologia.

Enquanto andavam, Brenda se assustava ao sentir uma pequena pedrinha a atingindo no ombro. Quando ela se virava, ela podia perceber que quem havia a atingido era um rapaz um pouco mais velho num grupo de jovens, que riam ao ver a reação dela.



- Ei! Isso não foi legal! – Brenda resmungava.

- Relaxe. – Jason logo intervia. – Aqui em Pewter é um costume os rapazes jogarem uma pedra em uma garota bonita. Se ela olhar de volta e sorrir é porque ela está interessada, caso o contrário, o rapaz é rejeitado.

- Oh! Eu não sabia! – Ela ficava corada, olhando para a reação triste do jovem rejeitado, que era caçoado pelos amigos.



Kyle olhava um pouco com ciúmes. Logo ele podia reparar uma garota belíssima com um corpo muito avantajado para a sua idade. Ele e Seth se entreolhavam ao mesmo tempo, mudando a visão para uma pedra perto deles. Então eles disputavam para ver quem a pegaria primeiro, sendo que Seth vencia.


- Tsc! Idiota. – Kyle suspirava. Mas ria ao ver a menina fugindo de Seth.

- Talvez ele tivesse mais sorte se a pedra fosse pequena, e não uma rocha de 20 quilos. – Camila brincava, fazendo todos rirem.



Gabrielle caminhava tranquilamente. Atrás dela havia uma estrada só de pedras, de tanto que ela chamava a atenção dos rapazes com sua beleza sobre-humana. Após alguns minutos de caminhada, eles finalmente chegam ao Centro Pokémon. Após curarem seus Pokémons, eles se reuniam do lado de fora.


- Bem. É isso. – Seth dizia. – Eu irei desafiar a líder Arianna e já partir. E vocês?

- Acho que iremos aproveitar um pouco a cidade, visitar o museu e depois que estiver descansado eu irei desafia-la. – Kyle respondia sorrindo. – Te encontro em Cerulean?

- Pode crer! – Seth respondia, dando um soquinho amigável na mão do rival. – Até mais, me desejem sorte!


Seth então saia com o seu grupo em direção do ginásio, que era no centro da cidade. Gabrielle, que estava sozinha, continuava com o grupo de Kyle.


- Vocês não se incomodam se eu ficar com vocês, né? – Ela dizia um pouco sem graça perto de Kyle.

- Você não tem uma Equipe? Cozinheiros, médicos, etc? – Brenda perguntava desconfiada.

- Nah. Tenho só um empresário. Ele banca os melhores restaurantes, os melhores médicos, tudo de melhor. – Ela respondia enquanto jogava seu cabelo para o lado.

- S-Saquei.



Gabrielle então segurava os dois braços de Kyle, o puxando para longe do grupo.


- Então demorou! – Ela dizia antes mesmo do rapaz responder a sua pergunta. – Vamos para o museu então! E depois comer espetinhos de carne, eu ouvi falar que os espetinhos de Pewter são ótimos! E depois podemos ver os melhores hotéis da cidade!


Kyle apenas olhava para trás, vendo a garota o puxando. Ele soltava um olhar do tipo, “Me ajude”, mas não podia esconder o sorriso em seu rosto de estar sendo puxado pela garota mais linda de Pallet.

Brenda e Alice olhavam com ciúmes. Jason ficava indiferente enquanto Russel ficava feliz pelo amigo.


- Desgraçado. – O Hitmonchan dizia sorrindo. – Mal chegamos à cidade e o moleque já se deu bem.

- Cale a boca. – Alice e Brenda diziam ao mesmo tempo, bravas.


Jason revirava seus olhos.


- Vamos dar uma volta. – O mecânico dizia. – Ouvir falar muito bem do SPA daqui de Pewter. Depois mandamos uma mensagem para Kyle.

- BEM! Eu irei para o museu. Sempre foi meu sonho ir para lá. – Brenda respondia.

- Eu vou contigo. – Russel comentava, indo com a médica.

- Então... Eu vou ao SPA com você né. – Alice dizia, sem muita opção.




O sol aos poucos se punha, e a noite caía sobre a cidade no topo da montanha.




~>x<~


Spoiler:
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : The king can do as he likes!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Okamura em Ter 4 Nov 2014 - 22:05

Olá rush acabo de ver toda sua fan fic muito boa.

Pelo que eu vi nesse episodio o Kyle é cômico.

Agora eu quero falar cara você faz tudo ficar realista tanto como em batalhas tanto como esta o clima da cidade enfim,continue com esse ótimo trabalho que eu estou vendo,esse Português IMPECÁVEL.

Hattori deveria ganhar o Oscar da Apelosidade do ano caramba com uma esfera das sombras detonadar um nidorino, Kyle sortudo esse em?

Esse Tatsuo morro de rir com ele

Louco para ver a batalha do ginásio de Pewter City
avatar
Okamura
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/11/2014

Frase pessoal : "Nunca Desista"


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Black~ em Qui 6 Nov 2014 - 14:21

Bom, vamos lá

Eu já tinha lido o capítulo faz tempo, mas acabei esquecendo de comentar, mas enfim. Bem, o capítulo foi bacana, com todos esses acontecimentos, o final da luta entre o Seth e o Kyle e tudo mais, enfim. Foi bem bacaninha.

Realmente o Kyle tá ficando cada dia mais fodinha, teve várias estratégias fudidas pra vencer a luta, não somente o "soco, soco, bate, bate" e isso é interessante, já que ele era um belo dum bosta no começo. E, além disso, ele tem várias novinhas apaixonadas por ele.

Pelo menos tu tomastes vergonha na cara e adiantou a chegada a Pewter, pois do jeito que ia era capaz deles chegarem em Pewter só em 2017, aí até lutarem no ginásio seriam mais 2 anos, mas finalmente eles chegaram.

Agora uma trama se desenvolverá mostrando a briga pelo coração de Kyle. Gabriela, Alice ou Brenda? Qual das três conquistará o coração do jovem? Sexta, no Globo Repórter. Mas aposto que se ele ainda fosse um bostinha de Pallet ninguém ia querer namorar com ele, vai entender.

Erros devo ter visto um ou outro, mas nada de mais.

É só e boa sorte com a fic.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por DarkZoroark em Qui 6 Nov 2014 - 15:03

Rush o/
Primeiramente peço desculpas por não ter dado meu parecer sobre o capítulo anterior. O problema creio que tenha sido um equívoco meu mesmo, pois jurava que havia comentado e fui ver só agora que não. Enfim, dessa vez vamos ver se funciona. Já havia lido o capítulo anteriormente, mas em decorrência de provas durante a última semana... Bem, acho que isso por si só já explica tudo. Então, sem mais delongas, vamos ao review:
Gostei bastante do desfecho da batalha entre o Kyle e o Seth. A estratégia que o segundo usou e a versatilidade do Moveset do Vaporeon - aliás, acho que é um Pokémon sumido demais em Fanfics dada a sua versatilidade - foi realmente interessante e, devo admitir, traumática no meu caso - tenho um amigo que usa um bem parecido no 3DS. O Tatsuo ficando p*** da vida quando o chapéu do Kyle foi congelado foi um ponto bem legal de comédia. Mostrou que, apesar de todas as diferenças entre os dois, eles tem lá suas similaridades.
Outro ponto que achei bastante interessante foi o uso de um fenômeno físico para explicar a vitória do Nero. A completa ebulição de um Scald, ainda mais durante a chuva, foi uma inovação que eu curti bastante. A reação da Equipe do caipira de Pallet também não deixou de ser cômica. A aparição inusitada da Gabrielle e sua equipe de Pokémons incomuns - sério, boa parte deles eu não vejo nem menção em outras Fanfics - foi um ponto bem interessante, surpreendente também. Vou ficar no aguardo para ver o que a adição - temporária ao menos - que um novo membro no grupo do Kyle ira causar.
Erros não encontrei nenhum e, como de costume, sua escrita continua impecável. Vou ficar no aguardo do seu próximo capítulo.
ninja
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As crônicas de um Gyarados Voador - Kyle.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum