Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

pokémon - diários de johto

Ir em baixo

pokémon - diários de johto

Mensagem por monkey d. luan em Sex 12 Out 2012 - 23:08

Pokémon – diários de johto

Minha aventura começa em johto em uma cidade sem nome no meio do mato, porem bem próxima da cidade de New Bark Town que é aonde 3 treinadores sortudos podem pegar seus primeiros Pokémon do prof° Elm. Como eles não deixam as crianças da minha cidade pegarem Pokémon também, meu pai se auto intitulou prof. Luiz e montou um mini laboratório na nossa garagem e chamou eu(Eric) , meu primo Alan e deixou um anuncio no jornal para mais uma criança vir pegar o terceiro Pokémon. Chegando lá no laboratório (minha garagem) eu vi o Alan sentado em uma cadeira entediado, porem quando me viu ele rapidamente levantou e começou a gritar:

- você está quarenta minutos atrasado, pode explicar isso senhor Eric?

- claro que posso, você está trinta e oito minutos adiantado e eu estou 2 minutos atrasado.

- viu você confessou que está atrasado.

- ai meu deus, daí-me paciência.

Meu pai se aproximou e acabou com a discussão dizendo simples 6 palavras:

- vocês querem os pokémons ou não?

Alan imediatamente se virou para me pai com um sorriso enorme e disse:

- sim, senhor.

Eu confiante e ignorando Alan disse:

- com certeza

- ok, eu vou deixar o Eric escolher primeiro porque...

Meu pai foi interrompido pelo Alan:

- O QUE? ELE VAI PEGAR PRIMEIRO QUE EU? COMO ISSO É POSSIVEL?

Antes que ele continuasse gritando eu o puxei pelo cabelo e joguei no chão.

- pronto pai pode continuar.

- obrigado filho, pode escolher seu Pokémon entre um dos tipos voador, elétrico ou de pedra. Qual você vai querer?

- quero me preparar para o segundo ginásio então vou pegar o voador.

- mas se você pegar o elétrico você vai ser forte contra o primeiro e o segundo ginásio. Disse Alan se levantando do chão coçando a cabeça que evidentemente estava doendo.

- eu sei disso, mas eu não gosto de elétricos, agora se você não tiver mais perguntas eu vou embora.

Logo que eu disse isso peguei a pokébola do Pokémon voador junto com mais cinco pokébolas e uma pokedex e saí Dalí com pressa.

- qual é o problema dele com pokémons elétricos?

- você sabe que a mãe dele, minha esposa foi assassinada certo?

- sim, mas e daí?

- bom encontraram o corpo dela eletrocutado.

- ah, sinto muito.

- não sinta, já faz quatro anos, eu já superei, mas acho que Eric não, pois isso aconteceu quando ele tinha apenas seis anos.

- eu tinha sete e também foi duro para mim perder a minha tia mas eu já superei, ele deveria superar...

- vamos parar de falar dos mortos, vamos me diga que Pokémon você quer?

- o de pedra.

........................................................................................................................................................................

Corri o Maximo que pude para sair daquela cidade e poder começar minha aventura logo, mas antes de sair eu passei em casa para pegar o ovo Pokémon que meu pai me dera no meu aniversario de 10 anos a uns dois meses atrás.

Quando parei de correr vi que estava na saída de New Bark Town, então resolvi caminhar normalmente até um centro Pokémon que eu estava vendo no horizonte.

Quando cheguei lá me sentei à mesa mais próxima da porta e pedi para enfermeira joy trazer ramen para mim, assim que terminei de comer fui para fora e tirei minha pokébola do cinto.

- vamos ver que Pokémon é você.

Assim que eu disse aquilo uma luz vermelha saiu da pokébola e foi em direção ao chão e formou um pequeno Murkrow que logo voou até o meu ombro e me acariciou com o bico. Fiquei mais ou menos uns 50 minutos ali treinando com ele e descobri que ele conhecia dois ataques o Peck e o Astonish.

Vindo em minha direção tinha uma garota bonita, ruiva de olhos castanhos com a tatuagem de um dragão na perna esquerda do calcanhar até a coxa. Estava vestida com uma bermuda jeans bem curta na altura da coxa, uma camiseta sem mangas cinza com vários desenhos, um cachecol e um gorro. Pela altura ela deveria ter no Maximo 11 anos, mas tinha feições de uma garota de 15 anos.

- olá, meu nome é Lucy e eu sou uma treinadora especializada em voadores ou qualquer tipo de Pokémon desde que ele tenha asas, e não pude deixar de notar que você tem um Murkrow e gostaria de te desafiar para uma batalha, você aceita?

- claro minha primeira batalha vai ser agora deixa eu me preparar mentalmente. Umo buga feiji tal.

- só uma pergunta, você esta me amaldiçoando?

- não, eu acho...

- ok esqueça isso, vamos começar garoto. Logo que disse isso ela estendeu o braço segurando uma pokébola e dela saiu um pidgeotto bem feroz.

- nossa pensei que os pidgeottos fossem pokémons calmos.

- eu treinei o meu para ser assim.

- ok então, vamos começar, Murkrow use o Peck.

O bico do Murkrow começou a brilhar e ele avançou com tudo para cima do pidgeotto que sem precisar receber nenhuma ordem voou para o céu velozmente e desviando do ataque de Murkrow que pareceu bem fútil.

- você é realmente um iniciante, Pidgeotto use o quick attack.

Logo que Lucy disse isso alguma coisa brilhante desceu muito rápido do céu e acertou Murkrow pelas costas e o mesmo deu um grito tão alto que dava para perceber que a dor devia ter sido excruciante. Logo depois percebi que aquela coisa brilhante que caiu do céu era o próprio Pidgeotto.

- que ataque incrível.

Eu disse isso maravilhado com aquele ataque do pidgeotto e nem percebi que Murkrow estava caído no chão sem conseguir se mexer direito apenas estava rastejando em minha direção.

- você deveria prestar atenção no seu Pokémon Eric, pidgeotto use Whirlwind.

Eu nem pude reagir só assistir enquanto pidgeotto batia as asas e criava um pequeno redemoinho que foi em direção ao Murkrow e o arremessou contra a parede com tanta força que alem de destruir a parede o fez desmaiar.

- droga, eu devia ter prestado atenção, me desculpe Murkrow.

Depois de ter levado Murkrow ao centro Pokémon e telo curado eu me despedi de Lucy.

- foi bom lutar contra você Eric.

- idem.

- bom acho que eu vou para Violet city falar com o meu irmão.

- eu vou para lá depois de amanhã pretendo desafiar o primeiro ginásio.

- que ótimo aposto que vai se surpreender quando chegar lá. Adeus Eric.

- adeus Lucy.

Dizendo esse simples adeus eu fui para o centro Pokémon para dormir porque o amanha me esperava cheio de aventuras.




Pronto esse foi o primeiro capitulo da minha fanfic que pretendo continuar até o fim. O primeiro capitulo foi pequeno e um pouco carente de estória mas a partir do segundo vai melhorar principalmente porque eu não gostei da idéia de escrever em primeira pessoa então o segundo vai ser em terceira pessoa como a maioria das fanfics e eu vou melhorar varia coisas.

como eu esqueci de escrever(foi mal não vai acontecer de novo) aqui está a descrição do:

Eric
Spoiler:
ele tem o cabelo negro comprido(mais ou menos, ele tapa a testa dele igual ao meu) e os olhos castanhos escuros, junto com algumas poucas sardas no rosto.usa uma camiseta da sua banda favorita "the beatles and the bedrills" uma calça jeans preta, all stars jeans rasgados, óculos, e um cordão com uma foto da mãe.

Alan
Spoiler:
ele é loiro de olhos verdes e está sempre vestido com uma camiseta com a foto de todos os iniciais de fogo de todas as regiões, uma bermuda jeans, tenis de corrida da marca vespiqueen e um anel em todos os dedos de uma das mãos cada um representando um inicial de fogo.

Só tenho mais uma pergunta, de quantos em quantos dias eu posso postar um capitulo novo?


Última edição por monkey d. luan em Ter 16 Out 2012 - 20:12, editado 4 vez(es)
avatar
monkey d. luan
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 12/10/2012

Frase pessoal : You're not special


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Pokaabu em Sex 12 Out 2012 - 23:20

Umo buga feiji tal, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, realmente muitoooo bommm, por favor não pare de escrever em primeira pessoa.

e essa parte:

Meu pai foi interrompido pelo Alan:

- O QUE? ELE VAI PEGAR PRIMEIRO QUE EU? COMO ISSO É POSSIVEL?

Antes que ele continuasse gritando eu o puxei pelo cabelo e joguei no chão.

shauhsauhsua, muito hilário, espero que a fic continue engraçado e daí se ta cliche? Boa sorte, to acompanhando.
avatar
Pokaabu
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 02/07/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Pikachuzinha em Sex 12 Out 2012 - 23:37

Primeiramente, venho dizer que a sua falta de atenção, ou simplesmente falta de seriedade está visível logo no título da fic. Está com letra minúscula! Presta um pouco mais de atenção né, buddy ^^'. Vou citar alguns exemplos de erros:

johto

deus

pidgeotto

Tudo que deveria estar escrito em letra maiúscula, você fez justo ao contrário .-.'. Outro exemplo matador:

Minha aventura começa em johto em uma cidade sem nome no meio do mato, porem bem próxima da cidade de New Bark Town que é aonde 3 treinadores sortudos podem pegar seus primeiros Pokémon do prof° Elm.

Parece um árbitro de futebol falando, pô! Cadê as senhoras vírgulas, mocinho? Preste atenção no que seria o certo:

Minha aventura começa em Johto, em uma cidade sem nome no meio do mato. Porém, bem próxima da cidade de New Bark. Nela, 3 treinadores sortudos podem pegar seus primeiros pokémon do prof° Elm.

Agora, um dos principais erros:

- você está quarenta minutos atrasado, pode explicar isso senhor Eric?

Nunca se começa uma frase com letra minúscula! Preste atenção nisso. Sua fanfic praticamente não possui nem narração e nem descrição, dois elementos essenciais. Procure explicar como é o lugar, o que os personagens estão sentindo... Sua fanfic não está ruim, mas pode melhorar bastante. Espero que não se sinta triste ao receber críticas. Vejo você por aí...
avatar
Pikachuzinha
Membro
Membro

Feminino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/07/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Leon Rinaldi em Sab 13 Out 2012 - 10:02

Cara, sua fan-fic está muito hilária!!!
Mas como eu e TODOS, erramos em alguma coisinha, uma que eu percebi foi no primeiro parágrafo
[...] montou um mini laboratório na nossa garagem e chamou EU(Eric) , meu primo Alan[...]

Seria melhor assim:
[...] montou um mini laboratório na nossa garagem, me chamou (Eric), meu primo Alan [...]

Mas de resto está bem legal, continue assim!

P.S: Você pode postar a cada 24h... (Pelo menos me passaram assim)
avatar
Leon Rinaldi
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 07/10/2012

Frase pessoal : Quem nasceu para ser personagem secundário, nunca


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Ari Tasarov em Sab 13 Out 2012 - 20:43

Bem, primeiramente bem vindo ao fórum! ^^ Mas agora vamos falar de sua fic, que não me agradou muito. Tiveram vários errinhos que atrapalharam bastante a leitura, como já citado. Veja:

Frases começam com letra maiúscula: Em muitos casos tu não tá iniciando as frases com letra maiúscula, coisa que é um erro feio, honey. Saca só:

- viu você confessou que está atrasado.

- ai meu deus, daí-me paciência.

Isso aconteceu praticamente em quase todos os diálogos presentes aí. REVISE melhor o teu texto, uma dica que eu sempre dou é que uses o Word, ele corrige alguns errinhos e ajuda muito no tamanho do episódio.

Fatos acontecem rápido/sem explicação: Pois é... =/ Foi uma das coisas que mais me atrapalhou aí, o carinha pega o pokémon e já sai e do nada tá na cidade? .-. Assim, falta uma explicação aí no meio! Algo que consiga juntar as coisas, entendeu? Pois bem, aqui vai um exemplo:

Peguei meu primeiro pokémon, tal era um Raichu muito lindo. Arrumei minhas coisas e fui pra jornada. Enfrentei alguns Pidgeys e vi a Equipe Rocket, fugi deles e fui pro ginásio.

É mais ou menos isso que tás fazendo, rapaz! @.@ Tudo é extremamente RÁPIDO, SEM EXPLICAÇÃO OU SEM QUALQUER EMOÇÃO. Sim, outro conselho é que tentes colocar mais ''ânimo'' na fic, pois a pouca narração presente ficou meia 'seca'.

Personagens robóticos: Os protagonistas da fic não apresentam carisma algum. Ou seja, parecem robôs. Se algum deles morresse eu ficaria tipo nem aí, pois não tem nada que faça o leitor gostar dos personagens, eles são vazios. Tente desenvolver alguns traços de personalidade pra eles, algo que faça os leitores se importar com os mesmos. Well, é trabalhoso, mas quando bem feito tem ótimos resultados!

História clichê: A história em si também não apresenta nada de novo/diferente. É o mesmo negócio do carinha que pega o primeiro pokémon e vai pra jornada e blá blá blá. Minha dica é que faças algo mais diferente, não vou falar disso agora pois tu pode dar o rumo que queres pra tua fic.

Falta de narração/descrição: Tenta descrever melhor as cenas! Detalhe o máximo que podes os cenários, imagine como é o local onde eles estão e afins, procure também descrever a emoção dos personagens. Sobre sua narração, falta muita coisa aí que podia ser acrescentada.

Faltaram alguns acentos, como na palavra 'amanhã' logo no finalzinho do seu episódio. Também percebi a ausência de algumas vírgulas, o que tornou o texto muito rápido e sem as pausas necessárias pra tornar a leitura mais agradável.

Minha dica é que revises melhor o teu texto, prestes mais atenção e se necessário reescreva quatas vezes for preciso. Não se chateie com as críticas, elas que ajudam a melhorar... E tens bastante potencial pra isso! (=

See you around.
avatar
Ari Tasarov
Membro
Membro

Feminino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/03/2012

Frase pessoal : paradise


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por monkey d. luan em Dom 14 Out 2012 - 13:19

Pokaabu
Spoiler:
valeu cara. Seu comentário me deixou muito feliz comecei a escrever o segundo capitulo tentando deixar ele mais engraçado.

Pikachuziinhahsz
Spoiler:
valeu pela critica é sempre bom receber uma ou duas (não que eu goste, claro) você me ajudou a melhorar, mas, só vão começar a aparecer às mudanças de verdade a partir do capitulo III por que eu fiz o segundo meio que na pressa.

Leon Rinaldi
Spoiler:
obrigado cara, eu li a sua fanfic e gostei dela principalmente porque eu adoro piratas, continue com ela se der, porque eu acho que foi trancada.

Capitulo II – Treinamento intensivo

Logo que eu acordei, me arrumei e corri em direção à floresta, era um local bem calmo com varias arvores e um mato muito alto, mais alto até mesmo que eu (não que eu seja alto, 1,56 cm). Logo que cheguei lá eu tirei o Murkrow da pokébola e me preparei para lutar.

- Murkrow, nós vamos lutar contra vários Pokémons ok?

Murkrow deu um grito e concordou com um gesto de cabeça, feliz com isso eu o retribui com um sorriso. Sem que percebêssemos um Pokémon estranho parecido com um castor nos atacou por trás me arranhando nas costas, caí no chão e urrei de dor, mas antes que eu pudesse fazer qualquer coisa Murkrow avançou contra o Pokémon e usou o Peck arremessando o Pokémon selvagem contra uma arvore causando muito dano. Com dificuldade eu me levantei e acariciei a cabeça de Murkrow.
- Valeu Murkrow, você me salvou. Bom, vamos ver que Pokémon é aquele.

Logo que eu disse isso peguei a pokedex da bolsa e mirei no Pokémon caído perto da arvore:

“Sentret é um Pokémon muito cauteloso, ele fica em pé em cima da própria calda para poder ver as proximidades”.

Na tela da pokedex apareceu um pequeno Pokémon marrom, com orelhas compridas, um circulo na barriga e uma calda listrada do mesmo tamanho do Pokémon.

Quando acabei de olhar a pokedex percebi que o Sentret tinha sumido, então disse para o Murkrow ficar atento porem antes de eu acabar de falar o Sentret caiu em cima de nós usando o Scratch e acertando em cheio as costas do Murkrow.

- Murkrow levante-se e use o Astonish.

Eu não sabia o que aquele ataque fazia, mas era o único ataque do Murkrow alem do Peck. Ele se levantou, se virou para o Sentret e de repente seu rosto ficou totalmente negro, ele pós a língua para fora e gritou muito alto machucando as orelhas do Sentret e fazendo-o ficar tonto e correr até bater a cara em uma arvore e desmaiar.

- Que idiota, ele desmaiou.

Depois de algum tempo caminhando e batalhando com vários Sentret que apareceram no caminho, eu estava cansado e faminto então resolvi me sentar perto de uma pedra que estava perto de uma caverna e comer, porem antes que eu pudesse me sentar ouvi um choro vindo do outro lado da pedra então fui lá investigar, com o Murkrow no meu ombro como sempre. Logo que cheguei do outro lado vi um menino de no Maximo 6 anos de idade chorando.ele tinha os cabelos loiros bem curtos e olhos azuis. Estava com um macacão verde em forma de creeper(Minecraft) que cobria o corpo todo.

- Porque você está chorando pequeno e fofo menininho?

- Porque dentro desta caverna tem um Pokémon muito legal que eu queria, mas eu tenho medo de entrar lá sozinho, sninf sninf.(isso é onomatopeia para choro, ok? )

- Olha só, eu entro lá e capturo para você ok? Mas só porque você é muito cuti-cuti.

Fui correndo lá para dentro da caverna para ver como era o Pokémon, mas, estava tudo escuro e só dava para ouvir um barulho distante de água pingando. Resolvi pegar a lanterna e ligar para ver como era o lugar, mas esse foi o meu primeiro de muitos erros, pois a única coisa que pude ver foi um Pokémon bem grande de quatro patas listradas, duas coisas nas costas semelhantes a asas e um corpo vermelho e preto com mandíbulas que pareciam perigosas. Meu segundo erro foi gritar porque o Ariados estava dormindo.

- Ai meu Deus isso é uma aranha... QUEIME COM FOGO.

Logo que gritei isso o Ariados se levantou irritado e eu acho que eu ter acendido um fósforo e jogado no rosto dele não ajudou a ele se acalmar, então corri pela minha vida puxando o Murkrow pelo bico e logo que passei pela entrada da caverna eu pude ouvir o garotinho falando:

- Ei moço você não vai capturar o Pokémon fofinho para mim?

Sem parar de correr nem por um segundo eu disse:

- FOFINHO? Aquilo era a P**** de uma ARANHA.

Corri muito mais rápido depois de dizer aquilo e então me escondi atrás de uma arvore e fiquei observando o que o garoto ia fazer. Logo que o Ariados saiu de dentro da caverna o garotinho deu um sorriso e foi abraçar o Pokémon que não gostou da ideia e jogou um tipo de teia que enrolou o garoto da cabeça aos pés e depois o arrastou para dentro da caverna com a cara de que estava faminto.

- Eu não vi nada que aconteceu aqui, certo Murkrow?

Murkrow concordou comigo e então fomos embora dali tranquilamente.

.............................................................................................................................................
Dava para ver que depois de um morro estava à cidade Violet, aonde eu iria desafiar o líder de ginásio, mas logo na minha frente tinha um grupo de dez pessoas todos eles eram homens e com a mesma roupa preta com um C roxo no meio do peito.

Aproximei-me deles para ver o que eles estavam fazendo.

- Ei caras o que esse C significa?

- Hã? Um intruso na nossa base peguem ele.

- Ei vovô nos estamos ao ar livre e o garoto está do seu lado isso que você está socando é uma arvore.

Logo que o cara disse isso para o velho eu senti uma vergonha alheia e pus a mão no rosto.

O velhote se virou para mim e disse bem devagar.

- Você tentou me enganar? Pois saiba que eu fui o melhor treinador do mundo na década de 1930. Hahaha agora você esta com medo certo?

- Não, eu só acho que você deveria estar em um museu porque perto de você um ancião é um bebê. E a década de 1930 foi há 82 anos.

- Como você ousa me chamar de velho eu estou na flor da juventude.

- Rapaz essa flor deve tá podre.

- Já chega pare de insultar nosso avô, vamos lutar.

- Sério? Oba deixa só eu me concentrar, umo buga feiji tal.

- Aaahhh corram ele vai usar magia negra.

Todos eles começaram a correr menos a múmia em corpo de gente que pulou nas costas de um dos netos.

- Droga, acho melhor eu parar de falar isso.

Depois desses eventos no mínimo estranhos eu fui em direção a cidade Violet para desafiar Falkner o líder do ginásio.

Bom, esse capitulo não está muito melhor comparado ao primeiro, mas eu já corrigi o meu erro de não por letra maiúscula. O Eric ainda está criando personalidade, mas já da para ver que ele é mal-educado e só se preocupa consigo mesmo e com os seus Pokémons. Eu prometo que o terceiro capitulo vai ser bem melhor do que esse, obrigado pelos comentários eles ajudaram muito.

avatar
monkey d. luan
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 12/10/2012

Frase pessoal : You're not special


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Pikachuzinha em Dom 14 Out 2012 - 14:03

Parabéns! Sua melhora está notável! A descrição melhorou bem e a narração está ficando boa.

era um local bem calmo com varias arvores e um mato muito alto

Faltou acento em "várias" e "árvores".

Na tela da pokedex apareceu um pequeno Pokémon marrom, com orelhas compridas, um circulo na barriga e uma calda listrada do mesmo tamanho do Pokémon.

Repetição de palavras. Tente usar o dicionário de sinônimos do Word, é muito bom.

PS: Pokémon, pokébola, pokédex... Tem acento =)
PS²: O capítulo ainda está meio pequeno, acrescente mais umas páginas de Word aí. ^^
PS³: Cuidado com a troca de vírgula por ponto e vice-versa.

Continue assim, você está melhorando.
avatar
Pikachuzinha
Membro
Membro

Feminino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 21/07/2012


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Ari Tasarov em Dom 14 Out 2012 - 16:57

Well, como disse a Pikachuziinhahsz sua melhora está bem notável, parabéns! ^^ Tanto a sua narração como descrição melhoraram bastante, e isso foi muito bom. Viu como tens potencial pra evoluir cada vez mais? Pois bem, ainda dá pra evoluir, e muito, mas esse foi um longo passo. E percebi também que começaste a iniciar as frases com lera maiúscula. Porém, algumas coisas ainda estão em falta. Te aconselho a detalhar MAIS um pouquinho, ainda faltam algumas coisas na parte descritiva, alguns detalhes bem importantes não estiverem presentes ou foram explicados novamente de maneira muito rápida/confusa. Isso mesmo, estás insistindo no mesmo erro: rapidez de tudo. Ás vezes enrolar um pouquinho não faz nada, sabia? :3 Deixe os fatos mais explicados, dá um melhor entendimento pro leitor.

Vi algumas faltas de acentuação, como na palavra "árvore". Tente dar uma revisada no seu texto, e preste atenção nesses pequenos erros que passam despercebidos até pro leitor. Como já foi dito, evite repetir as palavras, tás fazendo exatamente isso:

Eu vi um pokémon, ele era muito lindo. Amo aquele pokémon, minha espécie favorita de pokémon.

Viu como eu repeti três vezes a palavra 'pokémon'? O que deu pra perceber? Sim, o texto se torna até meio cansativo. Procure por um dicionário de sinônimos no google, ajuda muito além de expandir bastante o teu vocabulário. E novamente repetindo o já citado, aumente o tamanho de seus episódios, além que devias destacar o título do mesmo, colocando uma cor ou até centralizando. Bem, é isso... Porém gostei muito da tua melhora! ^^ Minha dica agora é que tomes cuidado com as vírgulas (que estão em falta) e deixes os fatos mais lentos e melhor explicados.

See you around.
avatar
Ari Tasarov
Membro
Membro

Feminino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/03/2012

Frase pessoal : paradise


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por monkey d. luan em Seg 15 Out 2012 - 13:21

Capitulo III – novo companheiro, encontro com o Dumbledore e desafio de ginásio


Eu estava sentado no meio da estrada a uns 200 metros de distancia da entrada da cidade Violet, estava almoçando, porque quando eu fui almoçar a umas 2 horas atrás fui interrompido por um Ariados.
Enquanto eu estava comendo eu ouvi um tipo de zunido, mas eu ignorei diferentemente de Murkrow que pulou na minha cabeça e abriu as asas e começou a grasnar para afastar algum Pokémon selvagem. Eu pessoalmente não entendi na hora porque não estava vendo nenhum Pokémon selvagem, mas alguns segundos depois o dono do zunido apareceu, ele era como uma joaninha de um metro de altura só que tinha seis patas com luvas em todas. Peguei a pokedex e analisei-o:

“Ledyba é semelhante ao uma joaninha, com cinco pontos pretos em suas costas. Ledyba também tem duas antenas negras e seis pernas com mãos que são similares a luvas de boxe”.

Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa o Ledyba avançou em nossa direção usando o Tackle por sorte (ou não) o Murkrow prendeu as garras em minha cabeça e começou a me arrastar para longe, mesmo com meus gritos de dor e protesto. O grande inseto era muito rápido e como o meu Pokémon estava me arrastando a nossa velocidade era quase zero, só que para a minha tristeza e dor o Ledyba aumentou a velocidade e acertou em cheio o meu pê***.

- Ledyba eu juro que vou arrancar a sua cabeça e usa-la como troféu.

Disse isso com a mão entre as pernas tentando fazer a dor ir embora.

- Murkrow acabe com ele.

Logo que eu disse isso o Murkrow abriu as asas e delas saíram varias ondas de energia negra que acertaram o Ledyba em cheio o arremessando contra uma pedra enorme e destruindo a mesma.

- Incrível Murkrow você aprendeu o Pursuit.

Murkrow fez um gesto afirmativo com a cabeça, mas antes que pudesse se concentrar na batalha novamente, o Ledyba apareceu por trás dele e o acertou com vários socos fazendo com que o Murkrow caísse no chão causando bastante dano.
Antes que eu pudesse dizer ou fazer qualquer coisa o inimigo se preparou para dar o golpe final em Murkrow, mas eu não podia deixar aquilo acontecer então eu peguei uma pedra e joguei bem no estomago do Ledyba.

- Ei seu idiota, saia de perto do meu amigo.

Ledyba olhou para mim com um olhar assassino e avançou contra mim com uma fúria inimaginável e a única coisa que eu pude fazer foi gaguejar.

- Q- qu- quer dizer, POR FAVOR, NÃO ME MACHUQUE.

Comecei a chorar como uma menina e pus os braços na frente do rosto para eu não me machucar, mas pude ver de relance o Murkrow usando o Peck no Ledyba pela esquerda fazendo com que o mesmo caísse no chão com muita força por causa da velocidade em que estava e desmaiar.

- Obrigado Murkrow.

Acariciei a cabeça de Murkrow com uma mão e com a outra eu joguei uma pokébola em Ledyba que foi capturado.

.............................................................................................................................................
Depois que sai do centro Pokémon eu me sentei em um banco da praça e observei a cidade que era bem bonita por sinal, com várias árvores e pessoas, dava para ver ao longe uma torre bem alta e também uma escola de batalha a uns 40 metros de distancia. Mas nada disso importava agora, apenas o ginásio que estava a minha frente.

Dei um passo e estendi a mão em direção a maçaneta e girei com toda a minha força mas ela não queria abrir, só então que eu vi escrito na porta “ estamos fechados para horário de almoço ”.

- COMO ASSIM ESTÁ FECHADO? EU VIM LÁ DA MINHA CIDADE DO FIM DO MUNDO, PERDI PARA UMA TREINADORA DE PASSAROS, QUASE FUI MORTO POR UM ARIADOS, FUI CHAMADO DE BRUXO POR UMA MUMIA E MAIS NOVE BABACAS, HÁ ALGUNS MINUTOS ATRAS FUI ATACADO POR UM LEDYBA E TEM GRANDES CHANCES DE EU TER PERDIDO UM TESTICULO.

Gritei e esperneei, chutando a porta e as arvores. Até que um policial chegou e me mandou parar.

- Ei garoto pare agora, as pessoas na rua estão com medo de você.

- VAI SE DANAR SEU GRANDE MONTE DE MER...

Ai ele atirou em mim com uma arma de choque.

.............................................................................................................................................

Eu acordei com uma tremenda dor de cabeça e quando fui massagea-la e não consegui percebi onde eu estava e que estava algemado. A cela era escura com apenas uma VELA acesa, um vaso sanitário todo marrom e eu tinha certeza que aquele marrom não era tinta. Estava com frio e com dor e a cama estava sem colchão.

Assim que eu vi o guarda passando eu disse:

- Ei policial você não pode me prender eu sou menor de idade.

- Cale a boca garoto, você me desrespeitou então você vai ficar preso ai por mais 13 horas.

- Você vai ver quem vai ficar preso aqui quando eu sair.

- Parabéns você acabou de ganhar um bônus, agora você vai ficar ai por 37 horas.

- Aaaaahhh não acredito.

- Fica quieto, ou você quer ganhar mais 24 horas?

- Não eu não quero.

- Pronto ganhou mais 24 horas.

- O que?

- Mais 24 horas, você vai ficar ai por 81 horas, você por acaso quer mais.

Deitei no chão de costas para o guarda sem emitir nenhum som, porque eu estava com medo de ficar ali por mais tempo.

.............................................................................................................................................

Assim que sai daquela maldita cadeia eu percebi que estava gripado.

- Droga de policial chato.

- Eu ouvi isso você quer mais 24 horas.

Ele gritou lá de dentro e no mesmo instante que ouvi a voz dele eu corri o mais rápido que pude, até que quando parei vi que estava na frente da torre brotinho. Caminhei lá para dentro muito animado porque eu li no cartaz que eu podia batalhar lá dentro.

Depois de quatro andares de batalhas fulminantes eu finalmente cheguei ao ultimo andar aonde tinha um senhor com uma barba que tocava o chão.

- Dumbledore é você?

- Cale-se garoto, você veio aqui para lutar ou brincar?

- Me desculpe vovô.

- EU NÃO SOU VELHO, só tenho 117 anos estou praticamente na adolescência.

- Ok, não vou te impedir de sonhar.

Eu disse aquilo tentando disfarçar um sorriso sapeca. O velho me ignorou e lançou da sua pokébola um Weepinbell de expressão ameaçadora. Fiquei um pouco perturbado pelo formato do Pokémon, mas, ainda sim tinha confiança de que eu ia sair triunfante no final.

- Vamos lá Murkrow use o Pursuit.

Logo que eu disse o Murkrow abriu as asas e ondas negras saíram de lá em direção ao Weepinbell do velho da torre, mas tudo o que ele fez foi sentar no chão e dar dois socos bem fracos no chão.
No mesmo instante o Weepinbell soltou vinhas das suas folhas, às mesmas agarraram um tronco no teto puxando ele para cima e o fazendo desviar do ataque do Murkrow.

Logo depois daquilo o velho bateu no chão seis vezes e continuou batendo. O Weepinbell soltou varias vinhas que acertaram o Murkrow machucando-o, mas não pareceu causar um dano tão grande.

- Velhote, eu o Murkrow e o Ledyba subimos quatro andares com uns cinco adversários por andar, não pense que somos fracos porque isso é um insulto dos grandes.

Assim que eu disse aquilo o Murkrow rapidamente se soltou das vinhas e avançou para cima dele com o Peck acertando em cheio.

- Isso ai Murkrow, continue assim.

Sem que o Weepinbell tivesse tempo de reagir o Murkrow usou o Pursuit arremessando ele longe.

- Não vou perder para um pirralho como você. Vamos Weepinbell reaja.

- Velho o Weepinbell é do tipo grama aquele Peck de alguns segundos atrás causou mais dano do que você imagina.

- Droga.

- Acabe com ele Murkrow.

Logo que eu disse isso o Murkrow avançou velozmente em direção ao Weepinbell debilitado e o derrotou com um Peck certeiro no meio da fuça.

- Não acredito que você é a segunda criança que me derrota essa semana.

- Segunda?

- Sim, o primeiro foi um garoto loiro com um Sneasel.

O único pensamento na minha cabeça naquele momento era se o Alan estava ali, naquela cidade, e se estava porque eu ainda não tinha ido lá bater nele. Essa era uma duvida cruel.

- Ei garoto toma o seu premio, o TM 31 Brick break.

- O que é isso?

O velho da torre brotinho estava com uma pequena semente com o numero 31 gravado nela.

- Isso é um TM, tem um golpe aqui que você ensina para o seu Pokémon, mas não são todos os Pokémons que podem aprender, por exemplo, se você chegar o TM perto de um Pokémon que não pode aprender aquele golpe ele te dá um leve choque.

- Mas eu não quero levar um choque.

- Não se preocupe o choque é bem leve nem da para sentir.

-Ok então, adeus.

- Adeus, meu jovem.

- Quase me esqueci de dizer, no ano que vem eu acho bom a minha carta de hogwarts chegar, ok?

Corri o mais rápido que pude enquanto o velhote praguejava maldições e atirava pedras em mim.

Assim que eu saí lá de dentro da torre fui para o centro Pokémon e logo depois para o ginásio, chegando lá eu vi um garoto loiro e no mesmo instante que tive certeza de quem ele era eu avancei em sua direção e dei um soco em sua nuca fazendo com que ele desabasse no chão com lagrimas nos olhos.

- Ai, quem fez isso?

- Eu, Mané.

- Ah é só você, buuu.

Ele pós a língua para fora e no mesmo instante eu puxei a sua língua e fiz ele lamber o chão.

- Aaahhh que nojo, tinha cocô de Pidgey ali.

- Bem feito, é para aprender a me respeitar.

Depois de desinfetar a língua ele veio na minha direção com uma expressão superior e me mostrou a insígnia do 1º ginásio.

- Haha eu consegui ela primeiro que você.

- E daí? Eu sou bem melhor do que você.

- Você acha mesmo? Então depois que você conseguir a sua insígnia(se você não for derrotado) eu vou lutar contra você na saída da cidade, é melhor você não fugir.

- Eu ouvi o comentário que você fez entre parênteses, e só para a sua informação ninguém fugiria de você. Vemos-nos na saída da cidade em no Maximo uma hora.

- Ok.

Logo que disse isso ele saiu andando com um sorriso no rosto apenas para me irritar.

Quando eu entrei no ginásio eu me surpreendi porque por fora não parecia grande coisa, mas por dentro era simplesmente incrível, o teto era incrivelmente alto e não dava para perceber isso pelo lado de fora, havia varias argolas presas no teto de modo que os Pokémons voassem por dentro delas e certamente que seria lindo ver aquilo. As cadeiras da arquibancada eram de varias cores diferentes e só depois eu entenderia o motivo daquilo.

Caminhei um pouco até chegar à arena de terra e vi que lá do outro lado estava parado um garoto de no Maximo 14 anos de cabelo azul com uma franja bem grande cobrindo o olho direito, ele usava uma camiseta azul parecida com um kimono, um casaco por cima da blusa e uma bermuda azul um pouco acima do joelho, mas estava com uma meia comprida até os joelhos e um sapato semelhante a uma sapatilha.

- Você veio me desafiar?

- Claro, senhor obvio.

- Grrr, se eu te derrotar vou sentir um prazer maior do que o normal.

- Não fale esse tipo de coisa eu sou menor de idade.

- Do que você esta falando?

Assim que ele viu que eu estava rindo ele ficou em uma cor vermelha de ódio que eu confesso que fiquei com um pouco de medo, mas mesmo assim continuei rindo.
- Se você quer a insígnia vai ter que lutar.

-Ok.

E com essas simples palavras pusemos nossos Pokémons para fora da pokébola. Ele mandou um Pidgey, um Pokémon bem pequeno de aproximadamente 30 centímetros de altura (pequeno comparado ao Murkrow que tem 50 centímetros de altura) era um Pokémon pássaro pequeno com as penas marrons, um bico curto e as patas rosa, mas com garras perigosamente afiadas.

Eu por outro lado mandei o Ledyba.

- Você vai mandar uma joaninha?

- Eu quero testar a força dele principalmente porque ele é fraco contra Pokémons do tipo voador.

- Não vejo sentido na sua estratégia.

- Quem disse que ela tem sentido?

- Você me irrita.

- Idem.

- Grrr, Pidgey use Tackle.

- Ledyba, evasiva rápido.

O pequeno pássaro marrom voou bem rápido em direção ao adversário porem Ledyba não era lento, apesar de ter mais de 1.0 metro de altura. Ele desviou rapidamente do Pidgey e contra atacou com vários socos velozes por todo o corpo do passarinho machucando-o muito.

- Ei espere eu dar a ordem para poder usar o Comet punch.

O pequeno inseto apenas me ignorou, mas enquanto nós estávamos nos encarando o Pidgey se levantou e usou o Gust arremessando o Ledyba longe. Com muita dificuldade a joaninha boxeadora se levantou, mas:

- Pidgey use o Sand attack e depois Gust novamente.

- Se mexa ou se defenda, sei lá, faça alguma coisa Ledyba.

Logo que a areia subiu eu não conseguia ver mais nada apenas o Pidgey batendo muito as asas e criando um pequeno furacãozinho que foi em direção ao Ledyba para derrota-lo, mas levou grande parte da areia junto.

- Droga Ledyba eu te avisei.

Quando a poeira baixou o Ledyba estava parado no mesmo lugar de antes sem ter sofrido nenhum dano aparente. Eu não estava entendendo nada, mas ai a minha pokedex apitou no meu bolso e quando eu li o que estava escrito nela eu entendi tudo.

“o Pokémon Ledyba aprendeu o golpe Reflect

- Incrível essa é a palavra que te define Ledyba.

Ledyba deu um sorriso bem grande alegre com o elogio que eu tinha feito.

- Não sei como você está vivo, mas não importa, EU ME RECUSO A PERDER PARA UM VERME COMO ESSE.

- Você ofendeu um dos meus Pokémons? Então é melhor você se preparar porque agora eu vou descer a pancada em você.

- Haha pode vir.

- Ledyba voe o mais rápido que puder para as costas dele e finalize com o Comet punch.

Assim que dei a ordem ele começou a perseguir o pequeno Pidgey que não ficou parado para receber o ataque. Assim que eu percebi que o Ledyba estava debilitado demais para acompanhar a velocidade do Pidgey eu mudei a nossa Tática um pouco.

- Ledyba use o Supersonic e depois siga o plano anterior.

Ao ouvir isso o Ledyba para de voar e começou a emitir ondas de suas antenas, quando as mesmas ondas alcançaram o Pidgey seus olhos ficaram roxos e ele começou a voar em círculos mesmo com os protestos de seu treinador. Sem perder nem um segundo a joaninha agilmente voou para as costas do pequeno pardal e o bombardeou com uma avalanche de socos até ele cair no chão inconsciente dando a vitoria a mim e ao Ledyba.

- Como isso é possível?

- Babaca eu disse que te derrotava.

- Isso ainda não acabou eu tenho mais um Pokémon.

Dizendo isso ele retornou o Pidgey para a pokébola e soltou um Pidgeotto.

- Esse aparenta ser bem mais calmo que o da Lucy.

- Você conhece a minha irmã?

- Ah não cara, de jeito nenhum que ela é a sua Irmã.

- Claro que é.

- Bom isso não importa, o Pidgeotto dela é bem mais feroz que o seu.

Apenas com um movimento das mãos de Falkner, o Pidgeotto dele se moveu como um raio acertando o Ledyba no peito e nocauteando ele.

- O que você estava dizendo mesmo?

Com uma expressão perplexa no rosto eu fiquei sem saber e o Murkrow poderia vencer aquele adversário.


Eu queria agradecer a todos que comentaram e me apoiaram até agora, mas eu queria dar um obrigado especial a Pikachuziinhahsz e a Milley porque se elas não tivessem me falado aonde eu errei, eu não poderia ter corrigido (ou pelo menos tentado). E só para deixar claro a estória só começa a partir do capitulo quatro.
avatar
monkey d. luan
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 12/10/2012

Frase pessoal : You're not special


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por monkey d. luan em Ter 16 Out 2012 - 19:51

Capitulo IV – A mudança e a perda


Tenso sobre a derrota do Ledyba eu não sabia mais o que fazer esse era um grande problema, mas aquela luta nunca terminou.

- Está com medo Eric? O que você ache de eu...

Uma grande explosão aconteceu em algum lugar da cidade chamando a minha atenção e a de Falkner. Logo depois a porta que dava para o ginásio explodiu arremessando destroços para todo o lado. Logo que a poeira baixou eu vi parado na porta um robô de aproximadamente 1 metro e 95 centímetros totalmente cinza apenas com um raio negro no peito.

- Esse símbolo, esse raio negro... Ele foi cravado no corpo da minha mãe antes de matarem ela... Devolva minha MÃE.

Eu disse as ultimas palavras gritando e então tudo apagou, só sei o que o Alan me contou quando eu acordei, e foi o seguinte:

Meu cabelo ficou branco como um espírito, as minhas pupilas se dilataram muito e ficaram vermelhas como sangue e alem de tudo isso apareceram músculos em mim, coisa que eu nunca tive. Minha voz tinha ficado muito mais grossa, não, grossa não é a palavra para o que aconteceu, minha voz ficou morta ou minhas vozes ficaram mortas porque cada palavra que eu dizia era como se fossem varias pessoas falando porem a voz de todas estava simplesmente morta.

- Você vai se arrepender por ter feito isso com a minha mãe, hahahaha vai se arrepender muito.

Logo que disse aquilo eu avancei contra ele com uma velocidade incrível e o soquei com toda a minha força, mas todos os ossos do meu braço foram feitos em pedaço pelo impacto, mas eles todos se concertaram em alguns segundos.

- Pelo visto eu não posso te machucar, mas talvez com uma ajudinha eu possa.

Dizendo isso eu corri em direção ao meu Ledyba que ainda estava desacordado no chão e toquei nele, no mesmo instante todo o seu corpo ficou branco e apareceram luvas de boxe brancas no lugar das minhas mãos.

- Acho que isso é o suficiente, obrigado amigo.

Eu dei um salto de no mínimo seis metros de altura (impossível para um ser humano, obvio) e chutei a parede para ganhar um impulso e poder acertar ele. Assim que cheguei perto dele eu gritei e o soquei inúmeras vezes.

- Comet punch.

Amassei a lataria do robô inteira antes que ele pudesse reagir, a única coisa que ele fez foi gritar coisas sem sentido.

- Você é o paciente zero, tentaram fazer outros iguais a você, mas todos eles acabaram virando mutantes horríveis.

Depois que disse aquilo ele me pegou pelos ombros e lançou uma carga elétrica forte o suficiente para matar dez homens, mas tudo que ela foi capaz de fazer foi me deixar tonto enquanto ele fugia com um Jet Pack que estava implantado na armadura de robô.

Depois que ele fugiu eu apaguei e tudo voltou ao normal, meu cabelo ficou preto de novo, as minhas pupilas voltaram ao tamanho normal e a coloração normal e infelizmente os músculos sumiram também.

Depois que eu acordei vi que tinha um bilhete dentro do meu bolso em que estava escrito o seguinte:

“Por evitar a destruição do meu ginásio eu ofereço isso a você espero que aceite”

Estava presa junto ao bilhete a insígnia Zephyr. Quando eu ia comemorar abanando os braços percebi que meu braço direito estava engessado e o esquerdo estava cheio de hematomas e doía muito tentar mover ele, as minhas pernas estavam enfaixadas e eu não conseguia move-las nem um centímetro, meus ombros estavam com queimaduras de 2º grau e doíam bastante. Parece que eu estou literalmente ferrado, isso é a única coisa que eu conseguia pensar.

Depois de ver meus ferimentos eu comecei a analisar o lugar onde eu estava, era um quarto pequeno com apenas uma cama de solteiro (aonde eu repousava) uma janela, uma mesinha do meu lado, e duas portas que provavelmente uma dava para o banheiro e a outra para o corredor.

.........................................................................................................................................................................

Depois de 2 meses no hospital eu finalmente saí, estava totalmente curado, ou quase, ainda tinha alguns roxos.

Eu fui para a saída da cidade pois eu não mais nada para fazer lá, e para a minha surpresa havia um cara estranho de cabelos castanhos escuros e uma capa negra enorme cobrindo o corpo todo.

- Ei tio, quem é você?

- Pode me chamar de Matsumura.

- Mas você nem é asiático.

- E daí? Eu preciso ser asiático para ter um sobrenome asiático?

- Obvio, senão não seria um sobrenome asiático.

- Esqueça esta conversa, não vai nos levar a lugar algum. Apenas responda a minha pergunta, você é um Treinador?

- Sim.

- Ótimo, ponha seus Pokémons para fora e me deixe exorciza-los.

- O que?

- Você ouviu não me obrigue a te machucar.

- Me machucar? Parece interessan..

Antes de terminar a frase, no momento em que eu pisquei ele apareceu na minha frente e tocou no me tórax, mas apesar de ter sido apenas um toque eu caí no chão sem conseguir me mexer.

- O que você fez? Maldito, deixe-me conseguir me mexer que eu quebro você no meio.

- Não você não conseguiria.

Ele fez um movimento para me socar, mas antes de conseguir me acertar o Ledyba saiu de dentro da pokébola e parou o soco dele com quatro de suas patas.
- Você veio para a sua morte, Pokémon.

- Cuidado com ele Ledyba.

O Pokémon concordou fazendo um gesto com a cabeça.

Sem que notássemos o estranho pós a mão na cabeça de Ledyba e disse confusas palavras:

- Exorcizamus te servus hoc est, Diaboli creaturam.

- Isso é lati...

Eu nunca acabei aquela frase porque ali na frente de meus olhos meu Pokémon explodiu como uma bolha de carne, milhares de pedaços pela floresta, em cima de mim e em cima do Matsumura.

- AAAAAAAAAAAHHHHHH

Gritei o Maximo que pude e fiz uma força descomunal para poder me mexer, em vão.

- Não tente se mover, pois existe uma corda invisível em volta de você, e quanto mais você fizer força para sair, bom, digamos que seus ossos se partirão.

- Ledyba... porque você fez isso, SEU MALDITO EU VOU TE MATAR.

No momento que eu disse aquilo ele começou a rir descontroladamente e então tirou uma faca da cintura e furou o próprio pescoço.

- Você é insano.

- Não, a palavra certa é invencível.

No momento em que ele tirou a faca o buraco em seu pescoço se fechou como se nada tivesse acontecido.

- Você é um monstro.

- Não, você errou de novo, os Pokémons são monstros e eu tenho todo o direito de prender a alma deles em meu corpo e usar para meu proveito em nome de DEUS.

A ultima coisa que eu vi naquele dia foi a sola da bota dele vindo na direção do meu rosto e então tudo ficou escuro.


Eu queria deixar claro que a transformação do Eric foi meio que uma mistura do Nagi de Tenjho tenge e do Kurapika de Hunter X Hunter. E o matsumura eu misturei os Homunculos de Fullmetal alchemist com um fanático religioso. Caso não tenham entendido eu estou tentando juntar Pokémon com os meus dois tipos de mangas favoritos Shonen e comedia.



Edit By Bragato: Fic trancada por inatividade, contate um FFM caso queira reabrir.
avatar
monkey d. luan
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 12/10/2012

Frase pessoal : You're not special


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: pokémon - diários de johto

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum