Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Pokémon - Para salvar o mundo

Ir em baixo

Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Rampage23 em Sex 14 Set 2012 - 3:43

Bom, algumas considerações inicias:
• Sou novo tanto no fórum quanto nessa de escrever fics, então, por favor, peço um pouco de paciência.
• Acho que não evitei o lugar-comum da jornada, o pokémon inicial e etc, só dei uma 'floreada'. De qualquer forma, eu queria mesmo fazer uma história baseada nesse clichê, então não estranhem haha...
• Os personagens da fic terão por volta de 17 anos, então seguirei os preceitos da variação linguística e nem sempre usarei a forma culta
• A fic se passa 22 anos depois dos eventos ocorridos no mangá 'Pokémon Emerald' (pq eu ainda não li o restante Sad ) e tem base nas versões Heart Gold / Soul Silver (por isso a Equipe Rocket é a vilã), mas já considerando a existência de Sinnoh, Unova e seus Pokémons.
• Eu ainda não tinha dado nenhum nome para a fic e, sinceramente, 'The Dark Pokémon Rises' ou 'The Pokévengers' não me pareceram muito condizentes com o texto hahahaha
Enfim, sem mais delongas:

Prólogo

Fazia uma tarde quente e ensolarada na pequenina cidade de New Bark. O vilarejo estava imerso na sua habitual tranquilidade, com algumas crianças brincando e aproveitando a suave brisa que batia.
Um barulho de motor se fez ouvir sobre a calmaria da cidade. Uma pequena embarcação se aproximou da margem e um garoto saltou para terra firme junto de um Croagunk.
- Obrigado pela carona, Senhor Brinney. Como posso lhe pagar? – disse o menino.
- Não há de que, Aaron. Não precisa pagar, já disse. Eu sempre passo nessa região durante minhas travessias de Veilstone a Dewford. Não teve problema nenhum dar uma pequena desviada na minha rota para te fazer esse favor. Afinal, você me trouxe meu querido Pecko de volta. – respondeu um homem já idoso, capitão do barco.
- Ok então, já que o senhor insiste... Agradeço novamente. Boa viagem para o senhor. E para você também, Pecko! – disse o garoto ao capitão e ao Pelipper a seu lado.
- Obrigado, meu jovem. Boa sorte para você nessa jornada. E tenha cuidado.
O barco deu meia-volta e rapidamente sumiu da vista do jovem Aaron e do Croagunk, que o observavam, parados.
- ‘Então essa é a cidade de New Bark. É aqui que minha jornada deve começar, segundo aquele sonho esquisito que tive. É engraçado... Nunca me imaginei tão longe de Sinnoh’ – pensou o rapaz
Aaron era um garoto natural de Eterna, no continente de Sinnoh. Possuía cabelos castanhos, naturalmente bagunçados e espetados ,além de um belo par de olhos verdes. Porém, seu corpo de 1,70m era demasiado magricela para os seus 17 anos de idade. O rapaz chegou a conhecer os pais, porém não possuía nenhuma memória deles, já que eles haviam desaparecido no ataque da Team Galactic no continente há 16 anos. Aaron vivia no orfanato de Eterna esperando até que uma família o adotasse, o que nunca aconteceu. Por ser mais velho do que as outras crianças do lugar, ele possuía um pouco mais de liberdade e foi essa liberdade que lhe permitiu a captura do seu primeiro (e único até o momento) pokémon, um Croagunk apelidado por ele de Toxi. Foi por causa dela, também, que Aaron conseguiu ir do orfanato até a cidade de Veilstone, onde arranjou uma carona com o Capitão Briney até o continente de Johto. Essa viagem nunca esteve nos planos do rapaz, na verdade ele pretendia permanecer em Eterna até ser adotado ou até o fim de sua vida, o que acontecesse primeiro. Ele já havia passado da idade de começar uma jornada pokémon. Porém, um sonho tido por ele mudou todo o seu destino:

-- FLASHBACK --

Era uma noite calma para todos os habitantes de Eterna e de Sinnoh, menos para Aaron. No pequeno orfanato da cidade, o garoto dormia, mas não descansava. Suava frio e se debatia na cama, isso porque estava tendo o sonho mais estranho de sua vida.
Nele, o deus-pokémon, Arceus, aparecera na frente do garoto. Seu corpo, branco com um ‘circulo’ dourado protuberante a seu redor, era mais ou menos do tamanho de um prédio de 10 andares. Ele podia se comunicar na lingua humana e sua voz soava grave como um trovão:
- Jovem Aaron. Eu preciso de você.
Aaron piscou, sem entender nada.
- De mim? Porque o todo-poderoso-deus-pokémon precisa de mim? Isso deve ser um sonho! – deduziu o garoto
- Não, Aaron. Isso não é um sonho. É uma visão. Eu preciso que você vá até o continente de Johto. Sim, eu sei que é longe daqui mas vá até a cidade de Veilstone e garanto que conseguirá algo. Um antigo inimigo está voltando, eu corro grave perigo e, comigo, o mundo todo. No momento, você é o único que pode me ajudar.
- Quê? Como assim? Eu sou o único que pode te ajudar? Mas eu nem sequer sou um treinador pokémon. E você quer que eu vá para Johto assim, sem mais nem menos? Sem dinheiro, nem família, nem nada? Desculpa, Arceus, mas acho que você pediu ajuda para o garoto errado.
Aaron sabia que aquele era um deus e sabia que estava sendo quase desrespeitoso, mas aquele súbito pedido do pokémon o intrigara de tal forma que o irritara. Várias dúvidas brotaram em sua cabeça e tudo aquilo lhe parecia absurdo demais.
- Acalme-se, Aaron. Todas as suas perguntas serão respondidas com o tempo. Tempo, este, que não podemos perder. Você não estará sozinho nessa jornada, mas eu preciso que confie em mim. Lembre-se, vá para Veilstone amanhã mesmo, de onde você irá para a pequena cidade de New Bark. Você deverá iniciar uma jornada pela liga Johto e deverá vencê-la.
A imagem do deus começou a desaparecer
- Ei! Espera aí! ESPERA! – gritava o garoto enquanto a imagem sumia lentamente diante dele.
- Não posso. Lembre-se, o mundo precisa de você, Aaron. Todas as respostas virão com o tempo. Confie em mim.
E, no momento que a imagem sumiu por completo, Aaron acordou quase que num pulo na cama dele.

No dia seguinte, o garoto não conseguia parar de pensar no sonho que tivera. Estava em dúvida se realmente confiava que aquilo era uma visão do lendário Arceus ou se ‘foi só um sonho’, apesar de estar tendendo à segunda opção.
Porém, naquela manhã a senhora Willow, dona do orfanato, pediu que o garoto fosse até Veilstone comprar algumas Magikarps para que ela fizesse um novo e delicioso prato para as crianças do lugar. Ele achou tudo aquilo muita coincidência e levou em sua mochila o pouco dinheiro que a senhora lhe deu, comida e a pokébola de Toxi ‘só para garantir’, como pensou. A rota até Veilstone não era das mais curtas e ele chegou na cidade apenas na hora do almoço. Lá, uma correria acontecia. Um senhor de idade avançada tentava, em vão, correr atrás de um jovem que, muito mais rápido, levava uma pokébola em sua mão:
- Pega ladrão! Pega! Ele roubou meu Pecko! Pega!
Foi quando um distraído Aaron entrou no caminho do meliante, também distraído com seu perseguidor. Os dois trombaram e foram ao chão:
- Ai! Olha por onde anda! – disse Aaron
- Digo o mesmo pra você! – retrucou o ladrãozinho
Nesse momento, o idoso vinha gritando ‘pega ladrão’, enquanto o jovem marginal se recuperava do choque.
- Quê? Ladrão?
O garoto, ainda com a pokébola na mão, se levantava e já se preparava para sair em disparada
- Mas não vai MESMO! – gritou Aaron dando-lhe uma rasteira.
- Não se intrometa onde não foi chamado, seu otário! – respondeu o delinquente.
- Sejá lá o que você roubou, devolva! Vai, Toxi!
Aaron arremessou a pokébola e seu Croagunk saiu dela.
- É uma batalha que você quer? Ok, então. Houndy...
O garoto também jogou uma pokébola, libertando um Houndour.
- Houndy, Tackle!
O pokémon canino avançou na direção de Toxi, jogando seu corpo sobre ele.
‘Hm... para ele ter usado Tackle, o Houndour dele não deve ser forte. Talvez tenha até sido capturado recentemente.’ – pensou Aaron, aguardando o comando de seu oponente para realizar o seu.
- Houndour, tackle de novo.
‘É, o Houndour é fraco e ele é inexperiente. Isso vai ser divertido.’ – pensou novamente o garoto antes de gritar:
- Toxi, aguarde o momento certo.
O Houndour avançava correndo para cima do Croagunk e parecia que ia investir sobre ele de novo, porém, no exato momento em que o pokémon sombrio ia acertar o venenoso, Aaron deu outro comando:
- Agora, Toxi! Use o Mud-Slap no focinho dele e pule para trás!
O Croagunk chutou uma porção de terra exatamente nos olhos do Houndour e pulou para trás, como seu treinador pediu. O canino uivou de dor e aterrissou feito uma pedra no chão, errando o ataque e ficando à mercê de seu adversário, parado diante dele.
- Pronto, Toxi. Use o Mud-Slap mais uma vez. Deve ser o suficiente.
Toxi imitou seu primeiro ataque e chutou mais terra sobre o Houndour, que uivou novamente antes de ficar fora de combate.
Bem na hora, o idoso chegava para pegar o deliquente juvenil.
- Devolva já o meu Pecko, seu... seu...
O garoto, ainda atônito pela derrota, devolveu a pokébola ao senhor antes de dizer, começando a chorar:
- D-desculpe, senhor! E-eu só queria ser um treinador f-forte. M-mas pelo v-visto n-não consegui.
- Para ser um grande treinador pokémon você deve praticar, treinar muito e com muito empenho...- respondeu o velho - Não roubar o pokémon dos outros. Lembre-se disso. Agora vá para casa.
O arrependido menino saiu em disparada para sua residência, chorando. O velho se voltou para Aaron:
- Muito obrigado, meu jovem. Sem você, ele teria roubado meu precioso Pecko. Eu sou o Capitão Brinney. A propósito, como você se chama? Existe alguma coisa que eu possa fazer por você?
- Prazer, senhor. Meu nome é Aaron. E eu não fiz mais do que minha obrigação, relaxa. Não precisa fazer nada por mim, não.
No exato momento, o estomago de Aaron roncou alto. Pudera, já passava das três horas e ele ainda não havia comido nada.
- Não, é? Posso te servir um almoço, pelo menos. É o mínimo... Venha, vamos até o meu barco. Sorte sua que esse garoto tentou me roubar, senão eu já teria partido e você ficaria sem almoço.
- Barco? Caraca, o senhor tem MESMO um barco? Achei que ‘Capitão’ fosse alguma patente do exército ou qualquer coisa assim. E, outra coisa... partido?
- Sim, partido! Hoje é o dia que eu volto para minha casa, em Dewford, no continente de Hoenn. É bem interessante fazer essa viagem periodicamente, vejo coisa que até Arceus duvidaria. Principalmente ali nas proximidades do continente de Johto.
O fato do capitão ter citado ‘Arceus’ e ‘Johto’ na mesma frase, mesmo que ele nem estivesse falando nada relacionado ao continente, foi uma estranha coincidencia para Aaron, que perguntou:
- Se me permite a pergunta, capitão, perto de qual cidade de Johto o senhor passa?
- Ah, eu passo ali naquele lugar chamado de ‘Tohjo Falls’, não sei se você conhece. A cidade mais próxima é um pequeno vilarejo chamado New Bark. Por quê, Aaron?
New Bark... Era coincidência até demais. Só podia ser um sinal de que ele realmente teve uma visão
- Capitão Brinney, na verdade... – começou Aaron meio envergonhado - Tem outro favor que o senhor pode me fazer, sim. Na verdade, eu queria uma carona até Johto. Até a cidadezinha de New Bark.
- Tem certeza, meu jovem? Não me parece um lugar que alguém da sua idade gostaria de visitar...
- Sim, tenho certeza. O senhor pode me fazer esse favor?
- Mas é claro...
Antes que qualquer um dos dois pudesse dizer mais alguma coisa, o estômago do menino roncou alto de novo.
- E isso não significa que eu tenha dispensado o almoço.
Os dois riram e foram caminhando em direção ao barco do Capitão Brinney.
Um dia depois, o garoto estava de pé no barco, avistando a cidade de New Bark se tornar cada vez maior no horizonte.

-Fim do flashback-

- E agora, Toxi? O que tem demais nesse fim de mundo? Por que será que o Arceus disse que eu tinha que vir pra cá?
O pequeno Croagunk deu de ombros enquanto Aaron olhava ao seu redor pra ver se via algo que desse uma pista. E viu. O laboratório do famoso Professor Elm, estudioso de pokémons, localizado em New Bark. Do lado da porta, um cartaz: ‘Jovem treinador, receba aqui seu pokémon e inicie sua jornada rumo ao topo!’
O garoto recolheu o pokémon de volta à pokébola e seguiu rumo à entrada do laboratório. Se ele ia salvar o mundo, precisaria de um time para tanto.
E aquele era apenas o começo...

avatar
Rampage23
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 14/09/2012

Frase pessoal : 'Chi move te, se 'l senso non ti porge?'


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por -Murilo em Sab 15 Set 2012 - 10:58

Olá! Sua fic é bem interessante. Eu comecei a ler o mangá a partir da saga ruby/sapphire mas parei ainda no primeiro ginásio Razz
Sobre a sua história, ele é lagal, mas um pouco intrigante. Porque Arceus precisa da ajuda de um menino de orfanato? Estou tão confuso quanto o rapaz lá. Espero que tenha uma boa explicação depois para que o deu-todo-poderoso (suas palavras) precise da ajuda de um humano. Parece até que ele está manipulando um pouco a vida do rapaz. Afinal, coincidência demais as coisas acontecerem exatamente na visão dele. Hum, parece que o Peecko tem uma sina trágica de ser roubado e alvo por treinadores. É, eu conheço essa história.
Sobre o texto, ele é até bom. Tem as descrições legais e tal. Mas eu percebi que tem muitas falas! Eu sei que elas são necessárias, mas não acho bom encher o texto delas. Outra coisa foi alguns erros de pontuação. Você usou a virgulas onde não precisava e se esqueceu delas em outras ocasiões. Não foi muitas vezes, então nõ foi nada que prejudique o entendimento. Mas é bom revisar sempre o texto. Vou acompanhar sua fic. Quero saber como é que um menino vai salvar o mundo. Boa sorte!
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Ari Tasarov em Ter 18 Set 2012 - 21:16

Olha só, é bem interessante! Meio estranho esse sonho que ele teve com o Arceus, vamos ver pra quê o "todo poderoso" precisa do Aaron né? Enfim, fiquei curiosa pra ver o que vai acontecer no próximo episódio. Você conseguiu deixar uma leitura bem agradável, parabéns! ^^ Você tem uma boa narração e descrição dos fatos, apesar de faltar alguns poucos detalhes (coisas que ás vezes nem faz falta, mas dão uma melhor imaginação do cenário), conseguiste me fazer imaginar algumas cenas! E, também gostei do protagonista.

Seu prólogo em si já revela muita coisa da história, então já nem sei mais o que esperar. -.-' Isso é bom, pois assim consegue chamar mais leitores como eu que fiquei curiosa pra saber o que virá pela frente, parabéns! =D

Acredito que você não vai fazer uma jornada clichê... Vai ter algo a mais acrescentando esse negócio todo do sonho e do pedido de Arceus, por isso como você mesmo disse, nem irei falar da jornada e a mesma história de sempre. Vamos ver se o Aaron ainda se torna o salvador do mundo. õ/

Mas, é muito chato citar algumas coisinhas que me atrapalharam na leitura como a cor do texto. Eu acho bem mais bonito e organizado o texto apenas em preto, e os parágrafos podiam ser mais arrumadinhos né? Separe-os em um ou dois enters. Por exemplo essa parte aqui:

Spoiler:
Fazia uma tarde quente e ensolarada na pequenina cidade de New Bark. O vilarejo estava imerso na sua habitual tranquilidade, com algumas crianças brincando e aproveitando a suave brisa que batia. Um barulho de motor se fez ouvir sobre a calmaria da cidade. Uma pequena embarcação se aproximou da margem e um garoto saltou para terra firme junto de um Croagunk.

- Obrigado pela carona, Senhor Brinney. Como posso lhe pagar? – disse o menino.
- Não há de que, Aaron. Não precisa pagar, já disse. Eu sempre passo nessa região durante minhas travessias de Veilstone a Dewford. Não teve problema nenhum dar uma pequena desviada na minha rota para te fazer esse favor. Afinal, você me trouxe meu querido Pecko de volta. – respondeu um homem já idoso, capitão do barco.
- Ok então, já que o senhor insiste... Agradeço novamente. Boa viagem para o senhor. E para você também, Pecko! – disse o garoto ao capitão e ao Pelipper a seu lado.
- Obrigado, meu jovem. Boa sorte para você nessa jornada. E tenha cuidado.
O barco deu meia-volta e rapidamente sumiu da vista do jovem Aaron e do Croagunk, que o observavam, parados.
- ‘Então essa é a cidade de New Bark. É aqui que minha jornada deve começar, segundo aquele sonho esquisito que tive. É engraçado... Nunca me imaginei tão longe de Sinnoh’ – pensou o rapaz

Aaron era um garoto natural de Eterna, no continente de Sinnoh. Possuía cabelos castanhos, naturalmente bagunçados e espetados ,além de um belo par de olhos verdes. Porém, seu corpo de 1,70m era demasiado magricela para os seus 17 anos de idade. O rapaz chegou a conhecer os pais, porém não possuía nenhuma memória deles, já que eles haviam desaparecido no ataque da Team Galactic no continente há 16 anos. Aaron vivia no orfanato de Eterna esperando até que uma família o adotasse, o que nunca aconteceu. Por ser mais velho do que as outras crianças do lugar, ele possuía um pouco mais de liberdade e foi essa liberdade que lhe permitiu a captura do seu primeiro (e único até o momento) pokémon, um Croagunk apelidado por ele de Toxi. Foi por causa dela, também, que Aaron conseguiu ir do orfanato até a cidade de Veilstone, onde arranjou uma carona com o Capitão Briney até o continente de Johto. Essa viagem nunca esteve nos planos do rapaz, na verdade ele pretendia permanecer em Eterna até ser adotado ou até o fim de sua vida, o que acontecesse primeiro. Ele já havia passado da idade de começar uma jornada pokémon. Porém, um sonho tido por ele mudou todo o seu destino.
Outra coisinha que também me atrapalhou foi a quantidade de diálogos, como o Murilo disse, eles são sim necessários mas em menor quantidade, sei lá, você podia ter colocado algo a mais ao invés das falas (mais explicações, mais narrativa).

É isso, boa sorte! õ/


Última edição por - Milley em Dom 23 Set 2012 - 16:47, editado 1 vez(es) (Razão : Invés com z .-.)
avatar
Ari Tasarov
Membro
Membro

Feminino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/03/2012

Frase pessoal : paradise


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Rush em Qua 19 Set 2012 - 11:50

Bom dia, Rampage23!

Olha, sua narração é ótima, e sua criatividade é boa. Gostei muito do prólogo, e com certeza irei acompanhar. A princípio eu pensei que o Aaron seria o membro da elite four de Sinnoh, pelo mesmo nome e mesma nacionalidade, mas a descrição dele me provou que ele não tem nada a ver com o mesmo, haha.

Gostei muito do carisma das personagens, você narrou muito bem. Só achei muito desorganizado e um pouco cansativo de ler, devido o texto estar muito junto. Separe-o, irá ajudar bastante, organizar muito.

Também vi um porém... A Senhora Willow pediu pro Aaron comprar Magikarps pro almoço e o moleque viaja pra Johto? AUHUHASUHASUS' As crianças do orfanato vão ficar sem comida esse dia? Esse foi o único 'porém' que eu encontrei.. UHAUHA'

Well, com certeza irei acompanhar o primeiro capítulo, então aguardarei o mesmo! Boa sorte!

Um abraço, até mais!
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Rampage23 em Qua 19 Set 2012 - 14:26

Boa taaaaaaarde nesse calor maldito que faz em São Paulo haha.
Antes de mais nada, MUITO MUITO MUITO MUITO obrigado pelos comentários, então vamos às respostas (:

Spoiler:
Murilo_Marcos: Eu também precisei de paciência pra ler o Ruby/Sapphire. Aquela historia do Ruby só gostar de contests e mimimi me irritou haha. Mas comece a ler desde o começo (com o perdão da redundancia) porque realmente vale a pena... muito melhor que o anime, na minha opinião.
Então, sobre a historia, como disse o próprio Arceus: 'Todas as respostas virão com o tempo' haha. E sim, ele ESTÁ manipulando a vida do Aaron... ENQUANTO PODE MWA HA HA HA. E sem mistério a história fica sem graça, né?
E eu também ODEIO diálogos! Juro (mesmo que não pareça)! Mas foi meio inevitável porque precisava 'introduzir' a história... acho que os primeiros capítulos, infelizmente, vão ser bem carregados de diálogos. Sad
Enfim, obrigado pelo comentário. Volte sempre haha (:

- Milley: Minha face lendo seu comentário: *---------------* haha. Obrigado mesmo, tanto pelos elogios quanto pelas dicas. Eu pensei que colocar uma corzinha deixaria a leitura mais 'agradável' aos olhos MAS FICOU BREGA MESMO '---'. Juro que vou tentar arrumar os parágrafos, mas to com medo de ficar ruim/muito grande.
Sobre os diálogos, espero que vocês não se decepcionem mas o capítulo um é praticamente INTEIRO de diálogos. Perdoem-me mas, como eu disse pro Murilo, eles são uteis pra introduzir a historia e os novos personagens. Prometo que eles vão diminuir com o tempo.
Obrigado de novo. Aguardo outros comentários futuros haha (:

Rush: Boa tarde, Rush! Obrigado pelos elogios. Nossa, eu nem lembrei do Aaron da E4. SERÁ QUE AINDA DÁ TEMPO DE REBATIZAR? hahahaha
Pode deixar, vou trabalhar nessa parada de 'separar' o texto. Vamos ver se vai ficar melhor né... Quanto à historia do orfanato, relaxa que eu tenho tudo planejado! HAHAHA NÃO, BRINCADEIRA. EU CONFESSO QUE ESQUECI DISSO. Mas vou resolver, prometo. Pelo bem das crianças do orfanato!
Obrigado mesmo. Volte sempre também haha *-*

Enfim, vou falar uma coisa que não falei até agora: OBRIGADO hahahaha. Sério, fiquei feliz demais com os comentários. VOLTEM SEMPRE, SEUS LINDOS.

Sem mais delongas, o capítulo 1. Infelizmente, ele não segue aquela velha máxima do 'MENOS PAPO E MAIS AÇÃO' pq ele é praticamente só de diálogos. ME PERDOEM POR FAVOR *ajoelha*:


The Pokévengers
Pokémon - Para salvar o mundo
Capítulo 1 - Novos Parceiros

Aaron caminhou vagarosamente até o laboratório. Bateu três vezes na porta, sem resposta.

Droga, cheguei tarde.’ – pensou o garoto.- ‘a essa hora, todos os pokémons já devem ter sido pegos.

Mas ele não tinha nada a perder, então abriu a porta lentamente e percebeu que uma luz no fundo do laboratório estava acesa. O lugar era bem maior do que aparentava, cheio de computadores, estantes e uma máquina igual às dos centros Pokémon. O garoto, então, emitiu um discreto ‘Oláááá...’ e, para sua surpresa, um homem apareceu na parte iluminada. Ele era magro e aparentava já estar na meia idade, fato evidenciado por algumas madeixas grisalhas que insistiam em brotar no meio de seus ralos cabelos castanhos. Porém, era elétrico como um adolescente. Aproximou-se de Aaron, dizendo:

- Ah, oi! Eu sou o Professor Elm, estudioso de pokémons. Você deve ser um treinador, adivinhei? E está aqui porque quer um pokémon para iniciar a sua jornada, não é mesmo? Mas, espera aí... você já parece um pouco, se me permite dizer, velho para quem ainda não tem pokémons.
- Olá. Prazer, eu sou o Aaron. Eu vim pelo pokémon, sim. Na verdade eu já tenho um pokémon...
- Então você já esteve aqui e veio pegar OUTRO pokémon? Me perdoe, rapaz, mas eu só concedo um por treinador. –interrompeu o professor.
- Não! Eu já tenho um pokémon, mas ele não é do seu laboratório. Aliás, ele não é nem desse continente.
- Como ass...

Antes que o professor terminasse a frase, Aaron libertou um sorridente Toxi no meio do laboratório.

- Toxi, esse é o Professor Elm. Professor Elm, esse é o Toxi.
- Um Croagunk! Isso significa que você é de Sinnoh, certo? E o que faz aqui, tão longe de casa?
- Ahn... vim porque soube que o senhor estaria dando pokémons. E vim pelo desafio da liga Johto, ué. Não devo ser o único ‘forasteiro’ por aqui, não é mesmo?- respondeu Aaron

O professor ajeitou os óculos no rosto e mandou um olhar penetrante para o garoto

- Tem certeza que foi só por isso? Tem alguma coisa em seu olhar que me é familiar e que me diz que tem algo mais...
- N-não, senhor! – respondeu Aaron, nervoso.- É só por isso, mesmo.

Antes que o professor pudesse dizer mais alguma coisa, a porta do laboratório se escancarou, revelando um garoto parado diante dela. Trajava uma blusa vermelha, ensopada de suor e uma calça jeans. Arfava, demonstrando cansaço:

- P-professor Elm! E-espero ter chegado a tempo.

O professor olhou para o menino.

- Ora, se não é o jovem Martin. Então quer dizer que seus pais finalmente permitiram que você saísse numa jornada? Entre, rapaz. Venha até aqui. Hoje é seu dia de sorte.

O jovem chamado Martin veio até o fundo do laboratório enquanto o Professor Elm remexia suas coisas à procura de algo. Parou ao lado de Aaron. Embora tivessem a mesma idade, eles eram quase que totalmente opostos. Enquanto Aaron era baixinho e magricela, Martin era alto e forte. Tinha os cabelos loiros alinhados e os olhos intensamente azuis.

- Olá! Eu sou o Martin. Sou aqui da cidade de New Bark, mesmo. Muito prazer! Veio pegar um pokémon também?

Aaron reparou o quanto ele era animado, outra característica totalmente oposta a sua.

- Aaahn... Oi. Eu sou o Aaron e sim, também vim pelo pokémon.
- Legal! Você é daqui?
- Não. Sou de Eterna, em Sinnoh.
- Ah sim. Nossa, é longe hein? –disse o garoto, rindo

Aaron esboçou um sorriso. Antes que a conversa pudesse prosseguir, o professor voltou com duas pokébolas nas mãos.

- Meninos, esses foram os únicos pokémons que sobraram. Na minha mão direita, está a pokébola que contém Cyndaquil, o pokémon de fogo. Na minha mão esquerda, está a de Totodile, o pokémon de água. Uma pena que a Chikorita, o pokémon de grama, eu já dei para uma menina hoje de manhã. Ela foi a primeira pessoa a pegar um pokémon, deve estar ansiosa. Enfim... E aí? Como vocês vão fazer? Vão tirar no par ou ímpar, jo-ken-po ou qualquer coisa assim?
- Posso pegar o de fogo, Aaron? Eu sempre quis começar com um pokémon de fogo. – adiantou-se Martin
- Sem problemas. Eu fico com o de água, então. –respondeu Aaron.
Martin pegou a pokébola da mão direita do Professor Elm, ergueu-a no ar e disse bem alto, empolgado:
- YEAAAH!!! EU TENHO UM CYNDAQUIL!!!
Aaron fez uma cara estranha, mas deu de ombros. Pegou a outra pokébola, a da mão esquerda de Elm, e sorriu:

- Tenho certeza que nos daremos muito bem, Totodile.

Os dois garotos agradeceram e já tinham virado as costas para sair do laboratório, quando o professor chamou-lhes:

- Ei! Esperem!

Os dois pararam e se voltaram ao pesquisador, que estava com as mãos estendidas com dois objetos vermelhos, parecidos com agendas eletrônicas

- Tomem, levem isto com vocês. Isto é uma Pokédex, uma espécie de agenda que guarda todas as informações possíveis sobre todos os pokémons existentes, inclusive os de Unova. Vieram direto de Pallet, do Professor Oak. Eu guardei elas para os treinadores que eu achei que seriam... ‘especiais’. E, não sei porque, alguma coisa me diz que vocês são esses treinadores.

Treinadores especiais... tem seu dedo aí né Arceus?’ - pensou Aaron, sorrindo enquanto pegava a agenda da mão do Professor.

- Levem também essas cinco pokébolas. – recomeçou o pesquisador dando cinco esferas vermelhas e brancas para os treinadores. – Serão úteis para que vocês possam montar seus times. É só isso. Boa sorte para vocês nessa jornada. Não será fácil, mas eu tenho certeza que vocês conseguirão.

Os dois agradeceram e saíram do laboratório. O sol já estava se pondo e uma bela coloração alaranjada inundava toda a pequena e pacata cidade. Aaron já se preparava para seguir seu caminho pela rota 29 quando ouviu a voz de Martin:

- Espere, Aaron! Eu sei que é clichê mas... que tal uma batalha? Vamos aproveitar que o seu pokémon ainda não tem nenhum ataque que tenha vantagem sobre o tipo do meu, porque aí não vai ter graça. – e riu.

- Uma batalha? Ah, ok. – respondeu Aaron, não muito animado
- Puxa, é minha primeira batalha como um treinador de verdade. Esperei e me preparei muito para esse momento. Vai, Cyndaquil!
E arremessou a pokébola, liberando o pequeno Cyndaquil.
- Vamos ver do que você é capaz, Totodile!
Também arremessou sua pokébola e logo Totodile estava no campo.

- Dois minutos depois -

- Ok, isso foi bem estranho. – Disse Martin recolhendo o nocauteado Cyndaquil de volta à pokébola.
- É. Acho que é porque eles ainda não sabem nenhum ataque decente. – respondeu Aaron, retornando o também nocauteado Totodile.

Foi uma batalha curta e sem graça, com o pequeno crocodilo arranhando o ratinho de fogo, que investiu sobre o primeiro até ambos caírem nocauteados.

- Bom, eu já vou indo antes que fique muito tarde. – disse Aaron olhando pro céu já escuro da noite – Foi um prazer, Martin.
- Ei, Aaron! Espera aí!
- O que foi?
- Posso... ir com você? Eu não tenho a mínima idéia do que fazer ou pra onde ir. Acho que é por isso que meus pais nunca deixaram eu sair numa jornada... – disse Martin, corado.
E agora? Vou ter que virar babá de um marmanjo desses? Não vai dar muito certo isso. Se bem que... Acho que toda ajuda é bem-vinda’ – pensou Aaron antes de responder.
- Demorou, vai. –disse, meio a contragosto - Vamos lá.
- Yaaaaaaaaaaaay! – comemorou Martin

E os dois saíram rumo à rota 29, onde a jornada por Johto se inicia.

-------------------------------------------
-Dois minutos depois- QUE TOSCO. Não sei muito bem como demonstrar essa passagem de tempo, como deu pra perceber '-'.
Enfim, eis o primeiro capítulo. Lembrem-se: 'Todas as respostas virão com o tempo' e 'Everything happens for a reason'... ah não, perdoem-me. Essa frase é de outro lugar haha
avatar
Rampage23
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 14/09/2012

Frase pessoal : 'Chi move te, se 'l senso non ti porge?'


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Ari Tasarov em Qua 19 Set 2012 - 14:45

Bem, eu gostei muito do primeiro episódio também! *-* A coisa que mais me chamou a atenção no meio de tanto diálogo (desculpa, mas eu tive que falar /apanha) foi o carisma que você conseguiu colocar nos personagens! Gostei muito do Martin, achei ele meio infantil. Mas o Aaron ainda continua sendo o meu favorito... shauhsua'

Foi bom você ter colocado o texto sem cor, achei muito mais bonito e organizado! E também sua organização nesse capítulo não deixou nada a desejar, parabéns! Mudando de assunto, sua narrativa continua bem agradável e a descrição também continua boa, gosto muito da emoção que conseguiste colocar no texto! ^^'

Mas, teve uma coisinha que me atrapalhou um pouco nesse capítulo foi a falta de pontos finais em algumas falas! =/ Como aqui ó:

- Ah sim. Nossa, é longe hein? –disse o garoto, rindo

Melhor seria assim:

- Ah sim. Nossa, é longe hein? – disse o garoto, rindo.

Eu separei a palavra do travessão e também pontuei... Em algumas partes a pontuação ficou colada com as palavras, dá uma melhor revisada nisso, ok?

Nesse chapter não revelou muito da história, mas é apenas o primeiro né... =/ Então o Aaron pegou o Totodile? Sei lá, eu acho que esse pokémon não combina muito com ele. Mas não tem problema, isso é tu que sabe! @.@ Ah, e minha outra dica, aumente um pouco o tamanho do episódio.

É isso, boa sorte e até o próximo! õ/
avatar
Ari Tasarov
Membro
Membro

Feminino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/03/2012

Frase pessoal : paradise


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Rush em Qui 20 Set 2012 - 12:53

Boa tarde, Rampage!

Achei clichê o primeiro capítulo, mas entendo que deveria ser assim, já que explicara tudo no prólogo. Eu gostei também de Martin, que demonstrou ter uma personalidade mais forte do que a de Aaron. Em falar no garoto de Sinnoh... E ele tem um Totodile! *-* Eu adoro Feraligatr's, tanto que na minha FF o protagonista possuí um. Acho eles lentos na locomoção, porém rápidos no ataque, isso é bem legal.

Gostei muito de sua narração, bem detalhada e bonita de se ver, achei muito boa mesmo. Não notei erros e nem partes chatas, foi tudo bem agradável de se ler. Mesmo não sendo um comentário construtivo, eu quis comentar apenas para esclarecer que eu irei acompanhar a FF, você tem um leitor oficial, haha!

Uma coisa que eu achei um pouco bobo, foi a velocidade de como os fatos aconteceram - porém tudo foi bem narrado, o que fez com que isso nem importasse muito. Mas por exemplo, acho que mesmo você ter trabalhado bem nas personalidades das personagens, você poderia ter colocado um pouco mais de realismo, sabe? Colocar um pouco de desconfiança em cada um, um pouco de paciência e coisas do gênero. Por exemplo, Martin e Aaron são totalmente opostos, e o garoto de Sinnoh pelo jeito é bem sério e não vai aguentar muito a atitude agitada e energética de Martin, logo ele deveria ter pensado mais em seguir rumo a uma jornada com o rapaz loiro, não?

De qualquer forma, acho que você deveria ser menos preguiçoso e narrar logo a batalha, hahaha! Eu achei tosco esse corte de 'dois minutos' e aparecendo os bichos nocauteados. Acho que você deu vida e fez um ótimo trabalho para os personagens humanos, mas tem de trabalhar mais com os Pokémons. Um pouco de vida e sentimento a eles seria ótimo para o próximo capítulo.

Well, irei aguardar o próximo capítulo, até mais! Gostei bastante do primeiro capítulo! (:
avatar
Rush
ABP Mod
ABP Mod

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2012

Frase pessoal : Agora você não tem mais waifu!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por -Murilo em Sab 22 Set 2012 - 11:35

Olá! O capítulo saiu rápido! Mas menos mal. Como você falou, está cheio de falas. Mas até que eu gostei delas. Não foram só falas bobas. Através delas deu pra percebe como é a personalidade dos personagens. O professor Elm falando rápido, atropelando as palavras. Cômico até. Só achei bizarro foi o Martin. Se ele tem a mesma idade de Aaron, então deve ter dezessete anos. Ele age e fala como uma criança '--' É nisso que dá ficar prendendo os filhos. Eles não amadurecem. Crescem mas ficam com a mesma idade mental de crianças. Agora acho que vai ficar engraçado Aaron ter que levar esse menino a tira colo. Parece ser daqueles típicos amigos engraçados. Mas quem sabe ele não ajuda Aaron a salvar o mundo? Aliás, estou esperando acontecer uma coisa bem ruim. (ele vai ter que salvar o mundo de que?)
Enfim, boa sorte na sua fic, fique atento com os erros citados pra não se repetir. Sempre revise o texto, não precisa ter pressa pra postar. Dê também uns enter entres os parágrafos pra não embolar. Deixe a história fluir normalmente. Aguardarei novos capítulo. Sobre aquela prte da luta, você poderia colocar:
Começou a luta entre os dois treinadores. Ambos com pokémons muito inexperiente, não durou mais do que dois minutos. Bastou apenas alguns arranhões de Todotile e investidas de Cyndaquil foi o suficiente para ambos caírem nocauteados.
Boa sorte e até.
avatar
-Murilo
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 01/03/2011

Frase pessoal : Pq ñ podemos fugir da realidade se ela é uma droga


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por ~ Fight em Sab 22 Set 2012 - 13:02

Já tinha lido o prólogo e achei ótimo. Nossa! ótima narração, muito bom. Como disseram acima tem problemas, como o capitulo ficou pequeno.
The Pokévengers
Pokémon - Para salvar o mundo
Capítulo 1 - Novos Parceiros
Precisa ficar mais chamativo esse titulo, incremente cor, Fonte, tamanho... o que achar melhor.
Não tenho certeza se voce sabe narra lutas ou se foi só aquela mas leia esse tópico caso não saiba: http://www.pokemonmythology.org/t14642-tutoriais-do-gus
Quer uma sugestão para o titulo ainda?



Mr. Black: Fanfic trancada por inatividade. Caso queira reabrí-la mande uma MP a qualquer Fanfic Moderador.
avatar
~ Fight
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 08/04/2012

Frase pessoal : (¬.¬ )


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Para salvar o mundo

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum