Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Olhos Azuis

Ir em baixo

Olhos Azuis

Mensagem por Sweets em Ter 10 Jul 2012 - 6:23

Prólogo




A música era suave, tanto quanto um Soul, porém tinha batidas um tanto mais agitadas como o Jazz. Meu corpo mexia de acordo com o toque da música, o vestido vermelho se agitava com meus movimentos ora calmos ora um pouco agitados. A aula de música sempre foi muito relaxante para mim, esquecia todos os problemas, deixava a música entrar em mim, mexer em cada parte do meu consciente, cada parte do meu corpo. Eu particularmente gosto mais de músicas calmas, onde consigo relaxar meu corpo enquanto penso na vida com calma. O fim do toque baixo e tranquilizante fazia meu transe parar. Voltava para a realidade. Para o mundo.

Moro apenas com um gato de estimação e minhas flores, meu apartamento não é muito grande, é o típico apartamento japonês de cidade do interior. Decoração simples, quartos arrumados, casa limpa. Sou professora de artes marciais e de dança. Danço por prazer, faço das minhas aulas momentos de lazer. Ensino vários tipos de luta, aprendi desde pequena com meus pais, que morreram quando eu tinha 15 anos numa guerra civil. Meu pai era um homem muito forte, e minha mãe não ficava atrás nesse quesito. Meu nome é Kasuga, tenho 25 anos.

Numa semana qualquer, estava pronta para dar uma aula de judô na academia, a roupa estava pronta, já devidamente posta em meu corpo. Era um início de ano, novos alunos consequentemente. Dou aula para os iniciantes, pois tenho mais paciência que os outros professores, e também pelo fato de eu dar aulas para os adolescentes iniciantes, pois os adultos são, na maioria das vezes, maiores que eu, enquanto os jovens, são ou do mesmo tamanho ou menores. Alguns pais ficam para assistir as primeiras aulas dos seus filhos, porém nem todos conseguem aguentar ver o seu filho se “estatelar” no chão sem querer parar a aula para socorrê-lo, então eu explico aos pais que aquilo não machuca e que apenas faz parte do treinamento. Deve ser por isso que os professores não têm paciência com os pais... Dentre esses garotos para quem dou aula, um deles se destaca pela calma e agilidade, o Juan. Sem dúvida ele era o melhor dos meus alunos, sua mãe acompanhava as aulas ás vezes, mas nem sempre podia, e pedia para que o tio do garoto o acompanhasse. Esse sujeito anda sempre mal-humorado, e nem olha para o sobrinho durante as aulas, nem mesmo presta atenção em algo que acontece nas aulas, só fica na janela da academia fumando aquele cigarro fedorento. Umas duas vezes tive que mandá-lo para fora, pois o odor forte da nicotina atrapalhara a aula. Ele se virou, nem olhou para o meu rosto, e saiu da sala. Nessa aula, dessa semana, o mesmo tio viera trazer Juan, eu cumprimentei o garoto com um abraço e esperei mais alguns alunos chegarem para iniciar a aula. Dado o início da aula, Juan como sempre se destaca com sua calma e agilidade, porém estava um tanto lento, algo que deveria ser melhorado. Um pequeno evento aconteceria na próxima semana, e todos os alunos participariam, era apenas uma pequena apresentação, para que eles possam mostrar a seus pais o que tem aprendido nas aulas. Durante a aula pensei bem no que falar para o sujeito mal-encarado que nunca conversara, pois a mãe de Juan estava ausente por conta de uma viagem a trabalho, e o tio do garoto é quem estaria trazendo-o 4 vezes por semana nas aulas. Com o término da aula, dirigi-me até o sujeito, toquei-lhe o ombro delicadamente, procurando ser a mais gentil possível. Foi quando eu o vi pela primeira vez.
avatar
Sweets
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/11/2009

Frase pessoal : Be extraordinary


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Olhos Azuis

Mensagem por Umbreon_NICE em Ter 10 Jul 2012 - 9:09

Uma fic romântica! Já tentei fazer algo do gênero, mas não consegui chegar até final, como acontece comigo na maioria das vezes. Realmente parece ser algo feito com sentimentos e bem descritos. Não algo cansativo mas que fizesse com que o leitor ficasse mais curioso sobre a história. Não achei erros ortográficos e o prólogo ficou de bom tamanho. Boa sorte no projeto.
avatar
Umbreon_NICE
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/07/2010

Frase pessoal : COMUNISMO ANTI SOCIAL


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Olhos Azuis

Mensagem por Black~ em Qua 11 Jul 2012 - 16:28

Bom, posso te dizer que a história está boa, a ortografia não posso questionar pois está excepcional, da descrição digo o mesmo, assim como também a narração. É raro ver uma fic de romance no forum, espero que a sua dê certo. Boa sorte com a fic
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Olhos Azuis

Mensagem por Sweets em Sex 13 Jul 2012 - 10:48

Capítulo 1 - Duas xícaras e um pires.

Seus olhos cor-de-mel fixaram em minha face, eu olhava aquele homem pela primeira vez, nunca tinha reparado o quão bonito ele era.

- Olá. Prazer, sou Kasuga, professores do Juan. - Disse estendendo-lhe a mão num cumprimento educado.

- Eu sei, meu nome é Maeda. Maeda Kenshin. - Disse o homem secamente encarando-me.

- Então, semana que vem tem uma apresentação de luta do Juan, poderia avisar os pais dele, por favor?

- Hum... Ok. Posso vir também? - Aquela pergunta me pegou de surpresa, ele nunca mostrou interesse algum nas aulas do garoto, e agora queria ver uma apresentação dele, me segurei e falei:

- Claro, se quiser mais alguém, pode trazer.

- Hum... Obrigado. Até semana que vem.

- Até. - Juan me deu mais um abraço de despedida e foi embora com o rapaz frio, alto e dos olhos cor-de-mel que me deixou corada.

Terminei meu expediente naquele dia e fui pra casa. Ao chegar na porta do meu apartamento, meu vizinho apareceu na porta ao lado. Sarutobi era mais velho que eu, devia ter uns 30 ou 32 anos, era magro, bonito, tinha os olhos verdes e um sorriso que fazia qualquer mulher, e até mesmo outros homens, suspirarem.

- Boa noite, Kasuga. Teria um minuto para conversar? - Assenti e ele me convidou para entrar.

Assim como os demais apartamentos, o dele também era simples e bonito, com poucos enfeites ou objetos. Ele me convidou para sentar e disse que prepararia um chá para nós. Enquanto ele preparava o chá, olhei para meu celular, constatando que já eram 23h30, e eu estava morrendo de sono. Certamente o chá ajudaria no relaxamento do meu corpo, mas isso não poderia acontecer enquanto eu estivesse na casa do Sarutobi. Apesar de ser muito bonito, ele não é do tipo de homem mulherengo, só o vi até agora com uma única moça, com quem ele ficou pouco tempo. Uns dizem que ele é [palavra censurada], mas esses que dizem são porque têm inveja da beleza daquele homem com seus mais de 30 anos. Ele chegou com a pequena bandeja, sentou-se de pernas cruzadas assim como eu, ele serviu o chá em nossos pequenos copinhos, dei um gole. Sarutobi além de bonito sabia cozinhar muito bem, e preparar chás também. Um homem perfeito para as mulheres.

- Desculpe chamá-la a essa hora, Kasuga, mas eu preciso conversar com você sobre algo que já vem acontecendo a muito tempo.

- Pois continue, estou toda ouvidos.

- Bem... É que... Eu... Bem... Não sei ao certo como lhe dizer isso.

- Sarutobi, não tem problemas algum, somos vizinhos e amigos, pode me falar.

- Ok, eu... - Ele foi interrompido pelo barulho do telefone, sorriu um tanto sem-graça e foi atendê-lo, voltou uns 5 minutos depois e disse:

- Mil perdões Kasuga, é que minha irmã está em trabalho de parto, e eu preciso ir urgente para o hospital, depois conversamos. - Dizendo isso ele correu para dentro do quarto e pegou apenas uma blusa, saí do apartamento, fui até a porta do meu, abri e antes de fechá-la, Sarutobi estava parado de frente para ela.

- Me desculpe mesmo.

- Tudo bem Sarutobi, vá cuidar de sua irmã, depois quero notícias de sua sobrinha.

- Ah... Claro! Claro que sim, trarei notícias sim! - Dizendo isso ele saiu afobado pelo corredor. Fechei a porta do apartamento, fui até meu banheiro, tomei um banho e depois fui me deitar.

O dia seguinte foi normal, dei aulas de karatê e algumas de judô para as crianças mais avançadas, de noite fui para as aulas de dança. Chegando no salão, meus alunos, adultos de 20 a 70 anos, postaram-se em seus lugares e ficaram prontos para o início, soltei um “Boa Noite” bem animado e começamos com a aula. Cada turma inicia-se com um professor, e esse professor os acompanha até o fim do curso de dança de salão. Minha turma se formaria em cerca de 15 dias, e estávamos ensaiando para a apresentação de dança, num teatro de porte médio no centro da cidade. Eu também dançaria com eles, porém seria apenas uma figurante, eles mesmos é quem seriam os protagonistas daquele maravilhoso espetáculo.

Passou-se uma semana e o dia da apresentação dos grupos de artes marciais chegou, naquela noite eu era responsável apenas por um grupo, o grupo do Juan. Eu os arrumei nas devidas posições, dirigi-me até o meu canto e esperei a apresentação começar, enquanto ela não começava, observei as pessoas presentes pela arquibancada para ver se achava o par de olhos cor-de-mel ou algum parente do Juan, foi então que eu sinto alguém tocar no meu ombro, virei-me e deparei-me com a dupla de orbes mel brilhante, que me olhava não com um olhar seco, mas com um olhar amigável.

- Boa noite.

- Boa noite. -Disse um tanto assustada com o surgimento repentino daquele homem.

- Obrigado por ensinar o Juan tudo o que ele sabe. – A voz dele saiu um tanto baixa, muito difícil de entender.

- Ah, por nada. – Respondi um tanto sem-graça.

- Eu vou sentar ali, até mais. – Disse saindo sem olhar para trás, pegando um cigarro e colocando-o na boca.

A apresentação dos garotos foi um sucesso, cada um deles fez o que foi lhes ensinado, em alguns momentos não houve a cumplicidade, com alguns alunos indo para um lado e outros indo para outro, como essa é a primeira apresentação deles não me importei, isso seria reparado com o tempo. Logo depois Juan veio ao meu encontro, todo sorridente, acompanhado do tio que permanecia com o cigarro na boca e olhava para o chão.

- Kasuga Sensei, gostaria de comer Subuta conosco?

- Seus pais também vão?

- Infelizmente não, eles têm que voltar ao trabalho, ficaram muito felizes pelo minha apresentação e para agradecer gostariam que a senhora fosse comer Subuta comigo e com o tio Maeda.

- Bem... Acho que posso sim. – Disse, corando sem perceber.

- Ótimo! Esperem um minuto enquanto me troco. – Disse Juan correndo em direção ao vestiário.

Estar ao lado daquele homem me deixava insegura, eu não tinha medo, mas tinha receio de ficar perto dele. Tinha receio de que aqueles olhos cor-de-mel invadissem minha alma, como anteriormente. Sarutobi e Maeda tinham algo em comum, conseguir me deixar corada. Sarutobi com aquele jeito elegante, gentil, romântico. Maeda mesmo sendo frio e sem parar de fumar um minuto, também conseguia me deixar corada invadindo minha alma com os orbes mel. Ao mesmo tempo em que eu gostaria de uma aproximação com Maeda, tinha o receio por não conhecê-lo muito bem. Sarutobi é meu vizinho, poderia me aproximar dele o quanto quisesse, se bem que aquela conversa com ele me deixou um tanto... Como posso descrever? Esperançosa? É, acho que é essa a palavra certa.

Juan apareceu todo contente e com o sorriso de sempre no rosto e disse num tom animado:

- Vamos lá? Dê-me as chaves, tio.

- Tome, vá em frente e sente-se onde quiser, mas não ligue o carro.

- Claro! – Disse o garoto pegando a chave do carro e correndo para fora da academia.

- Então Kasuga, você só trabalha aqui?

Aquela pergunta me pegou de surpresa, nunca imaginei que ele pudesse querer puxar assunto comigo, ainda mais naquele momento. Meu coração apertou, sem olhar para ele eu disse:

- Ah, bem... Dou aula numa escola de dança também.

- Hum... E você acha que eu poderia fazer aulas também?

- Ah sim, claro. Se quiser eu te dou um cartão da escola e você pode ligar e se informar sobre os cursos.

- E você ensina qual tipo de dança?

- Dou aulas de dança de salão. Tango, bolero, valsa. Esse tipo de dança.

- Acho interessante o tango.

- Muito bom saber que você gosta de dançar. – Acabei falando sem querer, num tom baixo, acho que ele não escutou.

- Ah é? Por quê? – Merda, ele me ouviu. Agora vou ter que responder.

- é difícil um homem como você gostar de dança, ainda mais de tango.

- Como assim “um homem como você”? – Aquela pergunta realmente me pegou de surpresa. Eu não quis ofendê-lo, mas devo ter feito de algum modo.

- Desculpe, não quis ofendê-lo. É que você parece ser um homem tão durão que não gosta dessas coisas, por isso eu acabei falando aquilo, me desculpe. – Mais uma vez fiquei corada.

- Não fiquei ofendido. Quis te deixar constrangida, você fica muito linda com essas bochechas rosadas. – Fiquei mais vermelha ainda, acelerei o passo e entrei no carro.

Chegando ao restaurante fui direto ao banheiro, chegando lá me olhei no espelho. Vi um rosto jovem, belo. Olhos azuis, um tanto escuros. Boca carnuda, um pouco vermelha pelo batom. Um nariz pequeno, fino. E um cabelo negro que caia até depois dos meus ombros, ele era liso com as pontas onduladas, gosto do meu cabelo. Eu estava vestindo uma camiseta clara com mangas bem curtas, uma calça jeans escura e um par de sapatos vermelhos estilo all-star. Terminei de me olhar e voltei para a mesa. Juan havia ido ao banheiro também, sentei. Maeda na minha frente. Ela levantou o rosto, e olhou para meus olhos. Nossas cores se encontraram.
avatar
Sweets
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/11/2009

Frase pessoal : Be extraordinary


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Olhos Azuis

Mensagem por Black~ em Sex 13 Jul 2012 - 18:59

O capítulo ficou um tanto bom e talz, só que ele se passou rápido. Notei alguns pequenos erros:

- Me desculpe mesmo.

Nunca se deve começar com pronomes como se/me/te


- é difícil um homem como você gostar de dança, ainda mais de tango.

Er... Frase sempre se inicia com letra maiúscula.

Só vi isso de errado, de resto está bom e espero o próximo


@Miss: Fanfic inativa. Trancada.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Olhos Azuis

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum