Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Star Fox the Legacy of Pepper

Ir em baixo

Star Fox the Legacy of Pepper

Mensagem por Dusknoir em Sex 25 Nov 2011 - 17:09

Bem....

Depois de um retorno vergonhoso a mim mesmo decidi escrever uma Fanfic, Estive jogando Star Fox 64 3d e decidi fazer a historia em torno do jogo e criar meu proprio cenario com base nele também...

Espero que voc6es gostem e caso isso nao aconteça peço que apontos o por qu6e de tal motivo que eu tentarei melhorar.

Grato desde já

_______________________

STAR FOX THE LEGACI OF PEPPER


Prólogo


_________________________________




Passos e mais passos ecoavam pelo longo corredor da base militar em Venom, do lado de fora a vista não era nada bela, gases pútridos pairavam aqui e acola e o grupo tinha sorte de a parede de vidro os separarem desses gases tóxicos.

- É por aqui pessoal. – uma voz rouca sussurrou para o grupo e mais dois se adiantaram ate uma larga porta de metal, ao lado desta havia um painel com vários botões e um espaço fino e largo para se passar o cartão. – Peppy, use o cartão!

Uma figura de aparência cheia se aproximou do painel e no maior silencio possível passou o cartão que haviam tomado de um dos guardas, ele era feito de metal e possuía uma linha dourada com letras pratas, o acesso fora permitido. O grupo entrou na sala.

Escuridão novamente. Quando ameaçou dar mais alguns passos a porta atrás deles se fechou com estrondo, um holofote foi acionado e um jorro de luz irrompeu na cara dos integrantes iluminando o local. Mais á frente se encontravam vários guardas usando fardas verdes e quepes na mesma cor com a insígnia na forma de um A.

- Ora, ora, ora... O que temos aqui? – soou uma voz seca que se assemelhava ao atrito de cascalhos. A figura era alta e magra. – Se não é o grupo de James Mccloud, o famoso piloto do general Pepper!

Todos ali riram, os guardas estavam armados com armas de laser potentes, elas possuíam tiros de longo alcance e um dano destruidor capaz de fazer um grande cometa virar poeira espacial! Eles não estavam em condição de deboche ou confronta mento.

- Diga Andross o que você quer? – A figura que liderava o grupo havia tomado partido e falava com autoridade. Por causa da forte luz podia-se notar que ele era uma raposa de pelagem castanha, olhos da mesma cor e corpo de anatomia forte. Usava duas pistolas no cinto e algumas minas explosivas.

- Mas por que a pressa? Não posso pedir que meu servo venha ate nós? – a voz de antes havia falado mais uma vez, com um passo a frente a figura se revelou completamente. Era alto e usava roupagens verdes e um chapéu com a letra A em vermelho na cintura trazia apenas uma pistola.

Todos ficaram em silencio ate que uma risada tomou conta do lugar, mas essa não era a risada de
Andross e muito menos dos guardas da base militar de Venom... Essa era a risada de um dos membros do grupo. Mas não podia ser ou poderia? Havia um traidor entre a equipe?

- Kyakyakya! – a risada saiu entro roncos. Ao lado de Andross o cientista louco que causara a grande guerra de Lylat estava uma fugira gorda que usava roupas vermelhas com um casaco branco por cima, na cintura trazia duas pistolas de igual as de James.

- Nunca pensou que havia um traidor entre vocês? – ria Andross novamente. – Pensou que escapei tantas vezes de suas mãos como, meu caro rival? – seu olhar tornara-se serio mais uma vez.

- Então... Em corneria? – James estava assustado com a situação em que se encontrava.

- Exato! Quando escapei das mãos de seu amigo atirador fora porque além de eu superar suas habilidades ele era um agente duplo á meu serviço! Revele-se Pigma Dengar!

O dono da risada amarga de antes apareceu totalmente á luz. Em seu rosto estava um largo sorriso. O porco era o traidor? Mas ele sempre pedia conselhos a James... Como poderia ele ter traído a equipe?

- Ora James simples a resposta para suas perguntas! – caçoou o porco enquanto coçava a barriga. – por dinheiro e armas é claro! Andross é literalmente um gênio em se tratando de armas e isso eu amo mais do que a nossa amizade...

Ele não podia acreditar no que Pigma estava dizendo, mas então sentiu uma mão em seus ombros.

Este era Peppy seu amigo de infância e conselheiro. Haviam se juntado numa equipe de mercenários á um bom tempo e desde então vinham caçando o Vilão Andross... Eles sim eram verdadeiros amigos!

Começou a pensar em uma maneira de escapar. Peppy havia se adiantado á frente começara a conversar com Pigma sobre seus atos de antigamente e sobre a academia e com isso Andross se divertia ao ver a tentativa frustrada de recuperarem seu antigo amigo, mas essa não era a intenção da lebre e sim de distrai-los por um tempo... Mas ate quando?

O capitão então pensou e olhou por todos os lados, não havia nada á não ser as janelas de vidro que separavam os gases tóxicos do campo por fora da base... espera era isso mesmo!

Sacou uma das pistolas e mirou numa das janelas, nesse momento fez questão de perguntar á Andross: - Hey! O que podemos ver, mas não podemos pegar?

O cientista aturdido olhou para a raposa com a pistola apontada para a janela e entendeu o que ele pretendia fazer.

- Guardas peguem-no! – gritou ele, mas James fora mais rápido gritou o comando para a lebre que acionou sua mascara de ar e o mesmo fizera Mccloud, assim que as mascaras subiram o lazer azul disparou em direção ao vidro e o estilhaçou.

Nesse momento o alerta disparou e o gás verde e venenoso adentrou o local. A ultima coisa que viu foi Andross socando um dos guardas e berrando ordens para todos os lados. Só tinham uma coisa a fazer correr para suas naves.

Já tinham corrido por um bom tempo e já podiam ver as fabulosas Arwings, naves de combate no espaço. Possuía o casco de titanium² um tipo mais resistente do que o normal, lasers estavam dispostos ao lado de cada asa e o piloto estava fechado.

- Peppy entre e ligue os motores! Temos que correr, digo voar! – ordenou o raposo mais aflito do que nunca. Atras deles tanques bem armados, soldados em carros, robôs e naves velozes podiam ser ouvidos ao longe. Entrou em sua própria nave e decolou, mas a de peppy havia enguiçado.

- Parta James! – gritava a lebre pelo comunicador.

- Nunca abandono um amigo! – o capitão deu meia volta e se deparou com o seguinte problema... Havia uma frota de naves á sua frente.

Acionou um dos botões do painel e fez com que um gancho e uma corda prendessem no casco da arwing de seu amigo, engatou a marcha e acionou os foguetes, pois precisavam de velocidade. Nessa hora o cabo foi partido por uma das laminas de aço que um atirador havia lançado.

- Mas que droga! – respondeu Peppy ainda no comunicador. Pela telinha de vidro ele pode ver o que James estava pra fazer. – Esta louco? Usar a transdobra aqui com todos esses gases causara uma explosão em larga escala!

O capitão não ouvira nada ou ignorou o que a lebre dizia... A vida de sua equipe era mais importante que a sua própria... ele acionou o botão da transdobra.

Nesse momento a energia estava sendo carregados, os gases absorvidos e Peppy só teve tempo de ativar seu escudo e o propulsor direito que fez com que a nave voasse para o lado correspondente. Nesse momento a nave da raposa brilhou, pela tela pode ver o sorriso na cara do amigo e então luz, fogo, e gás se espalhou por tudo.

A Arwing da lebre foi arrastada pela energia do vácuo que fora criada e jogada para longe da rota de Venom, mas imposta na rota de Corneria agora o espaço se encarregaria do trajeto restante, Peppy estava inconsciente.

De três coisas mesmo desacordado a lebre tinha certeza: A primeira era que Andross ainda estava vivo, a segunda que seu melhor amigo havia se sacrificado por ele e a ultima que Fox o filho do capitão iria querer vingança...

Mas essa noticia pesada ele só falaria quando estivesse dentro da Great Fox.

_____________________________________

Agradeço mais uma vez!
avatar
Dusknoir
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/03/2011

Frase pessoal : FOR THE HORDE!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Fox the Legacy of Pepper

Mensagem por Dusknoir em Dom 27 Nov 2011 - 1:26

Bem.... Mesmo sem ninguem ter comentado vou continuar a postar de domindo e quarta (ao menos tentar) pois esta fic eu quero terminar. custe ela o que custar.
____________________________________________________________________________

Capitulo 1 - partida

____________________________________________________________________________



Já havia sem passado quatro anos desde o falecimento do honorável herói James Mccloud. Peppy a lebre, e parceiro de James, havia retornado e relatou tudo o que acontecerá, desde a chegada deles em Venom ate a morte de seu parceiro... A traição de Pigma fora revelada e ele caçado por todas as partes.

Nesse meio tempo James havia deixado seu filho sozinho, a mãe dele e esposa de Mccloud havia morrido anos antes por um assassinato duvidoso. De toda forma Fox como ele era chamado, ficou aos cuidados do General Pepper e sobre os conselhos de Peppy.

Durante esses quatro anos Fox executou diversos serviços como mercenário da Great Fox, a mesma para a qual seu pai houvera trabalhado, executava trabalhos simles como a escolta de pessoas entre os planetas, ou ate as mais difíceis como recuperar bases ou detonar bases militares.

Durante dois bons anos o cientista louco chamado por Andross não deu as caras e somente quando Fox completava seus 18 anos seu exercito em Venom voltou as atividades e a Segunda Grande
Guerra de Lylat teve inicio...

Ainda assim Andross e Fox não se encontraram cara a cara, mas um sabia da existência e das atividades do outro. Fox pensava cada vez mais em vingança e isso tornou-o um mercenário inteligente e perito em muitos combates, tanto no espaço com as famosas Arwings como em terra firme com os tanques de guerra ou carros de combate.

A guerra acabou e durante mais doze anos a paz reinou...

X


O Planeta Corneria, um dos maiores do sistema Lylat. Com varias cidades e paisagens diferentes,
sendo o único planeta com registro de população ‘’humana’’.

É também nesse belo planeta que se encontra a maior força militar de todo o espaço, a companhia

Great Fox liderada pelo general Pepper. General Pepper é ninguém menos do que um ex-combatente que após deixar armas e veículos de guerra se fixou como comandante das tropas de defesa do sistema Lylat.

A Great Fox conta com a base principal no planeta Corneria conhecida pelo nome de ‘’A Torre’’ onde as naves e veículos armados repousam em atualizações e onde também os novatos que querem ingressar nas tropas espaciais devem ser treinados.

Enfim é aqui onde qualquer um dos pequenos soldados ate os ilustres capitães veem procurar repouso e novas tarefas. E com Fox não é diferente.

Já com seus 30 anos de idade o mercenário e sua equipe retornam mais uma vez após terem cumprido uma de suas tarefas. A ultima incumbia a Star Fox de destruir dois gigantes em Venom... Um planeta nada amigável.

Atualmente a equipe Star Fox não se encontrava inteira na Torre, alguns estavam dispersos por Corneria fazendo suas diversas atividades.

Num dos milhares corredores da Torre uma raposa vermelha caminhava tranquilamente ate que num dos microfones ouve-se a mensagem:

- Por favor, convocamos a presença da Star Fox ate o gabinete central! – a voz feminina pedia com tranquilidade e nesse exato momento Fox parou súbito no corredor. Mais uma missão?! Tinham acabado de chegar de uma!

Do outro lado do corredor abriu-se um pequeno compartimento onde uma mão com três garras metálicas surgiu.

- Mas o qu... – Fox não teve tempo nem de terminar seu pensamento e já estava sendo agarrado pelo colarinho pela garra. Sobre seus pés um túnel surgiu levando-o infinitamente para baixo e sempre nessa direção. A garra o soltou... E ele caiu.

- Ahhh! – sua voz ecoava no túnel de aço, seu reflexo estava no elemento prata e sua expressão não era uma das melhores. – Slippy e suas invenções!

Caiu por cerca de quinze minutos e então se chocou contra uma espécie de almofada. Quando pensou que a caída retilínea havia acabado seu pensamento foi mais uma vez interrompido por outra garra que o levou ate uma espécie de carrinho de mão. O veiculo disparou a frente por outro túnel... Ele teria certa conversa com o sapo.

Minutos e então se deparou com uma porta redonda feita de vidro, que por sinal não era transparente. Ao lado da porta estava um pequeno painel com seis botões e um lugar para se passar o cartão. Fox agarrou o seu e encaixou no vão, digitou a senha e ouviu os tinidos irritantes do painel.

A porta abriu.

Dentro do gabinete, que por sinal era enorme, estavam três figuras. A primeira estava de costas para o recém chegado, mas de frente para um grande computador onde varias imagens de projetos apareciam á cada minuto. Essa por sua vez vestia-se com altivas roupas vermelhas com botões dourados e um quepe na cor vermelha predominante, suas botas eram pretas e sua espécie á de um cao labrador.

A segunda ele conhecia muito bem. Era uma lebre que sempre o ajudava nas horas difíceis com conselhos e dicas. Estava usando suas costumeiras vestes vermelhas com o casaco bege por cima e suas botas brancas. A terceira era um sapo com roupas no tom do azul petróleo, uma jaqueta branca e um boné vermelho.

- Seja bem vindo ao GB, Fox. – o labrador tomou a primeira fala. Se virou de frente para a raposa podem fita-lo olho á olho. – Deve ter percebido que eu convoquei a Star Fo... – ele não terminou.
Nesse exato momento alguém batia o cartão com raiva no painel e xingava inutilmente a porta.

Alguns minutos se passaram e então um Falcao azulado nada alegre adentrou o local.

- Slippy seu sapo idiota! – esbravejava ele. – Desde quando se suspende uma pessoa no ar para depois atira-la terra abaixo?! – a ave agora já havia pego o sapo pela gola da camisa e o sacudia para os lados.

- C-C-Calma! – a voz saiu falhada varias vezes por questão de ele estar sendo sacudido.

- Falco! – o labrador virou-se para a ave chamando por seu nome. – Esse comportamento se deve á má influencia de nossos semelhantes? – o cão havia tomado uma posição austera.

- N-Não senhor! – Falco gaguejou.

O cão acenou para que todos chegassem mais perto. No meio uma mesa apareceu e um holograma foi aparecendo, tomou a forma do sistema Lylat e depois fez com que um planeta em questão brilhasse de hora em hora...

- Eu convoquei a Star Fox, pois quero que verifiquem uma coisa para mim. – ele olhou para todos os presentes e continuou. – A uma semana atrás uma de nossas bases em Titania perdeu contado conosco, registros e armamentos foram perdidos...

Silencio. Vendo que ninguém iria falar ele continuou.

- Uma segunda base, também nossa, se prontificou de vistoriar as perdas da primeira e esta também perdeu contato assim como nós perdemos seus registros. A única que não sofreu perda com nada é a subterrânea. O que me dizem?

Dessa vez era uma pergunta e ele queria uma resposta. Foi Falco quem a deu.

- Digo que isso deve ser obra de nossos inimigos. Quando minha estivemos em Venom não pude deixar de reparar em pequenas movimentações em meu radar e não eram seres vivos, pois seu sinal era de nível 1. – a expressão da ave estava mais calma.

- Mas se forem seres vivos como os golens e outras criaturas como as de Venom, os radares já não as teriam captado? – Indagou Slippy. Falco olhou com certa desaprovação ao sapo, este so fez se encolher. Peppy agora tomou voz.

- Nem sempre os radares descobrem algo Slippy. Sem falar que Titania não conta com seres vivos como os golens, os sinais mais baixos que já foram detectados naquele lugar são de nível 7. – a lebre falava com autoridade e muito se assemelhava ao cão.

- Entao General, não duvido que nos chamou para irmos averiguar a situação de nossa base nesse planeta e se possível descobrir o porque desses desaparecimentos, estou certo? – Fox quem falara por ultimo de toda a equipe.

O labrador pensou por um tempo e ficou calado. O silencio ficou por aproximadamente meia hora no gabinete e todos não emitiam sinal algum, ate que Pepper tomou a voz novamente.

- Sim Fox, para isso, mas não só para isso. – ele tinha algo mais á contar. – Eu e os desenvolvedores bélicos da Great Fox resolvemos inovar nossos veículos e armas... E você junto de Falco são nossos melhores pilotos.

- Eu e ele?! – indagou Falco.

- Sim! Voce e Ele! – tornou a falar o general. – Voltando ao assunto. Desenvolvemos um novo e inovador veiculo e também arma. Peppy já testou o primeiro e deste eu não falei com vocês, mas desse segundo creio eu que todos deverão ter ao menos um em posse.

O General Pepper apertou um botão branco num dos painéis que haviam na mesa do holograma, nesse momento a imagem modificou-se para um projeto de um tanque de guerra, mas não qualquer tanque mixuruca e sim um verdadeiro Lorde Belico.

- Este é o LandMaster! – começou mais uma vez o labrador. – Posso defini-lo como um Super Tanque. Desenvolvido á pouco tempo e testado somente uma vez ate agora, so nos mostrou resultados ótimos.

Os olhos de Falco brilharam ao ver o modelo do veiculo e seus armamentos listados ao lado. Se tinha uma coisa que ele adorava eram as armas e veículos de combates. A nave Arwing ate agora era seu veiculo predileto, depois vinham os carros de combate, jet packs armados, as armaduras robóticas e entre outros.

Mas esse tanque tinha algo que ele não conseguia advinhar o que era que fazia com que ele se sentisse nas alturas antes mesmo de ter decolado para o espaço. O General continuou a explicar.

- O LandMaster possui por enquanto um único e potente canhao, capaz de destruir uma de nossas pequenas bases num só tiro ou de derrubar trinta golens de Venom em dois. Equipamos ele com nossas famosas Smart Bombs e suas habilidades muito se assemelham com as da Arwing. – fez mais uma pausa.

Usando uma espécie de rolo que havia na mesa ele fazia com que o tanque ficasse de cabeça para baixo, para cima, de lado e então fechou o holograma.

- Ele será o veiculo que vocês quatro deverão utilizar em Titania. – agora ele apertava mais uma sequencia de botões e um túnel, semelhante ao qual Fox havia caído, apareceu ao lado da porta de entrada.

Quando Slippy, Peppy, Falco e Fox se direcionavam á saída o General os chamou de volta.

- Eu não terminei!

- Desculpe! – disseram todos em coro.

- Tanto faz... – ele apontava agora para uma saída circular por onde um a um deveria sair. – Saiam por ali e então nos encontraremos na Great Fox. – e então ele mesmo desapareceu como um holograma. Todos ali ficaram aturdidos.

- Entao estávamos falando com um... Holograma? – Perguntou Falco.

- É o que parece. – tornou Fox.

- Vamos parar de enrolar, isso só nos mostra que Pepper quer que sejamos o mais rápido possíveis.

Saíram então um por um pelo túnel circular e estreito. Ele sempre continuava para baixo e de vez em quando fazia uma curva acentuada para um dos lados. Após segundos de descida eles se encontravam no hangar onde a Nave Mãe se encontrava.

A nave possuía três andares sendo o ultimo o mais extenso já que se encontrava na cabine do piloto, e esta se localizava bem na ponta da nave. Pouco abaixo do segundo andar estavam já acionados os dois poderosos canhoes da nave Great Fox, quatro asas triangulares saiam de cada lado, três turbinas á plasma ficavam na traseira, um hangar para os veículos era o primeiro andar e também a entrada para a nave. Por fim um canhao mais fino que saía direto na cabine atirava os lasers mais fracos, mas que podiam ser direcionados por técnicos.

Poucas vezes essa nave entrou em combate e quando fazia, sempre e nunca com exceções, quem a pilotava era o General Pepper e então o combate era assombrosamente a favor da Great Fox. Uma voz soou pelo hangar da Torre.

- Atençao Pilotos da Star Fox seus veículos aéreos já estão prontos! – mais uma vez a mesma voz feminina falou, mas garra nenhuma viera pega-los ou atira-los túnel á baixo.
Fox e os outros três saíram cada um em direção á sua nave e cada uma era diferente da do outro. A de Fox era mais semelhante á uma arwing, porém era o modelo mais novo e mais potente. A de Falco fugia do padrão normal e se assemelhava ao da frota armada de corneria, mas com um tom mais parecido com o de um pássaro real, a de Slippy era redonda no centro e sua coloração verde. Por fim a de Peppy não havia mudado nada, não era mais nova e sim á mesma Arwing de quando ele e James pilotavam.

- Preparem-se para partir logo após a Great Fox! – agora quem falava era o General Pepper. – Por favor não hesitem em atacar qualquer inimigo ou de entrarem para o hangar da nave, Boa sorte para todos vocês e se caso se percam encaminhem-se para a base #03 em Titania!
E então partida.

A Grande Fox¹ ligou suas turbinas de plasma e então decolou num impulso, a Arwing II logo partiu também, Sky Claw já estava nos céus de Corneria, BullFrog partiu logo após Fox e Arwing I foi a ultima a decolar.

Tao logo haviam partido alcançaram o espaço Corneriano e logo estariam na rota de Titania. E então a nova missão teria inicio.
avatar
Dusknoir
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/03/2011

Frase pessoal : FOR THE HORDE!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Fox the Legacy of Pepper

Mensagem por ~Wind em Dom 27 Nov 2011 - 11:59

Pororoca! Uma Fanfic de Star Fox!
Eu estava mesmo querendo ler uma, leu minha mente!
Bem, mesmo eu não entendendo muito de Star Fox, a Fanfic ficou muito legal.
Eu fiz uma leitura rápida, mas gostei, deu para reparar que você sabe descrever muito bem.
Boa sorte.
avatar
~Wind
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/05/2010

Frase pessoal : Kame... Hame... CHOKI DU TROVAUM!


Ver perfil do usuário http://dualgeneration.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Fox the Legacy of Pepper

Mensagem por Dusknoir em Ter 29 Nov 2011 - 21:30

Bem cá estou eu de volta com o segundo capitulo. Agradeço ao seu comentario Red_HGSS e fico feliz por ter gostado e comentado. Mesmo que somente com esse comentario isso ja almenta a vontade de continuar escrevendo e com ou sem comentarios vou continuar mesmo. Acompanhem agora a primeira parte desse capitulo.
____________________________________________________________________________

Capitulo 2 - Titânia, Talio e Falco (parte I)

____________________________________________________________________________



As cinco naves já estavam orbitando ao redor do planeta Titânia. A poderosa (e base aérea também)
Great Fox era quem mais se aproximava do grotesco planeta, logo atrás seguia a nave Arwing II com seu piloto Fox já não muito alegre pela extensa viagem, logo depois dele vinha a Sky Claw comandada por Falco que aparentemente estava com o humor pior do que Fox, mais atrás seguiam quase junto Slippy e Peppy.

O planeta Titânia se assomava grotescamente grande pouco mais á frente. No rádio de cada nave em individual a voz de um dos assistente do general na Great Fox soou com alguns chiados:

- O General Pepper convoca a presença de toda a Star Fox! Repito... – mas não terminou, pois Falco interferiu na transferência.

- Não precisa repetir ninguém aqui é surdo! – ele realmente estava irritado. – e já estamos indo! – continuou resmungando. Apertando um botão azulado no painel á direita do manche da nave, os jatos auxiliares foram acionados e a Sky Claw passou a nave de Fox e já entrava no hangar que a nave mãe abrirá.

‘’’Preciso ter cautela nesse planeta, não conheço o terreno e nem os habitantes e não sei os perigos que nos esperam... ’’ Fox pensava consigo mesmo, pois além de estar emburrado ele se preocupava com o bem estar da equipe e sabia o que Titânia significava para Falco. Em meio á esses pensamentos Fox ia adentrando a Great Fox.

Fox havia entrado poucas vezes na Great Fox, mas já tinha decorado mentalmente cada corredor da grande nave, Falco já subia por um elevador junto de Slippy o que era raro de acontecer, a ave não suportava o sapo... Peppy se aproximava dele.

- Tente não irritar Falco. – era impressão dele ou a lebre havia pedido para ele não irritar falco?
Como se ele quisesse e adorasse discutir em todas as missões. – você sabe o que este planeta significa para ele... – a voz do general soou no radio convocando a equipe mais uma vez.

- vamos?

- Vamos, Fox. – os dois entraram no mesmo elevador de antes e subiram para a sala de comando.

O elevador parou no terceiro andar da nave, tiveram de andar por um extenso corredor branco com varias portas de cada lado, portas também branca. A única cor diferente eram os painéis aqui e acola com seus tons de cinza e os botões prata. a lebre guiou Fox ate uma porta toda na cor prata com um sensor no topo dela.

- Peppy Hare, 1966. – após proferir seu nome seguido da data que Fox reconheceu como a data de nascimento de seu colega a porta abriu automática, Fox entrou mais que rapidamente junto de Peppy.

O General estava sentado numa cadeira oval com uma almofada redonda e pra variar branca também que se sustentava por ondas gravitacionais, Falco encontrava-se sentando na outra ponta da mesa numa cadeira idêntica ao de Pepper, Slippy sentava na lateral que dava as costas aos computadores e painéis de controle, Peppy sentou numa outra ao lado do sapo e Fox na que sobrará na outra lateral.

- Bem. – começou o general. – espero que tenham feito uma ótima viagem de Cornéria ate a orbita magnifica desse planeta! – Falco tossiu forçadamente. Fox foi quem se pronunciou.

- Uma boa viagem com toda certeza general.

- Agora vamos tratar de assuntos oficiais. – ele apontou um pequeno controle remoto para o centro da mesa e deu um clique no botão ENTER. Assim como havia acontecido com o LandMaster na mesa agora estava um grande gigante feito de pedras vermelhas.

- Este é Talio, o construtor de Titânia. – continuou o general. – o radar da Great Fox detectou ares de nível 7 e rastreamos o ser pelas ondas de calor que a Great capitou. O sinal bateu com o mesmo que Talio transmite e concluímos que os ataques á nossas bases vêm sendo por artes desse gigante mecânico.

- Mas se ele é mecânico como o corpo é feito a partir de pedras? – perguntou o sempre curioso Slippy.

- Não importa do que é feito e sim que temos que destruí-lo ok?! – respondeu secamente Falco. – e se me dao licença preciso pegar o meu transporte no hangar assim como minhas armas.

Levantou-se da mesa, bateu em continência com o general e saiu da sala todo irritado. Fox fez olhos de quem não entendia Slippy nem se preocupou em perguntas, porém Peppy foi logo se adiantando nas explicações.

- O pai dele morrer pelas mãos de Talio... – Slippy arregalou os olhos em globo, Fox ficará aturdido e somente o general ficará com a mesma cara despreocupada e calma de sempre. – Eu ainda não fazia parte da Equipe de seu pai, Fox, e embarquei numa missão com Galvon Lombardi. Tinhamos a mesma missão, derrotar Talio e acabar com suas orda de construtores mecânicos.

Ele fez uma longa pausa para depois continuar.

- Chegamos perto, mas na hora mais precisa Talio apareceu de surpresa e nos atacou, ele e seu conjunto de mini-robos acabaram com a nave de Galvon e eu retornei por pouco, pena que o Sr. Lombardi não pode retornar... – a lebre deixou que uma pequena lagrima escorresse por sua face.

- Bem acho que devem se preparar assim como o Sr. Falco... – o general já se levantava e abriu as portas para os três restantes. Saíram juntos em direção ao hangar.

- Acho bom que Falco prepare não somente suas armas e seu veículo, mas também seu emocional. A tarefa será mais árdua para ele do que para os outros... – Apertou um botão no painel central da sala e então foi tele portado para a sala de direção onde se encontrava o manche e o volante da grande nave.

X

No hangar os três que á pouco tempo haviam descido encontraram Falco entretido numa mesa preparando seus armamentos, Slippy correu até ele para o ajudar com as armas.

- Qual é essa? – perguntou o sapo apontando para uma arma de cano longo, mira pequena e fina, gatilho pouco curvado e uma pequena lanterna acoplada ao cano principal.

- É uma Demon Sniper Rifle. – Falco conseguia conversar com o sapo quando se tratava de veículos de combate e armamentos. – Tiro mais poderoso que as pequenas pistolas da academia porem de tiro mais demorado e menos preciso se o atirador for com pouca experiência.

Pegou a arma citada e a colocou numa maleta que por hora estava vazia. Slippy viu que disposto sobre as mesas estavam algumas Smart Bombs.

- Acho melhor leva-las. – ele apontou para as bombas com um gancho que se acoplava ao inimigo ou obstáculo e não soltava ate estourar. – se o Talio precisar de um empurrãozinho elas servirão certamente, não?

Falco concordou e colocou uma caixa contendo cinquenta delas para dentro da maleta preta ao lado, agora na mesma mala iam o rifle, as bombas, duas pistolas, e uma Gatling Gun azul e prata com tiros de plasma explosivo. Slippy virá outra arma desconhecida por ele e pediu mais outra explicação.

- Este é um Missile Launcher. – começou Falco. – ele funciona da seguinte e simples maneira. Eu o carrego com ate quatro misseis e então os atiro, o potencial bélico é o mesmo que os tiros carregados da pequena Arwing II senão mãos poderosos...

Slippy ficará aturdido... Mais poderoso que o tiro carregado que a nave do capitão Fox? Então esse atirador de misseis de pequeno porte poderia destruir a Great Fox com ao menos três projeteis! Era poder demais... Para uma arma daquele tamanho.

- Agora vamos porque quero acabar o mais rápido com isso! – e Falco disparou em direção ao LandMaster que estava á sua espera que por sinal era bem diferente dos demais tanques.

- Sr. Falco o seu veículo esta pronto e carregado! – anunciou um dos soldados cadetes. Um agradecimento viera de Falco.
Fox e os outros dois seguiram para suas Arwings, pois segundo o general somente Falco deveria ir no tanque, já que havia treinado meses para pilota-lo e também já havia personalizado o seu próprio.

O hangar abriu e as naves decolaram rumo ao planeta mais abaixo deles. Falco adentrou a cabine de controle do veiculo, colocou o cinto, o capacete e então acelerou com força o veículo que foi lançado do espaço ate terra firme.

Caía por mais ou menos 300 quilômetros por hora, tanto que as naves haviam ficado para trás.

Aproximava-se cada vez mais de terra e então com um baque estrondoso o tanque colidou com o terreno rochoso. Uma cratera abriu-se no local da queda e pouco depois de se recuperar, Falco, guiou o tanque para fora do grande buraco e rumava direto para o covil do gigante Talio.
Agora era vez de acabar com certo alguém...

______________________________________

Espero que tenham gostado e comentem por favor se puderem! Bye!
avatar
Dusknoir
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/03/2011

Frase pessoal : FOR THE HORDE!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Star Fox the Legacy of Pepper

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum