Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

~Seven~

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Kurosaki Lucas em Sab 10 Mar 2012 - 14:16

lol, eu li e nem vi o tempo passar, na verdade, ele voou. Gostei muito da narração e da descrição, muito naturais e bem mescladas, aí a explicação deu ler e não reparar o tempo passando, não foi algo entediante. Sério, nada a comentar sobre falhas.
Gosto do Spike e seus apelidos, Amphere me lembra Ampharos (-q), e Mixa agora será Mermaid, séra que é tão bela quanto uma sereia mesmo? :p
Algo me diz que essa Kiwa será a numb 5² ela não entraria à toa na história, sem mais nem menos. E o Zarcag me parece beem forte mesmo, Mack terá de se esforçar. Spike também terá de acalmar suas angústias, ou seja lá o que ele tá sentindo, não pode deixar influenciar.
Enfim, aguardo o próximo cap com o numb 5. u.u
avatar
Kurosaki Lucas
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/09/2010

Frase pessoal : KURO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Vulc em Sab 10 Mar 2012 - 21:47

Mud, seu escritor fafado *0*

Well, sorry por só postar agora, estava relendo os caps e.e
Gostei do ultimo cap, mas acho que a chegada da Kiwa foi muito encaixada, tipo, a personagem que cai de paraquedas e se torna importante já até sei quem vai ser o numb 5-q
Sem erros, narração impecável, e como sempre história incrível, vou continuar lendo e espero o próximo cap e.e
avatar
Vulc
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/03/2010

Frase pessoal : I'm still into you


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Kurosaki Mud em Sex 23 Mar 2012 - 23:47

o/ Oi pessoas

Obrigado aos meus amigos Weegee, cbm, DZ, Kuro e Vulc pelos coments, guardei no colassaum. Agora, chupem, a teoria de vocês estava errada, leiam e entendam.

Aqui está. PS: Coloquei os ataques na cor do Numb, vê se ficou melhor. ;3 E quanto aos golpes do Spike, não façam ai que dor nos olhos, sublinhem com o mouse preguiçosos '-'






IV
No dia 24 de outubro, às 11h30min da manhã, o trio de amigos com os Numbs I, IV e VII chegaram ao Central Park.

As folhas emudecidas do outono farfalhavam ao serem pisadas por eles. O parque, como de costume, estava movimentado para uma manhã de dia de semana. O Sol brilhava e as nuvens ficavam longe da grama verdinha do local.

Um músico tocava saxofone, tal qual o sonho de Mack previra. Dentro de uma hora, aquelas pessoas poderiam ver algo ruim acontecer.

- Vamos colocar nosso plano em ação. Mermaid! – Falou Spike, dando um sinal de confiança a garota.

Mixa fechou os olhos e começou a se concentrar. As nuvens longínquas se aproximaram muito rápido e começou a chover fortemente no parque, como se ela tivesse invocado a dança da chuva em três segundos.

As crianças corriam para as mães e as famílias iam embora, arrumando os piqueniques nas cestas. Até o músico guardou seu instrumento de sopro em uma caixa e saiu.

- Spike, sua vez. – Falou Mack ao ver todos aparentemente longe de vista.

O loiro invocou relâmpagos das nuvens cinzentas de chuva. Os poucos que resistiam com a água, começaram a correr. Em instantes, o Central Park estava com apenas três amigos em um canto arbóreo.

- Beleza, deu certo. Vamos nos abrigar embaixo daquela árvore e esperar até meio-dia e meia. – Comentou o Amphere.

E assim, eles ficaram esperando por dez minutos...

...meia hora...

...uma hora...

... E nem sinal da luz verde.

Até que faltando cinco minutos, Spike se levantou e disse:

- Nesse instante, Zarcag deve estar vindo para cá. O Numb dele pode ter poderes psíquicos prevendo a localização dos outros.

Porém, nem mesmo o vilão apareceu. O relógio ficou com o ponteiro pequeno no 12 e o grande no 6 e apenas o barulho da chuva chiava.

Mack chapinhou até onde lembrava ter visto o V emergindo, em meio a arbustos e sem árvores em volta.

- Eu jurava que era aqui. Não pode ser, meus sonhos estranhos sempre deram certo. – Explicou-se.

Quando se passou mais uma hora, eles decidiram:

- Vamos embora. Aliás, parar de enganar os meteorologistas seria uma boa ideia. – Brincou a Mermaid.

E a dupla parou com a tempestade forjada. O saxofonista voltou ao seu local de trabalho e algumas crianças começaram a aparecer. Os vendedores de comida dirigiam seus carrinhos e os adultos praticavam Cooper como sempre faziam em menos de quinze minutos.

- Relógio idiota! – Gritou Mack, jogando o aparelho numa poça d’água.

Boquiaberta, Mixa pegou o acessório de volta e falou:

- Isso foi um presente do dia do Amigo que eu te dei, se você não se lembra. – Ela falou tristemente.

O garoto se sentiu mal, tinha esquecido completamente o valor do relógio de tanta raiva que estava do sonho.

- Desculpa Mi. Eu vou coloca-lo de novo. Pena que agora eu acho que ele quebrou. – Notou ele.

E realmente. A hora tinha voltado um número antes, marcando 12h30min.

E nesse instante, uma luz arroxeada atingiu uma criança que estava com seu pai, comendo um hot dog. Em seguida, uma mulher que passeava entre as árvores e tirava fotos também caiu. E consecutivamente, feixes de luz violeta atingiam as pessoas ao redor e as fazia caírem de dor. E o centro de tudo era o músico de jazz, com óculos de Sol.

- Foi isso! A hora do relógio de pulso estava errada. Ele estava aqui desde o começo.

Spike nem ouviu Mack e Mixa conversarem, retirou sua lança dupla portátil do bolso e a aumentou para seu tamanho original. Em seguida, saltou até o homem com um olhar de fúria.

- Maldito! Shock Beam!

E a lança disparou um enorme relâmpago amarelado no homem de chapéu e sobretudo. Uma espécie de bandeja lilás refletiu o golpe.

- Amethyst Fragments! – Gritou o saxofonista.

E cacos de vidro roxo voaram de sua mão em direção ao Amphere, que se protegia com sua prancha estilo Super Choque.

- Heat, uma mãozinha aqui!

Mack e Mixa correram de onde estavam para ajudar o amigo.

- Heat Wave!

- Water Sphere!

Das mãos deles, um ataque foi lançado. O garoto fez ondas de calor para derreter os fragmentos e a menina usou uma esfera de água que atingiu o corpo de Zarcag, disfarçado de artista.

- Eu me surpreendo de vocês saberem o local de cada Numb. Apenas eu posso ver o futuro. Só eu tenho esse esoterismo sonhador vidente. Porém, se por acaso for derrotado, todas as pessoas que foram atingidas pelo meu Purple Link morrerão da mesma forma.

E então os três notaram. Fios de carne cor de malva saiam do coração de cada uma das pessoas caídas no parque. E todas se ligavam na capa de Zarcag.

- Desgraçado. Se essas pessoas morrerem, eu juro que vou vinga-las derramando seu sangue! – Falou Spike, retirando um caco de seu ombro esquerdo.

Ele riu e retrucou:

- Ou vocês me deixam procurar o Numb de Grama ou mato os inocentes.

Os três abaixaram as mãos com lágrimas nos olhos. Era difícil desistir após serem enganados por aquele malfeitor, contudo, a vida de quem não tem nada a ver era mais importante.

- Muito bem. Se me permitem, usarei minha telepatia para encontrar o meu tesouro.

Ele fechou os olhos e pressentiu a essência do V. Ficou um minuto sorrindo e cantarolando a vitória enquanto os olhos púrpuras faiscavam. Porém, gritou de ódio, ao invés de alegria.

- Onde ele está?!

Ele se virou para os adolescentes e rugiu:

- Vocês pegaram o meu precioso número cinco! Entreguem-me os quatro Numbs ou sofram as consequências!

O garoto começou a invocar raios escuros de suas mãos. Na hora de dispará-los, ele pressente outra forma de vida. E das sombras das árvores, alguém aparece e chuta a bunda do vilão, que cai de cara na lama.

Não deu para ver a figura do corajoso, apenas que ele tinha a altura de um adolescente e que uma luz verde fortíssima saía de seu Numb.

- Era um blefe dele. – Entregou o vulto – Para que ele matasse todas as pessoas, ele deveria se suicidar. Eu estou com o Numb V. Espero que nos encontremos novamente. Agora não é a ocasião certa. Apenas tomem cuidado – Ele se referiu ao trio, antes de sumir novamente.

E a luz parou de cintilar. Zarcag também sumira.

- O que foi isso? – Perguntou Mack pasmo, piscando os olhos depois de força-los contra a luz.

- Não sei. Mas ele derrotou o emo. – Festejou Spike.

- E foi embora com o Numb.

As pessoas ao redor se levantavam e estranhavam a dor que sentiram em poucos instantes.

- É melhor irmos embora também. O Velho Joe vai nos matar se chegarmos atrasados. – Falou Mixa.

Os três concordaram. Entretanto, Mack viu um pequeno brilho na grama onde estava o vulto. Ele se aproximou e viu um pingente em forma de sapo.

- Acho que isso é do Super Sombra. – Falou ele ironicamente.

- Sim. Isso pode ser uma pista. – Comentou o Amphere avaliando a joia.

Os três caminharam para fora do parque e foram até a Frozen Pig, para mais um dia de trabalho. Seja lá quem fosse o estranho, eles deviam um favor a ele.



~//~

Após três horas do ocorrido, Mixa lavava uma pilha de taças, Spike atendia alguns clientes na mesa 7 e Mack preparava um Banana Loka para um freguês do balcão.


Velho Joe não reclamou do atraso, o que foi algo inusitado vindo dele. Os três estranharam, mas é melhor não cutucar onça com vara curta. O pingente estava no pescoço de Mack, o sapinho dourado reluzente.

Após dois minutos, o garoto entregou o milk-shake ao garoto de cabelos anil e perna enfaixada que esperava ansiosamente o produto.

- Aqui está. – Disse o ruivo.

- Valeu. – Agradeceu o cliente, entregando cinco dólares ao atendente. Em seguida, pegou o troco e foi embora.

Mack enxugou a testa de suor e foi atender o próximo freguês. Porém, todos da fila não olhavam para ele e sim para o rapaz que acabara de receber o Banana Loka.

- O canudo de ponta dourada! – Exclamou um menininho da mesa 4.

- Que cara de sorte. – Comentou uma garota da fila.

Mack bateu a palma na própria cara. Depois de muito tempo procurando o canudinho, tentando surrupiar o concurso para obter o tão precioso Ipod com 1000 músicas, ele perdeu a oportunidade por pura distração.

Velho Joe chamou o garoto sortudo para sua sala, Mixa falou para que o amigo acompanhasse o cliente até o gabinete.

Chegando ao escritório de gerência no piso superior da sorveteria, Mack já ia voltar ao trabalho quando seu chefe disse:

- Ainda não, quero que você ouça nossa conversa.

Estranhando, o ruivo ficou na sala, junto dos outros dois.

- Meus parabéns Nigel Grapeberry. Aqui está o seu Ipod. – Disse o velhinho, entregando o aparelho para o rapaz, que agradeceu – Agora, pode tirar essa faixa de sua perna direita.

Repentinamente, os olhos de Nigel se arregalaram.

- Desculpe, eu não posso. O médico recomendou que...

- Não seja tímido meu rapaz. E você – Ordenou ele ao subordinado - levante a sua manga direita e mostre a ele.

Naquele instante, foi Mack que ficou pasmo. Em seu braço direito estava nada mais nada menos do que seu Numb IV.

- Senhor, eu tenho uma infecção contagiosa aqui que...

- Faça isso ou será demitido. – Mandou Velho Joe.

O garoto entrou em estado de choque. Porém, dependia daquele emprego. Ele levantou de modo devagar a manga até o número quatro romano cravejado de joias aparecesse.

- Viu Nigel? Não tenha vergonha, apenas mostre o seu.

O garoto corou. Seu cabelo repicado cor de anil estava começando a ficar suado. Contudo, ele retirou a gaze e mostrou um número V com a cor verde, cravejado de jade e esmeralda em sua coxa destra.

- Como eu suspeitava. Bem-vindo a seu novo emprego Naku!

- Como você sabe meu verdadeiro nome? – Espantou-se ainda mais (se é que é possível) o menino.

- Mack, chame Mixa e Spike aqui. Já está na hora de termos essa reunião sobre Numbs.

Sem pensar duas vezes, o jovem desceu e avisou para os outros atendentes cuidarem por alguns minutos da Frozen Pig que o chefe conversaria com o trio. Eles disseram que tudo bem e a menina e os dois rapazes foram até o escritório.

Após todos se sentarem, velho Joe começou:

- Vou explicar minha história desde o início. Vocês quatro sabem da verdade sobre os Numbs, sobre o cientista e Ignoto, do oitavo projétil de fóton, do nº 3 maléfico, etc...

Os adolescentes concordaram, incluindo Nigel.

- Pois bem, o que vocês não sabem foi que eu criei os Numbs.

Spike soltou um gemido um pouco feminino. Mixa gaguejou algo, Mack abriu a boca a ponto de caber um copo inteiro de Banana Loka e Nigel não demonstrou tanta surpresa, porém, permaneceu quieto.

- Eu achei que você estivesse morto. – Falou o Amphere.

- Sim, quase faleci naquele dia. Por sorte, sobrevivi aos ferimentos e fui internado. Após um mês, soube por minha filha que os projéteis caíram pelo caminho de Nova York e que era meu dever resgatá-los. Porém, Spike já tinha apanhado o primeiro e Zarcag o terceiro. Os Numbs apenas saem de seus donos se assim for sua vontade. Aposto que tirar um doce de uma criança pode ser fácil, mas poderes de adolescentes, sendo que um é malvado, garanto que ia ser bem complicado.

Houve uma pausa e então o velhinho continuou:

- Então pensei. Se não pode com eles, junte-se. Soube que os Numbs restantes cairiam aqui, portanto, fui esperto o bastante e criei a Frozen Pig para ficar sempre alerta. O Mack ter encontrado o Numb foi uma coincidência, sempre gostei de você rapaz, desde aquele acidente com seu amigo.

O ruivo ficou cabisbaixo, um pouco corado pelo elogio.

- Quando vi que você começou a usar roupas compridas para esconder o Numb e que seus milk-shakes estavam mais quentes do que os dos outros, percebi que o IV te escolhera. Spike veio atrás de você, reconheci-o pelos jornais e suas manchetes, como o “O Amphere”. Mixa andar com vocês me gerou desconfiança e mais uma vez, pelo azar ou sorte do destino, meu sétimo bebê veio até mim. Se juntássemos vocês três, poderíamos encontrar os outros três e resgatar o terceiro do espírito de Ignoto. Espero que vocês me ajudem, por favor.

Um olhou para a cara do outro. Queria dizer que os Numbs eram criação do Velho Joe? Mixa foi a primeira a declarar:

- Eu vou te ajudar chefinho.

O velhote abraçou a garota, chorando e agradecendo.

- Conta comigo cientista. – Respondeu Spike.

Mais uma vez, Joe abraçou o empregado.

- E você Mack?

O garoto ficou relutante. Parecia que tinha sido enganado esse tempo todo. Só que não tinha escolha:

- É claro senhor.

E o idoso deu um tabefe na cabeça de Mack.

- Ai! Por que você fez isso?

- Pelas reclamações de Milk-shakes quentes que tive. Você não merece amor. – Brincou ele.

Os quatro riram. Entretanto, Nigel continuava quieto.

- E quanto a ele velho Joe? Você descobriu quem ele era e o porquê da faixa na perna esconder um Numb. E aliás, por que você nos salvou de manhã? – Disse o “Heat” referindo-se ao menino.

Contudo, o rapaz continuava cabisbaixo e calado.

- Nigel é filho de minha filha. Ou seja, é meu neto.

Mais uma vez, o trio teve as reações de surpresa.

- Ela se casou com um japonês e tiveram um filho, Naku é seu nome verdadeiro, porém, aqui nos Estados Unidos, Nigel é um nome mais comum. Ele fugiu de casa faz dois anos e se mudou para Nova York. Eu reconheci você pelo cabelo anil igual ao de seu pai e pela mancha que você tem no seu pescoço. Assim que entrou na sorveteria, troquei o canudo propositalmente para te chamar até aqui.

O garoto olhava irritado ao avô, que continuou a falar:

- Você morou na praça próxima a casa de Mack como um morador de rua. Quando ele e seus amigos começaram a treinar, você os observou. Interessou-se pelos Numbs e começou a se apaixonar pelo poder e a possibilidade de ter um.

- E se for isso? – Disse ele pela primeira vez em tom pejorativo.

- Você roubou de pessoas inocentes para sobreviver, furtou dinheiro e roupas das lojas da vizinhança. Mas sei que é um bom rapaz, ouviu o sonho de clarividência de Mack e decidiu segui-los no parque. Ao chegar, encontrou o Numb, que se revelou a você. Aposto que passou pelo desafio. Ao ver que a situação estava indo longe demais, ajudou-lhes e usou o poder luminoso de absorção solar de seu Numb para poder cega-los e fazer uma projeção de sombras, assim não revelaria sua identidade.

Nigel encarou seu avô pela segunda vez.

- Fiz isso sim. Só que não foi para salvar a pele deles. Foi para matar Zarcag. Assim como ele fez com meus pais!

Os três outros jovens exclamaram surpresos.

- Quer dizer que...

Mixa nem terminou a frase e Velho Joe completou:

- Ele fugiu de casa após Zarcag intimidá-lo. Quando o Numb III tomou a forma e consciência do garoto, ele procurou pelos outros seis Numbs. Um estava com Spike e os outros ele achou que estavam com minha filha. Ele a matou junto do marido. Nigel estava escondido e viu tudo. O projétil nº três se revelou, mostrando que os outros estavam no caminho até Nova York. Zarcag ficou procurando eles e foi embora. Naku foi atrás dele. Quando soube que Spike usava o I para furtar lojas de conveniência, ambos foram atrás de você. – Ele apontou ao loiro - Como o vilão chegou primeiro, ele tentou furtar o primeiro Numb. Já que não obteve êxito, trancou o Amphere no caixão de ametista. Nigel não encontrou seu corpo, porém, achou o assassino de seus pais. Soube que estava voltando à Nova York e decidiu vir para cá...

- E se fiz isso mesmo? Qual é o problema? Eu vou embora seu velho maluco. – Falou o garoto de cabelos anil indo até a porta.

- Não terminei meu caro neto! Eu acho bom você ficar!

Os dois se encararam pela terceira vez e Nigel cedeu.

- Bem. Agora irei fazer uma pergunta a vocês. – Falou Velho Joe – Como os Numbs não se revelaram em dois anos, já que Zarcag os procurava tão ardilosamente?

Ninguém respondeu, provocando uma pausa forçada.

- Eu imaginei que não soubessem. Pois bem, é simples. O Numb só é encontrado quando ele se revela a seu possuidor legítimo. Foi assim que projetei. Com exceção do número III, os outros seis se ligam a seu ascendente pela característica principal. Mack, você é atrapalhado, mas é amigável. Espalha-se pelos cantos e acalora àqueles que ama, como o fogo. Spike, você é radical e desbravador do mundo. Nunca se sabe o que vai fazer ou o que já fez, sendo veloz e potente, agindo sem pensar, como o trovão. Mixa, você é dócil e calma, mas em dias de fúrias se torna tempestade. Assim como a água. E Nigel...

O garoto olhou para o avô.

-... O Numb te escolheu, pois você terá um grande futuro pela frente, nascendo de uma grande árvore e virando um fruto sagrado. Espero que entenda. Eu fui até sua casa e me desesperei quando vi que você não estava lá e tinha fugido. Eu realmente te amo, meu neto.

Uma lágrima escorreu dos olhos do velhinho.

- Quer mesmo saber vovô, o meu real sentimento quanto a esse mundo que você nos colocou? Criando esse Numb que matou meus pais?

Ele avançou até ficar de frente ao Velho Joe e cuspiu em sua cara.

- Thunder Rage!

Mal ocorreu a ofensa e Spike libertou uma rajada elétrica em Naku, que voou até a parede, chocando-se com ela e caindo. O garoto ofegou pelo súbito ataque, mas reagiu:

- Thorny Root!

Raízes começaram a crescer, cheias de espinhos do chão até o Amphere, prendendo seus pés.

Porém, apenas cresceram um pouco e pararam. O Numb na perna de Nigel começou a brilhar fortemente como a luz do parque.

- O que está acontecendo? – Perguntou o rapaz ao avô.

- O Numb está te rejeitando! – Gritou Velho Joe passando a manga da camisa na baba – Vocês devem trabalhar juntos para um bem maior. E não terem pensamentos diferentes. E se um Numb te rejeita...

O brilho parou e o V estava caído no chão, sem luz e em um verde muito apagado.

-... Você nunca mais poderá tê-lo novamente. – Completou o idoso.

Naku olhava para sua coxa pasmo, com uma marca semelhante a letra V.

Ele se virou e saiu correndo da sala.

- Ei, volta aqui, eu ainda não acabei de te dar uma lição! – Gritou Spike desprendendo as pequenas raízes espinhosas de seus pés.

- Chega de brigas por hoje! – Ordenou Velho Joe. – Uma hora ele vai entender o que aconteceu, gostando ou não. – Ele pegou o Numb V do chão e guardou na gaveta superior de sua escrivaninha.

- Quer dizer que o Numb não tem mais valor? – Perguntou Mixa.

- Não é bem assim. Ele só perdeu a força para meu neto. Simplesmente ele poder ganhar força para qualquer outro que possua as características necessárias a ele. Ou, sendo controlado pelo poder psíquico de Zarcag.

- É melhor mantê-lo em segurança. – Sugeriu Mack. – Acho que essa gavetinha não vai ser uma proteção tão boa.

Velho Joe bateu novamente no garoto.

- Voltem ao trabalho! Eu vou cuidar bem dele.

Mixa e Spike deram meia-volta, entretanto Mack não.

- Senhor, antes de ir, acho que isso é de Nigel.

Ele entregou o pingente ao idoso.

- Era o sapinho de minha filha. Aposto que foi a única coisa que Naku pegou de seus pais. Obrigado rapaz.

O ruivo sorriu e foi até o balcão da sorveteria para ajudar os amigos.





~//~

Os dias que se seguiram até a metade de novembro foram monótonos. Mixa pegou o jeito em seus treinamentos. Spike também estava concentrado, já que não havia mais ninguém que os observava. Mack continuava calmo, mesmo com os problemas das provas finais. Já Velho Joe continuava tenso com o que acontecera no escritório. Ele usava todo dia o pingente de sapo e conferia o Numb V guardado na gaveta. E Nigel, realmente sumira.


Porém, Mixa não se preocupava com o garoto e sim com Kiwa. A menina tinha mudado sua reação drasticamente em duas semanas. Ela não paquerava mais Mack e faltava frequentemente. Isso também preocupou os rapazes, mesmo Spike que só vira a menina de relance.

- O que será que aconteceu com ela? – Indagou o Amphere durante uma das reuniões no almoxarifado.

- Realmente eu não sei. – Respondeu o Heat – Acho melhor irmos fazer uma visita a ela. Alguém sabe onde ela mora?

Mixa bufou alguma coisa e os dois ignoraram. Spike disse ter lembrado de uma vez que vira a menina indo até uma rua localizada duas quadras ao norte da Frozen Pig.

- Podíamos perguntar aos vizinhos dela. – Sugeriu Mack.

O trio concordou, apesar de algumas objeções femininas. E assim, após o expediente da sorveteria, iriam até aonde pensavam em encontrar a garota.






~//~

Após o sinal da aula de geometria, Mack e Mixa foram se encontrar com Spike na esquina da escola.


- Prontos para mais um dia gelado? – Brincou o Amphere.

- Sim. – Responderam ambos sem êxito.

O trio caminhou até o semáforo mais próximo e atravessou a rua.

Porém, o mundo de Mack se distorceu ruidosamente no momento em que pisou na faixa de pedestres onde seu melhor amigo morrera há alguns anos.

Uma hora ele estava com Mixa e Spike na rua e outra em um lugar vazio com muros pretos.

- Onde estou?

Labaredas violetas esvoaçaram em volta dele. Uma caveira foi feita com o fogo que se espalhou.

- Então é você que está tendo os mesmos sonhos que eu?! – Repercutiu a voz de Zarcag friamente. – O meu outro eu está fazendo isso não é? Você vai me entregar o Numb IV ou morrerá aqui e agora.

- Cale a boca! Arrow Explosion!

Uma flecha de fogo voou até o emo, que desviou facilmente.

- Chain Jewel!

Das labaredas, uma corrente lilás surge e prende o corpo de Mack fortemente.

- Hora de morrer Branford.

Porém, o garoto que estava preso olhou para quatro imagens que substituíram o terror de Zarcag.

A primeira, era um coração enorme.

A segunda, Kiwa sorrindo brevemente.

A terceira, Nigel com seu olhar anil retribuindo o sorriso.

E a quarta, o Numb V com a luz da floresta vívida.

E Mack acordou.

- Até que enfim! Você quase foi atropelado! – Gritou Mixa.

- A coisa ficou séria galera. – Falou o adolescente.

Ele explicou o sonho que teve, sentiu que o poder de Zarcag era real e detalhou as quatro imagens.

- Você está falando sério? Se for verdade, Kiwa e Nigel estão...

Spike nem terminou de falar e fez uma careta.

- Não imaginaria isso nunca. Mas até que combinam, duas pessoas estranhas. – Comentou a menina.

Mal eles terminaram de falar quando o celular de Mack vibrou. Ele estava recebendo uma ligação:

- Alô?

Após uma breve pausa, ele arregalou os olhos e desligou.

- Quem era? – Perguntou o Amphere.

- Era a polícia. Eles disseram que houve uma briga na sorveteria. Os clientes saíram correndo e viram um garoto suspeito raptando o Velho Joe e voando misteriosamente com raios roxos. O número do meu celular estava no escritório e ligaram para mim.

O trio correu até o local de trabalho, quando viram que estava cercada por policiais.

E na mesma hora, eles retiravam uma escrivaninha quebrada com a gaveta arregaçada e um colar de sapo partido enroscado.

Zarcag agora tinha dois Numbs.

Continua...


Última edição por Mud em Sab 14 Abr 2012 - 14:44, editado 1 vez(es)
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por DarkZoroark em Ter 27 Mar 2012 - 20:37

Olá Mud
Desculpe pela demora em comentar (mas também, você não me avisou... Olhar Cínico ) Adorei este capítulo. Muitas revelações e segredos apareceram nele. chocado o velho Joe criou os numbs?! Por essa eu não esperava. Nigel e Kiwa juntos? Estranho, para dizer o mínimo... Não! Zarcag conseguiu um novo numb!!! É o fim do mundo!
Não encontrei erros (que surpresa ¬¬') e, como sempre, sua descrição e narração encontraram-se incríveis. Gostei bastante da coloração dos caps, ficando bem mais fácil saber de quem são os ataques (se bem que já era fácil antes...)
Bom, é isso. Aguardo ansiosamente seu próximo capítulo.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Kurosaki Mud em Dom 22 Abr 2012 - 0:29

Valeu pelo coment DZ. Pessoal, comentar é que nem injeção, é de graça. Só que não dói, vamos, vamos, não é por que sou old que não preciso de coments, eles fazem um autor.

O cap não tem ação, mas é bem explicativo. Vamos lá:



V
Após ser interrogado pela polícia, o trio de amigos decidiu voltar para casa. Eles mentiram, é claro, quanto aos Numbs, pois sabiam que foi Zarcag o culpado. E logo ele os ameaçaria pedindo os três Numbs em troca da vida de Velho Joe.

- Dessa vez a gente se meteu em uma enrascada. – Comentou Spike.

- Sim. A gente pode até ir perguntar para a Kiwa sobre a relação dela e do Nigel amanhã, mas se soubéssemos onde Zarcag está mantendo o Velho Joe preso, facilitaria nossa vida. – Lembrou Mixa.

- Eu tenho um plano, mas não sei se vai dar certo. – Falou Mack.

Os dois amigos pararam de andar para ouvir o plano com atenção:

- Eu vou ficar em casa e tentar dormir. Vocês dois vão amanhã falar com Kiwa.

Spike gargalhou estrondosamente ao comentário.

- Tá, chega de piadas Heat, qual é a tramoia? – Riu o Amphere.

- Não, estou falando sério. No meu último sonho, lembro-me de Zarcag ter falado sobre “o seu outro eu” me mandar informações. Se bem que sempre é uma voz feminina, mas tudo bem. – Respondeu o ruivo. – E ao mesmo tempo quase morri com aquelas correntes. Se as imagens não tivessem aparecido no lugar daquelas paredes negras, minha mente poderia ter morrido dentro do sonho.

- Tenso. – Comentou o loiro.

- Entendi! Ignoto se apoderou do corpo de Zarcag, ele deve estar em estado de controle mental fisicamente. Mas mentalmente, o verdadeiro Zarcag pode estar mandando clarividências a você para combater o espírito! – Disse Mixa.

- Exatamente. Portanto, preciso dormir e ver se alguma brechinha dele escapa, até mesmo se for o nome da rua do esconderijo. Assim, podemos ir até lá e resgatar o Velho Joe. – Explicou o garoto.

- Bom plano amigão. Amanhã cedinho vamos até a casa de Kiwa, já que não teremos aula para o feriado de Ação de Graças. – Lembrou Spike.

- Sim. E eu vou tomar um calmante, preciso dormir por um tempo. – Disse Mack.

- Sem problemas, não esqueça da minha Eletro-Terapia. Durma em até dois segundos. – Brincou o loiro soltando uma pequena faísca com o dedo.

- Vou preferir um chazinho mesmo. – Desculpou-se Mack assustado.




~//~

Durante o amanhecer, Mixa e Spike acordaram no quarto de Mack e saíram de fininho. A menina decidiu dormir junto deles para que colocassem o plano em prática.

- Ok, coloquei o despertador para tocar ao meio-dia. Os pais deles já foram trabalhar. – Anunciou o loiro.

- Mas essa semana é feriado! – Constatou a garota.

- Eu sei, mas o pai dele tinha algumas finanças de última hora para pagar no banco e repórteres não tiram folga facilmente, a mãe dele vai cobrir o desfile de Perus Malucos na Quinta Avenida. – Respondeu Spike.

Mixa ergueu a sobrancelha:

- Passeata de Perus?

- Tem louco para tudo oras! – Respondeu o jovem.

Quando colocaram o primeiro pé para fora da casa no Brooklyn, um latido ecoou:

- Au!

Era o labrador da família Branford.

- Fox, agora não! – Sussurrou o Amphere – Você vai acordar o Mack!

E ele continuou a latir, jogando o ossinho para brincar.

- Vamos embora logo Spike, ele não vai parar! – Decidiu a menina.

- Ei, o que vocês estão fazendo? – Perguntou outra voz nas escadas, mais ao fundo.

Era Steve, o caçula viciado em videogame, vestindo um pijaminha vermelho com bolinhas azuis de flanela e coçando o olho para retirar a remela.

- Oi Steve. – Disfarçou a dupla. – Estamos indo dar um passeio e...

- Não mintam para mim! Vocês vão namorar enquanto meu irmão está dormindo! – Falou ele ao mesmo tempo em que bocejava.

- Não, nada disso! – Relutou o Amphere.

O garotinho ergueu uma sobrancelha desconfiando da situação.

- Puxa, você acertou em cheio! – Falou Mixa.

- O que?! – Indagou Spike surpreso olhando para ela.

E ela tascou um beijão nele.

- Argh! Nunca vou entender os adolescentes. Vou comer meu cereal do Capitão D-Zorg.

E ele se virou. A menina se afastou do rapaz.

- Sua maluca! Nunca... mais... faça...isso! – Arfou ele.

- Era o único jeito! Você quer levar um garotinho irritante para o covil do Zarcag? – Explicou ela.

- Não é má ideia! – Disse o jovem.

- Vamos logo, estamos perdendo tempo! – Exclamou Mixa.

E assim eles fecharam a porta e foram até a casa de Kiwa, espionar se Nigel aparecia.


~//~

Ao mesmo tempo em que cachorros latiam, garotinhos exigiam cereal e pessoas se beijavam a contragosto no andar de baixo, Mack enfim conseguira sonhar com o que queria.


Estava num jardim elevado, era uma construção grega ou romana, com pilares de mármore branco e gesso, lagos saltando como se fossem chafarizes para passarinhos. Água corria delas igual a fontes do Éden. Plantas elevadas se prendiam ao redor delas, algumas melissas e dálias cobriam canteiros laterais.

Demorou, mas Mack notou que o jardim estava flutuando, com nuvens em volta e a altura equivalente a um prédio de quinze andares de distância até o chão.

E no fundo dessa calmaria, uma menina loira de cabelos esvoaçantes e vestido branco se encontrava sentada em um dos degraus. Além disso, um rosto sorridente com uma franja aparecia em uma das nuvens. Ele conversava com a moça enquanto os olhos esbanjavam um tom violeta.

- Zarcag! – Deixou escapar o garoto pela surpresa.

Os dois viraram o olhar para Mack. A face projetada de Zarcag se espantou e sorriu. A menina tinha olhos verdes e sérios, sem a pupila. Ela não sorriu como o holograma.

- Bem-vindo Possuidor do Numb IV! – Ressoou a voz do emo.

- Olá Mack Branford. – Disse a loira com uma voz conhecida.

- Espera aí. Você é a voz dos meus sonhos! Aliás, quem é você e que lugar é esse?

Enfim, ela acabou cedendo um sorriso e respondeu:

- Isto é um sonho, eu moldo com meus poderes astrais o lugar que quero ficar. Chamo esse de Babilônia Mística. É um ótimo lugar para relaxar.

O garoto observou a paisagem. Realmente adoraria tirar fotos com sua família naquele lugar, ou até mesmo descansar após um dia de trabalho.

- E quanto ao seu nome? – Indagou ele persistente.

- Chamo-me Tuani. Sou a mulher de Joe, ou melhor, Velho Joe como você bem conhece.

Quase tendo uma convulsão, Mack respirou fundo para entender a situação.

- Não pode ser. Você se casou com o Velho Joe? Mas...

- Eu explico. – Falou Zarcag – Tuani morreu há muito tempo vítima de um AVC. O que você está vendo é a essência dela. O Numb III pode fazer esse contato acontecer com os poderes psíquicos.

- Mas como?! – Perguntou ele estupefato.

- Dizem que quando a gente morre, viramos estrelas. E têm razão. O nosso corpo fica, mas a alma voa até alcançar o céu. – Explicou a forma astral. - Depois disso, podemos visitar os humanos pelos sonhos. Sinto o poder de meu marido dentro dos Numbs, e sei o quanto ele gosta deles. Quero que você o resgate Mack. Sei que você é o único capaz de fazer isso.

O vento ecoou mais forte depois disso.

- Nosso tempo está acabando aqui. As forças maiores nos chamam novamente.

- Espere, Tuani, eu tenho mais duas perguntas! – Pediu o ruivo.

- Seja breve. – Retrucou ela.

- Bem, por que você me avisou nos sonhos sobre os Numbs?

- Você nunca saberá a resposta dessa pergunta meu jovem. Apenas a sua sina, o seu destino é capaz de se pronunciar quanto a isso.

- Ok. – Respondeu o ruivo sem entender. - E Zarcag, eu sei que essa projeção é sua parte boa. Pode-me dizer onde está o seu corpo?

- É simples Mack. Ignoto logo irá procurar pelos dois Numbs que faltam. Eu diria que o VI seria o primeiro por estar mais perto. Onde você acha que dá para um humano ficar de pé e ainda sim conseguir sentir a essência do Numb que controla os ventos e ares?

O garoto ficou quieto por um tempo pensando e logo respondeu:

- Eu já sei. Era tudo que eu precisava saber. Obrigado.

A nuvem com a face lilás sumiu.

- Cuide-se Mack e reúna os sete Numbs ao meu marido. – Pediu Tuani.

- Pode deixar. – Respondeu ele.

E a loira evaporou em frente a seus olhos.

O garoto ouviu o despertador tocar. Era 12h00min.

- Puxa, o tempo nos sonhos passa bem mais rápido. – Comentou ele. – E parece que eles não voltaram. – Notou ao ver que Mixa e Spike não estavam no quarto.

O rapaz se apressou, trocou de roupa, escovou os dentes e desceu até a cozinha para pegar um pedaço de pão. Acariciou Fox, suspeitou que Steve esta em seu quarto jogando videogame e apenas saiu, trancando a porta. Ele teria uma longa jornada até o local do Numb VI.


~//~

Spike tocou a campainha da sexta casa seguida da Rua Hidden Port. Um homem robusto apareceu, com bigode e barba malfeitos:


- O que querem?

- Olá senhor! – Respondeu Mixa animada – Por acaso a Kiwa mora aí?

O gorducho cerrou levemente os olhos e apontou o polegar para a casa atrás dele:

- Mais amigos. Essa garota só trás problemas! Entrem logo! – Gritou ele irritado.

Meio assustados, os dois adentraram no casebre de cor bege e paredes descascadas. Atravessaram um pequeno hall e seguiram até uma escada com carpete cinza. À direita estava a sala de estar, onde uma TV estava ligada passando a final do campeonato de Rúgbi e várias latinhas de cerveja permaneciam jogadas em uma mesa. E à esquerda, a cozinha com a geladeira aberta e a louça sem lavar.

Após subirem os degraus sinuosos, viram três portas fechadas no segundo andar. A primeira, pelo mau cheiro, devia ser o banheiro. As outras duas logicamente eram quartos. Tanto Spike quanto Mixa, bateram em cada um dos quartos. Na porta em que o garoto bateu ninguém respondeu, já na da menina, uma vozinha disse:

- Entrem!

A garota de cabelos azuis girou a maçaneta e a dupla entrou em um quarto cor-de-rosa, com flores estampadas nas paredes. Bichos de pelúcia cobriam prateleiras, pôsteres de cantores teen estavam espalhados em todos os cantos. Uma cama, um guarda-roupa, uma escrivaninha com computador e um criado-mudo completavam o lugar. Kiwa estava sentada em sua cama, fechando uma cortina amarela.

- Eu realmente não tenho ideia do que vocês vieram fazer comigo. – Respondeu ela – O loirão eu nem conheço e essa daí nem me olha na cara quando estamos em aula.

- Olha só quem fala! Eu só não viro a mão na sua cara, pois temos assuntos a tratar. – Bravejou Mixa.

- Sei, se for para me dar lição atrasada perdeu seu tempo queridinha. – Disse a menina de cabelos trançados – Eu mudei de sala caso você não saiba.

- Não é nada disso! – Falou a adolescente de cabelos azuis. – É sobre seu namorado.

A expressão da cara de Kiwa mudou drasticamente. Era como se ela falasse mentalmente “Como ela sabe?”.

- Não tenho namorado. Se bem que esse seu não é de se jogar fora. – Disse ela apontando para Spike.

- O quê?! – Gritou o loiro na hora. – Não somos namorados! E chega de papinhos tolos! Cadê o Nigel?!

A menina deu um assobio e ignorou:

- Novamente, não sei do que vocês estão falando.

- Não mesmo? Pois tem uma maneira mais fácil de descobrirmos! – Comentou o Amphere confiante.

Ele retirou sua luva de couro e borracha e colocou a mão esquerda no chão.

- Static Attack!

Uma pequena onda de choque atravessou o quarto. Mixa ficou tremendo por um tempo. Kiwa arregalou os olhos um pouco e alguma coisa gemeu no armário.

- Ahá! – Comemorou Spike.

Ele abriu o guarda-roupa e o garoto com cabelos repicados cor-de-anil saiu irritado.

- Seu maluco! Esqueceu que com o Numb VII eu sou feita de água agora?! – Reclamou a menina de cabelos azuis irritada.

- Perdão Mermaid, mas demos sorte.

Kiwa abraçava Naku com intensidade.

- Não façam mais mal a ele! – Pediu ela.

A dupla se sentou na cama enquanto Spike e Mixa os fitavam.

- Quando foi que vocês se conheceram?

Os dois se entreolharam, mas foi a garota que respondeu:

- Desde o fim do mês passado. Eu ia todo dia espionar os banhos de Mack e me escondia na praça em frente à casa dele.

- Você o que?! – Perguntou o loiro envergonhado. – Quer dizer que era mentira que você não me conhecia? Foi só para tentar nos enganar?

Ela assentiu e concordou.

- Fique tranquilo, eu sei que o Mack sempre vai primeiro no banheiro do que você. Além disso, não tenho interesse em te ver nu, se é isso que você pensa.

O Amphere arfou por alívio e Kiwa prosseguiu:

- Até que um dia eu subi em uma árvore para ter uma visão melhor...


Flashback

- Desse jeito eu vou ver até as partes proibidas hoje! – Comemorava a menina com um binóculos em mãos. – Poderei também descobrir mais sobre aquela tatuagem de número quatro romano que ele tem!


Porém, ela não contava com uma cotovia irritada em seu ninho, protegendo os filhotes da tarada de cabelos trançados no mesmo galho. O pássaro começou a bica-la.

- Ai, para, não quero seus bebês!

E a garota escorregou, gritando pelo susto.

- Ah!

Entretanto, a queda não ocorreu como o esperado. Ela caíra no colo de um garoto de olhos anis e cabelos repicados da mesma cor.

- Puxa, obrigada! – Agradeceu ela envergonhada.

- Por favor, não espione mais essa gente. Já me frustrei o bastante com eles. Ele não é quem você realmente pensa.

Nigel a colocou no chão e foi embora, caminhando até o outro canto da pracinha.

- Espere, menino, você não disse seu nome!

Ele parou de caminhar e respondeu:

- Não gosto de nomes, mas caso queira saber, me chamo Nigel.

- Você está morando aqui, nessa praça? – Perguntou ela, notando as roupas rasgadas e a pedra em que ele iria se abrigar, para passar mais uma noite em claro.

- Sim. Mas isso não faz diferença, não é?

Kiwa retirou o seu casaco e deu ao rapaz:

- Tome, é um forma de eu te agradecer pelo salvamento.

Os dois trocaram um rápido sorriso e Nigel continuou seu caminho, com a peça de roupa nova nos ombros.

No dia seguinte, Nigel já estava de partida, precisava matar Zarcag, mesmo sem a posse dos Numbs. Porém, quando estava prestes a sair, se deparou com Kiwa segurando uma marmita.

- Olá Ni. Trouxe um lanchinho. – Disse ela.

O garoto se envergonhou, mas não recusou o lanche. Estava faminto.

Enquanto ele comia, a adolescente o observava com curiosidade.

- Então Nigel-que-não-gosta-de-nomes. Como você veio parar aqui, sem casa e família?

O garoto engoliu um pedaço de carne e explicou:

- Bem, meus pais foram assassinados por um idiota. Depois disso, minha vida virou um caos.

Ela se espantou e o acolheu:

- Você não contou a história toda. Confie em mim, sou ótima para guardar segredos.

Nigel respirou e olhou para a menina. Realmente o casaco lhe dera mais conforto naquela noite e a comida estava ótima. Ela merecia um voto de confiança. Ele explicou tudo, os Numbs, o seu avô, a luta que tiveram na Frozen Pig, a verdade sobre Mack e seus amigos.

Kiwa ficou cabisbaixa após a história, pois acreditava em Mack, o amava. Contudo, ela entendia o lado de Nigel, ele apenas queria vingança.

- Eu posso te ajudar, se você quiser. – Sugeriu ela.

- Sério? Mas no que? – Perguntou ele incrédulo.

- Eu moro com meu padrasto, minha mãe sai todo dia para trabalhar e volta muito tarde, nem dá atenção para mim. Você pode dormir lá em casa, é pequena, mas deve servir.

O garoto pensou um pouco e respondeu:

- Eu vou aceitar. Mas ainda assim vou tentar descobrir o paradeiro de Zarcag.

- E eu vou te ajudar! – Disse ela. – Juntos, iremos conseguir!

Fim do Flashback

Spike e Mixa ficaram um pouco surpresos com a história.


- E tem mais uma coisa. – Lembrou Naku. – Nós colocamos um plano em prática. Quando meu avô estava saindo da sorveteria, Kiwa o distraiu enquanto eu roubei o Numb V.

- Você o quê?! – Perguntaram a Mermaid e o Amphere.

- Sim. Eu roubei o Numb V de volta. Ele era meu por direito.

- Mas para quê? Não se lembra do que o Velho Joe disse? Quando um Numb te rejeita, jamais você lhe terá novamente! – Retrucou o loiro.

- Sim, mas isso não importa. Eu não sou o único no qual me encaixaria pelas características do espírito de grama. A natureza sempre trabalha em cima do que foi destruído pelo homem. No meu caso, Zarcag era o homem e eu a natureza. E isso não se aplica apenas a mim.

Kiwa se levantou e respirou fundo. Ela levantou a parte esquerda de sua calça jeans para mostrar o Numb V, reluzindo com esmeraldas e jades.

- Minha mãe trabalha e meu pai está morto por causa de um acidente de carro. Carro e trabalho foram os homens que fizeram. Família foi a natureza. E por isso, eu sou a nova possuidora do Numb de Grama e Terra! Aquela que sente a vida e acolhe a morte, que floresce da pequena semente de sentimentos. Eu mereço ele, passei pelo desafio!

Mixa quase caiu dura ao ver aquilo. Spike balbuciava alguma coisa. Após todos se acalmarem, o loiro falou:

- Então quer dizer que Zarcag não tem o Numb V. Essa não...

- O que você quer dizer com isso? – Indagou Nigel interessado.

- Você não sabe? Seu avô foi sequestrado por Zarcag por causa do Numb! – Respondeu Mixa irritada.

O garoto ficou boquiaberto pela primeira vez.

- Kiwa, vamos atrás dele! – Disse ele sério.

- Espere Ni. -Pediu ela. – Nós nem sabemos onde eles estão.

- Se soubéssemos, já teríamos ido atrás para resgatar nosso chefe. – Explicou Spike.

Naku deu um berro de raiva e falou um palavrão. Kiwa o acalmou.

- É por isso que precisamos da ajuda de vocês. Apenas juntos poderemos vencer Zarcag.

E naquele instante, o celular de Spike tocou. Ele o atendeu:

- Alô?

- Spike, sou eu! – Falou uma voz conhecida.

- Oi Heat. Como está? Sonhou com o emo? – Perguntou ele rindo.

- Não é hora de brincadeiras. Descobri bastante coisa séria.

Mack relatou tudo que tinha sonhado, sobre a mulher de Velho Joe, as projeções e a dica que o Zarcag projetado na nuvem havia falado.

- Legal, mas nem se compara ao o que descobrimos.

O loiro contou sobre como tinham ido de casa em casa para encontrar Kiwa, o momento em que a acharam, a história de como ela e Nigel se conheceram e da nova possuidora do Numb V.

- Nossa! E eu achando que não podíamos ficar mais surpresos do que a Passeata de Perus Malucos na Quinta avenida! – Comentou Branford.

- Não temos muito tempo até Zarcag encontrar o Numb VI. Diga para onde está indo que iremos atrás. – Pediu o jovem elétrico.

- Estou em um ônibus de Brooklyn até Manhattan.

- Manhattan? Espere, o que você vai fazer lá?

- Lembre-se da dica do Zarcag do bem. – Falou o ruivo. – “Onde você acha que dá para um humano ficar de pé e ainda sim conseguir sentir a essência do Numb que controla os ventos e ares?” Apenas penso em um lugar, o maior ponto possível de Nova Iorque. O Empire States.

Ao longe, a ilha de Manhattan surgia para Mack na janela do ônibus. Coincidência ou não, ele jurou ter visto um raio roxo vindo do maior prédio estadunidense.

Continua...
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Vulc em Dom 22 Abr 2012 - 1:04

Nossaaaaaaaaaaaaaaa, que cap divo *00*

Sabia que ela seria a numb V Rum, mas gostei de ter explicado sobre a vida da Kiwa( que me lembra Kiwi).

Sem muita ação, mesmo assim gostei, e já previa algo no Empire States e.e

É isso Mudkato, continue escrevendo
avatar
Vulc
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/03/2010

Frase pessoal : I'm still into you


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por DarkZoroark em Qua 25 Abr 2012 - 4:57

Mud o/
Malz a demora em comentar, mas com um mês de provas fica difícil. lol Tem numb no Empire State? Já vi a destruição que vai acontecer... Coitada da Mixa, descarga elétrica é coisa séria. Quanto ao cap em si, está realmente perfeito. Narração e descrição envolventes, podendo situar-se bem sobre o que acontece durante a história. Não encontrei nenhum erro (mas que surpresa... ¬¬').
Bom, é isso. Aguardo seu próximo cap.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Dusknoir em Qua 25 Abr 2012 - 14:01

Muuuuud!

Muito bom o capítulo! A descrição e a Narração são sempre impecáveis (novidade...) sem falar que a história está cada vez melhor e sempre terminando com aquele gostinho de suspense deixando-nos com ansiedade para o próximo capítulo.

Bye!
avatar
Dusknoir
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/03/2011

Frase pessoal : FOR THE HORDE!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Kurosaki Mud em Dom 3 Jun 2012 - 0:37

Dusk, DZ, Vulc, valeu mesmo lovo vocês <3

Penúltimo cap, desculpem a demora, o outro só sairá lá para o dia 20 a 25 de julho. Esse tá curto, mas quero deixar tudo pro final. PS: Pelo conteúdo, creio que o cap final será VII partes 1 e 2


VI
Definitivamente, Mack odiava a cor roxa. Isso só piorou assim que virou uma estátua de ametista.

Tudo começou quando ele subiu o Empire States. Sentiu-se como Percy Jackson em direção ao Olimpo, só que não haveria deuses amistosos e sim, um emo de capa possuído.

E ele estava certo. No topo do maior prédio estadunidense, um garoto soltava raios cor de violeta para o alto, a procura do Numb de ar.

Zarcag, por ter poderes psíquicos, ouviu o elevador parar e Mack aparecer atrás dele.

- Ora, se não é o lança-chamas medíocre? Veio me entregar o seu Numb? – Indagou ele irônico.

- Nem morto! Eu vim para lutar! – Bravejou o menino.

- Que seja assim então. – Retrucou o vilão, libertando mais raios pelas mãos. – Wire Pain!

Fios cor de lilás saíram com veracidade das luvas de Zarcag. Mack usou seu poder de fogo para impulsar uma evasiva contra os cabos. Ele sabia que algo que tinha “dor” em inglês no próprio nome não devia ser boa coisa.

- Fire Sphere!

Uma esfera flamejante surgiu das mãos do ruivo, que acertou os cabos em cheio, fazendo-os sumir. Em seguida, ele disparou mais bolas de fogo em direção ao emo.

- Jewel Shield!

Zarcag conseguiu projetar um escudo dentro de um prisma, defendendo-se dos golpes flamejantes.

- Branford, quantas vezes terei de te dizer? Eu estou sendo legal e poupando a sua vida e a dos seus amigos. Eu sou muito mais superior do que vocês. Desista!

E com essa última palavra, o prisma encantado em que ele estava explodiu. Cacos estilhaçaram em direção a Mack, que caiu bruscamente na cobertura do prédio. A antena do Empire States vibrou com o impacto, criando um barulho irritante. Já se podia ver uma aglomeração se formando nas ruas embaixo deles. Flashes de máquina fotográfica reluziam rapidamente enquanto o ruivo tentava massagear os cortes sangrentos que recebera.

Será que os estadunidenses achavam que seria um segundo atentado? Sendo ou não, a polícia começou a cercar o edifício e um helicóptero zumbia ao longe, pronto para partir e deter o que quer que fosse.

- Teremos companhia? Que divertido. Prefiro algo só entre nós dois. Dome Numb!

E aquela cúpula roxa que tampou a Estátua da Liberdade reapareceu na frente dos curiosos, tampando uma divisória entre a cobertura e todo o resto de Nova York. Mack imaginou-se dentro de uma bolha de chiclete isolante. Não ia ser legal.

- Chega Zarcag, ou melhor, Ignoto! Fire Phoenix!

E de repente, o ruivo fez seu corpo pegar fogo instantaneamente. A princípio, ele achou que arderia, mas estava certo, sua pele tinha ganhado resistência. Ele usou um impulso pelas mãos, libertando pequenos jatos de nitro e voou até o emo, que não esperava o ataque súbito.

- Isso realmente me pegou de surpresa. Mas o que acha disso Branford. Crystal Touch!

E o toque de cristal acertou o corpo fumegante de Mack. Ele sentiu cada membro de seu corpo virar uma pedra cortante lilás, seus cabelos, seus olhos e até sua boca. Em um simples segundo, o garoto entendeu como Spike ficara trancafiado tanto tempo em um caixão. Era um poder mortal que só poderia ser quebrado com um toque humano novamente.

E o vilão lhe fitava maliciosamente. Sua capa estava chamuscada pelo golpe da Fênix, o seu rosto tinha fuligem, mas seu olhar dúbio dizia quem tinha vencido.

- Meu brinquedinho. Agora ninguém pode entrar aqui a menos que tenha um Numb. E terei dois prisioneiros, você e aquele velho capenga. Lógico, vocês ficarão separados para ele não te libertar, mas eu pretendo tirar seu número IV e te matar em menos de dois dias.

Enquanto Zarcag falava, Mack viu que ele procurava pelo Numb VI, que ainda não estava à vista. Ele precisava que seus amigos chegassem logo, ou então seria tarde demais.


~//~
Mack podia odiar a cor roxa, mas não tanto quanto Steve odiava Estudos Sociais.

Quem em sã consciência pedia para que colocassem uma câmera em algum lugar perto de sua casa e a deixasse ligada lá por dois dias? Claro, a senhora Grentz, aquela velha barriguda solteirona que cheirava naftalina com fritura.

Steve queria tirar um A+ no seu projeto, então, bolou um jeito da bateria da câmera e da memória dela não acabarem enquanto filmava. Montou uma gambiarra de fios em seu quarto, junto com seu carregador de videogame portátil, o resultado deu certo, ele apenas precisava ver o que rolou em dois dias na pracinha perto de sua casa.

Viu muitas pessoas passando, um jornaleiro entregando periódicos no vizinho, o padeiro com sua bicicleta parando em outra casa, um cachorro fazendo xixi no poste, muita gente jogando lixo na rua, coisas habituais.

Porém, quando o vídeo chegou ao momento de duas noites anteriores, ele viu um clarão de incêndio. Em seguida, um relâmpago. Por fim, ouviu água apagando a confusão. Será que tinha acontecido algum incêndio no parquinho? Ele olhou em volta e não viu nada aparentemente queimado. Continuou vendo e viu que o processo se repetia. Achou que podia ser o poste, talvez a urina do cachorro tivesse dado um curto-circuito nele e os bombeiros tentavam apaga-lo, mas se esse fosse o caso, a luz teria faltado na segunda-feira.

Foi então, que por uma fração de segundo, ele viu o que causava o fogo. Por incrível que pareça, seu irmão estava ali, diante dele, em chamas. Ele rebobinou e percebeu que não estava sonhando.

Após isso, Spike e Mixa apareceram. Os dois também estavam estranhos. O rapaz parecia tomar um choque, só que não sentia dor. A menina tinha o corpo moloide, como se fosse feita de água.

Então, Steve percebeu que não era imaginação. Os três acertaram uma árvore ao mesmo tempo. Seu maninho e o casal estranho tinham poderes especiais. Igualzinho ao videogame que ele tinha de luta.

O garoto avançou até a parte da manhã. Viu Spike e Mixa saindo em direção a Frozen Pig. Porém, notou que após algumas horas, Mack pegava um ônibus no ponto da pracinha. E ele ia até o Centro de Nova York.

No mesmo instante em que o menino analisava tudo no banco do parquinho, o seriado que passava na TV da banca de jornais parou. Ele ouviu uma voz conhecida e olhou para a televisão:

- Eu estava cobrindo a passeata de perus do dia de ação de graças, mas parece que temos um assunto mais importante. Depois de testemunhas verem raios roxos no topo do Empire States, parece que chamas voaram dele e uma cúpula de material duro cobriu o local. Algo parecido aconteceu na Estátua da Liberdade no mês anterior. Nossa equipe de reportagem está tentando conseguir acesso ao local.

Steve fitava a mãe. Ela estava cumprindo seu papel de repórter, mas ele sabia que aquela estufa ametista tinha a ver com Mack. E ele se lembra de que a escola em que seu irmão estudava teve excursão no mesmo dia do ataque à Estátua. Não podia ser coincidência.

O garoto correu até o ponto de ônibus e esperou a chegada do mesmo veículo que transportara seu maninho. Ele ia descobrir o que estava acontecendo.

~//~
Zarcag tentou uma última vez acertar o raio psíquico no ar, em busca do maldito Numb VI, que estava sumido. Ele gritou de fúria ao ver que não achara ainda o número romano.

Em seguida, se virou e olhou em direção a Mack. Uma bela estátua de ametista para sua coleção. Foi então que o vilão percebeu onde poderia estar o único local em que o Numb estaria escondido. A antena ainda tremeluzia com a luta que ocorrera momentos antes. O lugar mais alto não era a cobertura do prédio, mas sim o cume da grande antena.

E com um raio certeiro, a estrutura se despedaçou inteira. Abaixo, puderam se ouvir gritos de reclamação pela falha de comunicação. O helicóptero tentava ultrapassar a cúpula, sem sucesso.

E o Numb místico, em tons azuis marinhos, flutuava levemente. Tinha lápis lazuli, turmalinas e safiras cravejadas com detalhes transparentes. Zarcag era o único que sabia a ordem de todos os Numbs. O I ficava no peito. O II no abdômen. O III nas costas. O IV no braço direito. O V na perna direita. O VI na perna esquerda. O VII no braço esquerdo. Cada um ligava os shakras do corpo em uma fusão de poder infinito. E ele estava prestes a conseguir mais dois.

- As características de um Number de ar. Ser alguém veloz, corajoso e que saiba ficar em seu canto quando necessário, passando sobre as pessoas sem sentimentos, como o vento.

E o Numb brilhou ainda mais forte, ele se sentiu em meio a um tornado. Era o desafio imposto para adquirir o VI. O emo libertou diversas ametistas de suas mãos e jogou no vendaval, que começou a parar paulatinamente. Logo, ele já tocava no poder de controlar ventos e ares, com uma nova marca em sua perna esquerda.

- Isso! Agora, preciso de mais poder, irei absorver o Numb IV! – Ele gritou, voando em direção a Mack.

- Electro Bazooka!

- Magnificent Whirlpool!

E com uma combinação de redemoinho aquático e canhão de luz, o garoto desprevenido voou longe, quase caindo para fora da cúpula.

Mixa, Kiwa, Spike e Nigel estavam de frente a ele. Eles tocaram em Mack, que deixou de ser uma estátua de pedra.

- Puxa, obrigado, meu nariz estava começando a coçar. – Comentou ele.

Os cinco encaravam Zarcag. Kiwa fazia plantas com espinhos saírem de suas mãos, Spike preparava outro raio elétrico, Mixa uma esfera de água e Mack outro golpe de fênix.

- Como vocês...

O vilão nem terminou a pergunta e Nigel respondeu:

- Parece que não é só com Numbers que funciona a cúpula. Ex-Numbers também estão inclusos.

Zarcag ficou irado e berrou:

- Wind Breath! Amethyst Fragments!

Uma rajada de vento com cacos de ametista tentou atingir a todos. Mack criou um escudo flamejante em sua volta. Kiwa fez o mesmo, só que com raízes, cobrindo Naku e ela. Spike usou a estática para afastar os golpes e Mixa ficou parada, já que seu corpo era pura água e a ametista não lhe atingia.

- Flare Wings! – Gritou o ruivo.

E os braços dele encheram-se de chamas e foram de encontro a Zarcag, que usou um sopro violento para evitar as chamas.

- Com dois Numbs, eu sou invencível! – Ele gritou, partindo para outro golpe – Air Bullet!

E a mão direita do vilão virou de uma hora para outra um rifle portátil arroxeado. Balas de cristal voaram em direção a vários lugares com rajadas de ar. Spike recebeu uma e Mack outra em cheio, eles caíram e viraram estátuas de pedra.

- Não! – gritou Mixa assustada.

Ela fez um tsunami aparecer em questão de segundos e acertou o emo. Porém, ele reapareceu dentro de uma esfera de ar e disparou outro projétil na garota, que ficou lilás e imóvel.

- Agora só faltam dois! – Ele urrou.

Nigel e Kiwa se entreolharam. Eles estavam correndo perigo.

- É melhor você tocar neles para o efeito passar. Eu cuido dele. – Disse a garota.

Naku concordou e começou a correr em direção a Mack, que apesar de longe, era o que estava mais perto dele.

- Vine Earth! – Ordenou a menina.

Cipós saíram diretamente da terra e escalaram todo o edifício, atravessando a cúpula. Era inacreditável para quem olhava de fora. Trepadeiras cobriam o maior prédio estadunidense com uma cúpula roxa no topo.

Os cipós prenderam-se nos pés de Zarcag, que usou cacos de ametista para cortá-los.

- Psycho Beam!

E tardiamente Kiwa notou que o golpe não iria em sua direção, mas sim em Nigel, antes de conseguir tocar em Mack. Ela se jogou na frente do raio e foi atingida.

O órfão olhou arrasado para a namorada em forma de estátua. Zarcag ria loucamente, teria seis Numbs em menos de dez minutos.

- Que bando de otários! – Ria ele.

Naku chorou com dor e sofrimento, vendo que perderia e morreria como estatueta. Ele olhou para o céu e gritou:

- Desculpa vovô! Eu tentei de tudo, mas não deu!

Foi então que o Numb que estava na perna de Zarcag reluziu em tons azuis.

- O que está acontecendo? Eu não ordenei nenhum golpe!

Nigel olhou atento ao Numb VI. Ele sentiu sua respiração lhe sufocar, o ar sumir dentro da cúpula.

O número seis em romano brilhava loucamente. Em seus pensamentos, Naku imaginava a resposta.

“Meu avô disse que uma vez que o Numb te rejeita, ele jamais volta. Mas quem me rejeitou foi o V, não o VI. Afinal, eles têm vontade própria, como eu sou um escolhido, realmente pertenço aos sentimentos originais do vento. Não é apenas ficar isolado e sem sentimentos, mas acolher àqueles que ama era a missão do Number que controlaria ares e vendavais.”

E ele tocou na superfície azulada.

- O que está acontecendo?! – Gritou Zarcag.

Ele sentia que a esfera de ar que lhe protegia, agora lhe sufocava.

- Você não é mais o Number que controla o ar seu mané. Sou eu!- Explicou Nigel confiante. Seus cabelos cor de anil combinavam ainda mais com o Numb na perna esquerda – Air Faster!

E ele correu como o vento, uma velocidade inacreditável, conseguindo tocar nos quatro amigos congelados, que voltaram ao normal.

- Cara, me sinto em um jogo de duro ou mole. – Brincou Mack meio tonto.,

- Cala a boca Heat, parece que fomos salvos pelo rebeldizinho, minha honra caiu por completo. – Respondeu Spike enojado.

Zarcag percebeu que não poderia encarar aquela velocidade. Então, com um estalar de dedos, desapareceu junto de sua cúpula. Os cipós do prédio caíram e o helicóptero iria nota-los em segundos. O quinteto se assustou e agiu rapidamente. Mack virou um garoto em chamas e usou os propulsores para sair do prédio rapidamente. Nigel pegou Kiwa no colo e a carregou com velocidade para longe, voando livremente. Mixa virou uma poça de água e desceu pelos canos do Empire States. E Spike soltou um flash de luz para cegar quem estivesse no helicóptero, virando uma faísca e atravessando a fiação restante.

Após quinze minutos, todos estavam afastados da multidão embaixo deles.

Eles se reuniram perto de um bistrô e comemoraram.

- Naku, você nos salvou! Muito obrigado! – Agradeceu o ruivo.

Ele retribuiu com um sorriso.

- Estarei disposto a ajuda-los em busca do meu avô. E quero mais vingança com esse emo idiota.

- Eu também. – Falou Spike dúbio.

- Calma pessoal, é melhor irmos embora, amanhã pensamos melhor nisso, aquelas balas que tomamos ainda estão doendo. – Retrucou Mixa.

Ninguém discordou e eles foram até o ponto de ônibus mais próximo, depois de um dia um tanto cansativo. O céu anoitecia e ao longe os barulhos dos helicópteros da polícia, do FBI e de jornalismo ressoavam.

E o próximo ônibus para o Brooklyn chegava, com poucas pessoas dentro. A porta se abriu e uma pessoa conhecida chamou a atenção deles.

- Steve! – Exclamaram todos.

O garotinho olhava seriamente para o irmão e os amigos.

- Eu achei que confiava em você maninho. Eu me enganei não é? Você destruiu o topo do Empire States agora a pouco, estou certo?

Mack gaguejou na hora. Como ele sabia?

- Steve. eu...

- Vamos lá Tocha Humana. Mostra seus poderes! Vai acabar com a cidade, seu idiota!

E o garotinho saiu correndo. Parecia que após um dia longo, Mack teria uma noite pior ainda.

Continua...

Último capítulo, não percam hein!
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Black~ em Seg 4 Jun 2012 - 21:03

Ufa!! Finalmente li todos, a história esta maravilhosa e que capítulo esse hein?, esse Numb II realmente deve ser muito suspeito, no começo eu não tinha entendido a história, mas depois as peças foram se encaixando. Sua descrição é muito boa e sua ortografia também, só isso.
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Dusknoir em Qua 6 Jun 2012 - 20:03

...

Parece que mesmo querendo dar um adeus, certas coisas ainda me prendes aqui, o que de certa forma se mostra como algo bom, dito que elas são boas lembranças.

Sua fanfic está no topo das coisas que não consigo abandonar, todos os dias vim averiguar se o dito cujo não havia postado o capítulo, mas você o apresentou de uma ótima forma.

Como era de se esperar de você, Sr. Mud, sua escrita continua impecável, seu vocabulário é rico e imenso tornando a leitura agradável por não haver repetição.

A descrição dos combates continua em boa sintonia e uma pitadinha de drama e suspense sempre ajuda. Parabéns Mud, já fiquei sem palavras para você.

Mud, seu tolo! Por causa dessa fanfic me ateio aqui ainda e.e
avatar
Dusknoir
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/03/2011

Frase pessoal : FOR THE HORDE!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por cbm em Qui 7 Jun 2012 - 12:05

Err, oi Mud. Faz um tempinho já, não?

Bem, a fic continua muito boa desde onde eu me lembrava. E tomei até um susto quando esse Nico di Angelo made in Japan pegou o Numb número cinco. Mas é claro, minha profecia estava correta de novo e quem ficou com o tal Numb foi a Kiwa. As lutas continuam muito boas! *-* Só achei meio estranhos a parte dos "deuses amistosos", porque não sei onde aqueles desgraçados eram amistosos. E tenho quase certeza que o pequeno Steve vai ser o portador do número um. É o único sobrando, não? Bem, agora o que falta é saber se eles vão derrotar Zarcag de uma vez por todas. Eu torço é pra que o velho Joe seja resgatado, mas depois de ler a saga Jogos Vorazes, vi que uma morte ou outra não deixa a história pior. -q Bem, eu vou ver se consigo acompanhar. Mas até que é bom passar pra ver essa ótima fanfic.

Qualquer hora a gente se vê no msn pra matar as saudades Very Happy Você sente saudades de mim, né? ç.ç Té +!
avatar
cbm
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/05/2010

Frase pessoal : cursando terceiro ano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Umbreon_NICE em Sex 8 Jun 2012 - 17:37

Voltei a ler sua fic. Enfim, vamos lá senhor mudriu. Em geral o capítulo ficou bom, não ficou interessante para mim, pois não conheço os personagens direito, but lerei mais tarde. A narração e a descrição na batalha do inicio do capítulo estava impecável. O destaque e a coloração nos ataques ajuda bastante os leitores quando vão ler e montar seu comentário sobre a luta, ou como ela foi narrada e descrita. Não gosto de citar erros ortográficos - e também porque não tem mesmo -, são coisas que melhoram com a prática. Enfim. Good Job. Espero o proximo capitulo quando começar a entender a fic. /Q
avatar
Umbreon_NICE
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/07/2010

Frase pessoal : COMUNISMO ANTI SOCIAL


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Vulc em Sex 8 Jun 2012 - 21:46

Muito bom Mudakato, seu limdogostososedusaumdalajota

O Steve ainda vai ser o portador de um numb². Essa do Emo com dois tipos de poder me mata, seu safadão. Naku/Nigel salvando todo mundo, curti. Só achei a parte que ele recebe o numb meio KHR. Não vou falar de erros pq não tem e.e

É isso, e poste o ultimo logo
avatar
Vulc
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/03/2010

Frase pessoal : I'm still into you


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por DarkZoroark em Seg 11 Jun 2012 - 4:04

Mud o/
Por que não me avisasse que havias postado um novo capítulo? Sad Tinhas me avisado eu comentava mais cedo... Mas enfim, adorei o cap (pena que é o penúltimo...). Zarcag cada vez mais louco de pedra. O irmãozinho do Mack descobriu sobre ele? lol Só quero ver o que vai sair daí. Mas chamar o cara de Tocha Humana é ser muito fã de Quarteto Fantástico!
Quanto ao capítulo em si, não encontrei nenhum erro e, como sempre, tanto sua descrição quanto sua narração continuam fantásticas. Estarei esperando ansiosamente pelos últimos capítulos da sua fanfic.
Aguardo seu próximo capítulo.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Hyurem em Qua 13 Jun 2012 - 18:41

Hello, Mud!

Consegui ler todos os caps. Mas já tá acabando, né? Sad
Sua história está excelente. A primeira fic sem o tema de Pokémon que realmente prendeu minha atenção no fórum. Sua criatividade continua me surpreendendo, com toda essa história de numerais romanos chamados Numbs, sendo que cada um possui um tipo de poder especial e consciência própria. Me gusta!

Sobre erros, não lembro de ter visto algum em nenhum dos capítulos. Coitado do Heat, irmão menor é fogo mesmo. (pior trocadilho do século)
Que poderes possuirá o Numb II? Quem irá recebê-lo? Velho Joe? Quem sabe Steve, o caçula chato? Ou será outro indivíduo? To morrendo de curiosidade!

Falei o que tinha pra falar. Good Bye! tchau
avatar
Hyurem
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/08/2011

Frase pessoal : O Tempo é precioso, imutável e irrecuperável


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Richie em Ter 3 Jul 2012 - 21:16

Mud o/
Sua fic é realmente, incrível.
Já desconfiava que o Nigel conseguiria retirar o Numb do Zarcag.
A luta foi muito tensa, quase destruiu o Empire States. E esse caçula do Mack hein? Aposto 5 centavos que ele vai conseguir o Numb restante.
Não achei erros gráficos e de concordância no capítulo.
Nossa já está no final, será que salvarão o Joe da Frozen Pig?
Aguardo o próximo.
avatar
Richie
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/01/2012

Frase pessoal : fist me d4ddy


Ver perfil do usuário http://pedrawz.deviantart.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Kurosaki Mud em Qui 19 Jul 2012 - 18:02

Pessoas o/
Bem, faço um cap por mês devido os outros projetos e RL, portanto, não me apressem u.u
Eu tinha dito que esse seria o último capítulo, mas achei que ficaria extenso demais, e como se encaixou na história, teremos um oitavo :3
Ele sairá em agosto, não me apressem u.u às vezes posso postar em julho, mas até a terceira semana de agosto sai, ok?
Enfim, oito coments, nunca tive tantos, agradeço demais a vocês, sério, cada um, cbm voltou e postou na fic, Dusk que ia sair e ficou para ler a fic, DZ que nunca tardou como eu faço, Vulc, Umb, Hyurem e Richie. E o Black que me apressa -q
Aqui vai o capítulo, espero que gostem:




VII
O mês de dezembro chegou rápido e frio. A neve começara a cair nos arredores de Nova York. A mídia já não relatava o estranho fato que acontecera no Empire States, mas o exército estadunidense estava pronto para um possível ataque terrorista.

Nessa época, ainda bem, a Frozen Pig ficava com menos movimentação. Kiwa e Nigel cuidavam da parte financeira e administrativa da sorveteria, já que Velho Joe ainda estava sob poder de Zarcag.

Às noites, Mack e seus amigos aprimoravam seus poderes em treinamentos e tentavam fazer contato com o “Zarcag do bem” pelos sonhos. Porém, já era dia 23 e nenhuma mensagem fora concedida.

Outro fato importante era o fim das aulas. As notas tinham sido satisfatórias para eles e agora tinham um problema a menos com que se preocupar.

Porém, outro fator era agravante. Spike só poderia ficar até o Natal, pois a mentira de que a família dele voltaria para buscá-lo era o real motivo de ele estar naquela casa.

Ao menos, Steve não contara nada aos pais sobre o que descobrira do irmão mais velho. Contudo, ambos não se falavam mais. Steve jogava cada vez menos videogames e não olhava para seu irmão. Ficava muitas vezes trancado em seu quarto.

E não foi por falta de tentativas de reconciliação que o estilo taciturno ainda permanecia. Mack tentara falar inúmeras vezes com o garoto, que ignorava ou dava respostas frias.

Faltando apenas dois dias para o Natal, os amigos decidiram fazer um amigo secreto na Frozen Pig, apenas entre funcionários.

Mixa ficou meio frustrada quando retirou o nome de seu pretendente. Mack e Spike sacaram na hora de quem se tratava:

- E aí, já pensou no que comprar para a Kiwa?

A menina se espantou e falou:

- Como, mas, o que?! Vocês nem sabem se eu a tirei!

Os dois caíram na gargalhada, enquanto ela saía correndo para o norte, onde ficava sua casa. A entrega ocorreria no dia seguinte e provavelmente, a garota estava indo comprar o presente. No caminho de volta, a dupla de rapazes veio conversando:

- Bem, eu tirei o Nigel. – Declarou o Amphere – Acho que devo ter um par de meias na gaveta, deve servir.

- E eu tirei o Wallace, o garoto novo. Acho que ainda devo ter um relógio que minha tia-avó me deu de aniversário. Só preciso procurar.

E de repente, Mack não via mais a rua coberta de neve, seu amigo loiro rindo, os carros e o vento em movimento. Ele estava agora em uma espécie de torre, só que na parte de fora. A estrutura tinha sete andares, cada uma com as cores do arco-íris e Numbs. No topo, ele observa sete figuras sombrias. Uma delas parecia segurar um guarda-chuva. Outra parecia familiar. As outras cinco eram humanas também, mas não tinham detalhes que lhe chamassem a atenção.

O céu ao fundo trovejava. Um relâmpago atingiu o topo da torre. E o sonho mudou.

Agora ele estava dentro de uma cela. Grades moribundas e paredes sujas cobriam o local em menos de trinta e seis metros quadrados. Havia uma janela onde se via a placa: Doces de Abóbora Pens, o melhor da região.

E no canto da prisão, Velho Joe aparecia em estado doentio, um pouco verde. Uma sombra com olhos lilás o observava e ria. Era Zarcag.

Mack saiu do transe e novamente estava na rua do Brooklyn.

- Foi uma visão?! – Perguntou Spike ansioso.

O ruivo confirmou:

- Sim, Velho Joe está na Pensilvânia, próximo àquela fazenda de doces caseiros, a Pens.

- Nossa, até que o Zarcag é rápido para vir voando daqui até lá.

- Não temos tempo a perder. Eu vou até a casa da Kiwa, o Nigel deve estar lá. Você vai até em casa, avisa minha mãe que iremos sair e podemos demorar e em seguida vai avisar a Mixa. Encontramo-nos na FP até às seis da tarde.

- Ok. – Disse o loiro, que se separou do amigo em direção à casa provisória em que morava.



~//~

Steve não era sonso, muito menos idiota. Passou quase o mês todo tentando entender a lógica dos poderes. Notou que os cinco tinham números romanos nos braços. Mas não havia nada no Google que ajudasse.

Ele suspeitava cada vez mais de Spike, o fato dele morar naquela casa, não era amizade, mas sim, os poderezinhos secretos.

Ele sempre sonhara em ser um super-herói, porém, seu irmão conseguira esse sonho e não lhe contara.

O menino estava deitado no sofá de casa, lendo uma revista de games, quando o sino de ventos rangeu e a maçaneta deu meia volta. Alguém tinha entrado na casa. Com certeza, Mack e aquele loiro interesseiro, voltando de mais um “dia de trabalho” na sorveteria.

- Com licença. – Disse a voz de Spike – Sra. Branford, eu e Mack iremos até a casa de Mixa para jogar videogame. Os pais dela nos convidaram para jantar e eu vim avisar.

A mulher olhou sorridente para ele.

- Que ótimo Spike. É bom ver o Mack se divertindo com amigos. Aliás, diga aos seus pais que quando eles chegarem de viagem, que farei minha tradicional torta de carne e meu pudim de framboesa.

- Pode deixar! Meu pai ama frutas vermelhas! – Respondeu o jovem.

- Espera aí! – Interrompeu Steve na saída, olhando para o loiro. – Por que vocês não avisaram por celular?

Irônico, o garotinho sorriu para o Amphere, que explicou:

- Eu estou sem créditos, e o do seu irmão acabou a bateria. Como eu estava no caminho, decidimos que eu pararia para avisar.

Steve encarou o jovem dubiamente:

- E por que ele e Mixa e não vieram avisar também?

Spike queria dar uma voadora no nariz do pentelho, mas se acalmou e respondeu:

- Sabe como é, Mixa obrigou Mack a montar o videogame na sala, eles ficaram encarregados disso e eu de vir avisar. Se me der licença amiguinho, estou com pressa. Mal posso esperar para jogar Kill the Boring Kid III.

E ele saiu com pressa da casa.

- Aí tem coisa. – Disse Steve – Mãe, vou jogar beisebol com o Harry.

- Ok, mas volte para o jantar! – Gritou a Sra. Branford da cozinha.

O garoto pegou um casaco e um objeto prateado em cima da mesa de centro da sala, deixou a trigésima sexta edição da Game-e jogada no sofá e seguiu os passos do loiro com poderes de eletricidade. Mack não seria um super-herói sem ele.



~//~

Em frente à Frozen Pig, Naku se concentrou ao máximo para levitar os amigos. Porém, não obteve sucesso.

- Droga, eu só consigo levitar eu e mais dois até lá.

- Vamos fazer assim. Irei usar o fogo para me impulsionar e voar. Spike, use aquela sua prancha para se locomover. – Sugeriu Mack.

- Boa ideia. Assim chegaremos lá em menos de três horas! – Comemorou o loiro, enquanto apalpava seus bolsos procurando a prancha. Contudo, ele notou que tinha esquecido em casa.

- Procurando isso Super Choque? – Indagou Steve, aparecendo na rua lateral da sorveteria segurando uma lâmina metálica.

- Steve! Eu já falei que você não pode bancar o sabichão! – Reclamou Mack.

O garoto deu de ombros.

- Enfim, eu só entrego isso aqui se vocês me deixarem ir. Além disso, seria fácil eu contar para a polícia, apenas basta eu discar no meu celular, que, aliás, tem bateria e créditos. – Ironizou o garoto olhando a Spike.

Após uma troca de gestos obscenos e línguas de fora, os cinco adolescentes se entreolharam e discutiram um pouco. Mack deu um passo a frente e falou:

- Está bem, você irá com a gente, mas ficará quieto e longe de qualquer perigo, ouviu bem? E além disso, irá na prancha junto de Spike, portanto, tomará uns choquinhos de vez em quando.

Dessa vez, o Amphere deu um sorrisinho amigável falso.

- Nada que uns volts não resolvam.

Steve entregou a lâmina, que se estendeu e formou a prancha do Super Choque. Mack preparou o impulso para voar com turbos nas mãos. Nigel se concentrou ao lado das meninas e começou a levitar.

E o sexteto partiu até a Pensilvânia.



~//~

A placa de doces de abóbora mostrou o exato local de onde estaria Velho Joe. Os seis desceram cautelosamente até em frente a um pequeno casebre de sapé e madeira, onde estavam o idoso e Zarcag.

- Steve, fique aqui em silêncio. Se não voltarmos em duas horas, avise a polícia o mais rápido possível.

- Pode deixar! – Constatou o menino.

- Vamos atacar pela frente, um golpe surpresa será o melhor. – Sugeriu Nigel.

- Não seja tolo! Pode ser que tenham armadilhas na entrada! – Respondeu Spike.

Eles arrumavam um jeito de entrar, enquanto Mixa e Kiwa observavam a casa. Aparentemente, não havia movimento.

As duas tiveram uma ideia súbita. Uma virou água e a outra se transformou em planta. Elas invadiram de leve o interior da casa, como gotas de chuva e sementes de girassol e notaram que Zarcag estava dormindo, tal qual Velho Joe.

Elas voltaram enquanto Mack, Steve, Spike e Nigel discutiam o melhor jeito de entrar.

- Ai, ai, garotos. Sempre tolinhos. – Constatou Mixa.

- Se vocês não notaram, conseguimos invadir a casa e os dois estão dormindo.

Os quatro pararam de discutir e se espantaram com a rapidez das duas.

- Isso é o que eu chamo de poder feminino. – Comentou Naku.

- Bem, vamos invadir ou não? – Perguntou Spike.

Os cinco concordaram e atacaram o casebre rapidamente. Prenderam Zarcag numa esfera de ar com água. Queimaram as grades da prisão de Velho Joe e o soltaram.

- Ué, eles continuam dormindo. Que estranho. – Notou Kiwa.

Spike deu um soco no ombro de Zarcag e revelou:

- Fomos enganados. São ilusões!

E no mesmo instante, os dois evaporaram como névoa.

Nigel chutou um pedaço da parede de sapé, irritado com o que acontecera.

- Ele nunca esteve aqui! Foi uma armadilha desde o começo.

- Afinal, não teria o porquê dele se isolar tanto para esconder o Velho Joe. – Disse Kiwa.

Os cinco se reuniram com Steve e decidiram voltar para casa.

- Pelo jeito, nunca encontraremos o meu avô novamente. – Suspirou Naku.

Ele parou de falar quando uma luz vermelha, do outro lado da estrada e do casebre, começou a emergir. Ela estava longe, entretanto, era a coisa mais chamativa num raio de dez quilômetros.

- Uma sirene de polícia? – Indagou Mixa.

- Não faz barulho. Pode ser um incêndio. – Respondeu Mack.

- Vocês estão enganados. – Bravejou uma voz que parecia vir do solo – Os Numbs têm a tendência de se unir, portanto, eles ressoam quando estão próximos.

E Tuani, a forma astral dos sonhos de Mack, a ex-mulher de Joe, apareceu como um fantasma.

Todos se assustaram, exceto Mack, que já conhecia a projeção.

- Tuani, você não aparece apenas quando o Numb III está por perto?

- Sim. Ou, se os Sete estão a menos de dez quilômetros de distância. Eu sou a essência, como você sabe. Mas o que não lhe contei foi que cada Numb foi feito com pedaços da minha alma.

- O que? – Assustaram-se todos. Para começar, se ela só aparecia quando os sete números se uniam, Zarcag e o Numb II estavam a menos de metros deles. E depois, o que eles seguravam não era nada mais que a vida de uma simplória moça.

Após o susto, a fantasminha começou a explicar:

- É uma longa história. Tudo começou quando Ignoto, eu e Joe estávamos descobrindo o projeto dos Numbs. Para realiza-los, eram necessárias partes de uma alma humana. Eu decidi me sacrificar por vontade própria. Joe, claro, foi contra. Disse que minha vida era mais importante do que tudo. Eu me salvara de dois AVCs, e sentia que o terceiro estava perto. Cada dia, ficava mais e mais fraca. Apenas vivia pelo meu amor. Ignoto concordou com minha decisão, a ambição dele era grandiosa quanto a tornar os poderes uma realidade. Joe prometeu que encontraria uma forma sem usar a vida humana.

Ela fez uma pausa.

- E aí, o que aconteceu depois? – Perguntou Mixa entristecida.

- Passou-se um mês Quando tive um terceiro acidente vascular cerebral, sabia que não iria resistir. Supliquei com o que conseguia falar para meu marido me usar na experiência. Joe não conseguiu e tentou me reanimar, mas era tarde. Ignoto cumpriu o que queria, mostrou os sete projetos de Numbs para cada chakra meu.

- Cha o que? – Perguntou Steve.

- Chakra. Todo ser humano tem sete chakras. Foi daí que descobrimos a força dos Numbs. São os centros enérgicos do ioga que distribuem energia ao corpo. O terceiro está localizado no cérebro, na mente, o poder psíquico de Zarcag. O sexto está entre as sobrancelhas, onde o vento se esvai, perto do nariz, onde o ar é inspirado. O sétimo está na garganta, onde a água passa para salientar a sede humana. O quinto se localiza no coração, onde o contato de afetividade humana acontece, na meiguice, na natureza da vida. O primeiro está no intestino, que não para de trabalhar, como se fosse uma máquina elétrica. O quarto está, bem, nas partes genitais, onde acontecem coisas calientes. E bem, o segundo se encontra no ânus, onde a matéria e a energia saem pela força.

- Essa última parte foi bizarra. – Comentou Nigel.

- Infelizmente, não tenho como mentir para vocês. Enfim, os Numbs acabaram sendo criados com minhas essências e meus chakras. A experiência deu certo e Joe resolveu cuidá-los como filhos.

- Bom, mas Ignoto foi cruel e quis os Numbs para ele não é?

Tuani assentiu tristemente.

- Como vocês sabem, Joe percebeu as reais intenções de Ignoto e correu atrás do projeto utópico. O oitavo Numb, o da luz. Dizem que o oitavo chakra existe, se localiza nas palmas das mãos e representa a luz, a pureza. Joe quis criar o oitavo Numb para usar no assistente, enquanto Ignoto queria matar mais pessoas para criar um exército de Numbs, aí ocorreu a explosão e tudo mais, que vocês conhecem.

- Espere um pouco. Você disse que só apareceu por que todos os Numbs estão próximos. Isso quer dizer que o segundo é aquela luz vermelha?

Ela concordou.

- Zarcag já deve ter pressentido a presença de vocês e do Numb II, como vocês entenderam, ele dá poderes de luta e força para quem o possui. Mack, creio que você ficará com esse Numb, portanto, peço para que tome cuidado. Todo Numb guarda algo dentro de si, vocês devem descobrir como abri-los. Boa sorte.

No mesmo instante, Tuani sumiu e o casebre que estava a alguns metros explodiu em miasma roxo. A fumaça sumiu e Zarcag com seus olhos vermelhos fitava o quinteto e Steve. Ao lado, um caixão de ametista, onde estaria Velho Joe, permanecia imóvel.

- Deixei as ilusões como isca e alarme ao mesmo tempo. Estava em busca do segundo Numb, mas parece que terei um arco-íris completo.

A luz vermelha se intensificava. Laranja, Anil, Ciano, Vermelho e Amarelo emergiam dos braços, pernas e peito do lado do bem. Nas costas do vilão, uma luz violeta fazia a mesma coisa.

A batalha final se iniciaria. O prêmio? O Numb de Luta e a vida de Velho Joe.

Continua no capítulo VIII.



PS: VIII – Significa o oitavo Numb, por isso teremos um capítulo extra –q.

Aliás, as partes do corpo dos Numbs IV e II não foram minha opção, é a realidade o chakra.
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Black~ em Qui 19 Jul 2012 - 18:45

O Numb II era de luta? Nem imaginava isso, imaginei tudo menos isso. A parte dos chakras que ela falou do número II foi engraçado, eu sei que é a realidade, mas é engraçado lol.

O capítulo ficou bom, e eu fui lendo, mas nem percebi que era grande, li tão rápido, não vi nenhum erro de ortografia. Sua descrição é boa e a narração também, só vi esse errinho aqui:

Zarcag e o Numb II estavam a menos de metros deles.

Não seria a 10 km?

Enfim, espero o último capítulo
avatar
Black~
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/02/2011

Frase pessoal : The winter has come


Ver perfil do usuário http://pokemonblackrpgforum.forumeiros.com./

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por cbm em Qui 19 Jul 2012 - 21:12

Ótimo cap Mud. É engraçado ter 8 Numbs, 8 chakras e 8 poderes na fic Seven. -q

Mas dá pra ver que você foi desenvolvendo o enredo conforme nós íamos comentando e sugerindo algumas coisas. Isso é bem interessante e devo parabenizá-lo. Quanto aos erros, só notei esse aqui:

Passou-se um mês Quando tive um terceiro acidente vascular cerebral

Não entendi a necessidade do Q maiúsculo. Ou foi erro de digitação ou faltou um ponto final, mas a primeira opção é bem mais cabível.

Bem, estarei esperando ansioso pelo próximo cap. ]sua fic é realmente muito interessante e é triste que agora estamos chegando tão perto do final que posso até já sentir saudade. Bem, até mais sinhôzinho. <:
avatar
cbm
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/05/2010

Frase pessoal : cursando terceiro ano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Richie em Qui 19 Jul 2012 - 22:49

Mud!
Gostei do cap, realmente, foi bizarro as partes do IV e II.
Não tinha lá muitos erros, percebi, como o Chord disse, aquela maiúscula foi desnecessária, além da falta de concordância em relação à distância.
Fora isso, só vi uma falta de acento, mas nada grave...

A fic está acabando, espero ansiosamente pelo capítulo VIII.
Nos vemos por aí!
avatar
Richie
Membro
Membro

Masculino Idade : 17
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 03/01/2012

Frase pessoal : fist me d4ddy


Ver perfil do usuário http://pedrawz.deviantart.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Hyurem em Sex 20 Jul 2012 - 10:27

E aí, Mud?
Capítulo realmente fantástico. O único erro que reparei já foi citado anteriormente.

Também achei bem esquisito os Chakras dos Numbs II e IV e ri muito com o poder do Numb II. Mas não haveria outro para colocar no lugar, não que realmente valesse a pena, né? XD

Não há muito o que comentar! Aguardo o último capítulo!
avatar
Hyurem
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/08/2011

Frase pessoal : O Tempo é precioso, imutável e irrecuperável


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Colt em Sex 20 Jul 2012 - 11:27

Episódio muito bom, no aguarde do próximo... Fanfic ótima.

Ri muito com os os chakras dos Numbs dois e quatro. Só teve um errinho que já foi dito.

Bem que poderia ter uma segunda temporada com outros sete eps(Ou seriam oito?) né? Razz


Última edição por Zic em Dom 22 Jul 2012 - 11:17, editado 1 vez(es)
avatar
Colt
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 19/03/2012

Frase pessoal : ba dum tss


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por DarkZoroark em Sab 21 Jul 2012 - 1:33

Mud o/
Já tinha lido o cap antes mas fui comentar agora para pensar no que escrever (comentário na hora que a pessoa lê acho que fica um tanto corrido e apressado). Primeiramente, gostei bastante do capítulo. Continua a me surpreender cada vez mais (pena que o próximo é o último).
Adorei o nome do jogo que o Spike inventou (queria poder fazer isso com o chato do meu primo...). Para variar sempre tem um baixinho que acha que pode ajudar em algo mas atrapalha tudo (Kel do Kenan e Kel, por exemplo). Essa parada de chakras foi bem legal (meio estranho os II e IV, mas nada que seja ruim).
Erros não encontrei nenhum. Descrição e narração impecáveis como sempre. Bom, estou com sono e vou dormir. Deixo esse comentário dizendo que aguardo seu próximo (e último) capítulo.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Kurosaki Mud em Ter 24 Jul 2012 - 14:52

Pessoinhas do meu colassaun <3
Como muitos falavam que eu demorei e tals, decidi fazer esse cap final para acabar a primeira temporada.
Sim, farei a segunda, bem no estilo lutinhas, espero que vocês continuem lendo :3
Erros do cap anterior: quando falei metros, eu tava ciente de quilômetros, mas pensem, não deixa de ser metros, não é um erro -q
E o quando foi um erro sim, letras maiúsculas me confundem toda hora, '-'
Valeu cada coment, Black, cbm, Richie, Hyurem, Zic e DZ :3
Aqui vai o cap, eu não o revisei, avisem dos erros:




VIII
Mack fez o fogo surgir de suas mãos como impulso. Ele voou em direção à luz vermelha, nos campos áridos de trigo da Pensilvânia. Zarcag repentinamente virava um vulto negro com olhos que trocavam entre o vermelho e o violeta. Os dois corriam em altíssima velocidade. Spike e Nigel estavam logo atrás. Kiwa, Steve e Mixa tentavam abrir o caixão em que Velho Joe estava, mas não obtinham sucesso.

- Olá Zarcag. Vejo que emagreceu uns quilinhos nessa forma. – Zoou o ruivo, enquanto fagulhas emergiam de seus pulsos até as plantações.

- Vamos ver quem ri por último Branford! Purple Wave!

Uma onda com cristais de ametista surgiu diante de Mack. Ele agiu rápido:

- Fire Shield!

E um enorme escudo de fogo apareceu, defendendo-o do impacto com a onda de pedras.

Porém, a intenção do vilão não era machucar o adversário, apenas adiá-lo, e tinha dado certo.

- Droga, aumentarei o turbo em mais 30º. – Decidiu ele, mesmo sabendo das consequências. Eles testaram o limite de graus que era possível alcançar com o Numb IV em um treino.

E ele já havia excedido.

Sentia suas mãos arderem como formigas mordendo uma carcaça de animal.

- Mesmo assim não dará tempo de eu encostar-se a ele. Só se eu soltar um golpe. Blaze Star!

- Mack, não! – Gritou Nigel mais atrás. Ele só percebeu o erro tarde demais.

O vento estava na direção contrária. O golpe voltou bem em direção ao trio: ele, Naku e Spike. Uma estrela de fogo gigante não machucaria quem a fez, mas sim os seus amigos.

- Abaixem-se!

Nigel tentou se defender soprando o ataque para longe, mas a intensidade da estrela era maior. Spike não conseguiu nem ao menos se defender, as labaredas lhe consumiram no mesmo instante.

- Essa não!

Apenas água poderia apagar aquele fogo. O trigo se tornou cinzas instantaneamente, Mixa notou a confusão e correu para ajuda-los. E Zarcag, estava a menos de cinquenta metros do segundo Numb.

A luz vermelha virou uma esfera. Agora dependia apenas da força do vilão emo para obter o poder de luta.

- Mixa, rápido, faça chover! – Desesperava-se Mack. As queimaduras aumentavam cada vez mais.

- Strong Flood! – Berrou ela o mais alto que pode.

Do solo, os lençóis freáticos começaram a causar uma inundação ao redor do trigo. As plantas estavam salvas, assim como os dois jovens, que estavam gravemente feridos por causa das queimaduras.

- Vocês conseguem me ouvir? – Perguntou o ruivo aflito.

Spike abriu o olho esquerdo com dificuldade.

- Caramba Heat, assim vamos perder do mané gótico.

Os dois sorriram. Nigel também soltou um grunhido do outro lado. Eles ficariam bem.

- Conseguiram abrir o caixão do Velho Joe? – Indagou Naku arfando de cansaço.

- Não. Parece que só se abrirá se os sete Numbs entrarem em consenso.

Então eles não tinham escolha. O objetivo central era vencer Zarcag. A esfera vermelha eclodiu e do meio dela, um Zarcag com olhos violetas, cabelos da mesma cor esvoaçando, sem camiseta e com um Numb III nas costas e outro Numb II na barriga, sorriu dubiamente.

- Dois já foram. Faltam cinco.

E o vulto voltou a aparecer, indo em direção ao quarteto. Kiwa, mais distante, pediu para Steve ficar. Ela ajudaria os amigos.

O primeiro golpe de Zarcag foi uma espécie de ataque de gafanhotos de ametista.

- Grasshopper Attack!

Mack agiu rapidamente:

- Ladybug Heat!

E joaninhas de fogo contra-atacavam cada gafanhoto, os fazendo virar pó.

- Water Typhoon!

Mixa usara um tufão de água potente, como uma mangueira de bombeiro.

- Against Punch!

E a mão do vilão triplicou de tamanho, ficando em um tom avermelhado. Ele socou a água como se fosse papel, expelindo ela toda. Em seguida, com extrema rapidez, socou a barriga da garota.

- Covarde! Spark...

Spike tentou ataca-lo, mas não tinha condições. Nigel tentava fazer o mesmo.

Enquanto Mack matava o último inseto, Mixa se defendia com espelhos d’água.

- Flame Gun! – Gritou o Heat irado.

Balas de pura brasa saíam de seus dedos, como uma metralhadora de centelhas.

Zarcag recebeu o golpe em parte, mas logo criou uma barreira psíquica:

- Psycho Shield!

Mixa achou que seria a hora perfeita.

- River Whip!

E um chicote de água acertou a cara do emo, que recuou um pouco.

- Maldita! Cansei de brincar com você! Shadow Suffering!

E uma sombra possuiu a menina no mesmo instante. Ela perdeu a cor de seus olhos, o seu cabelo ficou completamente preto. Parecia um manequim, sem vida.

E de repente, ela começou a gritar de dor, sofrimento.

- O que você está fazendo seu medíocre? – Perguntou Mack assustado.

- Ora Branford, não vê? Coloquei uma alma maligna dentro dela. Não irá possui-la, é claro, mas a fará sofrer cada segundo que resta de sua vida.

Pasmo, Mack não aguentou ver a amiga sofrer:

- Prometheus Armageddon!

- Heat, não! – Gritou Spike com dificuldade.

Kiwa chegou no mesmo instante e indagou:

- O que ele está fazendo?

Um monte de pássaros começaram a surgir de todos os cantos. Eles pegavam fogo e formavam um círculo entre Zarcag e Mack. Depois, a quantidade aumentou drasticamente, formando uma esfera.

- Mas o que é isso?

Naquele instante, o possuidor do Numb IV estava totalmente fora de si para responder qualquer coisa.

Um corvo bicou o braço do vilão, que se assustou.

Depois, duas andorinhas rasparam suas asas flamejantes nas pernas dele. E todos os pássaros atacavam Zarcag com a mesma intensidade.

- Você conhece a história de Prometeu, Zarcag?

O garoto gritava de dor. Nem mesmo seus golpes surtiam efeito naquilo.

- Na mitologia grega, Prometeu roubou o fogo dos deuses e trouxe aos humanos. Como castigo, Zeus prendeu o ladrão no topo de uma montanha e o fez sofrer a cada dia. Uma águia comia todos os dias o estômago dele. E nesse golpe, juntei ambas as partes. O fogo que Prometeu roubou, e os pássaros em que ele teve sua culpa paga.

- Mack, já chega! Seed Shock!

E sementes paralisantes atingiram o ruivo, que cessou o golpe. Ele olhou em volta. Os pássaros haviam sumido. Spike e Nigel haviam sentado, mas com dificuldades. Kiwa segurava Mixa, que estava desacordada e sem a sombra dentro dela. Por fim, Zarcag sangrava em diversas regiões do corpo.

- Você o matando, fazendo-lhe sofrer, irá se igualar ao que ele fez com Mixa. Vingança não leva a nada.

O garoto olhou para Kiwa. Ela havia tacado as sementes.

- Você tem razão. Desculpem-me.

A menina retirou a paralisia do corpo do garoto. Zarcag se levantou com dificuldade e disse:

- Você podia ter matado o garoto que possui Branford. Mas eu ainda viveria. Basta eu apenas possuir outro corpo, que seja mais forte no momento!

E Zarcag abriu a boca e os olhos, um espírito saía dele. Os Numbs foram juntos da alma que emergia. Em seguida, apenas o vulto de Ignoto Kraft permanecia imóvel diante deles. A sombra maléfica avançou até o corpo mais próximo que não possuísse um Numb. Steve.

O garotinho tentou fugir ao ver que seria a vítima, porém, era tarde demais. A alma já invadira seu corpo.

Mack segurava Mixa nas costas, enquanto Kiwa corria ao seu lado e Spike e Nigel andavam mancando mais atrás. Zarcag continuava desacordado no chão.

- Eis que surge o seu fim Branford! – Disse uma voz que era em parte de Steve e em outra, a do mal em pessoa.

E os olhos do garotinho trocaram de castanhos para rubros. Os Numbs II e III estavam no seu corpo.

- Eu não posso atacar meu irmão. O que farei? – Perguntou-se o ruivo chocado pela mudança.

- Punch Sequence!

E Steve começou a socar o irmão sem parar. Cada soco era mais forte do que um humano qualquer conseguiria atacar.

- Root Jail!

Kiwa prendeu o garotinho em uma jaula feita de raízes.

- Não adiantará! Blade Amethyst!

Ignoto fez lâminas de ametista brotarem de suas mãos e a prisão se desfez. Em seguida, decidiu cuidar da menina antes de acabar com Mack.

- Você está mais forte do que ele no momento. Portanto, Amethyst Kick!

E ele juntou o poder dos dois Numbs. Uma de suas pernas era pura ametista. Ele se impulsionou e atingiu o peito da garota com um chute certeiro.

Kiwa caiu com o impacto na hora.

- Thunder Spiral!

- Air Typhoon!

Nigel e Spike reagiram ao ver a amiga perder. Steve os fitou como dois animais esquisitos e desviou dos golpes. Depois, usou o golpe mais eficaz no momento:

- Violet Cocoon!

E os três que lutavam contra Ignoto começaram a ficar presos em casulos de seda lilás. Mack olhava a cena enquanto deixava Mixa descansar ao lado da placa de doces de abóbora e do caixão do Velho Joe.

- Steve, para, me ouve!

O garoto ria maleficamente, como se fosse uma masoquista. Ele preparava um golpe de ultimato para usar no irmão.

- Você não queria ser um herói? Então por que não age como um?

Aquilo fez o menino parar o golpe e pensar.

Ele amava Mack. É claro, ficou bravo por conta de besteiras, mas eles eram irmão, isso que importava.

Ele precisava ser forte para derrotar Ignoto.

E se ele tinha o Numb de força em sua barriga, nada mais justo do que lutar pelo que ama.

Steve teve a mesma reação que Zarcag, a alma de Ignoto saía de seus olhos e boca. Porém, os Numbs II e III brilhavam como raios de Sol do amanhecer, ao invés de saírem do corpo.

Ignoto reapareceu em sua forma astral, entretanto, sem os Numbs.

- O que aconteceu?

E no mesmo instante, o caixão de Velho Joe se quebrava em milhares de fragmentos. O idoso se levantou da posição mórbida e parecia ter acordado de um sonho profundo.

Ao seu lado, Tuani aparecia radiante.

- Chegou o momento Mack Branford. Só você pode derrota-lo! – Disse ela.

Steve voltou ao normal logo em seguida. Em seu abdômen, ainda permanecia o Numb II. Porém, o Numb III flutuava diante dele, indo até o ruivo, que ficou surpreso.

Então, os sete Numbs começaram a brilhar. Os casulos de seda roxa se esfarelaram e Spike, Kiwa e Nigel ficaram visíveis novamente.

Os três Numbs deles, I, V e VI, flutuaram em direção a Mack.

Steve pareceu entender o que significava. O Numb II saiu de sua barriga e foi até o irmão também.

Por fim, Mixa abriu levemente os olhos e libertou o Numb VII para seu amado.

Os sete Numbs estavam ao redor de Mack, como apenas um.

O IV saiu do braço do rapaz e com um último lampejo, eles se uniram.

Ignoto apenas se perguntava como saíra do corpo de Steve e por que havia perdido seus dois Numbs.

Os outros, apenas acompanhavam o balé que os Numbs faziam até virarem apenas um.

E esse, era o desafio.

Apenas os possuidores de bom coração, de alma pura e lúcida, poderiam recorrer ao poder daquele Numb.

O VIII Numb, o da luz.

Ele entrou no coração de Mack como se fosse um fantasma. Ele nunca sentira uma energia tão boa em toda a vida.

Ignoto agora notava o que acontecia com seu inimigo.

- Não! Como assim, você achou o oitavo? Eu vou te possuir e você irá morrer Branford!

Mack apenas abriu os olhos e disse:

- Light End!

E uma enorme luz cobriu o espírito maligno, que se dissolveu e sumiu em instantes.

Enfim, havia acabado.

A luz parecia ser algo revigorante também. Mack já não sentia as mordidas dos gafanhotos ou fragmentos. Mixa, Spike, Kiwa e Nigel não tinham mais as marcas da batalha no corpo. E Zarcag, acordava de um pesadelo que durou anos, meses, dias de dor.

O Numb VIII saiu do coração do garoto e se dividiu em sete novamente. O I voltou para o peito de Spike, o II para o abdômen de Steve, o III para as costas de Zarcag, o IV para o braço direito de Mack, o V para a perna esquerda de Kiwa, o VI para a perna direita de Nigel e o sete para o braço esquerdo de Mixa.

Velho Joe fala depois da luz dos Numbs cessar:

- Vocês são os jovens mais puros que puderam ficar com minhas criações. Eu tenho orgulho disso.

E Tuani voa feliz, até as estrelas. Ela não tinha mais preocupações.


~//~
Após uma semana, na noite de ano novo, muita coisa tinha mudado.

Kiwa e Nigel decidiram trabalhar na Frozen Pig por tempo, mesmo depois da volta do Velho Joe. Ajudavam um pouco nas finanças, mas preferiam aparecer de vez em quando, e não todos os dias como o restante. Naku, aliás, havia assumido que amava seu avô e que não queria mais perdê-lo.

Só que o jeito canastrão do velhote continuava. Até no dia do feriado eles trabalhavam. O movimento ainda era grande na Frozen Pig, mas nada que pudesse ceder uma folga aos heróis do mundo.

Steve, agora com seus poderes de herói tão desejados, voltara a amar o irmão, e nas horas vagas, fazia sua mão ficar pesando o triplo dela e socava árvores, como um super-herói em treinamento.

Mixa ainda amava Mack, mas não tinha coragem para dizer isso. Porém, sabia que para ele sair do controle e tentar matar Zarcag, era por que ele também a amava. Logo, não tinha mais inveja de Kiwa.

Spike contou a verdade para a Sra. Branford. Ele disse que não tinha pais e que veio fazer intercâmbio entre estados. Mack se tornara amigo dele e tinha lhe aceitado como hospede. Apesar de irritada no começo por ter sido enganada, a mãe de Mack disse que Spike tinha sido como um filho para ela e que era mais que um amigo. Só que agora, ele teria que lavar a louça nos finais de semana, o que frustrou um pouco o loiro, que acabou cedendo aos caprichos da “mãe adotiva”.

E Zarcag, hora ou outra aparecia na Frozen Pig. Ele estava livre para fazer o que bem entendia. E tinha se tornado amigo dos outros Numbers, mesmo por que conversara com Mack nos sonhos dele.

Entretanto, apenas uma coisa ainda deixava Mack Branford preocupado. A visão que ele tivera da torre com sete vultos no topo.

Ele não sabia o que era.

Não sabia do que se tratava.

Mas tinha esperanças de que aquilo não fosse acontecer.

Pois, por enquanto, ele queria apenas curtir os amigos e a família. E a única chama que deveria ser usada, era a do coração.



Final da primeira temporada. :3


Última edição por Mud em Sab 6 Abr 2013 - 12:55, editado 1 vez(es)
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ~Seven~

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum