Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Grand Chase : Continent Polis

Ir em baixo

Quem é a amada de Siegh?

17% 17% 
[ 1 ]
17% 17% 
[ 1 ]
50% 50% 
[ 3 ]
0% 0% 
[ 0 ]
0% 0% 
[ 0 ]
16% 16% 
[ 1 ]
 
Total dos votos : 6

Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por pikachu385 em Sex 16 Set 2011 - 10:46

Bem, pessoal, já tenho dois capítulos prontos, por isso postarei apenas o prólogo agora, tá um pouco pequeno, mas o segundo já libera tudo, hehe. Enfím, Polis é um continente cheio de surpresas, a estória se passa depois que a Grand Chase foi derrotada por Duel, o protagonista será o Siegh, mas terá personagens que o acompanharão no decorrer da fanfic. Haverá personagens diferentes como verão e quem quiser entrar é só me mandar uma pm, com o nome do seu personagem, classe, arma e aparência. Somente isso, boa leitura^^


Grand Chase: The continent Polis
Prólogo: Polis and the General Soul

Um jovem andava calmamente num grande escritório, tinha uma roupa preta, olhos negros como a vestimenta, sua sala não era grande coisa, quadros de familiares e a cama onde dormia. Aparentava ter 15 anos, deu a olhada numa última foto da mãe e começou a caminhar para fora daquele lugar.

Ele estava nervoso e ansioso, o general finalmente lhe daria a missão do continente recém descoberto: Polis, este era imenso e ficava no meio do oceano, por isso era difícil chegar lá por meio de Vermécia, Terra de Prata, Ellia, Xênia e Arquimídia.

- Enfim, acordou, chegou a grande hora de mostrar sua face para o mundo, sei que fez grandes missões e alçançou as mais distantes terras, mas chegou a hora de infriltar na cidade natal de Duel. Vá para este novo local e vença todos seus inimigos, isto é uma ordem! - Disse Soul, elevando a voz e sendo mais rigído que Lothos, comandante da Grand Chase.

- Sim, senhor. Darei meu melhor.- Sieghart era orgulhoso, mas bem tímido também.

- Não me olhe desse jeito, soldado. Jamais irei querer seu mínimo, contudo, o máximo é o seu objetivo, agora suma da minha frente. - Disse Soul, terminando frase, este era bem forte e usava uma roupa azul toda decorada de preto.

- Seja como for, não posso falhar de nenhum modo. - Falou Sieghart, pegando sua espada e colocando na bainha, o general estava bem nervoso com o jovem, por isso rebaixara-o para a primeira classe, seria a missão que recuperaria seu ego novamente com a base Dead Chaos.


Edit: Gus, o prólogo realmente está ruim, mas caprichei no primeiro capítulo como verão, me desculpe, mas estava com pressa no dia, hehe.


Última edição por pikachu385 em Sex 16 Set 2011 - 16:57, editado 3 vez(es)
avatar
pikachu385
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
1 / 101 / 10

Data de inscrição : 26/02/2009

Frase pessoal : Pare de derramar sangue inocente Parry


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Kakro em Sex 16 Set 2011 - 11:38

Olá 385. Fic sobre Grand Chase, adoro. ^^
Bem, não tenho muito a dizer já que foi um prólogo, mas teve uma boa narração e também boa descrição. A história parece ser interessante, um novo Continente para além das outras existentes. Nunca fui a esses continentes, continuei nos iniciais. A única coisa que me chamou a atenção foi esse pequeno erro:

@pikachu385 escreveu:- Enfím, acordou, chegou a grande hora de mostrar sua face para o mundo...

"Enfim" não tem acento. Bem, acho que foi só isso. Gostei muito do prólogo, espero novos capítulos.
avatar
Kakro
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/05/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Gus em Sex 16 Set 2011 - 16:17

Tenho que confessar que esperava mais de você, Pikaxu.

Achei que poderia ter acrescentando bastantes coisas no prólogo o que você não fez. No início poderia ter trabalhado mais neste escritório, ter descrito mais, você só disse que tinha uma cama e quadros.. =/

Você poderia também ter feito também um pequeno resumo dos continentes, falado quais missões cada um tem e etc. Ah, cadê Atom? ç.ç

O prólogo foi rápido, sem mais nem menos ele sai do quarto e vai falar com seu general? Mas, onde eles estão? Onde fica o quartel do general? Isso ai foi o seu maior ponto fraco. Falta de descrição.

Aguardo ansioso pelo primeiro capítulo.

Gus
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/07/2010


Ver perfil do usuário http://about.me/dantasgustavo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por pikachu385 em Sab 17 Set 2011 - 13:02

Esse capítulo irá revelar algumas coisas sobre o continente Polis, como a Fear Forest, além de apresentar o primeiro golpe de Sieghart e os dois de Lass, e no final verão um novo personagem, Lune, enfim boa leitura.

Polis:

1-Fear Forest: Cercado de árvores e flores negras, é onde vive o jardineiro as almas e as criaturas gosmentas e lamacentas de lá,

Soldado:
1- Corte do Soldado
2-?
3-?
4-?
5-?

Ninja(Cazeaje)
1- Lâminas Giratórias
2- Furacão das sombras
3-?
4-?
5-?

Bem responderei ao dois coments primeiro:


@Kakro escreveu:Olá 385. Fic sobre Grand Chase, adoro. ^^
Bem, não tenho muito a dizer já que foi um prólogo, mas teve uma boa narração e também boa descrição. A história parece ser interessante, um novo Continente para além das outras existentes. Nunca fui a esses continentes, continuei nos iniciais. A única coisa que me chamou a atenção foi esse pequeno erro:

@pikachu385 escreveu:- Enfím, acordou, chegou a grande hora de mostrar sua face para o mundo...

"Enfim" não tem acento. Bem, acho que foi só isso. Gostei muito do prólogo, espero novos capítulos.

Bem o prólogo realmente deixei a desejar mesmo, estava muito cansado e por isso ele tinha que ser rápido e sem muitas descrições, sobre o quarto e talz descreverei depois, hehe. E erro consertado.

~Gus escreveu:Tenho que confessar que esperava mais de você, Pikaxu.

Achei que poderia ter acrescentando bastantes coisas no prólogo o que você não fez. No início poderia ter trabalhado mais neste escritório, ter descrito mais, você só disse que tinha uma cama e quadros.. =/

Você poderia também ter feito também um pequeno resumo dos continentes, falado quais missões cada um tem e etc. Ah, cadê Atom? ç.ç

O prólogo foi rápido, sem mais nem menos ele sai do quarto e vai falar com seu general? Mas, onde eles estão? Onde fica o quartel do general? Isso ai foi o seu maior ponto fraco. Falta de descrição.

Aguardo ansioso pelo primeiro capítulo.

Foi mal, mas realmente o início era pra ser meio bobinho, tenho certeza que vão se impressionar neste capítluo que fiz, hehe. O quartel fica em Ellia, e descreverei mais, ok. Boa leitura.

Grand Chase
Capítulo 2 - Fear Forest: The Gardener of Souls

Sieghart estava ansioso, depois de vários anos treinando para ter uma missão séria, finalmente iria ser reconhecido pelo mundo e voltaria a rever sua família e seus antigos amigos. Mas havia alguém no coração dele que ocupava todas aquelas emoções, a garota fizera a diferença em sua vida, ninguém na Grand Chase tinha desconfiado que fosse aquela pessoa, no entanto esse amor poderia causar muitos problemas, o melhor era esquecer e voltar a realidade.

- Como posso ignorar um sentimento tão verdadeiro como este? Ah, o que ela diria quando souber do que fiz? Estou perdido, contudo, ainda restam opções, tenho que conseguir minha reputação de volta. - Disse o soldado, disposto a fazer de tudo para alcançar seu objetivo, em seguida colocou a última mala no avião e entrou dentro deste.

- Enfim, acabou de arrumar suas coisas. Arrumei uma mochila para não se perder lá, tem mapas, poções e antídotos, mas não se esqueça de levar o celular. Quero saber de cada detalhe daquele lugar, jamais deixe de me ligar, ok? Agora vá, destrua todos os seus inimigos e salve o mundo! - Falou Soul, dando um tapinha amigável nas costas de Sieghart.

O avião era todo azul, decorado com tons pretos e dourados ao mesmo tempo, caberia 50 pessoas dentro dele. Era a prova de falhas também, havia centenas de motores e peças e 40 funcionários que as trocariam rapidamente, caso desse algum problema. O jovem sentou-se na sua cadeira e encostou a cabeça nela, para a sorte do soldado, a máquina voadora estava vazia, ele poderia dormir a vontade.

A viagem não demorou muito e Sieghart nem viu nada, cochilou todo o tempo, perdeu coisas interessantes, como o voo sobre Ellia e Aton, no entanto teve sonhos estranhos e bem misteriosos. Parecia que o seu antigo amigo Lass, pedia socorro no seu momento de descanso e as simples imagens agradáveis e imaginárias que todo mundo tem, quando se desliga do mundo, viraram terríveis pesadelos.

Contudo, assim que parecia que iria ser atormentado pela noite inteira, o avião parou violentamente, fazendo o jovem cair no chão e arranhar seu rosto com sua espada que estava perto dos seus pés. Rapidamente o comandante do avião surgiu no quarto do jovem gritando desesperadamente, aparentava dizer que um terrível furacão havia atingido as turbinas e causado sérios danos.

- Calma, fale devagar, o que aconteceu? - Perguntou Sieghart, que estava desesperado com a atitude do homem.

- É terrível, mestre, um enorme furacão atingiu o avião e danificou as nossas turbinas, além de causar rachaduras. Mas eu acho que pode ser algum inimigo tentando nos derrubar. - Gritou o comandante Scarlet, apontando para aquela confusão de ventos, que girava rapidamente, tendo como alvo a máquina voadora.

- Não entendo, quem iria querer impedir a nossa viagem e teria uma técnica tão poderosa assim? - Disse Sieghart, lembrando de cada um dos membros da Grand Chase. A Elesis nunca conseguiria fazer a rajada de ventos, pois seu elemento era fogo. Os únicos membros que teriam poder para isso, seriam Arme e Lass.

- Acho melhor saltarmos do avião, se o furacão nos atingir de novo, vamos todos morrer. - Falou Scarlet, pegando o paraquedas e seus pertences.

-Impossível, a Arme nunca iria me atacar, mas o Lass teria coragem de fazer isso? Sempre nos demos bem, contudo, na última vez que o encontrei, ele parecia bem estranho. - Disse Sieghart, começando a lembrar do semblante triste de seu amigo no dia em que falou que ia sair da Grand Chase.

Flashback:

O Ninja estava sentado em uma cadeira, no tamanho ideal para ele, Sieghart observava-o quieto, sem falar nenhuma palavra, estava com raiva, seria verdade mesmo o que o jovem lhe dissera? Este realmente iria se entregar para Cazeaje de novo? Não, o imortal jamais deixaria isso acontecer.

- Pare com essas ideias absurdas! Lembra do que passamos juntos? As nossas lutas contra os inimigos de cada continente. O trio invencível, eu, você e a Arme, lembra? - Gritou o adolescente, mas o seu amigo apenas deu sua risada falsa e fechou os olhos.

- Desculpe Sig, mas não aguento mais, e ao lado dela, conseguirei salvar este mundo, só assim conseguiremos, espero que consiga realizar seu desejo também, adeus, meu amigo. - Disse Lass, se levantando e saindo da sala da casa de Sieghart.

Fim do Flashback

- Por quê? Por qual motivo decidiu se entregar ao mal, caro amigo? Enfim, eu vou salvá-lo, nem que tenha que matá-lo para fazer isso! - Gritou Sieghart, tirando a espada da bainha e correndo em direção as asas do avião.

O soldado rapidamente deu um grande salto e conseguiu ficar na ponta dos mecanismos de voo da máquina voadora, por sorte o peso não influenciou nas forças que ainda restavam neste. O furacão começou a avançar rapidamente em direção ao jovem, mas logo começou a parar, até ficar de cara com o garoto.

- Então nos encontramos de novo! Não é, Sieghart? - Apareceu uma voz de dentro do redemoinho gigante, este foi se dissipando aos poucos, até revelar o ninja Lass. Seus olhos eram azuis e transparentes ao mesmo tempo, sua armadura era a que ganhou de Lothos, quando a Grand Chase venceu Cazeaje. Contudo o guerreiro estava diferente desta vez, tinha as adagas como arma, no entanto elas brilhavam fortemente.

- Olá, antigo amigo. - Disse o jovem, tirando a espada da bainha e encarando o inimigo.

- Vamos logo acabar com isso, viu minha técnica? Lembra do meu Passo das sombras? Com o poder de Cazeaje consegui transformá-lo em um gigante furacão e agora vou destruir seu avião e acabar com a nossa amizade, haha. - Falou Lass, dando sua risada maligna.

- Você não vai fazer nada, seu idiota, vou te impedir! - Gritou Sieghart, em seguida correu velozmente e acertou o ninja com um golpe de espada no rosto, mas a armadura absorveu o impacto.

- Haha, só isso? Esse é o meu antigo parceiro? Prove das Lâminas Girátorias, minha nova técnica! - Lass começou a girar rapidamente e desapareceu por 2 segundos, até atingir o soldado por trás com uma chuva de adagas afiadas.

- Nada mal, mas não vai ser isso que vai me derrubar. - Disse Sieghart, levantando com dificuldade, afinal estava nas asas do avião e mais um golpe e cairia na terra.

- Acha que eu terminei? Esse é só o começo, idiota! - Falou o ninja, dando seu salto e jogando mais lâminas bem afiadas no soldado. No entanto, este até tentou defender, contudo elas eram mais rápidas e perfuraram a barriga do jovem, deixando-o muito ferido e fazendo-o expelir sangue.

- Argh, pare com isso, ou vai acabar me matando. - Gritou Sieghart, mas Lass apenas deu uma risada falsa.

- Esse é o cara que lutou comigo durante anos e era orgulhoso? Acorde Sig, você se tornou um fracassado mesmo, pedir para eu não te matar? Acabou a graça de lutar com o imortal, morra! Furacão das sombras! - Exclamou o ninja, em seguida começou a girar, até se transformar num enorme redemoinho.

O impacto foi devastador, Lass começou a destruir todo aquele belíssimo avião, poucos segundos se passaram a máquina voadora estava começando a ficar despedaçada. Por sorte Sieghart pulou e conseguiu escapar do golpe do seu inimigo, mas estava caindo muito rápido. Não havia nenhum paraquedas por ali, iria cair no chão mesmo e sua imortalidade também havia acabado, a cedera para a sua amada.

O tempo passou bem depressa naquele momento, seria o fim dos sonhos daquele jovem, sua missão estava acabada? Nunca, o adolescente jamais deixaria isso acontecer, com um pouco de esforço, pegou sua espada e apontou para a terra. Assim que finalmente chegou a alguma superfície, a lâmina se fincou nos galhos de uma árvore e suavizou a queda.

- Argh, essa foi por pouco, o Lass me paga, não vou esquecer o que ele fez. Mas, onde estou? - Disse Sieghart olhando para aquela floresta, toda negra e decorada com tons sombrios e misteriosos. - Sim, é a Fear Forest, finalmente cheguei em Polis!

As árvores pareciam chorar naquele estranho ambiente, nenhum barulho se ouvia lá, pássaros pareciam morcegos e criaturas estranhas vigiavam aquele local, as flores eram escuras também. Enfim, tudo dava medo naquele lugar horrendo, contudo o soldado parecia esquecer o sentimento de terror e olhava somente para os monstros.

- Chegou a hora de desbravar este território, vou acabar com o mal deste lugar. - Falou Sieghart, tirando a espada novamente da bainha e começando a cortar as folhas que cresciam incansavelmente.

Os monstros rapidamente perceberam o intruso e avançaram em direção ao soldado, que simplesmente girou a lâmina e fincou-a no chão, criando um impacto terrestre. As criaturas eram horrendas e lamacentas, tinham o corpo coberto por gosmas verdes e seus olhos eram pretos, possuíam o bastão como arma e podiam se camuflar nas flores, pois a cor era a mesma.

- Argh, já me irritei com vocês, Corte do Soldado! - Gritou Sieghart, pegando sua espada e fazendo seu movimento vertical, emitindo uma energia roxa e poderosa.

O soldado rapidamente saiu cortando tudo o que avistava, transformando os monstros em poeira cósmica. Mas numa velocidade bastante superior que a do jovem, flores começaram a voar rapidamente e penetrar na armadura do menino.

Contudo, Sieghart começou a tirá-las com a espada, causando sérios danos para a sua roupa. No entanto, ventos fortes começaram aparecer do nada, e mais pétalas voaram para atormentar o soldado. Com dificuldade, o adolescente conseguiu ver quem as estava atirando. Era um homem alto, com a armadura vermelha e decorada com tons prateados, o elmo cobria o rosto e as luvas escondiam as mãos.

- Seja bem vindo ao seu túmulo, intruso! Meu nome é Lune, sou conhecido como o jardineiro das almas. - Disse aquela pessoa, suas botas eram negras e possuíam protetores, para não machucar os pés.

- Mas como assim? Por que mandou estas flores patéticas em mim? - Gritou Sieghart, expressando sua raiva e ódio por aquele homem.

- Oras, elas nunca serão humilhadas por você, guerreiro, acho melhor que vá embora, está atrapalhando este jardim. E eu já fiz um dano bem significante em seu coração, daqui a algumas horas, estará morto mesmo. - Falou Lune, mostrando sua alma fria e sem compaixão.

- O quê? Isso é impossível, esta flor é apenas um girassol! - Exclamou Sieghart, olhando para o peito e percebendo aquela pequena vida plantada lá.

- Inútil, eu não sou um jardineiro normal, ganhei o poder de descobrir os poderes ocultos e negros das plantas. Este simples objeto que está no meio do seu corpo, vai queimar você por dentro, adeus soldado! - Falou Lune, levantando a mão e sentindo o cheiro do seu jardim. - É o fim de mais uma vida, jovem!


Continua...
avatar
pikachu385
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
1 / 101 / 10

Data de inscrição : 26/02/2009

Frase pessoal : Pare de derramar sangue inocente Parry


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Skynex em Sab 17 Set 2011 - 22:00

Ae to gostando da história é interessante e criativa chamou minha atenção por que eu já joguei Grand Chase por um bom tempo. Não achei erros ortográficos mais cara você poderia mudar a letra ficaria mais fácil de ler, espero o próximo capitulo
avatar
Skynex
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 09/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por cbm em Sab 24 Set 2011 - 20:24

Tácio, como você me chamou, eu vim comentar. Como disse, não jogo GC, então algumas coisas você vai ter que me explicar. Mas dessa vez não vi nada de incomum ou não entendível. Tadinho do Sieg, ele vai murrê cas pranta!

Boa sorte com a fic! Té +!
avatar
cbm
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/05/2010

Frase pessoal : cursando terceiro ano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Kakro em Sab 24 Set 2011 - 20:33

Olá Pikachu. :3
Bom, o capítulo foi ótimo, a narração foi boa e mais que isso, a batalha. A descrição da mesma, foi boa também. Achei triste o facto do Sieg ter perdido o seu amigo para o outro lado x.x Enfim, gostei do capítulo, mas sinto que está faltando alguma coisa, só não sei o quê... Até mais o/
avatar
Kakro
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/05/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por pikachu385 em Sab 1 Out 2011 - 15:59

Bem, aqui vocês vão ver a verdadeira forma de batalha de Grand Chase, ou seja, se preparem, pois o Siegh vai sofrer e muito, mas enfim bola pra frente. Neste capítulo também teremos uma participação surpresa, hehe.

@Skynex escreveu:Ae to gostando da história é interessante e criativa chamou minha atenção por que eu já joguei Grand Chase por um bom tempo. Não achei erros ortográficos mais cara você poderia mudar a letra ficaria mais fácil de ler, espero o próximo capitulo

Puxa vida muito obrigado Friend, mudei a letra, hehe, espero que goste desse capítulo.

@cbm escreveu: Tácio, como você me chamou, eu vim comentar. Como disse, não jogo GC, então algumas coisas você vai ter que me explicar. Mas dessa vez não vi nada de incomum ou não entendível. Tadinho do Sieg, ele vai murrê cas pranta!

Boa sorte com a fic! Té +!

Quando precisar de explicação é só pedir friend, hehe. E não se preocupe, o Siegh é bem forte. Boa leitura.

@Kakro escreveu:Olá Pikachu. :3
Bom, o capítulo foi ótimo, a narração foi boa e mais que isso, a batalha. A descrição da mesma, foi boa também. Achei triste o facto do Sieg ter perdido o seu amigo para o outro lado x.x Enfim, gostei do capítulo, mas sinto que está faltando alguma coisa, só não sei o quê... Até mais o/

Bem, há pessoas que mudam conforme o tempo, talvez o Lass também mude, vai depender do que ele escolher, hehe. Enfím, muito obrigado pelos elogios.

Sieghart: Soldado

1- Corte do Soldado
2- Chamas Terrestres
3-?
4-?
5-?

Lune: Gardener Of Souls(Modo Gardener)
1- Lírios da Ilusão
2- Fúria do Carmesim
3- Vinhas Sangrentas
4- Girassóis Flamejantes
5- Rosas Eternas
6- Crisântemos Mortais

Lune: Gardener Of Souls(Modo Rose Blade)

1- Punição Vertical
2- Julgamento final
3-?
4-?
5-?


Grand Chase
Capítulo 2 - Terrestrial Flames



Logo o soldado começou a sentir fortes dores no peito, como se estivessem jogando brasas no seu coração. Mas, mesmo em um estado de agonia, o jovem resistia, pois aquele era apenas seu primeiro desafio e não seria uma flor ridícula que iria acabar com todos os seus sonhos.

- Idiota, jamais tente arrancar minha bela planta do seu corpo, ou ela irá te consumir mais rapidamente. – Disse Lune, piscando os olhos e colocando a mão para frente.

- Cala a boca, não preciso dos seus conselhos, afinal somos inimigos. Corte do Soldado. – Gritou Sieghart, levantando a espada e dando um forte corte nas palmas do adversário, este começou a derramar uma pequena quantidade de sangue na mesma região.

- Ataques surpresas... Patético e totalmente ultrapassado. Hei, ser primitivo, acabarei com as esperanças de você, neste mesmo lugar! Lírios da Ilusão! – Exclamou Lune, fazendo aparecer de suas mãos, pequenas plantas brancas com detalhes amarelos, estas rapidamente começaram a atingir o soldado, mas sem causar nenhum ferimento.

- Idiota, e ainda me ofende? Suas flores nem encostaram em mim, e por causa de sua atitude ridícula, destruirei elas agora. Corte do Soldado! – Gritou Sieghart, elevando a espada e fazendo um corte vertical, transformando as rajadas ilusórias em simples pétalas.

- Haha, era exatamente isso o que eu queria, triste, caiu na minha armadilha, defenda-se disso! Se conseguir, é claro. Fúria do Carmesim! – Falou Lune, pegando algumas rosas e destruindo-as com sua espada, deixando apenas os espinhos.

Em seguida, apontou a mão para Sieghart, fazendo as pequenas lâminas voarem para atingir o soldado. Estes penetraram rapidamente na pele do garoto, dando muita dor ao pobre jovem. O plano do jardineiro funcionara, os lírios tinham iludido o guerreiro e por causa disso pode facilmente acertar o alvo nos seus pontos letais.

- Argh, como não percebi estes espinhos se aproximando? – Gritou o menino, com partes do corpo sangrando um pouco.

- Agora chega, vamos começar a verdadeira brincadeira, haha. Vinhas Sangrentas! – Falou Lune, apontando a mão novamente para Sieghart, delas saíram vários ramos, cheias de folhas com pequenas lâminas.

As plantas espinhosas, voaram em direção ao soldado, imobilizando completamente. Mas isso era apenas o começo, pois rapidamente elas começaram a penetrar no corpo do garoto, o fazendo sentir muita dor e começar a perder sangue em mais quantidade.

-É o que acontece com os intrusos que entram no meu jardim, aproveite este sentimento melancólico e se arrependa, assim posso até salvar sua vida. – Disse Lune, sem expressar compaixão e misericórdia.

- Cale a boca, pouco me importa o que fiz com suas coisas, eu não sou uma flor, pertenço aos seres humanos e tenho a esperança comigo, qualquer golpe que você aplique em mim será inútil. Jamais perderei minhas forças. – Gritou Sieghart, levantando a espada e fazendo vários movimentos verticais no próprio corpo.

- Impossível, atingiu a si mesmo, só para tirar parte das vinhas? Vejo que é um guerreiro honrado e fará de tudo para ter a vitória. Contudo, darei o golpe final agora, descanse com a paz. Girassóis Flamejantes. – Exclamou Lune, pegando aquela flor e jogando para o ar, estas rapidamente se transformaram nas plantas cheias de brasas.

- Não desta vez. Corte do Soldado! – Falou Sieghart, dando seu movimento vertical nas pequenas vidas recheadas de chamas. Mas foi totalmente inútil, pois a espada do garoto começou a pegar fogo ao atingir o alvo.

- Patético, aproveite bem a dor, guerreiro. – Disse Lune, dando uma forte risada, enquanto o menino era envolvido pelos girassóis flamejantes. Contudo, ainda restavam algumas vinhas no corpo do jovem, elas rapidamente saíram de sua “morada secundária” e imobilizaram o adversário.

- Argh, chega, não aguento mais. – Gritou Sieghart, caindo no chão e começando a chorar, as plantas estavam acabando com a vida dele, além de o deformarem completamente. – O que ela diria se me avistasse assim? Agindo igual uma criança, sendo inocente e deixando meu inimigo me derrotar?

- Tenho confessar, é horrível ver alguém nesse estado. No entanto, acalme-se e sinta o perfume final. Rosas Eternas! – Falou Lune, pegando algumas flores perfumadas e jogando no ar, estas rapidamente começaram a voar, as deixando conduzir pelo vento.

- Cale-se, acha mesmo que vou me render? Corte do Soldado!- Gritou Sieghart, dando vários movimentos verticais nas rosas que se aproximaram, estas iam lentamente no ritmo da atmosfera.

- Tolo, mesmo querendo te salvar, você rejeita a morte tranquila? – Disse Lune, assustado com a atitude do guerreiro, mas deixou que suas plantas fizessem o resto.

Assim Sieghart cortou as rosas, elas começaram a se despedaçar, bem lentamente iam se transformando em pequenas pétalas. A cada corte, o soldado sentia sua vida desaparecer também, sentia o seu coração se despedaçando aos poucos também. Contudo não estava sentindo dores, apenas a fraqueza dos músculos.

- Então esse é o fim? Vou mesmo morrer aqui? – Foram as últimas palavras do jovem, antes de cair no chão, totalmente perfurado e queimado pelas plantas de Lune.

-Sinto muito, pequeno adolescente, mas ninguém machuca minhas amigas. Além do mais, Duel não gostaria se eu perdesse, ele me deu esse fantástico poder de controlar as flores. No entanto, chega de dor para este corpo totalmente sem espírito de luta, voltem vinhas e girassóis, acabou a nossa batalha. – Disse o jardineiro, levantando a mão e recolhendo aquelas vidas que acabaram matando outra.

Morte, uma palavra que sempre causou medo no pobre guerreiro, por isso sempre deu sua vida para salvar seus amigos, nunca desistiu e jamais esquecia da promessa que fez para a amada dele, a força que dava esperança e poderes ao jovem. Por causa desta pessoa, desafiou os limites e até os inimigos mais fortes.

E agora Sieghart estava ali, quieto e deitado no campo, apenas esperando pela indesejável. Por que o seu corpo estava rejeitando a batalha? Por qual razão o seu cérebro impedia o movimento do soldado? Talvez para aquele incrível adolescente descansar um pouco, era a hora do descanso, do sono eterno.

- Humph, então acabou, o meu amor, a esperança, tudo. Mas o que ela diria se me visse desse jeito? Acabado e destruído, o que a Arme, o Zero e o próprio Dio diriam? Já imagino o que aquele amaldiçoado diria, haha. “Eu sabia que você era um fraco mesmo, o tempo inteiro, por isso sempre quis te ultrapassar. No entanto, meu objetivo é ser um vencedor e não um fracassado!” – Pensou o jovem com as mãos na cabeça, as rosas estavam iludindo o este e dando a impressão que estava num lugar florido e tranquilo.

Nesta hora, Sieghart acordou da ilusão criada por Lune, as palavras fictícias do rival, o fizeram enxergar a verdade. Rapidamente começou a ver as coisas voltando ao normal, a cena de Lune caminhando para fora da floresta, apareça numa velocidade impressionante.

- Volte aqui, seu idiota! Esta batalha não acabou. – Gritou o soldado, pegando a espada e se levantando aos poucos. O jardineiro ouvindo as palavras, virou a cabeça e ficou impressionado, mesmo o jovem estando todo machucado e perfurado, tinha forças para lutar.

- Impossível, mas como fez isso? Eu matei você, perfurei e até queimei boa parte dos seus ossos! Todo o seu corpo está fraturado, sua resistência é praticamente zero! – Exclamou Lune, totalmente assustado e com medo do adversário.

- Esqueceu do que falei antes? Mesmo que destrua todos os meus componentes da minha vida, jamais irei desistir e o Dio me fez ver isso, senão ia morrer naqueles campos ilusórios! E agora acabarei com o jardineiro das almas, que maltratou tantas vidas, por apenas pisarem nas flores, é a hora do modo Fury! Fúria Divina! – Gritou Sieghart, deixando-se envolver por uma energia roxa e cheia de calor.

- O que é essa luz? Fale logo. Vinhas sangrentas! – Falou Lune, levantando a mão e liberando as plantas sedentas por sangue.

- Argh. Fúria do Soldado! – Gritou Sieghart, fazendo um movimento giratório com a espada e terminando com o corte em forma de cruz, vertical e horizontal ao mesmo tempo.

Todas as vinhas foram destruídas pelo impacto do golpe, mas o jovem não parou ali, avançou em direção ao jardineiro e deu seu corte na barriga do adversário. O efeito da espadada foi rápido e devastador, pois Lune foi jogado contra uma árvore e bateu fortemente a cabeça nela.

- Incrível, a forças dele aumentou significavelmente, mas como conseguiu deter minhas vinhas? Vejo que subestimei o poder de você, humano idiota. Mas agora chega de brincadeiras, provará do poder da mais forte de todas as flores. Crisântemos Mortais! – Exclamou Lune, pegando a flor e a soprando fortemente.

- Ainda tem mais poderes? Droga, terei que usar o segundo poder do soldado, as chamas que levam a energia positiva para o mundo, elas que aquecem as pessoas no frio intenso. No entanto podem ser maldosas também, trazendo destruição e agonia, tudo por causa de erros bobos. O fogo da esperança que não apaga no coração de cada pessoa. Chegou o momento. Fúria Divina! – Novamente a energia roxa acolheu Sieghart. Contudo, as plantas se aproximaram de modo letal, distribuindo várias lâminas de suas pétalas.

- Acabou a sua diversão, cada pedaço desta flor irá tirar os seus sentidos, prepare-se para a morte! – Gritou Lune, vendo o jovem sendo atingido pela sua maior amiga, esta o acolhera profundamente, salvando-lhe a vida num dia, havia os dois lados dela.
- Idiota, não vai acabar comigo desse jeito. Chamas Terrestres! – Falou Sieghart, surpreendendo o jardineiro. Vários fogos começaram a brotar do chão e a envolver o soldado, criando uma espécie de proteção devastadora. Pois os crisântemos também foram atingidos pelo impacto do golpe e rapidamente viraram pó.

- Inacreditável, que poder. Seu desgraçado, como se atreve a destruir a minha melhor amiga? Já cansei de suas brincadeiras, adolescente estúpido. Seus sonhos são patéticos, dedicar a vida ao amor? Procurar por aquilo que pode nunca encontrar? Apresentarei a você o presente que Duel me deu, a Rose Blade. – Disse Lune, tirando da bainha a espada que falara, era toda cheia de espinhos por toda parte, além de possuir a coloração verde e vermelha.

- Creio que agora teremos uma verdadeira batalha! – Exclamou Sieghart. Desafiando o jardineiro, que apenas deu sua risada e na velocidade do som, acertou o jovem com um poderoso corte na barriga, jogando este para cima.

- Cale-se, esta espada irá perfurar todo o seu corpo, até torná-lo apenas o monte de pedaços e logo a terra absorverá seus restos, meu jardim ficará livre da vida miserável do homem que ousou queimar os crisântemos. Punição Vertical. – Gritou Lune, fazendo a espada se transformar em uma poderosa lâmina afiada e decorada com as vinhas sangrentas.

O impacto foi certeiro e devastador, Sieghart nem teve tempo de defender, pois foi jogado para o chão numa altura equivalente ao prédio de quatro andares. O jardineiro apenas olhava com ódio para o pobre soldado que estava sendo todo perfurado pelas vinhas, assim que recebia cada golpe.

- Eu não vou desistir! – Gritava o jovem, expressando muita dor em sua fala, mas rapidamente o dono do jardim desceu até o campo e deu mais um movimento vertical no adolescente, fazendo este cuspir sangue pela boca.

- Acabarei com você neste exato momento, separarei todo o seu corpo com um único corte, morra! Julgamento final! – Disse Lune, colocando Sieghart agachado e levantando a espada para encerrar toda aquela batalha.

- Por favor, alguém me ajude. – Gritou o jovem sem poder fazer nada para parar o adversário, pois estava completamente ferido, além de que pelos impactos dos golpes, tinha perdido boa parte dos cinco sentidos. Não enxergava mais nada e nem podia sentir as suas mãos.

- Ninguém pode te ajudar agora, nem mesmo eu poderia fazer isso. – Falou Lune, começando a descer a espada para separar a alma de Sieghart do corpo.

Assim que a morte parecia inevitável para o pobre soldado, um feixe de luz da coloração roxa ultrapassou a velocidade do som e rapidamente jogou a Rose Blade para longe. O jardineiro olhou para o lado de suas costas sem enrolar. Logo o adversário dele caiu aliviado no chão, alguém atendera seu pedido.

- Quem se atrever a interromper este momento? – Gritou Lune, expressando toda sua raiva e ódio, uma silhueta surgiu atrás da árvore a esquerda dele, parecia feminina.

- Eu, você não vai matar meu amigo, jardineiro das almas, terá que me matar primeiro. – Disse a voz, saindo das sombras e se revelando como garota. Esta era toda rosa, sua roupa era preta e roxa, seu elmo se destacava profundamente, pois tinha várias cores. – O meu nome é Rey!

- Senhorita, por favor, desculpe a alma deste jardineiro covarde, esqueci do nosso trato. – Falou Lune, levantando e caminhando em direção para a aquela mulher que o analisava com raiva.

- Não acredito que ia realmente matar meu amigo. James, impeça a aproximação deste traidor e desertor. – Disse Rey, apontando para um homem que estava atrás dela, este usava a blusa com a coloração branca e com a gravata vermelha.

- Jamais se aproxime de minha mestra ou vai se arrepender. – Gritou o mordomo, colocando a mão para impedir a passagem do jardineiro.

- Saia da frente, inútil. – Exclamou Lune, ignorando o aviso de James, mas rapidamente este fechou as palmas e deu um poderoso soco vertical no adversário.

- Não ouviu meu aviso, sua honra acabou jovem, está certo de que minha mestra o salvou da morte, por causa do Lass. Mas agir igual ele e quase matar o nosso amigo, é totalmente desrespeitoso e primitivo. – Gritou novamente o mordomo, se colocando a frente de Rey.

- Pouco me importa, eu vou acabar com vocês, custe o que custar, minha Rose Blade vai decepar as suas cabeças! – Exclamou Lune, correndo onde Sieghart estava e apanhando a espada cercada de espinhos.

- Ops, temos problemas, James. Mas já que ele quer nos desafiar, mostremos os nossos novos poderes, hehe. – Falou Rey, entusiasmada com a batalha e criando uma pequena esfera roxa por diversão.

- Sim, minha senhorita, vamos dar a nossa famosa lição de etiqueta nele. – Disse o mordomo, colocando as luvas nas mãos e dando um sorriso para o adversário.

- Haha, estúpidos humanos, acabarei com vocês com o poder do meu irmão. – Exclamou Lune, mas com a voz diferente e mais forte, além de estar com os olhos vermelhos, cheios de ódio.

- Duel, eu suponho. Bem já estava na hora de termos o nosso segundo combate. Pena que o Dio ficou em casa, estudando é claro, aquele menino virou estudioso agora, nem sei o motivo, hehe. – Falou Rey, com o tom bem simpático do som, este era fino, mas grave também.

- Que seja, vamos começar o processo de morte de vocês! – Gritou Lune/Duel, correndo em direção para a garota, com a espada nas mãos. No entanto, ela rapidamente se teletransportou, desviando do golpe horizontal do adversário.

- Ops, acho que você errou, monstrinho bravo, hehe. – Falou Rey, dando uma risada, provocando Duel/Lune. – Precisará de mais do que isso para me derrotar.



Continua...


No próximo capítulo:

A amizade supera qualquer barreira, finalmente Sieghart poderá descansar, enquanto isso Rey e James terão que enfrentar Duel, mas no meio da batalha, a garota faz um pedido ao mordomo, que cuidasse da saúde do soldado. A jovem irá demonstrar todo o poder de sua nova classe, a Maga da Dimensão poderá ela superar os poderes sangrentos de Duel/Lune?


Capítulo 3: The Mage Of Dimension



Última edição por pikachu385 em Qua 19 Out 2011 - 20:46, editado 1 vez(es)
avatar
pikachu385
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
1 / 101 / 10

Data de inscrição : 26/02/2009

Frase pessoal : Pare de derramar sangue inocente Parry


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por cbm em Dom 2 Out 2011 - 13:53

Foi muito louco, Pika. A batalha em si foi muito bem detalhada e descrita, embora em alguns momentos suas personalidades parecessem meio distorcidas. Não percebi nenhum erro, além do qual eu te falei pelo MSN. De qualquer forma, estou ansioso pela continuação. Até +!
avatar
cbm
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/05/2010

Frase pessoal : cursando terceiro ano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Gehrman em Sab 15 Out 2011 - 22:27

Oi, Pika. o/ Após suas mais de 8000 ameaças de morte, estou aqui. e.e

Bem, começando. A luta foi muito bem feita, você fez as partes ficarem boas de se entender, como costuma fazer sempre. Esse Lune é muito louco, meu deus, aposto que esse nem é o poder máximo dele, hehe. Sieg deu seu melhor, mas agora é a Rey e o mordomo James que vão lutar. Sério, quase vejo todos mordomos em fics sendo chamados de James, hehe.

Sério, tudo isso do Sieg levar danos fatais foi muito bom, adoro essas lutas difíceis nas fics, bom trabalho, hehe. Mas com certeza, Sieg deve ser um cara muito resistente pra aguentar tudo isso.

Você ainda anda um pouco com seus erros de uso de vírgulas, usando-as muito numa certa hora. Maneire nas vírgulas, assim será melhor, hehe. Achei apenas um erro:

As plantas espinhosas, voaram em direção ao soldado, imobilizando completamente. Mas isso era apenas o começo, pois rapidamente elas começaram a penetrar no corpo do garoto, o fazendo sentir muita dor e começar a perder sangue em mais quantidade.

Nem sei se tá certo, mas não deveria ser "imobilizando-o"?

Sua narração e sua descrição estão, como sempre, muito bons, sempre descrevendo bem os personagens, objetos, e etc. Tipo, você narrou muito bem quando falou das Chamas Terrestres, gostei muito, hehe. Também, descrevendo os vários golpes dos personagens de bom modo, parabéns, hehe.

É isso, até mais, amigo. o/

________________

cfox: APARECI NO MULTISHOW


avatar
Gehrman
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/04/2011

Frase pessoal : NÃO TEM MEDCO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Umbreon_NICE em Sex 21 Out 2011 - 16:41

Amei a Fic garanhão. Esse ou essa Lume tá mais pra Afrodite De Peixes do que personagem de Fic de GC, e essas lutas me lembrar muito as lutas que escrevia na World Of Change. Cheia de emoções, sangue e surpresas.
Principalmente agora, que a Rey chegou. Então as coisas ficaram sérias -q. O Sieg apanha pra burro nessa Fic, ainda é salvo por uma mulher, acabou com o orgulho do soldado. A narração estava ótima, principalmente enquanto o Sieg apanhava do Afrodite, o finalzinho decaiu um pouco, mas não o suficiente para acabar com o charme do capítulo. Sobre descrição digo o mesmo. Aqui temos nosso Cisne Negro/Afrodite/Lume contra o Sieg. A luta foi quase o capítulo inteiro, sendo que no fim teve a Introdução da Rey, tudo isso com uma descrição impecável. Muito bom. Espero o próximo capítulo, e viu como eu comentei após 1.000.000.000 ameças de morte pelo MSN! -Q
avatar
Umbreon_NICE
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/07/2010

Frase pessoal : COMUNISMO ANTI SOCIAL


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por pikachu385 em Seg 31 Out 2011 - 17:16

Bem, acho que vão gostar desse capítulo de Gc, principalmente porque a Rey aparece e vai ter que se virar para derrotar Duel, que decidiu aparecer em pessoa e largar o Lune em paz. Enfim, acho que vão se surpreender com as habilidades da 3ª classe que inventei da Rey, principalmente os poderes, trago-lhes uma surpresa também. A ficha de Siegh e Rey, e sobre as classes.

Depois respondo os coments com um edit^^

Rey:

Mage Of Dimension (Maga da dimensão)

Características: Essa classe envolve muito poder e magias defensivas, mas subestimar o ataque do adversário pode ser fatal, uma simples rajada defensiva, pode refletir o dano do inimigo. Assim como a habilidade de criar dois espelhos dimensionais que misteriosamente transportam a maga da dimensão.

Habilidade Especial ou Modo: Mirrors Of Space

Sieghart: Dark Soldier ou Divine Soldier (Soldado Sombrio ou Soldado Divino)


Características: Essa classe usa toda agilidade e poder envolvendo chamas, sejam elas sombrias ou divinas. Os poderes variam conforme a personalidade da pessoa, para virar um defensor da luz, alguém que tenha alguma ligação com poderes divinos, deve conceder a honra ao escolhido. Assim que o jovem atinge este limite, conseguirá maior impacto com seus golpes.

Habilidade especial: Fúria Sombria ou Fúria Do Escolhido


Capítulo 3: The Mage Of Dimension

Duel rapidamente colocou a espada na bainha de Lune, e desapareceu do corpo deste, fazendo-o cair violentamente no chão. Mas logo vários feixes roxos invadiram o território, acertando a pobre Rey que estava distraída, concentrando a energia.

- Patético, realmente achou que iria me prender num cara tão inútil quanto o meu irmão? - Disse o jovem guerreiro, aparecendo de um estranho portal com a tonalidade preta. Sua armadura reluzia naquela floresta, brilhando fortemente, mas não era aquela velha vestimenta poderosa, desta vez e roupa tinha a cor dos velórios e funerais, toda negra e sombria.

- Você está diferente, Duel. O que aconteceu com sua combinação roxeada? E o que é essa coroa em sua cabeça? - Gritou Rey, se levantando do ataque que tinha recebido.

- Tolinha, finalmente fui reconhecido nesta terra idiota, desde os meus 15 anos de idade que venho tentando governar este continente, eu iria transformar esta maravilhosa ilha num verdadeiro paraíso. Contudo, eles falaram que minhas ideias eram fracas e infantis! Agora, quem manda neste lugar é o imperador sombrio, ele irá destruir toda espécie de sentimento fraco e inútil. - Falou o guerreiro, levantando a mão e jogando vários feixes luminosos na maga da dimensão.

- Argh, pouco me importa o que aconteceu no seu passado. No entanto, não irei perdoar o que queria fazer com o seu irmão. Eu quase o matei, sem saber o que estava acontecendo e ainda por cima quase matou o meu melhor amigo! - Gritou Rey, criando um espelho mágico, este rapidamente refletiu o golpe de Duel e jogou numa árvore, destruindo-a violentamente.

Mas aquelas palavras jamais atingiriam o Imperador Sombrio, que estava com sua coroa brilhante e roxeada na cabeça, ele sabia o que fazer, velozmente começou a girar as mãos e formar uma gigante bola roxa, recheada de energias negras e sombrias. Contudo, a maga da dimensão nunca iria se abalar com aquele poder, com a velocidade acima do som, criou outro refletor, acabando com as esperanças do jovem guerreiro.

- Como se atreve? Acha mesmo que esse espelho idiota vai deter o Rei de Polis? Prove disso. Eclipse Negro! - Gritou Duel, levantando a sua espada e desenhando um circulo no ar, logo começou a fazer varias voltas no vácuo e a cada movimento, bolas com colorações variadas iam se formando, bem lentamente.

- Digo o mesmo! Space Shield. - Exclamou Rey, reunindo a energia dimensional em volta do seu corpo e lançando várias rajadas para a frente.

- Acho que não devo interferir na batalha de minha mestra, vou cuidar do garoto. - Falou James, começando a correr na direção oposta da batalha. Logo, conseguiu avistar o pobre Sieghart, todo ensanguentado e ferido em várias partes letais. - Isto é... A Maldição da Noite!

- Está certo, tolo mordomo, seus esforços serão inúteis, assim que a minha amiga chegar, o coração desse honrado guerreiro irá se voltar para o mal. Tornando-o outra pessoa, que apenas obedecerá aos meus comandos, e lembre-se, já são 13h:00min, daqui a cinco horas, o processo começará. Haha. - Gritou Duel, dando uma risada maligna e completando o ciclo do Eclipse de sua espada. - Agora a diversão começará!

Rapidamente o sol começou a desaparecer e a lua foi aparecendo no céu, escurecendo toda a floresta e deixando apenas o escudo que Rey tinha acabado de formar iluminando o local. Contudo, aquilo era apenas o início, pois o astro rei ainda mantinha seus raios ultravioleta transpassando o satélite terrestre. Logo, o ciclo de confusões da natureza tinha começado, toda a terra estava piscando e apagando.

- Haha, este é apenas o começo da guerra entre luz e escuridão. Como sabem, sem a luz solar, a lua se torna inútil e perderá o brilho. O que vou fazer, é alterar todo o meio-ambiente, provocando o Apocalipse. - Exclamou Duel, fazendo movimentos verticais com a espada, cortando violentamente o ar.

- Seu idiota, vai matar todos nós se fizer isso, mudar o curso da natureza é algo terrível e inalterável. Não me diga que este Eclipse que criou com seus poderes, vai ser o que alterará o mundo? - Falou Rey, chorando fortemente, pois vários animais tinham começado a morrer. Estes jamais aguentariam a pressão imposta pelo imperador, até mesmo a gravidade começou a mudar, fazendo a garota flutuar um pouco.

- Mestra, olhe para trás, estes cortes vão acertá-la! - Gritou o mordomo, mas foi em vão, a jovem se deixou ser atingida pelo feixe cortante. James, começou a levantar e olhar com raiva para Duel, que permanecia de olhos fechados e com seu sorriso maligno.

- Cale-se, não mova um músculo de onde está, cuide do Sieghart, a vida dele vale mais que a minha, ele sacrificou sua habilidade mais preciosa, a imortalidade. Tudo pela honra e por causa do amor. Façamos uma troca, "imperador", sofrerei todas as rajadas que mandar, mas quero que pare com esse Eclipse. - Disse Rey, chorando e colocando a mão no lugar atingido, logo o líquido vermelho começou a sair do ferimento.

- Que seja, vamos ver o quanto realmente ama essas criaturas inúteis! Death Cut. - Falou Duel, girando a espada e desferindo vários golpes contra o vácuo, que foram pegando intensidade e poder a cada rajada de vento.

- Eu aceito esse sacrifício. - Exclamou Rey, deixando-se atingir pelos cortes e sendo ferida em várias partes do corpo. Contudo, apoiou a mão no chão e levantou novamente, desta vez sem colocar suas palmas nos machucados, que começaram a gotejar sangue.

- Humph, até que está resistindo bem, a cada golpe que lhe desferir farei o eclipse desaparecer, mas bem lentamente, afinal não é todo dia que vejo um monstro se sacrificar, Haha. - Disse Duel, humilhando a pobre garota, em seguida levantou sua espada e fez vários movimentos, diagonais, verticais e horizontais. - Asterisk Deadly!

O asterisco mortal começou a ficar negro e cheio de auras negras, por causa do efeito da lua. Logo, ele se aproximou da Maga da Dimensão e a "engoliu" completamente, acertando os pontos vitais e fracos. Vendo isto, o Imperador Sombrio começou a desfazer o ciclo que tinha começado, dando a volta com a lâmina.

- Viu, cumpri minha promessa, estou desfazendo o Eclipse, Haha. No entanto, isto não basta ainda, agora exterminarei de vez com sua vida, tola jovem. Final Razor. - Gritou Duel, pegando a espada e dando um grande salto. Em seguida fez o X no ar e colocou uma bola negra, esta recheada de energias sombrias e fatais, no meio da letra.

- Desculpe, minha mestra, mas você jamais irá morrer, enquanto eu sobreviver. Spinning Punch! – Disse o mordomo, se levantando bem devagar e começando a correr na velocidade do som, impressionando o Imperador Sombrio.

James carregou sua energia nos braços enquanto avançava para vencer seu adversário, logo os punhos dele começaram a ficar azuis e brilhantes. Mas, o empregado fechou as palmas e fez vários movimentos giratórios com a mão direita. Em seguida, pegou impulso e saltou com toda a força que possuía, ficando de frente para o rei das sombras.

- O que pretende fazer? – Exclamou Duel, assustado com a atitude do mordomo, logo este fechou os olhos e desferiu um poderoso soco no inimigo.

O Imperador sombrio sentiu a força do vento nas suas bochechas e todo o poder que aquele adversário possuía. Logo, o chão tremeu fortemente, pois ele foi jogado com violência na terra, interrompendo o golpe que mataria a pobre Rey. Mas aquelas notícias ainda eram boas, pois a espada do rei das sombras, voou longe e se cravou numa grande árvore.

- Argh, da próxima vez avise quando for fazer alguma coisa assim. – Disse a garota, caindo no solo gramado, toda exausta e cansada. Os golpes de Duel tiveram muitos efeitos e machucaram a garota, a boa informação era que a guerra astrológica tinha acabado e o sol brilhava vitorioso.

- Mestra, essa não é você! A minha patroa iria acabar com o adversário sem se importar com o que vai acontecer. Me desculpe, mas a senhora agiu como uma covarde, jamais importará o que o Siegh fez, todos temos a nossa personalidade e cada um age de maneira diferente. Acorde, Rey! – Gritou James, pronunciando o nome da jovem, de maneira lenta e com o tom forte da voz.

- O quê, por que disse meu nome? – Falou a mulher, tentando entender o motivo da raiva do seu mordomo.

- Simples, só tenho apenas um pedido. Aja como uma verdadeira dama e conhecedora de etiqueta faria. – Disse James, se levantando e dando as costas para sua patroa, desta vez era a hora de salvar o pobre Siegh, jovem que fora enganado e torturado por Duel.

- Tem razão, muito obrigada por me lembrar, amigo. Agora chegou a hora de mostrar meus poderes para você, Imperador Sombrio! Open Galaxy! – Gritou Rey, apontando a mão para cima e fazendo alguns planetas se alinharem e formarem a linha da galáxia.

- Não me diga que vai destruir estes astros? É ridículo e inútil. – Exclamou Duel, ficando assustado e preocupado, pois Saturno tinha acabado de se alinhar com Júpiter.

- Agora chegou a hora de sua punição, por ter machucado o Siegh e enganado o próprio irmão colocando ideias absurdas na cabeça dele. Minha esperança em você acabou, Imperador Sombrio! – Falou a garota, levantando as mãos e fazendo um movimento vertical e mirando no guerreiro negro.

Os planetas começaram a brilhar e lentamente foram soltando raios roxos em Duel, que criou uma espécie de lâmina, muito parecida com a espada, somente usando a força de sua aura. O impacto foi gigantesco, como se gigantes explosões estivessem acontecendo, misteriosamente os dois movimentos se colidiam em perfeita sincronia.

- Viu só, garota estúpida, a minha arma supera todas as outras e sabe qual é o nome dela? Shadow Polis! – Gritou o guerreiro, jogando grande parte da energia para o trovão negro que saía daquela máquina afiada.

- Mas como, pelo que eu sei, existe uma lâmina tão forte que poderia destruir sistemas solares e até galáxias. Mesmo assim, esse é apenas o início do Open Galaxy, se a força que sai dos planetas falhar, eles irão se jogar contra o adversário. Teremos grandes extinções planetárias devastadoras. – Disse Rey, extraindo mais poder dos astros que flutuavam gravitacionalmente.

- Polis é o nome deste continente e da flor que somente consegue sobreviver nesta terra. Essa espada contém a energia desta maravilhosa planta, por isso tanto possui energias divinas, quanto terríveis e tenebrosas. – Falou Duel, com a aparência tranquila e empunhando facilmente a lâmina. Contudo, ele não tinha notado que vários planetas tinham começado a explodir e mandar raios fatais.

O Imperador Sombrio tentou erguer sua espada novamente, a pressão que estava sendo imposta pelos astros era tão forte, que começou a jogar o inimigo para longe. No entanto, Rey jamais iria desistir, pressionou a gravidade, explosões estavam para acontecer;

Os planetas se aproximaram com velocidade espantosa e começaram a destruir o raio de Duel. Logo, apenas uma pequena rajada negra restava na Shadow Polis. A jovem concentrou o máximo da sua energia e finalmente jogou Saturno no adversário.

- Agora sim, é o fim para você. – Gritou ela, bem feliz e expressando muita alegria, pois o astro tinha conseguido derrubar o Imperador Sombrio com impacto devastador.

- Impossível, como fui derrotado por uma garota? – Exclamou Duel, sendo jogado em árvores, a cada rajada que recebia dos planetas, a jovem tinha conseguido acabar com a energia de sua espada.

O Imperador Sombrio caiu sem forças no chão, totalmente machucado pelo impacto dos astros, a justiça tinha sido feita, mas uma pergunta ainda restava, Sieghart tinha sobrevivido?

- Minha senhora, o coração dele voltou a bater, a Polis realmente é milagrosa! – Falou James, colocando a mão no peito do garoto e ouvindo os batimentos. Do mesmo modo que Duel fizera, o mordomo usou o poder das plantas. Contudo, fizera o melhor que pode, salvara a vida do soldado.

- Calem a boca, realmente acham que me venceram? Foi apenas um ferimento idiota. – Gritou o guerreiro negro se levantando e correndo na direção onde Rey descansava, bem exausta. Sua boca sangrava muito e seu peito fora totalmente perfurado pelo raio gravitacional.

- Já que insiste, terei que lhe dar uma última lição de ética e etiqueta. Open Galaxy Ultimate! – Falou a garota, fazendo com que vários meteoros atingissem Duel, todos vindo do espaço. Este caiu chorando no chão, tinha falhado e agora seria considerado covarde e fraco pelos pais.

- Por quê? Você vai me pagar, garota estúpida, a minha honra está manchada agora, meus soldados irão matá-la e trazer os seus restos mortais para mim. Afinal, se eu morrer, a maldição nunca acabará para a antiga consultora de modas, haha- Disse o Imperador Sombrio, dando sua maliciosa risada e desaparecendo, juntamente com as fumaças.

- Ufa, mal posso acreditar que teremos paz. No entanto, ele disse que terei problemas no futuro, estranho. – Falou Rey, olhando preocupada para o vácuo, de certa forma o guerreiro tinha acertado, ela dependia dele, senão para sempre seria temida por todas as pessoas.

- Senhora? – Exclamou James, fazendo sua pose enobrecedora. Em seguida tirou uma pequena flor que tinha guardado, tirada do próprio jardim de Lune e entregou para a garota, que sorriu alegremente. – A nossa batalha está apenas começando, e tenha certeza, um dia a sua maldição irá acabar e você mostrará o seu verdadeiro lado.

Mas Rey simplesmente abaixou a cabeça e destruiu as pétalas daquela pequena planta, fechando os punhos e as incinerando de forma espantosa. Logo, abriu os olhos novamente e olhou para seu empregado com os sentimentos no limite. De certa forma, ele a tinha agradado, no entanto, já era hora de falar a verdade.

- Cale-se, eu sou uma aberração, tenho até sensações do que uma própria faria, é para isso que venho procurando Duel e a tola da GC, apenas quero ser a jovem consultora de modas, ter a vida que sempre sonhei. Pouco me importava se a Elesis ou a Amy não gostassem de mim. Contudo, a Arme, Sieghart, Zero, Dio e Ryan foram os únicos que me apoiaram, dizendo palavras esperançosas. Por isso salvei este idiota, na verdade sou estúpida, no futuro posso até ser morta pelo mesmo. – Falou a garota, chorando e apoiando a cabeça nos ombros do mordomo.

- Humph, mentira. Você mudou, agora sente amor pelos seus amigos, acha que não percebi? E Esqueceu que estamos passando por isso juntos, mesmo sendo o empregado, sou o seu guardião! – Gritou James, assustando Rey, seus olhos pareciam estar pegando fogo, logo esta tinha finalmente entendido o segredo dele.

- A sua forma, o corpo, também é de uma maldição? – Falou a garota, percebendo todas as manchas e feridas que o seu mordomo possuía. Realmente, ela nunca tinha reparado nos machucados extremamente fortes do seu amigo, tratava o servo como um colega, jamais notara o sacrifício dele.

- Exatamente, e fiz isso para salvar você do homem que matou sua família em apenas 5 dias, restando apenas nós e o Dio. Contudo, a sua missão é vingar-se desta pessoa. No entanto, essa decisão cabe a quem sofreu isso. – Disse James, fechando os olhos e olhando fixamente para a pequena jovem, que já podia decidir seu destino.

- Eu decidirei? Mas fui ensinada que não devemos nos vingar, por qualquer motivo que seja. – Choramingou Rey, colocando a cabeça nos ombros do mordomo novamente, mas ele levantou o rosto dela e limpou as lágrimas.

- Isso mesmo, conto com a sua escolha, jamais largarei você, pois ainda sou um criado da casa. No entanto, esta decisão lhe cabe, minha senhora, sei que fará a escolha certa. Venha, vamos levar o jovem para alguma casa desta cidade. – Falou James, colocando Sieghart nos ombros e começando a andar para fora daquela floresta. Contudo, a adolescente permanecia quieta e pensativa.

- Realmente eu devo liderar a missão? Vingar? E o que aconteceu com ele? Será que devo deixá-lo seguir sua vida? – Disse Rey, num tom bem baixo, para somente ela escutar, algo havia de errado, as coisas não eram tão engraçadas como antigamente, a idade eliminara o seu belo sorriso?

Sieghart foi levado para um hotel de recuperação e a dupla corajosa foi embora, deixando Lune tomando conta do pobre soldado, o estado de saúde deste era totalmente grave. Os golpes da Rose Blade fizeram o organismo parar de funcionar em algumas áreas, principalmente a corrente de sangue, qualquer movimento do garoto e grandes quantidades do líquido iriam sair pela boca, literalmente.

- Argh, onde estou? Cheguei ao paraíso? – Disse o jovem, tentando se levantar, mas caiu no chão assim que tentou mover sua perna e espirrou a água vermelhada. – O que é isso? Por que estou desse jeito?

- Humph, caso ame sua vida, deite nessa cama e descanse. – Falou Lune, que permanecia quieto e sentado em uma cadeira, apenas pensando com os olhos fechados.

- Você, eu vou acabar com isso que chama de corpo! – Gritou Sieghart, tentando pegar a espada que o pertencia, mas novamente caiu no chão, cuspindo mais sangue pela boca, fazendo o jardineiro piscar de nojo e dó.

- Acalme-se, não há motivo para brigas, sou apenas o seu amigo agora, jamais irei machucá-lo no estado em que se encontra. Sinto muito, deixei-me conduzir pela raiva e acabei deixando meu irmão dominar o guerreiro da flora. – Disse Lune, deixando cair lágrimas de raiva e arrependimento naquele solo de madeira.

O quarto era bem grande, duas camas se posicionavam nas laterais, mesas e armários ficavam no centro e para finalizar com chave de ouro, uma grande televisão com detalhes antigos e bordada com várias espécies de flores, estava localizada praticamente na frente da janela, esta que dava visão para aquela bela vila.

- Está tudo certo. Mas, por favor, responda a minha pergunta. Onde estou? Sinto um agradável cheiro vindo de fora deste prédio. – Falou Sieghart, respirando profundamente e sentindo o cheiro das rosas e lírios do lugar.

- Sim, soldado, esta é a fantástica Ângelus Village, a única vila que ainda está perdida no tempo, o objeto que restou do futuro aqui, é apenas essa televisão, por isso ela é cheia de paz, não há como roubar nada, pois todos tem a mesma quantidade de alimentos e roupas. – Gritou Lune, bem animado por falar naquela incrível cidadezinha.

- Mas eu só gostaria de saber por que queria me matar, sendo que nunca fiz mal a planta alguma. – Disse Sieghart, olhando para o seu antigo adversário, este apenas fechou os olhos novamente e suspirou.

- Simples, você tem uma motivação que ninguém nesta vila tem, nem mesmo minha pessoa. Por isso, menti sobre a estória das flores, para que simplesmente morresse, sem que a Rey notasse. Esse era o plano que tramei sozinho, mas depois o Duel assumiu o controle da mente. – Falou Lune, mostrando o lado ruim e maldoso que possuía.

- Argh, isso não pode ser verdade. Por que está cuidando de mim, então? Para me matar? – Exclamou Sieghart, bem assustado, caindo da cama e cuspindo mais sangue pelo impacto. – Ahhh.

- Idiota, pare de se mexer, jamais irei atacá-lo. Seria injusto e desonroso, no entanto, em breve nos veremos novamente, e nesse dia vamos lutar até um desistir. E essa pessoa deverá prometer que vai cumprir o sonho dela e do adversário também. – Gritou Lune, levantando o jovem, que desta vez chorava de dor.

Alguns dias se passaram, Sieghart ia se recuperando bem lentamente e o jardineiro das almas, o ajudava com tudo, a fazer exercícios, andar e até mesmo treinar com as espadas. O soldado não via mais aquele homem como rival, mas como um verdadeiro amigo, que foi apenas usado por Duel.

Certo dia, Lune estava tomando café no hotel, uma mesa bem grande e espaçosa estava no centro daquela sala. Emoldurada com várias fotos de pessoas felizes, vivendo em paz com os animais e as flores. Desta vez o guerreiro das chamas, planejava agradecer ao adolescente por tudo que este tinha feito.

- Olá? Olha, já consigo manejar minha espada perfeitamente. – Disse Sieghart, pegando a sua lâmina e a girando rapidamente. No entanto, acabou deixando-a cair no chão e por pouco não decepara o próprio pé.

- Tenho uma coisa para lhe falar, chegou a hora de eu partir, e da próxima vez jamais mostrarei piedade, se você machucar, esqueça de seus sonhos. Caso ainda pretenda continuar a tola jornada, assim que chegar aos pontos extremos do continente, me avise. – Falou Lune, jogando um copo de café no chão e saindo sem despedir. – Além do mais, Zero está nessa cidade, boa sorte.

- O quê? Pensei que fossemos amigos, por que diz essas coisas agora? – Gritou Sieghart, cheio de raiva no coração, seu amigo estava partindo e não queria considerá-lo como inimigo na próxima batalha. Porém, o jardineiro apenas entregou algumas moedas para o dono do hotel e desapareceu numa cortina de flores e cheiros agradáveis.

- Vejo que finalmente melhorou jovenzinho! – Disse o dono do centro de recuperação, saudando gentilmente o guerreiro, mas este simplesmente ignorou e saiu daquele lugar, bem espantado e assustado.

- Como assim? O meu amigo Zero está aqui? E por que aquele desgraçado ficou cuidando de mim? – Exclamou Sieghart para si mesmo. As emoções do garoto estavam todas misturadas e embaralhadas.

Finalmente o jovem parou na entrada do castelo daquela vila, uma estranha bandeira estava colocada no alto da torre mais alta. Tinha a Rose Blade com a Rosa sendo destruída, alguém não gostava de Lune, pois do outro lado havia um cartaz escrito: “ Recompensa para caçadores e assassinos, vida paga por todo o governo. Condição: Trazer a cabeça do jardineiro das almas.

- Então é isso. Quem mora neste lugar, detesta as pessoas deste lugar, mas por quê? – Falou Sieghart, olhando espantado para todas aquelas coisas tenebrosas, e os habitantes, eles nunca perceberam aquelas marcas ofensivas?


Continua...

No próximo capítulo: Agente X e Duque Lavoisier, os moradores do castelo de Ângelus Village, de algum modo eles odeiam as pessoas da vila? Qual o motivo de tanta raiva? E por que Zero finalmente aparece, mas com sua Grandark, pronta para acabar com Sieghart? E afinal, quem é o culpado nesta estória toda?

Capítulo 4: Zero. The Swordsman Of The Moon


Última edição por pikachu385 em Qua 2 Nov 2011 - 15:38, editado 2 vez(es)
avatar
pikachu385
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
1 / 101 / 10

Data de inscrição : 26/02/2009

Frase pessoal : Pare de derramar sangue inocente Parry


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por cbm em Ter 1 Nov 2011 - 21:00

*o* Tácio, a fic continua ótima como antes. Parece que deu uma revisada bem melhor dessa vez. O cap foi bem charmoso, e a batalha muito bem escrita. Narração e descrição estão bem, e nem achei erros de ortografia. De qualquer forma, percebi que os poderes desses caras não são pra brincadeira. '0' Todos eles podem fazer coisas inimagináveis.

A descrição das classes me ajudou a entender um tanto, e parece que as coisas estão mais organizadas agora. De qualquer forma, te desejo boa sorte e espero que você continua com a fic. Parabéns e até +!
avatar
cbm
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 30/05/2010

Frase pessoal : cursando terceiro ano


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Umbreon_NICE em Ter 15 Nov 2011 - 17:48

Pikatu, capítulo grande pra caramba ein. Diminui esse tamanho-. Enfim, achei meio WTF? o lance de jogar Saturno no Duel. A narração e descrição estão perfeitos, acho que é isso que da a extensão de linhas nos capítulos. Sério cara, quero ver os outros poderes da Rey, porque isso dos planetas não foi normal -q. Continue descrevendo e narrando bem. Até.
avatar
Umbreon_NICE
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 05/07/2010

Frase pessoal : COMUNISMO ANTI SOCIAL


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grand Chase : Continent Polis

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum