Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Página 3 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Gehrman em Qui 2 Fev 2012 - 4:15

Eai, Dark. Quando eu li o cap e vi um certo nome de um personagem, não resisti, tive que comentar /wow

Sério, mano. Eu amei as lutas. Você narrou elas de um modo que deu pra entender praticamente todas as coisa, e a luta que achei que ficou perfeita, foi a segunda. Sério, o Kangookick contra o santo Sweetzel foi excelente, as estratégias dos treinadores, a descrição dos golpe, tudo.

Ragna... heaiheiaheia, esse nome me lembra uma pessoa bem conhecida. /wow

Tentei localizar os erros pelo capítulo, mas mesmo prestando atenção mais do que eu normalmente faço, eu não encontrei nenhum erro, cara. Tu deve ter revisado bastante o cap, pelo visto. oh0

Até agora, as lutas estão interessantes. É possível que Shun tenha um Pokémon forte com ele, afinal, pelo que vi em seu modo de agir, eu vi que ele poderá cuidar das coisas muito bem preparado. Bem, é só esperar o próximo capítulo pra ver.

Bem, é isso aí. Parabéns pelo capítulo, espero o proximo. ahieaiheiahei

________________

cfox: APARECI NO MULTISHOW


avatar
Gehrman
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/04/2011

Frase pessoal : NÃO TEM MEDCO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Qui 2 Fev 2012 - 12:54

Oi!

Novamente adorei a descrição. Idem para a batalha. Mas como eu tenho que cornetear, eu achei o céu muito azul e a grama muito verde... Haha, sem brincadeiras, só não gosto muito da utilização da quinta geração, porém isso é a seu gosto. Outro ponto é o Felipe, não sei se é impressão minha, mas eu o vejo muito "overpower", tipo desde os primeiros capítulos, ele passa fácil pelos desafios, mas, enfim, é da sua escolha também e talvez seja eu que esteja pegando no pé.
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Qui 2 Fev 2012 - 13:20

Bom dia a todos. Aqui trago o capítulo mais rápido que já escrevi (o que não quer dizer que é ruim). Todavia, antes dele, vamos aos comentários.

~Fox: Foquix \o. Obrigado pelos elogios. É por isso que eu continuo a fazer esta narração que nos faz entrar na batalha. Que bom que o torneio atendeu suas expectativas. Espero que goste deste capítulo.

Mud_ril: Mud \o. Obrigado pelos elogios. Quanto a colocação pronominal, eu sou bom em português, mas essa matéria eu me fu** geral. Espero que este capítulo lhe agrade.

Mr. Weegee: Weegee, eaí! Que bom que gostou das lutas. Não entendi essa do "santo Sweetzel", mas ficou legal como apelido para a fuinha aquática. Acho que já vi esse Ragna no messenger, mas sei lá. kkkkkk. Para suas perguntas, veja este capítulo

Roberto 13: Olá cara. Obrigado pelos elogios. Quanto ao overpower do Felipe, o motivo será revelado mais para frente durante a fic. Espero que goste deste capítulo.

Vamos então apresentar o novo capítulo.

Meu Nome é Tamazarashi! Voe, Murkrow! - Parte 2


Sem dizer mais nada, o coordenador guardou a pokéball e dirigiu-se para a arena. Tornei a olhar para a TV e foquei-me no adversário do jovem. Era um adolescente com idade próxima a de Jack. Seus cabelos, os quais eram de uma tonalidade vermelho escuro, pendiam sobre um dos olhos negros. Sua pele era bronzeada. Trajava uma camisa azul com um “V” alaranjado estampado sobre o tórax e uma calça preta e surrada. Usava um par de tênis azuis.Chimchar ficara um pouco apreensivo quando vira a figura, mas logo se tranquilizou. David sentou-se no chão, querendo estar confortável para ver a batalha. Ao ver que Tamazarashi chegara ao campo de batalha, a juíza, que era outra das guerreiras de Liza, aproximou-se dos dois desafiantes.

- Treinadores, liberem seus pokémons. – Pediu a juíza, calmamente.

- Murkrow, é com você! – Exclamou Tamazarashi, lançando uma pokéball.

- Vença, Magmar! – Falou o outro, sério.

Dos dois objetos saíram pokémons distintos. O primeiro era um pequeno pássaro com penas negras. Sua cauda possuía penas espetadas, parecidas com a escova de uma vassoura. Um pequeno anel vermelho dividia o membro do resto do corpo. Um longo e afiado bico amarelo estendia-se de sua face. As penas no topo de sua cabeça que se assemelhavam a um chapéu de bruxa. Seus olhos eram vermelhos e em formato de semicírculo. Seu pescoço era relativamente fino se comparado ao tamanho de sua cabeça. Cada um de suas pernas possuía quatro dedos, três na frente e um atrás. O outro era um pokémon vermelho, bípede e humanóide. Sua cauda era longa e possuía uma chama em seu fim. Um desenho de chamas amarelas encontrava-se estampado em seu peito. Seus pés eram vermelhos e tinham dois dedos cada. Três “algemas” negras dispunham-se pelo seu corpo; duas em seus tornozelos e uma em seu pescoço. Seus braços eram robustos e recobertos de escamas escarlates. Suas mãos eram de mesma cor e possuíam cinco dedos cada. David e Jack retiraram suas pokédex e apontaram para cada um dos pokémons.


- Vamos ver... – Começou David, interessado.

- Murkrow, o pokémon das trevas. Por causa de seu fascínio por coisas brilhantes, normalmente as rouba e esconde em um local seguro. Possuí certa rivalidade com Misdreavus. – Disse a pokédex do treinador, desligando-se logo em seguida.

- Magmar, o pokémon cospe fogo. É a forma evoluída do Magby. São comumente encontrados próximos à boca de vulcões. Esta espécie tem a habilidade especial de curar seus ferimentos quando mergulha em lava.Informou o segundo objeto, indiferente.

Continuei a olhar para o eletrônico. O pequeno pássaro sobrevoava o seu oponente estudando-o de cima a baixo. O outro continuava imóvel, limitando-se a virar de modo que Murkrow não pudesse se posicionar sobre suas costas. Passaram-se alguns segundos antes que o treinador do pokémon fogo comandasse um ataque.

- Magmar, Flamethrower! – Comandou o adolescente, sério.

- Evasiva e Mimic! – Exclamou Tamazarashi, sorrindo.

Os olhos do pokémon de fogo foram imersos por um tom laranja enquanto seu corpo começava a desprender um calor cada vez maior. Chamas vermelho-alaranjadas foram lançadas pelo humanóide em direção ao corvo negro. Este se moveu agilmente para o lado, desviando facilmente do golpe adversário. Seguindo a isto, uma pequena esfera de fogo começou a formar-se em frente ao seu bico. Em segundos, uma grande labareda vermelha desprendeu-se do globo, indo em direção ao pokémon de fogo.


- Não se mova. – Instruiu o adversário, em um tom satisfeito.

Um turbilhão de chamas envolveu o corpo de Magmar quando o Flamethrower o atingiu. Uma onda de ventos quentes espalhou-se pela arena, ressecando as gramíneas que circundavam o local. Quando o tornado dissolveu-se revelou seu interior; o pokémon de fogo encontrava-se ali, parado, sem ter se movimentado nem um milímetro após o ataque. Vendo a cena, David levantou-se com um sobressalto, surpreso.


- Como?! – Perguntou o treinador, chocado.

- Simples fisiologia. – Falei, encarando-o. – Magmar é uma das poucas espécies de pokémons que pode viver sob a lava. Comparado com a temperatura dentro de um vulcão, um Flamethrower não é nada. – Expliquei, sério.

Tornei a olhar para a TV. Murkrow continuava a desviar habilmente dos ataques abrasadores incessantes do pokémon humanóide. A batalha estava acirrada, mas nenhum dos dois treinadores mostrava-se alterado e disposto a desistir.


- Magmar, use Skull Bash!* - Ordenou o treinador deste, calmo.

-Twister! – Comandou Tamazarashi, sorrindo levemente.

Velozmente, o primeiro saltou em direção ao seu adversário. À meia distância de Murkrow, uma aura dourada envolveu o seu corpo, aumentando drasticamente sua velocidade. Em resposta, o pássaro negro moldou uma pequena esfera de vento em frente ao seu corpo. Em quanto batia as asas, o globo ia se alongando até criar um verdadeiro vendaval. Com um último golpe, o tornado começou a mover-se em direção ao pokémon de fogo. Este não conseguiu desviar e foi preso em meio ao turbilhão, levando uma quantia significante de dano.


- Isso! – Comemorou o coordenador, feliz.

- Péssima escolha. – Repreendeu seu adversário, evidentemente satisfeito. – Magmar, Fire Spin!

O corpo do humanóide vermelho começou a emanar uma aura alaranjada. Abrindo a boca, o pokémon lançou uma corrente de fogo laranja-amarelada, que, após instantes, começou a aderir com o furacão. A cor do túnel de vento começou rapidamente a mudar de coloração, ficando escarlate após pouco tempo. Para piorar a situação, Magmar conseguira inverter o movimento do tufão, redirecionando-o contra Murkrow.


- Protect! – Exclamou Tamazarashi, ficando sério.

Uma cobertura turquesa revestiu o corpo do pokémon corvo. Seguindo a isto, uma barreira de mesma cor cresceu em torno dele, servindo de proteção. Quando o ciclone atingiu o domo de energia, literalmente partiu-se em dois. Chamas começaram a despencar e serem lançadas para os lados enquanto a esfera brilhava cada vez mais forte. O turbilhão começou então a lentamente diminuir seu tamanho, o que significava que perdia sua força. Quando as chamas ficaram baixas o suficiente para que não atingissem o pequeno pássaro, o campo de força ao ser redor desfez-se por completo. O treinador de Magmar, no entanto, esboçou um leve sorriso maléfico.


- Agora! Thunderpunch! – Comandou o adolescente, quase que gritando em comemoração.

Desvencilhando-se do pequeno domo de fogo que ainda restava, o pokémon de fogo lançou-se em direção à Murkrow. Ao mover seu punho para frente, uma camada de raios amarelos recobriu o membro de Magmar, enquanto ele se aproximava cada vez mais de seu alvo.


- Ominous Wind! – Exclamou Tamazarashi, preocupado.

Instantes antes de seu adversário conseguir atingi-lo, o pokémon corvo começou a bater as asas rapidamente, lançando a cada golpe um pequeno vento de coloração arroxeada. Devido à pouca distância entre os dois, Magmar não conseguiu desviar e foi lançado de encontro ao solo, batendo fortemente com as costas. O pequeno pássaro grasnou de felicidade ao perceber que não seria mais atingido pelo ataque elétrico de seu oponente.


- Continue com Sky Attack! – Comandou Tamazarashi, não querendo dar nenhuma chance para que seu oponente se recuperasse.

- Intercepte com Smog! – Ordenou o oponente, nada satisfeito.

Alçando vôo, Murkrow ascendeu em rasante indo de encontro às nuvens. Quase se encostando a uma destas, o pássaro das trevas parou repentinamente e começou a fazer o trajeto oposto, despencando em queda livre vertiginosamente. A média distância do pokémon de fogo, Murkrow foi envolvido por uma aura branca ao mesmo tempo em que estrias de mesma cor surgiam ao redor de seu corpo. Respondendo à isto, Magmar liberou uma grossa fumaça cinza, que logo se espalhou ao seu redor.


- Que ataque bonito! – Comentou Mary, sorrindo.

- As aparências enganam. – Proferiu Ussei, atento a cada movimento feito pelos pokémons que batalhavam.

- Como assim? – Perguntou a garota, curiosa com a fala do rapaz.

- Smog é um golpe em que, apesar de não possuir muita força, possuí uma grande chance de deixar o oponente envenenado. – Explicou o coordenador, calmo.

Silenciosamente puxei a pokédex do bolso e apontei para o pokémon de fogo. Um pequeno menu informativo sobre ele apareceu na tela do objeto. Comecei a movimentar a tela de baixo à cima até encontrar o que eu queria. Em seguida, encarei a coordenadora, que passava a mão sobre o pelo de um adormecido Shinx.


- Isso não é o pior. – Falei, sério. – Ele tem a habilidade Flame Body.

- Flame Body? – Repetiu a garota, Tomando mais uma vez um tom curioso.

- Um mecanismo natural existente em alguns pokémons de fogo. – Explicou Jack, sem tirar os olhos da televisão. – Quando atingem o possuidor desta habilidade fisicamente existe uma chance considerável de que o atacante fique queimado.

- Em outras palavras, quer dizer que Murkrow uma grande probabilidade de ficar com algum status negativo. – Simplifiquei, sorrindo gentilmente para a menina.

Tornei a encarar o aparelho eletrônico. O pokémon corvo continuava a despencar em direção à Magmar, mas reduzira sua velocidade em demasiado. Tamazarashi também ficara um pouco intimidado com o ataque utilizado pelo adversário, mas sorriu pouco depois.

- Não se preocupe! – Falou o coordenador, tentando tranquilizar seu parceiro. – Lembre-se que nós treinamos para essa situação!

Como que se lembrando de algo, Murkrow assentiu o com a cabeça e tornou a ganhar velocidade. Estava decidido a atingir o oponente. Quando entrou na espessa névoa o treinador do pokémon de fogo gritou um comando rápido e simples.

- Flamethrower!

Uma explosão ocorreu quando Murkrow atingiu Magmar. O solo ao redor do pokémon de fogo foi comprimido para baixo, criando uma pequena cratera no local onde fumaça ainda pairava. Não se via sinal dos pokémons por alguns minutos. Todavia, logo pode ser visto Murkrow alçando vôo do local, com algumas penas queimadas em seu peito e um brilho roxo passando levemente sobre seu corpo. Logo atrás dele, entretanto, surgia Magmar, que, apesar de extremamente ferido, ainda possuía forças para ficar de pé. Vendo a cena, David bateu um punho no chão em um misto de confusão e espanto.


- Mas como?! – Perguntou o garoto, assustado com a força do pokémon de fogo.

- Flamethrower. – Falou Ragna, sério. – As chamas diminuíram a velocidade de Murkrow e consequentemente a potência de seu ataque. – Explicou, sem desviar os olhos da televisão.

Continuei a olhar o aparelho. Ambos os treinadores estavam encontravam-se incrédulos que o seu adversário continuava de pé. Por hora, o pokémon corvo tomava a dianteira, mas ocasionalmente uma aura roxa tomava conta de seu corpo, enfraquecendo-o levemente a cada vez.


- Murkrow, use Haze. – Comandou Tamazarashi, vendo a perda de energia do pokémon.

O pequeno pássaro começou a bater as asas rapidamente, liberando uma fumaça negra que envolveu a ele mesmo. Quando esta se dissipou o usuário encontrava-se saudável mais uma vez, sem sinais evidentes do envenenamento.


- Droga! – Esbravejou o adversário, brabo. – Magmar, Hyper Beam!

- Protect! – Falou Tamazarashi, confiante.

Uma esfera laranja foi moldada em frente ao corpo do pokémon de fogo. Ao som do grito do usuário, um raio de mesma coloração foi lançado do globo, indo rapidamente em direção ao pequeno pássaro negro. Em resposta, Murkrow deixou que um véu turquesa cobrisse seu corpo. Em seguida, um campo de força envolveu o pokémon das trevas, agindo como uma proteção. Quando o raio de energia atingiu a esfera que recobria o pássaro negro, o campo de força foi lançado alguns centímetros para trás, devido à força do ataque. Alguns feixes de energia começaram a dividir-se do golpe principal,sendo lançados em várias direções diferentes. Um destes acabou por atingir um Goldeen que batalhava em outra arena, nocauteando-o quase que instantaneamente. Após um minuto o ataque finalmente cessou, dando origem a um demasiado cansaço por parte de Magmar.


- Acabou. – Falei, sorrindo calmamente.

- Como assim? – Perguntou Mary, em toda sua inocência infantil.

- Devido à força do Hyper Beam ele cobra um custo após ser usado. – Expliquei, calmamente. – Após ser utilizado, o usuário fica sem forças e tem de esperar um tempo para recarregar energia.

- Em outras palavras é uma jogada de tudo ou nada. – Comentou Ragna, astutamente.

Tamazarashi notara isto também. Magmar tombara de joelhos e começara a arfar pesadamente, procurando um pouco de ar. Murkrow olhou para seu treinador como quem espera pelo comando final para a vitória, mas com paciência também, já que seu oponente ficaria um tempo sem poder atacar.


- Vamos ganhar, Murkrow! – Exclamou o coordenador, confiante. – Use Brave Bird!

Descendo em rasante, o pokémon corvo lançou-se em direção ao seu oponente com uma velocidade semelhante a de um míssil, com o corpo todo imerso em chamas. Ao abrir suas asas, uma aura azul recobriu seu corpo, deixando-o parecido com uma safira. Atingindo Magmar, Murkrow lançou-o para trás com tal força que ele acabara por parar fora da arena, nocauteado. Após certificar-se disso, a juíza prontamente declarou Tamazarashi como vitorioso. David levantou-se em um salto e socou o ar, feliz.

- Yahoo! Ele conseguiu! – Esbravejou o treinador, esboçando um sorriso que ia de um lado ao outro de seu rosto.

- Shinx... Já sabe. – Sussurrei, dando de ombros.

- Shin. – Respondeu o leão elétrico, em um tom de desânimo.

Desvencilhando-se do colo de Mary, o pokémon raio lançou sobre David uma pequena descarga elétrica de raios azuis, fazendo o treinador tombar de face no chão. Após isto, Shinx tornou a deitar no colo da coordenadora, que recomeçou a acariciá-lo.


- Por quê? – Perguntou o treinador, agonizando.

- Não precisa fazer um alarde por causa da vitória dele. – Repreendi, em um tom calmo. – É verdade que é algo bom, mas não precisa exagerar.

Continuei olhando a cena que se desenrolava na arena. Tentando utilizar a cratera feita durante a batalha do coordenador, as guerreiras, com a ajuda de alguns pokémon aquáticos, criaram um lago de água cristalina. Tamazarashi, após desculpar-se com o treinador do Goldeen, retornou Murkrow para dentro de sua pokéball e saiu da arena, dirigindo-se para a sala de espera onde estávamos.

- Ele tem talento. – Reconheceu Janine, encostada na parede.

- Fato. – Concordou Ussei, sorrindo. – Mas não fará diferença. No final, eu serei o vencedor.

- Só por cima do meu cadáver! – Anunciou David, levantando-se rapidamente.

- Não deve demorar muito. – Constatou Ussei, em tom irônico. – Do jeito com que você leva choques, caíra morto antes do fim do torneio.

O treinador, pego de surpresa, parou de falar e começou a pensar na hipótese. Achei um tanto que bizarra a cena; Shinx não usava eletricidade para matar, mas apenas atordoar. Isto, no entanto, não parecia ter passado na cabeça de David. Segundos depois Tamazarashi chegou e, ao saber, do que ocorrera, riu um pouco da situação, antes de se virar para Ussei.

- Sendo assim, vejo você na final. – Retrucou o coordenador, desafiando o outro.

Passaram-se mais alguns minutos em que batalhas ocorreram. Algumas eram realmente empolgantes, mas outras eram maçantes e sonolentas de se ver. Depois de quinze minutos, mais ou menos, a imagem do irmão de Jack, Pedro, apareceu na TV, sinalizando que ele deveria ir para o campo de batalha. Não muito longe de onde nos encontrávamos, Um garoto levantara-se animosamente. Usava uma camisa verde e calças marrons. Seu cabelo era parecido com o de Jack e seus olhos eram castanhos. Um sorriso travesso estava estampado em sua face.

- Finalmente... – Começou o garoto, animado. - Chegou a minha hora de brilhar.

[Continua no próximo capítulo]
Notas do Autor:
* Durante a primeira geração de jogos, Magmar podia aprender Skull Bash utilizando o TM 40. Mais informações consultem a Bulbapedia.

Eventos Principais:
  • Tamazarashi revela ter um Murkrow.
  • O coordenador avança para o próximo turno.
  • A batalha de pedro é anunciada.


Prévia do próximo capítulo:
Olá meus fãs! Aqui é o David! No próximo capítulo irá ocorrer a batalha do irmão do Jack. Durante a batalha ele demonstra algo muito curioso. Seguindo esta batalha, Mary e Pandeeba enfretam um enorme pokémon antigo. Não percam isso e muito mais em Fúria Ancestral! Brilhe, Pandeeba!


Última edição por DarkZoroark em Qui 2 Fev 2012 - 14:35, editado 1 vez(es)
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Qui 2 Fev 2012 - 14:26

Dark o/

O Shun é melhor do que eu imaginava, assim como o Murkrow dele. Gostei da parte em que ele usou o Sky Attack, é um dos meus moves preferidos :3

Dessa vez eu vi erros sim, em um trecho por aí eu vi que faltou uma palavra, algumas vezes você esqueceu de dar um espaço entre o travessão e a fala do personagem. Lembre de revisar atentamente seus caps, para não deixar passar nenhum erro como esse.

Espero o próximo :3
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Qui 2 Fev 2012 - 16:56

Haha, acho que esse é o meu comentário mais rápido em uma fic... Vamos a ele.

Achei que você abusou muito de pontos finais quando poderiam ser substituídos por algumas virgulas e em outros locais usou muitas virgulas que poderiam ser evitadas com algumas inversões na construção da oração.

Tirando isso, descrição novamente ótima.
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Kurosaki Mud em Qui 2 Fev 2012 - 18:13

Bom cap DZ.

Devo admitir que o Murkrow é um obm Pokémon para lutas -q Achei apenas um erro, humanoide perdeu o acento agudo com a nova ortografia.

E sugiro uma diquinha e.e Os ataques e a narração em negrito ficam ruins juntos. Deixe os ataques em itálico/sublinhado e a narração no negrito mesmo. Só sugestão, não precisa seguir ;3

Espero o próximo o/
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Ter 7 Fev 2012 - 14:58

Olá a todos. Iria postar este capítulo ontem, mas devido a uma forte enxaqueca tive de adiar para hoje. Vamos então aos comments.

~Fox: Foquix \o. Really? Não sabia que você gostava tanto do Sky Attack. Eu revisei este, mas se achar algum erro me fale, por favor. Espero que gostes deste capítulo.

roberto13: Olá cara. Segui seus conselhos e dei uma maneirada nas pontuações. Se achar que algo mais esta errado fale, pois assim a fanfic continuará progredindo.

Mud_ril: Mud o/. lol Não sabia que humanoide havia perdido o ascento, obrigado por me atentar a isso^^. Infelizmente não conseguirei seguir sua dica, pois já me acostumei a escrever assim : ( Espero que este capítulo esteja de seu agrado.

Sem mais delongas, vamos a fanfic.

Fúria Ancestral! Brilhe, Pandeeba! - Parte 1


Observei a fotografia do adversário de Pedro. Era uma garota de cabelo lilás e profundos olhos verdes. Prendia os cabelos com uma fita de mesma cor dos olhos. Sua pele era relativamente pálida. Trajava uma fina camisa de seda azul. Usava um colar simples, com uma pequena pedra rosa listrada ao redor de seu pescoço. Tinha um bracelete de metal preso ao redor do seu punho direito. Usava pequenos shorts lilás e sapatilhas de mesma cor. No entanto, não consegui tirar os olhos do colar da garota. Já havia visto algo similar, mas não lembrava onde.

- É amberita*. – Disse Mary, olhando para o objeto.

- Verdade? – Perguntou Ussei, surpreso em saber do que se tratava o mineral.

- Sim. – Confirmou a menina, sem desviar os olhos da TV. – Mamãe tem algumas jóias feitas dela.

Ao mesmo tempo, Pedro dirigia-se para o campo de gelo, onde seria sitiada a sua batalha. Uma leve brisa soprava na arena, levantando uma fina camada de cristais. A juíza aproximou-se ao ver que a dupla de treinadores já havia se posicionado.

- Libertem seus pokémons. – Pediu a juíza, indiferente.

- Vamos lá, Whismur! – Exclamou a garota, deixando o pequeno ser sair de sua pokéball.

Uma criatura esférica e de coloração malva apareceu em campo. Suas orelhas eram longas como as de coelhos e com pontas amarelas no final. Seus olhos eram pequenos e puxados. Seus pés eram ovais e chatos, bem como a sua cauda. Havia dois buracos sob suas orelhas. Intrigado com tal figura, Pedro puxou uma pokédex que era quase idêntica a de Jack, só que azul cobalto ao invés de escarlate.


- Whismur, o pokémon berrador. A força de sua voz só se equipara ao som produzido por um jato militar decolando. Seu habitat normal são cavernas, mas há relatos de alguns encontrados em planícies de grama alta.Informou o objeto, desligando-se logo em seguida.

- Seu pokémon é legal! – Elogiou Pedro, sorrindo francamente. – Mas não é nada se comparado a esse. – Anunciou, atirando uma pokéball para cima.

Fiquei surpreso com o ser que saíra do objeto. Era uma serpente de costas verde e peito de cor de creme. Uma estrutura amarela semelhante a um colar começava em seu peito e crescia até o topo de seus ombros. Duas folhas palmadas cresciam ao longo de sua cauda, tendo uma terceira na ponta desta. Suas pernas e braços eram de tamanho diminuto. Um pequeno chifre amarelo erguia-se sobre sua cabeça. Seus olhos eram estreitos e vermelhos, ao mesmo tempo em que sua face era levemente alongada. Puxei a pokédex de dentro de meu bolso em busca de mais informações.

- Servine, o pokémon serpente de grama. É a forma evoluída do Snivy. Quando se move dá a impressão de deslizar. Seus movimentos rápidos e ágeis são utilizados para confundir o oponente.Comunicou o item, em seu normal tom de indiferença.

- Evoluiu. – Falei, sorrindo em um misto de curiosidade e satisfação. – Interessante.

- Não acredito que o Snivy já evoluiu! – Pensou David, estarrecido. – Preciso ver com o irmão do Jack como fez isso tão rápido!

Enquanto isso a juíza analisava os dois pokémons que havia em campo para saber se não necessitavam de algum cuidado antes de começar a batalha. Após constatar que nenhum deles precisava de algo se afastou um pouco do campo e deu sinal para que os treinadores começassem sua batalha.

- Vamos lá! Servine, use Leaf Tornado! – Exclamou Pedro, confiante em demasia.

- Queime tudo com Flamethrower! – Falou sua adversária, sorrindo de maneira calma.

Respondendo quase que com o mesmo ânimo de seu treinador, o pokémon serpente saltou e começou a rodar sobre sua cabeça. Um tornado com várias tonalidades de verde começou a formar-se sobre sua cauda. Servine então moveu sua cauda e direcionou o furacão em direção ao seu adversário. Em um grito, Whismur lançou uma tormenta de fogo vermelho-alaranjado contra o ataque do réptil de grama. O tamanho das chamas só continuou a aumentar quando atingiram o tufão. Ao perceber isto, o pokémon serpente parou o ataque e atirou-se para o lado bem a tempo de evitá-lo.


- Nada mal, mas pode ser melhor! – Encorajou Pedro, animado. – Use Leaf Tornado mais uma vez!

- Whismur querida, mostre a eles o seu Fake Tears! – Solicitou a treinadora, com uma voz doce.

Servine repetiu suas ações anteriores com uma felicidade ainda maior. Todavia, quando iria lançar seu ataque, parou ao ver a reação de seu oponente. O pokémon gritador começara a chorar, derramando lágrimas pelos cantos de sua face. Incomodado com a situação, o réptil de grama parou seu ataque e aproximou-se de Whismur, tentando animá-la um pouco.


- Sai dessa Servine! – Exclamou Pedro, inconformado pelo modo de agir de seu pokémon.

- Dê a eles uma prova de sua bela voz com Hyper Voice! – Elogiou a adolescente, calma.

Parando de derramar lágrimas, Whismur gritou em uma entonação estupidamente alta. Uma onda de choque sonora, em um misto de cores branca e cinza. Ao atingir a serpente de grama fez com que este fosse lançado para trás, batendo algumas vezes contra o duro solo.


- Muito bem! – Aplaudiu a treinadora, batendo palmas para sua pokémon.

- Whismur! Whismur! – Falou a pequenina, encabulada.

- Vamos continuar este concerto com Round! – Decretou a garota, sorrindo.

- Evasiva! – Comandou Pedro, desesperado.

Levantando suas orelhas, a pokémon berradora abriu a boca e lançou vários círculos de notas agudas, que mudava de cor entre o vermelho, o azul e o verde. Quanto mais se afastavam de sua fonte, os anéis sonoros cresciam em mesma proporção. Em um ágil movimento, Servine bateu a cauda no chão e saltou, alto o suficiente para proteger-se do ataque.


- Isso! – Comemorou o treinador, animando-se novamente. – Agora um Twister.

Uma esfera de ventos surgiu em frente à cauda do pokémon serpente. Desta originou-se um furacão de ventos prateados que rapidamente dirigiu-se até Whismur, atingido-a com força e fazendo-a chocar-se contra uma rocha.


- Finalize isso com Aerial Ace! – Ordenou Pedro, em um tom de finalização.

- Levante-se, querida, e use Secret Power! – Pediu a treinadora, preocupada com o seu pokémon.

Nem bem tocou no chão e Servine impeliu-se contra seu adversário em uma velocidade surpreendente. Pouco antes de atingir o alvo, riscas brancas envolveram seu corpo. Levantando os braços para cima, uma onda de energia rosa desprendeu-se de seu corpo, expandindo a si mesma a cada segundo. Ao atingir o domo, Servine foi repelido para trás.


- Ótimo! – Elogiou a garota, sorrindo docemente. – Agora, vamos terminar usando Fire Punch!

- Droga! Queria guardar isso para as finais, mas pelo visto não tem outro jeito. – Pensou Pedro, acuado. – Servine, use Leaf Storm! – Exclamou, perdendo a paciência de vez.

Sem esperar que seu oponente pudesse se levantar, Whismur lançou-se ao ataque com um de seus punhos em frente ao corpo. Após alguns segundos, chamas vermelho-alaranjadas revestiram o membro da pequena pokémon. Mais uma vez usando-se de sua velocidade e maleabilidade, Servine lançou-se ao ar em um salto enquanto múltiplas folhas brilhantes surgiam por de trás dele. Juntado todas em um pequeno vórtice, o réptil de grama lançou o aglomerado de vegetação contra Whismur. Ao atingi-la, a pequenina fora lançada brutalmente para trás enquanto uma cobertura de folhas a encobria. Quando todas caíram no chão, a pokémon gritadora encontrava-se nocauteada.


- Isso! Ganhamos! – Comemorou Pedro, pulando de um lado para o outro. – Muito bem, Servine!

- Servine! – Gritou o réptil, lançando-se sobre seu treinador animadamente.

Ao ver tal situação, David começara a rir vivamente. Mary também rira um pouco, porém com menos intensidade. Jack pigarreara um pouco e tinha uma expressão de hilariedade em seu rosto. Shinx olhava cansado para todos à sua volta, perguntando-se o porquê de tamanha comoção. Acariciei o pokémon um pouco, tranquilizando-o.


- Falando sério, Jack. – Disse David, limpando uma lágrima de felicidade que começava a brotar de seu olho. – Seu irmão é um comediante impagável.

- Lembra-me alguém. – Comentou Ussei, em um tom irônico.

Mais uma onda de riso tomou a todos, menos David, que não entendera o sentido da frase. Até mesmo Janine, que se encontrava séria até este momento, havia juntado-se a comoção. Parei de rir e olhei para cima, pensando no que fazer. Não sabia o porquê, mas algo ainda me incomodava sobre as visões que eu andava vendo ultimamente. Meus pensamentos lentamente me levaram à Kyurem e seu estado atual. Queria saber o motivo de ele estar tão fraco. Era bem verdade que há alguns tempos não se ouvia mais relatos de que o dragão de gelo devorava pessoas, mas só isto não deveria deixá-lo tão debilitado. Senti um puxão em meu casaco e vi que Mary me fitava um tanto apreensiva.


- Está tudo bem? – Perguntou a garota, um pouco assustada.

- Sim. – Falei, forçando-me a esboçar um leve sorriso. – Só estava pensando um pouco.

- Parecia estar em um pensamento bem profundo. – Disse Jack, sério.

- E você devia estar falando com o seu irmão. – Retruquei, encarando-o.

O treinador, pego de surpresa pela resposta, apenas virou a cabeça para o lado e fechou a cara. Sorri um pouco e tornei a olhar a televisão. Algumas novas batalhas revelavam algo curioso; os treinadores agora usavam pokémons e movimentos mais poderosos do que antes. Pelo visto, após verem a força utilizada por seus oponentes, resolveram mostrar que também não eram vulneráveis. Passados mais alguns minutos, Mary fora chamada para batalhar. Tirei Shinx do colo da coordenadora para que ela pudesse se erguer.


- Vá com tudo, Mary. – Encorajou May, sorrindo.

- Sim! – Respondeu a garotinha, em um tom animado.

- Você vai conseguir. – Falei, calmamente.

- Shin, Shin! – Concordou Shinx, alegre.

Em resposta, a coordenadora apenas concordou com a cabeça e começou a correr rumo ao portão de acesso. Tornei a olhar para a TV, procurando saber quem seria o adversário da garota. Era um jovem adulto por volta de seus vinte cinco anos. Seus cabelos eram azuis e estavam penteados firmemente para trás. Empregava o uso de um par de óculos sobre seus olhos dourados. Uma barba rala e pequena crescia-lhe sobre o queixo. Usava um jaleco de pesquisas branco sobre uma camisa marrom, onde havia a imagem de alguns tubos de ensaio. Trajava longas calças verde-musgo e sapatos negros.


- Ora essa. – Comentei, surpreso. – É um pesquisador.

A batalha entre coordenadora e cientista seria travada sobre o campo rochoso. Ao lá chegarem, a juíza prontamente adiantou-se para dar as diretrizes da batalha. Mary encontrava-se um pouco nervosa, mas respirou fundo e acalmou-se, dando um sorriso gentil logo após.

- Por favor, chamem os seus pokémons. – Pediu a juíza, em um tom cansado e impaciente. Supus que o motivo deveria ser o número de vezes que já havia dito aquelas mesmas palavras neste dia.

- Pandeeba, é com você! – Exclamou Mary, lançando uma pokéball em direção ao campo.

- Mostre-os a sua força ancestral, Armaldo! – Comandou o pesquisador, imitando o gesto feito por sua pequena adversária.

Em instantes, dois pokémons completamente diferentes encontravam-se em campo. O primeiro era um urso panda. Sua cabeça possuía quase o mesmo tamanho do corpo, mas, mesmo assim, conseguia erguê-la com maestria. Seus olhos eram grandes e azuis, brilhando vivamente. Duas orelhas, pequenas e felpudas, elevavam-se sobre o topo de sua cabeça. Um perfeito círculo negro encontrava-se no centro de seu peito. O segundo pokémon era gigantesco se comparado ao seu adversário, sendo três ou quatro vezes maior que este. Bípede e anfíbio, este lembrava um enorme louva-deus recoberto por placas metálicas. Seu corpo era principalmente azul, mas havia alguns retoques de vermelho, amarelo, branco e preto. Seus olhos eram levemente puxados e projetavam-se das laterais de sua cabeça. Seu pescoço era longo e possuía três pares de “lanças” que se arremessavam dele. Sua mandíbula inferior era amarelada, coloração a qual se estendia até o peitoral do pokémon. Seus braços eram longos e parecidos com lâminas, saindo de dois “buracos” presentes no peito de sua couraça. Na parte traseira do inseto, eram projetadas duas asas triangulares e negras. Suas pernas eram grossas e curtas, com duas afiadas garras em cada pé. Possuía uma longa cauda com dois espinhos negros em seu final. Ainda um pouco intimidada com tal pokémon, Mary puxou sua pokédex e apontou em direção a ele.


- Armaldo, o pokémon armadura. É a forma evoluída do Anorith. A couraça ao redor de seu corpo faz com que a maioria dos ataques feitos contra ele ricocheteiem. Assim como as garras de um Sneasel, os braços deste pokémon podem se alongar ou contrair conforme o seu desejo. Sua força é tanta que pode facilmente esmigalhar uma chapa de metal.Informou o objeto, com um misto de seu habitual tom mecânico e outro de aviso.

Fiquei surpreso com o pokémon pré-histórico. Segundo os mitos, esta espécie havia sido extinta havia muitos milhares de anos. Contudo, alguns relatos indicavam que alguns ainda existiam em liberdade e outros eram trazidos de volta a vida através de seu DNA. Logo de cara pensei que aquele espécime, em particular, deveria ter sido ressuscitado, pois era demasiado grande para estar vivo nos dias modernos. Enquanto eu ponderava silenciosamente, a juíza analisava minuciosamente a dupla de pokémons para saber se não necessitavam de cuidados anteriores a batalha. Ao terminar a verificação deu sinal para que os pokémons começassem a batalhar.

- Pandeeba, use Ember! – Falou Mary, começando a batalha.

- Sabe o que fazer. – Sussurrou o pesquisador, esboçando um leve sorriso.

Velozmente, o pokémon panda abriu sua boca e disparou várias faíscas de fogo vermelho-alaranjadas. Sem se importar com isto, Armaldo apenas estufou o peito enquanto as chamas batiam contra este. Infelizmente para o atacante, nem bem tocavam seu atacante e as pequenas fagulhas desfaziam-se por completo, sem surtir efeito algum.


- Não funcionou?! – Exclamou Mary, pasma.

- A armadura de Armaldo é extremamente resistente. – Explicou o cientista, calmo. – Ataques desse nível não irão funcionar.

- Sendo assim, Mach Punch! – Pediu a coordenadora, reganhando um pouco de confiança.

- Harden! – Falou o pesquisador, descontraído.

Uma aura azul revestiu um dos punhos de Pandeeba enquanto este partia para cima de seu oponente. Pouco antes de atingi-lo, entretanto, um brilho branco luminoso tomou conta do corpo de Armaldo por alguns centésimos de segundos, desaparecendo após isto. Ao receber o soco de seu oponente, o pokémon pré-histórico foi lançado alguns centímetros para trás, mas não parecia ter recebido um grande dano.


- Continue com Slash! – Comandou o jovem adulto, dando de ombros.

- Pule sobre a garra dele e use Mach Punch novamente! – Disse Mary, sorrindo.

Sem perder tempo, Armaldo moveu seu braço em direção à Pandeeba, deixando um rastro de estrias brancas por onde o membro se movia. Habilmente, o pequeno urso conseguiu pular sobre a garra do louva-deus, esquivando-se do ataque. Deixando seu punho ser envolvido por uma aura azul, o pokémon panda atingiu um soco na face de Armaldo.Um urro de dor ecoou pela arena enquanto o anfíbio pré-histórico caia de costas contra o duro solo.


- Muito bem, Pandeeba! – Elogiou a coordenadora, sorrindo gentilmente para o pokémon que se afastava rapidamente de seu oponente.

- Armaldo, levante-se e use Stone Edge! – Conduziu o pesquisador, começando a ficar sério.

- Protect! – Exclamou Mary, mudando seu tom para um defensivo e apreensivo.

Levantando-se em um salto, o pokémon louva-deus deixou seu corpo ser envolto por dois círculos de energia azul. Estes logo desapareceram, dando origem a um novo par de anéis, desta vez composto por pequenas rochas. Com um grito de Armaldo, as pedras que o circundavam lançaram-se todas juntas em direção ao pokémon panda. Em resposta, Pandeeba deixou-se envolver por um campo de força turquesa que o protegeu do ataque. Como resultado, algumas novas pedras aderiram ao chão da arena, deixando-o ainda mais rochoso do que era antes.


- Use Ice Shard! – Disse a coordenadora, sorrindo.

Erguendo suas mãos sobre a cabeça, uma esfera azul brilhante começou a formar-se sobre o membro. Em seguida, lançou o globo para frente, liberando ar frio por onde este passava. Todavia, o ataque provou ser ineficaz quando o pokémon louva-deus simplesmente bloqueou a esfera com uma de suas garras. Ao mesmo tempo em que Pandeeba recuava um pouco eu notei algo estranho; a esfera no centro de seu corpo parecia estar um pouco mais clara que o habitual.


- Ei, David. – Chamei, sem desviar o olhar. – O círculo no peito do Pandeeba não parece mais claro que o normal?

- Hein? – Pigarreou o treinador, confuso com a pergunta. Em seguida, encarou o local ao qual eu me referia. – Acho que não.

Continuei a encarar o ponto. Talvez estivesse errado afinal, mas havia algo de diferente naquela cena. Apenas para me certificar, puxei a pokédex do bolso e apontei para o pokémon panda. Procurei por qualquer informação diferente e após alguns poucos minutos finalmente encontrei.

- Isso é...! – Pensei, arregalando levemente os olhos.

Enquanto eu olhava a notificação mais atentamente, Pandeeba continuava a desviar dos poderosos ataques cortantes de Armaldo. Todavia, grande parte de seus ataques provavam ser ineficazes contra o pokémon pré-histórico,sendo que apenas duas vezes o louva-deus parecera ter sentido algo.


- Armaldo, use X-Scissor! – Comandou o cientista, sério.

- Protect! – Falou Mary, com um tom de desespero em sua voz.

Lançando-se sobre o seu adversário, o louva-deus pré-histórico retirou suas garras para dentro de sua armadura. Quando estas saíram, uma aura azul brilhante as envolvia enquanto o pokémon juntava-as em uma posição de X. Em resposta, Pandeeba deixou que um campo de força turquesa envolvesse seu corpo, protegendo-o do ataque. Todavia, a força do impacto do ataque fez com que o pequeno urso panda caísse de costas contra o chão.


- Isso! – Comemorou o pesquisador, em um tom vitorioso. – Termine isso com Metal Claw!

- Pandeeba, Barrier! – Exclamou a criança, um tanto receosa.

As garras de Armaldo foram consumidas por um brilho metálico enquanto este as movia em direção ao seu oponente. Respondendo prontamente, o pokémon panda ergueu as mãos sobre a cabeça e formou uma barreira azul ao seu redor. Um som alto de vidro quebrando pode ser ouvido quando o anfíbio pré-histórico batera suas garras contra o domo de energia que se formara ao redor do seu oponente. Contudo, a barreira continuava de pé. Enquanto isso, o círculo no meio do peito de Pandeeba começava a ficar cada vez mais luminoso, estando em um tom cinza brilhante.


- Continue usando Metal Claw, Armaldo! – Comandou o pesquisador, sorrindo triunfante.

Concordando com a ordem de seu treinador, o pokémon louva-deus começou incessantemente a bater suas garras contra a tela de proteção. Não demorou muito para que rachaduras começassem a aparecer sobre o escudo. Em instantes, pequenos cacos vermelhos começaram a despencar sobre Pandeeba, que ainda tentava manter a barreira com certa dificuldade. Todavia, seus esforços foram em vão, pois Armaldo quebrara-a segundos depois.


- Termine isso! – Exclamou o cientista, triunfante.

- Pandeeba! – Gritou Mary, derramando algumas lágrimas de medo.

Um pilar de luz cobriu o corpo do pokémon panda e disparou rapidamente até as nuvens. Um brilho intenso recobriu a arena enquanto o fato acontecia. David levantou-se em um salto, pasmo com aquilo. Seus olhos encontravam-se totalmente arregalados.

- Isso é...! – Exclamou o treinador, sem palavras.

- Sim. – Afirmei, balançando positivamente a cabeça. – Um novo poder acaba de nascer para Mary.

[Continua na próxima parte]

Notas do Autor:
* Amberita é uma pedra preciosa que foi o tema de um dos primeiros episódios de pokémon durante a saga Jotho.

Eventos Importantes:
  • O Snivy de Pedro revela ter evoluído para Servine.
  • O treinador avança para o segundo round.
  • A batalha de Mary começa.
  • Pandeeba é envolto por um brilho misterioso.



Última edição por DarkZoroark em Ter 7 Fev 2012 - 21:27, editado 1 vez(es)
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Ter 7 Fev 2012 - 15:20

Dark o/

As batalhas do torneio estão se mostrando cada vez mais interessantes, e ficam ainda melhores por causa da forma em que você as narra e descreve, que é ótima.
De erros, não vi nada. Você fez bem ao revisar o cap. Só acho que a descrição física do Armaldo ficou grande demais, às vezes eu tenho preguiça de ler. Tente resumí-las um pouco.

Tô muito ansioso pra saber o que vai acontecer com o Pandeeba, tenho a impressão de que é algo importante.

Espero mais c:
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Hyurem em Ter 7 Fev 2012 - 19:33

Olá, Dark Zoroark!

Finalmente tomei coragem e vim comentar sua fic. Ela é muito boa e você vem melhorando com o tempo. A sua descrição já era boa desde o início e ficou ainda melhor.

As batalhas são ótimas e quando leio elas parece que estou assintindo a uma batalha no anime. Vi alguns lugares em que faltaram palavras, mas fora isso não vi nenhum erro de qualquer outro tipo.

Quanto ao Felipe: ele é algum agente da cia?! Achei o Chinchar e o Zorua muito fortes para Pokémons comuns. E o brilho do Pandeeba o que será? Achei que podia ser o Brilho de uma evolução mas depois da faixa de luz fiquei perdidinho.

Enfim, sua fic é ótima e continue nesse ritmo.
avatar
Hyurem
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/08/2011

Frase pessoal : O Tempo é precioso, imutável e irrecuperável


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Ter 7 Fev 2012 - 20:59

Oi!


Comentário não muda quase do ultimo. Melhorou a pontuação e quanto a descrição, realmente você exagera um pouco, mas acho que isso é um ponto positivo.

Erro mesmo que achei foi esse:
"Erguendo suas sobre a cabeça, uma esfera azul brilhante começou a formar-se sobre o membro."

Depois corrige ai. É isso.
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Sab 3 Mar 2012 - 20:42

Olá a todos. Desculpem pela demora na postagem deste capítulo, mas acontece que eu voltei as aulas e também me deu uma preguiça do cão para escrevê-lo. Antes de tudo, vamos aos comentários:

~Fox: Fóquix o/! Que bom que estás gostando da forma que eu escrebo. Espero que este capítulo responda à suas expectativas.

Hyurem: Olá Hyurem. Em primeiro lugar, não precisa ser tímido. Pode comentar quando quiser. Que bom que achas ótimas as batalhas. Quanto a falta de palavras, eu já editei o capítulo. Será que ele é da CIA? Só mesmo acompanhando a fic para saber... Espero que goste deste capítulo.

roberto13: Oi cara! Obrigado. Quanto ao exagero "Na dúvida, é sempre melhor sobrar do que faltar". Já corrigi o erro que você apontou. Espero que curta este novo capítulo.

Vamos então ao capítulo.

Fúria Ancestral! Brilhe, Pandeeba! - Parte 2


Um longo raio de luz branco partia de dentro da boca do pokémon panda, cortando as nuvens que se encontravam mais baixas. Todos que batalhavam pararam para assistir a aquela cena. Espantado, Armaldo recuou alguns passos para trás, tendo conhecimento de que aquilo poderia significar sérios ferimentos. Passados alguns instantes, o raio começou a ter seu raio e altura diminuídos, até desfazer-se por completo. Ainda pasmo com o acontecimento que presenciara, David encontrava-se boquiaberto e gaguejando.

- Não pode ser! – Negou o treinador, custando a acreditar. – Aquilo foi um...

- Sim. – Respondi, dando de ombros tranquilamente.

Enquanto isto, no campo de batalha, Mary tinha estampada em sua face uma expressão de curiosidade sobre o que seu pokémon havia feito. Instintivamente, a coordenadora pegou a pokédex e apontou para Pandeeba.


- Solarbeam, um dos mais fortes movimentos conhecidos. Para ser executado, o usuário necessita primeiro acumular em seu corpo uma quantidade suficiente de luz do sol e então canalizá-la na forma de um raio. – Explicou o objeto, com seu habitual tom apático. – Quanto maior estiver à intensidade do brilho do sol, maior será o poder do ataque.

Após o termino da explicação feita pela enciclopédia, Mary alegrou-se e esboçou um leve e doce sorriso enquanto olhava para o pequeno urso, o qual, por sua vez, acabara de se levantar.

- Pandeeba! – Chamou a criança, atraindo a atenção deste. – Você aprendeu um novo ataque.

- Pandee? – Indagou o pokémon, inclinando a cabeça de lado. Entretanto, ao ver a felicidade de sua treinadora, o panda sorriu da mesma maneira que ela.

- Droga! Isso pode acabar por inverter a situação! – Pensou o cientista, aflito. – Armaldo, use Water Gun! – Exclamou, em um ímpeto de finalizar a batalha o mais rápido possível.

- Evasiva e Icy Wind! – Proferiu Mary, voltando-se rapidamente para o campo de batalha.

Prontamente, o pokémon pré-histórico lançou um poderoso jato de água na direção de seu oponente. Há seu tempo, Pandeeba saltou para o lado em uma hábil cambalhota. Dando sequência a este movimento, o pequeno panda abriu sua boca e deixou que faíscas azuis começassem a se juntar ao seu redor. Passados alguns segundos, o pokémon urso lançou uma lufada de vento gélido contra seu adversário. Armaldo tentou desviar, todavia fora lento de mais e acabou sendo atingido, recuando alguns passos.


- Não temos escolha. – Falou o pesquisador, acuado. – Armaldo, use Giga Impact!

- Pandeeba, Protect! – Exclamou Mary, defensivamente.

Esticando suas asas, o grande louva-deus lançou-se em direção aos céus. Enquanto ascendia, o corpo do pokémon foi rodeado por estrias laranjas espiraladas. Poucos instantes depois, uma camada de energia, esférica e roxa, acercou seu corpo por entre os riscos. Com este ultimo véu, Armaldo lançou-se em um rápido mergulho. Vendo isto, Pandeeba prontamente formou ao seu redor um campo de força turquesa. Ao atingir a proteção, o inseto anfíbio ricocheteou para trás, sem conseguir finalizar seu ataque.

- Agora é a chance dela. – Comentou Ragna, satisfeito.

- Como assim? – Perguntou David, encarando o treinador.

- Quando um movimento de enorme poder, tal como Giga Impact e Hyper Beam, é utilizado por um pokémon após o seu uso é necessário um tempo para que este possa recuperar suas energias. – Explicou Ragna, calmamente. – Nisto, o oponente pode se aproveitar e desferir um contra-ataque eficiente.

- Em outras palavras, é uma faca de dois gumes. – Observou Jack, sem tirar os olhos da batalha.

Enquanto a discussão continuava, Pandeeba olhava confuso para seu oponente. Não sabia o porquê de seu oponente estar paralisado, mas também continuava a estudar a situação detalhadamente.


- Vamos aproveitar essa chance e atacar, Pandeeba! – Decretou Mary, em um tom significativamente sério. – Carregue o Solarbeam.

Seguindo o comando de sua treinadora, o pokémon urso respirou fundo e começou a se concentrar. Instantes depois, esferas brilhantes começaram a se formar em frente ao peito de Pandeeba e se agrupar sobre este. O círculo negro que ali existia começou a lentamente clarear, passando por todo um degradê de coloração até o mais puro branco. Todavia, neste instante, um sorriso pôs-se sobre a face de Armaldo e seu treinador, pois o pokémon pré-histórico voltava a se mover.


- Armaldo, use Flash Canon! – Comandou o pesquisador, em um tom de tudo ou nada.

- Dispare, Pandeeba! – Pediu a coordenadora, sorrindo.

Prontamente, o inseto anfíbio disparou um raio de luz metálica na direção de seu oponente. Respondendo prontamente a isto, o pokémon panda concentrou a energia que havia acumulado e lançou-a contra seu adversário na forma de um feixe luminoso. Uma onda brilhante espalhou-se pela arena quando houve o choque entre os dois ataques. De início, o Armaldo ganhou a vantagem, tendo seu ataque a poucos centímetros de seu oponente. Todavia, os ferimentos anteriores sofridos pelo pokémon pré-histórico cobraram seu custo e o Solarbeam de Pandeeba começou a lentamente avançar em sua direção. Pouco antes de ser atingido, o inseto antigo parou seu ataque e tentou saltar para o lado a fim de desviar, entretanto, não foi rápido o suficiente e acabou sendo pego pelo raio e atirado para trás, chocando-se contra o chão e levantando uma fina camada de poeira. Quando esta se dissipou, revelou que Armaldo estava nocauteado. Constatando isso, a juíza prontamente se aproximou e declarou a vitória de Mary. A coordenadora sorriu um pouco e abraçou fortemente o pokémon panda, que retribuiu o gesto de mesmo modo.


- Você conseguiu, Mary. – Falei, esboçando um leve sorriso.

- O poder do Solarbeam é incrível! – Admitiu David, fascinado pela força do ataque.

- Porém, o tempo necessário para executá-lo pode ser muito problemático. – Reafirmou Jack, cruzando os braços sobre o peito.

Concordei com a cabeça e suspirei pesadamente. Realmente, o curto espaço de alguns segundos para carregar energia do ataque era algo que deveria ser levado em conta. Ponderei algumas soluções para isso, mas por fim decidi ajudar Mary e Pandeeba a aumentar a velocidade do acumulo de força. Como se tivesse lido meus pensamentos, Chimchar prontamente adiantou-se e concordou em ajudá-la. Sorri para o pequeno pokémon e acariciei levemente sua cabeça. Um pequeno tumulto tomou conta da sala quando Mary voltou para perto de nós.


- Ei, você percebeu que todos os participantes que estão naquele grupo ganharam suas partidas? – Comentou um treinador a outro, com um olhar desconfiado e invejoso em sua face.

- Sim. – Respondeu o segundo, em um tom rancoroso. – Se não me engano, também são esses aí que estão hospedados na mansão da Liza.

- Deve ser por isso que estão ganhando. – Falou o primeiro, ao descobrir o fato.

Olhei para os dois que conversavam cerrei levemente os olhos. Percebendo isto, Chimchar aumentou levemente a sua chama e Zorua eriçou os pelos de sua cauda. A dupla de treinadores, ao perceber que eram observados, virou rapidamente para o lado, tentando desviar o olhar. Sem nada mais a fazer sobre aqueles dois, tornei a concentrar minha atenção para o grupo.


- Mary, quero lhe fazer uma pergunta. – Falei, sério. – O que acha de treinar para aprender um novo ataque?

- Um novo ataque? – Repetiu a garota, interessada.

- Sunny Day. – Respondi, calmamente. – Conhecendo este golpe, Pandeeba pode carregar o Solarbeam muito mais rápido. Podemos começar a praticar logo após o término do torneio.

- Claro! – Exclamou Mary, sorrindo docemente. – Muito obrigada!

Sorri de volta em retribuição. Quando a coordenadora sentou-se, Shinx saltou sobre seu colo e deitou-se confortavelmente, fechando os olhos. A pequena coordenadora, sem se importa com isso, começou a levemente afagar o pelo do pokémon leão calmamente. Sem nada mais a fazer, fechei os olhos e submergi em meus pensamentos. Passei alguns minutos assim, apenas refletindo sobre qualquer pensamento que viesse a me ocorrer. Porém, logo a paz foi interrompida quando David levantou-se aos berros do lugar onde estava sentado. Instintivamente, puxei a adaga de dentro do casaco.

- O que houve?! – Perguntou Jack, alarmado enquanto retirava uma pokéball de seu bolso.

- Acho que estou surdo. – Falou Tamazarashi, passando a mão sobre os ouvidos.

- Takuto! – Gritou David, encarando a TV em um misto de fascínio e ânimo.

Vir-me-ei para a tela do objeto e constatei que a foto do treinador encontrava-se no pequeno espaço negro, sinalizando que a batalha deste iria começar em breve. Percebendo que não era nada grave, tornei a guardar a adaga.


- Takuto? – Perguntou Mary, em um tom de curiosidade. – Quem é?

Ouvindo a pergunta, o treinador imediatamente virou-se para a garota com um ar de surpresa e incredibilidade. Não sabia se achava a cena hilariante ou cômica, pois a expressão que a face de David possuía era bem engraçada.

- Não sabes? – Indagou o jovem, chocado. – Você não sabe quem é o Takuto?

- Se ela perguntou é porque não sabe. – Comentou Ragna, com um sorriso indiferente e irônico no rosto.

- Nem eu sei quem é! – Exclamou Ussei, irritado com o criador de tamanho alvoroço.

Mais uma vez a face de David foi tomada por uma expressão surpresa. Antes, porém, que ele tornasse a fazer um alvoroço, rapidamente me coloquei em sua frente.

- Que tal se ao invés de criar um alvoroço, você não fala quem ele é? – Sugeri, calmo.

- Ei, é uma boa ideia! –Disse David, sorrindo. – Em resumo, ele foi o ganhador da Liga Pokémon de Sinnoh um ano atrás!

- Agora me lembrei de quem se trata! – Falou Jack, estalando os dedos. – Cara,ele é praticamente uma lenda.

- Qual é o motivo disto? – Perguntou Janine, um tanto desinteressada.

- Ele possuí um Darkrai. – Explicou o treinador, sorrindo.

Um silêncio sufocante tomou conta do local ao término da frase. Até mesmo Ussei, que antes se encontrava revoltado e desinteressado, arregalou os olhos e silenciou-se por completo ao ouvir o nome do pokémon lendário. Há seu tempo, Ragna começou a sorrir de uma maneira desafiadora após descobrir sobre o fato. Dei de ombros e tornei a olhar para a TV. A batalha iria ser sitiado no estádio de água. O adversário de Takuto era um adolescente por volta de seus doze anos. Usava um chapéu de couro preto sobre um amontoado de cabelos azuis escuros e desgrenhados. Trajava uma camisa de regata branca e um par de calças jeans surradas. Ao redor de seu pescoço havia uma corrente de prata. Percebendo a aproximação dos desafiantes a juíza se adiantou para iniciar a batalha.


- Treinadores, queiram, por favor, liberar seus pokémons. – Pediu a guerreira, de uma maneira calma e analítica.

- Vá, Darkrai. – Sussurrou Takuto, lançando uma pokéball para cima.

- Destrua tudo, Walrein! – Exclamou o adversário, liberando o pokémon.

Em instantes dois pokémons completamente diferentes encontravam-se em campo. Rapidamente, o pokémon sombra se posicionou em frente ao seu treinador, calmo e concentrado. O outro era uma enorme morsa com uma coloração predominantemente azul e com alguns retoques de branco. Duas longas presas amarelas se desprendiam dos lados de sua boca. Um nariz oval e azul posicionava-se pouco acima de sua boca e entre seus olhos dourados. Rapidamente, David e Mary sacaram suas pokédex e apontaram cada um para um dos pokémons.


- Darkrai, o pokémon buraco negro. Como um meio de proteção, ele inflige a aqueles que estejam ao seu redor terríveis pesadelos, porém não é agressivo. Darkrai possuí a habilidade de se transformar em uma sombra e escapar do perigo.Informou o objeto, desligando-se logo em seguida.

- Walrein, o pokémon quebrador de gelo. Utilizando-se de suas poderosas presas, ele pode quebrar até mesmo o mais resistente bloco de gelo. Sua densa camada de gordura, além de protegê-lo do frio, diminui o impacto de ataques adversários.Contou o segundo, indiferente.

Enquanto isto, no campo de batalha, a juíza checava pela ultima vez a dupla de pokémons para se certificar que não necessitavam de cuidados prévios. Após constatar que não havia necessidade, declarou o início da partida.

- Walrein, use Super Fang! – Comandou o treinador deste, tomando à dianteira.

- Ominous Wind! – Falou Takuto, calmo.

Lançando-se para dentro da água, o pokémon morsa começou a nadar em direção ao seu adversário com as presas bem a mostra. Em resposta, Darkrai cruzou os braços em frente ao seu peito. Ao abri-los, uma rajada de ventos arroxeados na direção de seu oponente. Sem conseguir desviar a tempo, Walrein foi atingido e lançado para trás, batendo de costas contra uma das plataformas.


- Agora, Dark Void! – Continuou, descontraidamente.

- Para baixo da água, rápido! – Exclamou o treinador, aflito.

Respondendo ao comando de seu parceiro, Darkrai juntou suas mãos em frente ao corpo. Uma esfera negra envolvida por um brilho violeta começou a ser moldada em meio aos membros. Após alguns instantes, tempo no qual o pokémon sombrio continuou a carregar energia, o projétil foi lançado em direção do mamífero marinho com uma surpreendente velocidade. Percebendo isto, Walrein prontamente deu conta de submergir sob as cristalinas águas, esquivando-se assim do ataque adversário.


- Fica mais fácil a cada segundo. – Comentou Takuto, rindo um pouco. – Darkrai, Charge Beam!

Faíscas amarelas começaram a rodear o corpo do devorador de sonhos enquanto ele apontava sua mão para a superfície líquida da piscina. Instantes depois, um raio de eletricidade atingiu a água, rapidamente trocando a sua cor de azul para dourado. Um grito de dor pode ser ouvido do fundo da arena, indicando que Walrein havia sido atingido.

- Saia de dentro da água e use Signal Beam! – Conduziu o treinador, desesperado.

- Dark Pulse! – Falou Takuto, com grande tranquilidade.

Saltando para fora da piscina, Walrein criou uma esfera multicolorida em frente a sua boca. Desta, um raio de mesma cor foi projetado na direção de Darkrai. Em resposta, o pokémon negro lançou uma onda de círculos negros envoltos por uma aura arroxeada. Não demorou muito para que os ataques colidissem um contra o outro, todavia não demorou muito para que o golpe de Darkrai atravessasse o de seu oponente e o atingisse, lançando-o para longe. Quando atingiu o solo, o mamífero marinho já se encontrava nocauteado. Sem pestanejar, a juíza decretou a vitória como sendo de Darkrai e Takuto.


- Incrível! – Falou David, maravilhado pela força do pokémon lendário. – Eles são mais incríveis pessoalmente.

- Se quiser, por que você não o convida para ficar conosco? – Perguntei, compadecido com a felicidade do jovem.

- Posso mesmo?! – Indagou o treinador, desconcertado. Respondi apenas com um aceno positivo da cabeça, o que fez com que seus olhos brilhassem. – Obrigado! Volto em alguns minutos!

E dizendo isto, David saiu correndo velozmente em direção ao portão de acesso. Já ia fechar os olhos quando uma imagem me prendeu. A foto de um treinador vestido inteiramente de preto e de cabelos vermelhos indicava que ele iria batalhar na próxima partida.

- Você conhece? – Perguntou May, notando a minha atitude.

- Não. – Neguei, calmo. – Mas quero ver esta batalha com toda certeza.
[Continua no próximo capítulo]

Prévia do próximo capítulo: Saudações. Quem fala é a Mary e no próximo capítulo as últimas batalhas do primeiro round finalmente estão acontecendo. Porém, antes que David e Ussei possam ter sua chance um outro treinador aparece usando um pokémon realmente poderoso. Tudo isso e muito mais em Cristais de Gelo Sombrio! Uma Nova Ameaça!
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Hyurem em Sab 3 Mar 2012 - 21:44

Aaaaaah... um Solarbeam! Entendi!

Muito bom capítulo, meu amigo, e continue fazendo esse trabalho incrível.
O único erro que achei foi esse:
A pequena coordenadora, sem se importa com isso, começou a levemente afagar o pelo do pokémon leão calmamente.

Parabéns e procure, por favor, postar os caps. mais rapidamente. Quase me mata de curiosidade sobre o brilho do Pandeeba!
avatar
Hyurem
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/08/2011

Frase pessoal : O Tempo é precioso, imutável e irrecuperável


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por #Shun em Sab 3 Mar 2012 - 22:45

DZ seu maluketi! Cá estou pra dar meu pitaquinho! Well, eu não preciso nem falar que suas narrações seu perfeitas certo? Certo! Vamos comentar sobre o cap! Eu ainda estou no cap do tamazarashi e sua batalha diva com seu murkrow! Me lembra alguém esse cara! HOHO! Vamos partir da batalha, achei perfeita cara, serio! A narração foi tão boa que não tornava a fic cansativa, e da pra ver que você não tem pressa de acabar uma fic!

Isso e muito bom, pois assim as descriçoes ficam muito boas, e como o fox disse mais acima! Você as vezes exagera nas descrições e acaba tornando cansativo! Mas fora isso sua fic não tem defeitos grandes, só acho que ela e pouco comentada, oque é incrivel por que uma fic como a sua merece bastante coments!

Well é isso lerei os proximos caps mais tarde e comento!
avatar
#Shun
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/11/2010

Frase pessoal : Você sabe a desordem é tenaz


Ver perfil do usuário http://199.91.152.176/aspp4sd596ig/6zvdyx3hl5fi7x9/MinecraftSP.e

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Gehrman em Dom 4 Mar 2012 - 16:36

dasdsadasdasd oi

Bem, como sempre, gostei bastante do capítulo. Mostrando que o Pandeeba sabe Solar Beam (eu achava que seria outra coisa, derp), o carinha do Darkrai aparecendo e enfrentando geral aquele Walrein lá. Tenho a impressão de que ele vai derrotar todo mundo lá no campeonato, sendo aquele que venceu a liga de Sinnoh.

Well, como sempre, sua descrição e sua narração são completamente daoras. Eu acho que já falei muito sobre elas, mas ok, parabéns pelas altas habilidade nelas.

Achei incrível o fato daquele pequeno Pandeeba derrotar uma criatura tão grande quanto o Armaldo. É sempre legal ver os carinha pequeno derrotarem os Pokémons grandes. Geralmente resulta num empate ou a vitória do pequeno.

Sabe, gostei do carinha do Darkrai. Personagens com quase nenhuma informação sobre ele sempre são bem misteriosos e legais. Bem, espero que ele participe mais dos próximos capítulos.

Bem, é isso. Aguardo mais capítulos <:

________________

cfox: APARECI NO MULTISHOW


avatar
Gehrman
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/04/2011

Frase pessoal : NÃO TEM MEDCO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Dom 4 Mar 2012 - 16:44

Oi!

Demorou para sair, mas quando saiu... Ótimo capítulo, não vi nenhum erro e você é um dos poucos escritores que possuí essa qualidade. Sintaxe mto boa e ortografia também.

Quanto ao conteúdo, também está ótimo. Essa é uma das fics que não fico com preguiça de ler até o fim da batalha. Descrição ótima também.

Continue assim. É isso!
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Sab 10 Mar 2012 - 11:45

Bom dia a todos. Em comemoração ao lançamento do 13º filme no Brasil, eu trago este capítulo. Antes de tudo, vamos aos comments:

Hyurem: Hyurem o/ Que bom que gostasse do meu capítulo. Isso me deixa muito mais animado para escrevê-la e continuar melhorando cada vez mais. Espero que gostes deste capítulo.

#Shun: Shun o/ Sério? O Tamazarashi lhe lembra alguém? Quem será? XD Obrigado pelos seus elogios. Realmente, eu não tenho pressa em terminar a fanfic. Espero que goste deste novo capítulo.

Mr. Weegee: Weegee o/ Não eras o único a pensar que seria outra coisa. Será que o Takuto irá vencer o torneio? Só lendo para descobrir. Obrigado pelos elogios. Cansa um pouco escrever tudo tão detalhadamente, mas o resultado compensa. Acatando ao seu pedido, vou dar maior participação dele nos próximos capítulos. Espero que gostes deste capítulo.

roberto13: rob o/ Obrigado pelos elogios. Sério? Honra-me saber que a minha fic não lhe dá preguiça. Espero que gostes do meu novo capítulo.

Sem mais delongas, vamos ao principal objetivo deste tópico.

Cristais de Gelo Sombrio! Uma Nova Ameaça!


Continuei a olhar aflito para a cena que precedia o combate que viria a acontecer sobre o campo rochoso. Aquele misterioso garoto iria batalhar agora, e sua força era totalmente desconhecida. Ao mesmo tempo em que a situação era desconcertante, era proveitoso, pois poderia analisar sua estratégia. Sua adversária era uma garota próxima de seus quatorze anos. Seus cabelos eram longos e dourados, batendo-lhe na altura da cintura. Seus olhos possuíam uma tonalidade verde claro que faiscava debaixo do forte sol daquele dia. Trajava uma camisa simples, de cor salmão e um par de calças brancas. Uma pulseira de metal encontrava-se firmemente atada ao seu pulso. Ao ver que os dois treinadores se aproximavam, a juíza prontamente se adiantou para recebê-los.

- Treinadores, queiram chamar seus pokémons. – Pediu a juíza, despreocupada.

- Mostre sua força a eles, Skorupi! – Requisitou a garota, lançando a pokéball deste para cima.

Saindo de dentro do objeto, um escorpião roxo pálido. Na ponta de seus braços, os quais eram anexados a própria cabeça do pokémon, havia um par de ferrões curvados para frente. Uma longa cauda se originava do abdômen e terminava em um par de garras. Duas presas encontravam-se nas laterais da sua boca. Olhando para o pequeno artrópode, David pegou sua pokédex e apontou para a imagem deste.


- Skorupi, o pokémon escorpião. Ele vive em áreas áridas ou pântanos. Como método de caça, ele usa sua cauda para agarrar o oponente enquanto injeta um veneno selvagem. Pode passar até um ano sem se alimentar.Informou o objeto, descrevendo as características básicas do oponente.

Enquanto isto, o treinador continuava a encarar o pokémon de sua adversária calmamente. Passou-se quase um minuto, antes que ele tornasse a falar algo.

- Smoochum, deixo isto com você. – Falou o adolescente, deixando a pequena criatura saltar de seu colo para o campo de batalha.

- Podem começar! – Decretou a juíza, um tanto calma.

- Skorupi, use Poison Jab! – Comandou a treinadora, dando o primeiro passo.

- Evasiva. – Sussurrou o garoto, em um tom gélido.

Um brilho arroxeado tomou conta dos ferrões do pokémon escorpião enquanto este avançava em direção de sua adversária. Em resposta, Smoochum lançou-se para o lado com um hábil salto, desviando facilmente do golpe de seu oponente.


- Muito lento. – Observou o jovem, com um ar de desprezo.

- Cale-se! – Falou a garota, rebeldemente, sentimento o qual parecia ser compartilhado por seu parceiro. – Skorupi, use Pin Missile!

- Double Team. – Suspirou o treinador, dando de ombros.

Um brilho branco tomou conta dos ferrões nos braços do pequeno artrópode enquanto ele disparava múltiplos e longos espinhos em direção à sua oponente. Prontamente, Smoochum deixou seu corpo começar a brilhar, criando várias cópias de si mesma após isto. Os espinhos começaram então a atingir alguns dos clones da sua adversária, mas após o termino do ataque ainda existiam algumas dezenas de cópias.


- Precisa melhorar. – Reparou o jovem, calmo como sua pokémon.

- Use Twineedle! – Comandou a treinadora, sem se importar com o comentário de seu adversário.

- Smoochum, Attract! – Disse o adolescente, evidentemente despreocupado.

Apontando seus ferrões na direção de sua oponente, Skorupi lançou-se sobre as cópias do pequeno ser humanóide com incrível determinação. Todavia, antes que conseguisse atacar foi impedido por múltiplos corações rosa que foram disparados por Smoochum quando esta piscou. Estes então começaram a rodear o corpo do pokémon escorpião freneticamente, antes que se atirassem sobre o corpo deste. Um brilho rosa tomou conta de Skorupi e, ao desfazer-se, o pequeno artrópode havia caído sobre o feitiço de Smoochum.


- Quer um conselho? – Perguntou o jovem, retoricamente. – É melhor desistir antes que você e seu pokémon se machuquem.

- Calado! – Gritou a garota, perdendo a calma de vez. – Skorupi, use Poison Tail!

- Idiota. – Falou o treinador, virando-se de costas. – Smoochum, termine isso com Shadow Vortex*.

Sentindo a mesma ira que sua treinadora, o pokémon escorpião lançou-se em direção a sua adversária enquanto lançava sua cauda, tomada por uma coloração arroxeada, a frente de seu corpo com o intuito de acertá-la. Smoochum, entretanto, não parecia estar assustada e começava a se concentrar. Em instantes, uma aura sombria começou a se desprender de seu corpo e formar um vórtice de águas escuras ao redor de si e Skorupi. O pequeno artrópode, ao ver tamanha energia, parou, assustado. Enquanto isto, a aura sombria continuava a ser desprendida do corpo da pokémon com maior intensidade, aumentando a velocidade do tornado que se formara ao redor deles. Finalizando a batalha, Smoochum levantou seu braço, liberando uma onda de vento que carregava cristais de gelo negro. Sem ter como reagir, Skorupi foi atingido pela tempestade e jogado para trás, batendo contra o peito de sua treinadora. Todavia, este foi só o começo, pois o vórtex de água se lançou sobre os dois, atirando-os com força vários metros para longe da arena. A pulseira de metal que antes repousava sobre o pulso da garota agora se encontrava destruída ao seu lado. Vários cortes, alguns leves e outros profundos, encontravam-se espalhados por todo o corpo da treinadora derrotada. Ao constatar que a batalha terminara, Smoochum lançou-se de volta ao colo de seu treinador, sorrindo calmamente.

- Eu avisei. – Disse o jovem, com um sorriso frio em seu rosto.

- Skorupi está fora de combate! A vitória vai para Smoochum e Reize! – Declarou a juíza, pálida, mas mantendo sua compostura.

- Mas é claro. – Falou Reize, em um tom de desprezo por sua adversária. Seguindo-se a isto, virou para a guerreira mais próxima do campo. - Ela irá precisar de tratamento médico. Sugiro que a levem o mais cedo possível para uma enfermaria. – Disse referindo-se a sua adversária.

- Certo. – Gaguejou a juíza, desabando sobre os joelhos, tamanho era o medo que sentia. – Preciso de auxílio aqui! – Gritou, chamando por ajuda.

Fiquei sem reação após o fim da batalha. Não pelo estado em que a treinadora se encontrava, o que já era calculável mediante a atitude do garoto, mas sim pelo último ataque executado por Smoochum. Aquele tipo de ataque só poderia ser aprendido por Joushadoe e pokémons do tipo Shadow.

- Reize... – Sussurrei, em um tom frio. O nome era acompanhado por um gosto amargo pior do que qualquer outro que eu já sentira até aquele momento. – Como você pode fazer isso? – Perguntei mentalmente, sendo tomado por uma raiva crescente pelo que o garoto havia feito. – Usar um Shadow Pokémon...

- Esse cara é bem forte, não? – Falou alegremente uma voz conhecida, atrás de mim.

Virei minha cabeça para trás a tempo de ver David com os braços cruzados atrás da cabeça e sorrindo de uma forma travessa. Ao seu lado, encontrava-se Takuto, que se mostrava bem mais calmo do que o primeiro.


- Pelo visto, ele aceitou em vir para cá com você. – Comentei, tornando a ficar calmo.

- É corajoso! – Falou Ussei, em um tom de ironia.

- Diferentemente de você, sou mesmo. – Retrucou Takuto, não tendo gostado do comentário. – Pensei que você ia batalhar nesse torneio. – Falou, referindo-se a mim.

Em instantes, todas as atenções do grupo estavam viradas para mim. A maioria possuía olhares surpresos e animados, exceto por Mary, Ragna e Tamazarashi, que se mostravam apenas calmos. Suspirei um pouco antes de responder.


- Batalhas eu posso fazer a qualquer momento. – Comentei, sorrindo calmamente. – Agora, um triátlon é algo que não se encontra todo o dia.

- Espera! – Disse David, quase gritando. – Vocês já se conhecem?! – Perguntou, em um misto de choque e espanto.

- É o que parece. – Observei, dando de ombros enquanto fechava os olhos.

Deixei-me levar por meus pensamentos enquanto os outros conversavam amigavelmente. Passaram-se alguns minutos antes que uma nova comoção tomasse conta do grupo. Abri os olhos só para constatar que David era chamado para sua batalha.


- Yahoo! – Comemorou o treinador, socando o ar animadamente. – Finalmente chegou a minha vez!

- Faça o seu melhor. – Instruiu Ussei, surpreendentemente compreensível. – Por que aí quando perder não vai ficar insatisfeito! – Ironizou, rindo um pouco após isso.

- O que você quer dizer com isso?! – Indagou David, enraivecendo-se.

- É exatamente o que você ouviu. – Falou o coordenador, em um tom desafiador.

- Shinx... Pode fazer as honras? – Perguntei, olhando calmamente aquela cena.

Sem se alterar, o pequeno pokémon raio desvencilhou-se do colo de Mary e lançou-se para cima em um pulo, ganhando uma boa altura. Em seguida, uma rajada de eletricidade atingiu ambos os jovens, atordoando-os.


- Por que sobrou para mim?! – Inquiriu Ussei, caído no chão.

- Você começou tudo isso. – Expliquei, dando de ombros. Olhei em seguida para David, que se levantava lentamente. – É melhor você correr. Sua batalha já vai começar.

- Certo! – Disse o treinador, lançando-se em uma corrida desesperada para o campo de batalha.

Tornei a olhar para a televisão, especificamente para a foto do adversário dele. Era um adolescente por volta de seus quatorze anos. Sua pele era levemente bronzeada. Seus cabelos eram negros e bagunçados, despencando-lhe por cima de um de seus olhos dourados. Usava um piercing simples e prateado em uma das orelhas. Trajava uma camisa simples, de coloração verde-musgo, e um par de bermudas cor de areia. Usava chinelos esverdeados. A batalha seria feita sobre o campo de grama, local o qual os treinadores já se encontravam posicionados. Percebendo isto, a juíza prontamente se aproximou da dupla, que esperava pacientemente por esta.


- Treinadores, chamem seus pokémons! – Ordenou a juíza, com uma voz eloquente.

- Vamos vencer, Axew! – Exclamou David, confiante enquanto lançava a pokéball.

- É com você, Karrablast! – Falou o outro, em um tom seco.

Em instantes, dois pokémons apareceram sobre o campo. O primeiro deles era o pequeno dragão que David capturara no dia anterior. O segundo era um inseto bípede e de corpo circular. Uma carapaça azul e amarela cobria grande parte de seu rosto e chifre. Sua face era primariamente negra, com um meio círculo de cor ciano sobre sua testa. Dois caninos escapavam por baixo de seus lábios superiores. Seus olhos possuíam pupilas laranja e esclera amareladas. Um par de pernas e outro de braços curtos negros davam fim a sua fisionomia. Percebendo que nenhum dos pokémons precisava de cuidados prévios, a juíza logo deu comando para que os treinadores começassem sua batalha.


- Vamos dar o primeiro movimento, Axew! – Exclamou David, procurando começar logo com vantagem – Use Iron Tail!

- Karrablast, evasiva e Swagger! – Comandou o jovem, calmo.

Um brilho metálico tomou conta da cauda do pequeno dragão enquanto este avançava pelo campo. Há poucos metros do seu adversário, o pokémon saltou e lançou sua cauda na direção de Karrablast. Este, ao seu turno, lançou-se para o lado, desviando facilmente do ataque adversário. Em seguida, o besouro azul cruzou os braços sobre o peito, fazendo uma expressão intimidadora com sua face enquanto uma aura avermelhada se desprendia de seu corpo. Instantes após olhar para isso, os olhos de Axew foram tomados por um brilho de mesma cor, deixando o pokémon confuso, mas mais forte.


- Não vamos nos intimidar com isto! – Declarou David, tentando ao mesmo tempo recobrar os sentidos de seu parceiro. – Axew, use Dragon Rage!

- Double Team! – Exclamou o adversário, sorrindo confiantemente.

Abrindo sua boca, o pequeno réptil lançou uma poderosa rajada azul e preta. Poucos instantes após ser disparada, a torrente de fogo transformou-se em um enorme e esguio dragão, que avançava sem temor pelo campo. Respondendo a isto, Karrablast deixou-se envolver por um forte brilho. Instantes depois várias cópias do pokémon inseto começaram a aparecer pelo campo aleatoriamente. Todavia, nenhuma delas acabou por ser destruída, pois o ataque do dragão esverdeado acabou por passar alguns metros acima de onde elas se posicionavam, errando o alvo.


- Agora, Karrablast, use Horn Attack! – Falou o oponente, com um ar de quem já venceu.

Desfazendo-se de suas cópias, o pokémon inseto deixou seu chifre ser tomado por uma luz prateada avançava na direção de Axew em grande velocidade. Ainda estando confuso, o lagarto esverdeado não conseguiu desviar e acabou por ser atingido, sendo lançado alguns metros para trás.


- Continue com Megahorn! – Disse o jovem concorrente, sentindo-se superior.

- Axew, levante-se e use Razor Wind! – Exclamou David, que apesar da situação continuava sorrindo. Estava realmente gostando da sensação de enfrentar um bom desafio.

Mais uma vez, o chifre de Karrablast foi envolto por uma luz, sendo a desta vez vermelha. Em seguida, o pequeno inseto lançou-se em direção à seu adversário. Ouvindo seu treinador, o pokémon dragão logo tratou de se levantar. Suas presas então foram tomadas por um forte brilho e, ao movimentá-las lançou duas grandes lâminas de vento. Entretanto, pouco após as lâminas terem sido lançadas, atingiram o chão a sua frente, lançando o pokémon em direção aos céus, fazendo-o desviar do ataque adversário e recobrar os sentidos.


- Isso! – Comemorou o treinador, feliz pela recuperação de seu companheiro. – Agora que não temos mais de lidar com essa confusão... Use Aerial Ace! – Exclamou, animado.

- Karrablast, use o Endure! – Falou o adversário, já calculando o provável dano que seria feito.

Ajeitando a sua postura, o pequeno dragão fez com que seu corpo ficasse exatamente sobre onde o besouro azul encontrava-se. Dando sequência a este movimento, Axew lançou-se em queda livre, envolto por várias estrias brancas. Procurando responder a altura disto, Karrablast baixou sua cabeça de modo que seu chifre ficasse sobre o corpo do pokémon réptil. Após receber todo o dano proveniente do ataque de seu adversário, o pequeno inseto usou seu chifre para lançar Axew para trás, resistindo por pouco ao dano do ataque. O dragão esverdeado conseguiu então, de alguma maneira, pousar de pé sobre a relva, minimizando qualquer dano que tenha sido infligido a si por causa do último golpe.


- Vamos vencer isto, Axew! – Exclamou David, confiante. – Use Dragon Pulse!

- Karrablast, Energy Ball! – Ordenou o treinador adversário, demonstrando um pouco de preocupação.

Abrindo sua boca, o pokémon dragão começou a criar uma esfera de coloração turquesa. Após esta terminar de ter sido carregada, o réptil verde disparou-a em direção ao seu adversário. Tentando revidar o movimento de seu oponente, Karrablast juntou seus braços em frente ao seu corpo e começou a carregar em meio a eles um pequeno globo de energia verde. Ao ver que esta chegara ao tamanho desejado, o pokémon inseto moveu seus braços para frente, consequentemente lançando a esfera também. Uma grande explosão ocorreu quando os golpes se chocaram, liberando uma extensa camada de fumaça negra.


- Vamos aproveitar isso, Karrablast! – Exclamou o treinador deste, vendo uma chance de ataque. – Use Megahorn!

- Axew, Dig! – Sussurrou David, de modo que apenas o pokémon pudesse ouvi-lo.

Uma luz avermelhada começou a ser emanada do chifre existente sobre a cabeça do besouro azul enquanto este avançava ferozmente para dentro da cortina de fumaça. Todavia, quando passou pela neblina que ali existia, só encontrou o treinador do pokémon adversário e um buraco de pequeno raio a sua frente.


- Mas o que?! – Gritou o adversário, confuso com a situação que ali acontecia.

- Agora! – Exclamou David, sorrindo majestosamente. – Dragon Rage!

Uma enorme labareda negra e azul rompeu do solo sob Karrablast, engolindo-o por inteiro. Consequentemente as chamas tornaram-se um pilar, aumentando significativamente sua força e calor. Passados alguns instantes, o fogo finalmente dissipou-se, revelando que o alvo de Axew encontrava-se nocauteado.


- Karrablast está fora de combate! – Anunciou a juíza, calma. – A vitória vai para Axew e David!

- Yahoo! Ganhamos! – Comemorou o treinador, socando o ar.

Sorri um pouco à medida que a cena se desenrolava. Era um pouco extravagante a maneira com que o adolescente comemorava sua vitória, mas também divertida. Fechei os olhos e comecei a pensar, sem mais necessidade de assistir a batalha.


- Até que ele foi bem, não? – Comentou Jack, dando de ombros.

- Apesar de ter vencido, fez algumas bobagens lá. – Disse Ragna, sorrindo sossegado.

- Quem nunca fez que atire a primeira pedra. – Defendeu Takuto, utilizando-se de um tom sério.

Com este assunto em mente, o grupo novamente começou a conversar, contando os erros que haviam feito no passado e rindo deles. Não dei muita bola e continuei a refletir sobre o que acontecera nos últimos dias. Não sabia o porquê, mas acabei lembrando-me de Kyurem e seu estado atual. Sua atual condição era alarmante, pois, para mal poder se mover deveria ter sofrido um grave dano. Parei de pensar quando David reapareceu, sorrindo.


- E aí, o que vocês acharam? – Perguntou David, ansioso por saber a opinião dos outros.

- Você foi bem. – Elogiou May, sorrindo calmamente.

- Mas fez algumas coisas erradas. – Apontou Jack, olhando seriamente para o treinador mais jovem.

Após ter ouvido isso, David começou a perguntar sobre o que havia feito de errado. Os outros, gentilmente, começaram a responder e dar dicas sobre como circundar os problemas apresentados. Alguns minutos se passaram enquanto eles conversavam amigavelmente. Porém, tudo logo parou quando Ussei foi chamado para fazer a sua batalha.


Até que enfim. – Falou o coordenador, cansado da espera. – Vou poder mostrar todo o meu poder.

[Continua no Próximo Capítulo]

Prévia do Próximo Capítulo: Primeiramente, olá para todos. Aqui quem fala é Takuto. E no próximo capítulo Ussei finalmente irá ter sua batalha, mas essa se mostra mais difícil do que o imaginado quando o seu adversário utiliza-se de um forte pokémon. Será que ele poderá vencer? Não percam: Os Requisitos de um Coordenador.

Eventos Principais:
  • O nome do jovem desconhecido é revelado: Reize
  • Smoochum revela-se como sendo uma Shadow Pokémon.
  • Reize avança para o próximo round.
  • David avança para o próximo round.
  • A batalha de Ussei é anunciada.


Notas Especiais:
Shadow Vortex: Utilizando-se de sua aura sombria, o usuário deste ataque lança um enorme redemoinho de gelo, causando danos severos em seu oponente. Versão mais poderosa do movimento Shadow Wave.


Última edição por DarkZoroark em Sab 10 Mar 2012 - 23:18, editado 1 vez(es)
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Sab 10 Mar 2012 - 14:28

Oi!

A descrição e narração mantem os padrões do último cap. então nem preciso falar que estão acima da média.

Só acho estranho a introdução de fakemon e golpes de fakedex. É mais por gosto mesmo, não me sinto a vontade com essa ideia e preciso procurar no google pelos fakemon. Mas é pessoal, outros provavelmente terão opiniões diferentes.

É isso! Mantenha o bom ritmo em que a fic encontra.
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Kurosaki Mud em Dom 11 Mar 2012 - 12:53

Oi DZ.

Mals pela demora, como te expliquei, estava sem tempo. O capítulo foi muito bom, o Skorupi e a Smoochum foram ótimas escolhas de luta, são Pokémons versáteis que não são lembrados com tanta facilidade.

Bem, a fic é realmente ótima. Organização desigual, nunca vi uma fic tão organizada quanto a sua, sério, coloca explicações, notas, separa o capítulos dos termos, a que mais se aproximou a sua foi a do Pikato, mas ele confundia um pouco às vezes.

Erros: Sim, achei um da nossa amiga N.O. ou seja, nova ortografia. humanoide perdeu o acento. Fora isso, não notei nada.

Espero o próximo, mals pela demora o/
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Hyurem em Seg 12 Mar 2012 - 18:21

Olá, DZ!

Bom não há muito o que comentar. Suas narração e descrição continuam impecáveis, e as batalhas são narradas da melhor maneira possível. Parabéns!

Só notei o seguinte erro, no último parágrafo:
Até que enfim. – Falou o coordenador, cansado da espera. – Vou poder mostrar todo o meu poder.
Onde está o travessão, amigo?

Falei o que tinha pra falar. Até mais e continue assim!
avatar
Hyurem
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/08/2011

Frase pessoal : O Tempo é precioso, imutável e irrecuperável


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Seg 12 Mar 2012 - 22:26

Boa noite a todos os leitores. Trago mais um capítulo desta fanfic. Porém, antes, devo avisar que no final do capítulo tive que dar um pulo no tempo. Mais explicações ao final deste. Antes de tudo, vamos aos comments.

roberto13: Oi! Eu sei que é meio estranho as fakédex, então irei fazer-lhe uma pergunta. Quer que eu coloque o link delas no main post da fic? Pode estar certo de que manterei esse ritmo. Espero que gostes deste cap.

Mud: o/ Não precisa se desculpar. Todos nós temos alguns momentos em que não possuímos muito tempo. Really? Shocked Smoochum eu até sabia que não é muito usada, mas Skorupi me surpreendeu. Obrigado pelos elogios. Acho que mantê-la organizada assim torna-a mais bonita, não? Quanto ao humanoide, irei levar um tempo para me acostumar. Espero que goste deste capítulo.

Hyurem: Hyu o/ Obrigado pelos elogios. lol affraid não havia visto esse erro. Pode deixar que depois eu arrumo Obrigado por apontá-lo e continue a fazê-lo caso encontre mais. Espero que este capítulo atenda as suas espectativas.

Agora, sem mais delongas, vamos ao capítulo.

Os Requisitos de um Coordenador


- Boa sorte. – Desejou Mary, sorrindo inocentemente para o coordenador.

- Que seja. – Respondeu Ussei, virando-se para se dirigir ao portão de acesso.

Abri as pálpebras e fitei a tela da TV, procurando sabe quem iria batalhar com ele. Era um garoto por volta de seus dez ou onze anos, o que era difícil de julgar devido à sua altura. Seus cabelos eram escovados para trás e era, sobretudo, de cor dourada, com luzes de coloração azulada. Cada um de seus olhos possuía uma coloração diferente, sendo o esquerdo verde-musgo e o direito azul marinho. Isto sugeria que o treinador sofria de uma doença heterocromática. Seu nariz era ligeiramente longo e estreito, quase se encostando à boca do rapaz. Trajava uma camisa púrpura de manga comprida, com dois meio círculos vermelho nos braços da camisa. Uma ilustração de um Dragonite erguendo vôo estampava o centro da vestimenta. Usava sobre esta um casaco de couro bege sem mangas. Suas calças eram surradas e de cor preta. Seus tênis eram azuis e brancos, sendo de um modelo esportivo. A batalha seria feita sobre o campo de água, para onde os adolescentes já se dirigiam. Percebendo isto, a juíza prontamente se adiantou para recebê-los e dar início à batalha.


- Treinadores, liberem seus pokémons. – Pediu a juíza, em um tom relativamente rouco. Pelo visto, o demasiado número de batalhas que estavam acontecendo começavam a cobrar seu custo.

- Tangela, mostre sua força! – Disse o coordenador, lançando uma pokéball para cima.

- Aquava, é com você! – Exclamou o outro, chamando seu pokémon.

Em instantes, dois pokémons com fisionomias completamente diferentes apareceram sobre o campo de batalha. O primeiro era um emaranhado de densas vinhas azuis que lhe revestiam o corpo, deixando apenas os seus olhos à vista. Graças a isto, o seu corpo possuía um formato arredondado. Possuía dois pés vermelhos, pequenos e ovais sob seu corpo. O outro era um peixe de coloração de tamanho mediano, tendo entre nove e dez centímetros. Suas escamas exibiam uma coloração vermelha na parte superior de seu corpo e branca na inferior. Suas nadadeiras, barbatana dorsal e cauda eram revestidas por longos e afiados espinhos. Suas bochechas eram grandes e arredondadas. Vendo este pokémon, puxei a pokédex do bolso e apontei para a imagem dele, buscando por mais informações.


- Aquava, o pokémon peixe escorpião. Os espinhos em seu corpo são duros e maleáveis, servindo tanto como proteção quanto ataque. A partir destes, ele pode secretar pequenas quantidades de veneno. No mar, é encontrado sempre em grandes cardumes.Informou o objeto, em tom indiferente.

- Isso pode vir a ser muito interessante. – Comentou Ragna, olhando a cena de uma maneira tanto curiosa quanto analítica.

- Explique-se. – Pediu Jack, cruzando os braços sobre o peito.

- Apesar de Tangela ter a vantagem tratando-se de tipo, o ambiente proporciona um melhor rendimento à Aquava, o que pode dificultar as coisas para Ussei. – Esclareceu o primeiro, com um sorriso de satisfação em seu rosto.

Enquanto isto, a juíza que arbitraria a partida entre os jovens fazia as últimas inspeções para saber se nenhum dos pokémons precisaria de alguma maneira de tratamento antes de batalhar. Após constatar que não havia necessidade, a guerreira deu sinal para que começassem a batalhar.


- Vamos começar esse show! – Falou o adversário, confiante. – Use Tail Slap!

- Interessante, mas inútil. – Repreendeu o coordenador, dando um riso desdenhoso após o fim da frase. – Tangela, Substitute!

Ouvindo ao comando de seu treinador, o peixe vermelho lançou-se em um nado vertiginoso na direção de seu adversário. Pouco antes de atingir a plataforma, Aquava atirou-se aos céus e girou seu corpo, de modo que sua cauda ficasse exatamente sobre o pokémon vinha. Este, entretanto, moveu-se rapidamente para trás, criando um clone idêntico a ele. Ao atingir este, o escorpião marinho foi rebatido para trás enquanto a cópia se desfazia completamente.


- Agora, use Mega Drain! – Exclamou Ussei, percebendo a chance para atacar.

Percebendo o deslize de seu adversário, Tangela deixou seus olhos serem tomados por uma luz de tonalidade amarela. Seguindo-se a isto, um furacão de energia verde escura desprendeu-se do corpo do pokémon vinha, atingido rapidamente o peixe vermelho. Ao acertar o oponente, o raio mudou de cor, ficando rubro. Após alguns segundos, Aquava foi liberto do tornado, enquanto este retornava para o usuário. O corpo de Tangela foi então acometido por uma luz branca, que curou todos os ferimentos existentes.


- Você até que é bom. – Elogiou o adversário, que, apesar da clara desvantagem, continuava a sorrir. Isto deu tempo para que seu pokémon submergisse. – Mas não o suficiente. Aquava, use Whirlpool!

Por alguns instantes nada ocorreu. Porém, logo as águas começaram a se agitar e chocarem-se contra as plataformas, movimentando estas de um lado para o outro. Sem reação, Tangela só pode observar enquanto um turbilhão se abria abaixo de sua plataforma e se expandia cada vez mais. Logo, a plataforma começou a ser engolida pelas águas, afundando lentamente em direção ás profundezas.


- Droga! – Exclamou Ussei, descontente com a situação na qual se encontrava. – Tangela, pule para o suporte mais próximo!

- Caiu! – Falou o adversário, esboçando um leve e sinistro sorriso. – Aquava, use Iron Tail!

Pressentindo o perigo existente, Tangela flexionou seus pés e lançou-se em direção à outra plataforma. Todavia, estando a meio caminho desta, foi impedido pelo pokémon peixe, que projetou-se para fora da água, acabando com o redemoinho. Seguindo-se a isto, sua cauda foi tomada por um brilho de tonalidade metálica e foi usada para atingir o adversário, lançando-o de encontro com as águas. Feito isso, Aquava tornou a mergulhar.


- Continue com Slash! – Exclamou o adversário, dando continuidade à sequência de movimentos já feita.

- Vamos detê-los, Tangela! – Falou Ussei, determinado a proteger seu pokémon. – Use Confusion!

Erguendo sua barbatana dorsal sobre o nível das águas, o escorpião das profundezas lançou-se em direção à seu competidor com grande velocidade e deixando uma linha luminosa por onde sua nadadeira passava. Respondendo a isto, Tangela fechou seus olhos e lançou um raio de energia azul na direção de seu oponente, o atingido e cancelando seu golpe.


- Agora, use Stun Spore! – Disse o coordenador, tentando melhorar a situação para o seu lado.

- Mergulhe, Aquava! – Exprimiu o oponente, preocupado com o seu pokémon.

Ouvindo ao comando de seu parceiro, Tangela saltou em direção ao céu. Em seguida, começou a girar, liberando ondas de um pó laranja. Pressentindo perigo, o pequeno peixe tratou de mergulhar, esquivando-se do ataque oponente.


- Nesse caso, vamos criar um bombardeio e forçá-lo a sair! – Exclamou Ussei, sorrindo funestamente. – Use Seed Bomb!

- Essa não! – Gritou o treinador, deixando com que uma gota de suor escorresse por sua testa.

Aproveitando-se do fato que ainda se encontrava em pleno ar, Tangela criou uma esfera brilhante em frente ao seu corpo. Após alguns instantes, múltiplos globos de energia começaram a serem disparados do original, afundando rapidamente em meio ás águas. Seguindo-se a isto, múltiplas explosões começaram a ocorrer, agitando as águas. Tendo passado um minuto, as esferas cessaram de serem disparadas e Aquava emergiu das profundezas, nocauteado.


- Aquava está fora de combate! – Declarou a juíza, em um tom acomodado. – A vitória vai para Ussei e Tangela!

O coordenador nada fez para comemorar a vitória, a não ser pigarrear e sorrir convencidamente. Em seguida, empunhando uma pokéball, retornou seu pokémon para dentro desta. Enquanto isso, David olhava para a cena de uma maneira que nunca antes eu havia visto. Quase analítica.

- Entendo. – Disse o treinador, estalando os dedos. – Ussei já sabia que Aquava iria mergulhar, por isso usou o Stun Spore primeiro! – Explicou, com uma inteligência ligeiramente maior a qual estávamos acostumados.

- Que seja. – Falou Ragna, dando de ombros. – Foi mais um desleixo por parte do adversário do que estratégia. – Comentou, sorrindo de maneira relativamente calma.

- O que significa isso? – Perguntou o primeiro, um tanto zangado por ter tido sua dedução contrariada.

- Ataques que funcionam por meio de esporos perdem seu efeito próximos a lugares de grande umidade ou nível de água acentuado. – Explicou o segundo, de modo descontraído. – Próximo a uma piscina as chances de que funcionasse era próxima de zero.

Enquanto pensava no que havia sido dito, David começou a andar de um lado para o outro freneticamente. Dei de ombros e continuei a olhar para o jovem, de uma maneira calma. Não demorou muito para que Ussei voltasse, cheio de si devido à sua vitória.

- Posso saber o porquê de ele estar assim? – Perguntou o coordenador, referindo-se a David.

- Acho que pensando. – Chutou Jack, suspirando de cansaço e impaciência. – Ou pelo menos se segurando para não ir ao banheiro.

- Se for o primeiro caso, pode ter certeza de que vai demorar. – Constatou Ussei, em seu habitual tom irônico.

- Eu posso tirar ele dessa. – Ofereci, me espreguiçando.

- Como? – Perguntou o coordenador, sem ter fé nessa possibilidade.

- David, tem panquecas. – Falei, de maneira despreocupada.

Ouvindo estas palavras, o treinador instantaneamente parou de se mover. Como se uma lâmpada houvesse sido acesa, os olhos do garoto receberam um brilho de fascínio. Em instantes, o jovem virava a face de um lado para o outro, procurando pelos alimentos.


- Onde estão as panquecas?! – Perguntou o jovem, impaciente.

- Não falei? – Comentei, encarando Ussei de maneira calma.

Uma onda de risos tomou conta do grupo, exceto por David, que parecia não entender o porquê disso. Passados alguns instantes, todos se silenciaram e passaram a assistir as últimas batalhas do primeiro round. Eventualmente chegou ao último duelo, entre dois jovens. O primeiro era um garoto de mais ou menos quatorze anos e de olhos castanhos. Seus cabelos eram de uma tonalidade azul escuro e formavam um topete na parte da frente. Trajava uma camisa de cor vermelha, com uma listra branca cruzando verticalmente seu peito. Usava um par de longas luvas negras e uma calça de mesma cor. Para completar, tinha um par de tênis esportivos das colorações branco e rubro. O seu oponente era mais jovem, tendo entre dez ou onze anos. Tinha longos cabelos roxos, amarrados em um rabo de cavalo atrás da cabeça. Uma cicatriz cruzava-lhe a bochecha esquerda de um lado ao outro. Trajava uma camisa amarela com o desenho de um guitarrista em preto. Usava calças jeans surradas e chinelos negros. Iriam batalhar sobre o campo rochoso, local onde os dois jovens já se encontravam. Percebendo isto, a juíza prontamente se adiantou para recebê-los.


- Treinadores, queiram libertar seus pokémons. – Pediu a juíza, em um tom agradecido. Julguei ser porque o primeiro round de batalhas estava por acabar.

- Vamos acabar com isso, Sudowoodo! – Exclamou o jovem de cabelos roxos, lançando sua pokéball.

- Não faz diferença. – Falou o outro, em um tom calmo. – Com esse pokémon, a vitória certamente brilhará para mim. Vai, Victini!

Em instantes, dois seres diferentes apareceram em campo, prontos para batalhar. O primeiro possuía um corpo marrom e em forma de tronco, com algumas marcas amarelas distribuídas por este. Suas pernas eram curtas e acabavam em pés ovais e sem dedos. Possuía três esferas verdes em cada mão. Sobre sua cabeça, havia um chifre em forma de “y”. O outro era um pequeno pokémon parecido com um roedor. Possuía longas e pontudas orelhas no formato de um “V”. Possuía dois olhos azuis e circulares, relativamente grandes em relação à sua cabeça. Sua cabeça era arredondada e, assim como os olhos, relevantemente maior que seu corpo. Seu pelo possuía uma coloração básica de creme, a não ser pelo topo de suas orelhas e extremidades, os quais eram laranja. Tinha três dedos em cada mão e dois em cada pé. Suas duas caudas no formato de asas davam-lhe a capacidade de voar. Vendo tais raros pokémons, David e Takuto sacaram suas pokédex, sendo a do segundo parecida com a de Jack.

- Sudowoodo, o pokémon imitação. É a forma evoluída do Bonsly. Ele se camufla como uma árvore para evitar ataques adversários. Apesar de se parecer com uma planta, seu corpo possuí mais características de uma rocha do que um vegetal. – Informou o objeto do primeiro, em um notório tom de indiferença.

- Victini, o pokémon da vitória. É dito que o treinador que o tenha como parceiro nunca irá perder uma partida, independentemente do tipo de adversários que encontrar. Ele pode criar um ilimitado suprimento de energia no interior de seu corpo, a qual ele pode dividir com aqueles nos quais toca. Possuí a habilidade de ficar invisível. Avisou o item, desligando-se logo após isto.

Enquanto isso, a juíza inspecionava a dupla de pokémons para saber se não iriam necessitar de um cuidado prévio. Também não pude deixar de notar que ela não conseguia desviar o olhar de Victini por muito tempo. Após perceber que não seria necessário nada de adicional, deu o comando para que a batalha começasse.

- Sudowoodo, use Rock Tomb! – Exclamou o treinador deste, dando o primeiro movimento.

- Victini, evasiva! – Falou o outro, sorrindo de um modo pacífico e sereno.

Com a mesma animação de seu treinador, o pokémon imitador ergueu seus braços sobre a cabeça. Seguindo-se a isso, uma enorme pedra criou-se entre eles, sendo jogada logo após isso em direção ao pequeno roedor. Prontamente, Victini girou para o lado em uma velocidade considerável e desviou do ataque, começando a rir levemente logo após isso.


- Se isto não funcionou, vamos tentar o Thunder Punch! – Comandou o adversário, incrédulo com a maneira com que o adversário se esquivou.

- Esquive-se novamente! – Disse o outro, dando de ombros.

Lançando-se em uma corrida na direção de seu adversário, Sudowoodo deixou que as esferas em um de seus braços fossem tomadas por um brilho amarelado enquanto faíscas rodeavam-nas. A seu tempo, Victini começou a bater suas caudas, levantando vôo e desviando facilmente do ataque adversário.


- Você quer fazer o favor de atacar?! – Perguntou o jovem oponente, enraivecido.

- Como queira. – Falou o segundo, atendendo a demando de seu adversário. – Use Fusion Flare!

Abrindo sua boca, o pokémon psíquico criou uma esfera de chamas vermelha, amarela e branca. Em instantes, dois anéis de fogo vermelho-amarelado nasceram ao redor do globo enquanto este crescia exponencialmente. Após a esfera atingir o tamanho desejado, Victini lançou sua cabeça para frente, consequentemente atirando o globo. Sudowoodo tentou desviar, mas não foi rápido o suficiente e acabou sendo atingido. Um brilho amarelo tomou conta do local antes que uma enorme explosão ocorresse. Um enorme tremor ocorreu na arena enquanto os rochedos próximos ao pokémon imitador desprendiam-se do chão e se desmanchavam. Quando a poeira baixou, revelou que o alvo continuava de pé, com os braços cruzados em frente a sua face. Ao ver isso, David lançou-se em direção à TV, atônito.


- Mas como? – Perguntou o jovem treinador, sem entender o que se passava.

- A habilidade dele, Sturdy. – Comentou Takuto, que assistia a batalha com atenção redobrada devido à presença de um lendário. – Quando um pokémon que possui essa habilidade é atingido por um ataque que iria nocauteá-lo, ele continua de pé, embora muito machucado – Explicou, em um tom frio.

Enquanto isso, Victini tornava a desviar de Sudowoodo, rindo após fazê-lo. Por fim, isto acabou por enfurecer o treinador da falsa árvore, que já se encontrava cansado de errar seus ataques.


- Já chega! – Gritou, completamente irado. – Use Hammer Arm!

- Inútil. – Comentou o outro, confiante. – Victini, Confusion!

Deixando com que ambos os seus braços fossem tomados por uma forte luz brilhante, Sudowoodo lançou-se em direção ao seu adversário, almejando atingi-lo. Prontamente, o pokémon roedor moveu suas mãos para frente, liberando um raio azul feito de pura energia. Sem ter como desviar, a falsa árvore acabou por ser atingida e atirada vários metros para trás, caindo nocauteado.


- Sudowoodo está fora de combate! – Falou a juíza, analisando atentamente a situação. – A vitória vai para Victini e Damian.

- Possuía alguma dúvida disso? – Perguntou o vencedor, retoricamente.

Após falar isto, o treinador retornou o pequeno roedor, que até o momento encontrava-se comemorando engraçadamente sua vitória, para dentro da pokéball. Finalmente o primeiro round encontrava-se encerrado. Para comemorar isso, Liza deu alguns minutos de descanso para todos antes que prosseguíssemos. Percebi que agora a sala se encontrava bem mais vazia, o que significava que os perdedores já saiam do vilarejo. Passado o intervalo, as batalhas tornaram a acontecer, só que dessa vez, mais intensas do que antes. Pelo jeito, após a batalha de Damian, os treinadores perceberam que não poderiam se conter se quisessem vencer. Todavia, mesmo assim, não conseguiram vencer David e os outros. Janine acabara por vencer todos os seus adversários usando apenas seus Ariados e Muk. Jack utilizou-se de Misdreavus, Sweetzel e Joushadoe para continuar avançando. Tamazarashi venceu usando apenas Murkrow e seu Spheal, o qual era relativamente forte. Pedro, de alguma maneira, conseguiu uma corrente de vitórias com o auxílio de Servine e Piplup. Mary conseguiu, de maneira exemplar, avançar pelas preliminares com Buneary e Pandeeba. Takuto e Reize conseguiram uma incrível cadeia de vitórias pelo uso de Darkrai e Smoochum, respectivamente. David conseguiu uma série de triunfos com o uso de todos os seus pokémons. Ussei continuou a vencer com o uso de Kingler e Tangela. Por fim, Damian continuou vencendo com a ajuda de seus parceiros Victini, Venonat e Zoroark. Assim foi indo por toda a tarde, até que...*


- Meus parabéns, pessoal. – Felicitei, deixando um calmo sorriso sair. – Com muito esforço chegaram ao último round das preliminares.

[Continua no próximo capítulo]

Prévia do Próximo Capítulo:
Olá á todos os meus fãs! Quem fala aqui é o David e agora as batalhas ficaram intensas. Não usaremos mais as arenas elementares, até porque foram completamente destruídas, e passamos a usar a principal. E em meio a isso, enfrentaremos os maiores desafios de todos até agora. Não percam isso e muito mais em Ultimo Round das Preliminares! As Artes do Veneno e das Trevas são Mostradas!

Eventos Principais:
  • Um novo rival é revelado: Damian.
  • David e os outros avançam para o ultimo round das preliminares.
  • Pedro e Reize também chegam ao último round das preliminares.
  • Damian revela ter um Victini, um Zoroark e um Venonat.
  • Tamazarashi revela ter um Spheal.
  • Janine revela ter um Muk.


Notas Especiais:
Desculpem pelo pulo no tempo, mas há um bom motivo para isto; aconteceriam muitos rounds (entre quatro ou cinco) nesse meio tempo, e para evitar que a fanfic ficasse como o anime Naruto, onde dezenas de episódios são usadas para nada, eu fiz isso. Desculpem-me quem gostaria de ver todas elas, mas logo irá começar as finais do torneio, portanto, aguardem!
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Sir Dracconildo - Dracco em Ter 13 Mar 2012 - 0:17

SANTO CRISTO, A FIC ESTÁ UM A-RR-A-SO! -q
Como vai, Dz? A quanto tempo, não? Cara, vi os capítulos que eu perdi e posso dizer com toda a certeza que estão muito melhores do que os primeiros, sua descrição melhorou muito mesmo, sua narração está mais envolvente e isso prende o leitor, muito bem, meu caro. Me Gusta
Depois dê uma passada na Extreme, quero que vc veja se eu melhorei um pouco na escrita.
Não vi muitos erros, nada de mais, sei que no próximo capítulo não encontrarei tantos. Pois confio na sua escrita, e uma correção imperceptível acontecerá mais cedo ou mais tarde. Até mais. Joinha
avatar
Sir Dracconildo - Dracco
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 22/06/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Ter 13 Mar 2012 - 19:12

Oi!

Por favor, faça isso e agradeço se o fizer.

Quanto a passagem de tempo, eu acho que fez o certo, não dá para fazer 3000 batalhas e perder tantos capítulos em que a história poderia movimentar.

Os elogios, nem preciso fazer, já sabe qual é a minha posição sobre a fic né.

É isso!
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Hyurem em Qua 14 Mar 2012 - 18:04

Hello!

Você fez be em dar este pulo no tempo. Realmente, iria demorar muito até acontecerem todas as batalhas e ficaria muito cansativo, tanto para você quanto para nós, leitores.

Sobre sua escrita, continua perfeita e não notei nenhum erro desta vez.
Mais nada a relatar:

Good-bye!
avatar
Hyurem
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 16/08/2011

Frase pessoal : O Tempo é precioso, imutável e irrecuperável


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por goldenias em Qua 14 Mar 2012 - 21:24

Bem. É a primeira vez que comento, apesar de estar acompanhando a fic desde o começo. Realmente você está fazendo um ótimo trabalho, seja na descrição, narração ou quanto a história, e, por isso gostaria de parabenizá-lo. Apesar desse ser meu primeiro comentário na fic, não poderia deixar de citar um ou outro erro, mesmo que sejam coisa mínima:
O outro era um peixe de coloração de tamanho mediano, tendo entre nove e dez centímetros. Suas escamas exibiam uma coloração vermelha...
Aqui a parte em negrito quebrou o sentido, acredito que seja devido a alguma correção que você tenha feito na ordem do texto, e tenha esquecido de apagar...
Tendo passado um minuto, as esferas cessaram de serem disparadas e...
creio que você "abusou" do gerúndio, acho que ficaria melhor assim:
Após um minuto, (ou até mesmo sem alterar essa parte) o Tangela cessou de disparar as esferas e...

Há alguns outros, mas, nenhum deles preocupantes, assim como esses não o são.

Well. Realmente acho que você está fazendo um ótimo trabalho. Continue assim.
avatar
goldenias
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/10/2010


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Dom 18 Mar 2012 - 12:17

Bom dia a todos. Desculpem pela demora em postar este capítulo, mas a verdade é que eu tinha uma página e meia do capítulo e resolvi reescrevê-lo, pois achei que encontrava-se ruim e distante do meu estilo de escrita. Sem mais delongas, vamos aos comentários:

Dracco: Vou bem. Acho que foram meses, não? Obrigado pelos elogios. Se encontrar erros neste capítulo, por favor cite-os, pois somente assim a fanfic continuara a evoluir. Espero que goste deste capítulo.

roberto13: Oi. Irei fazê-lo assim que terminar de postar esse cap e editar o main post. Obrigado por compreender o "pulo no tempo" e pelos elogios. Espero que este capítulo seja de seu agrado.

Hyurem: Hi! Obrigado por compreender. Realmente, iria ser muito desgastante, pois já estava ficando sem ideias para as batalhas. Obrigado pelo elogio. Espero que goste deste capítulo.

goldenias: Novo leitor!^^ (se usarmos vagamente este termo...) Obrigado pelos elogios. Não há problemas em ser seu primeiro comentário e você ter encontrado erros. Ao meu ver, só assim a fic continuará a evoluir. Quanto a descrição do Aquava, realmente, eu refiz pois estava ruim a princípio e acabei por esquecer de arrumar. Se encontrar erros, por favor reporte. Espero que goste deste novo capítulo.

Sem mais delongas, vamos ler o capítulo.

Último Round das Preliminares! As Artes do Veneno e das Trevas são Apresentadas!


- Alguma surpresa de que eu conseguiria? – Perguntou David, de modo pretensioso.

- Muitas, na verdade. – Confessei, reduzindo significativamente a moral do treinador.

- Francamente, quem, em santa consciência, usa um Flamethrower contra um Vulpix, sabendo que sua habilidade é Flash Fire? – Exemplificou Ussei, utilizando-se de uma entoação de incredibilidade.

- Não é justo. A culpa não foi minha. – Murmurou David, “chorando no cantinho”.

Enquanto Mary e Tamazarashi tentavam animar o treinador, tornei minha atenção para Chimchar e Zorua. A dupla parecia estar inquieta desde que Victini aparecera durante a manhã. Abaixei-me de modo a conseguir olhar eles face a face.


- Muito bem. – Suspirei, em um tom cansado. Em seguida, sorri de uma maneira calma e compreensível. – O que está acontecendo? – Perguntei, curioso.

- Chimchar. Chim, Chimchar. – Respondeu o pokémon macaco, desconcertado.

- Zoru! – Concordou o outro, movendo sua cabeça de maneira afirmativa.

- Entendo. É verdade que essa grande quantidade de pokémons lendários em um mesmo local não é muito comum. – Admiti, confirmando o que a dupla dissera. – Mas, não podemos esquecer que nós também possuímos nossos ases na manga. – Falei, esboçando um sorriso esperto. Percebendo do que eu falava, os dois concordaram com um aceno de cabeça.

- Atenção! – Exclamou uma voz conhecida atrás de mim, tentando silenciar os murmúrios que ocorriam.

Vir-me-ei para trás apenas para constatar o que eu já sabia; Liza encontrava-se falando nas televisões do salão. Ergui-me lentamente e andei para perto de David e os outros, procurando ouvir o que a adolescente queria.


- Em primeiro lugar, obrigada a todos por assistirem pacientemente a todas as batalhas que ocorreram até este momento. – Agradeceu Liza, quase como se desculpando. – Chegamos agora ao último turno de batalhas de hoje, visto que as finais aconteceram somente amanhã. – Informou a jovem, sorrindo calmamente.

- O quê?! – Gritou David, em um misto de surpresa, raiva e decepção. – Nem vem que eu vou... – Começou, já tentando contradizer o que fora dito.

Contudo, antes que o treinador prosseguisse com seu protesto eu interferi, acertando-lhe uma cotovelada entre as costelas. Percebendo que o adolescente iria dar um grito, prontamente tapei a sua boca com minha mão, abafando-o. Após o jovem ter se acalmado, removi o membro da face de David, o qual começou a arfar.

- Por que você fez isso?! – Perguntou o treinador, agoniando.

- Preferia o Scratch do Chimchar? – Retruquei, sussurrando de modo que apenas nós dois ouvíssemos.

Escutando ao revide, o garoto aquietou-se e passou a prestar atenção no que Liza falava. Percebendo o que havia ocorrido, o macaco de fogo riu um pouco, soltando pequenas labaredas pela sua boca.


-... E a partir deste momento os combates serão travados sobre o campo de batalha principal. – Falou a jovem senhorita, referindo-se ao local sobre o qual se encontrava posicionada. – Também poderão ser utilizados os movimentos de mudança climática, vendo que não irão mais interferir sobre outras disputas. – Adicionou, em um tom meigo. – Agora, sem mais delongas, vamos à primeira batalha, entre Janine e Carlos!

Após o término da frase, a fotografia de ambos os treinadores apareceu no telão. Percebendo isto, a líder cobriu nariz e boca com sua máscara e começou a correr em direção ao portão de acesso. Seu oponente possuía por volta de seus quinze anos. Seus cabelos brancos caiam por cima de um de seus olhos rubros. Trajava uma camisa violeta de mangas azuis, um par de bermudas cobalto e tênis de cor branca. Quando dei por mim, percebi que Janine e Carlos já se posicionavam sobre o campo de batalha, prontos para o embate que ali aconteceria.

- Por favor, chamem seus pokémons. – Pediu Liza, que, julgando pelo local onde se encontrava, seria a juíza das próximas batalhas.

- Pude perceber que você só usou pokémons do tipo poison*. – Constatou o jovem treinador, com um sorriso nos lábios. – Por esse motivo, escolhi este pokémon especialmente para derrotá-la! – Anunciou, excedendo em confiança.

- Que honra. – Alfinetou a jovem, lisonjeada. – Mas será suficiente?

- Você irá ver! Vamos lá! – Exclamou Carlos, lançando uma pokéball para frente.

Um pequeno ser primariamente azul de aproximadamente um metro e dez saiu de dentro do objeto alegremente. Haviam várias protuberâncias, cercadas por uma linha negra e possuindo a área central de cor ciano, posicionadas próximas a sua face e aos locais onde deveriam ser seus braços. Seu ventre era cor de creme. Possuía pés pequenos e uma cauda branca achatada. Vendo tal curioso pokémon, Mary ergueu sua pokédex e apontou na direção dele.


- Palpitoad, o pokémon vibração. É a forma evoluída do Tympole. Quando vibra os bulbos em sua cabeça, ele pode criar ondas na água ou pequenos tremores semelhantes a terremotos em terra. Utiliza-se de sua longa e pegajosa língua para capturar suas presas. – Explicou o objeto, em seu habitual tom metálico.

- O que quis dizer com “pequenos tremores”? – Perguntou David, em um misto de curiosidade e medo.

- É como um carro passando sobre um quebra-molas a cem quilômetros por hora. – Expliquei, sem desviar o olhar da batalha.

Ao mesmo tempo, Janine continuava a encarar o pokémon anfíbio de uma maneira calma e séria. Passados alguns instantes, a líder rapidamente pegou uma pokéball e lançou-a para o campo. Desta, saiu um ser cinza, com uma carapaça dura e semelhante a um pinéu. Vários espinhos projetavam-se para fora de seu casco. Vários anéis de um tom caresmim adornavam os segmentos de seu corpo, com duas extensões particularmente longas parecidas com chifres ou antenas, com faixas de coloração cinza escuro, bem como sua cauda. O interior de seu corpo possuía a mesma tonalidade. Possuía um grande par de olhos dourados. Procurando por mais informações deste, puxei a pokédex de dentro do bolso e apontei em sua direção.


- Whirlipede, o pokémon centípede enrolado. É a forma evoluída do Venipede. Protegido por uma resistente armadura, ele gira seu corpo como uma roda e colide violentamente contra seus oponentes.Informou o item, desligando-se logo em seguida.

Enquanto isso, Liza checava os dois seres que estavam em campo, procurando saber se nenhum deles precisaria de cuidados antes da disputa. Constatando que ambos encontravam-se bem fisicamente e descansados, a governanta anunciou o começo da batalha.


- Palpitoad, comece com Mud Shot! – Exclamou Carlos, começando a batalha de maneira agressiva.

- Bloqueie com Sludge Bomb! – Falou Janine, analisando a situação calmamente.

Saltando para cima, o pokémon vibração lançou sua para fora de sua boca e deixou que esta fosse tomada por um brilho dourado. Em seguida, começou a mover o membro de um lado para o outro, disparando múltiplas esferas de lama marrom na direção de seu adversário. Respondendo com a mesma seriedade de sua treinadora, Whirlipede começou a vibrar suas antenas para frente e para trás, criando uma esfera de lodo entre elas. Dando sequência a isto, o pokémon inseto começou a girar, disparando múltiplos globos venenosos na direção de Palpitoad. Estes colidiram com os que foram lançados pelo anfíbio azul, explodindo e liberando lama por todo o campo.


- Se não funcionou, vamos tentar atacar com Water Pulse! – Ordenou o jovem, com a mesma determinação de antes.

- Whirlipede, use Protect e depois Screech! – Comunicou a líder, de uma maneira fria.

Aproveitando-se que ainda estava pairando no ar, Palpitoad criou uma esfera azul de energia em frente à sua boca. Utilizando-se de sua língua, o pokémon vibração bateu no topo do globo, lançando este contra o chão. Após isto, uma enorme onda foi erguida, movimentando-se velozmente em direção ao seu adversário. Não tendo se impressionado com isto, Whirlipede deixou seu corpo ser envolto por um campo de energia turquesa, que o protegeu do ataque. Em seguida, o inseto encouraçado começou a vibrar suas antenas e guinchar em um volume ridiculamente alto, causando com que ondas sonoras alaranjadas fossem atingissem Palpitoad, fazendo-o recuar alguns metros.


- Tente parar isso com Hydro Pump! – Gritou Carlos, incerto de que seu parceiro ouviria.

- Use evasiva e depois Toxic! – Comandou Janine, relativamente despreocupada.

Utilizando-se da vibração criada por seus bulbos para parar momentaneamente o ataque oponente, o pokémon anfíbio lançou uma poderosa rajada de água em direção ao seu adversário. Percebendo isto, Whirlipede saltou para o lado, desviando facilmente do ataque adversário. Em seguida, centípede acinzentado atirou-se rolando na direção de Palpitoad. Pouco antes de atingi-lo com sua casca, o pokémon inseto pulou, revelando que sua cauda estava imersa por um brilho arroxeado. Ao pousar, ele atingiu o adversário com o membro, recuando velozmente para trás logo após. Um brilho púrpuro tomou conta do corpo do anfíbio azul, indicando que ele estava envenenado.


- Nós não iremos cair! – Declarou o adolescente, em um misto de raiva e determinação. – Use Mud Shot!

- Venoshock, Whirlipede! – Falou Janine, fechando os olhos.

Saltando para cima, Palpitoad lançou sua para fora de sua boca e deixou que esta fosse tomada por um brilho dourado. Em seguida, começou a mover o membro de um lado para o outro, disparando múltiplas esferas de lama marrom na direção de seu adversário. Demonstrando a mesma calma que sua treinadora, o pokémon centípede começou a girar no lugar e vibrar suas antenas. Em instantes, o par de membros disparou uma pequena descarga de eletricidade rosa metálica em direção ao seu adversário. Ao haver o choque entre os ataques, o relâmpago venenoso facilmente atravessou os globos de lama e atingiu Palpitoad, eletrocutando-o violentamente. Quando o pokémon caiu no chão, encontrava-se nocauteado.


- Palpitoad está fora de combate! – Julgou Liza, com um belo sorriso nos lábios. – Janine e Whirlipede avançam para a final!

Uma salva de palmas estourou no estádio para parabenizar a jovem líder por sua vitória. Sem nada falar, a garota pegou uma pokéball e apontou para seu pokémon, retornando-o para dentro dela. Ao mesmo tempo em que ela se retirava da arena, Jack se preparava para sua batalha, ansioso por vencer.

- Estou indo. – Falou o jovem, sério.

Pouco após ele ter saído do salão, duas fotografias apareceram na tela da TV, incluindo a de Jack. Isto significava que eles estavam sendo convocados para o estádio. O oponente do adolescente era uma garota de mais ou menos dezessete anos. Seus longos cabelos castanho-avermelhados encontravam-se presos firmemente do lado esquerdo de sua cabeça com uma delicada e bela fita azul. Dois pequenos brincos, brancos como pérolas, encontravam-se confortavelmente posicionados em suas orelhas. Trajava uma camisa sem mangas azul, uma saia curta negra e um par de saltos brancos. Percebendo que os dois treinadores se aproximavam do campo de batalha, Liza se adiantou para recebê-los.


- Treinadores, queiram lançar seus pokémons. – Pediu a governanta, com uma voz suave.

- Queime tudo, Torkoal! – Exclamou a jovem adversária, lançando uma pokéball para cima.

De dentro do objeto, apareceu uma pequena tartaruga de cor alaranjada. Sobre suas costas existia um grande e negro casco com “buracos” que brilhavam com um vermelho acalorado. Existiam faixas da mesma cor que sua concha ao redor de suas pernas e pescoço, o qual era relativamente longo. Seus olhos permaneciam fechados. Olhando para tal ser, Jack pegou sua pokédex e apontou em sua direção.


- Torkoal, o pokémon carvão. Ele cava pelas montanhas em busca de minerais. Se encontrar algum, coloca nos buracos de seu casco e os queima, gerando energia. Quando libera fumaça de suas narinas, Torkoal cria um som parecido com o de uma locomotiva.Explicou o item, de maneira robótica.

- É bem interessante. – Comentou Jack, com uma expressão surpresa em sua face. Em seguida, retirou uma pokéball de seu bolso. Esta, porém, era diferente das normais, tendo a área superior com uma coloração negra acinzentada e alguns “bulbos” azuis escuros. Era uma Heavy Ball. – Mas esse aqui é um peso pesado! – Exclamou, lançando o objeto para frente.

Em instantes, um grande ser semelhante a um dinossauro apareceu em campo, lançando um longo e intimidador rugido, criando uma série de ciclones de areia ao redor do campo de batalha. Uma armadura primariamente verde recobria grande parte de seu corpo. Vários espinhos sobressaíam-se da área posterior de sua cabeça, pescoço, ombros e ponta da cauda. A proteção que revestia seu corpo apresentava alguns pares de buracos em seus joelhos, costas e tórax. Uma estrutura similar a um losango azul cobria seu estômago. Fascinado com o ser que havia saído de dentro da pokéball, David sacou sua pokédex e apontou em sua direção, empolgado em saber mais sobre ele.


- Tyranitar, o pokémon armadura. Extremamente forte, ele pode facilmente alterar a paisagem. Possuí uma natureza insolente que o faz não se importar com os outros. Pode ser visto vagueando pelas montanhas em busca de novos adversários.Informou o objeto, desligando-se logo em seguida.

- Como ele conseguiu esse pokémon?! – Perguntou o jovem, atônito com isto.

- Jack saiu em jornada três anos atrás. – Expliquei, sem remover os olhos da televisão. – Levando-se em consideração este fato, não é surpresa que ele possua alguns pokémons bem poderosos.

Enquanto isso, Liza, que não deixava de demonstrar estar um tanto assustada com os tufões de areia, inspecionava a condição física dos pokémons em campo para verificar se eles não necessitariam de algum cuidado prévio. Percebendo que não haveria necessidade, a jovem deu comando para que a batalha começasse.

- Torkoal, comece com Flame Burst! – Exclamou a treinadora deste, confiante em sua vitória.

- Rasgue isso com Brick Break, Tyranitar! – Falou o jovem, de maneira calma.

Liberando um pouco de fumaça de suas narinas, o pokémon tartaruga criou uma esfera laranja com listras de chamas ao seu redor, disparando-a logo em seguida. Sorrindo de maneira convencida, o lagarto encouraçado simplesmente moveu seu braço para frente enquanto sua mão era tomada por um forte brilho. Ao atingir o globo de fogo, este foi desfeito facilmente, sem causar dano algum.


- Continue com Dragon Claw! – Disse Jack, alterando da defensiva para o ataque.

- Withdraw, rápido! – Exclamou a adversária, assustada com a força do pokémon de seu oponente.

Lançando-se em uma velocidade relativamente alta para um ser de sua altura e peso, Tyranitar moveu uma de suas mãos para frente, com suas garras brilhando em um belo tom turquesa. Assustando-se com isso, Torkoal escondeu-se rapidamente dentro de seu casco, enquanto esta brilhava em uma tonalidade vermelho cereja. Ao atingir seu adversário, o pokémon lagarto deixou riscos brancos por onde suas garras passavam, sem, no entanto, infligir dano ao seu oponente.


- Agora, use Smog! – Comandou a garota, percebendo uma chance de ataque.

- Tyranitar, Payback! – Dirigiu Jack, com um sorriso confiante em sua face.

Retirando sua cabeça de dentro do casco que o protegia, o jabuti de fogo lançou uma cortina de espessa fumaça cinza no rosto de seu adversário, fazendo este recuar alguns passos. No entanto, ao invés de sentir dor, o dinossauro encouraçado sorriu, flexionando os braços como prova de sua força. Em seguida, um anel de energia azul bebê foi criado ao redor de seu corpo, rodeando-o completamente. Ao mover os braços para frente, Tyranitar disparou o círculo contra Torkoal, lançando-o para trás. Contudo, quando o pokémon tartaruga iria sair de campo, um dos tufões de areia se pôs em sua frente, impulsionando-o de volta para o campo de batalha.


- Termine isso com Mega Punch! – Ordenou o treinador, de maneira calma e fria.

- Iron Defense! – Gritou a garota, desesperada para preservar a saúde física de seu parceiro.

Sem dar descanso para o seu competidor, o lagarto encouraçado deixou seu punho ser embebido por uma aura prateada enquanto movia-o para frente, determinado a atingi-lo. Prontamente, o jabuti de fogo retornou sua cabeça para dentro do casco enquanto este era tomado por um brilho metálico, tornando-se mais resistente. Um som de martelo atingindo metal ressoou quando a mão do pokémon dinossauro atingiu a concha de seu oponente. Passou-se algum tempo sem que nada acontecesse, até que Torkoal saiu de dentro do seu casco, machucado, mas ainda consciente.


- Está na hora de nosso trunfo. – Disse a adolescente, com um sorriso duvidoso em sua face. – Use Gyro Ball!

- Evasiva Tyranitar! – Exclamou Jack, sabendo o que aconteceria caso seu parceiro fosse atingido.

Guardando sua cabeça novamente para dentro de seu casco, o jabuti de fogo teve suas pernas tomadas por um brilho azul claro. Em seguida, começou a girar seus membros rapidamente e conseguiu, de alguma maneira, flutuar e pairar em pleno ar, lançando-se contra seu oponente logo após. O pokémon lagarto tentou desviar, mas devido a proximidade acabou por ser atingido e lançado metros para trás, machucando-se significativamente. Entretanto, após isso, tanto Jack quanto Tyranitar começaram a sorrir.


- Por que você está sorrindo? – Perguntou a adversária, em um misto de surpresa e curiosidade.

- Qual o motivo para eu não sorrir? – Rebateu o adolescente, de maneira displicente. – Você acabou de me dar a vitória.

- Como é?! – Gaguejou a moça, assustada com a revelação.

- Tyranitar, Payback! – Exclamou Jack, finalizando a batalha.

Um sorriso de satisfação apareceu nos lábios do pokémon dinossauro enquanto este flexionava os músculos de seus braços como prova de sua força. Em seguida, um anel de energia azul bebê foi criado ao redor de seu corpo, rodeando-o completamente. Ao mover os braços para frente, Tyranitar disparou o círculo contra o seu adversário, lançando-o para trás. Quando o pokémon tartaruga caiu no chão, encontrava-se nocauteado.


- Torkoal está fora de combate! – Anunciou Liza, entusiasmada ainda mais pelo fato de que os tufões de areia cessaram. – Jack e Tyranitar avançam para a final, onde irá enfrentar Janine!

Uma nova salva de palmas, ainda que um pouco mais silenciosa que a anterior, ecoou pelo estádio em comemoração à vitória do treinador. Sem falar mais nada, o adolescente simplesmente pegou sua Heavy Ball e retornou seu pokémon para dentro dela. Janine riu um pouco, divertindo-se com o fato de poder enfrentar um adversário poderoso nas finais. Ao mesmo tempo, um jovem, encontrando-se um pouco mais afastado do resto do grupo, sorria ansiosamente.

- Finalmente. – Falou Pedro, ansioso. – Só mais uma vitória e estarei nas finais!

[Continua no Próximo Capítulo]

Prévia do Próximo Capítulo:
Olá a todos. Quem fala é o Jack. Finalmente, chegou à vez de Tamazarashi batalhar, mas seu oponente é meu irmão. Apesar de não ser muito poderoso, ele parece estar guardando uma “carta na manga”, e isso pode acabar por prejudicar as chances do coordenador triunfar. Não percam isso e muito mais em Atacando pelo Subsolo! Pedro possuí uma estratégia?!

Eventos Principais:
  • Janine revela possuir um Whirlipede.
  • Janine avança para a final.
  • Jack revela ter um Tyranitar.
  • Jack avança para a final.
  • A primeira batalha das finais é anunciada: Jack Vs. Janine.


Notas Especiais:
Vou dar uma opção a vocês. Se quiserem, irei colocar o nome dos tipos de agora em diante em inglês, pois assim ficará mais organizada a fanfic.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum