Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Nós teremos o maior prazer em recebê-lo no fórum e se precisar de qualquer ajuda, temos muitos membros e nossa equipe para ajudá-lo! Lembrando que você pode postar sua fanfic, seus desenhos ou edição de imagens, seu vídeo-detonado ou gameplay, participar de um RPG, postar e ler notícias do mundo Pokémon, tirar todas as suas dúvidas sobre todos os jogos de Pokémon, comentar sobre o desenho do momento ou apenas jogar um papo fora. Além de fazer amigos!
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!

Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Página 2 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Sab 23 Jul 2011 - 3:18

Boa madrugada. Vamos aos comments:
Captain Fox: Olá cara. É, a batalha deles foi a que eu mais gostei de escrever até agora na fanfic. Espero que curta este cap.
Sailor: Realmente teve muitas batalhas, hehe. Espero que goste deste capítulo.
Vampires: Espero que goste da descrição deste capítulo também. Ele não tem tantas batalhas, mas deve estar bom também.
Michaelis: Mudasse de username? Legal. Tentei diminuir a repetição e melhorar a descrição. Se achar algum erro me informe. Penso que vais gostar deste capítulo.
Dracco: Concordo que dói os olhos o negrito, mas como o pessoal do fórum gosta assim... Espero que goste do capítulo.
MariChan: Misterioso eu sou, mas frio não. Eu sou solitário. Tem diferença. Espero que curta este capítulo.
Monfernogus: Segui suas dicas: Tirei a prévia e separei este capítulo em duas partes. O Word 2007 não apontou nenhum erro de gramática, mas se achar me diga. Espero que goste do capítulo

Vamos agora ao cap.

Dia de Capturas. Se inscrevendo para o Torneio. - Parte 1

- Mas que diabos são isso?! – Gritou Ussei, endiabrado por estar amarrado. - Por que nós estamos amarrados?!

- Está muito apertada. – Disse Mary, sem fôlego.

- Alguém me tira daqui! – Exclamou David, furioso enquanto se debatia inutilmente.

- Shinx, Thundershock. – Falei, um pouco incomodado pela atitude do treinador.

O pokémon elétrico em um salto liberou uma grande quantidade de eletricidade, atingindo David e eletrocutando-o. Como resultado ele parou de falar.


- Vocês calem a boca. Eu já estou pondo um plano em ação. – Ponderei, tentando fazer com que todos se silenciassem.

- Então acelera. Deste modo somos um alvo fácil para qualquer um. – Disse Jack, olhando para os lados.

Apanhei parte da corrente e puxei-a um pouco mais para frente, distanciando-a um pouco de mim e exercendo máxima tensão sobre os elos. Olhei então para Chimchar, que nos encarava aflito.

- Brick Break. – Falei, cerrando os olhos.

Em um movimento ágil o pokémon de fogo pulou e moveu sua mão para frente, em um feitio similar à de um golpe de caratê. Há alguns poucos centímetros da colisão estrias brancas nasceram ao redor do punho. Ao golpear os elos ouviu-se um estalo e imediatamente pode se ver aros voando, fragmentados. A pressão das correntes cedeu e estas caíram no chão, quase como se tivessem perdido a vida.

- Ufa! – Disse David, sentado. – Já estava começando a doer!

- Jamais pensei que ficaria tão feliz em poder movimentar os braços. – Comentou Ussei, sorrindo um pouco.

Todavia, tempo para descansar era algo da qual não usufruíamos. Novamente pude escutar o farfalhar de folhas. Desta vez, no entanto, era mais intenso, sinalizando que mais uma vez estaríamos em perigo.


- Que droga. Chimchar, Zorua, apanhem Shinx e vão para debaixo da terra. – Falei, já empunhando a adaga.

Os dois aliciaram com a cabeça e em um movimento ligeiro pegaram o pokémon raio, entrando em um buraco a seguir. Antes, porém, que eu pudesse avisar os outros novas, correntes surgiram de entre as moitas, amordaçando-os e levando-os para o meio da vegetação.


- Apareçam. Mostrem seus rostos e libertem meus amigos. – Falei, calmo apesar de furioso.

O farfalhar em meio aos arbustos começou outra vez. Depois de alguns segundos algumas mulheres saíram dos arbustos trazendo consigo David e os outros, acorrentados. Utilizavam armaduras que mesmo tendo o mesmo estilo eram de cores diferenciadas, que iam desde o turquesa até o vermelho sangue. Acima do ombro esquerdo residia uma chapa de metal curva e maleável. Cachecóis brancos protegiam seus pescoços dos fortes ventos. Em uma de suas mãos habitava uma solitária kunai.


- Renda-se ou eles morrem. – Bradou uma das garotas, agitando sua arma perigosamente.

- Levante os braços bem devagar! – Gritou outra, colocando a lâmina de sua ferramenta próxima ao pescoço de Ussei.

Fiquei parado por alguns segundos, definindo qual seria a melhor maneira de contra-atacar. Por fim decidi por levantar uma das mãos e ajeitar os dedos de modo a desenvolver o feitio de quem vai estalá-los.


- Isso! Agora erga o outro também! – Clamou uma terceira, sorrindo.

- Não. Na verdade, é melhor que vocês os soltem antes que eu estale os dedos. – Falei, encarando-as com o mais frio dos olhares.

- Por que nós faríamos isso?! – Perguntou uma guerreira, um tanto quanto intimidada.

- Caso contrário, antes mesmo que consigam piscar estarão cruzando o rio Aqueronte com Caronte, o barqueiro do inferno, em direção as sombrias terras de Hades onde Radamanthys, um dos três juízes, estará esperando-as para dar-lhes o pior dos castigos. – Falei, sorrindo com indiferença.

Um silêncio ensurdecedor assolou sobre as guerreiras, que suavam frio. Continuei encarando-as sem desvencilhar os dedos da posição em que se encontravam. Após algum tempo de indecisão uma delas corajosamente voltou a falar.


- Você realmente acha que isso me intimida?! – Gritou uma garota de curtos cabelos azuis, aborrecida. – Mirla, vamos atacar!

- Espere Maki! – Exclamou uma das guerreiras, provavelmente a líder.

A mulher, gritando, veio correndo em minha direção, com a kunai na mão e uma expressão feroz em seu rosto. Sem desfazer a posição em que meus dedos se encontravam desviei para o lado e depositei o pé em frente à garota, fazendo-a se desequilibrar. Aproveitando este vacilo coloquei a adaga próxima ao pescoço dela.


- Agora nós dois temos reféns. – Falei, encarando a líder das guerreiras calmamente. – Quer fazer uma troca?

- Mirla, socorro! – Proferiu Maki, derramando lágrimas.

- Está bem! – Disse Mirla, dando-se por vencida. – Garotas, soltem eles.

Sem outra escolha, as guerreiras desataram os nós e deixaram com que meus amigos se libertassem. De mesmo modo retirei a adaga de perto do pescoço de Maki e com o outro braço empurrei-a para perto das outras mulheres. Vendo que os outros se aproximavam a tríade de pokémons saiu da toca improvisada e juntaram-se a mim. Após nos reunirmos encarei Mirla, que mostrava-se feliz com o retorno da amiga.

- Agora pode me contar o que vocês querem – Falei, sorrindo um pouco.

- O quê?! – Exclamou Mirla, chocada.

- Exatamente o que eu disse. – Falei, olhando para o nítido azul do céu. – Eu quero saber o porquê de vocês terem nos atacado.

- É alguma brincadeira? – Perguntou Maki, me olhando ferozmente.

- Por que motivos eu não levaria este assunto a sério? – Inquiri, encarando ela descontraidamente.

Um silêncio quase que mortal assumiu o local. Por alguns segundos ouvia-se apenas o vento soprando por entre as folhas e o ronronar feliz de Shinx. David e Jack tinham seus dedos postos sobre suas Pokéballs, para o caso de uma eventualidade. Após passarem-se minutos Mirla voltou a falar.


- Está bem. – Disse Mirla, deixando as outras guerreiras boquiabertas. – Sigam-nos, vamos levá-los ao vilarejo Crescelai.

- Vilarejo Crescelai? – Perguntou Jack, confuso.

- Um local sagrado localizado nas proximidades da Floresta Nevoeiro onde existe um templo em dedicação a Cresselia e a Darkrai, os deuses lunares. – Expliquei, dando de ombros. – O nome do vilarejo vem de crescente e hilai, palavra muçulmana que significa lua.

- Não estou nem um pouco a fim de ir para lá. – Comentou David, fazendo bico.

- Que pena. Dever ter bolo lá. – Falei, olhando para trás.

- Vamos indo garotas. – Disse David, juntando-se as guerreiras.

Embrenhamo-nos em meio à mata, saindo de perto da rota principal e consequentemente do caminho até a próxima cidade. Com o tempo encontramos outra estrada, mais estreita e enraizada, tornando difícil o acesso pelo caminho. Passados 20 minutos começou-se a encontrar estátuas douradas de Cresselia e Darkrai ao longo da rota.


- Estamos chegando. – Constatou Mirla, observando os monumentos.

- Nem percebi. – Falei, em tom irônico.

Caminhamos por mais alguns minutos antes de nos encontrarmos em frente a um grande portão em forma de arco feito de madeira. Dentro do portal havia várias casas, a maioria de dois andares que julguei serem pensões. Nas ruas andavam multidões de pessoas que pelo número de pokébolas deveriam ser coordenadores e treinadores. O local era relativamente bonito, com várias árvores na rua.

- Nossa governanta, Liza, os espera. – Informou Mirla, apertando o passo.

Continuamos a prosseguir pelo vilarejo, penetrando cada vez mais em seu interior. Metros à frente nos deparamos com um palácio de cor prata. Os portões deveriam ter por volta de 3,5m de altura, permitindo a qualquer pessoa ou pokémon ingressar ali. Adentramos o lugar, que por dentro era bem quente e aconchegante. Imediatamente demos de face com uma donzela. Seus cabelos eram loiros e olhos verdes. Usava uma camiseta branca e um casaco azul sem mangas por cima. Usava calças jeans de mesma cor do casaco.


- Senhorita Liza, aqui estão eles. – Disse Mirla, fazendo uma reverência.

- Obrigada. – Agradeceu Liza, suavemente com uma voz angelical. – Podem se retirar.

- Como queira. – Articulou Mirla, se retirando em seguida.

Mirla, acenando com a mão, fez com que as guerreiras fossem embora, seguindo-a. Liza deu um suspiro e olhou compreensivamente para nós. A calma em seus olhos era tanta que fez todos os músculos de meu corpo descontraírem-se quase que imediatamente.

- É uma honra conhecê-la. – Falei, fazendo uma reverência.

- Não precisa agir assim. – Disse Liza, sorrindo. – E me desculpem pela atitude das guerreiras. Elas vêm agindo assim ultimamente para reforçar a nossa guarda.

- Há algum problema senhorita? – Perguntei, mostrando um pouco de preocupação.

- Nada com que se preocupar. Apenas alguns problemas recentes. – Explicou Liza, mostrando-se feliz.

- Sendo assim, peço que me julgue como sendo confiável. – Falei, encarando a face dela seriamente.

Apesar de estar um pouco confusa com meu comportamento Liza entendeu o que quis dizer e virou-se de costas, indo até um canto do salão. Passados alguns instantes ela retornou com um cetro dourado em suas mãos. No topo dele, uma jóia de cor rosa brilhava juntamente com as chamas da lareira.


- A Jóia Psíquica? Aquela que possui o poder de ler a mente das outras pessoas? – Perguntei, olhando para a o brilho da pedra preciosa.

-Jóias? – Indagou Jack, curioso.

- Na mitologia antiga, bem antes do firmamento do universo, o deus Arceus estava com suas Plates sobrecarregadas. Para evitar que uma futura eventualidade acontecesse, a divindade decidiu cortar parte da energia e transformá-las em pedras preciosas. – Expliquei, acariciando Shinx.

- Como você sabe tanto assim sobre o assunto? – Perguntou Liza, interessada.

Abri o casaco e retirei de um dos bolsos internos um cordão com uma jóia mediana totalmente negra. Ao entrar em contato com o outro mineral começou a emitir um intenso brilho, sendo seguido pela outra pedra.

- Porque possuo a Jóia Negra, que nega os efeitos das outras. – Expliquei, sério. Em seguida, lancei-a para David, que a agarrou atrapalhadamente. – Agora pode prosseguir.

- Está bem. – Falou Liza, batendo com seu cetro no chão.

O brilho da jóia começou a raiar mais intensamente e um feixe de cor rosa voou em minha direção, envolvendo meu corpo. Após 10 segundos a luz retornou para dentro da jóia, terminando o processo.


- Realmente, não fizeram nada de errado. – Constatou Liza, finalizando com um belo sorriso.

Ouvi alguns gritos no lado de fora e passos pesados se aproximando. Olhei para Chimchar que me encarava seriamente.


- Mudando de assunto, vocês irão... – Começou Liza, feliz.

- Chimchar, Rock Climb. – Interrompi, olhando para trás ferozmente.

Saltando do meu ombro para o chão, Chimchar espalmou com força o solo, criando uma muralha de pedras. Alguns segundos depois algo bateu contra a proteção, esfarelando-a. Em seu lugar agora se encontrava um grande pokémon bípede das cores prata e preta. Uma longa cauda encouraçada movimentava-se ferozmente de um lado para o outro. Sua cabeça era coberta por um elmo prateado, com dois grandes e afiados chifres saindo por dois buracos em sua testa. Seus olhos eram azulados e dois caninos projetavam-se da sua mandíbula. Duas grandes faixas lhe cobriam os ombros.


- David, Jack, usem Piplup e Riolu. Ussei, proteja a Mary. Shinx, Thundershock. Zorua, Faint Attack. Chimchar, Ember. – Comandei, instruindo cada um deles.

- Yahoo! Finalmente alguma diversão! – Comemorou David, libertando Piplup.

- Riolu, ajude-nos a vencer o Aggron! – Exclamou Jack, lançando sua pokéball.

Em um instante os dois pokémons azuis apareciam em campo prontos para batalhar. Os outros três foram em direção ao pokémon metálico atacando-o com força. Shinx teve seu corpo tomado por uma coloração azul e lançou um ciclone de pura eletricidade contra Aggron. Zorua desapareceu momentaneamente e reapareceu por trás do oponente, chutando com força no pescoço. Por fim, Chimchar aumentou o tamanho da chama em sua cauda e lançou múltiplas fagulhas de cor vermelho-alaranjadas. A combinação dos ataques fez com que Aggron recua-se um pouco.


- Chimchar, Flamethrower. Zorua, Water Pulse. Shinx, Thunderbolt. – Falei, comandando a tríade de pokémons um pouco desinteressado.

- Piplup, Bubblebeam! – Exclamou David, sorrindo.

- Riolu, Aura Sphere! – Disse Jack, sério.

Uma esfera de labaredas vermelhas formou-se em frente à boca de Chimchar. Em seguida, o pokémon macaco disparou a partir do globo uma onda de chamas na direção do oponente. Uma linha azul envolveu o corpo de Zorua e o pokémon formou, a partir de sua boca, uma esfera de mesma cor, lançando-a em seguida contra Aggron. Shinx saltou no ar e lançou uma grande descarga de eletricidade contra o pokémon metálico. Piplup encolheu-se armazenando força e lançando em seguida uma rajada de bolhas transparentes em direção ao oponente. Uma esfera de cor azul clara se formou entre as mãos de Riolu, ficando cada vez maior. Quando chegou ao tamanho desejado ele deixou-a no ar, deu um giro e acertou-a com um dos pés, lançando-a na direção de Aggron. Quando houve a colisão dos ataques contra o corpo do pokémon metálico aconteceu uma explosão, rodeando-o de poeira.


- Está terminado. – Falei, virando-me de costas.

De repente a nuvem de areia que rodeava Aggron dispersou-se, revelando que o pokémon metálico continuava de pé e agora preparava um de seus punhos para golpear-me.


- Ariados, Electroweb! – Exclamou uma mulher, saltando juntamente de seu pokémon.

Um pokémon parecido com uma aranha cuspiu um punhado de teia que se fixou a armadura de Aggron. Em seguida uma onda de eletricidade percorreu a seda, eletrocutando-o fortemente. Após o movimento pude ver mais nitidamente a aranha. Era vermelho com duas listras pretas percorrendo o seu corpo. Apoiava-se sobre quatro pernas amarelas com listras roxas. Seus olhos eram azuis.


- Bom trabalho Ariados. - Disse a sua treinadora, passando a mão sobre sua cabeça.

Seus cabelos eram roxos, assim como seus braceletes. Sua roupa era totalmente preta, com uma facha e um cachecol de cor rosa. Reconheci a garota imediatamente, ficando surpreso com quem era ela.


- Você Janine? – Perguntei, confuso.

- Sua percepção continua a mesma de sempre. – Falou a garota, respondendo minha resposta.

- Vocês dois podem, por favor, parar de conversar e vir lutar!? – Perguntou David, estressado.

Voltando a cabeça para batalha vi que não só Aggron tinha se desvencilhado da teia como também estava atacando com força bruta Piplup, Riolu e Shinx, os quais desviavam de seus ataques com dificuldade. Chimchar e Zorua usavam exaustivamente chamas e água no pokémon, que parecia não sentir nada.


- Está bem. Zorua, use o Night... – Comecei, olhando para o oponente.

- Blaziken, Blaze Kick! – Interrompeu alguém, comandando o pokémon ao seu lado

Antes que eu pudesse terminar a frase um vulto com aspecto humanóide irrompeu os salões acertando com Aggron com um chute rodeado por chamas e o nocauteando. Com uma olhada melhor, percebi que o pokémon possuía uma pelagem vermelha por todo corpo, exceto na área perto dos pés que era alaranjada e seus cabelos que eram brancos.


- Que forte! Ele com certeza foi bem treinado. – Constatou Ussei, impressionado com a força do pokémon.

- Quem é ele? – Perguntou Mary, apontando sua pokédex para o lutador avermelhado.

- Blaziken, o pokémon combustão. Ele é capaz de saltar facilmente um prédio de trinta andares com a força que possui em suas pernas. Informou o objeto, com sua voz metálica de sempre.

- Você está bem? – Perguntou um vulto que se encontrava ao lado de Blaziken.

Olhei para a garota que havia falado isso. Ela possuía olhos azuis e cabelo marrom, encoberto parcialmente por uma faixa verde e branca. Usava uma camisa laranja sem mangas e um short preto. Além disso, possuía uma pochete de cor idêntica a bandana. Ela sorria gentilmente enquanto recolhia seu pokémon para dentro da Pokéball
.

- Meu nome é May. – Apresentou-se May, feliz.

- Muito prazer. Meu nome é Felipe. – Falei, retribuindo o gesto dela.

Ao levantar-se, Aggron vendo que seus oponentes encontravam-se todos o encarando friamente correu para fora do palácio, assustado. Liza suspirou, antes de voltar a falar.

- Certo. Já que vocês me salvaram serão meus convidados de honra para o torneio. – Falou Liza, sorrindo singelamente.

- Que torneio? – Perguntou Jack, curioso.

O rosto de Liza havia ficado com uma expressão de grande surpresa. Percebi naquele momento que todos os coordenadores e treinadores que se encontravam no vilarejo estavam ali apenas para isso.


- Deixem que eu lhes explique. O torneio é dividido em duas partes: A primeira é o torneio e batalhas, onde treinadores se enfrentam em rounds de mata-mata até que sobre apenas um vencedor, que recebe uma Ultraball e um certificado. A segunda é um Triátlon de Surfe, Corrida e Arvorismo, poderão ser utilizados até 6 pokémons para ajudá-lo ou atrapalhar outro competidor. O prêmio deste é sempre surpresa. – Explicou Liza, olhando para a reação de todos.

Ouvi tudo, ainda que desinteressado, e comecei a pensar sobre o que fazer. Olhava para Chimchar, que subira em meu ombro e tinha uma expressão de curiosidade em sua face.


- Batalhas é comigo mesmo! – Exclamou David, com um olhar desafiador em seu rosto.

- Não pense que vai me vencer! – Interpôs Jack, retribuindo o gesto feito pelo treinador do mesmo jeito.

- Já que meus pokémons são pequenos, vou batalhar! – Disse Mary, decidida.

- Não contem com a vitória! – Falou Ussei, sorrindo confiantemente.

- Seremos oponentes então. – Constatou Janine, vendo a escolha deles.

Observei o que todos haviam decidido e pensei um pouco mais. Quando dei por mim todos olhavam para mim, querendo saber o que eu faria.

- Se eu for para o torneio é bem provável que eu ganhe. – Constatei, deixando eles deprimidos. – Vou para o triátlon.

- Então somos rivais. – Disse May, sorrindo.

- Que seja. – Falei, dando de ombros.

Aproximei-me dos outros que já começavam a bolar suas estratégias para vencer o torneio. Shinx e Zorua chegaram perto de nós e deitaram-se no chão, tentando recuperar suas energias.

- Só mais um aviso; aqueles que vão batalhar tem que ter no mínimo 3 pokémons. – Explicou Liza, feliz com todos estando decididos.

Olhei para David e Mary, que ficaram petrificados com a notícia. Fiquei preocupado com a perspectiva deles não participarem, mas sabia que David não iria desistir sem lutar.


- Mas eu e David só temos 2 pokémons. – Disse Mary, engolindo a seco.

- Não se preocupem, vocês podem capturar algum pokémon nas florestas. – Falou Liza, acalmando os ânimos de todos.

Ao ouvir isso, David agarrou meu braço junto com os de Mary e Jack e saiu em disparada para dentro da floresta, deixando Shinx e Zorua para trás, e só não deixando Chimchar também, pois este se segurava firme em meu ombro.

- Cuidem dos dois enquanto não voltarmos. – Pedi, olhando para o palácio.

- Tudo bem!!! – Gritou May, acenando com a mão.

[Continua na próxima parte]

Principais Eventos do Cap:

  • Felipe e seus amigos chegam ao Vilarejo Crescelai.
    Janine, Liza e May são introduzidas a história.
    Felipe e seus amigos descobrem sobre o torneio de Batalhas.
    David e os outros vão atrás de novos pokémons na floresta.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Gehrman em Sab 23 Jul 2011 - 22:52

Olá, DZ.

Bem, novamente, um bom capítulo. Sua descrição e sua narração estão indo muito bem, continuam se aperfeiçoando, hehe. Mas, em certas partes, como essa:


- Realmente, não fizeram nada de errado. – Constatou Liza, finalizando com um belo sorriso.

Ouvi alguns gritos no lado de fora e passos pesados se aproximando. Olhei para Chimchar que me encarava seriamente.

- Mudando de assunto, vocês irão... – Começou Liza, feliz.

- Chimchar, Rock Climb. – Interrompi, olhando para trás ferozmente.

Saltando do meu ombro para o chão, Chimchar espalmou com força o solo, criando uma muralha de pedras. Alguns segundos depois algo bateu contra a proteção, esfarelando-a. Em seu lugar agora se encontrava um grande pokémon bípede das cores prata e preta. Uma longa cauda encouraçada movimentava-se ferozmente de um lado para o outro. Sua cabeça era coberta por um elmo prateado, com dois grandes e afiados chifres saindo por dois buracos em sua testa. Seus olhos eram azulados e dois caninos projetavam-se da sua mandíbula. Duas grandes faixas lhe cobriam os ombros.

No início dessa parte, poderia ter narrado um pouco mais o segundo parágrafo, mostrando que apenas Felipe e Chimchar notaram, e também dizendo que os outros personagens não tinham notado. Também poderia falar que subitamente ambos aqueles acontecimentos aconteceram.

Sua descrição está indo realmente de um modo incrível, gosto bastante dela. (: Com certeza, você pode melhorar mais e mais, junto com a narração, que está indo realmente muito bem também, hehe.


- Está bem. Zorua, use o Night... – Comecei, olhando para o oponente.

- Blaziken, Blaze Kick! – Interrompeu alguém, comandando o pokémon ao seu lado

No final da última frase, esqueçeu de botar o ponto final na frase, tome cuidado. (:

Manolo, não notei nenhum erro de ortografia, e gostei bastante disso, hehe. Deve ter revisado bastante o capítulo, pois realmente não achei nenhum. =D Mas, em certas partes do capítulo, umas vírgulas não foram colocadas de modo certo, tome cuidado com isso também, manolo.

Enfim, achei interessante o capítulo, hehe. A história está se desenvolvendo muito bem, gosto bastante dela. A pequena batalha foi muito bem escrita, parabéns. =D

É isso, meu caro. Aguardo anciosamente o próximo capítulo. Bye o/

________________

cfox: APARECI NO MULTISHOW


avatar
Gehrman
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/04/2011

Frase pessoal : NÃO TEM MEDCO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Tomoyo em Dom 24 Jul 2011 - 1:32

Daaaaark.
Mais um capítulo muitoo boom *--*
Erros ortográficos eu não achei nenhum, mas eu sou muito desligada.
Eu gostei do Vilarejo Crescelai, achei bem... feliz.
Já começo a imaginar qual será o pokémon que Mary e David vão capturar hehehe
Aguardo o próximo capítulo, que na verdade é a outra parte deste Very Happy
avatar
Tomoyo
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Lizzy em Dom 24 Jul 2011 - 1:33

Oie...
Bem eu gostei bastante do capitulo, como as pessoinhas ai em cima eu não achei erros de ortografia, mas isso não quer dizer que não possa existir algum bem escondidinho.
Eu só quero ver os Pokémons que eles iram capturar...
Continue com sua narração bonitinha, pois eu consegui me imaginar ao lado dos personagens e eu gosto quando isso acontece, pois significa que esta bem narrado.
Bem para terminar só me resta falar que aguardo ansiosa o próximo capitulo.
avatar
Lizzy
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/01/2010

Frase pessoal : Desistir nunca foi uma opção.


Ver perfil do usuário http://lost-daughter-of-zeus.tumblr.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Dom 24 Jul 2011 - 9:18

Olá Dark.
Gostei do Capítulo, estou ansioso para saber que Pokémon eles irão capturar.
Além do erro que o Weegee citou, vi este:

@DarkZoroark escreveu:- Batalhas é comigo mesmo! – Exclamou David, com um olhar desafiador em seu rosto.

Não seria "Batalhas são comigo mesmo!"?

Só vi esses dois erros, espero o próximo Capítulo =D
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por pikachu385 em Dom 24 Jul 2011 - 11:06

Interessante sua estória, um novo continente com misteriosas surpresas, havia muito tempo que queria comentar aqui, mas não tinha tempo, enfím cheguei. Achei erros apaenas de repetição, nem vale a pena citar de tão pouco que é, hehe, concluindo meus parabéns, espero que me surpreenda cada vez mais, aguardarei melhoras friend.

Buenas Sortes
avatar
pikachu385
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
1 / 101 / 10

Data de inscrição : 26/02/2009

Frase pessoal : Pare de derramar sangue inocente Parry


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Sir Dracconildo - Dracco em Dom 24 Jul 2011 - 21:08

Cara, vou te parabenizar. Sua fic finalmente virou POP! \O/

Você as vezes erra a acentuação, erros de ortografia eu só notei o mesmo que o Fox mostrou.

A história está ficando cada vez mais interessante e envolvente, só acho que você deve aproveitar mais cada personagem. Acho que vai ser dificil aproveitar cada personagem já que são muitos, boa sorte quanto a isso.

É só isso

ninja
avatar
Sir Dracconildo - Dracco
Membro
Membro

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 22/06/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Ter 13 Set 2011 - 16:19

Olá a todos.
Em primeiro lugar quero pedir desculpas pela demora do capítulo. Agora vou explicar. A verdade é de que originalmente eu iria postar este capítulo 3 semanas atrás. Porém meu computador foi invadido por alguns vírus e ficou uma semana no concerto, além de ter tido toda a sua memória apagada. Enquanto eu reescrevia o capítulo tive também provas, o que me deixou longe por duas outras semanas. Mas agora que minhas provas acabaram e eu refiz o capítulo posso finalmente postá-lo. Vamos aos comentários:

Mr. Weegee: Olá bom amigo. O pior é que eu também achei que faltava alguma coisa nesta parte, mas não sabia como completar. Espero que curta este capítulo.
Sabrinah: Tudo bem. Ele realmente é um lugar bem feliz, mas espere pelo próximo cap. Espero que goste deste capítulo.
Camila - Vamp: Que bom que gostou. Pode deixar que continuarei com ela por um bom tempo. Espero que curta esse capítulo.
Captain Fox: E aí cara. Quanto tempo! Em relação ao ia escrever originalmente "batalhar é comigo mesmo". Errei quando escrevi. Espero que goste deste capítulo.
pikachu385: Olá. Que bom que gostou da fanfic. O problema da repetição é que o vocabulário do povo brasileiro é um tanto pobre e isso as vezes influencia o meu texto. Espero que curta este capítulo.
Dracco: Meu bom amigo, quanto tempo! Seguinte, irei seguir sua dica e tentar aproveitar ao máximo todos os personagens, mas admito que não será uma tarefa fácil. Espero que curta este capítulo.
Agora, vamos a razão principal deste tópico, a fanfic.

Dia de Capturas. Se inscrevendo para o Torneio. - Parte 2
Aquelas palavras de certa forma me confortaram e fizeram-me pensar que os dois estariam em boas mãos. Fiquei pensando em tudo o que havia acontecido desde que entramos no vilarejo e sobre o ataque do Aggron. Não fazia sentido um pokémon que mora em montanhas estar em meio as florestas, quanto mais atacar uma aldeia cheia de pessoas. Quando dei por mim, percebi que já havíamos percorrido um quilômetro de florestas, sem que David largasse nossos braços ou diminuísse sua velocidade. Entendi que ele não iria parar por bom grado, então enfiei os pés na terra, parando a corrida desenfreada do treinador.

- Vamos lá Felipe! – Exclamou David, impaciente. – Eu e Mary precisamos ter um novo pokémon para participar do torneio!

- Sei disto. Todavia, de que adianta correr? – Perguntei, desarmando ele. – Por causa da correria Zorua e Shinx ficaram não puderam nos acompanhar.

- Foi mau. – Disse David, se ressentindo.

- Tudo bem. – Falei, sorrindo um pouco. – Já que estamos aqui, vamos em frente.

Começamos a andar, passando por algumas trilhas e bifurcações. Após mais ou menos meia hora chegamos a uma bem iluminada clareira, onde um cheiro agradável pairava no ar. Sem perder tempo abri a mochila e retirei de lá um instrumento globular feito de safira. Era oval e possuía ao todo dez furos. Um tubo projetava-se para fora do objeto.

- Faz algum tempo que eu não toco esta ocarina. – Falei, relembrando os bons momentos que havia passado com aquele instrumento. – Vamos ver se ainda consigo fazer um réquiem.

- Alguém me explica o que significa isso? – Pediu David, confuso.

- É como uma sinfonia. – Disse Jack, descontraído. Porém, ao ver a expressão do treinador, simplificou. Em seguida, retirou uma pokéball de seu bolso. – Uma música.

- Você vai capturar um pokémon? – Perguntou David, desconfiado.

- Sim. – Respondeu Jack, dando de ombros.

Encostei os lábios no bocal e comecei a assoprar ao mesmo tempo em que meus dedos se moviam pelos furos do objeto. Um som melódico e calmante percorreu a clareira, silenciando todos os outros sons. Até mesmo as árvores e o vento, que antes se confrontavam criando um forte farfalhar, agora se acalmavam, permitindo que o réquiem se difundisse com maior facilidade. Alguns minutos foram suficientes para que pudesse ser visto um acontecimento; vários pokémons de cores e formatos distintos se aproximavam para ouvir a música. Assim que a clareira se encheu deles parei de tocar e guardei a ocarina.


- David, escolha primeiro. – Falei, olhando para o céu.

O treinador adiantou-se e começou a vasculhar por entre as fileiras de pokémons até depositar seu olhar sobre um. Este era bípede e de cor verde acinzentado com narinas e presas pálidas e protuberantes saindo pelos lados de sua boca. A parte de trás e o topo de sua cabeça possuíam coloração mais escura, com um chifre residindo lá. Um colar rodeava-lhe o pescoço. Seus membros e cauda eram pequenos e seus olhos eram vermelhos. Sem perder tempo, David moveu a pokédex de modo a apontá-la para o pokémon.


- Aquele ali! – Exclamou o treinador, sorrindo.

- Axew, um pokémon presa. Ele arranha ás árvores com as presas para demarcar território. Quando uma destas se quebra, outra nasce rapidamente no local.Informou o objeto, com sua habitual voz metálica.

- Jack, agora você. – Falei, desinteressado.

- Está bem. – Disse Jack, se adiantando.

Sem perder tempo Jack começou a esquadrinhar com o olhar os pokémons que ainda se encontravam na clareira, pois alguns já haviam saído de lá. Após alguns minutos encontrou um que lhe agradava, pousando seu olhar sobre ele. Era um pokémon bípede e de cor laranja, parecido com uma lontra. Seus olhos eram azuis e possuía uma marca preta debaixo destes. Sua cauda era curta e bifurcada. Uma bóia amarelada apoiava-se sobre seus ombros. Ao ver o pokémon, David apontou a pokédex na direção dele, procurando por mais informação.


- Sweetzel, um pokémon lontra bebê. Apesar de pequeno pode chegar a até 40 km/h na água. Quando ameaçado ele infla a bóia que existe ao redor de seu pescoço para parecer maior.Informou o objeto, com voz metálica.

- Mary, pode ir. – Falei, sorrindo para a garota.

Seguindo a instrução ela se adiantou e procurou algum pokémon que chamasse sua atenção. Não deu-se muito tempo e Mary logo fixou seu olhar em uma deles. Esta era pequena e de cor branca. Em sua cabeça havia uma espécie de “elmo” verde, com uma placa rosa avermelhado na frente e outra atrás. Por instinto, Mary apontou a pokédex na direção da pokémon, buscando saber mais sobre ela.


- Ralts, um pokémon emoção. Ela usa os chifres em sua cabeça para ler as emoções humanas. Os Ralts normalmente não se aproximam de pessoas, mas são atraídos por pensamentos positivos.Disse a pokédex, desligando-se em seguida.

- Agora que já escolheram podem batalhar. – Concluí, deitando-me de costas.

- Já é! – Exclamou David, pegando uma de suas Pokéballs. - Piplup, saia e use Bubblebeam no Axew!

- Riolu, Thunder Punch no Sweetzel! – Falou Jack, liberando o pokémon lutador.

- Pandeeba, brilhe e use Ice Shard! – Disse Mary, sorrindo.

Em alguns instantes os três pokémons chamados por seus treinadores foram em direção aos seus oponentes, preparando-se para atacarem. Estes se viraram para encarar os adversários ao perceberem a aproximação. Piplup contraiu todos os músculos de seu corpo e disparou várias bolhas transparentes contra o pokémon dragão. Na mesma hora Axew abriu sua boca e criou uma esfera de cor turquesa. Em seguida, largou a esfera no ar e chocou fortemente uma presa contra ela, lançando-a contra o ataque de Piplup. Ao acontecer a colisão dos ataques o de Axew conseguiu avançar e atingir Piplup, machucando-o bastante. O punho de Riolu foi envolto por uma camada de eletricidade enquanto ele avançava o membro sobre Sweetzel. Vendo a aproximação de seu oponente o pokémon de água saltou e girou, lançando uma onda de choque branca. Riolu tentou desviar, mas foi atingido e lançado contra uma árvore. Pandeeba abriu sua boca e lançou vários cristais de cor azulada na direção de Ralts. Esta não fez nada mais do que deixar-se envolver por uma aura multicolorida e se teletransportar, indo parar ao lado do pokémon panda.


- Riolu, Bullet Punch! – Comandou Jack, sério.

- Piplup, use Icy Wind! – Disse David, confiante com a vitória.

- Pandeeba, use Energy Ball! – Falou Mary, sorrindo.

Um dos braços de Riolu foi tomado por um brilho avermelhado enquanto o pokémon emanação avançava em direção ao seu oponente. Sweetzel envolveu-se em água e lançou-se contra seu adversário, parecendo muito com um míssil. Riolu moveu o punho para frente de seu corpo, tentando defender-se e ainda atingir o pokémon lontra, mas não conseguiu e foi atingido, machucando-se bastante. Piplup abriu o bico, liberando um forte vento que levava junto de si cristais de coloração azulada em direção à Axew. O pokémon dragão desviou para o lado e saltou, indo parar atrás do seu oponente. Em seguida, teve suas presas tomadas por uma coloração arroxeada e bateu com elas em Piplup, machucando este. Pandeeba juntou suas mãos e criou uma esfera de cor esverdeada, lançando-a em seguida na direção de Ralts. Um pouco antes de atingi-la, o ataque do pokémon Panda foi envolvido por uma aura azulada, fazendo o caminho inverso e atingido o usuário. Vendo que os três pokémons haviam levado dano, Jack, David e Mary ficaram assustados.

- Double Chop, Aqua Jet e Psychic. – Constatei, olhando para os ataques que haviam sido usados.

- Piplup, use Scald! – Exclamou David, irritado.

- Riolu, Iron Tail! – Comandou Jack, sério.

- Pandeeba, Ember! – Disse Mary, preocupada com o pokémon panda.

Ao comando de seus treinadores os três pokémons dispersaram-se pelo campo, indo cada um para um lado e golpeando com seu respectivo ataque: Piplup lançou uma rajada de água quente envolta por gases de seu bico. Uma luz branca envolveu as presas de Axew enquanto este ia correndo na direção do pokémon pinguim. Ele então começou a usá-las para ir cortando o jato de água quente até atingir Piplup, lançando-o contra a lama. A cauda de Riolu foi tomada por uma coloração metálica enquanto o Pokémon girava o apêndice contra Sweetzel. Este moveu seu punho para frente de seu corpo, tendo o primeiro membro envolvido por uma luz gélida. Os dois pokémons colidiram, lançando o outro contra as árvores. Pandeeba, vendo que seus companheiros estavam caídos, abriu a boca e lançou várias fagulhas de cor vermelho alaranjadas. Ralts encarou o ataque seriamente e, em seguida, deixou-se envolver por uma luz branca enquanto juntava as mãos e lançava um raio de maciça quantidade de eletricidade. Este atravessou facilmente o golpe de Pandeeba e acertou-o, lançando o Pokémon contra uma árvore.

- Double Chop, Ice Punch e Charge Beam… É, parece que eu vou ter que agir. – Falei um pouco entediado, levantando-me. – Trabalhem em equipe ou não vão vencer. Esses pokémons são fortes, apesar de pequenos. Não deixem-se levar por isso. – Exclamei, voltando a deitar-me na grama logo em seguida.

- Está bem então! – Exclamou Jack, sacando outra pokéball de seu bolso e lançando-a ao ar. – Joushadoe, Dark Pulse no Ralts!

Vindo do interior do objeto um Pokémon composto por chamas roxas e de grandes olhos vermelhos pousou sobre o solo com extrema delicadeza. Sem dar tempo para qualquer reação dos outros, Joushadoe encobriu seus olhos com uma aura negra, lançando deles múltiplos círculos de mesma coloração que se entrecruzavam. Ralts tentou parar o ataque envolvendo-o por uma energia azulada, mas esta se desfez e permitiu que Joushadoe atingisse o pokémon emanação, causando um grande estrago.

- Finalmente entenderam? – Perguntei, olhando para as nuvens que se movimentavam calmamente.

- Certo. Pandeeba, Ice Shard no Axew! – Comandou Mary, feliz pelo recente sucesso.

- Piplup, use Icy Wind! – Exclamou David, sorrindo.

Acatando a ordem de sua treinadora, Pandeeba abriu a boca e expeliu por ela múltiplos cristais de coloração gélida na direção de Axew. Ao mesmo tempo, Piplup começou a bater suas asas, lançando uma onda de ventos frios contra o pokémon dragão. Este, sem nada poder fazer, foi atingido pela combinação de ataques, caindo nocauteado.


- Pokéball, vamos lá! – Falou David, lançando o objeto na direção do pokémon.

Axew foi englobado por uma luz vermelha e forçado para dentro do objeto. Após o objeto mover-se por algum tempo parou, sinalizando sucesso na captura. David, feliz com seu novo pokémon pegou a pokéball com orgulho.


- Yahoo! – Comemorou o treinador, feliz com a nova adição a sua equipe. – Peguei um Axew!

- Ô senhor felicidade, vem ajudar logo. – Chamou Jack, concentrado na batalha.

- Certo. Piplup, Bubblebeam no Sweetzel! – Comandou David, retornando a realidade.

- Pandeeba, Energy Ball! – Falou Mary, feliz em ajudar.

- Riolu, Thunder Punch! Joushadoe, Shock Wave! – Exclamou Jack, triunfante.

Os quatro pokémons então se voltaram para Sweetzel, o qual os encarava ameaçadoramente. Riolu foi o primeiro a investir, envolvendo seu punho em eletricidade e tentando atingir o adversário. Todavia, este habilmente saltou para o lado, evitando o ataque de Riolu. Piplup inflou suas faces e abriu o bico, liberando uma rajada de bolhas brilhantes e azuladas contra o pokémon lontra, que mais uma vez desviou, abaixando-se bem a tempo de impedir algum dano ao seu corpo. Joushadoe, impaciente com o evidente fracasso de seus aliados, saltou uma grande distância, indo parar em frente à Sweetzel. Sem dar tempo para este tomar alguma medida, o pokémon sombra envolveu-se por uma aura amarela e lançou ondas de eletricidade vindas de seu corpo. O adversário ainda tentou desviar, mas foi atingido pelo ataque e ficou paralisado. Por fim, Pandeeba juntou as mãos em frente ao seu corpo, acumulando grande quantidade de energia entre elas, criando uma estrutura esverdeada semelhante a um globo. Em seguida, lançou esta contra Sweetzel, atingindo o pokémon lontra e o nocauteando em meio a uma explosão.


- Você é meu! Vá, pokéball! – Exclamou Jack, lançando o objeto.

O objeto englobou o pokémon lontra e rapidamente o forçou para dentro de si, fechando-se em seguida. O artefato mal se agitou e já sinalizara a captura. Jack, contente, pegou a pokéball e guardou-a no bolso, virando-se em seguida para o único inimigo que restava em campo: Ralts. Levantei-me juntamente a Chimchar, procurando assistir a ultima das batalhas.

- Vamos atacar todos juntos! Piplup, Bubblebeam! – Exclamou David, incitando todos a atacarem.

- Pandeeba, Power Gem! – Disse Mary, feliz.

- Riolu, Swift! Joushadoe, Flamethrower! – Comandou Jack, sorrindo.

Em um instante quatro ataques foram desferidos contra Ralts: Piplup inflou suas faces e abriu o bico, liberando uma rajada de bolhas brilhantes e azuladas, enquanto Pandeeba ergueu seus braços e criou uma esfera de cor alaranjada, lançando-a em seguida na direção do pokémon emoção. Riolu saltou e movimentou sua cauda para frente de seu corpo, liberando vários projéteis em formato de estrelas cadentes. Por fim, Joushadoe abriu suas mandíbulas e lançou uma imensa cortina de chamas vermelho-alaranjadas. Ralts, percebendo-se cercada por oponentes, cruzou os braços e envolveu-se por um véu multicolorido, desaparecendo em um feixe de luz pouco depois.


- Chimchar, Fire Punch. 20 centímetros a leste de onde se encontra Pandeeba. – Instruí, olhando para o pokémon macaco seriamente.

- Chimchar! – Exclamou ele, sorrindo de maneira desafiadora.

- O que você vai fazer Felipe?! – Perguntou David, assustado.

Lançando-se em uma corrida desenfreada, em direção ao ponto que eu havia apontado, Chimchar passou rapidamente pelos três outros humanos no recinto enquanto seu punho inflamava. Alguns segundos antes do impacto, Ralts começou a se materializar ali. Quando percebeu o movimento do oponente, o pokémon emoção nada pode fazer, além de ser atingida no rosto e lançada contra uma árvore, caindo no chão nocauteada.


- Mary, agora é com você. – Falei, sorrindo.

- Certo! Pokéball, vá! – Disse Mary, lançando o objeto contra Ralts.

Ao tocar a testa da pokémon emoção o instrumento abriu-se, liberando um raio vermelho que englobou a primeira e a forçou para dentro de si. Passaram-se aproximadamente dois minutos antes que a pokéball parasse de se mover, sinalizando sucesso na captura. Mary se aproximou e pegou a pokéball em seus braços, sorrindo gentilmente para a mesma.


- Espero que sejamos amigas, Ralts. – Sussurrou Mary, com a mais calma das vozes.

- Agora que todos já capturaram, vamos. – Falei, sério. Ouvindo o comentário, Chimchar se adiantou e subitamente subiu em meu ombro.

- Está bem! – Exclamou David, se espreguiçando.

Após pronunciar isto os três reuniram-se comigo e Chimchar, começando a andar atrás de nós logo em seguida. Porém, pouco antes de sairmos da clareira ouvi um leve farfalhar de folhas e o estalo de galhos. Olhei para os lados, percebendo em seguida que ninguém, a não ser eu e Chimchar, havia ouvido o som. Encarei algo por cima do ombro, constatando que era um alvo móvel.


- Chimchar, pule e use Focus Punch. – Falei, alarmando os outros treinadores.

Ao som do comando o pokémon macaco deu um salto para trás, envolvendo seu punho com uma energia azul brilhante. Em seguida, moveu o braço para frente, batendo sua mão contra a de seu oponente e criando um som semelhante a uma barra de ferro caindo no chão. Quando os dois tocaram o chão deu para ver claramente o oponente. Um pokémon bípede que lembrava uma mistura de gato e doninha se apresentava a nossa frente. Seu corpo era predominantemente negro, todavia havia algumas penas vermelhas crescendo sobre sua orelha esquerda e três na parte inferior traseira de seu corpo. Suas mãos e pé possuíam duas garras retráteis cada. Puxei a pokédex e apontei na direção dele.


- Sneasel, um pokémon garra afiada. O Sneasel pode fazer suas garras crescerem e diminuírem a sua vontade durante um combate.Informou o objeto, desligando-se em seguida.

- Você quer um desafio, não é? – Perguntei, olhando para ele com indiferença.

- Snea! – Respondeu o pokémon, movendo as garras de modo a nos incitar a lutar.

Em seguida, Sneasel começou a correr em direção a Chimchar, ao mesmo tempo em que fechava as garras ao redor da mão e energizava-as com uma energia de cor friamente azulada. Sua velocidade era tal que em alguns momentos dava-se a impressão que havia desaparecido.


- Segure. – Falei, calmo.

Pouco antes de ter seu rosto atingido por Sneasel, Chimchar moveu a mão para frente de sua face, bloqueando sem esforço o golpe do pokémon trevas. Vendo isso, o oponente deixou escapar por entre os dentes um som claro de insatisfação.


- Use U-Turn. – Proclamei, sem alterar o tom de voz.

Ao som do comando, Chimchar deixou-se submergir em uma aura de tonalidade esverdeada, ficando com uma cor semelhante a das copas das árvores. Em seguida, começou a empurrar Sneasel facilmente, dirigindo-se em direção a um grande carvalho. Quando chegou a mais ou menos três metros da árvore Chimchar ergueu o pokémon negro do chão e lançou-o com tudo contra o vegetal, rachando este ao meio.


- Que força. – Comentou David, impressionado.

- Chimchar, finalize isso com Flame Wheel. – Falei, desinteressado.

O pokémon macaco saltou no ar, começando a girar velozmente. Em seguida, liberou de sua boca uma rajada de chamas vermelho-alaranjadas, criando uma estrutura semelhante a uma roda, girando em direção à Sneasel. Este, percebendo a aproximação de Chimchar, rolou para o lado, esquivando-se bem a tempo da investida do segundo. Sem dar tempo para o pokémon macaco se recuperar, Sneasel abriu a boca e lançou uma verdadeira tempestade de neve contra o primeiro, lançando-o alguns metros para trás.


- Blizzard? Bem forte. – Falei, esboçando um sorriso.

- Sneasel! – Exclamou o pokémon, enquanto avançava suas garras em direção à Chimchar.

- Vamos acabar logo com isso. Use Fire Star. – Pronunciei, sério.

Chimchar saltou por cima de Sneasel, evitando o ataque do segundo. Em seguida, criou uma esfera de fogo ao seu redor de mais ou menos cinco metros de diâmetro. Esta ganhou cinco longos membros de chamas, que fez a estrutura ficar parecida com uma estrela. Os tentáculos então começaram a girar tentando alcançar Sneasel sem dar tempo para este descansar. A princípio, o pokémon gelo conseguiu desviar, mas logo foi atingido, machucando-se bastante.


- Acabou. – Falei, virando-me de costas. – Vamos embora.

- Felipe, espera! – Exclamou David, pasmo.

Vir-me-ei para ver o motivo de tanto alvoroço. Sneasel se levantava de novo, apesar de com certa dificuldade e avançava para cima de Chimchar com as garras à mostra. Em defesa o pokémon macaco moveu-se para o lado, fazendo com que o primeiro caísse no chão. Todavia, Sneasel ergueu-se novamente, repetindo o processo. Passadas uma hora o pokémon trevas continuava a tentar atingir Chimchar, que desviava com o mínimo de esforço.


- Por que ele tenta tanto? – Perguntou Jack, intrigado com a atitude do pokémon.

- Acho que já sei. – Falei, andando na direção de Sneasel. – Vocês três, esperem-me aqui.

Chimchar, observando minha aproximação, esquivou-se mais uma vez, vindo repousar-se sobre meu ombro. O pokémon sombra erguia-se novamente, mas ao ver-me em frente a ele automaticamente parou, olhando desconfiado para mim. Retribuí o gesto com um sorriso enquanto me abaixava e acariciava gentilmente sua cabeça.

- Você está bem? – Perguntei, calmo.

- Snea! – Respondeu Sneasel em um tom baixo.

- Quer vir conosco? – Indaguei, encarando-o pacificamente.

O pokémon ficou paralisado, pasmo com a pergunta. David, Jack e Mary aparentavam a mesma expressão em seus rostos. Chimchar, diferentemente dos outros, não se mostrava chocado, mas sim sorrindo harmonicamente.

- Vou repetir. Quer vir conosco? – Perguntei novamente, olhando curiosamente para Sneasel. – Você é um pokémon muito persistente e se vier conosco descobrirá um mundo fantástico.

- Snea... Sneasel! – Respondeu o pokémon, balançando afirmativamente com a cabeça.

Após observar a réplica de Sneasel enfiei uma das mãos em minha mochila e retirei de lá uma friend ball, encostando-a na testa do pokémon trevas. O objeto se abriu e liberou um raio vermelho, que revestiu Sneasel e o trouxe para dentro de si. Guardei-a no bolso e olhei para os três treinadores.


- Pronto. Agora vamos. – Falei, levantando-me e andando em direção à entrada da clareira.

- Tudo bem, baby! – Exclamou David, espreguiçando-se.

O Sol já se punha quando saímos da área campestre, indo em direção ao vilarejo Crescelai. O tom laranja do céu dava uma tonalidade um pouco sinistra à floresta. Durante o trajeto da volta David, Mary e Jack comentavam sobre possíveis estratégias para utilizar durante o torneio. Não liguei muito para isso e fiquei olhando para o céu, vendo as nuvens vaguearem tranquilamente por ali. Passadas meia hora chegamos à vila e imediatamente nos dirigimos ao palácio de Liza, onde fomos recebidos por Janine, Ussei, May, Liza, Zorua e Shinx.


- Olá a todos. – Disse Liza, sorrindo calorosamente. – Já servimos o jantar. Juntem-se a nós.

- Rango! Yahoo! – Comemorou David, socando o ar.

- Antes, porém, necessito saber uma coisa. – Falei, sério.

- Pois não? O que desejas? – Perguntou Liza, curiosa.

- Gostaria de saber onde há uma máquina de transferência de pokéballs. – Respondi, acariciando Shinx.

- Sim. Há uma três aposentos para a esquerda. - Falou Liza, sorrindo gentilmente.

- Muito obrigado. Zorua, Shinx, Chimchar, vamos. – Agradeci, virando-me de costas. – Vejo vocês em mais ou menos uma hora.

- Você vai ficar uma hora transferindo pokéballs?! – Perguntou Ussei, pasmo.

- Não. Quando nós voltávamos para o vilarejo eu ouvi o som de água caindo. Deve haver uma cachoeira aqui por perto. – Expliquei, retirando-me do local em seguida.

Segui as indicações de Liza e logo me deparei com um aposento pequeno e claro. Não havia muitos móveis dentro do quarto, apenas um sofá verde e uma máquina com um dispositivo de recepção e um telefone acoplados. Digitei um número nela e comecei a conversar com a pessoa no outro lado da linha, explicando-lhe a situação. Em seguida, duas friend balls se materializaram sobre a máquina, as quais rapidamente guardei em meu bolso, desligando o telefone em seguida. Saí do palácio e fiz o caminho até a clareira onde anteriormente havíamos estado, indo um pouco mais para o oeste. Lá residia uma cachoeira, de onde despencava uma grande quantidade de água.


- Saiam Gyarados e Sneasel. – Falei, lançando duas pokéballs no ar.

Em um instante dois pokémons apareceram no local. Um era totalmente negro e possuía duas garras em cada mão. Já o outro mais parecia um gigantesco dragão marinho vermelho de ventre cor de creme. Chimchar, Zorua e Shinx se aproximaram da dupla, cumprimentando-os cordialmente e apresentando-se. Depois das introduções chamei a atenção de todos, fazendo com que todos se calassem.


- Agora que já se conheceram vou falar o motivo para esta reunião. Iremos disputar dentro de alguns dias um Triátlon e para isso precisaremos estar em forma. Por esse motivo vão treinar. – Pedi, sorrindo em seguida para os cinco pokémons.

Entendendo o recado todos acenaram afirmativamente com a cabeça e cruzaram a cachoeira, com o objetivo de atacarem alguns rochedos que ali se localizavam. Puxei uma terceira friend ball do bolso, onde um pokémon encontrava-se deitado, esperando pacientemente por algo.


- E quanto a você? Quer treinar? – Perguntei, sorrindo amigavelmente.

Como resposta, recebi um olhar entediado que encarava os cinco pokémons que treinavam seus ataques. Ele então bocejou e voltou a fechar as pálpebras, caindo em um sono profundo.

- Eu já esperava. – Comentei, guardando o objeto novamente. Em seguida, senti algo começar a vibrar dentro de minha calça. Retirei de lá um aparelho celular, o qual tocava uma música profunda e harmoniosa. Aproximei-me da cascata, onde após ver de quem se tratava atendi ao telefone.

- Aqui é o Fogo Negro. Podem falar. – Repliquei, olhando para os lados tentando ter certeza de que ninguém ouvia a conversa.

- Como você está garoto? – Perguntou uma voz profunda no outro lado da linha.

Imediatamente reconheci o som, que me preencheu de calma e felicidade. Precisei de alguns segundos para tornar a falar tamanha era a minha alegria. Por fim, tomei força para exprimir algum som, ainda que um pouco rouca.


- Estou bem. – Respondi, calmo. – E quanto ao senhor, professor?

- Com alguns arranhões e escoriações, mas no geral muito bem. – Falou o homem, com um tom feliz em sua voz.

- É bom saber disso. E quanto ao Estrela Caçadora? – Indaguei, procurando saber sobre o estado de meu amigo.

- Ele fraturou o rádio. – Informou o professor, com tristeza em sua voz.

- Quanto tempo ele vai ter que ficar ausente? – Perguntei, sabendo que isso significaria problemas.

- Se a recuperação for rápida, cerca de duas semanas. – Explicou o professor, otimista.

Fiquei um pouco abalado, pois ele havia me ajudado muito no passado. Todavia, conhecendo seu espírito guerreiro, sabia que não iria dar-se por vencido.


- Mudando de assunto, na ausência de vocês dois precisaremos de dois novos integrantes para substituí-los enquanto vocês ficam fora. – Explicou o professor, sério como de costume. – Escolhemos um total de vinte candidatos e deste precisamos que você escolha cinco para fazerem o teste.

- Deixe o Estrela Caçadora decidir isto. – Falei, incomodado com a situação.

- Todos os outros concordaram que seria melhor você indicar a dupla. – Informou o professor, calmo.

- Então está bem. Mande-me a lista e dentro de dois dias eu lhe envio a resposta. – Expliquei, terminando a conversa.

Desliguei o celular e coloquei-o de volta dentro de um de meus bolsos. Em seguida, puxei de outro duas friend balls, as quais eu usei para chamar Gyarados e Sneasel para dentro delas. Dirigi-me então para Chimchar, Zorua e Shinx, os quais esperavam ansiosos pelo meu comando.


- Vamos embora. Liza e os outros devem estar preocupados. – Falei, sorrindo gentilmente.

Acatando a ordem, os três saltaram por algumas rochas que barravam o fluxo da cachoeira, chegando até onde eu estava. Olhei para o céu, vendo várias estrelas contrastarem lindamente com a noite. Fiquei assim por alguns segundos, me retirando da clareira em conjunto com o trio de pokémons. Todavia, alguém nos espreitava por entre as árvores, com um sorriso maligno em seu rosto.


- Então este é o famoso Fogo Negro? – Perguntou retoricamente o garoto. – Não me parece tão forte.

[Continua no Próximo Episódio]
Prévia do Próximo Episódio:
Aqui é o Jack. O Felipe está tendo um enorme treinamento, e vem se machucando bastante. No meio de uma tempestade acontece um desastre. Vejam isso e muito mais no próximo episódio: 07. Perigo a vista! Treinamento Necessário.

Principais Eventos do Cap:
  • David capturou um Axew.
    Jack capturou um Sweetzel.
    Mary capturou um Pandeeba.
    Felipe capturou um Sneasel.
    Um pokémon misterioso de Felipe foi introduzido.
    Um novo personagem foi introduzido.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Tomoyo em Ter 13 Set 2011 - 17:18

Oiii DarkZoroark ^^
Outro belo capítulo hihi
Não achei nenhum erro ortográfico, e a cada capítulo sua descrição melhora mais, e olha que ela já era muito boa quando eu comecei a ler sua fanfic.
Aah é só uma coisinha...
@DarkZoroark escreveu:- Chimchar, Fire Punch. 20 centímetros a leste de onde se encontra Pandeeba. – Instruí, olhando para o pokémon macaco seriamente.

Não seria melhor escrever "vinte" ao invés de "20"?

Seus capítulos tem sempre um "ar de mistério", eu gosto disso -qq
Achei até meio engraçados os codinomes ^^
Bem... É só isso euacho. Estarei aguardando o próximo capítulo.
Bye
avatar
Tomoyo
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 10/06/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Qua 14 Set 2011 - 14:11

Dark õ////
Cara, sua Fic está simplesmente fantástica. A descrição, a narração, a história, tudo está muito bom. A forma que você descreve e narra é ótima. Não vi sequer um erro de ortografia. Como a Sabrinah disse, seus Capítulos sempre tem um pouco de mistério e suspense, coisas muito boas em uma Fic.
O Felipe é um treinador realmente bom. Não sei como ele conseguiu prever o lugar onde o Ralts surgiria.
Well, até o próximo õ//
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Lizzy em Qui 22 Set 2011 - 13:11

Oi DarkZoroark...
Bem desculpe-me pela demora para comentar, andei um pouco ausente esses dias do fórum mas agora já estou de volta pronta para comentar sua fanfic, que por sinal esta cada dia melhor.
Bem os Pokémons que eles capturaram ao meu ponto de vista ficou perfeito, imagino cada um com seus respectivos Pokémons sem problema algum.
Como a Sabrinah falou não achei erros ortográficos.
Eu gostaria de dizer que se você continuar com tantos mistérios vai me fazer ficar doida esperando o próximo capitulo, você sabe que meu ponto fraco são mistérios.
Por fim continue nesse ritmo, pois sua fic melhora a cada dia e até breve meu amigo.
avatar
Lizzy
Membro
Membro

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 13/01/2010

Frase pessoal : Desistir nunca foi uma opção.


Ver perfil do usuário http://lost-daughter-of-zeus.tumblr.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Skynex em Qui 22 Set 2011 - 19:07

Olá gostei muito da sua Fanfic primeiramente porque você narra muito bem como outras pessoas ja haviam dito,
outra coisa que gostei é da história em si é envolvente, enquanto leio é como se estivesse realmente vendo o que acontece. Não achei erros de português e é só isso mesmo aguardo o próximo capítulo. \o
avatar
Skynex
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 09/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Qui 20 Out 2011 - 18:42

Olá a todos
é com grande infelicidade que devo dizer que, devido as provas do colégio, ficarei três semanas sem escrever a fanfic, o que me deixa chateado pois eu estava para acabar o ultimo capítulo. Peço que os moderadores não tranquem este tópico, pois pretendo continuar a fanfic o mais cedo possível.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Sweets em Qui 20 Out 2011 - 19:30

Após um mês de fanfic inativa trancaremos o tópico para evitar que alguns membros revivam o tópico, o que acarretará em alerts para o mesmo. Assim que você voltar, se sua fanfic estiver trancada, basta mandar uma MP a qualquer um dos FFM contendo o link de sua fanfic que nós a destrancaremos.
avatar
Sweets
Membro
Membro

Masculino Idade : 22
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/11/2009

Frase pessoal : Be extraordinary


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Sex 2 Dez 2011 - 19:40

Bom dia a todos
Desculpem a minha demora a voltar. Vou explicar o por que: Meu primo de quatro anos de idade caiu de uma gangorra e acabou quebrando a perna. Já que a mãe dele trabalha até as oito horas da noite eu tinha que cuidar dele durante a tarde, e isto tirou meu tempo de escrita. Mas agora estou de volta. Vamos aos comentários:
Sabrinah: Esse erro foi que deu preguiça de escrever as cinco letras. Espero que curta este capítulo.
Fox: Grande Fox! Obrigado pelos elogíos. Não posso lhe contar como ele preveu onde Ralts surgiria por que isso é um BIG SPOILER. Espero que goste deste capítulo.
Camila-Vamp: Já liga para a ambulância pois este capítulo está muito misterioso. Espero que curta ele.
Skynex: Obrigado pelos elogios. É isso que me faz querer trazer estes capítulos para vocês. Espero que goste bastante deste capítulo.

Deixo agora com vocês o capítulo.
Perigo à vista! Treinamento Necessário - Parte 1


Acordei aquela manhã transpirando em demasiado. Encostei a palma da mão na testa e comecei a respirar pesadamente. Havia tido um pesadelo, algo que não me acontecia há muito tempo. Lentamente comecei a relembrar-me do que acontecera na noite anterior; após termos retornado para o palácio fomos recebidos com um jantar. Após duas horas sentados a mesa, tempo que poderia ter sido consideravelmente menor não fosse David ter repetido quatorze vezes o prato, fomos em direção aos quartos, onde, um a um, fomos entrando no aposento designado.

- Então foi isso. – Falei, abrindo os olhos em seguida.

Mesmo estando com os glóbulos oculares abertos, não conseguia enxergar nem dez centímetros do meu próprio nariz. Achei isto um fato curioso pois, mesmo a noite, não era tão escuro. Sem escolha, utilizei-me do único artifício que poderia usar.


- Acorde, Chimchar. – Sussurrei, calmo.

Passados poucos segundos uma chama tomou conta do centro do quarto, juntamente a um pequeno macaco laranja desperto e alerta. A luz gerada pelo fogo ajudou a definir um pouco mais o quarto, que mais parecia uma xale ou um cômodo de hotel. Uma mesa redonda com duas cadeiras próximas a ela e um vaso florido sobre a estrutura. Em um canto, mais a esquerda do quarto, havia uma lareira e algumas toras ao lado. Uma janela, envolta por duas placas de madeira, encontrava-se sobre a mesa. Por fim, próximo a cama, havia uma porta que conduzia para um banheiro.


- Acalme-se Chimchar, está tudo bem. – Falei, tranquilizando o Pokémon.

- Chimchar. – Exclamou o pokémon macaco, reduzindo a intensidade de sua chama um pouco.

- Use o Flamethrower na lareira, por favor. – Pedi, levantando-me pesadamente.

Enquanto eu andava sonolentamente em direção a janela um clarão vermelho-alaranjado tomou conta do canto do quarto, diminuindo após alguns segundos. Quando fiquei defronte à janela, puxei com força as grades e comecei a puxá-las, abrindo-as após alguns segundos. A luz adentrou pela brecha de tal maneira que fui obrigado a fechar os olhos por alguns momentos. O aumento da luminosidade no aposento fez com que Zorua despertasse de seu sono, feliz por encarar um novo dia. Vir-me-ei para trás e andei em direção a Shinx, que dormia calmamente.

- Shinx, acorde. – Falei, afagando o pokémon.

Demorou um pouco, mas, por fim, ele acordou. Voltei a olhar pela janela, procurando constatar a posição do Sol. Sete horas. Nesse momento lembrei que Liza havia dito que o torneio começaria pontualmente á uma hora da tarde. Sem perder tempo peguei a mochila e joguei-a sobre as costas, virando-me então para a trindade de pokémons que conversavam alegremente.


- Vamos treinar. – Disse, sorrindo.

Pulei pela janela e bati com os pés no solo, levantando uma fina camada de poeira. Ouvi três outros golpes brutos contra o chão, sinalizando que Chimchar, Zorua e Shinx estavam logo atrás de mim. Diferentemente da frente do palacete, seus outros lados eram cercados por uma cobertura verdejante de árvores e flores. Abetos e carvalhos tornavam um caminho reto e claro dificultoso. Fiquei um tempo olhando para aquela paisagem, sem importar-me com nada mais. Todavia, como tudo possui um fim, levantei e fui andando até a entrada do palácio, seguido de perto pelo trio de pokémons. Ao atingirmos a frente do palácio, encontramos uma pessoa deitada sobre a sombra de uma árvore. Estava totalmente trajado com roupas pretas. Tinha cabelos curtos e rubros, cobertos parcialmente por um chapéu preto. Em seu colo um pokémon parecido com uma garota encontrava-se sorrindo. Tinha cabelos amarelos espetados e grandes lábios rosados. Seus olhos eram azuis e pele rosada. O homem parecia estar dormindo, mas ao notar nossa aproximação abriu os olhos subitamente, esboçando um sorriso levemente.


- Bom dia. – Falou o garoto, descontraído.

Sem dar atenção a ele, passei direto. Ouvi o garoto levantando-se e batendo nas roupas, tirando a poeira delas. Em seguida, ele se virou e voltou a sorrir, desta vez um pouco mais sério, porém.


- Pessoas educadas retribuem um comprimento, Fogo Negro. – Exclamou ele, tranquilamente.

Fiquei paralisado no mesmo momento em que aquelas últimas palavras foram proferidas. Meu sangue havia congelado. Uma gota de suor escorreu pelo lado de minha face. Sem virar-me para trás peguei a adaga em punho, pronto para qualquer situação.


- Fale o que você quer. – Articulei, friamente.

- Oh? Então resolveu falar comigo? – Perguntou o garoto em um tom sarcástico.

- Eu só vou dizer mais uma vez: fale o que você quer. – Repeti, olhando para trás.

- Relaxa, relaxa cara. Você tem que aprender a descontrair. – Falou o garoto, olhando para as nuvens. Em seguida, tirou de dentro de um dos bolsos um pedaço de folha rasgado. – Eu sei quem você é e sei porque está aqui, por isso acho que isto pode lhe interessar. – Explicou, colocando o papel no chão. – Até mais por hora.

Ao ouvi-lo dizer isso Smoochum abriu a boca, criando uma tempestade de neve ao redor deles. Em um segundo os dois haviam desaparecido completamente. Abaixei-me e peguei a folha. Escrito nela havia um pequeno parágrafo explicando sobre algo sobre a Battle Frontier de Zixus. Após ler o conteúdo soquei aquele fragmento em um dos bolsos e andei alguns metros, pegando em seguida o celular e ligando para um número.

- Fale o que precisa. – Disse uma voz feminina no outro lado da linha.

- Não necessito de nada. – Falei, sério. – É exatamente o oposto.

- Como assim? – Perguntou a garota, curiosa.

Antes de responder olhei para os lados, procurando ver se não havia ninguém por perto. Após certificar-me disso respirei um pouco e fechei os olhos, procurando me acalmar.


- Há alguém aqui que sabe sobre nós. – Falei, batendo o punho em uma árvore.

Por alguns momentos tudo estava silencioso, exceto alguns murmúrios ao fundo da ligação. Nem mesmo o vento ameaçava quebrá-lo. Passados alguns minutos uma nova voz pronunciou-se no telefone, desta vez masculina e mais velha.


- Você tem certeza, garoto? – Perguntou o homem, consternado.

- Absoluta. – Respondi, olhando para o chão. – Apesar de que ele não parece estar interessado em atrapalhar-nos.

- Não podemos correr riscos. Quer que mandemos reforços? – Inquiriu o professor, calmo como de costume.

- Negativo. – Repliquei, rápido. – Isso acabaria atraindo muita atenção, e isso é o do que menos precisamos no momento.

- Sabe, ás vezes eu odeio quando você tem razão. – Comentou o professor, com um tom de cansaço.

- Você não é o único. – Falei, rindo depois. Em seguida, virei para o trio de pokémons, que se encontravam deitados sobre a sombra de uma árvore. – Vamos indo.

Caminhamos por alguns minutos antes de chegarmos à entrada do vilarejo. Decidi procurar um novo local de treinamento e embrenhei-me entre a vegetação, seguido de perto por Zorua, Chimchar e Shinx. O trajeto era difícil. Não havia um caminho propriamente traçado e a abundância de raízes brotando do solo tornava fácil tropeçar. Após uma quantia significante de tempo conseguimos chegar a um bom local para treinar. Uma campina verdejante com algumas árvores frutíferas ao redor criava um local muito belo e propício para um treinamento. Retirei do bolso duas pokéballs e lancei-as para cima, liberando Sneasel e Gyarados. Após os cinco pokémons terem conversado um pouco, enfileiraram-se lado à lado, esperando por um comando.

- Aqui está a situação: Em alguns dias irá acontecer um triátlon e para vencê-lo precisaremos de um treinamento adequado. – Expliquei, olhando firmemente para eles. – Por hora façam alguns alongamentos.

Ao ouvirem as instruções os cinco começaram a mover seus corpos de uma maneira muito parecida com que se espreguiça. Enquanto eles o faziam afastei-me um pouco e retirei uma nova pokéball de dentro do bolso. Dentro dela havia um pokémon que encontrava-se deitado confortavelmente, com um olhar entediado em seu rosto.

- Quer treinar também? – Perguntei, sorrindo calmamente.

Ouvindo a questão o pokémon levantou a cabeça e olhou para o grupo que se alongava por alguns segundos, antes de voltar a deitá-la novamente sobre suas patas.

- Eu sei. Você está cansado. – Falei, encarando o objeto. – Tenha bons sonhos.

Tornei a guardar a pokéball no bolso. Dirigi-me em direção dos cinco pokémons, que esperavam pelas próximas ordens pacientemente.

- Faremos uma batalha em dupla. Chimchar e Zorua contra Gyarados e Sneasel. – Pronunciei, calmo. Em seguida, peguei uma pedra do tamanho de uma bola de tênis no chão e vir-me-ei para Shinx. – Quanto a você, pequenino, tente quebrar esta pedra. – Falei por fim, colocando o objeto no chão.

Enquanto Shinx atacava ferozmente o pedregulho com seu arsenal de ataques, os quatro outros pokémons posicionavam-se na clareira, prontos para a batalha. O vento diminuíra sua intensidade como se ansiasse por ver a batalha.

- Eu irei comandar Sneasel e Gyarados. – Decidi, calmo. – Chimchar, Zorua, vocês sabem o que fazer.

- Chim. – Confirmou o pokémon macaco, acenando com a cabeça.

- Zoru! – Respondeu Zorua, confiante.

Dei alguns passos antes de posicionar-me atrás da dupla de pokémons. Shinx parara de treinar para olhar o enfrentamento, ansioso por ver quem iria vencer. Uma solitária folha caiu da árvore e, ao atingir o chão, sinalizei para iniciarmos a batalha.

- Sneasel, X-Scissor. Gyarados, Hydro Pump. – Comandei, calmo.

O pokémon negro prontamente principiou um avanço em direção aos seus oponentes. À medida que se achegava da dupla, suas garras embolsavam um tom branco azulado ao redor de si. Ao mesmo tempo, Gyarados desferiu a partir de sua boca uma abissal lufada de água na direção de Chimchar e Zorua. Observando uma conveniência, Sneasel pôs-se em frente ao golpe de seu companheiro, utilizando-se dele para ganhar mais velocidade.

- Isso mesmo. Trabalhem em grupo. – Comentei, sorrindo.

Quando o ataque oponente chegou há alguns metros de distância, Chimchar saltou e criou dois anéis de energia ao redor de seu corpo. Logo, várias esferas tomaram o lugar dos aros e lançaram-se contra o pokémon serpente marinha. Sem ter chances de reagir, Gyarados foi atingido pelo ataque, parando o seu próprio por esse mesmo motivo. Por sua vez, Zorua deixou seus olhos serem tomados por uma coloração rubra por alguns instantes enquanto Sneasel avançava. Passados alguns momentos, cipós verdejantes e espinhosos brotaram do solo, envolvendo o pokémon raposa. Em um movimento rápido, Sneasel fez com que as garras de seus pés expandissem e fincou-as com força no chão, parando seu movimento quase que no mesmo instante.


- Gyarados, levante-se e... – Comecei, antes de cair sobre os joelhos.

Senti minha cabeça ficar mais leve e começar a vibrar. À medida que minha face ia de encontro à relva minha visão escurecia, até ter tornado-se totalmente negra. Quando tornei a enxergar me encontrei em um local novo. Estava em um aposento amplo e escuro, com um assoalho de madeira. Ao longe se podia ouvir o som nítido de chuva caindo. À medida que minha visão clareava consegui ver que havia mais duas pessoas no cômodo, um homem e uma mulher.


- Então é verdade, senhor? – Perguntou a mulher, com um tom frio em sua voz.

- Sim. – Respondeu o homem, rindo logo em seguida. – Após muito tempo todos iremos nos encontrar.

- Será interessante vê-los depois de tanto tempo. – Comentou a primeira, sorrindo maleficamente.

Aquela última sentença chamara minha atenção. Comecei a me aproximar, ainda que lentamente, da dupla de adultos, que continuavam a conversar em um tom frio. À medida que avançava conseguia sentir uma frieza incomoda subir e descer a minha coluna. Desviando minha atenção deste fato, tornei a olhar a conversa entre os dois.


- Quando será o encontro? – Perguntou a mulher, um tanto impaciente.

- Daqui a alguns dias no porto. – Explicou o homem, calmo. – De lá iremos para a nossa missão.

- Missão? – Repeti, um tanto curioso.

- Só espero que o cliente nos pague. – Murmurou a garota, ficando um tanto mais fria após o comentário.

Não sabia o porquê, mas aquelas palavras haviam me feito lembrar vagamente algo. Afastei-me um pouco da dupla, que dera uma pausa na conversa, e comecei a vasculhar em minha memória por alguma informação que me levasse a identificar aqueles dois. Todavia, por mais que eu vasculhasse minhas lembranças, não encontrei nada. Ao ver que o papo continuava, deixei de lado a minha pesquisa e tornei a olhar para eles.


- O pagamento será efetuado assim que conhecermos o cliente. – Explicou o homem, sério. – O bom é que receberemos adiantado.

- Você não conheceu o comprador? – Perguntou a mulher, curiosa.

- Negativo. – Confirmou o chefe, batendo o punho na parede. Sua força era tamanha que ele facilmente quebrou parte dela. – Ele mandou um intermediário em seu lugar. Seja lá quem ele for, possui plenos conhecimentos sobre este tipo de negócio.

Antes que eu pudesse ouvir mais sobre aquele papo minha cabeça tornou a ficar leve e minha visão começou a escurecer, até ficar totalmente negra. Quando voltei a mim percebi que me encontrava em um local totalmente novo. Uma clareira verdejante e repleta de coníferas ao redor se encontrava a minha frente. Uma luz alaranjada descia pela copa das árvores, sinalizando que deveria ser o início da manhã ou o final da tarde.

- Onde é que eu estou agora? – Perguntei, sem receber uma resposta, no entanto.

Enquanto eu olhava ao redor algo chamou minha atenção; um grande dragão azul acinzentado deitado no chão. Seus olhos eram amarelos e não tinham uma pupila. Dois chifres azuis claros brotavam de cada extremidade de seu crânio, sendo separados por uma crista amarela. Um longo pescoço ligava a cabeça com o resto do corpo. Seus braços verdadeiramente não faziam jus ao resto do corpo. Eram acanhados e cada um apresentava seu par de garras. Sobre estes membros havia duas enormes asas de formato um tanto estranho, cada qual com uma dupla de espinhos feitos de gelo. Suas pernas eram extremamente musculosas. Por fim, sua cauda possuía uma estrutura semelhante a um gerador, ainda que incompleto.


- Kyurem. Suas feridas ainda não sararam por completo? – Indaguei, na vaga esperança de receber uma réplica.

Como se tivesse ouvido o questionamento, utilizando-se de um grande esforço, o pokémon dragão levantou sua cabeça e olhou diretamente para onde eu me encontrava, mas logo tornou a deitar o membro. Passados alguns minutos uma nova movimentação tomou conta da clareira. Alguns pokémons começaram a adentrar por cada fresta, cada um carregando algo; alguns traziam frutos de tamanhos e formatos diferentes, outros traziam ervas e raízes. Todos se dirigiam para Kyurem e deixavam o item próximo a face do dragão, voando para buscar mais alguma coisa segundos depois.

- Estão cuidando do Kyurem. – Constatei, sorrindo gentilmente.

Ouvi alguns passos atrás de mim. Quando me virei para verificar quem era fiquei um tanto surpreso. Um pequeno pokémon pônei, com uma longa cabeleira vermelha aproximava-se calmamente. Um único chifre branco projetava-se de sua testa. A parte de trás de sua cabeça, bem como pescoço e cauda, era revestida por pelos de coloração azul clara.O resto de seu corpo possuía uma cor creme. O pequeno pokémon trazia em sua boca um musgo roxo, que brilhava um pouco.

- Keldeo. – Pronunciei, sem acreditar no que via.

Sem perder tempo o pokémon lendário se aproximou do dragão e acomodou o musgo sobre uma das cicatrizes dele. No mesmo instante Kyurem lançou um rugido gentil, como se estivesse agradecida. Keldeo sorriu um pouco e depois se deitou ao lado do maior, encarando o céu como se esperasse por algo. Olhei para onde o pokémon pônei pousava seu olhar e logo descobri o porque. Um novo pokémon entrava na clareira descendo de forma elegante sobre as árvores. Possuía uma aparência feminina, pele pálida e olhos de coloração azulada.Um pingente da mesma coloração de seus olhos repousava sobre sua testa. Próximo ao seus cabelos havia um adereço de coloração negra parecida com um coelho. Utilizava uma roupa preta com uma faixa verde na altura da cintura. Tinha um longo cabelo verde com algumas linhas e círculos mais escuros.

- Meloetta. – Falei, surpreso.

Neste momento minha cabeça tornou a ficar leve e vibrar enquanto minha visão escurecia rapidamente, até ficar totalmente negra. Quando voltei a enxergar percebi que voltara para a campina onde estava com meus pokémons. Conseguia ouvir o som de uma chama crepitando. Levantei-me em um pulo e, ao fazer isso, fui atirado de volta ao chão pelos cinco pokémons.

- Calma, calma pessoal. – Falei, sorrindo um pouco.

- Você não pode culpá-los. – Comentou um garoto pouco a frente. – Estavam preocupados.

Ouvir aquela voz foi um susto para mim. Tornei a erguer-me e encarei o garoto, que olhava diretamente para mim. Tinha um longo cabelo azul petróleo que lhe cobria um dos olhos. Usava uma camisa e calças de coloração cinza. Uma espécie de manto rubro cobria parcialmente o torso de seu corpo.

- Muito prazer. – Falou ele, sorrindo. – Eu sou Takuto*.
[Continua na próxima parte]
Obs: Eu sei que o nome dele em inglês é Tobias, mas como acho este nome um tanto ruim decidi deixar o nome original.

Fatos importantes:
  • Takuto é introduzido.
    É revelado que Kyurem está tratando suas feridas.
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Ter 10 Jan 2012 - 21:06

Desculpem a demora, mas fiquei duas semanas sem poder escrever devido a uma virose braba, mas, enfim, aí está o capítulo. Espero que aproveitem.

Perigo à vista! Treinamento Necessário - Parte 2


- Prazer. – Falei, retribuindo o gesto com a mesma maneira. – Felipe.

- Você está bem? – Perguntou Takuto, sentando-se em um tronco. – Está apagado a mais ou menos meia hora.

Fiquei surpreso com isso. Nunca ficara tanto tempo desmaiado. Senti uma pressão sobre o ombro esquerdo e nem precisei virar para saber que Chimchar acabara de subir nele. Estendi a mão para o Pokémon macaco e comecei a afagá-lo. Sem nada mais para fazer deitei no chão e fiquei observando as nuvens passarem lentamente por cima de nós, impulsionadas pelo vento gélido daquela manhã.

- Quer um marshmallow? – Inquiriu Takuto, estendendo um pacote.

- Não, obrigado. – Recusei, sorrindo um pouco.

Enquanto olhava para o céu algo chamara a minha atenção. Algo azul, pouco nítido a princípio, movia-se com enorme velocidade em nossa direção. Todavia, quando o objeto se aproximou alguns quilômetros, fiquei impressionado e um tanto maravilhado com quem era. Um dragão de médio porte azul e branco acabara de pousar junto a nós. Seu corpo tinha um formato aerodinâmico, o que aumentava sua velocidade em pleno vôo. Um triângulo vermelho centrado em seu peito chamava um tanto a atenção. Seus olhos tinham uma íris rubra e eram ligeiramente estreitos. Suas asas eram longas e finas, com um pequeno corte no final.

- Latios. – Falei, um tanto incrédulo. – O que um dos dragões de Eon está fazendo aqui?

- Encontrou alguma coisa? – Perguntou Takuto, olhando para o Pokémon.

- Tios. – Negou ele, movendo a cabeça de um lado para o outro.

- Certo. – Concluiu Takuto, um tanto desanimado. Em seguida, o garoto pegou uma pokéball do bolso e apontou para o dragão. – Volte.

Minha surpresa aumentou consideravelmente quando o raio vermelho envolveu Latios e o forçou para dentro do objeto. Olhei para Chimchar e Zorua, que se encontravam boquiabertos. Percebendo este fato, Takuto virou-se para nós e tornou a falar.

- Eu sei. É um tanto inacreditável. – Reconheceu Takuto, atiçando o fogo com um graveto.

- Um dos dragões de Eon. – Repeti, balançando a cabeça. – Realmente é algo que não se vê todo dia. Quer uma batalha? – Perguntei, com um olhar desafiador em meu rosto.

Takuto foi tomado de surpresa. Chimchar e Zorua deram uma risada leve e rápida, fazendo em seguida uma expressão séria. Shinx, desconhecendo a força do pokémon lendário, deitou-se confortavelmente na grama, tentando dormir um pouco. Sneasel pulou para cima do galho de uma árvore, procurando um local melhor para assistir a batalha. Gyarados deitou sua cabeça próxima a um carvalho, fechando os olhos em seguida e caindo em um sono pesado.


- Está bem. – Falou Takuto, sorrindo um pouco. – Contanto que seja uma batalha em dupla.

- De acordo. – Respondi, levantando-me em um salto.

Andei até o meio da campina acompanhado por Zorua e Chimchar. Do outro lado, Takuto movimentava-se no outro extremo do campo enquanto retirava duas pokéballs de seu bolso. Passados poucos minutos me estabeleci em um ponto enquanto Chimchar e Zorua posicionavam-se em minha frente.


- Como pode ser visto, Zorua e Chimchar serão os pokémons que irão batalhar comigo. – Falei, observando a dupla de pokémons.

- Certo. Aqui estão os que eu irei usar. – Disse Takuto, mostrando as duas pokéballs e lançando-as para cima logo em seguida. – Darkrai, Latios, saiam!

- Interessante. Outro lendário. – Comentei, sorrindo.

De uma das pokéballs saíra o dragão azul que eu conhecera um pouco antes. Em um rápido movimento, Latios voou em rasante contra os céus em alta velocidade, rasgando algumas nuvens em seu centro antes de retornar ao campo de batalha e posicionar-se em frente à Takuto. Da segunda pokéball saiu um pokémon negro, parecido com uma sombra. Sua cabeça era pequena e possuía uma substância branca fantasmagórica parecida com uma névoa no topo, que cobria um de seus olhos. Uma estrutura vermelha, recoberta com vários espinhos se apresentava ao redor do pescoço. Seus braços são esqueléticos e possuem três pares de espinho brotando dos cotovelos cada. Após contemplar por alguns minutos aquele magnífico pokémon, tirei uma moeda de dentro do bolso esquerdo de minha calça.


- Vamos começar quando esta moeda cair no chão. – Expliquei, em um tom calmo e indiferente. – De acordo?

- Sim. – Respondeu Takuto, de olhos fechados.

Com um impulso do polegar, lancei o dinheiro para cima, que começou a girar enquanto pairava. À medida que a moeda despencava tudo parecia mover-se em câmera lenta. A tensão no ar era tal que poderia ser cortada com uma faca. Quando finalmente ouviu-se o estalido do objeto confrontando-se com o chão tudo que havia no ar transformou-se em uma tensa atmosfera de batalha, tornando o simples ato de respirar difícil.


- Darkrai, Dark Void! – Exclamou Takuto, confiante.

- Chimchar, Protect. Zorua, Illusion. – Falei, sorrindo calmamente.

Curvando os braços levemente para trás, Darkrai formou em frente à palma de suas mãos duas esferas de cor negra rodeadas por uma aura violeta. Após concentrar uma boa quantidade de energia, o pokémon negro lançou os dois projéteis para frente, que moviam-se com incrível velocidade. Em resposta ao ataque, Chimchar rapidamente pôs-se em frente à Zorua e saltou, batendo o punho com força no chão ao retornar. Um domo de energia com uma coloração turquesa envolveu a dupla de pokémons menores completamente. Ao chocar-se contra o escudo, o par de esferas desintegrou-se como se fosse pó. Seguindo este momento de deslize adversário, Zorua deixou seus olhos serem tomado por uma coloração azul clara. Em instantes, um traçado púrpuro revestiu o corpo do pokémon raposa e raízes marrons, longas e grossas, brotaram em grande quantidade sobre o solo da dupla de lendários, envolvendo cada espaço possível do corpo deles.


- Latios, use Luster Purge! – Comandou Takuto, movendo o braço para frente.

Livrando-se momentaneamente das estirpes que cobriam sua face, o pokémon dragão abriu sua boca e quase que no mesmo instante faíscas brancas começaram a concentrar-se em um ponto. Segundos depois uma esfera de energia rosa começou a se formar em meio ao agrupamento de raios. Todavia, quando ia lançar o ataque novos laços projetaram-se para fora do solo, assustando o lendário e consequentemente cancelando seu ataque.


- O que aconteceu, Latios? – Perguntou seu treinador, confuso com o estado mental em que o pokémon se encontrava.

- O cérebro controla tudo. – Filosofei, olhando para as nuvens. – Tudo que os seres vivos sentem, vêem e pensam é resultante do sistema nervoso central. Se tivéssemos controle sobre isto poderíamos deixar de sentir dor, fome, sede, ódio e qualquer outra sensação negativa. A habilidade Illusion cria ilusões de tamanha perfeição que embaralha os sinais de recepção ótica, fazendo o adversário pensar que essas miragens sejam verdade. – Expliquei, sorrindo tranquilamente.

- Darkrai, Latios, isso é uma ilusão! – Gritou Takuto, tentando despertar seus pokémons para a realidade. – Acordem!

- Não adianta. – Assegurei, dando de ombros. – Eles estão tão assustados que não escutam voz alguma. Continuando a batalha... Chimchar, Flamethrower.

Inalando uma boa quantidade de ar, Chimchar inflou suas bochechas o máximo que pode, ficando com uma face duas vezes maior que o normal. Ao abrir a boca, o pokémon macaco liberou uma grande quantidade de chamas vermelho-alaranjadas na direção da dupla de lendários. Demorou poucos instantes para que Darkrai e Latios fossem engolidos por um mar de chamas, que aumentava a cada instante.

- Latios, Light Screen! – Comandou Takuto, voltando a se acalmar.

Uma fina camada de energia dourada e espelhada surgiu no centro do peito de ambos os pokémons lendários. À medida que os segundos passavam a armadura dobrava de tamanho e começava a revestir mais partes do corpo de Darkrai e Latios, até que ambos ficaram totalmente dourados. Percebendo que a dor diminuíra significativamente, a dupla de lendários, em um rápido movimento, saltaram para longe do fogo, evitando um dano maior.


- Estratégia interessante. – Comentei, sorrindo.

- Darkrai, Charge Beam! – Falou Takuto, ordenando o próximo ataque.

- Chimchar, Zorua, Double Team. – Sussurrei, serenamente.

Darkrai moveu o braço para frente enquanto uma esfera amarela desenvolvia-se em frente a sua mão. Segundos depois um raio de mesma coloração lançou-se do ponto central, com faíscas rodeando-o. Em uma reação defensiva, a dupla de pokémons menores deixou que seus corpos fossem tomados por uma luz branca e, segundos depois, dezenas de cópias idênticas apareceram ao redor da campina, tornando impossível localizar os verdadeiros. Ao atingir o solo, o ataque de Darkrai dissipou meia dúzia de oponentes, mas nenhum que fosse real.


- Latios, Aerial Ace! – Exclamou Takuto, sorrindo confiantemente.

Utilizando-se de sua grande velocidade o pokémon dragão lançou em direção aos céus, rasgando algumas nuvens durante sua ascensão. Ao chegar a uma altura realmente considerável, Latios lançou-se em uma descida fugaz com uma incrível velocidade. A mais ou menos meio quilômetro de distância entre o lendário e a dupla de pokémons adversários linhas brancas surgiram ao redor do corpo do primeiro. De repente, Latios fez uma curva brusca e avançou sobre um Chimchar e acertou-o com tudo no peito. Todavia, ao atingi-lo, todos os outros clones do pokémon macaco sumiu e este começara a ser empurrado em direção a uma árvore, criando um traçado de terra por trás. Tentando diminuir um pouco o dano, Chimchar colocou as mãos ao redor da cabeça de Latios, tentando diminuir a velocidade deste.


- Chimchar, Shadow Claw. – Falei, um tanto preocupado com o seu estado.

Com demasiado esforço, o pokémon macaco levantou o braço e apontou as garras para o pokémon lendário. Uma aura sombria revestiu a mão e o antebraço de Chimchar, dobrando de tamanho logo depois. Ele então atingiu o pescoço de Latios, lançando-o para o lado e parando a centímetros de se chocar contra uma árvore. Todavia, ao tentar dar um passo para frente, o pokémon macaco tombou de joelhos, mostrando que o dano havia sido maior do que se pensava.


- Dark Void! – Exclamou Takuto, sorrindo com a oportunidade.

- Chimchar, Magic Coat. – Falei, tentando proteger o pokémon macaco.

Em resposta ao comando, Darkrai inclinou o braço esquerdo levemente para trás. Uma esfera de cor negra com uma aura arroxeada ao redor começou a formar-se em frente ao membro. Ao terminar de carregar energia, o pokémon negro lançou-a em direção a Chimchar, que se encontrava apoiado próximo a uma árvore. Em resposta ao ataque de seu adversário, o pequeno macaco deixou seus olhos serem tomados por um brilho dourado. Instantes depois o corpo dele e Zorua foram envolvidos por uma energia escura. Quando o ataque de Darkrai o atingiu não aconteceu nada e o pokémon fogo continuava em seu estado anterior.


- Latios, levante e use Luster Purge! Darkrai, Ice Beam! – Comandou Takuto, sério.

- Zorua, Chimchar, Dark Flame. – Falei, sorrindo calmamente.

Sem perder tempo, o pokémon dragão alçou vôo e posicionou-se ao lado do outro lendário. O primeiro então abriu a boca, o que fez com que faíscas brancas começarem a se projetar em frente a ela. Segundos depois, os raios deram lugar a uma esfera de cor rosa que, em seguida, projetou um raio na direção de Chimchar. Tentando apoiar seu parceiro, Darkrai uniu suas mãos e criou um globo de cor azul gélida entre elas. Ele então moveu suas mãos para frente e o pequeno amontoado de energia ficou um pouco maior. Por fim, Darkrai atingiu a esfera com as palmas das mãos e múltiplos raios gélidos se desprenderam, indo em direção ao pokémon macaco. Vendo que seu amigo estava em perigo, Zorua desfez-se de seus clones e colocou-se em frente a ele. Posteriormente a pequena raposa permitiu que seus olhos fossem tomados por uma coloração negra. Zorua abriu a boca e propeliu uma boa quantia de círculos negros envolvidos por uma aura azul. Finalmente, Chimchar desprendeu uma grande quantia de chamas escarlates de sua boca. A meio caminho de colidir contra o ataque dos lendários, os golpes dos pokémons macaco e raposa se entrelaçaram, originando uma labareda duas vezes maior e totalmente negra.


- O que é isso?! – Perguntou Takuto, surpreso com o ataque.

- Dark Flame. – Respondi, calmamente.

Finalmente houve o impacto entre os dois ataques, resultando em uma onda de calor que se espalhou pela planície. Sneasel foi lançado para trás devido a uma rajada de vento que fora formada pelo enfrentamento dos golpes. A princípio, os três ataques igualaram-se em poder, mas com o tempo os lendários começaram a subjugar Zorua e Chimchar. Olhei para os dois e percebi que a estavam ficando cansados rapidamente, pois controlar a energia de seus ataques para que ficassem em um mesmo nível era desgastante. Todavia, passados mais alguns instantes A tensão entre os ataques causou uma explosão, levantando uma cortina de fumaça na área que em segundos cobriu os quatro pokémons que estavam batalhando. Vários minutos depois o denso nevoeiro finalmente dissipou-se, revelando primeiramente Darkrai e Latios pousados no chão, sem mais a proteção dourada ao redor de seus corpos. No outro lado do campo encontravam-se Zorua e Chimchar, deitados e respirando pesadamente. Vendo a cena eu sorri um pouco e comecei a andar em direção a dupla de pokémons menores, tirando de um bolso duas diminutas frutas de casca esponjosa e azul. Entreguei-as ao par, que se deliciaram felizes com o alimento. Vir-me-ei então para Takuto, com uma expressão calma em minha face.


- Eu desisto. – Falei, em um tom sossegado.

- O quê?! – Indagou Takuto, transtornado.

- Justamente o que comuniquei. – Repliquei, sorrindo calmamente. – Chimchar e Zorua encontram-se extenuados devido à força requerida para manter o Dark Flame por tanto tempo. Não conseguiriam se defender do seu próximo ataque. – Reconheci, descontraído. – Um bom treinador sempre deve colocar a saúde de seus pokémons em primeiro plano.

Retirei de dentro do casaco duas pokéballs e recolhi Sneasel e Gyarados para dentro delas. Empregando um pouco de esforço, Chimchar pulou para cima de meu ombro. Peguei Shinx no colo, enquanto Zorua levantava-se e começava a andar, ainda que lentamente.

- Até mais. – Falei, dando um aceno de mão rápido para trás.

O caminho de volta fora relativamente mais prolongado. Zorua e Chimchar estavam cansados da batalha contra os pokémons de Takuto e precisamos parar algumas vezes a fim de deixá-los recuperar o fôlego. Mesmo assim, avançávamos rumo ao vilarejo e em uma hora tornávamos a ver os portões do palácio do vilarejo. Em frente a ele encontravam-se Liza, David, Mary, Jack, May, Ussei e Janine, já arrumados para o torneio.


- Onde você estava?! – Perguntou David, em um misto de raiva e impaciência.

- Colhendo frutas vermelhas. – Brinquei, utilizando-me um tom irônico. Em seguida, olhei para o restante do grupo, deixando o treinador sonhar com os frutos citados. – Vamos então? – Perguntei, virando-me de costas.

- Espere. – Falou Liza, com um tom calmo. Vir-me-ei para ela, procurando saber o motivo da espera.

- Pois não senhorita? – Perguntei, um tanto cansado. – O que desejas?

- Preciso que vocês façam algo antes do torneio iniciar. – Pediu Liza, utilizando-se de uma voz séria e doce.

Fiquei intrigado com o tal pedido. David, vendo que isso criaria uma demora maior, virou-se bufando de raiva e com a face totalmente vermelha, expressando claramente impaciência.

- Shinx, dá um Thundershock nele para acalmar. – Pedi, suspirando de tédio.

- Shin, shin... – Replicou Shinx, aproximando-se lentamente de David.

Percebendo a aproximação do pokémon relâmpago, David começou a correr desesperadamente, procurando proteger-se do ataque. Em resposta, Shinx envolveu seu corpo em eletricidade e disparou um raio de eletricidade azul em direção ao treinador, eletrocutando-o.


- Você dizia... – Falei, tentando retomar o rumo da conversa.

- Bom, sempre antes da abertura do torneio nós fazemos uma batalha em dupla para a cerimônia de abertura. – Explanou Liza, sorrindo levemente. – Vocês poderiam fazer esta batalha?

- Três, dois, um... – Contei, dando um passo para o lado em seguida.

Um forte vento atingiu-nos e instantes depois David encontrava-se de pé ao meu lado, em grande euforia. Julgando o estado em que ele se encontrava tampei os ouvidos com as mãos e segurei com força, prevendo o que aconteceria.


- Eu quero participar! – Gritou o treinador, entusiasmado. – É uma ótima chance de mostrar minhas habilidades para todos!

- Habilidades? Sei. – Ironizou Jack, sorrindo um pouco. – Eu vou lutar do lado dele. Pelo menos assim não passa vergonha.

- Bom, acho que tentar não custa nada. – Disse May, alegre.

Olhei para o resto do grupo. Mary encontrava-se um pouco sonolenta e piscava os olhos freneticamente, Janine olhava para o lado um tanto desinteressada e Ussei estava... Sendo ele mesmo. Suspirei um pouco e vir-me-ei para Chimchar, o qual deu de ombros e assentiu com a cabeça.


- Estamos dentro. – Falei, sério.

Caminhamos por boa parte do vilarejo enquanto nos dirigíamos para o local em que seria realizado o torneio. De tempos em tempos alguns punhados de treinadores apareciam, dirigindo-se para a mesma direção. Levaram-se alguns minutos para que pudesse ser vista a estrutura em que o evento seria feito. Um estádio um tanto pequeno, da mesma altura que as mais elevadas hospedarias do vilarejo. Arcos largos davam acesso ao campo e escadas externas levavam em direção à platéia. Um som agradável e suave, quase hipnótico, desprendia-se do local, como se chamasse a todos para adentrá-lo. Sem perder tempo, passamos pelo portal mais próximo e avançamos até entrar no campo. Ali se encontravam vários treinadores, todos conversando entre si. Havia cinco campos dispostos pela arena. O maior era também o mais simples, de coloração acinzentada e constituída de lajotas. Em cada diagonal posicionava-se outro campo, significativamente menores. O primeiro era uma planície recoberta por gramíneas verdejantes e algumas poucas árvores dispostas por sua extensão. O segundo era uma piscina de água cristalina, que possuía algumas plataformas multicoloridas distribuídas por sua extensão. O terceiro era um lugar desértico e rochoso, com uma espécie de “piscina” de areia no centro da arena. O quarto e ultimo era um campo de gelo com algumas rochas feitas do mesmo material espalhadas pelo campo.


- Aqueles que vão batalhar subam na arena, os outros se juntem aos demais treinadores. – Informou Liza, em um tom baixo.

- Entendido. – Respondi, sério.

Separando-se de nós, Mary, Janine e Ussei pararam de andar e dirigiram-se para a massa conjunta de treinadores. Sem pronunciar uma só palavra continuei a seguir Liza, pensando em qual pokémon usar durante a batalha. Chimchar havia concordado, contudo estava cansado e a batalha poderia ser problemática. Para dificultar a situação, eu ainda não sabia o pokémon que May usaria, uma situação que poderia ser como uma faca de dois gumes. Quando dei por mim, já subia pelos últimos degraus da diminuta escadaria lateral. Andamos até o centro da arena, onde Liza adiantou-se e tomou a dianteira do grupo, ao mesmo tempo em que virávamos para a massa de treinadores, que silenciava-se ao perceberem que a senhorita preparava-se para discursar.


- Primeiramente, peço-lhes obrigado por desviarem-se de suas jornadas para participarem deste evento. – Começou Liza. Sua voz era formal e suave. – Irei lhes explicar as regras do torneio de batalhas. O estilo da competição é em mata-mata, ou, em outras palavras, uma partida em que o vencedor avança para a batalha subsequente e o derrotado é eliminado da disputa. – Explicou Liza, em uma tonalidade calma. – Vocês serão separados em oito grupos aleatoriamente, sendo que aqueles que os vencedores irão avançar para as finais. Só poderá ser utilizado um pokémon por batalha durante as eliminatórias e três durante as finais. Alguma dúvida? – Perguntou a senhorita, sorrindo.

Houve alguns murmúrios entre os treinadores, mas nada que viesse há ser uma pergunta. Analisei as regras do torneio e achei proveitoso para todos os envolvidos este esquema de torneio. Passados alguns minutos, Liza tornou a falar.


- Agora, para iniciar o torneio teremos a tradicional batalha de abertura! – Exclamou Liza, sinalizando em seguida para que tomássemos nossas devidas posições. – De um lado encontram-se David e Jack, enquanto no outro estão Felipe e May. – Apresentou-nos, sorrindo suavemente. – Sem mais delongas, podem começar esta batalha!

- Pokéball, vai! – Exclamaram os outros três, lançando os objetos para cima.

À medida que os artefatos voavam, Chimchar saltou de meu ombro e posicionou-se no campo de batalha. Só conseguia pensar em acabar a batalha o mais rápido possível para assim evitar que o pokémon macaco ficasse seriamente injuriado. Quando todos os objetos bateram no centro do campo, três raios de luz foram lançados de dentro dos itens, trazendo logo em seguida os pokémons que iriam batalhar.

[Continua no próximo capítulo]

Prévia do próximo capítulo:
Olá a todos. Aqui é o David, e no próximo capítulo eu e Jack iremos ter uma batalha alucinante contra o Felipe e a May, mas Chimchar está batalhando um tanto defensivamente. O que será que está acontecendo? Tudo isso e muito mais em: Double Battle! Zweilous, o Dragão Poderoso!
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Qui 12 Jan 2012 - 21:23

Dark o/
Foi mal eu não ter comentado antes, eu nem vi que você tinha lançado um cap novo.
Como sempre, sua escrita está ótima, as batalhas são sempre perfeitamente narradas, sua descrição é incrível, e a própria história da Fic é muito interessante.
Estou esperando bastante desse torneio, acho que algo importante vai acontecer nele.
Espero o próximo o/
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Sex 13 Jan 2012 - 21:21

Oi.

Finalmente vim comentar. Inicialmente não gostei do estilo de formatação dos dois primeiros capítulos, mas depois melhorou bastante. Quanto a historia também achei clichê no inicio, mas você soube usar como forma de apresentação e desenvolveu uma historia interessante. Parabéns. Também gostei muito da descrição.

É isso! Continuarei a acompanhar a fic.
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Qui 19 Jan 2012 - 22:53

Boa noite a todos. Primeiramente, vamos aos coments:
~Fox: Foquix!! Não precisa se desculpar, o importante é que você já viu e comentou. Será que algo importante irá acontecer? Só lendo para descobrir...
Roberto13: Obrigado pelos elogios. Eu já havia lhe avisado via MSN que os primeiros capítulos estavam muito ruins. Espero que goste deste capítulo.

Sem mais delongas, passemos ao capítulo com a mais longa batalha que já escrevi na história da fanfic.
Double Battle! Zweilous, o Dragão Poderoso!

Vindo da pokéball de David surgiu um pokémon pinguim filhote de cor índigo. Seus pés eram pequenos e ovulares de cor amarelada. Seu tórax e braços eram de uma coloração ligeiramente mais clara que a da penugem que lhe recobria a cabeça e a cauda. Havia dois círculos claros em seu peito, os quais se pareciam com botões de um terno. Dois olhos ovais do mais profundo anil posicionavam-se em sua face redonda, próximos a um bico dourado extremamente afiado. Uma marca parecida com uma coroa posicionava-se sobre o seu bico, dando-lhe um ar de realeza. Ao lado de Chimchar posicionava-se elegantemente um pokémon aparentado à uma raposa. Sua pelagem, tingida de uma cor tão clara como o céu azul do inverno, parecia pronta para congelar a qualquer momento e, mesmo assim, surpreendentemente aconchegante. Uma ossatura parecida com um gorro projetava-se de sua testa, sendo de uma vivacidade semelhante à das penas de Articuno. Suas orelhas eram demasiadas longas e o seu interior era, assim como suas patas, olhos, duas marcas em formato de diamante sobre suas costas e a ponta de sua cauda, possuíam uma cor igual a do petróleo. No entanto, entre todos os pokémons em campo, o mais adventício e possivelmente nuvioso era o que fora lançado por Jack. Um pokémon dragão quadrúpede e com duas cabeças encontrava-se posicionado ao lado do pinguim, o qual era deveras insignificante levando em consideração o tamanho de ambos. Suas duas cabeças deviam bater no estômago de David. Suas pernas dianteiras eram musculosas e resistentes, tendo cada uma um par de garras afiadas. Em adverso, suas patas traseiras não possuíam tanta massa muscular, sendo ligeiramente mais frágeis e arqueadas. Uma pelagem cinza enegrecida cobria-lhe da altura da espádua até o topo de suas cabeças. Tufos de pelos caiam-lhe sobre os olhos, tornando sua visão limitada ou até impossível. Perguntava-me até se o pokémon possuía mesmo algum globo ocular. Sobre suas omoplatas havia duas longas e delgadas asas. Duas listras rosadas passavam por baixo de seu peito. Porém, o mais estranho era que cada cabeça parecia possuir uma personalidade totalmente diferente. A da esquerda era calma e silenciosa, comportando-se extremamente bem. Já a localizada na direita era exatamente o oposto; agitada, desordeira e inquieta. Instintivamente retirei a pokédex e apontei-a em direção ao dragão. Percebi em seguida que David fazia o mesmo movimento, mas direcionava a sua para o pokémon que situava-se em frente a May.

- Zweilous, o pokémon hostil. É a forma evoluída do Deino. Depois de devorar todos os alimentos de seu território, ele muda-se para uma nova área. Suas cabeças não se dão bem.Informou o objeto, em sua costumeira entoação mecânica.

- Glaceon, o pokémon neve fresca e a forma evoluída do Eevee. Ele pode criar pequenos cristais de gelo em torno de seu corpo baixando a temperatura do ambiente.Notificou o objeto, voltando a desligar-se logo em seguida.

- Legal. – Disse David, após colher informação sobre o adversário.

- Chimchar, Double Team. – Falei, com uma expressão séria em minha face.

Ao som do comando, um brilho branco envolveu o corpo do pokémon macaco rapidamente. Posteriormente várias cópias, tão idênticas ao original que seria difícil de distingui-los, começaram a aparecer pelo campo, velozmente aproximando-se dos oponentes. Piplup deixou-se intimidar pela aproximação dos oponentes e encolheu-se um pouco, mas Zweilous nem percebera; suas cabeças estavam demasiadas ocupadas lutando uma contra a outra.


- Zweilous, Work Up! – Exclamou Jack, significativamente calmo mediante a situação.

Uma aura brilhante e avermelhada revestiu todo o corpo do pokémon negro, porém desapareceu instantes depois. Achei um tanto estranho aquilo, mas logo deixei para lá e tornei a focar-me na batalha.


- Para que serve este movimento? – Perguntou David, intrigado pela energia vermelha ter se desfeito.

- Verás durante esta batalha. – Prometeu Jack, sem desviar o olhar do campo.

- Glaceon, use Ice Beam nas pernas do Zweilous. – Comandou May, sorrindo.

- Como se eu fosse deixar! – Disse Jack, movendo um dos braços para frente. – Use o Dark Pulse!

Rapidamente o pokémon gelo moveu-se para frente, pondo-se dentro da batalha. Seguindo em uma sequencia de movimentos, Glaceon abriu a boca e formou em frente a ela uma esfera de um tom de azul. Instantes depois, vários raios de mesma coloração saíram do globo, indo em direção ao oponente. Em resposta, o pokémon dragão moveu ambas as suas cabeças para frente e projetou entre elas uma esfera branca. Em seguida, Zweilous impeliu, vindo do globo anteriormente formado, um raio de círculos arroxeados. Ao acontecer o confronto entre os ataques, o golpe do primeiro começara a sobrepujar rapidamente o do segundo, todavia tudo mudou pouco depois, quando uma aura avermelhada tomou conta novamente do corpo de Zweilous.


- Mas o quê?! – Indagou David, surpreso pelo retorno da camada de energia.

- Surpresa. – Falou Jack, sorrindo de relance.

- Chimchar, Protect. – Sussurrei, de modo que somente o pokémon percebesse.

Em um súbito movimento, o macaco de fogo desfez-se de seus clones e pulou para o lado de Glaceon. Sem perder tempo, o pokémon deu um pequeno salto e bateu o punho no chão, sorrindo após fazê-lo. Uma barreira de coloração turquesa materializou-se a partir do chão e expandiu-se ao redor da dupla, até fazer um domo de luz perfeito. Reconhecendo o que era o domo, Glaceon parou de usar seu ataque e encarou Chimchar, expressando agradecimento em sua face. Sem ter mais uma resistência em sua frente, o Dark Pulse de Zweilous avançou com força total, mas foi desmantelado ao chocar-se com a barreira criada pelo pokémon macaco.Após bloquear o golpe do oponente, a proteção desfez-se tranquilamente.


- Não vamos ficar parados, Piplup! – Encorajou David, sorrindo. – Use o Bubblebeam!

- Glaceon, Mirror Coat! – Proferiu May, em um tom alegre e feliz.

- Zweilous, Body Slam! – Disse Jack, confiante em marcar algum dano.

- Counter. – Falei um tanto sério, mas ao mesmo tempo descontraído.

Um azul claro tranquilo e brilhante tomou conta do bico de Piplup enquanto contraía o corpo para reunir energia. Ao abrir o membro, o pokémon pinguim lançou um verdadeiro vendaval de bolhas transparente contra seus oponentes. Em resposta, Glaceon moveu-se para frente de Chimchar e levantou a cabeça, sorrindo brilhantemente. Seguindo isto, uma fina camada de energia, brilhante e espelhada, tomou conta do corpo do pokémon gélido. Mesmo recebendo o ataque de Piplup, Glaceon não se moveu nem mesmo um centímetro e, após sofrer o impacto de todas as bolhas, revidou lançando um raio pálido. Quando foi atingido, o filhote de pinguim foi atirado alguns metros para trás, quase caindo da plataforma no processo. Aparentemente sem ter percebido o ataque em seu parceiro, Zweilous esticou suas asas e começou a batê-las furiosamente, levantando vôo. Conforme subia, mais se aproximava da posição em que Chimchar se encontrava, e quando se posicionou sobre ele, parou de agitar suas asas, despencando em grande velocidade ao mesmo tempo em que uma aura avermelhada tomava conta de seu corpo. Sem esperar pelo contato, Chimchar saltou em direção pokémon dragão. Poucos segundos antes da colisão, uma linha laranja envolveu o macaco de fogo. Quando Zweilous atingiu o adversário algo completamente inesperado ocorreu; ao invés de prensá-lo contra o chão, o dragão negro foi atirado de volta para o lugar onde estava na arena, batendo duramente de com o lado esquerdo do corpo. Com o impacto, algumas rachaduras projetaram-se nas lajotas próximas a ele.


- O que foi isso?! – Perguntou David, surpreso.

- Counter. – Respondi, sorrindo calmamente. – Esse movimento faz com que o oponente receba o dobro do dano recebido pelo usuário por meio de um ataque físico. Além do mais, por ser do tipo lutador, foi super efetivo contra o pokémon de Jack. – Expliquei, dando de ombros. Vir-me-ei para olhar Chimchar, que, apesar do dano recebido, encontrava-se relativamente bem. Olhei então para May que se encontrava fazendo o mesmo gesto em minha direção. – May, é a sua chance.

- Certo. Glaceon, use Shadow Ball! – Comandou a coordenadora, animada com o desenrolar da batalha.

- Como se fossemos deixar! Piplup, bloqueie com Water Pulse! – Orientou David, determinado a proteger Zweilous.

Uma esfera mediana, negra e arroxeada ao mesmo tempo, começou a formar-se próxima a boca do pokémon de gelo à medida que ele avançava. Ao atingir o tamanho desejado, o globo foi lançado em direção ao dragão negro, que começava a levantar-se com dificuldades. Piplup moveu suas nadadeiras para frente e começou a moldar, entre elas, uma esfera azul com um ponto brilhante em seu centro. Decorridos alguns instantes, O pokémon pinguim soltou momentaneamente a bola e bateu-a com uma de suas nadadeiras, impulsionando-a contra o ataque de Glaceon. Ao acontecer o encontro dos movimentos, uma esfera consumiu a outra, espalhando água em alguns lugares do campo.


- David, quero que você faça uma coisa. – Pediu Jack, olhando para seu pokémon.

- Estou ouvindo. – Respondeu David, sem desviar o olhar do campo.

- Faça o Piplup usar o Hydro Pump nas costas do Zweilous. – Disse Jack, que, apesar da loucura que falara, encontrava-se inflexível.

- O quê?! – Indagou David, surpreso. – Ficasse louco? – Duvidou, dando alguns passos para o lado oposto ao em que se encontrava o outro.

- Zweilous é um pokémon dragão, logo não irá levar um dano exorbitante. – Explicou Jack, impassível. – Além do mais eu tenho um plano. – Revelou, sorrindo levemente ao final da frase.

- Se você diz... – Falou David, dando de ombros. – Piplup, Hydro Pump nas costas de Zweilous! – Comandou o treinador, um tanto desconfortável com a situação.

Apesar de ter estranhado o comportamento do treinador e recusar-se a fazê-lo logo de cara, o pokémon pinguim mudou de ideia e logo pôs-se a acatar o pedido. Ao abrir o bico, um brilho turquesa tomou conta de seu interior e, seguindo este movimento, lançou uma poderosa torrente de água com círculos brancos rodeando-a. Sem pestanejar, o dragão de duas cabeças colocou-se em frente ao ataque, sendo lançado velozmente em direção aos seus adversários.


- Estratégia interessante. – Comentei, esboçando um leve sorriso.

- Zweilous, Head Smash! – Disse Jack, revelando seu às na manga.

- Evasiva. – Falamos eu e May ao mesmo tempo, procurando proteger nossos pokémons de machucarem-se.

Uma aura branca azulada envolveu o pokémon dragão enquanto ele movia seu par de cabeças para frente de seu corpo. Enquanto avançava as chamas vermelhas tornaram a rodeá-lo e, combinadas com o azul já presente, tornou a aura que envolvia o pokémon em um tom de roxo. Em resposta, Chimchar e Glaceon tentaram desviar, mas o impulso proporcionado pelo Hydro Pump de Piplup era tamanho que antes mesmo que a dupla de pokémons conseguisse se mover para os lados foram atingidos, levando um bom dano. Zweilous rugiu em comemoração e voltou para perto do pokémon pinguim, o qual também comemorava.

- Yahoo! – Festejou David, socando o ar. – Não é que funcionou?

- O que acha de repetirmos a dose? – Perguntou Jack, com um tom de desafio em sua voz.

- Agora mesmo! – Confirmou David, sorrindo. – Piplup, Hydro Pump!

- Zweilous, Head Smash! – Comandou Jack, com a vitória brilhando em seus olhos.

A sequencia de movimentos foi feito novamente e, em instantes, o pokémon dragão avançava velozmente em direção aos seus adversários com uma aura roxa a desprender-se de seu corpo, os quais começavam a se levantar com demasiada dificuldade.


- Chimchar, continue deitado. – Falei, calmo.

- Glaceon, evasiva! – Exclamou May, tentando impedir mais danos em seu pokémon.

Em uma velocidade assustadora, Zweilous movia-se em direção ao par que se encontrava ainda próximos ao chão. Obedecendo ao comando, Chimchar e espremeu-se o máximo que pode contra o chão, em uma tentativa de evitar o ataque. O pokémon dragão tentou atingi-lo com suas cabeças, mas devido a sua velocidade exagerada passou por cima de seu oponente antes mesmo que conseguisse movê-las para baixo, sendo substituído por uma torrente de água que passava a milímetros de Chimchar.


- Thunderpunch. – Sussurrei, sorrindo logo em seguida.

Faíscas amarelas começaram a surgir ao redor do punho do pokémon macaco. À medida que ele movia o punho em direção a enxurrada de água, as centelhas iam aglomerando-se em sua mão e transformando-se em uma camada de eletricidade gradativamente. Ao atingir o turbilhão, o que antes era azul virara amarelo e grandes relâmpagos podiam ser vistos atirando-se para fora do líquido. Em instantes, Zweilous e Piplup estavam sendo eletrocutados fortemente, sendo que o segundo caíra pouco depois, nocauteado. Toda via as notícias não eram apenas positivas; mesmo com o ataque, Zweilous não parara de avançar e atingiu novamente Glaceon com suas cabeças, jogando-o de encontro ao chão novamente. Ao tentar levantar-se, o pokémon neve fresca caiu de novo, ferido.


- Glaceon! – Gritou May, preocupada.

- Piplup está nocauteado e Glaceon encontra-se deteriorado de mais para continuar a luta. – Anunciou Liza, afirmando o fato. – Treinadores, retirem esses pokémons do campo, por favor. Eles serão tratados assim que a batalha acabar. – Informou, com um tom de pena em sua voz. Ficara claro que ela não gostava de batalhas que chegassem a esse ponto.

Sem ter mais nada a fazer, David e May retiraram cada um uma pokéball e chamaram seus pokémons para o interior delas. Fiquei um tanto triste pelos dois, mas não tirei o olhar do campo de batalha e nem ousei dizer uma só palavra, pois Zweilous tornava a virar-se para Chimchar.

- Vamos acabar com isso, Zweilous! – Decretou Jack, perdendo de vez a paciência. – Use Thunder Fang!

- Chimchar, faça. – Falei, no tom mais sério que pude arranjar.

Entendendo o comando após alguns segundos, o pokémon macaco fechou os olhos e começou a respirar lentamente. Zweilous rugiu fortemente e abriu uma de suas bocas, que teve os caninos tomados por uma coloração amarelada. À medida que corria na direção de Chimchar, suas presas começavam a emanar pequenas faíscas. O pokémon então lançou as presas na direção do peito do pokémon macaco, mas este movera o braço e enfiara-o dentro da boca do dragão. Descargas de eletricidade começaram a correr pelo corpo do alvo, mas este continuava calmo e respirando profundamente.


- Como? – Perguntou Jack, incrédulo.

Zweilous começou a forçar mais, tentando provocar alguma mudança de expressão na face de Chimchar, mas nada ocorreu. Passou-se um minuto, tempo no qual o pokémon parecia continuar em um sonho profundo, até que ele abrisse os olhos e esboçasse um grande sorriso.


- Chimchar, Focus Punch. – Falei, calmo.

Utilizando-se do braço ainda solto, Chimchar criou uma esfera de luz azulada ao redor de seu punho. Sem perder tempo o pokémon atirou a mão contra o pequeno espaço entre os pescoços de Zweilous. Uma explosão de energia ocorreu quando Zweilous foi atirado contra uma das muretas de segurança do estádio juntamente com Chimchar, pois o dragão negro ainda segurava-lhe um dos braços com a boca. Felizmente para o pokémon macaco, ele acabou batendo sobre Zweilous, salvando-se de se machucar seriamente. O pokémon dragão tentou erguer-se mais uma vez, mas caiu, nocauteado.


- Zweilous está impossibilitado de continuar a lutar. – Constatou Liza, virando-se para mim e May logo em seguida. – O que quer dizer que Felipe e May são os vencedores!

Um estouro de palmas e palavras comemorativas começou a soar de todos os presentes no estádio. Jack pegou a pokéball de seu pokémon de dentro da manga da camisa e chamou-o para dentro do objeto. Desci da arena e fui, juntamente de Zorua e Shinx, até onde Chimchar se encontrava. O macaco girava o braço que fora atacado por Zweilous em uma tentativa de ver se tudo estava em seu devido lugar. Assim que cheguei a seu lado agachei-me para ficar no mesmo nível que ele e sorri gentilmente.

- Você fez uma ótima batalha. – Reconheci, passando-lhe a mão sobre a cabeça.

- Chimchar... – Falou o pokémon, em um tom cansado.

Coloquei-o sobre o meu ombro e andei até onde David e os outros estavam. Quatro guerreiras de Liza apareceram trazendo consigo três cristais amarelos com espinhos por toda sua extensão e uma garrafa de água. Reconheci a que andava na frente como sendo Maki, a guerreira que eu fizera de refém no dia anterior.


- Peguem estes itens e entreguem aos seus pokémons. – Informou a guerreira, sem nenhuma expressão facial.

David, May e Jack pegaram os cristais e os deram de comer para seus pokémons. Após engoli-los, os três tornaram a ter a mesma disposição que possuíam antes da batalha, não demorando muito para que as cabeças de Zweilous voltassem a lutar uma contra a outra. Peguei a garrafa de água, agradeci as guerreiras, as quais se retiraram após isso, e entreguei-a a Chimchar, que bebeu o líquido com prazer. Liza esperou que as vozes se silenciassem antes de tornar a falar.


- Agora que esta empolgante batalha terminou dirijam-se para a sala de espera, por favor. – Pediu Liza, indicando um portão de mais ou menos dois metros de altura e quatro de largura. – Lá dentro, encontraram alguns panfletos que mostram em que grupo vocês se encontram. Iremos dar dez minutos antes de começarmos o torneio.

Andei calmamente juntamente aos outros em direção ao portão. O interior do corredor tinha uma cor de marfim e era bem iluminado, tendo algumas janelas para o exterior do estádio. Andamos amontoados entre nós e outros treinadores antes de chegarmos à sala de espera que fora dita por Liza. O local era bem amplo e as paredes possuíam uma cor azul metálica. Alguns vasos de plantas diversificadas e bancos de madeira estavam espalhados pelo interior da construção. Havia também algumas televisões espalhadas pelo local, com uma espécie de bancada rubra na frente de cada uma, todas possuindo um controle remoto. Ao lado da porta, em uma mesinha um tanto rudimentar, haviam alguns panfletos, os quais Liza havia mencionado antes. Tentando evitar a multidão que se aglomerava ao redor da mesa, esperei que todos pegassem o seu e tirei uma das folhas. Dirigi-me para um canto mais afastado com os outros, tirei a adaga da manga do casaco e prendi o folheto com ela.

- Agora todos podem ver o grupo em que estão. – Falei, retirando-me para o lado junto com a tríade de pokémons.

Os cinco que participariam do torneio adiantaram-se e começaram a procurar na lista por seus nomes. Após todos terem visto, me aproximei e comecei a vistoriar o pedaço de papel. Janine estava no primeiro grupo, Jack encontrava-se no segundo. Ao olhar para o terceiro fiquei surpreso com o nome que lá se encontrava.


- Jack, seu irmão vai participar. – Constatei, sério.

O garoto, apesar de surpreso no começo, logo tornou a conversar com David. Voltei a olhar para o panfleto. No quarto grupo o nome de Mary aparecia. Observei Takuto no quinto. Não reconheci nome nenhum no sexto grupo. David encontrava-se no sétimo e por fim Ussei achava-se no oitavo. Vir-me-ei então para os outros e entrei na conversa, distraindo-me para passar o tempo. Enquanto isso, no estádio, em um canto mais sombrio das arquibancadas, um garoto de cabelos vermelhos e vestindo-se totalmente de preto encontrava-se sorrindo perversamente. Em seus braços, um pokémon humanóide rosa e de cabelos amarelos encontrava-se sorrindo.


- Eles até possuem certa habilidade... Mas ainda falta muito para serem bons em batalhas. – Comentou o adolescente, rindo calmamente.

Ao mesmo tempo, em outro canto da sala de espera um garoto sorria confortavelmente. Seus cabelos eram desgrenhados e de uma coloração marrom-arroxeada. Usava um longo casaco verde sobre uma camisa rubra. Suas calças eram cinza-esverdeadas e seus tênis eram azuis. O garoto fazia malabarismo com três pokéballs habilmente.


- Vai ser divertido. – Falou, sorrindo calmamente.

Em outro lado da sala, outro garoto olhava para o teto esperando pelas batalhas. Seus cabelos eram espetados e azuis, assim como os olhos. Sua pele era relativamente clara. Trajava um casaco de manga comprida amarelo e laranja, calças jeans pretas e um par de tênis rubros.


- Esses caras são muito bons! Vai ser legal enfrentá-los! – Disse o garoto, em um tom animado.

As televisões do salão ligaram-se todas ao mesmo tempo e a imagem de Liza apareceu nelas, com um belo sorriso em sua face.

- Obrigado a todos pela espera. Agora daremos início ao grande torneio! – Anunciou Liza, gerando uma atmosfera de animosidade no salão. – Aqui estão os primeiros pares para batalhar! – Falou por fim, movendo-se para o lado para que vissem as fotos.

[Continua no próximo capítulo.]

Eventos principais:
  • Jack revela ter um Zweilous
  • May revela ter um Glaceon
  • É revelado que Pedro está participando.
  • Dois novos personagens são introduzidos.


Prévia do Próximo Capítulo: Saudações a todos. Quem fala é o Ussei. No próximo capítulo finalmente o torneio irá começar e não será mole. Muitos dos treinadores que lá se encontram possuem habilidades fora do comum. E em meio a isso, Um poderoso treinador apareçe. Não perca: Meu nome é Tamazarashi! Voe, Murkrow![list][*]


Última edição por DarkZoroark em Sex 20 Jan 2012 - 2:45, editado 1 vez(es)
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Gehrman em Sex 20 Jan 2012 - 0:02

DZ o/

Primeiro, eu falei, e repito novamente. Eu adorei a batalha tanto quanto o capítulo, sério. As estratégias feitas pelos treinadores que ordenaram seus respectivos Pokémons foram muito bem elaboradas, me prendeu bastante à leitura. Tu evoluiu bastante, hein? Parabéns.

A narração e a descrição. Mesmo achando ela meio exagerada em alguns pontos, como no início, na descrição dos Pokémons mandados pelos treinadores, mas excluindo isso, adorei. A narração feita perto do fim da luta ficou muito boa, ou seja, tu melhorou muito mesmo.

"Dois novos personagens são introduzidos." Hoho, tenho uma impressão de que sei quais são esses personagens... Bem, pelo menos um deles, derp. Como será que ele é? Só no próximo episódio para descobrir, pelo visto.

Cara, a parte do Combo Hydro Pump mais Head Smash ficou épico. Com certeza a velocidade caótica do Zweilous deve ter dificultado bastante as coisa, pelo visto. Mas, que bom que o Chimchar conseguiu vencer.

O final da luta com o Focus Punch do Chimchar foi um golpe completamente intenso, pelo visto. Afinal, lançando o Zweilous com extrema força para fora e aguentando o Thunder Fange do monstro é com certeza algo que um Pokémon pequeno como um Chimchar provavelmente não teria forças para aguentar tanto. Bem, podemos dizer que o macaco tem um grande poder.

- Counter. – Respondi, sorrindo calmamente. – Esse movimento faz com que o oponente receba o dobro do dano recebido pelo usuário por meio de um ataque físico. Além do mais, por ser do tipo lutador, foi super efetivo contra o pokémon de Jack. – Expliquei, dando de ombros. Vir-me-ei para olhar Chimchar, que, apesar do dano recebido, encontrava-se relativamente bem. Olhei então para May que se encontrava fazendo o mesmo gesto em minha direção. – May, é a sua chance.

Er, não sei se está certo, mas não quis dizer "Virei-me"?

Bem, é isso mesmo, devo dizer que está de parabéns. <: Até o/

________________

cfox: APARECI NO MULTISHOW


avatar
Gehrman
Fanfic Mod
Fanfic Mod

Masculino Idade : 19
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 27/04/2011

Frase pessoal : NÃO TEM MEDCO


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Sex 20 Jan 2012 - 3:32

Dark o/
Gostei muito do cap, deste mais do que os outros, por causa dessa batalha que foi ótima :3
Eu acho muito interessantes as estratégias que os personagens usam, e você as descreve e narra muito bem, por isso acho essa fic muito boa :3333
Vou esperar muito ansiosamente o próximo capítulo, e o começo do torneio.
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por roberto13 em Sab 21 Jan 2012 - 13:22

Oi!

Demorei um pouco para ler e comentar, mas aqui estou como disse antes. Gostei muito da descrição desse capitulo, parabéns.

O único ponto que estranhei é que o cap foi narrado pelo personagem, mas no fim mostra uma série de cenas em que ele está distante e é mostrado o que os personagens secundários falam.

Tirando essa parte, eu gostei bastante do resto.
avatar
roberto13
Membro
Membro

Masculino Idade : 27
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 17/09/2011


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por DarkZoroark em Seg 30 Jan 2012 - 12:33

Bom dia a todos. Antes de tudo, tenho um aviso para dar; os capítulos das eliminatórias irão ser divididos em duas partes, pois três batalhas por capítulos deixa estes muito grandes. Sem mais delongas vamos aos comments:

Mr. Weegee: Primeiramente, obrigado pelos elogios. Descrição e narração exagerada nesses pontos eu já lhe avisei pelo Msn o porquê disto. Se você achou caótica a velocidade do Zweilous imagina eu. Tive que ficar duas horas pensando em uma maneira de enfrentar isto. Não posso falar nada do Chimchar pois seria spoiler. Espero que goste deste capítulo.

~Fox: Fóquix! Espero que este capítulo atenda a suas expectativas sobre o torneio. As batalhas estão um pouco curtas por se tratarem das eliminatórias, mas prometo que irão aumentar logo logo. Espero que curta este capítulo.

roberto13: Pode ter demorado um pouco, mas pelo menos comentou. Nem eu mesmo consegui entender aquilo direito, mas eu precisava incluir estes personagens na fic... Espero que goste deste capítulo.

Vamos deixar então de enrolação e começar o capítulo.

Meu Nome é Tamazarashi! Voe, Murkrow! - Parte 1


As faces de oito treinadores apareceram nas telas. Procurei por algum rosto familiar e logo deparei-me com a face de Janine. Olhei então para seu adversário; um garoto jovem, que não passava de seus quinze anos. Seus cabelos eram um emaranhado de cabelos morenos. Sua pele era bronzeada e usava um par de óculos escuros. Usava um casaco azul sobre uma camisa verde.

- Aqueles que não irão participar poderão usar os controles remotos em sua frente para ver uma batalha específica. – Informou Liza, sorrindo. – Cada um dos cinco botões do controle responde a uma câmera posicionada estrategicamente próxima a uma das arenas.

- Boa sorte, Janine. – Desejou Mary, inocentemente.

- Obrigada. – Agradeceu a líder, puxando uma máscara de dentro do cachecol e colocando-a sobre a boca.

A garota começou então a correr rumo ao portão de acesso para a arena. Encostei-me em um canto próximo a todos e tirei uma pokéball de dentro do bolso, observando-a. Zorua deitou-se ao meu lado e soltou um bocejo, fechando os olhos logo depois. Afaguei-o um pouco e tornei a encarar o objeto em minha mão. O pokémon em seu interior sorriu um pouco ao ver-me, mas tornou a fechar os olhos segundos depois.


-Descanse. – Sussurrei, sorrindo gentilmente. – Em breve chegará o momento de você brilhar.

- Felipe! – Chamou David, tão alto que quase estava gritando. – Vem logo! A batalha já está começando!

Guardei a pokéball de volta no bolso e fui em direção ao grupo. Shinx encontrava-se deitado no colo de Mary, que lhe acariciava com as mãos enquanto o pokémon soltava felizes ronronares. Ajoelhei-me próximo a eles e olhei para o eletrônico. Janine encontrava-se em um dos lados do campo de gelo com uma pokéball em mãos. Reconheci a juíza como sendo uma das guerreiras que anteriormente haviam nos entregue os itens.

- Certo, treinadores, podem liberar seus pokémons. – Anunciou a juíza, em um tom sério.

- Vá, Ariados. – Falou Janine, liberando o pokémon para a batalha.

- Throh, detone! – Exclamou o treinador, excedendo-se em confiança.

Em instantes, dois pokémons distintos apareceram em campo. O primeiro era extremamente parecido com uma aranha. Seu corpo era vermelho e possuía duas listras pretas atravessando-o de um lado ao outro. Uma espécie de face triste projetava-se de seu abdômen. Quatro de suas pernas, amarelas listradas com um tom de violeta, eram arqueadas e davam sustento ao pokémon, enquanto as outras duas posicionava-se estranhamente sobre suas costas. O chifre em sua testa e suas presas eram brancos. O oponente era um pequeno pokémon humanóide, de pele vermelha e rochosa. Usava um traje de artes marciais preto e branco. Sua cabeça era oval e possuía uma estrutura em forma de “y” sobre o nariz e os olhos. Suas mãos eram redondas e possuíam três dedos grossos cada. Mary puxou a pokédex de dentro de sua mochila e apontou em direção a imagem do pokémon.


- Throh, o pokémon judô. Quando mais apertada é sua faixa, mais forte ele é. Na natureza ele utiliza-se de vinhas para fazerem suas próprias bandanas. Eles sempre andam em grupos de cinco.Informou o objeto, com indiferença em sua voz.

- Se for assim esse é muito inexperiente. – Comentou Ussei, observando a TV.

- Por que você diz isso? – Perguntou David, curioso.

- O laço ao redor da cintura dele está frouxo. – Constatou o coordenador, em um tom grave.

- Você tem razão, mas aquela faixa não é uma faixa comum. – Julguei, olhando para o brilho do objeto. – É uma Black Belt.

- Black Belt? – Repetiu David, em tom de pergunta.

- Um item que quando usado por um pokémon lutador aumenta a força dos ataques deste tipo em vinte por cento. – Expliquei, sem remover os olhos do aparelho eletrônico. – Mas conhecendo a Janine ela já dever ter percebido. – Assegurei, esboçando um leve sorriso.

Tornei a observar a batalha. Os dois pokémons apenas movimentavam-se em círculos, analisando cuidadosamente o adversário e procurando por uma brecha a qual explorar. Por fim, o oponente da líder acabou perdendo a calma e ordenou um ataque.


- Throh, use Seismic Toss! – Ordenou o garoto, em um tom convencido.

- Intercepte com Spider Web! – Exclamou Janine, séria.

O pokémon lutador lançou-se me direção à Ariados, movendo seus braços para frente do corpo. Em resposta, a aranha venenosa lançou um longo fio de seda prateada. Ao aproximar-se de Throh, o pequeno tubo esticou-se em uma complexa teia, que se prendeu ao seu corpo e restringiu seus movimentos, cancelando o ataque consequente.


- Droga! Use o Brick Break para rasgar essa teia! – Comandou o treinador, acuando-se um pouco.

- Ariados, Toxic Spikes. – Disse Janine, em um tom ponderado.

As mãos de Throh tomaram um brilho branco. O guerreiro começou então a rasgar as teias, ainda que lentamente, soltando alguns pedaços enquanto isso. Enquanto seu oponente estava preso no emaranhado de seda, Ariados abriu sua boca e moldou uma esfera de cor roxa em sua frente. Seguindo esta ação, o pokémon aranha atirou para cima o globo,que deixava para trás tempestades de poeira arroxeadas enquanto se locomovia. Sem nenhum sinal prévio, a esfera explodiu, formando múltiplos globos menores que começavam a cair no campo de batalha, liberando uma densa névoa rosa por onde passavam. Os espinhos fixaram-se então sobre a grossa camada de gelo que havia sobre o campo.

- Desista. – Falou a líder, calmamente. – Seu pokémon não tem para onde andar e não conseguirá atacar. – Constatou, tentando evitar ferimentos desnecessários.

- Sem chance! Throh, use Body Slam! – Comandou o treinador, impaciente.

- Idiota. – Comentou Janine, em um tom triste. – Ariados, Psychic.

Ao ouvir o comando de seu treinador, Throh pegou impulso com as pernas e saltou para o alto. Ao atingir um ponto sobre o seu oponente, o pokémon lutador deixou-se cair, pegando grande velocidade no processo. Em resposta, Ariados deixou seus olhos serem tomados por um brilho azulado e, instantes depois, uma linha de mesma coloração rodeou o corpo de Throh, parando também seus movimentos. O lutador foi então lançado com toda força de encontro ao chão do estádio, sendo arrastado alguns metros antes que Ariados o largasse. Quando o ataque acabou, ele estava nocauteado.


- Throh está fora de combate. A vencedora é Janine. – Anunciou a juíza, sorrindo.

Após ter sida anunciada a vitória da líder, algo um tanto estranho ocorreu em todas as televisões do salão. Uma pequena linha preta, de mais ou menos trinta por cento do tamanho da tela, apareceu, mostrando o rosto de duas treinadoras que deveriam ir para a próxima batalha.


- Interessante. – Falei, sorrindo calmamente.

- Não é? – Disse alguém atrás de mim, com uma voz calma.

Tomei um susto ao ouvir aquela voz desconhecida. Instintivamente Chimchar virou-se e ficou pronto para saltar em direção a ele. Shinx acabou se assustando e lançou uma pequena descarga elétrica em David, fazendo este cair no chão.


- Por que sempre comigo? - Perguntou o treinador, atordoado.

- Você é um pára-raios humano. – Deduziu Ussei, indiferente. – Acostume-se.

Dei meia volta e encarei o garoto. Seus cabelos eram desgrenhados e de cor marrom-arroxeada. Usava um longo e grande casaco verde sobre uma camisa rubra. Suas calças eram de uma cor parecida com o verde militar e seus tênis eram azuis. O treinador sorria confortavelmente, mesmo com Chimchar fitando-o seriamente.

- Isso acontece muito? – Perguntou ele, referindo-se a David.

- Mais do que deveria. – Respondi, em um tom cansado.

- Entendo. – Falou o garoto, dando uma risada logo depois. – De qualquer modo, me chamo Ragna. Prazer em conhecê-los. – Apresentou-se, estendendo a mão em sinal de amizade.

- Igualmente. – Falei, retribuindo o gesto à mesma maneira. – Me chamo Felipe. – Seguindo a isto, atirei o controle para David, que o pegou desastradamente. – Vejam o que vocês quiserem. Apenas me avisem quando for a vez de vocês. – Acrescentei, começando a andar.

- Não vai querer ver? – Perguntou Janine, que acabara de chegar.

- Por que haveria necessidade de eu assistir as outras batalhas? – Indaguei, dando de ombros. – Não estou participando do torneio e não tenho interesse de ver desconhecidos. Se quiserem tirar algum proveito disso, vejam alguns outros participantes e analisem a estratégia deles. – Instruí, encostando-me contra a parede.

Fechei os olhos e comecei a ponderar. Não sabia por que, mas um calafrio subia e descia minha espinha toda vez que pensara nas visões que tivera mais cedo. Meu estômago dava voltas, como se remoesse algo realmente pesado. As duas pessoas que apareceram nela eram-me estranhamente familiares. Refleti também sobre o garoto de cabelos ruivos. Apesar de não parecer hostil algo nele me incomodava; o fato de ele saber sobre meu passado era alarmante, pois poderia significar que ele conhecia meus amigos. Nunca o havia visto antes em minha vida, disto tinha certeza.


- Olá? – Perguntou uma voz estranha, um tanto vacilante.

Abri os olhos e me deparei com um desconhecido em minha frente. Não parecia ser mais alto que David. Seus cabelos eram azuis e espetados, formando um topete. Sua pele era demasiada pálida e os olhos expressivos e de mesma coloração dos cabelos. Utilizava uma camisa branca sobre um casaco amarelo e laranja de magas longas. Trajava calças jeans pretas e um par de tênis rubros.


- O que você quer? – Indaguei, estudando o adolescente de cima a baixo. Não parecia ser ameaçador, mas não me senti confortável após os pensamentos que eu tivera.

- Poderia assistir as batalhas com vocês? – Respondeu, em forma de pergunta. Esboçou em seguida um leve sorriso. – Todas as outras estão totalmente ocupadas.

Olhei para os lados e constatei que o que ele falara era verdade. Em cada aparelho havia ao menos vinte pessoas aglomeradas ao redor dos eletrônicos, formando um meio círculo intransponível. A única TV em que não havia muitas pessoas juntas era a nossa. Suspirei e em seguida dei um sorriso compreensível.

- Claro. – Falei, calmamente.

- Obrigado! – Agradeceu ele, com um grande sorriso em sua face. O garoto virou-se e começou a andar para perto dos outros, mas parou de repente como quem se lembra de algo e deu meia-volta. – Quase me esqueci! Meu nome é Shunshue Tamazarashi. – Apresentou-se o jovem, tornando a virar-se.

- Prazer. – Retribuí, fechando os olhos em seguida.

Continuei pensando e ouvindo a todos. Senti Chimchar saltar para cima de meu ombro e comecei a afagá-lo. Passaram-se mais ou menos vinte minutos antes que me chamassem, o que significava que Jack fora chamado para batalhar. Encarei o treinador, que já se levantava, ansioso por batalhar.


- Força, Jack. – Desejou David, sorrindo.

- Obrigado. – Agradeceu o adolescente, confiante.

- Veja se não vai perder. – Desafiou Janine, em um tom sarcástico.

- Não vou. – Assegurou Jack, virando-se, em seguida, para a líder. – Nem sonharia em perder a chance de derrotá-la nas finais. – Rebateu, desafiando-a.

Sem dizer uma palavra a mais ele retirou-se e começou a correr rumo ao portão de acesso da arena. Encarei o eletrônico procurando ver quem seria o oponente de Jack. Era uma garota, alguns anos mais nova que ele. Seus cabelos eram morenos, mas claros ao mesmo tempo. Algumas pequenas sardas pintavam-se ao redor do nariz da jovem, mas isto não diminuía sua beleza, pelo contrário, realçava. Seus olhos eram verdes e expressivos. Trajava uma camisa vermelha e um casaco de pele branco. Usava uma calça de mesma cor da camisa e sapatos negros. Percebi que Jack chegava naquele exato momento à arena de rocha, local de sua batalha.

- Treinadores, escolham seus pokémons. – Pediu a juíza, olhando de lado ao outro do campo.

- Sweetzel, é com você! – Exclamou Jack, lançando uma pokéball para cima.

- Acabe com eles, Kangookick! – Comandou a garota, liberando o pokémon.

Uma pequena lontra alaranjada saiu do objeto atirado por Jack. Um topete erguia-se na parte de trás de sua cabeça. Sua boca era pequena e triangular. Uma pelagem cor de creme cobria a parte inferior de sua cabeça, pescoço e criava uma linha sobre os olhos azuis, quase como uma sobrancelha. Sua cauda era bifurcada próxima ao final. Uma pequena bóia amarela acomodava-se confortavelmente sobre seus ombros. O outro pokémon era um pequeno canguru. Seus pelos eram, sobretudo, eriçados e coloridos por um tom laranja bem claro. Listras azuis horizontais encontravam-se sobre as costas do marsupial. Equilibrava-se sobre uma cauda rígida e músculos. Seu peito possuía um pequeno círculo claro em meio a um peitoral de mesma coloração das listras. Suas pernas eram curtas, mas extremamente poderosas. Três anéis brancos distribuíam-se pelo seu corpo; dois em suas pernas e um último na base de seu pescoço. Vendo tal pokémon, David instintivamente retirou sua pokédex do bolso e apontou em direção a imagem deste.


- Kangookick, o pokémon canguru. Se não criados desde o nascimento próximos a humanos, tornam-se muito hostis com estes. Esta espécie de pokémon é conhecida por ser muito rebelde e difícil de se treinar. Informou o objeto, em seu habitual tom metálico.

- Será interessante. – Constatei, com um sorriso de satisfação.

- Podem começar! – Exclamou a juíza, após certificar-se que tudo estava em ordem.

- Use o Quick Attack! – Comandou a treinadora, tomando rapidamente à dianteira.

- Evasiva com Aqua Jet! – Proferiu Jack, defensivamente.

Em resposta ao comando de sua treinadora, o pokémon canguru pegou impulso equilibrando-se sobre a sua cauda. Dando sequência ao movimento, o marsupial lançou-se para o ar em um só movimento, alcançando uma altura considerável, despencando em direção à Sweetzel, deixando um rastro branco por onde passava. Procurando proteger-se de algum eventual dano, o pokémon lontra deixou-se envolver por um véu de água, lançando-se contra Kangookick. Ao aproximar-se deste, Sweetzel habilmente deu a volta pelo lado do marsupial, evitando o seu ataque.


- Kangookick, use Bounce! – Ordenou a garota, com um sorriso em seu rosto.

- Sweetzel, Sonicboom! – Exclamou Jack, confiante.

Dando um mortal em pleno ar, o pokémon canguru moveu seu corpo de modo que seus pés ficassem próximos ao solo. Pegando impulso sobre as patas quando estas tocaram o chão, Kangookick lançou-se novamente para cima, dirigindo-se em direção ao adversário. Desfazendo-se do véu de água que o cercava, Sweetzel deixou sua cauda ser tomada por um brilho branco. Ao mover o membro em frente ao seu corpo uma lâmina branca atravessou o ar, mirando o pokémon canguru. Entretanto, Kangookick conseguiu passar por cima do ataque, desviando facilmente. O marsupial ergueu a cauda e desceu com toda força sobre a lontra marinha, fazendo com que este fosse atirado contra o chão rochoso da arena.


- Continue com Iron Tail! – Disse a garota, excedendo em confiança.

- Sweetzel, Protect! – Falou Jack, preocupado com seu pokémon.

Aproveitando que se encontrava alguns metros acima de seu adversário, Kangookick teve sua cauda tomada por uma coloração metálica. Seguindo isto, o marsupial moveu sua cauda de modo que ela ficasse sobre a cabeça de seu adversário, despencando rapidamente logo após. Percebendo isto, Sweetzel rapidamente inflou sua bóia. Um brilho turquesa tomou conta do objeto e, em instantes, um campo de força de mesma coloração ergueu-se ao redor do pokémon lontra. Ao bater contra a proteção, o marsupial foi repelido, batendo de costas contra uma rocha que desmoronou. Sweetzel socou o ar em comemoração.


- Levante-se e use Poison Jab! – Exclamou a treinadora, sem paciência após ver seu pokémon se machucar.

- Vamos acabar com isso! Sweetzel, Brine! – Disse Jack, sorrindo.

Erguendo-se em meio aos escombros, Kangookick fechou os punhos e os deixou serem tomados por uma aura arroxeada. Seguindo a isto, o pokémon canguru lançou-se em direção ao seu oponente com as mãos em frente ao corpo. Sweetzel sorriu e lançou uma espécie de “chicote” de água contra o marsupial. O ataque do pokémon lontra era, no mínimo, estranho, pois de pouco em pouco a direção na qual se movia era trocada um pouco, mas nunca se afastava muito do ponto onde estava Kangookick. No fim Sweetzel acabou por atingir o marsupial antes que este conseguisse tocar no primeiro, lançando-o para cima. Quando caiu, o pokémon canguru encontrava-se nocauteado. David levantara-se no mesmo momento de onde estava sentado, sem entender o que acontecera.


- Já acabou? – Perguntou retoricamente o treinador, com um ligeiro tom de desapontamento em sua voz. – Foi tão rápido...

- Efeito do Brine. – Constatou Tamazarashi, dando de ombros.

- Como assim? – Indagou o jovem, confuso.

- Este ataque possuí um poder ao mesmo tempo estranho e especial. - Explicou o segundo, descontraidamente. – Quanto mais fraco seu oponente estiver, mais forte será o ataque.

- Mas o Kangookick não havia levado dano. – Constatou David, transtornado.

- Errado. – Corrigiu Ragna, entrando na conversa. – Ao ter sido refletido pelo Protect ele acabou atingindo uma rocha. Quando esta se desfez e caiu sobre o canguru, Sweetzel involuntariamente acabou criando uma espécie de Rock Tomb. – Explicou, calmamente. – Some isso e a defensiva relativamente baixa do Kangookick e terá uma bela quantia de dano.

- Não entendi metade do que você falou. – Disse David, em um tom cansado. – Mas se falou, está falado.

Suspirei um pouco e tornei a ver a televisão. Jack acabara de retornar Sweetzel para sua pokéball e começava a se retirar do campo. Zorua aproximava-se após ter cochilado um pouco. Passei a mão sobre seu pelo como forma de carinho. Fiquei assim, afagando o pelo do pokémon enquanto Jack não chegava. Fazer aquilo me acalmava e livrava minha mente dos pensamentos ruins. Ao retornar, o treinador tinha um sorriso de satisfação no rosto.

- Até que foi fácil. – Falou o jovem, com um ar de descontraído.

- Não tem muitas chances de ser difícil. – Constatei, virando-me para ele. – É apenas a primeira fase. Eles não vão usar seus pokémons mais fortes logo de cara. – Expliquei, calmamente.

Continuei a afagar o pelo do pokémon negro ao mesmo tempo em que várias batalhas aconteciam. O tempo ia passando e enquanto as batalhas aconteciam o salão ia ficando cada vez mais vazio. Ficou claro que aqueles que perdiam iam logo embora, sem ter nada mais a fazer. Passados quinze minutos a foto de Tamazarashi apareceu, sinalizando que a batalha dele iria começar. Sem expressar pressa, o adolescente ergueu-se calmamente e começou a se preparar antes de entrar na arena.


- Vá com tudo. – Aconselhou David, com um sorriso travesso em sua face.

- Boa sorte. – Desejou Mary, inocentemente.

- Não preciso de sorte. – Disse Tamazarashi, confiante. Em seguida, retirou uma pokéball do bolso e mostrando-a para nós. – Eu tenho um plano.

[Continua na Próxima Parte]
avatar
DarkZoroark
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 11/04/2011

Frase pessoal : Let's Play!


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por cfox em Seg 30 Jan 2012 - 15:24

Dark o/
O cap foi simplesmente incrível cara, a sua descrição e narração das batalhas é tão perfeita que era como se eu estivesse assistindo ela de perto >3<
Os novos personagens são bem interessantes, e seus nomes me lembram alguém. -q
Estou ansioso para ver que Pokémon o Shun usará na batalha.
Enfim, o torneio está sendo ainda melhor do que eu imaginei. Espero o próximo cap.
avatar
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 18
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 23/11/2010

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Kurosaki Mud em Ter 31 Jan 2012 - 17:44

DZ o/

Bem, eu comparei o primeiro cap com o último cap, peguei as fichas dos personagens e tentei entender o que se passou. Você é um membro borboleta rapaz, foi da água para o vinho, me lembrou-me muito a um amador de Mudkips anyway.

Parabéns, você conseguiu me encantar com sua escrita (no último cap) sem erros, o negrito em contraste com o normal ficou show e sem erros aparentes de gramáticas. Mas colocação pronominal ainda te atrapalha um pouco, eu sinto isso. Mas tá ótima.

Bom, fico por aqui, lerei o próximo friend o/

T+
avatar
Kurosaki Mud
Membro
Membro

Masculino Idade : 24
Alerta Alerta :
0 / 100 / 10

Data de inscrição : 24/06/2010

Frase pessoal : O..o


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pokémon - Aventuras e Desventuras em Zixus

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum